Posts Tagged ‘Colorfix’

Embalagens de perfumes Kaiak 2022 da Natura contam com masterbatches reciclados da Colorfix

13/06/2022

O mais recente lançamento da Natura conta com quatro cores desenvolvidas pela Colorfix Masterbatches. Segundo a empresa, as novas embalagens dos perfumes Kaiak são feitas com 50% do plástico retirado do litoral brasileiro e a empresa paranaense foi escolhida para participar do projeto desenvolver uma linha sustentável que poderia ser aplicada nas embalagens dos novos produtos.

“A marca Revora tem em sua essência o conceito de sustentabilidade e esse foi um dos motivos pelos quais a Natura escolheu a linha da Colorfix para aplicar no seu projeto ‘Kaiak’. Entre os vários itens analisados, pesou o fato de que nossa empresa vem trabalhando a cadeia circular, na qual todos os fornecedores envolvidos no processo de concentrados contribuem com sua responsabilidade socioambiental”, explica o diretor superintendente da Colorfix, Francielo Fardo.

De acordo com Fardo, a ideia da marca Revora possibilita ao cliente o aumento de produtos sustentáveis provenientes da economia circular como, por exemplo, o uso de Resinas Recicladas Pós-Consumo (PCR) ou mesmo a produção de produtos exclusivos sustentáveis.

“A marca Revora é uma alternativa para empresas que têm a sustentabilidade como estratégia em seus negócios. Em parceria com a Natura, foram homologadas 16 cores utilizando-se de PCR”, destaca Francielo.

A Colorfix atende a Natura em parceira com a Silgan, Pochet e Aptar desde 2017.

Revora

A Colorfix afirma ter lançado a Revora após várias pesquisas, elaboração do plano de ações e estudo junto a fornecedores e parceiros, no ano passado. A empresa afirma que cada ação ou linha de produto remete à economia de recursos, sejam eles matéria-prima, energia elétrica ou aumento do tempo de vida útil da peça final. Para as linhas de produtos, por exemplo, a empresa levou em consideração desde a embalagem dos masterbatches até as matérias-primas selecionadas e que atendam a requisitos sustentáveis.

A Colorfix Masterbatches, desde 1990, trabalham com o desenvolvimento de concentrados de cor e/ou aditivos. Com a matriz localizada em Colombo, na Região Metropolitana de Curitiba (PR), a companhia conta ainda com unidades em São Caetano do Sul (São Paulo) e Jaboatão dos Guararapes (Pernambuco).

Curta nossa página no

Colorfix lança Catálogo de Cores e Tendências com inspiração em cidades brasileiras e estrangeiras

17/01/2022

O ano de 2022 chegou e, com ele, as expectativas para tempos melhores. E a indústria da transformação do plástico, atenta a este momento social, também dá sua contribuição, trazendo para a vitrine as cores que traduzem o momento que vivemos.

A paranaense Colorfix, uma das principais fabricantes de masterbatches (concentrados de cor) e aditivos para plástico, segue esta linha que a inspirou no lançamento do seu oitavo Catálogo de Cores & Tendências 2022.

De acordo com o diretor superintendente da Colorfix, Francielo Fardo, as cores de 2022 celebram a vida. Celebram a reconexão das pessoas com as suas cidades, com os ambientes em que estão inseridas. E a busca pela tranquilidade dentro deste universo.

“Nossos profissionais estão bastante atentos às mudanças e tendências do mercado como um todo. Nestes estudos acompanham diferentes especialistas que atuam em lugares diferentes do globo. Em cima deste aparato de informações, trazem para este ano cores que promovem a reconexão das pessoas com as suas cidades e com os ambientes em que vivem”, resume o diretor.

Segundo Fardo, a seleção de cores trazida pelo novo Catálogo de Cores & Tendências é um convite para a reconexão ao nosso entorno. “Queremos o nosso cliente aproveitando este momento para reinventar e reconectar-se, de forma que isso possa transparecer por meio de cores alegres e vibrantes. Nosso catálogo de 2022 é um convite a respirar e inspirar”, explica.

Cores

Além da cor do ano 2022 Very Peri, que é um azul que convida a todos a reimaginar, a reescrever suas vidas, encontrar novas soluções e conexões, o catálogo Colorfix traz mais 18 cores sólidas principais e oito cores Marble, seis inspiradas em cidades brasileiras – Curitiba, Rio de Janeiro, São Paulo, Salvador, Belo Horizonte e Manaus (foto), e duas em cidades estrangeiras – Marble Paris e Marble Seul.

As cidades brasileiras foram inspiradas na paleta de cores do Guia Internacional ColorTrends da Think Plastic e as duas tonalidades internacionais foram inspiradas pelas tendências levantadas pela Pantone. “Unimos as cores a um pouco do contexto de cada cidade, Manaus, por exemplo, nos inspiramos no encontro do Rio Negro e Solimões; Curitiba exaltamos o verde da cidade e Belo Horizonte focalizamos na construção da cidade, que tem forte base na mineração”, comenta o diretor.

Revora

Outra novidade da Colorfix neste ano é o Catálogo de Cores & Tendências desenvolvido exclusivamente para materiais reciclados pós-consumo (PCR). Segundo a Colorfix, além de sustentáveis, os produtos podem agora ter as cores que são tendências e que estão em alta no mercado da transformação do plástico. São 16 cores sólidas e 4 cores Marble inspiradas na natureza.

Todas elas refletem a necessidade da reciclagem, de recriar o que já existiu. Um convite a alinhar os produtos plásticos às tendências de consumo mundiais.

