Expositores de 5 países e 14 cidades brasileiras estão confirmados na Euromold Brasil 2016

28/07/2016

Interplast_Euromold

De 16 a 19 de agosto acontece em Joinville (SC) a EuroMold Brasil – Feira Mundial de Construtores de Moldes e Ferramentas, Design e Desenvolvimento de Produtos. A terceira edição tem a confirmação de expositores de cinco países – Brasil, China, México, Portugal e Suécia – e 14 cidades brasileiras.

Com o lema “Da ideia à produção em série”, a feira está com todos os setores da cadeia de desenvolvimento de produtos representados. A cadeia engloba: design, materiais, simulação, visualização, engenharia, realidade virtual, CAD & CAM, prototipagem rápida, construção de protótipos e modelos, modelação e ferramentaria, equipamentos, máquinas ferramenta, garantia de qualidade e automação, além de processos e acabamentos.

Pela representatividade ao setor, o evento faz parte do calendário de diversas empresas. “Entendemos que a Euromold Brasil é a única feira para o segmento de ferramentais. Por isso também é a única que participamos”, ressalta Thiago Hobus de Freitas, diretor comercial da GTF.

Moisés dos Reis Melo, diretor da MM Representações, representante exclusivo da Oasis Technology na América do Sul desde 2010, também destaca a importância da Euromold Brasil. “É a terceira vez que participamos. É uma forma de em poucos dias reunir uma variedade grande de clientes e interessados em desenvolvimento de moldes em um mesmo lugar”.

A Euromold Brasil acontece simultaneamente à 9ª Interplast, feira voltada ao setor plástico, e possui o apoio da ABIMAQ, Abinfer e ABNT. Mais informações, acesse http://www.euromoldbrasil.com.br.

Serviço

  • EUROMOLD BRASIL – Feira Mundial de Construtores de Moldes e Ferramentarias, Design e Desenvolvimento de Produtos – http://www.euromoldbrasil.com.br
  • Data: 16 a 19 de agosto de 2016
  • Horário: 14 às 21 horas
  • Local: Expoville – Joinville-SC – Brasil
  • Organização: Messe Brasil

Fonte: Assessoria de Imprensa – Messe Brasil

Curta nossa página no

Grupo Solvay comemora feito: avião movido a energia solar completa a volta ao mundo e demonstra a eficácia das tecnologias sustentáveis

26/07/2016

Solvay_solar impulse3

Inovação têxtil brasileira, desenvolvida pela Rhodia, o Emana também fez parte dessa aventura

O Grupo Solvay celebra a façanha de Bertrand Piccard e André Borschberg, que completaram hoje (26/07) a volta ao mundo no comando do Solar Impulse 2 (Si2), avião movido a energia solar. O regresso a Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos, depois de uma viagem de 40.000 quilômetros tendo a energia solar como único combustível, representa o final de uma aventura extraordinária na qual o Grupo Solvay investiu desde o início.

Em uma carta entregue aos dois pilotos, logo após a aterrisagem em Abu Dhabi, o CEO do Grupo Solvay, Jean-Pierre Clamadieu, fez um agradecimento especial aos líderes dessa aventura. “Em nome de todos os empregados da Solvay, gostaria de dizer um grande obrigado por estes 12 anos extraordinários, repletos de sonhos, desafios, grandes e pequenas vitórias tecnológicas. Dia após dia, sua energia e personalidade notáveis foram fundamentais para o sucesso desse projeto”, disse Clamadieu na carta.

Primeiro parceiro do projeto, a partir de 2004, o Grupo Solvay colocou a serviço do Solar Impulse todo seu conhecimento e capacidade de inovação. No total, 15 produtos do Grupo Solvay estão em 6000 peças e partes do avião, permitindo o armazenamento e otimização do consumo de energia e a redução do peso da aeronave. O Grupo colocou no avião uma série de materiais plásticos e polímeros ultra-resistentes, além de compósitos que compõem a longarina e estabilizadores traseiros, tornando mais leve a aeronave.

O Brasil também fez parte dessa aventura, com a inovação têxtil Emana, desenvolvida pela Rhodia, empresa do Grupo Solvay. O fio têxtil foi utilizado na confecção de uma “segunda pele”, utilizada por baixo do uniforme de vôo, atuando para retardar o aparecimento da fadiga muscular — um fator tremendamente importante nesse tipo de voo em um cockpit de dimensões reduzidas, que restringe a movimentação do piloto.

“Todos os materiais que desenvolvemos e estão no Solar Impulse reforçam a nossa convicção de que a química fornece soluções eficazes para o desenvolvimento sustentável das nossas sociedades. O Grupo Solvay pretende mais do que nunca continuar a ser uma ponte entre a ciência e o progresso sustentável. “, acrescentou Clamadieu.

Quase todos os produtos desenvolvidos pela Solvay para este “laboratório voador” já estão disponíveis na vida cotidiana, em produtos fabricados para diversos mercados, tais como automotivo, aeronáutica e aeroespacial, construção, têxteis e smartphones e outros dispositivos inteligentes.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Solvay

Curta nossa página no

Covestro introduz nova marca para componentes de poliuretanos sintetizados a partir de CO2

22/07/2016
Na conferência recente da EUROPUR, a Covestro recebeu o Prêmio de Sustentabilidade pelos seus componentes de poliuretanos baseados em CO2, que agora estão sendo comercializados sob a marca cardyon®. O diretor do projeto Dr. Karsten Malsch (segundo a partir da direita) e seus colegas Dr. Lutz Brassat, Dr. Stefan Lindner and Matthaeus Gossner (a partir da esquerda) recebem o prêmio de Jean-Pierre de Kesel (Recticel), um membro do júri.

Na conferência recente da EUROPUR, a Covestro recebeu o Prêmio de Sustentabilidade pelos seus componentes de poliuretanos baseados em CO2, que agora estão sendo comercializados sob a marca cardyon®. O diretor do projeto Dr. Karsten Malsch (segundo a partir da direita) e seus colegas Dr. Lutz Brassat, Dr. Stefan Lindner and Matthaeus Gossner (a partir da esquerda) recebem o prêmio de Jean-Pierre de Kesel (Recticel), um membro do júri.

Ao utilizar o dióxido de carbono para síntese de poliuretanos, a Covestro está ajudando na preservação de recursos fósseis escassos, além de fechar o ciclo do carbono. A empresa desenvolveu uma nova tecnologia que utiliza o gás carbônico para produzir substâncias usadas na produção de espumas. Com a marca cardyon®, a Covestro agora oferece a seus clientes na indústria de poliuretano a oportunidade de reduzir sua dependência do petróleo e, portanto, reduzir sua pegada de carbono.

“Nossos clientes buscam matérias-primas mais sustentáveis, mas exigem a mesma qualidade dos componentes convencionais”, explica o gerente do projeto, Dr. Karsten Malsch. “O cardyon® é uma alternativa igual aos produtos convencionais. Ao mesmo tempo, os clientes podem se diferenciar dos competidores com o nosso produto”.

Produto premiado

A tecnologia rendeu à Covestro o Prêmio de Sustentabilidade da EUROPUR, a Associação Européia dos Fabricantes de Blocos de Espuma Flexível de Poliuretano, no encontro de 50 anos da associação.

A Covestro iniciará em breve a operação em sua primeira fábrica de polióis poliéteres à base de Co2 em seu site em Dormagen, na Alemanha. A unidade será responsável pela produção de matérias-primas para produtos como espumas flexíveis de poliuretano usados em colchões e móveis.

A Covestro continua trabalhando em parceria com a indústria e com universidades para desenvolver novos componentes e potenciais aplicações para os poliuretanos à base de CO2.

Com vendas de EUR 12,1 bilhões em 2015, a Covestro está entre as maiores empresas de polímeros do mundo. Os principais segmentos atendidos são o automotivo, eletroeletrônico, construção civil e a indústria de esporte e lazer. A Covestro, antiga Bayer MaterialScience, possui 30 unidades fabris em todo o mundo e, no final de 2015, empregava aproximadamente 15.800 pessoas.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Covestro

Curta nossa página no

Transformador coreano expande uso de linha de extrusão da battenfeld-cincinnati para produção de chapas para termoformagem ; máquinas serão apresentadas durante a Feira K 2016

22/07/2016

battenfeld-cincinnati

Baterias de rolos também serão apresentadas no stand da empresa durante a Feira K, em Düsseldorf

Na Coréia, a Dongjin é considerada como o maior fabricante de embalagens termoformadas. A maior parte da produção é exportada, mas também há comercialização de uma parcela no mercado interno. Os mercados principais são o EUA e o Japão. Através da expansão de sua planta, a Dongjin busca aumentar o seu portfolio de produtos e intensificar sua presença no mercado.

A Dongjin tem uma parceria com a battenfeld-cincinnati que já dura mais de 20 anos. Para produção de chapas, a Dongjin utiliza sete linhas da battenfeld-cincinnati: duas linhas de 7 camadas e cinco linhas de coextrusão simples – duas para PS, duas para PP ou PS e uma para PET. Uma nova linha de 3 camadas para fabricação de chapas de PS e PP com a bateria de rolos Multi-Touch será adicionada em um futuro próximo. E uma segunda linha de 3 camadas, também com baterias de rolos Multi-Touch, foi encomendada recentemente. Esta última fabricará chapas de PE, PP e PS num intervalo de espessura entre 0,35 a 2,0 mm para aplicações de termoformagem com um produção dee até 1500 kg/h. “Com a primeira linha Multi-Touch de alto desempenho, temos a capacidade de produzir 40% da chapa necessária e com custos de energia mais reduzidos”, afirma Song Seok Hwan, Presidente e CEO da Dongjin.

Graças à nova linha de extrusão de alto desempenho, o transformador agora necessita comprar de fornecedores externos uma quantidade significativamente menor de chapas, afirma a battenfeld-cincinnati. Isto traz uma grande vantagem, particularmente pelo fato de que os custos de investimento são pagos através da economia de energia. A linha completa precisa de aproximadamente 15-20% a menos de energia do que uma linha de extrusão de chapas convencional, assegura o fabricante de máquinas.

Segundo a battenfeld-cincinnati, a extrusora de alta velocidade é o principal responsável pela economia de energia, que é o segundo componente-chave da linha ao lado da bateria de rolos Multi-Touch. Com um diâmetro de rosca de 75 mm e um comprimento da unidade de processamento de 40 D , a extrusora atinge um fluxo de processamento até 2.000 kg/h, dependendo do material processado. O fabricante assegura que, graças ao design otimizado da rosca e cilindro, a extrusora provê uma ótima qualidade do material fundido mesmo com rotações elevadas de até 1200 rpm, criando, assim, condições para uma elevada qualidade do produto.

Qualidade combinada com elevada transparência, planicidade e espessura uniforme da chapa são hoje os parâmetros procurados pela indústria da embalagem. A bateria de rolos Multi-Touch foi projetada especialmente com isto em mente, afirma a battenfeld-cincinnati. Ao contrário de baterias de 3 rolos convencionais, a nova bateria trabalha com uma grande quantidade de espaços entre cilindros para assegurar uma refrigeração confiável e calibragem do lado superior e inferior da chapa, segundo a empresa. Na bateria de rolos Multi-Touch, a chapa passa primeiro através de uma unidade de pré-calibragem, constituída por dois cilindros grandes. Em seguida, a chapa entra na recalibragem, que está equipada com opções de 3, 5 ou 7 cilindros pequenos. Devido ao contato constante com os rolos, a chapa quase não apresenta orientação e um perfil de espessura particularmente uniforme, com uma acurácia de ± 1%, assegura a battenfeld-cincinnati. Isto contribui para a eficiência da linha, pois se pode alcançar economias significativas de matéria-prima, em comparação com linhas de extrusão de chapas convencionais

A battenfeld cincinnati afirma que, através do seu conceito de linha Multi-Touch, atende adequadamente às necessidades da indústria de embalagem em relação a chapas de alta qualidade produzidas em grande volume e com baixo consumo de energia.

A battenfeld-cincinnati fará a apresentação desta linha de produtos na feira de plásticos K 2016, neste ano, em Düsseldorf. Sob o lema “driven by innovation”, serão também apresentados os mais recentes avanços, ao lado de outros conceitos de máquinas já provados para o setor da embalagem.

Sobre a Dongjin Co., Ltd: A Dongjin crescido continuamente desde a sua fundação em 1975 e, ao mesmo tempo, tem ampliado constantemente a sua gama de produtos. Atualmente, o transformador emprega cerca de 450 colaboradores e produz produtos de embalagem, tais como chapas extrudadas, vasilhas termoformadas, artigos ocos moldados por sopro e copos injetados. Além de três unidades de produção na Coreia, o fabricante mantém unidades em Los Angeles/EUA e Yantai/China.

Sobre a battenfeld-cincinnati: O grupo battenfeld-cincinnati é um dos principais fabricantes mundiais de extrusoras e linhas completas de extrusão sob medida para atender às especificações dos clientes. A empresa oferece uma variedade de equipamentos nas áreas de tubos, perfis, chapas, chapas termoformadas e granulação. Os sites de produção estão localizados na Alemanha, Áustria, China e EUA.

Fonte: Assessoria de Imprensa – battenfeld-cincinnati

Curta nossa página no

Huntsman lança novo pigmento de dióxido de titânio para aplicações em plásticos durante Prévia da Feira K em Düsseldorf

22/07/2016

Um novo pigmento de dióxido de titânio (TiO2) está disponível para os formuladores da indústria de plásticos. Segundo a Huntsman, fabricante do pigmento, o Tioxide® TR48 é um grade novo de TiO2 com ótimas propriedades colorísticas, que foi concebido para um bom processamento mesmo a temperaturas elevadas. O produto foi projetado como parte da família Tioxide® TR28, que tem uma longa história de desempenho de processamento numa ampla gama de sistemas de plásticos.

Projetado para utilização na produção de masterbatches de poliolefinas, de filmes de BOPP e de compostos de engenharia, o Tioxide® TR48 é fácil de dispersar, tem ótimas capacidades de redução de matiz e foi desenvolvido com formulações de baixo teor de compostos orgânicos voláteis (VOC), afirma a Hunstsman.

As aplicações típicas para o Tioxide® TR48 incluem sistemas de embalagens convencionais e premium e a produção de peças de plástico para dispositivos eletrônicos de consumo e para a indústria automotiva.

O Tioxide® TR48 é um de uma série de novos produtos inovadores nos quais a Huntsman está trabalhando para melhorar a sua gama de pigmentos de TiO2 para a indústria de plásticos. Sob suas marcas Tioxide® e Sachtleben®, a Huntsman oferece uma gama de pigmentos brancos para uso em diferentes indústrias. Desenvolvidos ao longo de muitos anos, os pigmentos Tioxide® e Sachtleben® são conhecidos por seu desempenho em uma ampla gama de sistemas de masterbatches, compostos e processamento de plásticos.

O Tioxide® TR48 foi apresentado na prévia da feira K, em Düsseldorf, Alemanha, na terça-feira 28 de junho e estará disponível comercialmente em 2017.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Huntsman

Curta nossa página no

Wortex promove linha de reciclagem de plásticos durante a Interplast 2016

21/07/2016

Wortex-Challenger-RecyclerDurante a Interplast 2016, que ocorrerá de 16 a 19 de agosto em Joinville/SC, a Wortex estará promovendo sua linha de máquinas recicladoras, além de moinhos e roscas / cilindros para injetoras, sopradoras e extrusoras.

Na área de reciclagem, a Wortex apresentará a sua Linha Challenger Recycler (foto). Segundo a empresa, a linha Challenger é capaz de processar com baixo custo operacional uma grande variedade de resíduos de filmes lisos, impressos e metalizados, tais como PELBD, PEBD, PEMD, PEAD, BOPP, PP, PVC, Ráfia, Não Tecidos, Nylon e Filmes de multicamadas. Materiais sólidos de injeção e sopro podem também ser dosados no filme. Os equipamentos da linha Challenger Recycler utilizam sistemas de alimentação forçada, o que permite o processamento do material sem a necessidade de aglutinação. Segundo a Wortex, o sistema de granulação da Challenger é adequado às matérias-primas a serem processadas, assegurando uma maior produtividade, uniformidade dos grãos e qualidade do produto final.

Os Moinhos da Wortex que serão divulgados na Interplast estão disponíveis com comprimentos de rotores de 600, 900 e 1200mm. Eles possuem corte em “V” com facas rotativas e fixas que são ajustadas fora do moinho através de dispositivo de alinhamento, evitando assim ajustes dentro do moinho.

Durante a feira, também serão apresentados cilindros e roscas (monos e duplos) bimetálicos e nitretados para máquinas de injeção, sopro e extrusão. São executados em equipamentos de precisão, com diâmetros de 25mm a 400mm e comprimentos de até 8.000mm. A Wortex afirma que os aços são submetidos a tratamentos especiais, adequados à matéria prima processada. Segundo a empresa, ligas bimetálicas incorporadas nas roscas e cilindros proporcionam longa durabilidade, precisão de alinhamento e de concentricidade e resistência à abrasão e corrosão.

Projetos especiais de cilindros e rosca (mono e dupla) também podem ser desenvolvidos pela Wortex, de acordo com a necessidade de cada cliente (produtividade, plastificação, homogeneização, mudanças de resinas, etc.). O uso de cilindros especiais oferece maior produtividade por Kg/h / ampere, maior capacidade de plastificação e homogeneização, maior controle da massa fundida, diminuição de ciclos e taxa de rejeição e melhor qualidade do material extrusado, entre outros benefícios.

Fundada em 1976, na cidade de Campinas (SP), a Wortex (www.wortex.com.br) é uma empresa 100% nacional e fabrica equipamentos para extrusão, reciclagem, acessórios, moinhos, roscas e cilindros.

Fonte: Wortex

Curta nossa página no

Cromex apresentará linha completa de serviços e produtos para a transformação de plásticos na Interplast 2016

21/07/2016

A empresa vai levar para a região Sul os últimos lançamentos em cores e aditivos para plásticos isentos de metais pesados

Cromex-InterplastA Cromex, empresa brasileira do segmento de masterbatches de cores e aditivos para plásticos, participará da Interplast 2016 (Rua F, Stand 248), a ser realizada entre os dias 16 e 19 de agosto em Joinville, SC. A feira reúne paralelamente um congresso técnico, uma rodada de negócios e a feira EuroMold para a América Latina.

Em sua 9ª participação na Interplast, a empresa vai apresentar toda a sua gama de soluções para 18 diferentes setores da economia em que os plásticos estão inseridos (agricultura, construção civil, embalagens, automotivo, cosmético, higiene e limpeza, brinquedos, linha branca, etc). Essas linhas de produtos abrangem aplicações que atendem variados critérios técnicos, com as linhas de masterbatches brancos, pretos, aditivos, especialidades e de cores. Além das cores tradicionais, existem as com efeitos especiais como pigmentos perolados, metalizados, policromáticos e fluorescentes.

Com uma equipe de vendedores distribuidores e assistência técnica regionais, o foco da companhia é estreitar o relacionamento com clientes e parceiros locais, assim como conquistar novas oportunidades. Dona de uma cultura exportadora, a Cromex afirma comercializar seus produtos para mais de 60 países. Atualmente 25% dos negócios da empresa são voltadas aos mercados externos.

Inovação e Sustentabilidade – Segundo a Cromex, todos os seus concentrados coloridos são isentos de metais pesados. Os masterbatches isentos de metais pesados foram desenvolvidos para agregar ainda mais valor ao produto final dos transformadores plásticos, sem agredir o meio ambiente no momento do descarte do mesmo, devido ao fato de não possuir substâncias consideradas perigosas e não contaminar solo ou água com metais pesados.

Soluções Cromex – Outro destaque na exposição da Cromex será a linha para BOPP (brancos, aditivos e cargas minerais), de alto desempenho técnico, desenvolvidos de acordo com as necessidades da indústria.

A linha de produtos BOPP atende à produção de filmes em geral, na aplicação de rótulos para refrigerantes, embalagens de sorvetes de palito, chocolates, snacks, bolachas, biscoitos, café, entre outros.

Para fabricação de filmes de BOPP, a Cromex apresentará produtos com efeitos opaco perolado, opaco branco e opaco branco de baixa densidade. Segundo a Cromex, a empresa dispõe de uma tecnologia de aditivação com um ativo mineral inorgânico de características especiais, que, agregada à biorientação, confere efeito perolado às embalagens de BOPP.

Os produtores de BOPP ainda contam com uma família de concentrados de aditivos migratórios e não-migratórios que, segundo a Cromex, atribuem ao filme uma diversidade de propriedades, tais como redutor do coeficiente de atrito, redução do efeito de bloqueio, dissipação de cargas estáticas, entre outras. Há possibilidade de desenvolvimentos personalizados, de acordo com a necessidade do cliente.

Além de linha para BOPP, a empresa destacará aditivos de cargas minerais utilizados no processamento por injeção, extrusão para termoformagem e moldagem por sopro, com o objetivo de conferir melhorar propriedades mecânicas, estabilidade dimensional, rugosidade de superfície e promover redução de custos, afirma a Cromex.

Desenvolvimentos para o Agronegócio – Todas as linhas de produtos Cromex atendem ao agronegócio, desde o plantio, colheita, armazenamento até o transporte. Em linha com este portfolio, a Cromex afirma possuir produtos voltados à melhoria do processo de fabricação de ráfia, tais como: coloridos, compostos de cargas minerais que funcionam como antifibrilantes e aditivos funcionais para aumentar a vida útil dos tecidos, sacarias e melhorar a processabilidade das fitas.

