Posts Tagged ‘Braskem’

Braskem renova com distribuidor Sojitz Pla-Net para o fornecimento de Plástico Verde no Japão e Ásia-Pacífico

15/09/2017

A Braskem acaba de renovar um contrato de longo prazo com a Sojitz Pla-Net Corporation para o fornecimento do Polietileno Verde I’m greenT, polímero de origem renovável. O contrato envolve um volume crescente de um amplo portfólio de produtos que continuarão a ser vendidos no Japão e na região da Ásia-Pacífico.

A renovação do contrato vai aumentar a disponibilidade de produtos renováveis na região, atendendo a mais de 100 clientes e diferentes mercados, como lojas de conveniência, produtos domésticos e logística. “A Sojitz renova a parceria com a Braskem com objetivo de promover as vantagens do Plástico Verde e os benefícios que ele traz não só para os transformadores, mas também para o público que utilizará o produto de origem renovável. Acreditamos que este negócio está em expansão e que a preocupação com o meio ambiente se tornará mais forte em diversos setores”, relata Yoshinori Suzuki, gerente geral sênior de embalagens da Sojitz.

Por longos anos, a Sojitz mantém um importante relacionamento comercial com a Braskem. Em 2012, as empresas celebraram o início do contrato de distribuição do polietileno verde na região. “A renovação deste contrato reafirma o propósito da Braskem em seu processo de internacionalização e expansão de mercados. Isso significa não apenas ampliar o portfólio de resinas verdes, mas também investir em operações cada vez mais sustentáveis”, diz Gustavo Sergi, diretor de Químicos Renováveis da Braskem.

O Polietileno Verde I’m greenT é feito a partir do eteno obtido da cana-de-açúcar. Ele também apresenta as mesmas características do polietileno tradicional, ou seja, não necessita de adaptações nas máquinas de transformação e é 100% reciclável. A planta de polietileno verde da Braskem possui capacidade de produção de 200 mil toneladas por ano.

Fonte: Braskem

Curta nossa página no

Anúncios

Braskem e Ciel et Terre Brasil inovam no mercado de energia solar

12/09/2017

Solução para geração solar flutuante proporciona benefícios ao consumidor e ao meio ambiente

As restrições ambientais para empreendimentos de grande porte como hidrelétricas, termos à óleo e carvão, associadas à necessidade de produzir energia próximo ao ponto de consumo, impactam na redução no custo da energia e levam os brasileiros a se interessar por outros tipos de energia, especialmente a geração solar. O Brasil ainda precisa ser desafiado com a criação de soluções inovadoras para diferentes mercados e, pensando em atender clientes com este potencial, a Braskem firmou parceria com a Ciel et Terre Brasil, joint venture da francesa Ciel & Terre com a empresa brasileira Sunlution, proprietária da tecnologia Hydrelio® de geração fotovoltaica flutuante, que apresenta vantagens sobre a tecnologia tradicional de geração solar em terra.

O Hydrelio®, tecnologia desenvolvida pela Ciel & Terre, é pioneira no mercado mundial para usinas flutuantes de geração solar e é composta por painéis fotovoltaicos dispostos sobre flutuadores de polietileno de alta densidade fabricados com resinas da Braskem. Com o objetivo de apoiar o parceiro a desenvolver o mercado nacional, a petroquímica trabalhou não só na adequação da resina de polietileno, mas também na identificação de transformadores para a produção local dos flutuadores, além de suporte na modelagem do negócio no mercado brasileiro.

“O papel da Braskem no desenvolvimento desta solução tem sido fundamental. A demanda inicial, que era definir uma resina que atendesse os requisitos técnicos para os flutuadores, tornou-se uma oportunidade de negócio de elevado potencial, frente à gama de mercados em que o Hydrelio® poderá ser viabilizado e empregado”, comenta afirma Jorge Alexandre, responsável por Desenvolvimento de Mercado de PE para construção civil e infraestrutura da Braskem.

As placas solares sobre flutuadores podem ser aplicadas em uma gama variada de superfícies de água, tais como lagos industriais e de retenção, reservatórios de irrigação e de água potável, estações de dessalinização e de tratamento de águas, açudes e canais. Entre os benefícios mais expressivos na utilização desta tecnologia, afirma a Ciel & Terre, estão a liberação de terrenos em terra firme – que seriam ocupados pelo sistema tradicional de geração solar – para usos voltados à produção rural (criação, agricultura, etc.), redução de custos de ligação à rede pela utilização de infraestruturas elétricas existentes, aumento da produtividade fotovoltaica devido à refrigeração natural do sistema pela superfície da água, manutenção mais simples e barata, entre outros.

A Ciel & Terre aposta no Hydrelio® como solução sustentável não somente para Geração Distribuída mas também para a geração híbrida de energia e espera um volume de negócios expressivo até o final do ano. “A Ciel & Terre tem vasto conhecimento de centrais fotovoltaicas e, ao desenvolvermos o Hydrelio®, temos como expectativa elevar a potência de geração de energia solar fazendo duas fontes operarem ao mesmo tempo em uma única infraestrutura. O nosso produto Hydrelio® é a solução de menor investimento para incrementar a geração de energia nas hidrelétricas e usinas eólicas existentes e acreditamos que o Brasil tem um potencial enorme para este mercado”, comenta Orestes Gonçalves Junior Sócio Diretor da Ciel & Terre Brasil.

O primeiro projeto implementado no Brasil com o Hydrelio® acaba de ser concluído na Fazenda Figueiredo, em Cristalina (GO), que apostou nessa nova tecnologia para resolver sua necessidade de consumo de energia. A construção da usina fotovoltaica sobre um lago de acúmulo de água da chuva permitiu a geração de energia em uma área que estava em desuso, com maior eficiência em função do resfriamento da temperatura dos painéis fotovoltaicos instalados no espelho d’água, além de diminuir a evaporação da água do lago. Segundo a Ciel & Terre International, estudos realizados pela empresa apontam que este tipo de tecnologia gera aproximadamente 14% mais eletricidade do que a geração solar em terra ou no telhado.

A Ciel & Terre vem desenvolvendo centrais fotovoltaicas flutuantes para uso privado (comercial ou industrial) ou estatal desde 2010 e pretende gerar energia solar não somente em fazendas agropecuárias, como também em reservatórios de usinas hidrelétricas. Com isso, afirma a empresa, aproveitam-se as vantagens de infraestrutura já existentes nas instalações, principalmente com foco na redução da evaporação e na conservação da água, preservando os ecossistemas existentes e melhorando da qualidade da água, além de reduzir o desenvolvimento de algas e a erosão das margens dos reservatórios, com a diminuição da ondulação.

Fonte: Braskem

Curta nossa página no

Dart do Brasil reduz consumo energético com uso de resina Maxio da Braskem

24/08/2017

Solução da Braskem oferece maior eficiência e competitividade ao mercado transformador

A Braskem avança em mais uma parceria com clientes ao homologar e fornecer nova resina de Polipropileno (PP) para a Dart do Brasil, fabricante da marca Tupperware®. Segundo a Braskem, o polímero RP 340R faz parte da linha Maxio® e oferece maior índice de fluidez e eficiência, além de ganhos ambientais, gerando resultados, como aumento de produtividade e redução nos custos energéticos.

Com o acompanhamento técnico e o foco nas demandas do cliente, a Braskem busca oportunidades para oferecer resinas mais eficientes. “A mudança possibilitou um aumento de mais de 10% no ciclo de produção e uma redução no consumo energético que superou os 7%, ampliando de forma significativa a competitividade do cliente, sem a necessidade de um investimento em novos equipamentos de injeção”, afirma Arinaldo Zanotta, Engenheiro de Aplicação da Braskem.

O uso da resina Maxio® foi aplicado à aproximadamente 80% da linha de produtos da Dart, que conta mais de 40 injetoras em seu parque fabril no Rio de Janeiro. A empresa aprovou a resina em testes no Centro de Tecnologia da Tupperware na Bélgica, o que permitiu a sua homologação no Brasil e também na Europa, viabilizando seu uso global. “Esse é um grande passo. Com essa aprovação, podemos comercializar a resina para todas as unidades da Tupperware no mundo”, destaca Jefferson Bravo, Gerente de Contas da Braskem.

Linha Maxio®

Segundo a empresa, o selo Maxio® indica as resinas ecoeficientes do portfólio da Braskem que proporcionam aos clientes redução do consumo de energia, maior produtividade no processo produtivo e redução de peso do produto final, o que garante mais eficiência e, consequentemente, ganhos ambientais. Os benefícios são obtidos graças à evolução contínua das resinas, preservando ou melhorando propriedades mecânicas, químicas e óticas de produtos acabados.

Fonte: Braskem

Curta nossa página no

Braskem completa 15 anos e moderniza marca

22/08/2017

Nova identidade visual simboliza a continuidade do ciclo de expansão global da petroquímica

A Braskem completou no dia 16 de agosto 15 anos de operação como uma empresa de atuação cada vez mais global, com clientes em cerca de 100 países em todos os continentes. Para refletir essa trajetória, a Braskem passa a adotar uma nova marca, que simboliza a continuidade de seu ciclo de expansão global.

“Somos uma empresa jovem, com uma estratégia sólida e bem-sucedida de crescimento global. Para celebrar os 15 anos e marcar o início de uma nova fase, estamos lançando uma nova identidade visual que acompanhará nossa trajetória, de desafios e conquistas”, diz Fernando Musa (foto), CEO da Braskem.

