Posts Tagged ‘Embalagens’

Signature Pack ganha Prêmio de Inovação em Bebidas 2017

28/09/2017

A inovação da SIG conquistou o júri por oferecer valor agregado para o consumidor, para a indústria e para o meio ambiente

A Signature Pack, da SIG, embalagem cartonada asséptica cuja origem do material é atrelada a 100% de matérias-primas de fonte renovável à base de plantas, venceu o Prêmio de Inovação em Bebidas 2017 na categoria ‘Melhor embalagem cartonada ou pouch”. O Prêmio é organizado pela FoodBev.com, anualmente, desde 2002. Este ano, o júri recebeu 227 inscrições de fabricantes e fornecedores da indústria de bebidas, de 33 países. O Prêmio de Inovação em Bebidas reconhece inovações nas áreas de bebidas, embalagem, marketing e sustentabilidade.

A SIG afirma que, além do papelão (de origem vegetal) usado na Signature Pack, os plásticos usados na embalagem cartonada também são de origem renovável.

Os jurados foram unânimes em afirmar que a Signature Pack é um importante passo rumo à sustentabilidade desta indústria. Ao receber o prêmio durante a feira drinktec, Udo Felten, Gerente de Produto Relacionado à Sustentabilidade Ambiental Global & Outros Assuntos da SIG, disse: “Temos muito orgulho em receber o Prêmio de Inovação em Bebidas 2017. A resposta positiva dos jurados e experts internacionais confirma que a Signature Pack oferece valor agregado para a indústria e para os consumidores. Ao escolher a Signature Pack, os fabricantes de bebidas ajudam a reduzir o uso de materiais de fonte fóssil e a substituí-los por materiais de origem vegetal, ou seja, uma matéria-prima natural. Esta é uma vantagem clara para o meio ambiente e o retorno dos clientes é muito positivo. O lançamento da Signature Pack no mercado é um passo importante dentro da estratégia Way Beyond Good que reflete nosso caminho para nos tornarmos uma empresa de “balanço positivo”, devolvendo mais para a sociedade e para o meio ambiente do que retiramos deles.”

A SIG Combibloc é uma das principais fornecedoras mundiais de embalagens cartonadas e máquinas de envase para alimentos e bebidas. Em 2016, a empresa faturou € 1,724 bilhão, com mais de 5 mil colaboradores.

Fonte: Assessoria de Imprensa – SIG

Curta nossa página no

Anúncios

UBE E Clariant apresentarão palestras no próximo café da manhã da Abief, no dia 28 de Setembro

25/09/2017

Sob o tema central Inovação, Tecnologia e Sustentabilidade, o Café da Manhã da ABIEF (Associação Brasileira da Indústria de Embalagens Plásticas Flexíveis – www.abief.org.br) agendado para 28 de setembro das 8h00 às 12h30, em sua sede em São Paulo, terá como palestras: “Tendências em embalagens flexíveis”, “Hydrocerol: suas aplicações com benefícios em sustentabilidade e inovação” e “Todos os nylons são iguais? Diferenças, aplicações e vantagens dos nylons em embalagens flexíveis”.

Reinaldo Silva, da área de Marketing da UBE, fará a apresentação “Tendências em embalagens flexíveis” focalizada em soluções em embalagens flexíveis que atendam às necessidades do consumidor moderno e estejam alinhadas a macro tendências tais como crescimento populacional, falta de tempo, saudabilidade, estética corporal, busca pela transparência, sustentabilidade e preservação do meio ambiente. Já Edgar Veloso, da área Comercial da mesma empresa, apresentará a palestra “Todos os nylons são iguais? Diferenças, aplicações e vantagens dos nylons em embalagens flexíveis”. Na apresentação, serão abordados os diferentes tipos de nylon segundo as necessidades do mercado e características de produtos. Entre os assuntos, serão abordados: sustentabilidade em filmes flexíveis, produção do nylon, soluções em CoPA para aplicações existentes (transparência, resistência, retort, termoformabilidade, bolsas termoencolhíveis, garrafas flexíveis) e características do processo de extrusão em diferentes máquinas (filme soprado, cast, resfriamento a água, balão duplo/triplo).

Pela Clariant, Edson Marçal apresentará o novo Hydrocerol, um agente químico nucleante oferecido na forma de masterbatch ou em pó, e que pode ser usado nos processos de extrusão e injeção. O Café da Manhã da ABIEF conta com o apoio da Abiplast, Afipol, Instituto Brasileiro do PVC, Plastivida, Instituto de Embalagens e Projeto Pack.

Com 40 anos de atividades, a ABIEF (Associação Brasileira da Indústria de Embalagens Plásticas Flexíveis) tem por objetivo fomentar o mercado nacional de embalagens plásticas flexíveis. A Associação também tem incorporada às suas atividades o fomento à exportação e a preservação ambiental a partir do Programa de Qualidade e Consumo Responsável de Sacolas Plásticas. A entidade reúne empresas de todo o Brasil fabricantes de filmes monocamada, coextrusados e laminados; filmes de PVC e de BOPP; sacos e sacolas; sacaria industrial; filmes shrink e stretch; rótulos e etiquetas; stand-up pouches; embalagens especiais.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Abief

Curta nossa página no

Abief será expositora na Pack Expo Las Vegas 2017

21/09/2017

Além de ter um stand institucional, associados e convidados da Associação Brasileira da Indústria de Embalagens Plásticas Flexíveis terão entrada gratuita para a feira

Entre os dias 25 e 27 de Setembro, a Abief (Associação Brasileira da Indústria de Embalagens Plásticas Flexíveis – www.abief.org.br) participará da Pack Expo Las Vegas (EUA), organizada pelo PMMI (The Association for Packaging and Processing Technologies – www.pmmi.org), com um estande institucional localizado no Pavilhão de Associações Parceiras. “Esta participação renova a parceria entre a Abief e a Pack Expo (www.packexpo.com) , que vem de longa data. Fazemos questão de prestigiar o evento e temos a honra de fazer parte do Partner Program da feira”, comenta Herman Moura, empresário e presidente da Abief. E completa: “Feiras como a Pack Expo são a plataforma ideal para entidades como a Abief promoverem seus projetos e projetarem a indústria brasileira no cenário internacional”. O estande da Associação também servirá como ponto de encontro para os brasileiros que visitarem a feira.

Para Jim Pittas, PMMI COO, “Associações como a Abief que participam da Pack Expo Las Vegas, que este ano acontece simultaneamente à Helathcare Packaging Expo, entendem a importância de apoiar o maior e mais importante evento de embalagem de 2017 nos Estados Unidos, para os seus associados e para a indústria de embalagem de seu respectivo país. Estas associações parceiras são um link importante entre os visitantes e os expositores antes, durante e após a feira.”

Além do estande institucional, onde a entidade distribuirá um pocket book com dados sobre todos os seus associados, a Abief também produzirá, com exclusividade para os seus associados, dois informativos eletrônicos com as novidades apresentadas nos três dias da feira. “É uma forma de mantermos os associados que não puderam visitar a feira atualizados sobre o que ocorre e está sendo lançado no mercado internacional de embalagem”, completa Herman Moura.

O Pavilhão de Associações Parceiras, onde ficará o estande da Abief, reunirá entidades com serviços e expertise nas diversas áreas das indústrias de embalagem e processo. Este Pavilhão oferece para os visitantes, a oportunidade de se conectarem com segmentos específicos do mercado e encontrarem soluções inovadoras para os desafios atuais.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Abief

Curta nossa página no

Feira interplastica ocorre em Janeiro de 2018 em Moscou estimulada por retomada econômica russa

14/09/2017

A recuperação econômica na Rússia – particularmente no setor de plásticos – tornou a interplastica 2018 muito popular entre os expositores. A feira líder da indústria de plásticos russa apresentará novamente uma visão geral representativa das máquinas e equipamentos disponíveis para a indústria de plásticos e borracha, matérias-primas e produtos auxiliares, além de produtos de plástico e borracha e serviços para o setor. A feira ocorrerá de 23 a 26 de janeiro de 2018. Os organizadores do evento – a Messe Düsseldorf e sua subsidiária, OOO Messe Düsseldorf Moscou – estão esperando cerca de 600 empresas participantes da Rússia e de outros países. Uma forte participação é antecipada do país anfitrião, bem como da Alemanha, Itália, Áustria e Turquia, em particular. A data de encerramento oficial para as inscrições para a interplastica 2018 é 4 de outubro de 2017. Os formulários correspondentes estão disponíveis on-line em http://www.interplastica.de.

A economia russa começou a crescer novamente em 2017 e espera-se que o PIB aumente entre 0,5 e 2%. Os investimentos provavelmente aumentarão em 1,5%. Setores selecionados, incluindo as indústrias de máquinas, automotiva, aeroespacial, eletrônica, de informática e telecomunicações, química e de mineração, estão sendo apoiados pelo governo. Plantas petroquímicas e de geração de gás industrial estão sendo construídas para a fabricação de produtos intermediários e finais com maiores margens e com o objetivo de melhorar a oferta de matérias-primas a partir de fontes domésticas para a própria indústria química do país. Os setores de manufatura e processamento de plásticos, que já aumentaram suas capacidades há algum tempo, também estão se beneficiando desse apoio (Fonte: GTAI – Germany Trade & Invest).

Uma perspectiva consideravelmente melhor para a indústria de plásticos e borracha já era aparente na interplastica em Moscou em janeiro de 2017. Os expositores informaram que os empresários estavam extremamente interessados ​​em suas apresentações – e alguns até estavam prontos para colocar pedidos. Os visitantes comerciais aproveitaram a oportunidade para se familiarizarem com novos desenvolvimentos no mercado global e iniciarem negociações com os fornecedores no evento. Tudo isso é um bom augúrio para a próxima feira, particularmente porque continua a haver uma necessidade considerável de investimento em amplos setores da indústria de transformação na Rússia.

É por este motivo que os visitantes comerciais russos e vindos de países vizinhos continuam altamente interessados ​​em tecnologias inovadoras. É também a razão pela qual o evento de exposição e conferência “3D fab + print Rússia” está sendo expandido para se concentrar nas áreas em rápido crescimento de fabricação aditiva e impressão em 3D. A estréia do evento na interplastica 2017 atraiu atenção generalizada, de modo que todas as apresentações tiveram um ótimo público. Especialistas da Rússia e de outros países estarão novamente discutindo novidades, oportunidades e desafios nesse jovem setor tecnológico e os expositores estarão apresentando seus produtos e soluções no evento.

