Feira Plástico Brasil começa nesta segunda-feira (25/03) enfatizando o tema da sustentabilidade do uso dos plásticos

22/03/2019

  • Ampla e variada oferta de produtos e soluções da Plástico Brasil cria uma janela de oportunidades para a indústria ganhar produtividade e competitividade
  • A área de exposição da feira reflete o constante investimento em pesquisa e desenvolvimento feito pelos fornecedores de máquinas voltadas para reciclagem e economia de recursos naturais
  • Feira apresenta sistema de troca rápida de moldes totalmente automatizado

Começa nesta segunda-feira, dia 25 de março, e vai até o dia 29 (sexta-feira), a Plástico Brasil – Feira Internacional do Plástico e da Borracha, no São Paulo Expo Exhibition & Convention Center, em São Paulo. A visitação diária se inicia às 10:00 hs e vai até as 19:00 hs.

Uma iniciativa da Abimaq – Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos, Abiquim – Associação Brasileira da Indústria Química e Informa Exhibitions, a Plástico Brasil 2019 apresenta um crescimento de 20% sobre a edição anterior, reunindo mais de 800 marcas nacionais e internacionais, que representam os setores de máquinas, equipamentos e acessórios, matérias-primas e resinas, moldes e porta moldes, automação industrial e robótica, periféricos, entre outros produtos, serviços e soluções.

Na condição de primeira grande feira setorial do ano, a ampla e variada oferta de produtos e soluções da Plástico Brasil cria uma janela de oportunidades para os transformadores e demais atividades ganharem produtividade e competitividade e se prepararem para a retomada do consumo.

Números da Feira:

  • Expositores: Mais de 800 marcas do Brasil e de outros 13 países: Alemanha, Argentina, Áustria, China, Estados Unidos, Hungria, Índia, Itália, México, Portugal, Taiwan, Turquia e Suíça
  • Expectativa de visitação: 45 mil compradores, transformadores e profissionais do setor
  • Apoio: mais de 60 entidades representativas nacionais e internacionais
  • Eventos integrados: Cerca de 80 horas de conteúdo

A abertura oficial da Plástico Brasil 2019 se dará no dia 25, às 09 horas, com a presença de João Marchesan, presidente do Conselho de Administração da Abimaq, Fernando Figueiredo, presidente-executivo da Abiquim, presidentes de entidades apoiadoras e autoridades.

Ainda no dia 25 pela manhã, às 11:30 hs, haverá uma coletiva de imprensa com a participação de João Marchesan, presidente do Conselho de Administração da Abimaq, José Velloso, presidente-executivo da Abimaq, Gino Paulucci Jr, presidente da Câmara Setorial de Máquinas e Acessórios para a Indústria do Plástico da Abimaq, e Fernando Figueiredo, presidente-executivo da Abiquim. A Abimaq apresentará informações sobre a atuação da entidade em prol do desenvolvimento do setor e a Abiquim vai divulgar o desempenho das resinas termoplásticas em 2018 e o compromisso voluntário da entidade para promover e ampliar o alcance da Economia Circular nas embalagens plásticas.

Sustentabilidade

A sustentabilidade do uso dos plásticos será um tema central da feira. Uma programação técnica de palestras focalizará o assunto:

Especial Plastivida de Sustentabilidade: Especialistas na questão ambiental com foco no consumo responsável, coleta seletiva e reciclagem dos plásticos ministram palestras gratuitas para os visitantes.

  • Dia 25, às 15h: Lixo nos mares e o setor plástico, por Alexandre Turra, Professor Doutor do Instituto Oceanográfico da USP.
  • Dia 26, às 12h: Reciclagem de EPS, por Vanessa Vilata, do Comitê de EPS Plastivida.
  • Dia 27, à 12h: Sustentabilidade da Indústria Plástica na Argentina: problemáticas locais e internacionais, por Verônica Ramos, diretora-executiva da Ecoplas.
  • Dia 28, às 12h: Panorama Legislativo, por Fernando Chaib, assessor Legislativo da Plastivida.
  • Dia 29, às 11h: Política Nacional de Resíduos Sólidos, por Silvia Piedrahita Rolim, assessora Técnica da Plastivida.
  • TriCiclos: Empresa de engenharia de economia circular aplicada, abre a programação com a palestra Demanda tecnológica para plásticos mais sustentáveis, ministrada por Marilia Gabriela dos Santos, consultora de Sustentabilidade na TriCiclos.
  • Braskem: No dia 27, às 13h, Fabiana Quiroga, diretora da área de Reciclagem e Plataforma Wecycle da Braskem, maior produtora de resinas das Américas, fala sobre Economia Circular Braskem.

A área de exposição da Plástico Brasil também refletirá o constante investimento em pesquisa e desenvolvimento feito pelos fornecedores de máquinas voltadas para o processamento de resíduos plásticos de origem pós-consumo ou pós-industrial, e para economia de recursos naturais. Máquinas e equipamentos de fabricantes como Wortex, Mecalor e Steinert, por exemplo, estarão demonstrando seus últimos lançamentos com esse foco.

Reciclagem

Coleta Seletiva: Desde a montagem até a desmontagem da Plástico Brasil, os resíduos gerados pelos expositores e visitantes serão coletados por catadores da Cooperativa Prioridade Ambiental, que farão a separação tipo de material em caçambas. Estes resíduos serão posteriormente convertidos em renda à comunidade.

Ao término da coleta, a cooperativa transportará os materiais para seu galpão, onde os cooperados darão destino ambientalmente correto aos resíduos recicláveis por meio da comercialização dos produtos, sendo a arrecadação financeira revertida aos próprios cooperados.

Bicicleta Sustentável: Inovadora tecnologia de bicicletas com quadro feito de plástico reciclado. Sem contar os benefícios ambientais, a bicicleta Muzzicycles oferece uma série de vantagens: dispensa pintura, não enferruja, tem garantia vitalícia e amortecimento natural oferecido pelo plástico. Patenteada mundialmente, está presente no Uruguai, Argentina, Chile, Paraguai, Peru, Colômbia, Costa Rica, Estados Unidos, Holanda, França, Itália, Espanha, Portugal, Ucrânia, Áustria e Alemanha.

Produtividade

Diminuir o tempo de setup para troca de moldes é um dos grandes desafios da indústria de injeção de plásticos para ganhar produtividade e competitividade.

Em parceria com a Romi e a Stäubli, a Plástico Brasil apresenta uma inovadora versão do SMED – Single Minute Exchange of Die – Troca Rápida de Moldes totalmente automatizada.

A injetora Romi EN 170 é equipada com um sistema de troca rápida de moldes composto por mesas troca-moldes, placas magnéticas e sistemas de multiacoplamentos rápidos. Todo o ciclo – carregamento, fixação e conexão dos moldes – é realizado ao vivo e em tempo real inferior a 5 minutos. A própria injetora informa para o sistema automatizado qual o molde necessário para o próximo lote e carrega a receita de programação.

Conhecimento

  • A Plástico Brasil terá programação técnica com cerca de 80 horas de seminários, palestras e workshops, a maioria deles gratuita.
  • 1º Abinfer Business Center – ABC 2019: Novidade nesta edição, o espaço criado em parceria com a ABINFER (Associação Brasileira da Indústria de Ferramentais) é dedicado aos fabricantes de moldes, matrizes e ferramentas, e oferece uma solução completa ao reunir tecnologia e conhecimento.
  • Roadshow VDI: Boas práticas alemãs para a Indústrias 4.0: Organizado pela VDI Brasil (Associação de Engenheiros Brasil – Alemanha), em parceria com a VDMA (Associação Alemã de Fabricantes de Máquinas e Instalações Industriais), demonstra os benefícios da aplicação de boas-práticas alemãs por meio de palestras ministradas por especialistas internacionais e convidados.
  • PETtalk 2019: Realizado pela Abipet (Associação Brasileira da Indústria do PET), é o maior encontro do ano para o setor de embalagens PET. Durante dois dias, serão apresentadas e debatidas as novas tecnologias, cenários e temas atuais que abrangem toda a cadeia produtiva.
  • Parque de Idéias: Promove a aproximação entre universidades e o setor produtivo. Instituições de ensino do Brasil apresentam seus projetos de inovação e ministram palestras, bem como escolas técnicas e empresas expositoras.
  • Sebrae Móvel: Uma van customizada oferece gratuitamente conteúdos sobre empreendedorismo e gestão a empresários e empreendedores. O veículo é equipado com todos os instrumentos necessários para a realização de atendimentos presenciais feito por funcionários do SEBRAE-SP e oferece auxílio a todos os interessados em ter seu próprio negócio ou melhorar os resultados.
  • Senai – Escola Móvel de Indústria 4.0: Inovadora e moderna estratégia de ensino totalmente voltada à Indústria 4.0. A unidade volante percorre todo o Estado de São Paulo e capacita pessoas em cidades onde não há escolas físicas do Senai-SP.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Plástico Brasil 2019

Curta nossa página no

Anúncios

Tomra Sorting Recycling publica e-book analisando a viabilidade do uso de plásticos reciclados a 100%

22/03/2019

O documento disponível para download mostra que é tecnicamente possível e economicamente viável fabricar produtos de plástico 100% reciclado

A Tomra Sorting Recycling publicou um e-book analisando o papel que a reciclagem pode desempenhar ao oferecer soluções para a crise mundial de escassez de recursos naturais. O documento explora a viabilidade técnica e o progresso feito em direção a plásticos 100% reciclados e destaca as oportunidades do uso de plásticos reciclados de alta qualidade para fabricantes de produtos plásticos e embalagens.

O e-book ressalta que a preocupação dos consumidores com o lixo traz oportunidades para que as marcas demonstrem responsabilidade social corporativa e fidelizem os clientes, em benefício dos resultados de seus negócios.

O problema dos resíduos plásticos atingiu proporções enormes, com a maior parte deles ainda indo para aterros ou descartados no meio ambiente e no oceano, sendo que apenas uma pequena parte é reciclada. Órgaos reguladores e consumidores vêem a necessidade de mudança. Novas metas e regulamentações ambientais em todo o mundo estão pressionando os países para melhorarem suas taxas de reciclagem. Isso deverá incentivar o investimento e a inovação na reciclagem – já podendo ser posto em prática com as tecnologias já existentes.

O e-book da Tomra explica como o progresso significativo nas tecnologias de reciclagem de plásticos, mesmo para os produtos PET, torna a utilização de plásticos 100% reciclados não apenas tecnicamente possível, mas também economicamente viável. A publicação intitulada “A Viabilidade de Usar Plásticos 100% Reciclados” está disponível on-line em https://hubs.ly/H0gYzDN0 e pode ser baixada gratuitamente.

Produtos PET podem ser feitos de plásticos 100% reciclados de alta qualidade

O e-book da Tomra começa abordando o equívoco comum de que as embalagens PET e outros produtos, além de garrafas, só podem ser utilizados em produtos de qualidade inferior. De fato, a reciclagem de garrafas PET se desenvolveu maciçamente e é possível fabricar outros produtos de PET – e bandejas de PET em particular – a partir de materiais 100% reciclados, o que faz sentido ambiental e comercialmente.

Progresso tecnológico em direção a 100% de reciclabilidade continua

O e-book destaca o progresso feito em direção a 100% de reciclagem com tecnologias como os sistemas Sharp Eye e Laser Object Detection (LOD), recentemente apresentados pela Tomra

Segundo a Tomra, o Sharp Eye usa a sua tecnologia de sensores Flying BeamM® para distinguir diminutas diferenças químicas entre bandejas de PET e garrafas de PET, de modo que elas possam ser separadas para a reciclagem de produtos equivalentes. Combinada com a máquina Autosort da Tomra, a tecnologia Sharp Eye possibilita a separação de bandejas de PET monocamada misturadas com garrafas PET, garante a empresa.

Já a tecnologia LOD é capaz de detectar objetos que a tecnologia de infravermelho próximo (NIR) é incapaz de identificar, permitindo que os sistemas de reciclagem removam as impurezas e contaminantes de maneira eficiente, afirma a fabricante norueguesa. Isto torna tecnicamente possível e economicamente rentável fabricar produtos a partir de resina 100% reciclada, garante a empresa. Segundo a Tomra, quando a tecnologia LOD é utilizada em combinação com as suas máquinas Autosort e Finder, as operações de reciclagem de resíduos, plásticos e sucata atingem níveis de pureza do produto final que não eram alcançáveis anteriormente.

Abordando a crise de recursos

Tom Eng, vice-presidente sênior e chefe da Tomra Sorting Recycling, comentou: “A reciclagem é parte da solução para a crise mundial de recursos naturais. O e-book da Tomra destaca a importância ambiental e econômica das tecnologias de seleção nesse papel significativo que elas podem desempenhar na melhoria dos índices de reciclagem. Para complementar isso, os projetistas e fabricantes de produtos estão começando a pensar com mais cuidado sobre a reciclagem dos seus produtos no fim de vida. Os consumidores pensam agora e nosso meio ambiente precisa urgentemente disso. É juntos que podemos realmente fazer a diferença”.

A Tomra Sorting Recycling projeta e fabrica sistemas de seleção por sensores para a indústria global de reciclagem e gestão de resíduos. Mais de 5.500 sistemas foram instalados em 80 países em todo o mundo, segundo a empresa. A Tomra Sorting Recycling faz parte da Tomra Sorting Solutions, que também desenvolve sistemas baseados em sensores para a separação, descascamento e análise de processos para a indústria de alimentos, mineração e outras indústrias. A Tomra Sorting é de propriedade da empresa norueguesa Tomra Systems ASA, tendo sido fundada em 1972 e contando hoje com um volume de negócios de cerca de € 750m e empregando mais de 3.500 pessoas.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Tomra

Curta nossa página no

Terphane lança filme PET selável e de alta barreira para aplicações em embalagens com atmosfera modificada

21/03/2019

O Lidbar-e também garante a função easy open a bandejas de refeições prontas, pouches de barras proteicas, etc.

A Terphane, líder em filmes PET (poliéster) na América Latina, já está comercializando no Brasil os filmes de PET (poliéster) seláveis e de alta barreira Lidbar-e. Seguno a empresa, além de garantir aumento de vida de prateleira a alimentos, graças à atmosfera modificada (MAP), o novo filme se destaca pelo tratamento anti-fog, alta transparência e tratamento corona que melhora a adesão de tintas e adesivos.

“Este filme foi desenvolvido para atender às necessidades de fabricantes de alimentos que precisam de embalagens de alta barreira que, normalmente, utilizam atmosfera modificada para aumentar a vida de prateleira”, explica Célia Freitas, gerente de Desenvolvimento de Negócios da Terphane.

A Terphane afirma que a face selável do Lidbar-e conta ainda com um tratamento anti-fog que reduz o embaçamento em aplicações quentes ou frias; esta característica é particularmente importante para alimentos congelados ou refrigerados. Outro diferencial é o range de temperatura de selagem, sem deformação, que vai de 60 graus Centígrados até 120 graus Centígrados. O novo filme sela com PP, PEAD, PS, HIPS, APET, CPET, CPET modificado, PETG, rPET, PVC, PC, PLA ou cartão laminado com PET em bandejas, garrafas, potes ou outros tipos de embalagens.

O Lidbar-e está disponível na espessura de 31 micra e atende a todas as normas internacionais para contato com alimentos. “A espessura do filme o torna mais sustentável já que é possível reduzir consideravelmente o peso das embalagens, substituindo estruturas complexas, laminadas ou coextrudadas”, pontua Célia Freitas. A alta barreira evita ainda a variação de umidade e o filme pode ser impresso ou laminado, de acordo com o projeto da embalagem. Um aspecto particularmente importante no caso de bandejas é a alta resistência a punctura.

Desde a sua fundação em 1976, a Terphane concentra-se no desenvolvimento de tecnologias e processos de fabricação de filmes especiais de poliéster biorientado (BOPET). Sua equipe possui experiência e conhecimento em produção, revestimento e metalização de filmes. A empresa se destaca ainda por uma cadeia verticalizada que vai desde a produção da resina até a extrusão de filmes especiais. A Terphane faz parte do grupo industrial norte-americano Tredegar.

Fonte: Terphane

Curta nossa página no

Plástico Brasil 2019 apresenta sistema inovador automatizado para Troca Rápida de Moldes

20/03/2019

  • Em parceria com Romi e Stäubli, feira será anfitriã do espaço SMED – Single Minute Exchange of Die – Troca Rápida de Moldes
  • Em 2017, Plástico Brasil apresentou a primeira versão do SMED. Neste ano, o processo está totalmente automatizado

Diminuir o tempo de setup para troca de moldes é um dos grandes desafios da indústria de injeção de plásticos para ganhar produtividade e competitividade. A Plástico Brasil – Feira Internacional do Plástico e da Borracha apresentou, já em sua edição inaugural, em 2017, o inédito espaço SMED – Single Minute Exchange of Die – Troca Rápida de Moldes. A versão demonstrada na ocasião representava uma redução significativa no tempo de setup, inferior a 10 minutos (o “single minute” do nome).

Na Plástico Brasil deste ano, de 25 a 29 de março, no São Paulo Expo, os visitantes poderão conferir uma versão aprimorada do sistema. Numa parceria com as empresas Romi e Stäubli, a troca rápida de moldes no espaço SMED se dará de maneira totalmente automatizada, sem interação humana.

A injetora utilizada será a ROMI EN 170, equipada com um sistema de troca rápida de moldes composto por mesas troca-moldes, placas magnéticas e sistemas de multiacoplamentos rápidos. Todo o ciclo – carregamento, fixação e conexão dos moldes – é realizado ao vivo e em tempo real inferior a 5 minutos, sem necessidade de operador. A própria injetora informa para o sistema automatizado qual o molde necessário para o próximo lote e carrega a receita de programação.

Este inovador sistema de SMED está alinhado com o conceito da Indústria 4.0, que busca a total integração dos equipamentos e sistemas de gerenciamento de produção, reduções de custos, menores riscos de acidentes, redução de falhas no processo de setup e maior produtividade dos equipamentos.

Para Ricardo Braghittoni, gerente da divisão Conector da Stäubli no Brasil, a troca rápida de moldes automatizada garante flexibilidade, produtividade e eficiência para as empresas. “É um dos caminhos para ganhar produtividade no mundo globalizado”. O executivo destaca que a apresentação na Plástico Brasil vai mostrar os passos para os transformadores avançarem em direção a um processo mais moderno para suas plantas.

William dos Reis, diretor da Unidade de Máquinas para Plásticos da Romi, reafirma o foco da empresa em integrar processos e garantir produtividade no desenvolvimento de novas soluções. “Sendo um dos pilares da Indústria 4.0 a integração entre homem e máquina, nosso principal objetivo é oferecer máquinas com alta tecnologia que atendam à nova geração da indústria e sejam referência no mercado plástico” conta o executivo.

Em seus respectivos estandes, Romi e Stäubli manterão equipes de atendimento para tirar dúvidas dos visitantes e desenvolver soluções customizadas de troca rápida de moldes automatizada.

A Indústrias Romi S.A., fundada em 1930, é líder na indústria brasileira de máquinas e equipamentos industriais. A Companhia fabrica máquinas-ferramenta, com foco em tornos, tornos CNC, centros de torneamento e centros de usinagem; máquinas injetoras e sopradoras de termoplásticos; e peças fundidas em ferro cinzento e nodular, que podem ser fornecidas brutas ou usinadas. Os produtos e serviços da Companhia são vendidos mundialmente e utilizados por uma grande variedade de indústrias, tais como automotiva, de bens de consumo, máquinas em geral, equipamentos industriais e agrícolas.

A Stäubli é uma provedora de soluções mecatrônicas com três divisões dedicadas: têxtil, conectores e robótica. Emprega mais de 5.000 pessoas e no ano passado alcançou um volume de negócios de 1,25 bilhão de francos suíços. Fundada em 1892 como uma pequena empresa de Horgen, perto de Zurique, a Stäubli é hoje uma empresa multinacional com sede em Pfäffikon, na Suíça. Seus doze locais de produção industrial estão localizados em todos os continentes. Diversas subsidiárias de vendas e serviços dão a sua presença em 29 países, e tem representação em mais de 50 outros.

Sobre a Plástico Brasil

Uma iniciativa da ABIMAQ – Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos e ABIQUIM – Associação Brasileira da Indústria Química e Informa Exhibitions, a feira vai reunir mais de 800 marcas nacionais e internacionais, que representam os setores de máquinas, equipamentos e acessórios, matérias-primas e resinas, moldes e porta moldes, automação industrial e robótica, periféricos, entre outros produtos, serviços e soluções.

Parte significativa das marcas expositoras é representada por 13 países: Alemanha, Argentina, Áustria, China, Estados Unidos, Hungria, Índia, Itália, México, Portugal, Taiwan, Turquia e Suíça, sendo que quatro deles – Alemanha, Áustria, China e Itália – participam com grupos de empresas reunidas em seus respectivos pavilhões. Mais de 60 entidades representativas nacionais e internacionais já garantiram seu apoio ao evento.

São esperados mais de 45 mil visitantes, entre transformadores de plástico, compradores e demais profissionais da construção civil, alimentos e bebidas, embalagens, automóveis e autopeças, perfumaria, higiene e limpeza, farmacêuticos, entre outros.

A feira vai oferecer uma programação técnica com cerca de 80 horas de seminários, palestras e workshops, a maioria deles gratuita, como o Parque de Ideias, VDI Road Show, 1º Abinfer Business Center – ABC 2019, PETtalk 2019, SEBRAE Móvel, SENAI – Escola Móvel de Indústria 4.0 e o SMED (Single Minute Exchange of Die), demonstração de troca rápida de moldes.

Ao lado dos negócios, conhecimento e relacionamento, a Sustentabilidade é um dos pilares da Plástico Brasil 2019. A feira vai destacar uma série de ações que visam não só colaborar com a preservação do meio ambiente, mas também inspirar os fornecedores, transformadores e demais visitantes profissionais a replicarem tecnologias ambientalmente corretas em seus negócios.

O credenciamento é gratuito e já pode ser feito no site da feira: https://www.plasticobrasil.com.br/pt/credenciamento.html.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Plástico Brasil 2019

Curta nossa página no

Wortex apresenta nova geração de soluções para reciclagem na Plástico Brasil 2019

20/03/2019

Fabricante de máquinas irá mostrar linhas de alta flexibilidade e produtividade para o processamento de resíduos plásticos. Demonstrações, vídeos e participação da Amut vão movimentar o estande da empresa

A Wortex Máquinas, fabricante de equipamentos para a indústria plástica, destacará na Plástico Brasil 2019 suas soluções  para reciclagem. No estande da empresa (E-080) o visitante poderá conferir in loco novidades como a Linha Challenger Recycler Geração II, agora aprimorada, e a Linha Challenger Recycler Conical 55mm (vídeo acima), de dimensões compactas e que estará em operação durante o evento. A Plástico Brasil 2019 – Feira Internacional do Plástico e da Borracha acontece entre os dias 25 e 29 de março, no São Paulo Expo.

Segundo o fabricante, a Linha Challenger Recycler Geração II se destaca pela flexibilidade. Além da capacidade de processar materiais flexíveis ou rígidos isoladamente, a máquina permite o trabalho com até 20% de rígidos agregados a flexíveis (filmes lisos, impressos, metalizados e multicamadas, entre outros), afirma a empresa. É possível reciclar variados tipos de termoplásticos, entre eles polietileno, polipropileno, poliestireno, policarbonato e ABS. A produtividade é de até 750 quilos por hora, informa a Wortex.

A Linha Challenger Recycler Geração II recebeu uma série de aprimoramentos mecânicos e eletrônicos. De acordo com a empresa de Campinas, as melhorias compreendem, por exemplo, avanços na degasagem de materiais altamente impressos. Além disso, um sistema opcional de dupla filtragem viabiliza o processamento de materiais com níveis maiores de contaminação. “A deterioração no processo de extrusão é o mínimo possível e o sistema de granulação garante maior rendimento e homogeneidade na produção”, ressalta Paolo De Filippis, diretor geral da Wortex Máquinas. “Desse modo, o resultado é material reciclado de altíssima qualidade obtido ao menor custo de produção do mercado”, assegura.

Por sua vez, a Linha Challenger Recycler Conical 55mm, compacta (moinho e máquina ocupam 27 m2), proporciona uma solução ideal para reciclagem ao pé da máquina (aparas industriais limpas) de filmes lisos de polietileno e polipropileno, afirma a Wortex. A capacidade de produção é de 90 quilos/hora, no trabalho com polietileno, e de 60 quilos/hora, no trabalho com polipropileno. “O equipamento oferece baixíssimo consumo de energia aliado a processamento veloz e de alta qualidade”, afirma De Filippis. Um exemplar do equipamento estará em funcionamento no estande da Wortex Máquinas durante todo o período da feira.

Além das variadas linhas de granulação/reciclagem, capazes de produzir até 2.500 quilos/hora,  a Wortex também divulgará extrusoras, sistemas de seleção/preparação, linhas de lavagem e a gama de roscas e cilindros para máquinas de injeção, sopro e extrusão em seu stand. Vídeos mostrarão equipamentos em operação e o funcionamento do complexo industrial da empresa, em Campinas (SP).

O espaço da Wortex contará ainda com a participação da parceira Amut, da Itália. O diretor geral da empresa, Mauro Drappo, estará na feira para falar de novidades como o “bottle-to-packaging” – um processo direto para a transformação de garrafas de PET pós-consumo em chapas para a termoformagem de embalagens aptas ao contato com alimentos (food grade). O executivo também poderá fornecer detalhes das linhas para filmes stretch, extrusoras de rosca dupla para PVC, linhas de mangueiras especiais, linhas de lavagem de PET para utilização em bottle-to-bottle e linhas completas de separação de resíduos sólidos urbanos (RSU) e resíduos de coleta seletiva, entre outras soluções.

A expectativa da Wortex é grande em relação à Plástico Brasil. De acordo com a organização da feira, a área de exposição será 20% maior que a da edição anterior, há dois anos atrás. Já foram confirmadas 84 novas empresas expositoras e o credenciamento registra, até agora, um aumento de 57%. “O mercado está se movimentando. O reaquecimento ajuda nosso setor, pois dá mais segurança a quem investe em produção e no conceito de economia circular”, comenta De Filippis.

Fundada em 1976, na cidade de Campinas (SP), a Wortex é uma empresa 100% nacional que possui uma história marcada pelo pioneirismo na indústria plástica, fabricando equipamentos para extrusão, reciclagem, acessórios, moinhos, roscas e cilindros. Mais informações: http://www.wortex.com.br

Serviço:

Plástico Brasil – Feira Internacional do Plástico e da Borracha
Data: 25 a 29 de março de 2019
Local: São Paulo Expo
Endereço: Rodovia dos Imigrantes, Km 1,5 – São Paulo
www.plasticobrasil.com.br

Fonte: Assessoria de Imprensa – Wortex

Curta nossa página no

Simperj e Firjan levam empresários à Feira Plástico Brasil 2019

20/03/2019

Com o objetivo de proporcionar às empresas do setor do plástico fluminense visitas às feiras de referência, onde os empresários têm a oportunidade de acessar novas tecnologias, realizar benchmarking, desenvolver parcerias e negócios, o Simperj (Sindicato da Indústria de Material Plástico do Estado do Rio de Janeiro) e a Firjan promovem a caravana para a Feira Plástico Brasil, de 25 a 29 março, em São Paulo. Este ano, o grupo contará com cerca de 30 empresas, além de especialistas setoriais da Federação das Indústrias do Rio.