O novo logotipo busca expressar características como resiliência, foco e transparência. O símbolo utilizado remete à letra “B” e dá forma a uma seta, indicando a estratégia da empresa orientada ao futuro. A aplicação das cores azul e amarelo buscam representar a aspectos como abrangência global, foco em sustentabilidade e a força das relações humanas.

“A nova marca Braskem simboliza nossa ambição de seguir evoluindo como um player importante do setor petroquímico global, atuando em constante progressão no desenvolvimento das pessoas e focado na entrega de soluções sustentáveis da química e do plástico, a fim de melhorar o bem-estar e a qualidade de vida da sociedade”, afirma o CEO da Braskem. A partir de hoje, a marca começa a ser implantada gradualmente na comunicação e identidade visual da empresa.

Criada em 2002 com a integração de seis ativos, a Braskem consolidou o setor petroquímico no Brasil, deu passos importantes em seu processo de internacionalização e se transformou em uma das maiores produtoras mundiais de resinas termoplásticas, com faturamento de R$ 55 bilhões em 201. Atualmente, conta com 8 mil integrantes e opera 41 plantas industriais, das quais 29 no Brasil, seis nos Estados Unidos, quatro no México e duas na Alemanha.

Fonte: Braskem

Curta nossa página no

Braskem tem lucro de R$ 1,1 bilhão no 2º trimestre de 2017

17/08/2017

Dados das demonstrações financeiras auditadas reforçam momento positivo vivido pelo setor petroquímico

No mês em que completa 15 anos, a Braskem divulgou um lucro líquido de R$ 1,142 bilhão no segundo trimestre de 2017, um expressivo aumento sobre o lucro de R$ 275 milhões na comparação com igual trimestre do ano passado. No ano, a Braskem acumula lucro líquido de R$ 3,057 bilhões.

O Ebitda consolidado alcançou R$ 3,029 bilhões, valor 1% maior ao do segundo trimestre de 2016. Em dólar, o Ebitda foi de US$ 945 milhões, alta de 10% na comparação com o segundo trimestre de 2016, conforme demonstrações financeiras auditadas pela KPMG.

O desempenho da Braskem no trimestre é atribuído à manutenção das saudáveis margens do setor petroquímico, além de ganho de capital com a venda da quantiQ e da maior produção do Complexo Petroquímico do México, que estava em processo de partida em meados do ano passado. “Seguimos na implantação da nossa estratégia de crescimento como empresa global, com foco na internacionalização geográfica e na diversificação de matérias-primas, gerando valor para todos os acionistas da Braskem”, afirma Fernando Musa, presidente da petroquímica.

No segundo trimestre de 2017, a Braskem apresentou receita líquida de R$ 11,9 bilhões, alta de 1% em relação ao mesmo período do ano anterior. Como resultado do seu processo de internacionalização, o mercado externo representou, no segundo trimestre, 45% do total da receita líquida, divididos entre as exportações a partir do Brasil (19%) e a receita auferida pelas unidades internacionais (26%) dos Estados Unidos, Europa e México.

A Braskem manteve suas unidades industriais operando com altas taxas de ocupação de capacidade. Os crackers no Brasil operaram a 93%, uma pequena queda em razão da parada programada da central de São Paulo. Nos Estados Unidos e na Europa, a taxa média de operação das plantas industriais ficou em 95%, índice menor do que o registrado no trimestre anterior, dada a revisão da capacidade nominal de produção dessas unidades e da parada de manutenção da fábrica de Schkopau, na Alemanha.

No México, a taxa de operação média das plantas de polietileno foi de 83%, em função principalmente de ajustes operacionais e de ajustes pontuais no fornecimento de etano para o cracker no período. Do lado comercial, o volume de vendas de poliolefinas no Brasil foi 1% superior ao mesmo período do ano anterior ao passo que as vendas de petroquímicos básicos no mesmo mercado ficaram estáveis.

Nos EUA e Europa, o volume de vendas de polipropileno no segundo trimestre de 2017 apresentou aumento de 2% em relação a igual período de 2016, principalmente, devido ao aumento na capacidade das plantas dos Estados Unidos realizado no fim do ano passado. No México, o esforço comercial concentrou-se no atendimento ao mercado mexicano cujo volume de vendas foi superior em 4%. Consequentemente, as exportações apresentaram uma redução de 22%, com diminuição do volume exportado para a Ásia.

Investimentos

Em junho, o Conselho de Administração da Braskem aprovou o investimento de até US$ 675 milhões para a construção da sexta unidade de produção de polipropileno (PP) na cidade de La Porte, no estado norte-americano do Texas. A nova fábrica, que produzirá 450 mil toneladas por ano, permitirá à Braskem seguir na liderança no segmento de polipropileno para atender aos clientes no mercado norte-americano.

“A aprovação deste investimento reforça a confiança que os acionistas mantêm no crescimento do nosso negócio, na nossa capacidade de desenvolvimento de projetos e na busca dos melhores resultados”, declara Fernando Musa.

A Braskem celebrou 15 anos ontem, no dia 16 de agosto. Criada em 2002 com a integração de seis ativos, a empresa consolidou o setor petroquímico no Brasil, deu passos importantes em sua internacionalização e se transformou em uma das maiores produtoras mundiais de resinas termoplásticas.

Contando com 8 mil colaboradores, a Braskem tem uma produção anual de 20 milhões de toneladas, incluindo produtos químicos e petroquímicos básicos, e faturamento de R$ 55 bilhões em 2016. Exporta para Clientes em aproximadamente 100 países e opera 41 unidades industriais, localizadas no Brasil, EUA, Alemanha e México, esta última em parceria com a mexicana Idesa.

Fonte: Braskem

 

Curta nossa página no

Manta de polietileno para proteção de pisos acabados chega ao consumidor final

14/08/2017

Material que contém três camadas de PE garante economia e proteção e agora pode ser adquirido diretamente por quem está reformando

Atentas às necessidades do consumidor final, a Braskem e a Multinova apresentam nova solução para a proteção de pisos acabados, evitando danos na fase final de obras. Já utilizado pelo mercado de construção civil, o material estará à venda no varejo a partir de agosto.

Segundo a Braskem, a manta Multitriplex oferece economia e facilidade em reformas e é de fácil aplicação, com alta resistência e aderência, dispensando o uso de cola. “A manta traz facilidade para o consumidor, já que é fácil de aplicar e retirar. Com ela conseguimos garantir aos clientes eficiência e segurança durante a obra”, afirma Jair da Rosa, consultor de mercado da Multinova.

O produto tem três camadas, sendo a primeira com filme de polietileno expandido, que evita o escorregamento e ainda torna o produto mais leve, com maior durabilidade e menor custo; a segunda com plástico bolha que amortece a queda de materiais como martelos e baldes; e por último um filme de polietileno que protege contra líquidos. A união das camadas e as características de seus materiais evitam problemas como arranhões, trincas, manchas e umidade, em todos os tipos de pisos. A Multitriplex ainda é reciclável.

“Temos um relacionamento de muitos anos com a Multinova, com foco em otimização, inovação e desenvolvimento de novos mercados. Estamos felizes em fazer parte deste novo momento da companhia e em ajudar a viabilizar uma solução completa os consumidores”, afirma Jorge Alexandre, responsável por Desenvolvimento de Mercado de PE da Braskem.

Fonte: Braskem

Curta nossa página no

Braskem Labs apresenta projetos inovadores selecionados

04/07/2017

Participantes de diversos estados brasileiros apresentam soluções inovadoras e sustentáveis

Dez empresas foram selecionadas, entre 180 inscritas, para a terceira edição do Braskem Labs, programa de aceleração de empreendedores da Braskem. O processo de escolha dos participantes considerou aspectos como inovação, potencial de mercado, perfil do empreendedor e da equipe envolvida, modelo de negócio e impacto socioambiental.

As propostas são de quatro estados brasileiros e utilizam o plástico e a química no desenvolvimento de novas soluções socioambientais ou apresentam formas de combate ao mosquito Aedes aegypti. “Estamos muito animados com mais essa edição do programa, pois novamente encontramos projetos com grande potencial de transformar positivamente a vida das pessoas e a forma com que se pensa em negócio”, afirma Luiz Gustavo Ortega, líder de Desenvolvimento Sustentável da Braskem.

Agora os empreendedores participam de um evento de diagnóstico para entender os desafios específicos de cada empresa. Após essa etapa, serão realizados uma série de eventos e mentorias durante um período de quatro meses, com o objetivo de apoiar essas empresas nos pontos que mais precisam, com apoio de mentores da Braskem e da ACE, uma Aceleradora de Startups.

Ao final do programa, os selecionados poderão apresentar suas empresas, durante o Demo Day, para um grupo de empresários, investidores, bancos de investimento e outros players do mercado.

