Posts Tagged ‘Sopro’

Solução da Sidel abre o caminho para criação de embalagens de nível “premium” na produção de bebidas envasadas a quente em PET

04/12/2018

Segundo a Sidel, BoostPRIME™ é uma solução exclusiva de embalagem PET, oferecendo uma alternativa para bebidas envasadas a quente em garrafas PET. A empresa afirma que a solução amplia as oportunidades para a “premiumização” do produto e aumento dos rendimentos sem comprometer o desempenho da embalagem nem a experiência de consumo. Essa solução patenteada é voltada para o mercado de porções individuais de JNSDIT (sigla em inglês para sucos, néctares, refrescos, isotônicos e chás) envasados em garrafas PET de até 1,2 L à temperatura de 85-88°C.

De acordo com a Sidel, a solução de embalagem BoostPRIME elimina a necessidade dos restritivos painéis de vácuo ou adição de gás nas garrafas PET, que normalmente são necessários para os recipientes resistirem às temperaturas de enchimento a quente. O formato final da garrafa é obtido com uma inversão ativa do fundo e conta com três características principais com pouco impacto no layout da linha de produção de embalagem:

  • O projeto da embalagem exige especificações precisas da geometria do fundo.
  • O Base OverStroke System (BOSS) possibilita a formação mecânica do fundo da garrafa durante o processo de sopro.
  • O inversor contribui para a inversão do fundo. Essa etapa ocorre depois do enchimento, fechamento, inclinação e resfriamento — e antes da rotulagem. Ela equilibra a pressão negativa decorrente do resfriamento da bebida na garrafa de 85°C para a temperatura ambiente.

“Premiumização”: maior atrativo da embalagem para destacar-se na prateleira

A retirada das restrições técnicas do vácuo nas garrafas oferece liberdade de forma para obter garrafas PET premium diferenciadas. Segundo a Sidel, a solução proporciona um aspecto uniforme às garrafas enchidas a quente e de forma asséptica, compatível com a imagem da marca. Outra vantagem mencionada pela empresa é que qualquer formato característico de garrafa com painéis pode ser facilmente adaptado sem afetar a visão que o consumidor tem do produto. Além disso, amplia o destaque à marca, visto que a superfície de rotulagem das garrafas sem painel de vácuo é mais lisa e contribui para uma identidade visual melhor e mais impactante, garante a Sidel. A qualidade da rotulagem tanto dos rótulos roll-fed como sleeve melhoram muito devido à pressão interna da garrafa durante a aplicação do rótulo.

Melhora nos rendimentos

Segundo a Sidel, a solução de embalagem BoostPRIME reduz bastante o consumo de resina PET: pode diminuir em até 30% o peso das garrafas resistentes ao calor (HR), em comparação com as garrafas PET HR normais. Também proporciona aos produtores uma economia no material de rotulagem, tornando possível mudar de uma aplicação de rótulo sleeve para roll-fed, assegura a empresa. Todos os parâmetros do processo — pressão do ar durante o sopro, resfriamento do ar — são otimizados ao nível máximo de velocidade mecânica. A fabricante afirma que, ao investir na solução BoostPRIME em uma nova linha PET de enchimento a quente para produção de garrafas de 1 L , os produtores de bebidas podem recuperar rapidamente o investimento em um ano, considerando o investimento adicional versus uma configuração tradicional de linha. Ao mudar das garrafas HR normais com painéis de vácuo decoradas com rótulos sleeve para as garrafas leves com rótulos roll-fed, o potencial de redução de peso das garrafas é estimado entre três e sete gramas, além de uma redução de dez vezes nos custos da rotulagem, garante a Sidel.

Qualidade superior da garrafa e desempenho de embalagem ampliado

A solução completa de embalagem gera um processo de sopro e um perfil final do fundo da garrafa uniformes. O resultado é uma garrafa de qualidade superior e excelente experiência de consumo, assegura a Sidel. Embora leve, a robustez da garrafa não muda quando resfriada porque a pressão interna da garrafa resultante da inversão do fundo reduz o risco de deformação. Visto que o recipiente é mais forte e a superfície da parede da garrafa é mais lisa, a qualidade da aplicação do rótulo é particularmente otimizada, afirma a empresa. Além disso, o amplo diâmetro de apoio do fundo aprimora a estabilidade da garrafa através da linha de embalagem e no palete, contribuindo assim para a eficiência da linha

As primeiras linhas BoostPRIME de PET enchido a quente  já operam no México

A solução de embalagem BoostPRIME da Sidel está sendo usada por um cliente importante no México, onde a produção industrial começou com sucesso no início deste ano. Com aproximadamente 50 SKUs em produção, esse fabricante de bebidas já alcançou enorme economia de até 32% no peso das garrafas, afirma a Sidel. Essas bebidas enchidas a quente, incluindo suco, chá e isotônicos são produzidas utilizando uma variedade de configurações de produção: produção off-line e in-line, equipamentos de sopro e enchimento já em uso e novos da Sidel, sopradora Sidel independente e a Combi integrada de sopro-enchimento-fechamento da Sidel, sopradoras SBO Universal e SBO Sidel Matrix™, enchimento com contato e enchimento por medidor de vazão, aplicação de rótulos sleeve e roll-fed. Todas as linhas configuradas para a BoostPRIME podem também produzir garrafas resistentes ao calor tradicionais com ou sem painéis, o que aumenta a versatilidade da solução de embalagem.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Sidel

Curta nossa página no </

Anúncios

Almarai instala duas linhas de PET completas da Sidel para atender ao aumento da demanda por sucos na Arábia Saudita

12/11/2018

A Almarai, produtora líder do mercado de bebidas lácteas e sucos no Oriente Médio, entrou em contato com o Sidel Group para ampliar sua capacidade de produção de suco de laranja distribuído através da cadeia de frio. As demandas da empresa priorizavam alta velocidade, confiabilidade da linha, bem como garantia de uma produção de alta qualidade.

Desde a fundação da empresa em 1977, o crescimento da Almarai se deve a investimentos estratégicos que a transformaram na maior produtora e distribuidora de alimentos e bebidas do Oriente Médio, com uma capitalização de mercado superior a 12,5 bilhões de dólares. A estrutura de produção, marketing e distribuição da Almarai permite distribuir diariamente produtos para mais de 110.000 pontos de venda situados nos seis países do Conselho de Cooperação do Golfo (CCG) , além de Egito e Jordânia.

Sucos disparam na preferência do consumidor

Quando a Almarai consultou a Sidel, precisava aumentar a capacidade de produção do formato de dose individual (200 ml) dos sucos de laranja envasados em PET e distribuídos através da cadeia de frio (refrigerados). A demanda era consequência direta da preferência manifestada de maneira expressiva pelos consumidores. Uma parte da linha de produtos oferecia vinte opções de sabores, refletindo as tendências mais marcantes do mercado de bebidas da Arábia Saudita. Segundo estudos, a busca de fórmulas mais saudáveis e naturais deverá influenciar consideravelmente as vendas de suco.

A Almarai decidiu instalar duas novas linhas PET completas da Sidel, cada uma delas com capacidade para produzir 54.000 garrafas por hora (gph), na planta central de processamento situada na cidade de Al Kharj.

Soluções de embalagem para maior eficiência

Como a Sidel é tem mais de 35 anos de experiência no setor de envase PET, reunia as qualidades para prestar apoio à Almarai na busca de soluções de fabricação e processamento. As duas novas linhas PET completas instaladas na unidade de produção de Al Kharj – as primeiras encomendadas pela Almarai junto à Sidel – empregam os equipamentos e recursos dos Sistemas de Processamento da Tetra Pak (TPPS, na sigla em inglês). O equipamento de processamento TPPS captura o sabor natural da bebida e garante que seu consumo é seguro, afirma a Sidel.

Anurag Sharma, gerente de vendas da Sidel na Arábia Saudita, explica: “Nosso desafio era encontrar uma solução para garantir maior eficiência e assim fortalecer a rentabilidade e otimizar o Custo Total de Propriedade (TCO, na sigla em inglês). Tudo isso sem abrir mão da alta qualidade dos produtos, que é essencial para a Almarai, tendo em vista o excelente desempenho das vendas de seu suco de laranja. Para alcançar esses resultados com as duas linhas completas, a Almarai optou pela Sidel Combi. Integrando os processos de sopro, enchimento e fechamento em um único sistema, a Combi reduz os custos operacionais e ocupa um espaço até 30% menor que os equipamentos individuais convencionais. Como a solução traz menos máquinas, oferece níveis de eficiência até 4% superiores aos das máquinas independentes, além de consumir menos energia e proporcionar troca de formato mais rápida. Em consequência, os custos operacionais são até 12% menores, economizando mão de obra, matérias primas e peças de reposição.”

As duas Combis instaladas na unidade de Al Kharj são equipadas com uma enchedora SF100 da Sidel, que, segundo a empresa, garante ótima operabilidade e alta produtividade. A Sidel afirma que a válvula de “dupla velocidade” permite obter um desempenho homogêneo e produtos de qualidade, especialmente na fabricação de bebidas com polpa. Além disso, tanto os medidores de vazão magnéticos como as válvulas de enchimento são equipados com êmbolos para garantir precisão, dando maior eficiência ao envase e à limpeza, sem esquecer que o sistema previne entupimentos e facilita a remoção dos resíduos de polpa, garante o fabricante das máquinas. Para assegurar uma proteção ainda maior do produto e facilitar as operações, o compartimento impermeável com filtro HEPA garante higiene, enquanto a limpeza “Cleaning In Place” (CIP) dispensa a intervenção de operadores, graças às garrafas falsas automáticas, complementa a Sidel.

A Combi é completada pela rotuladora RollQUATTRO Evo da Sidel. Utilizando principalmente a tecnologia Roll-Fed envolvente para aplicar rótulos de papel ou plástico com cola quente, a rotuladora proporciona a flexibilidade para atender às necessidades da Almarai em termos de processamento de frascos leves e rótulos finos em altíssima velocidade.

Sistema de final de linha para maior flexibilidade e melhor qualidade do pacote

Como parte das soluções completas disponibilizadas pela Sidel, a Almarai decidiu aplicar as soluções da Gebo Cermex para otimizar o desempenho do final de linha. Foram instalados dois sistemas de empacotamento com filme termoencolhível para controlar três configurações de pacotes: 6×4, 2×3 e 2×3 garrafas em clusters (agrupamentos). Para dar ainda mais flexibilidade em velocidades altíssimas (67.500 gph em sobrevelocidade), uma das empacotadoras de filme termoencolhível processa garrafas retangulares individuais em fluxo massivo, posicionando-as em bandejas e aplicando filme, enquanto a outra opera tanto com garrafas individuais como packs de garrafas agrupadas por meio de pinos de seleção especiais com rolos que identificam os agrupamentos conforme o agregado ou lote de produtos. Para garantir um resultado homogêneo e confiável para a produção de pacotes da mais alta qualidade – verdadeiro desafio devido ao diâmetro reduzido da garrafa –, a máquina foi equipada com uma câmera de inspeção 3D que detecta frascos faltantes na bandeja antes da aplicação do filme termoencolhível. Além disso, a mesa removível de injeção da empacotadora de filme termoencolhível facilita a manutenção e dá estabilidade ao manuseio do filme.

