Solvay e Apollo Medical vêem aumento de demanda por polímeros PEEK para microtubos em aplicações médicas

28/09/2016

solvay-peek-microtubulosO Grupo Solvay anunciou que a Apollo Medical Extrusion oferece agora microtubos médicos de lúmen único ou múltiplo, produzidos com KetaSpire® PEEK (polieteretercetona) da Solvay. A mudança sinaliza uma importante expansão da oferta da Apollo, que já utiliza outros polímeros da área de saúde da Solvay, incluindo Zeniva® PEEK, AvaSpire® PAEK (poliariletercetona) e Veradel® PESU HC (polietersulfona).

“Adicionar o KetaSpire® PEEK foi uma resposta natural aos pedidos crescentes que recebemos de clientes de saúde para microtubos de lúmen único extrudados com este material de alto desempenho”, disse Jonathan Jurgaitis, Engenheiro Sênior de Processos da Apollo Medical Extrusion. “Desde então descobrimos que a demanda por PEEK também se estende a designs mais complexos de microtubo de aço inoxidável trançado de múltiplos lúmens”.

A Apollo Medical Extrusion fabrica uma ampla gama de microtubos extrudados para cateter, endoscopia e instrumentos laparoscópicos. Com a adição do KetaSpire® PEEK à sua seleção de polímeros, os produtos de pronta entrega da empresa abrangem agora três novos microtubos de triplo lúmen e 26 de lúmen único feitos com o material da Solvay, bem como 14 tamanhos de varetas de PEEK.

O KetaSpire® PEEK é um dos termoplásticos de mais alto desempenho do portfólio de polímeros especiais da Solvay. Como uma classe de materiais, o PEEK oferece excelente resistência a produtos químicos a altas temperaturas e mantém excelentes propriedades mecânicas a temperaturas de uso contínuo de até 240 ° C (464 ° F). Segundo a Solvay, o seu portfólio de KetaSpire® oferece outras vantagens de desempenho em relação a produtos concorrentes de PEEK que, dependendo do grade, incluem maior resistência à fadiga, resistência ao impacto 20% maior e ductilidade 60% maior.

Os produtos da Apollo Medical fabricados com KetaSpire® PEEK refletem a e a suas características de resistência a produtos químicos, calor e fadiga, afirma a Solvay. As aplicações de microtubos que podem se beneficiar com o perfil de desempenho  do material incluem microtubos usados para aterectomia, ablação arterial, irradiação da próstata e ferramentas para a colocação de dispositivos médicos.

A Apollo vai continuar a atender aos clientes da Solvay, que escolhem o Zeniva® PEEK para a extrusão de microtubos para uso em aplicações de dispositivos implantáveis de longo prazo. Seus clientes escolhem o AvaSpire® PAEK para aplicações de contato limitado (≤24 horas) que requerem um equilíbrio ideal de resistência química, ductilidade e robustez. O Veradel® HC A-301 Pesu – o primeiro PESU a oferecer um Master File (MAF) detalhado da FDA – permite também que a Apollo aborde aplicações de microtubos que exigem uma resina transparente de alto fluxo, com rigidez excelente e resistência ao calor. Como esses outros polímeros de especialidades, as resinas KetaSpire® PEEK da Solvay têm um MAF da Food and Drug Administration para aplicações limitadas de contato com o corpo.

“O crescente interesse pelos polímeros KetaSpire® PEEK da Solvay é explicado, em parte, pelo crescimento geral no mercado global para este polímero, que alguns analistas preveem irá se expandir a uma taxa composta de crescimento anual de 8,4 por cento até 2020”, disse Jeff Hrivnak, Gerente Global de Negócios para Saúde na unidade de negócios Specialty Polymers da Solvay. “No entanto, clientes inovadores na área de saúde, como a Apollo Medical Extrusion, também estão indicando que o desempenho e o perfil de processamento dos polímeros PEEK da Solvay estão estimulando ainda mais o interesse nestes materiais avançados.”

A experiência da Solvay como uma fornecedora de materiais no campo da saúde abrange mais de 25 anos. A empresa oferece uma ampla gama de plásticos de alto desempenho para os dispositivos, instrumentos e equipamentos médicos. A Solvay também oferece uma família de biomateriais Solviva® para utilização numa série de dispositivos implantáveis. A família Veradel® de polímeros PESu da Solvay tem uma história longa e comprovada em serviços para alimentos, filtração por membrana e aplicações automotivas.

Fonte – Assessoria de Imprensa Solvay

Curta nossa página no

Evonik apresentará linhas de produtos para óleo e gás durante a Rio Oil & Gas

28/09/2016

evonik-rio-oil-gas

A Evonik marcará presença em mais uma edição da Rio Oil & Gas Expo and Conference, que será realizada de 24 a 27 de outubro, no Riocentro – Centro de Convenções do Rio de Janeiro (RJ).

O objetivo é consolidar suas marcas voltadas para o mercado de óleo e gás (O&G), demonstrando aos visitantes da feira como os polímeros de alta performance podem ser aplicados nesse mercado com eficiência e vantagens em relação a outros materiais.

No estande haverá amostras e serão apresentadas seções de tubos flexíveis, umbilicais, de aço contendo “liner” polimérico, além de tubulações revestidas com os polímeros Evonik. “Esta é uma maneira de nos aproximarmos do usuário final, mostrando exemplos práticos que são vivenciados por eles no dia a dia”, destaca Vitor Lavini, Chefe de Produto da linha de Polímeros de Alta Performance na América do Sul, da Evonik.
 
Soluções que serão destaque

Entre as soluções que serão apresentadas está a poliamida 12 (PA12) Vestamid®, indicada para aplicação na camada de barreira e na camada externa de tubos flexíveis; em mangueiras multicamadas (MLT – Multi Layer Tubing) para umbilicais; em tubos de grande diâmetro para a distribuição de gás; e como “liner” polimérico em tubos metálicos.

O destaque da linha ficará por conta do Vestamid NRG 1001, uma PA12 plastificada largamente empregada na produção de risers e flow lines (dutos flexíveis) offshore. Este grade de Vestamid NRG pode ser utilizado na camada de barreira, na camada externa e para a produção das fitas antiatrito (“anti wear tapes”) que ficam entre as camadas metálicas. Hoje, já existem mais de 1.000 quilômetros de dutos flexíveis produzidos e instalados em todo o mundo com o Vestamid NRG 100, afirma a Evonik.

Trata-se de uma poliamida de alta confiabilidade, segundo a empresa. Por possuir elevada resistência à hidrólise e altas resistências mecânica e química, estende a vida útil das tubulações. O Vestamid NRG 1001 atende e excede as normas relevantes da indústria de Oil & Gas e é a primeira poliamida 12 a conseguir o certificado Lloyds (“Lloyds Certificate”) para aplicações em dutos flexíveis, assegura a fabricante do material.

O sistema multicamadas de PA12 e fluorpolímeros para mangueiras em umbilicais será outra solução de destaque no estande da Evonik. Devido à baixa permeabilidade dos fluorpolímeros, esse sistema composto por duas camadas – uma de PA12 e outra de fluorpolímero – dá maior segurança aos umbilicais uma vez que reduz a contaminação cruzada de um fluido com outro, segundo a empresa. Mais um dado importante a ressaltar é o fato da adesão entre camadas ser feita por meio de ligações químicas, eliminando-se, desta forma, a possibilidade de delaminação.

Adequado para aplicações que requerem exigências químicas, mecânicas e térmicas extremamente elevadas, como as do mercado offshore, o poliéter-éter-cetona (PEEK) Vestakeep®, será outro destaque da Evonik durante a Rio Oil & Gas. Mais leve do que o aço, é indicado principalmente na produção de anéis de vedação, válvulas e peças de compressão.

Fonte – Evonik

Curta nossa página no

Braskem desenvolve nova resina de PP para a produção de espumas

24/09/2016

braskem_espumas

Material leve, resistente e reciclável pode ser utilizado nos mercados automotivo, industrial, eletrodomésticos, embalagens e construção civil

A Braskem está apresentando ao mercado brasileiro uma nova resina de polipropileno (PP-HMS), com propriedades de High Melt Strength (alta resistência do material fundido, em português). Com o produto, que foi especialmente desenvolvido para a produção de espumas de alto desempenho e tem a versatilidade como uma de suas características, a empresa pretende estabelecer parcerias para o desenvolvimento de novas aplicações, visando os mercados automotivo, industrial, embalagens, construção civil e eletrodomésticos.

O PP-HMS permitirá o desenvolvimento de soluções mais leves, seguras e sustentáveis, sendo indicado, por exemplo, para o revestimento interno de veículos. O novo produto é capaz de suportar temperaturas de até 100°C sem deformar e possibilita a produção de espumas com ampla versatilidade de aplicações dentro da escala de densidade, que pode ir de 35 a 300 quilogramas por metro cúbico, afirma a Braskem. Além disso, o PP-HMS pode ser reciclado, sendo assim uma alternativa mais sustentável.

“Desenvolver uma resina de alta tecnologia demonstra não apenas a ampla capacidade da Braskem de inovar, mas também de ouvir e entender as necessidades dos clientes, oferecendo soluções diferenciadas e sustentáveis. As propriedades únicas dessa nova resina possibilitam uma grande variedade de aplicações e a oportunidade de desenvolver, em conjunto com a cadeia, produtos cada vez mais eficazes e versáteis”, afirma Walmir Soller, diretor do negócio de Polipropileno da Braskem.

Os estudos para o desenvolvimento do PP-HMS foram realizados no Centro de Inovação e Tecnologia da Braskem no polo petroquímico de Triunfo, no Rio Grande do Sul, e no Centro de Inovação de Pittsburgh, nos Estados Unidos, que recentemente partiu uma linha de produção de espumas em escala piloto para apoiar novos desenvolvimentos.

O lançamento oficial do novo produto será feito na Feira K, maior feira da indústria de plásticos e borrachas do mundo, realizado na Alemanha, de 19 a 26 de outubro.

Fonte: Braskem

Curta nossa página no

Caso de sucesso na triagem de resíduos sólidos em planta espanhola pode ser replicado no Brasil

17/09/2016

tomra_granada

A triagem e a reciclagem de resíduos sólidos no Brasil foi, nos últimos anos, um dos temas mais abordados, mas também um dos mais controversos. Pilar importante na sociedade, a verdade é que a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS) – Lei 12.305 promulgada em Agosto de 2010, não se concretizou como tinha sido estruturada inicialmente. O objetivo desta lei era evitar que o material fosse para os aterros, e, com isso, reduzir os riscos e os danos ambientais. No entanto, seis anos depois, pouco ou quase nada foi feito.

De acordo com a PNRS, as metas referentes aos resíduos sólidos urbanos inicialmente propostas diziam que em 2014 haveria a eliminação total dos lixões no Brasil, fato que não aconteceu. A plena vigência da PNRS, que se devia ter dado em 2014, não foi suficiente para mudar a cultura de produção e gestão do lixo no Brasil. Esta é a avaliação do presidente da Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais (Abrelpe), Carlos Silva Filho, sobre os dados do Panorama Dos Resíduos Sólidos no Brasil. O documento mostra que, entre 2010 e 2014, a geração de lixo cresceu 10,36%.

“Nem mesmo com a edição da PNRS, que traz entre os princípios, como primeira ação na hierarquia dos resíduos, a minimização da geração, a gente percebe que isso ainda não está em curso. Nós ainda estamos em linha de crescimento de geração [de lixo], tanto no total quanto per capita”, destacou Carlos Filho. A média brasileira de produção de lixo por pessoa é 1,062 quilo (kg) por dia, de acordo com as últimas estatísticas.

Entre os entraves para o funcionamento da PNRS, Carlos Filho aponta a falta de vontade política dos gestores municipais, assim como a pouca capacidade técnica para viabilização da solução adequada e recursos. “Não adianta dar mais prazo, não adianta estender a lei. O que se precisa é conjugar esses três fatores e colocar isso em prática. Do contrário, vamos continuar sofrendo com uma gestão inadequada”, declarou. Para ele, dar mais tempo para cumprimento da lei pode agravar problemas ambientais já registrados hoje, como contaminação do solo e águas.

A pesquisa aponta que mais de 41% das 78,6 milhões de toneladas de resíduos sólidos gerados no país em 2014 tiveram como destino lixões e aterros controlados – locais que oferecem riscos ao meio ambiente e à saúde. A PNRS preconiza o fim dos lixões. No entanto, de acordo com a pesquisa, 3.334 dos 5.570 municípios brasileiros ainda mantém este tipo de estrutura. A maioria deles em cidades pequenas e médias.

Equipamentos de triagem da TOMRA Sorting Recycling podem ajudar na solução desse problema real do Brasil. Trata-se de solução comprovada (não em fase de teste ou protótipo), existente em vários países do mundo e aplicável a resíduos semelhantes ao nosso.

Os mercados mundiais e a aposta nos grandes investimentos

O tema da reciclagem tem gerado significativo debate em nível mundial. Para além de uma forte sensibilização à população, a aposta dos mercados mundiais tem se voltado nos últimos tempos para os grandes investimentos em alta tecnologia que permitem uma grande recuperação dos materiais, com menos recursos. Um exemplo é a planta Ecocentral Granada, em Espanha.

Localizada em Alhendín (Granada), a unidade possui uma capacidade nominal de 450 mil t/ano e é uma das principais plantas de recuperação de resíduos na Espanha. Ao todo são quatro linhas de tratamento com capacidade para processar 30 t/h, contando com 10 separadores automáticos AUTOSORT da TOMRA Sorting Recycling. As linhas de processamento são agrupadas duas a duas, de forma simétrica, permitindo que a planta trabalhe com dois tipos diferentes de materiais ao mesmo tempo, com estabilidade e versatilidade do processo.

A Ecocentral Granada emprega diretamente cerca de 190 funcionários e trata os RSU gerados por 144 municípios (812.000 habitantes), assim como os recipientes recolhidos de forma seletiva de toda a província (923.000 habitantes). A recuperação de RSU da Ecocentral em 2015 foi de 10,80% da entrada total, o que equivale a 38.525 toneladas de materiais recicláveis recuperados. A este número somam-se ainda outras 5.670 toneladas de materiais recicláveis recuperados da coleta seletiva, com uma eficiência de recuperação de cerca de 72,5%.

A automatização e as últimas alterações na Ecocentral Granada fizeram com que ela se tornasse uma referência na Espanha e um bom exemplo de alta performance de recuperação. A inclusão das tecnologias avançadas para o tratamento de Resíduos Sólidos, a exemplo dos equipamentos de classificação baseados em sensores óticos da TOMRA, foi relevante para o aumento de eficiência e na melhoria da gestão.

Atualmente, a planta dispõe de 10 unidades AUTOSORT, sendo 4 equipamentos instalados na linha da fração rolante de duas linhas do processo; outros 4 equipamentos estão em paralelo também instalados na linha da fração rolante nas outras duas linhas simétricas, e os 2 equipamentos óticos estão instalados para a recuperação de embalagens e para a recuperação de papel e papelão no rejeito de todas as quatro linhas.

Segundo explicou Ricardo Alonso Pérez, Engenheiro de Serviço de Resíduos da Ecocentral Granada: “Com a introdução dos AUTOSORT, a recuperação de papel e papelão teve um aumento de recuperação de 0,8% a 1% sobre o total da entrada da planta. Atualmente se recuperam por turno entre 5 a 8 toneladas de papel e papelão de grande qualidade”.

Quanto à recuperação de outros materiais como o PET, o PEAD, caixa de bebida, etc: “as vantagens vão desde a alta disponibilidade e alta eficiência de separação, estabilidade e versatilidade para poder separar novos produtos que o mercado demande, a troca dos produtos a serem selecionados ou a reconfiguração da cascata de seleção dos materiais em caso de tratamento de diferentes fluxos de materiais (RSU ou coleta seletiva, por exemplo)”, afirmou Alonso.

A ponte para o mercado brasileiro

A Ecocentral Granada é um exemplos de plantas ao redor do mundo que estão optando pela automatização de processos com equipamentos da TOMRA Sorting Recycling. São mercados mundiais com grandes semelhanças ao mercado brasileiro pela quantidade de lixo que produzem. No entanto, o Brasil ainda está uns passos atrás, no que diz respeito, a grandes volumes de recuperação de materiais recicláveis, ou seja, através de plantas de processamento em alta capacidade de resíduos.

Apesar da grande relutância das empresas brasileiras, muito por causa do nível de investimento avultado, a verdade é que estes tipos de plantas automatizadas são economicamente viáveis, mesmo no mercado brasileiro que está em ascensão. Só pelo fato de permitir recuperar recicláveis que estão em falta no país, devia ser uma das prioridades da política brasileira, assim como das próprias empresas, que iriam obter resultados mais rápidos e ver assim o investimento devolvido a médio prazo.

Fonte: Tomra Sorting Recycling

Curta nossa página no

Vigor se destaca com três prêmios em evento promovido pela Associação Brasileira de Embalagens

17/09/2016

vigorA Vigor, empresa nacional de alimentos e bebidas, é um dos destaques do 16º Prêmio ABRE da Embalagem Brasileira. Na última quarta-feira a companhia conquistou ouro em dois produtos de seu portfólio. O primeiro ficou com Vigor Mix, um blend de margarina e manteiga que venceu na categoria ‘Embalagem de Alimentos Salgados’. O segundo foi para os Cremes de Queijos Danubio, na categoria ‘Design Estrutural – Forma’. A empresa também foi reconhecida por sua inovação na categoria ‘Embalagens de Bebidas Não Alcoólicas’, conquistando medalha de prata por seu Leite Fermentado Vigor Minions.

O ouro de Vigor Mix veio a partir de critérios como inovação, criatividade do design, apelo de venda, objetividade de posicionamento e outros. A nova embalagem é marcada por um design ergonômico e exclusivo no Brasil, que inclui uma sobretampa com brilho e transparência, além da rotulagem IML (in mold label) de alta qualidade gráfica. Essa tecnologia de impressão reproduz os detalhes do grafismo, ressaltando as imagens e deixando-as atraentes. Pote e rótulo utilizam a mesma matéria-prima facilitando a reciclagem. Para o consumidor o tato da embalagem é prático e o produto é consumido até o fim, sem desperdício.

Já entre os Cremes de Queijos Danubio, o diferencial está na utilização da área de rotulagem, que garante uma melhor exposição na gôndola. Seu formato facetado permite que o produto seja exposto tanto na horizontal, com face voltada para o consumidor, quanto na vertical (empilhado). A aplicação de um grafismo leve nas embalagens ainda transparece o frescor e a qualidade dos produtos Danúbio. Como resultado, a marca já superou suas expectativas de vendas nos três primeiros meses após o lançamento dos cremes.

Na linha de Leite Fermentado, a Vigor ficou com a prata por conta de embalagens inspiradas nos personagens amarelinhos que viraram febre no país: os Minions. Nesse caso, o destaque foi para o formato diferenciado e inovador. Dessa vez, muito diferente do padrão, a marca trouxe o produto envasado em garrafinhas, onde cada uma delas representa um personagem diferente dos Minions.

“Estamos muito felizes com mais este reconhecimento, pois inovação é uma marca registrada da Vigor. Ser premiado pela ABRE mostra que estamos no caminho certo alcançando a preferência do consumidor a cada dia”, comenta João Nery, Gerente de Pesquisa & Desenvolvimento.

Fonte:  Vigor

Curta nossa página no

Embalixo lança nova embalagem “Fecha Fácil” com plástico derivado de cana-de-açúcar

17/09/2016

braskem_embalixo

Produto sustentável facilita o descarte de lixo

Empenhada em facilitar a vida do consumidor, a Embalixo, empresa brasileira líder na produção de sacos para lixos, lança o “Fecha Fácil”, modelo que possui abas para facilitar o fechamento da embalagem. O produto já está disponível para o consumidor e possui quatro versões: de 15, 30, 50 e 100 litros.

A nova embalagem utiliza como matéria-prima o Polietileno Verde, resina desenvolvida pela Braskem. O PE Verde, produzido a partir de cana-de-açúcar, possui características idênticas às do polietileno de origem fóssil, não requer mudanças nos processos de transformação e pode ser reciclado nas correntes já existentes.

Desde 2011, a Embalixo adota o Plástico Verde em seus sacos para lixos. “Estamos muito satisfeitos em lançar uma embalagem que visa facilitar a vida do consumidor já com o selo I’m greenT, o que reforça nosso compromisso com o descarte simples e correto de resíduos”, explica Rafael Costa, diretor comercial da Embalixo.