Interplast – A Interplast tem em média 550 marcas expositoras apresentando novidades dos mais variados setores como máquinas, equipamentos, transformadoras, ferramentarias, embalagens, matérias-primas, periféricos, design e serviços. Realizada pelo Simpesc (Sindicato da Indústria de Material Plástico no Estado de Santa Catarina) e organizada pela Messe Brasil, a 9ª edição tem o apoio da ABIMAQ (Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos), ABIPLAST (Associação Brasileira da Indústria do Plástico) e FIESC (Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina). Paralelamente ao evento acontecem a 3ª EUROMOLD Brasil – Feira Mundial de Construtores de Moldes e Ferramentarias, Design e Desenvolvimento de Produtos – o CINTEC 2016 Plásticos – Congresso da Inovação Tecnológica e a Rodada de Negócios.

Serviço
Interplast 2016 – Feira e Congresso de Integração da Tecnologia do Plástico – http://www.interplast.com.br
EUROMOLD BRASIL – Feira Mundial de Construtores de Moldes e Ferramentarias, Design e Desenvolvimento de Produtos – http://www.euromoldbrasil.com.br
Data: 16 a 19 de agosto de 2016
Horário: 14 às 21 horas
Local: Expoville – Joinville-SC – Brasil
Organização: Messe Brasil

Fonte: Assessoria de Imprensa – Cromex / Messe Brasil

Curta nossa página no

Chemson apresenta estabilizantes para PVC na Interplast 2016

21/07/2016

Chemson-additivesO Grupo Chemson atua no segmento de Aditivos para Polímeros, atendendo ao mercado de Estabilizantes para PVC com as linhas de Estabilizantes Orgânicos e Base Cálcio-Zinco, de Estabilizantes Coprecipitados de Chumbo, com Sais de Chumbo, além de lubrificantes e Estearatos e Blendas para Poliolefinas.

A empresa levará sua linha de produtos para a Interplast, que ocorrerá de 16 a 19 de agosto em Joinville. Segundo Luis Fernando Wust Stein, Representante Comercial, o portfolio da empresa é composto por produtos ambientalmente corretos e que agregam valor a Compostos de PVC, Tubos e Conexões, Perfis Rígidos, Telhas, Fios e Cabos entre outros.

Além dos estabilizantes de cálcio, zinco e orgânico e lubrificantes, a empresa também apresentará auxiliares de fluxo e modificadores de impacto para compostos de PVC. A Chemson estará na Interplast com todo o corpo técnico para assistência e desenvolvimento junto aos clientes.

O Grupo possui sede na cidade de Arnoldstein, na Áustria, e fábricas na Inglaterra, Áustria, Alemanha, EUA, Austrália, Brasil e China. A fábrica da empresa em Rio Claro (SP) é responsável pelo mercado Brasileiro e Sul-Americano.

Interplast – A Interplast tem em média 550 marcas expositoras apresentando novidades dos mais variados setores como máquinas, equipamentos, transformadoras, ferramentarias, embalagens, matérias-primas, periféricos, design e serviços. Realizada pelo Simpesc (Sindicato da Indústria de Material Plástico no Estado de Santa Catarina) e organizada pela Messe Brasil, a 9ª edição tem o apoio da ABIMAQ (Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos), ABIPLAST (Associação Brasileira da Indústria do Plástico) e FIESC (Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina). Paralelamente ao evento acontecem a 3ª EUROMOLD Brasil – Feira Mundial de Construtores de Moldes e Ferramentarias, Design e Desenvolvimento de Produtos – o CINTEC 2016 Plásticos – Congresso da Inovação Tecnológica e a Rodada de Negócios.

Fonte: Interplast

Curta nossa página no

Evonik inaugura fábrica de sílicas precipitadas em Americana (SP)

21/07/2016

Localizada em Americana (SP), a primeira fábrica de sílica de alta dispersão atenderá principalmente aos mercados de pneus

evonik-industriesNo dia 20 de julho, a Evonik inaugurou mais uma planta industrial no Brasil, localizada no município de Americana (SP). A nova unidade produzirá sílicas precipitadas, incluindo as de alta dispersão (HDS), consolidando sua posição de liderança global neste mercado.

A sílica de alta dispersão, cuja demanda está em forte crescimento, atenderá principalmente os fabricantes de borracha e, especialmente, a indústria de pneus. A produção de Americana se destinará também a outros segmentos, como alimentos, agroquímicos e nutrição animal.

A nova planta, que recebeu investimentos da ordem de dezenas de milhões de euros, gerou 40 empregos diretos. Os produtos abastecerão clientes brasileiros e parte da produção deverá ser exportada para outros países da América Latina.

O projeto da Evonik para o Brasil foi anunciado em julho de 2014 e já em outubro do mesmo ano foi realizado o lançamento da pedra fundamental em Americana, com a presença de integrantes do Conselho de Administração e da Diretoria Executiva da Evonik Industries.

“Para nós, é motivo de orgulho a conclusão desta nova fábrica, dentro do prazo previsto, e onde empregamos tecnologia “state-of-the-art”. A consolidação deste investimento no país está alinhada à estratégia de expansão mundial em sílicas e visa, principalmente, atender os clientes globais regionalmente”, diz o diretor presidente da região América do Sul e Central da Evonik, Weber Porto.

Na produção de pneus, a sílica confere elevada qualidade e características diferenciadas para os chamados “pneus verdes” – um mercado em forte crescimento. O uso de sílicas em combinação com silanos permite a produção de pneus com menor resistência ao rolamento, promovendo redução no consumo de combustível em até 8% e, assim, proporcionando diminuição na emissão de CO2 pelos automóveis. Essas modernas formulações de borracha, usando sílica e silano, também aumentam a aderência dos pneus em pista molhada e, consequentemente, melhoram a segurança dos automóveis, em comparação aos pneus convencionais.

A Evonik é hoje um dos principais fabricantes de sílica do mundo e tem expandido sua atuação em diversos países. De 2010 a 2016, aumentou cerca de 40% da sua capacidade de produção. Depois de ampliações na Ásia e na Europa, houve incremento de produção na planta localizada em Chester (EUA), a construção desta unidade no Brasil, além do anúncio da construção de uma nova planta nos EUA.

Atualmente, produz sílicas precipitadas para mercados de alto crescimento; sílicas pirogênicas e suas dispersões; agentes fosqueantes à base de sílica e óxidos metálicos, ultrapassando uma capacidade global anual de aproximadamente 600.000 toneladas.

A Evonik atua em mais de 100 países no mundo inteiro. No ano fiscal de 2015, mais de 33.500 colaboradores geraram vendas em torno de 13,5 bilhões de Euros e um lucro operacional (EBITDA ajustado) de cerca de 2,47 bilhões de Euros. No Brasil, a empresa conta hoje com cerca de 600 colaboradores no País e seus produtos são utilizados como matéria-prima em importantes setores industriais, como: automotivo, agroquímico, biodiesel, borracha, construção civil, cosmético, farmacêutico, nutrição animal, papel e celulose, plástico, química e tintas.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Evonik

Curta nossa página no

Tecniplas apresenta megatanques na Fenasan

21/07/2016

Tanque da Tecniplas com capacidade para armazenar 3 milhões de litros

Reservatórios gigantes de compósitos em PRFV substituem com vantagens os similares de concreto e aço vitrificado em aplicações no setor de saneamento

A participação da Tecniplas (www.tecniplas.com.br) na Feira Nacional de Saneamento e Meio Ambiente (Fenasan) – de 16-18/08, no Expo Center Norte, em São Paulo – será marcada pela apresentação dos gigantescos reservatórios que a empresa fabrica em Cabreúva, no interior de São Paulo. Fabricados de compósitos em PRFV (Plástico Reforçado com Fibras de Vidro), os megatanques da Tecniplas podem armazenar até 4,5 milhões de litros e, frente aos tradicionais reservatórios de concreto, garantem diversas vantagens, como maior estanqueidade e vida útil superior, afirma a empresa.

“Por ser muito poroso, o concreto requer a impermeabilização com borracha. Além de elevar o preço do tanque, esse revestimento tem vida útil limitada. Então, depois de três ou quatro anos, a água começa a atacar a estrutura de aço presente no concreto, exigindo investimentos pesados em manutenção ou até mesmo a troca do reservatório”, explica Giocondo Rossi, diretor da Tecniplas. Os compósitos em PRFV, por sua vez, são imunes à corrosão, possuem elevada resistência mecânica e podem ser formulados com resinas próprias para o contato com a água potável.

Frente ao tanque de aço vitrificado, opção importada e mais recente para a armazenagem de água, os reservatórios da Tecniplas também oferecem diversos benefícios. “A instalação é muito mais simples, pois são equipamentos monolíticos. Ao contrário dos tanques vitrificados, que são compostos por milhares de placas parafusadas, o que também pode significar pontos de vazamento depois de alguns anos”, compara. Outras vantagens, continua Rossi, ficam por conta da facilidade de manutenção dos compósitos em PRFV e o fato de toda a sua cadeia produtiva ser local. “Trata-se de um material bem mais protegido contra as oscilações cambiais”, complementa.

No passado, uma das barreiras para a evolução dos megatanques de compósitos em PRFV era o transporte. Até que, em 2010, a Tecniplas trouxe dos EUA a tecnologia de oblatação. Em linhas gerais, esse sistema permite que as seções dos tanques sejam ovalizadas e acinturadas, assumindo o formato semelhante ao de um “oito”. Dessa maneira, um reservatório de 15 metros de diâmetro, após a oblatação, fica com 5 metros, dimensão adequada às normas brasileiras de transporte rodoviário. No local de instalação, as seções são redimensionadas e, de forma manual, laminadas umas sobre as outras.

“A oblatação pode reduzir o tempo de transporte de 90 para 10 dias. Também permite transportar, dependendo do diâmetro do tanque, dois ou três anéis em uma mesma carreta. Ou seja, significa um ganho logístico considerável”, comenta o diretor da Tecniplas.

Maior tanque de compósitos em PRFV do Brasil

Ao longo dos últimos anos, a Tecniplas fabricou dezenas de reservatórios oblatados, sendo a maioria voltada para armazenagem de produtos químicos corrosivos. “O histórico de aplicações em ambientes agressivos habilita plenamente a utilização dos nossos megatanques no setor de saneamento”, observa Rossi. Com capacidade de 3 milhões de litros e 15 metros de diâmetro, o maior tanque de compósitos em PRFV até hoje produzido pela Tecniplas foi fornecido este ano para uma empresa da área de mineração.

Fundada em 1976, a Tecniplas é líder brasileira em tanques e equipamentos especiais de compósitos em PRFV. Seus produtos são consumidos pelas indústrias de álcool e açúcar, papel e celulose, cloro-soda, química e petroquímica, fertilizantes, alimentos e bebidas e saneamento básico.

Serviço
Feira Nacional de Saneamento e Meio Ambiente (Fenasan)
Quando: 16-18/08
Onde: Expo Center Norte, São Paulo (SP)
Tecniplas: Estande B03/C04

Fonte: Assessoria de Imprensa – Tecniplas

Curta nossa página no

Cristal Master leva produtos para aditivação e pigmentação termoplástica para a Interplast 2016

21/07/2016

Cristalmaster-logoA Cristal Master (www.cristalmaster.com.br), fornecedora de soluções em aditivação e pigmentação termoplástica, estará expondo na Interplast, ocaisão vista como uma oportunidade para fortalecer as relações com os clientes e ampliar os negócios.

Os visitantes verão em seu estande a linha completa de concentrados colorantes e de efeito, aditivos funcionais e compostos, tingimentos, dentre outras especialidades, com ênfase para os lançamentos.

Sobre as novidades na Interplast, Ana Luiza Dal Comuni, Coordenadora de Vendas, conta alguns dos destaques que estarão no ambiente de 90 m2 preparado para receber o público.

“Apresentaremos o Agente Interfacial, que atua como compatibilizante em sistemas incompatíveis, melhorando a resistência mecânica dos materiais. Também levaremos a Resina Expansiva, que é o PEBDL micronizado aditivado para promover a expansão de camadas internas no processo de rotomoldagem, o Viscopet, que aumenta a viscosidade do PET com baixa aplicação e nosso Agente Antimicrobiano, um produto atóxico que atua diretamente na eliminação de bactérias e fungos por contato”, detalha.

A Cristal Master possui mais de 300 itens para pronta entrega e uma frota com 11 veículos. Sua sede está localizada em Joinville, SC. “Nosso estande é sempre muito bem frequentado, e pela proximidade com nossa matriz muitos clientes aproveitam para visitar nossa fábrica”, conta Dal Comuni.

A Interplast tem em média 550 marcas expositoras apresentando novidades dos mais variados setores como máquinas, equipamentos, transformadoras, ferramentarias, embalagens, matérias-primas, periféricos, design e serviços. Realizada pelo Simpesc (Sindicato da Indústria de Material Plástico no Estado de Santa Catarina) e organizada pela Messe Brasil, a 9ª edição tem o apoio da ABIMAQ (Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos), ABIPLAST (Associação Brasileira da Indústria do Plástico) e FIESC (Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina). Paralelamente ao evento acontecem a 3ª EUROMOLD Brasil – Feira Mundial de Construtores de Moldes e Ferramentarias, Design e Desenvolvimento de Produtos – o CINTEC 2016 Plásticos – Congresso da Inovação Tecnológica e a Rodada de Negócios.

Serviço

Interplast 2016 – Feira e Congresso de Integração da Tecnologia do Plástico – http://www.interplast.com.br
EUROMOLD BRASIL – Feira Mundial de Construtores de Moldes e Ferramentarias, Design e Desenvolvimento de Produtos – http://www.euromoldbrasil.com.br
Data: 16 a 19 de agosto de 2016
Horário: 14 às 21 horas
Local: Expoville – Joinville-SC – Brasil
Organização: Messe Brasil

Fonte: Assessoria de Imprensa – Messe Brasil

Curta nossa página no

Lona de PVC nacional tem resolução antidumping favorável

21/07/2016

Sansuy-antidumping

Camex fixa aplicação de direito antidumping – sob a forma de alíquota específica – para as importações de lonas de PVC com reforço têxtil em ambas as faces originárias da China e da Coreia do Sul

O Diário Oficial da União publicou em sua edição do último dia 24 de junho a Resolução Camex (Câmara de Comércio Exterior) – número 51, de 23/6/2016, encerrando investigação sobre a prática de dumping nas importações brasileiras de lonas de PVC com reforço têxtil em ambas as faces, originárias da China e da Coreia do Sul.

O resultado da investigação é a aplicação de direito antidumping por um prazo de até cinco anos, sob a forma de alíquota específica fixada em US$/kg, variando entre US$ 0,29/kg e 2,31/kg, dependendo da empresa exportadora e do país de origem.

Em janeiro de 2015 a Sansuy, fabricante de laminados de PVC, entrou com o pedido de investigação de dumping junto ao DECOM (Departamento de Defesa Comercial do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços). A investigação constatou tecnicamente que os exportadores da China e Coreia do Sul praticaram dumping nas exportações ao Brasil e que a prática causou prejuízo a este segmento da indústria nacional. Segundo a Sansuy, o dano refletiu-se, por exemplo, na queda significativa da produção nacional, em perda de vendas da indústria doméstica, além de altas taxas de ociosidade, aumento de estoques e redução de empregos.

“A decisão fortalecerá condições de concorrência e é de suma importância para a revitalização da indústria doméstica de lonas de PVC, que vinha sofrendo com o aumento significativo de importações”, explica o advogado Luiz Eduardo Salles, do escritório Azevedo Sette Advogados, que representa a Sansuy nesta ação. “É importante ressaltar que, embora o pedido tenha sido feito pela Sansuy, em nome da indústria doméstica, a medida adotada fortalecerá toda a indústria nacional de lona de PVC, que conta com diversas outras empresas produtoras ou em condições de produzir”, complementa.

A resolução tem aplicação imediata, ou seja, todos os desembaraços de lona de PVC com reforço têxtil em ambas as faces (NCM 3921.90.19) ocorridos a partir de 24/06/16 e que tenham origem na China e na Coreia do Sul, cujos exportadores estejam listados na Resolução Camex nº 51/16, terão a incidência da medida antidumping.

A Resolução em questão, com a descrição detalhada do produto-objeto e das alíquotas aplicáveis, pode ser encontrada na página da Camex: http://www.camex.gov.br/legislacao/interna/id/1549

Fabricante de laminados flexíveis e produtos manufaturados de PVC, a Sansuy comemora em 2016 os 50 anos de sua fundação. Empresa 100% nacional, a Sansuy tem unidades industriais localizadas em São Paulo e na Bahia e fornece produtos para os mais diversos segmentos: automotivo, transporte e logística, moveleiro, mineração, lazer, construção e arquitetura, agronegócios, armazenagem, papelaria, sinalização e comunicação visual, entre outros, abastecendo tanto o mercado nacional como o internacional.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Sansuy

Curta nossa página no

Abipet realiza PETtalk Sul durante a Interplast, em Joinville

21/07/2016

Pet-talk-sulA Abipet (Associação Brasileira da Indústria do PET) apóia institucionalmente a Interplast – Feira e Congresso de Integração da Tecnologia do Plástico, que acontece de 16 a 19 de agosto, em Joinville (SC) e aproveitará a oportunidade para aproximar ainda mais a indústria de embalagens de PET de seus usuários.

No segundo dia da feira (17), das 13h às 21h, a instituição realizará o PETtalk Sul e levará informações de mercado, tecnologia e novidades do setor, além de proporcionar oportunidade para networking.

A programação do evento contará com as seguintes apresentações:

  • PQS – PetroquimicaSuape: Resinas PET
  • Husky: Potencializando os clientes com tecnologias inovadoras
  • Krones: Sistemas de enchimento e tecnologias para envase de produtos sensíveis
  • Piovan: Periféricos e sistemas de secagem de alta performance com redução no consumo de energia
  • Colormatrix: Pigmentação e aditivação
  • Gneuss: O Uso de PET Reciclado nas Embalagens Termoformadas para Alimentos – Qualidade com Segurança Alimentar
  • Polymetrix: As tendências nas instalações para reciclagem de plástico
  • CETEA – Centro de Tecnologia da Embalagem: PET-PCR para contato com alimentos: ensaios e os requerimentos para uso
  • Abipet – Censo da Reciclagem do PET no Brasil e números do mercado
  • Abipet: Como a Lei da Política Nacional de Resíduos Sólidos afeta seu negócio?

Inscrições e informações sobre valores pode ser obtidas pelo site http://www.pettalk.org.br ou através dos contatos (11) 3078-1688 / pettalk@pettalk.org.br.

A ABIPET, Associação Brasileira da Indústria do PET, é uma entidade sem fins lucrativos que reúne a cadeia produtiva do setor de PET: fabricantes da resina PET, fabricantes das embalagens de PET e seus recicladores. A Entidade representa cerca de 80% da Indústria do PET no Brasil e é a maior deste segmento em toda a América Latina. Fundada em 1995, a ABIPET tem como objetivos promover a utilização e reciclagem das embalagens de PET, incentivar o desenvolvimento tecnológico, aplicações para o PET reciclado e divulgar as ações do setor.

Como representante da Indústria de Embalagens de PET, a ABIPET divulga, incentiva e apoia o desenvolvimento de novas aplicações para o PET Reciclado, cumprindo o papel que cabe à indústria na preservação ambiental. A reciclagem de PET cresceu 16 vezes desde a fundação da entidade, criando todo um novo setor industrial que demanda o PET reciclado como insumo.

Serviço

PETtalk Sul
Data: 17 de agosto de 2016
Horário: 13h às 21h
Local: Expoville – Joinville-SC – Brasil
Informações: http://www.pettalk.org.br / pettalk@pettalk.org.br / (11) 3078-1688
Organização: Abipet

Fonte: Abipet / Assessoria de Imprensa – Interplast

Curta nossa página no

Projetando mais um ano recorde em 2016, Sepro lançará robôs ainda maiores na Feira K 2016

18/07/2016
Robô 7X 100XL do Grupo Sepro a ser apresentado na K 2016 - espera-se que seja o maior em exibição na feira

Robô 7X 100XL do Grupo Sepro, a ser apresentado na K 2016, o qual se espera ser o maior robô em exibição na feira

O Grupo Sepro levará um total de 26 robôs para a feira K 2016, incluindo dois que serão, provavelmente, os maiores robôs da feira. O número total de robôs, assim como a sua ampla gama de dimensões e configurações, ajudam a reforçar o compromisso da Sepro com a conectividade e a agilidade, dois dos principais elementos na indústria do futuro, também conhecida como Indústria 4.0. A empresa fez esse anúncio pela primeira vez durante a Prévia de Imprensa da feira K 2016, que ocorreu em Dusseldorf, de 27 a 29 de junho.

De acordo com o CEO da SEPRO, Jean-Michel Renaudeau, a empresa está na caminho de conquistar seu quarto ano consecutivo de recorde de vendas. Ele estima um faturamento global que excederá € 100 milhões pela primeira vez. Espera-se que as unidades vendidas (robôs e saca-canais) ultrapassem os 2.500.

O faturamento projetado pelo Grupo Sepro para 2016 excede os 100 milhões de Euros

O faturamento projetado pelo Grupo Sepro para 2016 excede os 100 milhões de Euros

“A maioria das pessoas espera que a indústria do futuro – alguns a chamam de Indústria 4.0 – será construída com base na idéia de abertura,” explica Renaudeau. “Abraçamos esta idéia e acreditamos que foi isto que impulsionou nossos sucessos recentes. Temos estado abertos às novas tecnologias, sejam elas desenvolvidas pelos engenheiros da Sepro ou por empresas parceiras, tais como a Staübli, Machines Pagès e, mais recentemente, a Yaskawa Motoman. Fizemos conexões com empresas transformadoras por injeção e fabricantes de máquinas através de uma integração ágil, o que permite à Sepro equipar qualquer máquina de injeção com uma plataforma de controle comum, disponível em várias configurações diferentes. Além disso, estamos trabalhando com pesquisadores da Carnegie Mellon University para a próxima geração de controles dos robôs. Em todas estas ações, vemos um futuro ainda mais aberto para a inovação, integração e colaboração que beneficiará não somente a Sepro, mas toda a indústria.”