Para garantir maior economia de energia e redução do TCO, os sistemas de empacotamento com filme termoencolhível são combinados com duas paletizadoras EvoFlex® da Gebo Cermex. O sistema de paletização Evoflex tem alimentação de nível baixo capaz de operar com até 12 camadas por minuto e, segundo o fabricante, oferece vantagens significativas em termos de ergonomia, consumo de energia e segurança. A solução é equipada com o AxoSmart, sistema de preparação de camadas criado pela Gebo Cermex para atender às demandas de embalagens mais ecológicas (garrafas mais leves e menos embalagens secundárias) e portfólio de produtos mais variado.

Inteligência operacional

As duas linhas PET completas instaladas na fábrica de Al Kharj são equipadas com o EIT® (ferramenta de melhoria da eficiência) do Sidel Group, sistema de aquisição de dados e inteligência de fabricação. Segundo a empresa, a sua solução registra dados brutos de produção 24h por dia e 7 dias por semana, calcula um grande número de indicadores de desempenho (KPIs), analisa problemas de produção, detecta fontes de perda de eficiência e efetua análises de causa raiz. Atualmente instalado em mais de 70 países, o sistema foi criado para diminuir as paradas não planejadas, reduzir desperdícios e custos, além de aumentar o rendimento da fábrica, pois permite que funcionários de todos os níveis hierárquicos da empresa acessem dados relevantes e acionáveis sobre questões de produção em tempo real. A versão do EIT da Almarai apresenta uma funcionalidade adicional: o módulo ECO, que monitora e mede o consumo de energia, água e outros serviços essenciais no nível do equipamento e da linha. Segundo a Sidel, além de fornecer o custo da energia por unidade produzida, o sistema estabelece correlações entre as tendências de consumo (incluindo energia, água, vapor ou ar comprimido) e ocorrências na linha ou fases de produção a fim de melhorar o desempenho de maneira duradoura.

As duas linhas começaram a operar no último trimestre de 2017, tendo disponibilizado produtos para comercialização a partir desse mesmo período.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Sidel

Curta nossa página no

IPA conquista certificação IATF 16949:2016 para o setor automotivo

19/10/2018

Fabricante de tanques de combustível também possui as chancelas ISO 14001 e VDA 6.3 para a Volkswagen; auditorias foram realizadas pela DQS do Brasil

A IPA, empresa nacional que atua no setor de produtos de plástico fabricados por processos de sopro e injeção, especializada na fabricação de tanques de combustível, acaba de conquistar as certificações IATF 16949:2016 e ISO 9001:2015 (ambas para a unidade de Jaguariúna-SP), sendo que a primeira atende aos requisitos mais recentes do setor automotivo e é uma das mais importantes chancelas para o segmento.

Com isso, a IPA fecha o ciclo das duas certificações para todas as suas plantas no Brasil – além de Jaguariúna, as unidades de Caçapava-SP, Gravataí-RS, Porto Real-RJ e Anchieta, em São Bernardo do Campo-SP, também já haviam obtido as duas chancelas em 2017. Para Alexandre Keiji, diretor de Engenharia da IPA, “os reconhecimentos obtidos nos últimos anos em todas as fábricas comprovam que a empresa está evoluindo constantemente no desenvolvimento do controle de seus processos, dentro de um conceito globalizado e padronizado que é exigido atualmente pelas montadoras em todo o mundo”.

Além da IATF 16949 e da ISO 9001, a IPA também é certificada na ISO 14001 (Sistema de Gestão Ambiental), obtida em 2018 para a unidade de Gravataí-RS. O objetivo da empresa é que as outras unidades também consigam a mesma certificação até 2019. E, especificamente para o setor automotivo, a empresa possui o selo VDA 6.3 – para a Volkswagen – para três de suas fábricas, em Caçapava, Jaguariúna e Anchieta (esta com nota 90A). A norma VDA (Verband der Automobilindustrie e.V.) foi desenvolvida pela indústria automotiva da Alemanha para certificação do sistema de gestão da qualidade dos fornecedores de montadoras do país, como Volkswagen, Audi, BMW, Porsche, Mercedes-Benz e outros. Com isso, a IPA está credenciada como fornecedora para a fabricante alemã.

As auditorias foram realizadas no 2º semestre de 2018, em processo conduzido pela DQS do Brasil, com foco no comprometimento pela melhoria contínua da qualidade dos processos, produtos e atendimento aos requisitos dos clientes dentro da operação. Entre os pontos positivos destacados pelos auditores estiveram a sistemática de planejamento anual, a sistemática de análise de risco para gestão de auditorias, a competência para realização de auditorias internas de processo com base nos requisitos de clientes, as verificações de produtos diárias em cada processo de manufatura e a experiência dos operadores de produção.

A implementação de kaizens (metodologia que permite baixar custos e aumentar a produtividade) e os resultados alcançados como a redução de estoques de componentes na montagem – por meio da estratégia de gestão FIFO (first in, first out) em tanques e gargalos – também serviram para fortalecer o engajamento da equipe.

O CEO da IPA, Tarcísio Telles, completa: “essa é uma conquista de todos os envolvidos. O conjunto de certificações envolvendo todas as unidades mostra que continuamos buscando o nível máximo tanto no aperfeiçoamento das nossas operações como no atendimento de demandas cada vez mais rígidas e específicas dos clientes”.

Fundada em 1997, a IPA fabrica tanques e tubos de combustível para veículos, reservatórios de água e de expansão, entre outros, fornecendo para as principais montadoras do País. A empresa conta com 600 colaboradores distribuídos em suas quatro unidades de produção industrial no Brasil e na Argentina, em Caçapava e Jaguariúna (SP), Gravataí (RS) e Zárate (ARG). Outras duas – Porto Real (RJ) e Anchieta, em São Bernardo do Campo (SP) – operam como unidades de montagem, totalizando mais de 84 mil m2.

Fonte: Assessoria de Imprensa – IPA

Curta nossa página no

Empresa chinesa Huanlejia adota embalagem PET para seu leite de coco para reforçar a imagem da marca e a produção

14/09/2018

A Huanlejia, fabricante de alimentos e bebidas de renome na China, iniciou recentemente a produção de seu leite de coco em garrafas PET — anteriormente o produto era envasado em PEAD. Os principais objetivos da mudança eram reforçar a imagem da marca e agilizar a produção. A experiência de 40 anos da Sidel em envase asséptico foi fundamental para a realização do projeto. A nova garrafa PET de leite de coco, já premiada localmente, é produzida em duas linhas completas de envase PET asséptico da Sidel, a um taxa de 48.000 garrafas por hora (gph).

Em 2016, a categoria de bebidas com mais rápido crescimento mundial foi a de líquidos vegetais, como a de coco. O crescimento de valor chegou a 20 por cento. O sucesso dessa nova categoria pode estar ligado à maior demanda do consumidor por bebidas saudáveis e funcionais. Embora a água de coco domine o mercado de águas vegetais e de raízes industrializadas, uma enorme variedade de produtos de menor destaque na categoria vem sendo introduzida, realizando experimentos sofisticados com sabores e preferências do consumidor.

Em um contexto de atitudes de consumo mais saudáveis, as vendas de sucos de fruta 100% integrais, de água engarrafada e de chás vêm aumentando expressivamente, em detrimento da venda de sucos com adição de açúcar. Um bom exemplo dessa tendência é o leite de coco agora em PET da Huanlejia, uma alternativa vegetal às bebidas lácteas vendidas no mercado chinês. A fabricante chinesa de alimentos e bebidas, que emprega mais de 4 mil trabalhadores em suas unidades de produção nas províncias de Guangdong, Hubei e Shandong, com faturamento anual de mais de 3 bilhões de RMB, envasava seu enorme portfólio de produtos em latas, PEAD e vidro. Esta é a primeira vez que a Huanlejia adota as garrafas PET para promover seu leite de coco, anteriormente envasado em PEAD. Com um rótulo termoencolhível desenhado para reforçar o valor da marca e do produto, o leite de coco da Huanlejia envasado em PET foi bem recebido pelos consumidores locais e, inclusive, eleito produto-estrela na Feira de Alimentos e Bebidas de Chengdu 2018, que ocorre anualmente.

Troca bem-sucedida de PEAD para embalagem PET asséptica

Há dois anos, a Huanlejia decidiu lançar o leite de coco em garrafas PET, devido às múltiplas vantagens, tanto do material quanto da linha de produção de embalagens. O PET é resistente, inquebrável, leve, transparente, seguro e, principalmente, 100% reciclável. A garrafa PET garante 12 meses de prazo de validade do leite de coco, dispensando selo de alumínio esterilizado antes da tampa devido à alta segurança de vedação entre o gargalo e a tampa. Desse modo, as garrafas PET não raro melhoram a imagem da marca e a experiência geral do consumidor. Equipamentos capazes de fabricar embalagens a taxas de produção mais elevadas e custos menores, viabilizados pela redução no consumo de energia e matéria-prima também contribuem para o ganho geral do envase com PET. Com esses benefícios em mente, a empresa buscava um parceiro que oferecesse linhas PET assépticas completas.

Do projeto à operação das linhas

Quando a Huanlejia adquiriu as duas novas linhas de envase PET, a reputação da Sidel no setor asséptico foi determinante, afirma a empresa. Outro fator foi a experiência da Sidel como parceiro de soluções completas — desde o preparo, tratamento e envase asséptico do produto até a logística. Adquirir soluções de linha completa de um único fornecedor é uma escolha lógica: simplifica o trabalho do cliente desde a compra, instalação, comissionamento, e principalmente, garante a vida útil e o desempenho da linha.

Quando escolheu a Sidel como parceiro, a Huanlejia passou a conhecer mais amplamente toda a cadeia de suprimentos do PET: desde as tendências do mercado atual e a evolução do gosto do consumidor até os desafios da distribuição de bebidas e as normas locais. Encontrar a solução ideal para a Huanlejia envolvia mais que uma simples escolha de equipamento; exigia uma abordagem flexível na instalação das duas linhas completas de envase PET asséptico.