As empresas e produtos selecionados foram:

  • Recicletool (Pernambuco): Equipamento de logística reversa que utiliza tecnologia de leitura ótica para a identificação dos resíduos que são depositados na máquina. Com o cadastro do usuário, as embalagens depositadas no Recicletool retornam ao mesmo em crédito financeiro, retirando resíduos do meio ambiente, contribuindo na educação da população e dando a eles um benefício pelo retorno da embalagem.
  • Fix It (Rio Grande do Norte): Imobilizadores em plástico termo moldável e biodegradável, projetados para membros específicos do corpo e em tamanhos pré-definidos, feitos em impressão 3D. A adequação à anatomia do paciente é feita com a imersão em água quente.
  • Vasos Raiz (Rio Grande do Sul): O vaso autorrigável Raiz possui um sistema que facilita o cuidado com plantas e permite ao o usuário ter seus temperos e chás frescos em sua residência. Com um sistema de irrigação interna, composto por cordões, que funcionam como uma espécie de raiz artificial, o reservatório de água é acoplado na parte debaixo do vaso, garantindo umidade para a terra por vários dias, sem a necessidade de regar, e não permitindo a proliferação do mosquito Aedes aegypti.
  • Biomassa do Brasil (São Paulo): Produtos sustentáveis na linha de argamassas e tintas especiais. A Argamassa Polimérica Pronta reduz o custo de alvenaria em 40% e o consumo de água em 95%.
  • Nanomix (São Paulo): Nanotecnologia que confere ao PVC propriedades físico-químicas, como barreira contra umidade. Pode substituir o PVDC, que é de alto custo, importado e não-reciclável e reduzir o custo das embalagens de remédios em 30%.
  • BR Goods (São Paulo): Cortinas Divisórias de Leito & Box de Chuveiro que utilizam nanotecnologia de retardante de chamas, antimicrobianas, manufaturadas com Plástico Verde, que podem ser fixas ou descartáveis. Este material permite que o processo de limpeza seja feito sem retirar as cortinas do local, conferindo privacidade aos pacientes, e economizando água na higienização além de possuir altos atributos sustentáveis.
  • Okena (São Paulo): Coleta, transporta, armazena, trata e destina efluentes contaminados com óleos, metais, tintas, solventes e outras substância, evitando que cheguem ao meio ambiente e poluam solos e água doce.
  • Altave (São Paulo):Desenvolve plataformas aeronáuticas para videomonitoramento e telecomunicações por meio de balões, levando conectividade a locais remotos e permitindo o monitoramento de grandes áreas.
  • Muzzicycles (São Paulo): Quadro de bicicleta injetado em uma peça única com mistura de plástico reciclado. O quadro tem garantia vitalícia, alta durabilidade, não enferruja e ainda ajuda a retirar resíduos do meio ambiente para ser produzido.
  • Denguetech (São Paulo): Inseticida biológico contra os vetores da Dengue, Zika e Chikungunya. Feito a partir da bactéria BTI (Bacillus thurigiensis var. israelensis), pode ser usado em áreas públicas e também em nossas casas e ambientes de trabalho. Logo que o tablete de DengueTech é colocado na água, ele se dissolve e são liberados microrganismos e proteínas que parasitam e matam as larvas dos mosquitos vetores em até 24 horas. Seu efeito continua por, pelo menos, 60 dias.

Fonte: Braskem

Curta nossa página no

Embalixo lança nova embalagem para descarte de fralda

28/06/2017

Produto é criado a partir do Plástico Verde e contém eliminador de odor

A Embalixo, líder nacional na produção de sacos para lixos, acaba de lançar embalagem feita em plástico de origem renovável destinada ao descarte de fraldas. O modelo Embalixo Baby possui um eliminador de odor interno, fragrância de lavanda e abas que facilitam o seu fechamento. Inicialmente, o produto será disponibilizado em farmácias no estado de São Paulo e, no segundo semestre, nas principais redes de supermercado do país.

O novo produto utiliza como matéria-prima o Plástico Verde, material 100% reciclável e produzido a partir da cana-de-açúcar pela Braskem. O consumidor poderá identificar os sacos de lixo da Embalixo a partir do selo “I’m greenT“, visível na frente e no verso do produto. A marca é a identificação da Braskem para os produtos que utilizam o plástico proveniente da cana-de-açúcar.

Desde 2011, a Embalixo adota o Plástico Verde em seus produtos. “Como a Embalixo sempre busca o bem-estar dos seus consumidores, conseguimos unificar o que há de melhor no mercado mundial, ou seja, um produto de fonte renovável, neutralizador de odores, com fragrância de lavanda e um inédito sistema de abas para fechamento. Além de neutralizar o mau odor de fraldas, a novidade torna o ambiente muito mais agradável” explica Rafael Costa, diretor comercial da Embalixo.

Fonte: Braskem

Curta nossa página no

Braskem aprova construção de nova fábrica nos EUA

26/06/2017

Petroquímica investirá US$ 675 milhões para atender à crescente demanda norte-americana e reforçar liderança na produção de polipropileno nos Estados Unidos

O Conselho de Administração da Braskem anunciou no dia 21/06 a aprovação de investimento de US$ 675 milhões para a construção de uma nova unidade de produção de polipropileno (PP) na cidade de La Porte, no estado norte-americano do Texas. O investimento na nova planta industrial reforça a atuação da Braskem na produção desta resina termoplástica nos Estados Unidos, onde a companhia já possui cinco outras unidades industriais de PP, além de uma linha de produção de polietileno de alto valor agregado (UTEC). A previsão é que a construção da nova planta em La Porte comece neste ano e seja concluída no primeiro trimestre de 2020.

“A autorização para seguir com o investimento na produção de polipropileno nos Estados Unidos é o marco mais recente da estratégia de internacionalização da Braskem. A nova unidade petroquímica de nível mundial adicionará capacidade de produção substancial na região e nos ajudará a atender à crescente demanda dos nossos Clientes, reafirmando o nosso posicionamento como o maior produtor de polipropileno das Américas e o terceiro maior desta resina no mundo”, destaca Fernando Musa, presidente da Braskem. Para Musa, com a vantagem competitiva da produção de energia por gás de xisto, a América do Norte possui uma das matrizes de matérias-prima mais favoráveis do mundo em termos de acesso a fontes de insumos de baixo custo e oferta de fornecedores. “Com a sua última planta de polipropileno lançada em 2005, a América do Norte passou a depender da importação do produto em 2016. Assim, o investimento adicional nos Estados Unidos é um passo natural na nossa estratégia”, afirma o presidente da Braskem.

A nova fábrica da Braskem terá capacidade de produção de 450 mil toneladas de polipropileno por ano. Sua entrada em operação irá se somar à produção da unidade da Braskem já existente em La Porte, que possui capacidade de 354 mil toneladas/ano. A construção ocupará parte dos 800 mil m² do complexo da empresa na região, que fica a 40 quilômetros de Houston, e poderá aproveitar a infraestrutura de suporte já existente, beneficiando-se da conexão para o recebimento de matéria-prima e utilidades, malha ferroviária, sala de controle central e instalações de testes, equipamento de resposta às emergências, instalações de tratamento de resíduos, entre outras sinergias.

Segundo Fernando Musa, ao aumentar a capacidade de produção próxima ao mercado consumidor, com fontes atraentes de matéria-prima e canais estabelecidos de exportação, a planta atenderá aos Clientes da Braskem nos Estados Unidos de maneira adequada, ao mesmo tempo em que traz um nível de retorno sobre o investimento atraente para os acionistas da companhia. “O investimento é um verdadeiro voto de confiança no futuro da Braskem e prova do nosso compromisso em atender às necessidades dos nossos clientes”, conclui Musa.

O anúncio da nova fábrica de polipropileno soma-se ao recém início da operação da planta de UTEC, marca tecnologia desenvolvida pela Braskem para o Polietileno de Ultra-Alto Peso Molecular (PEUAPM), também na unidade de La Porte. Nos Estados Unidos, a Braskem possui atualmente três fábricas de PP localizadas no Texas, outra unidade na Pensilvânia e uma quinta planta situada em Virgínia Ocidental, totalizando uma capacidade de produção de aproximadamente 1,5 milhão de toneladas por ano. A Braskem também produz polipropileno no Brasil e na Alemanha.

O projeto da nova planta de PP está sendo desenvolvido de acordo com o compromisso da Braskem com a sustentabilidade, observando ecoindicadores como emissões, eficiência hídrica e energética, além de reciclagem e redução do volume de resíduos. O polipropileno é uma das resinas termoplásticas mais empregadas no mundo do plástico, sendo utilizada para a fabricação de autopeças, embalagens, não-tecidos, brinquedos e inúmeras outras aplicações.

Fonte: Braskem

Curta nossa página no

GPA e Braskem vão produzir embalagens de plástico reciclado a partir de materiais coletados em supermercados

31/05/2017

Por meio da parceria entre as duas empresas, serão recicladas 60 toneladas de plástico por ano para produção das novas embalagens do tira-manchas Qualitá

A Braskem e o Grupo GPA, maior empresa varejista do Brasil, vão reciclar 60 toneladas de plástico por ano para produzir as novas embalagens do tira-manchas Qualitá, marca exclusiva comercializada nas redes Extra e Pão de Açúcar de todo o país. A parceria faz parte da plataforma Wecycle, criada pela petroquímica, para valorização de resíduos plásticos na cadeia produtiva e integra o programa de logística reversa do GPA, o Novo de Novo.

A iniciativa vai utilizar os materiais descartados nas Estações instaladas em hiper e supermercados do GPA (redes Extra e Pão de Açúcar), que são doados para cooperativas parceiras do Programa. Depois de separado, o plástico é enviado a uma recicladora que fabrica a resina composta de 70% de material reciclado e 30% de polietileno virgem. A resina é então vendida para o transformador de plástico, que irá produzir a embalagem do produto e realizar o envase.

Todo o volume de tira-manchas Qualitá vendido no Brasil – cerca de 10 mil potes por mês – terá embalagens fabricadas com a resina reciclada. “A parceria é a concretização de nosso objetivo de desenvolver, em parceria com a cadeia, soluções customizadas para reciclagem e novas aplicações do plástico pós-consumo”, diz Américo Bartilotti, diretor de Polietileno da Braskem.

Para assegurar o respeito às legislações vigentes e às exigências de sustentabilidade, cooperativas e recicladoras passaram por processos de auditoria do Wecycle. As cooperativas agora também fazem parte do ser+realizador, programa da Braskem que tem como objetivo aumentar a reciclagem de resíduos pós-consumo no Brasil de maneira colaborativa, bem como desenvolver o trabalho de catadores e a profissionalização das cooperativas, criando oportunidades para transformações na indústria a favor do meio ambiente.