O Polymer Plaza no Pavilhão 1 será parte integrante do programa na feira interplastica. Cinquenta e oito por cento de todos os visitantes que participaram da interplastica 2017 estavam muito interessados ​​nas apresentações e discussões relacionadas à produção, aplicações e processamento de matérias-primas e foram unânimes em sua opinião de que os resultados compartilhados no evento seriam realmente úteis para suas atividades de negócio. O evento de 2018 se concentrará em produtos leves e de compósitos – assuntos que uma pesquisa junto aos visitantes da feira interplastica mostrou serem considerados particularmente importantes.

A interplastica 2018 ocupará novamente os pavilhões 1, 2 e 8 no Expocentr Krasnaya Presnya em Moscou. A upakovka – processamento e embalagem – feira líder da Rússia para a indústria de embalagens e indústria de processamento associada – também ocorrerá ao mesmo tempo e estará diretamente ligada ao Hall Forum. Isso significa que os expositores e os visitantes poderão novamente beneficiar de efeitos de sinergia interessantes.

A interplastica faz parte da marca Global Gate, na qual a Messe Düsseldorf integrou suas atividades mundiais para a indústria de plásticos e borracha. O portfólio de produtos inclui 10 eventos que se baseiam na competência e experiência adquirida com a organização da feira líder mundial – a K, em Düsseldorf -, bem como da realização de eventos regionais de sucesso. As 10 feiras representam plataformas de comunicação profissional e, portanto, abrem as portas para mercados de crescimento altamente promissores na Europa Central e Oriental, Oriente Médio, África do Norte, China, Índia e Sudeste Asiático. Todas as informações estão disponíveis em www.k-globalgate.com.

Fonte: Messe Duesseldorf

Curta nossa página no

Quatro tendências que direcionarão o mercado de embalagens nos próximos anos

13/09/2017

À medida em que a dinâmica das sociedades urbanas evolui, o mercado de embalagens flexíveis cresce e ganha importância globalmente. Isso tem acontecido devido à necessidade das marcas em desenvolverem estruturas de embalagens únicas, tanto para se diferenciarem na gôndola quanto para ajudar a formar e apoiar a identidade da marca.

Segundo Marcus Vinícius Carvalho (foto), gerente de Embalagens de Alimentos e Especialidades Plásticas da Dow para a América Latina, entre as tendências em embalagens quatro se destacam:

Maior praticidade para o consumidor – No Brasil, os fatores que impulsionaram o mercado de embalagens nos últimos anos são a maior participação da mulher no mercado de trabalho e crescimento da urbanização (leia-se tempo de deslocamento). Uma das consequências é a demanda por alimentos que possibilitem economia de tempo na hora de prepará-los. O Relatório de Estilo de Vida dos Brasileiros de 2016, da consultoria Mintel, identificou que 28% dos consumidores tendem cozinhar mais em casa do que comer fora, o que reforça essa tendência. Com isso, espera-se que o aumento no volume do mercado varejista de produtos lácteos, molhos de cozinha e alimentos de conveniência, como refeições prontas e carne processada, permaneça nos próximos anos.

Evolução tecnológica e credibilidade – Novas tecnologias e o avanço da mobilidade são cada vez mais presentes na mente das empresas e dos consumidores. Estima-se, por exemplo, que 50% dos norte-americanos estejam interessados em escanear uma embalagem dos alimentos para aprender mais sobre a procedência do que estão consumindo. Embora o preço ainda seja fator chave nas decisões de compra dos consumidores, a confiança da marca também desempenha um papel fundamental e cada vez maior nesse processo. Com isso, as empresas têm a chance de alavancarem a credibilidade, criar lealdade e ampliar o portfólio de produtos bem além das categorias tradicionais.

O crescimento do e-commerce – Um fator de grande relevância para o setor é crescimento do e-commerce, que permite às marcas explorar as oportunidades de design e personalização, ao mesmo tempo em que mapeiam e endereçam os desafios de eficiência. Cada vez mais consumidores fazem compras online e esperam ter uma experiência positiva em todo o processo. Além do design da embalagem, que deve servir para reforçar a marca e seus valores, a resistência é crucial para que o produto chegue de maneira íntegra até o consumidor.

Sustentabilidade – O mesmo relatório da Mintel identificou que quando o preço e a qualidade percebidos dos produtos são iguais, há uma tendência cada vez maior de os consumidores se voltarem para atributos ecológicos ou de uso alternativo como fator decisivo de compra. Isso já é realidade em muitos mercados e as marcas não podem ignorar esses dados ao desenvolverem suas estratégias de posicionamento e marketing. É esperado que as empresas integrem os desafios da sociedade às suas estratégias de negócios, endereçando, por exemplo, as mudanças climáticas. Uma das iniciativas nessa linha é a cartilha “Embalagem e Sustentabilidade – Desafios e orientações no contexto da Economia Circular”, desenvolvida pela Dow e a Associação Brasileira de Embalagem (ABRE). Nela consta o “Jogo do Infinito”, que traz ideias e sugestões para solucionar os principais desafios relacionados às embalagens, que vão desde a matéria-prima, passando pelo desenvolvimento de embalagens educativas, aprimoramento da estrutura de gestão de resíduos e maior envolvimento do consumidor. Um exemplo é a sugestão para incluir nas embalagens informações sobre os impactos de se aquecer o produto no micro-ondas ou no forno convencional.

De maneira geral, as embalagens atuais estão sendo desenvolvidas de forma a entregar conveniência, segurança e funcionalidade aos consumidores; manter os alimentos saudáveis e inserir processos que sejam mais sustentáveis e circulares. Nessa jornada pela atenção do consumidor, além do design, ganha importância também a comunicação mais clara e que ajude o consumidor a fazer a escolha de compra melhor e de forma mais consciente. As opções e tecnologias são muitas. O desafio é criar produtos que os consumidores anseiam e, ao mesmo tempo, as soluções que as marcas precisam, desde o desenvolvimento até a reciclagem ou reutilização. As embalagens inteligentes têm potencial para tornarem o ciclo de vida mais simples, mais econômico e mais eficiente.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Dow

Curta nossa página no

Indústria brasileira de embalagens plásticas flexíveis tem desempenho positivo no primeiro semestre de 2017

12/09/2017

Segundo pesquisa exclusiva feita pela Maxiquim para a ABIEF (Associação Brasileira da Indústria de Embalagens Plásticas Flexíveis) o consumo de embalagens plásticas flexíveis, no Brasil, registrou um crescimento de 1,6% no 1o. semestre deste ano em comparação a igual período do ano passado; em comparação ao 2o. semestre de 2016, a alta foi de 0,9%. “Evidentemente esperávamos superar essa marca, após dois anos de retração do mercado, mas dada a instabilidade política e a lenta recuperação econômica em curso, aos poucos ajustamos as expectativas para baixo e o resultado do semestre não nos surpreendeu”, relata Herman Moura, empresário e presidente da Associação.

Pelo lado do comércio exterior, as notícias foram mais animadoras. No 1o. semestre de 2017, as importações do setor, em volume, voltaram a cair: cerca de 11% em comparação ao 2o. semestre de 2016. Já as exportações cresceram pelo segundo semestre consecutivo e fecharam cerca de 20% acima dos números registrados nos últimos seis meses do ano passado. “Este desempenho possibilitou que, em volume, tivéssemos o segundo semestre consecutivo de superávit comercial. Já em valores este foi o primeiro superávit em muitos anos”, celebra Herman.

Segundo Otávio Carvalho, da Maxiquim, o encolhimento dos volumes importados é justificado pela desvalorização cambial e pela fraca demanda. E completa: “felizmente, as exportações têm sido crescentes, mas ainda respondem por uma parcela muito pequena das vendas do setor. O fator mais relevante é, sem dúvida, a produção doméstica. O impacto do mercado andando de lado é direto sobre a produção. Então, se há alguma questão que provoca maiores reflexões, é a produção. E foi com base nesse fator que a pesquisa Maxiquim ajustou suas expectativas”.

Para o presidente da ABIEF, Herman Moura, “fica evidente que já iniciamos um ciclo de crescimento, mas muito mais em função da recuperação dos volumes perdidos nos dois últimos anos (2015 e 2016). Sabemos que uma dinâmica de crescimento mais acelerado não deve surgir tão prontamente. Contudo, apostamos que o 4o. trimestre deste ano poderá reservar algumas boas surpresas”. A pesquisa Maxiquim indica que o setor deverá fechar o ano com um crescimento superior a 2% em volume de produção e em vendas.

A indústria brasileira de embalagens plásticas flexíveis fechou 2016 com uma produção de 1,834 milhão de tonelada (queda de 0,1% em comparação a 2015) e um faturamento de R$ 21 bilhões (alta de 6%). A participação dos diferentes tipos de resina no volume de produção foi: PEBDL (polietileno linear de baixa densidade) 50%, PEBD (polietileno de baixa densidade) 23%, PP 17% e PEAD (polietileno de alta densidade) 10%. Em toneladas, tanto as exportações como as importações de embalagens flexíveis sofreram queda de, respectivamente, 30% e 23% em 2016 em comparação a 2015. Em valores, as quedas foram mais acentuadas: exportação 40% e importação 34%. Contudo, a participação das embalagens flexíveis na indústria de transformados plásticos continua importante: 29%.

Em média, a indústria de plástico em geral opera com níveis de ociosidade da ordem de 30% em sua capacidade produtiva, em função da renovação frequente das máquinas; as mais modernas são mantidas em operação e as máquinas mais antigas em stand-by para atender aos picos de demanda sazonal. Nas estimativas da Maxiquim, o setor de embalagens plásticas flexíveis operou muito próximo desse índice ao longo do 1o. semestre. “O espaço para crescimento, com o mesmo parque de máquinas é relevante, mas também já percebemos um aquecimento das encomendas de bens de capital, sobretudo de extrusoras”, finaliza Herman.

Com 40 anos de atividades, a ABIEF (Associação Brasileira da Indústria de Embalagens Plásticas Flexíveis) tem por objetivo fomentar o mercado nacional de embalagens plásticas flexíveis. A Associação também tem incorporada às suas atividades o fomento à exportação e a preservação ambiental a partir do Programa de Qualidade e Consumo Responsável de Sacolas Plásticas. A entidade reúne empresas de todo o Brasil fabricantes de filmes monocamada, coextrusados e laminados; filmes de PVC e de BOPP; sacos e sacolas; sacaria industrial; filmes shrink e stretch; rótulos e etiquetas; stand-up pouches; embalagens especiais.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Abief

Curta nossa página no

Inovação, Tecnologia e Sustentabilidade são temas do próximo café da manhã da Abief no final de Agosto

22/08/2017

Profissionais da Loara, Müller & Camacho, Bobst e Flint Group estão confirmados como palestrantes no Café da Manhã da Abief, no próximo dia 31 de agosto, das 8h00 às 12H30, na sede da entidade, em São Paulo. As apresentações serão norteadas pelo tema central “Inovação, Tecnologia e Sustentabilidade”. Adilson Seixas, da Loara, consultoria especializada em captação e resgate de créditos de carbono, abrirá o evento falando sobre sustentabilidade em crédito bancário.