Fonte: Braskem

Curta nossa página no

Termotécnica destacou linha de agronegócio na Agrotec

17/09/2016

termotecnica_da_colheita

A conservadora de frutas DaColheita e toda a linha de agronegócio da Termotécnica foram destaque na 3ª Agrotec – Mostra Catarinense de Tecnologias para Agricultura de Pequena Escala. O evento, que aconteceu na quinta e sexta-feira (15 e 16/9), em Itajaí (SC), reunindo cerca de 3 mil agricultores familiares catarinenses.

Além de apresentar as opções das conservadoras DaColheita já disponíveis no mercado, a Termotécnica deu ênfase a modelos em desenvolvimento, que se adequam à cultura de outros tipos de frutas. A intenção, segundo o presidente da Termotécnica, Albano Schmidt, foi apresentar protótipos com o objetivo de prospectar novos negócios e fortalecer junto aos agricultores a iniciativa da empresa de ampliar a linha DaColheita de acordo com as necessidades do mercado. A programação destacou palestras, minicursos e expositores focados para produção de pequena escala. Também foram apresentadas tecnologias desenvolvidas pela Epagri, IFSC e FURB.

Espaço de Exposição

A Termotécnica teve um espaço de exposição onde apresentou as conservadoras de frutas DaColheita e os demais itens da linha de agronegócio, como o Upally, a MaisMel e a caixa de mudas. Além disso, profissionais da empresa estiveram no evento à disposição dos participantes para oferecer todas as informações necessárias e sanar dúvidas.

DaColheita

Com a proposta de proteção, melhor acondicionamento, transporte e maximização da validade dos produtos nas prateleiras, a Termotécnica apresentou a caixa conservadora de frutas DaColheita. Produzida em EPS (isopor®), ela amplia o prazo de validade (Shelf Life) da fruta, proporcionando menor perda de peso pela desidratação e mantendo o teor vitamínico por mais tempo. Além disso, a Termotécnica detém know-how para uso da nanotecnologia e já é possível produzir as conservadoras com o Safe Pack, tecnologia de EPS antimicrobiano que reduz em até 99,9% a ação de micro-organismos, tornando as superfícies de contato e produtos livres das ameaças invisíveis do cotidiano.

Fonte: Termotécnica

Curta nossa página no

Tendências na K 2016: feira apresenta abundância de aplicações inovadoras e mostras complexas

09/09/2016

Materiais sob medida, uso eficiente dos recursos, produção com defeito zero, materiais leves e digitalização são apenas algumas das muitas tendências tecnológicas caracterizadas na feira deste ano

k2016Nenhuma outra feira do mundo apresenta materiais poliméricos, bem como máquinas de processamento de plásticos e borracha, tecnologia e equipamentos em tal abundância e em tal nível de qualidade superior como a feira K, em Düsseldorf / Alemanha. Não há outra exposição que mostre tal ampla variedade de mostras complexas e de qualidade superior. Foi com base nessas características que Werner Matthias Dornscheidt, CEO da Messe Düsseldorf, chamou a última feira K em 2013 de “maior fábrica de plásticos no mundo”. A K 2016 irá mais uma vez proporcionar uma visão abrangente de tecnologias de polímeros na vanguarda do desenvolvimento global.

Materiais funcionais sob medida e específicos para aplicações

Desde os anos 1990, essencialmente nenhum novo polímero entrou em produção em escala industrial – a menos de alguns biopolímeros. Assim, processos como a modificação, aditivação e funcionalização de matérias-primas poliméricas com o objetivo de criar compostos sob medida para aplicações específicas ou para a produção de propriedades específicas tornaram-se o eixo central de toda a produção de polímeros industriais. Atualmente, o foco principal parece residir na aprovação dos materiais que entram em contato com os alimentos ou água potável e de materiais utilizados em aplicações médicas. Outro objetivo importante para materiais feitos sob medida: resistência química suficiente para substâncias como cosméticos ou outros produtos químicos e estabilidade contra temperaturas de operação contínua e de pico, que são comuns em sistemas eletrônicos ou de iluminação. Em adição a uma condutividade térmica ajustável, muitas aplicações também requerem resistência elétrica ou condutividade elétrica ajustáveis. O mesmo se aplica a aplicações baseadas em borracha: solicitados a cumprir os exigentes requisitos de certificações para aplicações de água potável ou a fornecer retardância de chama confiável em materiais, os componedores vem aplicando uma grande expertise aos seus processos de formulação de blendas. Aplicações em borracha operadas muito próximas a motores de combustão devem resistir a temperaturas de operação e de pico progressivamente maiores, bem como a meios agressivos. Não só os veículos elétricos requerem pneus altamente eficientes e com melhor tração e resistência minimizada ao rolamento.

Uma utilização mais eficiente dos recursos traz novos desafios

A chamada para um uso responsável e cuidadoso de recursos finitos e seu consumo restritivo não é apenas uma exigência popular amplamente expressa, mas também uma necessidade econômica. Isto envolve o uso eficiente de materiais, isto é, materiais poliméricos. A seleção de um design de produto final específico para o material e para a produção é frequentemente o primeiro passo no sentido de tornar os processos de produção mais eficientes.

Também houve grandes melhorias no consumo de energia das máquinas de processamento de plásticos. No entanto, os fabricantes de grandes máquinas de processamento, da maioria de todas as máquinas de moldagem por injeção, bem como máquinas de moldagem por compressão, extrusoras e máquinas de moldagem por sopro, ainda identificam potencial para reduzir as taxas de consumo de suas máquinas. Eles estão se movendo para mais perto dos limites físicos e estão minimizando a energia necessária para plastificar o material. O padrão Euromap 60 para medir o consumo de energia das máquinas oferece aos processadores um mínimo de transparência. Para situações onde as taxas de consumo de energia são inevitáveis, os fabricantes de máquinas desenvolveram componentes que recuperam energia a partir de processos como a desaceleração dos movimentos da máquina e a acumula para outros processos motrizes. Usado em conexão com equipamentos e instalações técnicas, sistemas de recuperação de calor tornaram-se parte do equipamento padrão inicial de novas instalações e também foram adaptados em muitas instalações existentes.

Hoje em dia, a maioria dos fabricantes de máquinas e equipamentos chegaram à conclusão de que a melhor eficiência e disponibilidade de materiais frequentemente têm um efeito mais positivo sobre a eficiência global dos processadores do que economias de energia pouco expressivas. Embora a redução de energia pareça dominar o domínio público, soluções práticas que reduzem os tempos de troca de moldes estão atualmente na moda: sistemas de fixação rápida, sistemas de troca rápida, soluções de adaptadores e sistemas que detectam automaticamente qualquer molde recém-instalado. Todos estes produtos podem melhorar a disponibilidade de uma máquina e alargar a gama de produção do fornecedor. Isto se aplica para o processo de injeção, tanto de plásticos como de borracha, à medida que os fabricantes de máquinas de processamento de borracha também começaram a melhorar a flexibilidade de troca de produtos dos seus equipamentos, a aumentar o nível de automação e a fazer os procedimentos de processamento mais transparentes. De forma análoga aos benefícios da tecnologia de câmara quente para moldagem por injeção de termoplásticos, a tecnologia de câmara fria freqüentemente resulta em economia de material durante os processos de injeção de elastômeros.

Produção com defeito “zero”  ainda no topo da agenda

O objetivo de muitos transformadores de plásticos, a produção com defeito “zero” visa eliminar o desperdício da valiosa matéria-prima. Muitos sistemas podem contribuir para isso. A eliminação de corte de rebarbas, bem como a redução automática das tolerâncias de espessura de filmes plásticos, chapas e perfis, bem como de vedantes de borracha, por exemplo, tornam os processos de extrusão mais eficiente no uso de recursos. Estratégias envolvendo simulações e análise de dados correntes durante o processo ativo também visam impedir a produção de itens com defeito. Para processos de moldagem por injeção que permitem a detecção de defeitos durante a produção ativa, uma variedade de estratégias de separação estão disponíveis. Estas são baseadas em critérios de qualidade que foram medidos ou automaticamente determinados durante o processo ativo de produção. Processos que só permitem a detecção de defeitos na peça acabada operam progressivamente com sistemas ópticos como câmeras.

Feira K é o domínio da engenharia de peças leves

Na mobilidade, a engenharia de peças leves amplamente considerada como a chave para a redução do consumo de energia combustível. “Não há praticamente nenhum produto de plástico que não seja também uma aplicação de engenharia leve,” comentou o Prof. Dr.-Ing. Christian Hopmann recentemente sobre o peso mínimo e perfil de desempenho de materiais poliméricos. Ainda assim, os fabricantes de máquinas, assim como os produtores de plásticos e reforços, os institutos e os transformadores de plásticos fazem todos os esforços para desenvolver técnicas confiáveis para a produção em larga escala de componentes leves particularmente para aplicações de mobilidade, tais como carros e aviões, bem como para aplicações industriais individuais.

Existem numerosas e virtualmente infinitas combinações de métodos de produção especiais particularmente para as técnicas de RIM e de moldagem por injeção, que se esforçam para encontrar soluções adequadas para a produção em larga escala de componentes leves. Apesar do fato de que muitas feiras e conferências internacionais lidam com o assunto da engenharia leve ou compósitos com fibras, a feira K oferece uma visão geral bem mais profunda sobre as muitas maneiras com as quais as fibras de reforço em uma matriz de material polimérico podem rapidamente produzir componentes de peso otimizado com um máximo de capacidade do processo.

Híbridos de Metal e plástico e as várias combinações de fibras com matrizes de polímeros são mostrados durante a K. Termoplásticos, termofixos, matrizes de poliuretano à base de bio-materiais estão sendo combinados com fibras de vidro, carbono e outras materiais sintéticos ou naturais, de modo a satisfazer as exigências e demandas de aplicações modernas. As unidades de produção de componentes leves são frequentemente montadas por muitos parceiros, já que a produção envolve uma gama de diferentes ingredientes, desde fibras de reforço e manuseio automatizado de materiais flexíveis até  máquinas e equipamentos para a produção que frequentemente ocorre em estágios múltiplos. Os materiais da matriz polimérica devem estar em conformidade com os regulamentos para retardância de chama, ao mesmo tempo em que devem proporcionar propriedades mecânicas superiores e fluidez. A combinação das fibras e do material de matriz deve fornecer propriedades suficiente de união.

A digitalização oferece novas oportunidades de produção

O uso de equipamento digital em paralelo aos processos de produção, também chamada de “indústria 4.0”, permite que os transformadores de plásticos possam analisar os dados da sua própria produção a fim de recolher informações práticas de seus processos. Na feira K deste ano, os fabricantes de máquinas e software têm se esforçado para oferecer produtos atraentes para os transformadores de plásticos. A gama de produtos em exposição provavelmente irá envolver novos conceitos para acelerar os processos de partida da produção e para melhorar a flexibilidade dos processos de produção, bem como produtos de serviços para manutenção preventiva, fornecimento de peças de reposição e de gestão da qualidade. No longo prazo, os dados recolhidos durante os processos de produção também serão utilizados para adaptar equipamentos de produção tais como máquinas, robôs, moldes e matrizes às necessidades reais da operação do dia-a-dia e para otimizar o seu design para as especificações de aplicação prática.

Graças à digitalização, melhorias relacionadas com a operação de processos em tempo real têm um grande potencial para aumentar a eficiência da produção: é agora mais fácil do que antes combinar o design da peça moldada, a construção e propriedades do material com as diferentes opções disponibilizadas pela engenharia de moldes e melhorá-los com a inteligência acumulada de procedimentos de produção controlados por processo e temperatura. Por isso, a simulação com um intenso feedback entre a produção e odesenvolvimento tornou-se cada vez mais importante. De um modo geral, muitos fornecedores estão se esforçando para atender ao aumento da demanda por maior transparência da produção e processo através da intensificação da interação entre TI e a tecnologia clássica de produção.

Produção de plásticos: lotes de tamanho 1

Produções com tamanhos de lote reduzidos são o resultado de conceitos de armazenamento enxuto e uma crescente demanda por entregas just-in-time. Uma apresentação em particular, que foi exibida na K 2013, colocou a produção de peças plásticas por produção aditiva firmemente no mapa industrial e direto nas mentes de muitos transformadores de plásticos. Mesmo que esses métodos de produção ainda sejam limitados para termoplásticos amorfos e ainda não permitam o uso de cargas e reforços, eles ainda fornecem matéria para reflexões, à medida que as preferências do consumidor moderno e as tendências da moda parecem mudar com o clima e a individualização da produtos plásticos apresentou um novo desafio para a indústria. Por um lado, este desenvolvimento aumenta as possibilidades para a produção sem moldes de componentes e um lotes de produção de tamanho 1; por outro lado, ele também aumenta o interesse em conceitos de troca mais rápidos para métodos de produção convencionais, tais como moldagem por injeção. Por sinal, a produção através de moldagem por injeção está cada vez mais dominada por sistemas de troca rápida para moldes, trocas de inserções da cavidade ou pacotes completos de extratores para fazer as freqüentes trocas de produto mais eficientes.

Interfaces homem-máquina com operação intuitiva

Novas oportunidades em TI também tiveram um impacto visível nos sistemas de controle para máquinas modernas de processamento de plásticos. Chaves, botões e interruptores em formatos clássicos foram substituídos por painéis de operação estruturados de múltiplos toques e macios, com ou sem elementos de controle centrais de aperto e e torção central já estabelecidos em veículos modernos. O novo visual das interfaces clássicas homem-máquina tem como objetivo fornecer uma operação mais intuitiva e também aplica a lógica familiar de operação de smartphones, iPads e tablets às tarefas de controle industrial. Como muitos técnicos de produção têm que ser treinados para as suas tarefas, fabricantes de máquinas e transformadores de plásticos gostam desta nova abordagem e esperam atrair novos funcionários para sua empresa ao facilitando o seu trabalho com os sistemas de controle fáceis e intuitivos. Espera-se que estes novos sistemas ajudem os novos funcionários a descobrir as suas oportunidades de carreira pessoais em uma indústria moderna, crescente e à prova de futuro.

Fonte: Messe Duesseldorf

Curta nossa página no

BASF lança nova marca global de pigmentos

08/09/2016

A marca Colors & Effects alinha o expertise global na área de pigmentos em cinco indústrias

basf-colors-effectsA BASF anuncia o lançamento da marca Colors & Effects, que vai unificar seu negócio global de pigmentos. A nova marca reúne corantes distintos e o portfólio de pigmentos de efeito da BASF e atende clientes de cinco indústrias-chave: tintas, plásticos, impressão, cosméticos e agricultura. “Para continuar a crescer e desenvolver seus negócios, nossos clientes precisam de uma seleção variada de pigmentos e expertise global”, considera Alexander Haunschild, vice-presidente sênior global do negócio de Pigmentos. “Neste mercado competitivo, criamos uma marca focada inteiramente em pigmentos para fornecer aos nossos clientes produtos e soluções de uma única fonte”. A BASF organizou o seu negócio global de pigmentos com uma abordagem voltada para as indústrias e criou equipes que atendem exclusivamente cada área.

Esta é a primeira vez que a empresa cria equipes de pigmento globais dedicadas às indústrias de agricultura e cosméticos. “Nossa prioridade número um é continuar sendo um fornecedor global confiável para nossos clientes. Esta marca se baseia nos principais pontos fortes que trazemos para o mercado: expertise químico e um amplo portfólio de corantes e pigmentos de efeito de alta performance”, afirma Haunschild. “A BASF continua investindo recursos para essa mudança e estamos confiantes que temos os especialistas certos e o portfólio para ajudar nossos clientes a continuar inovando.” A BASF opera 13 sites de produção de pigmentos localizados na China, França, Alemanha, Coréia, Holanda, Suíça e Estados Unidos. Para saber mais sobre a marca Colors & Effects, visite http://www.colors-effects.basf.com.

A divisão de Dispersões e Pigmentos da BASF desenvolve, produz e comercializa uma gama de pigmentos de alta qualidade, resinas, aditivos e dispersões de polímeros em todo o mundo. Essas matérias-primas são usadas em formulações para revestimentos e tintas, impressão e embalagem de produtos, produtos químicos para construção, adesivos, colagem de fibras, plásticos, papel, bem como em aplicações eletrônicas, tais como monitores.

Fonte: BASF

Curta nossa página no

Evonik apresentará lançamentos para a indústria de Poliuretanos durante a Feiplar Composites & Feipur

07/09/2016

EvonikPainel

A empresa irá expor novos aditivos para espumas de poliuretanos e lançará o projeto “Evonik PU Foam Academy”, além de apresentar trabalhos técnicos nos painéis setoriais

A Evonik, uma das líderes mundiais em especialidades químicas,  participará da Feiplar Composites & Feipur 2016 – Feira e Congresso Internacionais de Composites, Poliuretano e Compostos Termoplásticos/Plástico de Engenharia, que ocorrerá entre os dias 8 a 10 de novembro, no Expo Center Norte, em São Paulo.

Além de apresentar novos produtos destinados ao mercado de espumas de poliuretano, a Evonik realizará o lançamento oficial do projeto “Evonik PU Foam Academy” na América do Sul. Trata-se de uma iniciativa global que tem como objetivo aumentar a capacitação profissional sobre a tecnologia do poliuretano com foco em espumas flexíveis em bloco, por meio de treinamentos personalizados e eventos especialmente desenvolvidos em parceria com os clientes Evonik.

A empresa investe significativos recursos na qualificação de seus parceiros por entender que a iniciativa traz valor aos negócios, com o aumento da produtividade, otimização da qualidade, inovação de produtos, redução de perdas e melhoria da relação custo-benefício. “Nosso principal objetivo é consolidar nossa liderança mundial e regional no fornecimento de aditivos para poliuretanos e atualizar o mercado sobre nossos mais novos produtos, serviços e tecnologias”, ressalta Roberto Luiz, Gerente de Poliuretanos da Evonik.

Novidades para a indústria de poliuretano

Com amplo portfólio para os mercados de poliuretano e compósitos, a Evonik é um importante parceiro destas indústrias, que exigem cada vez mais soluções de alta tecnologia e customizadas para cada aplicação. Todo o portfólio da empresa será apresentado durante a Feiplar Composites & Feipur 2016, incluindo lançamentos de um aditivo que melhora o espalhamento do adesivo em aglomerados, um catalisador especial de amina terciária com emissão zero, indicado para espuma flexível e HR moldado, um redutor de “scorching“ em espumas flexíveis, além de um aditivo indicado para abrir células de espumas  viscoelásticas.

Eventos simultâneos

Paralelamente à exposição, serão realizados  Painéis Setoriais, que têm como objetivo apresentar as mais recentes soluções e benefícios dos composites, poliuretano e compostos termoplásticos/plásticos de engenharia para 11 setores industriais diferentes. A Evonik participará de quatro painéis:

Painel Isolamento Térmico
Dia 8/11 – 9h20
Tema: Plataforma Evonik de Produtos, Serviços & Tecnologias para Painéis Contínuos de Poliuretano – Equipe Técnica Mundial dedicada à indústria

Painel Automotivo
Dia 9/11 – 10 horas
Tema: Plataforma Evonik de Produtos, Serviços & Tecnologias para solução de problemas na produção de espumas HR moldadas

Painel Mineração
Dia 9/11 – 10h40
Tema: Apresentação do Portfólio de Aditivos Evonik para o Segmento CASE PU (Tintas, Adesivos, Selantes e Elastômeros)

Painel Espumas Flexíveis
Dia 10/11 – 9h40
Tema: Investindo em treinamentos – Apresentação do projeto “Evonik PU Foam Academy”

A Evonik participará também do VII Congresso Internacional de Poliuretano, no dia 9/11, às 15h20, com a apresentação do programa de treinamento “Evonik PU Foam Academy”. O foco desta apresentação será o Centro Técnico de Serviços América do Sul da Evonik, localizado em Americana, SP.

Serviço:
Feiplar Composites & Feipur 2016
Data: 8 a 10 de novembro
Horário: das 12h00 às 21h00
Local: Expo Center Norte – Pavilhão Verde
Endereço: Rua José Bernardo Pinto, 333 – Vila Guilherme – São Paulo
Estande: C7, entre as ruas C e D

Fonte: Assessoria de Imprensa – Evonik

Curta nossa página no

Perfis de PVC de alto desempenho nos tons preto fosco e amadeirado são os destaques da Kömmerling na Fesqua

07/09/2016

kommerling_fesqua

A Kömmerling – do setor de perfis e sistemas de PVC  para janelas e portas –  apresenta na Fesqua 2016 produtos que obedecem à norma 15.575 – que institui nível de desempenho mínimo ao longo da vida útil para os elementos da edificação habitacional  – bem como à  NBR 10.821  que regula as esquadrias externas para edificações.