“A participação em feiras é fundamental para o empresário. É momento para ele se atualizar sobre novas tecnologias e conhecer novos parceiros. A indústria 4.0 começou com a transformação do plástico, principalmente na Alemanha alguns anos atrás. Aqui no Brasil ainda estamos atrás dessa realidade e precisamos diminuir esse gap tecnológico”, destacou Marcelo Oazen, da Plastlab e vice-presidente do Simperj.

Protagonista da transformação da indústria no estado do Rio de Janeiro, a Firjan apoia institucionalmente a Plástico Brasil 2019. A federação considera que ações que promovam os setores industriais são capazes de gerar conexões que desenvolvam e fortaleçam a indústria, gerando riqueza e empregos para o estado. Nesse sentido, as caravanas às feiras setoriais são de extrema importância.

A Feira Plástico Brasil, Feira Internacional do Plástico e da Borracha, é uma iniciativa da Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (ABIMAQ), da Associação Brasileira da Indústria Química (ABIQUIM) e das principais entidades do setor. Ela apresenta os últimos avanços tecnológicos e as principais tendências globais dos segmentos que envolvem a cadeia produtiva do plástico.

Nste ano, serão apresentadas as últimas tecnologias e lançamentos para os transformadores de plástico e para indústrias da borracha, construção civil, alimentos e bebidas, automóveis e autopeças, perfumaria, higiene e limpeza, entre outros. Além disso, ocorrem seminários e palestras, entre elas a “Como implementar a indústria 4.0, conceito criado na Alemanha em 2011, na indústria de plásticos e borracha no Brasil?”. A fim de oferecer ferramentas estratégicas para essa resposta, duas das instituições alemãs mais renomadas no assunto, a VDI e a VDMA, promovem o Roadshow VDI: Boas práticas alemãs para a Indústria 4.0.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Firjan

Curta nossa página no

Dow e Boomera desenvolverão nova resina plástica feita com material reciclado

20/03/2019

  • Acordo é de cinco anos e investimento inicial será de R$ 400 mil
  • Especialistas das companhias trabalham para apresentar primeiro protótipo ainda este ano

A Dow e a Boomera, startup especializada em economia circular, estão colaborando para o desenvolvimento de uma nova resina plástica feita de material reciclado pós-consumo (PCR). As empresas esperam apresentar o primeiro protótipo da resina no final deste ano.

A Boomera atua em projetos de reciclagem com sua metodologia CircularPack®, através da qual usa sua expertise de tecnologia e design conectando parceiros para transformar materiais que iriam para o lixo em novos produtos. Dow e Boomera assinaram um memorando de entendimento de cinco anos e o investimento inicial é de R$ 400 mil.

“Reconhecemos que nenhum lixo, seja ele plástico ou não, deveria acabar na natureza. Inovações e o desenvolvimento de novos produtos e mercados para o material pós-consumo são essenciais para resolver a questão do desperdício plástico. Dow e Boomera estão dando um passo importante nessa direção”, ressalta Carolina Mantilla, diretora de Sustentabilidade do negócio de Plásticos da Dow para América Latina.

“A Boomera vem desenvolvendo soluções em PCR e logística reversa há mais de 7 anos no Brasil e sempre buscamos na tecnologia o apoio necessário para criar produtos que voltem para a sociedade com alta performance. A parceria com a Dow nos fortalece muito, com toda a experiência em aditivos dedicados à reciclagem e os especialistas dedicados a esta iniciativa”, destaca Guilherme Brammer, CEO da Boomera.

“Há uma forte demanda do mercado para as resinas plásticas recicladas pós-consumo e, com a solução que estamos criando com a Boomera, conseguiremos atender a indústria com uma tecnologia capaz de abordar os desafios de sustentabilidade das empresas”, reforça Carolina.

Os times de especialistas da Dow e da Boomera tem trabalhado em conjunto no Centro de Inovação da Dow, em Jundiaí (SP), usando fontes de plástico pós-consumo para o desenvolvimento desta nova resina.

Essa parceria é um exemplo das ações tomadas pela Dow para combater os resíduos plásticos no meio ambiente. Recentemente, a empresa também realizou:

  • Investimentos locais em infraestrutura de Pesquisa & Desenvolvimento: o mais recente investimento de P&D da Dow na região foi a aquisição de uma recicladora para o Centro de Inovação da empresa em Jundiaí (SP). O investimento total foi de mais de R$ 1 milhão e a máquina será parte integrante do desenvolvimento da resina pós-consumo, ajudando a melhorar os processos produtivos e a qualidade da resina.
  • Aliança para eliminar resíduos plásticos (Alliance to End Plastic Waste – AEPW): A Dow é uma das fundadoras da organização, comprometida a investir inicialmente US$1 bilhão – com o objetivo de aumentar este valor para US$1,5 bilhão em até 5 anos – para desenvolver e escalar soluções para ajudar a melhorar a gestão de resíduos plásticos e promover soluções pós-consumo. A Aliança possui atualmente 30 empresas e vai ajudar a promover uma transição para uma economia circular.
  • Investimento em pessoas e empresas que trabalham para soluções: em outubro, a Dow anunciou que se tornou investidora-fundadora do Circulate Capital, uma iniciativa de US$ 100 milhões para incubar e financiar empresas e infraestrutura que evitem o resíduos nos oceanos. A missão da Circulate Capital é viabilizar investimentos nos setores de gestão de resíduos e reciclagem para atrair o capital institucional adicional necessário para impulsionar iniciativas integradas em todo o sul e sudeste da Ásia.
  • Limpeza dos resíduos existentes: A recente iniciativa da Dow batizada de #PullingOurWeight teve início no primeiro semestre de 2018 e reuniu mais de 5.600 funcionários, famílias e parceiros da Dow que participaram de 55 ações de limpeza em todo o mundo, removendo cerca de 24 toneladas de lixo e resíduos de praias e hidrovias.
  • Inovação para reciclagem: O investimento em inovação é outra parte fundamental dos esforços da Dow para eliminar os resíduos plásticos no meio ambiente. A tecnologia RecycleReady da Dow permite o desenvolvimento de embalagens que podem ser recicladas. A empresa segue também focada nas tecnologias de materiais para embalagem multicamada.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Dow

Curta nossa página no

Sustentabilidade tem destaque na programação da Plástico Brasil 2019

19/03/2019

Uma das atrações voltadas para o tema é o Espaço Plastivida de Sustentabilidade, com palestras diárias e gratuitas ministradas por especialistas na questão ambiental, com foco no consumo responsável e na importância da coleta seletiva e reciclagem dos plásticos

Ao lado dos negócios, conhecimento e relacionamento, a Sustentabilidade é um dos pilares da Plástico Brasil 2019 – Feira Internacional da Plástico, de 25 a 29 de março, no São Paulo Expo. A edição deste ano quer inspirar seus expositores e visitantes profissionais a replicarem tecnologias ambientalmente corretas em seus negócios.

A feira oferece uma grande quantidade de fornecedores de máquinas voltadas para o processamento de resíduos plásticos reunidos na área de exposição, como Seibt, Wortex, Wefem Extrusores, Tria do Brasil, Kie Máquinas, Shini, Rone Moinhos, Rocla, Lindner, Erema Plastic Recycling Systems, Atema e Steinert.

Além disso, uma programação técnica com palestras selecionadas especialmente para o tema da Sustentabilidade poderá ser conferidas pelos visitantes.

O principal destaque é o Especial Plastivida de Sustentabilidade, que neste ano integra a programação do Parque de Ideias. Durante todos os dias da feira, especialistas na questão ambiental com foco no consumo responsável, coleta seletiva e reciclagem dos plásticos vão ministrar palestras gratuitas para os visitantes.

“Para a Plastivida, participar da Plástico Brasil com um ciclo de palestras é uma grande oportunidade para disseminar o conceito da economia circular aplicada aos plásticos, ressaltar os seus atributos e benefícios e destacar a importância do consumo responsável, da coleta seletiva e da reciclagem”, afirma Miguel Bahiense, presidente da Plastivida. E completa: “Será um espaço importante para apresentar as informações corretas sobre o plástico, desmistificar e esclarecer esta onda de informações equivocadas que acabaram viralizando e vilanizando os plásticos. Vamos falar sobre a nossa atuação na questão do lixo nos mares, reciclagem, Política Nacional de Resíduos Sólidos, entre outros temas”, completa.

Confira a programação (sujeita a alterações):

Dia 25, às 15h: Lixo nos mares e o setor plástico, por Alexandre Turra, Professor Doutor do Instituto Oceanográfico da USP.
Dia 26, às 12h: Reciclagem de EPS, por Vanessa Vilata, do Comitê de EPS Plastivida.
Dia 27, à 12h: Sustentabilidade da Indústria Plástica na Argentina: problemáticas locais e internacionais, por Verônica Ramos, diretora-executiva da Ecoplas.
Dia 28, às 12h: Panorama Legislativo, por Fernando Chaib, assessor Legislativo da Plastivida.
Dia 29, às 11h: Política Nacional de Resíduos Sólidos, por Silvia Piedrahita Rolim, assessora Técnica da Plastivida.

Além desta programação, a TriCiclos, empresa de engenharia de economia circular aplicada, abre a programação do Parque de Ideias, dia 25, ao meio dia, com a palestra “Demanda tecnológica para plásticos mais sustentáveis”, ministrada por Marilia Gabriela dos Santos, consultora de Sustentabilidade na TriCiclos. E no dia 27, às 13h, Fabiana Quiroga, diretora da área de Reciclagem e Plataforma Wecycle da Braskem, fala sobre Economia Circular Braskem.

Todas as palestras são gratuitas e realizadas num auditório integrado à área de exposição da Plástico Brasil. Não é preciso fazer inscrição prévia.

A Plastivida é o instituto socioambiental dos plásticos e atua de maneira colaborativa, por meio da educação ambiental, para disseminar informações científicas sobre os plásticos – suas propriedades, aplicações, reciclabilidade, além do uso responsável e descarte adequado – a fim de contribuir com o desenvolvimento social e ambiental. A entidade realiza diversas ações de educação ambiental. http://www.plastivida.org.br

Coleta seletiva

Desde a montagem até a desmontagem da Plástico Brasil, os resíduos gerados pelos expositores e visitantes serão coletados por catadores da Cooperativa Prioridade Ambiental, que farão a separação por tipo de material em caçambas. Estes resíduos serão posteriormente convertidos em renda à comunidade. Ao término da coleta, a cooperativa transportará os materiais para seu galpão, onde os cooperados darão destino ambientalmente correto aos resíduos recicláveis por meio da comercialização dos produtos, sendo a arrecadação financeira revertida aos próprios cooperados. Dependendo do volume, parte do material coletado poderá ser distribuído a outras entidades, com mesmo objetivo.

Sucesso da edição inaugural da Plástico Brasil, em 2017, a Muzzicycles está de volta para demonstrar sua inovadora tecnologia de bicicletas com quadro feito de plástico reciclado. Além dos benefícios ambientais, a bicicleta oferece uma série de vantagens: dispensa pintura, não enferruja, tem garantia vitalícia e amortecimento natural oferecido pelo plástico. Patenteada mundialmente, a Muzzicycles está presente no Uruguai, Argentina, Chile, Paraguai, Peru, Colômbia, Costa Rica, Estados Unidos, Holanda, França, Itália, Espanha, Portugal, Ucrânia, Áustria e Alemanha.

Plástico Brasil

Uma iniciativa da ABIMAQ – Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos e ABIQUIM – Associação Brasileira da Indústria Química e Informa Exhibitions, a feira vai reunir mais de 800 marcas nacionais e internacionais, que representam os setores de máquinas, equipamentos e acessórios, matérias-primas e resinas, moldes e porta moldes, automação industrial e robótica, periféricos, entre outros produtos, serviços e soluções.

Parte significativa das marcas expositoras é representada por 13 países: Alemanha, Argentina, Áustria, China, Estados Unidos, Hungria, Índia, Itália, México, Portugal, Taiwan, Turquia e Suíça, sendo que quatro deles – Alemanha, Áustria, China e Itália – participam com grupos de empresas reunidas em seus respectivos pavilhões. Mais de 60 entidades representativas nacionais e internacionais já garantiram seu apoio ao evento.

São esperados mais de 45 mil visitantes, entre transformadores de plástico, compradores e demais profissionais da construção civil, alimentos e bebidas, embalagens, automóveis e autopeças, perfumaria, higiene e limpeza, farmacêuticos, entre outros.

A feira vai oferecer uma programação técnica com cerca de 80 horas de seminários, palestras e workshops, a maioria deles gratuita, como o Parque de Ideias, VDI Road Show, 1º Abinfer Business Center – ABC 2019, PETtalk 2019, SEBRAE Móvel, SENAI – Escola Móvel de Indústria 4.0 e o SMED (Single Minute Exchange of Die).

O credenciamento é gratuito e já pode ser feito no site da feira: https://www.plasticobrasil.com.br/pt/credenciamento.html.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Plástico Brasil

Curta nossa página no

Stäubli leva para a Plástico Brasil 2019 seus engates, multiacoplamentos e robôs para a indústria de plásticos

17/03/2019

A Stäubli estará exibindo as suas principais soluções fornecidas para a Indústria do Plástico durante a Plástico Brasil 2019. O stand da Stäubli receberá duas divisões da empresa, Connectors e Robotics, cada uma exibindo produtos e soluções em funcionamento. Além disso, a empresa preparou, em parceria com a Romi, uma demonstração de troca rápida de moldes totalmente automatizada, exibição inaugural em solo sulamericano.

CONNECTORS (Engates e multiacoplamentos)

Será exibida uma linha de engates e placas de multiacoplamentos para conexão rápida das mais diversas energias utilizadas nos moldes: água e óleo para controle térmico, ar comprimido, óleo hidráulico, sinal e potência elétricos. Ainda será exibido um dos sistemas de fixação de moldes — versão magnética — totalmente operacional e disponível para demonstração de suas funcionalidades.

  • HTI

Atendendo às exigências da injeção de plástico, a Stãubli desenvolveu o HTI, um novo engate que suporta temperaturas de até 3000 C. A empresa assegura que os engates HTI atendem a todos os requisitos de segurança e possuem um sistema de travamento de dupla ação. Projetado para funcionar sem manutenção, o engate rápido não possui anel de vedação no circuito do fluido.

Aplicações: Controle de temperatura em uma variedade de setores, incluindo injeção de plástico, metalurgia (fundição injetada, ferro e aço), vidros, compósitos, injeção de alumínio e magnésio, entre outros.

  • MCI 209

A Stäubli afirma que os seus multi-acoplamentos MCI oferecem uma ampla gama de benefícios projetados para aumentar a eficiência e segurança. Segundo a empresa, as placas antirrespingos garantem a integridade dos fluidos e do ambiente durante as operações de conexão e desconexão. Uma variedade de configurações faz com que seja possível montar diretamente na ferramenta ou ao utilizar os suportes integrais do MCI. O MCI também apresenta a inovação da Stãubli de uma interface adicionada à placa que permite que os niples sejam desmontados sem desligar as mangueiras.

Aplicações: Conexão centralizada de circuitos de controle de temperatura do molde em injetoras.

 

  • Combitac

O sistema de multiacoplamento CombiTac permite que o operador conecte todos os circuitos de energia ao mesmo tempo, afirma a Stäubli. As soluções são configuradas de acordo com as especificações do operador, reunindo os módulos individuais específicos com base nas aplicações.

Aplicações: Conexão de processo e manutenção de equipamentos para todas as indústrias.

 

Outra atração que estará presente na feira será um molde real totalmente equipado com os principais produtos da Stäubli. Os visitantes poderão conhecer e manipular engates rápidos e placas multiacoplamentos para conexão rápida de água e óleo para controle térmico, ar comprimido, óleo hidráulico, sinal e potência elétricos.

ROBOTICS (Robôs)

A Stäubli apresentará uma célula robotizada com os modelos TX2-90 e o lançamento TS2 SCARA, desenvolvidos para aumento de produtividade.

  • TX2-90: Modelo de seis eixos para todas as características de automação

Segundo a Stäubli, com seu desempenho limpo e consistente, os robôs de seis eixos são mestres de todas as características de automação, incluindo a manufatura de alto volume, as aplicações da Indústria 4.0 e a colaboração entre humanos e robôs em todas as condições de produção imagináveis.

Os novos robôs são oferecidos em seis modelos de série e são capazes de manipular cargas entre 1,7 e 20 quilos com um alcance entre 515 e 1450 milímetros. O que realmente os separa dos demais são as características pioneiras de segurança, garante a empresa. Com o lançamento da série TX2 e do controlador CS9, a Stãubli Robotics iniciou um novo capítulo no cenário da colaboração homem-máquina. A empresa afirma que o seu robô de seis eixos possui um codificador de segurança digital dedicado para cada eixo e uma placa de segurança integrada. Todas as características de segurança cumprem requisitos rigorosos da principal categoria de segurança do setor, SIL3/PLe.

Para garantir máxima segurança, cada movimento do robô é monitorado por sensores. Além disso, todas as coordenadas do robô, bem como a sua velocidade e aceleração, são gravadas em tempo real, garante a empresa. Na sua série TX2, a Stãubli optou por módulos de 1/0 configuráveis e seguros, bem como sistemas field bus Ethernet em tempo real que garantem segurança e compatibilidade, assegura o fabricante.

  • TS2-60: A nova linha TS2 de quatro eixos da Stãubli está redefinindo os limites operacionais dos robôs Scara.

Segundo a empresa, a revisão completa da série de quatro eixos com tecnologia própria de acionamento JCS permite tempos de ciclo ultracurtos e incorpora um projeto pioneiro para compatibilidade de higiene, que se destina a expandir a gama de aplicações potenciais em ambientes sensíveis.

De acordo com o fabricante de robôs, os novos Scaras agora são de projeto modular e, pela primeira vez, apresentam a tecnologia própria de acionamento JCS da Stãubli, que já estabeleceu novos padrões em sistemas de seis eixos e é a chave para os ganhos de desempenho do TS2 de quatro eixos. O princípio do eixo oco permite um design exclusivo de cleanroom que elimina o cabeamento externo.

Para oferecer uma solução ideal para todas as aplicações, a nova família de robôs agora é composta por quatro modelos: o TS2-40 com uma faixa de 460 mm; o TS2-60 com uma faixa de 620 mm; o TS2-80 com uma faixa de 800 mm; e o novo TS2-100 com seu raio de trabalho de 1.000 milímetros. A carga útil de todas as quatro máquinas, conforme especificado pelo fabricante, é de 8,4 quilos.

Quando os novos Scaras são colocados ao lado de seus antecessores, evidencia-se o salto no desenvolvimento técnico desses braços robóticos. As novas máquinas são consideravelmente mais compactas e leves. O que isto significa em termos numéricos é ilustrado por uma comparação entre o bem estabelecido TS60 e o TS2-60: o novo Scaras pesa apenas 38 kg em comparação com os 55 kg do seu antecessor. Essa redução de peso de 35% é acompanhada por um ganho significativo de desempenho para a máquina, garante a Stäubli. Dados de desempenho adicionais fornecidos pela empresa para comparação: 30% a menos de espaço necessário, uma redução de 38% na altura e intervalos de manutenção 50% mais longos.

A Stäubli ressalta que essas melhorias para os novos robôs são evidentes à primeira vista. O que imediatamente se destaca é o design compacto e fechado com linhas de suprimento e mídia interna, ou seja, sem contornos irregulares ou fontes de falha mecânica e sem emissões de partículas desnecessárias. Invólucro completamente selado, eixo opcionalmente protegido com uma tampa e afixado com parafusos especiais, conexões ocultas sob o pedestal do robô (se assim for desejado), espaços mortos sistematicamente excluídos – são características que, segundo a Stäubli, configuram um design higiênico moderno.

A linha Stãubli de robôs para plásticos é, segundo a empresa, a primeira linha de robôs de seis eixos concebida especificamente para utilização na indústria de plásticos. Eles foram desenvolvidos após consulta detalhada e avaliação por empresas de injeção e integradores de sistemas.

Demonstração de troca rápida de moldes totalmente automatizada (SMED)

Customizar a produção, reduzir níveis de estoque, manter-se responsivo e competitivo – são alguns dos desafios enfrentados pela indústria do plástico atualmente. Está claro que o caminho mais sustentável é uma boa estratégia de diminuição do tempo de setup.

A Stãubli, em parceria com a feira Plástico Brasil 2019 e Romi, apresentam a nova versão do espaço “SMED — Single Minute Exchange of Die — Troca Rápida de Moldes”, presente desde a edição inaugural, em 2017. No SMED (metodologia que tem como objetivo a redução do tempo de setup para menos de 10 minutos) demonstrado neste ano e inédito na América Latina, os visitantes poderão assistir ao vivo uma máquina realizando a troca de moldes de maneira totalmente automatizada, sem interação humana.

A célula de injeção 14.0 com operação totalmente interativa, demonstrará muitas das mais recentes técnicas de conexão de moldes, além de soluções inovadoras em automação.

O estande da Stãubli na feira da Plastico Brasil 2019 no pavilhão de exposições São Paulo Expo estará situado na Rua H, estande no 80.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Stäubli

Curta nossa página no

Empresa alemã bielomatik apresentará tecnologia de solda de plásticos durante Plástico Brasil 2019

17/03/2019

A bielomatik estará presente com seus mais recentes sistemas de solda de plásticos numa das mais importantes feiras para processamento industrial de plásticos – a Plástico Brasil 2019 – Feira Internacional do Plástico e da Borracha, que ocorrerá de 25 a 29 de março, no São Paulo Expo (stand B213). A empresa aproveitará a oportunidade para apresentar seu vasto programa a um público especializado em São Paulo.

Tecnologia de plantas para os processos de soldagem relevantes

A bielomatik afirma ser a única empresa a disponibilizar a gama completa em processos de soldagem de plásticos. Com sua experiência ao longo de 70 anos em Projeto, Construção e Assistência de máquinas e plantas, o fabricante de máquinas de Neuffen, na Alemanha, é especialista em processos de solda de plásticos nos mais variados ramos e em soluções de automação para os processos da cadeia.

Solda com LasIR Turn2Weld

Segundo a bielomatik, com o seu novo processo de solda isento de partículas – através do aquecimento com radiação laser sem contato e possuindo grande resistência da solda – os seus clientes conseguem flexibilidade e variedade em trabalhos de solda de plásticos. O novo processo de solda a laser a 2 níveis trabalha com a tecnologia LasIR Turn2 Weld já comprovada na produção em série, garante a empresa. Combina as vantagens da tecnologia da soldagem a laser quase simultânea com a tecnologia da soldagem por infravermelhos a 2 níveis. As superfícies de junção são aquecidas e depois soldadas sob pressão, em processos de aquecimento e de junção em tempos diferentes, a uma velocidade de scan flexível. Dessa forma, assegura a bielomatik, deixa de ser importante se os plásticos são transparentes para o laser e já não é necessário um design de peças especial para a penetração dos raios, assim como os diferentes comportamentos de absorção. O novo processo permite liberdades de construção que até agora eram impossíveis, afirma a empresa, tornando-se simples adaptar alterações dos componentes e tolerâncias de peças. Componentes de construção ou geometrias especiais que antigamente não eram possíveis de se colocar em prática, assegura o fabricante, são agora factíveis com a tecnologia LasIR Turn2Weld.

Soluções personalizadas

Além de oferecer soluções personalizadas, máquinas e plantas para os processos de solda relevantes, a bielomatik também oferece soluções para questões relacionadas com automação e tarefas de processamento. Os especialistas desse fabricante do sul da Alemanha oferecem assessoria personalizada – começando no processo, passando pelas aplicações especiais e acompanhando o cliente desde a fase de planejamento até à construção das máquinas e plantas. A bielomatik também se posiciona de forma ágil em questões de assistência: o novo Remote Tool Connected Services aumenta a eficiência dos processos a par de uma elevada segurança de dados.

Step Up Team – concentrado em Neuffen

A empresa expandiu fortemente as suas capacidades para tecnologias de aplicação em processos na área dos plásticos. Os processos da empresa no ramo dos plásticos são constantemente otimizados através de inovações que respondem às exigências da tecnologia de fusão. A equipe de Step Up se ocupa com detalhes como a matéria-prima e a viabilidade de amostras simples de teste. A empresa também possui um laboratório de processos equipado, onde se podem testar princípios, realizar testes de soldagens, protótipos e comparar processos.

Fonte: bielomatik

Curta nossa página no

Plástico Brasil 2019: Sebrae Móvel oferece consultoria gratuita sobre gestão e empreendedorismo

17/03/2019

Escritório itinerante faz atendimento presencial durante a feira e auxilia interessados em abrir ou melhorar os resultados de um pequeno negócio

Dentro dos diversos serviços e soluções para seus visitantes, a Plástico Brasil 2019 – Feira Internacional do Plástico e da Borracha, de 25 a 29 de março, no São Paulo Expo, vai contar com uma unidade do SEBRAE Móvel, projeto inovador que funciona como um escritório sobre rodas.

A van customizada vai oferecer gratuitamente conteúdos sobre empreendedorismo e gestão a empresários e empreendedores presentes ao evento. O veículo é equipado com todos os instrumentos necessários para a realização de atendimentos presenciais feito por funcionários do SEBRAE-SP e oferece auxílio a todos os interessados em ter seu próprio negócio ou melhorar os resultados de negócios já existentes.

Os assuntos incluídos na prestação do serviço incluem plano de negócios, orientações sobre gestão, formalização de microempreendedor individual (MEI), entre outros.

O SEBRAE Móvel ficará localizado ao lado do Parque de Ideias, espaço da feira com foco no conhecimento, do qual participa com uma série de palestras apresentadas por especialistas:

  • Dia 25, às 16h: Estimule o empreendedor que existe em você, Empretec!
  • Dia 26, às 17h: Empreenda – Onde a teoria e a prática se encontram para melhorar o resultado da sua empresa ou novo negócio
  • Dia 27, às 17h: Como controlar as finanças da sua empresa
  • Dias 28 e 29, às 16h: Mercado 2.5
  • Dia 29, às 14h: Planejamento Estratégico: definindo o rumo do seu negócio

Sobre a Plástico Brasil

Uma iniciativa da ABIMAQ – Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos e ABIQUIM – Associação Brasileira da Indústria Química e Informa Exhibitions, a feira vai reunir mais de 600 marcas nacionais e internacionais, que representam os setores de máquinas, equipamentos e acessórios, matérias-primas e resinas, moldes e porta moldes, automação industrial e robótica, periféricos, entre outros produtos, serviços e soluções.