A parceria também representa um novo passo do programa “Novo de Novo” do GPA, que consegue reinserir no ciclo produtivo papéis e embalagens longa vida coletados nas Estações de Reciclagem das lojas Extra e Pão de Açúcar. As cooperativas responsáveis pela separação desses materiais contam com uma parceria promovida pelo GPA de venda do material a uma fábrica responsável por fazer embalagens de produtos Qualitá e Taeq. De todo o material recolhido, 75% da composição é celulose, que é transformada novamente em papel na indústria. Atualmente, a companhia conta com 184 pontos de coleta, que recebem aproximadamente 2 milhões de quilos de materiais recicláveis por ano. A coleta é feita por mais de 40 cooperativas em todo o país.

“O GPA sempre foi pioneiro em iniciativas relacionadas à sustentabilidade no varejo. Com essa parceria com a Braskem, estamos dando um passo ainda maior nesse campo, unindo todas as pontas da cadeia de produção ao ciclo de vida do consumo. E, claro, engajando nossos consumidores a assumir essa responsabilidade conosco e também gerando oportunidade de renda e trabalho para a comunidade local”, explica Laura Pires, diretora de sustentabilidade do GPA.

Para Eugênio Júnior, Gerente de Desenvolvimento Técnico de Marcas Exclusivas do GPA, a parceria reforça o compromisso da área de Marcas Exclusivas da companhia de expandir suas iniciativas sustentáveis. “O Novo de Novo é um projeto de logística reversa pioneiro no grande varejo e temos excelentes resultados na cadeia de papel. A parceria com o Wecycle nos proporcionou expandir a iniciativa para o segmento de plásticos, garantindo sua reinserção na cadeia produtiva e promovendo mais uma destinação correta a este tipo de material”.

A plataforma Wecycle foi criada com o objetivo de fomentar negócios e iniciativas para a valorização de resíduos plásticos, reforçando o compromisso da Braskem com a cadeia do plástico no Brasil. Entre os pilares de atuação estão o desenvolvimento de produtos com conteúdo reciclado pós-consumo, certificação ou qualificação de processos e produtos e ações de responsabilidade social voltadas à reciclagem.

Fonte: Braskem

Curta nossa página no

Braskem registra Ebitda recorde de R$ 3,6 bilhões no 1º trimestre

23/05/2017

Taxa média operacional ficou acima de 95% em todas as regiões

A Braskem registrou um novo recorde de Ebitda da ordem de R$ 3,6 bilhões no primeiro trimestre de 2017. O desempenho significou um avanço de 16% sobre igual período do ano passado, segundo prévia não auditada dos resultados. Em dólar, o Ebitda da Companhia alcançou US$ 1,1 bilhão no período, o que representou expansão de 45% na comparação com o primeiro trimestre de 2016.

Como destaque, a taxa de ocupação das plantas industriais ficou, em média, acima de 95% em todas as regiões onde a Companhia atua. O Complexo Petroquímico do México, que começou a operar no início do ano passado, trouxe importante contribuição para o resultado, conforme o previsto, com taxa de operação das plantas de polietileno de 97% no trimestre. Nos Estados Unidos e na Europa, a taxa média de ocupação das plantas de polipropileno continua forte e atingiu 101%.

As margens globais petroquímicas e de resinas se mantiverem num patamar muito saudável e contribuíram para o desempenho do primeiro trimestre. “Toda a indústria petroquímica mundial vive em um momento especial, e a Braskem, em razão do seu desempenho operacional e comercial, soube colher os resultados de sua estratégia”, diz Fernando Musa, presidente da Braskem. “Atribuímos esses resultados a todas às nossas equipes competentes e dedicadas em obter os melhores retornos.”

Crescimento de vendas

Todos os segmentos de mercado tiveram crescimento no volume de vendas nos números do primeiro trimestre. Sinais de recuperação da demanda brasileira por resinas termoplásticas também foram identificados A Braskem vendeu 844 mil toneladas de resinas no período, uma expansão de 8% em relação a igual trimestre de 2016 e de 2% na comparação com o último trimestre de 2016. Mesmo diante do aumento das vendas no mercado brasileiro, as exportações de resinas continuaram crescendo, totalizando 429 mil toneladas, uma alta de 3%. A produção de petroquímicos básicos se expandiu 5%, com 2,2 milhões de toneladas comercializadas. As exportações de insumos básicos subiram 31% e somaram 343 mil toneladas.

No México, as vendas de polietileno totalizaram 264 mil toneladas, com cerca de 50% vendidas no mercado local. Nos EUA e na Europa, as vendas a partir da produção local atingiram 541 mil toneladas, 8% superior em relação ao primeiro trimestre de 2016 e recorde histórico no trimestre.

No primeiro trimestre de 2017, a receita líquida da Braskem chegou a R$ 12,6 bilhões, crescimento de 4% sobre o mesmo período do ano passado. Com a estratégia de diversificação geográfica, a participação do mercado brasileiro no total da receita da companhia foi de 51%. Do restante, 49% da receita vieram com as exportações saídas do Brasil (23%) e das unidades internacionais (26%), que incluem EUA, Europa e México. A Companhia voltou ao lucro no trimestre, apresentando um ganho líquido consolidado de R$ 1,9 bilhão. O lucro líquido da controladora foi de R$ 1,8 bilhão.

Fonte: Braskem

Curta nossa página no

Braskem apresenta soluções inteligentes para embalagens na Interpack 2017

03/05/2017

A Braskem participará da Interpack, em Düsseldorf, Alemanha, de 4 a 10 de maio, no estande G15 (Hall 9). No evento, a empresa apresentará novas aplicações para o Plástico Verde I’m greenT, como, por exemplo, a embalagem de café da Peeze e outras para o segmento de personal care, da Speick e L’Erbolario. Resina de polipropileno desenvolvida para produção de espumas de alta performance também será exibida, além de pesquisas e avanços na tecnologia para embalagens inteligentes.

“O Plástico Verde é resultado de um projeto de pesquisa e desenvolvimento que recebeu cerca de US$ 300 milhões em investimentos e envolvimento de diversas pessoas. Atualmente o biopolímero é exportado para Europa, EUA, Ásia, África e América do Sul e mais de 150 marcas o utilizam ao redor do mundo. Para a Braskem, participar da principal feira mundial de embalagens é uma oportunidade para reforçar a nossa presença global”, afirma Gustavo Sergi, responsável pelo Negócio de Químicos Renováveis da Braskem.

Resina para produção de espumas

A Braskem apresenta também a sua marca Amppleo, resina de polipropileno com propriedades de High Melt Strength. O produto foi desenvolvido para a produção de espumas versáteis de alto desempenho para aplicação nos mercados de embalagens, industrial e automotivo, afirma a Braskem.

Segundo a empresa, a resina é capaz de suportar temperaturas de até 130°C sem se deformar e possibilita a fabricação de espumas com ampla versatilidade de aplicações dentro de uma grande escala de densidade que pode ir de 30 kg a 300 kg por metro cúbico, apresentando redução de peso frente a outros materiais e um excelente isolamento térmico e acústico. Além disso, o material pode ser totalmente reciclado.

Pesquisas em embalagens inteligentes

Outro destaque para a edição deste ano ficará por conta dos avanços em pesquisas de embalagens inteligentes, as quais poderão informar ao consumidor sobre a qualidade e o estado de conservação de produtos variados, desde alimentos a cosméticos, através da mudança de cor. A Braskem, em parceria com a Universidade norte-americana de Clemson e a Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), no Brasil, trabalha no desenvolvimento desta tecnologia.

Parcerias que viabilizam inovação

A Braskem apresentará copos de Polipropileno em parceria com a empresa Gizeh e de Plástico Verde em parceria com empresa finlandesa Stora Enso.

Será divulgada também parceria entre a Braskem e a Made In Space, empresa norte-americana líder no desenvolvimento de impressoras 3D para a Nasa, para o fornecimento de Plástico Verde para a manufatura de ferramentas e peças na Estação Espacial Internacional (ISS).

O café que será servido no estande é produzido pela Peeze, única refinaria de café na Holanda que fornece 100% de café certificado e que tem embalagem feita com Plástico Verde I’m greenT. As embalagens sustentáveis são resultado de uma parceria anunciada em outubro de 2016 entre as empresas.

A Braskem produz anualmente um volume de termoplásticos superior a 20 milhões de toneladas, incluindo a produção de outros produtos químicos e petroquímicos básicos, apresentando um faturamento anual de R$ 54 bilhões. A Braskem atua em mais de 70 países, conta com 8 mil integrantes e opera 41 unidades industriais, localizadas no Brasil, EUA, Alemanha e México, esta última em parceria com a mexicana Idesa.

Fonte: Braskem

Curta nossa página no

PICPlast apresentou ferramenta inédita de gestão na Feiplastic 2017

19/04/2017

Voltada para pequenas e médias empresas de transformação plástica, plataforma auxilia companhias na tomada de decisões estratégicas e realizações de novos investimentos

O Plano de Incentivo à Cadeia do Plástico (PICPlast), iniciativa da Associação Brasileira da Indústria do Plástico (ABIPLAST) e da Braskem, marcou presença na Feiplastic 2017 e apresentaou uma ferramenta inédita que irá auxiliar as pequenas e médias empresas do setor plástico na tomada de decisões estratégicas e controle do fluxo de caixa. Com um espaço exclusivo no stand da Braskem, os visitantes puderam conhecer de perto os programas de capacitação desenvolvidos pelo PICPlast, que já ajudou mais de 500 empresas transformadoras da indústria do plástico no Brasil nos últimos 3 anos.