Duas linhas PET assépticas completas operando a 48.000 gph

A empresa chinesa optou por duas linhas PET assépticas completas com produção de 48.000 gph. Ambas as linhas — que começaram a produzir em Linyi, província de Shandong, e Hanchuan, província de Hubei, entre março e abril de 2018 — são equipadas com a Sidel Aseptic Combi Sensofill, aplicando a descontaminação tradicional úmida de garrafas para garantir a integridade da bebida. Também incluem transportadores Gebo Cermex e paletizadoras automáticas Pal-Kombi. A eficiência global das linhas será monitorada e otimizada com o sistema EIT® (Efficiency Improvement Tool). Esse sistema melhora a produtividade e permite que funcionários em todos os níveis da empresa acessem, em tempo real, dados relevantes e práticos sobre desempenho, qualidade, eficiência, perdas e outras questões de produção.

O Sidel Group é formado pela união da Sidel e a Gebo Cermex. O grupo é líder no fornecimento de equipamentos e serviços de acondicionamento de líquidos, alimentos, produtos para casa e cuidado pessoal em PET, lata, vidro e outros materiais. Com mais de 37 mil máquinas instaladas em mais de 190 países, a empresa tem quase 170 anos de experiência e mais de 5 mil funcionários no mundo todo.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Sidel

Curta nossa página no

Romi leva à Interplast 2018 soluções para a indústria de transformação de plástico e ferramentarias

28/06/2018

Além da Injetora Romi EL 300 e da Sopradora Romi C 5TS, o estande também terá o Centro de Usinagem Vertical Romi D 800

A Romi vai participar da 10ª edição da Interplast – Feira e Congresso de Integração da Tecnologia do Plástico, que acontece entre os dias 14 e 17 de agosto, nos pavilhões da Expoville, em Joinville – SC. Para o gerente de vendas da Romi, Glauco Machado, o evento, um dos mais importantes e representativos do setor de plástico, vai oferecer grandes oportunidades de negócio. “Vamos apresentar as soluções da Romi para dar mais produtividade e robustez ao setor de plástico, levando máquinas com alto nível de tecnologia para atender a busca da indústria local por mais precisão e velocidade”, explica o executivo.

A região Sul é um dos principais polos do setor de transformados plásticos do país, gerando mais de 85 mil empregos, em mais de 3 mil empresas. Anualmente são processados cerca de um milhão de toneladas de plástico somente no estado de Santa Catarina, com destaque para os descartáveis no sul, embalagens no oeste e peças técnicas no norte do estado.

Para a Interplast 2018, a Romi leva ao estande 438 a Injetora Romi EL 300, a Sopradora Romi C 5TS e o Centro de Usinagem Vertical Romi D 800 (nova geração), lançado recentemente.

Segundo a Romi, a Injetora elétrica Romi EL 300 foi desenvolvida para produzir peças plásticas com alto desempenho, precisão, alta velocidade e mínimo consumo de energia. A empresa afirma que, além de alta capacidade de plastificação, maior área de molde e simultaneidade de movimentos, com redução de até 30% nos tempos de ciclo, a máquina se destaca pela alta velocidade e precisão, com elevada eficiência energética. A Romi assegura que a linha injetora elétrica diminui em até 70% o consumo energético comparado com injetoras de bomba variável e 90% se comparado com bomba fixa. A injetora Romi EL 300 está equipada com o novo comando CM 20 com display de 19” Full HD.

A Sopradora Romi C 5TS foi desenvolvida para a produção de embalagens plásticas de até 10 litros. O equipamento se destaca pela maior área de molde e força de fechamento elevada. Sua unidade hidráulica conta com acumulador de pressão e servo-válvula no programador de parison, que dispõe de até 512 pontos de ajuste no perfil. A sopradora Romi C 5TS está equipada com o novo comando CM 20 com display de 19” Full HD.

Além das máquinas voltadas para plásticos, a Romi também vai levar ao evento o Centro de Usinagem Vertical Romi D 800, que faz parte de nova geração da Linha Romi D, equipamentos destinados a uma ampla gama de aplicações.

A Indústrias Romi S.A. (B3: Romi3), fundada em 1930, fabrica máquinas ferramenta, com foco em tornos, tornos CNC, centros de torneamento e centros de usinagem; máquinas injetoras e sopradoras de termoplásticos; e peças fundidas em ferro cinzento e nodular, que podem ser fornecidas brutas ou usinadas. Os produtos e serviços da Companhia são vendidos mundialmente e utilizados por uma grande variedade de indústrias, tais como automotiva, de bens de consumo, máquinas em geral, equipamentos industriais e agrícolas.

Fonte: Interplast 2018

Curta nossa página no

Milacron demonstra soluções integradas para tecnologias de injeção, sopro, extrusão, câmara quente e moldes durante a NPE2018

08/06/2018

Durante a NPE2018 em Orlando, de 7 a 11 de maio, a Milacron preencheu o seu amplo stand de 1.700 metros quadrados com tecnologias e uma ampla gama de soluções para a indústria de processamento de plásticos, incluindo máquinas de injeção e extrusão Milacron, sistemas de controle e câmaras quentes Mold Masters, componentes e soluções para moldes DME, máquinas de moldagem por sopro Uniloy, tecnologias de co-injeção Kortec, soluções Milacron 4.0 IIoT e um forte foco nos serviços e suporte da Milacron.

O CEO da Milacron, Tom Goeke, disse: “A Milacron sempre gosta de se reconectar com clientes existentes e potenciais durante as feiras, mas há algo de especial sobre a feira NPE: estamos no “quintal” de nossos clientes na América do Norte e somos o maior fabricante norte-americano de máquinas para plásticos. A Milacron é uma empresa global, com filiais em todo o mundo, mas estamos equipados de forma única para atender a nossos clientes norte-americanos com excelente disponibilidade de peças, técnicos locais e tecnologias IIOT em um nível que nossos concorrentes não conseguem atingir simplesmente com suas subsidiárias locais na América do Norte ”.

Algumas das tecnologias demonstradas durante a NPE2018 no stand da Milacron incluem:

Células de trabalho de injetoras Milacron

Aplicação de Embalagem: Milacron-Fanuc Roboshot 500 – A maior tonelagem Roboshot de todos os tempos –

A nova Roboshot 500 tem uma opção de tonelagem aumentada de até 550 toneladas americanas (558 toneladas métricas) e é adequada para moldes maiores com espaçamento entre as colunas de 36,2 polegadas (91,94 cm). Segundo a empresa, a nova máquina não sacrifica nenhum dos pontos fortes do padrão Roboshot, tais como confiabilidade, o controle  do processo, a injeção de alta velocidade e a repetibilidade. Durante a feira, a Roboshot 500 esteve produzindo uma tampa de detergente em um molde de 24 cavidades, com tempo de ciclo de 6 segundos. A célula de moldagem tinha câmara quente com bicos valvulados e um sistema de controle de temperatura da câmara quente da Mold-Masters, além de componentes de molde DME.

Aplicação Automotiva – Milacron Maxima Performance (MPs) 600wp –

O Maxima Performance Series  se baseia na plataforma de duas placas Maxima. Segundo a Milacron, o Maxima Performance atende às demandas do mercado por maior desempenho, menor consumo de energia, precisão e flexibilidade. Esta plataforma está disponível na faixa de 500 a 1100 toneladas americanas (450 a 1000 toneladas métricas) e proporciona tempos de ciclo seco 33% mais rápidos e menos 35% de consumo de energia, afirma a empresa. O Maxima Performance 600wp estava equipada com o pacote de tecnologia “Core Back / Reverse Coining” da Milacron, no qual a peça é preenchida e depois o travamento é aberto para uma posição predefinida. A Milacron afirma que desenvolveu um processo que controla com precisão a posição de abertura e mantém o alinhamento, que é fundamental para manter as tolerâncias das peças, permitindo a passagem de gás (Mucell) pelo centro da peça sem romper a superfície. O processo de injeção com expansão de gás (Mucell) permite reduzir o peso da peça sem sacrificar a resistência estrutural e a precisão dimensional da peça. Este processo foi desenvolvido tendo em mente as aplicações automotivas para redução de peso. Durante a NPE2018, a célula de moldagem estava produzindo o bolso plástico do compartimento de mapas de uma porta de automóvel, pesando 825 gramas, em um molde de 1 cavidade com tecnologia MuCell da Trexel que colocava em destaque a redução de peso automotivo. Ao mesmo tempo, a tecnologia ROC Tool  fornecia aquecimento por indução diretamente na superfície da peça para obter um acabamento superior, crítico em aplicações de interiores automotivos. A célula contou com uma câmara quente e sistema de controle de temperatura da Mold Masters, e um robô Sepro de 5 eixos com trimmer, integrado nos controles da máquina, além de componentes de molde DME.

Célula de trabalho de máquina de sopro Uniloy

Aplicação médica – Uniloy IBS 85 com coinjeção Kortec Connect – Máquina de moldagem injeção sopro com tecnologia de barreira Kortec

A Série de Injeção Sopro Uniloy (IBS) inclui uma linha completa de sistemas de injeção sopro de 3 estações com forças de fechamento de 70 a 200 toneladas americanas (64-181 toneladas métricas), disponíveis com configuração hidráulica, híbrida ou totalmente elétrica. A tecnologia Uniloy também fornece o acabamento de gargalo com a alta tolerância exigida para muitas aplicações resistentes a crianças e sensíveis à violação. Para adicionar tecnologia de co-injeção a esta célula, a Milacron utilizou a recém-lançada oferta de produtos Kortec Connect. O sistema Uniloy IBS foi equipado com um sistema de câmara quente Kortec e uma unidade de injeção secundária Mold-Masters E-Multi para fornecer a camada de barreira. Os canais quentes de co-injeção Kortec permitem que duas resinas diferentes sejam combinadas em um único fluxo de 3 camadas. Duas correntes de fluxo são unidas em cada bico de co-injeção, resultando em uma única corrente de fluxo combinado de 3 camadas através de cada ponto de injeção nas cavidades do molde. O resultado é o controle total e a capacidade de personalização da colocação e espessura da camada de barreira. Durante a feira, a sopradora Uniloy IBS 85 esteve moldando uma garrafa de medicamentos de 4 cavidades, com peso de 7,5 gramas, utilizando tecnologia de barreira de Co-injeção Kortec em ciclos de 12 segundos.

Tecnologias de Câmara Quente Mould-Masters – Bioresinas

As câmaras quentes Master-Series representam mais de 50 anos de conhecimento e experiência. Com mais de 1.500.000 bicos em operação, eles encontram uma ampla gama de aplicações em todos os setores, incluindo bioresinas.

Segundo o fabricantes, os sistemas de câmara quente Mold Masters apresentam precisão e balanceamento térmico. Com os canais de fluxo abertos no contato bico / ponto de injeção, permite-se um fluxo e dispersão acelerados do material fundido, praticamente sem pontos mortos ou cegos, o que é crítico para eliminar a degradação, um desafio comum ao se processarem bioresinas.