Parte significativa das marcas expositoras é representada por 13 países: Alemanha, Argentina, Áustria, China, Estados Unidos, Hungria, Índia, Itália, México, Portugal, Taiwan, Turquia e Suíça, sendo que quatro deles – Alemanha, Áustria, China e Itália – participam com grupos de empresas reunidas em seus respectivos pavilhões. Mais de 60 entidades representativas nacionais e internacionais garantiram seu apoio ao evento, afirma os organizadores.

São esperados mais de 45 mil visitantes, entre transformadores de plástico, compradores e demais profissionais da construção civil, alimentos e bebidas, embalagens, automóveis e autopeças, perfumaria, higiene e limpeza, farmacêuticos, entre outros.

A feira vai oferecer uma programação técnica com cerca de 80 horas de seminários, palestras e workshops, a maioria deles gratuita, como o Parque de Ideias, VDI Road Show, 1º Abinfer Business Center – ABC 2019, PETtalk 2019, SEBRAE Móvel e o SMED (Single Minute Exchange of Die), demonstração de troca rápida de moldes.

Ao lado dos negócios, conhecimento e relacionamento, a Sustentabilidade é um dos pilares da Plástico Brasil 2019. A feira vai destacar uma série de ações que visam não só colaborar com a preservação do meio ambiente, mas também inspirar os fornecedores, transformadores e demais visitantes profissionais a replicarem tecnologias ambientalmente corretas em seus negócios.

O credenciamento é gratuito e já pode ser feito no site da feira: https://www.plasticobrasil.com.br/pt/credenciamento.html

Fonte: Assessoria de Imprensa – Plástico Brasil 2019

Curta nossa página no

Feiplastic 2019 focaliza em inovações e competitividade do plástico

17/03/2019

Projeto Inova Plastic, iniciativa inédita na feira, terá como intuito mostrar o plástico como a principal matéria-prima para suprir o atual mercado de alta tecnologia e sustentabilidade

A Feiplastic (Feira Internacional do Plástico) contará com uma ação especialmente direcionada à discussão sobre as inovações e o uso do plástico em aplicações alinhadas às novas necessidades da sociedade, do mercado e sobre os seus impactos na natureza: o projeto Inova Plastic.

As inovações são responsáveis por orientar o desenvolvimento de toda a cadeia produtiva do plástico e têm o poder de torná-lo a principal matéria-prima para suprir o atual mercado de alta tecnologia, formado por consumidores mais exigentes e mercados que buscam modelos de negócios mais sustentáveis.

O projeto Inova Plastic é uma iniciativa inédita que contará com a colaboração direta dos expositores da Feiplastic 2019. As empresas e marcas foram convidadas para inscreverem projetos relacionados às suas áreas de atuação e que resultaram em inovações para o mercado, sendo divididos nas seguintes categorias:

  • Novas aplicações e produtos: A inovação que surge a partir da detecção de oportunidades de mercado.
  • Processos de inovação: Programas de inovação, estruturas organizacionais ou novas metodologias de gestão e criação de inovação que as empresas vêm aplicando.
  • Novas tecnologias: A inovação que surge dos esforços de pesquisa e desenvolvimento científico.
  • Novos modelos de negócio: A inovação que transcende a forma como a empresa faz negócios.
  • Sustentabilidade: Inovação por meio de produtos sustentáveis ou em processos de reciclagem, reuso, energia etc.

Os cases estão sendo avaliados por um comitê composto por profissionais com experiência em várias facetas de inovação. Os melhores projetos terão uma participação diferenciada no Inova Plastic, com apresentação aos visitantes em uma das seguintes modalidades: Showcase, Experiência ou Conteúdo. Além disso, o segmento já conta com um destaque especial, com uma comunicação multiplataforma, incluindo site, redes sociais, aplicativo e um canal exclusivo para divulgação de entrevistas realizadas durante a feira. Os resultados da avaliação dos cases serão divulgados pelo comitê no dia 11 de março.

“O projeto Inova Plastic vai possibilitar ao visitante da Feiplastic 2019 vivenciar o tema inovação de uma forma diferenciada, interativa e embasada em iniciativas colaborativas e em conteúdo, abordando várias vertentes da inovação para fomentar a competitividade da indústria do plástico”, ressaltou a gerente de Produto da Feiplastic, Patrícia Oliveira.

Além do acesso às informações sobre inovação e sustentabilidade na indústria do plástico, na Feiplastic 2019, os 56 mil visitantes contarão com uma agenda de atividades que possibilitarão a realização de novos negócios e a formação de network qualificado.

Sobre a Feiplastic: A primeira edição foi realizada em 1987, como Brasilplast, e a partir de 2013 se internacionalizou como Feiplastic. A Feiplastic sempre teve como missão disseminar conteúdo e atualizar seu público com as principais tecnologias e inovações da indústria do plástico. A feira representa toda a cadeia produtiva do plástico, com players desde a matéria-prima e máquinas até reciclagem, proporcionando aos seus visitantes e expositores um ambiente favorável para geração de negócios e networking qualificado.

Serviço:

Evento: Feiplastic 2019 – Feira Internacional do Plástico
Data: 22 a 26 de abril de 2019
Horário: 11h as 20h (segunda à sexta-feira)
Local: Expo Center Norte
Endereço: Rua José Bernardo Pinto, 333 – Vila Guilherme
Credenciamento gratuito: https://www.Feiplastic.com.br/Credenciamento/

Fonte: Assessoria de Imprensa – Feiplastic

Curta nossa página no

Chinaplas 2019 promove série de eventos simultâneos à Feira em Guangzhou

17/03/2019

Principais eventos incluem  Economia Circular, Indústria 4.0, Design x Inovação, Plásticos Médicos e Conversa sobre Tecnologia

O ambiente operacional da maioria dos setores da indústria ficou cada vez mais complexo. É mais importante do que nunca que as empresas empreendedoras dominem a inovação tecnológica. A Chinaplas, a principal feira de plásticos e borracha da Ásia, oferece uma plataforma internacional para o lançamento e troca de novas tecnologias avançadas. A feira não apenas terá mais de 3.500 expositores, mas também organizará uma série de interessantes eventos simultâneos para atender às necessidades desses setores.

Conferência e exposição sobre reciclagem de plásticos e economia circular

Fomentar a economia circular é um consenso global para se alcançar o desenvolvimento sustentável. Grande potencial e oportunidades de mercado abundantes surgem com ela. Diversas grandes marcas anunciaram políticas de proteção ambiental e reciclagem. Em 2017, a Adidas vendeu um milhão de pares de tênis de corrida produzidos a partir de resíduos de plásticos coletados dos oceanos. Como os plásticos podem contribuir para o desenvolvimento sustentável? Com a atenção em problemas do setor industrial, uma conferência intitulada “Plastics Recycling & Circular Economy Conference and Showcase” será realizada com os temas “Ciência dos materiais para a sustentabilidade”, “Tecnologia de reciclagem” e “Embalagem ambiental”.

A fábrica do futuro – Indústria 4.0

Os profissionais da indústria podem visitar a “Industry 4.0 Factory of the Future” na Chinaplas 2019. Haverá duas áreas temáticas, “Sala de controle de inteligência de fabricação” e “Fábrica inteligente”, onde serão demonstradas soluções inteligentes implementáveis. A sala de controle exibirá dados operacionais gravados nas máquinas no local e em uma fábrica remota inteligente, enquanto que a “Fábrica inteligente” simulará o futuro ambiente de fabricação.

Design x Inovação

Reconhecendo o papel fundamental do design no desenvolvimento de produtos, a Chinaplas 2019 organizará o evento “Design x Innovation”, que consiste de três partes.
1. Paredes de inspiração CMF (“Color, Material, Finish”) exibirão recursos ricos em Cor, Material e Acabamento
2. Fórum de Design compartilhará a experiência do produto que abrange o design reciclável e sustentável, design de baixo carbono e aplicações CMF.
3. Noite dos Designers da Chinaplas.

Conversa sobre tecnologia

Por meio de fóruns abertos, a conferência “Tech Talk” mostrará as tecnologias dos produtos mais interessantes e se concentrará claramente em soluções inovadoras. O evento Tech Talk incluirá onze temas principais, incluindo veículos elétricos, elastômeros termoplásticos automotivos, impressão 3D, bioplásticos, compósitos, aplicações antimicrobianas, “in-mold labelling”, extrusão de precisão, soluções “verdes” de construção, plásticos para eletrônicos vestíveis (wearables), moldagem por injeção de fibra longa e outros temas.

Conexão Plásticos Médicos

O “Medical Plastics Connect” promove ativamente matérias-primas e equipamentos químicos de qualidade médica para criar uma plataforma de comunicação eficiente para fabricantes de dispositivos médicos, consumíveis e embalagens farmacêuticas. Estas atividades têm como objetivo identificar, para compradores potenciais, as tecnologias exclusivas de plásticos médicos entre as muitas exposições ativas neste setor. As atividades do evento “Medical Plastics Connect” incluem o “Fórum Aberto”, o “Quiosque Pop-up”, o “Guia de Plásticos Médicos” e a “Visita Guiada de Plásticos Médicos”.

Chinaplas, a principal feira de plásticos e borracha da Ásia, será realizada em Guangzhou, República Popular da China, de 21 a 24 de maio de 2019. Um total estimado de mais de 3.500 expositores do mundo inteiro estará se apresentando para mais de 180.000 visitantes profissionais de 150 países e regiões. Para mais informações e pré-inscrições, clique aqui.

Fonte: Chinaplas 2019

Curta nossa página no

Máquinas injetoras e equipamentos auxiliares são destaque na Plástico Brasil 2019

17/03/2019

  • Feira acontece entre 25 e 29 de março, das 10h às 19h, no São Paulo Expo Exhibition & Convention Center
  • Tecnologia mais amplamente usada na transformação do plástico, a injeção está presente em diferentes indústrias, entre as quais a automotiva, de brinquedos, móveis, elétricas e várias outras.

Durante a Plástico Brasil 2019 – Feira Internacional do Plástico e da Borracha, de 25 a 29 de março, no São Paulo Expo, este segmento da indústria de plásticos se destacará pela forte presença de fabricantes de máquinas e equipamentos. Entre eles, algumas das principais marcas nacionais e internacionais, como: Romi, Arburg (foto), Engel, Wittman Battenfeld, Krauss Maffei, Sumitomo Shi Demag, Jon Wai, Simco (Log Machine), Unic Brasil, Pavan Zanetti, BMB-Eurotech, Tsong Cherng, EMTSA, Eurostec (Bole), Wintec, Biasa (FCS), Ar&D e outras.

A Romi, por exemplo, apresentará na feira a linha de injetoras ROMI EN 220. Segundo a empresa, o seu sistema Stop and Go se destaca por proporcionar mais velocidade, alta precisão e baixo consumo de energia. Esses equipamentos possuem versões para injeção em PVC, pré-formas PET, além de multimateriais e multicores.

A empresa vai divulgar também a injetora híbrida ROMI ES 300, desenvolvida para a produção de peças exigentes de alta razão de injeção, máxima precisão e ciclos ultrarrápidos, com baixo consumo de energia, assegura a Romi. A máquina ainda conta com movimentos simultâneos, com acionamentos por servo-motores, injeção por acumulação e servo-válvula.

Equipamentos Auxiliares

O segmento de equipamentos auxiliares que trabalham em conjunto com os processos de injeção do plástico (periféricos, robôs e demais equipamentos) também estará representado na Plástico Brasil 2019, por meio das empresas Sepro, Piovan, Moretto, Dal Maschio, Star Seiki, Shini, Motan, Conair, Doteco, Rax, Mecalor, Frigel, Refrisat, Industrial Frigo, MH Equipamentos, Albag, Staubli, Plastic Systems, Eisbär, Technoservice (Brabender), HDB (Farragtech, GWK, Liad, Promix, Rico), Techfine (Kreyenborg), Hercx, Maguire, Magbo, Dyna Purge, Graxa Lube, Mo.Di.Tec, Harmo, MB Conveyors e Plastic Systems.

Atenta às tendências do mercado, a HDB lançará na feira uma linha de injetoras-sopradoras (injection-blow). Segundo a empresa, a Exacta é ideal para a produção de frascos em HDPE, PP, HDPE, PS e acrílico a partir de 1 ml até 1 L. Ela fabrica também produtos farmacêuticos, para cosméticos, bebidas, recipientes diversos, entre outros. Seu processo requer 25% a menos de material, afirma a empresa.

A Refrisat levará para a feira a sua mais recente versão do Drycooler. Trata-se de uma torre de circuito fechado, com sistema de resfriamento de líquidos, que opera em conjunto com o ar do ambiente. Repaginado, o equipamento ganhou um conceito mais leve, sustentável e eficiente, garante o fabricante.

Pela primeira vez na Plástico Brasil, os climatizadores de precisão da Refrisat também terão destaque no stand da marca. De acordo com a empresa, eles são usados em grande escala em datacenters de grandes fábricas, onde o controle da temperatura é essencial. Para completar, a empresa levará toda sua linha de Chillers, unidades de água gelada, termorreguladores, unidades de ar seco e desumidificadores de moldes.

Outra participante no segmento de equipamentos auxiliares é a MH Equipamentos. Na ocasião, a empresa lançará o misturador MH-200, cujo container é em aço inoxidável, adequado para a mistura a frio de polímeros e pré-mistura de todos os tipos de materiais.

Já a Rax destacará em seu estande a sua linha de equipamentos para alimentação, dosagem e desumidificação. Entre as novidades, novos dosadores gravimétricos para até seis componentes.

Plástico Brasil

Uma iniciativa da ABIMAQ – Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos e ABIQUIM – Associação Brasileira da Indústria Química e Informa Exhibitions, a feira vai reunir mais de 800 marcas nacionais e internacionais, que representam os setores de máquinas, equipamentos e acessórios, matérias-primas e resinas, moldes e porta moldes, automação industrial e robótica, periféricos, entre outros produtos, serviços e soluções.

Parte significativa das marcas expositoras é representada por 13 países: Alemanha, Argentina, Áustria, China, Estados Unidos, Hungria, Índia, Itália, México, Portugal, Taiwan, Turquia e Suíça, sendo que quatro deles – Alemanha, Áustria, China e Itália – participam com grupos de empresas reunidas em seus respectivos pavilhões. Mais de 60 entidades representativas nacionais e internacionais já garantiram seu apoio ao evento.

São esperados mais de 45 mil visitantes, entre transformadores de plástico, compradores e demais profissionais das indústrias da borracha, construção civil, alimentos e bebidas, embalagens, automóveis e autopeças, perfumaria, higiene e limpeza, farmacêuticos, entre outros.

A feira vai oferecer uma programação técnica com cerca de 80 horas de seminários, palestras e workshops, a maioria deles gratuita, como o Parque de Ideias, VDI Road Show, 1º Abinfer Business Center – ABC 2019, PETtalk 2019 e a demonstração de um inovador sistema de SMED (Single Minute Exchange of Die) sem interação humana e inédito na América Latina.

Ao lado dos negócios, conhecimento e relacionamento, a Sustentabilidade é um dos pilares da Plástico Brasil 2019. A feira vai destacar uma série de ações que visa não só colaborar com a preservação do meio ambiente, mas também inspirar os fornecedores, transformadores e demais visitantes profissionais a replicarem tecnologias ambientalmente corretas em seus negócios.

O credenciamento é gratuito e já pode ser feito no site da feira: https://www.plasticobrasil.com.br/pt/credenciamento.html.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Plástico Brasil 2019

Curta nossa página no

 

Evonik adquire a startup americana Structured Polymers

17/03/2019

A Evonik adquiriu a Structured Polymers Inc., startup tecnológica americana para materiais de impressão 3D, sediada em Austin, Texas. O acordo e o plano de fusão correspondente foram executados e a operação foi concretizada recentemente. Com a aquisição, a Evonik ganha acesso a uma nova tecnologia patenteada que vai permitir a expansão de seu portfólio de pós poliméricos especiais no mercado de manufatura aditiva.

“A aquisição da tecnologia da Structured Polymers é um complemento excelente às nossas atividades existentes no segmento de polímeros de alto desempenho para a manufatura aditiva”, disse Dr. Ralph Marquardt, responsável por Strategy and Growth Businesses na Evonik Resource Efficiency GmbH. “Graças à nossa expertise de décadas em química de polímeros, essa operação nos permite expandir o nosso portfólio de materiais poliméricos customizados e prontos para uso para o mercado altamente atraente e de rápido crescimento da impressão 3D, o que fará com que possamos exercer um papel importante no desenvolvimento desse mercado”.

A Structured Polymers será plenamente integrada à organização norte-americana da Evonik, mas a sede da empresa será mantida em Austin, Texas.

“Estamos muito felizes por poder aproveitar o poder da Evonik para expandir ainda mais a nossa plataforma tecnológica inovadora. No futuro próximo, isso nos permitirá diversificar de maneira significativa o mercado de materiais para impressão 3D e trabalhar com os nossos clientes no desenvolvimento de novas oportunidades de negócios”, disse Vikram Devarajan, CEO da Structured Polymers Inc.

A Evonik já havia criado a base para uma aquisição da startup tecnológica no outono de 2017 por meio de um investimento de venture capital.

Nova tecnologia para materiais para impressão 3D

A tecnologia inovadora da Structured Polymers começa com um granulado polimérico que é convertido em um pó fino, através de um processo de diversas etapas. Desse modo, é possível produzir pós poliméricos com tamanhos controlados de partícula variando entre 0,1 e 400 µm, enquanto se obtêm excelentes propriedades de material.

“A nova tecnologia nos permite utilizar virtualmente todos os termoplásticos semicristalinos, como, por exemplo, polibutileno tereftalato, poliéter-cetona ou poliamida 6 ou pós poliméricos com propriedades especiais (como cor, condutividade ou proteção antichamas) para produção de pós para processos de impressão 3D comuns, tais como a sinterização seletiva a laser, sinterização de alta velocidade ou fusão multijatos”, disse Thomas Grosse-Puppendahl, responsável pela área Additive Manufacturing Innovation Growth Field na Evonik. “Além disso, nós esperamos que a tecnologia da Structured Polymers possa ser escalada de maneira fácil e econômica”.

O mercado de impressão 3D está em franca expansão e apresenta taxas de crescimento de dois dígitos. Nesse mercado, a Evonik é o maior fabricante mundial de pós de poliamida (PA) 12, produtos que são empregados em tecnologias de manufatura aditiva há mais de 20 anos. Além de seu filamento de PEEK e pó de PA 12, o portfólio de produtos da empresa também inclui os pós de PEBA flexíveis e uma variedade de aditivos tais como agentes de dispersão, melhoradores de fluxo e modificadores reativos.

A Structured Polymers Inc. foi fundada em 2012 em Austin, Texas, com o objetivo de inovar e comercializar novos pós poliméricos para processos de manufatura aditiva, incluindo a fusão multijato e a sinterização seletiva a laser. A equipe, chefiada por Dr. Vikram Devarajan, Dr. Jim Mikulak e Dr. Carl Deckard, juntamente com um time de engenheiros liderados por Dr. Abhimanyu Bhat, criou um processo escalável exclusivo para a comercialização de pós poliméricos de alto desempenho e está comprometido com a expansão da disponibilidade de materiais para o setor de impressão 3D.

Fonte: Assessoria de Imprensa -Evonik

Curta nossa página no

PETtalk, encontro da Indústria do PET, será realizado durante a Plástico Brasil 2019

15/03/2019

Principal encontro anual para o setor de embalagens PET acontece nos dias 27 e 28 de março como parte integrante da programação da Feira Internacional do Plástico e da Borracha

Realizado pela Abipet (Associação Brasileira da Indústria do PET), o PETtalk é o maior encontro do ano para o setor de embalagens PET. Durante os dias 27 e 28 de março, serão apresentadas e debatidas novas tecnologias, cenários e temas atuais desta indústria. Pela segunda vez, o evento integra a programação técnica da Plástico Brasil – Feira Internacional do Plástico e da Borracha, de 25 a 29 de março, no São Paulo Expo.

O PETtalk 2019 oferece uma série de palestras nacionais e internacionais com conteúdo para toda a cadeia industrial das embalagens de PET e abre espaço para o debate das soluções mais atuais na produção das embalagens fabricadas com o material. Tecnologias orientadas para o segmento, legislação para o setor de embalagens e as tendências que orientarão decisões também fazem parte da programação.

As empresas palestrantes do PETtalk 2019 são:

  • Fabricantes de Resinas: PQS e Indorama
  • Embalagens e transformação: Amcor (Produção de Preformas e embalagens), Globalpet (Reciclagem Bottle-to-Bottle)
  • Tecnologias: Gneuss (Sistemas de filtragem processamento de PET), Husky (Líder mundial em sistemas para produção de Preformas PET), Krones (Máquinas e linhas completas de enchimento e empacotamento para fábricas de alimentos e bebidas), Piovan (Sistemas periféricos para a indústria do plástico, alimentos e refrigeração industrial), Bühler (Sistemas de Separação para Flakes e Pellets plásticos)
  • Reciclagem: 3Rios (A empresa fará um comparativo entre a Reciclagem de PET para o Mercado Têxtil e o de Embalagens)
  • Consultoria e dados de mercado: PCI WoodMackenzie (Tema: O comportamento do mercado Internacional de resinas virgens e reciclagem), Euromonitor (focalizará as tendências dos diversos mercados de bens de consumo).

Para Auri Marçon, presidente da Abipet, a abrangência da programação, com envolvimento dos vários elos da cadeia, reflete não só o quadro de associados mas também a própria atuação da entidade. “Realizar o PETTalk dentro de uma feira do porte da Plástico Brasil é uma forma de mostrar para todo o setor nosso modelo de gestão integrada, em que cada elo participa, tem voz, é ouvido e dá sua contribuição. As soluções de inovação no mundo moderno surgem desta integração, onde ninguém sozinho tem todas as respostas”.

Completam estas apresentações um apanhado completo da Abipet sobre o mercado do PET no Brasil, atualizações sobre a legislação brasileira para o setor, em especial as novidades da Política Nacional de Resíduos Sólidos (Lei 12.305/2010), e o NetPETworking, o grande encontro anual dos profissionais do setor.

O PETtalk é voltado para diretores, CEOs, presidentes e representantes de áreas técnicas e comerciais – usuários e desenvolvedores de embalagens – além de pesquisadores e outros profissionais envolvidos direta e indiretamente com o mundo das embalagens.

O investimento é de R$ 750,00 e as inscrições se encerram no dia 22. Grupos e associados da Abipet contam com condições especiais. O formulário de inscrições e demais informações estão disponíveis no endereço https://bit.ly/2Hjot0K.

PETtalk 2019 – Conferência Internacional da Indústria do PET
São Paulo Expo (Rodovia dos Imigrantes, Km 1,5)
Dias 27 e 28 de março, durante a Plástico Brasil 2019 – Mezanino – Sala 204
Horários: das 8h às 17h (dia 27) e das 8h às 14h (dia 28).
Mais informações no site http://www.pettalk.org.br

Plástico Brasil

Uma iniciativa da ABIMAQ – Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos e ABIQUIM – Associação Brasileira da Indústria Química e Informa Exhibitions, a feira vai reunir mais de 800 marcas nacionais e internacionais, que representam os setores de máquinas, equipamentos e acessórios, matérias-primas e resinas, moldes e porta moldes, automação industrial e robótica, periféricos, entre outros produtos, serviços e soluções.

Parte significativa das marcas expositoras é representada por 13 países: Alemanha, Argentina, Áustria, China, Estados Unidos, Hungria, Índia, Itália, México, Portugal, Taiwan, Turquia e Suíça, sendo que quatro deles – Alemanha, Áustria, China e Itália – participam com grupos de empresas reunidas em seus respectivos pavilhões. Mais de 60 entidades representativas nacionais e internacionais apóiam ao evento.

São esperados mais de 45 mil visitantes, entre transformadores de plástico, compradores e demais profissionais da construção civil, alimentos e bebidas, embalagens, automóveis e autopeças, perfumaria, higiene e limpeza, farmacêuticos.

A feira vai oferecer uma programação técnica com cerca de 80 horas de seminários, palestras e workshops, a maioria deles gratuita, como o Parque de Ideias, VDI Road Show, 1º ABINFER BUSINESS CENTER – ABC 2019, PETtalk 2019, SEBRAE Móvel, SENAI – Escolar Móvel de Indústria 4.0 e o SMED (Single Minute Exchange of Die).

Ao lado dos negócios, conhecimento e relacionamento, a Sustentabilidade é um dos pilares da Plástico Brasil 2019. A feira vai destacar uma série de ações que visam não só colaborar com a preservação do meio ambiente, mas também inspirar os fornecedores, transformadores e demais visitantes profissionais a replicarem tecnologias ambientalmente corretas em seus negócios.

O credenciamento é gratuito e já pode ser feito no site da feira: https://www.plasticobrasil.com.br/pt/credenciamento.html.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Plástico Brasil 2019

Curta nossa página no

 

PICPlast divulga nova pesquisa sobre o perfil do transformador de plástico

15/03/2019

Interesse por capacitação em sustentabilidade cresce entre os players do mercado, que apontam fatores externos como o principal desafio para o crescimento do setor

A prioridade para os transformadores de plástico em 2019 é crescer. É o que aponta a nova pesquisa do Plano de Incentivo à Cadeia do Plástico, realizada em novembro de 2018. Dos 353 players ouvidos, 39,4% disseram que querem expandir seus negócios e fatores externos são os principais desafios neste sentido. A análise indica que, em 2017, 54,5% dos empresários entre responsabilizavam a gestão interna como aspecto determinante para o crescimento e apenas 23,7% sinalizavam o impacto de movimentações externas. Em 2018, ainda há um olhar atento para dentro das empresas (53,4%), porém os números mostram que questões extrínsecas, como concorrência e cenário político-econômico, preocupam muito mais, indicadas como responsáveis por dificultar o desenvolvimento das empresas de acordo com 82% dos participantes do estudo.

O estudo também mostrou que aumentou o interesse dos transformadores de plástico por capacitação com foco em sustentabilidade. O percentual de entrevistados que demonstraram interesse pelo tema dobrou de 2017 para 2018, atingindo 10%. A busca por desenvolvimento nas áreas de gestão e inovação continuam no topo do ranking de demandas em relação à capacitação, citados por quase 40% dos participantes da análise.

O foco de quem atua na cadeia, assim como ocorreu na pesquisa de 2017, se mantém: abrir novos mercados (55,2%) por meio de produtos (46,7%). O investimento em renovação tecnológica vem logo na sequência, surgindo como prioridade para 39,9% dos ouvidos no estudo, que contou com a participação de 3.613 players do mercado. Outro destaque é o interesse em participar de iniciativas voltadas à eficiência operacional. Ações que promovam a redução de perdas atraem 75,4% dos envolvidos com o setor enquanto 68,3% querem ter mais produtividade.

Desafios para o crescimento – Para 39,4% dos entrevistados a prioridade para os próximos 12 meses é crescer. Ao contrário da amostra do ano anterior, os números de 2018 mostram que fatores externos são as maiores preocupações da indústria de transformação. A análise indica que, em 2017, 53,4% dos entrevistados apontavam questões extrínsecas como responsáveis por dificultar o crescimento de suas empresas. Em 2018, este número saltou para 82%. Preço dos insumos (30,9%), concorrência (30,2%) e cenário político-econômico brasileiro (30,2%) são os principais pontos de atenção para este público.