Entre as novidades que foram apresentadas pelo Plano na feira, o destaque ficou por conta da ferramenta “Análises de investimentos”, que foi desenvolvida para ajudar a empresas que estejam planejando realizar algum investimento ou avaliar um projeto como por exemplo adquirir um novo equipamento ou molde. Para tanto, o PICPlast contratou a consultoria Advisia OC&C para desenvolver uma ferramenta que fosse intuitiva e prática e que atendesse a indústria de transformação.

Construído na linguagem Excel, o programa realiza cálculos sofisticados e indica resultados que apontam se os investimentos previstos são realmente vantajosos ou negativos. Disponibilizada gratuitamente para os visitantes da feira, a ferramenta é uma boa solução do ponto de vista financeiro capaz de apontar informações como a taxa de retorno projetada para os investimentos e se é realmente interessante para o empresário tomar crédito para uma expansão que esteja pensando em realizar.

“Com essa nova plataforma, queremos capacitar e profissionalizar as empresas do setor para que elas se tornem mais competitivas no mercado nacional e internacional”, afirma Edison Terra, vice-presidente da Braskem. Já para José Ricardo Roriz Coelho, presidente da ABIPLAST, a ferramenta irá beneficiar empresas que atuam em diversos segmentos. “São investimentos como esse que impactam positivamente o dia a dia da indústria de transformação”, conta.

Também durante a Feiplastic, os visitantes tiveram a oportunidade de conhecer a versão atualizada do programa “Custos e rentabilidade”, que já está disponível para as empresas do mercado de forma gratuita. Desenvolvida para companhias que ainda não possuem sistemas de alta performance, ela funciona como uma plataforma simples e auxilia os transformadores na gestão dos negócios. Nela é possível inserir informações importantes sobre a rotina da companhia e gerar relatórios que apontam para cenários futuros e real capacidade da empresa em atender as demandas dos seus clientes.

Para ter acesso ao material, os visitantes devem se cadastrar previamente no site do PICPlast: http://www.picplast.com.br

Fonte: Abiplast

Curta nossa página no

Braskem desenvolve nova resina para aplicação em peças técnicas

17/04/2017

Solução rígida para suportar peso e resistente ao impacto em baixas temperaturas

Buscando aprimorar seu portfólio de produtos e se antecipar às demandas do mercado, a Braskem lançou a resina CG 210N. Segundo a empresa, trata-se de um copolímero heterofásico com excelente balanço de propriedades, utilizada para promover melhor desempenho de ciclos de injeção rápida. A novidade pode ser utilizada para o mercado agrícola, automotivo, de eletrodomésticos e brinquedos – peças que requerem maior rigidez.

Entre as vantagens da nova resina, afirma a Braskem, está a elevada rigidez para suportar empilhamento e boa resistência ao impacto à baixa temperatura – ideal para aplicação de peças técnicas de paredes finas. Além disso, a resina proporciona ganhos no ciclo de produção, garantindo maior produtividade, mas preservando as propriedades da peça e respeitando o seu design, garante a empresa. “A nova resina entra em um mercado de aplicação em que a Braskem ainda não atuava e, para o desenvolvimento deste material foi uma ação conjunta das áreas comercial, engenharia de aplicação, produto e industrial”, afirma Daniel Horácio, da área de Desenvolvimento de Produto de Polipropileno.

A resina, que foi originalmente desenvolvida para o agronegócio, mais precisamente para caixas agrícolas, tem o objetivo de aumentar a integridade dos produtos, com soluções de qualidade e competitividade de custos. “Com o material é possível garantir maior confiabilidade no processo logístico, manuseio e armazenagem dos materiais em comparação com sucedâneos como as caixas de cartão. Esses atributos são importantes diferenciadores para qualquer negócio, principalmente quando a logística é longa, em especial o processo de exportação”, complementa Paulo Mattos, da área de Negócios Internacionais.

Fonte: Braskem

Curta nossa página no

Braskem destaca portfolio durante Feiplastic 2017

31/03/2017

Empresa apresentará durante a Feiplastic suas linhas de produtos para mercados de filme, cosméticos, higiene e limpeza e alimentos, entre outros.

Para a indústria de transformação e aplicações de filmes especiais, bobinas técnicas e filmes industriais a empresa apresentará o Braskem Flexus, marca do polietileno base metaloceno da Braskem, indicada para utilização em embalagens que exigem características como maior resistência, brilho, transparência e selagem.

Entre as novidades dessa família de resinas está o Braskem Flexus Cling, especialmente desenvolvido para extrusão de filmes stretch (estiráveis), utilizados por indústrias para proteger cargas durante transportes. Segundo a Braskem, a nova solução se destaca pela elevada retenção de carga e excelente performance de “pega”, mesmo em baixas temperaturas. Os filmes produzidos com a solução 100% Braskem apresentam flexibilidade, alta robustez e excelente resistência ao impacto e à perfuração, garantindo principalmente a segurança na movimentação e transporte das cargas unitizadas, afirma a empresa.

High Gloss

Para os mercados de cosméticos, higiene e limpeza e alimentos, a Braskem amplia o portfólio de especialidades e apresenta uma nova resina que proporciona mais brilho e melhor acabamento às embalagens sopradas rígidas, o que dá mais visibilidade ao produto na prateleira perante os concorrentes opacos, assegura a empresa.

Com esse lançamento, a Braskem amplia sua oferta de produto para a produção de recipientes por moldagem por coextrusão e sopro, agregando mais valor para a embalagem final.

Braskem Proxess

A marca Braskem Proxess, família de PEBDL metaloceno de polietilenos de alta performance, foi desenhada para promover fácil processamento e atender às elevadas exigências do mercado de embalagens flexíveis, afirma a Braskem. Segundo a empresa, as resinas entregam alto desempenho e grande flexibilidade para diferentes Clientes e aplicações.

Essa família é indicada para embalagens de empacotamento automático (FFS) ou sacarias industriais, e também para filmes termoencolhíveis, agrícolas e barreira.

Braskem Maxio®

O selo Maxio® certifica as resinas dentro do portfólio da Braskem que geram um menor impacto ambiental em suas aplicações. De acordo com a empresa, essas resinas proporcionam aos Clientes a possibilidade de aumentar a produção, reduzir o consumo de energia e horas trabalhadas pelos equipamentos e/ou reduzir a gramatura do produto final, aumentando a eficiência do processo produtivo.

Braskem Amppleo

Segundo a Braskem, a sua nova marca Braskem Amppleo, resina de polipropileno com propriedades de High Melt Strength (alta resistência do material fundido, em português), foi especialmente desenvolvida para a produção de espumas de alta performance e que tem a versatilidade como uma de suas características. A resina é capaz de suportar temperaturas de até 100°C sem deformar e possibilita a fabricação de espumas com ampla versatilidade de aplicações dentro de uma grande escala de densidade, que pode ir de 35 kg a 300 kg por metro cúbico, apresentando redução de peso frente a outros materiais e um excelente isolamento térmico e acústico, afirma a empresa. Além disso, o material pode ser totalmente reciclado. Com a novidade, a empresa pretende estabelecer parcerias para o desenvolvimento de novas aplicações nos mercados automotivo, industrial, embalagens, construção civil e eletrodomésticos.

I’m Green™

O Polietileno Verde I’m green™ é um plástico produzido a partir de fonte renovável – a cana-de-açúcar. O Plástico Verde pode ser encontrado em produtos de mais de 150 marcas em todo o mundo, como embalagens de alimentos, produtos de higiene e limpeza, pet food, cosméticos, bebidas lácteas, sacolas, tapetes para automóveis, grama sintética, fios e cabos, entre outros.

Fonte: Braskem

Curta nossa página no

Fabricantes internacionais de matérias primas apresentam novidades na Feiplastic 2017

19/03/2017

Marcas como Braskem, Dow, Rhodia Solvay e Milliken apresentam ampla gama de produtos inovadores para a confecção de embalagens, filmes e peças automotivas

Um dos setores importantes da FEIPLASTIC 2107 – Feira Internacional do Plástico, o de “Resinas”, juntamente com outros fabricantes de matérias-primas essenciais na cadeia de produção do plástico, estarão representados no evento por marcas de alto reconhecimento nacional e internacional. Braskem, Dow, Rhodia Solvay, Milliken, Eastman e Colorfix são algumas das principais marcas que levarão uma extensa gama de materiais inovadores para a confecção de embalagens, filmes e peças automotivas, por exemplo, a serem apresentados ao público da FEIPLASTIC.

A FEIPLASTIC 2017 é organizada pela Reed Exhibitions Alcantara Machado e acontece no Expo Center Norte, em São Paulo, de 3 a 7 de abril. Além do setor de “Resinas Sintéticas”, a Feira contemplará o de “Produtos Básicos e Matérias-Primas”, “Máquinas, Equipamentos e Acessórios”, “Moldes e Ferramentas”, “Transformadores de Plástico”, “Instrumentação, Controle e Automação” e “Serviços e Projetos Técnicos”.

A Braskem, maior produtora de resinas termoplásticas das Américas, com volume anual superior a 20 milhões de toneladas e faturamento anual de R$ 54 bilhões, apresenta alguns produtos como o Flexus, marca do polietileno de base metalocênica indicado para utilização em embalagens que exigem características como maior resistência, brilho, transparência e selagem; e o Flexus Cling, da mesma família de resinas, que foi especialmente desenvolvido para extrusão de filmes stretch (estiráveis), utilizados por indústrias para proteger cargas durante transporte. Junto com o Flexus, o Proxess, família de PEBDL metalocênico, é desenhado para atender ao mercado de embalagens flexíveis, indicado para o de empacotamento automático (FFS) ou sacarias industriais, e também para filmes termoencolhíveis, agrícolas e barreira.