As Bioresinas estão ganhando popularidade e, à medida que mais regiões e mercados, como as embalagens, incentivam e, em algumas circunstâncias, exigem o uso dessas bioresinas, será primordial a capacidade dos sistemas de câmara quente para processá-las. A Mold Masters afirma que a sua Master-Series tem sido extensivamente testada usando uma ampla variedade de bioresinas. Centenas de sistemas Master-Series já estão em operação processando bioresinas e produzindo peças de pequeno a médio porte em sistemas de bico único ou de várias cavidades, operando em vários mercados ao redor do mundo. No stand da Milacron, foram destacados vários estudos de caso durante a NPE2018.

Mold-Masters: Unidade de injeção secundária E-Multi – Solução de Moldagem Multi-shot agora disponível com recursos de Borracha de Silicone Líquida (LSR)

O E-Multi totalmente elétrico da Mold-Masters permite que injetoras existentes possam realizar moldagens com injeções múltiplas (multi-shot) e com múltiplos materiais, expandindo o potencial de suas operações. Segundo a empresa, a plataforma E-Multi é compatível com qualquer injetora e aplica-se a moldagens de precisão em qualquer indústria. O E-Multi tem mais de 2.000 configurações-padrão possíveis, de modo que é dimensionado para os requisitos exatos das aplicações, afirma a empresa. O E-Multi está agora disponível com recursos de LSR. O E-Multi foi apresentado em 2 células de trabalho no estande da Milacron.

DME – Componentes de Molde, Tecnologias e Suprimentos Industriais

DME TruCoolTM – Solução de resfriamento conformacional

O resfriamento conformacional TruCoolTM é projetado para maximizar a eficiência de resfriamento através da fabricação aditiva 3D com metais. Esta linha de produtos de resfriamento conformacional, com canais de resfriamento complexos se adequando à geometria da superfície da peça, fornece uma maior cobertura global de resfriamento, com distribuição uniforme, mantendo uma temperatura consistente direcionada e reduzindo os tempos de ciclo em até 60%, afirma a DME. A empresa anunciou três novos produtos e serviços para a linha TruCool. Em primeiro lugar, a DME Design Services, oferecendo serviços de projeto de molde a partir da experiência da empresa na fabricação de moldes, projeto de moldes, análise térmica e projeto de canais conformacionais. Em segundo lugar, os novos serviços e equipamentos pós-mercado da DME, que oferecem serviços de limpeza, diagnóstico e manutenção de canais de resfriamento, com capacidades para solucionar problemas, limpar e descalcificar os canais de água de resfriamento convencionais e conformacionais, afim de maximizar a vida útil e a eficiência de intrincados sistemas de resfriamento, através de um processo automatizado de circuito fechado, controlado por computador. Em terceiro lugar, a DME anunciou uma nova linha de componentes para resfriamento conformacional, incluindo pinos-macho, entradas e buchas de injeção.

Suprimentos Industriais DME

O portfolio de suprimentos industriais da Milacron-DME inclui marcas ​​como Dri-Air, Mokon, Parker, Slide, 3M, Bunting e outras. Seja na linha de equipamentos auxiliares, peças de máquinas, equipamentos para oficinas, sprays para moldes, suprimentos de refrigeração e aquecimento ou produtos de segurança, a Milacron-DME Industrial Supplies fornece um amplo conjunto de produtos para ajudar a melhorar o desempenho operacional e manter as instalações dos clientes em funcionamento correto e seguro. Os produtos estão globalmente disponíveis 24/7 através do Milacron eSTORE para dar suporte a toda a base de clientes da Milacron. Durante a feira, a DME deu destaque a vários novos produtos, incluindo o Controlador MoldVac, SMARTFLOW TRACERvm, equipamento de polimento ultra-sônico e pneumático, composto de purga Fresh StartTM, cortadores de galhos premium e novas mesas DME Mould Service. Na NPE, a Milacron-DME Industrial Supplies teve uma área de demonstração que incluiu demonstrações ao vivo e acesso prático para os visitantes.

Tecnologias de Extrusão de Milacron

Nova Extrusora de rosca única Milacron SV350

De acordo com a Milacron, a SV350 é uma extrusora robusta e flexível, com design prático capaz de atender às necessidades de fabricantes de tubos, perfis, chapas, fibras, fios e cabos. A SV350 está disponível para entrega rápida, em tamanhos que variam de 2,0 a 4,5 polegadas, na razão comprimento/diâmetro 24:1. A Milacron projeta e constrói internamente sistemas completos de extrusão, desde as extrusoras até cilindros de extrusão, roscas, cabeçotes, matrizes e equipamentos downstream.

Fonte: Milacron

Curta nossa página no

Romi apresenta soluções para paredes finas em ciclos ultrarrápidos e automação na feira Plástico Brasil

17/02/2017
Injetora ROMI ES 300

Injetora ROMI ES 300

Desenvolvendo continuamente soluções que proporcionam vantagens competitivas para seus clientes, a Romi estará presente na Plástico Brasil, que será realizada entre os dias 20 e 24 de março de 2017, no São Paulo Exhibition & Convention Center. A Plástico Brasil apresentará os últimos avanços tecnológicos e as principais tendências globais que envolvem a cadeia produtiva do plástico.

Em seu stand, a Romi apresentará seis equipamentos: as injetoras ROMI EN 600 e ROMI EN 220, a injetora para paredes finas em ciclos ultrarrápidos ROMI ES 300, as sopradoras ROMI C 5TS e ROMI MX 20L e o Centro de Usinagem ROMI D 800. Além do baixo nível de consumo energético e de ruído, performance e confiabilidade, toda a linha de injetoras e sopradoras está equipada com o novo comando de operação CM20, afirma a Romi.

Interface - Comando CM20

Interface – Comando CM20

Segundo a empresa, o comando CM20 possui altíssima velocidade e capacidade de processamento, interface gráfica multitouch de 19″ full HD e plena conectividade, sendo possível acessá-lo remotamente via browser, tablets ou smartphones. Os recursos interativos do comando CM20 e as diversas possibilidades de automação dos equipamentos Romi proporcionam aos clientes o aumento da eficiência e da produtividade em sua cadeia produtiva, rumo à Indústria 4.0, assegura a fabricante de máquinas para processamento de plásticos e ferramentaria industrial com sede em Santa Bárbara do Oeste (SP).

No stand da Romi, o visitante poderá contar com o suporte técnico da equipe, recebendo orientações sobre aplicações, suporte comercial e informações sobre as opções de financiamento disponíveis. “Nossos esforços estão totalmente direcionados para oferecer aos nossos clientes soluções completas e tecnológicas para aumentar a sua competitividade no mercado. Os visitantes da Plástico Brasil podem contar com a Romi em todos os momentos para, juntos, buscarmos as melhores oportunidades, adequadas às necessidades de cada empresa”, afirma William dos Reis, Diretor da Unidade de Máquinas para Plásticos.

Fonte: Romi

Curta nossa página no

Braskem amplia portfólio com resina que confere brilho às embalagens

08/12/2016

braskem-brilho

Destinado especialmente para frascos soprados rígidos, lançamento reforça a oferta de produtos para o segmento de sopro

Atenta às tendências de mercado, a Braskem ampliou o portfólio de especialidades com nova resina que proporciona mais brilho e melhor acabamento às embalagens sopradas rígidas, afirma a empresa.

Os mercados prioritários para a nova resina são os de cosméticos, higiene e limpeza e alimentos. A novidade confere às embalagens uma película de brilho e melhor acabamento, o que dá mais visibilidade ao produto na prateleira perante os concorrentes opacos.

“O cuidado com o recipiente é tão importante quanto o conteúdo armazenado, pois a embalagem é responsável por reforçar a identidade da marca para o mercado e o consumidor”, afirma Zolder Stekhardt, gerente de conta responsável pelo mercado de sopro para embalagens de consumo na Braskem. “Com esse lançamento, a Braskem amplia sua oferta de produto oferecendo um portfolio ainda mais completo para a produção de recipientes por moldagem por coextrusão e sopro, agregando mais valor para a embalagem final”, completa Zolder.

A Braskem possui mais de 15 grades de polietileno para o segmento de sopro e busca desenvolver novas soluções que apresentem propriedades eficientes no que diz respeito à resistência, facilidade de processamento e alta produtividade e sustentabilidade, características que garantem embalagens de melhor qualidade, acabamento e maior resistência.

Fonte: Braskem

Curta nossa página no

Braskem amplia portfólio de resinas para segmento de sopro

07/09/2016

braskem_resina_sopro

Segundo a empresa, material oferece maior produtividade, resistência e qualidade no acabamento final do produto

A Braskem lançou uma nova resina para suprir as necessidades do mercado de embalagens sopradas. O produto HD7000C é polietileno de alta densidade homopolímero que chega para atender às demandas da indústria de transformação por extrusão sopro (EBM) e injeção sopro (IBM) possibilitando redução de peso no produto moldado e melhor performance na aplicação, afirma a empresa.

Segundo a Braskem, a novidade excede as expectativas do segmento de sopro por apresentar propriedades eficientes no que diz respeito à resistência, facilidade de processamento e produtividade, características que garantem embalagens de melhor qualidade, acabamento e maior resistência. “A expansão de oferta de soluções para o segmento de sopro demonstra a consciência do trabalho de nossa equipe com os clientes, com objetivo de desenvolver uma resina de alta performance e que possa atender o segmento de forma abrangente”, destaca Augusto Esteves, especialista em processo de sopro da Braskem.

O lançamento reforça o portfólio de resinas para o segmento de sopro e permite flexibilizar as aplicações também em fármacos, brinquedos e alimentos. Com foco em aplicações relacionadas a gêneros alimentícios, possibilita preservar as características de sabor e odor dos alimentos lácteos e similares.

“A nova resina vem nos proporcionando excelente estabilidade de processo e confere resistência à compressão elevada. Isso faz com que seja um material com várias possibilidades de aplicação, quando se deseja ganhos de peso sem grande perda da resistência mecânica. A nossa parceria com a Braskem garante ainda mais confiabilidade pois, a cada novidade, participamos ativamente dos desenvolvimentos, testando novas resinas e sugerindo oportunidades de melhoria e aplicações”, relata José Euzébio da Silveira Júnior, gerente industrial da Globalpack Indústria.

Fonte: Braskem

Curta nossa página no

Sidel ajuda produtor brasileiro Algar Agro a desenvolver a “garrafa PET para óleo comestível mais leve do mundo “

23/05/2016

Sidel-linha

Produtor relevante no mercado brasileiro, a Algar Agro trabalhou com a Sidel para reduzir o peso total da sua garrafa de 18 para 14 gramas – uma redução de 22%.

