Posts Tagged ‘México’

Feira Plastimagen México 2017 espera receber 30.000 visitantes em Novembro

14/09/2017

Como parte de sua turnê sul-americana com E.J. Krause para promover a vigésima primeira edição da Plastimagen México 2017, Juan Antonio Hernández, presidente da Associação Nacional de Indústrias Plásticas, AC (ANIPAC), indicou que a indústria plástica enfrenta um novo ambiente geopolítico e geoeconômico.

O setor de plástico é estratégico na estrutura industrial mundial. De 1950 a 2015, a indústria plástica registrou crescimento constante em sua produção. A Ásia atualmente domina a produção plástica (cerca de 49%), seguida pela Europa (19%) e pela América do Norte (18%). Por esta razão, continua a ser uma área de oportunidade para o México e a América Latina.

A possibilidade de substituição de peças de fabricação tradicional por elementos fabricados pelo plástico está sendo sempre avaliada em segmentos como o automotivo, em dispositivos médicos, no setor de construção, em embalagens, no setor agrícola, na indústria de eletroeletrônicos e eletrodomésticos, entre  outros.

O uso do plástico como matéria-prima conseguiu melhorar a competitividade de muitas empresas. No setor de embalagens plásticas, por exemplo, tanto as flexíveis como as rígidas, os produtos se estabeleceram no mercado devido à capacidade que demonstraram para preservar a qualidade e a durabilidade dos produtos, tanto de alimentos como de produtos de higiene pessoal, substituindo embalagens fabricadas com metal e vidro.

A indústria de plásticos mexicana mostra uma trajetória claramente crescente. Em 2015, a produção aumentou 7,7% e, até o final deste ano, espera-se um crescimento anual de mais de 6%. O México importa anualmente cerca de 20 bilhões de dólares em resinas e plásticos e está incluído entre os principais países de exportação de produtos, juntamente com os Estados Unidos e Canadá. O México ocupa o 12º lugar no consumo de plásticos no mundo.

A vigésima primeira edição da Plastimagen México, organizada pela E. J. Krause de México e Grupo Tarsus, irá apresentar as tendências e novas tecnologias da indústria de plásticos a nível mundial.

A nova edição

No próximo mês de novembro, exatamente entre os dias 7 e 10, será realizada a vigésima primeira edição da Plastimagen México no Centro Citibanamex da Cidade do México. O evento terá a participação de empresas mexicanas e internacionais, mostrando a vanguarda de soluções para o setor de transformação de plásticos dirigidas a quase todas os segmentos industriais.

Para esta feira, são esperados mais de 30.000 visitantes e cerca de 870 empresas expositoras vindas de 25 países, representando mais de 1.600 marcas. Neste ano, a área de evento também será estendida e haverá 14 pavilhões internacionais. 4 pavilhões do Citibanamex serão ocupados com mais de 43 mil metros quadrados de espaço de exposição, além do pavilhão Valparaiso e da sala F, destinada a máquinaria pesada.

Um programa especial de palestras

A Plastimagen 2018 também contará com um programa internacional de conferências, organizado conjuntamente pela Associação Nacional de Indústrias de Plásticos (ANIPAC) e a EJ Krause de Mexico, que irá oferecer aos visitantes uma oportunidade para capacitação e para encontrar soluções para problemas que frequentemente surgem no cotidiano da indústria de plásticos.

Dentro do programa, serão apresentados tópicos como o da Indústria 4.0. Este é um tema fundamental pois é importante que a indústria de plásticos conheça os seus benefícios nos processos. É imprescindível ouvir a experiência de pessoas que convivem com a conectividade inteligente e o poder da Internet aplicado à manufatura.

Outro grande tema a ser abordado são as matérias primas e aditivos. Novos polímeros continuam a ser desenvolvidos mundialmente, com grandes investimentos para obtenção de materiais com propriedades físicas, mecânicas, ópticas e químicas mais apropriadas a aplicações em diferentes segmentos. Como resultado, por exemplo, tem sido possível a otimização no projeto de embalagens, recipientes e vários outros itens usados na nossa vida cotidiana. Novos materiais plásticos também tem facilitado a reciclagem e reutilização de produtos.

A sustentabilidade e o desenvolvimento da economia circular também é um outro tema focalizado. Finalmente, o público poderá participar de um workshop para discutir tecnologias de processamento de plásticos.

Sobre a EJ Krause México

A EJ Krause de Mexico é um promotor de fóruns de negócios internacionais que produz importantes exposições e conferências anuais em setores estratégicos desde 1991 , no México, com destaque para os setores de alimentação, educação, energia, estilo, silvicultura, indústria, meio ambiente, plástico e TIC, entre outros. É parte da rede mundial da EJ Krause & Associates, Inc. (EJK), que há mais de 30 anos vem sendo um líder mundial na organização de exposições e conferências e uma das maiores empresas privadas organizadoras de exposições do mundo.

Sobre o Tarsus Group Plc:

Tarso Group Plc é um grupo de mídia de negócios internacionais com enfoque em exposições, publicações e mídia online. O grupo opera em setores-chave como a aviação, medicina, rótulos e embalagens, vestuário com desconto (Off-Price clothing), bens de consumo e indústrias automotivas. A Tarsus gerencia mais de 80 eventos e sites e é conhecido por suas exposições Labelexpo na Europa, Américas, Índia, Ásia e no Dubai Airshow.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Plastimagen

Curta nossa página no

Anúncios

Exposição da Arburg na Plastimagen 2017 terá foco em embalagem e automação

14/09/2017

  • Allrounder Golden Electric totalmente elétrica produzirá tampas
  • Quatro potes produzidos em apenas quatro segundos em uma Allrounder híbrida na versão Embalagem
  • Montagem completa: célula de produção fabrica carrinhos de brinquedo prontos para uso (foto)

A Plastimagen, uma das mais importantes feiras de plásticos do México e de toda a América Latina, será realizada na Cidade do México de 7 a 10 de novembro de 2017. A Arburg apresentará a sua tecnologia no stand 730. O foco será sobre embalagem e automação. A série de máquinas de entrada na tecnologia de injeção elétrica, a Golden Electric totalmente elétrica, estará em exibição pela primeira vez no México. Outras mostras incluirão uma máquina híbrida de alto desempenho especialmente projetada para a indústria de embalagens, bem como um sistema turnkey construído em torno de uma Allrounder vertical, com um robô de seis eixos.

“Com nossas mostras de máquinas elétricas, híbridas e hidráulicas, estaremos cobrindo uma ampla gama de máquinas e aplicações na Plastimagen 2017. Na condição de fabricantes de máquinas inovadoras, oferecemos soluções abrangentes para tópicos atuais, tais como a Indústria 4.0, automação e eficiência de produção, bem como serviços e suporte técnico”, diz Guillermo Fasterling, diretor-gerente da filial mexicana da Arburg, em Querétaro. “A Allrounder Golden Electric é de particular interesse para o mercado mexicano, pois permite uma entrada econômica na produção de peças moldadas com tecnologia elétrica. Além disso, mostraremos uma aplicação de alta velocidade para artigos de embalagem na Plastimagen 2017. E nós estaremos também demonstrando nosso know-how no setor de projetos turnkey, com uma máquina injetora totalmente automatizada que produz carrinhos de brinquedo prontos para uso “.

Entrada rentável na produção de peças moldadas com tecnologia elétrica

A Arburg adicionou a série de máquinas “Golden Electric” com forças de fechamento de 600 a 2.000 kN à sua gama de produtos com o objetivo de facilitar a entrada econômica de clientes na produção de peças moldadas com tecnologia elétrica. Similarmente às suas equivalentes hidráulicas “Golden Edition”, afirma a Arburg, essas máquinas elétricas oferecem uma excelente relação preço / desempenho graças a uma padronização consistente, como por exemplo uma combinação fixa de distância entre as colunas, força de fechamento e tamanho da unidade de injeção.

Uma Allrounder 570 E Golden Electric com uma força de fechamento de 2.000 kN será usada na Plastimagen 2017 para demonstrar que essas máquinas também são adequadas para produção com alta precisão no setor de embalagens. A máquina em exibição usará um molde de câmara quente da Artis Matriz para produzir 12 tampas, pesando 3,5 gramas cada uma, em um ciclo de 12 segundos.

Aplicação de alta velocidade para embalagens

As prioridades mais altas para a produção em série, rápida e de alta qualidade na indústria de embalagens são a precisão e tempos de ciclo curtos. Segundo a Arburg, isto é exatamente o que é fornecido pelas versões “Embalagem (P)” das injetoras Alldrive e Hidrive de alta velocidade e alto desempenho, incluindo combinações otimizadas de distância entre as colunas, força de fechamento, curso de abertura e unidade de injeção. Além disso,  placas do molde otimizadas e acionamentos de dosagem servo-elétricos com roscas de barreira reguladas por posição para altas dinâmicas de preenchimento e tempos de injeção curtos são também oferecidos, afirma a fabricante de injetoras. Adicionalmente, existem unidades de fechamento servo-elétricas do tipo “toggle”, com recuperação de energia para freio rápido com pesos baixos.

Na Plastimagen 2017, uma Allrounder 630 H (P) híbrida com uma força de fechamento de 2.300 kN e um molde de 4 cavidades da Otto Hofstetter produzirá potes para macarrão. O tempo de ciclo para quatro desses potes de PP de 11,5 gramas é apenas quatro segundos.

Um carrinho de brinquedo totalmente montado em uma única etapa

Usando o exemplo familiar de carrinhos de brinquedo, a Arburg irá demonstrar a moldagem por injeção automatizada, incluindo a montagem de conjuntos completos de componentes. Para esse objetivo, uma célula de produção construída em torno de uma Allrounder 375 V vertical produzirá peças individuais de polipropileno  usando um molde-família de 1 + 1 + 2 cavidades, em um tempo de ciclo de 25 segundos. Um robô de seis eixos inserirá previamente os eixos metálicos que serão sobremoldados no molde e removerá os quatro componentes finais (chassis, corpo do carrinho e dois eixos junto com as rodas), antes de uni-los em uma estação de montagem para gerar o carrinho final.