De acordo com os dados da pesquisa, o perfil do transformador de plástico presente na amostra é masculino (79,3%), com mais de 35 anos (85,7%) e com escolaridade superior à graduação (83%). As empresas que esses transformadores conduzem são familiares em sua maioria (67,7%), possuem de 50 a 500 funcionários (65,3%) e estão localizadas em quase a metade no estado de São Paulo (48,4%).

A extrusão de filmes é o ramo mais citado entre os empresários participantes da pesquisa, com 39,1%, seguido por injeção (29,2%) e sopro (15,3%). Empresas que produzem embalagens ou tampas para o segmento de alimentos e bebidas estão entre as mais ouvidas pelos pesquisadores (28,3%). Também foram entrevistados transformadores que atuam na construção civil (11,3%), bobinas (11,3%), produtos para agronegócios (11,1%), peças para setor automotivo (9,4%) e embalagens para cosméticos (8,8%). Outros segmentos como fármacos, brinquedos e descartáveis aparecem com menor participação.

O Plano de Incentivo à Cadeia do Plástico (PICPlast) é uma iniciativa criada em 2013 pela Braskem e ABIPLAST, Associação Brasileira da Indústria do Plástico, que prevê o desenvolvimento de programas estruturais que contribuam com a competitividade e o crescimento da transformação plástica. Baseado em três pilares: aumento da competitividade e inovação do setor de transformação, estímulo às exportações de transformados plásticos e promoção das vantagens do plástico, o PICPlast também conta com investimentos voltados ao reforço na qualificação profissional e na gestão empresarial.

As frentes de trabalho são voltadas para reciclagem, estudos técnicos, educação e comunicação, com destaque para o Movimento Plástico Transforma. Para saber mais, acesse www.picplast.com.br e www.plasticotransforma.com.br.

Fonte: Assessoria de Imprensa – PICPlast

Curta nossa página no

Plástico Brasil 2019: Impressão 3D é um dos destaques da feira

13/03/2019

Uso desta tecnologia tem avançado no ambiente industrial, desde a execução de pequenas séries de peças plásticas e produção de ferramentas, até dispositivos auxiliares de fabricação

Entre os muitos segmentos industriais representados pela Plástico Brasil – Feira Internacional do Plástico e da Borracha, que ocorrerá de 25 a 29 de março, no São Paulo Expo, a feira reunirá empresas que atuam como fornecedoras de equipamentos ou insumos para os processos de manufatura aditiva, também conhecida como impressão 3D.

A prestação de serviços neste segmento também é fundamental, sendo que, em alguns casos, a mesma empresa fornece os equipamentos e oferece serviços, valendo-se da flexibilidade e da diversidade de oportunidades de negócio que esta crescente atividade oferece.

Os visitantes da Plástico Brasil poderão contar com importantes marcas do segmento de impressão 3D, como UP3D, Perfilpolimer, AE3D, Fastparts e SKA, que demonstrarão várias aplicações da tecnologia.

Embora não seja mais uma novidade, a manufatura aditiva se mostra cada vez aplicada e promissora, avançando não só na fabricação de componentes e bens para o uso imediato, mas também no ambiente industrial, onde é empregada na execução de pequenas séries de peças plásticas e produção de ferramentas até dispositivos auxiliares de fabricação.

Vários tipos diferentes de processo são agrupados na chamada tecnologia de Impressão 3D, entre os quais a sinterização seletiva a laser, estereolitografia, modelamento por deposição de material fundido, impressão por jato, sinterização direta a laser, fusão por feixe de elétrons e laminação de deposição seletiva. A impressão 3D vem encontrando aplicação também na confecção de dispositivos de auxilio á manufatura, inclusive, com o uso de filamentos transparentes e antiestáticos. Há também equipamentos que processam materiais dissimilares simultaneamente.

Plástico Brasil 2019

Uma iniciativa da ABIMAQ – Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos e ABIQUIM – Associação Brasileira da Indústria Química e Informa Exhibitions, a feira vai reunir mais de 600 marcas nacionais e internacionais, que representam os setores de máquinas, equipamentos e acessórios, matérias-primas e resinas, moldes e porta moldes, automação industrial e robótica, periféricos, entre outros produtos, serviços e soluções.

Parte significativa das marcas expositoras é representada por 13 países: Alemanha, Argentina, Áustria, China, Estados Unidos, Hungria, Índia, Itália, México, Portugal, Taiwan, Turquia e Suíça, sendo que quatro deles – Alemanha, Áustria, China e Itália – participam com grupos de empresas reunidas em seus respectivos pavilhões. Mais de 60 entidades representativas nacionais e internacionais já garantiram seu apoio ao evento.

São esperados mais de 45 mil visitantes, entre transformadores de plástico, compradores e demais profissionais da construção civil, alimentos e bebidas, embalagens, automóveis e autopeças, perfumaria, higiene e limpeza, farmacêuticos, entre outros, que vislumbram na Plástico Brasil a melhor oportunidade para se modernizar e competir num mercado em ascensão.

A feira vai oferecer uma programação técnica com cerca de 80 horas de seminários, palestras e workshops, a maioria deles gratuita, como o Parque de Ideias, VDI Road Show, 1º ABINFER BUSINESS CENTER – ABC 2019, PETtalk 2019, SEBRAE Móvel e o SMED (Single Minute Exchange of Die), demonstração de troca rápida de moldes sem qualquer interação humana, formato nunca apresentado em feiras setoriais na América Latina.

O credenciamento é gratuito e já pode ser feito no site da feira: https://www.plasticobrasil.com.br/pt/credenciamento.html

Fonte: Assessoria de Imprensa – Plástico Brasil 2019

Curta nossa página no

Indusbello lança grampo invisível para radiografia odontológica criado a partir de polímero especial da Solvay

13/03/2019

O polímero especial PSU (polisulfona) pode substituir outros materiais com vantagens de maior resistência mecânica, térmica e química, oferecendo flexibilidade no design e variedade de cores

A substituição de materiais na produção de equipamentos e dispositivos utilizados pela indústria de saúde já é uma realidade no Brasil. Vários polímeros especiais, com alto desempenho, além de apresentar propriedades mecânicas, térmicas e químicas diferenciadas, também são mais leves, oferecendo maior flexibilidade no design e tendo fácil fabricação, além de permitirem a diferenciação de produtos e marcas utilizando cores.

Um novo produto odontológico, exemplo de aplicação nessa área, está sendo lançado pela Indusbello Company, reconhecida produtora e fornecedora da área de saúde. Trata-se do grampo invisível, desenvolvido para minimizar as dificuldades no dia a dia do endodontista e facilitar as radiografias transoperatórias de tratamento de canal, possibilitando uma imagem total do dente. O produto foi elaborado a partir do polímero especial Udel® PSU (polisulfona) da Solvay Specialty Polymers.

Os grampos invisíveis da Indusbello são fabricados dentro de rigorosos padrões de qualidade, em material translúcido que não apresenta radio-opacidade. Por isso, além de manter o lençol de borracha em posição estável e promover o isolamento absoluto, ele permite a visualização da raiz do dente sem interferência na radiografia.

“Buscando sempre atender às demandas dos profissionais de odontologia e, com foco na inovação, decidimos introduzir em nossa produção a resina Udel® PSU, da Solvay, que oferece uma combinação superior de propriedades mecânicas, excelente resistência, e ao mesmo tempo é leve e com maior flexibilidade no design”, afirma Eduardo Rodrigues, Diretor de Logística da Indusbello Company.

Os grampos estão disponíveis em dois modelos, o GI-01 para molares inferiores e o GI-03 para pré-molares superiores e inferiores e, além de permitirem uma melhor visualização, não aparecendo nas radiografias, evitam o retrabalho, otimizam o tempo do dentista, são anatômicos e sem bordas cortantes, além de resistentes.

“Alguns dentes tem a inclinação para dentro da boca e, na radiografia feita com o grampo de isolamento convencional (grampo de metal), praticamente o dente inteiro fica encoberto, o que impede a visão de como está a câmara pulpar e as raízes.  Ao utilizar o grampo invisível, o dentista reduz o risco de não conseguir visualizar áreas importantes, sem contar que não haverá a necessidade de realizar uma nova radiografia, gerando economia”, explica Eduardo Rodrigues.

“O uso do Udel® PSU e outros polímeros de alta performance da Solvay vem crescendo continuamente em aplicações médico-hospitalares e odontológicas, principalmente na substituição de materiais tradicionais como metais, vidro e outros dispositivos de uso único ou reutilizáveis, e a escolha do Udel® pela Indusbello Company, com sua longa experiência neste mercado, sinaliza e reforça ainda mais esta tendência e a importância dos polímeros de alta performance”, diz Mônica Martins, Gerente do Mercado Healthcare para a América do Sul da Solvay Specialty Polymers.

Com um amplo portfólio de polímeros de alto desempenho, contemplando mais de 35 marcas em mais de 1.500 formulações, o Grupo Solvay está posicionado como um fornecedor estratégico no mercado global. Na área de saúde, esses polímeros são usados em ortopedia, instrumentos e dispositivos médicos, bandejas e caixas esterilizáveis, instrumentos dentários e cirúrgicos, dispositivos implantáveis, hemodiálise, entre outros.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Solvay

Curta nossa página no

Braskem lança nova resina da linha Maxio para produção de big bags

12/03/2019

A empresa firma que os clientes do segmento passaram a produzir até 30% a mais sem elevar o consumo energético

Na busca por soluções que gerem aumento da produtividade e redução de custos de clientes produtores de big bags (que são utilizados para embalar e transportar grãos, fertilizantes, minérios e produtos químicos), a Braskem desenvolveu a nova resina de polipropileno DP213A, novo grade da linha Maxio. Com sua aplicação, empresas do segmento elevaram sua produção em 30% sem aumentar o consumo de energia, afirma a Braskem.

A DP213A é uma resina com baixo índice de fluidez que contém aditivação anti-UV. A matéria-prima foi especialmente desenvolvida para atender ao elevado nível de exigência dos clientes em relação a propriedades mecânicas da fita de rafia e ainda garantir benefícios de aumento de produtividade da etapa de extrusão.

“Grande parte das inovações da Braskem partem do nosso interesse em atender às demandas de clientes e o desenvolvimento deste novo grade da linha Maxio é um bom exemplo disto. Identificamos uma concorrência acirrada no setor de ráfia, o que levava as empresas a disputar mercado com base em preços. Com a aplicação da resina que estamos lançando, eles conseguirão reduzir seus custos operacionais e os preços de seus big bags, aumentando sua capacidade produtiva e consumindo menos energia”, afirma Carolina Bulhões, líder da área de Engenharia de Aplicação da Braskem.

Caso de sucesso: Propex tem ganho de produtividade e redução de consumo energético

A Propex, indústria têxtil pioneira na fabricação de tecidos plastificados e destaque na produção de big bags, registrou um aumento de aproximadamente 20% em sua capacidade produtiva, afirma o fabricante. De acordo com o engenheiro da empresa, Patrick Camargo, buscava-se uma velocidade maior das máquinas extrusoras sem que os motores atingissem seus limites operacionais e a resina DP213A apresentada pela Braskem foi a melhor solução para isso.

“A busca contínua da Braskem por soluções que melhoram a eficiência dos clientes proporcionou um resultado ótimo para nós. Aumentamos nossa produção sem consumir mais energia, preservando nossas máquinas e mantendo a qualidade do nosso produto”, afirma o executivo.

Fonte: Braskem

Curta nossa página no

BASF registra discreto aumento nas vendas de 2018 e queda nos lucros devido a menor contribuição de Químicos

12/03/2019

  • Vendas de €62,7 bilhões (acréscimo de 2%)
  • EBIT de €6,4 bilhões (decréscimo de 17%)
  • Fluxo de caixa de atividades operacionais de €7,9 bilhões (decréscimo de 10%). Fluxo de caixa livre de €4 bilhões
  • Dividendo proposto de €3,20 para o exercício de 2018 (2017: €3,10)

Panorama para 2019:

  • Expectativa de discreto crescimento das vendas, em decorrência principalmente de grandes volumes de vendas e efeitos de portfólio
  • EBIT ligeiramente acima do previsto em 2018

A BASF registrou vendas de €62,7 bilhões no ano passado, representando um aumento de 2% em comparação ao ano anterior. Os resultados das atividades operacionais antes de juros e tributos (EBIT) apresentaram queda em relação a 2017, de €7,6 bilhões para €6,4 bilhões, decorrente, principalmente, do segmento de Químicos, que respondeu por aproximadamente dois terços da queda total de lucros. As margens de lucro do isocianato sofreram uma brusca queda no segundo semestre do ano. Além das margens de cracker terem sido menores do que o esperado em 2018, em todas as regiões.

No geral, 2018 foi um ano marcado por difíceis cenários econômicos e geopolíticos globais e conflitos comerciais. No segundo semestre do ano, a BASF sentiu uma retração econômica nos principais mercados, especialmente na indústria automotiva, o maior setor de clientes da empresa. A demanda de clientes chineses, em especial, diminuiu significativamente em decorrência do conflito comercial entre os Estados Unidos e a China. As incertezas aumentaram globalmente e, portanto, muitos participantes do mercado agiram com bastante cautela.

“Estamos lidando com estes desafios. Com a nossa nova estratégia corporativa, usaremos 2019 como um ano de transição para emergirmos ainda mais fortes. Neste ano, estamos adaptando nossas estruturas e processos, focalizando nossa organização expressamente nas necessidades de nossos clientes”, disse o presidente da Junta Diretiva da BASF, Dr. Martin Brudermüller, que apresentou os dados financeiros do exercício de 2018 juntamente com o Chief Financial Officer Dr. Hans-Ulrich Engel.

A BASF implementou aumento de preços em todos os segmentos e divisões em 2018. Houve um discreto aumento de volumes quando comparados ao ano anterior. Os maiores volumes foram registrados nos segmentos de Materiais e Soluções Funcionais e Soluções para Agricultura, que foram parcialmente compensados pelos baixos volumes nos segmentos de Produtos de Performance e Químicos. A principal razão primordial para os menores volumes no segmento de Produtos de Performance foi a parada da fábrica de citral em Ludwigshafen, que reiniciou a produção no segundo trimestre. Os volumes de vendas no segmento de Químicos sofreram influência negativa devido ao baixo nível de água do rio Reno. No geral, os efeitos cambiais apresentaram um decréscimo de 4%, enquanto que os efeitos de portfólio registraram acréscimo de 1%.

Os menores lucros nos segmentos de Materiais e Soluções Funcionais, Soluções para Agricultura e Produtos de Performance também contribuíram para o declínio no EBIT. No segmento de Soluções para Agricultura, os efeitos cambiais negativos em todas as regiões diminuíram os lucros. Além disso, houve uma forte contribuição negativa das empresas adquiridas da Bayer, cujo controle foi assumido pela BASF somente em agosto. Tal período levou a uma desvantagem devido à sazonalidade do negócio de sementes, que gera lucros predominantemente no primeiro semestre do ano, adicionado ao fato de que incorreram custos para integrar as atividades adquiridas.

Além disso, o longo período com baixo nível de água do rio Reno foi um desafio para a BASF. Na unidade de Ludwigshafen, durante grande parte do terceiro e do quarto trimestre, o recebimento de matérias-primas por via fluvial foi praticamente impossível. Consequentemente, a BASF foi forçada a reduzir as taxas de utilização da capacidade da planta em Ludwigshafen, fato que restringiu os ganhos de 2018 em cerca de €250 milhões.

Os itens extraordinários totalizaram €320 milhões, em função, principalmente, das aquisições dos novos negócios no segmento de Soluções para Agricultura. O resultado, comparado com 2017, teve decréscimo de € 58 milhões. O EBIT diminuiu em 20%, indo para €6 bilhões. Com 9,5 bilhões, o EBITDA antes de itens especiais ficou 12% abaixo do resultado do ano anterior. O EBITDA totalizou €9,2 bilhões, comparado a €10,8 bilhões em 2017.

O lucro por ação caiu de €6,62 para €5,12 em 2018. Ajustado pelos juros, impostos, depreciação e amortização de ativos intangíveis, o lucro por ação totalizou €5,87, apresentando queda de €0,57 em relação ao ano anterior.

Evolução dos lucros do Grupo BASF no quarto trimestre de 2018

As vendas do Grupo BASF aumentaram em 2% no quarto trimestre de 2018, totalizando €15,6 bilhões. Os segmentos de Produtos de Performance, Materiais e Soluções Funcionais e Soluções para Agricultura deram suporte para um possível aumento de 2% nos preços. Os volumes caíram em 3%, resultado principalmente do longo período de baixo nível de água do rio Reno que limitou drasticamente a entrega de matérias-primas essenciais para a unidade de Ludwigshafen, forçando, assim, a redução de sua capacidade de utilização. Os efeitos de portfólio totalizaram um acréscimo de 3% devido à aquisição do negócio da Bayer no segmento de Soluções para Agricultura.

O EBIT no quarto trimestre foi de €630 milhões, representando uma queda de 59% em relação ao ano anterior, devidos aos lucros significativamente menores nos segmentos de Químicos e Soluções para Agricultura. No segmento de Químicos, a principal razão da queda teve relação com as margens menores no negócio de isocianato e cracker. A evolução dos lucros no quarto trimestre no segmento de Soluções para Agricultura foi prejudicada por despesas relacionadas à aquisição. A BASF conseguiu melhorar os ganhos nos segmentos de Produtos de Performance e Materiais e Soluções Funcionais. Os gargalos no fornecimento, resultantes do baixo nível de água do rio Reno, impactaram negativamente os lucros em aproximadamente €200 milhões no período em questão.

Fluxos de Caixa do Grupo BASF no ano de 2018

Os fluxos de caixa das atividades operacionais caíram de €8,8 bilhões para €7,9 bilhões, principalmente devido à redução do lucro líquido. Em 2018, a mudança no capital de giro líquido reduziu os fluxos de caixa em €530 milhões, comparado com €1,2 bilhão de 2017. O montante utilizado nas atividades de investimento aumentou de €4 bilhões para €11,8 bilhões. Em 2018, os pagamentos líquidos para aquisições e desinvestimentos totalizaram €7,3 bilhões, principalmente relacionados à aquisição de negócios e ativos da Bayer. Os pagamentos feitos para o ativo imobilizado e intangível diminuíram em €102 milhões, indo para €3,9 bilhões. Com €4 bilhões, o fluxo de caixa livre voltou a ter força, porém com €744 milhões a menos que em 2017, devido à diminuição dos fluxos de caixa advindos das atividades operacionais.

Dividendo proposto de €3,20

“A BASF quer aumentar seu dividendo mesmo em tempos difíceis. Por isso, iremos propor à Assembleia Geral de Acionistas um dividendo de €3,20 por ação, €0,10 superior ao do ano anterior. A ação da BASF, portanto, oferece um rendimento de dividendos muito atraente, de 5,3%, com base no preço da ação no final de 2018”, comentou Brudermüller.

Implementação da estratégia da BASF

A BASF desenvolveu ainda mais sua estratégia, implementando-a sistematicamente por meio de inúmeras medidas. Como primeiro passo, desde 1º de janeiro, a BASF alterou a alocação organizacional de cerca de 14 mil colaboradores que anteriormente trabalhavam em unidades centrais. Esta transferência para as divisões de negócios foi muito suave.

“Todo o processo será concluído até o final do terceiro trimestre de 2019 e cerca de 20 mil colegas trabalharão mais próximos de nossos clientes, nos permitindo reconhecer melhor suas necessidades, desenvolver idéias e implementá-las mais rapidamente”, disse Brudermüller.

As alterações na organização afetam áreas como pesquisa e desenvolvimento, engenharia, cadeia de suprimentos, compras, recursos humanos, serviços de informação e meio ambiente, saúde e segurança. A BASF também modificou sua estrutura de relatório e agora conta com seis segmentos, ao invés de quatro: Químicos, Materiais, Soluções para Indústria, Tecnologias de Superfície, Nutrição & Cuidados e Soluções para Agricultura. “A mudança tornará nossa comunicação mais transparente e mais fácil de ser comparada com as dos nossos concorrentes”, disse o presidente da Junta Diretiva.

A BASF empreendeu inúmeras medidas para desenvolver ainda mais seu portfólio. Por exemplo, concluiu a transferência de seus negócios envolvendo químicos para papel e água para a Solenis. O negócio em conjunto, no qual a BASF tem uma participação de 49%, opera sob o nome Solenis desde 1º de fevereiro de 2019. Em 2017, registrou vendas proforma de cerca de €2,4 bilhões e contava com aproximadamente 5,2 mil colaboradores. Hoje, o negócio conjunto oferece um portfólio de produtos expandido para os clientes nos setores de papel e tratamento de água.

Em 18 de janeiro de 2019, a Comissão Europeia concedeu à BASF uma autorização condicional para aquisição do negócio de poliamida da Solvay. Para resolver as preocupações de concorrência da Comissão Europeia, a BASF deve transferir parte do escopo da transação original para um terceiro comprador, nomeadamente os ativos de produção e as capacidades de inovação dos negócios de poliamida da Solvay na Europa. Brudermüller comentou: “Com esta aquisição, a BASF ainda pode atingir seus objetivos estratégicos e fortalecer consideravelmente os negócios com a poliamida 6.6.”

A BASF e a LetterOne esperam agora as aprovações regulatórias necessárias para a fusão de seus respectivos negócios de petróleo e gás em uma joint venture. As duas empresas assinaram um acordo de fusão no final de setembro de 2018. A conclusão da transação está prevista para o primeiro semestre de 2019. As medidas preparatórias para a integração estão sendo realizadas de acordo com o planejado. A BASF espera que a oferta pública inicial (IPO) ocorra no segundo semestre de 2020.

Como parte de sua gestão ativa de portfólio, a BASF analisa continuamente se os negócios podem atender de uma maneira ainda melhor seu potencial em uma esfera de negócio diferente, por exemplo, uma joint venture ou fora da BASF. Neste contexto, a BASF anunciou em outubro de 2018 que está avaliando opções estratégicas, como a fusão com um parceiro forte ou um desinvestimento para seu negócio de químicos para construção. O presidente da Junta Diretiva da BASF comentou: “Nosso objetivo é chegar a um acordo com relação a uma transação durante o ano de 2019. Estamos atualmente preparando um processo estruturado”.

Investimentos em crescimento orgânico na Ásia

A China já é o principal mercado da Ásia e do mundo – tanto para a BASF quanto para toda a indústria química. A BASF quer crescer mais rápido do que o mercado químico global. “Portanto, precisamos participar do crescimento na China, o maior mercado mundial de produtos químicos”, disse Brudermüller. O presidente da Junta Diretiva nomeou vários projetos de investimento com os quais a BASF quer fortalecer ainda mais sua posição na Ásia e acelerar o crescimento orgânico.

No final de outubro de 2018, por exemplo, a BASF assinou um acordo com a SINOPEC para expandir sua parceria na unidade Verbund em Nanjing, China. A joint venture BASF-YPC investirá em uma participação de 50% na construção de mais um steam cracker com capacidade de 1 milhão de toneladas de etileno por ano. A SINOPEC Yangtzi Petrochemical investirá os outros 50%. Além disso, a BASF e a SINOPEC explorarão conjuntamente novas oportunidades de negócios no crescente mercado chinês de materiais para baterias.

A Índia é outro mercado onde a BASF quer investir. A empresa assinou recentemente um memorando de entendimento com a Adani para estudar uma grande aplicação conjunta na cadeia de valor de acrílicos. A unidade designada estaria localizada no porto de Mundra, no estado indiano de Gujarat. Este seria o maior investimento da BASF na Índia até hoje e sua primeira unidade de produção neutra em CO2.

Panorama para o ano de 2019

Neste ano, a expectativa é de que a economia mundial cresça 2,8%, consideravelmente um ritmo mais lento do que em 2018 (3,2%). Na União Europeia, a empresa prevê crescimento mais fraco na demanda doméstica e, também, na demanda de exportação. Por outro lado, a BASF supõe que os Estados Unidos apresentarão um crescimento sólido, embora o efeito estimulador da reforma tributária deva ser menos expressivo do que em 2018. O crescimento na China provavelmente continuará desacelerando, mas permanecerá alto em comparação com as economias avançadas. Por outro lado, há a expectativa de que a recuperação econômica no Brasil deve perseverar.

O panorama é baseado nas seguintes hipóteses econômicas adicionais para o ano de 2019:

  • Crescimento de 2,7% na produção global de químicos em 2019 (2018: +2,7%)
  • Preço médio do petróleo de US$70 por barril de Brent bruto
  • Taxa média de câmbio de U$$1,15 por euro

“Também esperamos que o crescimento nas indústrias de nossos clientes continue. Para o setor automotivo, prevemos uma ligeira recuperação após a menor produção que ocorreu no ano anterior”, disse Brudermüller. A perspectiva da BASF também leva em consideração que os conflitos comerciais entre os Estados Unidos e seus parceiros comerciais irão amenizar ao longo do ano, e que o Brexit ocorrerá sem grandes repercussões econômicas.

“Embora o ambiente seja desafiador e marcado por um alto nível de incerteza, pretendemos crescer de forma lucrativa. Esperamos um discreto aumento nas vendas, principalmente devido aos efeitos de portfólio. Queremos aumentar ligeiramente o EBIT. Além disso, prevemos que o retorno sobre o capital empregado (ROCE) seja um pouco maior do que o custo do percentual de capital, mas diminuirá um pouco em comparação ao patamar de 2018”, disse o presidente da Junta Diretiva da BASF.

Brudermüller enfatizou que os dois primeiros trimestres de 2019 serão relativamente fracos: “Em primeiro lugar, no primeiro semestre de 2018 ainda nos beneficiamos de margens elevadas dos isocianatos, o que aumenta a base de comparação. Em segundo lugar, os custos associados à implementação da nossa estratégia terão um impacto nos lucros, assim como um número maior de paradas programadas nas fábricas em relação ao ano anterior. Os fatores decisivos para alcançar nossas metas para 2019 são um melhor desempenho dos negócios, uma sólida demanda dos clientes, bem como as primeiras contribuições de nosso programa de excelência estratégica no segundo semestre do ano. As mudanças estruturais que iniciamos na BASF também resultarão em itens extraordinários negativos notavelmente mais altos em 2019.”

Fonte: BASF

Curta nossa página no

Covestro eleva dividendos após divugação do desempenho dos negócios em 2018

12/03/2019

  • Demanda crescente em um ambiente de mercado cada vez mais desafiador
  • Crescimento do volume principal mantido em 1,6%
  • Vendas totais sobem para 14,6 bi de euros
  • EBITDA cai para 3,2 bi de euros
  • Dividendos propostos de 2,40 de euros por ação
  • Cerca de 1,7 bi de euros devolvido aos acionistas por meio de recompra de ações e dividendos
  • Previsões para 2019 influenciadas por maior crescimento dos volumes e margens menores

A Covestro obteve fortes resultados em 2018, mesmo com desafios crescentes ao longo do ano. Os volumes principais subiram 1,6% e as vendas totais cresceram 3,4% para 14,6 bilhões de euros. Após um quarto trimestre mais fraco, a Covestro não pôde atingir o patamar de lucro do ano anterior, marcado por um ambiente comercial excepcionalmente positivo. Apesar da baixa dos preços de venda, aliada a margens em declínio no segundo semestre, a Covestro gerou um EBITDA de 3,2 bilhões de euros, 6,8% abaixo do ano recorde de 2017. A receita líquida atingiu 1,8 bilhão de euros (-9,3%). Com base nesse desempenho, a Covestro planeja elevar os dividendos em cerca de 9% para 2,40 euro por ação (ano anterior: 2,20 euro).