A garrafa foi reprojetada sem quaisquer alterações perceptíveis para o consumidor em sua aparência externa, que já é bem conhecida. No entanto, usando a experiência da Sidel em redução de peso, a Algar Agro pôde alcançar uma economia significativa no peso e na matéria-prima utilizada. Houve também um impacto substancial na minimização do custo para produzir, embalar e transportar o produto acabado, juntamente com a redução do custo total da posse (TCO) do próprio equipamento de produção.

As propostas para otimização da embalagem da garrafa foram apresentads pela Sidel, que também realizou testes de viabilidade para o novo design no seu Centro de Embalagem e Ferramentaria em Guadalajara, no México. A Sidel foi escolhida entre outras empresas concorrentes por causa de sua experiência e conhecimento, bem como pelas propostas concretas apresentadas à Algar Agro durante as discussões iniciais para reduzir o peso da garrafa. Edney Valente Lima Filho, Gerente de Projetos da Algar Agro, explicou: “Nós reunimos os melhores fornecedores da indústria e isso se refletiu nos resultados do projeto. O sucesso da Sidel foi assegurado pelo know-how demonstrado durante a negociação para propor e garantir a nova garrafa de óleo vegetal – a mais leve do mundo “!

Sidel_garrafa_algaragroCom a aquisição de duas sopradoras Sidel Matrix ™ – uma em cada unidade de produção – a Algar Agro acredita que é o primeiro produtor de óleo comestível no Brasil com injeção e sopro integrados no seu processo de produção de PET. As máquinas da Sidel foram instaladas em linhas de engarrafamento produzindo 25.000 garrafas PET de óleo vegetal por hora. A instalação é resultado de um estudo de dois anos para investigar e avaliar a viabilidade do processo de integração da produção e acondicionamento de óleos vegetais.

Sopro Modular traz benefícios

Segundo a Sidel, a sua sopradora Matrix é um sistema de moldagem por sopro modular que permite tempos muito rápidos de troca, menor impacto ambiental, maior eficiência do forno e maior tempo de atividade, tudo isso contribuindo para um menor TCO (custo total de posse). A empresa afirma que, contando com até 200 configurações possíveis, o equipamento oferece qualidade e consistência em todos eles, dando aos produtores a flexibilidade para escolher tamanhos e formas que melhor se adaptem às suas necessidades. Três tamanhos de estações de sopro tornam possível a produção de uma variedade quase ilimitada de formas distintas de garrafas para single-serve (até 750 ml), multi-serve (até 2 litros) ou família estendida de garrafas (até 3,5 litros). Especialmente concebida para reduzir a geração de refugos, a sopradora Matrix também pode automaticamente detectar e eliminar desvios no processo de fabricação da garrafa, afirma a Sidel

A Sidel opera atualmente sete Centros de Embalagem e Ferramentaria em todo o mundo: dois na China e os restantes na França, Índia, Brasil, EUA e em Guadalajara (México). Segundo a empresa, a unidade localizada na segunda maior cidade do México demonstra o foco da empresa em transferir seu conhecimento global para os produtores a nível local e, ao fazê-lo, ajuda a atender à crescente demanda neste mercado. Desde o projeto da garrafa até a engenharia da linha de produção e gerenciamento completo do ciclo de vida, os produtores precisam de soluções e serviços otimizados com maior flexibilidade, reatividade, interação e cooperação.

Óleo comestível produzidos em duas unidades

A Algar Agro é uma empresa privada de produção, processamento e comercialização de soja e seus produtos derivados. As linhas de produção de alimentos da empresa incluem óleo de soja, óleo de oliva, óleo composto, extrato de tomate e molho – alguns produzidos em parceria com outras empresas. Ela é fornecedora tanto do mercado doméstico como para exportação. As atividades da empresa para esmagamento do grão, refino e embalagem do óleo de soja estão concentradas em dois complexos industriais avançados localizados em Uberlândia, no Triângulo Mineiro, e em Porto Franco, no sul do Estado do Maranhão.

Fonte: Sidel

Curta nossa página no

Pavan Zanetti realiza a sexta edição da “Pláztico&Negócios”, de 22 a 26 de fevereiro

08/02/2016

Pavan_ZanettiA Pavan Zanetti inicia as comemorações de seus 50 anos de atividades com a sexta edição da “Pláztico & Negócios”, feira de máquinas e workshops sobre processos de fabricação de plásticos que acontecerá de 22 a 26 de fevereiro, no showroom da empresa, localizada às margens da Rodovia Anhanguera, próximo ao km 125, com acesso pela Avenida Angelina Pascote, 4.405, em Americana (SP).

Além da exposição de máquinas para demonstrações, o evento promoverá visitas monitoradas à linha de produção e oferecerá workshops. Haverá, ainda, atendimento aos interessados em orientações financeiras para a aquisição de equipamentos e informações sobre máquinas para pronta-entrega.

Confira a programação:

22/02 – Visitação
23/02 – Workshop de Injeção
24/02 – Workshop de Sopradora
25/02 – Workshop de Injeção e Sopro Pet (manhã)
25/02 – Palestra sobre NR12 (tarde)
25/02 – Palestra sobre Eficiência Energética (tarde)
26/02 – Visitação

Inscrições:

  • As vagas são limitadas e as inscrições devem ser feitas no site http://www.pavanzanetti.com.br
  • Os workshops e as palestras são gratuitos para clientes (3 vagas por cliente, 1 pessoa por workshop ou palestra)
  • Para não-clientes, o custo é R$ 200,00 por workshop ou palestra ou R$ 500,00 para participação nos três dias do evento. Informações adicionais fornecidas através do telefone 19. 3475.8500.

A Pavan Zanetti anunciou também que, durante o mês de fevereiro, estará realizando promoção, comercializando máquinas novas abaixo do preço.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Pavan Zanetti

Curta nossa página no

PETtalk apresentará novidades para a Indústria de PET em Recife

20/10/2015

pettalk_ne_pressA Abipet – Associação Brasileira da Industria do PET – está organizando a terceira edição do PETtalk, evento que se consolidou como o maior e mais importante encontro da indústria de embalagens PET.

Desta vez, o seminário acontecerá em Pernambuco. “O desenvolvimento dos últimos anos naquela região atraiu significativos investimentos, tanto de transformadores como de fabricantes de resina PET, gerando capacidade produtiva de altíssima escala”, diz Auri Marçon, Diretor Executivo da Abipet.

Entre os palestrantes, estarão os principais fornecedores de tecnologia em equipamentos e insumos para fabricação de embalagens de PET, tais como: Bühler, Colormatrix, Gneuss,Husky, Krones, Piovan, Polymetrix, além dos fabricantes de resinas PET M&G e Petroquímica Suape. Cases de aplicação das embalagens de PET serão apresentados pela fabricante de água mineral Lindoya Verão.

Serão também divulgados dados do mercado pela Datamark e uma visão atualizada sobre a Reciclagem de PET e a Politica Nacional de Resíduos Sólidos

O PETtalk NE acontece a partir das 14h30 do dia 04 de novembro, no Centro de Convenções de Pernambuco. A programação do evento está disponível no site http://www.pettalk.org.br, onde também são feitas as inscrições (valor = R$ 300,00)

Mais informações podem ser obtidas através do e-mail: pettalk@pettalk.org.br ou pelo telefone: (11) 3078-1688

Fonte: Abipet

Curta nossa página no

Nissei ASB expõe tecnologia para processamento de PET na Plastech Brasil 2015

06/08/2015

NisseiASBReunindo uma injetora e uma máquina sopradora, a Nissei ASB desenvolveu a tecnologia de um estágio – ou seja, injeção, estiramento e sopro em um único equipamento. Trabalhando com o PET e investindo forte em pesquisa e desenvolvimento, a empresa apresentou há 25 anos as primeiras garrafas, frascos e potes que partiam de uma pré-forma injetada e depois, na fase de estiramento e sopro, chegavam ao seu design final, em um vasilhame que oferecia muitas vantagens. Após todos estes anos, a Nissei ASB investiu em pesquisa e desenvolveu sistemas de injeção, estiramento e sopro integrados, que produziram embalagens inovadoras, hoje encontradas em todo o mundo.

“Se considerarmos que cada sistema equivale a uma injetora e uma sopradora, teremos mais de 7 mil máquinas instaladas”, estima o diretor da Nissei ASB Sudamérica, Nick Saito.

O sistema de injeção, estiramento e sopro integrado da Nissei ASB é produzido de maneira que a injetora, o molde de injeção, a sopradora e o molde de sopro são ajustados para produzir embalagens PET que atendam às exigências e propriedades de cada tipo de produto a ser envasado.

No total, a empresa possui mais de 12 mil projetos de moldes de injeção e de sopro. Saito explica que, para cada tipo de produto – alimento, bebida, farmacêutico, cosmético ou químico, por exemplo – a Nissei ASB já testou tipos de gargalos, de roscas para tampa, top load, fill point, densidade do produto a ser envasado, etc.

“Enfim, mantemos um amplo arquivo de registros acumulados em vários anos de experiência que permite oferecer a melhor opção para atender ao mercado”, arremata  o executivo.

Segundo a empresa, uma unidade de produção que utiliza o sistema de injeção, estiramento e sopro integrado da Nissei ASB não necessita de grandes espaços, tem baixo consumo de energia elétrica, é facil de operar, não desperdiça matéria prima e representa um investimento de retorno garantido.

A subsidiária da Nissei ASB para a América do Sul está instalada em São Paulo, onde dispõe de centro técnico, show-room, serviços de atendimento ao cliente e estoque de peças de reposição, além de prestar assessoria na análise, desenvolvimento e execução de projetos em PET. Em escala mundial, a companhia está presente em 75 países.

Fonte: Nissei ASB / Assessoria Plastech Brasil

Curta nossa página no

Pavan Zanetti confirma presença na Plastech Brasil 2015 com sopradora para pré-formas de PET

20/07/2015

Injetora automática para termoplásticos deve ser outra atração no estande em Caxias do Sul (RS)

Sopradora PETIMATIC da Pavan Zanetti

Sopradora PETIMATIC da Pavan Zanetti

A sopradora destina-se à indústria de transformação, especialmente nos segmentos químico e agroquímico, alimentício, de higiene e cosméticos, produtos farmacêuticos e lubrificantes, e será a grande atração da Pavan Zanetti na Plastech Brasil 2015.

A linha de produtos da empresa de Americana (SP) inclui sopradoras de resinas termoplásticas por acumulação e extrusão contínua que produzem frascos de 10ml a 200 litros, máquinas de injeção e sopro (série ISI) e injetoras de 58 a 2100 toneladas de força de fechamento.