Um dos  destaques fica por conta do perfil de PVC na cor preto fosco, sendo a massa de perfil interna preta e a lâmina com proteção térmica Cool Colors Plus da Skai. “Apesar de o preto ser uma cor que absorve mais energia térmica, essa proteção faz uma barreira, proporcionando um desempenho muito semelhante ao branco”, explica Priscila Oliveira Andrade, gerente de vendas da Kommerling,

Outra atração é o PVC com acabamento amadeirado. Por meio de lâminas coladas nos perfis, é indicado para qualquer tipo de abertura. Está disponível com 5 tonalidades standard e 12  especiais, com cores que vão do azul ao vermelho e metálico O produto é destinado a um público que deseja um acabamento rústico da madeira sem os problemas de manutenção, como verniz e fungo, cupins, apodrecimento. Soma-se a estes benefício, o isolamento termoacústico estável.

Segundo Priscila Oliveira Andrade, a disponibilidade de perfis de PVC no padrão madeira é uma opção que avança em novas obras no Brasil, tendo em conta que a mão de obra de manutenção de esquadrias de madeira está cada vez mais escassa e cara.

A Fesqua, XI Feira Internacional de Esquadrias, Ferragens e Componenetes, ocorrerá de 21 a 24 de setembro de 2016 no São Paulo Expo Exhibition & Convention Center, em São Paulo – SP

Fonte: Assessoria de Imprensa – Kömmerling

Curta nossa página no

Cartaplast apresenta embalagens de Plástico Verde da Braskem

07/09/2016

braskem_cartaplast

Bastante utilizado do mercado alimentício, o Plástico Verde tem uma nova aplicação em embalagens. A Cartaplast do Brasil, que comemora 25 anos de atuação, agora utiliza a resina de origem renovável na fabricação de bobinas picotadas, solução para acondicionamento de alimentos como carnes e aves. Com o lançamento, a empresa reduz os impactos no meio ambiente por meio da adoção de uma inovação tecnológica brasileira, desenvolvida pela Braskem.

O Polietileno Verde tem vantagens no que diz respeito à sustentabilidade. Além de ser obtido a partir de fonte renovável (cana-de-açúcar), ou seja, não consumir recursos fósseis limitados, captura CO2 durante seu ciclo de fabricação. As embalagens da Cartaplast do Brasil terão o selo I’m greenT, que garante a origem do produto.

Fundada em 1991, a Cartaplast do Brasil iniciou suas atividades produzindo e comercializando bobinas picotadas para atender à exigência do setor varejista e o segmento de distribuição de embalagens. Nos anos que seguiram, registrou uma série de aquisições em extrusoras e sacoleiras de última geração com a perspectiva de consolidação na indústria do plástico no Brasil, firmado – se como um importante player nacional no mercado de bobinas picotadas e sacolas plásticas. A estratégia de crescimento, apoiada na inovação e na expansão de capacidades para suprir a demanda do mercado proporcionou à empresa novo estágio de desenvolvimento em volume, qualidade e oportunidade de negócios.

Fonte Braskem

Curta nossa página no

Inovações destacam indústrias de plástico do Rio de Janeiro durante Interplast 2016

07/09/2016

simperj-firjan

A indústria fluminense de plástico tem se destacado no cenário nacional com o lançamento de produtos inovadores. Para gerar visibilidade aos negócios locais, com o apoio do Sistema FIRJAN e do Sindicato da Indústria de Material Plástico do Estado do Rio de Janeiro (Simperj), empresários associados ao sindicato participaram da 9 ª edição da Feira Interplast.

Por meio de um estande coletivo, onze empresas expuseram seus produtos no evento que é reconhecido por reunir os principais profissionais do setor de plástico do Brasil. Esta ação traz a oportunidade de apresentar o Rio de Janeiro como um polo industrial e fortalecer a atuação das indústrias fluminenses.

Para o vice-presidente do Simperj, Marcelo Oazen, o destaque da indústria fluminense é fruto do espírito inovador. “Fabricamos materiais com boa performance e alta tecnologia, pensando em atender às demandas das cadeias produtivas do país. Na Feira, nossa preocupação foi levar apenas produtos completamente inovadores, e pudemos observar o interesse de quem visitou nosso estande”, avaliou.

Entre os destaques do setor está o Toalet Descartável, patenteado pela FL Indústria de Produtos Descartáveis, desenvolvido para ser utilizado em casos de necessidades fisiológicas. Composto por um saco descartável com bocal emborrachado e zíper de segurança, possui em seu interior um sistema de cristais de gel derivados de celulose, que possibilita transformar líquidos numa substância gelatinosa, absorvendo 98% do odor das partículas líquidas. O Toalet Descartável pode ser descartado em qualquer lixeira sem que haja risco de contaminação pós-uso.

O diretor da empresa, Fernando Brites, explica que o produto foi pensado para atender a demanda dos hospitais, principalmente de pacientes da oncologia e cadeirantes. “O procedimento de uso é muito rápido, não deixa cheiro, não consome água e nem gera esgoto. Ao receber a urina, o produto a gelifica instantaneamente, o que otimiza o tempo do corpo de enfermagem, sem trazer desconfortos ao paciente”, observou.

Segundo Brites, além de fins hospitalares, o Toalet Descartável, que é um produto unissex, pode ser utilizado também por mulheres grávidas ou crianças em viagens longas. “A Agência Nacional de Aviação Civil publicou uma portaria indicando-o como produto de segurança do voo. Foram realizados diversos testes de qualidade que comprovaram sua eficácia e aplicabilidade”, indicou Brites.

Ainda na área da saúde, outro case de relevância é um novo conceito em utensílio de alimentação infantil hospitalar, desenvolvido pela Plastlab. Oazen, que também é diretor da empresa, explicou que o produto foi pensado para distrair crianças em tratamento hospitalar e incentivá-las a comer enquanto brincam. “A bandeja térmica tem tampas refil com desenhos de animais para serem coloridos. Com isso, a criança pode expressar sua criatividade e esquecer, mesmo por alguns instantes, que está no hospital. A estimativa é que ela gaste entre 45 minutos e uma hora com essa atividade”, explicou. Pensando na segurança, o produto é acompanhado por um talher inquebrável, o que evita a deglutição do plástico de utensílios descartáveis.

A Interplast aconteceu entre os dias 16 e 19 de agosto, em Joinville, Santa Catarina.

Fonte: Simperj / Firjan

Curta nossa página no

Na contramão da crise, Interplast e Euromold Brasil tem expectativa de geração de mais de R$ 350 milhões em negócios

07/09/2016

interplast_2016

Empresas apostaram nas feiras e saíram satisfeitas, com diversos negócios fechados

Durante quatro dias, de 16 a 19 de agosto, a cidade de Joinville (SC) recebeu mais de 380 marcas expositoras dos setores de plásticos, moldes e ferramentarias. As empresas apostaram na cidade e, indo contra a crise, apresentaram novas tendências e tecnologias nas feiras Interplast e Euromold Brasil.

Em clima geral de satisfação entre os expositores, muitas delas fecharam negócios no próprio evento e outras aproveitaram o ambiente para iniciar contatos. A expectativa da Messe Brasil, organizadora, é de que sejam gerados R$ 350 milhões em negócios nos próximos doze meses.

Mais de cinco negócios fechados. Este foi o saldo da Hece, de São Carlos (SP). Luiz Fernando do Valle Sverzut, diretor, conta que o bom resultado veio, principalmente, pelo público qualificado que passou pela Expoville. Com expectativas superadas, ele adianta que na próxima edição, em 2018, pretendem estar com uma área ainda maior e trazer mais máquinas.

Cássio Luis Saltori, diretor geral da Wittmann Battenfeld, chegou na Interplast com negociações em andamento e conta que a empresa sai da feira com negócios fechados.

A Romi também volta para casa com o saldo positivo. “A Interplast é consagrada para nós. Participamos desde a primeira edição e nesta fomos surpreendidos positivamente pelo movimento, que está muito maior que a anterior. Recebemos novos clientes e inclusive fechamos negócios”, conta Glauco Machado, gerente.

Fabian Zaballa, gerente de vendas da Extrusão Brasil, comenta sobre o público na feira em Joinville. “Gostamos da Interplast porque, ao contrário de outras feiras, aqui você encontra um público que realmente entende do setor. Não temos curiosos aqui, explica.

Para Richard Spirandelli, diretor da Messe Brasil, o resultado positivo da feira surpreendeu principalmente pelo atual momento econômico. “Encerramos esta edição muito confiantes e com a certeza de que a economia está aos poucos retomando. O retorno positivo dos expositores mostra a força do Sul do Brasil e, especialmente, do estado de Santa Catarina como polo transformador e também como mercado consumidor da cadeia de fornecimento do plástico”.

Sobre a qualificação do público, os números confirmam: 50% dos visitantes com cargos de decisão (gerente, diretor, sócio, coordenador). O evento superou as expectativas dos organizadores e recebeu 22 mil visitantes vindos de 17 países e 23 estados. Destes, 27% procuraram por novos fornecedores e 45% por novos produtos.

“Os dados corroboram o fato de que as empresas estão procurando por tecnologias, novidades e novos parceiros”, observa Spirandelli.
Outro dado de destaque são os setores de interesse dos visitantes: Na Interplast, a maior procura foi por máquinas e equipamentos, matérias-primas e produtos plásticos. Já na Euromold Brasil os segmentos mais procurados pelos visitantes foram moldes (injeção, extrusão termoformagem, sopro) seguidos de componentes de moldes e matrizes, design, digitalização e prototipagem.

Falando especificamente da Euromold, Spirandelli destaca: “Aqui encontramos o início do ciclo de desenvolvimento de produtos. Nesta edição, percebemos uma grande procura por esses expositores, o que aponta para um novo ciclo de investimento”.

A Fastparts, expositora da Euromold Brasil, comentou sobre essa procura. “Participamos de todas as edições e nesta ficamos surpresos pela qualidade de visitação e pelo número de visitantes de todo o país. O movimento não parou e esta foi a primeira vez que não conseguimos sair do nosso estande para visitar outros expositores. Temos boas perspectivas de negócios em breve”, elogia Jessé Silva.

Também presente desde a primeira Euromold Brasil, a Design Inverso teve expectativas superadas. “A Euromold Brasil é um encontro de toda a cadeia de desenvolvimento de produto. Estamos muito surpresos com o movimento da feira, especialmente com o público altamente qualificado e interessado na área”, comenta Marcos Sebben, diretor.

De Caxias do Sul, Jefferson Sachet, diretor administrativo da Matripeças, ficou satisfeito com esta edição da Euromold Brasil. Para ele, a feira é ambiente de relacionamento e, com esse objetivo em mente, a empresa voltará ao Rio Grande do Sul com novos contatos e perspectivas de bons negócios.

Números da Interplast e Euromold BRASIL 2016
– 22 mil visitantes
– Visitantes de 17 países (Argentina, Bolívia, Brasil, Canadá, Chile, China, Coreia do Sul, Espanha, Estados Unidos, Índia,, Itália, Paraguai, Portugal, Suécia, Suíça, Tailândia, Uruguai)
– Visitantes de 23 estados brasileiros (Alagoas, Amazonas, Bahia, Ceará, Distrito Federal, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Minas Gerais, Paraíba, Paraná, Pará, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Roraima, Santa Catarina, São Paulo)
– 50% dos visitantes com cargos de decisão (gerente, diretor, sócio, coordenador)
– Segmentos que visitaram a feira: embalagens (alimentos, bebidas, farmacêuticos, produtos de limpeza e cosméticos), seguido por engenharia, construção civil e automotivo.
– Principais setores de interesse dos visitantes na Interplast: máquinas e equipamentos, matérias-primas e produtos plásticos.
– Principais setores de interesse dos visitantes na Euromold Brasil: moldes (injeção, extrusão termoformagem, sopro) seguido de componentes de moldes e matrizes, design, digitalização e prototipagem.
– Expositores Interplast:
5 países (Alemanha, Brasil, China, Estados Unidos e Hong Kong)
8 estados (Bahia, Ceará, Espírito Santo, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo)
– Expositores Euromold Brasil:
5 países (Brasil, China, México, Portugal e Suécia)
4 estados (Paraná, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo)
– Expectativa de geração de negócios nos próximos 12 meses em decorrência dos contatos realizados nas feiras: R$ 350 milhões de reais

Cintec contou com 12 palestras e quatro minicursos

Com cerca de 600 participações nas palestras técnicas e nos minicursos, o Cintec Plásticos – Congresso de Inovação Tecnológica proporcionou atualização para os profissionais, estudantes e empresários do setor.

Nas 12 palestras técnicas promovidas na Expoville e nos quatro mincursos realizados no campus da Sociesc Marquês de Olinda especialistas em suas áreas debateram as novidades do setor, falaram dos desafios, tendências e abordaram evoluções em produtos e processos.

Números do Cintec
– 600 participações nas palestras técnicas e minicursos
– 12 palestras técnicas
– 4 minicursos

Rodada de Negócios reuniu 10 empresas compradoras e 31 vendedoras

A 2ª Rodada de Negócios do Setor Plástico reuniu 31 fornecedoras para negociarem com dez empresas âncoras: Comil, Eixo do Brasil, ASBC COBRANÇAS, Fremax, Kavo do Brasil, Klabin, GTS do Brasil, Marcopolo, ASEMCAP (Assessoria/Consultoria de comércio internacional, com sede em Lima, Peru, para o mercado do Pacifico) e Wetzel.

O evento foi realizado em um dia e a expectativa é que gere, nos próximos 12 meses, R$ 1 milhão em negócios.
A Rodada teve uma organização da Bolsa de Subcontratação de Santa Catarina – BNS/SC em parceria com a Messe Brasil, e contou com o apoio do Simpesc, da Fiesc/IEL (Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina/ Instituto Euvaldo Lodi) e da KRONA.

Números da Rodada de Negócios
– 10 empresas âncoras
– 31 empresas vendedores
– 117 participantes
– Expectativa de gerar cerca de R$ 1 milhão em negócios nos próximos 12 meses

Fonte: Assessoria de Imprensa – Interplast

Curta nossa página no

Feiplastic sai do Anhembi e será realizada no Expo Center Norte em 2017

07/09/2016

Feiplastic_visitacao_1

Feimafe também muda para o novo local. Ambas as feiras do portfólio industrial da Reed Exhibitions Alcantara Machado objetivam infraestrutura moderna e facilidade de acesso de um dos melhores pavilhões de exposições da América Latina.

A Reed Exhibitions Alcantara Machado organizará as próximas Feira Internacional do Plástico (Feiplastic) e Feira Internacional de Máquinas-Ferramenta e Sistemas Integrados de Manufatura (Feimafe) no Expo Center Norte, respectivamente, de 4 a 7 de abril de 2017 e 20 a 24 de junho do mesmo ano.

A decisão baseia-se na estratégia da companhia em utilizar instalações que ofereçam condições impecáveis para a realização de alguns dos eventos mais relevantes para diversos setores da indústria nacional. Paulo Octavio Pereira de Almeida, vice-presidente executivo da Reed afirma: “Não é segredo que trabalhamos com os mais altos padrões de satisfação de expositores e visitantes . Por isso, optamos por levar nosso portfólio de feiras industriais a um local que ofereça a os envolvidos instalações modernas e confortáveis, alinhadas com nossa preocupação de prover cada vez mais tecnologia e praticidade”.

A organização também optou pela realização de cada evento em um período mais curto, de quatro dias corridos, pensando em otimizar o tempo e as atividades dos participantes. Ainda de acordo com Alexandre Telles, diretor de Eventos da Reed Exhibitions Alcantara Machado, a alteração do período das feiras também otimiza os investimentos das empresas. “Um dia a menos representa custos menores para os expositores, considerando todos os valores inerentes à operacionalização da infraestrutura necessária para os estandes, e também a não necessidade de instalação de ar condicionado nos estandes individuais”.

O Expo Center Norte, com seus cinco pavilhões, é um dos mais modernos espaços para eventos e feiras na capital paulista, com 98 mil m² de área total e 22 salas próprias de reuniões, localizadas nos seus pisos superiores, além de climatização que permite até 15% de economia de energia elétrica e facilidade de acesso para estacionamentos, além da conveniência de estar ao lado de shoppings e metrô. “É um centro de exposições que recebe manutenção constante, e sedia grandes eventos o ano todo, com total sinergia com nosso calendário industrial”, avalia Paulo Octavio.

Em sua última edição, a Feiplastic movimentou  R$ 40 milhões somente durante suas rodadas de negócios. A feira é idealizada pela Associação Brasileira da Indústria do Plástico (Abiplast), com apoio do Sindicato das Indústrias de Resina do Estado de São Paulo (Siresp), e realizada com  a expertise da Reed Exhibitions Alcantara Machado.

A Feiplastic reúne segmentos como máquinas, equipamentos e acessórios, moldes e ferramentas, resinas, instrumentação, controle e automação; serviços e projetos técnicos; produtos básicos e matérias-primas; transformadores de plástico e reciclagem. Em 2015, a feira reuniu 1.400 marcas – das quais mais de 200 novas – e mais de 66 mil visitantes.

Serviço
FEIPLASTIC 2017 – Feira Internacional do Plástico
Data: de 4 a 7 de abril de 2017
Local: Expo Center Norte
Endereço: Rua José Bernardo Pinto, 333 – Vila Guilherme – São Paulo

Fonte: Assessoria de Imprensa – Feiplastic

Curta nossa página no

Braskem amplia portfólio de resinas para segmento de sopro

07/09/2016

braskem_resina_sopro

Segundo a empresa, material oferece maior produtividade, resistência e qualidade no acabamento final do produto

A Braskem lançou uma nova resina para suprir as necessidades do mercado de embalagens sopradas. O produto HD7000C é polietileno de alta densidade homopolímero que chega para atender às demandas da indústria de transformação por extrusão sopro (EBM) e injeção sopro (IBM) possibilitando redução de peso no produto moldado e melhor performance na aplicação, afirma a empresa.

Segundo a Braskem, a novidade excede as expectativas do segmento de sopro por apresentar propriedades eficientes no que diz respeito à resistência, facilidade de processamento e produtividade, características que garantem embalagens de melhor qualidade, acabamento e maior resistência. “A expansão de oferta de soluções para o segmento de sopro demonstra a consciência do trabalho de nossa equipe com os clientes, com objetivo de desenvolver uma resina de alta performance e que possa atender o segmento de forma abrangente”, destaca Augusto Esteves, especialista em processo de sopro da Braskem.

O lançamento reforça o portfólio de resinas para o segmento de sopro e permite flexibilizar as aplicações também em fármacos, brinquedos e alimentos. Com foco em aplicações relacionadas a gêneros alimentícios, possibilita preservar as características de sabor e odor dos alimentos lácteos e similares.

“A nova resina vem nos proporcionando excelente estabilidade de processo e confere resistência à compressão elevada. Isso faz com que seja um material com várias possibilidades de aplicação, quando se deseja ganhos de peso sem grande perda da resistência mecânica. A nossa parceria com a Braskem garante ainda mais confiabilidade pois, a cada novidade, participamos ativamente dos desenvolvimentos, testando novas resinas e sugerindo oportunidades de melhoria e aplicações”, relata José Euzébio da Silveira Júnior, gerente industrial da Globalpack Indústria.

Fonte: Braskem

Curta nossa página no

Yamaha usa poliuretanos da BASF em novo conceito de triciclo

07/09/2016

basf_yamaha

O modelo do veículo 05GEN adota soluções da BASF para garantir comodidade em viagens curtas

O novo triciclo conceito 05GEN da Yamaha motor Co., Ltd contou com a versatilidade dos materiais plásticos da BASF, para tornar as viagens curtas confortáveis e convenientes. Essa nova geração de veículo elétrico está à mostra no Toyo Ito Museu de Arquitetura, Imabari, na ilha de Omishima (Japão) até 15 de junho do próximo ano.

Nos veículos modernos, os pneus são essenciais para uma viagem confortável e relaxante. O Infinergy® da BASF – o primeiro poliuretano termoplástico expandido do mundo – e o Elastollan® – um poliuretano termoplástico – são usados nos pneus do 05GEN para melhorar de maneira geral a experiência de viagem. A estrutura celular característica do Infinergy contribui para o seu design diferenciado. Já o Elastollan permite diversas texturas e cores na superfície dos pneus.

Para Andy Postlethwaite, vice-presidente sênior da divisão de Materiais de Performance na Ásia e Pacífico, a nova geração de veículos Yamaha tem o intuito de melhorar a experiência de dirigir e qualidade nas viagens de curta distância. A designfabrik® é a área da BASF que ajuda a traduzir ideias em produtos do dia-a-dia, ajudando a melhorar a qualidade de vida das pessoas. “Ao oferecer os serviços de consultoria em materiais, na perspectiva de desenvolvimento de cor, propriedades e acabamento, foi possível contribuir com o design conceito de “Dinamismo Refinado” da Yamaha”, considera. “A designfabrik® Tóquio ajuda os projetistas e engenheiros industriais a transformarem ideias criativas em produtos reais, em todos os estágios do desenvolvimento do produto, oferecendo assessoria especializada sobre a potencial aplicação de diversos materiais” afirma o executivo.