A célula de produção para a Plastimagen 2017 foi concebida pela Arburg juntamente com um especialista mexicano em automação. Como contratante principal, a Arburg cobre todo o espectro “turnkey”: desde consultoria e planejamento de projeto, implementação e instalação, até o serviço para as células de produção completas. Segundo a Arburg, os clientes podem confiar em soluções personalizadas de moldagem por injeção vindas de uma única fonte, que contarão com suporte durante todo o período de operação funcional e o ciclo de vida do produto.

Fonte: Arburg

Curta nossa página no

Plastimagen México 2017 será a exposição de plásticos mais importante da América Latina no segundo semestre

25/07/2017

  • Feira comemora 21 edições e posiciona-se como um dos mais relevantes eventos da indústria em toda a América Latina.
  • México registrou crescimento de investimento estrangeiro direto, particularmente no setor manufatureiro
  • O setor de plásticos é estratégico na estrutura industrial do México.

A vigésima primeira edição da Plastimagen México, organizada pela E. J. Krause de México e Grupo Tarsus, irá apresentar as tendências e novas tecnologias da indústria de plásticos a nível mundial.

A nova edição

No próximo mês de novembro, exatamente entre os dias 7 e 10, será realizada a vigésima primeira edição da Plastimagen México no Centro Citibanamex da Cidade do México. O evento terá a participação de empresas mexicanas e internacionais, mostrando a vanguarda de soluções para o setor de transformação de plásticos dirigidas a quase todas os segmentos industriais.

Para esta feira, são esperados mais de 30.000 visitantes e cerca de 870 empresas expositoras vindas de 25 países, representando mais de 1.600 marcas. Neste ano, a área de evento também será estendida e haverá 13 pavilhões internacionais. 4 pavilhões do Citibanamex serão ocupados com mais de 43 mil metros quadrados de espaço de exposição, além do pavilhão Valparaiso e da sala F, destinada a máquinaria pesada.

Um programa especial de palestras

A Plastimagen 2018 também contará com um programa internacional de conferências, organizado conjuntamente pela Associação Nacional de Indústrias de Plásticos (ANIPAC) e a EJ Krause de Mexico, que irá oferecer aos visitantes uma oportunidade para capacitação e para encontrar soluções para problemas que frequentemente surgem no cotidiano da indústria de plásticos.

Dentro do programa, serão apresentados tópicos como o da Indústria 4.0. Este é um tema fundamental pois é importante que a indústria de plásticos conheça os seus benefícios nos processos. É imprescindível ouvir a experiência de pessoas que convivem com a conectividade inteligente e o poder da Internet aplicado à manufatura.

Outro grande tema a ser abordado são as matérias primas e aditivos. Novos polímeros continuam a ser desenvolvidos mundialmente, com grandes investimentos para obtenção de materiais com propriedades físicas, mecânicas, ópticas e químicas mais apropriadas a aplicações em diferentes segmentos. Como resultado, por exemplo, tem sido possível a otimização no projeto de embalagens, recipientes e vários outros itens usados na nossa vida cotidiana. Novos materiais plásticos também tem facilitado a reciclagem e reutilização de produtos.

A sustentabilidade e o desenvolvimento da economia circular também é um outro tema focalizado. Finalmente, o público poderá participar de um workshop para discutir tecnologias de processamento de plásticos.

O Plástico no México

A indústria de plásticos mexicana mostra uma trajetória claramente crescente. Em 2015, a produção aumentou 7,7%. O México importa anualmente cerca de 20 bilhões de dólares em resinas e plásticos e está incluído entre os principais países de exportação de produtos juntamente com os Estados Unidos e Canadá. E é por causa do crescente uso de plástico como matéria-prima que se tem conseguido melhorar a competitividade de muitas empresas. Segmentos industriais diversos tais como o automotivo, o médico-hospitalar, o de construção, de embalagens, o agrícola e o de eletrodomésticos avaliam a opção de substituir as peças de manufatura tradicional por peças de plástico. O México ocupa o 12º lugar no consumo de plásticos no mundo.

Sobre a EJ Krause México

A EJ Krause de Mexico é um promotor de fóruns de negócios internacionais que produz importantes exposições e conferências anuais em setores estratégicos desde 1991 , no México, com destaque para os setores de alimentação, educação, energia, estilo, silvicultura, indústria, meio ambiente, plástico e TIC, entre outros. É parte da rede mundial da EJ Krause & Associates, Inc. (EJK), que há mais de 30 anos vem sendo um líder mundial na organização de exposições e conferências e uma das maiores empresas privadas organizadoras de exposições do mundo. Com escritórios em três continentes, a EJK produz um crescente portfólio de mais de 40 eventos, servindo 14 indústrias diferentes e criando marcas de eventos líderes globais.

Sobre o Tarsus Group Plc:

Tarso Group Plc é um grupo de mídia de negócios internacionais com enfoque em exposições, publicações e mídia online. O grupo opera em setores-chave como a aviação, medicina, rótulos e embalagens, vestuário com desconto (Off-Price clothing), bens de consumo e indústrias automotivas. A Tarsus gerencia mais de 80 eventos e sites e é conhecido por suas exposições Labelexpo na Europa, Américas, Índia, Ásia e no Dubai Airshow. O grupo opera internacionalmente a partir de seus escritórios em Dublin, Londres, Paris, Milwaukee, Boca Raton (Florida), Dubai, Xangai, Nova Dheli e Istambul. O Grupo Tarsus vem fortalecendo sua presença crescente em mercados emergentes do Oriente Médio, China, Turquia, Índia e América do Sul.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Plastimagen

Curta nossa página no

Grupo Solvay constrói fábrica de plásticos de engenharia no México para atender ao mercado regional e América do Norte

31/10/2016
A nova unidade de produção de Technyl® da Solvay, em construção em San Luis Potosí, no México.

A nova unidade de produção de Technyl® da Solvay, em construção em San Luis Potosí, no México.

O Grupo Solvay está construindo uma unidade industrial de plásticos de engenharia Technyl® em San Luis Potosí, no México, com capacidade anual inicial de 10 mil toneladas. A nova unidade tem previsão de entrar em operação no terceiro trimestre de 2017 para atender ao crescimento do mercado regional e da América do Norte ligados às indústrias automotiva e de bens de consumo.

O México é o segundo maior produtor de automóveis e veículos comerciais nas Américas e está em sétimo lugar em todo o mundo, com uma produção anual superior a 3,5 milhões de unidades em 2015. Além disso, muitos fabricantes de bens de consumo e equipamentos elétricos estão localizados nas proximidades, oferecendo novas oportunidades para a Solvay.

“A nova unidade nos ajudará a sustentar o rápido crescimento do negócio de poliamidas Technyl® na América do Norte, ampliando nossa oferta na região”, afirma Vincent Kamel, presidente da unidade global de negócios Solvay Performance Polyamides. “Muitas das principais montadoras do mundo estão localizados na região, o que torna o local uma base ideal para nós atendermos aos mercados e contribuir com as nossas soluções de mobilidade sustentável.”, acrescenta Kamel.

A Solvay já está planejando investimentos adicionais para atender o mercado do NAFTA (sigla em inglês para Tratado Norte Americano de Livre Comércio). Para minimizar custos de investimento e comercialização, a Solvay firmou uma parceria com a Chunil Engineering, um dos seus principais clientes.

“Nossa colaboração com a Chunil Engineering, – uma fornecedora tier 1 do mercado automotivo – permite-nos otimizar a infraestrutura do site, incluindo o uso de energia, água e tratamento de efluentes”, explica Peter Browning, Diretor da Unidade de Negócios Engineering Plastics do Grupo Solvay. “Á medida em que nosso negócio se desenvolve, vamos expandir a capacidade desta unidade modular de 10 mil toneladas para atender às crescentes necessidades de nossos clientes na região.”

A Solvay oferece suporte aos clientes com uma gama completa de serviços técnicos destinados a acelerar o tempo de comercialização de novas aplicações, desde a caracterização de materiais avançados até a validação das aplicações. Esta oferta inclui impressão em 3D de protótipos funcionais à base de poliamida 6 em pó Sinterline®, simulação preditiva com o uso do MMI®Technyl® Design, bem como testes de peças em centros de validação Technyl® totalmente equipados.

Fonte: Assessoria de Imprensa -Solvay

Curta nossa página no

Braskem Idesa inaugura Complexo Petroquímico do México

10/07/2016

Braskem-idesa-inauguracao

Companhia brasileira fortalece estratégia de internacionalização e reforça sua posição entre as cinco maiores fabricantes globais de resinas termoplásticas

A Braskem inaugurou no dia 22 de junho o Complexo Petroquímico do México, em parceria com a empresa mexicana Idesa. Com capacidade de produção integrada de 1,05 milhão de toneladas de eteno e polietileno por ano, o Complexo Petroquímico da Braskem Idesa representa um passo fundamental de crescimento nas Américas e de diversificação de matéria-prima, reforçando a estratégia de internacionalização da Braskem.

“A produção no México coloca a Braskem em um novo patamar. Com 40 fábricas, localizadas no Brasil, Estados Unidos, Alemanha e agora no México, ampliamos o alcance de nossas operações, criando sinergias e complementariedades, desenvolvendo produtos e mercados para melhor servir aos nossos clientes”, diz Fernando Musa, presidente da Braskem.

A produção do Complexo Petroquímico terá como prioridade atender tanto aos clientes do México, dando suporte técnico e desenvolvendo aplicações localmente, como também será dirigida aos mercados dos Estados Unidos, Europa, Ásia e América Central e do Sul.

Com a produção adicional do México, a Braskem passa a ter capacidade de produzir 8,7 milhões de toneladas de resinas termoplásticas, entre polietileno, polipropileno e PVC. Com esse volume, a Braskem reforça sua liderança global entre as cinco maiores produtoras de resinas termoplásticas.