26 robôs em 11 stands distribuídos em 3 pavilhões diferentes na K 2016

Graças às parcerias com dez diferentes fabricantes de máquinas de injeção, os robôs da Sepro poderão ser vistos em operação em três pavilhões de máquinas na feira de plásticos de Dusseldorf, de 19 a 26 de outubro próximos. Estes expositores representam sete nações diferentes.

  • Benelux: Stork, no Hall 13, stand D72 – 2 Robôs
  • Brasil: Romi, no Hall 15, stand D40 – 3 Robôs
  • China: Haitian, no Hall 13, stand A57 – 2 Robôs
  • China: Chen Hsong, no Hall 13, stand B43 – 1 Robô
  • China: Confidencial – Hall 13 – 1 Robô
  • China (Taiwan): FCS Group, no Hall 12, stand B11 – 1 Robô
  • França: Billion, no Hall 15, stand B24 – 3 Robôs
  • Alemanha: Confidencial – Hall 13 – 1 Robô
  • Alemanha /Japão: Sumitomo Demag, no Hall 15, stand D22 – 3 Robôs
  • Europa: Confidencial – Hall 15 – 1 Robô

Robôs de todos os tamanhos

Outros oito robôs serão exibidos no stand próprio da Sepro (Pavilhão 12, A49). Entre eles estão dois novos robôs destinados a máquinas injetoras grandes. O novo 7X-100XL, um robô cartesiano de 5 eixos, será demonstrado juntamente com o novo 6X-400, um robô de braço articulado de 6 eixos, resultado da recente parceria com a Yaskawa Motoman.

Ocupando 88 m2 dos 300 m2 do stand da empresa, espera-se que estes dois robôs sejam os maiores em exibição na K 2016. O eixo horizontal do 7X-100XL oferece um curso horizontal de 5m. O curso vertical telescópico é de 3.200 mm e a carga útil máxima é de 100 kg (como opção, há um curso vertical estendido de até 3.600 mm). Na K 2016, o 7X-100XL estará demonstrando a manipulação de um pára-choque de Classe C através de 5 eixos de movimento, usando uma articulação (pulso) acionada por servomotor desenvolvida pela Staübli Robotics. Diferente das articulações pneumáticas, as quais somente podem se mover em uma rotação contínua de 0° a 90° ou de 0° a 180°, as articulações do 7X podem se mover de 0 a 180° e de 0 a 270° ou qualquer parte destas rotações com precisão absoluta, afirma a Sepro.

O 7X-100XL completa a linha Sepro de robôs de 5 eixos (gama 5X e 7X), que inclui agora 6 modelos com capacidade para automatizar máquinas injetoras de 20 a 5.000 toneladas.

O novo robô Sepro Yaskawa 6X-400 de 6 eixos também estará manipulando um pára-choque automotivo – neste caso de um veículo Audi. O robô é o maior dos quatro modelos lançados recentemente para equipar máquinas injetoras entre 800 a 5.000 tons. Estes quatro novos modelos completam a gama de robôs de 6 eixos da Sepro. Quatro unidades menores de 6 eixos, desenvolvidos em parceria com a Staübli Robotics, foram lançadas há alguns anos para equipar máquinas injetoras com até 800 toneladas de força de fechamento. Como todos os robôs Sepro, as novas unidades Yaskawa-Motoman têm assistência da equipe global da Sepro.

O 6X-400 que será demonstrado no stand da Sepro terá um raio de alcance superior a 4 m. e poderá suportar uma carga útil máxima de 120 kg. O design do robô Sepro Yaskawa-Motoman é otimizado para minimizar a necessidade de espaço. Os dois modelos menores foram projetados para instalação no piso, próximo à máquina injetora, como uma unidade de braço articulado, enquanto que as duas unidades maiores são projetadas especialmente para montagem sobre a placa fixa da máquina, parede ou outra estrutura elevada. O 6X-400 é um dos maiores robôs montados em plataforma do mundo.

A nova gama Sepro Yaskawa-Motoman, juntamente com toda família de robôs Sepro de 6 eixos, será acionada pelo controle Visual 3 da Sepro. A mesma plataforma de controle é usada em todos os robôs Sepro. Os controles “Visual” são projetados com uma interface universalmente amigável ao usuário e são particularmente adaptados ao mundo da injeção de plásticos. A Sepro é a única fabricante independente de robôs a oferecer uma plataforma de controle nativa comum para todos os seus robôs, afirma a empresa.

Outros novos robôs que serão lançados

A Sepro também estará lançando novos robôs pequenos, incluindo um robô de 3 eixos chamado “Success 5” e um saca-canais S5 com servo acionamento. Os dois robôs compartilham o mesmo design mecânico básico. O novo Success 5, que faz parte da gama Success de robôs econômicos e de uso geral para injetoras de até 1.000 toneladas, é o menor da sua linha. Ainda assim, ele é um verdadeiro servomotor de 3 eixos com uma rotação pneumática padrão R1 (0° a 90°) e uma rotação opcional R3 (0° a 90° ou 0° a 180°). A unidade padrão tem um curso de desmoldagem horizontal de 400 mm, um curso vertical de 1.000 mm e uma carga útil máxima de 3 kg.

O saca-canais S5 conta com o mesmo design linear de 3 eixos, com um pinça simples para sacar o canal da bucha, porém ele pode ser fornecido opcionalmente com uma rotação R1 simples na articulação e pode ser equipado com uma garra simples no final do braço. O saca-canais de ciclo rápido opera totalmente no interior da máquina injetora e inclui uma calha de descarga e proteção.

Para ilustrar a abrangência do portfolio de produtos da Sepro, o saca-canais S5 estará operando na K 2016 juntamente com vários outros robôs Sepro na manipundo capas de iPad. Esta célula de demonstração incluirá robôs dos tipos:

  • Success 11 e Success 22… modelos um pouco maiores do que o novo Success 5
  • 5X-25… representando os modelos menores da linha de robô de 5 eixos da Sepro
  • Saca-canais S3 numérico… com braço horizontal que gira até 100° desde a linha de centro da máquina para descarga de canais da bucha ou peças pequenas ao lado da placa fixa
  • Também será exibido um Saca-canais pneumático

O stand contará também com uma máquina injetora de 50 toneladas da Sumitomo-Demag, equipada com um robô Sepro 6X-60 de braço articulado, o menor da gama 6X Visual de robôs de 6 eixos. Nesta integração compacta, o robô removerá cilindros de seringas médicas de um molde e os colocará na esteira na lateral da máquina.

Solution by Sepro

Um outro destaque no stand da Sepro será uma “parede de automação” apresentando imagens e vídeos que explicam todos os recursos e serviços por trás do “Solution by Sepro”, um pacote completo de robôs, equipamentos periféricos, automação e serviços destinado a trazer novos níveis de eficiência e de qualidade para o processo de moldagem por injeção, afirma a Sepro. Cada solução personalizada inclui um ou mais robôs, garras multifuncionais, alimentadores de insertos e sistemas de posicionamento, bem como equipamentos para inspeção pós moldagem, montagem e embalagem. Soluções específicas estão disponíveis para:

  • Controle… visão; presença/ausência de componentes; continuidade elétrica
  • Manuseio de peças… mesas móveis; empilhadores verticais
  • Rastreabilidade… marcação; etiquetagem; separação por cavidade
  • Montagem… fechamento; clipagem; rosqueamento; colagem; soldagem
  • Corte… remoção de vestígios do ponto de injeção; remoção de rebarbas

A Sepro foi uma das primeiras empresas no mundo a desenvolver robôs cartesianos para máquinas injetoras de plásticos, lançando seu primeiro “manipulador” CNC em 1981. Atualmente, o Sepro Group é um dos maiores vendedores independentes de robôs Cartesianos. Clientes do mundo todo são atendidos pelas filiais da empresa e escritórios de vendas e serviços na Alemanha, Espanha, Benelux, Reino Unido, Estados Unidos, Canadá, México, Brasil, China e agora também na Áustria e Hungria. Inúmeros parceiros de negócios independentes, distribuidores e centros de serviços levam a rede global da Sepro para mais de 50 países. Até o momento, a Sepro já equipou mais de 30.000 máquinas injetoras ao redor do mundo.

Fonte – Assessoria de Imprensa – Sepro

Curta nossa página no

Braskem apresenta portfólio para segmento de borrachas durante Expobor 2016

16/07/2016

Durante a Expobor 2016, que aconteceu de 28 a 30 de junho, no Expo Center Norte, em São Paulo (SP), a Braskem apresentou soluções em matérias-primas e produtos de especialidades, reforçando sua presença e atuação junto aos clientes do mercado de borracha

Braskem_pneusA linha Unilene, composta por resinas hidrocarbônicas oriundas do petróleo, foi apresentada durante o evento. Segundo a Braskem, as resinas funcionam como um auxiliar de processamento de borrachas, com o consequente aumento de produtividade e redução de energia, sem alterar as propriedades finais do composto. Além disso, em pneus, o uso da Unilene garante melhor aderência do pneu ao chão molhado e menor resistência ao rolamento, afirma a empresa. Na prática, isso confere mais segurança a motoristas e passageiros e redução no consumo de combustível.

“Nos últimos quatro anos, aproveitamos a Expobor para apresentar à indústria soluções eficientes para o mercado de borracha, com matérias-primas e especialidades que melhorem a produtividade dos clientes e aumentem a competitividade do setor, que pode entregar ao consumidor final um produto seguro e sustentável”, afirma Adriana Morasco, responsável pelo Negócio de Especialidades Químicas da Braskem.

Outra solução em destaque foi o polibuteno (PIB), que pode ser utilizado em óleo e lubrificantes, filmes, adesivos, cosméticos, explosivos para mineração e couro. O produto, quando aplicado em compostos para innerliners (camada interna de pneus e câmaras de ar), aumenta a barreira à permeação de oxigênio através deles. Como consequência, é possível reduzir o uso de borrachas especiais nesses compostos ou até mesmo reduzir a espessura da camada innerliner, o que significa redução de custos na produção de pneu, afirma a Braskem.

No campo de inovação focalizada em matérias-primas renováveis, a Braskem levou para Expobor dois projetos da área de biotecnologia, ambos para a fabricação de pneus. A empresa desenvolve, ao lado da norte-americana Amyris e da francesa Michelin, tecnologia voltada à produção do isopreno de fonte renovável, insumo químico utilizado pela indústria de pneus, entre outras borrachas. Nos termos da parceria, as três companhias estão trabalhando juntas para desenvolver um processo biotecnológico de conversão de açúcares, oriundos da cana de açúcar, em isopreno verde.

Em união com a Genomatica, empresa norte-americana de biotecnologia, a Braskem anunciou, em novembro de 2015, a produção de butadieno em escala de laboratório por meio de processo de fermentação direta de açúcares. O material é usado na fabricação de borracha para pneus, com aplicações também em aparelhos elétricos, calçados, plásticos, asfalto, materiais de construção e látex.

Fonte: Braskem

Curta nossa página no

Bemis desenvolve novas embalagens de alimentos para a PremieR pet

16/07/2016

Bemis-Premier-pet

Segundo o fabricante as embalagens agora são flexíveis, com corte a laser que facilita a abertura e sistema “abre e fecha”, para conservar melhor o produto

A Bemis, uma das maiores fabricantes mundiais de embalagens, reformulou as embalagens da PremieR Gatos, fabricados pela PremieR pet, empresa especialista em alimentos para cães e gatos. Antes produzidas em cartucho com um bag dentro, agora as versões de 500g e 1,5Kg passam a estar disponíveis em material flexível, com aplicação de tecnologias para preservar ainda mais a qualidade do produto, afirma a Bemis.

Segundo a empresa, s novas embalagens têm sistema Easy Open, com corte a laser que facilita a abertura, e sistema “abre e fecha”, que permite maior conservação do sabor, do aroma e da crocância do alimento. Outro benefício é a manutenção adequada do produto na própria embalagem.

“A PremieR pet nos trouxe o desafio de melhorar a praticidade do manuseio e manter a segurança dos alimentos para, então, desenvolvermos juntos a nova embalagem de PremieR Gatos”, afirma Marcus Vinícius Correa, gerente de produto da Bemis.

“A PremieR pet buscou através da tecnologia da embalagem e de investimentos no seu parque fabril, proporcionar maior conveniência ao consumidor na abertura da embalagem e maior qualidade ao produto após a embalagem estar aberta, através da inclusão do ziper”, explica Marcos R. de Oliveira, diretor de suprimentos da PremieR Pet.

As novas embalagens da PremieR Gatos já estão disponíveis nos pontos de venda dos principais petshops de todo o Brasil.

Pioneira na fabricação de alimentos Super Premium no Brasil, a PremieR pet é uma empresa 100% nacional, especialista em nutrição para cães e gatos. Com 19 anos de atuação, está presente em todas as regiões do país. O portfólio da marca inclui mais de 180 itens, comercializados exclusivamente em pet shops e clínicas veterinárias.

A Bemis atende aos mercados de alimentos, bebidas, cosméticos, farmacêuticos, higiene pessoal, limpeza doméstica, médico-hospitalares e pet food com embalagens flexíveis, rígidas, cartonadas, tubos laminados e rótulos. Com sede em Neenah, Wisconsin (EUA), a companhia conta com 17 mil funcionários em 67 unidades, localizadas em 11 países nas Américas do Norte e Latina, Europa e Ásia-Pacífico.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Bemis

Curta nossa página no

Evento discutirá a importância do plástico na qualidade de vida das pessoas

16/07/2016

2º Congresso Brasileiro do Plástico reunirá especialistas para debater e apresentar cases sobre a contribuição do plástico no desenvolvimento ambiental, social e econômico

Congresso-do-PlasticoO plástico vem se destacando, ao longo das últimas décadas, como indispensável para a sociedade moderna. Na saúde, o plástico está presente em hospitais com produtos de alta tecnologia, mais acessíveis e seguros. Seringas, bolsas de sangue e soro, cateteres, mangueiras e cadeiras de rodas são algumas das aplicações na área médico-hospitalar, além de elementos mais sofisticados, como próteses  e membros para pessoas amputadas. Também é presente em aplicações que previnem doenças e promovem qualidade de vida, como no saneamento básico e tratamento da água potável.

Uma das matérias-primas mais estudadas, o plástico integra aplicações que geram eficiência energética, economia, alto desempenho e sustentabilidade. Graças ele, vários produtos ficaram mais acessíveis, facilitando a ascensão de outras classes consumidoras e beneficiando um maior número de pessoas. Segmentos como o automotivo estão desenvolvendo veículos mais leves, seguros e econômicos. No agronegócio, o plástico está melhorando os processos desde o campo até a mesa do consumidor, contribuindo com maior produtividade, evitando o desperdício e aumentando o tempo de vida e a qualidade dos alimentos.

No Brasil, o setor plástico conta mais de 11 mil empresas de transformação, de pequeno, médio e grande portes, gerando mais de 300 mil empregos diretos, destacando-se como o quarto setor que mais emprega no país, segundo dados da Abiplast. Para Alfredo Schmitt, Presidente do Congresso Brasileiro do Plástico, o Brasil tem potencial para avançar no campo do desenvolvimento de novas aplicações, com produtos de maior valor agregado que possam atender as demandas do mercado global. “Nosso desafio é continuar investido em pesquisa, desenvolvimento e qualificação profissional para atender as demandas do consumidor, cada vez mais exigentes por produtos com qualidade e viés sustentável”, afirma o executivo.

Neste ambiente, o Brasil receberá o 2º Congresso Brasileiro do Plástico, uma  iniciativa do segmento com o objetivo de evidenciar o plástico como elemento indispensável para melhorar a qualidade de vida das pessoas. Nesta edição, congressistas brasileiros e estrangeiros discutirão as contribuições do produto em segmentos estratégicos como saúde, sustentabilidade, inovação e tecnologia e exportação. O evento será realizado nos dias 5 e 6 de outubro, na sede da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, em Porto Alegre (RS). Segundo Schmitt, o setor está dialogando cada vez mais com a sociedade para que os atributos do plástico sejam percebidos na mesma proporção dos benefícios que a população tem ao usá-lo.

Nos dois dias de Congresso, estarão reunidos especialistas do setor do plástico, representantes de sindicatos, membros de entidades ligadas ao setor, professores e pesquisadores de universidades nacionais e internacionais, empresários e representantes do Poder Público (Executivo, Legislativo e Judiciário) para ampliar os conhecimentos sobre essa importante cadeia produtiva e sua contribuição para a sociedade. O congresso é organizado por três sindicatos do setor do plástico – Sindicato das Indústrias de Materiais Plástico do Nordeste Gaúcho (Simplás), Sindicato das Indústrias de Material Plástico do Vale dos Vinhedos (Simplavi) e Sindicato das Indústrias de Material Plástico do Rio Grande do Sul (Sinplast).

Além dos sindicatos, o evento conta com o patrocínio de empresas como Braskem, Fitesa e FFS Filmes. Entidades do setor como a Plastivida, Instituto do PVC e Abief também patrocinam o evento. O evento também conta com o apoio especial de entidades como a Abiplast, Adirplast, Simpep, Simpesc, além de Abimaq, Abinfer, Abrapla, INP, Simplast, Simplas NP e Sindiplast.

Serviço:
2º Congresso Brasileiro do Plástico
Data: 5 e 6 de outubro de 2016
Local: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS)
Endereço: Av. Ipiranga, 6.681 – Paternon – Porto Alegre/RS

Fonte: M. Free Assessoria de Imprensa

Curta nossa página no

Retilox lança novo produto para EVA durante Expobor

15/07/2016
Entresola mesclada com 3 cores

Entresola mesclada com 3 cores

A Retilox lançou na última edição da feira Expobor o Pro EVA Revolution, uma nova tecnologia para ser aplicada tanto em EVA injetado como no derramado (despejado).

A novidade consiste em um master, denominado Retimaster INJ, que elimina o brilho do EVA, potencializa a pigmentação e emborracha o produto, afirma a Retilox.

Segundo a empresa, o Retimaster INJ, também melhora o encolhimento, o grip, a resiliência, copia melhor o desenho do molde e aumenta a produtividade, reduzindo o ciclo de cura e os custos globais.

Fundada em 1992, a Retilox Química é uma empresa 100% brasileira, especialista na fabricação de peróxidos orgânicos modificados, coagentes e aditivos exclusivos para cura/modificação de diversos tipos de polímeros. Líder em tecnologias para crosslinking, a Retilox possui know-how no desenvolvimento de soluções para transformadores de plastômeros e elastômeros, fornecendo atualmente para clientes de mais de 10 países da América Latina.

Fonte – Retilox

Curta nossa página no

Movimento “Plástico Transforma” lança promoção para ampliar os conhecimentos sobre o plástico na indústria de transformação

14/07/2016

plasticopremiado

Promoção Plástico Premiado tem o objetivo de capacitar o setor

O Plano de Incentivo à Cadeia do Plástico (PICPlast), uma iniciativa da Braskem e da ABIPLAST – Associação Brasileira da Indústria do Plástico, lançou hoje (14 de julho) a primeira etapa do Movimento Plástico Transforma, com a Promoção Plástico Premiado.

Ao todo, o Movimento está dividido em três momentos, sendo o primeiro deles a Promoção, voltada aos colaboradores que atuam na indústria da transformação do plástico. O objetivo é fornecer informações que valorizem e desmistifiquem a imagem equivocada a respeito desse material, que teve uma evolução considerável ao longo de sua história. O segundo e terceiro momentos serão focados nos formadores de opinião e sociedade, respectivamente.

A dinâmica do movimento compreende convidar os colaboradores a entrar no site oficial da campanha (www.plasticotransforma.com.br), que terá um extenso conteúdo disponível, e responder a um questionário com 15 perguntas de múltipla escolha, com questões conceituais, aplicações, benefícios, curiosidades e entre outros tópicos aplicados ao tema “plástico”. Os participantes que acertarem, no mínimo, 10 questões serão qualificados automaticamente para um sorteio que distribuirá 50 TV’s 48” Full HD Smart.

A cadeia produtiva do plástico tem protagonizado movimentos positivos de integração entre indústria e sociedade. “Intensificar as ações de capacitação que englobem todos os agentes da cadeia do plástico é fundamental para que eles reúnam argumentos positivos e corretos sobre a real importância do plástico na vida das pessoas”, afirma o vice-presidente da unidade de Poliolefinas, Vinílicos e Químicos Renováveis da Braskem, Luciano Guidolin.

A característica da indústria da transformação do plástico no Brasil mostra uma composição de pequenas, médias e grandes empresas com atuações destacadas no cenário global. “Somos um dos maiores empregadores industriais do Brasil e é fundamental transferirmos conhecimento para cada colaborador, e que esse conhecimento seja motivo de orgulho e motivação para o desenvolvimento sustentável desse setor”, afirma o presidente da Associação Brasileira da Indústria do Plástico (ABIPLAST), José Ricardo Roriz Coelho.

Para mais informações sobre a ação, acesse o site do Movimento Plástico Transforma www.plasticotransforma.com.br

Fonte – Abiplast

Curta nossa página no

Projeto de motor todo de plástico terá mais polímeros da Solvay

12/07/2016

Solvay-Polimotor-2-Avaspire

Projeto Polimotor 2 instala caixa de bomba de óleo com compósito à base de PAEK

A Solvay anunciou que sua poliariletercetona AvaSpire® AV-651 CF30 (PAEK) será utilizada em três seções da caixa externa da bomba de óleo modular no coletor de óleo a seco do motor Polimotor 2.