Sobre os modelos de design de conceitos de nova geração da Yamaha Motor

A Yamaha Motor Co., Ltd. deu suporte ao “desenvolvimento da ilha” do Sr. Toyo Ito, um arquiteto, na ilha de Omishima (Imabari, Prefeitura de Ehime) no projeto de um modelo conceito de uma nova geração de veículos de mobilidade minimamente assistidos, para conectar as pessoas entre si e com locais, movendo-se lentamente em curtas distâncias no espaço de convivência de uma pessoa. Este conceito desafia muitos designs de veículo de mobilidade que, até hoje, se concentravam na movimentação mais eficaz das pessoas com velocidade e por distâncias maiores.

Fonte: BASF

Curta nossa página no

Ipackchem instala em Paulínia (SP) nova fábrica de embalagens para químicos e agroquímicos

07/09/2016

Em projeto de R$ 40 milhões apoiado pela Investe SP, empresa francesa instala-se em Paulínia e opera com 30 funcionários

A Ipackchem, fabricante francesa de embalagens para a indústria química, iniciou as operações de sua primeira planta brasileira, em Paulínia (SP). Com o apoio da Investe São Paulo, agência de promoção de investimentos e exportações do Governo do Estado de São Paulo, a empresa está investindo R$ 40 milhões no projeto, que envolveu a contratação de 30 pessoas.

“A Ipackchem é um de nossos clientes que recebeu apoio completo: avaliamos áreas, demos apoio em questões de regulamentação ambiental e tributária, acompanhando cada fase do projeto. É um empreendimento de alto valor para a cadeia de produtos químicos no Estado de São Paulo,” ressalta Juan Quirós, presidente da Investe SP.

Segundo Philippe Carasso, Diretor Geral da empresa, grande parte de seus clientes internacionais do ramo químico e agroquímico têm unidades no Estado de São Paulo. “Nosso objetivo é apoiar nossos clientes e parceiros da melhor forma possível”, explicou.

A nova fábrica está produzindo embalagens para defensivos agrícolas, fertilizantes e outros produtos químicos. A operação inclui um sistema inovador de injeção de flúor nas embalagens que facilita o processo de reciclagem após o uso.

Atualmente, a planta tem 3,4 mil metros quadrados construídos, localizada em um terreno de 8,8 mil metros quadrados. A expectativa é que a capacidade operacional dobre ano que vem.

Com sede em Paris, na França, a Ipackchem emprega 350 pessoas e gera receita de mais de 60 milhões de euros em cinco fábricas: Saint-Etienne (França), Crewe (Reino Unido), Peremarton (Hungria), Paulínia (Brasil) e Randburgo (África do Sul).

Fonte: Investe São Paulo

Curta nossa página no

Grupo mexicano Alpek em negociações para comprar participação em plantas de resina PET e PTA no Brasil

07/09/2016

alpekA participação atualmente é de propriedade da Petrobras. Com sede em Monterrey (México), a Alpek recebeu um prazo exclusivo de 60 dias, a partir de 28 de julho passado, para negociar a participação da Petrobras na Petroquímica Suape e Citepe (Companhia Integrada Têxtil de Pernambuco), duas empresas que operam um complexo integrado em Ipojuca, Brasil.  O período de exclusividade é prorrogável por outros 30 dias.

O complexo tem capacidade de produção anual de 450 mil toneladas de PET e mais de 700 mil toneladas de PTA, assim como cerca de 90 mil toneladas de filamentos de poliéster texturizados.

Funcionários da Alpek disseram em um comunicado à imprensa divulgado em 28 de julho que se a empresa alcançar um acordo de venda com a Petrobras, o fechamento da transação vai exigir outras aprovações corporativas, assim como a anuência das autoridades governamentais competentes.

As participações da Alpek incluem a DAK Americas, a empresa baseada em Charlotte (Carolina do Norte, EUA), um dos maiores fabricantes de PET da América do Norte.

Fonte: Alpek

Curta nossa página no

Novidade em tecnologia para iluminação é destaque da MMS Plásticos na Interplast 2016

17/08/2016

Sendo utilizada há cerca de 1 ano como lente pelos principais fabricantes do mercado de iluminação LED no exterior, a Chapa de Acrílico Diffuse chega no Brasil. Há apenas três meses no país, a tecnologia foi desenvolvida com exclusividade pela MMS Plásticos em parceria com a Arkema, fabricante da resina Plexiglas Diffuse, matéria-prima utilizada no desenvolvimento da Chapa de Acrílico Diffuse.

De acordo com a MMS Plásticos, a Chapa de Acrílico Diffuse traz diversos benefícios à iluminação. Um deles é a melhoria na difusão e transmissão da luz LED, oferecendo 92% de transmissão contra as lentes atuais que oferecem transmissão em torno de 50-70%. Com o aumento da transmissão e difusão da lente os fabricantes de luminárias reduzem os LEDs na fabricação dos produtos, gerando um menor custo no processo de produção. Além disso, a chapa elimina os hotspots da iluminação LED por conta da sua propriedade de máxima difusão de luz.

Segundo a MMS Plásticos, a Chapa de Acrílico Diffuse oferece maior durabilidade das lentes, pois mantém sua transmissão e o aspecto ao longo de anos, mesmo quando exposta a raios UV ou demais intempéries (tem 10 anos contra raios UV). O material pode ser utilizado na iluminação comercial, industrial, residencial e pública.

A novidade pode ser conferida na Interplast no estande da MMS Plásticos. A empresa está localizada no espaço coletivo do Sindicato da Indústria de Material Plástico do Estado do Rio de Janeiro (SIMPERJ).

Serviço
Interplast 2016 – Feira e Congresso de Integração da Tecnologia do Plástico – http://www.interplast.com.br
EUROMOLD BRASIL – Feira Mundial de Construtores de Moldes e Ferramentarias, Design e Desenvolvimento de Produtos – http://www.euromoldbrasil.com.br
Data: 16 a 19 de agosto de 2016
Horário: 14 às 21 horas
Local: Expoville – Joinville/SC – Brasil
Entrada: Gratuita
Organização: Messe Brasil

Fonte: Assesoria de Imprensa – Messe Brasil

Curta nossa página no

Feiras Interplast e Euromold Brasil começam nesta terça feira com 385 marcas expositoras

16/08/2016

Interplast_Euromold

Novidades de oito países nos setores de plásticos, moldes e ferramentaria serão exibidas nos pavilhões da Expoville

De 16 a 19 de agosto, Joinville/SC recebe nos pavilhões da Expoville a 9ª Interplast – Feira e Congresso de Integração da Tecnologia do Plástico –e, paralelamente, a 3ª Euromold Brasil – Feira Mundial de Construtores de Moldes e Ferramentas, Design e Desenvolvimento de Produtos.

Ambos os eventos reunirão novidades de 385 marcas do Brasil, Alemanha, China, Estados Unidos, Hong Kong, México, Portugal e Suécia. Serão mais de 60 lançamentos englobando os mais variados setores, como máquinas, equipamentos, transformadoras, ferramentarias, embalagens, matérias-primas, periféricos, design e serviços.

A expectativa da Messe Brasil, organizadora, é de que a Interplast e a Euromold Brasil gerem R$ 300 milhões em negócios e recebam um público de 20 mil pessoas.

Em 2016 as feiras alcançam uma importância ainda maior no setor de plásticos devido à economia atual. Richard Spirandelli, diretor da Messe Brasil, acredita que a máxima “quem não é visto, não é lembrado” ganha mais força. “A Interplast e a Euromold Brasil serão o momento das empresas mostrarem seus potenciais. Valiosas oportunidades de negócios no futuro dependem de ações imediatas”, analisa.
O diretor destaca também a relação ganha-ganha tanto para os expositores quanto aos visitantes. Para os primeiros, será a única oportunidade no ano de expor ao grande público do setor de plásticos. Já do ponto de vista dos visitantes, será um local de encontro dos principais players do setor, que têm em Santa Catarina um mercado promissor: de acordo com o SIMPESC, o estado é um dos que mais transforma plásticos no Brasil, ficando atrás apenas de SP.

A Interplast é realizada pelo Sindicato da Indústria de Material Plástico no Estado de Santa Catarina (SIMPESC). De acordo com Albano Schmidt, presidente da entidade, a feira é uma das ferramentas para as empresas mostrarem a expressão do mercado plástico e buscarem inovação. Assim, além de realizador, o Sindicato participa também como expositor em estande coletivo com as associadas. Isso, conforme Schmidt, é uma ótima oportunidade para prospecção de negócios, abertura de novos mercados e fechamento de parcerias.

A visitação será das 14h às 21h, com entrada franca. A abertura oficial acontecerá dia 16, às 19h e será seguida por palestra de Celso Luis Placeres, diretor de planejamento na Volkswagen do Brasil, com o tema “Indústria 4.0 e as tecnologias de manufatura sustentáveis no Brasil”.

O cadastro antecipado de visitantes pode ser efetuado no site www.interplast.com.br (quero visitar). Informações sobre podem ser obtidas no mesmo endereço eletrônico ou através do fone (47) 3451-3000.

Euromold Brasil 2016 – cadeia de desenvolvimento de produtos completa

Com o lema “Da ideia à produção em série”, a feira está com todos os setores da cadeia de desenvolvimento de produtos representados. A cadeia engloba: design, materiais, simulação, visualização, engenharia, realidade virtual, CAD & CAM, prototipagem rápida, construção de protótipos e modelos, modelação e ferramentaria, equipamentos, máquinas ferramenta, garantia de qualidade e automação, além de processos e acabamentos.

Eventos Paralelos

Além de produtos e tecnologia exibidos na Interplast e Euromold Brasil, a programação inclui o Congresso de Inovação Tecnológica (Cintec), organizado pela UniSociesc. As palestras técnicas ocorrerão na Expoville, de 16 a 18 de agosto, e abordarão os macrotemas: moldes e processos, no primeiro dia, matéria-prima no segundo e máquinas e processos no terceiro.

Já no dia 17 a Bolsa de Negócios e Subcontratação de Santa Catarina BNS/SC realiza a Rodada de Negócios do setor plástico, com dez empresas âncoras e 40 fornecedoras/vendedoras. As âncoras são: Comil, Eixo do Brasil, ASBC COBRANÇAS, Fremax, Kavo do Brasil, Klabin, GTS do Brasil, Marcopolo, ASEMCAP e a Wetzel.

Na agenda de eventos paralelos estão ainda:

Dia 17/08
14h às 19h –Ciclo de palestras ABIPET – PETalk SUL
17h – Palestra Activas
19h – Palestra PICPLAST (Plano de Incentivo à Cadeia do Plástico): iniciativa criada em 2013 pela ABIPLAST – Associação Brasileira da Indústria do Plástico – e Braskem

Dia 18/08
14h – Workshop Senai – Sistemas de Manufatura
17h às 18h – Workshop GOOGLE/MOVTO – Transformação Digital com o Google for Work
19h – Workshop Jurídico – O que há de novo na justiça que pode salvar sua empresa?
19h – Enel Brasil – Alternativas para a gestão dos custos de energia da sua empresa

ABIPLAST e Simpesc terão reuniões durante a Interplast

A Interplast também reunirá representantes de entidades do setorde plásticos para discussões importantes ao segmento, de acordo com a agenda abaixo:

Dia 17/08
14h às 17h: Reunião EPS (Sala Tulipa)

Dia 18/08
09h30 às 12h- Reunião Reciclagem Simpesc (Sala Bromélia)
14h às 15h30 – Reunião Conselho ABIPLAST (Sala Bromélia)

A Interplast tem o patrocínio do PICPlast (Plano de Incentivo à Cadeia do Plástico) e Enel, e conta com o apoio das instituições: ABIMAQ, FIESC, ABIMEI, Instituto Nacional do Plástico, Instituto do PVC, Associação Brasileira de Polímeros, ABNT, ABIPET e Plastivida.AEuromold Brasil possui o apoio da ABIMAQ, Abinfer e ABNT.

Interplast e Euromold Brasil 2016 em números:

– Expectativa de visitantes: 20 mil
– Expectativa de geração de negócios: R$ 300 milhões
– 385 marcas expositoras
Na Interplast: 5 países (Alemanha, Brasil, China, Estados Unidos e Hong Kong)
8 estados (Bahia, Ceará, Espírito Santo, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo)
Na Euromold Brasil: 5 países (Brasil, China, México, Portugal e Suécia)
4 estados (Paraná, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo)
Serviço
Interplast 2016 – Feira e Congresso de Integração da Tecnologia do Plástico – http://www.interplast.com.br
EUROMOLD BRASIL – Feira Mundial de Construtores de Moldes e Ferramentarias, Design e Desenvolvimento de Produtos – http://www.euromoldbrasil.com.br
Data: 16 a 19 de agosto de 2016
Horário: 14 às 21 horas
Local: Expoville – Joinville/SC – Brasil
Entrada: Gratuita
Organização: Messe Brasil

Fonte: Assessoria de comunicação – Messe Brasil

Curta nossa página no

Indústria do plástico do Rio de Janeiro participa da Interplast 2016 com 11 empresas

15/08/2016

logomarca simperjO Sindicato da Indústria de Material Plástico do Estado do Rio de Janeiro (Simperj), com o apoio da Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan), participa pela primeira vez com um estande empresarial da Interplast 2016 – Feira e Congresso de Integração da Tecnologia do Plástico –, de 16 a 19 de agosto, em Joinville, Santa Catarina. A entidade trouxe para o Expoville um grupo de 11 empresas, representantes da indústria fluminense de transformação de plástico.

Vice-presidente do Simperj, Marcelo Oazen considera muito importante à participação da indústria fluminense – composta por mais de 700 empresas – na Interplast 2016 para a exposição dos produtos do Rio de Janeiro. “Nossa indústria se destaca pelo design dos produtos. Fabricamos materiais para atender todas as demandas das demais cadeiras produtivas do país, com alta performance e tecnologia”, destaca o empresário da Plastlab, que possui um catálogo com mais de 2.400 produtos nas linhas hospitalar, confeitaria e expositores.

Entre as empresas fluminenses que estão no estande de número 558 na Interplast destacam-se a Nova A3, que apresentará a luva com bula para tintura de cabelo; a FL Indústria de Produtos Descartáveis, com o toalet descartável unissex. Também integram o grupo a Peri Plásticos, que atua no mercado da construção civil; a Bauen, que apresenta inovação na injeção de plástico, com uma gama de tampas plásticas; a Bywer, com produtos descartáveis; e a WS Moldes. Integram o grupo também a MMS Plásticos, a Artmed Artigos de Medição, e a Tecnoplastic Comércio e Serviços.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Firjan

Curta nossa página no

Simplás comparece com estande coletivo e missão a feira em Joinville

15/08/2016

Simplas_Interplast

Vitrine com sete empreendimentos e comitiva com 30 integrantes da Serra Gaúcha participam da Interplast, que ocorre de 16 a 19 de agosto, em Santa Catarina

O Sindicato das Indústrias de Material Plástico do Nordeste Gaúcho (Simplás) desembarca com um estande coletivo de oito vitrines e uma missão técnica de 30 integrantes do polo transformador da Serra Gaúcha na segunda semana de agosto, em Joinville (SC). Ambos os grupos participam da Interplast, que entre os dias 16 e 19 deve atrair representantes de mais de 400 empresas de oito estados e cinco países para um dos mais importantes eixos industriais do sul do Brasil.

A lista de expositores já confirmados no espaço que o Simplás organiza em parceria com o Sebrae segue abaixo. O estande de 84m2 no pavilhão principal estará aberto durante toda semana de feira, das 14h às 21h.

Já a missão, parte de Caxias do Sul na quinta-feira, 18, e retorna no dia 19, depois de cumprir um roteiro de visitas técnicas por empresas da região de Joinville e pela própria Interplast. O grupo é composto por três dezenas de representantes dos mais diversos setores, com predominância na indústria de transformação e prestação de serviços.

“Toda feira merece ser avaliada com muita atenção como uma grande oportunidade. Seja para fazer negócio, seja para estabelecer e reforçar contatos, seja para conhecer algo de novo e voltar com um aprendizado. E a Interplast é a feira mais importante do país no segundo semestre deste ano”, avalia o presidente do Simplás, Jaime Lorandi.

As empresas confirmadas no stand coletivo Simplás-Sebrae na Interplast são:

  • Bakelitsul (www.bakelitsul.com.br): acessórios industriais
  • Elri (www.elri.com.br): acessórios automotivos para linha leve e pesada de veículos, embalagens plásticas técnicas e comerciais, telhado verde
  • Ipos (www.ipos.com.br): peças em termofixo (baquelite), termoplástico (plástico) para máquinas, equipamentos e materiais elétricos, serviços em pintura pelo processo de tampografia
  • Norb (www.norb.ind.br): linha de utilidades domésticas, com destaque para a Marmita
  • Termoprática®, um produto patenteado e único no Brasil.
  • Polifibras (www.polifibras.com.br): resinas ecológicas
  • Tracksul (www.tracksul.com): contêineres, caixas e bandejas plásticas
  • Sulpet (www.sulpet.com.br): reciclagem e processamento de resíduos

Fonte e Foto: Assessoria de Imprensa – Simplás

Curta nossa página no

Retilox realiza evento em Joinville

11/08/2016

Especializada na fabricação de peróxidos orgânicos modificados, coagentes e aditivos exclusivos para cura/modificação dos mais diversos tipos de polímeros, a Retilox Soluções Tecnológicas promoverá, no próximo dia 17 de agosto, importante evento para o setor de transformação de plásticos. No encontro, que será realizado em café da manhã no Hotel Mercure Prinz, em Joinville (SC), o Consultor Técnico da empresa e Especialista em Poliolefinas, Domingos Antonio Jafelice, irá dissertar sobre a “Alteração reológica de poliolefinas com ganho de propriedades físicas sem perda da reciclabilidade” em produtos transformados por Rotomoldagem, Sopro, Injeção e processos de reciclagem de PP.

“No Evento, a RETILOX apresentará todas as  suas novidades para o setor, mas principalmente  os Aditivos /Iniciadores que promovem a  alteração reológica  das poliolefinas”, afirma Antonio D’angelo, diretor geral da Retilox.   O encontro é paralelo à Interplast – Feira e Congresso de Integração da Tecnologia do Plásticos, evento estratégico para fomentar os negócios do setor. “A Interplast 2016,  acontece em um momento muito conturbado, econômica e politicamente, para o  Brasil. Por outro lado, as dificuldades trazem  enormes possibilidades ao setor plástico,  com o advento de novas especificações e exigências, produtos, tecnologias, máquinas, equipamentos,  processos e produtos,  permitindo dessa maneira a realização de novos negócios e a visão de forte recuperação do mercado, para os próximos anos” explica D’Angelo. O empresário destaca a importância da região sul no segmento de plásticos enfatizando que a Interplast se consolida como uma das mais importantes feiras do setor no mundo.

O encontro da Retilox contará ainda com palestra da Maxiquim Assessoria de Mercado, ministrada pela sócia- executiva Solange Stumpf. A palestrante realizará uma análise das Tendências e Perspectivas para a Indústria de Plásticos no Brasil. O objetivo é apresentar o contexto em que se encontra a indústria de transformação de plásticos no Brasil, a fim de analisar as perspectivas de retomada do crescimento deste setor, com uma visão do negócio até 2017.

Fonte: Revista Plástico Sul

Curta nossa página no

Arburg levará injetora Golden Electric, lançamento mundial, para a Interplast 2016

08/08/2016

Arburg-golden_electric

A Arburg é uma multinacional alemã, líder mundial na fabricação de máquinas injetoras hidráulicas, elétrica, híbridas – horizontais e verticais – para injeção de mono ou multicomponentes, robôs e aparelhos de alimentação e desumidificação de material. Para a 9ª Interplast, o destaque da empresa será a apresentação do lançamento mundial, a máquina injetora elétrica Arburg Allrounder 570 E 2000 – 800 Golden Electric.

De acordo com a empresa, o equipamento possui alto desempenho, baixo consumo de energia elétrica e preço competitivo. Além da novidade, estará exposto no estande da Arburg o Freeformer, equipamento de manufatura aditiva para a produção peças em plástico sem molde.

Para mais informações sobre a empresa, acesse www.arburg.com/pt/br.