Fruto de um investimento de US$ 5,2 bilhões, o Complexo Petroquímico do México é considerado o maior investimento industrial greenfield já realizado por uma empresa brasileira no exterior. O Complexo reúne um cracker de produção de eteno de base gás e três plantas de polietileno – duas de polietileno de alta densidade linear e a terceira de polietileno de baixa densidade linear.

Com faturamento anual de R$ 54 bilhões, a Braskem atua em mais de 70 países, conta com 8 mil integrantes e opera 40 unidades industriais, localizadas no Brasil, EUA, Alemanha e México.

Fonte: Braskem

Curta nossa página no

Braskem Idesa produz primeiro lote de polietileno no México

07/04/2016

Braskem-Mexico

A Braskem Idesa, joint venture da Braskem com o grupo mexicano Idesa, atingiu hoje, 07 de abril, um importante marco com a produção do primeiro lote de polietileno no Complexo Petroquímico do México.

Esse marco faz parte do processo gradual de partida iniciado em dezembro com a entrada em operação da área de utilidades, seguida do cracker, em março. Após a partida da primeira planta de polietileno de alta densidade, ocorrida hoje, a expectativa é de que as outras duas plantas de polietileno comecem a operar ainda neste mês. Ao longo dos próximos meses, o objetivo é atingir a capacidade de produção de 1,05 milhão de toneladas de polietileno em bases anuais.

“Com o início da operação do Complexo Petroquímico no México, a Braskem demonstra a sua capacidade de realização de um projeto greenfield de grande porte, com o desafio adicional de executá-lo no exterior”, diz Carlos Fadigas, presidente da Braskem. O Complexo Petroquímico está alinhado à estratégia da Braskem de internacionalização de suas operações nas Américas e de maior acesso a matéria-prima competitiva base gás.

Localizado no estado de Veracruz, o Complexo contempla um cracker de etano, integrado a três plantas de polietileno, além das plantas de utilidades (energia, água e vapor). O fornecimento de etano está assegurado por um contrato de 20 anos com a Pemex (estatal mexicana de petróleo e gás), a um preço competitivo, com referência no gás norte americano.

A Braskem Idesa já tem uma carteira de clientes estruturada, formada por mais de 350 empresas no México e também diversas parcerias com distribuidores para ampliar o acesso ao mercado.

O Complexo Petroquímico ajudará a reduzir parte do déficit do setor químico no México, que chega  a US$ 20 bilhões, segundo a Associação Nacional da Indústria Química do México, podendo gerar um impacto positivo na balança comercial mexicana entre US$ 1,5 bilhão e US$ 2 bilhões por ano.

Fonte: Braskem

Curta nossa página no

Romi reforça atuação no mercado mexicano com participação na feira Plastimagen

25/02/2016

A empresa estará presente novamente em um dos mais importantes fóruns de negócios para a indústria de plásticos na América Latina

A Romi, líder na indústria brasileira de máquinas e equipamentos industriais, participará da principal feira realizada no México para o mercado de transformação de plásticos.

A Plastimagen será realizada entre os dias 8 e 11 de março, no Centro Banamex, localizado na Cidade do México. O evento reunirá mais de 850 empresas, que apresentarão as últimas novidades em produtos, tecnologias e soluções para o mercado latino-americano de processamento de plástico. A organização do evento está contando com mais de 30 mil visitantes durante os quatro dias em que ele acontece.

A principal estratégia da Romi na feira é conquistar novos clientes, especialmente nos setores automobilístico e de utensílios domésticos, com as máquinas para processamento de plásticos, e de moldes / matrizes e petrolífero, com máquinas-ferramenta.

A Romi está entusiasmada com o mercado mexicano: “Temos requisitos suficientes para vencer a concorrência, seja em qualidade, preço ou tecnologia. Oferecemos todo o suporte técnico necessário, orientando nossos clientes sobre a melhor aplicação e o melhor funcionamento de seus produtos, tanto máquinas-ferramenta quanto máquinas para processamento de plásticos.” É o que afirma Luiz Cassiano Rosolen, Diretor-Presidente da Romi.

Além de possuir uma subsidiária no país, a Romi conta com o apoio de um representante local para comercialização de suas máquinas, peças e serviços no México.

Exportando bens de capital desde 1944, a Romi tem mais de 150 mil máquinas instaladas por todo o mundo e possui suas subsidiárias localizadas no Reino Unido, na Alemanha, na Espanha, na França, na Itália, nos Estados Unidos e no México, além de representantes na Argentina, no Chile, na Colômbia, no Equador, no Peru e na Venezuela.

Fonte: Indústrias Romi

Curta nossa página no

Cromex levará ao México sua linha de cores e aditivos para os plásticos

29/05/2015

A empresa estará presente na Expo Pack 2015, que será realizada em junho, e fará parte do estande do programa de incentivo às exportações de plásticos, Think Plastic Brazil

 A Cromex vai expor sua linha completa de produtos e serviços na Expo Pack 2015, feira de embalagens, que será realizada entre os dias 16 e 19 de junho no México. Durante o evento, que contempla diversos mercados como o de alimentos, bebidas, farmácia, beleza, artes gráficas, química, electrónica, têxtil e automotivo, além do portfólio completo de produtos, a Cromex vai apresentar a nova linha Microcolor® (masterbatches e compostos micronizados) para o mercado de Rotomoldagem.

A empresa atende hoje mais de 18 setores da economia (agricultura, construção civil, embalagens, automotivo, esportivo, cosmético, higiene e limpeza, etc). Entre os produtos oferecidos estão desde os mais básicos aos de mais complexos critérios técnicos, como as linhas de masterbatches brancos, pretos e coloridos, as especialidades, soluções para o plástico de engenharia, BOPP; a linha sustentável para biopolímeros a partir de fontes renováveis (PE Verde) e biodegradáveis.

Segundo Elisangela Melo, gerente de Vendas da Cromex, a empresa tem uma vocação exportadora e a participação em feiras e eventos em países diversos fazem parte do trabalho de consolidação do mercado externo da Cromex. “Hoje nossos produtos estão em mais de 60 países e temos planos de crescer a participação externa”, afirma a executiva. Atualmente, 20% dos negócios da Cromex são voltados aos mercados externos.

A participação da Cromex se dá em parceria com o programa de incremento às exportações de plásticos, Think Plastic Brazil, uma parceria entre a cadeia produtiva do plástico (Petrobras, centrais petroquímicas, produtores de resinas termoplásticas e transformadores) e o governo brasileiro, por meio da Apex-Brasil (Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos).

Fonte: Assessoria de Imprensa – Cromex

Curta nossa página no

Braskem Idesa atinge marca de 10 mil trabalhadores na construção de projeto petroquímico no México

11/09/2013

Investimento considerado o mais importante do setor na América Latina já teve 45% de sua obra concluída

Braskem_Idesa_MexicoA Braskem Idesa alcançou a marca de 10 mil trabalhadores empregados na construção do projeto petroquímico no México. Considerado o investimento mais importante na indústria petroquímica da América Latina nos últimos anos, o complexo terá capacidade para a produção de 1,05 milhão de toneladas anuais de resina de polietileno, além de um volume equivalente da matéria-prima eteno, na região de Coatzacoalcos, no estado de Veracruz.

Para dar suporte à equipe de terceiros envolvidos na construção da obra, o polo industrial movimenta uma complexa logística. São distribuídas 10 mil refeições diárias, 28 mil uniformes além do uso de mais 300 caminhões para o transporte de equipamentos. Como grande parte dos funcionários são provenientes de municípios da região, a construção do complexo representou aumento significativo do emprego local.

Além disso, os primeiros 150 candidatos a operadores já estão concluindo sua formação na Universidad Tecnológica Del Sureste de Veracruz (UTSV), um curso de capacitação desenvolvido em parceria com o SENAI. Eles formarão as equipes permanentes de técnicos, administradores e engenheiros que vão operar o complexo industrial.

Com 45% do projeto concluído, o polo já finalizou as atividades de terraplanagem e fundação. A obra está na fase de instalação das estruturas metálicas e de tubulação, bem como a instalação dos primeiros equipamentos estáticos. Com investimento de US$ 3,2 bilhões, o complexo petroquímico entra em operação em 2015.

Fonte: Braskem

Curta nossa página no

Embalagens Stand Up Pouch fabricadas com 100% de Polietileno chegam às prateleiras mexicanas

18/07/2013

Ação é resultado de uma parceria entre a Dow, a Printpack e a Tyson para atender à demanda do mercado por embalagens mais sustentáveis

Dow_stand_up_pouchAcaba de ser colocado à disposição do consumidor mexicano o Stand-Up Pouch  100% polietileno (SUP 100% PE) para carne de frango congelada. O produto é resultado de uma parceria entre a Dow, a Printpack e a Tyson México, proprietária de marca e líder global no segmento. As três empresas já consideram o projeto bem sucedido.

Os detalhes da parceria foram definidos em menos de seis meses, devido ao esforço em equipe das três companhias. “Graças ao entusiasmo e conhecimento compartilhados por todos, o produto chegou à etapa comercial em tempo recorde”, diz Charly Eid, gerente de Cadeia de Valor e Desenvolvimento de Negócios da Dow. “Trata-se de um excelente modelo para projetos futuros”, ressalta.

Valor Agregado – Sustentabilidade

O Stand Up Pouch, embalagem flexível que fica em pé, é um modelo que está em constante crescimento, devido a seus benefícios de visibilidade em gôndola, leveza e praticidade, mas não é facilmente reciclável quando feito com materiais com baixa compatibilidade, que é o mais tradicional no mercado. Porém, a Dow inovou ao desenvolver o Stand-Up Pouch 100% polietileno, criando mais uma solução para a cadeia que busca soluções mais sustentáveis. “O principal diferencial é que oferecemos fácil reciclabilidade”, afirma Dolores Brizuela, gerente de Marketing para Embalagens de Alimentos e Especialidades da Dow na América Latina.