Na Plastech Brasil 2015 estará em exibição a Petimatic 3C/2L, uma sopradora de pré-formas de PET com capacidade para frascos de até 2 litros e uma produtividade de até 4000 frascos de 500 ml por hora. A máquina possui alimentador automático de pré-formas PET; painel de operação com display por toque; sistema de aquecimento de pré-formas PET por seções verticais de lâmpadas halogêneas, o que possibilita uma distribuição uniforme de calor; sistema de fechamento do molde com braçagens de cinco pontos, acionada por cilindro pneumático,  proporcionando alta velocidade e grande força de fechamento e movimento de estiramento por servomotor.

O diretor Gilson Pavan revela que a Pavan Zanetti estuda a possibilidade de expor também uma injetora automática para termoplásticos HXF, série I na Plastech Brasil 2015.

“Este modelo apresenta alto desempenho e grande economia de energia, sendo ideal para brinquedos, pré-formas de PET, utilidades domésticas, produtos com parede fina, produtos em PP/PL, além de PS, PC, conexões em PVC, materiais de engenharia, entre outros. A HXF produz frascos em diversos tamanhos e capacidades e é comercializada em modelos opcionais, equipados com bombas fixas com inversor, e com servomotor”, detalha o executivo.

Fonte: Plastech Brasil

Curta nossa página no

Pavan Zanetti recebe 1,2 mil visitantes na Feiplastic

16/05/2015

A Pavan Zanetti marcou presença na edição de 2015 da Feiplastic com máquinas convencionais de sopro e injeção, além de seu mais recente lançamento: a sopradora híbrida, que apresenta reduzido consumo de energia.

Os mais de 1,2 mil visitantes que estiveram no estande da empresa puderam conferir 5 modelos da fabricante em funcionamento:

  • A sopradora da série Bimatic, modelo BMT10.0S/H, automatizada, para sopro de embalagens em 2 cavidades de 5 litros.
  • A sopradora da série Bimatic, modelo BMT5.6D/H HIBRIDA, automatizada, para sopro de embalagens em 6 cavidades de 250 ml.
  • A sopradora para PET da série Petmatic, sistema 5000, automatizada, para embalagens de até 2.000 ml, porém trabalhando com volumes de 500 ml e produção de 5.000 frascos/hora.
  • A máquina de injeção e sopro da série ISI, modelo ISI 45, para volumes pequenos, com a vantagem de produzir sem rebarbas e com alta qualidade de bocal.
  • A injetora da série HXF, modelo HXF 260, automática, de alto desempenho, reconhecida economia de energia e capacidade para diferentes quantidades e tamanhos de embalagens.

Entre as presenças registradas, destacaram-se a do professor Luciano Coutinho, presidente do BNDES (Banco Nacional do Desenvolvimento); José Velloso Dias Cardoso, presidente executivo da ABIMAQ (Associação Brasileira de Máquinas e Equipamentos); Carlos Pastoriza, presidente do SINDIMAQ (Sindicato Nacional da Indústria de Máquinas e Equipamentos); Neviton Helmer Gasparini e Hudson Temporim Moreira, respectivamente presidente e vice-presidente do Sindicato da Indústria de Material Plástico do Estado do Espirito Santo; Orlando Antonio Marin e José Martins, diretores do SIMPLÁS (Sindicato das Indústrias de Material Plástico do Nordeste Gaúcho) e PLASTECH (Feita do Plástico, da Borracha, dos Compósitos e da Reciclagem); professores de várias instituições, como SENAI (Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial), FATEC (Faculdade de Tecnologia do Estado de São Paulo) e USP (Universidade de São Paulo), além de um grande número de clientes, amigos, fornecedores e toda a força de vendas da Pavan Zanetti na América Latina.

Também prestigiaram o estande da Pavan Zanetti os parceiros Automaplast, Braskem, Candura, Crizaf, Dow, Europac, Map, Moretto, Piovan, Plast equipe, Plastilider, Refriac, Refrisat, Seibt e Tampaflex.

Aproveitando a sua participação na Feiplastic, a Pavan Zanetti também colaborou com a Operação Reciclar, disponibilizando uma sopradora da série Bimatic, modelo 5.6 S/H para o processamento das resinas que foram recuperadas durante a feira. A Operação Reciclar foi uma ação educativa coordenada pela Plastivida e organizada pela Reed Exhibitions Alcantara Machado, com o apoio das entidades Abimaq, Abiplast, Abiquim, Instituto do PVC, INP e Siresp. Teve como missão divulgar informações sobre a importância do plástico e a variedade de aplicações para os plásticos reciclados. O projeto também contemplou ações de conscientização e boas práticas de utilização e descarte. Durante os dias do evento, mais de 10 toneladas de material plástico de 27 empresas foram coletadas para reciclagem e direcionadas para instituições do terceiro setor, com objetivo de gerar renda.

A Feiplastic ocorreu de 4 a 8 de maio, no Parque Anhembi, em São Paulo e registrou mais de 66 mil visitantes e 1.250 expositores de vários países.

Fonte: Pavan Zanetti; Vídeo: Reed Exhibitions Alcantara Machado

Curta nossa página no

Pavan Zanetti participa da Feiplastic com sopradora híbrida

01/05/2015

Pavan_FeiplasticAlém de máquinas convencionais de sopro e injeção, a Pavan Zanetti participará da Feiplastic (Feira Internacional do Plástico) com uma inovação em sua linha: a sopradora híbrida.

Esta máquina da série Bimatic, modelo BMT5.6D/H, tem cabeçote sêxtuplo e novidades no sistema de deslocamento dos carros porta-moldes, que deixaram de ser hidráulicos e se tornaram elétricos.

O resultado desta mudança é uma redução do consumo de energia, em torno de 6%, e uma diminuição do uso de óleo hidráulico, proporcionando menores possibilidades de vazamentos e poluição por óleo, afirma a empresa.

O objetivo da Pavan Zanetti é estender a tecnologia híbrida para todas as máquinas da série Bimatic.

Outras quatro máquinas da linha convencional também estarão expostas na Feiplastic:

  • A sopradora da série Bimatic, modelo BMT10.0S/H, automatizada, para sopro de embalagens em 2 cavidades de 5 litros.
  • A sopradora para PET da série Petmatic, sistema 5000, automatizada, para embalagens de até 2.000 ml, porém trabalhando com volumes de 500 ml e produção de 5.000 frascos/hora.
  • A máquina de injeção e sopro da série ISI, modelo ISI 45, para volumes pequenos, com a vantagem de produzir sem rebarbas e com alta qualidade de bocal.
  • A injetora da série HXF, modelo HXF 260, automática, de alto desempenho, reconhecida economia de energia e capacidade para diferentes quantidades e tamanhos de embalagens, segundo a empresa.

Feiplastic (Feira Internacional do Plástico)
Data: 4 a 8 de Maio de 2015
Horário: 11h às 20h
Local: Pavilhão de Exposições do Anhembi – São Paulo – SP – Brasil
Estande da Pavan Zanetti: G300

Fonte: Pavan Zanetti

Curta nossa página no

Maguire anuncia emprego de células de carga em desumidificador a vácuo para melhorar a eficiência e a versatilidade do processamento

22/04/2015

Empresa afirma que a precisão das células de carga torna possível obter nível de controle dentro de +/- 0.5% 

Junto ao desumidificador a vácuo Maguire® VBD™ estão o presidente e projetista chefe Steve Maguire (à esquerda) e o gerente de produto sênior de desumificador Mike Gera. As células de carga estão situadas embaixo do recipiente de vácuo (recipiente intermediário na foto) e do recipiente de retenção (na parte inferior).

Junto ao desumidificador a vácuo Maguire® VBD™ estão o presidente e projetista chefe Steve Maguire (à esquerda) e o gerente de produto sênior de desumificador Mike Gera. As células de carga estão situadas embaixo do recipiente de vácuo (recipiente intermediário na foto) e do recipiente de retenção (na parte inferior).

A Maguire Products, Inc. (www.maguire.com) incorporou a tecnologia da célula de carga em seu desumificador de resinas a vácuo VBD™, aumentando sua precisão e confiabilidade e proporcionando aos processadores de plásticos novos recursos para controlar e documentar o uso de material, segundo anúncio da empresa.

Agora, afirma a Maguire, o desumificador VBD utiliza células de carga que permitem o controle contínuo do nível de resina em dois dos três recipientes do sistema – o recipiente de vácuo e o recipiente de retenção. As células de carga operam com base na perda de peso, fornecendo dados em tempo real sobre o volume de material produzido, que não é afetado pelas variações na densidade do material. Elas proporcionam exatidão de +/- 0,5%, de acordo com Mike Gera, gerente sênior de produto de desumificador.

“O uso de células de carga nos recipientes de vácuo e de retenção proporciona confiabilidade de 100% e é superior a alternativas tais como sensores de proximidade capacitivos e sensores de fluxo de roda de pás,” disse Gera. “Graças à sua exatidão, elas proporcionam a transformadores por injeção e extrusão novas ferramentas para aumentar a eficiência e versatilidade de suas operações.”

Gera citou que essas capacidades são possíveis graças ao uso das células de carga:

● Controle aprimorado do volume de material produzido: segundo Gera, as células de carga permitem que o microprocessador monitore, exiba e controle o volume produzido em tempo real. Uma taxa de produtividade é calculada à medida que o primeiro lote de material sai do desumificador para a máquina de processamento. Essa taxa é atualizada a cada minuto. A documentação do consumo de material é disponibilizada através de uma porta USB, o que possibilita o controle proativo do inventário. As células de carga possibilitam, também, que o microprocessador execute um totalizador de fluxo reconfigurável, o qual é exibido na tela e inserido no registro de eventos.

● Economia de energia: O controle aprimorado da taxa de produtividade permite configurar uma taxa que corresponda precisamente à do processo,  melhorando a eficiência energética e evitando o excesso de material ressecado remanescente ao término do processamento de um lote, afirma Gera.

● Opção para o processamento de lotes: Enquanto o desumificador VBD proporciona fluxo contínuo para atender ao volume produzido pelo processo de injeção ou extrusão, as células de carga permitem que o desumificador opere em lotes.  Por exemplo, com o modo Batch (Lote) selecionado no controlador, o operador é instruído a inserir o tamanho do lote – por exemplo, 500 kg.  O VBD processa 500 kg e, em seguida, desliga automaticamente.  O desligamento é antecipado para que o recipiente de vácuo e o recipiente de retenção sejam esvaziados, o que é desejável ao término do processamento de um lote.

Células de carga melhoram a eficiência do sistema, reduzindo em 60% o consumo de energia

A economia de custo obtida pela desumidificação a vácuo em relação aos desumidificadores tradicionais resulta em uma redução de mais de 60% do consumo de energia, eliminação da necessidade de regenerar o dessecante e redução no tempo de ativação como resultado de um ciclo de secagem equivalente a 1/6 do tempo anterior, afirma a Maguire. Além disso, segundo a empresa, o tempo de exposição da resina a temperaturas elevadas é 80% menor do que ocorre com o desumidificador dessecante, o que significa menos tensão no processo.