Realizada pelo Simpesc (Sindicato da Indústria de Material Plástico no Estado de Santa Catarina) e organizada pela Messe Brasil, a 9ª Interplast é patrocinada pelo PICPlast (Plano de Incentivo à Cadeia do Plástico) e Enel, e conta com o apoio das instituições: ABIMAQ, FIESC, ABIMEI, INP, Instituto do PVC, Associação Brasileira de Polímeros, ABNT, ABIPET e Plastivida. Paralelamente ao evento acontecem a 3ª EUROMOLD Brasil – Feira Mundial de Construtores de Moldes e Ferramentarias, Design e Desenvolvimento de Produtos – o CINTEC 2016 Plásticos – Congresso da Inovação Tecnológica e a Rodada de Negócios.

Serviço
Interplast 2016 – Feira e Congresso de Integração da Tecnologia do Plástico – http://www.interplast.com.br
EUROMOLD BRASIL – Feira Mundial de Construtores de Moldes e Ferramentarias, Design e Desenvolvimento de Produtos – http://www.euromoldbrasil.com.br
Data: 16 a 19 de agosto de 2016
Horário: 14 às 21 horas
Local: Expoville – Joinville-SC – Brasil
Organização: Messe Brasil

Fonte: Assessoria de Imprensa – Arburg

Curta nossa página no

Feira innovapack acontece em Agosto com foco em design e inovação para embalagens na indústria alimentícia

08/08/2016

Primeira edição do evento acontece paralelamente à FiSA e permite que a indústria de alimentos e bebidas saiba como atrair o consumidor nas prateleiras

innovapackEm sua primeira edição, a innovapack, único evento da América Latina focado em design, tendências e inovação para a embalagem final da indústria alimentícia, reúne líderes de mercado com a proposta inédita de debater como se destacar nas prateleiras e atrair a atenção do consumidor. O evento reunirá fabricantes, fornecedores e distribuidores dessa cadeia com profissionais ligados ao marketing de produto, como diretores e gerentes de marca, engenheiros de alimentos e embalagens, além de pessoas que atuam nos setores comerciais e de trade marketing, design, processos, custos e compras. A feira será de 23 a 25 de agosto, no Transamérica Expo Center, em São Paulo.

Por acontecer em paralelo à Food ingredients South America (FiSA), o único ponto de encontro focado em ingredientes alimentícios da América Latina, a innovapack já nasce com um público altamente qualificado. Ano passado, entre os 10.500 visitantes, 86% deles tinham grande poder de influência, sendo 22% desses ligados à área de Pesquisa e Desenvolvimento de suas Empresas e 11% profissionais do Marketing.

Segundo a consultoria Euromonitor, empresas investem em embalagens para aumentar as vendas ou reduzir custos. No entanto, especialistas destacam a cor e o peso desse item como elementos-chave para transmitir a imagem da marca e uma percepção de sabor do alimento.

A meta do encontro é reunir a indústria alimentícia com fabricantes, fornecedores e distribuidores de soluções para a embalagem final de bens de consumo no intuito de melhorar a comunicação dos ativos do produto. Além do sabor, as mensagens sobre processos de fabricação sustentáveis e inovação são fundamentais. “A innovapack 2016 foi desenvolvida para quem deseja melhorar a percepção da marca junto ao consumidor”, explica o presidente da UBM Brazil, Jean François Quentin.

O novo evento terá o espaço Packaging Innovations Gallery, área que irá destacar as principais embalagens inovadoras para a indústria alimentícia no Brasil e no mundo. Além disso, a feira oferecerá uma Grade de Conferências, cujas palestras abordam os principais temas do segmento, como estratégias tecnológicas, perspectivas, inovação e tendências e, ainda, o Seminar Sessions, com sessões de 30 minutos que apresentam os lançamentos e novas tecnologias desse segmento, ministradas por especialistas do mercado.

De acordo com relatório da Euromonitor, o consumo de alimentos pela população mundial é, em boa parte, feito direto da embalagem. Um bom exemplo são os snacks, que, de acordo com a consultoria, devem apresentar 21% de crescimento global em vendas, entre 2010 e 2015. São alimentos substitutos de pães, bolos embalados, doces embalados, biscoitos, barrinhas, produtos de confeitaria, produtos feitos com iogurte e leite, sorvete, doces e salgadinhos. Espera-se que essa taxa aumente 17% globalmente até 2020. “Essa é uma oportunidade única para que profissionais de embalagem da indústria de alimentos e bebidas participem da feira e conheçam as últimas tendências em design, materiais, impressão, branding e inove em seus produtos”, finaliza Fernando Alonso, gerente da innovapack.

Serviço:
innovapack South America
De 23 a 25 de agosto de 2016, das 13h às 20h
Local: Transamérica Expo Center
Av. Dr. Mário Villas Boas Rodrigues, 387 – Santo Amaro – São Paulo (SP)
Site: fi-events.com.br/pt/innova

O credenciamento, online e gratuito, já está disponível. No local, a partir do primeiro dia de feira, o acesso terá custo de R$ 50.

Fonte: Assessoria de Imprensa – innovapack

Curta nossa página no

BASF divulga balanço do 2o. trimestre de 2016

08/08/2016
  • Vendas de €14,5 bilhões (decréscimo de 24%): maiores volumes, preços mais baixos e efeitos de portfolio significativamente negativos.
  • EBIT antes dos itens extraordinários  € 1,7 bilhões  (declínio de 16%)
  • Produtos de Performance e Materiais & Soluções Funcionais obtiveram ganhos mais altos
  • Vendas e resultados significativamente mais baixos no segmento de Óleo e Gás,  devido aos efeitos de portfolio e preços mais baixos

Perspectiva para 2016 para o Grupo BASF confirmada:

  • Declínio considerável nas vendas devido ao desinvestimento do negócio de comercialização de gás natural
  • EBIT antes dos itens extraordinários esperado em um nível ligeiramente abaixo de 2015

Basf-logoNo segundo trimestre de 2016, a BASF observou uma pequena melhora no ambiente macroeconômico. O aumento nos preços do petróleo e a crescente demanda desde o fim de março pautaram esse desenvolvimento. “Nós enfrentamos uma grande demanda, especialmente nas indústrias automobilística e de construção. Entretanto, a situação macroeconômica continua difícil de prever,” disse o Dr. Kurt Bock, presidente do Conselho de Diretores Executivos da BASF SE.

As vendas do grupo BASF caíram em 24% no segundo trimestre, para €14,5 bilhões, comparadas ao mesmo período de 2015. Dois terços desse declínio foram resultado de efeitos de portfólio (declínio de 16%). Esse declínio se deveu, em grande parte, ao desinvestimento do negócio de comercialização e armazenamento de gás natural como parte da troca de ativos com a Gazprom,  no final de setembro de 2015. Além disso, um preço menor das matérias primas, especialmente no segmento de Químicos, levou a uma queda nos preços de venda (declínio de 7%). Com exceção do segmento de Soluções para Agricultura, todos os segmentos contribuíram para um ligeiro aumento no volume de vendas (acréscimo de 2%). No negócio de produtos químicos, que englobam os segmentos de Químicos, Produtos de Performance e Materiais & Soluções Funcionais, os volumes aumentaram em 4%. Houve efeitos cambiais negativos em todas as divisões (declínio de 3%).

No segundo trimestre, o EBIT antes dos itens extraordinários caiu em € 336 milhões, para  €1,7 bilhões, quando comparada com o forte segundo trimestre do ano anterior. Ganhos consideravelmente mais altos no segmento de Químicos não foram capazes de compensar as contribuições substancialmente mais baixas do segmento de Óleo e Gás. Comparado com o segundo trimestre do ano anterior, o EBIT diminuiu em € 321 milhões, para € 1,7 bilhões.

O lucro líquido caiu €173 milhões atingindo o patamar de € 1,1 bilhões. O lucro por ação foi de € 1,19 no segundo trimestre de 2016, comparado com o valor de € 1,38 no mesmo período de 2015. Ajustado para itens extraordinários e amortização de ativos intangíveis, o lucro por ação chegou à € 1,30 (segundo trimestre de 2015: € 1,49).

Panorama para o ano de 2016 como um todo

Para 2016, a empresa prevê uma continuação dos desafios atuais, juntamente com riscos substanciais. As expectativas da BASF para o ambiente econômico mundial em 2016 não mudaram:

  • Crescimento do produto interno bruto: 2,3%
  • Crescimento da produção industrial: 2,0%
  • Crescimento na produção de produtos químicos: 3,4%.
  • Taxa de câmbio média entre euro e dólar: $1,10 por euro
  • Preço médio do petróleo Brent de $40 dólares por barril durante o ano

“Nós confirmamos nossa previsão para 2016 para as vendas e o EBIT antes dos itens extraordinários do Grupo BASF: pretendemos aumentar o volume de vendas. Entretanto, as vendas do Grupo BASF cairão consideravelmente, principalmente em consequência do desinvestimento do negócio de comercialização e armazenamento de gás natural, bem como dos preços menores de petróleo e gás. Continuamos esperando que o EBIT antes dos itens extraordinários esteja ligeiramente abaixo dos níveis de 2015,” disse Bock.

“Nosso panorama para 2016 continua ambicioso para o ambiente atual, volátil e desafiador, e depende sobretudo do desenvolvimento do preço do petróleo. Com isso em mente, continuamos focados em redução de custos e medidas de reestruturação, que se provaram efetivas no primeiro semestre de 2016. Nossas medidas recentes de portfólio contribuirão para o sucesso da empresa a médio e longo prazo,” explicou Bock.

Desenvolvimento dos segmentos

Com € 3,4 bilhões, as vendas no segmento de Químicos caíram em 15%, comparadas ao segundo trimestre de 2015. Isso se deveu principalmente à preços mais baixos em todas as divisões, originados pelo declínio nos custos de matérias primas. Os volumes de vendas aumentaram em todas as divisões, especialmente em Intermediários. O EBIT antes dos itens extraordinários caiu € 81 milhões, atingindo o patamar de € 467 milhões, devido às margens. Os custos fixos continuaram no mesmo nível do segundo trimestre do ano anterior. Na primeira metade (do ano), as vendas caíram em 17%, atingindo € 6,5 bilhões. O EBIT antes dos itens extraordinários caiu € 342 milhões, atingindo o patamar de € 932 milhões, principalmente devido a margens menores.

No segmento de Produtos de Performance, as vendas caíram em 6%, atingindo € 3,8 bilhões, comparadas ao segundo trimestre do ano anterior. Os preços caíram, principalmente como resultado da redução de custos das matérias primas e também devido a constante pressão de mercado sobre os preços da área de higiene. Vários desinvestimentos em 2015 e efeitos cambiais negativos também contribuíram para a queda do nível de vendas. Devido à redução dos custos fixos, margens melhores em todas as divisões e os altos volumes, o EBIT antes dos itens extraordinários aumentou em € 199 milhões, chegando à € 503 milhões. Na primeira metade (do ano), as vendas ficaram 6% abaixo do mesmo período no ano anterior e chegaram a € 7,6 bilhões. O EBIT antes dos itens extraordinários aumentou em € 231 milhões, chegando à € 1,1 bilhões.

Comparado ao segundo trimestre de 2015, as vendas no segmento de Materiais & Soluções Funcionais caíram em 4%, chegando à € 4,7 bilhões. Isso se deveu em grande parte à queda nos preços de venda, causada principalmente pela queda nos preços de metais preciosos. Efeitos cambiais negativos atenuaram as vendas em todas as divisões. Os volumes aumentaram, especialmente nas  industrias automobilística e de construção. O EBIT antes dos itens extraordinários aumentou em € 77 milhões para € 535 milhões, devido a melhorias consideráveis em todas as divisões, especialmente em Materiais de Performance. Na primeira metade (do ano), as vendas caíram em 4%, atingindo € 9,1 bilhões. O EBIT antes dos itens extraordinários aumentou em € 102 milhões, comparado com a primeira metade de 2015 e foi de € 991 milhões.

Em um cenário de mercado que continua difícil, as vendas do segundo trimestre no segmento de Soluções para Agricultura caíram em 13% para € 1,5 bilhões, comparadas ao mesmo período do ano anterior. Volumes menores e efeitos cambiais negativos foram os fatores chave para esse desenvolvimento. Os preços subiram ligeiramente. O EBIT antes dos itens extraordinários caiu em € 45 milhões, chegando a 320 milhões, principalmente devido aos menores volumes de vendas. Na primeira metade (do ano), as vendas caíram em 9%, atingindo € 3,2 bilhões. O EBIT antes dos itens extraordinários caiu em € 28 milhões, chegando a € 911 milhões.

Com € 617 milhões, as vendas no segmento de Óleo & Gás foram 83% menores do que no segundo trimestre de 2015, que incluíam € 3,0 bilhões em vendas de atividades descontinuadas depois da troca de ativos com a Gazprom. Além disso, as vendas foram pressionadas pelos preços menores de petróleo e gás. A produção cresceu de maneira geral e em especial na Noruega. O EBIT antes dos itens extraordinários caiu em € 337 milhões, chegando a € 94 milhões, principalmente por causa da redução de preços e da descontinuação das contribuições dos negócios de comercialização e armazenamento de gás. Comparado ao mesmo período no ano anterior, as vendas na primeira metade do ano diminuíram em 86%, atingindo € 1,2 bilhões. O EBIT antes dos itens extraordinários caiu em € 708 milhões para € 160 milhões.

Com € 485 milhões, as vendas do segundo trimestre do segmento Outros caíram 36% comparadas ao segundo trimestre do ano anterior. Isso se deveu principalmente aos preços mais baixos e volumes reduzidos na área de comercialização de matérias primas. O EBIT antes dos itens extraordinários caiu em € 149 milhões, atingindo o valor negativo de € 212 milhões, principalmente devido à efeitos de valorização dos programas de incentivo de longo prazo.

Nos primeiros 6 meses de 2016, as vendas em Outros cairam em 33%, chegando a € 962 milhões. O EBIT antes dos itens extraordinários melhorou em € 245 milhões, atingindo o valor negativo de € 431 milhões, em parte devido a um resultado de câmbio maior.

Fonte: BASF

Curta nossa página no

Cliever participa da EuroMold Brasil com impressora 3D para prototipagem com estereolitografia

08/08/2016

Cliever-Estereolitografia

Produto é ideal para os setores de plástico, automotivo, embalagem e engenharia

Entre 17 e 19 de agosto, a Cliever (www.cliever.com.br), fabricante nacional de impressoras 3D, será uma das participantes da EuroMold Brasil – Feira Mundial de Construtores de Moldes e Ferramentas, Design e Desenvolvimento de Produtos (stand 485). O evento ocorrerá em Joinville (SC) e a empresa apresentará seu lançamento mais recente, a impressora SL 1, equipamento com tecnologia SL (estereolitografia). Segundo a Cliever, a máquina opera com alta precisão dimensional, o que viabiliza a criação, com baixo custo, de protótipos dotados de acabamentos externos perfeitos e ideais para setores de mercado como plástico, automotivo, embalagem e engenharia.

“Nosso compromisso consiste em contribuir com a implementação da prototipagem no processo de manufatura e, com um produto como esse, conseguimos elevar os patamares de qualidade e eficiência nesse sentido. A partir da tecnologia que aplicamos na SL 1, tornamos real a possibilidade de reproduzir, com muita facilidade, peças complexas e de pequeno porte com os melhores resultados esperados”, explica o CEO da empresa, Rodrigo Krug.

A impressão por SL tem como base a foto-polimerizacão de uma resina acrílica. O equipamento possui três componentes principais: o tanque, no qual a resina é armazenada na forma líquida; a plataforma móvel, na qual a impressão 3D é feita; e o laser, cujos movimentos são controlados por um sistema microprocessado. Ao entrar em contato com a resina, o laser polimeriza a matéria-prima, ou seja, altera seu estado líquido para sólido e assim, sucessivamente, camada após camada, o equipamento dá forma à impressão 3D. Tal tecnologia viabiliza a criação de peças com até 30um de precisão, o equivalente a cerca de ⅓ de um fio de cabelo.

“Vale ressaltar que, como se trata de uma resina diferenciada e produzida por fornecedores nacionais, tem propriedades mecânicas e térmicas peculiares, o que amplia o leque de aplicação. São muitos os mercados que, a partir de agora, poderão desfrutar dessa tecnologia de ponta. Os setores de plástico, automotivo, embalagem e engenharia, por exemplo, são segmentos de mercado com os quais esse equipamento pode corroborar por meio da geração de protótipos bastante eficientes”, finaliza o representante da empresa.

Serviço – EuroMold Brasil (Feira Mundial de Construtores de Moldes e Ferramentas, Design e Desenvolvimento de Produtos)
Data: 17 a 19 de agosto
Horário: 14h às 21h
Local: Parque da Expoville
Endereço: R. 15 de Novembro, 4.315 – Glória / Joinville – SC
Contato: (47) 3029-0699
Credenciamento: http://www.euromoldbrasil.com.br/

Fonte: Interplast

Curta nossa página no

Automata do Brasil exibirá destaques em automação industrial na Interplast 2016

08/08/2016

AutomataComandosOptinject

Desenvolvendo tecnologias para diversas aplicações exigidas pelo segmento de transformação de termoplásticos, a A Automata do Brasil (www.automataweb.com.br) é uma das principais empresas de automação industrial do país e estará presente em mais uma edição da Interplast.

Durante a feira, a empresa apresentará cinco modelos de sistema de controle para uso em injetoras, sopradoras, extrusoras, automação industrial e robôs industriais. O Ecodrive, um sistema dedicado para eficiência energética em máquinas injetoras, reduz o consumo em até 60%, segundo a Automata, e também será exibido para os visitantes de seu estande.

A Automata do Brasil apresentará também seus produtos e serviços técnicos que englobam projetos como: Retrofit; adequação NR-12, automação de processos; manutenção de injetoras; conserto de placas eletrônicas, CPUs e IHMs; peças de reposição; conjuntos de plastificação bimetálicos; cursos de operação; consultoria e gerenciamento de projetos.

“A Automata do Brasil está apta a fornecer tecnologias padronizadas e inovadoras para cada etapa do processo de industrialização. Nossa missão é gerar valor para o cliente, aumentar a produtividade e a qualidade dos recursos, reduzindo os custos de produção com aplicação de novas tecnologias”,  afirma Eduardo Borges, Assessor Executivo de Diretoria.

A Interplast tem em média 550 marcas expositoras apresentando novidades dos mais variados setores como máquinas, equipamentos, transformadoras, ferramentarias, embalagens, matérias-primas, periféricos, design e serviços. Realizada pelo Simpesc (Sindicato da Indústria de Material Plástico no Estado de Santa Catarina) e organizada pela Messe Brasil, a 9ª edição tem o apoio da ABIMAQ (Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos), ABIPLAST (Associação Brasileira da Indústria do Plástico) e FIESC (Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina). Paralelamente ao evento acontecem a 3ª EUROMOLD Brasil – Feira Mundial de Construtores de Moldes e Ferramentarias, Design e Desenvolvimento de Produtos – o CINTEC 2016 Plásticos – Congresso da Inovação Tecnológica e a Rodada de Negócios.

Serviço
Interplast 2016 – Feira e Congresso de Integração da Tecnologia do Plástico – http://www.interplast.com.br
EUROMOLD BRASIL – Feira Mundial de Construtores de Moldes e Ferramentarias, Design e Desenvolvimento de Produtos – http://www.euromoldbrasil.com.br
Data: 16 a 19 de agosto de 2016
Horário: 14 às 21 horas
Local: Expoville – Joinville-SC – Brasil
Organização: Messe Brasil

Fonte: Interplast

Curta nossa página no

Centro de Tecnologia e Inovação da Braskem investe em laboratório para EVA

08/08/2016

Braskem-eva-laboratorio

Novo espaço trabalhará com EVA, resina utilizada principalmente no setor calçadista

O Centro de Tecnologia e Inovação (CTI) da Braskem, localizado no polo petroquímico de Triunfo, investiu em junho R$ 500 mil em um novo laboratório. O local é específico para o processamento de EVA, voltado para desenvolvimento de novas aplicações e suporte para os clientes desenvolverem suas próprias formulações.

O novo laboratório passa a ser uma referência na área de EVA no país, pois conta com uma infraestrutura que permite realizar desde a formulação de um composto até a produção de protótipos. “Esse investimento permitirá uma maior interação com os clientes, acelerando o desenvolvimento de novas tecnologias para a indústria calçadista”, afirma Giancarlos Delevati, engenheiro de Aplicação PE Performance do CTI.