A estrutura 100% polietileno oferece o valor adicional de ser totalmente reciclável nas comunidades onde há fluxos de reciclagem de polietileno. Esse atributo único permite que esta embalagem inclua o símbolo de reciclagem internacional reconhecido no mundo todo, o que se traduz em uma alternativa diferenciada e atrativa para os consumidores.

A tecnologia do SUP (stand-up pouch) 100% PE também agrega valor aos processos das empresas envolvidas com essa inovação e com o modelo para carne de frango congelada nas prateleiras mexicanas,  contribui para ampliar as metas corporativas de sustentabilidade da Printpack e da Tyson e, ao mesmo tempo, aumentar suas participações de mercado.  “Sem dúvida queremos ampliar o uso desse tipo de embalagem em todas as linhas da Tyson”, declara Raul Velasco, Diretor Comercial da Tyson no México. “É uma grande conquista e um importante passo que damos como fabricantes”, conclui.

Rudolf Schaich, Gerente de Desenvolvimento de Mercado da Printpack México, concorda. “O stand-up pouch 100% polietileno é um produto extremamente interessante que nos ajuda a alcançar nossos objetivos de responsabilidade social. Certamente fará parte de nosso portfólio de soluções”, afirma.

Embalagens SUP 100% PE

Segundo a Dow, as embalagens SUP 100% PE são flexíveis, oferecem excelente visibilidade na prateleira e são uma alternativa muito mais leve quando comparadas com embalagens rígidas. O modelo permite que sejam adicionados acessórios para que sejam oferecidas ao consumidor conveniências como facilidade de abertura e fechamento para manter a crocância e o frescor dos alimentos, tampas ou bicos direcionais. Além disso, a solução oferece, segundo a Dow:

  • Selagem íntegra e forte para evitar vazamentos, principalmente para líquidos e alimentos gordurosos;
  • Resistência ao impacto e à perfuração (para que não ocorram falhas durante a armazenagem, transporte, tempo de prateleira e manuseio);
  • Melhor adaptação para a conformação da embalagem com diferentes formatos;
  • Facilidade de reciclagem devido à composição monomaterial;
  • Embalagens que não requerem etiquetas, uma vez que o filme pode ser impresso com altíssima qualidade.

Fonte: Dow

Curta nossa página no

Solvay mostra inovações em plásticos de engenharia e polímeros especiais na Plastimagen 2013

11/03/2013
  • Produtos atendem a mercados em crescimento na região, com destaque para os setores automotivo e de transportes, energia, saúde e água
  • Empresa lança poliamida 6.10 derivada em parte de óleo de mamona, de fonte renovável, para produção de autopeças
  • Technyl®, marca reconhecida internacionalmente na área de plásticos de engenharia de alto desempenho, agora integra o portfólio da Solvay

Para reforçar sua presença no mercado mexicano e da América Latina, as unidades globais de negócios de Plásticos de Engenharia e Polímeros Especiais do Grupo Solvay participam conjuntamente pela primeira vez da Plastimagen 2013 (de 12 a 15 de março, no Centro Banamex, na Cidade do México), a principal exposição de produtos e tecnologias em plásticos e polímeros da região.

“Nosso objetivo é o de contribuir para o desenvolvimento dos mercados da região, oferecendo uma ampla gama de tecnologias, processos e produtos em plásticos de engenharia e polímeros especiais, segmentos em que o grupo é um dos líderes mundiais”, afirma Suzana Kupidlowski, Gerente de Marketing de Plásticos de Engenharia do grupo Solvay.

Com a reorganização das suas áreas de negócios, depois de consolidada a integração do grupo Rhodia, adquirido em setembro de 2011, a Solvay ampliou seu portfólio de plásticos de engenharia, incorporando a marca Technyl, internacionalmente reconhecida por uma série de tecnologias e produtos inovadores de base poliamida, utilizados na produção de peças para os setores automotivo, elétrico, bens industriais e de consumo.

Inovação sustentável – Entre as novidades para apresentação na Plastimagen 2013 está o Technyl® eXten — uma poliamida 6.10 derivada em parte de óleo de mamona, de fonte renovável. O novo produto, que reduz o impacto ambiental no processo de produção, pode ser utilizado na confecção de tubulações para combustíveis, servo freio e dutos de óleo para veículos leves e pesados. A novidade já foi homologada em diversos clientes finais das duas empresas, substituindo com vantagens aplicações que atualmente usam PA12, de origem totalmente petroquímica.

“Em comparação com outros plásticos de engenharia de poliamida de alto desempenho, a nova aplicação de Technyl® eXten oferece aos clientes vantagens técnicas e econômicas, além de contribuir para a redução das emissões de CO2”, explica Suzana Kupidlowski.

Technyl® eXten é uma poliamida parcialmente de origem vegetal. Medições realizadas de acordo com o método de teste padrão confirmaram que 62,5% do seu carbono são de origem renovável. Este material, além de reduzir a pegada de carbono, ajuda na redução de uso de recursos não renováveis​​, quando em comparação com outras poliamidas de origem integral da cadeia petroquímica.

Polímeros especiais – Igualmente em destaque na Plastimagen estarão os polímeros especiais da Solvay, uma gama de produtos de alto desempenho utilizados em mercados de forte crescimento no mundo, tais como transportes, saúde, água, energia e dispositivos inteligentes.

A unidade de negócios Solvay Specialty Polymers fornece uma ampla gama  de plásticos de alta performance, que inclui polímeros fluorados, polímeros de ultra-desempenho, poliamidas de alto desempenho, polímeros sulfonados, polímeros de alta barreira e compostos reticuláveis de alto desempenho. Esses materiais são amplamente utilizados na indústria aeroespacial e automotiva para fornecer soluções de alto desempenho para substituição de metal que reduzem o peso, têm menor custo e melhoram o desempenho. Resinas de fluorpolímero são utilizadas em uma vasta gama de fios e cabos. Pós de PTFE micronizado são utilizados como aditivos em uma ampla gama de materiais, tais como resinas termoplásticas, revestimentos e tintas, tintas de impressão, elastômeros e lubrificantes.

A unidade global de negócios Specialty Polymers, com sede na Itália, 15 unidades de produção e 11 centros de P&D no mundo, fornece mais de 1.500 produtos em 35 marcas.

Fonte: Solvay

Curta nossa página no

Braskem aumenta participação acionária em projeto no México

17/01/2013

A Braskem SA aumentou a sua participação acionária no projeto Etileno XXI, implementado em Vera Cruz, no México, em conjunto com o grupo mexicano Idesa. A participação da Braskem aumentará de 65% para 75 %, enquanto que a participação da Idesa se reduzirá de 35 % para 25%. A mudança foi oficializada em contrato celebrado no final de 2012.

O projeto Etileno XXI compreende a construção de um complexo petroquímico, com um craqueador de eteno e três unidades de polimerização. O valor total do investimento é de aproximadamente U$ 3 bilhões. O complexo industrial deverá entrar em operação em Julho de 2015, com uma produção estimada de 1 milhão de toneladas de Polietileno por ano.

Em 19 de dezembro passado, a joint-venture Braskem-Idesa obteve empréstimo de US$ 3,2 bilhões para financiar a construção do complexo petroquímico mexicano, provenientes de instituições financeiras e bancos comerciais como os bancos de desenvolvimento mexicanos Nafin e Bancomext, o BNDES, a International Finance Corporation (IFC), o Banco Interamericano de Desenvolvimento, bancos canadenses e italianos de financiamento a exportações, além de vários outros bancos comerciais. A empresa afirma tratar-se do maior pacote de empréstimos já concedido a um novo projeto na história da petroquímica nas Américas.

O gás natural a ser usado como matéria-prima no complexo Etileno XXI será fornecido pela empresa petrolífera mexicana Pemex e terá o preço referenciado pelo preço do gás de xisto americano. Com isso, os custos operacionais da joint-venture Braskem Idesa serão significativamente reduzidos, já que o preço por milhões de BTU está abaixo de 3 dólares no mercado americano, enquanto no Brasil situa-se entre US$12-$15.

Curta nossa página no

Braskem Idesa conclui financiamento de US$ 3,2 bilhões para projeto no México

22/12/2012
  • Projeto Etileno XXI é o a maior operação de “Project Finance” na Petroquímica das Américas
  • O projeto será o complexo petroquímico mais moderno nas Américas
  • O complexo deverá gerar 9 mil empregos durante a fase de construção e 3 mil, diretos e indiretos, no início das operações, em 2015.
  • A fábrica produzirá polietileno para abastecer empresas mexicanas e vai apoiar a substituição de importações.

A Braskem Idesa anunciou o sucesso da assinatura dos principais contratos de financiamento para um Project Finance de US$ 3,2 bilhões, que irá financiar a construção e operação do complexo petroquímico, que será o mais moderno das Américas. O financiamento foi estruturado por sete agências oficiais, incluindo duas agências de exportação (Canadá e Itália); duas agências multilaterais (IFC e BID); e três bancos de fomento (Brasil e México). Dez bancos comerciais fizeram o financiamento sob a garantia do SACE ou em empréstimos tipo BLoans da IFC e do BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento). O Intesa Sanpaolo atuou como agente facilitador de US$ 600 milhões pelo SACE.

Instituições que participaram do financiamento: Nacional Financiera do México (“NAFIN”), o Banco Nacional de Comércio Exterior do México (“Bancomext”), Banco Nacional de Desenvolvimiento Econômico e Social do Brasil (“BNDES”), SACE Agência de Credito de Exportação da Itália, Export Development Canada (“EDC”), Banco Interamericano de Desenvolvimento(“BID”), International Finance Corporation (“IFC”), do Banco Mundial, e dez bancos comerciais;

O Sumitomo Mitsui Banking Corporation atuou como assessor financeiro exclusivo da operação e o White & Case atuou como assessor jurídico internacional e mexicano para a Braskem Idesa.