Liderado pelo lendário inovador automotivo Matti Holtzberg, o projeto Polimotor 2 visa conceber e fabricar a próxima geração de motores totalmente de plástico para provas competitivas, ainda em 2016. A Solvay é um dos principais patrocinadores de materiais para este projeto técnico altamente esperado.

O projeto Polimotor 2 tem como objetivo desenvolver um motor CAM de quatro cilindros, double overhead (duplo comando) totalmente de plástico, que pese entre 63 e 67 kg, cerca de 41 kg a menos do que o motor de produção padrão atual. O programa inovador de Holtzberg vai aproveitar as tecnologias de polímeros avançados da Solvay para desenvolver até dez peças do motor.

Além dos componentes da bomba de óleo, os polímeros especiais da Solvay são utilizados em peças como rodas dentadas, componentes do conjunto de combustível e anéis (O-rings), acessórios para arrefecimento de água, peças do corpo do acelerador, entre outras parte que exigem alto desempenho. Além do polímero especial AvaSpire® PAEK, as autopeças do Polimotor 2 empregam poliftalamida Amodel® (PPA), poliéter KetaSpire® (PEEK), polifenilsulfona Radel® (PPSU), sulfeto de polifenileno Ryton® (PPS), poliamida-imida Torlon® (PAI) e fluoropolímero Tecnoflon® FKM.

Tecnologia e inovação – “A seleção inigualável polímeros especiais da Solvay ofereceu várias opções possíveis para substituir os componentes da bomba de óleo, normalmente de alumínio, incluindo seus produtos de alto desempenho Ryton® PPS e KetaSpire® PEEK”, disse Holtzberg, que também é presidente da Composite Castings, LLC, com sede em West Palm Beach, na Flórida. “Descobrimos que esta classe específica de AvaSpire® PAEK proporciona a redução do peso pretendida com um ótimo equilíbrio de resistência, estabilidade dimensional e outras qualidades necessárias para resistir com sucesso às exigências da bomba de óleo do Polimotor 2”.

Cada uma das três seções moldadas por injeção pesa 90 gramas, em comparação com as 190 gramas  para os produtos em alumínio. No geral, a substituição de toda a caixa de metal por uma moldada com AvaSpire® PAEK proporcionou uma redução de peso total de 270 gramas, cumprindo os requisitos de desempenho desejados para a bomba de óleo.

Segundo a Solvay, o AvaSpire® AV-651 CF30 PAEK, um compósito reforçado com 30 por cento de fibra de carbono, oferece maior resistência, rigidez e resistência à fadiga em comparação com o grade-base  AV-651 e maior redução de peso em relação aos grades reforçados com fibra de vidro AvaSpire® PAEK. A estabilidade oxidativa térmica de longo prazo do material é similar à do PEEK reforçado com fibra de carbono, mas ele oferece melhor estabilidade dimensional e resistência ao empenamento durante a moldagem por injeção.

A Molding Concepts, com sede em Michigan, fez a moldagem por injeção das três peças finais. Elas foram então usinadas pela Allegheny Performance Plastics, LLC, uma transformadora de termoplásticos de alto desempenho, com sede na Pensilvânia.

“A excelente usinabilidade do AvaSpire® AV-651 CF30 PAEK permitiu que a Allegheny alcançasse as tolerâncias extremamente rígidas necessárias para a folga da ponta da engrenagem e superfícies de vedação da bomba, conseguindo também acabamentos de superfície de boa qualidade”, disse Greg Shoup, presidente da Allegheny Performance Plastics.

O AvaSpire® AV-651 CF30 PAEK é adequado para formar os componentes estruturais da caixa da bomba de óleo do Polimotor 2, onde irá encontrar temperaturas de óleo que se aproximam de 140 ° C (284a F) e ciclos de pressões internas entre 2,8 e 5,5 bars.

“Assim como os polímeros Ryton® PPS ou KetaSpire® PEEK da Solvay, o AvaSpire® PAEK está atraindo crescente interesse pelos benefícios exclusivos que oferece a aplicações de componentes automotivos”, disse Brian Baleno, gerente global de desenvolvimento de negócios automotivos na Solvay Specialty Polymers. “Mais especificamente, o AvaSpire® PAEK oferece o melhor equilíbro de tenacidade e alongamento dentro do nosso portfólio de polímeros especiais, o que está motivando a avaliação destes polímeros para uso como pontas de palhetas da bomba de vácuo, compartimentos de mancal e braçadeiras”.

Divisão da Allegheny Plastics Inc., com sede em Pittsburgh, na Pensilvânia, a Allegheny Performance Plastics injeta termoplásticos de alto desempenho para peças tecnicamente avançadas desde a década de 1960. Atualmente é um fornecedor líder  de peças termoplásticas funcionais para uso nas indústrias de transporte e equipamentos de energia ao ar livre que exigem polímeros de alto desempenho e especificações mais exigentes.

A Solvay Specialty Polymers fabrica mais de 1500 produtos em 35 marcas de polímeros de alto desempenho, fluoropolímeros, fluoroelastômeros, fluidos fluorados, poliamidas semiaromáticas, polímeros de sulfona, polímeros aromáticos de ultra-alto desempenho, polímeros de alta barreira e compostos reticulados de alto desempenho, para uso nas indústrias aeroespacial, Energia Alternativa, Automotivos, Saúde, Membranas, Petróleo e Gás, Embalagem, Encanamento, Semicondutores Fios e Cabos, e outras indústrias.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Solvay

Curta nossa página no

Piovan exibe novidades em equipamentos para transformação de polímeros na Interplast 2016

10/07/2016

Piovan_Interplast

Durante a feira,  a Piovan dará destaque aos equipamentos da linha de Refrigeração da Aquatech e novidades na linha de alimentação e transportes.

A Aquatech – nova empresa do Grupo estabelecida no ano passado, focalizada totalmente na Refrigeração Industrial – apresentará o SLIM, da nova linha de Chillers. Segundo a Piovan, o equipamento possui alta eficiência energética, com capacidade de refrigeração até 49.900 kcal/h e gás refrigerante eco-compatível R410a.

Outro destaque será o DigitempL, o novo Termochiller de alto desempenho. De acordo com a empresa, o DigitempL é projetado para oferecer redução de ciclos da injetora ou sopradora e conta com até duas saídas independentes e temperaturas de 6°a 90°C.

Já na área de alimentação e transporte de grãos a novidade é o Pureflo, nova geração de alimentadores sem filtro, com design exclusivo patenteado pela Piovan. O produto elimina a necessidade da manutenção padrão do funil alimentador (limpeza do filtro) e melhora ainda mais a capacidade de transporte de todo o sistema, afirma a Piovan. É ideal para instalação em locais de difícil acesso.

Além dos alimentadores para grãos, a Piovan mostrará o Alimentador da Série FG para resinas em pó, indicado para compostos de PVC com capacidade para até 2.000 kg/h. Os visitantes verão também uma exibição de dosadores volumétricos e gravimétricos, desumidificadores e controladores de temperatura.

O Grupo Piovan atua no mercado plástico desde 1964. No Brasil, estabeleceu-se em 1982, especializando-se ao longo dos anos em tecnologia para equipamentos auxiliares para os mais diversos processos de transformação de polímeros.

A Interplast tem em média 550 marcas expositoras apresentando novidades dos mais variados setores como máquinas, equipamentos, transformadoras, ferramentarias, embalagens, matérias-primas, periféricos, design e serviços. Realizada pelo Simpesc (Sindicato da Indústria de Material Plástico no Estado de Santa Catarina) e organizada pela Messe Brasil, a 9ª edição tem o apoio da Abimaq (Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos), Abiplast (Associação Brasileira da Indústria do Plástico) e Fiesc (Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina). Paralelamente ao evento acontecem a 3ª Euromold Brasil – Feira Mundial de Construtores de Moldes e Ferramentarias, Design e Desenvolvimento de Produtos – o Cintec 2016 Plásticos – Congresso da Inovação Tecnológica e a Rodada de Negócios.

Serviço
Interplast 2016 – Feira e Congresso de Integração da Tecnologia do Plástico – http://www.interplast.com.br
EUROMOLD BRASIL – Feira Mundial de Construtores de Moldes e Ferramentarias, Design e Desenvolvimento de Produtos – http://www.euromoldbrasil.com.br
Data: 16 a 19 de agosto de 2016
Horário: 14 às 21 horas
Local: Expoville – Joinville-SC – Brasil
Organização: Messe Brasil

Fonte: Messe Brasil

Curta nossa página no

Synventive leva tecnologia para injeção de termoplásticos para a Euromold Brasil 2016

10/07/2016

SynventiveA Synventive é uma empresa multinacional americana que pertence à divisão Molding Solutions do Grupo Barnes,  com soluções de alta tecnologia e desempenho para injeção de termoplásticos. A empresa é pioneira em várias tecnologias como: controle dinâmico de injeção, atuadores elétricos, entre outros, e estará presente em mais uma edição da Euromold Brasil com diversos destaques.

Carlos Vieira, Diretor Geral da Synventive para a América Latina, conta que serão mostradas na feira as tecnologias de troca ultrarrápida de cor, a qual permite uma incomparável eficiência no setup de máquina e na estabilidade do processo.

Ainda sobre tecnologia, os visitantes poderão conferir a  tecnologia de injeção de peças com fibra longa orientada de alto desempenho, para peças de engenharia ultra leves, que substituirão componentes metálicos, com o desempenho necessário.

Vieira também destaca a nova linha de sistemas valvulados flexíveis SVG+, para controle de superfície e gestão de processo. “O cliente agora terá mais tecnologia a bordo, com o mesmo preço e além de poder definir a necessidade de uso de mais tecnologia para controle de superfície após o try out, quando terá certeza em quais bicos de injeção realmente necessitará desta tecnologia, gerando uma enorme vantagem técnica e comercial que só a Synventive pode oferecer”, explica.

A Interplast tem em média 550 marcas expositoras apresentando novidades dos mais variados setores como máquinas, equipamentos, transformadoras, ferramentarias, embalagens, matérias-primas, periféricos, design e serviços. Realizada pelo Simpesc (Sindicato da Indústria de Material Plástico no Estado de Santa Catarina) e organizada pela Messe Brasil, a 9ª edição tem o apoio da Abimaq (Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos), Abiplast (Associação Brasileira da Indústria do Plástico) e Fiesc (Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina). Paralelamente ao evento acontecem a 3ª Euromold Brasil – Feira Mundial de Construtores de Moldes e Ferramentarias, Design e Desenvolvimento de Produtos – o Cintec 2016 Plásticos – Congresso da Inovação Tecnológica e a Rodada de Negócios.

Serviço
Interplast 2016 – Feira e Congresso de Integração da Tecnologia do Plástico – http://www.interplast.com.br
EUROMOLD BRASIL – Feira Mundial de Construtores de Moldes e Ferramentarias, Design e Desenvolvimento de Produtos – http://www.euromoldbrasil.com.br
Data: 16 a 19 de agosto de 2016
Horário: 14 às 21 horas
Local: Expoville – Joinville-SC – Brasil
Organização: Messe Brasil

Fonte: Messe Brasil

Curta nossa página no

Grupo Alltech expõe lançamento em injetora na Interplast

10/07/2016

Alttech_InterplastPara a 9ª edição da Interplast, o Grupo Alltec destacará duas injetoras: uma da marca Toyo Si6 (Grupo Hitachi) e o lançamento Yizumi Série A5.

Segundo a empresa, dentre as características da Yizumi Série A5 estão: maior potência e resposta rápida, maior gama de processamento e menor retrabalho, unidade de injeção otimizada para garantir precisão e estabilidade, alta eficiência e economia energética, baixo nível de ruído, fácil utilização e tecnologia de moldagem Uniform-stress.

O Grupo Alltech está entre os maiores importadores do segmento no Brasil. As empresas do grupo atuam na comercialização de ferramentas de corte (AllTools), aços especiais (AllSteel), máquinas operatrizes e injetoras (AllMáquinas) e assistência técnica (AllService).

A Interplast tem em média 550 marcas expositoras apresentando novidades dos mais variados setores como máquinas, equipamentos, transformadoras, ferramentarias, embalagens, matérias-primas, periféricos, design e serviços. Realizada pelo Simpesc (Sindicato da Indústria de Material Plástico no Estado de Santa Catarina) e organizada pela Messe Brasil, a 9ª edição tem o apoio da Abimaq (Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos), Abiplast (Associação Brasileira da Indústria do Plástico) e Fiesc (Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina). Paralelamente ao evento acontecem a 3ª Euromold Brasil – Feira Mundial de Construtores de Moldes e Ferramentarias, Design e Desenvolvimento de Produtos – o Cintec 2016 Plásticos – Congresso da Inovação Tecnológica e a Rodada de Negócios.

Serviço
Interplast 2016 – Feira e Congresso de Integração da Tecnologia do Plástico – http://www.interplast.com.br
EUROMOLD BRASIL – Feira Mundial de Construtores de Moldes e Ferramentarias, Design e Desenvolvimento de Produtos – http://www.euromoldbrasil.com.br
Data: 16 a 19 de agosto de 2016
Horário: 14 às 21 horas
Local: Expoville – Joinville-SC – Brasil
Organização: Messe Brasil

Curta nossa página no

Gneuss exibe soluções para a indústria de processamento de plásticos na Interplast

10/07/2016

Gneuss_MRSEntre os destaques que poderão ser vistos no stand da Gneuss na Interplast 2016 está o Sistema de Extrusão MRS (múltiplas roscas). O equipamento é indicado para o processamento de PET reciclado e possui carta de não objeção irrestrita do FDA para fabricação de embalagens em contato com alimentos a partir de PET reciclado pós-consumo. Segundo a empresa, seu poder de degasagem dispensa processos prévios de secagem ou cristalização do material. Este sistema também se aplica na fabricação de filamentos (cordas, vassouras e têxteis), grânulos (bottle to bottle) e fitas de arqueação, além do processamento de Poliolefinas.

De acordo com a Gneuss,  a tecnologia MRS também conta com carta de não objeção do FDA para processamento de PS reciclado pós-consumo para contato direto com alimentos.

As inovações nos sistemas de filtração rotativos totalmente automáticos (com processo e pressão constantes) também poderão ser vistos na Interplast.

Os visitantes poderão conferir também o Viscosímetro em linha, os Sensores de pressão e temperatura – únicos livre de mercúrio – aplicáveis a todos os tipos de massas fundidas e aplicações especiais.

Com mais de 30 anos de experiência e mais de 60 patentes internacionais, a Gneuss é líder no fornecimento de soluções inovadoras para a indústria de processamento de plásticos. Além da sede em Bad Oyenhausen, Alemanha, a Gneuss possui filial nos EUA, no Brasil, escritório na China, parceiro de cooperação no Japão e representantes em todo o mundo.

A Interplast tem em média 550 marcas expositoras apresentando novidades dos mais variados setores como máquinas, equipamentos, transformadoras, ferramentarias, embalagens, matérias-primas, periféricos, design e serviços.
Realizada pelo Simpesc (Sindicato da Indústria de Material Plástico no Estado de Santa Catarina) e organizada pela Messe Brasil, a 9ª edição tem o apoio da Abimaq (Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos), Abiplast (Associação Brasileira da Indústria do Plástico) e Fiesc (Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina).
Paralelamente ao evento acontecem a 3ª Euromold Brasil – Feira Mundial de Construtores de Moldes e Ferramentarias, Design e Desenvolvimento de Produtos – o Cintec 2016 Plásticos – Congresso da Inovação Tecnológica e a Rodada de Negócios.

Serviço
Interplast 2016 – Feira e Congresso de Integração da Tecnologia do Plástico – http://www.interplast.com.br
EUROMOLD BRASIL – Feira Mundial de Construtores de Moldes e Ferramentarias, Design e Desenvolvimento de Produtos – http://www.brasilmold.de
Data: 16 a 19 de agosto de 2016
Horário: 14 às 21 horas
Local: Expoville – Joinville-SC – Brasil
Organização: Messe Brasil

 

Curta nossa página no

Senai realiza workshop durante a Interplast 2016

10/07/2016

Interplast_foto

Durante a Interplast (Feira e Congresso de Integração da Tecnologia do Plástico, que acontece em Joinville/SC), o Senai realizará um workshop voltado aos profissionais do setor. O evento acontecerá dia 18 de agosto, das 14h às 21h, na Expoville (sala Girassol), e consistirá num ciclo de palestras. Confira abaixo a programação:

14h – Métodos e práticas na fabricação de moldes de injeção – Dinor Martins Junior (SENAI)
15h – Processos Especiais de Fabricação – Daniel de Aviz (SENAI)
16h15 – Soldagem para Recuperação de Moldes (imprevistos de processos) –    Célio Cabral Filho (SENAI)
17h30 – Captação de recursos no edital SENAI SESI de Inovação: Ariel Rezende (Instituto SENAI de Inovação)
19h – Fabricação de Micromoldes de injeção: André Zanatta e Tiago Guerra (Instituto SENAI de Inovação)
20h – Microinjeção de plástico: Fernando Kasten (Instituto SENAI de Inovação)

As inscrições são gratuitas e os interessados em participar devem inscrever-se pelo site http://goo.gl/forms/zXbh4mKHCKyk4vBF3.

O Senai-Joinville estará com um stand na Interplast para apresentar aos visitantes seus produtos e serviços. Além do workshop e do espaço na feira, a instituição realizará um Torneio de Robótica. Para mais informações sobre as palestras ou o torneio envie um email para cristiane.catarina@sc.senai.br.

A Interplast apresenta novidades dos mais variados setores como máquinas, equipamentos, transformadoras, ferramentarias, embalagens, matérias-primas, periféricos, design e serviços.
Realizada pelo Simpesc (Sindicato da Indústria de Material Plástico no Estado de Santa Catarina) e organizada pela Messe Brasil, a 9ª edição tem o apoio da ABIMAQ (Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos), ABIPLAST (Associação Brasileira da Indústria do Plástico) e FIESC (Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina).
Paralelamente ao evento acontecem a 3ª EUROMOLD Brasil – Feira Mundial de Construtores de Moldes e Ferramentarias, Design e Desenvolvimento de Produtos – o CINTEC 2016 Plásticos – Congresso da Inovação Tecnológica e a Rodada de Negócios.

Serviço
Interplast 2016 – Feira e Congresso de Integração da Tecnologia do Plástico – http://www.interplast.com.br
EUROMOLD BRASIL – Feira Mundial de Construtores de Moldes e Ferramentarias, Design e Desenvolvimento de Produtos – http://www.brasilmold.de
Data: 16 a 19 de agosto de 2016
Horário: 14 às 21 horas
Local: Expoville – Joinville-SC – Brasil
Organização: Messe Brasil

Fonte: Messe Brasil

Curta nossa página no

Colorfix apresentará novos produtos e realizará treinamentos em seu stand na Interplast

10/07/2016

ColorfixA Colorfix  (http://colorfix.com.br), fornecedora de masterbatches e aditivos com sede em Colombo, na Região Metropolitana de Curitiba, no Paraná,  apresentará novidades durante a feira Interplast, de 13 a 16 de agosto, em Joinville (SC).

Em relação às cores, a Colorfix lançará o Rose Quartz (rosa pastel) e a Serenity (azul calmo) para o seu Catálogo de Tendências 2016/2017. O lançamento segue a tendência da Pantone 2016 (empresa norte-americana famosa por seu sistema numérico de escala de cores).

Outra inovação no quesito cores será o lançamento de sua linha de cores metálicas – rosa e dourado para o segmento de cosméticos; e o alumínio, em substituição ao processo de pintura, desenvolvido, especificamente, para eletroeletrônicos e móveis.

Sobre os aditivos, o destaque ficará por conta da linha de alta performance e sustentabilidade, que, segundo a Colorfix é focalizada na redução custos nos processos dos clientes.

A Colorfix também exibirá durante a Interplast outros produtos do seu portfolio:

  • Selofix (Selante): com ação preventiva e aplicação para paradas de máquina e vedação da rosca. Segundo a Colorfix, o produto evita problemas como carbonização e amarelamento da resina, agilizando o reinício de produção e diminuindo perdas por contaminação de carbonização.
  • Purgfix: Agente de purga, com ação corretiva. Combinação de produtos que permite uma limpeza eficiente e rápida dos equipamentos, eliminando pontos de carbonização e facilitando a troca de materiais e cores, afirma a Colorfix.
  • Processfix HP (high performance) (Aditivo nucleante). Específico para polipropileno (PP). Ao utilizar o Processfix HP, o ciclo de produção pode ser reduzido em até 15% o que gera, consequentemente, uma aumento da produtividade, além de melhorar o desempenho do produto final, garante o fabricante.
  • Processfix (Auxiliar de processo). Segundo a Colorfix, atua diminuindo o atrito entre o polímero e os componentes da máquina durante o processamento, promovendo um melhor fluxo do material e melhor acabamento na superfície da peça.

Além das novidades, a empresa oferecerá mini-palestras aos seus visitantes, com duração de 15 minutos cada. Entre os assuntos abordados, estão: “Calorimetria: avaliação visual e instrumental”, “Aditivos para ganho de alta performance e sustentabilidade”, e “Como dimensionar o produto para atender às necessidades e custos do cliente”.

“A Interplast é uma vitrine para os nossos produtos, além de ser um ambiente de oportunidades técnicas e comerciais. Eventos como este fortalecem não somente a marca da companhia, mas também o setor como um todo”, afirma Francielo Fardo, diretor superintendente da Colorfix. “Além disso, a feira também é um espaço para o reforço e fixação da marca; estreitamento de relação com clientes tradicionais; e prospecção de novas parcerias, clientes e novos projetos”, finaliza.