A Braskem produz anualmente 16 milhões de toneladas de resinas e outros produtos petroquímicos básicos e tem faturamento anual de R$ 54 bilhões, atuando em mais de 70 países, com 8 mil integrantes e 40 unidades industriais localizadas no Brasil, EUA, Alemanha e México (esta última em parceria com a mexicana Idesa).

Fonte: Braskem

Curta nossa página no

Fibermaq apresenta equipamento para aplicação de gelcoat na Interplast

08/08/2016

Gelcoateadeira Evolution conta com pistola mais leve e ergonômica

gelcoatadeira-evolutionA Fibermaq, empresa fornecedora de equipamentos para a moldagem de compósitos, apresentará na Interplast – 16-19/08, em Joinville (SC) – a Gelcoateadeira Evolution. Destinada à aplicação de gelcoat, combinação entre resinas e pigmentos usada para dar acabamento às peças de compósitos, a máquina conta com um novo modelo de pistola mais leve, ergonômica e fácil de efetuar as eventuais manutenções, afirma o fabricante.

Destaque também para o aprimoramento da segurança: a Gelcoateadeira Evolution não tem partes móveis aparentes. “Ainda instalamos uma caixa metálica que protege o operador do contato com diversos componentes”, afirma Christian de Andrade, diretor da Fibermaq. Segundo a empresa, outros diferenciais são a maior robustez da bomba de catalisador, fabricada totalmente em aço inox e sem peças plásticas, e a presença de um visor de passagem (rotâmetro), acessório que alerta o operador sobre a falta de catalisador na bombona ou quando ocorre algum tipo de obstrução na linha.

Com mistura externa de resina e catalisador, o equipamento da Fibermaq também dispõe de um sistema de fixação do pistão pneumático à bomba de resina, proporcionando mais espaço para a manutenção. “Desenvolvemos um novo tipo de ligação de eixos que aumenta a proteção do selo, prolongando a sua vida útil”, observa Andrade.

RTM Evolution com certificação NR-12

A Fibermaq também anunciará na Interplast a recente conquista da certificação NR-12 para a sua injetora RTM Evolution, máquina usada no processo de moldagem de compósitos denominado Resin Transfer Molding (RTM) e comumente adotado por fabricante de componentes automotivos.

“Fomos a primeira empresa do nosso segmento a conseguir essa certificação”, comenta o diretor da Fibermaq. Norma do Ministério do Trabalho, a NR-12 determina que sejam enclausuradas as eventuais zonas de perigo dos equipamentos, como frestas e passagens. Também é necessária a instalação de proteções ou carenagens que impossibilitem o contato do operador com peças móveis, como engrenagens, polias, correias e motor.

Fundada em 1978, na cidade de São Paulo, a Fibermaq fornece máquinas e acessórios para a moldagem de compósitos, poliuretano, epóxi e adesivos em geral. Ao longo desse período, mais de 5.000 laminadoras, gelcoateadeiras, injetoras de RTM e máquinas de enrolamento filamentar, entre outras, foram comercializadas pela empresa no Brasil e em toda a América Latina.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Fibermaq

Curta nossa página no

Rodada de Negócios durante Interplast 2016 terá 10 empresas âncoras e 40 fornecedoras

08/08/2016

Interplast_Euromold

No dia 17 de agosto, das 14h30 às 21h, as empresas Comil, Eixo do Brasil, ASBC COBRANÇAS, Fremax, Kavo do Brasil, Klabin, GTS do Brasil, Marcopolo, ASEMCAP (Assessoria/Consultoria de comercio internacional, com sede em Lima, Peru, para o mercado do Pacifico) e a Wetzel serão as âncoras na 2ª Rodada de Negócios da Interplast. O evento acontece na Expoville, na sala Hortênsia.

A Rodada tem a missão de criar oportunidades para empresas de todos os níveis e de diferentes atividades para ampliar as relações de fornecimento e oferta de produtos e serviços. Para esta segunda edição, a organização estima que sejam realizadas 300 reuniões entre as dez compradoras e 40 fornecedoras/vendedoras.

Ocorrendo paralelamente à Interplast, a Rodada tem a missão de complementar a feira com o objetivo de estimular os negócios para expositores, atendendo a demanda das empresas âncoras por soluções.

O evento é organizado pela Bolsa de Subcontratação de Santa Catarina – BNS/SC em parceria com a Messe Brasil, e conta com o apoio do Simpesc, da Fiesc/IEL (Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina/ Instituto Euvaldo Lodi) e da KRONA.

Serviço
Rodada da Negócios do setor Plástico – http://www.interplast.com.br/rodada-de-negocios
Data: 17 de agosto de 2016
Horário: 14h30 às 21 horas
Local: Sala Hortênsia – Expoville (Joinville/SC – Brasil)
Organização: BNS/SC e Messe Brasil

Fonte: Assessoria de Imprensa  – Messe Brasil

Curta nossa página no

Solvay divulga resultados do segundo trimestre de 2016

08/08/2016

EBITDA ajustado do Grupo alcançou 652 milhões de euros no período

Solvay-BruxelasGrupo Solvay obteve um faturamento de 2,94 bilhões de euros no segundo trimestre de 2016, conforme anúncio feito no dia 29/07 pela empresa. O EBITDA ajustado – lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização – subiu 8% no período, alcançando 652 milhões de euros. O lucro líquido ajustado no segundo trimestre de 2016 foi de 223 milhões de euros.

Segundo Jean-Pierre Clamadieu, CEO do Grupo Solvay, a empresa apresentou sólidos resultados no segundo trimestre, apesar de obstáculos persistentes em alguns mercados. “Isso reflete a força e a amplitude do portfólio, e a dinâmica contínua dos nossos programas de excelência. O free cash flow foi significativamente maior no primeiro semestre de 2016, em linha com o nosso compromisso de converter os lucros em caixa de forma mais eficiente”, afirmou.

A integração da Cytec (adquirida no final de 2015) ao Grupo Solvay está indo muito bem, com rápidos resultados de sinergias. “E estamos particularmente satisfeitos com a nossa recente conquista, juntamente com a Mubadala, de fornecer materiais compósitos de estrutura primária para o programa da linha de aeronaves 777X da Boeing. É um marco estratégico para a Solvay e nos deixa em uma ótima posição para o crescimento a longo prazo em um mercado-chave”, acrescentou.

Previsão para 2016  – Com base nas condições atuais do mercado, o Grupo Solvay reafirma sua expectativa de crescimento de um dígito alto para o EBITDA ajustado em 2016 e um free cash flow superior a 650 milhões de euros.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Solvay

Curta nossa página no

Braskem registra EBITDA de R$ 3 bilhões no segundo trimestre

05/08/2016

Braskem_balanco_2otri

Complexo Petroquímico do México gera primeiros resultados operacionais

A Braskem registrou EBITDA ligeiramente acima de R$ 3 bilhões no período, alta de 15% sobre o mesmo trimestre do ano passado e em linha com trimestre anterior. Em dólar, o EBITDA somou US$ 858 milhões, alta de 1%.  Esse desempenho foi alcançado pela depreciação média de 14% do real no período, pelo maior volume de vendas em todos os mercados, os melhores spreads, o contínuo bom desempenho das unidades industriais dos Estados Unidos e da Europa e a maior disponibilidade de gás no cracker do Rio de Janeiro.

A taxa de operação das centrais de matérias-primas no Brasil avançou para 94%, cinco pontos percentuais acima do trimestre anterior. Esse desempenho foi obtido graças principalmente ao melhor resultado operacional da central do Rio de Janeiro, cuja disponibilidade de gás matéria-prima cresceu no trimestre. A produção de resinas foi de 1,2 milhão de toneladas representando uma expansão de 1% em relação ao segundo trimestre do ano passado.

Neste cenário, além do aumento de vendas no mercado interno, houve expansão de 21% das exportações de resinas brasileiras totalizando 454 mil toneladas de resinas. As exportações dos petroquímicos básicos, por sua vez, somaram 379 mil toneladas, 6% superior ao volume registrado em igual trimestre do ano passado em função do aumento das vendas de gasolina.

As unidades industriais da Braskem nos Estados Unidos e Europa operaram a plena carga. A demanda por polipropileno nessas regiões manteve-se crescente. De abril a junho, o EBITDA nos Estados Unidos e Europa foi de US$ 212 milhões (R$ 745 milhões), alta de 195%, correspondendo a 24,5% do consolidado da Braskem.

O trimestre também registrou os primeiros resultados operacionais do Complexo Petroquímico do México, inaugurado oficialmente em junho. Fruto do investimento superior a US$ 5 bilhões em parceria com o grupo mexicano Idesa, o Complexo apresentou taxa de 32% de utilização das plantas de polietileno, com a produção totalizando 83 mil toneladas de resinas. Deste total, 54 mil toneladas já foram vendidas tanto no mercado mexicano quanto no mercado internacional.

“A Braskem tem conseguido manter uma estratégia consistente de eficiência operacional e crescimento, tanto no Brasil como nos Estados Unidos e Europa”, diz Fernando Musa, presidente da Braskem. “Essa estratégia se completa com a entrada mais recentemente da operação do Complexo Petroquímico do México e a chegada dos seus primeiros resultados.”

No segundo trimestre, a receita líquida consolidada da Braskem teve crescimento de 3% e chegou a R$ 11,8 bilhões. O lucro líquido da controladora foi de R$ 413 milhões. Já o lucro consolidado somou R$ 281 milhões. O nível de alavancagem financeira da companhia, medido pela relação entre dívida líquida por EBITDA em dólar, fechou o período em 1,79x. Também no segundo trimestre, a Braskem fez a distribuição aos acionistas de R$ 1 bilhão em dividendos, o que representou um terço do lucro líquido apurado no ano passado.

Fonte: Braskem

Curta nossa página no

Nova poliamida reforçada da BASF contribui para isolamento térmico em sistemas de janelas

05/08/2016
  • Componente melhora desempenho, funcionalidade e design, em substituição ao metal
    Produto foi desenvolvido em cooperação com fabricante espanhol STAC Padrón

BASF_16_Transmission_coverUm novo componente promete melhorar o desempenho,  isolamento térmico, funcionalidade e design dos sistemas de janelas.  Segundo a BASF, O uso da poliamida Ultramid ® LFX, reforçada com fibras de vidro longas, proporciona benefícios significativos quando comparadas aos materiais convencionais, em virtude de apresentar uma melhor resistência e boas propriedades de isolamento. O componente também permite um design de janela inteligente, leveza, além de substituir o metal na moldura da janela, o que elimina a possibilidade de corrosão.

Bom isolamento está nos pequenos detalhes

Para que um novo edifício seja moderno e eficiente em termos energéticos, é necessário mais do que apenas o isolamento de uma grande área da fachada. Não menos importantes são os sistemas de janelas, o que significa pensar de forma criativa ou substituir materiais convencionais. Em cooperação com o fabricante de janelas espanhol, STAC Padrón, a BASF substituiu o componente feito de zamak (liga metálica), por Ultramid® reforçado com fibra de vidro longa, melhorando o sistema significativamente, afirma a empresa. Ao usar o material, um perfil de performance superior foi criado, apresentando propriedades mecânicas superiores, melhorando o isolamento da janela como um todo e contribuindo para uma construção sustentável, garante a BASF. O desenvolvimento foi fruto de um trabalho conjunto: o novo design do componente, integrado ao perfil da janela, foi proposto pelo cliente STAC. A BASF calculou otimizou o design com sua tecnologia de simulação Ultrasim®. Em seguida, uma ferramenta protótipo foi criada para produzir o novo componente. A utilização das fibras de vidro longas foi um fator determinante e produziu os resultados idealizados. Joaquim Perez Vidal, Gerente de Compras da Europa Ocidental na BASF resume a conquista: “A aplicação explora plenamente os atributos do Ultramid® LFX: excelente estabilidade em todas as temperaturas de aplicação, alta tenacidade, resistência à fadiga e boa separação térmica.”

Construções do futuro: Componentes pequenos – efeito surpreendente

Ser capaz de substituir o metal na moldura da janela é uma vantagem real. “É possível reduzir os pontos térmicos fracos no design da janela, com efeito positivo no conforto no interior do ambiente”, explica Javier Fernandez Cobian da STAC.

A BASF afirma que o seu produto Ultramid® atende às altas exigências mecânicas e ao mesmo tempo, é livre de corrosão e extra leve. Graças à sua superfície lisa, a janela pode ser aberta e fechada com maior facilidade e isso é conseguido sem a aplicação de revestimento adicional, garante a fabricante do material. Isto também é vantajoso para o perfil ambiental do componente de plástico, pois não há necessidade de pós-tratamentos como proteção contra corrosão, sendo particularmente eficiente no processo de produção. Além disso, é mais leve do que os produtos convencionais e, consequentemente, reduz a energia consumida durante o transporte, segundo a BASF.

Fonte: BASF

Curta nossa página no

Termotécnica recicla o isopor® da Vila Olímpica

03/08/2016

Termotecnica_Olimpiadas

Após o material ser recolhido pela empresa contratada pelo Comitê Olímpico para gestão dos resíduos, Termotécnica realiza a reciclagem

Instalar equipamentos de ar-condicionado, refrigeradores, fogão, entre outros, nos 3.604 apartamentos, distribuídos nos 31 edifícios da Vila Olímpica, no Rio de Janeiro (RJ), certamente gerou e está gerando um grande volume de resíduos recicláveis, entre eles, o isopor®. Além disso, o dia-a-dia dos mais de 15 mil atletas que se hospedarão por lá durante os jogos também vai produzir mais desses resíduos, que precisam ser descartados corretamente.

Diante deste cenário, a Termotécnica firmou parceria com a Prórecicle Ambiental e,  juntas,  são responsáveis pela logística reversa e reciclagem de todo o EPS (sigla para Poliestireno Expandido, popularmente conhecido como isopor®) recolhido na Vila Olímpica, no Rio de Janeiro (RJ.

A parceria prevê que a Prórecicle Ambiental, que está localizada em Duque de Caxias (RJ), é responsável pela compactação e armazenamento do isopor®, após seu recebimento. Depois de acumular um volume grande do material, a empresa fluminense enviará o mesmo para a Termotécnica, que se responsabilizará pelo processo de reciclagem,  dando origem a novos produtos, como solados de sapatos, rodapés, molduras e decks de piscina.

Rodrigo Faria, Sócio Diretor da Prórecicle Ambiental, destaca que a parceria com a Termotécnica iniciou-se há pouco tempo, mas já é certo que terá continuidade após as Olimpíadas. “Atualmente, somos a única empresa no Estado do Rio de Janeiro que possui todas as licenças necessárias para a coleta, transporte e destinação correta do EPS para reciclagem. Com o apoio da Termotécnica, fortaleceremos a divulgação da reciclabilidade do material e ampliaremos nossa atuação com o isopor®”, afirma Rodrigo.

Segundo Albano Schmidt, Presidente da Termotécnica, “dar o destino correto ao EPS pós-uso da Vila Olímpica é mais do que um compromisso da Termotécnica; é uma excelente oportunidade de mostrar ao mundo inteiro que o isopor® é um plástico, que pode ser 100% reciclável, e que no Brasil trabalhamos com seriedade pela sua logística reversa e reciclagem”, enaltece Albano.

Isopor® é 100% reciclável

De acordo com a Plastivida – Instituto Sócio-ambiental dos Plásticos,  cerca de 34,5% do EPS pós-consumo é reciclado no Brasil. Aproximadamente um terço de toda essa reciclagem é feita pela Termotécnica.

Programa Reciclar EPS

Com o Programa Reciclar EPS, que teve início em 2007 e, de forma inovadora e pioneira, se antecipou à PNRS (Política Nacional de Resíduos Sólidos), a Termotécnica realiza um trabalho contínuo de orientação da comunidade para a reciclagem.

A empresa passou a investir no desenvolvimento de uma ampla cadeia de logística reversa e de reciclagem, o que foi um desafio substancial, pelo fato de ser um material extremamente leve (98% de seu volume é composto por ar).

Com investimentos na ordem de R$15 milhões, iniciou o processo de reciclagem junto das unidades de negócio da empresa, localizadas em Manaus (AM), Indaiatuba (SP), Rio Claro (SP), São José dos Pinhais (PR), Joinville (SC), Petrolina (PE) e Sapucaia do Sul (RS).

Números representativos do Programa Reciclar EPS

– Mais de 30 mil toneladas de EPS reciclado pela Termotécnica desde 2007;
– 100 empregos diretos;
– Mais de 1.200 Pontos de Coleta;
– 391 cooperativas envolvidas;
– mais de 5mil famílias impactadas.

Portal online indica o ponto de entrega mais próximo

Com o objetivo de fortalecer a divulgação do Programa, a Termotécnica disponibiliza o Portal Reciclar EPS: www.reciclareps.com.br

Se a intenção for verificar onde está o ponto de entrega mais próximo, é só acessar o portal. Ao clicar no link “Onde reciclar”, o site identifica e direciona, em todo o território nacional, o ponto mais próximo de recolhimento de EPS para reciclagem.

A Termotécnica é a maior indústria transformadora de EPS (isopor®) da América Latina e líder no mercado brasileiro deste segmento. Produz soluções para Construção Civil, Embalagens e Componentes, Conservação, Agronegócio e Movimentação de Cargas.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Termotécnica

Curta nossa página no

Bemis mostra tendências de tecnologia para embalagens durante feira Anutec, em Curitiba

03/08/2016

Bemis-ovenrite-1A Bemis, uma das maiores fabricantes de embalagens do mundo, participa da ANUTEC (stand A-10), feira internacional de fornecedores da indústria alimentícia que está acontecendo de 2 a 4 de agosto no Expo Unimed, em Curitiba, e é realizada pela Koelnmesse.

Entre as novidades que a Bemis mostrará durante o evento estão a tecnologia OvenRite®, filme desenvolvido pela empresa para assar carnes bovinas, suínas, aves, e outros diretamente na embalagem em fornos convencionais ou microondas. O filme resiste a temperaturas de até 220°C, afirma a empresa.

“O mercado brasileiro está cada vez mais aberto para soluções práticas no preparo de alimentos e, por isso, a tecnologia OvenRite® deve ser utilizada em breve por aqui, proporcionando praticidade ao cozinhar e mantendo a maciez e o sabor das carnes”, explica Ricardo Almeida, gerente de Marketing de Proteínas da Bemis.

No dia 3 de agosto (4ª feira), às 14h30, o executivo fez uma palestra sobre as tendências de tecnologia em embalagens para os mercados internacional e nacional.

Serviço: ANUTEC
2 a 4 de agosto de 2016 – das 13h às 20h
Expo Unimed – Rua Prof. Pedro Viriato Parigot de Souza, 5300 – Campo Comprido
Curitiba – PR

Fonte: Assessoria de Imprensa – Bemis

Curta nossa página no

Grupo Solvay lança produtos na Rio Oil&Gas 2016

03/08/2016

Solvay-Rio-Oil-and-Gas

O Grupo Solvay, para reforçar sua participação como fornecedor do setor de petróleo e gás, fará o lançamento de novos produtos e tecnologias na Rio Oil&Gas 2016 (de 24 a 27 de outubro, no Centro de Convenções do Riocentro (Pavilhão 4 – X16A).

A oferta do Grupo Solvay inclui produtos para exploração e produção de petróleo e gás, além de tecnologia de retardância a chama em uniformes profissionais (EPI) e tratamento de água e efluentes. São polímeros especiais, solventes, surfactantes e aditivos, especialidades químicas para têxteis e peróxidos de hidrogênio.

A principal novidade será o lançamento mundial de um polímero especial da linha Solef ® PVDF, resistente a temperaturas de até 150º C, usado como camada de barreira em linhas flexíveis (risers) e mangueiras umbilicais, afirma a Solvay.

Fonte: Solvay

Curta nossa página no

Plástico verde da Braskem chega às embalagens de cosméticos naturais e veganos

03/08/2016

Braskem-Biovegan2O Plástico Verde da Braskem agora é usado em embalagens de cosméticos naturais e veganos da Aroma e Magia. As resinas de polietileno de cana-de-açúcar serão usadas na nova marca Bio Vegan.

A Bio Vegan foi criada para atender à demanda do consumidor por produtos fabricados de forma ambientalmente responsável. Por isso, os cosméticos são desenvolvidos de forma a gerar menos impacto na natureza e trazer um ritual de harmonia e bem-estar para quem os utiliza. Entre os lançamentos estão o esfoliante corporal, sabonete Líquido, óleo para banho e loção hidratante corporal.

“Desenvolver os cosméticos Bio Vegan foi um verdadeiro desafio, pois procuramos criar cosméticos o mais verde possível e que contribuíam para um momento de conforto e bem-estar. O resultado de tanta pesquisa foi surpreendente e encantador”, explica Maria de Lourdes Vertuan, farmacêutica-bioquímica e diretora da Bio Vegan.