Na sequência, o especialista em design e branding, Manoel Müller, da Müller & Camacho, apresentará as tendências em design para a embalagem do futuro e sua influência na indústria de flexíveis. As duas últimas palestras, que serão proferidas, respectivamente, por Fernando Vasconcelos, da Bobst, e por Renato von Tein, da Flint Group, terão como foco inovação e tecnologia. No caso da Bobst, serão apresentadas inovações em sistemas de impressão e laminação para embalagens flexíveis. Já o representante da Flint abordará o que há de novo na aplicação de tintas UV para embalagens de alimentos.

O Café da Manhã da Abief conta com o patrocínio da Braskem e com o apoio da Abiplast, Afipol, Instituto Brasileiro do PVC, Plastivida, Instituto de Embalagens e Projeto Pack. Mais informações e inscrições visite http://www.abief.org.br.

Com 40 anos de atividades, a Abief (Associação Brasileira da Indústria de Embalagens Plásticas Flexíveis) tem por objetivo fomentar o mercado nacional de embalagens plásticas flexíveis. A Associação também tem incorporada às suas atividades o fomento à exportação e a preservação ambiental a partir do Programa de Qualidade e Consumo Responsável de Sacolas Plásticas. A entidade reúne empresas de todo o Brasil fabricantes de filmes monocamada, coextrusados e laminados; filmes de PVC e de BOPP; sacos e sacolas; sacaria industrial; filmes shrink e stretch; rótulos e etiquetas; stand-up pouches; embalagens especiais.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Abief

Curta nossa página no

Novo adesivo concentrado da Dow para laminação permite redução do uso de energia

27/07/2017

A Dow acaba de lançar seu mais recente adesivo para laminação Adcote™ L805 A/C (High Solids). Segundo a empresa, ele é um adesivo base solvente de alto desempenho e com alto conteúdo de sólidos, que possibilita aumentar a produtividade e a eficiência e, ao mesmo, tempo reduzir o consumo de energia, trazendo menor custo como resultado final. O adesivo é ideal na produção de embalagens que necessitam de alta resistência térmica, tais como alimentos envasados a quente à base de tomate e maioneses, ou alta resistência química, como cloro e outros produtos de limpeza, afirma a Dow. Além disso, ele é livre de BPA (Bisfenol A) e provado pela Food and Drug Administration (FDA) dos EUA, além de cumprir a regulação europeia.

De acordo com a empresa, esses benefícios são possíveis devido ao seu alto conteúdo de sólidos, que reduz a quantidade de solvente em sua formulação em relação aos produtos existentes no mercado. A Dow asssegura que o Adcote™ L 805 A/C possibilita uma formulação com 15% a 20% menos solvente na composição do adesivo. Segundo o fabricante, outros benefícios proporcionados pelo alto conteúdo de sólidos são:

  • Aumento na velocidade de aplicação, que pode superar 350 m/min;
  • Aumento da produtividade na máquina, pois contém menos solvente para secar;
  • Uma das melhores resistências térmicas e químicas do mercado;
  • Redução do consumo de energia;
  • Menor emissão de Compostos Orgânicos Voláteis (VOC);
  • Mais competitivo economicamente.

“Estamos oferecendo um produto mais concentrado e com alto teor de sólidos, o que ajuda a tornar o processo de produção da embalagem mais sustentável do ponto de vista ambiental, social e econômico, pois reduz a emissão de compostos orgânicos voláteis, garante a segurança da embalagem de produtos agressivos ou envasados a quente e é mais econômico em função da maior produtividade no processo de laminação”, afirma Yasmin Gomez, gerente de Marketing de Adesivos para Embalagens na América Latina.

Segundo a Dow, estudos e testes realizados pela empresas mostram que em uma embalagem de café cujo desafio era manter as cores e brilho numa alta velocidade e com grande quantidade de tinta, o Adcote™ 805 A/C trouxe resultados significativos: a velocidade de laminação atingida aumentou de 90m/min para 350m/min e a temperatura de secagem que era entre 85°C e 95°C foi reduzida para 75°C a 85°C.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Dow

Curta nossa página no

Programa Incubapack apresenta novo portfolio de embalagens flexíveis na Fispal Tecnologia 2017

28/06/2017

  • O programa oferece uma solução completa em embalagens flexíveis e empacotamento, incluindo a formatação, design, impressão e envase do produto;
  • Está trazendo agora novos formatos que ajudam a destacar os produtos no ponto de venda

A IncubaPack, programa que facilita a adoção de embalagens flexíveis para pequenas e médias empresas que buscam diferenciação no mercado, apresenta dois novos formatos de embalagens durante a Fispal Tecnologia – Feira Internacional de Tecnologia para a Indústria de Alimentos e Bebidas, realizada entre os dias 27 a 30 de junho, em São Paulo.

Além da embalagem termoformada, já consolidada, os donos de marca poderão encontrar no portfólio de soluções outros dois modelos de embalagem: o Stand Up Pouch, opção mais atraente, conveniente e favorável ao varejo, pois pode ser estocada e armazenada em pé e o PacXpert™, uma alternativa de emnbalagem inovadora e premiada mundialmente devido ao seu formato de cubo, o qual lhe dá estabilidade nas prateleiras e pode mantê-la em pé, independentemente da maneira como for posicionada. Seu fecho móvel e as duas alças ergonômicas integradas possibilitam maior precisão no derramamento do produto, facilidade de abertura e fechamento, e conveniência no transporte, segundo a Incubapack.

A Incubapack é uma parceria entre a Dow e Saberpack. Após um ano de lançamento do projeto e boa aceitação, especialmente no segmento de alimentos saudáveis, o programa oferece uma solução completa para embalagens flexíveis, desde a formatação da embalagem, design, impressão e envase do produto – tudo em um só lugar. “Além das PMEs, a Incubapack é ideal tanto para empresas que não possuem unidades fabris ou que não sabem que tipo de embalagem utilizar, como aquelas que desejam inovar na embalagem, lançar e testar novos produtos, sejam elas de pequeno, médio ou grande porte. Já alcançamos êxito ao trabalhar com marcas como a Snack Organic e a Empório Tartufi, no desenvolvimento de embalagens para bananas liofilizadas e funghi seco”, conta Cesar Saber, sócio da Saberpack.

O programa parte da constatação de que as embalagens são uma importante ferramenta de marketing, mas nem sempre são de fácil acesso, em função das barreiras de escala. Além disso, embalagens com um design diferenciado ajudam a promover o produto e aprimoram a comunicação com o consumidor. “A iniciativa traz uma oportunidade de negócios única, ao facilitar seu acesso a embalagens flexíveis inovadoras que se destaquem no ponto de venda”, explica Marcus Vinícius Carvalho, gerente de marketing do Brasil para o segmento de embalagens e especialidades plásticas da Dow. “A iniciativa simplifica etapas e acelera o time-to-market, uma vez que produtos saem prontos para serem comercializados”, completa o executivo.

As novas tecnologias disponibilizadas por meio da Incubapack também atendem às mudanças nos hábitos de consumo da população. Entre as tendências estão a demanda por maior conveniência e funcionalidade, como embalagens “abre fácil”, porcionamento e apresentações adequadas aos diversos momentos de consumo. Além disso, as tecnologias reduzem custos ao mesmo tempo em que mantém ou incrementam a qualidade das embalagens. A sustentabilidade é levada em conta ao permitir maior vida útil dos produtos (com uso de barreiras de oxigênio, quando necessário) e uso completo do conteúdo dos recipientes, evitando o desperdício.

Sobre a SaberPack: A Saberpack atua em diversos setores da indústria alimentícia, oferecendo filmes e bandejas plásticas, além de equipamentos. Para atender à atual demanda do mercado, a Saberpack utiliza sua expertise para oferecer o serviço de terceirização “Co-Packer” para indústrias que precisam viabilizar suas necessidades de produção de envase e dosagem, selagem de bandejas, potes e pouches, blister e encaixotamento.

Sobre a Dow: A Dow tem um portfólio integrado nas áreas de Especialidades Químicas, Materiais Avançados, Ciências Agrícolas e Plásticos e oferece uma ampla variedade de soluções e produtos baseados em tecnologia para aproximadamente 180 países e em setores de grande crescimento, como embalagens, eletrônicos, água, revestimentos e agricultura. Em 2015, a Dow teve vendas anuais de mais de US$ 49 bilhões e empregou aproximadamente 49,500 funcionários em todo o mundo. Os mais de 6.000 produtos da Companhia são produzidos em 179 unidades fabris em 35 países ao redor do mundo.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Dow

Curta nossa página no

Fispal Tecnologia, evento setorial das Indústrias de Alimentos e Bebidas da América Latina, começa hoje no São Paulo Expo

27/06/2017

Evento deverá receber mais de 40 mil visitantes

Inicia-se hoje, 27 de junho, a 33ª edição da Fispal Tecnologia – Feira Internacional de Tecnologia para a Indústria de Alimentos e Bebidas, realizada pela Informa Exhibitions. A feira estará aberta até o dia 30 de junho, das 13h às 20h, no São Paulo Expo, em São Paulo. O maior encontro do setor das indústrias de A&B da América Latina promete se reafirmar como a principal mostra do segmento, trazendo uma série de inovações para os mais de 40 mil visitantes esperados para esta edição.

A começar pelo novo local. Em 2017, a Fispal Tecnologia acontece pela primeira vez no São Paulo Expo, novo centro de exposições da capital paulista, com instalações modernas, pavilhão totalmente climatizado, e de fácil acesso, próximo ao aeroporto de Congonhas, a estações de metrô e demais malhas de transporte público.

A setorização será mais uma novidade da feira este ano. Os produtos e serviços estarão organizados por segmentos distintos, como máquinas para embalagens, marcação e codificação, processo, equipamentos e acessórios, logística e automação. “Essa setorização da feira garante uma maior agilidade para os visitantes, que devem realizar networking diretamente em sua área de interesse”, afirma Clélia Iwaki, diretora da Fispal Tecnologia.

Com a participação de grandes empresas, micro e pequenos fabricantes, a Fispal Tecnologia é palco para a realização de negócios e networking entre compradores dos setores da indústria de alimentos e bebidas, química e fármaco, e os fornecedores nacionais e internacionais de máquinas, softwares, automação, rótulos, balanças, processadores até empilhadeiras, esteiras e sistemas de transporte, entre outros produtos.