Criada em 2010, a Braskem Idesa SAPI é uma joint venture formada pela brasileira Braskem S.A, maior produtora de resinas termoplásticas das Américas, e o Grupo Idesa, empresa líder no setor petroquímico do México. A empresa Braskem Idesa está desenvolvendo o projeto Etileno XXI, um complexo petroquímico para a produção de eteno e polietileno no estado de Veracruz, México (município de Nanchital). Esse projeto deverá exigir um investimento fixo de US$ 3,2 bilhões (CAPEX) e um investimento total de aproximadamente US$ 4,5 bilhões.

Uma vez operando em sua capacidade planejada, de 1 milhão de toneladas de polietileno de alta e baixa densidade por ano, estima-se que o complexo da Braskem Idesa seja um motor de crescimento econômico na região sudeste do México.

A preparação do terreno e a primeira fase de construção, que começaram em outubro de 2011, já foram concluídas. A segunda fase da construção começou em novembro, com os trabalhos de detalhamento de engenharia, aquisição de equipamentos e construção civil e eletromecânica, que serão concluídos no primeiro semestre de 2015.

Localizado em uma área estratégica, com alto potencial de novas reservas de óleo e gás, o Projeto Etileno XXI deverá ter um forte impacto sobre o balanço de pagamentos do México, que irá substituir aproximadamente US$ 1,5 bilhão a US$ 2 bilhões em importações de polietileno, utilizados em vários processos comerciais e industriais de transformação.

Sobre a Braskem Idesa

Constituída em 2010, a Braskem Idesa S.A.P.I. é uma companhia petroquímica que está desenvolvendo o Projeto Etileno XXI, cuja operação deve ser iniciada em meados de 2015. O complexo petroquímico produzirá polietileno, matéria-prima para as indústrias de construção, consumo, automotiva e de agricultura.

Fonte: Braskem

Curta nossa página no

Braskem Idesa assina contrato de serviços de engenharia e construção para o projeto petroquímico no México

04/10/2012

A Braskem Idesa S.A.P.I. firmou contrato de valor superior a US$ 2,7 bilhões, com uma joint venture formada pela Odebrecht (40%), Technip (40%) e ICA Fluor (20%), para as etapas de engenharia, aprovisionamento e construção (EPC) do complexo petroquímico Etileno XXI, a ser construído na região de Coatzacoalcos/Nanchital, no estado de Veracruz, México.

O complexo petroquímico irá incluir as seguintes instalações:

– Cracker de eteno a partir de etano, que produzirá 1 milhão de toneladas por ano utilizando tecnologia proprietária da Technip.

– Duas plantas de polietileno de alta densidade utilizando tecnologia INEOS Innovene.

– Uma planta de polietileno de baixa densidade utilizando tecnologia BASEL Lupotech.

– Instalações de armazenagem, tratamento de resíduos e utilidades, que incluirá uma usina de cogeração de ciclo combinado de energia e vapor de 150 MW.

– Uma plataforma logística multimodal para transporte de 1 milhão de toneladas de polietileno por ano através de trens e caminhões de carga ou ensacados.

– Prédios administrativos, de manutenção, de apoio e sala de controle.

A equipe da joint venture envolvida no projeto executará o contrato a partir de diversos centros operacionais localizados em Nanchital e Cidade do México (México), Roma (Itália), Lyon (França) e Rotterdam (Holanda). O projeto deverá ser concluído, e a planta disponibilizada para início de operações, em junho de 2015.

A concessão foi fruto da execução bem sucedida dos projetos de engenharia básica (front-end engineering design – FEED) dos contratos de eteno, PEAD e utilidades concedidos à Technip no primeiro trimestre de 2011 e dos contratos de engenharia básica das instalações off-sites pela Odebrecht e pela ICA Fluor em 2011.

Sobre a Braskem Idesa

Constituída em 2010, a Braskem Idesa S.A.P.I. é uma joint venture entre a Braskem S.A. (Brasil), a maior empresa petroquímica das Américas, e o Grupo Idesa, empresa mexicana líder em petroquímica. Juntas, as empresas estão desenvolvendo o projeto Etileno XXI, que constitui na construção e operação de um complexo petroquímico que produzirá polietileno no Estado de Veracruz, México. O projeto exigirá um investimento de US$ 3,2 bilhões de dólares e iniciará suas operações em 2015.

Fonte: Braskem

Curta nossa página no

Projeto Etileno XXI da Braskem Idesa tem financiamento aprovado pelo BNDES.

12/06/2012

 Recursos de US$ 700 milhões se somam aos já aprovados pelo BID, IFC e SACE

A Braskem Idesa anuncia que em 5 de junho foi aprovada uma linha de financiamento na modalidade de project finance de US$ 700 milhões pelo BNDES – Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social para financiar o maior projeto petroquímico em construção nas Américas: BRASKEM IDESA – Projeto Etileno XXI.

Estes recursos se somam aos já aprovados pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) no mês de abril, o International Finance Corporation (IFC), um organismo que pertence ao Banco Mundial, e a Agencia de Credito Italiana, SACE, estes dois últimos em maio. O grupo de instituições financeiras também estará formado pelo banco de desenvolvimento do México, BANCOMEXT e NAFINSA – Nacional Financiera, e por bancos comerciais, cujos recursos ainda estão em fase final de aprovação. Os financiamentos estão sujeitos à conclusão da formalização documental.

O empréstimo será feito à Braskem Idesa SAPI, joint venture controlada pela empresa brasileira Braskem S.A. e com participação relevante do grupo mexicano Idesa, com o objetivo de construir e operar um complexo petroquímico que terá capacidade para produzir 1 milhão de toneladas anuais de polietilenos, através de um cracker de eteno e três plantas de polimerização (duas de polietileno de alta densidade e uma de polietileno de baixa densidade).

O Projeto Etileno XXI, localizado no município de Nanchital, Veracruz, segue avançando dentro do cronograma planejado, as obras de terraplenagem e preparação do terreno estão 70% concluídas, e a construção civil começou no dia 18 de maio com as primeiras fundações. Perto de 50% dos equipamentos críticos necessários para o complexo já foram adquiridos, e neste momento 2.100 pessoas trabalham no projeto. Prevê-se chegar a 9.000 empregos durante o pico da construção, que ocorrerá nos anos de 2013 e 2014. Com o inicio das operações em 2015 serão gerados 3.000 empregos diretos e indiretos permanentes.

O polietileno é um importante insumo para a fabricação de uma ampla variedade de produtos nas seguintes indústrias: Construção Civil, Automobilística, Eletrônica, Eletrodoméstica, Agrícola, Alimentos e Bebidas, bem como de Embalagens.

Sobre a Braskem Idesa S.A.P.I.

Constituída em 2009, a Braskem Idesa é uma joint venture entre a Braskem S.A., a maior empresa petroquímica das Américas, e o Grupo Idesa, uma empresa mexicana líder na petroquímica. Juntos estão desenvolvendo o projeto Etileno XXI, que está focado na construção e operação de um complexo petroquímico que produzirá polietileno no Estado de Veracruz, México. O projeto exigirá um investimento de USD 3 bilhões de dólares e iniciará suas operações em 2015.

Fonte: Braskem

Curta nossa página no

Braskem-Idesa anuncia atualizações sobre projeto de polietileno no México

22/05/2012

Financiamento do IFC é aprovado, Manifesto de Impacto Ambiental de SERMANAT (Ministério do Meio Ambiente e Recursos Naturais) é outorgado e obras de construção civil e eletromecânica são iniciadas

A joint venture Braskem Idesa anuncia que no dia 17 de maio, o Conselho de Administração do International Finance Corporation (IFC), organismo que pertence ao World Bank Group, aprovou um crédito no valor de US$ 300 milhões para financiar a construção. Esses recursos, juntamente com o montante de US$ 300 milhões já aprovados pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) no mês de abril, será parte de um empréstimo de tipo “A Loan” por US$ 600 milhões. Neste credito será adicionada uma quantidade suportada pelo IFC e BID de US$ 600 a 750 milhões como crédito “B Loan”, onde participam os bancos comerciais, que estão em seus processos de aprovação finais, e US$ 600 milhões, aprovados pelo departamento de crédito italiano – SACE. O grupo de instituições financeiras também será feito pelo banco de desenvolvimento do Brasil e do México com o BNDES, Bancomext e Financiera Nacional (estes estão em fase final de aprovação), entre outros.

O empréstimo se outorgará a BRASKEM IDESA SAPI, a joint venture formada pela Braskem S.A. e o grupo mexicano IDESA com o propósito de construir e operar uma planta que terá capacidade de 1 milhão de toneladas anuais de polietilenos, através da construção de um cracker de etano e três plantas de polietileno (duas de Polietileno de Alta Densidade e uma de Baixa Densidade).

Outro evento de relevância é que no dia 17 de maio o projeto recebeu o Resolutivo de MIA (Manifestação de Impacto Ambiental) pela Secretaria (Ministério) do Meio Ambiente e Recursos Nat Urias do Governo Federal Mexicano (SEMARNAT), o qual permite o início das obras de construção civil e eletromecânica, e, posteriormente, a operação do complexo petroquímico.

Com o aval da Resolutiva de MIA e as outras autorizações necessárias, as obras de construção começaram dia 18 maio, o que garante que o Projeto Etileno XXI continua em curso dentro do cronograma previsto.

O Projeto Etileno XXI está situado no município de Nanchital, no estado mexicano de Veracruz. Está previsto que durante a sua construção, o número de trabalhadores seja de mais de 9.000, além de outros 3.000 empregos diretos e indiretos quando as operações comecem, em 2015. Este projeto é um apoio à estratégia do governo mexicano para impulsionar a competitividade do setor petroquímico e do crescimento industrial e regional.