A empresa também apresenta uma outra marca: Amppleo, resina de polipropileno de alta resistência, especialmente desenvolvida para a produção de espumas de alto desempenho, capaz de suportar temperaturas de até 100°C sem se deformar, além de possibilitar a fabricação de espumas com ampla versatilidade de aplicações dentro de uma grande escala de densidade. Com ela, a empresa pretende estabelecer parcerias para o desenvolvimento de novas aplicações nos mercados automotivo, industrial, de embalagens, construção civil e eletrodomésticos.

Durante o evento, a Dow apresentará suas mais recentes inovações em resinas: DOWLEX™GM, INNATE™, OPULUX™HGT e AGILITY™. A família DOWLEX™GM proporciona o desenvolvimento de filmes com melhores óticas e aprimora atributos como transparência e brilho, de forma a ter maior destaque no ponto de venda.  Já a família INNATE™ apresenta um equilíbrio inédito entre tenacidade e rigidez, combinado a uma excelente resistência ao rasgo e à perfuração, o que possibilita a produção de embalagens mais leves e resistentes.

O OPULUX™ HGT, solução recente em verniz de alto brilho que substitui o processo de laminação, incrementando a resistência térmica e mecânica de embalagens flexíveis, complementa o portfólio da Dow para o mercado de embalagens. E a nova família AGILITY™ de resinas de polietileno de baixa densidade, indicadas tanto para processos de filme soprado quanto de revestimento por extrusão, possibilita uma maior produtividade nas linhas de produção, mantendo a uniformidade e a qualidade dos filmes.

A Rhodia Solvay levará à FEIPLASTIC lançamentos de quatro unidades globais de negócio: “Plásticos de Engenharia”, “Specialty Polymers”e “Technology Solutions”. Uma das principais novidades no evento será o lançamento no mercado regional da nova poliamida Technyl® REDx com “molécula inteligente” para peças de alta exigência térmica. Este material inovador, que supera o desempenho dos plásticos especiais convencionais, é destinado a aplicações em peças submetidas a estresse térmico constante, especialmente para os motores automobilísticos da nova geração.

Também contemplando o setor automotivo, o projeto Polimotor 2 oferece um amplo portfólio de soluções que incluem os polímeros especiais das marcas Torlon® (PAI), Avaspire® (PAEK), Ketaspire® (PEEK) eRyton® (PPS). A empresa divulgará ainda os novos desenvolvimentos de polímeros especiais – incluindo fluorpolímeros – para aplicação de baterias automotivas em veículos híbridos e elétricos, que começam a ganhar mercado especialmente na Europa.

Outra novidade é o Technyl® 4earth®, um novo processo patenteado pela Solvay que transforma fontes estáveis de têxteis técnicos pós-industriais ou em fim de vida – tais como airbags para automóveis – em plásticos de engenharia de primeira qualidade. Esta tecnologia exclusiva oferece novos produtos ecológicos reduzindo significativamente o impacto ambiental de peças de poliamida.

O foco da unidade global de negócios “Technology Solutions /Polymer Additives” na Feiplastic são os aditivos estabilizadores a luz e antioxidantes. O destaque desse negócio são os produtos da linha Cyasorb® Cynergy Solutions desenvolvidos para aplicações com elevados requerimentos técnicos como: filmes de PE para cobertura de estufas agrícolas, compostos de PP para peças automotivas interiores e exteriores, rotomoldagem e geosintéticos.

A Milliken, empresa global de especialidades químicas, revestimento e materiais de alto desempenho, vai apresentar seu produto clarificante concentrado NX UltraClear®, que proporciona ao polipropileno (PP) altíssima transparência, ideal para a confecção de embalagens e recipientes cujo conteúdo precisa estar protegido e à vista. A ação do clarificante é capaz de superar o tradicional aspecto translúcido do PP em embalagens termoformadas (moldadas em altas temperaturas), criando uma transparência similar àquela do PET e PS (poliestireno), mas com os benefícios ambientais e de desempenho do material.

A Eastman, empresa de especialidades químicas e fibras, estará presente na FEIPLASTIC 2017 apresentando seu portfólio de Plásticos Especiais, com destaque para Tritan e Glass Polymer, além de TPU’s e Plastificantes Scandiflex. Em Plásticos Especiais, a Eastman apresentará o projeto Philips Duravita, com novas Jarras para Blenders. Neste ano, a empresa oferecerá eventos diários, com destaque para o “Eastman Strike: Desafio Tritan”: a empresa montará uma pista de boliche e o jogo será realizado com garrafas feitas com Tritan, testando sua resistência.

Após dois anos em desenvolvimento, a Colorfix Masterbatches vai lançar o ColorID. Trata-se de um aplicativo digital com a função de identificar a cor solicitada pelo cliente, de forma mais rápida e assertiva. O cliente irá apresentar a cor e o representante comercial, de forma online, fará a leitura, identificando a tonalidade e ainda indicando as possíveis variáveis e a sua ficha técnica. De acordo com a Colorfix, o ColorID conta com um armazenamento de 800 cores, nas versões com e sem textura, em PE (polietileno), PP (polipropileno) e PS (poliestireno).

Entre os expositores de Resinas e Matérias-Primas confirmados para a FEIPLASTIC 2017, estão: ETENO, VIDEOLAR –INNOVA, COLORMIX, FORTYMIL, A SCHULMAN, DRY COLOR, MAIS POLIMEROS, AKRO-PLASTIC, EASTMAN, PIRAMIDAL, AMPACET, ECOMASTER, REPLAS, COLORFIX, ELEKEIROZ, BRASKEM, CRISTAL MASTER, EVONIK, ACTIVAS, CROMEX, INBRA, PEPASA, DACARTO,
STYROLUTION, ASTON, KARINA, KURARAY, REMO, PRO-COLOR, MILLIKEN, EXXONMOBIL, SOFTER, MITSUI, KRISOLL, TERMOCOLOR, MULTICEL, CUYO, ARKEMA, MULTICOLOR, SNETOR, BAERLOCHER, NEXO, SABIC, BASELL, NZ COOPERPOLYMER, BASF, BIESTERFELD, OMYA, LANXESS, BOREALIS, ASACLEAN, APTA RESINAS, BRASCHEMICAL, PONTUAL POLIMEROS, COVESTRO, CABOT, PROQUIMIL, RAPOSO, CARBOMIL, CORBION, INNOVA, CHEMSON, RADICI PLASTIC, PETROPOL, CHEM-TREND, RHODIA SOLVAY, CLARIANT, SUN ACE, INEOS STYROLUTION, COIM, THATHI, UBE, TORAY

Fonte: Assessoria de Imprensa – Feiplastic

Curta nossa página no

Braskem bate recordes operacionais em 2016 mas registra prejuízo de R$ 768 milhões no ano

22/02/2017

Braskem_balanco_2otri

  • Vendas e EBITDA registram marca histórica
  • Prejuízo no Quarto trimestre foi de R$ 2,63 bilhões, incorporando multas e indenizações previstas em acordo da Operação Lava Jato

A Braskem alcançou índices elevados de produção e vendas que culminaram em um resultado recorde do EBITDA em 2016. Segundo prévia não auditada dos resultados, o EBITDA consolidado da Companhia cresceu 23% em relação ao ano anterior e registrou R$ 11,5 bilhões (US$ 3,3 bilhões, alta de 18% em dólar).

Esse resultado é explicado pelo bom desempenho operacional das plantas industriais, os níveis atuais de spreads de resinas no mercado internacional, o maior volume de exportações do Brasil, a boa performance das operações dos Estados Unidos e da Europa, o início da produção do Complexo Petroquímico do México, além da depreciação média do real de 5%.

“Os resultados de 2016 comprovaram a estratégia bem-sucedida da Braskem”, diz Fernando Musa, presidente da Companhia. “A Braskem manteve o foco na eficiência operacional em linha com seu posicionamento de buscar a diversificação de matérias-primas e a internacionalização de suas operações nas Américas.”

Com o foco direcionado na produtividade e competividade de seu parque industrial, a Braskem registrou taxa média recorde de utilização dos crackers no Brasil de 92%, alta de três pontos percentuais em relação ao ano anterior. No ano, a produção de resinas termoplásticas foi de 4,9 milhões de toneladas, 4% superior a 2015, enquanto a de petroquímicos básicos cresceu 3%, alcançando 8,5 milhões de toneladas no mesmo período.

Embora as vendas de resinas da companhia tenham recuado 1% no mercado brasileiro em 2016 para 3,4 milhões de toneladas, a estratégia da Braskem de redirecionar parte da sua produção para o exterior foi bem-sucedida. As exportações de resinas aumentaram 24% no ano e totalizaram 1,7 milhão de toneladas, também marca histórica. As vendas dos principais petroquímicos básicos tiveram alta de 5%, para 1,8 milhão de toneladas.

Nos Estados Unidos e na Europa, o índice médio de operação das sete plantas de polipropileno – cinco unidades nos EUA e duas na Alemanha – foi de 100%, dois pontos acima do ano anterior. A produção alcançou 2 milhões de toneladas, alta de 2% e recorde histórico da Companhia. Esse também foi o volume de vendas da Braskem a partir desses mercados.