O sistema VBD elimina a maior parte das peças móveis empregando a gravidade para movimentar o material pelos estágios arranjados verticalmente do processo de desumidificação. Ele consiste de uma operação contínua por lotes realizada em três recipientes fortemente isolados e revestidos com aço inoxidável em um arranjo vertical. As válvulas de gaveta corrediça de alta velocidade para a distribuição de material de um recipiente para o outro têm uma exatidão de +/- 4 gramas por alimentação e utilizam o mesmo projeto amplamente empregado em outros equipamentos da Maguire. O sistema utiliza ar ambiente circulado por um ventilador, cujo acionamento por frequência variável economiza energia.

De cima para baixo, os recipientes são os seguintes:

● Funil de aquecimento: Por meio de um ventilador centrífugo e de um elemento aquecedor de 40 kW, o material atinge a temperatura ajustada no painel de controle. O volume deste funil é três vezes maior que o recipiente seguinte (de vácuo), o que garante um tempo de aquecimento adequado.

● Recipiente de vácuo: Um vácuo aplicado por um gerador-venturi reduz o ponto de ebulição da água, fazendo com que a umidade dentro dos pellets se volatilize e seja expelida do pellet para dentro de um ambiente de baixa pressão que o cerca. A umidade é purgada do recipiente com o ar no ponto de orvalho a -40, constantemente gerado por um desumificador de ar de membrana.

● Funil de retenção/retirada: O desumificador de ar de membrana também pressuriza o recipiente e isola o material seco, garantindo que o nível desejado de secagem seja preservado até o material ser descarregado no processo de extrusão ou injeção de plásticos.

A Maguire Products, Inc., sediada em Aston, Pensilvânia, EUA, é um fornecedora mundial de dosadores gravimétricos, bombas de cores líquidas e desumificadores a vácuo e também fabrica sistemas de alimentação, granuladores e equipamentos e softwares relacionados. Seus clientes incluem transformadores por injeção, sopro e moldagem rotacional, processadores por extrusão e fabricantes de compostos. Fundada em 1977, a Maguire opera em seis unidades de produção em Aston. A empresa mantém uma rede de distribuidores nas Américas e fora do continente, além de três subsidiárias de vendas e serviços que armazenam, vendem e oferecem serviços para sistemas de equipamentos auxiliares da Maguire e sua afiliada, a Novatec, Inc.: Maguire Canada, Maguire Europe e Maguire Asia.

Fonte: Maguire / Martino Comm.

Curta nossa página no

Unipac inaugura fábrica em Limeira

22/04/2015

Empresa investe na aquisição de prédio próprio e migra operações para assegurar capacidade de expansão

Unipac_1A Unipac, importante empresa industrial do segmento de transformação plástica, inaugurou oficialmente sua nova fábrica em Limeira (SP). A necessidade de ampliar a capacidade de produção de embalagens plásticas – utilizadas nos segmentos agrícola, químico, alimentício, entre outros – e de modernizar suas atividades, motivou a empresa a migrar todas as operações até então realizadas na filial de Santa Bárbara D´Oeste (SP), que encerrou seu ciclo.

O novo prédio abriga, desde 1º de janeiro de 2015, a fabricação de embalagens plásticas de 250 ml a 20 litros e de tampas para o mesmo segmento. Os investimentos na unidade incluíram a compra de maquinaria de última geração.

De acordo com Marcos Ribeiro, presidente da Unipac, a iniciativa se mostrou acertada para assegurar a expansão da empresa, abrindo claras perspectivas futuras. “O mercado nacional tem um amplo e diversificado potencial para embalagens, incluindo um dos nossos principais negócios da unidade de Limeira, o de embalagens plásticas rígidas para o segmento de agroquímicos, que vem crescendo em torno de 4% ao ano e que é impulsionado, principalmente, pela demanda mundial por alimentos, a qual movimenta o setor agrícola brasileiro. Os investimentos que fizemos nos permitirão manter nosso incremento na casa dos 20% ao ano”.

Tudo em um único lugar

Localizada às margens da Rodovia Engenheiro João Tosello (SP-147), no Km 103, em Limeira (SP), a nova planta da Unipac, com 23 mil m² de área construída e terreno de 57 mil m², comporta toda a área fabril oriunda de Santa Barbara D’Oeste, além dos estoques de embalagem, anteriormente alocados em operadores logísticos terceirizados. Na atual configuração, foi possível concentrar, em um único lugar, as operações de fabricação e armazenagem.

A escolha do local foi motivada, principalmente, pela proximidade com Santa Bárbara D´Oeste, a fim de manter o quadro de funcionários – cerca de 100 empregados diretos e 30  indiretos. Outros fatores que contribuíram para a definição foram o fato de Limeira estar numa região industrial forte, com mão de obra qualificada para apoiar o crescimento futuro da empresa, e a questão logística pelo fácil acesso, próximo a outras importantes rodovias.

“Em fevereiro de 2014, oficializamos a compra do prédio em Limeira. Precisávamos de um local maior que pudesse acomodar não apenas todas as atividades de embalagens, mas também nossa expansão. Por outro lado, tínhamos outra importante questão: queríamos manter nossos funcionários. Para tanto, procuramos lugares em cidades num raio de até 50 quilômetros de distância de Santa Bárbara D´Oeste. Deu certo e, hoje, o pessoal que permaneceu na empresa tem à disposição um ônibus fretado para ir ao trabalho”, explica Ribeiro.

Nova fábrica, mesmas exigências

Todas as práticas que dizem respeito à questão ambiental e que já são aplicadas nas outras unidades da empresa, permanecem também na fábrica de Limeira. Consideradas desde o inicio das atividades de adequação da nova planta, tais exigências, como controles e redução dos materiais e dos resíduos gerados, do consumo de água e energia, entre outras, já funcionam a pleno vapor. A planta utiliza novos sistemas de abastecimento: na fábrica, para reduzir as perdas de água e de resinas, as máquinas permitem controle e qualidade do processo de suprimento.

Recentemente, a unidade passou por auditoria do organismo de certificação de produto ABRACE e foi recomendada a obter a concessão da autorização para uso do Selo de Identificação da Conformidade, de acordo com os regulamentos de avaliação para embalagens utilizadas no transporte terrestre de produtos perigosos (Portaria INMETRO 326:2006).

Cliente da Unipac com unidade fabril in-house, a Syngenta também auditou e certificou a nova planta quanto à aderência aos padrões voltados à saúde, à segurança e ao meio ambiente. E estão previstas para junho e julho deste ano, respectivamente, as obtenções das certificações ISO 9001:08 e ISO 14001. Desta forma, o Sistema de Gestão da Qualidade da filial Limeira ficará integrado com a certificação de todas as outras unidades da Unipac.

Fundada em 1976, a Unipac conta com cerca de 900 funcionários e parques industriais instalados em quatro unidades no Estado de São Paulo – Pompeia (matriz), Limeira (filial), Regente Feijó e Paulínia (unidades in-house, ou seja, na sede de seus clientes). É considerada uma das indústrias de transformação de plásticos mais completas do país. A Unipac executa oito tipos de processos de transformação em seu parque fabril: sopro, injeção, injeção estrutural, extrusão de chapas, termoformagem, rotomoldagem, borracha e cerâmica. Essa variedade de processos possibilita a produção de soluções inovadoras e permite à Unipac atender aos seguintes mercados:

  • Automotivo: tanques para acondicionamento de diesel e Arla 32, com sistema integrado de nível, sucção, retorno e temperatura, além de sistemas de fixação e tampas – específicos para montadoras de caminhões e ônibus; e peças técnicas para diversas aplicações. Atende também o mercado de reposição; e acessórios para pick-ups, destinados ao setor de autopeças.
  • Agroquímico, Químico e Alimentício: embalagens monocamadas e multicamadas, além de tampas para as principais indústrias destes setores.
  • Agropecuário e Laticínios: produtos que auxiliam na ordenha e transporte do leite, além de outras soluções adequadas para o homem do campo.
  • Logístico: caixas colapsíveis e retornáveis, paletes, além de serviços de locação, higienização e manutenção para indústrias diversas.
  • Mercados diversos: peças técnicas produzidas de plástico, borracha ou cerâmica, para aplicações diversas.

Um moderno centro de pesquisa de engenharia em materiais e processos, a parceria com outros Centros de Pesquisas, incluindo o da Máquinas Agrícola Jacto e a sinergia entre as áreas da empresa e clientes  possibilita que a Unipac antecipe-se às tendências de mercado, sugerindo soluções inovadoras.

A Unipac faz parte de um grupo empresarial 100% nacional, fundado em 1948, composto por importantes empresas que atuam em vários segmentos: Jacto Agrícola, JactoClean, Rodojacto, Ferramentaria Jacto, Fundição Jacto, Veículos Jacto, Mizumo e Sintegra Surgical Sciencies.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Unipac

Curta nossa página no

Romi expande atuação na América Latina com participação na Expoplast Peru 2014

14/05/2014

Empresa participou pela primeira vez do evento, destacando equipamento inovador, de alta performance e com baixo nível de consumo energético

Com 84 anos de história e mais de 150 mil máquinas instaladas por todo o mundo, a Indústrias Romi participou da Expoplast Peru 2014,  entre os dias 7 e 10 de maio, no Centro de Exposições Jockey, em Lima.

A Expoplast é a principal feira do mercado peruano de plásticos,  cenário ideal para apresentar a injetora ROMI EN 150, a qual, segundo a empresa,  é um equipamento de alto padrão tecnológico, baixo consumo energético e de grande robustez e confiabilidade, além de trabalhar em alta velocidade e com repetitividade nos processos..

Para ter mais facilidade no serviço ao cliente, a Romi firmou uma parceria com a GH Trading, representante comercial da empresa em Lima.

“A economia peruana é uma das que mais se destacam na América Latina, com perspectivas de crescimento de 6,5% nos próximos anos. O país está investindo em um importante programa de desenvolvimento de infraestrutura, mineração e associações público-privadas. Nossa estratégia comercial contempla a expansão da marca Romi nesse país, com fornecimento de máquinas de alta performance e serviços de qualidade e confiabilidade, que possam contribuir para o desenvolvimento da indústria local e no crescimento econômico do país”, afirma Mônica Romi Zanatta, gerente de vendas internacionais da empresa.

Exportando bens de capital desde 1944, a Romi conta com experiência no fornecimento de máquinas para todo o mundo, e no gerenciamento de vendas e serviços por meio de suas subsidiárias localizadas no Reino Unido, Alemanha, Espanha, França, Estados Unidos e México.