Com o objetivo de ajudar o consumidor a reconhecer o produto que usam a matéria-prima 100% renovável, a Braskem criou o selo “I’m greenT“. O Plástico Verde adotado pela Bio Vegan captura e fixa gás carbônico da atmosfera, colaborando para a redução da emissão dos gases causadores do efeito estufa. O produto apresenta as mesmas características do polietileno tradicional e pode ser reciclado na cadeia já existente.

“A cada ano conquistamos clientes focados em contribuir com o meio ambiente e que também possuem o objetivo de melhorar a vida das pessoas. Apostar na utilização do Plástico Verde reafirma o compromisso das duas companhias com a inovação e a sustentabilidade em seus negócios”, afirma Gustavo Sergi, diretor de Renováveis da Braskem.

Os cosméticos estão disponíveis em farmácias, lojas de decoração e lojas de cosméticos naturais.

Fonte: Braskem

Curta nossa página no

Expositores de 5 países e 14 cidades brasileiras estão confirmados na Euromold Brasil 2016

28/07/2016

Interplast_Euromold

De 16 a 19 de agosto acontece em Joinville (SC) a EuroMold Brasil – Feira Mundial de Construtores de Moldes e Ferramentas, Design e Desenvolvimento de Produtos. A terceira edição tem a confirmação de expositores de cinco países – Brasil, China, México, Portugal e Suécia – e 14 cidades brasileiras.

Com o lema “Da ideia à produção em série”, a feira está com todos os setores da cadeia de desenvolvimento de produtos representados. A cadeia engloba: design, materiais, simulação, visualização, engenharia, realidade virtual, CAD & CAM, prototipagem rápida, construção de protótipos e modelos, modelação e ferramentaria, equipamentos, máquinas ferramenta, garantia de qualidade e automação, além de processos e acabamentos.

Pela representatividade ao setor, o evento faz parte do calendário de diversas empresas. “Entendemos que a Euromold Brasil é a única feira para o segmento de ferramentais. Por isso também é a única que participamos”, ressalta Thiago Hobus de Freitas, diretor comercial da GTF.

Moisés dos Reis Melo, diretor da MM Representações, representante exclusivo da Oasis Technology na América do Sul desde 2010, também destaca a importância da Euromold Brasil. “É a terceira vez que participamos. É uma forma de em poucos dias reunir uma variedade grande de clientes e interessados em desenvolvimento de moldes em um mesmo lugar”.

A Euromold Brasil acontece simultaneamente à 9ª Interplast, feira voltada ao setor plástico, e possui o apoio da ABIMAQ, Abinfer e ABNT. Mais informações, acesse http://www.euromoldbrasil.com.br.

Serviço

  • EUROMOLD BRASIL – Feira Mundial de Construtores de Moldes e Ferramentarias, Design e Desenvolvimento de Produtos – http://www.euromoldbrasil.com.br
  • Data: 16 a 19 de agosto de 2016
  • Horário: 14 às 21 horas
  • Local: Expoville – Joinville-SC – Brasil
  • Organização: Messe Brasil

Fonte: Assessoria de Imprensa – Messe Brasil

Curta nossa página no

Grupo Solvay comemora feito: avião movido a energia solar completa a volta ao mundo e demonstra a eficácia das tecnologias sustentáveis

26/07/2016

Solvay_solar impulse3

Inovação têxtil brasileira, desenvolvida pela Rhodia, o Emana também fez parte dessa aventura

O Grupo Solvay celebra a façanha de Bertrand Piccard e André Borschberg, que completaram hoje (26/07) a volta ao mundo no comando do Solar Impulse 2 (Si2), avião movido a energia solar. O regresso a Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos, depois de uma viagem de 40.000 quilômetros tendo a energia solar como único combustível, representa o final de uma aventura extraordinária na qual o Grupo Solvay investiu desde o início.

Em uma carta entregue aos dois pilotos, logo após a aterrisagem em Abu Dhabi, o CEO do Grupo Solvay, Jean-Pierre Clamadieu, fez um agradecimento especial aos líderes dessa aventura. “Em nome de todos os empregados da Solvay, gostaria de dizer um grande obrigado por estes 12 anos extraordinários, repletos de sonhos, desafios, grandes e pequenas vitórias tecnológicas. Dia após dia, sua energia e personalidade notáveis foram fundamentais para o sucesso desse projeto”, disse Clamadieu na carta.

Primeiro parceiro do projeto, a partir de 2004, o Grupo Solvay colocou a serviço do Solar Impulse todo seu conhecimento e capacidade de inovação. No total, 15 produtos do Grupo Solvay estão em 6000 peças e partes do avião, permitindo o armazenamento e otimização do consumo de energia e a redução do peso da aeronave. O Grupo colocou no avião uma série de materiais plásticos e polímeros ultra-resistentes, além de compósitos que compõem a longarina e estabilizadores traseiros, tornando mais leve a aeronave.

O Brasil também fez parte dessa aventura, com a inovação têxtil Emana, desenvolvida pela Rhodia, empresa do Grupo Solvay. O fio têxtil foi utilizado na confecção de uma “segunda pele”, utilizada por baixo do uniforme de vôo, atuando para retardar o aparecimento da fadiga muscular — um fator tremendamente importante nesse tipo de voo em um cockpit de dimensões reduzidas, que restringe a movimentação do piloto.

“Todos os materiais que desenvolvemos e estão no Solar Impulse reforçam a nossa convicção de que a química fornece soluções eficazes para o desenvolvimento sustentável das nossas sociedades. O Grupo Solvay pretende mais do que nunca continuar a ser uma ponte entre a ciência e o progresso sustentável. “, acrescentou Clamadieu.

Quase todos os produtos desenvolvidos pela Solvay para este “laboratório voador” já estão disponíveis na vida cotidiana, em produtos fabricados para diversos mercados, tais como automotivo, aeronáutica e aeroespacial, construção, têxteis e smartphones e outros dispositivos inteligentes.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Solvay

Curta nossa página no

Covestro introduz nova marca para componentes de poliuretanos sintetizados a partir de CO2

22/07/2016
Na conferência recente da EUROPUR, a Covestro recebeu o Prêmio de Sustentabilidade pelos seus componentes de poliuretanos baseados em CO2, que agora estão sendo comercializados sob a marca cardyon®. O diretor do projeto Dr. Karsten Malsch (segundo a partir da direita) e seus colegas Dr. Lutz Brassat, Dr. Stefan Lindner and Matthaeus Gossner (a partir da esquerda) recebem o prêmio de Jean-Pierre de Kesel (Recticel), um membro do júri.

Na conferência recente da EUROPUR, a Covestro recebeu o Prêmio de Sustentabilidade pelos seus componentes de poliuretanos baseados em CO2, que agora estão sendo comercializados sob a marca cardyon®. O diretor do projeto Dr. Karsten Malsch (segundo a partir da direita) e seus colegas Dr. Lutz Brassat, Dr. Stefan Lindner and Matthaeus Gossner (a partir da esquerda) recebem o prêmio de Jean-Pierre de Kesel (Recticel), um membro do júri.

Ao utilizar o dióxido de carbono para síntese de poliuretanos, a Covestro está ajudando na preservação de recursos fósseis escassos, além de fechar o ciclo do carbono. A empresa desenvolveu uma nova tecnologia que utiliza o gás carbônico para produzir substâncias usadas na produção de espumas. Com a marca cardyon®, a Covestro agora oferece a seus clientes na indústria de poliuretano a oportunidade de reduzir sua dependência do petróleo e, portanto, reduzir sua pegada de carbono.

“Nossos clientes buscam matérias-primas mais sustentáveis, mas exigem a mesma qualidade dos componentes convencionais”, explica o gerente do projeto, Dr. Karsten Malsch. “O cardyon® é uma alternativa igual aos produtos convencionais. Ao mesmo tempo, os clientes podem se diferenciar dos competidores com o nosso produto”.

Produto premiado

A tecnologia rendeu à Covestro o Prêmio de Sustentabilidade da EUROPUR, a Associação Européia dos Fabricantes de Blocos de Espuma Flexível de Poliuretano, no encontro de 50 anos da associação.

A Covestro iniciará em breve a operação em sua primeira fábrica de polióis poliéteres à base de Co2 em seu site em Dormagen, na Alemanha. A unidade será responsável pela produção de matérias-primas para produtos como espumas flexíveis de poliuretano usados em colchões e móveis.

A Covestro continua trabalhando em parceria com a indústria e com universidades para desenvolver novos componentes e potenciais aplicações para os poliuretanos à base de CO2.

Com vendas de EUR 12,1 bilhões em 2015, a Covestro está entre as maiores empresas de polímeros do mundo. Os principais segmentos atendidos são o automotivo, eletroeletrônico, construção civil e a indústria de esporte e lazer. A Covestro, antiga Bayer MaterialScience, possui 30 unidades fabris em todo o mundo e, no final de 2015, empregava aproximadamente 15.800 pessoas.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Covestro

Curta nossa página no

Transformador coreano expande uso de linha de extrusão da battenfeld-cincinnati para produção de chapas para termoformagem ; máquinas serão apresentadas durante a Feira K 2016

22/07/2016

battenfeld-cincinnati

Baterias de rolos também serão apresentadas no stand da empresa durante a Feira K, em Düsseldorf

Na Coréia, a Dongjin é considerada como o maior fabricante de embalagens termoformadas. A maior parte da produção é exportada, mas também há comercialização de uma parcela no mercado interno. Os mercados principais são o EUA e o Japão. Através da expansão de sua planta, a Dongjin busca aumentar o seu portfolio de produtos e intensificar sua presença no mercado.

A Dongjin tem uma parceria com a battenfeld-cincinnati que já dura mais de 20 anos. Para produção de chapas, a Dongjin utiliza sete linhas da battenfeld-cincinnati: duas linhas de 7 camadas e cinco linhas de coextrusão simples – duas para PS, duas para PP ou PS e uma para PET. Uma nova linha de 3 camadas para fabricação de chapas de PS e PP com a bateria de rolos Multi-Touch será adicionada em um futuro próximo. E uma segunda linha de 3 camadas, também com baterias de rolos Multi-Touch, foi encomendada recentemente. Esta última fabricará chapas de PE, PP e PS num intervalo de espessura entre 0,35 a 2,0 mm para aplicações de termoformagem com um produção dee até 1500 kg/h. “Com a primeira linha Multi-Touch de alto desempenho, temos a capacidade de produzir 40% da chapa necessária e com custos de energia mais reduzidos”, afirma Song Seok Hwan, Presidente e CEO da Dongjin.

Graças à nova linha de extrusão de alto desempenho, o transformador agora necessita comprar de fornecedores externos uma quantidade significativamente menor de chapas, afirma a battenfeld-cincinnati. Isto traz uma grande vantagem, particularmente pelo fato de que os custos de investimento são pagos através da economia de energia. A linha completa precisa de aproximadamente 15-20% a menos de energia do que uma linha de extrusão de chapas convencional, assegura o fabricante de máquinas.

Segundo a battenfeld-cincinnati, a extrusora de alta velocidade é o principal responsável pela economia de energia, que é o segundo componente-chave da linha ao lado da bateria de rolos Multi-Touch. Com um diâmetro de rosca de 75 mm e um comprimento da unidade de processamento de 40 D , a extrusora atinge um fluxo de processamento até 2.000 kg/h, dependendo do material processado. O fabricante assegura que, graças ao design otimizado da rosca e cilindro, a extrusora provê uma ótima qualidade do material fundido mesmo com rotações elevadas de até 1200 rpm, criando, assim, condições para uma elevada qualidade do produto.

Qualidade combinada com elevada transparência, planicidade e espessura uniforme da chapa são hoje os parâmetros procurados pela indústria da embalagem. A bateria de rolos Multi-Touch foi projetada especialmente com isto em mente, afirma a battenfeld-cincinnati. Ao contrário de baterias de 3 rolos convencionais, a nova bateria trabalha com uma grande quantidade de espaços entre cilindros para assegurar uma refrigeração confiável e calibragem do lado superior e inferior da chapa, segundo a empresa. Na bateria de rolos Multi-Touch, a chapa passa primeiro através de uma unidade de pré-calibragem, constituída por dois cilindros grandes. Em seguida, a chapa entra na recalibragem, que está equipada com opções de 3, 5 ou 7 cilindros pequenos. Devido ao contato constante com os rolos, a chapa quase não apresenta orientação e um perfil de espessura particularmente uniforme, com uma acurácia de ± 1%, assegura a battenfeld-cincinnati. Isto contribui para a eficiência da linha, pois se pode alcançar economias significativas de matéria-prima, em comparação com linhas de extrusão de chapas convencionais

A battenfeld cincinnati afirma que, através do seu conceito de linha Multi-Touch, atende adequadamente às necessidades da indústria de embalagem em relação a chapas de alta qualidade produzidas em grande volume e com baixo consumo de energia.

A battenfeld-cincinnati fará a apresentação desta linha de produtos na feira de plásticos K 2016, neste ano, em Düsseldorf. Sob o lema “driven by innovation”, serão também apresentados os mais recentes avanços, ao lado de outros conceitos de máquinas já provados para o setor da embalagem.

Sobre a Dongjin Co., Ltd: A Dongjin crescido continuamente desde a sua fundação em 1975 e, ao mesmo tempo, tem ampliado constantemente a sua gama de produtos. Atualmente, o transformador emprega cerca de 450 colaboradores e produz produtos de embalagem, tais como chapas extrudadas, vasilhas termoformadas, artigos ocos moldados por sopro e copos injetados. Além de três unidades de produção na Coreia, o fabricante mantém unidades em Los Angeles/EUA e Yantai/China.

Sobre a battenfeld-cincinnati: O grupo battenfeld-cincinnati é um dos principais fabricantes mundiais de extrusoras e linhas completas de extrusão sob medida para atender às especificações dos clientes. A empresa oferece uma variedade de equipamentos nas áreas de tubos, perfis, chapas, chapas termoformadas e granulação. Os sites de produção estão localizados na Alemanha, Áustria, China e EUA.

Fonte: Assessoria de Imprensa – battenfeld-cincinnati

Curta nossa página no

Huntsman lança novo pigmento de dióxido de titânio para aplicações em plásticos durante Prévia da Feira K em Düsseldorf

22/07/2016

Um novo pigmento de dióxido de titânio (TiO2) está disponível para os formuladores da indústria de plásticos. Segundo a Huntsman, fabricante do pigmento, o Tioxide® TR48 é um grade novo de TiO2 com ótimas propriedades colorísticas, que foi concebido para um bom processamento mesmo a temperaturas elevadas. O produto foi projetado como parte da família Tioxide® TR28, que tem uma longa história de desempenho de processamento numa ampla gama de sistemas de plásticos.

Projetado para utilização na produção de masterbatches de poliolefinas, de filmes de BOPP e de compostos de engenharia, o Tioxide® TR48 é fácil de dispersar, tem ótimas capacidades de redução de matiz e foi desenvolvido com formulações de baixo teor de compostos orgânicos voláteis (VOC), afirma a Hunstsman.

As aplicações típicas para o Tioxide® TR48 incluem sistemas de embalagens convencionais e premium e a produção de peças de plástico para dispositivos eletrônicos de consumo e para a indústria automotiva.

O Tioxide® TR48 é um de uma série de novos produtos inovadores nos quais a Huntsman está trabalhando para melhorar a sua gama de pigmentos de TiO2 para a indústria de plásticos. Sob suas marcas Tioxide® e Sachtleben®, a Huntsman oferece uma gama de pigmentos brancos para uso em diferentes indústrias. Desenvolvidos ao longo de muitos anos, os pigmentos Tioxide® e Sachtleben® são conhecidos por seu desempenho em uma ampla gama de sistemas de masterbatches, compostos e processamento de plásticos.

O Tioxide® TR48 foi apresentado na prévia da feira K, em Düsseldorf, Alemanha, na terça-feira 28 de junho e estará disponível comercialmente em 2017.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Huntsman

Curta nossa página no

Wortex promove linha de reciclagem de plásticos durante a Interplast 2016

21/07/2016

Wortex-Challenger-RecyclerDurante a Interplast 2016, que ocorrerá de 16 a 19 de agosto em Joinville/SC, a Wortex estará promovendo sua linha de máquinas recicladoras, além de moinhos e roscas / cilindros para injetoras, sopradoras e extrusoras.

Na área de reciclagem, a Wortex apresentará a sua Linha Challenger Recycler (foto). Segundo a empresa, a linha Challenger é capaz de processar com baixo custo operacional uma grande variedade de resíduos de filmes lisos, impressos e metalizados, tais como PELBD, PEBD, PEMD, PEAD, BOPP, PP, PVC, Ráfia, Não Tecidos, Nylon e Filmes de multicamadas. Materiais sólidos de injeção e sopro podem também ser dosados no filme. Os equipamentos da linha Challenger Recycler utilizam sistemas de alimentação forçada, o que permite o processamento do material sem a necessidade de aglutinação. Segundo a Wortex, o sistema de granulação da Challenger é adequado às matérias-primas a serem processadas, assegurando uma maior produtividade, uniformidade dos grãos e qualidade do produto final.

Os Moinhos da Wortex que serão divulgados na Interplast estão disponíveis com comprimentos de rotores de 600, 900 e 1200mm. Eles possuem corte em “V” com facas rotativas e fixas que são ajustadas fora do moinho através de dispositivo de alinhamento, evitando assim ajustes dentro do moinho.

Durante a feira, também serão apresentados cilindros e roscas (monos e duplos) bimetálicos e nitretados para máquinas de injeção, sopro e extrusão. São executados em equipamentos de precisão, com diâmetros de 25mm a 400mm e comprimentos de até 8.000mm. A Wortex afirma que os aços são submetidos a tratamentos especiais, adequados à matéria prima processada. Segundo a empresa, ligas bimetálicas incorporadas nas roscas e cilindros proporcionam longa durabilidade, precisão de alinhamento e de concentricidade e resistência à abrasão e corrosão.

Projetos especiais de cilindros e rosca (mono e dupla) também podem ser desenvolvidos pela Wortex, de acordo com a necessidade de cada cliente (produtividade, plastificação, homogeneização, mudanças de resinas, etc.). O uso de cilindros especiais oferece maior produtividade por Kg/h / ampere, maior capacidade de plastificação e homogeneização, maior controle da massa fundida, diminuição de ciclos e taxa de rejeição e melhor qualidade do material extrusado, entre outros benefícios.

Fundada em 1976, na cidade de Campinas (SP), a Wortex (www.wortex.com.br) é uma empresa 100% nacional e fabrica equipamentos para extrusão, reciclagem, acessórios, moinhos, roscas e cilindros.

Fonte: Wortex

Curta nossa página no

Cromex apresentará linha completa de serviços e produtos para a transformação de plásticos na Interplast 2016

21/07/2016

A empresa vai levar para a região Sul os últimos lançamentos em cores e aditivos para plásticos isentos de metais pesados

Cromex-InterplastA Cromex, empresa brasileira do segmento de masterbatches de cores e aditivos para plásticos, participará da Interplast 2016 (Rua F, Stand 248), a ser realizada entre os dias 16 e 19 de agosto em Joinville, SC. A feira reúne paralelamente um congresso técnico, uma rodada de negócios e a feira EuroMold para a América Latina.

Em sua 9ª participação na Interplast, a empresa vai apresentar toda a sua gama de soluções para 18 diferentes setores da economia em que os plásticos estão inseridos (agricultura, construção civil, embalagens, automotivo, cosmético, higiene e limpeza, brinquedos, linha branca, etc). Essas linhas de produtos abrangem aplicações que atendem variados critérios técnicos, com as linhas de masterbatches brancos, pretos, aditivos, especialidades e de cores. Além das cores tradicionais, existem as com efeitos especiais como pigmentos perolados, metalizados, policromáticos e fluorescentes.

Com uma equipe de vendedores distribuidores e assistência técnica regionais, o foco da companhia é estreitar o relacionamento com clientes e parceiros locais, assim como conquistar novas oportunidades. Dona de uma cultura exportadora, a Cromex afirma comercializar seus produtos para mais de 60 países. Atualmente 25% dos negócios da empresa são voltadas aos mercados externos.

Inovação e Sustentabilidade – Segundo a Cromex, todos os seus concentrados coloridos são isentos de metais pesados. Os masterbatches isentos de metais pesados foram desenvolvidos para agregar ainda mais valor ao produto final dos transformadores plásticos, sem agredir o meio ambiente no momento do descarte do mesmo, devido ao fato de não possuir substâncias consideradas perigosas e não contaminar solo ou água com metais pesados.