“A demanda por nossos materiais de alta tecnologia se mantém intacta. Esse é um forte alicerce para o nosso crescimento rentável no longo prazo, especialmente em um ambiente de mercado cada vez mais desafiador”, explica o CEO Dr. Markus Steilemann. “Lançamos iniciativas estratégicas importantes em 2018 para promover ativamente essa trajetória de crescimento. Elas incluem investimentos em segmentos comerciais específicos com potencial de demanda acima da média e foco reforçado em eficiência.”

Maior demanda e margens menores, ao mesmo tempo

Em um ano instável, a Covestro atingiu resultados sólidos também em números importantes em 2018. O fluxo de caixa operacional livre (FCO) caiu para 1,7 bilhão de euros devido a investimentos em alta. Com 29,5%, o retorno sobre o capital empregado (ROCE) ficou bem acima da média plurianual. A dívida financeira líquida manteve o nível baixo de 348 milhões de euros no final do ano fiscal de 2018.

“2018 foi um ano de sucesso para a Covestro, mesmo que, após um início forte, não tenhamos chegado perto do nosso ano recorde de 2017 no geral”, afirma o Dr. Thomas Toepfer, CFO da Covestro. “Os últimos dois anos foram marcados por margens atipicamente altas. Para 2019, esperamos que a demanda continue a crescer; no entanto, as margens cairão significativamente devido à pressão competitiva.”

Previsões influenciadas pela cenário competitivo

A Covestro antecipa um crescimento de meio dígito único no volume principal para 2019 como um todo. A expectativa é que o FCO fique entre 300 e 700 milhões de euros, enquanto a projeção para o ROCE é de 8% a 13%. Devido à elevada pressão competitiva, a Covestro espera registrar entre 1,5 e 2,0 bilhões de euros de EBITDA. No primeiro trimestre de 2019, antecipa-se cerca de 440 milhões de EBITDA.

Investimentos garantem crescimento no longo prazo

Em 2018, a Covestro deu passos estratégicos importantes para reforçar ainda mais a posição do Grupo perante a concorrência. Um elemento-chave são os investimentos a serem feitos em segmentos de crescimento rentável. O Grupo pretende construir uma nova planta de escala mundial para produzir o precursor de espuma rígida MDI em Baytown, Texas (EUA). Outro exemplo é a expansão das atividades produtivas da área de filmes especializados, que oferece altas margens, em quatro unidades no mundo. Simultaneamente, o objetivo é diversificar o portfólio do Grupo para garantir independência ainda maior de flutuações cíclicas. Hoje a Covestro gera mais de 50% das vendas do Grupo com negócios resilientes.

Foco reforçado em eficiência e eficácia

Por meio de um programa lançado em 2018, a Covestro aumentará seu foco na eficácia e na eficiência no futuro. Até no máximo 2021, estima-se que a economia de custos será da ordem de 350 milhões de euros por ano, com a meta de limitar o aumento dos custos operacionais. Esse objetivo será atingido principalmente com a intensificação de parcerias entre divisões e do uso de soluções digitais. Medidas iniciais serão implementadas nos próximos meses: será montado um departamento centralizado de marketing para consolidar as funções globais de marketing e comunicação dos segmentos.

Transformação digital ganha forma

Desde 2017, a empresa vem consolidando todas as atividades digitais no programa estratégico Digital@Covestro, com o objetivo de avançar na transformação digital do Grupo. Sucessos iniciais já se evidenciaram nos últimos meses, como a expansão de canais de vendas e marketing e o desenvolvimento de novas plataformas on-line de vendas. Desde 2018, uma equipe global de pesquisa e desenvolvimento está trabalhando para o desenvolvimento mais rápido e eficiente de aplicações, com o auxílio de sistemas informatizados de alto desempenho. Novas soluções de software para manutenção e reparo de equipamentos foram desenvolvidas na produção.

Recompra de ações concluída

Em 2018, a Covestro deu continuidade ao programa de recompra de ações iniciado no ano anterior. A companhia adquiriu ações em três etapas, totalizando mais de 9,8% do capital social e quase 1,5 bilhão de euros. Assim, considerando também os dividendos pagos, a Covestro ofereceu aos acionistas um retorno total de cerca de 1,7 bilhão de euros no último ano fiscal. Para a próxima Reunião Geral Anual, a diretoria planeja propor uma nova autorização para adquirir ações em tesouraria no montante de até 10% do capital social.

Crescimento de volume em todos os segmentos

O segmento de poliuretanos registrou desempenho estável nos volumes principais vendidos em 2018 com modesto crescimento de 0,8%. Em comparação com 2017, o EBITDA caiu 19,1% para 1.763 milhões de euros. Apesar da alta nos volumes totais e nos preços médios de venda que elevou os lucros no ano completo, essas elevações não foram capazes de compensar os efeitos negativos da concorrência cada vez mais intensa, especialmente no quarto trimestre de 2018. Além disso, houve efeitos positivos não recorrentes no ano fiscal de 2017, razão pela qual havia expectativa de queda do EBITDA em 2018.

Os volumes principais em policarbonatos subiram 3,0%. O EBITDA cresceu 21,5% para 1.036 milhões de euros. Uma tendência geral de margens positivas e aumento dos volumes totais elevou os lucros, assim como os recursos provenientes da venda do setor de chapas nos EUA. Ao longo do quarto trimestre de 2018, os lucros sofreram o impacto de um ambiente competitivo cada vez mais desafiador.

Os volumes principais no segmento Revestimentos, Adesivos e Especialidades subiram 2,5%. A alta nos preços de matérias-primas e os efeitos negativos do câmbio exerceram pressão sobre o EBITDA, que caiu 4,5% para 464 milhões de euros.

Concorrência intensificada e despesas excepcionais no quarto trimestre

No quarto trimestre de 2018, a Covestro atingiu um crescimento de volume de 1,7%. Ao mesmo tempo, o ambiente de mercado tornou-se significativamente mais desafiador. As vendas totais cederam 7,1%. Além da competição intensificada, efeitos não recorrentes como a alta dos custos de logística causadas pela baixa no nível do rio Reno e despesas relacionadas ao programa de eficiência em curso geraram impacto negativo. Como resultado, o EBITDA caiu 66,7% para 293 milhões de euros. A receita líquida caiu 86,0% para 79 milhões de euros (4º tri de 2017: 566 milhões de euros). Com 363 milhões de euros, o FCO ficou 44,6% abaixo do número do trimestre do ano anterior (655 milhões de euros).

A Covestro é uma das maiores empresas mundiais de polímeros, com atividades comerciais na produção de materiais de polímeros de alta tecnologia e no desenvolvimento de soluções inovadoras para produtos usados em segmentos como o automotivo, de construção, processamento de madeira e móveis e as indústrias elétrica e eletrônica. Outros setores incluem esportes e lazer, cosméticos, saúde e a própria indústria química. A Covestro tem cerca de 30 unidades produtivas no mundo todo e, no final de 2018, empregava aproximadamente 16,8 mil pessoas (em equivalência à jornada integral).

Fonte: Assessoria de Imprensa – Covestro

Curta nossa página no

Grupo Solvay divulga resultados de 2018

12/03/2019

  • Empresa registra crescimento orgânico do EBITDA de 5,3% em relação ao ano anterior
  • Faturamento global alcançou 10,3 bilhões de euros
  • Na América Latina, a empresa faturou 1,2 bilhão de euros

O Grupo Solvay alcançou um faturamento de 10,3 bilhões de euros em 2018, registrando 5,7% de crescimento em relação a 2017, quando comparado com o mesmo escopo de atividades e sem efeito cambial, segundo anúncio feito em 28/2 pela companhia.

O EBITDA ajustado (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) somou 2,23 bilhões de euros, com um aumento orgânico de 5,3% sobre 2017. A margem sobre o EBITDA em 2018 foi mantida em 22%, um índice altamente relevante para a indústria química em geral.

A empresa obteve em 2018 uma geração de caixa de 830 milhões de euros, uma expansão de 6,1% em relação a 2017. O lucro por ação ajustado de 10,57 euros aumentou 16% em relação ao ano anterior, principalmente devido à redução dos encargos financeiros.

Ao analisar os resultados de 2018, o CEO do Grupo Solvay, Jean-Pierre Clamadieu, disse que a empresa mais uma vez registrou um crescimento do EBITDA orgânico superior a 5%, graças ao crescimento em aplicações para mobilidade sustentável e eficiência de recursos.

Clamadieu disse que “esse desempenho e a transformação do Grupo nos levaram a superar todas as nossas metas financeiras e extrapatrimoniais de médio prazo estabelecidas em 2016. O lucro por ação cresceu anualmente em torno de 13% na média e o fluxo de caixa livre para os acionistas subiu no período de 148 milhões de euros para 725 milhões de euros”

Durante o anúncio dos resultados de 2018, Jean-Pierre Clamadieu se despediu do Grupo Solvay informando que seu mandato como CEO da empresa terminava na sexta-feira, 01 de março, e deu boas-vindas à nova CEO do Grupo, Ilham Kadri. “Ela iniciará um novo capítulo na extraordinária história da empresa, aproveitando o grande potencial de suas equipes e de seu portfólio, levando a Solvay a um novo patamar no setor industrial”, disse.

Crescem as vendas na América Latina

Na região da América Latina, o Grupo Solvay obteve um faturamento em 2018 da ordem de 1,2 bilhão de euros, cerca de 10% a mais do que em 2017. No Brasil, o faturamento do Grupo Solvay alcançou cerca de 840 milhões de euros. As exportações de produtos feitas a partir do Brasil somaram o total de US$ 215 milhões.

Segundo Daniela Manique, presidente do Grupo Solvay na América Latina, o bom desempenho deve ser creditado principalmente a uma atuação muito próxima dos clientes, ao lançamento de inovações e novas aplicações de produtos, além de programas de excelência operacional e de aumento de competitividade, mesmo em um cenário desafiador para o setor químico na região.

Os investimentos do Grupo Solvay na região estiveram em seu patamar histórico, em torno de 50 milhões de euros, que foram empregados principalmente em aumento de capacidade de produção em suas fábricas e desenvolvimento de novos produtos.

A empresa deve manter para 2019 o mesmo nível de investimentos, disse Daniela Manique, tendo em vista projetos que estão sendo realizados em suas unidades industriais. O Grupo Solvay atua na América Latina em diversas atividades do setor químico e de materiais avançados, contando com 13 unidades industriais (incluindo joint ventures) e escritórios comerciais em todos os países da região.

A Solvay é uma empresa de materiais avançados e de especialidades químicas cujos produtos e soluções são utilizados em aviões, automóveis, dispositivos inteligentes e instrumentos médicos, baterias, na extração de minerais e petróleo, entre muitas outras aplicações. A Solvay tem sede em Bruxelas e emprega 27.000 pessoas em 62 países. No Brasil, a Solvay também atua com a marca Rhodia.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Solvay

Curta nossa página no

Resultado anual da DSM mostra alta nas vendas globais

12/03/2019

A DSM, empresa global de origem holandesa com atividades nas áreas de saúde, nutrição e materiais, anunciou ao mercado o relatório com os seus resultados de 2018, quando as vendas globais atingiram € 9,267 bilhões, apresentando um forte crescimento orgânico de 6% quando comparado ao ano passado. A empresa também reportou um robusto crescimento do lucro antes de juros, impostos e depreciação/amortização (Ebitda ajustado), que cresceu 6% e alcançou € 1,822 bilhão, incluindo um efeito temporário de € 290 milhões devido a interrupções excepcionais de oferta no setor de nutrição nos primeiros nove meses de 2018. Por outra parte, o retorno sobre o capital empregado (ROCE) foi de 13,3% no ano, o que representa um incremento de 100bps a respeito do ano passado.

Para atender aos mercados onde atua, a DSM tem duas divisões de negócios principais: Nutrição e Materiais. Considerando o período de 2018, a divisão de Nutrição registrou vendas globais de € 6,137 bilhões (crescimento orgânico de 7%), com Ebitda ajustado de € 1,407 bilhão, e a de Materiais teve vendas de € 2,913 bilhões (crescimento orgânico de 5%), com Ebitda ajustado de € 512 milhões.

“Esse foi um ano positivo, no qual concluímos a nossa Estratégia 2016-2018 e superamos as nossas ambiciosas metas financeiras e de sustentabilidade”, comenta Feike Sijbesma, CEO global da DSM e presidente do Conselho de Administração.

O balanço anual da DSM considerou os resultados do quarto trimestre (4T18). Neste último período do ano passado, as vendas globais atingiram € 2,208 bilhões (crescimento orgânico de 1%), com Ebitda ajustado de € 370 milhões. A divisão de Nutrição registrou vendas de € 1,444 bilhão e Ebitda ajustado de € 270 milhões e a divisão de Materiais teve vendas de € 698 milhões e Ebitda ajustado de € 119 milhões.

Excelente desempenho na América Latina

Os resultados anuais registrados pela DSM na América Latina foram ainda mais significativos. Na região, onde a empresa está presente em 13 países e conta com 2,21 mil colaboradores (no mundo, são 20,97 mil funcionários), a DSM teve vendas regionais de € 1,08 bilhão, um valor que representa 12% das vendas globais da empresa.

Fonte: Assessoria de Imprensa – DSM

Curta nossa página no

Plástico Brasil 2019 apresentará variedade de tecnologias e equipamentos para reciclagem do plástico

07/03/2019

Feira oferece aos visitantes uma gama de fornecedores de máquinas voltadas para o processamento de resíduos plásticos de origem pós-consumo ou pós-industrial

Tema de grande interesse da indústria do plástico, a reciclagem ganha destaque na Plástico Brasil 2019 – Feira Internacional do Plástico e da Borracha, de 25 a 29 de março, no São Paulo Expo. De acordo com a Fundação Instituto de Administração (FIA/USP), atualmente a indústria recicla 25% do plástico, em especial as embalagens, o que comprova o enorme potencial desta atividade.

A programação do Parque de Ideias vai se engajar no tema. Além das palestras apresentadas no Especial Plastivida de Sustentabilidade, a TriCiclos, empresa de engenharia de economia circular aplicada, vai fazer a apresentação “Demanda Tecnológica para Plásticos Mais Sustentáveis”.

A área de exposição da feira, por sua vez, reflete o constante investimento em pesquisa e desenvolvimento feito pelos fornecedores de máquinas voltadas para o processamento de resíduos plásticos de origem pós-consumo ou pós-industrial.

Entre as grandes marcas que levam para a Plástico Brasil 2019 seus equipamentos e soluções voltados para operações primárias e secundárias, bem como para a separação do plástico, estão Seibt, Wortex, Wefem Extrusores, Tria do Brasil, Kie Máquinas, Shini, Rone Moinhos, Rocla, Lindner, Erema Plastic Recycling Systems, Erema Group, Atema e Steinert.

A Steinert destaca o separador Unisort Film, destinado à separação de filme plástico para reciclagem. O equipamento possui uma esteira de aceleração de alta velocidade que permite atingir 4,5 m/s, resultando em um rendimento de 50% a mais em relação aos sistemas convencionais, afirma a empresa.

Dois equipamentos desenvolvidos para trabalhar com plásticos e materiais escuros também serão apresentados pela marca aos visitantes da Plástico Brasil 2019. O primeiro é o Unisort Black, usado para a separação de plásticos escuros. Já o Unisort Blackeye faz a separação de plásticos na cor preta por tipo.

A Wortex Máquinas, fabricante de equipamentos para a indústria plástica, destacará na Plástico Brasil 2019 suas soluções de ponta para reciclagem. No estande da empresa, o visitante poderá conferir in loco novidades como a Linha Challenger Recycler Geração II, agora aprimorada, e a Linha Challenger Recycler Conical 55mm, de dimensões compactas e que estará em operação durante o evento.

Além das variadas linhas de granulação/reciclagem, capazes de produzir até 2.500 quilos/hora, a Wortex também divulgará em seu stand extrusoras, sistemas de seleção/preparação, linhas de lavagem e a gama de roscas e cilindros para máquinas de injeção, sopro e extrusão. Vídeos mostrarão equipamentos em operação e o funcionamento do complexo industrial da empresa, em Campinas (SP).

Comprometida com a importância da reciclagem para a indústria de plástico, a Wortex investe constantemente em pesquisa e desenvolvimento de novas soluções que tenham, principalmente, custo acessível a fim de viabilizar a reciclagem de diversos tipos de materiais. “São máquinas com elevado conteúdo tecnológico, que resultam em produtos confiáveis nas áreas de separação e materiais provenientes da coleta seletiva, sistemas de lavagem e extrusão, tais como sacos de lixo, sacos para embalagem de uma maneira geral, tubos de irrigação, madeira plástica, compostos de materiais de engenharia, entre outros”, ressalta Paolo De Filippis, diretor geral da empresa.

Sobre a Plástico Brasil:

Uma iniciativa da ABIMAQ – Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos e ABIQUIM – Associação Brasileira da Indústria Química e Informa Exhibitions, a feira vai reunir mais de 600 marcas nacionais e internacionais, que representam os setores de máquinas, equipamentos e acessórios, matérias-primas e resinas, moldes e porta moldes, automação industrial e robótica, periféricos, entre outros produtos, serviços e soluções.

Parte significativa das marcas expositoras é representada por 13 países: Alemanha, Argentina, Áustria, China, Estados Unidos, Hungria, Índia, Itália, México, Portugal, Taiwan, Turquia e Suíça, sendo que quatro deles – Alemanha, Áustria, China e Itália – participam com grupos de empresas reunidas em seus respectivos pavilhões.

São esperados mais de 45 mil visitantes, entre transformadores de plástico, compradores e demais profissionais da construção civil, alimentos e bebidas, embalagens, automóveis e autopeças, perfumaria, higiene e limpeza, farmacêuticos, entre outros, que vislumbram na Plástico Brasil a melhor oportunidade para se modernizar e competir num mercado em ascensão.

A feira vai oferecer uma programação técnica com cerca de 80 horas de seminários, palestras e workshops, a maioria deles gratuita, como o Parque de Ideias, VDI Road Show, 1º ABINFER BUSINESS CENTER – ABC 2019, PETtalk 2019, SEBRAE Móvel e o SMED (Single Minute Exchange of Die).

Ao lado dos negócios, conhecimento e relacionamento, a Sustentabilidade é um dos pilares da Plástico Brasil 2019. A feira vai destacar uma série de ações visando inspirar os fornecedores, transformadores e demais visitantes profissionais a replicarem tecnologias ambientalmente corretas em seus negócios.

O credenciamento é gratuito e já pode ser feito no site da feira: https://www.plasticobrasil.com.br/pt/credenciamento.html.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Plástico Brasil 2019

Curta nossa página no

Polimold traz novidades para a Plástico Brasil 2019

07/03/2019

Durante a Plástico Brasil 2019, a Polimold apresentará a renovação dos seus Sistemas de Câmara Quente Infinity, o novo Portal de Vendas Polimold e novidades para o mercado de Múltiplas Cavidades – moldes e sistemas projetados pela Polimold para otimizar a construção de moldes de tampas, disponíveis nas versões Tampas Simples, Com Lacre, Núcleo Rotativo e Flip Top batizado de Multiplic.

As novidades a serem exibidas duante a feira são:
– Sistemas de Câmara Quente Infinity de alta tecnologia, com diversas aplicações nos setores automotivo, embalagens, eletrodomésticos e eletrônicos, utilidades domesticas, farmacêutico entre outros.
– Soluções em injeção de tampas, sistemas de injeção e moldes projetados pela Polimold, cuidando desde a gestão do projeto até a entrega para tampas simples, com lacre, núcleo rotativo e flip top.
– Portal de Vendas Polimold, a nova plataforma de vendas da empresa.
– Porta Moldes Padronizados e suas várias formas de montagens e rápida entrega. No site da empresa há uma biblioteca 2D e 3D onde projetista pode fazer o download de diversos itens incluindo o Porta Molde de 2 ou 3 placas.

A tecnologia do Controlador de Temperatura Polimold Mini Smart e do sequenciador de injeção Timer Control serão apresentados no showroom, além da linha de Acessórios e Componentes, em especial Pinos e Molas.

Serviço:
Plástico Brasil 2019 – Parque de Exposições Imigrantes – São Paulo EXPO
De 25 a 29 de março – Das 10:00 as 19:00 h – Localização Polimold: D080

Sobre a Polimold: A Polimold fabrica Porta Moldes e Sistemas de Câmara Quente no Brasil e exporta suas tecnologias para diversos países da Europa, Ásia, América do Sul, Estados Unidos e México. A empresa possui ampla linha de produtos destinados à construção de ferramentas para injeção plástica e estamparia, como Sistemas de Câmara Quente, Porta Moldes, Controladores de Temperatura, Sequenciadores de Injeção, Pinos Extratores, Bases de Estampo, Acessórios para Moldes e Estampo e Molas.

Fonte: Polimold

Curta nossa página no

Evonik lança novo pó polimérico para aplicações de impressão 3D em faixas mais altas de temperatura

07/03/2019

A Evonik continua ampliando a sua participação no atraente mercado de impressão 3D. A empresa de especialidades químicas desenvolveu um novo pó polimérico, da linha de Poliamida 6, para aplicações em faixas mais altas de temperatura. O produto expande mais o portfólio da Evonik de materiais de alta performance para tecnologias de impressão 3D em pó.

Segundo a empresa, o seu novo pó de poliamida apresenta alta resistência mecânica, além de excelente resistência química e à temperatura. Sua temperatura de deflexão térmica (HDT B) é de cerca de 195ºC. Além disso, o material em pó se destaca por sua baixa absorção de água – abaixo de 3% -, que tem um efeito positivo sobre a processabilidade na impressão 3D e a estabilidade dimensional de componentes impressos em 3D, assegura a Evonik.

Materiais inovadores para produção em série

“Materiais novos, prontos para usar, que são adaptados de maneira otimizada à cada impressora e que ampliam a faixa de aplicação para temperaturas mais altas, levam a indústria da impressão 3D um passo à frente, rumo à produção em série”, diz Mark Zhao, fundador e CEO da TPM 3D, empresa tecnológica chinesa para sinterização seletiva por laser (SLS). “Estamos registrando uma forte demanda por soluções 3D em faixas mais altas de temperatura – por exemplo, nas indústrias automobilística e eletrônica. É por isso que ficamos satisfeitos em lançar o novo material estável à temperatura em conjunto com a Evonik”.

A Evonik afirma que o seu novo pó polimérico da linha de poliamida 6, com sua forma granular quase redonda, destaca-se por sua excelente fluidez e propriedades de aplicação, tornando-o adequado para todas as tecnologias de impressão 3D em pó. A empresa adota um procedimento exclusivo para produzir o material de alta temperatura em sua fábrica em Marl (Alemanha).

O mercado de impressão 3D está em alta, com taxas de crescimento de dois dígitos. A Evonik é líder na produção mundial de pós de poliamida 12 (PA 12), que tem sido utilizados na manufatura aditiva há mais de 20 anos. Além do filamento de PEEK e dos pós de PA 12, o portfólio de produtos da empresa inclui pós flexíveis de PEBA, além de uma linha completa de aditivos, como agentes de dispersão, melhoradores de fluxo ou modificadores reativos.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Evonik

Curta nossa página no

Feira Plastimagen México 2019 apresentará programa de conferências sobre temas de interesse para a indústria de plásticos

07/03/2019

  • Nesta edição, a Plastimagen® Mexico 2019 oferecerá aos participantes toda uma gama de itens e informações relacionadas com a economia circular – tema que terá impacto sobre a forma como se faz negócios na indústria de plásticos e irá beneficiar a economia verde.
  • A Plastimagen celebra 22 edições neste ano e posiciona-se como um dos eventos mais relevantes do setor na América Latina.
  • O setor de plástico é estratégico na estrutura industrial do México.
  • Representantes da ANIPAC, CANACAR, ANTP, Câmara dos Deputados, CONCAMÍN, CCE no programa da conferência.

A Plastimagen® MÉXICO 2019 (www.Plastimagen.com.mx), organizado pela Tarsus México, apresentará as tendências e novas tecnologias da indústria de plásticos em todo o mundo.

A nova edição da Plastimagen® Mexico 2019 apresentará 870 empresas representando mais de 1.600 marcas de mais de 27 países; 14 Pavilhões Internacionais e o Pavilhão da ANIPAC (Associação Nacional das Indústrias do Plástico no México). Os pavilhões internacionais são: Taiwan, Brasil, Áustria, Itália, Espanha, Canadá, Estados Unidos, Alemanha, China, Índia, Suíça, Portugal, Qatar e Turquia.

Com mais de 45.000 m2 de espaço de exposição, a Plastimagen® MÉXICO 2019 é a uma das feiras de plásticos mais completas e importantes nas Américas, sendo projetado para atender às necessidades de mais de 30.000 visitantes que buscam soluções inovadoras para seus negócios.

Programa de Conferências: Plastimagen® FORUM 2019

Na sua vigésima segunda edição, a Plastimagen® Mexico 2019, representa um fórum importante para a indústria de plásticos da América Latina para o intercâmbio de ideias, exibindo as mais recentes tecnologias em máquinas, matérias-primas, reciclagem e economia circular, expondo produtos e serviços destinados a cada vez mais indústrias.

O evento também contará com um programa de conferências internacionais organizadas conjuntamente pela Associação Nacional de Indústrias de Plásticos (ANIPAC) e Tarsus México, que irá oferecer aos visitantes uma excelente opção para encontrar soluções para os problemas que surgem ao longo da cadeia produtiva do plástico.

Entre as palestras mais destacadas, destacam-se a “Conferência Magistral sobre Economia Circular e o Acordo Global da Nova Economia do Plástico no México”, a cargo de Aldimir Torres, Presidente da ANIPAC; “Como enfrentar os desafios da segurança dos transportes e empresas” conferência que irão compartilhar José Refugio Munoz, vice-presidente de CANACAR, Victor Manuel Perez Diaz, presidente do Comité das Comunicações e Transportes da Câmara dos Deputados e Leonardo Gómez, Diretor Geral da ANTP; e  o painel: “Ambiente político e econômico no México – o que se seguirá depois de 120 dias com o novo governo?”, apresentado por Carlos Salazar Lomelín, presidente da CCE, Francisco Cervantes, presidente da CONCAMIN, Gabriel Casillas, presidente do Comité Nacional de Estudos Econômicos e Gustavo Almaraz, diretor executivo do Grupo Estrategia Política.