Fonte:  Romi

Curta nossa página no

Wortex chega à Mecânica 2014 após investimento de R$ 10 milhões em novas linhas de produtos e máquinas

24/04/2014

A empresa desenvolveu muitos projetos especiais para atender diferentes segmentos da transformação de plásticos

Não é segredo que, na indústria do plástico, o processamento do material, seja por injeção, extrusão, sopro ou qualquer outro tipo de processo, vem gradativamente utilizando uma tecnologia cada vez mais sofisticada, com ferramentas de última geração. Mas todo o aparato pode ser ineficaz quando não são utilizadas as roscas adequadas ao processo e matéria prima. É o que explica Paolo De Filippis, diretor geral da Wortex, empresa sediada em Campinas (SP) e que, durante 2013, investiu R$ 10 milhões no desenvolvimento de novas linhas de produtos e maquinas.

“Na área de roscas e cilindros foram investidos R$ 4 milhões – explica De Filippis – e mais R$ 1,5 milhão em modernização de equipamentos e softwares. Montamos também uma unidade independente para furação profunda de até 8 metros, podendo atender outras indústrias que necessitem desse tipo de trabalho”.

Dentro da sua filosofia “Tecnologia em Movimento”, a Wortex desenvolveu muitos projetos especiais para sanar problemas apresentados pelos seus clientes em diversos segmentos da transformação de plásticos, tanto para extrusão, injeção e sopro.

A Wortex acumula 38 anos de experiência, tecnologia e know-how para fabricação de cilindros e acessórios para máquinas de injeção, sopro e extrusão, e mostrará sua tecnologia na prática e in loco na próxima Feira Internacional da Mecânica, que acontece  de 20 a 24 de maio no Anhembi, em São Paulo. Para o diretor da Wortex, a decisão de voltar à Feira foi motivada pela necessidade de mostrar as novas tecnologias aos profissionais da área de manutenção e produção da indústria de plástico e também aqueles que estão chegando agora ao mercado.

Fundada em 1976, na cidade de Campinas (SP), a Wortex é uma empresa 100% nacional que possui uma história marcada pelo pioneirismo na indústria plástica, fabricando equipamentos para extrusão, reciclagem, acessórios, moinhos, roscas e cilindros.  Mais informações: http://www.wortex.com.br

Fonte: Wortex / 2Pro

Curta nossa página no

Pláztico&Negócios da Pavan Zanetti recebe visitantes de várias regiões

20/04/2014

De 18 a 21 de março de 2014, a Pavan Zanetti recebeu clientes, amigos e fornecedores para mais uma edição da “Pláztico&Negócios”, a feira de máquinas e treinamentos promovida em seu showroom para facilitar o acesso do transformador do plástico às mais recentes tecnologias em máquinas, processos, periféricos e matéria-prima.

Dentre as máquinas colocadas em funcionamento para demonstrações aos visitantes, destacaram-se as injetoras com manipuladoras e ciclos totalmente automáticos; a Injection Blow (injeção e sopro simultâneos); sopradora convencional e com acumulador, sopro e estiramento de pré-formas de PET; sopradora de dupla estação de sopro modelo BMT5.6D/H (fabricando embalagens de 1.000 ml); sopradoras de acumulação para bombonas e sopradora de dupla estação para 20 litros com rebarbação automática.

O público superou todas as expectativas. Além de representantes de petroquímicas e instituições voltadas ao plástico, como a Abiplast, a feira foi prestigiada por clientes de todo o país: Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro, região Nordeste, diversas cidades do interior de São Paulo e muitos da Grande São Paulo, além de várias cidades de Minas Gerais.

A “Pláztico&Negócios” contou com o patrocínio de dois conceituados fornecedores da Pavan Zanetti, a BRASFIXO , empresa de elementos de fixação e logística, e a ACE Schmersal, marca reconhecida de elementos de segurança eletroeletrônico, além do SENAI (Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial), que trouxe vários especialistas em NR 12 para prestar esclarecimentos ao público presente.

Fonte: Pavan & Zanetti

Curta nossa página no

Pavan Zanetti realiza mais uma edição da “Pláztico&Negócios”, de 18 a 21 de março

14/03/2014

Pavan_ZanettiEm sua quarta edição, que acontece de 18 a 21 de março, a “Pláztico&Negócios” já conquistou espaço garantido no calendário de eventos para o setor de termoplásticos.

Promovida pela Pavan Zanetti, esta feira de máquinas chama a atenção não só por apresentar os modelos de alta competitividade e performance na fabricação de embalagens, mas também por facilitar o acesso do transformador do plástico às mais recentes tecnologias, com treinamentos e demonstração de equipamentos em operação.

As atividades acontecerão das 8 às 18 horas, no showroom da empresa, que está localizada às margens da Rodovia Anhanguera, próximo ao km 125, com acesso pela Avenida Angelina Pascote, 4.405, em Americana (SP).

Na “Pláztico&Negócios”  estarão expostas  máquinas de Sopro Extrusão Contínua, Sopro Acumulação, Sopro de PET, Injeção, Injeção e Sopro integrados, que fazem parte da linha da Pavan Zanetti.

Além de poderem acompanhar processos produtivos com moldes, resinas e periféricos os visitantes também terão uma excelente oportunidade para fazer bons negócios, com consulta financeira para aquisição de máquinas através do FINAME, linha de financiamento do BNDES.

Fonte:  Pavan Zanetti

Curta nossa página no

Sopradora da Pavan Zanetti desperta amplo interesse durante Feira K 2013

07/11/2013

Centenas de visitantes de diversas partes do mundo se interessaram pelo equipamento exposto pela empresa, que surpreendeu por sua produtividade

Pavan_Zanetti_Sopradora_K2013Entre os dias 16 e 23 de outubro, a Pavan Zanetti participou, pela primeira vez, da Feira K, maior evento mundial do setor plástico, realizado em Düsseldorf, Alemanha.

A participação fechou um ciclo de metas acertadas a partir da nova planta, que visava à ampliação da marca Pavan Zanetti, aproveitando sua boa penetração no mercado latino-americano e elevando-a ao nível mundial.

Num estande de 81 m², e em parceria com a Abimaq/APEX, a empresa expôs uma sopradora da série Bimatic, modelo BMT 5.6D/H de dupla estação, integrando alguns componentes de fornecedores europeus . O equipamento incorporava um cabeçote quádruplo, fabricado pela alemã W. Mueller, esteiras transportadoras da marca italiana Crizaf e alimentadores da também italiana, Moretto.

Produzindo frascos de 1.000 ml em PEAD, a sopradora  surpreendeu, por sua produtividade, setores acostumados a máquinas de última geração. Visitantes de diversas partes do mundo se interessaram pelo equipamento, gerando mais de uma centena de propostas comerciais de países como Turquia, Argélia, Marrocos, Egito, Irã, Grécia, Índia, Sri Lanka, Indonésia, Portugal, Espanha, Alemanha, França e Inglaterra, além dos países latino-americanos.

Fonte: Amiglo / Pavan Zanetti

Curta nossa página no

Novos cursos do SENAI em São Paulo terão 9 máquinas da Pavan Zanetti

30/08/2013
HDL-10-L

Sopradora Série HDL

Até setembro, a Pavan Zanetti entregará para o SENAI (Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial) cinco injetoras HXF90 BR, duas sopradoras HDL 10L e duas sopradoras BMT 5.6 S/H. As nove máquinas serão instaladas em escolas da instituição no interior paulista.

Os equipamentos permitirão ao SENAI implantar novos Cursos Técnicos, de Aprendizagem em Moldagem de Plástico e Ferramentaria de Moldes, aumentado sua capacidade de formação de profissionais para o setor de plásticos, que está em crescente desenvolvimento.

Segundo a Pavan Zanetti, a injetora HXF90 BR apresenta alto desempenho e grande economia de energia. É utilizada para tampas, brinquedos, peças técnicas (inclusive automotivas) e pré-formas de PET.

A sopradora HDL 10L atende o segmento de embalagens de médio e grande portes, como bombonas industriais e agroquímicos, peças técnicas, autopartes e produtos para construção civil.

A sopradora BMT 5.6 S/H é indicada para frascos de até 5 litros, empregada na fabricação de embalagens para os setores de higiene e limpeza, cosméticos, produtos farmacêuticos, produtos alimentícios e peças técnicas de pequeno volume.

De acordo com a Pavan Zanetti, os equipamentos possuem comando avançado, interface amigável e de fácil operação, além de um completo sistema de segurança. Este conjunto de características garante as condições ideais de manuseio por aprendizes.

Fonte: Amiglo / Pavan Zanetti

Curta nossa página no

Romi participa da Embala Nordeste e reforça atuação no mercado nordestino

26/08/2013

O Nordeste é uma das regiões do Brasil em que a economia tem registrado bom ritmo de crescimento. Um desses indicadores é a presença de grandes empresas nas feiras regionais. A Indústrias Romi, líder no setor de máquinas-ferramenta e máquinas para plásticos, além de importante produtora de fundidos e usinados, vem investindo na região. Nos últimos cinco anos aumentou em mais de 100% o número de máquinas injetoras instaladas, e hoje, esse mercado já representa 15% de suas vendas internas.

Outro fato que reforça essa ação é que no ano passado a Romi participou apenas da Embala Nordeste. Neste ano, esteve na FORIND NE e confirmou presença na Embala Nordeste e na Fimmepe, ambas realizadas em Olinda, Pernambuco.

“Decidimos aumentar nossa presença no mercado de feiras nordestino em razão da demanda de clientes da região. No ano passado, participamos de uma feira no Recife. Este ano estaremos em três eventos, a fim de trazer soluções aos nossos clientes e mostrar nossa estrutura comercial no Nordeste”, afirma William dos Reis, diretor da unidade de Negócios de Máquinas para Plástico da Romi.

Com um escritório de vendas e serviços localizado em Salvador, a Romi atende com rapidez e agilidade as empresas do Nordeste. Para que os clientes dessas feiras entendam bem o funcionamento dos equipamentos, a equipe de vendas e serviços dará orientação técnica sobre a solução ideal para sua produção. Outra opção disponível aos clientes da Romi em eventos pelo Brasil é o Finame, financiamento oferecido a empresas brasileiras, com taxa de juros 0,29% ao mês.

Embala Nordeste

Realizada entre os dias 27 e 30 de agosto, no Centro de Convenções de Pernambuco, a Romi vai mostrar aos visitantes a injetora ROMI EN 100 e a sopradora Maxtec 20L.

A 21ª edição da Embala Nordeste 2013 é uma das principais mostras de tecnologia e soluções do Brasil nas áreas de embalagens, processos, transformação e impressão. Ocupando área de 25 mil metros quadrados, a feira reúne cerca de 500 marcas de expositores do Brasil e do exterior.

Fonte: Romi

Curta nossa página no