O polietileno é um insumo básico na fabricação de uma ampla variedade de produtos das seguintes indústrias: construção, automotiva, eletrônica, eletrodoméstica, agrícola, de alimentos e bebidas, e, principalmente, de embalagens e recipientes.

Fonte: Braskem

 

Curta nossa página no

Tecnologia de compressores da GE será usada em projeto da Braskem Idesa que aumentará capacidade de produção de polietileno do México.

05/05/2012

A General Electric (GE) inicia colaboração com a Braskem Idesa na instalação de um Complexo de polietileno de alta eficiência que melhorará a capacidade produtiva da região, impulsionará a criação de emprego e atrairá empresas.

O México reduzirá significativamente a quantidade de polietileno que o País importa para fins de manufatura, embalagens e outras aplicações industriais quando o seu novo complexo de produção de polietileno que utilizará a tecnologia de hipercompressores da GE der a partida. A planta de Veracruz, que introduzirá na região a produção de plásticos em grande escala, é uma joint venture entre duas empresas petroquímicas importantes das Américas, a Braskem S.A. do Brasil e o Grupo Idesa do México. Atualmente, o México importa cerca de 70 % da quantidade total de polietileno utilizado no país.

As tecnologias de hipercompressores e compressores de intensificação (booster compressors) da GE são elementos-chave da unidade de produção de Polietileno de Baixa Densidade (PEBD). Estes compressores de alta eficiência apresentam tecnologias inovadoras que utilizam menos energia elétrica, reduzem custos operacionais e exigem menos manutenção, tornando a planta local mais competitiva em relação às resinas importadas.

“Este projeto é muito importante estrategicamente para o desenvolvimento de negócios na área e nossa expectativa é que ele estimule o crescimento a longo prazo – por isso era imperativo que fôssemos extremamente seletivos com as soluções que escolhemos”, disse Silvia Migueles Pires, diretora de compra Da Braskem Idesa. “A tecnologia confiável e eficiente de compressores da GE nos tornará mais competitivos desde o dia da partida e a forte presença local da GE nos dará vantagens em termos de instalação, manutenção, serviços e expansão, as quais irão pagar dividendos durante a vida útil da unidade.”

Os compressores de Polietileno de Baixa Densidade da GE apresentam um projeto que permite variação de escala, tornando possível atualizações e adição de capacidade com pouco efeito nas operações do dia-a-dia e requerendo poucos ajustes.

“Espera-se que a tecnologia da planta atraia novas empresas para a região, criando empregos e crescimento saudável”, disse Marco Caviola, líder de Soluções em Petroquímica da GE para a América Latina. “Estamos empenhados em apoiar o crescimento a longo prazo, expandindo nossas instalações de manutenção local e proporcionando o treinamento de operadores e pessoal de manutenção da Braskem Idesa.”

Os hipercompressores da Série “P” da GE são projetados especificamente para atender aos rigores da compressão de etileno em plantas de PEBD. Eles lidam com a maior pressão e potência da indústria no setor e apresentam tecnologia de ponta em resistência à fadiga. Os componentes de longa duração são montados para minimizar a pulsação e a vibração das tubulações, melhorando as condições gerais da planta.

O projeto de construção começará ainda este ano.

Sobre a GE Energy

Com mais de 100.000 funcionários em mais de 100 países, a GE Energy atua no setor de energia com tecnologias em áreas como gás natural, petróleo, carvão e energia nuclear; eólica, solar, biogás e processamento de água, gestão de energia e modernização da rede. A empresa também oferece soluções integradas para atender indústrias intensivas em água e energia, tais como as de mineração, metais, petroquímica, alimentos e bebidas e combustíveis não convencionais.

Sobre a Braskem Idesa S.A.P.I.

Criada em 2009, a Braskem Idesa é uma joint venture formada pela Braskem, a maior empresa petroquímica das Américas, e o Grupo Idesa, empresa petroquímica mexicana líder. Juntos, elas estão desenvolvendo o projeto Etileno XXI, que se concentra no desenvolvimento e implementação de um complexo petroquímico para produção de polietileno no Estado de Veracruz, México. O projeto requer um investimento de US $ 3,2 bilhões e entrará em operação em 2015.

Fonte: GE

Meccano do México introduz forma para concreto fabricada com composto reforçado com fibra de vidro da SABIC.

24/10/2011

Durante a Plastimagen México 2011,  a unidade de negócio da Innovative Plastics da SABIC anunciou  uma nova forma para concreto, feita em peça única e reutilizável a partir do composto reforçado com fibra de vidro longa LNP* Verton*. A nova forma resistente à corrosão foi desenvolvida pela SABIC e a empresa Meccano do Mexico, uma das principais empresas no fornecimento de materiais e equipamentos para construção civil, para substituir as formas de aço de várias peças tradicionalmente pesadas, reduzindo o peso em até 40 por cento, bem como os tempos de ciclo de fabricação destas formas de três horas para apenas alguns minutos, ajudando também a reduzir os custos dos projetos de construção. O anúncio de hoje é um marco na indústria de edificações e construção para a Meccano e para a SABIC que demonstra o compromisso da empresa de trabalhar lado a lado com seus clientes para ajudá-los a alcançar o sucesso empresarial.

“A SABIC forneceu a tecnologia e a expertise técnica em plásticos de alto desempenho com presença local, o que nos permitiu desenvolver e comercializar com sucesso este produto inovador para nossos clientes”, disse Salvador Jalife Lozano, diretor chefe de inovação e desenvolvimento da Meccano do México. “Usando o composto de LNP Verton, nossa nova forma de concreto pode dar aos contratados vantagens excepcionais, como uma significativa economia de tempo, facilidade de manuseio e durabilidade para na reutilização destes produtos. Esses moldes oferecem a possibilidade de mudar a maneira como são formados os painéis de concreto no local de trabalho, o que ajuda a dinamizar a construção e fornecer vantagem competitiva para Meccano e seus clientes. Esta cooperação com a SABIC reforça a nossa missão:  ‘Construção da Inovação’.”

As novas formas da Meccano são usadas para moldar painéis de concreto para casas, sendo que em média 500 painéis são necessários para a construção de uma típica casa geminada. As formas estão disponíveis em uma ampla gama de tamanhos e configurações: a altura média é de 1100 mm (3,7 pés) com diferentes larguras disponíveis (200 mm (0,8 pés), 300 mm (1 pé) e 600 mm (2 pés)).

Construindo para o futuro

“Substituir as formas de metal pelo nosso material composto LNP Verton é um grande avanço na indústria de construção civil, pois ele atende demandas e requisitos das principais indústrias como materiais mais resistentes, aumento de produtividade, redução de custos e maior facilidade de uso”, disse James LeGacy, gerente geral para as Américas da Innovative Plastics. “Esta cooperação com a Meccano do México demonstra os vários recursos que a SABIC pode oferecer aos seus clientes localmente, desde as etapas iniciais de identificação do material mais apropriado para a aplicação até o desenvolvimento final dos produtos. Estamos muito satisfeitos por ser parte do sucesso desta nova aplicação e acredito que será um verdadeiro divisor de águas para a indústria mundial de construção”.

O composto estrutural de LNP Verton da SABIC, com reforço de fibras de vidro longas, pode reduzir os custos do sistema, o tempo de ciclo e peso em relação ao metal, além de proporcionar excepcional desempenho mecânico, inclusive estabilidade dimensional, força e resistência à umidade necessários para atender aos requisitos de trabalho em concreto. A fabricação convencional de formas de metal requer a montagem de até 30 componentes diferentes e pode demorar até três horas. Ao eliminar a necessidade de montagem graças ao projeto de peça única, as formas da Meccano ficam prontas em minutos, aumentando a produção e, possivelmente, permitindo que mais contratados construam moradias com mais rapidez e com custos reduzidos em todo o sistema. Isto é particularmente importante para a construção de moradias subsidiadas pelo governo ou ainda de outros projetos em que contenção de custos seja uma preocupação especial.

Além disso, a leveza dos compostos de LNP Verton em relação ao metal (20 por cento mais leve que o alumínio e 40 por cento mais leve que o aço carbono) permite que as formas sejam transportadas e manobradas no local com mais facilidade e sem a necessidade de equipamentos especializados ou guindastes.

Fonte: SABIC-IP

Rhodia mostra inovações em plásticos de engenharia na Plastimagem, no México

05/10/2011
  • Novidades atendem aos mercados automotivo, eletroeletrônico e bens industriais de consumo
  • Destaques são Technylstar® A205F, nova tecnologia desenvolvida no Brasil que ajudará os clientes a obter maior economia de energia e uma nova gama de Technyl® livre de halogênio, para a indústria fotovoltaica.

 A Rhodia, uma empresa do grupo Solvay, disposta a reforçar sua participação no fornecimento de plásticos de engenharia em poliamida 6.6 para o mercado mexicano, apresentará na Plastimagem 2011 (de 04 a 07 de outubro, no Centro Banamex, na Cidade do México) uma série de inovações desenvolvidas em seus centros de pesquisas e junto com seus clientes. Essas inovações atendem os clientes do setores automotivo, de eletroeletrônicos e de bens de consumo e bens industriais.

 “Nossa intenção é reforçar nossas parcerias com os clientes locais, ajudando a expandir o setor de plásticos de engenharia, oferecendo as soluções que desenvolvemos em nossos laboratórios e centros de pesquisas mundiais”, afirma Marcos Curti, diretor da Rhodia Plásticos de Engenharia para as Américas.

 Mercado em expansão – Segundo ele, o mercado mexicano será beneficiado com a recente decisão da empresa de unificar as operações de plásticos de engenharia na América Latina e América do Norte. “Além da base industrial instalada no Brasil e dos acordos de industrialização nos EUA, vamos explorar toda a estrutura disponível na região em Pesquisa e Desenvolvimento, Sérviço Técnico e Marketing, para cada vez mais valorizar os nossos clientes em toda essa zona geográfica”, acrescenta Marcos Curti.