O México importa 20 bilhões de dólares em resinas e plásticos por ano e está entre os principais países exportadores de produtos, junto com os Estados Unidos e o Canadá. O uso crescente dos plásticos como matéria prima tem melhorado a competitividade de muitas empresas através da opção de substituição de peças fabricadas com outros materiais tradicionais pelo plástico, em indústrias tais como a automobilística, dispositivos médicos, construção, embalagens, setor agrícola e de eletrodomésticos, entre outros.

O México ocupa o décimo segundo lugar no consumo de plásticos, ” por isso temos de aproveitar esta oportunidade para participar de eventos como Plastimagen® FORUM 2019, que é um fórum empresarial internacional importante na indústria de plásticos na América Latina, onde apresentamos tendências globais aos profissionais do setor”, afirma José Navarro Meneses, diretor administrativo da Tarsus México.

O evento ocorrerá entre 2 a 5 de abril de 2019 no CitiBanamex Center na Cidade do México.

O grupo Tarsus México distingue-se por ser o organizador com a maior experiência no mercado mexicano desde 1991, apresentando eventos de tendências internacionais para setores como água, alimentos e bebidas, energia e hidrocarbonetos, estilismo , fabricação, meio ambiente, mobilidade inteligente, poliuretano, plástico, têxteis, entre outros. Atualmente, o Grupo Tarsus é um dos mais importantes organizadores do mundo, com mais de 150 eventos de 20 indústrias em 17 países, atraindo 30 mil expositores e mais de um milhão de visitantes anualmente.

Fonte: Assessoria de ImprPlastimagen 2019

 

Feiplastic 2019: Abiplast e Siresp apontam otimismo para a indústria

07/03/2019

Com a proximidade do evento, associações comentam o reaquecimento da indústria neste ano e o otimismo para a realização de novos investimentos

Após um período de retração, a Associação Brasileira da Indústria do Plástico (Abiplast) e o Sindicato da Indústria de Resinas Plásticas do Estado de São Paulo (Siresp) comentam o reaquecimento da indústria. O setor espera um crescimento de mais de 2,5% na produção de transformados plásticos.

De acordo com a Abiplast, a perspectiva é que as empresas busquem destinar seus recursos para otimizar as plantas já existentes, investindo em melhorias de processos e produtos ligados à implementação da indústria 4.0, além de esboçar certo otimismo para realização de novos investimentos e contratações.

Segundo o presidente da associação, José Ricardo Roriz Coelho, neste ano o setor deve enfrentar os desafios de imagem e reputação do produto plástico. “Um evento como a Feiplastic traz a possibilidade de divulgar ao grande público o que é a produção do plástico e a preocupação setorial em ter tecnologias que promovam a sustentabilidade. Várias ações estão sendo realizadas no nosso setor no sentido de promover as vantagens desse material e a economia circular”, afirma.

Na visão do Siresp, o mercado de embalagens também tem forte contribuição para o bom desempenho da indústria plástica. Outros segmentos, como o de bens duráveis e o automotivo, também devem puxar o crescimento do setor. Além disso, em PVC, cerca de 70% das aplicações estão relacionadas à construção civil, setor com forte expectativa de aumento para 2019.

Para o diretor do Sindicato e da Braskem, Américo Bartilotti Neto, para enfrentar esses desafios, a indústria deve atuar de maneira conjunta. “É necessário encontrar alternativas para a gestão adequada de resíduos plásticos pós-consumo, atendendo aos anseios da sociedade como um todo e buscando cada vez mais aumentar a eficiência no consumo”, complementa Neto.

A produtividade do setor é outro desafio para 2019. “Quando falamos em produtividade, estamos relacionando-a às novidades nas formas de organização, monitoramento e integração da produção trazidas pelas tecnologias as quais já nos acostumamos a chamar de ‘indústria 4.0’. Nosso setor e o Brasil precisam também se adequar para não ficarem defasados tecnologicamente”, ressalta Roriz

A Feiplastic 2019 traz consigo uma proposta de inovação e sustentabilidade, buscando apontar os caminhos da indústria do plástico não só no Brasil, mas em toda a América Latina. Com uma tradição de quase quatro décadas, representa a cadeia completa do plástico e é reconhecida pelos resultados concretos em negócios e networking qualificado para expositores e visitantes de mais de 30 países. A feira acontece entre os dias 22 e 26 de abril, no Expo Center Norte, em São Paulo.

Sobre a Feiplastic: A primeira edição da feira foi realizada em 1987, sob o nome BRASILPLAST, com o apoio da Abiplast. A partir de 2013, a feira internacionalizou-se como Feiplastic, com a missão de disseminar conteúdo e atualizar seu público com as principais tecnologias e inovações da indústria do plástico. O evento congrega players do setor, desde a matéria-prima, máquinas até reciclagem, proporcionando aos seus visitantes e expositores um ambiente favorável para geração de negócios e networking qualificado.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Feiplastic

Curta nossa página no

Braskem anuncia estudos na área de reciclagem química em conjunto com o EngePol/UFRJ, SENAI-Cetiqt e Cetrel

07/03/2019

Laboratório de Engenharia de Polimerização – Engepol/UFRJ

Ações visam a reutilização de plásticos pós-consumo na indústria

Buscando soluções que contribuam para a economia circular e o desenvolvimento sustentável, a Braskem anuncia parcerias para desenvolvimento de tecnologias na reciclagem química, focalizando-se em transformar os plásticos pós-consumo novamente em produtos químicos que podem ser utilizados em diversas cadeias de valor.

As parcerias visam o aprofundamento do estudo de tecnologias que possibilitem a transformação de plásticos com maior dificuldade de serem reciclados mecanicamente em novos produtos químicos. As pesquisas estão sendo realizadas com a parceria do EngePol (http://portal.peq.coppe.ufrj.br/)- Laboratório de Engenharia de Polímeros da COPPE/UFRJ (Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-Graduação e Pesquisa de Engenharia da Universidade Federal do Rio de Janeiro), Instituto SENAI de Inovação em Biossintéticos – SENAI CETIQT (https://www.senaicetiqt.com/inovacao/) e Cetrel (http://www.cetrel.com.br) – empresa de serviços ambientais que iniciou suas operações em 1978, juntamente com as indústrias do Polo Petroquímico de Camaçari.

“À medida que nos esforçamos para alcançar uma real economia circular, reconhecemos os desafios e limitações que as tecnologias tradicionais de reciclagem apresentam. A Braskem está comprometida em desenvolver, implementar e oferecer soluções sustentáveis. A reciclagem química e seu potencial para superar todos esses desafios e limitações nos permitirão alcançar este objetivo. Estamos acelerando esses esforços por meio de parcerias e colaborações com outras empresas que tenham o mesmo pensamento para que possamos alcançar estas metas o mais rápido possível”, explica Gus Hutras, responsável pela área de Tecnologia de Processos da Braskem.

Esta nova vertente tecnológica complementa as iniciativas a favor da Economia Circular que a Braskem acaba de assumir. Trata-se de um conceito de processo produtivo que contempla a redução, a reutilização, a recuperação e a reciclagem de materiais, formando um ciclo sustentável desde a produção até a reinserção em um novo processo produtivo.

“Os estudos na área de reciclagem química seguem os princípios de atuação da Braskem, que utiliza a inovação a serviço de soluções sustentáveis. Queremos a cada dia desenvolver negócios e iniciativas para a valorização de resíduos plásticos”, comenta Fabiana Quiroga, responsável pela área de Reciclagem. “O diferencial da reciclagem química é que, a partir dela, o resíduo plástico descartado será processado e transformado em uma matéria prima novamente, que dará origem a novos plásticos”, conclui.

Com o objetivo de agregar valor ao material feito a partir de resina reciclada, a Braskem mantém, desde 2015, a plataforma Wecycle, que combina a necessidade de descarte adequado com a demanda do mercado por matérias-primas sustentáveis. A ação busca desenvolver negócios e iniciativas para a valorização de resíduos plásticos por meio de parcerias, visando o desenvolvimento de produtos, soluções e processos que envolvam todos os elos da cadeia do plástico, assim como o fomento de negócios e iniciativas que envolvam a reciclagem.

A Braskem definiu uma série de iniciativas globais para impulsionar a Economia Circular na cadeia de produção de produtos transformados plásticos. Intitulado “Posicionamento da Braskem em Economia Circular”, o documento define iniciativas para o desenvolvimento de parcerias com os clientes na concepção de novos produtos para ampliar e facilitar a reciclagem e a reutilização de embalagens plásticas, especialmente as de uso único. Ele contempla ainda o avanço de investimentos em novas resinas de origem renováveis, como o Plástico Verde feito à base de cana-de-açúcar, e o apoio a novas tecnologias, modelos de negócios e sistemas de coleta, triagem, reciclagem e recuperação de materiais.

Fonte: Braskem

Curta nossa página no

Dow abre inscrições do “Prêmio para Inovação em Embalagens 2019”

05/03/2019

Projetos serão avaliados por um grupo internacional de especialistas independentes, com o objetivo de reconhecer embalagens inovadoras em tecnologia e sustentabilidade, que promovam experiências mais eficazes com o cliente

A Dow abriu inscrições de “Prêmio para Inovação em Embalagens 2019”. As empresas interessadas podem se inscrever no site www.dowpackagingawards.com até 29 de março. Este é o segundo ano em que a Dow patrocina a premiação reconhecida globalmente, dando continuidade à iniciativa criada pela DuPont há mais de 30 anos.

“As conquistas revolucionárias alcançadas por toda a cadeia de valor são nossa fonte de inspiração todos os anos. É uma grande honra sermos os anfitriões de um programa que traz inovações criativas e soluções para os problemas de embalagens em todo o mundo”, afirmou Diego Donoso, presidente para o negócio de Embalagens e Plásticos de Especialidades da Dow. “Estamos ansiosos para conhecer as soluções que serão reconhecidas pelo júri como as melhores e mais brilhantes do setor”.

Seguindo a tradição do prêmio mais antigo do setor, a Dow está compondo um grupo internacional de jurados independentes. Além de incluir a comunidade acadêmica, os projetos serão avaliados por especialistas em diferentes áreas, com o objetivo de oferecer uma perspectiva global nas áreas de design, engenharia, varejo, comércio eletrônico e conversão.

Em 2018, o programa recebeu mais de 200 inscrições de empresas em mais de 30 países. Foram premiados nove finalistas na categoria Diamante (Diamond Award), oito na categoria ouro (Gold Award) e 11 na categoria prata (Silver Award), com destaque para a grande vencedora do Diamond Award – a premiação mais importante do programa. A embalagem para líquidos Aeroflex da Procter & Gamble  (foto) foi reconhecida com o prêmio máximo por utilizar uma tecnologia avançada que aumenta a eficiência de recursos e ao mesmo tempo consegue oferecer uma melhor experiência para o cliente.

As inscrições para a premiação deste ano são gratuitas e os materiais da Dow e da DuPont não precisam estar presentes nos itens inscritos. Os projetos devem estar comercialmente disponíveis há pelo menos um ano. Para mais informações, acesse o regulamento no site www.dowpackagingawards.com.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Dow

Curta nossa página no

Romi apresenta suas principais soluções e novidades na Plástico Brasil 2019

05/03/2019

A Romi participará da 2ª edição da Plástico Brasil, importante ponto de encontro para os envolvidos na cadeia produtiva do setor de plástico. No evento, que vai ocorrer entre os dias 25 e 29 de março, no São Paulo Exhibition & Convention Center, a Romi vai apresentar as soluções de seu portfólio de produtos e serviços.

Em seu estande de 500m², de número E106, a Romi exibirá as principais soluções em sua linha de máquinas para plásticos e o seu mais recente lançamento em máquinas-ferramenta, a nova geração da linha de Centros de Usinagem Romi D.

Entre os destaques está a injetora Romi EN 220, que conta com o sistema “Stop and Go”, que, segundo a empresa, proporciona maior velocidade, alta precisão e baixo consumo de energia, atendendo aos mais diversos segmentos de mercado, incluindo versões para injeção de PVC, pré-formas PET e injeção de multimateriais e multicores.

Também vai estar em exposição a injetora híbrida Romi ES 300. De acordo com o fabricante, a máquian foi desenvolvida para a produção de peças que exijam alta razão de injeção, máxima precisão e ciclos ultrarrápidos com baixíssimo consumo de energia. A máquina conta com simultaneidade completa de movimentos com acionamentos por servo-motores, injeção por acumulação e servo-válvula, afirma a Romi.

Na área de máquinas-ferramenta, a Romi exibirá o Romi D 1250, modelo da nova geração de sua linha de centros de usinagem vertical, uma máquina flexível e indicada para múltiplas aplicações de usinagem em ambientes de produção e ferramentaria, principalmente na fabricação de moldes.

Além disso, os visitantes e interessados vão ter à disposição uma equipe de especialistas para tirar dúvidas de aplicação, suporte comercial e informações de financiamento disponíveis, com opções para quem busca renovar o parque fabril com máquinas modernas e bom retorno do investimento.

Para o diretor da Unidade de Máquinas para Plásticos, William dos Reis, o evento é uma excelente oportunidade de novos negócios, assim como foi em 2017. “Ao participarmos de eventos como a Plástico Brasil, temos a oportunidade de apresentar ao mercado produtos de altíssima tecnologia e soluções em produtividade, consolidando ainda mais a Romi como referência no setor plástico”, afirma o executivo, que promete muitas novidades.

A Indústrias Romi S.A., fundada em 1930, é líder na indústria brasileira de máquinas e equipamentos industriais. A Companhia está listada no “Novo Mercado”, que é reservado para as empresas com o maior nível de governança corporativa da B3. A Companhia fabrica máquinas-ferramenta, com foco em tornos, tornos CNC, centros de torneamento e centros de usinagem; máquinas injetoras e sopradoras de termoplásticos; e peças fundidas em ferro cinzento e nodular, que podem ser fornecidas brutas ou usinadas. Os produtos e serviços da Companhia são vendidos mundialmente e utilizados por uma grande variedade de indústrias, tais como automotiva, de bens de consumo, máquinas em geral, equipamentos industriais e agrícolas.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Romi

Curta nossa página no

Em sua segunda edição, Feira Plástico Brasil 2019 terá eventos simultâneos com mais de 80 horas de seminários, palestras e workshops

25/02/2019

Aliada à realização de negócios e às inovações apresentadas por mais de 600 marcas expositoras nacionais e internacionais, a Plástico Brasil 2019 – Feira Internacional do Plástico e da Borracha, que se realizará de 25 a 29 de março no São Paulo Expo, em São Paulo (SP), contribuirá para o desenvolvimento comercial, tecnológico e profissional da cadeia do plástico e da borracha por meio de uma programação técnica com mais de 80 horas.

São seminários, palestras e workshops, a maioria deles gratuita, ministrados por especialistas brasileiros e estrangeiros, autoridades, empresários e instituições de ensino. Confira as atrações confirmadas até o momento:

SMED (Single Minute Exchange of Die)

Diminuir o tempo de setup para melhorar a produtividade tem sido um dos grandes desafios da indústria de plásticos nas últimas décadas. Em parceria com as empresas Staubli e Romi, a Plástico Brasil 2019 apresentará a nova versão do espaço “SMED – Single Minute Exchange of Die – Troca Rápida de Moldes”, presente desde a edição inaugural, em 2017.

No SMED (metodologia que tem como objetivo a redução do tempo de setup para menos de 10 minutos) , os visitantes poderão assistir ao vivo uma máquina realizando a troca de moldes de maneira totalmente automatizada, sem interação humana.

ABC 2019 – 1º ABINFER BUSINESS CENTER

Novidade desta edição, o espaço criado em parceria com a ABINFER (Associação Brasileira da Indústria de Ferramentais) é dedicado exclusivamente aos fabricantes de moldes. O ABC 2019 – 1º ABINFER BUSINESS CENTER oferece uma solução completa aos visitantes ao reunir produtos – apresentados por 12 empresas – e conhecimento, transmitido em palestras e workshops num auditório exclusivo ao longo de toda a feira. Dada a importância estratégica que os moldes, matrizes e ferramentas ocupam no processo industrial do plástico e da borracha, o ABINFER BUSINESS CENTER vai representar um ponto de encontro de realização de negócios, networking e inovação para todo o setor.

VDI ROADSHOW

Com o tema VDI Roadshow: Hot to apply german guidelines and standards successfully in Brazil (“Como aplicar as diretrizes e padrões alemães com sucesso no Brasil”), o evento é organizado pela a VDI Brasil (Associação de Engenheiros Brasil – Alemanha), em parceria com a VDMA (Associação Alemã de Fabricantes de Máquinas e Instalações Industriais). A participação se dá mediante pagamento e as inscrições estarão disponíveis em breve no endereço: http://www.vdibrasil.com/eventos/roadshow-vdi-na-plastico-brasil/

PETtalk 2019

Realizado pela ABIPET (Associação Brasileira da Indústria do PET), é o maior encontro do ano para o setor de embalagens PET. Durante dois dias, serão apresentadas e debatidas as novas tecnologias, cenários e temas atuais desta indústria.

PARQUE DE IDÉIAS

O projeto promove a aproximação entre universidades e o setor produtivo. Neste espaço, algumas das maiores instituições de ensino do Brasil apresentam seus projetos de inovação e ministram palestras sobre temas relevantes e estratégicos para a indústria do plástico e da borracha. Escolas técnicas e empresas expositoras que desenvolvem e utilizam soluções inovadoras para a indústria também têm presença garantida na grade de palestras. Neste ano, dois temas receberão atenção especial: Design de Embalagens e Reciclagem & Sustentabilidade.

PLÁSTICO BRASIL

Uma iniciativa da ABIMAQ – Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos, ABIQUIM – Associação Brasileira da Indústria Química e Informa Exhibitions, a feira vai reunir mais de 600 marcas nacionais e internacionais– de 13 países como Alemanha, Argentina, Áustria, China, Estados Unidos, Hungria, Índia, Itália, México, Portugal, Taiwan, Turquia e Suíça – que representam os setores de máquinas, equipamentos e acessórios, matérias-primas e resinas, moldes e porta moldes, automação industrial e robótica, periféricos, entre outros produtos, serviços e soluções. São esperados mais de 45 mil visitantes, entre transformadores de plástico, compradores e demais profissionais das indústrias da borracha, construção civil, alimentos e bebidas, embalagens, automóveis e autopeças, perfumaria, higiene e limpeza, farmacêuticos,entre outros.

O credenciamento é gratuito e já ser feito no site da feira: https://www.plasticobrasil.com.br/pt/credenciamento.html.

Fonte: Plástico Brasil 2019

Curta nossa página no

CEO da Tomra recebe prêmio Europeu por gestão no segmento de recursos sustentáveis

25/02/2019

Stefan Ranstrand foi nomeado “melhor CEO da indústria de gestão de recursos sustentáveis” no prestigiado European CEO Awards

Organizada pela revista internacional de negócios European CEO, a premiação contou com 41 outros líderes empresariais. De acordo com a publicação, “a cada ano o European CEO avalia as 100 maiores empresas e líderes empresariais, buscando especificamente exemplos de estratégia forte e compromisso com a governança corporativa”.

Stefan Ranstrand (foto) está atualmente completando seu décimo ano como Presidente e CEO da Tomra, após sua nomeação em agosto de 2009. Durante seu tempo no comando, ele fez do negócio uma jornada de transformação. A Tomra é hoje reconhecida como uma empresa líder mundial em tecnologia de logística reversa e soluções de seleção baseadas em sensores para as indústrias de alimentos, reciclagem e mineração.

Fundada em 1972, a Tomra emprega 3.565 pessoas e está listada na Bolsa de Valores de Oslo. Cerca de 97.500 de suas máquinas estão instaladas em mais de 80 mercados em todo o mundo. Em 2017, a empresa registrou faturamento de 7,432 bilhões de coroas norueguesas (778 milhões de euros), representando um crescimento de 12% em relação ao ano anterior, à medida que a demanda por suas tecnologias continua crescente.

Durante o ano passado, Stefan também liderou aquisições importantes para a Tomra, incluindo a Compac, fabricante de triagem de pista da Nova Zelândia, por NZ $ 70 milhões, reforçando a posição da Tomra como líder em triagem de alimentos, com amplo portifólio de tecnologias e abrangência geográfica.

Comentando sobre a premiada vitória de Stefan, os juízes do Prêmio European CEO disseram: “As soluções da Tomra são parte de um esforço generalizado para se operar de forma mais sustentável. A população global deverá aumentar em 30% nos próximos 40 anos; Como tal, tornou-se essencial que as organizações repensem como obtêm, usam e reutilizam os recursos naturais. A sustentabilidade está no coração dos negócios da Tomra há quatro décadas e eles continuam encontrando novas maneiras de otimizar recursos preciosos”.

Antes de ingressar na Tomra, Stefan ocupou vários cargos executivos em empresa de tecnologias de energia e automação ABB (1991-2009) e na fabricante de computadores Data General AG (1988-1991). Além de sua experiência corporativa, Stefan possui mestrado em engenharia industrial e de gestão pelo Institute of Technology da Linköping University, bem como diploma em engenharia industrial pela Technical University of Darmstadt.

Recebendo o prêmio, Stefan acrescentou: “É uma grande honra receber este prêmio. Esse é um reconhecimento para toda a empresa e agradece a dedicação das pessoas da Tomra. O ano que passou foi bem sucedido, reafirmando nosso posicionamento como líder de sustentabilidade e enaltecendo a revolução dos recursos. Nós nos esforçamos continuamente para encontrar formas inovadoras de reduzir o resíduos do mundo e otimizar o uso de seus recursos. Tenho muito orgulho do impacto positivo que a Tomra promoveu nos setores de reciclagem, alimentos e mineração nos últimos dez anos. Tenho o privilégio de liderar a Tomra e continuarei a fazê-la com um foco renovado em alcançar uma economia mais circular e salvaguardar o futuro do suprimento global de alimentos”.

O anúncio oficial da conquista de Stefan foi feito na edição de janeiro da Revista European CEO, que foi distribuída no Fórum Econômico Mundial em Davos, Suíça, realizado de 22 a 25 de janeiro.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Tomra

Curta nossa página no

Feira Plástico Brasil 2019 amplia a participação de expositores internacionais

14/02/2019

69 empresas de 13 países participarão da feira. Número representa um aumento de 122% sobre a edição de 2017

Neste ano, 69 empresas de 13 países estarão expondo na segunda edição da Plástico Brasil –Feira Internacional do Plástico e da Borracha, que acontecerá de 25 a 29 de março, no São Paulo Expo, em São Paulo.

Este número de expositores internacionais – vindos da Alemanha, Argentina, Áustria, China, Estados Unidos, Hungria, Índia, Itália, México, Portugal, Suíça, Taiwan e Turquia – representa um incremento de 122% sobre a edição inaugural da Plástico Brasil, em 2017. Para acomodá-los, a área de exposição destinada aos estrangeiros quase dobrou, reforçando o caráter internacional da feira.

Os visitantes profissionais da Plástico Brasil poderão estreitar relacionamento e conhecer as novas soluções e tecnologias destes fabricantes em estandes individuais dispostos ao longo da feira e também nos quatro pavilhões internacionais: Alemanha (7 expositores), Áustria (9), Itália (15) e China (8).
Confira os expositores dos pavilhões internacionais:

ITÁLIA: AMAPLAST/MACPLAS/PLAST 2021, BANDERA, COLINES, ELECTRONIC SYSTEMS, HELIOS QUARTZ, ICMA SAN GIORGIO, IPM, ITIB MACHINERY, MARIS, OMIPA, PLASTIBLOW, PROMIXON,TECNOVA

ÁUSTRIA: EREMA, NGR, AWO, HIRSCH, STARLINGER, SENOPLAST, HTW, BLUE AIR, SML

ALEMANHA (mais detalhes aqui): HANS WEBER, ASCONA, HERBOLD, LEONHARD BREITENBACH, KAUTEX MASCHINENBAU, NETZSCH, BEILOMATIK LEUZE

CHINA: CMEC, DESIGNER PRECISE MACHINERY, JINGYE MACHINERY, JWELL PIPE EQUIPMENT, LESUN SCREW, PLASTIC MACHINERY MANUFACTURE, QUEENSENSE MACHINE, XUANHAN TECHNOLOGY

A AMAPLAST, associação italiana dos fabricantes de máquinas e moldes para plástico e borracha, considera o Brasil um importante e tradicional mercado para suas exportações. Prova disso é que 20 fabricantes de máquinas italianas abriram operação no País para produção no local e passaram a oferecer ao mercado nacional uma ampla gama de equipamentos, desde máquinas básicas até auxiliares. Parte destes fabricantes vai compor o pavilhão da Itália na Plástico Brasil.

No pavilhão oficial da Áustria, patrocinado pela Câmara Econômica Federal Austríaca em parceria com o escritório do Advantage Austria em São Paulo, nove empresas vão apresentar seus serviços e produtos.

A feira PLÁSTICO BRASIL

Uma iniciativa da ABIMAQ – Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos, ABIQUIM – Associação Brasileira da Indústria Química e Informa Exhibitions, a feira vai reunir mais de 600 marcas nacionais e internacionais, que representam os setores de máquinas, equipamentos e acessórios, matérias-primas e resinas, moldes e porta moldes, automação industrial e robótica, periféricos, entre outros produtos, serviços e soluções.

Os organizadores esperam mais de 45 mil visitantes, entre transformadores de plástico, compradores e demais profissionais das indústrias da borracha, construção civil, alimentos e bebidas, embalagens, automóveis e autopeças, perfumaria, higiene e limpeza, farmacêuticos, entre outros.

A feira vai oferecer uma programação técnica com cerca de 80 horas de seminários, palestras e workshops, a maioria deles gratuita, como o Parque de Ideias, VDI Road Show, 1º ABINFER Business Center – ABC 2019, PETtalk 2019 e a demonstração de um inovador sistema de SMED (Single Minute Exchange of Die) sem interação humana e inédito na América Latina.

Ao lado dos negócios, conhecimento e relacionamento, a Sustentabilidade é um dos pilares da Plástico Brasil 2019. A feira vai destacar uma série de ações que vão não só colaborar com a preservação do meio ambiente, mas também inspirar os fornecedores, transformadores e demais visitantes profissionais a replicarem tecnologias ambientalmente corretas em seus negócios.

O credenciamento é gratuito e já ser feito no site da feira: https://www.plasticobrasil.com.br/pt/credenciamento.html.

Fonte: Plástico Brasil 2019

Curta nossa página no

Construção do novo complexo de poliamida 12 da Evonik na Alemanha segue dentro do cronograma

11/02/2019

A Evonik concluiu a fase de engenharia conceitual e básica para a construção de seu novo complexo industrial de poliamida 12 (PA12) dentro do prazo, no final de dezembro, e já iniciou a fase de execução do projeto. O complexo deve iniciar as operações no primeiro semestre de 2021.

O projeto de cerca de 400 milhões de euros, maior investimento da Evonik na Alemanha, deve aumentar em mais de 50% a capacidade produtiva total de PA 12 do Grupo. Outras instalações para a produção do polímero e seus precursores serão construídas no parque químico de Marl, na Renânia do Norte-Westfália, complementando a produção de PA12 já existente no local.