“A feira reunirá empresários, executivos e profissionais de toda cadeia produtiva das indústrias de alimentos e bebidas. Nesse ambiente, serão demonstrados produtos e serviços inovadores, sustentáveis, alinhados com o conceito de menor custo. Conhecimento, soluções, tendências, concretização de negócios e networking, tudo em um só lugar. Por isso a Fispal Tecnologia é o evento mais importante e completo do setor na América Latina”, ressalta Clélia.

O grande destaque dessa edição fica por conta do demonstrador da Indústria 4.0, realizado em parceria com o Instituto Mauá de Tecnologia, MCK Automação e Zorfa Tec Consultoria. Em uma área de 300 m², os visitantes poderão acompanhar de perto uma linha de produção, que vai gerar um produto personalizável, demonstrando as tecnologias que serão aplicadas aos processos produtivos no ambiente da “Indústria 4.0”.

Conhecida como a quarta revolução industrial, baseada em informação e conectividade através do conceito de “Internet das Coisas” (do inglês IoT, Internet of Things), a “Indústria 4.0” tem como objetivo otimizar e modernizar o processo produtivo, levando à redução de custos, ao atendimento de necessidades dos consumidores com produtos customizados e individuais e o mesmo nível de competitividade em custo de processos de produção em massa. Através da Indústria 4.0 há uma aplicação mais eficiente dos recursos, proporcionando reduções de custos de manutenção, consumo de energia e insumos, e aumentando a produtividade.

Fórum de Negócios e Lounges da Inovação e da Embalagem

Outro destaque é o Fórum Fispal Tecnologia, que será realizado sob a coordenação técnica do Instituto de Tecnologia de Alimentos (Ital), com apresentações de palestras, debates e cases de sucesso. Durante o evento, especialistas das maiores indústrias de alimentos e bebidas do país debaterão sobre melhorias na gestão industrial, aumento de produtividade e outros assuntos pertinentes ao setor.

Há ainda dois espaços especiais na feira. O primeiro é o Lab de Soluções, voltado à inovação, realizado em parceria com o SENAI Barra Funda, que oferecerá soluções práticas para as empresas do setor de alimentos. O segundo é o Lounge ABRE da Embalagem, uma parceria da Fispal Tecnologia com a Associação Brasileira da Embalagem. O espaço é destinado aos profissionais da área, que vão desde agências que trabalham na criação de peças até pequenos e médios fabricantes, para que haja troca de informações, apresentação de tendências e soluções.

Como visitar

A feira é voltada para profissionais que atuam nas indústrias de alimentos, bebidas, química, farmacêutica, cosmética, laboratorial, de ingredientes e matéria prima, prestadores de serviço e fornecedores para as mesmas. Para visitar a Fispal Tecnologia, basta fazer o cadastro no site http://www.fispaltecnologia.com.br, desde que se encaixe nos seguintes perfis: empresa, entidade de classe, profissional liberal / autônomo ou instituição de ensino. A entrada é gratuita.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Fispal Tecnologia

Curta nossa página no

Dow apresentará soluções para embalagens flexíveis durante Circuito de Palestras na Fispal 2017

27/06/2017

Empresa apresenta seu portfólio de soluções para lidar com os principais desafios relacionados às embalagens, como produtividade, usabilidade e sustentabilidade

Quando se trata de embalagens para atender aos novos hábitos de consumo da população, os donos de marca têm buscado soluções inovadoras que atendam às necessidades e expectativas de seus clientes. Para auxiliar as empresas de bens de consumo embalados nessa jornada, a Dow trará para a FISPAL Tecnologia (27 a 30 de junho) sua expertise em embalagens flexíveis de alto desempenho.

Durante o Circuito ABRE de Palestras, patrocinado pela Dow, a empresa apresentará todos os dias do evento, a partir das 16h20, as “Receitas Dow para o sucesso de Embalagens Flexíveis” nas quais especialistas da companhia falarão sobre as mais recentes tecnologias e soluções desenvolvidas para superar os principais desafios relacionados às embalagens, como produtividade, usabilidade e sustentabilidade.

Entre elas estão o Dowlex™GM e o Innate™, famílias de resinas de última geração que podem ser utilizadas de forma combinada ou independente para garantir a melhor embalagem para cada segmento, afirma a Dow. Para sacarias industriais, por exemplo, essas resinas possibilitam um filme 10% mais fino e 60% mais resistente à rasgos, assegura a empresa. Já os stand up pouches, desde os tradicionais até os 100% recicláveis, permitem hermeticidade e aumento da produtividade e da capacidade da embalagem, podendo suportar até 14 kg, segundo a fabricante de matérias-primas. Essas características contribuem ainda para otimizar as operações logísticas, aumentar a vida útil do produto e reduzir o desperdício.

“Nosso objetivo é levar conhecimento a cadeia de valor da embalagem flexível para que esta possa atrair um maior engajamento dos consumidores com seus produtos”, explica Marcus Vinícius Carvalho, gerente de marketing do Brasil para o segmento de embalagens e especialidades plásticas da Dow. “Trabalhamos de forma colaborativa com toda a cadeia para que os nossos clientes possam oferecer embalagens de alto desempenho para diferentes aplicações, garantindo maior produtividade e redução do desperdício, e uma melhor experiência do cliente com a marca”, completa.

Uma das iniciativas da Dow que fomentam o desenvolvimento colaborativo é o Pack Studios, rede global de especialistas, laboratórios e equipamentos de teste criada para atender às demandas atuais e futuras da indústria de embalagens por meio da cocriação entre a Dow, transformadores e donos de marca. Nesse ambiente, o aprimoramento das embalagens com base nas necessidades do mercado é a diretriz principal na busca contínua por melhores soluções. “Ao disponibilizar ferramentas para aumentar a colaboração em toda a cadeia de valor aceleramos o processo de desenvolvimento de tecnologias para levar novas embalagens mais rapidamente ao mercado”, diz Carvalho.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Dow

Curta nossa página no

COIM traz variedade de soluções para o setor alimentício na FISPAL 2017

27/06/2017

Empresa apresentará novidades em suas principais linhas

A Coim traz para a Fispal Tecnologia 2017 suas últimas novidades nas linhas para embalagem flexível e de TPU. Para embalagens flexíveis, a multinacional italiana oferece produtos feitos 100% de poliuretano, com características que ressaltam principalmente a qualidade da impressão frente a outras alternativas disponíveis no mercado. Já a linha TPU disponibiliza produtos para vários segmentos industriais

Tintas 100% PU

Com a tinta para embalagens flexíveis 100% PU, a multinacional italiana tem como objetivo não apenas consolidar sua expertise num mercado no qual possui mais de 50% de market share, mas também completar o atendimento à cadeia produtiva, iniciada com adesivos para laminação que estão no portfólio da linha Novacote.

O mercado de tintas é bastante promissor. Estima-se que anualmente, sejam produzidas 50 mil toneladas ao ano do produto no Brasil. Uma oportunidade para a qual grandes empresas têm olhado nos últimos anos. “Por participar do BRIC’s, os investidores enxergam no Brasil um mercado muito promissor para essa área. Empresas que estão consolidadas na Europa e Ásia, tentam ganhar espaço em países emergentes. A Coim sai na frente, uma vez que tem uma unidade no Brasil e já produz a resina poliuretânica em sua planta.” , explica Maurício Rufo, gerente de contas da nova linha.

Para produzir a tinta 100% PU, a planta da Coim em Vinhedo ganhou novas instalações com novos equipamentos que complementarão a estrutura já existente utilizada na produção dos adesivos. “Atualmente, a maioria do que existe no mercado possui nitrocelulose. A nossa tinta 100% poliuretânica é um produto inovador ao oferecer uma solução que possui maior força de laminação, resistência química e térmica e baixíssima retenção de solvente, além de ser competitivo em termos econômicos.”, complementa Maurício.

No dia 28/06, a partir das 17h20, no stand da ABRE (Associação Brasileira de Embalagem) na Fispal 2017, Maurício Rufo ministrará a palestra “Tintas 100% PU para rotogravura e flexografia”, abordando os tópicos “Tintas para embalagens flexíveis”, “Vantagens da tinta 100% PU” e “Aplicações da tinta”.

Linha TPU

Dada a versatilidade do TPU, as possibilidades de aplicação são inúmeras tanto no processo de extrusão (filmes termo adesivos) como no processo de injeção, nos mais variados setores da economia. O TPU Laripur da Coim pode ser usado nos setores de alimentos, médico-hospitalar e farmacêutico, com aprovações FDA, para uso de água potável (NSF 61) e para uso médico Classe VI, conforme ressalta Alexandre Savignani, gerente comercial da linha. “O TPU Laripur possui diferentes durezas e, dependendo de sua aplicação final, pode ser usado em embalagens nos setores de alimentos e farmacêutico, em calçados, no setor médico-hospitalar e também como filmes termo adesivos em tecidos em geral, trazendo excelente durabilidade, flexibilidade e proteção” . Os clientes atendidos pela empresa tem atuação mundial, priorizando a qualidade do produto e pronto atendimento.

A Coim (Chimica Organica Industriale Milanese) é uma empresa de origem italiana especializada em policondensação (ester), poliadição (poliuretanos), sendo também fabricante de especialidades químicas. Fundada em 1962, em Milão, a empresa foi a primeira da Itália a produzir peróxidos orgânicos. Hoje, a multinacional opera em vários países. Possui unidades fabris na Itália, Brasil, Estados Unidos, Índia e Cingapura, além dos Centros de Pesquisa na Itália, França, Inglaterra, Alemanha e Brasil. No Brasil, a Coim está localizada na cidade de Vinhedo-SP, onde possui centro de distribuição para revenda.

Serviço:
FISPAL TECNOLOGIA 2017
Stand COIM – L131
Data: 27 a 30 junho
Horário: 13h às 20h
Local: São Paulo Expo – Rod. dos Imigrantes – KM 1,5

Fonte: Assessoria de Imprensa – Coim

Curta nossa página no

Abief fecha parceria para reciclagem de materiais que serão usados no Fórum Latino Americano de Embalagens Plásticas Flexíveis

14/06/2017

A ideia é coletar e reciclar os materiais plásticos que serão usados no evento, como crachás e copos

A Abief (Associação Brasileira da Indústria de Embalagens Plásticas Flexíveis) e a Boomera, empresa especializada em engenharia circular que transforma resíduo em matéria-prima para produtos, fecharam uma parceria que prevê a coleta e reciclagem de materiais plásticos a serem usados no 8o. Flex – Fórum Latino-Americano de Embalagens Plásticas Flexíveis, agendado para 29 de Junho, das 8:00 às 13:00 horas, no Tryp São Paulo Iguatemi Hotel, no Itaim Bibi, em São Paulo. “No dia, teremos coletores espalhados pelo local do evento, nos quais os participantes poderão depositar crachás e copos. A ideia não é apenas falar sobre Engenharia Circular, mas praticar o conceito”, explica Herman Moura, empresário e Presidente da Abief. O material reciclado poderá ser usado como matéria-prima para novos itens, como pranchetas e réguas.