A Colorfix Masterbatches atua desde 1990 no desenvolvimento de concentrados de cor. Hoje, são mais de 50 mil produtos, entre cores e aditivos, visando a melhoria tanto de produtos quanto de processos dos clientes. A matriz está localizada em Colombo, na Região Metropolitana de Curitiba, no Paraná, mas a companhia conta ainda com unidades em São Paulo (São Caetano) e Pernambuco (Distrito Industrial de Recife).

A Interplast tem em média 550 marcas expositoras apresentando novidades dos mais variados setores como máquinas, equipamentos, transformadoras, ferramentarias, embalagens, matérias-primas, periféricos, design e serviços. Realizada pelo Simpesc (Sindicato da Indústria de Material Plástico no Estado de Santa Catarina) e organizada pela Messe Brasil, a 9ª edição tem o apoio da ABIMAQ (Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos), ABIPLAST (Associação Brasileira da Indústria do Plástico) e FIESC (Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina).
Paralelamente ao evento acontecem a 3ª EUROMOLD Brasil – Feira Mundial de Construtores de Moldes e Ferramentarias, Design e Desenvolvimento de Produtos – o CINTEC 2016 Plásticos – Congresso da Inovação Tecnológica e a Rodada de Negócios.

Serviço
Interplast 2016 – Feira e Congresso de Integração da Tecnologia do Plástico – http://www.interplast.com.br
EUROMOLD BRASIL – Feira Mundial de Construtores de Moldes e Ferramentarias, Design e Desenvolvimento de Produtos – http://www.euromoldbrasil.com.br
Data: 16 a 19 de agosto de 2016
Horário: 14 às 21 horas
Local: Expoville – Joinville-SC – Brasil
Organização: Messe Brasil

Fonte: Assessoria de Imprensa – Interplast

Curta nossa página no

Braskem Idesa inaugura Complexo Petroquímico do México

10/07/2016

Braskem-idesa-inauguracao

Companhia brasileira fortalece estratégia de internacionalização e reforça sua posição entre as cinco maiores fabricantes globais de resinas termoplásticas

A Braskem inaugurou no dia 22 de junho o Complexo Petroquímico do México, em parceria com a empresa mexicana Idesa. Com capacidade de produção integrada de 1,05 milhão de toneladas de eteno e polietileno por ano, o Complexo Petroquímico da Braskem Idesa representa um passo fundamental de crescimento nas Américas e de diversificação de matéria-prima, reforçando a estratégia de internacionalização da Braskem.

“A produção no México coloca a Braskem em um novo patamar. Com 40 fábricas, localizadas no Brasil, Estados Unidos, Alemanha e agora no México, ampliamos o alcance de nossas operações, criando sinergias e complementariedades, desenvolvendo produtos e mercados para melhor servir aos nossos clientes”, diz Fernando Musa, presidente da Braskem.

A produção do Complexo Petroquímico terá como prioridade atender tanto aos clientes do México, dando suporte técnico e desenvolvendo aplicações localmente, como também será dirigida aos mercados dos Estados Unidos, Europa, Ásia e América Central e do Sul.

Com a produção adicional do México, a Braskem passa a ter capacidade de produzir 8,7 milhões de toneladas de resinas termoplásticas, entre polietileno, polipropileno e PVC. Com esse volume, a Braskem reforça sua liderança global entre as cinco maiores produtoras de resinas termoplásticas.

Fruto de um investimento de US$ 5,2 bilhões, o Complexo Petroquímico do México é considerado o maior investimento industrial greenfield já realizado por uma empresa brasileira no exterior. O Complexo reúne um cracker de produção de eteno de base gás e três plantas de polietileno – duas de polietileno de alta densidade linear e a terceira de polietileno de baixa densidade linear.

Com faturamento anual de R$ 54 bilhões, a Braskem atua em mais de 70 países, conta com 8 mil integrantes e opera 40 unidades industriais, localizadas no Brasil, EUA, Alemanha e México.

Fonte: Braskem

Curta nossa página no

PICPLAST e Fundação Dom Cabral finalizam capacitação empresarial para empresários da indústria do plástico

10/07/2016

Ao todo, representantes de mais de 30 empresas acompanharam palestras sobre temas fundamentais para o aprimoramento da gestão de suas empresas

PicplastO PICPlast finalizou no mês de maio os dois últimos módulos do programa de capacitação destinado à empresários da indústria da transformação plástica brasileira. Os trabalhos se iniciaram em março e contaram com a participação de mais de 30 empresas, que puderam acompanhar palestras  sobre estratégia e competitividade empresarial, governança e sucessão, liderança e gestão de processos, custos e finanças e inovação. Todos os trabalhos contaram foram conduzidos pela Fundação Dom Cabral,  em sua sede,  em São Paulo.

No penúltimo módulo, realizado no dia 10/05, os temas discutidos foram custos e finanças. Na oportunidade, os alunos tiveram acesso aos principais indicadores e métricas que impactam diretamente no resultado do negócio e as formas de gerenciá-lo de maneira eficaz para evitar perdas.

Já no último módulo, sobre inovação, dia 11/05, os empresários foram capacitados para compreender o modelo de inovação, criado pela própria Fundação Dom Cabral, e como ele pode ser implementado a partir de um estilo de gestão participativo em todos os processos da companhia. Ao final da capacitação, todos os representantes das empresas que participaram dos seis módulos receberam certificado de conclusão.

Uma das empresas participantes foi a distribuidora Mais Polímeros, que esteve representada por seu gerente comercial, Aparecido Camacho. “Tirar os executivos da empresa para levá-lo à reflexão é uma tarefa complicada, mas executada com maestria pelo PICPlast e a FDC. Dar um tempo e se reunir com outros empresários para falar de estratégia é fundamental para definir objetivos, pensar em novos projetos e trocar experiências”, afirma Camacho.

Outra empresa que esteve presente nas capacitações foi a Pisani, fabricante de embalagens plásticas para as indústrias de bebidas e alimentos. Na ocasião, a empresa esteve representada por Paulo Weber, diretor geral da companhia, que é sediada em Caxias do Sul. De acordo com o executivo, as matérias apresentadas nos dois módulos atendem às necessidades de todas as empresas. “O PICPlast está de parabéns. Os temas discutidos nos dois módulos atenderam às necessidades dos empresários. Na medida em que todas as empresas se capacitam, o mercado fica mais acirrado, nivelado por cima”, afirma o executivo.

O PICPlast é uma iniciativa da Braskem, em conjunto com a Associação Brasileira do Plástico (Abiplast), entidade que representa a indústria da transformação plástica no Brasil. O plano foi lançado em 2013 com o objetivo de desenvolver programas estruturais que contribuam com a competitividade e crescimento da transformação plástica de forma conjunta entre a 2ª e 3ª gerações da cadeia produtiva do plástico.

Essa foi a terceira turma capacitada pela Fundação Dom Cabral desde o lançamento do PICPlast, em 2013. Desde então, foram quase 100 empresas capacitadas em todas as regiões do Brasil.

Fonte: Assessoria de Imprensa – PICPLAST

Curta nossa página no

Perfis de PVC de alto desempenho são os destaques da Amplex/Kommerling na feira Construsul

10/07/2016

Kommerling-Construsul

Empresa gaúcha é parceira da multinacional alemã Kommerling, um dos players mundiais do setor de perfis de PVC para esquadrias

Em parceria com a Amplex Aberturas em PVC, da cidade gaúcha de Carlos Barbosa, a Kommerling apresenta na Construsul produtos que obedecem à norma 15.575 – que institui nível de desempenho mínimo ao longo da vida útil para os elementos da edificação habitacional – bem como à NBR 10.821 que regula as esquadrias externas para edificações.

Um dos destaques fica por conta do perfil de PVC na cor preto fosco, sendo a massa de perfil interna preta e a lâmina com proteção térmica Cool Colors Plus da Skai. “Apesar de o preto ser uma cor que absorve mais energia térmica, essa proteção faz uma barreira, proporcionando um desempenho muito semelhante ao branco”, explica Priscila Oliveira Andrade, gerente de vendas da Kommerling,

Outra atração é o PVC com acabamento amadeirado. Por meio de lâminas coladas nos perfis, é indicado para qualquer tipo de abertura. Está disponível com 5 tonalidades standard e 12 especiais, com cores que vão do azul ao vermelho e metálico O produto é destinado a um público que deseja um acabamento rústico da madeira sem os problemas de manutenção, como verniz e fungo, cupins, apodrecimento. Soma-se a estes benefício, o isolamento termoacústico estável. Segundo Priscila Oliveira Andrade, a disponibilidade de perfis de PVC no padrão madeira é uma opção que avança em novas obras no Brasil, tendo em conta que a mão de obra de manutenção de esquadrias de madeira está cada vez mais escassa e cara.

Parceira da Kommerling desde 2010, a Amplex atua na Serra Gaúcha, região metroplitana de Porto Alegre e nos Vales do Taquari e do CAI. “Somando a expertise em extrusão da Kommerling com o nosso conhecimento em engenharia, atendemos a um público que busca conforto térmico/acústico e economia de energia”, ressalta Andre Demari, diretor da Amplex.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Kömmerling

Curta nossa página no

Compósitos: programa de logística reversa no Paraná começa em agosto

10/07/2016

Projeto da Associação Latino-Americana de Materiais Compósitos contempla inicialmente o trabalho com peças de ônibus

Criado no final de 2014 pela Associação Latino-Americana de Materiais Compósitos (ALMACO), o programa de logística reversa pós-consumo de peças de compósitos entrará em operação no início de agosto. A iniciativa acontece no Paraná, numa área que abrange Curitiba e mais 29 municípios, e contempla inicialmente componentes de ônibus, como tetos, grades e para-choques. A expectativa ao longo do primeiro ano é de efetuar a logística reversa de cinco toneladas de compósitos, cujo destino final será o coprocessamento em fornos de cimenteiras.

“A partir de agosto, a responsabilidade pelo pós-consumo passará a ser dos fabricantes das peças. Caso eles não façam parte do programa, estarão sujeitos a multas pesadas, a exemplo do que acontece nos segmentos de pneus e filtros de óleo”, alerta Paulo Camatta, gerente executivo da ALMACO. Já foram registradas no Paraná autuações de mais de R$ 150 mil para as empresas que descumpriram o acordo de logística reversa. A ALMACO, informa Camatta, também orientará os seus associados a adquirir matérias-primas apenas dos fabricantes cadastrados no programa.

Os aspectos práticos do projeto ficarão a cargo da Geoquímica, empresa que será responsável por recolher as peças pós-consumo de compósitos em oficinas de ônibus e garantir a correta destinação. Localizada em São José dos Pinhais (PR), a Geoquímica já trabalha com a logística reversa de embalagens de lubrificantes e filtros automotivos.

O plano elaborado pela ALMACO conta com o apoio da consultoria Masimon e de doze empresas da cadeia produtiva de compósitos: Ashland, CPIC, Jushi, Marcopolo, Mascarello, Morquímica, MVC, Neobus, Owens Corning, Reichhold, Royal Polímeros e Tecnofibras. Também apoiam o projeto a Associação Nacional dos Fabricantes de Ônibus (FABUS) e o Sindicato Interestadual da Indústria de Materiais e Equipamentos Ferroviários e Rodoviários (SIMEFRE).

“Os trabalhos relacionados à logística reversa baseiam-se em comitês tripartites. Além de uma associação de classe, como a ALMACO, é necessária a participação de órgãos governamentais. No nosso caso, a Secretaria do Meio Ambiente do Paraná (SEMA) e o Instituto Ambiental do Paraná (IAP)”, detalha Camatta.

Programa Nacional de Reciclagem

Em 2012, a ALMACO, em conjunto com o Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), concluiu o Programa Nacional de Reciclagem. Com um investimento de R$ 2 milhões e a participação de um consórcio formado por 23 empresas, o programa apontou soluções para a reutilização de resíduos de compósitos no próprio processo produtivo.

Resultantes da combinação entre polímeros e reforços – por exemplo, fibras de vidro –, os compósitos são conhecidos pelos elevados índices de resistência mecânica e química. Há mais de 50 mil aplicações catalogadas em todo o mundo, de caixas d’água, tubos e pás eólicas a peças de barcos, trens e aviões.

Fundada em 1981, a ALMACO tem como missão representar, promover e fortalecer o desenvolvimento sustentável do mercado de compósitos. Com administração central no Brasil e sedes regionais no Chile, Argentina e Colômbia, a ALMACO tem cerca de 400 associados (empresas, entidades e estudantes) e mantém, em conjunto com o Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), o Centro de Tecnologia em Compósitos (CETECOM), o maior do gênero na América Latina.

Fonte: Almaco

Curta nossa página no

Jaime Lorandi é reeleito para novo mandato à frente do Simplás

10/07/2016

Simplas-Lorandi

A próxima gestão do Sindicato das Indústrias de Material Plástico do Nordeste Gaúcho (Simplás) já tem uma linha de trabalho definida para o triênio 2016-2019. Jaime Lorandi (foto), reeleito para a presidência na última quarta-feira (29), estabeleceu quatro eixos de atuação na entidade que representa mais de 500 empresas de transformação que geram aproximadamente 12 mil empregos diretos em oito municípios (Caxias do Sul, Coronel Pilar, Farroupilha, Flores da Cunha, Garibaldi, Nova Pádua, São Marcos e Vale Real), com estimativa de faturamento anual superior a R$ 3 bilhões. Em um raio de 50 quilômetros, a área de abrangência do Simplás apresenta uma das maiores concentrações de indústrias de transformação de plástico do Brasil. A posse oficial da nova diretoria está prevista para 1o de agosto.

Melhoria e promoção da ética nas relações de trabalho e na Justiça do Trabalho; estímulo à qualificação profissional de gestores empresariais; defesa da elaboração e implementação de um plano de desenvolvimento econômico e social multissetorial para toda a região; e promoção da sustentabilidade por meio da educação para o descarte correto do plástico pós-consumo das residências serão as diretrizes no programa de ação da entidade.

“Há mais de 25 anos, o Simplás representa um setor responsável pela geração de dezenas de milhares de empregos na região. O sucesso da indústria, portanto, tem relação direta com o bem-estar e o progresso de milhares de famílias de empregadores e empregados. Assim, compreendemos que o papel comunitário do sindicato vai além da esfera associativa. Nos próximos três anos vamos trabalhar intensamente para que os benefícios da ética, da qualificação, do desenvolvimento e da sustentabilidade alcancem cada vez mais pessoas, em toda a sociedade”, afirma Lorandi.

Fonte: Assessoria de Imprensa (Simplás); Foto: Neli Alvanoz

Curta nossa página no

Grupo Solvay lança borracha sintética para peças que suportam grandes variações de temperatura

10/07/2016

Solvay_TecnoflonUtilizadas na produção de peças que demandam resistência a temperaturas extremas e excelente resistência química, as borrachas sintéticas à base de fluorcarbono da linha Tecnoflon®FKM foram destaques da unidade global de negócios Specialty Polymers, do Grupo Solvay, na Expobor 2016 –12ª Feira Internacional de Tecnologia em Borrachas, Termoplásticos e Máquinas, de 28 a 30 de junho, no Expocenter Norte, em São Paulo.

Segundo a empresa, os produtos Tecnoflon® FKM são indicados para uso em temperaturas extremamente baixas (Série VPL), com TR10 variando de -30°C a -45°C e excelente resistência química. Suas características asseguram maior versatilidade de uso em regiões onde há variações extremas de temperatura. Aplicações típicas desse produto incluem anéis de borracha (o-rings) para injetor de combustível e componentes de vedação para as indústrias aeroespacial e de petróleo e gás, afirma a Solvay.

O portfólio Tecnoflon® da Solvay está dividido em duas famílias: os fluorelastômeros Tecnoflon®FKM e os perfluorelastômeros Tecnoflon®FFKM. De acordo com a Solvay, ambas são compatíveis com inúmeros fluidos e produtos químicos, incluindo óleos lubrificantes automotivos, combustíveis e líquidos de arrefecimento, proporcionando uma vida útil mais longa mesmo em condições extremas.

A Solvay Specialty Polymers fabrica mais de 1500 produtos agrupados em 35 marcas de polímeros de alto desempenho – fluoropolimeros, fluoroelastômeros, fluidos fluorados, poliamidas parcialmente aromáticas, polímeros sulfonados, polímeros aromáticos de ultra-alto desempenho, polímeros de alta barreira e compostos de alto desempenho reticulados – para uso nas indústrias Aeroespacial e Aeronáutica, de Energia Alternativa, Automotiva, de Saúde, de Membranas, de Petróleo e Gás, de Embalagens, de Tubos e Conexões, de Semicondutores, de Fios e Cabos, entre outras.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Solvay

Curta nossa página no

Prévia da K 2016 antecipa onda de inovações a serem lançadas durante a feira em outubro, em Düsseldorf

08/07/2016

K2016_Preview-01

Inovações nas áreas de matérias-primas, máquinas, processos, aditivos e aplicações, bem como novos desenvolvimentos relacionados à indústria 4.0, à impressão 3D, automação, robótica, reciclagem e purificação de matérias-primas foram exibidos na avant-premiére da feira K 2016, organizado pela Messe Düsseldorf entre os dias 26 a 29 de junho, no pavilhão de feiras de Düsseldorf, na Alemanha. Mais de 70 jornalistas de 32 países participaram do evento, no qual 14 expositores apresentaram algumas das inovações que irão exibir durante a K 2016, entre 19 a 26 de outubro, em Düsseldorf.

Um debate com representantes das organizações de apoio à K 2016 e a Messe Düsseldorf abriu o evento, com a participação do Sr. Werner M. Dornscheidt (Presidente e CEO da Messe Düsseldorf), Dr. Rüdiger Baunemann (Diretor Geral da PlasticsEurope Deutschland eV) , o Sr. Thorsten Kuhmann (Diretor Gerente da Associação dos Fabricantes de Máquinas para Plásticos e Borracha da Alemanha, dentro da VDMA), o Sr. Boris Engelhardt (Diretor Gerente da Associação da Indústria de Borracha Alemã – WDK) e o Dr. Oliver Möllenstädt (Diretor Geral da Associação de Processadores de Plásticos da Alemanha – GKV). Durante o painel , o foco da discussão foi a busca do caminho em direção ao crescimento económico para a indústria de plásticos, mas também alguns desafios, tais como implementar a Indústria 4.0 ou como evitar o lixo marinho, foram amplamente debatidas.

K2016_Preview-02

BASF, Sepro, Erema, Battenfeld-Cincinnati, Haiti, Sikora, Reifenhäuser, Huntsmann Tecnoelastomeri, Huntsmann Pigmentos e Aditivos, Hekuma, Lanxess, Arlanxeo, LPKF, Sumitomo Demag e Wacker apresentaram seus novos produtos e tecnologias para os meios de comunicação internacionais em apresentações seguidas de questões levantadas pelos jornalistas.

As novidades apresentadas pela BASF incluíram seu novo portfólio de Poliftalamidas para componentes sofisticados nas indústrias automotiva e eletrônica; o seu portfolio de poliamida especialmente projetados para o duto de ar de admissão em motores de combustão; a simulação de formação de espumas de sistemas de PU para interiores de automóvel, os biopolímeros Ecovio e uma nova geração de estabilizadores de luz contra condições climáticas adversas.

A Reifenhäuser afirmou que eles “estão estabelecendo os novos padrões para além do atual estado da arte” na produção de máquinas de extrusão para filmes soprados de alta qualidade, filmes planos, monofilamentos, fitas e não-tecidos.

A Sepro anunciou que trará 26 robôs para a K 2016, enfatizando o papel que desempenha no cenário da Indústria 4.0. Dois desses robôs deverão ser os maiores em operação durante a feira: um robô de feixe  cartesiano de 5 eixos será demonstrado juntamente com um novo robô de braço articulado de 6 eixos, que é resultado do acordo da parceria recente com a Yaskawa Motoman .

A Erema apresentou o conceito “Careformance’, anunciando a empresa como a primeiro na indústria de reciclagem de plásticos a apresentar um extensivo pacote de fábrica inteligente tanto para os recicladores como para os produtores, na era da “Reciclagem 4.0 ‘.

A Wacker destacou o desenvolvimento da primeira impressora 3D em escala industrial para os silicones. A empresa também apresentou novas aplicações para filmes de silicone, novos aditivos de silicone para compósitos madeira plástica e uma nova borracha de silicone líquido com dureza shore extremamente elevada, além de outras inovações em tecnologias de silicone.

A Battenfeld-Cincinnati anunciou seus mais recentes desenvolvimentos para os setores de tubos, perfis e chapas para termoformagem, como uma nova série de extrusoras de rosca simples com uma unidade de processamento que oferece temperatura do material fundido mais baixas e custos de energia reduzidos em até 15%. Linhas inovadoras de chapas para termoformagem, pilhas de rolos para bobinamento e extrusoras de rosca  dupla também serão exibidas durante a feira.

A Sikora destacou suas tecnologias inovadoras para medição, controle, inspeção, análise e triagem. A empresa apresentou um sistema de inspeção e análise on-line / off-line de pellets, flocos e filmes / fitas com base em tecnologias de infra-vermelho, óticas ou de raios-X, bem como um método para medir com precisão o diâmetro interno / externo, ovalização, espessuras de parede e flacidez de grandes tubos de plástico.

A Huntsman Pigments & Additives enfatizou seus novos pigmentos de dióxido de titânio de tom azulado  para embalagens de filmes multicamadas e filmes duráveis para aplicações externas. Também apresentou uma adição de um novo grade com uma melhor reflexão solar à sua gama de pigmentos Altirium, bem como desenvolvimentos em pigmentos coloridos.

A Huntsman TPU falou sobre transferência de tecnologia e como a natureza acelerada das indústrias de esportes, lazer e vestuário, e a necessidade de contínua inovação em materiais está fomentando o uso de TPU em novas aplicações industriais. A Huntsman Tecnolelastomeri descreveu como a empresa alemã  Raeder Vogel está usando os seus sistemas de poliuretano para criar uma família de rodas e rolamentos de poliuretano duráveis  para uso em aplicações industriais extremas.