“Este projeto representa um desafio especial”, explica Dr. Ralf Düssel, responsável pela linha de negócios High Performance Polymers na Evonik, que, entre outros produtos, fabrica os grânulos e pós de PA 12, Vestamid® e Vestosint®. “No setor de engenharia da Evonik há cerca de 80 engenheiros trabalhando no projeto. Também contratamos um mundialmente renomado provedor externo de serviços técnicos para executar a engenharia detalhada dos subprojetos individuais. O local da construção é próximo a unidades de produção já existentes, onde se aplicam normas de segurança especiais, e serão necessárias, além do local para a construção em si, áreas para contêineres de construção, armazenamento de materiais e pré-montagem. O parque químico de Marl nos oferece condições excelentes para atingir esse desafio. Depois que a nova unidade tiver iniciado suas atividades, as estruturas existentes no local há mais de 50 anos serão usadas para a distribuição do produto.”

A poliamida 12 está em demanda em atraentes mercados em crescimento como a indústria automobilística, o setor de petróleo e gás e a impressão 3D. “Este investimento respalda a concentração consistente da Evonik em especialidades químicas. Como polímero de alto desempenho para aplicações especiais, a poliamida 12 representa um componente importante do nosso motor de crescimento Smart Materials“, acrescenta Dr. Claus Rettig, responsável pelo segmento Resource Efficiency. “Além disso, os produtos fabricados com a PA12 costumam ter boa eficiência energética: eles são duráveis e exigem menos manutenção que os componentes de aço, por exemplo em tubulações de gás, e contribuem para a redução de peso, por exemplo no setor automotivo.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Evonik

Curta nossa página no

Solvay expande oferta de polímeros especiais para impressão 3D

06/02/2019

A Solvay anunciou que está adicionando polieteretercetona KetaSpire® (PEEK) com 10% de fibra de carbono e polifenilsulfona pura (PPSU) Radel® à mais recente versão do software de engenharia e-Xstream (2019.0) da Digimat®-Additive Manufacturing (AM). Os produtos complementam o filamento puro KetaSpire® PEEK AM já disponível para simulação na plataforma Digimat®-AM.

“Nossa crescente linha de filamentos AM ressalta a determinação da Solvay em se estabelecer como líder do setor nesse mercado de impressão 3D, que está em rápida evolução”, afirma Christophe Schramm, Gerente de Negócios de Manufatura Aditiva da unidade global de negócios Specialty Polymers. “O Digimat®-AM permite que os clientes simulem o processo de impressão e prevejam com sucesso o comportamento termomecânico de desenhos impressos em 3D para imprimir corretamente já na primeira vez”, disse Schramm.

Os novos materiais serão aplicados através da plataforma Digimat®-AM Advanced Solver com o software de engenharia e-Xstream. O software oferece dados de modelagem preditiva altamente precisos para os filamentos AM da Solvay em uma ampla gama de características críticas, incluindo empenamentos detalhados e tensão residual, para ajudar os projetistas e engenheiros a otimizar o processo e minimizar a deformação da peça antes da impressão 3D. Para aplicações altamente exigentes, o Digimat® permite ainda a validação do projeto, prevendo o desempenho da peça impressa (rigidez, resistência etc.) como uma função do material e dos parâmetros do processo de impressão.

“Com o acréscimo das novas classes de polímeros AM da Solvay, agora temos um portfólio mais amplo de graus de impressão 3D na Digimat® para fornecer novos materiais de ponta e ampliar os limites de design e aplicação nesse dinâmico mercado”, acrescenta Roger Assaker, CEO da e-Xstream engineering e Chief Material Strategist da MSC Software. “Como resultado de nossa parceria, reduzimos a lacuna na engenharia de simulação entre polímeros de alto desempenho e processos de impressão exigentes, como a fabricação de filamentos fundidos.”

Fonte: Assessoria de Imprensa – Solvay

Curta nossa página no </

Grupo Piovan estará na Plástico Brasil com nova identidade corporativa, mostrando sua rede desenvolvida em três áreas de negócios

01/02/2019

Como na edição anterior, a Piovan do Brasil, que é parte do Grupo Piovan, participará da Plástico Brasil, Feira Internacional do Plástico e da Borracha, em São Paulo, de 25 a 29 de março. O evento será uma excelente oportunidade para o Grupo mostrar seus mais recentes desenvolvimentos e reforçar o comprometimento com os clientes locais. O Grupo Piovan estará no stand G106, expondo equipamentos e soluções de suas marcas Piovan, Aquatech e Energys.

Seguindo os rumos das “smart factories” da Indústria 4.0, os visitantes poderão assistir a uma demonstração do Winfactory 4.0, o software de supervisão digital, desenvolvido para aumentar a eficiência e a produtividade, através do gerenciamento e integração de todos os processos produtivos; e o Winenergy, que é um sistema de monitoramento de energia de toda a fábrica.

A Piovan também apresentará o QuantumE, o novo controlador gravimétrico, especialmente desenvolvido para filmes flexíveis para embalagem. Ainda na área de controle gravimétrico, destaca-se o Ryng, que é um medidor de consumo de matéria prima instantâneo, para as máquinas transformadoras,  item relevante para o controle de processos em sistemas da Indústria 4.0.

Outros destaques são o Easy³+, a nova solução para gerenciamento de sistemas centralizados, com tela touch screen de 7”, e o novo desumidificador por ar comprimido da linha DPA 100-200, com capacidade de desumidificação que varia de 5 a 40kg/h, composto pde 3 modelos.

Sob a marca Aquatech, empresa do Grupo dedicada à soluções em refrigeração industrial, estará em exibição o Digitemp+, o novo termochiller com duplo circuito, que, segundo a empresa, garante maior rendimento do processo produtivo e menores ciclos; o MiniChillerEvo da linha de chillers portáteis,  que é um equipamento versátil, o chiller Slim, compacto de alta capacidade, e o Aryacool, solução sustentável para resfriamento nas versões seco e adiabático, que oferece vantagens para o resfriamento de água industrial em circuito fechado.

Para a Piovan, a Plástico Brasil será também uma importante ocasião para apresentar ao mercado sul-americano sua nova identidade corporativa, com o lançamento da nova imagem do Grupo completamente renovada, introduzida mundialmente ao mercado em janeiro de 2019. O novo logotipo do Grupo Piovan marca o nascimento de uma nova identidade corporativa para o fornecedor de equipamentos auxiliares, soluções de engenharia e serviços para a indústria do plástico, que tem por objetivo expressar de forma mais direta os valores e a união da rede, que abrange 70 países e emprega ao redor de 1.060 pessoas em todo o mundo.

O novo logotipo foi projetado para ser utilizado em conjunto com um novo símbolo, um pictograma de três círculos, que representam os valores, as áreas de negócios e os pontos fortes.

Valores: clientes, pessoas e inovação

Os pilares que guiam a estratégia da empresa são os seus clientes,  as pessoas que fazem parte de toda a rede da empresa, e a inovação, que visa a melhoria e o desenvolvimento contínuo, contando atualmente, com 173 funcionários trabalhando diariamente em pesquisa e desenvolvimento.

Os setores de negócios: plásticos, alimentos e refrigeração

A Piovan é uma empresa que atual a nível mundial desde 1964 no segmento da indústria do plástico, especializando-se na produção de equipamentos auxiliares. Atualmente, graças à evolução de sua estrutura organizacional e às aquisições, o Grupo Piovan entrou em novos mercados estratégicos, incluindo refrigeração de processos industriais, com sistemas de última geração,  e o mercado de alimentos com o desenvolvimento de projetos e sistemas de transporte de alimentos em formato de pó.

A empresa conta hoje com 7 fábricas, 27 filiais de vendas e serviços, sendo 190 funcionários na área de serviços, garantindo uma cobertura mundial.

A nova identidade corporativa apresenta características simples, que envolvem todas as empresas do grupo, com o objetivo estratégico de integrar todas as marcas em uma única imagem. Piovan, Una-Dyn, Fdm, Penta, Aquatech, Energys e Progema manterão seus nomes individuais, mas a partir de agora usarão o novo pay-off “Piovan Group” para enfatizar tanto o Grupo ao qual pertencem, como a sua independência e realçar a identidade do Grupo.

Além do novo logo do Grupo e o re-design de suas marcas, foi também criado um novo site corporativo, www.piovangroup.com,  com uma revisão completa de todos os materiais de comunicação.

Fonte: Piovan

Curta nossa página no </

Vinte e oito empresas globais estabelecem aliança mundial para ajudar a eliminar os resíduos plásticos do meio ambiente e alocam mais de US $ 1 bilhão para a iniciativa

28/01/2019

Membros da Aliança que participaram do evento de fundação da AEPW em 16 de Janeiro, em Londres: da esquerda para a direita (em pé): Laurent Auguste, Vice Presidente executivo senior da Veolia; Peter Bakker, Presidente e CEO of World Business Council for Sustainable Development; Priyanka Bakaya, CEO e Fundador do Renew Oceans; Jim Fitterling, CEO da DOW; Martin Brudermüller, CEO da BASF SE; Bob Patel, CEO da Lyondell Basell; Da esquerda para a direita (sentados): Rob Kaplan, CEO e Fundador da Circulate Capital; host Hannah Vaughn Jones; David Taylor, Chairman do Conselho e Presidente e CEO da Procter & Gamble; Jean-Marc Boursier, Vice President executivo senior da Suez

Uma aliança de empresas globais da cadeia de valor dos plásticos e do segmento de bens de consumo lançaram no dia 16 de janeiro uma nova organização para promover soluções para eliminar o desperdício de plástico no meio ambiente, especialmente no oceano.

A organização intitulada Alliance to End Plastic Waste (AEPW), atualmente composta por quase trinta empresas associadas, alocaram mais de US $ 1 bilhão, com o objetivo de investir US $ 1,5 bilhão nos próximos cinco anos para ajudar a acabar com os resíduos plásticos no meio ambiente. A Aliança desenvolverá e buscará soluções em escala que minimizem e gerenciem os resíduos plásticos e promovam soluções para plásticos usados, ajudando a viabilizar uma economia circular. Os membros da aliança são empresas globais localizadas na América do Norte e do Sul, Europa, Ásia, Sudeste Asiático, África e Oriente Médio.

“Todos concordam que os resíduos de plástico não pertencem aos nossos oceanos ou a qualquer lugar do meio ambiente. Esse é um desafio global complexo e sério que exige uma ação rápida e uma liderança forte. Essa nova aliança é o esforço mais abrangente até hoje para acabar com os resíduos de plástico no meio ambiente “, disse David Taylor, Presidente do Conselho, Presidente e CEO da Procter & Gamble e presidente da AEPW. “Peço a todas as empresas, grandes e pequenas e de todas as regiões e setores, que se unam a nós”, acrescentou.

“A história nos mostra que ações coletivas e parcerias entre a indústria, governos e ONGs podem fornecer soluções inovadoras para um desafio global como este”, disse Bob Patel, CEO da LyondellBasell, e vice-presidente da AEPW. “A questão do lixo plástico é vista e sentida em todo o mundo. Ele deve ser enfrentada e acreditamos que o momento para a ação é agora.”

A Aliança é uma organização sem fins lucrativos que inclui empresas que produzem, usam, vendem, processam, coletam e reciclam plásticos. Inclui fabricantes de produtos químicos e plásticos, empresas de bens de consumo, varejistas, transformadores e empresas de gerenciamento de resíduos, também conhecida como cadeia de valor de plásticos. A Aliança tem trabalhado com o World Business Council for Sustainable Development como um parceiro fundador estratégico. A Aliança também anunciou um conjunto inicial de projetos e colaborações que refletem uma gama de soluções para ajudar a acabar com o lixo plástico:

Estabelecimento de parcerias com cidades para projetar sistemas integrados de gestão de resíduos em grandes áreas urbanas onde a infraestrutura é escassa, especialmente aquelas ao longo de rios que transportam grandes quantidades de resíduos plásticos não gerenciados da terra para o oceano. Esse trabalho incluirá o engajamento de governos locais e partes interessadas e gerará modelos replicáveis e economicamente sustentáveis que possam ser aplicados em várias cidades e regiões. A Aliança buscará parcerias com cidades localizadas em áreas de alto descarte de plástico. A Aliança também procurará colaborar com outros programas que trabalham com cidades, tais como o Projeto STOP, que está operando na Indonésia.

  • Financiamento – A Rede de Incubadoras da Circulate Capital irá desenvolver e promover tecnologias, modelos de negócios e empreendedores que previnam resíduos plásticos oceânicos e melhorem o gerenciamento de resíduos e reciclagem, com a intenção de criar um pipeline de projetos para investimento, com foco inicial no Sudeste Asiático.
  • Desenvolvimento de um projeto de informação global, de fonte aberta e com base científica, para apoiar globalmente projetos de gerenciamento de resíduos com coleta de dados, métricas, padrões e metodologias confiáveis, com o intuito de ajudar governos, empresas e investidores a se focalizarem e acelerarem ações para impedir que os resíduos plásticos se percam no meio ambiente. A Aliança irá explorar oportunidades de parcerias com instituições acadêmicas líderes e outras organizações já envolvidas em tipos semelhantes de coleta de dados.
  • Criar uma colaboração para construir capacidades junto a organizações intergovernamentais, como as Nações Unidas, para realizar workshops e treinamentos conjuntos para funcionários do governo e líderes comunitários, a fim de ajudá-los a identificar e buscar as soluções mais eficazes e relevantes localmente nas áreas prioritárias.
  • Apoiar o Renew Oceans para ajudar em investimento e no engajamento localizados. O programa é projetado para capturar o lixo plástico antes que ele chegue ao oceano a partir dos dez principais rios que foram mapeados por transportar a grande maioria dos resíduos terrestres para o oceano. O trabalho inicial apoiará o projeto Renew Ganga, que também recebeu apoio da National Geographic Society.

Nos próximos meses, a Aliança fará investimentos adicionais e impulsionará o progresso em quatro áreas principais:

  • Desenvolvimento de infraestrutura para coletar e gerenciar resíduos e aumentar a reciclagem;
  • Inovação para impulsionar e ampliar a escala de novas tecnologias que tornem a reciclagem e a recuperação de plásticos mais fáceis e que criem valor a partir de todos os plásticos pós-uso;
  • Educação e engajamento de governos, empresas e comunidades para mobilizar ações; e,
  • Limpeza de áreas concentradas de resíduos plásticos já no meio ambiente, principalmente nos principais condutos de resíduos, como rios, que transportam resíduos plásticos terrestres para o mar.

“O sucesso exigirá colaboração e esforços coordenados em diversos setores – alguns que geram progresso a curto prazo e outros que exigem grandes investimentos com cronogramas mais longos. Lidar com resíduos plásticos no meio ambiente e desenvolver uma economia circular de plásticos requer a participação de todos ao longo de toda a cadeia de valor e o compromisso de longo prazo das empresas, governos e comunidades. Nenhum país, empresa ou comunidade pode resolver isso sozinho”, disse o CEO da Veolia, Antoine Frérot, vice-presidente da AEPW.

Uma pesquisa da Ocean Conservancy mostra que quase 80% dos resíduos plásticos no oceano começam como lixo em terra, a grande maioria dos quais viaja para o oceano através de rios. De fato, um estudo estima que mais de 90% do plástico transportado pelos rios para o oceano vem de dez grandes rios ao redor do mundo – oito na Ásia e dois na África. Sessenta por cento dos resíduos plásticos no oceano podem ser identificados como provenientes de cinco países no sudeste da Ásia.

“Embora o nosso esforço seja global, a Aliança pode ter o maior impacto no problema ao se concentrar nas partes do mundo onde o desafio é maior; e compartilhando soluções e melhores práticas de modo que esses esforços possam ser amplificados e ter sua escala ampliada em todo o mundo “, disse Peter Bakker, presidente e CEO do World Business Council for Sustainable Development.

As seguintes empresas são os membros fundadores da Aliança: BASF, Berry Global, Braskem, Chevron Phillips Chemical Company, Clariant, Covestro, Dow, DSM, ExxonMobil, Formosa Plastics Corporation, Henkel, LyondellBasell, Mitsubishi Chemical Holdings, Mitsui Chemicals, NOVA Chemicals, OxyChem, PolyOne, Procter & Gamble, Reliance Industries, SABIC, Sasol, SUEZ, Shell, SCG Chemicals, Sumitomo Chemical, Total, Veolia e Versalis (Eni).

Fonte: Alliance to End Plastics Waste; Foto: Pnuma

Curta nossa página no </

SABIC e clientes lançam polímeros circulares oriundos de resíduo plástico misto durante evento em Davos

28/01/2019

Executivos da SABIC ao lado de representantes da Unilever, Vinventions, Walki Group e Plastics Energy Ltd. em Davos (Suíça)

A SABIC (www.sabic.com) anunciou em Davos (Suíça), no último dia 24, em conjunto com seus clientes Unilever (www.unilever.com), Vinventions (www.vinventions.com) e Walki Group (www.walki.com), o lançamento de polímeros circulares certificados a serem produzidos pela SABIC e usados ​​por seus clientes para desenvolver soluções de embalagem para uma variedade de produtos de consumo que serão introduzidos no mercado em 2019.

Os polímeros circulares certificados serão produzidos a partir de uma matéria-prima conhecida como Tacoil – um produto patenteado da empresa Plastic Energy Ltd (www.plasticenergy.com) sediada no Reino Unido – obtida da reciclagem de resíduos plásticos mistos de baixa qualidade destinados atualmente à incineração ou aterro. A SABIC processará esta matéria-prima em sua planta de produção em Geleen, na Holanda. Os polímeros circulares certificados finais serão então fornecidos a três clientes-chave para uso no desenvolvimento de embalagens pioneiras, seguras e de qualidade para consumidores dos mercados de alimentos, bebidas, produtos para cuidados pessoais e domésticos. Esse estágio de fundação do mercado é uma etapa importante de um projeto anunciado recentemente pela SABIC e pela Plastic Energy para construir as primeiras fábricas comerciais na Holanda para fabricar e processar a matéria-prima.

Como uma inovação disruptiva, a introdução dos polímeros circulares certificados em 2019 deverá criar uma nova cadeia de valor, onde a SABIC, juntamente com seu fornecedor da nova matéria prima e clientes-chave, trabalham lado a lado para retornar o resíduo de plástico misto ao seu polímero original, a fim de que possa ser usado novamente em aplicações de embalagem .

Como líderes de marcas globais ou líderes de mercado em suas respectivas áreas, a Unilever, Vinventions e Walki valorizam a sustentabilidade e seu papel na economia circular. Os clientes da SABIC cobrem um amplo espectro de necessidades dos consumidores das embalagens, desde as aplicações da Unilever para produtos alimentícios, pessoais e de cuidados domésticos até tampas sintéticas para vinhos da Vinagens e materiais de embalagem protetoras para produtos de consumo do Grupo Walki.

“A sustentabilidade e a reutilização fazem parte da missão da SABIC desde sua criação”, disse Yousef Al-Benyan, vice-presidente e CEO da SABIC. “Hoje, mais do que nunca, a sustentabilidade é um valor essencial que impulsiona nossa especialização científica e tecnológica. Juntamente com nossos clientes, estamos orgulhosos em lançar nossos polímeros circulares certificados, que é mais uma prova de nossa atuação no avanço da economia circular.”

Fonte: Assessoria de Imprensa – SABIC

Curta nossa página no </

Olimpíadas de 2020: hóquei sobre a grama contará com gramado de polietileno derivado da cana-de-açúcar da Braskem

26/01/2019

Braskem e alemã Polytan serão as fornecedoras dos campos de hóquei, produzidos a partir do polietileno “verde” I’m greenT, para os Jogos Olímpicos de Tóquio, no ano que vem

Tóquio estabeleceu para si mesma o objetivo de organizar, em 2020, a primeira edição dos Jogos Olímpicos da história com neutralização de carbono, utilizando tecnologias verdes. A Polytan, fornecedora líder de campos de hóquei de primeira linha, e Parceira Global da FIH (Federação Internacional de Hóquei), está contribuindo de maneira importante com esta meta ao desenvolver o gramado sustentável Poligras Tokyo GT produzido com 60% de seus filamentos a partir da tecnologia do polietileno renovável I’m greenTM, da Braskem. A Polytan está utilizando o plástico verde para adicionar uma dimensão sustentável ao campo de fibras de monofilamento (grama sintética), feitas a partir do polietileno e já reconhecidas pelo mercado.

Uma camada feita de base elástica garante absorção ideal e constitui parte importante de todo o sistema do gramado de hóquei. A camada elástica da Polytan PolyBase GT confere ao gramado um equilíbrio ambiental ainda maior. Um aglutinante de alto desempenho, graças às suas baixas emissões de CO2, é utilizado para a amarração elástica permanente dos grânulos.

“A FIH está contente com o fato de que essa nova tecnologia de gramado apoiará o objetivo de Tóquio quanto à neutralização de carbono e contribuirá de forma positiva para os Jogos. Temos uma prioridade estratégica de melhorar a pegada ambiental do hóquei, por isso parcerias com empresas progressivas, como Polytan e Braskem, são cruciais. Estamos satisfeitos em constatar que este gramado sintético utiliza 66% menos água do que os campos de edições anteriores dos Jogos Olímpicos. A FIH acredita que o hóquei pode contribuir para um meio ambiente mais sustentável a partir da utilização de todas as possibilidades tecnológicas oferecidas pelo gramado moderno”, afirma o CEO da FIH, Thierry Weil.

“Com o desenvolvimento da Poligras Tokyo GT, conseguimos não apenas tornar o campo de hóquei mais sustentável, como também melhorar seu desempenho de maneira significativa. O gramado da modalidade nunca foi tão ecologicamente correto e nunca antes permitiu um jogo tão dinâmico e preciso”, diz Friedemann Söll, diretor de Gestão de Produtos da Polytan.

“Estamos muito orgulhosos pela escolha da Polytan e da FIH pelo polietileno I’m greenTM da Braskem para os campos de hóquei dos jogos de Tóquio em 2020. A cidade estabeleceu para si mesma o objetivo de organizar a primeira edição dos jogos com neutralização de carbono, e estamos felizes pelo fato de que a Braskem possa contribuir também”, acrescenta Marco Jansen, diretor comercial de Química Renovável da Braskem para Europa e América do Norte.

O polietileno verde I’m greenTM é um plástico obtido a partir do etanol da cana-de-açúcar. A Polytan optou por essa matéria-prima para a produção do seu gramado artificial pelo impacto positivo da pegada de carbono do polietileno verde I’m greenTM em relação ao polietileno de origem fóssil. Cada quilo do polietileno verde utilizado nos campos durante as olímpiadas evitará a emissão de quase 5kg de CO2, afirma a Braskem

Os pisos sintéticos da Polytan incluem desde superfícies de absorção de impacto leve até campos multifuncionais para todos os tipos de clima, além de superfícies de alta velocidade para eventos esportivos internacionais. Além do desenvolvimento, da fabricação e da instalação de suas próprias superfícies esportivas, a gama de serviços oferecidos pela Polytan também inclui marcação de linhas, reparo, limpeza e manutenção.

Fonte: Braskem

Curta nossa página no </

Terphane assina acordo de distribuição de filmes para as Américas com a japonesa Toyobo

26/01/2019

José Bosco Silveira Jr., Presidente da Terphane e o Presidente da Toyobo no Brasil, Yukihiko Minamimura, no escritório da Terphane em São Paulo/Brasil

Foi anunciada no dia 23/01 que a Terphane (www.terphane.com), fabricante de filmes de poliéster biorientado BOPET, passou a ser representante dos filmes da japonesa Toyobo (www.toyobo-global.com) nas Américas. A empresa representará as linhas Ecosyar, Toughster e Olyester. “A proposta é trazer filmes com propriedades específicas e valor agregado que garantam aos brand owners embalagens diferenciadas e inovadoras”, explica José Bosco Silveira Jr., Presidente da Terphane.

E completa: “O acordo com a Toyobo marca uma nova fase para a Terphane. Entendemos que o mercado precisa de parceiros que participem de todas as etapas de desenvolvimento de novos produtos e garantam embalagens que acelerem a inovação. Isto é ainda mais importante no mercado de produtos premium. Hoje, um material de alta barreira para embalagem, com transparência, é uma demanda do consumidor final à qual as empresas de bens de consumo têm que atender. E o portfólio de filmes da Terphane/Toyobo permitirá desenvolver, com estes clientes, embalagens alinhadas aos anseios do consumidor e posicionadas em um patamar diferenciado.”

Segundo José Bosco, o consumidor atual busca uma relação transparente com marcas, empresas e produtos que passa, justamente, pelas embalagens. “Existe um gatilho emocional que é acionado na cabeça do consumidor no momento da compra e que diz: se você conseguir visualizar o conteúdo da embalagem é porque o produto é bom e a marca não tem nada a esconder.” A embalagem transparente também ajuda a construir o valor da marca e dá sustentação à sua proposta de valor. Ela tem uma relevância ainda maior em produtos/marcas premium já que uma “simples” janela pode chancelar toda a qualidade esperada pelo posicionamento do produto.

Em uma visão comercial mais abrangente, o portfólio da Toyobo também será oferecido para os clientes Terphane em todo o continente americano (América do Sul, Central e do Norte). A capilaridade do time comercial da Terphane na região foi um dos aspectos que pesou na decisão da Toyobo pela representante. “O suporte técnico, aliado ao expertise da equipe Terphane em aplicação e desenvolvimento, foi outro ponto extremamente positivo”, explica José Bosco. Isto porque nosso time está voltado para o desenvolvimento de negócios; os profissionais aliam conhecimento técnico com habilidade comercial e profundo conhecimento do mercado, com base nas tendências de consumo e inovações.

A Terphane focalizará inicialmente nos mercados de embalagens para alimentos (secos, úmidos, refeições pré-cozidas, para cozimento da embalagem, sopas, etc) e embalagens para não alimentos (medicamentos, produtos industriais, químicos, produtos de higiene pessoal e beleza, etc). A Terphane já está disponibilizando os novos materiais para teste em clientes. A linha da Toyobo completa a linha da Terphane, criando muitas possibilidades de estruturas de embalagem para variadas aplicações.

Desde a sua origem em 1976, a Terphane concentra-se no desenvolvimento de tecnologias e processos de fabricação de filmes especiais de poliéster biorientado (BOPET). Sua equipe possui experiência e conhecimento em produção, revestimento e metalização de filmes. A empresa se destaca ainda por uma cadeia verticalizada que vai desde a produção da resina até os filmes especiais. A Terphane faz parte do grupo industrial norte-americano Tredegar.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Terphane

Curta nossa página no </

Setor de Plásticos elege nova gestão do Sindiplast-ES para o triênio 2019/2022

26/01/2019

Foi eleita na última segunda-feira, 21, em uma votação com chapa única, a nova diretoria do Sindicato da Indústria de Material Plástico do Espírito Santo (Sindiplast-ES).  O grupo será empossado no mês de abril, com os empresários Jackley Maifredo (Maifredo Embalagens), na presidência; Giuliano Castro (Fibrasa), na vice-presidência; Gilmar Régio (Fibravit), no cargo de 1º diretor Administrativo; e Neviton Gasparini (Plastin), como 1º diretor Financeiro.