A fim de atender os clientes da Europa e dos EUA, a Braskem começou a operar, no início deste ano, sua planta de polietileno de ultra-alto peso molecular em La Porte, no estado norte-americano do Texas, fruto de um investimento de US$ 40 milhões.

Com o início da produção da Braskem Idesa no México em abril de 2016, a taxa média de operação das três plantas de polietileno do Complexo Petroquímico, localizado em Nanchital, subiu para 73% no quarto trimestre de 2016, alta de 10 pontos percentuais em relação ao trimestre anterior, em linha com a esperada curva de crescimento da produção. Em 2016, o EBITDA da Braskem Idesa totalizou R$ 537 milhões (US$ 165 milhões), com margem EBITDA de 34%.

No fim de 2016, a Braskem assinou o Acordo Global, no qual se comprometeu a pagar R$ 3,1 bilhões em multa e indenização às autoridades a fim de encerrar as alegações da Operação Lava Jato. Em razão disso, o resultado da Companhia no quarto trimestre acabou afetado negativamente, apresentando um prejuízo de R$ 2,63 bilhões no período. No ano, o resultado da Braskem foi de R$ 768 milhões negativo, dos quais R$ 452 milhões na Controladora.

Investimentos

A Braskem planeja investir aproximadamente R$ 1,8 bilhão em 2017, dos quais a maior parcela é destinada a projetos no Brasil de manutenção, produtividade, SSMA e eficiência operacional, além do programa de investimento para o uso de gás etano como matéria prima no Polo Petroquímico de Camaçari, na Bahia (R$ 236 milhões).

A Braskem apresenta um volume de produção anual superior a 20 milhões de toneladas, incluindo a produção de produtos químicos e petroquímicos básicos. Seu faturamento anual é de R$ 54 bilhões. A empresa atua em mais de 70 países, conta com 8 mil integrantes e opera 41 unidades industriais, localizadas no Brasil, EUA, Alemanha e México, esta última em parceria com a mexicana Idesa.

Fonte: Braskem

Curta nossa página no

Indústria de bebidas aposta em Polietileno de origem renovável

17/02/2017

braskem-pe-verde-bebidas

Adoção do PE verde é crescente entre empresas do segmento

Em todo o mundo, o setor de bebidas é um dos mais engajados na busca de soluções inovadoras que tornem seu negócio mais sustentável e, portanto, com menor impacto no meio ambiente. O segmento é, por exemplo, um dos que adota o polietileno produzido a partir de etanol de cana-de-açúcar -tecnologia desenvolvida pela Braskem.

A última empresa brasileira a adotar o Plástico Verde “I’m green”, foi a Serra da Cantareira Águas Minerais. A companhia passou a utilizar a matéria-prima renovável em tampas de água mineral da marca Puraqua.  Ainda em 2016, a Woolworths, uma das principais redes de supermercados da África do Sul, também anunciou o uso do polietileno de origem renovável em suas embalagens de leite. Já a alemã Eckes-Guanini passou a usar o Plástico Verde em seus sucos orgânicos para as marcas Bramhults e Valsolille.

Outras empresas que firmaram parceria com a Braskem foi a japonesa Asahi, aplicando o Plástico nas tampas dos refrigerantes da marca Mitsuya Cider, de 1,5 litro. Já a  a Suntory, também japonesa e líder no segmento, recentemente passou a utilizar a resina nas tampas de suas garrafas de água mineral de 550 ml “Suntory Aso Tennensui”, cuja produção anual é estimada em 26 milhões de unidades.

Em 2015, a Pernod Ricard Brasil, afiliada da multinacional francesa de destilados, vinhos e champanhes, foi a primeira empresa de destilados a adotar o Plástico Verde  nas tampas dos seus produtos Rum Montilla e Vodka Orloff. O polietileno de origem renovável também pode ser encontrado em rolhas de garrafas de vinho fabricadas pela Nomacorc. Denominadas Select®Bio, as rolhas são 100% recicláveis e apresentam o mesmo desempenho em controle do oxigênio que a linha convencional, além de evitar a deterioração e desperdício causados por processos como oxidação e redução, afirma a Braskem.

A Tetra Pak, maior fornecedora mundial de embalagens tipo longa vida, usa desde 2012 tampas feitas de Plástico Verde. Além disso, há mais de dois anos, a companhia também usa polietileno de baixa densidade (LDPE) “I’m green” como componente das camadas de suas embalagens cartonadas. A Nestlé foi uma das indústrias pioneiras no uso do Plástico Verde, ao adotar a solução nas linhas Ninho e Molico em junho de 2011, pouco depois do lançamento da resina.

Pegada de Carbono

Em abril, o plástico verde “I’m green” recebeu a certificação da pegada de carbono do Ministério do Desenvolvimento da Indústria e do Comércio (MDIC), dentro das ações para implementar a Política Nacional de Mudanças Climáticas em setores prioritários. De acordo com a medição, realizada pela Carbon Trust e pela ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas), o polietileno de origem renovável tem uma pegada de emissões negativa, ou seja, ajuda a sequestrar o gás poluente da atmosfera.

Fonte: Braskem

Curta nossa página no

Centro de Tecnologia e Inovação da Braskem investe R$ 1,7 milhão em novo laboratório para moldagem rotacional

09/02/2017

braskem-rotomoldagem

Espaço apoiará no atendimento aos clientes e na busca de soluções para o setor

O Centro de Tecnologia e Inovação (CTI) da Braskem em Triunfo investiu R$ 1,7 milhão em equipamentos para um completo laboratório de rotomoldagem, que será inaugurado em março deste ano com a presença de clientes. O laboratório será utilizado para desenvolver novas soluções para o mercado de rotomoldagem – segmento responsável por produção de peças grandes, como, por exemplo, caixas d’água, brinquedos e peças do setor agrícola.

Entre os testes que poderão ser realizados no novo espaço estão análises de produtividade, comparação técnica entre materiais e grades do portfólio, avaliação da resistência para cumprimento das normas vigentes e atendimento técnico às demandas de clientes. “O laboratório colocará em evidência o segmento da rotomoldagem, permitindo à Braskem posicionar-se como provedora de soluções técnicas para o mercado. Adicionalmente, estaremos capacitando as equipes em um novo processo de produção”, diz Eliomar Pimenta, engenheiro de aplicação da Braskem.

Fonte: Braskem

Curta nossa página no

Braskem inicia operações da nova planta de Polietileno de Ultra-Alto Peso Molecular nos EUA

24/01/2017

braskem-utec

  • A nova planta de UTEC em La Porte, no Texas, representa mais um marco de investimento na estratégia de crescimento da Braskem na América do Norte
  • A Braskem fortalece a sua posição como uma das maiores produtoras de PEUAPM do mundo

A Braskem anunciou no último dia 18 o início da operação da sua nova planta de Polietileno de Ultra-Alto Peso Molecular (PEUAPM) UTEC em La Porte, no estado norte-americano do Texas. Comercializado sob a marca UTEC, o PEUAPM de alto desempenho da Braskem foi desenvolvido e produzido utilizando tecnologias proprietárias da empresa.

“Com a partida da planta, a Braskem fortalece substancialmente a sua posição como uma das maiores produtoras de PEUAPM do mundo, desenvolvendo e produzindo aplicações avançadas do polímero UTEC para atender as necessidades dos nossos clientes e dos seus respectivos clientes finais. Estamos ansiosos por continuar expandindo e avançando o negócio de PEUAPM da Braskem globalmente”, destacou Christopher Gee, Diretor Global de Negócios UTEC da Braskem.

A nova planta de UTEC permitirá à Braskem atender melhor aos seus clientes na América do Norte e também na Europa, através de exportações. Com mais de 700 Integrantes nos EUA, a Braskem America tem sede regional na Filadélfia, estado da Pensilvânia, e conta com seis unidades industriais: quatro no Texas (La Porte, Oyster Creek e Seadrift), uma na Pensilvânia (Marcus Hook) e uma em West Virginia (Kenova). Adicionalmente, seu moderno Centro de Inovação & Tecnologia, em Pittsburgh, Pensilvânia, contribui para fortalecer a parceria entre a Braskem e seus clientes na América do Norte. Em meados de 2016, a Braskem anunciou melhorias em seu Centro de Inovação e Tecnologia de Pittsburgh, com o aumento da capacidade de pesquisa e desenvolvimento em PEUAPM, visando apoiar o lançamento da produção de UTEC nos EUA.

De acordo com a Braskem, o polímero UTEC possui excelentes propriedades mecânicas, tais como elevada resistência à abrasão, resistência ao impacto e baixo coeficiente de atrito. Autolubrificante, o polímero possui alta resistência e baixo peso, além de ser usinável, com aplicação em produtos semiacabados. A resina UTEC é oito vezes mais leve que o aço e dez vezes mais durável que o polietileno de alta densidade (PEAD), afirma a Braskem. Suas diversas aplicações abrangem setores como automotivo e de transporte, eletroeletrônicos, fibras e têxteis, industrial e de maquinário pesado, manuseio de materiais, óleo e gás, dutos e mineração, plásticos porosos, recreação e para o consumidor final.

Fonte – Braskem

Curta nossa página no

Braskem vende a quantiQ

24/01/2017

braskem-quantiq

A Braskem assinou no último dia 10 uma contrato com a GTM do Brasil, subsidiária da GTM Holdings S.A., por meio do qual se comprometeu a vender a totalidade do capital social da sua controlada quantiQ, uma das maiores distribuidoras de produtos químicos do Brasil.

O valor da transação é de R$ 550 milhões, dos quais R$ 450 milhões serão pagos no ato da venda e o restante em até 12 meses. A conclusão da alienação está sujeita a condições precedentes usuais nesse tipo de operação, dentre as quais se inclui a aprovação pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE).