A Lanxess destacou suas soluções de peso reduzido para a indústria automotiva, especialmente algumas que serão utilizados no novo veículo Honda Clarity 2016 com célula de combustível de hidrogênio de 2016. Outros desenvolvimentos incluíram: componentes de bateria para motociclistas verdes, novas poliamida 6.6 com 60% de fibras de vidro,  e componentes de compósitos ultra-finos decorados em uma etapa de processamento único.

A Arlanxeo, a nova joint venture formada pela Lanxess e Saudi Aramco, apresentou-se como uma líder global em borracha sintética com unidades de negócios em borrachas para Pneus & Especialidades  e Elastômeros de alto desempenho. Desenvolvimentos introduzidos pelo Arlanxeo compreenderam: Elastômeros que ajudam a reduzir os danos causados pelo fogo, elastômeros para aplicações de baixa temperatura, e outros.

A LPKF apresentou a sua tecnologia de solda plástica com laser que está substituindo, em muitas áreas de aplicação, processos de união convencionais, tais como colagem ou soldag ultra-sônica. Segundo a LPKF, a produção está sendo cada vez mais convertida em tecnologias de solda a laser em  setores sensíveis à qualidade e ao custo, incluindo produtos automotivos, médicos e de consumo.

A Haitian enfatizou sua estratégia de produto que desloca a produção de pequenas máquinas injetoras para máquinas elétricas, bem como de grandes máquinas para tecnologia de duas placas. A Haitian também enfatizou a sua expansão de unidades em todo o mundo e a expansão do Serviço na Europa. Novos desenvolvimentos incluem a atualização de máquinas de dois cilindros e soluções elétricas.

A Hekuma apresentou os seus sistemas de automação para o ambiente de moldagem por injeção. A empresa também defendeu suas soluções de requisitos complexos no projeto da máquina e na execução técnica de extrema precisão em altas velocidades.

A Sumitomo Demag anunciou que a empresa vai se concentrar principalmente em inovações de aplicações para máquinas elétricas. O segundo foco da empresa durante a Feira K será na área de embalagens. Neste caso,  ciclos rápidos e produtividade correspondem à maior demanda dos clientes. Além disso, a Sumitomo Demag irá se concentrar na sua tecnologia “Indústria 4.0” para todos as máquinas de plásticos elétricas.

Na K 2016, mais de 3.000 expositores de todos os continentes estarão apresentando seus mais recentes desenvolvimentos nas áreas de máquinas e equipamentos para a indústria de plásticos e borracha, matérias-primas e auxiliares, produtos semi-acabados, peças técnicas e produtos plásticos reforçados. A feira, que estará aberta das 10:00 até 18:00 de quarta-feira, 19 de outubro de até quarta-feira, 26 de outubro, espera atrair cerca de 200.000 visitantes profissionais de todo o mundo.

Curta nossa página no

Arqplast escolhe equipamentos da Tomra Sorting Recycling para separar matéria-prima reciclada

07/07/2016

Tomra_arqplast

Sediada no município de Boituva, a 130km de São Paulo, a Arqplast Utilidades Domésticas (foto) está há 16 anos no mercado de Utilidades Domésticas. A empresa fabrica produtos com matéria prima 100% reciclada. Isto significa que toda a matéria-prima utilizada provém da sucata, sem misturas com  plástico virgem. Em 2015, a Arqplast deu um passo importante na consolidação de resultados e na qualidade dos produtos finais com a instalação de dois equipamentos Autosort da Tomra Sorting Recycling que permitem processar cinco toneladas de plásticos por hora.

O Autosort combina os sensores NIR (Near Infrared) e VIS e permite reconhecer e separar com precisão e velocidade uma grande quantidade de materiais em função do tipo e composição, obtendo frações de elevada pureza. Na fábrica da Arqplast, os dois equipamentos processam Polipropileno (PP) que vem misturado com Polietileno (PE), por vezes com até 30% de impurezas. Esta solução proporcionada pela Tomra Sorting Recycling veio alterar a realidade da fábrica, que até então tinha processos bastante manuais e elevadas perdas, assim como altos custos de produção.

Arqplast evolui com tecnologia baseada em sensores

Negócio familiar, a Arqplast disponibiliza para o mercado mais de 200 produtos 100% reciclados. São baldes, bacias, cestos, caixas multiuso, containers, móveis, maletas, coletores para lixo, pallets e uma grande variedade de utilidades domésticas em geral que deixam de virar lixo para se transformar produtos úteis. Atualmente, a empresa possui na fábrica cerca de 150 máquinas que produzem 90 toneladas de PP diariamente.

Antes da chegada dos equipamentos da Tomra Sorting Recycling, houve todo um processo de evolução que permitiu chegar aos níveis e valores atuais. Num primeiro momento, a empresa trabalhava na linha de produção apenas com os produtos finais de plástico. Mais tarde, após uma “verticalização” dos processos, começaram a trabalhar com a resina de sua própria produção – depois de instaladas linhas de extrusão. Finalmente, começaram a comprar pós-consumo, pré-escolhido, e fardos de PP para lavar e moer. Contudo, todos estes processos tinham uma componente muito manual, que provocava muitas perdas e altos custo.

Para reforçar a posição no mercado brasileiro, a planta da Arqplast está neste momento em contato com a Associação Brasileira da Indústria do Plástico, de forma a conseguir obter o Selo Nacional de Plásticos Reciclados – SENAPLAS -, que certifica a origem da resina reciclada em seus produtos. O certificado procura ainda identificar e valorizar as empresas Recicladoras, que trabalham dentro dos critérios Socioambientais e Econômicos exigidos pela Lei.

O processo antes e depois da Tomra Sorting Recycling

Como explicado por Arquimedes Silva, proprietário da fábrica, antes da entrada dos equipamentos da Tomra Sorting Recycling na fábrica, o processo passava por comprar fardos de PP que eram selecionados à mão por material e cor. Silva sublinha ainda que “internamente, estava enraizado que não era possível selecionar tudo e que era necessário recorrer ao mercado para conseguir PP moído já selecionado”. Para agravar a situação, além das altas perdas em todo o processo, havia um custo elevado com o pigmento para coloração do material, que também era importado e altamente dispendioso.

Com a entrada dos equipamentos em funcionamento em Março de 2015, de imediato aumentou a capacidade de seleção, o que permitiu que todo o material necessário fosse produzido dentro da fábrica, evitando assim material moído por terceiros. Além disso, o produto obtido passou a ser mais puro e com maior qualidade. Com os equipamentos da Tomra, foi possível reduzir os custos operacionais e de manutenção. Agora, a Arqplast está preparada para organizar o material em famílias de cores, o que permitiu uma redução na utilização dos pigmentos para alcançar as cores desejadas.

Maior recuperação

Segundo explicou Arquimedes Silva: “Com a introdução dos equipamentos Autosort, a recuperação de PE e PP teve um incremento de 3500 kg/h em comparação com os 1500 kg/h que vinham sendo registrados anteriormente, traduzindo-se assim num maior volume de entradas na fábrica. Atualmente recuperam-se entre 80 e 90 toneladas de boa qualidade de produto neste fluxo diariamente”.

“Os equipamentos da Tomra Sorting Recycling permitiram reduzir o número de funcionários na triagem, aumentando a eficiência e a pureza do material recuperado, o que permitiu recolocar o pessoal em outras áreas mais estratégicas da planta”, afirmou o proprietário.

Arquimedes Silva destacou ainda “os reduzidos custos de manutenção, assim como a facilidade na limpeza dos equipamentos, que são bastantes fáceis de operar”.

Processo de utilização

Neste momento, os dois equipamentos da Tomra têm funções diferentes na fábrica da Arqplast. Como o foco está na recuperação de PP, o primeiro equipamento seleciona todo o material que pode ser utilizado, sendo depois enviado para uma seleção manual por cores.

Já o segundo, está dividido em dois processamentos. Num primeiro processamento, separa PE, que tem um alto valor de mercado e que pode ser vendido posteriormente. O que for rejeitado num primeiro processamento, passa diretamente para o segundo, com o principal objetivo de separar PS positivo.

O conceito principal passa por enviar PP livre de impurezas para depois ser separado manualmente por cores, dado que é uma tarefa mais fácil dentro da fábrica. Considerando, que o material tem por vezes 30/40% de contaminação de outros polímeros com elevado valor de mercado, a segunda unidade, tem como objetivo a recuperação desse material.

A Arqplast teve o primeiro conhecimento da Tomra Sorting Recycling em 2013, ocasião em que tomou contato com a tecnologia de separação automática. Depois de várias demonstrações em plantas brasileiras e no exterior, em 2014 consumou-se o acordo entre as duas empresas e há um ano os equipamentos entraram em pleno funcionamento.

A Tomra Sorting Recycling desenvolve e fabrica tecnologias de separação baseada em sensores para a indústria global de reciclagem e gestão de resíduos. A Tomra Sorting Recycling faz parte da Tomra Sorting Solutions, que também desenvolve sistemas baseados em sensores para a separação, descascamento e controle de processos para a indústria alimentícia e de mineração, entre outras.

Fundada em 1972, a Tomra Systems ASA tem faturamento de cerca de 650 milhões de euros e emprega mais de 2.600 pessoas.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Tomra Recycling

Curta nossa página no

Victrex lidera consórcio de indústrias para explorar uso de polímeros PEEK/PAEK em aplicações com impressão 3D

06/07/2016

Victrex_impressao-3d

  • Formulações químicas específicas para trabalho com impressão 3D beneficiarão a indústria aeroespacial
  • Aplicações na medicina também serão analisadas

A Victrex está liderando um consórcio de empresas e instituições na inovação em impressão 3D (ou Manufatura Aditiva-MA). Como parte do seu papel fundamental, a Victrex desenvolverá novos grades de poliariletercetona (PAEK), um polímero de alto desempenho com base em formulações químicas inovadoras, projetadas especificamente para trabalhar em processos de manufatura aditiva. Embora já utilizados atualmente em algumas aplicações de MA, os materiais PAEK foram originalmente desenvolvidos para uso na moldagem por injeção ou processos de extrusão.

As novas classes são dirigidas especificamente à indústria aeroespacial, que é o foco principal do consórcio, mas também serão consideradas aplicações em outras áreas como, por exemplo, a médica. Detentora de propriedade intelectual que abrange os novos polímeros a serem desenvolvidos, a Victrex foi premiada com um financiamento da agência do Reino Unido para a inovação, a Innovate UK, para ajudar a conduzir o projeto. Os membros do consórcio são outros líderes da indústria como Airbus Group Innovations, EOS, University of Exeter, E3D-Online, HiETA Technologies, South West Metal Finishing, Avon Valley Precision Engineering e Layer Manufacturing (CALM).

Segmentação melhora taxas de reciclagem e redução de resíduos

Um objetivo essencial é a melhoria da taxa de reciclagem para pós utilizados na técnica de “sinterização a laser” da manufatura aditiva. Isto reduziria significativamente o desperdício de polímero neste tipo de processo e diminuiria seus custos. O projeto também abordará a imprevisibilidade de adesão inter-camadas e o acabamento superficial de impressão baseada em filamentos.

“Todo mundo está consciente de que a manufatura aditiva tem o potencial de revolucionar a produção industrial, uma vez que não envolve a alta ferramentaria e os custos de instalação de fabricação tradicional”, observa David Hummel, diretor executivo da Victrex. “Ela também permite a produção de formas muito complexas e geometrias que não podem ser feitas por meios convencionais, com aplicações de alto valor agregado e menor volume”, destaca.

Victrex lidera e ganha financiamento de agência britânica

O projeto em andamento por meio do consórcio foi originalmente concebido durante uma conferência sobre manufatura aditiva à base de polímeros, realizada em 2014, na Universidade de Exeter. Na ocasião, a Victrex apresentou alguns resultados da fase inicial de um novo polímero com um potencial significativo para a manufatura aditiva. A Universidade de Exeter já tinha adquirido experiência e contatos na área de manufatura aditiva à base de polímero de PEEK e foi capaz de ajudar a tornar o consórcio uma realidade.

O polímero PAEK da Victrex já está sendo utilizado para peças impressas em 3D, tanto por fusão de filamento como por sinterização a laser em pó, enquanto a empresa busca ativamente por novas soluções e aplicações. Dentro da indústria, o consórcio está focado no uso inovador de novas classes de polímeros PAEK potencialmente revolucionários para a indústria aeroespacial, por meio das técnicas de manufatura aditiva.

“Este projeto inovador é mais um grande exemplo da liderança da Victrex em novos caminhos, demonstrando como estamos tentando desenvolver ainda mais as oportunidades para nossos polímeros, expandindo o mercado para aplicações PAEK e diferenciando nosso negócio. Estamos no início de uma viagem emocionante na formulação de novas aplicações, que podem, eficazmente e de forma rentável, explorar todas as vantagens da manufatura aditiva”, ressalta Hummel. Em 2018, o projeto espera ter demonstradores tecnológicos que representem evidências e um caminho a seguir para a concretização de todas as vantagens da manufatura aditiva – incluindo redução de custos e time-to-market mais rápido para produtos, incluindo peças muito complexas necessitando a fabricação pelos métodos tradicionais. “Embora este consórcio seja um programa multi-anual, as empresas que vêem valor para os benefícios do polímero PEEK, combinado com as propostas de valor para a manufatura aditiva, devem nos contatar agora para discutir suas ideias”, enfatizou Hummel.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Victrex

Curta nossa página no

Rhodia começa a fabricar no Brasil sílica precipitada para uso em “pneus verdes”

05/07/2016

Rhodia_silica

  • Sílica precipitada de alto desempenho promove a economia de combustível e redução de emissões dos veículos
  • Empresa investiu em torno de U$$ 10 milhões em projetos de modernização, implantação de tecnologias e melhoria de processos na fábrica de sílica precipitada em Paulínia (SP)

A Rhodia, empresa do Grupo Solvay, deu início à produção no Brasil da sílica precipitada de alto desempenho (HDS, na sigla em inglês) para atender principalmente a expansão da fabricação dos chamados ‘pneus verdes’, que economizam energia (combustível) e ao mesmo tempo reduzem as emissões de carbono na atmosfera.

Estudos realizados pela empresa e por organismos do setor automotivo internacional indicam que o uso da sílica HDS permite a economia de até 7% no consumo de combustível do automóvel e reduz na mesma proporção as emissões de carbono na atmosfera. Além disso, o uso da sílica da Rhodia melhora em 10% a aderência do pneu ao piso molhado.

“Nossa sílica HDS pode ser um fator fundamental para a indústria automotiva alcançar mais rapidamente as metas de redução de emissões de carbono previstas pelo programa brasileiro Inovar-Auto”, diz François Pontais, Diretor para a América Latina da Unidade Global de Negócios Sílica, do Grupo Solvay.

Segundo Pontais, a migração da produção das montadoras de pneus para os chamados pneus verdes é uma tendência global do mercado, tendo em vista as exigências ambientais mais rigorosas para o controle de emissões dos veículos, visando incrementar a mobilidade sustentável. “A sílica HDS se tornou líder mundial no seu segmento por justamente atender a essas necessidades”, acrescenta.

O conceito do pneu verde nasceu na Europa no início dos anos 90 no segmento de veículos de passeio, a partir da invenção da sílica HDS pela Rhodia (que pertence ao Grupo Solvay desde 2011). Logo tomou corpo e se expandiu por conta da legislação ambiental europeia para o setor automotivo, que continua desafiando o setor para produção de veículos mais sustentáveis e, portanto, menos poluentes.

A expansão do uso de sílica HDS teve um impulso importante com a recente adoção de programas de etiquetagem de pneus, um modo de assegurar ao consumidor a melhor compra desse produto, alinhada à demanda por produtos mais sustentáveis. O programa de etiquetagem foi implementado inicialmente na Europa em 2012 e logo expandiu-se para outras regiões do planeta, como a Ásia (Japão e Coréia do Sul). Agora, a partir de outubro de 2016 passa a valer no Brasil. “A sílica HDS contribuirá para que a indústria de pneus ofereça o melhor produto aos consumidores”, afirma François Pontais.

Investimentos em tecnologia e inovação – O início da produção da sílica de alto desempenho no Brasil é um dos resultados de uma série de projetos voltados ao aumento da eficiência e da competitividade do negócio Sílica na América Latina, abrangendo a unidade de produção e o laboratório de desenvolvimento de aplicações, instalados no conjunto industrial do Grupo Solvay em Paulínia (SP), além das equipes de gestão administrativa e comercial.

“Nosso esforço está direcionado para reforçar a nossa liderança na região da América Latina, através da melhoria dos nossos processos e produtos, para atender as necessidades dos clientes dos diversos mercados em que nossas sílicas são utilizadas”, observa François Pontais, Diretor para a América Latina da unidade global de negócios Sílica, do Grupo Solvay.

O portfólio de projetos de melhoria abrange todas as áreas do negócio Sílica na América Latina. Por exemplo, há investimentos em “BAT” (Best Available Technology) para processos de produção (sílica de alto desempenho, eficiência energética, rendimentos da produção), em excelência operacional e em supply chain (embalagem, armazenagem e logística) na planta de industrial de Paulínia (SP).

Todas essas tecnologias e desenvolvimentos de produtos comercializados no setor de borracha e pneus – Zeosil® e Efficium® – foram destaques da empresa na Expobor 2016 – 12ª Feira Internacional de Tecnologia em Borrachas, Termoplásticos e Máquinas, que ocorreu de 28 a 30 de junho, no Expocenter Norte, em São Paulo.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Solvay/Rhodia

Curta nossa página no

Dilutec lança sistema translúcido de resina e gelcoat

05/07/2016

Dilutec-gel-coat

Novidade é ideal para aplicações no setor de lazer

A Dilutec, uma das principais fabricantes brasileiras de gelcoat, anuncia o lançamento de um sistema de resina poliéster cristal e gelcoat ISO NPG que garante translucidez às peças de compósitos – um tipo de plástico de alta performance. A novidade é ideal para aplicações no setor de lazer, a exemplo de brinquedos, toboáguas e tobogãs.

“A resina e o gelcoat foram ajustados pela Dilutec para que o sistema como um todo seja translúcido e, ao mesmo tempo, atenda às exigências de resistência mecânica e de exposição aos raios UV”, afirma Marcos Brambilla, gerente técnico da Dilutec.

Sob o ponto de vista da utilização, Brambilla recomenda o uso de gelcoateadeiras ou revólveres de pintura. “Para que o moldador de compósitos consiga a performance ideal, é importante respeitar as espessuras mínimas de 0,4 a 0,6 mm de aplicação do gelcoat”. De início, o sistema translúcido está sendo fornecido em tom esverdeado, mas outras cores podem ser formuladas.

A Dilutec levou pouco menos de um mês para desenvolver a novidade – a iniciativa partiu de uma solicitação da Reforfibras, empresa goiana especializada na fabricação de brinquedos e mobiliários de compósitos.

“Um dos nossos clientes queria instalar na sua casa um toboágua translúcido, mas se assustou com os preços dos fabricados em policarbonato e acrílico. Daí, sugerimos os compósitos, que são mais baratos e oferecem resistência superior. Entramos em contato com a Dilutec, que rapidamente desenvolveu uma solução excelente para esse tipo de aplicação”, conta Sebastião Lopes, diretor da Reforfibras.

Fundada em 1995, a Dilutec fabrica gelcoat em Senador Canedo (GO) e thinner em Piracicaba (SP). Também atua como distribuidora de resinas da Ashland na Região Centro-Oeste e de equipamentos para a moldagem de compósitos da BÜFAtec Spain na América Latina.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Dilutec

Curta nossa página no

K 2016: indústria de plásticos européia está cautelosamente otimista

23/06/2016

k2016Apesar de uma série de questões que se apresentam no momento, que variam desde o assuntos dos resíduos marinhos até várias decretações de “força maior” em fornecedores de materiais, a indústria de plásticos Europeia se aproxima da K 2016 em um estado saudável e com otimismo cauteloso. Mas ainda há muitas colinas para escalar.

A empresa de consultoria do setor de plásticos Applied Market Information (AMI) disse recentemente que a indústria de plásticos européia “encontra-se em um novo período de agitação e mudança enquanto se esforça para sair da estagnação causada inicialmente pela Grande Recessão de 2008-2009 e a subsequente crise da Zona do Euro em 2012-2013. “A AMI prevê que a demanda por polímero crescerá um pouco acima de 1% por ano até 2019.

O lado da oferta está contente

No geral, os produtores de polímeros na Europa parecem estar otimistas. Na Borealis, por exemplo, o CEO Mark Garrett diz que as margens da indústria integrada de poliolefinas estavam em máximos históricos. Ele observa que os preços de poliolefinas foram afetados pela sólida demanda combinada com um déficit de abastecimento, particularmente resultantes de paradas de produção não planejadas.

Processadores estão mais ocupados

As perspectivas para a indústria de transformação de plásticos em toda a Europa parecem estar melhorando, com as associações industriais em vários países relatando crescimento. Mesmo na Itália, onde o consumo está estagnado, na melhor das hipóteses, por algum tempo, a associação de fabricantes de equipamentos Assocomaplast relata uma forte tendência de crescimento nas encomendas. Na Alemanha, mesmo depois de um ano recorde em 2014, o setor ainda conseguiu registrar um crescimento moderado no ano passado. Mas Dirk Westerheide, presidente da associação do setor de processamento de plásticos GKV do país, lamentou problemas na oferta e a evolução muito volátil dos preços de matérias-primas, em particular polietileno e polipropileno.