As eleições contaram com a participação de 52,38% dos associados habilitados, com a chapa assegurando a maioria dos votos. Jackley Maifredo substituirá Gilmar Régio na presidência da entidade. O empresário integra o setor de Plásticos desde 2005 e é responsável pela expansão da Maifredo Embalagens, indústria e distribuidora de embalagens e produtos químicos para as indústrias de bebidas, alimentos, cosméticos, fármacos e fitoterápicos.

Eleita para o período 2019-2022, a nova diretoria do Sindiplast-ES chega com a proposta de realizar uma gestão inovadora. “Trabalharemos para fortalecer o setor de Plásticos e a marca Sindiplast-ES, propor ações sociais e novas parcerias que sejam estratégicas para o setor. Será uma gestão inovadora e, para mim, um grande desafio”, destaca o presidente eleito.

Jackley Maifredo ressalta que é importante dar continuidade ao trabalho que já vem sendo realizado do Sindiplast-ES, com uma atuação articulada e planejamento. “Temos muitas possibilidades de parcerias que podem ser positivas para o setor de forma geral, inclusive no fortalecimento de ações voltadas para a reciclagem, parcerias com bancos, fornecedores, faculdades. Iremos buscar esses acordos para gerar mais resultados e conhecimentos para o setor”, finaliza.

Diretoria eleita do Sindiplast-ES (Gestão 2019/2022):

Presidente: Jackley Maifredo (Maifredo Embalagens)
Vice-presidente: Giuliano Castro (Fibrasa)
1º Diretor administrativo: Gilmar Régio (Fibravit)
2º Diretor administrativo: Edielson de Santana (Flexibras Tubos Flexiveis)
1º Diretor Financeiro: Neviton Gasparini (Plastin)
2º Diretor Financeiro: Vanderlei Paes (PMI South América)
Suplentes de Diretoria: Marllon Maykow Torres (Nova Forma), Celito Rogério Lima (Fibral), Barbara Esteves (Toplastic), Percio Brito (Bigflex)
Conselho Fiscal – Efetivos: Juscelino de Oliveira (Agrofit), Juliana Prado (Grupo Serrana), Ronaldo Esteves (Toplastic). Suplentes: Neviton Gasparini (Plastin) e Gilmar Régio (Fibravit).

Fonte: Assessoria de Imprensa – Sindiplast – ES

Curta nossa página no </

Kommerling lança sistema de fechamento de janelas de PVC sem perfis visíveis

26/01/2019

A Kommerling está introduzindo no mercado brasileiro o inovador sistema .PremiFold 76. Sem perfis visíveis, quando as janelas estiverem completamente abertas,o sistema proporciona uma visão inalterada do seu espaço ao ar livre. Conta com um sistema de “deslizamento e dobra” para aumentar significativamente a eficiência do movimento e a facilidade de uso, afirma a Kommerling. “

“A tecnologia PremiFold é uma grande revolução para as esquadrias de PVC no Brasil, principalmente por manter o desempenho térmico, acústico e de segurança, quando ela estiver totalmente fechada. Com capacidade de envidraçamento de até 50 mm, ele é ideal para fechamento de fachadas de prédios”, ressalta Tonia Lima, diretora da empresa no Brasil.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Kömmerling

Curta nossa página no </

Tomra Sorting Recycling cria posição gerencial para fortalecer foco na Nova Economia de Plásticos

25/01/2019

Nova nomeação reflete o compromisso da Tomra com a ambiciosa visão de uma economia circular

A Tomra Sorting Recycling promoveu o Engenheiro de Desenvolvimento de Negócios László Székely (foto) para o cargo recém-criado de Gerente de Nova Economia de Plásticos. Esta iniciativa reforça o compromisso da Tomra com os objetivos da Nova Economia de Plásticos (NPE) e orientará o progresso em direção a objetivos que são diferenciados das outras atividades de desenvolvimento de negócios da empresa.

A nova equipe de economia de plásticos da Tomra trabalhará para incentivar a triagem e a reciclagem de plásticos pós-consumo, como poliolefinas e estirênicos, para mudar a prática generalizada de queimar esses materiais ou enviá-los para aterros sanitários. A Tomra também está comprometida em trabalhar com fabricantes de embalagens para ajudar a tornar as embalagens mais amplamente recicláveis, reduzir a dependência da produção de embalagens de matérias-primas e contribuir para o impulso de modernização dos plásticos pós-consumo, de modo que haja maior uso de materiais reciclados do que virgens.

László Székely juntou-se à marca Titech da Tomra (sendo renomeada mais tarde de Tomra Sorting Recycling) em 2012, após concluir os estudos em gestão de resíduos e tratamento de áreas contaminadas na Technische Universität Dresden, na Alemanha. Atuando como Engenheiro de Desenvolvimento de Negócios, László atuou no desenvolvimento de separação de vidro de diferentes fluxos de resíduos, com responsabilidade conjunta pelo desenvolvimento de equipamento de seleção de vidro (Autosort Laser).

Ele também esteve envolvido no planejamento e construção das duas primeiras plantas automáticas de seleção de RSU (resíduos sólidos urbanos) na Hungria e ajudou duas grandes marcas na modernização de plásticos pós-consumo (Polipropileno). Desde 2017, a László está envolvido em projetos com foco em embalagens de poliolefinas pós-consumo, bandejas de PET e trabalho com empresas de embalagens e transformadores.

László Székely afirmou: “Estou muito contente pelo fato de que a minha dedicação e experiência tenham sido reconhecidas desta maneira, pois o progresso em direção à Nova Economia de Plásticos é muito importante”.

O trabalho da Nova Economia de Plásticos da Tomra também envolverá, em nível sênior, Jürgen Priesters, Vice-Presidente de Desenvolvimento de Negócios em Reciclagem; e a Engenheira de Desenvolvimento de Negócios, Charlotte Glassneck.

A visão da Nova Economia de Plásticos, que aplica os princípios da economia circular, foi criada pela Fundação Ellen MacArthur com três ambições: criar uma economia pós-uso de plásticos eficaz, melhorando a economia e a reciclagem, a reutilização e a biodegradação controlada para aplicações direcionadas; reduzir drasticamente a fuga de plásticos no meio ambiente (especialmente o oceano) e outros impactos negativos; e dissociar plásticos de matérias-primas fósseis. Embora esses objetivos tenham sido lançados em 2016 como uma iniciativa de três anos, eles criaram um impulso que inspirará a ação por muitos anos.

A Tomra Sorting Recycling projeta e fabrica sistemas de seleção por sensores para a indústria global de reciclagem e gestão de resíduos. Mais de 5.500 sistemas foram instalados em 80 países em todo o mundo. A Tomra Sorting é de propriedade da empresa norueguesa Tomra Systems ASA, fundada em 1972 e que possui hoje um volume de negócios de cerca de € 750m e emprega mais de 3.500 pessoas.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Tomra

Curta nossa página no </

RadiciGroup implementa “Operation Clean Sweep” para eliminar perdas de pós e grânulos de plásticos

25/01/2019

Operação visa eliminar perdas de pós e pellets plásticos em todas as plantas da área de negócios da Radici High Performance Polymers

Durante os últimos meses, todas as plantas produtivas da Área de Negócios do Radici Group High Performance Polymers assinaram um compromisso formal para se tornarem parceiros da Operation Clean Sweep (OCS), um programa internacional promovido por associações do setor de Plásticos que tem como objetivo evitar perdas de pellets e pós plásticos para o meio ambiente. O foco especial se dá no manuseio dos produtos e operações de transporte, desde a entrada na fábrica das matérias-primas até a saída de produtos semi-acabados destinados aos clientes.

“As perdas de plástico para o meio ambiente – sublinhou Danilo Micheletti, COO da RadiciGroup High Performance Polymers – são um problema que o nosso setor está enfrentando com ações e iniciativas de conscientização e medidas implementadas ao longo do tempo, que requerem compromissos concretos daa parte das empresas envolvidas dentro da cadeia de valor. O nosso Grupo também está engajado nesse desafio, que assumiu dimensões globais, aderindo a uma série de iniciativas das associações industriais, entre as quais a Operação Clean Sweep.

A Operação Clean Sweep é um programa industrial que envolve toda a cadeia de suprimentos, incluindo o transporte e a logística. A RadiciGroup High Performance Polymers decidiu aderir voluntariamente à iniciativa como parte da política de Sustentabilidade do Grupo.

A OCS é organizada em cinco fases principais – que não esgotam o programa, mas incentivam também as empresas associadas a “nunca baixar a guarda” e a buscar novas metas:

  • Compromisso: assinatura de um compromisso formal por parte da empresa.
  • Avaliação: realização de uma inspeção para avaliar a situação da empresa e analisar linhas de produção, armazéns, silos e áreas externas.
  • Melhorias: determinação das medidas necessárias para implementação com o objetivo de reduzir as perdas detectadas durante a avaliação.
  • Aumentar a conscientização: desenvolver a conscientização sobre o tema entre todos as pessoas ligadas ao trabalho – desde os funcionários até os fornecedores e transportadores.
  • Acompanhamento: realização de uma auditoria da empresa para verificar se as perdas foram efetivamente reduzidas.

“Em todas as nossas plantas ao redor do mundo – explicou Micheletti -, concluímos as fases de compromisso e avaliação e, embora tenhamos adotado várias precauções por algum tempo, notamos que ainda podemos melhorar. Já iniciamos a terceira e a quarta fases do OCS, seguindo as diretrizes do programa e colaborando com as associações industriais. Acreditamos que a fase de “aumento da conscientização” é fundamental para se atingirem objetivos cada vez mais ambiciosos e, por essa razão, estamos trabalhando em pensando em programas de treinamento especiais nos temas da OCS, levando em consideração as características peculiares de cada planta produtiva e as diferenças entre os países nos quais operamos”.

(*As associações de categoria que aderiram à OCS e são, portanto, referência para o RadiciGroup High Performance Polymers nos países em que está presente são: Plastics Europe, China Plastics Processing Industry Association, Abiplast, Plastics Industry Association (U.S), American Chemistry Council).

Com cerca de 3.000 empregados, um faturamento de 1,147 bilhões de euros em 2017 e uma rede de fábricas e sedes comerciais localizadas entre a Europa, a América do Norte e do Sul e a Ásia, o RadiciGroup é um dos líderes mundiais na produção de uma vasta gama de produtos químicos, polímeros de poliamida, tecnopolímeros, fibras sintéticas e não tecidos. Seus produtos encontram aplicação em múltiplos setores industriais entre os quais: automotivo, elétrico/eletrônico, bens de consumo, vestuário, mobiliário, construção civil, eletrodomésticos e setor esportivo.

Fonte: Assessoria de Imprensa – RadiciGroup

Curta nossa página no </

Salvador recebe instalação PlastCoLab no Shopping da Bahia

25/01/2019

Iniciativa gratuita destaca projetos locais que unem inovação e a versatilidade do plástico

Após receber cerca de 15 mil pessoas em São Paulo e Porto Alegre, o PlastCoLab desembarca em Salvador, escolhida como a primeira capital nordestina a ser palco da atração. A iniciativa, que reúne interatividade, inovação e tecnologia, mostra quanto o plástico, nas mãos dos makers e utilizado de forma criativa e responsável, é um material nobre para projetos que podem transformar o nosso futuro. A atração gratuita funciona desde ontem, 24 de janeiro, e ficará disponível para visitaras até 3 de fevereiro, das 9h às 22 horas, no Shopping da Bahia.

O PlastCoLab tem cores e instalações inspiradas no icônico cubo mágico, brinquedo famoso dos anos 80 e símbolo da cultura geek. Na estação azul funcionam atrações soteropolitanas, assinadas por makers locais como o o boneco Animatronics, um reprodutor do gestual da fala que mostrará as inúmeras possibilidades da robótica e o Antigravidade, que tem como proposta despertar a curiosidade por movimentos aparentemente impossíveis. Na mesma estação, o Robô Resolvedor de Cubo Mágico promete desvendar os segredos do símbolo geek em poucos segundos.

A Horta com Inteligência Programada é uma das estrelas da estação verde. O curioso equipamento, produzido com 100% de plástico reaproveitado, apresenta o conceito da hidroponia – técnica que cultiva plantas na água – de forma simples e didática, otimizando por completo o recurso hídrico. Além da horta, os visitantes também podem conhecer o captador de energia solar Girassol, que mostra como o plástico torna mais acessível o uso deste tipo de recurso.

Na estação vermelha é possível observar uma impressora 3D em funcionamento, produzindo os mais diferentes objetos com filamentos plásticos, além de assistir a um vídeo que tem como objetivo apresentar todos os detalhes da ação.

Já na estação laranja, o público tem acesso à mesa interativa, com a caneta de impressão 3D, que convida os visitantes a soltarem a imaginação e a criarem as mais diferentes formas. Na superfície também são encontrados diversos outros brinquedos inteligentes, disponíveis para serem manuseados. Este também é o espaço dos personagens do jogo EckoBlocks feitos por meio de impressão 3D. O jogo, disponível para plataformas mobile, tem como objetivo engajar crianças sobre a importância da reciclagem.

No PlastCoLab é possível ver e interagir com o que há de mais moderno no ambiente maker como, por exemplo, o Robô BEO, um robô inteiro confeccionado em plástico que dança e interage com as pessoas, respondendo perguntas e executando ações solicitadas por elas.

“A Bahia, com sua tradição cultural, receberá o PlastCoLab, que leva de modo interativo e moderno a alta tecnologia e contemporaneidade dos produtos que utilizam o plástico como matéria-prima, explorando a criatividade local e enfatizando as novidades do setor plástico,”diz José Ricardo Roriz Coelho, presidente da ABIPLAST.

“É muito gratificante poder trazer a 3ª edição dessa iniciativa para a Bahia, estado onde a indústria do plástico é tão importante. Nosso propósito é reforçar nesta comunidade a cultura maker, mostrar como o plástico é fundamental como tendência para o desenvolvimento de projetos inovadores, sustentáveis e acessíveis”, diz Fabio Santos, Diretor executivo da Braskem.

Serviço:
PlastCoLab
Data: 24 de janeiro a 3 de fevereiro
Horário: das 9 às 22 horas
Local: 2º Piso do Shopping da Bahia, Av. Tancredo Neves, 148, Caminho das Árvores.
Quanto: Gratuito.

O Plano de Incentivo à Cadeia do Plástico (PICPlast) é uma iniciativa criada em 2013 pela Braskem e pela ABIPLAST, Associação Brasileira da Indústria do Plástico, e prevê o desenvolvimento de programas estruturais que contribuam com a competitividade e o crescimento da transformação plástica. Baseado em três pilares: aumento da competitividade e inovação do setor de transformação, estímulo às exportações de transformados plásticos e promoção das vantagens do plástico, o PICPlast também conta com investimentos voltados ao reforço na qualificação profissional e na gestão empresarial.

No pilar de vantagens do plástico, as frentes de trabalho são voltadas para reciclagem, estudos técnicos, educação e comunicação, com destaque para o Movimento Plástico Transforma.

Fonte: Assessoria de Imprensa – PICPlast

Curta nossa página no </

BASF é cofundadora da Alliance to End Plastic Waste

17/01/2019

  • Aproximadamente 30 empresas da cadeia de valor do plástico e bens de consumo alocaram mais de 1 bilhão de dólares para ajudar a acabar com o resíduo plástico no meio ambiente
  • BASF apoia a Alliance to End Plastic Waste para disponibilizar soluções que ajudem a resolver o problema mundial de resíduos plásticos

A BASF se tornou hoje cofundadora de uma aliança global de aproximadamente 30 empresas para promover soluções que reduzam e eliminem os resíduos plásticos descartados no meio ambiente, principalmente no oceano. A Alliance to End Plastic Waste (AEPW) comprometeu-se com mais de 1 bilhão de dólares e tem a meta de investir até 1,5 bilhão de dólares nos próximos cinco anos para ajudar a eliminar o resíduo plástico no meio ambiente. Novas soluções serão desenvolvidas e colocadas em escala para minimizar e manejar o resíduo plástico, incluindo a promoção de soluções para plásticos já utilizados, ativando a economia circular.

“Damos imenso apoio aos esforços para reduzir os resíduos plásticos no meio ambiente”, afirma o Dr. Martin Brudermüller, presidente do Conselho Diretivo e diretor de tecnologia da BASF SE, que forneceu suporte para a criação da aliança desde o início. “Somos cofundadores da Alliance to End Plastic Waste pois queremos desenvolver e promover soluções que ajudarão efetivamente a resolver o problema mundial de resíduos plásticos”, explica Brudermüller. “Os plásticos são materiais eficientes que podem economizar recursos e trazer benefícios em saúde, segurança e conveniência para a sociedade. Tais benefícios podem ser contraditórios caso os plásticos e seus resíduos não forem usados, descartados ou reciclados de maneira responsável”.

Entender de onde vem o resíduo plástico é fundamental. Pesquisas realizadas pela Ocean Conservancy mostram que os plásticos no oceano se originam predominantemente dos resíduos em terra. A maior parte do resíduo plástico é disseminada pelos rios, podendo ser rastreada a dez grandes rios ao redor do mundo, principalmente na Ásia e na África. Muitos desses rios percorrem áreas com alta densidade populacional, onde há falta de infraestrutura adequada para coleta e reciclagem de resíduos, levando a um significativo vazamento. A AEPW irá iniciar ações onde há maior necessidade, incluindo projetos que contribuam para soluções em quatro áreas principais:

  • Desenvolvimento de infraestrutura para realizar o manejo dos resíduos e aumentar a reciclagem;
  • Inovação para desenvolver e escalar novas tecnologias que reciclem e recuperem plásticos mais facilmente, criando valor por meio dos plásticos pós-uso;
  • Educação e engajamento de governos em todos os níveis, empresas e comunidades para mobilizar ações; e
  • Limpeza de áreas onde há concentração de resíduos plásticos no meio ambiente, especialmente nos principais disseminadores de resíduos, como os rios, que transportam resíduos terrestres para o oceano.

“Todos concordam que os resíduos plásticos não pertencem aos nossos oceanos ou qualquer lugar no ambiente. Este é um desafio global complexo e sério que exige uma ação rápida e uma liderança forte. Essa nova aliança é o esforço mais abrangente até o momento que visa eliminar os resíduos plásticos do meio ambiente”, afirma David Taylor, CEO da Procter & Gamble, e presidente da AEPW.

A aliança é uma organização sem fins lucrativos que inclui empresas de toda a cadeia de valor global de plásticos e bens de consumo: fabricantes de produtos químicos e plásticos, empresas de bens de consumo, varejistas, convertedores e empresas de manejo de resíduos. A aliança trabalhará com governos, organizações intergovernamentais, universidades, organizações não-governamentais e sociedade civil, para investir em projetos conjuntos para eliminar os resíduos plásticos do meio ambiente.

O engajamento da BASF com a aliança reforça o comprometimento da empresa com um manejo responsável de plásticos. “Uma medida importante para acabar com a entrada descontrolada de plásticos no meio ambiente é criar círculos fechados onde o plástico possa ser usado como uma nova matéria-prima. A indústria química desempenha um papel importante na inovação e implementação de processos em grande escala para converter resíduos plásticos em novos produtos”, completa Brudermüller.

O recém-iniciado projeto ChemCycling é um exemplo de como a BASF está desenvolvendo tecnologias inovadoras que promovem a recuperação e reciclagem de plásticos. Juntamente com os seus clientes e parceiros, a BASF desenvolveu e fabricou os primeiros produtos baseados em resíduos plásticos quimicamente reciclados.

A BASF também está implementando ativamente o programa internacional Operation Clean Sweep® em todas as suas unidades de produção de pellets de plástico no mundo, visando prevenir a perda de pellets de plástico ao longo da cadeia de valor, por meio de medidas comportamentais, organizacionais e técnicas. Além disso, a BASF participa de várias colaborações e projetos de associações (por exemplo, World Plastics Council,Ellen MacArthur Foundation, CEFLEX) sobre manejo de resíduos e educação.

As seguintes empresas são membro-fundadoras da Alliance to End Plastic Waste: BASF, Berry Global, Braskem, Chevron Phillips Chemical Company LLC, Clariant, Covestro, CP Group, Dow, DSM, ExxonMobil, Formosa Plastics Corporation USA, Henkel, LyondellBasell, Mitsubishi Chemical Holdings, Mitsui Chemicals, NOVA Chemicals, OxyChem, PolyOne, Procter & Gamble, Reliance Industries, SABIC, Sasol, Shell, Suez, SCG Chemicals, Sumitomo Chemical, Total e Veolia.

Fonte: BASF / Alliance to End Plastic Waste

Curta nossa página no </

Braskem adere a Aliança global para combater descarte de resíduo plástico no meio ambiente

16/01/2019

Organização sem fins lucrativos que inclui toda a cadeia de valor do plástico planeja investir até US$ 1,5 bilhão em cinco anos

A Braskem se juntou a um grupo de cerca de 30 grandes empresas em uma iniciativa para ajudar a acabar com os resíduos de plástico no meio ambiente. A Aliança para o Fim dos Resíduos Plásticos – em inglês, Alliance to End Plastic Waste (AEPW) -já inicia suas atividades dedicando US$ 1 bilhão (R$ 3,7 bilhões) a projetos e desenvolvimento de tecnologias para acabar com o descarte de plásticos no meio ambiente, especialmente nos oceanos. A Aliança (www.endplasticwaste.org) foi lançada hoje (16/01/19) e tem a meta de aumentar o investimento para até US$ 1,5 bilhão (R$ 5,5 bilhões) nos próximos cinco anos.

“Nenhum de nós deseja um meio ambiente repleto de resíduos plásticos. Este é um desafio global sério e complexo que exige ações rápidas e forte liderança. Esta nova Aliança é o esforço mais abrangente já feito para dar fim ao descarte de plásticos no meio ambiente”, disse Fernando Musa, presidente da Braskem. “O plástico é um material extremamente eficiente que ajuda a minimizar nosso impacto no meio ambiente em quase todos os aspectos da vida moderna. Mas precisamos trabalhar para minimizar o descarte, assim como para reciclar e recuperar o plástico depois de usado.”

Essa iniciativa ocorre na sequência do anúncio do posicionamento realizado pela Braskem a favor da Economia Circular, que definiu iniciativas próprias para ampliar sua atuação em reciclagem e na produção de novas resinas renováveis. Além disso, a empresa anunciou o esforço em prol de novas tecnologias e modelos de negócios que privilegiem o reuso do plástico.

Agora a Braskem se une à Aliança, que é uma organização sem fins lucrativos e inclui toda a cadeia de valor dos plásticos: empresas que produzem, utilizam, vendem, processam, coletam e reciclam plásticos. Isso inclui fabricantes de químicos e plásticos, transformadores, companhias de bens de consumo, revendedores e empresas que trabalham com gestão de resíduos. A Aliança tem como parceiro estratégico o Conselho Empresarial Mundial para o Desenvolvimento Sustentável.

Entre os projetos iniciais anunciados pela aliança destacam-se as parcerias com prefeituras de diversas cidades para projetar sistemas integrados de gestão de resíduos em grandes áreas urbanas com baixa infraestrutura, especialmente aquelas onde há rios que transportam vastas quantias de resíduos plásticos do continente para o oceano.

Além disso, ela vai colaborar com organizações intergovernamentais, como as Nações Unidas, e custear a rede de incubadoras da Circulate Capital para desenvolver e promover tecnologias, modelos de negócios e empreendedores que trabalham pela prevenção de plásticos no oceano e pela gestão de resíduos e reciclagem, entre outras iniciativas.

As empresas a seguir são membros fundadores da Aliança: a brasileira Braskem, BASF, Berry Global, Chevron Phillips Chemical Company LLC, Clariant, Covestro, Dow, DSM, ExxonMobil, Formosa Plastics Corporation, U.S.A., Henkel, LyondellBasell, Mitsubishi Chemical Holdings, Mitsui Chemicals, NOVA Chemicals, OxyChem, PolyOne, Procter & Gamble, Reliance Industries, SABIC, Sasol, SUEZ, Shell, SCG Chemicals, Sumitomo Chemical, Total, Veolia, e Versalis (Eni).

Fonte: Braskem

Curta nossa página no </

Termotécnica vence prêmio internacional de embalagem WorldStar 2019

16/01/2019

A Termotécnica é uma das vencedoras do WorldStar 2019, um dos mais importantes prêmios do mercado de embalagens. Concorrendo com outras 319 embalagens, de 35 países, a conservadora “DaColheita” para cumbucas de frutas reduz o desperdício de alimentos e venceu em duas categorias: Food e Save Food. Segundo a Termotécnica, a categoria SaveFood está alinhada com a iniciativa da ONU de mesmo nome que tem o objetivo de reduzir o desperdício de alimentos.

A conservadora “DaColheita” é uma embalagem desenvolvida em EPS e 100% reciclável. A Termotécnica afirma que a solução permite alto isolamento térmico e a ampliação em até 30% da vida de prateleira das frutas, mantendo suas propriedades nutricionais. Segundo a empresa, a eficácia da conservadora tem sido comprovada na prática por produtores de uva do Vale do São Francisco, tanto para o mercado interno quanto para exportação, que já utilizam a embalagem.

Certificados por testes em laboratórios europeus, o uso da embalagem resulta em redução de perdas e desperdício de alimentos, afirma a Termotécnica, o que torna a solução adequada para acondicionar as frutas da colheita até o consumidor, reduzindo a absorção de impactos no transporte e ainda podendo ser utilizada como embalagem expositora no ponto de venda.

Save Food

A iniciativa da ONU que faz parte dos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da organização, propõe reduzir pela metade, até 2030, “o desperdício de alimentos per capita mundial, nos níveis de varejo e do consumidor, e reduzir as perdas de alimentos ao longo das cadeias de produção e abastecimento, incluindo as perdas pós-colheita”. De acordo com a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), um terço de toda a comida produzida no mundo é desperdiçada. Este volume seria suficiente para alimentar todas as pessoas que passam fome.

Foi pensando na cadeia produtiva e nas possibilidades de redução de perdas que a Termotécnica desenvolveu a embalagem “DaColheita”, vencedora do prêmio. Este tipo de iniciativa é pouco explorada no Brasil, o que faz da Termotécnica uma pioneira no desenvolvimento de soluções que levem em consideração a qualidade e manutenção do frescor das frutas.

O prêmio

Organizado pela World Packaging Organisation, entidade que reúne associações de embalagens de todo o mundo, o prêmio de reconhecimento dos vencedores será entregue no dia 15 de maio, em Praga, na República Tcheca.

A Termotécnica é a maior indústria transformadora de EPS da América Latina e líder no mercado brasileiro deste segmento. Produz soluções para Embalagens e Componentes, Conservação, Agronegócios, Cadeia de Frio, Movimentação de Cargas e Construção Civil. Aos 57 anos, a empresa possui matriz em Joinville (SC) e unidades de produtivas e de reciclagem em Manaus (AM), Petrolina (PE), Rio Claro (SP) e São José dos Pinhais (PR).

Fonte: Termotécnica

Curta nossa página no </