Sob o tema central “Repensando estratégias: o comportamento das embalagens na nova economia”, o Fórum da Abief contará com uma palestra específica sobre Engenharia Circular, que será dada por Guilherme Brammer, fundador da Boomera. Na palestra, Brammer mostrará como soluções em engenharia circular podem ajudar a criar novos modelos de negócio para o setor de plásticos em geral e de embalagens flexíveis em específico.

A 8a edição do Fórum Latino-Americano de Embalagens Plásticas Flexíveis da Abief pretende repetir o sucesso das edições anteriores e reunir aproximadamente 200 profissionais entre transformadores, brand owners, fornecedores de matérias-primas, insumos e equipamentos, institutos de pesquisa e agências de criação de embalagens. O evento acontecerá na mesma semana da Fispal Tecnologia.

“O Fórum está alinhado a uma estratégia maior da Abief de oferecer conteúdo relevante para o setor, promovendo oportunidades de negócios a partir da apresentação de tendências em produtos e novos modelos de negócio e de posicionamento empresarial. Também é uma oportunidade única para refletir sobre as mudanças no Brasil e no mundo e repensar estratégias e ações”, afirma Herman.

“A abertura do evento pelo mestre em economia e economista do Itau, Fernando Gonçalves, reflete a importância de entendermos o momento econômico atual e tentarmos, de alguma forma, reunir subsídios para criar estratégias empresariais alinhadas à nova realidade econômica e social e ao novo ambiente de negócios.”, complementa Herman. Ele destaca ainda a apresentação de novas tendências e tecnologias que agregam valor ao negócio de embalagem flexível durante o evento – como as que serão apresentadas pela Esko – e a necessidade de se entender as necessidades do varejo que, a cada dia, tem um papel mais relevante no desenvolvimento de embalagens que atendam às necessidades da cadeia de suprimento e do consumidor final.

Um dos cases que ilustrará bem esta preocupação em entender – e atender – (a) os anseios do consumidor, é o do Danoninho em embalagem SUP (stand-up pouch). A palestra será dada por Karina Cerdeira,da Danone Nutricia Research, que abordará os paradigmas que a Danone teve que enfrentar para colocar um produto tão inovador no mercado.

Sobre tendências e anseios do varejo, o especialista internacional, Ronald Sasine, da consultoria norte-americana Hudson Windsor, LLC – Retail Packaging Strategy & Execution, apresentará a palestra “As mudanças no varejo e seu impacto nas embalagens”. Ainda na abertura do evento, Otávio Carvalho, da Maxiquim, apresentará os resultados do mais recente estudo de mercado, feito com exclusividade para a Abief, e que radiografa as indústrias petroquímica e de flexíveis no Brasil.

O especialista em desenvolvimento de embalagens e branding, Manoel Müller, da Müller Camacho, será o moderador. O Fórum Flex 2017 conta com o patrocínio da Braskem e Feiplastic/Reed Exhibitions.

Com 40 anos de atividades, a Abief (Associação Brasileira da Indústria de Embalagens Plásticas Flexíveis) tem por objetivo fomentar o mercado nacional de embalagens plásticas flexíveis. A Associação também tem incorporada às suas atividades o fomento à exportação e a preservação ambiental a partir do Programa de Qualidade e Consumo Responsável de Sacolas Plásticas. A entidade reúne empresas de todo o Brasil fabricantes de filmes monocamada, coextrusados e laminados; filmes de PVC e de BOPP; sacos e sacolas; sacaria industrial; filmes shrink e stretch; rótulos e etiquetas; stand-up pouches; embalagens especiais.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Abief

Curta nossa página no

Termotécnica apresentou diferenciais de sua linha do Agronegócio durante feiras em Louveira

01/06/2017

Empresa participou da 50ª Festa da Uva e 7ª Expo Caqui, em Louveira(SP)

A Termotécnica participou, nos dias de 19 a 21 e de 26 a 28 de maio, da 50ª Festa da Uva e da 7ª Expo Caqui, em Louveira (SP). O foco da empresa foi a apresentação dos diferenciais de seus produtos da linha do Agronegócio.

Durante o evento, a Termotécnica deu destaque ao produto DaColheita, uma linha de embalagens conservadoras em EPS (isopor®), desenvolvida com tecnologia e designs próprios, que amplia a vida de prateleira da fruta, proporcionando menor perda de peso pela desidratação e mantendo o teor vitamínico por mais tempo, afirma a Termotécnica. A linha de produtos já é utilizada com sucesso tanto por produtores de Uva Niágara, da região de Louveira (SP), quanto por produtores do Vale do São Francisco, onde a empresa estruturou uma unidade fabril para atender ao mercado, contando com mais de 20 grandes clientes e cooperativas de agricultores.

Um dos principais benefícios das embalagens DaColheita, segundo a Termotécnica é o aumento na vida de prateleira da fruta, permitindo que permaneçam por até 20% mais tempo nas gôndolas dos estabelecimentos comerciais, em comparação com as frutas em outros tipos de embalagens.

Além da conservadora de frutas, a empresa tem em seu portfólio outros itens na sua linha de Agronegócios, como a Linha Mudas, a caixa de abelhas MaisMel e o Upally – Solução em Movimentações Logísticas.

DaColheita acomoda frutas em exposição

Entre as atrações da Festa da Uva e Expo Caqui, destaca-se a tradicional “Exposição de Frutas Selecionadas”. Os produtores participantes escolhem seus melhores exemplares que – acondicionados nas conservadoras DaColheita – são avaliados pelos jurados e premiados em concurso, ação que proporciona visibilidade ao produto Termotécnica junto ao público alvo.

Inovação nas embalagens

Embalagens produzidas com tecnologia antimicrobiana – Safe Pack – reduzem em 99% a ação de micro-organismos, mostrando-se uma excelente opção para as conservadoras DaColheita, podendo também ser aplicado para conservação em geral, afirma a Termotécnica. A tecnologia ainda tem como diferencial proteger contra as variações extremas de temperatura e umidade.

A Termotécnica é a maior indústria transformadora de EPS da América Latina e líder no mercado brasileiro deste segmento. Produz soluções para Construção Civil, Embalagens e Peças Técnicas, Conservação, Agronegócios e Movimentação de Cargas. Aos 55 anos, possui unidades de negócios em Manaus (AM), Petrolina (PE), Rio Claro (SP), São José dos Pinhais (PR) e Sapucaia do Sul (RS).

Fonte: Termotécnica

Curta nossa página no

Segunda edição da innovapack está confirmada para 2017

01/06/2017

Encontro com foco em design, tendências e inovação para embalagens da indústria alimentícia acontecerá no Transamerica Expo Center, em agosto

Após o sucesso de sua primeira edição, a innovapack, única feira da América Latina focada em design, tendências e inovação para a embalagem final de alimentos e bebidas, será realizada paralelamente ao evento Food ingredients South America (FiSA), o mais completo para a indústria de ingredientes alimentícios da América Latina. A expectativa é que cerca de 11 mil visitantes se reúnam no Transamerica Expo Center, de 22 a 24 de agosto.

Entre as atrações já confirmadas, estão o Packaging Innovations Gallery, área que destaca as principais inovações em embalagens da indústria alimentícia no Brasil e no mundo, e a Conferência innovapack, com a participação dos principais pesquisadores e companhias de inteligência de mercado. No pavilhão acontecem também as Seminar Sessions, sessões de 30 minutos sobre os lançamentos e novas tecnologias das empresas, ministradas por líderes de mercado.

“Temos a convicção de que a innovapack e a FiSA oferecem ao mercado uma experiência completa. Em 2017, as feiras trarão um número ainda maior de lançamentos e tecnologias, reunindo um público qualificado e focado em realizar negócios”, acredita o gerente dos dois eventos, Fernando Alonso.

A innovapack reúne segmentos como Concepção & Design, Embalagens & Afins e Eco Packaging & Soluções Sustentáveis, levando a seu espaço expositores e visitantes de agências de design de embalagem, impressão, tampas e fechamentos, rotulagem, materiais de embalagem, recicladores, entre outros.

Serviço:
innovapack 2017
De 22 a 24 de agosto de 2017, das 13h às 20h
Local: Transamerica Expo Center
Av. Dr. Mário Villas Boas Rodrigues, 387 – Santo Amaro – São Paulo (SP)

Fonte: Assessoria de Imprensa – innovapack

Curta nossa página no

Nylon pode ser opção para embalagem de palmito em conserva

31/05/2017

Embora o vidro e as latas metálicas tenham sido sempre as embalagens “oficiais” para palmito em conserva, a Resolução RDC 85/2016 da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), abre a possibilidade das embalagens plásticas serem usadas no acondicionamento desse produto. Em linhas gerais, a resolução reduziu o período de quarentena do palmito, criou dispositivos de controle dos riscos durante a sua fabricação e alterou os valores de vácuo exigidos até então para os diferentes tipos e volumes de embalagens. Por fim, a RDC 85/2016 atualizou a referência do Codex Alimentarius para o palmito em conserva.

“Com isso, vemos um potencial enorme para o nylon da UBE ser transformado em embalagens flexíveis para palmito em conversa, especialmente com embalagens do tipo stand-up pouch. Isto porque o Brasil é o número 1 no mundo na produção, consumo e exportação de palmito”, comenta Daniel Hernandes, Executivo de Vendas da UBE América Latina.

Este processo de transição do vidro para embalagem flexível, especialmente para o palmito, exige um controle rígido nas diversas etapas do processo, especialmente da etapa de retort que implica na exposição prolongada a altas temperaturas e pressão, para a esterilização do produto envasado. Segundo Daniel, “o nylon 5033FD8 da UBE é ideal para esta aplicação. O material garante que a embalagem mantenha suas propriedades óticas e mecânicas e de barreira ao oxigênio, mesmo após o processo retort, prolongando o tempo de prateleira do produto e garantindo sua integridade”.

Vale lembrar que a base da produção de palmito no Brasil é 90% extrativista e situada, na sua maior parte, no Pará. A receita doméstica do setor gira ao redor de US$ 350 milhões, num mercado global dimensionado em torno de US$ 500 milhões. “Nos anos 90, uma extinta produtora de resinas termoplásticas chegou a enviar técnicos a indústrias paraenses de palmito em conserva para sondar as chances de potes injetados abocanharem uma fração detida pelos frascos de vidro, em resposta às queixas divulgadas pelo setor quanto a perdas e custos das embalagens utilizadas. Precisamos retomar este contato para ativar este mercado para as embalagens plásticas, com foco nos flexíveis, por conta de suas propriedades estruturais e vantagens logísticas e menor impacto ambiental”, conclui Daniel.