Fornecimento de materiais tem sido instável

Os transformadores de plásticos no continente europeu no ano passado tiveram dificuldades na obtenção de matérias-primas. Várias grandes fábricas de poliolefinas na Europa permaneceram paradas por longos períodos e as condições econômicas e de configuração comercial mundiais dificultaram para os processadores obter matérias-primas nos mercados internacionais. Esses fatores incluíram não só o Euro relativamente fraco em relação ao dólar, mas também uma contínua demanda forte por plásticos na Ásia e EUA. No entanto, há indicações de que a volatilidade dos preços deve ser menor este ano.

A situação levou a associação comercial “guarda-chuva” da Indústria de Plásticos da Europa (EuPC) a instituir a “Aliança para Polímeros para a Europa”, para “fornecer informação detalhada sobre o mercado de polímeros atual e ajudar a ajudar os usuários de matérias-primas através da sua rede de associações nacionais de plásticos, bem como ajudar as empresas na solicitação da suspensão de certas tarifas de importação da UE para aliviar a escassez nos mercados de polímeros”, de acordo com EuPC Presidente Michael Kundel.

Em fevereiro, a “Aliança para Polímeros para a Europa” lançou a sua pesquisa on-line de satisfação de clientes em toda a Europa para premiar os melhores produtores de polímeros para a Europa. “Decidimos instituir o Prêmio “Melhores Produtores de Polímeros para a Europa”, a fim de restabelecer uma boa comunicação entre usuários de polímeros e os seus fornecedores, relação que tinha sofrido, recentemente, por motivos óbvios”, diz Ron Marsh, presidente da Aliança.

Energia ainda custa muito cara

Os custos de energia são muito importantes para o conjunto da indústria de plásticos. As empresas em toda a indústria alemã têm sido particularmente fortes em suas queixas – os preços estão entre os mais altos da Europa – e a indústria química alemã também está preocupada com a sua competitividade internacional em queda, especialmente contra as empresas norte-americanas que têm a vantagem do gás de xisto.

Muitos olhos estão mirando agora o gigante petroquímica Ineos, que recentemente começou a importar etano para a Noruega a partir do campo de xisto Marcellus nos EUA. O primeiro polietileno à base de xisto da Europa deve chegar ao mercado em poucos meses. A Ineos também está se preparando para começar a exploração de gás de xisto no Reino Unido, apesar de não planejar qualquer fracking em 2016. Ela quer usar gás de xisto como fonte de energia e também como matéria-prima para polímeros.

A economia circular

No topo das preocupações sobre os materiais e fornecimento de energia, há também uma consciência crescente na Europa de que mais precisa ser feito sobre a utilização, reutilização e preservação de plásticos preciosas. No fim do ano passado, a Comissão Européia adotou o que ela diz ser um ambicioso novo “Pacote de Economia Circular” (CEP), através do qual espera “contribuir para fechar os ciclos de vida dos produtos através de uma maior reciclagem e reutilização, e trazer benefícios tanto para o meio ambiente como para a economia. “

A Comissão propôs revisões na legislação relativa aos resíduos. Os elementos chave incluem um alvo comum da UE para a reciclagem de 75% dos resíduos de embalagens até 2030 e a proibição de deposição em aterro dos resíduos recolhidos separadamente. “Menos de 25% dos resíduos de plástico coletados são reciclados, e cerca de 50% vão para aterros”, diz a Comissão.

A associação dos fabricantes de plásticos “PlasticsEurope” congratulou-se com o Pacote de Economia Circular, como “mais um passo no caminho de se aumentar a eficiência no uso dos recursos”, mas expressou preocupações. “A indústria de plásticos Europeia tem reclamado por uma restrição juridicamente vinculativa em relação à deposição em aterro para todos os materiais recicláveis, bem como para outros resíduos pós-consumo recuperáveis até 2025”, ele diz. “Embora a meta de 10% constitua um passo na direção correta, continua a ser uma tímida tentativa de pôr fim à deposição em aterro de todos os resíduos que podem ser usados como recurso. ”

European Bioplastics (EUBP), a associação dos fornecedores de plásticos de base biológica, se entusiasmou mais com o relatório. Ele diz que “setores promissores e com fortes credenciais ambientais e potencial de crescimento, como o de bioplásticos, precisam ser estimulados.” A associação prevê que até 2025 as capacidades de produção de bioplásticos dentro da União Européia terá crescido vinte vezes – para 5,7 milhões de toneladas.

Uma nova revolução industrial ?

Apesar de todas essas preocupações, a indústria de plásticos Europeia tem os seus olhos firmemente fixos no futuro. Muitos fabricantes de máquinas europeus provavelmente vão ter o número 4.0 altamente visível em seus estandes durante a K 2016, à medida que eles desenvolvem suas soluções para as fábricas “inteligentes” que operam no âmbito da Internet Industrial das Coisas (IIoT). O 4.0 se refere à Indústria 4.0, um termo inventado na Alemanha para se referir ao que é percebido como a quarta revolução industrial – e o plano do governo alemão para certificar-se de que a indústria alemã esteja na sua vanguarda. Os defensores da Indústria 4.0 dizem que ela representa uma mudança de paradigma da produção centralizada para a descentralizada.

“A Indústria 4.0 é acima de tudo uma coisa: uma tremenda oportunidade da qual queremos tirar proveito juntamente com nossos clientes,” diz o Dr. Stefan Engleder, CTO da fabricante de injetoras Engel. Ele, no entanto, diz que não considera que a palavra “revolução” seja muito apropriada. “As mudanças que estamos experimentando atualmente são mais como uma evolução”, diz ele. “Para nós, a Indústria 4.0 não é uma idéia nova, mas já vem sendo uma prática diária estabelecida em muitas áreas.” Outras empresa no setor, sem dúvida, vão concordar.

Para os transformadores de plásticos também, as novas tecnologias digitais oferecem novas perspectivas, diz Westerheide do GKV. “A K 2016 proporcionará uma excelente oportunidade para explorar as vantagens oferecidas pela digitalização da nossa indústria”, diz ele.

Fonte: Messe Duesseldorf

Curta nossa página no

Tomra Recycling celebra 20º aniversário na IFAT Munique desenvolvendo a indústria de separação baseada em sensores

23/06/2016

TOMRA_Optimal-performance_why-risk-anything-elseNo 50º aniversário da IFAT Munique, ocorre uma outra comemoração: a seção da Tomra Recycling comemora duas décadas de negócios. Lançada inicialmente como empresa norueguesa Titech Autosort em 1996, a empresa emergiu a partir de um projeto P&D que se iniciou em 1993.

Combinando a sua experiência prática com a sua pioneira tecnologia, a Tomra Sorting Recycling projeta e fabrica atualmente uma inovadora tecnologia de separação baseada em sensores óticos para a indústria de reciclagem global e de tratamento de resíduos.

Inovação contínua e avanços tecnológicos

Responsável pela introdução do primeiro sensor de infravermelho próximo (NIR) utilizado para a separação de resíduos, a Tomra Sorting Recycling continua a ser pioneira na indústria, com os seus métodos de extração de frações de alta pureza a partir de resíduos urbanos, contribuindo para maximizar produtividade e lucros.

O portfólio de sensores da empresa se expandiu principalmente pelas significativas aquisições de empresas como a RealVisionsort, CommodasUltrasort, Odenberg e Best, bem como através do uso simples ou de multi-sensores que permitiu estender o número de aplicações de seleção por sensores. Esta estratégia continua a criar novas oportunidades para as empresas no que diz respeito à recuperação de materiais recicláveis, permitindo-as dar resposta de forma cada vez mais flexível às exigências atuais e futuras de mercado.

Da mesma forma, o número aplicações desenvolvidas pela Tomra Sorting Recycling em colaboração com os clientes tem crescido nos últimos anos e tem assumido um perfil internacional: Atualmente mais de 4.400 sistemas já foram instalados em 50 países no mundo, afirma a empresa.

A tecnologia de triagem automatizada tem experimentado um salto ao longo de duas décadas, que produzem melhorias expressivas na resolução do sensor. Avançadas fontes de luz facilitam a separação de materiais com alta precisão e eficiência, sendo que ao mesmo tempo se reduziu o consumo de energia. Tais avanços tecnológicos permitem agora a detecção de objetos ultra-finos – tais como materiais de 0,5mm, enquanto que objetos maiores podem ser digitalizados com melhor precisão.

As tendências do mercado e outros fatores de pressão

Com legislações nacionais que estabeleçam claramente as taxas de recuperação de resíduos e que promovam vigorosamente a separação de muitos tipos diferentes de materiais em frações homogêneas, a separação baseada em sensor sustentada por um compreensivo serviço de suporte desde o início, oferece uma solução técnica, comercial e ambiental ideal para cumprir essas metas cada vez mais rigorosas.

Melhor desempenho, estabilidade e segurança

Num mercado onde o preço das matérias-primas é baixo, as margens de lucro são apertadas e o acesso ao financiamento continua a ser um desafio, a confiança e a consistência da qualidade do produto tornam-se ainda mais importantes.

Tom Eng, Diretor-Geral da Tomra Sorting Recycling, explica: “Todo o futuro da empresa está em linha quando investes em equipamento. Então, nós apreciamos o quanto é importante acertarmos desde a primeira vez”.

Eng continua: “20 anos é um verdadeiro marco na indústria de separação por sensores. Vinte anos significa que um cliente pode confiar nos nossos produtos. É importante trazer para o cliente a sensação de segurança”.

A razão pela qual os clientes se podem sentir seguros, acredita Eng, é muito simples: “Desde o início, trata-se de pessoas. Temos pessoas de qualidade desde o início que ainda hoje estão na empresa. Isso é uma riqueza e profundidade de conhecimento que vai além do produto que você vende”.

Titech em Tomra

A empresa passa por um programa de mudança de marca desde Fevereiro de 2012, de forma a tornar-se mais alinhada com a sua matriz norueguesa, Tomra Systems ASA. A empresa adquiriu a Titech em 2004.

O passo final no processo de mudança de marca da Tomra Sorting Recycling passava por racionalizar o seu portfólio de produtos, removendo a palavra ‘Titech’ dos nomes dos modelos associados aos seus sistemas de classificação do ano passado. Por exemplo, o produto mais vendido pela companhia, uma vez conhecido como Titech Autosort, agora é simplesmente designado ‘AUTOSORT ‘.

Comentando sobre a mudança de marca, o Diretor-Comercial da Tomra Sorting Recycling, Jonathan Clarke, disse: “Ao completar a mudança de marca dentro do nosso negócio, estamos aumentando significativamente a visibilidade da Tomra em todo o mundo. Sinergias entre tecnologias dos diversos segmentos tem ressaltado a habilidade da Tomra Sorting para desenvolver a classificação baseada em sensores para novos segmentos, mercados e aplicações. Estamos agora melhor posicionados para responder aos desafios dos clientes e da indústria mais rápido do que antes, enquanto continuamos a oferecer os produtos com melhor valor”.

A Tomra Sorting Recycling desenvolve e fabrica tecnologias de separação baseada em sensores para a indústria global de reciclagem e gestão de resíduos. A Tomra Sorting Recycling faz parte da Tomra Sorting Solutions, que também desenvolve sistemas baseados em sensores para a separação, descascamento e controle de processos para a indústria alimentícia e de mineração, entre outras.

Fundada em 1972, a Tomra Systems ASA tem faturamento de cerca de 650 milhões de euros e emprega mais de 2.600 pessoas.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Tomra Recycling

Curta nossa página no

Milliken lança clarificante para embalagens termoformadas em polipropileno durante a innovapack South America 2016

23/06/2016

Milliken

Segundo a empresa, o novo produto confere ao polipropileno altíssima transparência, aliando aspectos ideais para embalagens alimentícias a vantagens ambientais e comerciais do material

A Milliken, empresa global de especialidades químicas, revestimento e materiais de alto desempenho, participa da innovapack South America (stand 915), nova feira com foco em design e inovação para embalagens, que vai de 23 a 25 de agosto, em São Paulo. A empresa apresentará no evento o clarificante concentrado NX UltraClear®,que, segundo a empresa, confere ao polipropileno (PP) altíssima transparência, superando o tradicional aspecto translúcido do PP em embalagens termoformadas e criando uma transparência similar àquela do PET e PS (poliestireno), mas com os benefícios ambientais e de desempenho próprios do PP.

Edmar Nogueira, Gerente Técnico da Milliken, explica algumas das vantagens de se usar o PP compreendem a baixa pegada de carbono durante a produção da resina, baixa densidade do material e altos valores de recuperação de energia. “O PP consome uma menor quantidade de energia durante sua produção, quando comparado com outros plásticos, e sua baixa densidade resulta em menor volume de resíduos. É um plástico ideal para a economia circular”. A diferença de peso entre embalagens de PP e outros materiais está normalmente entre 15% e 20% a menos para o polipropileno. A resistência ao calor do PP permite o uso em micro-ondas, agregando conveniência à embalagem.

Além do uso em termoformagem o clarificante Millad NX8000®, presente no concentrado, também é utilizado em outras aplicações como frascos, utensílios domésticos e outros.

Em sua primeira edição, a Innovapack, único evento da América Latina focalizado em design, tendências e inovação para a embalagem final da indústria alimentícia, vai reunir líderes de mercado com modernas inovações e lançamentos para o mercado.

A Milliken é uma empresa de inovação que explora, descobre e cria formas de melhorar a vida das pessoas desde 1865. Com um expertise multidisciplinar, que inclui revestimentos de piso e materiais de performance, a empresa acumulao mais de 2.200 patentes nos EUA e mais de 5 mil patentes no mundo todo, desde sua fundação em 1865.

Serviço:
innovapack South America
De 23 a 25 de agosto de 2016, das 13h às 20h
Local: Transamérica Expo Center
Av. Dr. Mário Villas Boas Rodrigues, 387 – Santo Amaro – São Paulo (SP)
Site:  fi-events.com.br/pt/innova

Fonte: Assessoria de Imprensa – Milliken

Curta nossa página no

Evonik apresenta novidades na Expobor

23/06/2016

EvonikPainelA Evonik marcará presença em mais uma edição da Expobor – Feira Internacional de Tecnologia em Borrachas, Termoplásticos e Máquinas. O evento ocorrerá entre os dias 28 e 30 de junho, no Expo Center Norte, em São Paulo.

Durante o 16º Congresso de Borracha, que ocorre simultaneamente à Expobor, com palestras de representantes de universidades e de empresas do setor, a Evonik apresentará o tema “Investigations of Highly Dispersible Silica Types and Silane Types in an OTR Cut Resistant Tire Tread Application”. Louis Gatti, Gerente técnico para o mercado de borracha, região Américas, abordará sistema sílica de alta dispersão/silano em bandas para pneus de caminhão.

A Evonik acaba de construir em Americana (SP), a primeira fábrica de sílicas de alta dispersão (HDS) na América do Sul, consolidando a posição de liderança global neste mercado. Esta sílica, de forte crescimento, é usada principalmente para conferir elevada qualidade para os chamados “pneus verdes”.

O uso de sílicas em combinação com silanos permite a produção de pneus com menor resistência ao rolamento, promove redução no consumo de combustível em até 8%, proporciona diminuição na emissão de CO2 e também proporciona uma redução do ruído pelo pneu em comparação aos pneus convencionais de automóveis). A Evonik e o único fabricante que oferece ambos os componentes – essenciais as indústrias de pneus e borracha quando se trata de compostos de alta performance.

Apelo sustentável

Além da sílica de alta dispersão, da linha ULTRASIL®, que passa a ser produzida pela Evonik no Brasil, a empresa destacará o inovador organosilano Si 363®. Responsável pela ligação química da sílica com as moléculas de borracha, é desenvolvido especialmente para fabricantes de pneus para melhorar as principais propriedades de desempenho do produto. Segundo a Evonik, os pneus produzidos com Si 363® são característicos por sua resistência ao rolamento reduzida em mais de 10%. Deste modo, o consumo de combustível diminui de forma significativa. Além disso, as emissões de compostos orgânicos voláteis (VOC) durante o processo de fabricação de pneus são reduzidas em até 80%, contribuindo com o meio ambiente.

Outros produtos da empresa para a indústria de pneus, fabricação de solados, artefatos técnicos, sílicas, linha de Silanos, sílica precipitada, Antioxidantes e antiozonantes, aditivos poliméricos para processamento de borracha e dióxido de Titânio também serão exibidos durante a feira.

Serviço:
Expobor 2016 – 12ª Feira Internacional de Tecnologia em Borrachas, Termoplásticos e Máquinas
Data: 28 a 30 de junho de 2016
Horário: das 14h às 21h
Local: Expo Center Norte
Endereço: Rua José Bernardo Pinto, 333 – Vila Guilherme – SP.

Congresso técnico da Interplast abordará moldes, máquinas, processos e matéria-prima

23/06/2016

Interplast_foto

Volkswagen do Brasil, Kuraray South America, Vtech Consulting, Villares Metals, Festo, Sabic, Celanese, Braskem, Micron-Ita, Wittmann Battenfeld, KraussMaffei Group e Romi são os nomes do Cintec Plásticos 2016

Paralelamente à Interplast, a ser realizada de 16 a 19 de agosto, na Expoville, em Joinville/SC, a UniSociesc promove o Congresso de Inovação Tecnológica – Plásticos (Cintec 2016). Em três dias serão abordados os macrotemas: moldes e processos (dia 16/08), matéria-prima (17/08) e máquinas e processos (18/08).

A abertura oficial do Cintec acontecerá dia 16 de agosto, às 19h30, com a palestra “A Indústria 4.0 e as tecnologias de manufatura sustentáveis no Brasil”, por Celso Luis Placeres, diretor de planejamento na Volkswagen do Brasil.

As palestras técnicas iniciam também no dia 16. Às 15h45, Stanley Fukuyama, da Kuraray South America, falará sobre “Termoplástico de engenharia para aplicação na indústria eletroeletrônica e automotiva: GENESTAR POLIAMIDA 9T”. Em seguida, às 16h30, acontecerá a palestra “Metrologia óptica aplicada a produção de peças plásticas, uma visão mundial”, por Vicente Marcello Massaroti, da Vtech Consulting.

Às 17h15, Cristiane Sales Gonçalves, da Villares Metals, abordará a “Nova geração de aços para moldes plásticos para aplicações de alto desempenho”. “Automação, a chave para a Industria 4.0”, com início às 18h, será a última palestra técnica do dia, ministrada por Paulo Roberto dos Santos, da Festo.

O segundo dia do Cintec (17) iniciará às 16h com Paulo Roberto Barboza, da Sabic, que abordará o “Copolímero de Policarbonato – Inovação e Alto Desempenho”. Às 16h45, Alexsandro Oliveira, da Celanese, falará sobre “Polímeros termoplásticos: como obter a termocondutividade”. Às 17h30, “Inovação colaborativa” será o tema de Mateus Dalla Costa Figueiredo, da Braskem. Adriano Rudnick, da Micron-Ita, encerrará o ciclo do dia com “Influência do carbonato de cálcio em compostos de PVC rígido”, às 18h15.

Para o último dia do Congresso (18), Marcos Cardenal, da Wittmann Battenfeld, discorrerá sobre “A Indústria 4.0 na fabricação de peças injetadas”, às 16h. Na sequência, às 16h45, Michael Roelfs, da KraussMaffei Group, abordará  a “Maior produtividade e menor consumo de energia nas máquinas de extensão da Série Blue Power”.

O congresso encerrará às 17h30 com “Competitividade com novas tecnologias em injetoras”, por Paulo Garrido, Chefe da Engenharia de Aplicação de Máquinas para Plásticos das Indústrias Romi.

As palestras do Cintec ocorrerão nos auditórios da Expoville. Informações sobre valores podem ser obtidas no e-mail cintec@sociesc.org.br ou pelo telefone: (47) 3461-0160.

Grade Cintec:

16 de agosto – Palestra de abertura:
19h30 – A Indústria 4.0 e as tecnologias de manufatura sustentáveis no Brasil
Celso Luis Placeres – Volkswagen do Brasil

16 de agosto – Moldes e Processos
15h45 às 16h25 – Termoplástico de engenharia para aplicação na indústria eletroeletrônica e automotiva: GENESTAR POLIAMIDA 9T
Stanley Fukuyama – Kuraray South America
16h30 às 17h10 – Metrologia óptica aplicada a produção de peças plásticas, uma visão mundial
Vicente Marcello Massaroti – Vtech Consulting
17h15 às 17h55 – Nova Geração de aços para moldes plásticos para aplicação de alto desempenho
Cristiane Sales Gonçalvez – Villares Metals
18h às 18h40 – Automação, a chave para Indústria 4.0
Paulo Roberto dos Santos – Festo

17 de agosto – Matéria-Prima
16h às 16h40 – Copolímero de Policarbonato – Inovação e Alto Desempenho
Paulo Roberto Barboza – Sabic
16h45 às 17h25 – Polímeros termoplásticos: como obter a termocondutividade.
Alexsandro Oliveira – Celanese
17h30 às 18h10 – Inovação colaborativa
Mateus Dalla Costa Figueiredo – Braskem
18h15 às 18h55 – Influência do carbonato de cálcio em compostos de PVC rígido
Adriano Rudnick – Micron-Ita

18 de agosto de 2016 – Máquinas e processos
16h às 16h40 – A Industria 4.0 na fabricação de peças injetadas
Marcos Cardenal – Wittmann Battenfeld
16h45 às 17h25 – Maior produtividade e menos consumo de energia nas máquinas de extensão da Série Blue
Michael Roelfs – Krauss Maffei Group
17h30 às 18h10 – Competitividade com novas tecnologias em injetoras
Paulo Garrido – Romi

Serviço
Interplast 2016 – Feira e Congresso de Integração da Tecnologia do Plástico – http://www.interplast.com.br
EUROMOLD BRASIL – Feira Mundial de Construtores de Moldes e Ferramentarias, Design e Desenvolvimento de Produtos – http://www.euromoldbrasil.com.br
Data: 16 a 19 de agosto de 2016
Horário: 14 às 21 horas
Local: Expoville – Joinville-SC – Brasil
Organização: Messe Brasil

Cintec Mecânica e Automação – Congresso
Local: Auditório da Expoville – Joinville-SC
Inscrições e informações pelo e-mail cintec@sociesc.org.br ou pelo telefone (47) 3461-0160.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Messe Brasil

Curta nossa página no

EPS com tecnologia antimicrobiana chega ao mercado brasileiro

23/06/2016

Termotecnica-safe-packTermotécnica lança produto que usa nanotecnologia para reduzir a ação de microorganismos nas embalagens de EPS (isopor®)

Buscando atender uma demanda cada vez maior por qualidade e higiene nos produtos e processos, a Termotécnica, maior indústria transformadora de EPS da América Latina , lança o Safe Pack – EPS com tecnologia antimicrobiana.