“A alienação da quantiQ está em linha com a estratégia de reforçar nossa atuação no setor petroquímico, otimizando o portfólio de ativos da Braskem dentro do nosso compromisso com a disciplina financeira”, diz Fernando Musa, presidente da Braskem.

A GTM é um dos maiores distribuidores químicos da América Latina com operações no Brasil, México, Guatemala, El Salvador, Honduras, Nicarágua, Costa Rica, Panamá, Colômbia, Equador, Peru e Argentina. É controlada pela Advent International, um dos maiores investidores globais de private equity.

Os ativos da quantiQ, criada em 1991 como Ipiranga Química, são oriundos da aquisição e posterior incorporação dos negócios de distribuição do grupo Ipiranga em 2007 e da Quattor em 2010. Com quatro centros de distribuições e sete bases logísticas, a distribuidora atende mais de 50 segmentos de mercado, incluindo commodities e especialidades químicas. A Braskem manterá relações comerciais com a quantiQ.

Fonte: Braskem

Curta nossa página no

Serra da Cantareira Águas Minerais lança marca Puraqua e passa a utilizar o Plástico Verde

22/12/2016

braskem-puraqua

Bioplástico renovável da Braskem estará presente nas tampas das embalagens de água mineral

A Serra da Cantareira Águas Minerais lançou a Puraqua, primeira marca brasileira de seu segmento a adotar o Plástico Verde em tampas de garrafas. A resina, cuja origem é o etanol da cana-de-açúcar, reforça a proposta da empresa de adotar elevados padrões de sustentabilidade em todo o processo produtivo.

A fonte utilizada pela linha Puraqua fica dentro na reserva ambiental do Parque da Cantareira, dentro de um cinturão de preservação da fauna e flora, o que garante a leveza e pureza da água, afirma a empresa. Além disso, o processo de engarrafamento foi elaborado para assegurar que as características naturais permaneçam as mesmas desde a extração até o consumo final.

O consumidor poderá identificar a embalagem a partir do selo “I’m greenT“, visível na frente e no verso do produto. A marca é a identificação da Braskem para embalagens que são de origem renovável. Atualmente, mais de 80 produtos são feitos de PE Verde, desde embalagem de bebidas, alimentos até produtos de beleza, ferramentas de jardinagem e componentes automotivos.

No ramo de envase de água mineral há 6 anos, a Serra da Cantareira Águas Minerais possui uma linha completa de produtos de água mineral natural. Com embalagens descartáveis e retornáveis a empresa conta com uma base sólida de distribuidores na região da Grande São Paulo e litoral paulista. Localizada dentro de uma reserva ambiental, qualidade e sustentabilidade são os focos da operação.

Fonte: Braskem

Curta nossa página no

Novas embalagens de linha Cuide-se Bem de O Boticário utilizam Polietileno Verde

08/12/2016

braskem-boticarioA linha Cuide-se Bem, de O Boticário, está de cara nova. E junto ao novo conceito, que convida as consumidoras a praticarem a lei do bem-me-quero – estimulando um tempo para se cuidar, a empresa pensou também nos cuidados com o meio ambiente. Essa é a primeira vez que uma linha completa de produtos do Grupo Boticário traz todos os itens com embalagens de plástico vegetal.

O Plástico Verde, derivado do etanol da cana-de-açúcar, fonte 100% renovável, colabora para a redução da emissão dos gases causadores do efeito estufa. Com as mesmas características do polietileno tradicional, as embalagens feitas da cana-de-açúcar para Cuide-se Bem evitarão a emissão de cerca de três mil toneladas de CO2 por ano, afirma a Braskem.

“Em cada lançamento de suas marcas, o Grupo Boticário estimula a redução do impacto ambiental dos produtos. Fazemos isso pensando em novas soluções para as embalagens, fórmulas e processos que gerem impactos positivos no planeta e benefícios maiores para as pessoas”, afirma Malu Nunes, gerente de sustentabilidade do Grupo Boticário.

De acordo com Gustavo Sergi, diretor de Químicos Renováveis da Braskem, o lançamento está alinhado ao propósito da empresa de melhorar a vida das pessoas, por meio da química e do plástico. “Compartilhar essa iniciativa com empresas de destaque em seus setores e claramente comprometidas com a promoção da sustentabilidade é muito importante para a companhia e para o desenvolvimento desse negócio”, afirma.

Para ajudar o consumidor a reconhecer o produto na hora da compra, O Boticário criou o ícone “Com Plástico Vegetal”, que garante a origem da embalagem. Além de ecoeficientes, os itens de Cuide-se Bem trazem embalagens mais bonitas e divertidas para convidar a consumidora a olhar para si mesma. “Toda mulher precisa tirar um tempo para se cuidar, se curtir e se gostar mais, mesmo que seja apenas por alguns instantes diários. O mundo não vai parar, então nós precisamos nos priorizar. Essa é a proposta de Cuide-se Bem, um cuidado para si mesma”, explica Aline Mori, gerente de Cuidados Pessoais de O Boticário.

Fonte: Braskem

Curta nossa página no

Braskem amplia portfólio com resina que confere brilho às embalagens

08/12/2016

braskem-brilho

Destinado especialmente para frascos soprados rígidos, lançamento reforça a oferta de produtos para o segmento de sopro

Atenta às tendências de mercado, a Braskem ampliou o portfólio de especialidades com nova resina que proporciona mais brilho e melhor acabamento às embalagens sopradas rígidas, afirma a empresa.

Os mercados prioritários para a nova resina são os de cosméticos, higiene e limpeza e alimentos. A novidade confere às embalagens uma película de brilho e melhor acabamento, o que dá mais visibilidade ao produto na prateleira perante os concorrentes opacos.

“O cuidado com o recipiente é tão importante quanto o conteúdo armazenado, pois a embalagem é responsável por reforçar a identidade da marca para o mercado e o consumidor”, afirma Zolder Stekhardt, gerente de conta responsável pelo mercado de sopro para embalagens de consumo na Braskem. “Com esse lançamento, a Braskem amplia sua oferta de produto oferecendo um portfolio ainda mais completo para a produção de recipientes por moldagem por coextrusão e sopro, agregando mais valor para a embalagem final”, completa Zolder.

A Braskem possui mais de 15 grades de polietileno para o segmento de sopro e busca desenvolver novas soluções que apresentem propriedades eficientes no que diz respeito à resistência, facilidade de processamento e alta produtividade e sustentabilidade, características que garantem embalagens de melhor qualidade, acabamento e maior resistência.

Fonte: Braskem

Curta nossa página no

Movimento Plástico Transforma mobiliza mais de 7 mil profissionais do setor

29/11/2016

movimento_plastico_transforma16-copiaMais de 7 mil colaboradores da indústria brasileira da transformação e reciclagem do plástico aderiram à primeira fase do Movimento Plástico Transforma, encerrada no mês de agosto, a Promoção Plástico Premiado. Trata-se de uma ação do Plano de Incentivo à Cadeia do Plástico (PICPlast), uma iniciativa da Braskem e da ABIPLAST – Associação Brasileira da Indústria do Plástico, que realiza uma série de ações de educação e conscientização para mostrar, de forma didática e objetiva, a importância do plástico no cotidiano das pessoas.

A Promoção Plástico Premiado teve como objetivo oferecer ao setor da transformação e reciclagem informações que valorizam as características, as vantagens do uso do plástico e mostram sua considerável evolução ao longo da história, para que cada colaborador deste segmento pudesse se tornar um multiplicador dessas informações.

Convidados a navegar pelo rico conteúdo informativo do site oficial da campanha (www.plasticotransforma.com.br), os colaboradores também foram estimulados a responder ao quiz de 15 questões de múltipla escolha, com perguntas sobre aplicações, benefícios e curiosidades sobre os plásticos para concorrerem a 50 TV’s 48” Full HD Smart.

A cadeia produtiva do plástico tem protagonizado movimentos positivos de integração entre indústria e sociedade. “Intensificar as ações de capacitação que englobem todos os agentes da cadeia do plástico é fundamental para que eles reúnam argumentos positivos e corretos sobre a real importância do plástico na vida das pessoas”, afirma o vice-presidente da unidade de Poliolefinas, Vinílicos e Químicos Renováveis da Braskem, Luciano Guidolin.

A característica da indústria da transformação e reciclagem do plástico no Brasil mostra uma composição de pequenas, médias e grandes empresas com atuações destacadas no cenário global. “Somos um dos maiores empregadores industriais do Brasil e é fundamental transferirmos conhecimento para cada colaborador, e que esse conhecimento seja motivo de orgulho e motivação para o desenvolvimento sustentável desse setor”, afirma o presidente da Associação Brasileira da Indústria do Plástico (ABIPLAST), José Ricardo Roriz Coelho.

O segundo e terceiro momentos do Movimento Plástico Transforma serão voltados aos formadores de opinião e à sociedade, respectivamente. Para saber mais sobre a ação, acesse o site do Movimento Plástico Transforma www.plasticotransforma.com.br .

O PICPlast – Plano de Incentivo à Cadeia do Plástico, é uma iniciativa criada há três anos pela ABIPLAST – Associação Brasileira da Indústria do Plástico e pela Braskem. Prevê o desenvolvimento de programas estruturais que contribuam com a competitividade e crescimento da transformação plástica, incluindo investimentos para aumentar as exportações de produtos transformados, incentivo à inovação e o reforço na qualificação profissional e na gestão empresarial. Para mais informações sobre o PICPlast, acesse: http://www.picplast.com.br.

Fonte /foto: Abiplast

Curta nossa página no