Sobre a UBE: Fundada na cidade de Ube, província de Yamaguchi, no Japão, em 1897, a UBE mantém 11 mil colaboradores em todo o mundo e registrou um faturamento de US$ 5,7 bilhões no ano fiscal de 2015, encerrado em Março de 2016. O portfólio global de produtos da empresa divide-se em: químicos e plásticos 44%; cimento 33%; máquinas e metais 12%; meio ambiente e energia 10%; e farmacêuticos 1%.

Ao todo são três plantas de nylon – Japão, Tailândia e Espanha – que abastecem o mercado global. Cada planta possui o seu próprio centro de Pesquisa & Desenvolvimento. No Brasil a operação da UBE existe desde 2010 e as vendas de Plásticos de Engenharia representam 25% da produção de Castellon – Espanha. O escritório brasileiro atende a toda América Latina, com ênfase Na Brasil, Argentina, Chile, Peru, Colômbia e Equador.

Fonte: Assessoria de Imprensa – UBE

Curta nossa página no

Abief prepara 8ª edição do Fórum Latino-Americano de Embalagens Plásticas Flexíveis

21/05/2017

Entre os palestrantes confirmados para o evento do dia 29 de Junho estão o economista do Banco Itau, Fernando Gonçalves e o especialista internacional em varejo, Ronald Sasine

A ABIEF (Associação Brasileira da Indústria de Embalagens Plásticas Flexíveis) realizará, pelo oitavo ano consecutivo, o Flex – Fórum Latino-Americano de Embalagens Plásticas Flexíveis, agendado para 29 de Junho, das 8:00 às 12:30 horas, no Tryp São Paulo Iguatemi Hotel, no Itaim Bibi, em São Paulo. Sob o tema central “Repensando estratégias: o comportamento das embalagens na nova economia”, o evento pretende repetir o sucesso das edições anteriores e reunir 200 profissionais entre transformadores, brand owners, fornecedores de matérias-primas, insumos e equipamentos, institutos de pesquisa e agências de criação de embalagens. O Fórum Flex 2017 acontecerá na mesma semana da Fispal Tecnologia.

Como explica Herman Moura, empresário e Presidente da ABIEF, “o Fórum está alinhado a uma estratégia maior da entidade de oferecer conteúdo relevante para o setor, promovendo oportunidades de negócios a partir da apresentação de tendências em produtos, e novos modelos de negócio e de posicionamento empresarial. Também é uma oportunidade única para refletir sobre as mudanças no Brasil e no mundo e repensar estratégias e ações.”

E completa: “A abertura do evento pelo mestre em economia e economista do Itau, Fernando Gonçalves, reflete a importância de entendermos o momento econômico atual e tentarmos, de alguma forma, reunir subsídios para criar estratégias empresariais alinhadas à nova realidade econômica e social e ao novo ambiente de negócios.” Herman destaca ainda a importância de conhecer tendências e tecnologias que agreguem valor ao negócio de embalagem flexível, como as que serão apresentadas pela Esko, e entender as necessidades do varejo que, a cada dia, tem um papel mais relevante no desenvolvimento de embalagens que atendam às necessidades da cadeia de suprimento e do consumidor final.

Sobre tendências e anseios do varejo, o especialista internacional, Ronald Sasine, da consultoria norte-americana Hudson Windsor, LLC – Retail Packaging Strategy & Execution, apresentará a palestra “As mudanças no varejo e seu impacto nas embalagens”. Ainda na abertura do evento, Otávio Carvalho, da Maxiquim, apresentará os resultados do mais recente estudo de mercado, feito com exclusividade para a ABIEF, e que radiografa as indústrias petroquímica e de flexíveis no Brasil.

O especialista em desenvolvimento de embalagens e branding, Manoel Müller, da Müller Camacho, será o moderador. O Fórum Flex 2017 conta com o patrocínio da Braskem e Feiplastic/Reed Exhibitions. Para informações e inscrições, acesse www.abief.org.br.

Com 40 anos de atividades, a ABIEF (Associação Brasileira da Indústria de Embalagens Plásticas Flexíveis) tem por objetivo fomentar o mercado nacional de embalagens plásticas flexíveis. A Associação também tem incorporada às suas atividades o fomento à exportação e a preservação ambiental a partir do Programa de Qualidade e Consumo Responsável de Sacolas Plásticas. A entidade reúne empresas de todo o Brasil fabricantes de filmes monocamada, coextrusados e laminados; filmes de PVC e de BOPP; sacos e sacolas; sacaria industrial; filmes shrink e stretch; rótulos e etiquetas; stand-up pouches; embalagens especiais.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Abief

Curta nossa página no

Prêmio da Dow promove o papel da embalagem no combate ao desperdício de alimentos

12/05/2017

Diamond Award é iniciativa pioneira da Dow para incentivar projetos de embalagem que combatam o desperdício e levem inovação à indústria de plásticos na América Latina

A Dow anunciou os vencedores do Diamond Award, prêmio concebido pela Área de Embalagens para Alimentos e Plásticos de Especialidades da companhia. O objetivo é reconhecer os melhores projetos desenvolvidos pelos clientes da Dow que tenham como propósito a redução do desperdício de alimentos, um dos principais desafios globais. Segundo a FAO, um terço dos alimentos (1,3 bilhão de toneladas) produzidos para consumo humano é perdido ou desperdiçado em todo o mundo anualmente.

Esta iniciativa está alinhada às metas de sustentabilidade globais da empresa e também às diretrizes de negócios da Dow para a América Latina, que busca gerar valor econômico ao lidar com os principais desafios sociais e ambientais da região. Os cases participantes no Diamond Award tiveram como desafio propor soluções para embalagens que incentivem a indústria a implementar alternativas e inovações para tópicos como tamanhos mais apropriados para cada ocasião de consumo; aumento do tempo de vida útil antes e após a abertura; melhores soluções de dosagem; possibilidade de utilização integral do produto – sem excedentes ou perdas – e redução nos danos causados durante o transporte, por meio de soluções de unitização.

Para Paloma Alonso, vice-presidente Comercial para Embalagens e Plásticos de Especialidades da Dow, “a premiação é importante para fomentar iniciativas inovadoras e sustentáveis para embalagens, ao mesmo tempo em que estimulam a colaboração em toda a cadeia de valor”.

Os três projetos vencedores, em ordem alfabética, são:

ABA, companhia mexicana, foi contemplada com o case de embalagem de alta barreira 100% reciclável. Destinado a embalagens para hambúrgueres, a embalagem possui alta barreira contra a transmissão de oxigênio, gases e humidade, evitando a criação de micro-organismos que deterioram os alimentos e, consequentemente, conservando-os por mais tempo, reduzindo perdas e desperdício. A embalagem desenvolvida pela ABA prolonga a vida dos hambúrgueres para até seis meses e além de cumprir sua função de proteger o alimento, a mesma embalagem pode ser reciclada para a fabricação de novos produtos.

Bemis, empresa norte-americana de embalagens, que atende aos mercados de alimentos, bebidas, cosméticos, farmacêuticos, higiene pessoal, limpeza doméstica, médico-hospitalares e pet food com embalagens flexíveis, rígidas, cartonadas, tubos laminados e rótulos. Por meio da sua filial brasileira, foi premiada com o case “Soltíssimo” para frios fatiados. Trata-se de uma embalagem termoformada selada hermeticamente, com filme de alta barreira que garante a integridade do produto, e tem tecnologia “abre-e-fecha”, que oferece tempo de prateleira bem superior às embalagens existentes no mercado.

Plastiandino, empresa argentina de embalagens, foi reconhecida pelo projeto “RationFilm”. Solução proposta para cortes de carnes, traz uma forma simples de porcionar as unidades de acordo com os diferentes perfis de consumo. As principais vantagens são: possibilidade de porções individuais, maior vida útil em função de melhores condições de armazenamento, visão 360º do produto para que o consumidor veja a qualidade do corte que está comprando, reciclabilidade, estética, redução de custos para o consumidor e possibilidade de exportação.

A comissão julgadora foi formada por Veronica Ramos e Mario Tonelli da Ecoplas (Argentina), Professor Fábio Mestriner, Dr. Carlos Garay, ex-presidente da Acoplasticos (Colômbia), Juan Antonio Hernández León da Anipac (Mexico), além de um corpo de especialistas em sustentabilidade, tecnologia e comunicações da Dow América Latina.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Dow

Curta nossa página no

Braskem apresenta soluções inteligentes para embalagens na Interpack 2017

03/05/2017

A Braskem participará da Interpack, em Düsseldorf, Alemanha, de 4 a 10 de maio, no estande G15 (Hall 9). No evento, a empresa apresentará novas aplicações para o Plástico Verde I’m greenT, como, por exemplo, a embalagem de café da Peeze e outras para o segmento de personal care, da Speick e L’Erbolario. Resina de polipropileno desenvolvida para produção de espumas de alta performance também será exibida, além de pesquisas e avanços na tecnologia para embalagens inteligentes.

“O Plástico Verde é resultado de um projeto de pesquisa e desenvolvimento que recebeu cerca de US$ 300 milhões em investimentos e envolvimento de diversas pessoas. Atualmente o biopolímero é exportado para Europa, EUA, Ásia, África e América do Sul e mais de 150 marcas o utilizam ao redor do mundo. Para a Braskem, participar da principal feira mundial de embalagens é uma oportunidade para reforçar a nossa presença global”, afirma Gustavo Sergi, responsável pelo Negócio de Químicos Renováveis da Braskem.

Resina para produção de espumas

A Braskem apresenta também a sua marca Amppleo, resina de polipropileno com propriedades de High Melt Strength. O produto foi desenvolvido para a produção de espumas versáteis de alto desempenho para aplicação nos mercados de embalagens, industrial e automotivo, afirma a Braskem.

Segundo a empresa, a resina é capaz de suportar temperaturas de até 130°C sem se deformar e possibilita a fabricação de espumas com ampla versatilidade de aplicações dentro de uma grande escala de densidade que pode ir de 30 kg a 300 kg por metro cúbico, apresentando redução de peso frente a outros materiais e um excelente isolamento térmico e acústico. Além disso, o material pode ser totalmente reciclado.

Pesquisas em embalagens inteligentes

Outro destaque para a edição deste ano ficará por conta dos avanços em pesquisas de embalagens inteligentes, as quais poderão informar ao consumidor sobre a qualidade e o estado de conservação de produtos variados, desde alimentos a cosméticos, através da mudança de cor. A Braskem, em parceria com a Universidade norte-americana de Clemson e a Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), no Brasil, trabalha no desenvolvimento desta tecnologia.