Um dos alvos da Rhodia Plásticos de Engenharia é o segmento de peças para o setor automotivo, que passa por um período de expansão no México. Segundo a Amia, Associação Mexicana da Indústria Automotiva, a produção de automóveis continua em alta: de janeiro a agosto de 2011 foram fabricados 1,68 milhões de automóveis, com um crescimento de 14,8% sobre o mesmo período em 2010. “Cada vez mais os veículos incorporam peças e partes fabricadas em plásticos de engenharia de poliamida”, diz Curti.

As ambições de crescimento da Rhodia no segmento de plásticos de engenharia são solidamente baseadas na inovação sustentável e na presença em mercados com crescimento rápido e lucrativo. A Unidade Global de Negócios de Plásticos de Engenharia tem forte presença no mercado mundial e está particularmente bem posicionada em regiões de rápido crescimento: cerca de 38% de suas vendas estão na Ásia, e 18% estão na América Latina.

Um Mundo de Soluções com os plásticos de engenharia da Rhodia

Sob o slogan “Um Mundo de Soluções”, a empresa apresenta uma série de novidades em tecnologia e produtos na área de plásticos de engenharia. As novidades selecionadas para apresentação na Plastimagem 2011 incluem:

— uma nova geração de Technyl®Star, denominada A205F, que ajudará os clientes a obter maior produtividade, além de redução significativa dos custos com energia em seus processos de produção.

— uma nova gama de Technyl®, livres de halogênio, para a indústria fotovoltaica;

TechnylStar A205F – Entre as recentes inovações desenvolvidas pela empresa e que começam a ganhar espaço em clientes mundiais da Rhodia está o TechnylStar A205F, uma nova tecnologia para formulações de plásticos de engenharia em poliamida. A inovação foi projetada especificamente para aplicações de produção em massa que necessitam de ciclos de injeção curtos e moldes complexos. É particularmente adequada para peças pequenas produzidas em grandes volumes, incluindo abraçadeiras, grampos, conectores, tomadas e válvulas técnicas utilizadas pelas indústrias dos segmentos automobilístico, de eletroeletrônicos e de bens industriais e bens de consumo.

Em comparação com as poliamidas tradicionais disponíveis no mercado, o uso de TechnylStar A205F proporciona, em condições ideais de processamento, economia significativa de energia através da redução de temperatura de processamento, proporcionando uma redução de até 20% do consumo global de energia. Além disso, a fluidez inigualável desse produto aumenta a produtividade de moldagem de injeção em até 15% e garante alta liberdade de design, mantendo todas as propriedades mecânicas essenciais para a aplicação.

“Esta nova geração de TechnylStar ilustra perfeitamente a capacidade da Rhodia de desenvolver inovações que preservam os recursos não-renováveis”, afirma Marcos Curti, lembrando que a ampliação da tecnologia foi desenvolvida por equipes da empresa no Brasil, proporcionando um perfeito exemplo do valor agregado trazido pela presença global da empresa. “Não tenho dúvida de que esta nova gama será uma referência de mercado, permitindo a nossos clientes em todo o mundo dar um passo importante em direção ao consumo reduzido de energia e aumento da produtividade”, acrescenta Curti.

Poliamidas Ignífugas – Durante a Plastimagem 2011, outro destaque da Rhodia é a nova linha livre de halogênio das poliamidas ignífugas Technyl® para uso nas mais exigentes aplicações fotovoltaicas de componentes. Esses componentes fotovoltaicos têm de ter um desempenho consistente em seu mais alto nível, atendendo uma ampla gama de temperaturas e condições meteorológicas. Esses produtos também têm que cumprir normas de segurança extremamente rigorosas no mundo inteiro.

A nova linha ignífuga de Technyl® lançada pela Rhodia oferece uma solução que satisfaz plenamente as exigências técnicas, de processamento, regulamentares e de custo-desempenho necessárias para a fabricação de componentes fotovoltaicos. “As poliamidas ignífugas Technyl® permitem às empresas produzir componentes fotovoltaicos em uma nova escala industrial”, explica o diretor da Rhodia Plásticos de Engenharia nas Américas.

As versões ignífugas da Technyl® atendem aos requisitos das normas UL5VA, UL94 V-0, e também com as certificações atmosféricas altamente rigorosas da ULF1. A linha Technyl A 60G1 V25, projetada especificamente para caixas de junção, foi avaliada com os conceitos 5VA e ULF1 pelos Underwriters Laboratories. Este produto livre de halogênio também recebeu conceito na UL94 V-0 como o melhor na classe RTI, desempenho de envelhecimento elétrico e mecânico. A Technyl 50H1 tem propriedades de inflamabilidade semelhantes, ao mesmo tempo em que exibe um comportamento de processamento excelente, comprovando ser a solução ideal para aplicações em conexões fotovoltaicas de paredes finas.

Usar a energia do sol para gerar eletricidade limpa está rapidamente se tornando uma realidade comercial viável com a melhoria contínua da tecnologia fotovoltaica. A nova linha fotovoltaica ignífuga da Technyl® contribui para a preservação dos recursos não-renováveis, mais uma vez demonstrando o compromisso da Rhodia com a inovação sustentável.

A Rhodia, uma empresa do grupo Solvay, é uma companhia química internacional fortemente engajada no Desenvolvimento Sustentável. Líder em seus negócios, a empresa coloca a busca da excelência operacional e sua capacidade de inovação a serviço do desempenho dos seus clientes. Estruturada em 11 unidades globais de negócios, a Rhodia é parceira dos maiores líderes mundiais das indústrias: automotiva, eletroeletrônica, aromas e fragrâncias, saúde, mercados de cuidados pessoais e domésticos, bens de consumo e mercados industriais. A Rhodia emprega 14 000 pessoas em todo o mundo e obteve faturamento de 5,23 bilhões de euros em 2010.

Fonte: Rhodia

Principais especialistas em PET da América Latina avaliam os desafios do PET reciclado durante a 9ª LAPET, na Cidade do México

03/10/2011

9a LAPET vai apresentar os pontos de vista de especialistas sobre como manter-se competitivo, estratégias inovadoras, ofertas de produtos e PET reciclado.

 Nos dias 19 e 20 de outubro, a 9ª Conferência LAPET (Mercados de embalagens PET da América Latina), na Cidade do México, vai colocar em destaque as oportunidades regionais, as tendências para PET reciclado e os desafios que afetam os mercados de embalagens PET na América Latina.

 Assim como a Coca-Cola, cuja meta é de 25% de conteúdo de PET reciclado, muitas outras empresas também estão buscando aumentar suas porcentagens do material reciclado. Assim sendo, ainda não está claro se os preços vão subir ou se o PET reciclado oferece a mesma relação custo-eficiência que a PET virgem,  se ainda é viável negociar com PET reciclado e quais são, se houver, as iniciativas mais recentes do governo mexicano com relação a este material.

 A 9aLAPET tem o objetivo de responder às perguntas acima. Renomada não apenas por ser a maior reunião de fornecedores e compradores PET da região, a 9ªLAPET é também conhecida pela presença de palestrantes do mais alto calibre e por suas sessões altamente informativas. A mais esperada das sessões será apresentada pela Coca-Cola do México que vai abordar métodos de processamento de PET reciclado, seus desafios e os aspectos necessários para garantir a boa qualidade das garrafas PCR.

 O evento também contará com a participação da Nextek Limited tratando dos últimos desenvolvimentos sobre o PET reciclado e os desafios para aplicações de suco e água, assim como a Netstal falando sobre os avanços nas embalagens de leite através da sessão intitulada “Contêineres PET com sistemas de barreira contra a luz para Leite UHT”.

 A 9ªLAPET da CMT tem o privilégio de contar com a contribuição da M&G Finanziaria S.r.l.,, atualmente a maior produtora de PET do mundo para aplicações em embalagens e líder tecnológica do mercado de poliéster, durante a conferência. Cecile Bourland, gerente de marketing da M&G, vai falar sobre os planos de sustentabilidade e inovação da empresa para continuar avançando com o PET e vai abordar problemas correlatos, como as oportunidades de desenvolvimento do mercado global de produtos PET especiais e os novos investimentos e oportunidades em biotecnologia.

IHS-CMAI, Total PET Packaging, Bericap Gmbh & Co, Avon Mexico, Graham Packaging, Croda, SEMARNAT, Polindustrias S.A. e PCI PET Packaging Resin & Recycling Ltd também vão apresentar trabalhos sobre:

  • tipos de novos PET/matéria prima bio-baseada disponíveis no mercado;
  • oportunidades emergentes em novas áreas de crescimento, como Cuba, Guatemala e Costa Rica.

Para outras informações sobre a 9ª LAPET (Mercados de embalagens PET da América Latina) ou para fazer sua inscrição, entre em contato com Hafizah@cmtsp.com.sg ou acesse o site oficial da 9ª LAPET.

Fonte: CMT events

Expo Pack 2011: Brasileiros investem no mercado mexicano

10/06/2011

O Programa Export Plastic e seis empresas associadas apresentarão seus produtos na Expo Pack 2011, que será realizada de 21 a 24 de junho, na Cidade do México. A feira é considerada uma porta de entrada para a América do Norte e Central. A participação brasileira visa contribuir com o estabelecimento de novos contatos com compradores do continente.

Esta é a primeira vez que o Programa e seus associados participam do evento, que será organizado pela mesma empresa que gerencia a Pack Expo – realizada anualmente em Chicago. A edição mexicana de 2011 deve receber mais de 22 mil visitantes de, no mínimo, 20 países. Apontará as tendências e inovações do mercado do plástico destinado à indústria automotiva, de embalagens alimentícias e de produtos para cuidados com a saúde. No ano passado, 890 expositores e cerca de 20 mil compradores participaram da feira.

Uma das empresas que participarão da Expo Pack é a Embaquim, que já atua no mercado mexicano. “Nossa experiência mostra que este mercado é forte, amplo e repleto de oportunidades para bons negócios”, afirma Cristiane Horvat, analista de exportação da companhia, que começou a vender seus produtos ao país esporadicamente e hoje faz entregas semanais aos compradores mexicanos.