Soluções Cromex – Outro destaque na exposição da Cromex será a linha para BOPP (brancos, aditivos e cargas minerais), de alto desempenho técnico, desenvolvidos de acordo com as necessidades da indústria.

A linha de produtos BOPP atende à produção de filmes em geral, na aplicação de rótulos para refrigerantes, embalagens de sorvetes de palito, chocolates, snacks, bolachas, biscoitos, café, entre outros.

Para fabricação de filmes de BOPP, a Cromex apresentará produtos com efeitos opaco perolado, opaco branco e opaco branco de baixa densidade. Segundo a Cromex, a empresa dispõe de uma tecnologia de aditivação com um ativo mineral inorgânico de características especiais, que, agregada à biorientação, confere efeito perolado às embalagens de BOPP.

Os produtores de BOPP ainda contam com uma família de concentrados de aditivos migratórios e não-migratórios que, segundo a Cromex, atribuem ao filme uma diversidade de propriedades, tais como redutor do coeficiente de atrito, redução do efeito de bloqueio, dissipação de cargas estáticas, entre outras. Há possibilidade de desenvolvimentos personalizados, de acordo com a necessidade do cliente.

Além de linha para BOPP, a empresa destacará aditivos de cargas minerais utilizados no processamento por injeção, extrusão para termoformagem e moldagem por sopro, com o objetivo de conferir melhorar propriedades mecânicas, estabilidade dimensional, rugosidade de superfície e promover redução de custos, afirma a Cromex.

Desenvolvimentos para o Agronegócio – Todas as linhas de produtos Cromex atendem ao agronegócio, desde o plantio, colheita, armazenamento até o transporte. Em linha com este portfolio, a Cromex afirma possuir produtos voltados à melhoria do processo de fabricação de ráfia, tais como: coloridos, compostos de cargas minerais que funcionam como antifibrilantes e aditivos funcionais para aumentar a vida útil dos tecidos, sacarias e melhorar a processabilidade das fitas.

Interplast – A Interplast tem em média 550 marcas expositoras apresentando novidades dos mais variados setores como máquinas, equipamentos, transformadoras, ferramentarias, embalagens, matérias-primas, periféricos, design e serviços. Realizada pelo Simpesc (Sindicato da Indústria de Material Plástico no Estado de Santa Catarina) e organizada pela Messe Brasil, a 9ª edição tem o apoio da ABIMAQ (Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos), ABIPLAST (Associação Brasileira da Indústria do Plástico) e FIESC (Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina). Paralelamente ao evento acontecem a 3ª EUROMOLD Brasil – Feira Mundial de Construtores de Moldes e Ferramentarias, Design e Desenvolvimento de Produtos – o CINTEC 2016 Plásticos – Congresso da Inovação Tecnológica e a Rodada de Negócios.

Serviço
Interplast 2016 – Feira e Congresso de Integração da Tecnologia do Plástico – http://www.interplast.com.br
EUROMOLD BRASIL – Feira Mundial de Construtores de Moldes e Ferramentarias, Design e Desenvolvimento de Produtos – http://www.euromoldbrasil.com.br
Data: 16 a 19 de agosto de 2016
Horário: 14 às 21 horas
Local: Expoville – Joinville-SC – Brasil
Organização: Messe Brasil

Fonte: Assessoria de Imprensa – Cromex / Messe Brasil

Curta nossa página no

Chemson apresenta estabilizantes para PVC na Interplast 2016

21/07/2016

Chemson-additivesO Grupo Chemson atua no segmento de Aditivos para Polímeros, atendendo ao mercado de Estabilizantes para PVC com as linhas de Estabilizantes Orgânicos e Base Cálcio-Zinco, de Estabilizantes Coprecipitados de Chumbo, com Sais de Chumbo, além de lubrificantes e Estearatos e Blendas para Poliolefinas.

A empresa levará sua linha de produtos para a Interplast, que ocorrerá de 16 a 19 de agosto em Joinville. Segundo Luis Fernando Wust Stein, Representante Comercial, o portfolio da empresa é composto por produtos ambientalmente corretos e que agregam valor a Compostos de PVC, Tubos e Conexões, Perfis Rígidos, Telhas, Fios e Cabos entre outros.

Além dos estabilizantes de cálcio, zinco e orgânico e lubrificantes, a empresa também apresentará auxiliares de fluxo e modificadores de impacto para compostos de PVC. A Chemson estará na Interplast com todo o corpo técnico para assistência e desenvolvimento junto aos clientes.

O Grupo possui sede na cidade de Arnoldstein, na Áustria, e fábricas na Inglaterra, Áustria, Alemanha, EUA, Austrália, Brasil e China. A fábrica da empresa em Rio Claro (SP) é responsável pelo mercado Brasileiro e Sul-Americano.

Interplast – A Interplast tem em média 550 marcas expositoras apresentando novidades dos mais variados setores como máquinas, equipamentos, transformadoras, ferramentarias, embalagens, matérias-primas, periféricos, design e serviços. Realizada pelo Simpesc (Sindicato da Indústria de Material Plástico no Estado de Santa Catarina) e organizada pela Messe Brasil, a 9ª edição tem o apoio da ABIMAQ (Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos), ABIPLAST (Associação Brasileira da Indústria do Plástico) e FIESC (Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina). Paralelamente ao evento acontecem a 3ª EUROMOLD Brasil – Feira Mundial de Construtores de Moldes e Ferramentarias, Design e Desenvolvimento de Produtos – o CINTEC 2016 Plásticos – Congresso da Inovação Tecnológica e a Rodada de Negócios.

Fonte: Interplast

Curta nossa página no

Evonik inaugura fábrica de sílicas precipitadas em Americana (SP)

21/07/2016

Localizada em Americana (SP), a primeira fábrica de sílica de alta dispersão atenderá principalmente aos mercados de pneus

evonik-industriesNo dia 20 de julho, a Evonik inaugurou mais uma planta industrial no Brasil, localizada no município de Americana (SP). A nova unidade produzirá sílicas precipitadas, incluindo as de alta dispersão (HDS), consolidando sua posição de liderança global neste mercado.

A sílica de alta dispersão, cuja demanda está em forte crescimento, atenderá principalmente os fabricantes de borracha e, especialmente, a indústria de pneus. A produção de Americana se destinará também a outros segmentos, como alimentos, agroquímicos e nutrição animal.

A nova planta, que recebeu investimentos da ordem de dezenas de milhões de euros, gerou 40 empregos diretos. Os produtos abastecerão clientes brasileiros e parte da produção deverá ser exportada para outros países da América Latina.

O projeto da Evonik para o Brasil foi anunciado em julho de 2014 e já em outubro do mesmo ano foi realizado o lançamento da pedra fundamental em Americana, com a presença de integrantes do Conselho de Administração e da Diretoria Executiva da Evonik Industries.

“Para nós, é motivo de orgulho a conclusão desta nova fábrica, dentro do prazo previsto, e onde empregamos tecnologia “state-of-the-art”. A consolidação deste investimento no país está alinhada à estratégia de expansão mundial em sílicas e visa, principalmente, atender os clientes globais regionalmente”, diz o diretor presidente da região América do Sul e Central da Evonik, Weber Porto.

Na produção de pneus, a sílica confere elevada qualidade e características diferenciadas para os chamados “pneus verdes” – um mercado em forte crescimento. O uso de sílicas em combinação com silanos permite a produção de pneus com menor resistência ao rolamento, promovendo redução no consumo de combustível em até 8% e, assim, proporcionando diminuição na emissão de CO2 pelos automóveis. Essas modernas formulações de borracha, usando sílica e silano, também aumentam a aderência dos pneus em pista molhada e, consequentemente, melhoram a segurança dos automóveis, em comparação aos pneus convencionais.

A Evonik é hoje um dos principais fabricantes de sílica do mundo e tem expandido sua atuação em diversos países. De 2010 a 2016, aumentou cerca de 40% da sua capacidade de produção. Depois de ampliações na Ásia e na Europa, houve incremento de produção na planta localizada em Chester (EUA), a construção desta unidade no Brasil, além do anúncio da construção de uma nova planta nos EUA.

Atualmente, produz sílicas precipitadas para mercados de alto crescimento; sílicas pirogênicas e suas dispersões; agentes fosqueantes à base de sílica e óxidos metálicos, ultrapassando uma capacidade global anual de aproximadamente 600.000 toneladas.

A Evonik atua em mais de 100 países no mundo inteiro. No ano fiscal de 2015, mais de 33.500 colaboradores geraram vendas em torno de 13,5 bilhões de Euros e um lucro operacional (EBITDA ajustado) de cerca de 2,47 bilhões de Euros. No Brasil, a empresa conta hoje com cerca de 600 colaboradores no País e seus produtos são utilizados como matéria-prima em importantes setores industriais, como: automotivo, agroquímico, biodiesel, borracha, construção civil, cosmético, farmacêutico, nutrição animal, papel e celulose, plástico, química e tintas.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Evonik

Curta nossa página no

Tecniplas apresenta megatanques na Fenasan

21/07/2016

Tanque da Tecniplas com capacidade para armazenar 3 milhões de litros

Reservatórios gigantes de compósitos em PRFV substituem com vantagens os similares de concreto e aço vitrificado em aplicações no setor de saneamento

A participação da Tecniplas (www.tecniplas.com.br) na Feira Nacional de Saneamento e Meio Ambiente (Fenasan) – de 16-18/08, no Expo Center Norte, em São Paulo – será marcada pela apresentação dos gigantescos reservatórios que a empresa fabrica em Cabreúva, no interior de São Paulo. Fabricados de compósitos em PRFV (Plástico Reforçado com Fibras de Vidro), os megatanques da Tecniplas podem armazenar até 4,5 milhões de litros e, frente aos tradicionais reservatórios de concreto, garantem diversas vantagens, como maior estanqueidade e vida útil superior, afirma a empresa.

“Por ser muito poroso, o concreto requer a impermeabilização com borracha. Além de elevar o preço do tanque, esse revestimento tem vida útil limitada. Então, depois de três ou quatro anos, a água começa a atacar a estrutura de aço presente no concreto, exigindo investimentos pesados em manutenção ou até mesmo a troca do reservatório”, explica Giocondo Rossi, diretor da Tecniplas. Os compósitos em PRFV, por sua vez, são imunes à corrosão, possuem elevada resistência mecânica e podem ser formulados com resinas próprias para o contato com a água potável.

Frente ao tanque de aço vitrificado, opção importada e mais recente para a armazenagem de água, os reservatórios da Tecniplas também oferecem diversos benefícios. “A instalação é muito mais simples, pois são equipamentos monolíticos. Ao contrário dos tanques vitrificados, que são compostos por milhares de placas parafusadas, o que também pode significar pontos de vazamento depois de alguns anos”, compara. Outras vantagens, continua Rossi, ficam por conta da facilidade de manutenção dos compósitos em PRFV e o fato de toda a sua cadeia produtiva ser local. “Trata-se de um material bem mais protegido contra as oscilações cambiais”, complementa.

No passado, uma das barreiras para a evolução dos megatanques de compósitos em PRFV era o transporte. Até que, em 2010, a Tecniplas trouxe dos EUA a tecnologia de oblatação. Em linhas gerais, esse sistema permite que as seções dos tanques sejam ovalizadas e acinturadas, assumindo o formato semelhante ao de um “oito”. Dessa maneira, um reservatório de 15 metros de diâmetro, após a oblatação, fica com 5 metros, dimensão adequada às normas brasileiras de transporte rodoviário. No local de instalação, as seções são redimensionadas e, de forma manual, laminadas umas sobre as outras.

“A oblatação pode reduzir o tempo de transporte de 90 para 10 dias. Também permite transportar, dependendo do diâmetro do tanque, dois ou três anéis em uma mesma carreta. Ou seja, significa um ganho logístico considerável”, comenta o diretor da Tecniplas.

Maior tanque de compósitos em PRFV do Brasil

Ao longo dos últimos anos, a Tecniplas fabricou dezenas de reservatórios oblatados, sendo a maioria voltada para armazenagem de produtos químicos corrosivos. “O histórico de aplicações em ambientes agressivos habilita plenamente a utilização dos nossos megatanques no setor de saneamento”, observa Rossi. Com capacidade de 3 milhões de litros e 15 metros de diâmetro, o maior tanque de compósitos em PRFV até hoje produzido pela Tecniplas foi fornecido este ano para uma empresa da área de mineração.

Fundada em 1976, a Tecniplas é líder brasileira em tanques e equipamentos especiais de compósitos em PRFV. Seus produtos são consumidos pelas indústrias de álcool e açúcar, papel e celulose, cloro-soda, química e petroquímica, fertilizantes, alimentos e bebidas e saneamento básico.

Serviço
Feira Nacional de Saneamento e Meio Ambiente (Fenasan)
Quando: 16-18/08
Onde: Expo Center Norte, São Paulo (SP)
Tecniplas: Estande B03/C04

Fonte: Assessoria de Imprensa – Tecniplas

Curta nossa página no

Cristal Master leva produtos para aditivação e pigmentação termoplástica para a Interplast 2016

21/07/2016

Cristalmaster-logoA Cristal Master (www.cristalmaster.com.br), fornecedora de soluções em aditivação e pigmentação termoplástica, estará expondo na Interplast, ocaisão vista como uma oportunidade para fortalecer as relações com os clientes e ampliar os negócios.

Os visitantes verão em seu estande a linha completa de concentrados colorantes e de efeito, aditivos funcionais e compostos, tingimentos, dentre outras especialidades, com ênfase para os lançamentos.

Sobre as novidades na Interplast, Ana Luiza Dal Comuni, Coordenadora de Vendas, conta alguns dos destaques que estarão no ambiente de 90 m2 preparado para receber o público.

“Apresentaremos o Agente Interfacial, que atua como compatibilizante em sistemas incompatíveis, melhorando a resistência mecânica dos materiais. Também levaremos a Resina Expansiva, que é o PEBDL micronizado aditivado para promover a expansão de camadas internas no processo de rotomoldagem, o Viscopet, que aumenta a viscosidade do PET com baixa aplicação e nosso Agente Antimicrobiano, um produto atóxico que atua diretamente na eliminação de bactérias e fungos por contato”, detalha.

A Cristal Master possui mais de 300 itens para pronta entrega e uma frota com 11 veículos. Sua sede está localizada em Joinville, SC. “Nosso estande é sempre muito bem frequentado, e pela proximidade com nossa matriz muitos clientes aproveitam para visitar nossa fábrica”, conta Dal Comuni.

A Interplast tem em média 550 marcas expositoras apresentando novidades dos mais variados setores como máquinas, equipamentos, transformadoras, ferramentarias, embalagens, matérias-primas, periféricos, design e serviços. Realizada pelo Simpesc (Sindicato da Indústria de Material Plástico no Estado de Santa Catarina) e organizada pela Messe Brasil, a 9ª edição tem o apoio da ABIMAQ (Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos), ABIPLAST (Associação Brasileira da Indústria do Plástico) e FIESC (Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina). Paralelamente ao evento acontecem a 3ª EUROMOLD Brasil – Feira Mundial de Construtores de Moldes e Ferramentarias, Design e Desenvolvimento de Produtos – o CINTEC 2016 Plásticos – Congresso da Inovação Tecnológica e a Rodada de Negócios.

Serviço

Interplast 2016 – Feira e Congresso de Integração da Tecnologia do Plástico – http://www.interplast.com.br
EUROMOLD BRASIL – Feira Mundial de Construtores de Moldes e Ferramentarias, Design e Desenvolvimento de Produtos – http://www.euromoldbrasil.com.br
Data: 16 a 19 de agosto de 2016
Horário: 14 às 21 horas
Local: Expoville – Joinville-SC – Brasil
Organização: Messe Brasil

Fonte: Assessoria de Imprensa – Messe Brasil

Curta nossa página no

Victrex exibe lançamentos na linha de produtos e serviços voltados aos polímeros PEEK na K 2016

28/09/2016

Feira que ocorre em outubro, na Alemanha, terá como destaque o novo composto Victrex AE 250 desenvolvido para a indústria aeroespacial

k_bannerA Victrex, fornecedora de soluções em polímeros PAEK de alta performance, apresentará novidades em seu portfólio na K 2016, feira internacional de plásticos e borracha. O evento acontece em Düsseldorf,na Alemanha, de 19 a 26 de outubro. Além de novos tipos de polímeros Victrex PEEK e suas diversas aplicações, o foco estará nas soluções integradas do futuro e, em particular, nas novas tecnologias. Entre elas, o novo composto Victrex AE 250, desenvolvido para a indústria aeroespacial, cuja produção utiliza tecnologia de moldagem híbrida. Soluções para engrenagens e  e-motors serão destaque no stande automotivo, enquanto novos tipos de polímero PEEK e uma estrutura de compostos PEEK expandida estarão em evidência na seção da indústria de petróleo e gás.

O stand da Victrex, localizado no salão 5 (stand B09), exibirá essas novas soluções, tecnologias e serviços baseados no PAEK, com exemplos de seu uso crescente em aplicações críticas. Tendo começado há mais de 35 anos como o primeiro produtor comercial do PEEK termoplástico de alta performance, a empresa hoje aplica uma abordagem específica que utiliza conhecimentos especializados sobre materiais para oferecer produtos e soluções integradas para as indústrias. Pesquisa e desenvolvimento orientados e combinados aos investimentos e voltados principalmente para os programas industriais e médicos da Victrex também permitiram o estabelecimento de parcerias estratégicas como, por exemplo, com a Magma Global Limited na indústria de petróleo e gás.

Óleo e gás: Magma oferece a mais longa tubulação com base em PEEK

Recentemente, a estrutura mais longa do mundo com base em Victrex PEEK foi desenvolvida sob a forma de spoolable m-pipe® pela Magma Global Limited, que proporciona uma tubulação de intervenção submarina de custo competitivo e confiável, segundo a empresa. Esta tubulação de composto flexível pode ser usada em condições extremas e em profundidades de até 3.000 metros (10.000 pés), suportando pressões de mais de 1.000 bar (15ksi), afirma a Victrex.

Enquanto isso, a Victrex está investindo em uma unidade de produção especificamente para compósitos. Ademais, a empresa apresenta novos polímeros para a indústria de petróleo e gás, incluindo um termoplástico que oferece gama única de propriedades em sistemas de vedação, seja em criogenia(até -196ºC) ou acima de 200°C, assegura a Victrex. Outro destaque é o Victrex OGS 125, especificamente desenvolvido para otimizar a moldagem por compressão de grandes vedações.

Aeroespacial: novos compostos Victrex

Os requisitos também são altos na indústria aeroespacial onde, por exemplo, especificações exatas têm de ser cumpridas para os suportes de peso na aeronave. Um objetivo primordial, além de confiabilidade, durabilidade e leveza, é a redução de custos. As vantagens obtidas na relação custo-benefício com produção e montagem de componentes individuais baseados em novas opções de design e fabricação, por exemplo, podem contribuir para atender esse anseio da indústria.

Precisamente nesse aspecto os recém introduzidos compostos Victrex AE 250, em várias formas de pré-impregnação, oferecem grande potencial para a indústria da aviação. Em combinação com a tecnologia de moldagem híbrida, suportes, grampos, clipes e caixas para estruturas primárias e secundárias podem ser fabricados em minutos, contrapondo o processo com materiais metálicos ou termofixos que pode levar horas. Em 2016, a Victrex apresentará estes novos compostos PAEK pela primeira vez na feira K 2016.

Automotivo: engrenagens e e-motors de custo eficiente e alto desempenho

O pacote completo de engrenagens com base em PEEK disponibilizado pela Victrex para a indústria automotiva desde o ano passado também será apresentado na K 2016. A empresa ampliou sua expertise por meio da aquisição de uma empresa especializada em engrenagens dos Estados Unidos, com p objetivo de oferecer serviços personalizados e completos para obter design preciso e rápido, desenvolvimento, testes e produção de engrenagens ao longo da cadeia de fornecimento.

Outra solução de futuro para e-motors, o filme APTIV, tem se destacado no setor automotivo. Usado como forro de ranhura para isolamento elétrico, o filme ultrafino à base de PEEK permite a utilização de 5% a mais de cobre em comparação com materiais utilizados até então. Segundo a Victrex, isto permite aumento da densidade de potência de motor do mesmo tamanho ou reduz a quantidade de espaço que ocupa, bem como diminui os custos até U$ 20 por motor.

Os filmes APTIV da Victrex têm sido utilizados com sucesso também na produção de aeronaves já há algum tempo. Outro setor que utiliza o material é a indústria eletrônica, como na membrana do micro alto-falante para mais de um milhão de dispositivos móveis. O material garante reprodução de som precisa – apesar da demanda por maior desempenho – e vida útil 300% maior do que a de outros materiais.

Fonte – Victrex

Curta nossa página no