Parcerias que viabilizam inovação

A Braskem apresentará copos de Polipropileno em parceria com a empresa Gizeh e de Plástico Verde em parceria com empresa finlandesa Stora Enso.

Será divulgada também parceria entre a Braskem e a Made In Space, empresa norte-americana líder no desenvolvimento de impressoras 3D para a Nasa, para o fornecimento de Plástico Verde para a manufatura de ferramentas e peças na Estação Espacial Internacional (ISS).

O café que será servido no estande é produzido pela Peeze, única refinaria de café na Holanda que fornece 100% de café certificado e que tem embalagem feita com Plástico Verde I’m greenT. As embalagens sustentáveis são resultado de uma parceria anunciada em outubro de 2016 entre as empresas.

A Braskem produz anualmente um volume de termoplásticos superior a 20 milhões de toneladas, incluindo a produção de outros produtos químicos e petroquímicos básicos, apresentando um faturamento anual de R$ 54 bilhões. A Braskem atua em mais de 70 países, conta com 8 mil integrantes e opera 41 unidades industriais, localizadas no Brasil, EUA, Alemanha e México, esta última em parceria com a mexicana Idesa.

Fonte: Braskem

Curta nossa página no

Dow apresentou inovações para o mercado de embalagens e especialidades plásticas durante a Feiplastic 2017

19/04/2017

As novas famílias de resinas da empresa permitem a produção de embalagens e filmes de alto desempenho atendendo à demanda crescente do mercado por maior eficiência

A Dow apresentou na Feiplastic 2017 suas mais recentes tecnologias e aplicações para o mercado de embalagens e especialidades plásticas: Dowlex™GM, Innate™, Agility™ e Opulux™HGT. Segunda a empresa, essas inovações proporcionam embalagens e filmes com alto potencial para inovação, maior versatilidade e otimização dos recursos naturais, usadas de maneira combinada ou independente.

Ciente da relevância da embalagem como ferramenta de marketing, uma vez que influencia na percepção do consumidor, a Dow desenvolveu a família Dowlex™GM. De acordo com a Dow, essa tecnologia aprimora atributos como transparência e brilho, fazendo com que o produto tenha maior destaque no ponto de venda. Esse conjunto de resinas também proporciona maior resistência mecânica, garantindo a proteção do produto envasado até o consumidor final, e excelente capacidade de selagem.

Outra inovação da Dow é a família de resinas Innate™, que possui equilíbrio inédito entre tenacidade e rigidez, combinando excelente resistência ao rasgo e à perfuração e tendo como resultado é um filme mais fino, leve e resistente, que traz maior eficiência à embalagem e maior segurança ao produto, afirma a empresa.

Já o Opulux™ HGT é um verniz de alto brilho, que fomenta a produção de embalagens monomateriais e, portanto, de mais fácil reciclabilidade. Esta tecnologia possibilita a substituição do processo de laminação, incrementando as resistências térmica e mecânica de embalagens flexíveis, garante a Dow.

A quarta inovação que a Dow apresentou na Feiplastic foi a família Agility™ de resinas de polietileno de baixa densidade. De acordo com a empresa, tais resinas reduzem custos e aprimoram a eficiência ao viabilizar mais produtos por quilo de matéria-prima. Entre os principais diferenciais das resinas Agility™, em comparação com formulações convencionais, estão: redução de espessura, resistência à temperaturas, maior produtividade com desempenho uniforme, resistência à tração e excelente processabilidade, assegura a Dow.

“Com a introdução dessas novas tecnologias, a Dow possibilita o desenvolvimento de embalagens e filmes que contribuem tanto para aprimorar a eficiência quanto para a otimização do uso de recursos naturais. O resultado traz benefícios não apenas para nossos clientes, mas para a cadeia como um todo”, afirma Adriano Aun, gerente de Marketing de Embalagens de Alimentos & Especialidades da Dow para a América Latina. “Seguindo as tendências do consumo, esse mercado busca cada vez mais a diferenciação e isto só é possível com investimento constante em novas soluções que enderecem de forma colaborativa os principais desafios globais, como a produção de alimentos, mudanças climáticas, energia e água”, completa.

Inovação em rede – Pack Studios

Para atender às necessidades de inovação e tecnologia de seus clientes e da cadeia de valor, a Dow criou o Pack Studios, uma rede global de especialistas em embalagens. O desenvolvimento colaborativo no aprimoramento das embalagens é o foco principal desse time. O Pack Studios possui como objetivos: aumentar a cooperação entre a Dow e toda a cadeia de valor; entregar soluções inovadoras para melhores embalagens e acelerar o ciclo de desenvolvimento para levar embalagens mais eficientes ao mercado.

Atualmente, o Pack Studios está presente no Brasil, Estados Unidos, Itália, Suíça, China e Cingapura, sendo todos interconectados. Desta maneira, a Dow consegue fazer testes de novas embalagens em qualquer lugar do mundo. Assim, caso haja necessidade de testar uma solução em um equipamento que está em Singapura, é possível enviar as amostras e utilizar o recurso de vídeo conferência para conectar com os pesquisadores na Ásia e acompanhar os processos. A rede do Pack Studios ainda permite à Dow acompanhar os últimos desenvolvimentos e antecipar novas estruturas para seus clientes.

Fonte: Assesoria de Imprensa – Dow

Curta nossa página no

ABIEF divulga pesquisa indicando que o ano 2017 ainda será de ajustes para o setor

17/04/2017

Estudo aponta que ajustes internos e condições internacionais favoráveis podem iniciar um processo de retomada de negócios, apesar da produção ter ficado praticamente estagnada em 2016

Em um cenário onde os preços do gás natural e do petróleo tendem a permanecer baixos – por volta de US$ 60 o barril de petróleo – alguns analistas apostam que nos próximos 3 a 4 anos haverá uma onda de investimentos, principalmente em plantas de PE (polietileno). Segundo Otávio Carvalho, da Maxiquim, empresa que produziu um estudo de mercado exclusivo para a ABIEF, isto levará a uma queda entre 15% e 20% no preço das resinas já em 2018, em comparação a 2016, especialmente na Europa.

Em 2016 estima-se que a demanda brasileira de PE e de PP (polipropileno) tenha superado a marca de 3,8 milhões de toneladas, com uma leve alta em PP (0,6%) e queda em PE (1,4%), no comparativo com o ano anterior. Mundialmente, a produção de PE está avaliada em 110 milhões de toneladas, com uma demanda ao redor de 100 milhões de toneladas. Para 2017, a previsão é de um aumento de demanda de 0,3% nessas poliolefinas. No longo prazo, a alta se manterá entre 2% e 3% ao ano.

As exportações brasileiras de poliolefinas foram recorde em 2016, com alta de 20,2%; já as importações registraram queda de 0,5%. O saldo na balança comercial foi positivo em 513 mil toneladas. Os EUA foram responsáveis por 40% das importações de resinas brasileiras; já a Argentina respondeu por 40% das exportações para o Brasil.

“Vale lembrar que 42% das receitas da Braskem no ano passado foram provenientes de operações fora do Brasil”, lembra Carvalho. Ele alerta ainda para o fato de que em 2016 “atrasos das plantas de eteno e de PEs melhoraram substancialmente as projeções de oferta x demanda, em termos de margens, níveis de operação e rentabilidade das plantas”.

Stand Up Pouch desponta entre as embalagens flexíveis

Proporcionalmente, uma das embalagens flexíveis com melhor desempenho em 2016 no Brasil, foi o stand up pouch (SUP). Embora os principais setores usuários de embalagem tenham registrado queda na demanda de flexíveis em 2016 – exceto alimentos, com alta de 0,7% – a Maxiquim aposta em dois setores para alavancar o consumo em 2017: produtos de higiene pessoal e agropecuário.

A indústria de embalagens plásticas flexíveis fechou 2016 com uma produção de 1,834 milhão de tonelada (queda de 0,1% em comparação a 2015) e um faturamento de R$ 21 bilhões (alta de 6%). A participação dos diferentes tipos de resina no volume de produção foi: PEBDL (polietileno linear de baixa densidade) 50%, PEBD (polietileno de baixa densidade) 23%, PP 17% e PEAD (polietileno de alta densidade) 10%.

Em toneladas, tanto as exportações como as importações de embalagens flexíveis sofreram queda de, respectivamente, 30% e 23% em 2016, em comparação com 2015. Em valores, as quedas foram mais acentuadas: exportação 40% e importação 34%. Contudo, a participação das embalagens flexíveis na indústria de transformados plásticos continua importante: 29%.

Foram apontados como pontos relevantes para o setor em 2017:

  • retomada lenta da economia levará a um crescimento pequeno no contexto doméstico;
  • o setor se deparará com muitas empresas em dificuldades para reequilibrar suas margens;
  • os investimentos continuarão em um ritmo lento por conta da instabilidade econômica;
  • o aperto no crédito tende a retroceder;
  • as mudanças regulatórias continuam no radar;
  • poderá haver uma recuperação do terreno perdido para importações;
  • e as exportações com plástico contido sofrerão, mas por outros motivos, como a operação Carne Fraca.

Com 40 anos de atividades, a ABIEF (Associação Brasileira da Indústria de Embalagens Plásticas Flexíveis) tem por objetivo fomentar o mercado nacional de embalagens plásticas flexíveis. A Associação também tem incorporada às suas atividades o fomento à exportação e a preservação ambiental a partir do Programa de Qualidade e Consumo Responsável de Sacolas Plásticas. A entidade reúne empresas de todo o Brasil fabricantes de filmes monocamada, coextrudados e laminados; filmes de PVC e de BOPP; sacos e sacolas; sacaria industrial; filmes shrink e stretch; rótulos e etiquetas; stand-up pouches; embalagens especiais.

Fonte: Assessoria de Imprensa – ABIEF

Curta nossa página no

G4 lançará novas máquinas para embalagens e mostrará sua linha completa na Plástico Brasil

19/03/2017

Um dos maiores fabricantes brasileiros de equipamentos para a produção de embalagens e sacolas plásticas, a G4 Máquinas marcará presença na primeira edição da feira Plástico Brasil. Promovida pela Abimaq e Abiquim, a exposição será realizada de 20 a 24 de março no São Paulo Expo, na capital paulista.

Em um estande com 150 m2, a G4 Máquinas apresentará uma completa linha de soluções para as indústrias do setor. Atualmente, a empresa fornece seis famílias de produtos (com larguras úteis entre 700 e 1.300 mm) e uma série de acessórios, como desbobinadores, mesas empilhadoras e gofradores.

Embalagens Trapezoidais

Os profissionais que visitarem a G4 Máquinas na feira Plástico Brasil também conhecerão o mais novo lançamento da marca. A Start TR 700 é o primeiro modelo trapezoidal projetado pela empresa. Oferece diversas vantagens para os fabricantes de embalagens para flores e hortaliças, afirma a empresa.