Em 2010, Brasil e México firmaram um acordo com a finalidade de aumentar o fluxo de negócios entre si e impulsionar a integração da América Latina com o Caribe. Além disso, o México é membro da Cooperação Econômica da Ásia e do Pacífico, que tem por objetivo transformar o Pacífico em uma área de livre comércio. “Para a indústria brasileira de transformados plásticos, esta é uma grande oportunidade para mostrar que os produtos brasileiros são competitivos e podem marcar presença neste mercado”, destaca Marco Wydra, gerente executivo do Programa Export Plastic.

Fonte:  Boletim Export Plastic

Braskem-Idesa seleciona a tecnologia para a planta de eteno no México

01/04/2011
Technip fornecerá a tecnologia do cracker do projeto Etileno XXI e cuidará do projeto de engenharia básica dessa unidade e a de polietileno de alta densidade

Braskem-Idesa, a associação formada pela Braskem e pelo grupo mexicano Idesa, está dando um passo importante para o desenvolvimento do seu projeto Etileno XXI no México. A joint venture escolheu a Technip como fornecedora de tecnologia para o cracker de eteno com capacidade para produzir anualmente 1,05 milhão de toneladas.

A unidade faz parte do complexo petroquímico que será construído na região de Coatzacoalcos, no estado mexicano de Veracruz, com início de operação previsto para janeiro de 2015. O complexo integrado também será composto por uma planta de polietileno de baixa densidade e duas de polietileno de alta densidade.

Braskem-Idesa também selecionou a Technip como gestor principal do projeto de engenharia básica do cracker e da unidade de polietileno de alta densidade.

A Technip é a maior empresa em seu setor, com reconhecida experiência na implementação de mega-crackers para produção de eteno com abordagem em EPC – iniciais de Engeneering, Procurement and Construction, etapa do processo construtivo que inclui engenharia, compras e construção. A Braskem-Idesa entende que esta escolha trará importantes benefícios para o projeto, pois o cracker com tecnologia Technip de última geração será o mais moderno e eficiente em operação nas Américas quando estiver pronto.

Os centros de operação da Technip em Roma, na Itália, e em Claremont, na Califórnia, irão desenvolver as atividades envolvidas no projeto de engenharia detalhado da planta de eteno, enquanto as relacionadas à planta de polietileno de alta densidade serão executadas pelo escritório da empresa em Lyon, na França. A conclusão do projeto de engenharia básica está prevista para o final de 2011.

Fonte: Braskem

Romi participa da Expo Plásticos 2011, no México.

24/02/2011

A Romi está participando da Expo Plásticos 2011, uma das mais importantes exposições da indústria de plástico no México. Em sua oitava edição, a feira está sendo realizada desde o dia 22  fevereiro de 2011, encerrando-se hoje, na cidade de Monterrey. A Romi está presente no estande 1320.

A participação da Romi na Expo Plásticos 2011 faz parte da estratégia de expansão da companhia, com vistas à ampliação de sua área de comercialização em mercados com grande potencial. “O México representa um mercado extremamente competitivo, que conta com uma cadeia de empresas transformadoras diversificada e cuja demanda por máquinas para plástico está em forte recuperação após a crise”, explica o diretor de Comercialização de Máquinas da Romi, Hermes Lago.

Dentro do plano de ação traçado para o mercado mexicano, a empresa leva à Expo Plásticos 2011 a injetora Sandretto HP 100/430, que atende diversos setores da produção industrial, com foco nos produtos de aplicação geral.

Estas máquinas são equipadas com sistema bi-togle de fechamento. Incluem-se no setor de máquinas de média e pequena tonelagem, destinadas, principalmente, aos setores de utensílios domésticos, eletrônicos e eletrodomésticos. Esta série oferece grande variedade de modelos, com força de fechamento variando de 75 a 485 toneladas, com grupos de injeção de 118 a 1768 cm3.

Fonte: Indústrias Romi

Braskem Idesa Seleciona Processo Lupotech T Para Nova Planta de PEBD de 300 KTon no México.

07/02/2011

A Braskem Idesa S.A.P.I., uma joint-venture da Braskem S.A. e do Grupo Idesa S.A. de C.V., do México, selecionou a tecnologia de processo Lupotech T da LyondellBasell para uma nova planta de Polietileno de Baixa Densidade (PEBD) de 300 Kton por ano. A planta será construída no Complexo Petroquímico Coatzacoalcos em Veracruz, no México, e está programada para iniciar a sua operação em 2015.

“Para competir com sucesso no mercado de PEBD na América do Norte é necessário uma tecnologia de processo como a Lupotech T,” afirma Roberto Bischoff, CEO da Braskem Idesa. “Ela proporciona um desempenho líder em termos de custo de manufatura, assim como um portfolio de produtos bem abrangente.”

“O fato de ser a primeira licença de PEBD tubular concedida na região do NAFTA em mais de 20 anos constitui-se numa evidência adicional do desempenho líder da tecnologia Lupotech T  para a produção em escala mundial de PEBD e copolímeros de EVA” afirma Kaspar Evertz, vice presidente de licenciamentos da LyondellBasell.

A Lupotech T é a tecnologia de processo de PEBD a alta pressão mais largamente usada no mundo. Desde o ano 2000, a LyondellBasell licenciou 20 plantas com tecnologia Lupotech T, representando aproximadamente 6 milhões de toneladas anuais em termos de capacidade licenciada.

Com mais de 250 licenças concedidas para processos de poliolefinas,  a LyondellBasell é o licenciador líder de tecnologias para produção de polipropileno e polietileno.

Além do processo Lupotech T, o portfolio de tecnologias licenciadas para poliolefinas e serviços técnicos associados compreendem:

• Spherilene – tecnologia de processo flexível em fase gasosa para a produção de PELBD, PEMD e PEAD.
• Hostalen – processo slurry de baixa pressão para a produção de PEAD multimodal de alto desempenho.
• Spherizone – tecnologia de polipropileno de última geração, baseada em um reator multi-zona, para a produção de polipropileno e novas poliolefinas.

• Spheripol – tecnologia líder de polipropileno para a produção de homopolímeros e copolímeros randômicos e heterofásicos.
• Metocene PP – tecnologia inovadora adicional para a produção de especialidades de polipropileno, usando sistemas catalíticos de sítio único.

A LyondellBasell é uma das maiores empresas mundiais no segmento de plásticos, produtos químicos e refinarias. A empresa manufatura produtos em 59 fábricas, em 18 países.

Fonte: LyondellBasell

Braskem e Ineos Technologies firmam parceria estratégica para tecnologia em polietileno

10/11/2010

Tecnologia Innovene S é escolhida para o projeto Etileno XXI no México

Braskem e Ineos Technologies anunciaram hoje, no encerramento do encontro anual da Associação Petroquímica e Química da América Latina – APLA, no Rio de Janeiro, a decisão de estabelecer parceria estratégica sobre tecnologias para produção de polietileno. Por meio desse acordo, a Braskem poderá adquirir licenças para utilizar, em futuros projetos petroquímicos, as tecnologias Innovene S e Innovene G para produção de polietileno de alta densidade e de baixa densidade linear. Além disso, Braskem e Ineos irão trabalhar conjuntamente em um programa de pesquisa e desenvolvimento dedicado às plataformas slurry e fase-gás para produção de polietileno.

O primeiro projeto petroquímico a se beneficiar da parceria será o Etileno XXI, no México, em duas das três plantas previstas. Esse projeto é a base da joint venture Braskem – Idesa S.A.P.I recentemente criada entre a Braskem e o Grupo Idesa, de origem mexicana.

As duas plantas Innovene S que farão parte do complexo Etileno XXI, na localidade de Coatzacoalcos, têm início de operação previsto para janeiro de 2015. Essas unidades irão produzir uma ampla gama de resinas de polietileno de alta densidade e baixa densidade, de tipo monomodal e bimodal, com capacidade nominal de produção total de 750 mil toneladas/ano. Entre as linhas de produtos a serem supridas pelas novas plantas destacam-se as de tubos, contêineres soprados, peças injetadas, filmes e tanques rotomoldados.

Peter Williams, presidente executivo da Ineos Technologies, afirma: “A Ineos está muito satisfeita por essa parceria estratégica com a Braskem. Pelo acordo, a Ineos Technologies oferecerá licenças em PE para futuros investimentos da Braskem, e as duas companhias irão trabalhar em projetos conjuntos de desenvolvimento. O objetivo das atividades de pesquisa e desenvolvimento será assegurar que a combinação das tecnologias Innovene G e S da Ineos sustente sua liderança nos mercados da América Latina e além, atendendo plenamente às necessidades futuras da indústria de polímeros. Para o projeto Etileno XXI, a tecnologia Innovene S proporcionará resinas de alta qualidade para um mercado altamente diversificado em polietileno de alta densidade como o que existe no México. A Ineos Technologies está orgulhosa em razão da tecnologia Innovene S fazer parte do maior investimento na região da América Latina”.

Bernardo Gradin, presidente da Braskem, comenta: “Nossos acordos com a Ineos nos garantem acesso ao estado da arte em tecnologia sobre polietileno de alta densidade e de baixa densidade linear, permitindo também participarmos diretamente do seu desenvolvimento conjunto. Isso possibilitará à Braskem usar as tecnologias Innovene S e Innovene G em seu programa de expansão, começando com o projeto Etileno XXI com nosso parceiro Idesa no México, assim como os projetos previstos no Peru e Bolívia. É um passo muito importante no sentido de assegurar à Braskem pleno acesso à tecnologia líder em polimerização atualmente, permitindo à companhia concentrar seus esforços no desenvolvimento interno da tecnologia de polímeros renováveis, um movimento fundamental para alcançar sua visão 2020 de ser a líder global da química sustentável”.

Fonte: Braskem