Com o Safe Pack, a Termotécnica inova rumo à biossegurança com um produto desenvolvido a partir do uso da nanotecnologia, que atua contra microorganismos conferindo uma maior proteção antimicrobiana aos produtos.

Segundo a empresa, o grande diferencial do Safe Pack é a redução em 99% da ação e da presença de micro-organismos, tornando as superfícies de contato e produtos livres das ameaças invisíveis do cotidiano.

Com essa propriedade asséptica, as embalagens podem ser aplicadas para conservação em diversos segmentos, como alimentício, farmacêutico, entre outros. A Termotécnica afirma que o Safe Pack ainda se destaca por proteger contra as variações extremas de temperatura e umidade, mantendo as características naturais dos produtos que armazenar.

De acordo com a Termotécnica, a eficiência do Safe Pack é comprovada pela Norma Internacionalmente reconhecida para avaliar a atividade JIS Z 2801, por ensaios realizados em micro-organismos gram+ e gram-.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Termotécnica

Curta nossa página no

Braskem investe R$10 milhões em laboratório para desenvolver processos industriais

23/06/2016

Braskem-laboratorio

Equipamentos de ponta foram adquiridos para aumentar a precisão das análises e o desenvolvimento de produtos e processos sustentáveis

Região com tradição na indústria, o Grande ABC também possui um laboratório com tecnologia de última geração, localizado no Polo Petroquímico de Capuava. Trata-se do Laboratório de Desenvolvimento de Tecnologias de Processo (LDTP) da Braskem. Desde 2014, a unidade recebeu investimentos superiores a R$10 milhões para a modernização e aquisição de equipamentos, o que possibilitará fortalecer o desenvolvimento de tecnologias de processos produtivos de resinas, petroquímicos básicos e especialidades.

“Existe uma tendência mundial pela busca por processos sustentáveis que colaborem com a otimização de recursos, como matéria-prima, energia, água, bem como soluções tecnológicas que agreguem valor à cadeia de produção. No laboratório, estudamos como melhorar o desempenho dos processos existentes e desenvolvemos novas rotas tecnológicas alinhadas com a estratégia da empresa”, explica Roberta Paola Manzini, coordenadora do laboratório.

Entre os equipamentos de ponta adquiridos durante esse processo está o e-nose ou “nariz eletrônico” – um analisador que identifica substâncias causadoras de odor -, que será aplicado na melhoria de processos e produtos. Para simular as principais etapas das unidades industriais, o laboratório também adquiriu alguns reatores e um destilador em escala laboratorial, além de diversos equipamentos analíticos com foco em caracterização de polímeros e outros instrumentos para análises fundamentais dos petroquímicos básicos.

Esses aparelhos vão colaborar com o aprimoramento de modelos e simulações, obtenção e geração de dados básicos para o projeto de novos equipamentos, bem como para o desenvolvimento e a otimização das condições de processos e de qualidade final dos produtos.

“A iniciativa faz parte de nossa estratégia de investimento em inovação e tecnologia para aumentar a competitividade da indústria e o desenvolvimento de processos sustentáveis. Os desembolsos com tecnologia só vêm crescendo ano a ano. Nos últimos sete anos, chegamos a R$1,1 bilhão, sem contarmos os valores aplicados em 2016. Esses investimentos feitos pela companhia aumentam as perspectivas positivas para que os nossos clientes tenham diferencial no mercado”, afirma Patrick Teyssonneyre, diretor de Inovação e Tecnologia da empresa.

A área de Inovação da Braskem tem dois centros de Inovação & Tecnologia – um no Brasil e outro nos Estados Unidos -, 23 laboratórios e sete plantas-piloto, onde trabalham 302 integrantes. Em dezembro de 2015, o portfólio da companhia contava 276 projetos para o desenvolvimento de novos produtos e processos. No mesmo ano, foram registrados 51 novos pedidos de patentes, 23% deles relacionados a tecnologias que utilizam matéria-prima renovável. O total de patentes depositadas pela Braskem até 2015 já chegou a 903.

Fonte: Braskem

Curta nossa página no

Almaco organiza evento em Joinville

23/06/2016

A cidade de Joinville (SC), um dos principais polos de transformação de compósitos do Brasil, receberá na próxima quinta-feira (23) o 4º Encontro Regional promovido este ano pela Associação Latino-Americana de Materiais Compósitos (ALMACO). Os compósitos são largamente utilizados pelos setores da construção civil, transporte, eólico, náutico e aeroespacial, entre outros.

Além das palestras sobre matérias-primas, processos, gestão e sustentabilidade, fará parte do 4º Encontro Regional ALMACO a visita à planta da Tecnofibras, tradicional moldadora de compósitos.

Confira, a seguir, a programação completa do evento:

9h-12h – Visita à fábrica da Tecnofibras
13h – Credenciamento
13h30 – “ALMACO disseminando conhecimento e sustentabilidade”, Paulo Camatta (ALMACO)
14h – “Modelos e moldes: tecnologias ao alcance no processamento dos materiais compósitos”, Waldomiro Moreira (Global Composites)
14h30 – “A importância do desenvolvimento colaborativo no mundo dos compósitos”, Juliana Hoehne (MVC)
15h – “RTM Light Classe A: melhoria cosmética”, Márcia Cardoso (Ashland)
15h30 – Coffee break
16h – “Infusão Flex”, Gilmar Auter (ABCOL)
16h30 – “Materiais de núcleo estruturais com ênfase em espuma PET”, Felipe Amorim (Diprofiber)
17h – “Soluções m compósitos para componentes da construção civil”, Ariosvaldo Vieira (Tecnofibras)
17h30 – Tira-teima

As inscrições devem ser feitas pelo e-mail marketing@almaco.org.br ou fone (11) 3719-0098.

Fundada em 1981, a ALMACO tem como missão representar, promover e fortalecer o desenvolvimento sustentável do mercado de compósitos. Com administração central no Brasil e sedes regionais no Chile, Argentina e Colômbia, a ALMACO tem cerca de 400 associados (empresas, entidades e estudantes) e mantém, em conjunto com o Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), o Centro de Tecnologia em Compósitos (CETECOM), o maior do gênero na América Latina.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Almaco

Curta nossa página no

Piovan apresenta inovações na tecnologia de processamento de PET durante SAPET em Buenos Aires

13/06/2016

SAPET_PIOVAN

A produção da garrafa PET envolve uma série de processos, que se inicia com a entrega da resina na planta, seguindo com armazenagem, transporte, distribuição, mistura, secagem, injeção e refrigeração. Outro processo muito importante é o armazenamento da preforma ou o estiramento/sopro da garrafa. A evolução nas metodologias e tecnologias para produção de preformas tem levado o desempenho de processo ao limite, a tal ponto que todos esses processos atingiram eficiência física máxima. O controle de processo também evoluiu neste mesmo ritmo, garantindo hoje o mais alto nível de produtividade e qualidade. As mais recentes tendências de desenvolvimento visam melhorar ainda mais a produtividade constante, eficiência operacional e a qualidade do produto.

Dentro deste contexto, a Piovan lançou um novo programa de desenvolvimento tecnológico, iniciado em 2012 e concluído no primeiro semestre de 2015. A Piovan apresentará no SAPET 2016, os resultados destas inovações em tecnologia de processamento de PET, com foco em auto adaptabilidade para processos de secagem e refrigeração.

A Palestra da Piovan, a ser proferida pelo Vice-Presidente da empresa no Brasil, Eng. Ricardo Prado, ocorrerá no dia 14 de junho, às 13:00 hs. no Hotel Panamericano, em Buenos Aires, na Argentina.

O 3o. SAPET (South American PET Markets, Applications & Recycling) é um evento que reúne especialistas, produtores de resinas, transformadores, provedores de equipamentos auxiliares e vários outros profissionais do segmento da Tecnologia de PET. O SAPET é promovido pela CMT (Center for Management Technology), empresa com sede em Cingapura.

Fonte: Piovan / SAPET

Curta nossa página no

Feira Argenplás começa hoje em Buenos Aires

13/06/2016

Argenplas2016

A Argenplás 2016 – XVI Feira Internacional de Plásticos (www.argenplas.com.ar) – começará hoje, 13 de junho, e estará funcionando até o dia 16, no Centro Costa Salguero em Buenos Aires. A feira estará aberta para os visitantes das 14:00 às 20:30 hs. O evento contará com 180 expositores da Argentina e de outros dez países  e participação de aproximadamente 17 mil visitantes profissionais do setor.

A cerimônia de abertura será realizada também hoje às 19, no auditório localizado no Hall de Acreditaciones, Centro Costa Slaguero, Av. Costanera Rafael Obligado s/n. Estará presente, entre outras autoridades, o Sr. Martin Etchegoyen, secretário de Indústria no âmbito do Ministério da Produção, nomeado pelo Ministro F. Cabrera para presidir a cerimônia oficial de abertura.

Simultaneamente à Argenplas ocorrerá o 13 ° Congresso Argentino PETROQUÍMICA, de 14 e 15 de Junho, também no Centro Costa Salguero.

Sob o lema “Com o Plástico, a inovação e o futuro são sustentáveis”, oa Argenplas é organizada pela CAIP – Câmara Argentina da Indústria Plástica, MBG Eventos e PWI Eventos. Durante a feira, os visitantes vão encontrar soluções disponibilizadas por empresas de vanguarda nos seguintes segmentos:

• Controle de Automação e Qualidade
• Moldes e Ferramentas
• Matérias-Primas e Produtos Químicos
• Borracha
• Transformadores de plástico, produtos acabados e semi elaborados
• Ambiental e Reciclagem
• Entidades, Associações, Bancos, Serviços e revistas técnicas

Organizada de 2 e 2 anos, os profissionais que visitam a Argenplas temm um perfil selecionado para oferecer ao expositor um ambiente favorável para fazer negócios.

• Empresários, executivos, engenheiros, técnicos e profissionais do setor.
• Fabricantes, processadores e usuários de produtos plásticos.
• Transformadores de matérias-primas.
• Profissionais de nível gerencial em tecnologia e produção, vendas e comercialização dos seguintes setores da indústria:
• Automotiva e Transporte
• Construção
• Engenharia Elétrica
• Eletrônico e mecânico
• Telecomunicações
• Produtos para o lar
• assistência médica e sanitária e
• Embalagens, entre outros.

Quem organiza a Argenplás 2016:

MBG & Eventos

A empresa atua na criação de eventos de alto nível altamente focalizados, onde os compradores e fornecedores de todo o mundo se reúnem para fazer negócios. A MBG Events a cada ano organiza eventos que atraem mais de 1.000 expositores e mais de 150.000 compradores das mais diversas indústrias.

PWI EVENTS
É especializada na produção, implementação e organização de eventos-chave. Independentemente da dimensão do projeto, oferece soluções e fornece serviços na Argentina e em lugares do mundo.

CAIP – Câmara Argentina da Indústria Plástica

É o empreendedor institucional que agrupa a Indústria de Processamento de Plástico da Argentina, tendo sido fundada em 28 de dezembro de 1944, com os objetivos de:

• Reunir, conectar e vincular os empresários da indústria;
• Representar e defender os seus direitos;
• Gerir medidas destinadas a proteger os interesses do setor;
• Resolver problemas que envolvam associados;
• Estabelecer vínculos entre os empresários e trabalhadores;
• Promover o progresso da Indústria de Plástico argentina.

A CAIP participa ativamente em diferentes níveis de gestão da condução da União Industrial Argentina e integra – junto com os seus homólogos da região – a Associação Latino-Americana da Indústria de Plásticos (ALIPLAST). Hoje a CAIP representa mais de 1.500 empresas oferecendo aconselhamento e informação permanente e gratuito sobre questões de relações de trabalho; Comércio exterior; impostos; Escritórios de Patentes e Marcas e despachos de aduana, entre outros. Através do INSTIPLAST, há mais de 50 anos que oferece formação de graduação e pós-graduação em tecnologia de plásticos. Seu laboratório de ponta permite a realização de “Testes Físicos e Mecânicos” para determinar as propriedades das matérias-primas, produtos semi-acabados e acabados. A CAIP também tem uma biblioteca especializada, publicações de interesse para o para o setor e uma exposição permanente da Indústria do Plástico e participa também de feiras e exposições nacionais e internacionais.

Serviço: Argenplás 2016:
• Data: 13 a 16 de junho de 2016
• Horário: 14:00 às 20:30 hs.
• Localização :. Centro Costa Salguero – Av Rafael Obligado s / n
• Campos: 1 – 2 – 3 – 4
• Organizadores: CAIP: Câmara de Indústria Plástica Argentina
• Marca: MBG & EVENTOS
• Mercados: EVENTOS PWI
• Catálogo Oficial e imprensa e broadcast: Editorial Emma Fiorentino
• Evento gratuito exclusivo para profissionais pque realizem o seu pré-credenciamento através do site ou ecom convite

Fonte: Editorial Emma Fiorentino

Curta nossa página no

Abiplast e Feiplastic estarão juntas na Argenplás 2016

13/06/2016

Abiplast-Argenplas

De 13 a 16 de junho será realizada a 16ª Argenplas no Centro Costa Salguero, em Buenos Aires (Argentina)

A ABIPLAST – Associação Brasileira da Indústria do Plástico, em parceria com a FEIPLASTIC – Feira Internacional do Plástico , representarão o Brasil no evento. Serão mais de 180 expositores da Argentina e de outros dez países, com participação de aproximadamente 17 mil profissionais do setor.

De acordo com José Ricardo Roriz Coelho, presidente da ABIPLAST, além de estreitar o relacionamento com outros países e representantes mundiais do plástico, a participação da entidade é importante, pois ressalta sua relevância na cadeia produtiva do plástico, não apenas no Brasil, mas também internacionalmente.

Na oportunidade a ABIPLAST também divulgará a FEIPLASTIC, que ocorrerá de 03 a 07 de Abril de 2017 em São Paulo.

“A Argentina é o segundo destino das exportações brasileiras de transformados plásticos. Historicamente, o Brasil tem saldo comercial com superavit no comércio bilateral”, comenta Roriz Coelho. “Em 2015, exportamos 43,1 mil toneladas de transformados plásticos para Argentina somando US$ 242 milhões, e importamos 37 mil toneladas, por US$ 144 milhões, com saldo positivo de US$ 98 milhões”.

O estande da Abiplast estará localizado no pavilhão 4 / I-05.

Serviço:

Evento: Argenplás – 16ª Exposição Internacional de Plástico
Data: De 13 a 16 de junho de 2016
Endereço: Av. Costanera R. Obligado y J. Salguero, 1445, Buenos Aires, Argentina
Informações: http://www.argenplas.com.ar/pt/

Fonte: Abiplast

Curta nossa página no

COIM destaca adesivo na FISPAL Tecnologia

12/06/2016

Produto pode ser utilizado por selagem a frio para embalagens re-lacráveis (reclosable)

Embalagem que contém o Cold Seal

Embalagem que contém o
Cold Seal

A COIM Brasil – Chimica Organica Industriale Milanese, empresa de origem italiana especialista na fabricação de poliuretano e poliéster para diversas aplicações, localizada em Vinhedo, SP, participa da 32ª edição da FISPAL Tecnologia. A feira é conhecida como a maior e mais completa do setor de Processos, Embalagens e Logística para as Indústrias de Alimentos e Bebidas da América Latina e acontece de 14 a 17 de junho no Pavilhão do Anhembi, em São Paulo-SP.

Durante o evento, a empresa traz como destaque principal o Cold Seal HL 5812, um produto livre de látex natural que foi incluído na lista da RDC 26/2015 como sendo alergênico. Segundo o gerente de desenvolvimento da COIM, Carlos Gandolphi, o HL 5812 pode ser utilizado por selagem a frio para embalagens re-lacráveis (reclosable).  “Este produto possui boa aderência e se fixa a diferentes tipos de papéis e filmes. Isso garante aos embalados, principalmente alimentos, proteção contra possíveis contaminações”, afirma.

Gandolphi ainda acrescenta que quando o assunto é segurança alimentar, a indústria de embalagens deve estar sempre atenta às adequações e às regulamentações vigentes e, portanto, a COIM está preparada para lançar inovações tecnológicas sempre que necessário no caso de novas resoluções.

A empresa também aproveitará o momento para reforçar a parceria com a marca americana NDC Technologies, responsável por desenvolver o leitor de gramatura – equipamento que verifica a medida real on-line do adesivo aplicado (g/m2) no ato da laminação, podendo ser corrigido durante o processo, de modo a evitar perdas e prejuízos. “Essa parceria e a demonstração dentro do estande irão auxiliar nossos clientes a obterem produtos de excelência, gerando a eles um grande potencial competitivo”, declara Gabriela Nobre, gerente de Marketing.

Além disso, a empresa também destaca dois adesivos. O NC 65/CA 38 G, com base solvente,  traz economia ao convertedor, afirma a COIM. Como é aplicado com 55% de sólidos, diminui a quantidade necessária de solvente, reduzindo o custo seco aplicado.

Já o adesivo solventless SF 5419/CA 5516 tem a vantagem de ser fácil de espalhar e não formar névoa durante a aplicação, segundo a empresa. Também possui alta resistência ao rasgo, rápida cura possibilitando o corte de 6 a 12h após a laminação. “Esse adesivo pode ser aplicado a baixas temperaturas e não apresenta sangramento de tinta, otimizando custos, prazo e qualidade”, explica Gandolphi.

Alternativa para driblar a crise

Sobre o cenário econômico desfavorável do Brasil, a Gerente de Marketing da COIM, Gabriela Nobre, afirma que a solução foi fortalecer a exportação. “Atualmente temos 45% do mercado da América do Sul. No Brasil, temos mais de 50 % de participação. Assim, a COIM mantém sua visão de ser uma empresa de classe mundial, líder e inovadora do mercado de adesivos de embalagens flexíveis”, diz.

Os produtos destacados durante a FISPAL Tecnologia estão disponíveis no portfólio da COIM para o mercado latino americano. Para atender estes mercados, a empresa possui representantes e distribuidores espalhados por diversos países como Colômbia, Chile, Peru, Equador, Argentina e Paraguai.

Fonte: Assessoria de Imprensa – COIM

Curta nossa página no

Rhodia abre 100 vagas para estágios em 2017

12/06/2016

As inscrições para a seleção de estagiários de cursos de nível superior devem ser feitas até 15 de setembro pela Internet no site da Rhodia, em http://www.rhodia.com.br

A Rhodia, empresa do Grupo Solvay, abriu as inscrições para o processo seletivo para o seu programa de estágios em 2017. A empresa prevê oferecer 100 vagas para estudantes universitários que em 2017 estejam cursando o penúltimo ou o último ano da faculdade.

As oportunidades de estágio para nível superior serão nas áreas Ambiental, Comercial/Marketing, Comércio Exterior, Compras, Comunicação, Engenharia (Produção, Processos, Projetos), Manutenção, Finanças, Jurídico, Pesquisa e Desenvolvimento, Gestão de Qualidade, Recursos Humanos, Supply Chain/Logística, Tecnologia da Informação, entre outras. As vagas são destinadas às unidades industriais de Paulínia, Santo André, São Bernardo do Campo, Brotas, Itatiba, Taboão da Serra, e nos escritórios centrais da empresa, em São Paulo.

Os candidatos para estágio de nível superior devem ter conhecimentos de Inglês em nível intermediário e conhecimentos de informática como usuários. Os selecionados receberão uma bolsa-auxílio que pode chegar a R$ 1.690,00 mensais, dependendo do ano em que concluirão seus cursos, para 30 horas de estágio por semana.

O estágio será de seis (6) horas por dia e, dependendo da necessidade da área, a frequência poderá variar entre três e cinco dias na semana. Além disso, a Rhodia oferece vale refeição ou restaurante, seguro de vida, assistência médica, assistência odontológica, auxílio-transporte ou fretado e estacionamento.

As inscrições de nível superior estarão abertas até 15 de setembro e devem ser feitas no site da Rhodia em http://www.rhodia.com.br

Sobre o Grupo Solvay: Como um grupo internacional de química e de materiais avançados, a Solvay auxilia os clientes na inovação, no desenvolvimento e fornecimento de soluções sustentáveis de alto valor. Seus produtos são utilizados em diversos mercados, tais como automotivo e aeroespacial, bens de consumo e de cuidados com a saúde e beleza, energia e meio ambiente, construção, elétricos e eletrônicos, bem como aplicações industriais. O Grupo, com sede em Bruxelas, emprega 30.000 pessoas em 53 países. Registrou em 2015 um faturamento de € 12,4 bilhões, dos quais 90% foram obtidos com vendas em atividades nas quais está entre os três líderes mundiais.  No Brasil, o Grupo também atua com a marca Rhodia.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Solvay

Curta nossa página no


Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 1.689 outros seguidores