Segundo a G4, a Start TR 700 é a máquina mais rápida do segmento (até 60 metros por minuto), sendo totalmente automatizada e contando com uma interface prática para o operador, com o uso de um monitor colorido touch screen. Sua construção foi pensada para garantir uma maior versatilidade e baixa manutenção.

Ao contrário das máquinas tradicionais, a TR 700 utiliza cabeçotes superior e inferior. Produz embalagens com solda fundo, beira-lateral ou solda lateral em sacos blocados. Em complemento, a G4 criou muitos opcionais exclusivos para o equipamento.

Atendimento Diferenciado

Ao longo da semana, as equipes de engenharia, vendas e suporte técnico da G4 Máquinas estarão de plantão no stand (espaço B040) para demonstrar os equipamentos, planejar unidades de produção, detalhar todas as opções de compra e apresentar a estrutura diferenciada de pós-vendas da marca.

G4 Máquinas – Boy Service

Fundada em 2001, a G4 tem as suas origens na Boy Service Máquinas, uma empresa que realizava serviços de manutenção em equipamentos do setor de embalagens plásticas. Há oito anos, lançou sua primeira máquina e investiu na construção de uma moderna fábrica na cidade de Agudos (SP).

Atualmente, conta com uma ampla linha de produtos e segue desenvolvendo novas soluções para os empresários do segmento. Possui representantes em todo o Brasil e exporta seus produtos para vários países da América Latina, como o Chile, Costa Rica, Equador, México e Peru.

Plástico Brasil 2017

A Plástico Brasil – Feira Internacional do Plástico e da Borracha será realizada pela primeira vez entre os dias 20 e 24 de março. A exposição acontecerá no novo centro de eventos São Paulo Expo. Os profissionais poderão conhecer as novidades das indústrias do setor das 10 às 19 horas.

Fonte: Assessoria de Imprensa – G4

Curta nossa página no

Bemis cria embalagens stand-up pouch sem alumínio para a Cargill

09/03/2017

Mudança diminuiu em 25% a emissão de carbono e reduziu o consumo de matéria-prima da embalagem

A Bemis, uma das maiores fabricantes de embalagens do mundo, desenvolveu embalagens em formato stand-up pouch (sachê) com estrutura foilless (sem alumínio) para a linha de atomatados da Cargill, fabricante dos molhos de tomate Pomarola e Tarantella.

Entre os principais benefícios da mudança, afirma a Bemis, pode-se citar a redução de 25% das emissões de dióxido de carbono da embalagem e menor consumo de matéria-prima através da redução da gramatura da embalagem em 8%. Além disso, o processo de reciclagem das embalagens foi facilitado.
“Reduzir as emissões de carbono em 25% da embalagem representa 826.200 kg de CO2 a menos no ambiente, o equivalente a emissão de CO2 de aproximadamente 468 carros em circulação nas cidades por um ano”, afirma Márcio Barela, Coordenador de Sustentabilidade da Cargill.

“Utilizando a ferramenta de desenvolvimento Stage Gate, trabalhamos em conjunto com o cliente para entender suas necessidades e desenvolvemos um plano de ação minucioso de ajuste de maquinário, consultorias e treinamentos. Isso possibilitou que o novo conceito de embalagens fosse implementado de forma assertiva, atendendo ao cronograma de implementação definido pela Cargill”, explica Antonio Ponce, Gerente de Marketing de Shelf Stable de Alimentos e Bebidas da Bemis.

Além da sustentabilidade, outras vantagens da troca de estrutura da embalagem são o apelo visual no ponto de venda (sem aspecto amassado), resistência mecânica e proteção do produto, afirma a Bemis.

“A embalagem do produto é um dos elos de conexão entre marca e consumidor. A nova embalagem é visualmente mais atrativa e pode contribuir para uma melhor experiência do consumidor no ponto de venda”, afirma Daniel Pontes, Gerente de Marketing da Cargill.

Com sede em Neenah, Wisconsin (EUA), a Bemis atende aos mercados de alimentos, bebidas, cosméticos, farmacêuticos, higiene pessoal, limpeza doméstica, médico-hospitalares e pet food com embalagens flexíveis, rígidas, cartonadas, tubos laminados e rótulos. A companhia conta com 18 mil funcionários em 60 unidades, localizadas em 12 países nas Américas do Norte e Latina, Europa e Ásia-Pacífico.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Bemis

Curta nossa página no

Feiras IPACK-IMA E PLAST 2018 preparadas para exibir materiais inovadores em Milão, em 2018

22/02/2017

plast2015

As duas feiras, integradas na Aliança para a Inovação que irá ocorrer no Pavilhão da Fiera Milano, de 29 de Maio a 1 de Junho de 2018, criaram uma nova exposição satélite dedicada a materiais e embalagens inovadores, organizada em colaboração com a Material ConneXion Italia e apresentada em 7 de Fevereiro no Museu Triennale Design, em Milão

Materiais e produtos inovadores e funcionalizados para o segmento premium são o foco da Innovative Material Solutions 2018, a nova exibição satélite da IPACK-IMA e PLAST que fará sua estréia na Fiera Milano como parte do evento “Innovation Alliance”, a ser realizado de 29 de maio a 1 de junho de 2018. A nova exposição foi apresentado em 7 de fevereiro no Museu Triennale Design, em Milão.

Organizada em colaboração com a Material ConneXion Italia, a feira será totalmente dedicada a soluções de materiais inovadores, incluindo matérias-primas, produtos semi-acabados e componentes para produtos de alto valor agregado, embalagens e recipientes inovadores. Ele servirá como um caldeirão de idéias e inspirações criativas para áreas corporativas estratégicas, desde o P&D até o Marketing.

Para satisfazer às necessidades das empresas e dar a melhor cobertura possível aos vários setores de produtos, o evento será dividido em duas seções, localizadas nos pavilhões da PLAST e da IPACK-IMA no centro do recinto de exposições Rho-Pero: PLAST-MAT e IPACK-MAT.

A primeira (PLAST-MAT) será dedicado à inovação em materiais plásticos, com um forte enfoque na sustentabilidade ambiental e desempenho técnico avançado.

A segunda (IPACK-MAT) irá focalizar soluções de embalagens avançadas, com uma ênfase específica em anti-falsificação, embalagens inteligentes e embalagens de alto valor agregado e / ou de baixo impacto ambiental.

Além da área de exposição que abrange dois pavilhões, a Innovative Material Solutions 2018 também terá uma mostra que apresentará uma visão geral de todas as empresas que participam da iniciativa e demonstrará os produtos mais significativos. Serão também organizadas iniciativas para empresas que oferecem e procuram soluções e materiais avançados para o design, fabricação e embalagem de produtos.

A IPACK-IMA 2018 é a feira das tecnologias de processamento e embalagem para as indústrias alimentícias e não-alimentícias, organizada pela Ipack Ima srl, uma empresa criada em conjunto pela UCIMA (Associação Italiana dos Fabricantes de Máquinas Automáticas de Embalagem) e pela Fiera Milano.

A PLAST 2018 é a feira de tecnologias para a indústria de materiais plásticos e de borracha, organizada pela Promaplast srl, uma empresa de serviços da ASSOCOMAPLAST (Associação Italiana dos Fabricantes de Máquinas e Moldes para Plásticos e Borrachas).

A Material ConneXion é uma rede mundial de pesquisa e consultoria para materiais inovadores e sustentáveis. Fundada em 1997 em Nova York, a Material ConneXion é agora propriedade da editora americana Sandow Media Group e também tem filiais na Europa e na Ásia.

Fonte: Assessoria de Imprensa – PLAST 2018

Curta nossa página no

Indústria de bebidas aposta em Polietileno de origem renovável

17/02/2017

braskem-pe-verde-bebidas

Adoção do PE verde é crescente entre empresas do segmento

Em todo o mundo, o setor de bebidas é um dos mais engajados na busca de soluções inovadoras que tornem seu negócio mais sustentável e, portanto, com menor impacto no meio ambiente. O segmento é, por exemplo, um dos que adota o polietileno produzido a partir de etanol de cana-de-açúcar -tecnologia desenvolvida pela Braskem.

A última empresa brasileira a adotar o Plástico Verde “I’m green”, foi a Serra da Cantareira Águas Minerais. A companhia passou a utilizar a matéria-prima renovável em tampas de água mineral da marca Puraqua.  Ainda em 2016, a Woolworths, uma das principais redes de supermercados da África do Sul, também anunciou o uso do polietileno de origem renovável em suas embalagens de leite. Já a alemã Eckes-Guanini passou a usar o Plástico Verde em seus sucos orgânicos para as marcas Bramhults e Valsolille.

Outras empresas que firmaram parceria com a Braskem foi a japonesa Asahi, aplicando o Plástico nas tampas dos refrigerantes da marca Mitsuya Cider, de 1,5 litro. Já a  a Suntory, também japonesa e líder no segmento, recentemente passou a utilizar a resina nas tampas de suas garrafas de água mineral de 550 ml “Suntory Aso Tennensui”, cuja produção anual é estimada em 26 milhões de unidades.

Em 2015, a Pernod Ricard Brasil, afiliada da multinacional francesa de destilados, vinhos e champanhes, foi a primeira empresa de destilados a adotar o Plástico Verde  nas tampas dos seus produtos Rum Montilla e Vodka Orloff. O polietileno de origem renovável também pode ser encontrado em rolhas de garrafas de vinho fabricadas pela Nomacorc. Denominadas Select®Bio, as rolhas são 100% recicláveis e apresentam o mesmo desempenho em controle do oxigênio que a linha convencional, além de evitar a deterioração e desperdício causados por processos como oxidação e redução, afirma a Braskem.

A Tetra Pak, maior fornecedora mundial de embalagens tipo longa vida, usa desde 2012 tampas feitas de Plástico Verde. Além disso, há mais de dois anos, a companhia também usa polietileno de baixa densidade (LDPE) “I’m green” como componente das camadas de suas embalagens cartonadas. A Nestlé foi uma das indústrias pioneiras no uso do Plástico Verde, ao adotar a solução nas linhas Ninho e Molico em junho de 2011, pouco depois do lançamento da resina.

Pegada de Carbono

Em abril, o plástico verde “I’m green” recebeu a certificação da pegada de carbono do Ministério do Desenvolvimento da Indústria e do Comércio (MDIC), dentro das ações para implementar a Política Nacional de Mudanças Climáticas em setores prioritários. De acordo com a medição, realizada pela Carbon Trust e pela ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas), o polietileno de origem renovável tem uma pegada de emissões negativa, ou seja, ajuda a sequestrar o gás poluente da atmosfera.

Fonte: Braskem

Curta nossa página no