A Colorfix Masterbatches trabalha desde 1990 na inovação e no desenvolvimento de concentrados de cor e/ou aditivos. Com a matriz localizada em Colombo, na Região Metropolitana de Curitiba (PR), a empresa conta ainda com unidades em São Caetano do Sul (São Paulo) e Jaboatão dos Guararapes (Pernambuco).

Curta nossa página no

Colorfix obtém certificação ISO 14001

27/12/2021

A empresa paranaense Colorfix, uma das principais fabricantes brasileiras de masterbatches (concentrados de cor) e aditivos para plástico conquistou no último mês de novembro a Certificação ISO 14.001, a qual trata especificamente dos requisitos de um Sistema de Gestão Ambiental e permite à empresa desenvolver uma estrutura para a proteção do meio ambiente e rápida resposta às mudanças das condições ambientais.

Além disso, a norma leva em conta aspectos ambientais influenciados pela organização e os possíveis riscos a serem mitigados por ela. “Esta conquista não trata apenas da gestão interna de nossa indústria, mas também sobre o mundo que queremos. É a materialização do reconhecimento de que nossos recursos naturais são finitos e que devemos respeitá-los e preservá-los para as futuras gerações”, comemora o diretor superintendente da Colorfix, Francielo Fardo.

De acordo com Francielo, a ação da adequação à normativa foi um processo que envolveu a organização como um todo, sendo o setor de Meio Ambiente responsável por acompanhar e orientar os departamentos. Diversas etapas foram cumprindas, incluindo vistoria interna para identificação dos pontos a serem ajustados, reuniões periódicas com as áreas para acompanhamento das execuções de adequações e auditoria interna, a fim de identificar o andamento e atendimento aos requisitos legais (federais, municipais e estaduais).

“A sustentabilidade corporativa traz vantagens de longo prazo para clientes, colaboradores e a sociedade, sendo a norma um orientador de como controlar e reduzir os riscos ambientais e melhorar o desempenho da organização, não ficando apenas na teoria – pois são exigidas as comprovações na prática, além de ser necessário o envolvimento e comprometimento de todos (incluindo, mas não se limitando a, fornecedores, colaboradores, prestadores de serviços)”, explica o diretor.

“Agradecemos o empenho e a dedicação de cada um que fez esta conquista ser possível. O trabalho não para com a certificação – ele continua em permear a cultura de sustentabilidade em toda a empresa, para que todos os colaboradores insiram em seu dia a dia posturas mais respeitosas com o meio ambiente”, reforça Fardo.

Na prática

As mudanças no dia a dia da empresa compreenderam atitudes como a atenção ao descarte do lixo e busca pela redução de resíduos; uso de copos plásticos no processo produtivo para limpeza de máquinas; revisão de documentações e legislações; organização rigorosa das áreas de trabalho e criação e produção de materiais gráficos sobre o assunto.

Além disso, foram implantados diversos treinamentos como cuidados com vazamentos, multiplicação de conhecimento de aspectos técnicos como LAIA, impacto e aspectos ambientais. A Colorfix já possuía um cuidado com a água utilizada no processo produtivo, ponto também significativo para a certificação.

Revora

A marca Revora, lançada neste ano pela Colorfix também é resultado da preocupação da empresa com o meio ambiente. A linha reúne um conjunto de soluções e metodologias de trabalhos voltados à sustentabilidade, a qual envolve toda a cadeia da indústria de transformação: fornecedores, matérias-primas, métodos de produção, embalagens, produto final e descarte consciente.

A Colorfix Masterbatches, desde 1990, trabalha na inovação e no desenvolvimento de concentrados de cor e/ou aditivos. Com a matriz localizada em Colombo, na Região Metropolitana de Curitiba (PR), a companhia conta ainda com unidades em São Caetano do Sul (São Paulo) e Jaboatão dos Guararapes (Pernambuco).

Curta nossa página no

Colorfix desenvolve cores que compõe o Guia Internacional Color Trends lançado durante World Plastic Connection Summit 2021

24/11/2021

A Colorfix, uma das principais fabricantes de masterbatches (concentrados de cor) e aditivos para plástico do País, com fábrica no Paraná e filiais em São Paulo e Pernambuco, desenvolveu 55 cores que compõe o Guia Internacional Color Trends, lançado durante World Plastic Connection Summit, evento global online que ocorreu no início do mês de Novembro.

“Uma grande satisfação poder mostrar cores inspiradas na natureza, cores da pele, edificações, moda e tendências. Para nós a cor é uma forma de dar ‘vida’ ao plástico transformado”, destaca o diretor superintendente, Francielo Fardo.

De acordo com a organização do evento, o Guia Internacional de Tendências Color Trends 2021/2022 trabalha com as palavras que definem o Brasil na visão dos estrangeiros – Afeto, Alegria, Hospitalidade – através das cores. A pesquisa e curadoria é do designer Walter Rodrigues, que desenvolveu uma metodologia específica para o mercado de plásticos transformados após entrevistas com empresas brasileiras que participam do programa Think Plastic Brazil.

Filiada, recentemente, ao Think Plastic Brazil (Programa de Exportação e Internacionalização dos Plásticos Transformados Brasileiros), criado pelo Instituto Nacional do Plástico (INP), em parceria com a Apex-Brasil – Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos, a Colorfix Masterbatches também é uma das empresas patrocinadoras do evento.

“Estamos muito felizes em fazer parte desta iniciativa, que além de fortalecer o setor do plástico como um todo, também é uma forma de auxiliar a Colorfix a desbravar novas fronteiras”, avalia Francielo.

O evento global online além do lançamento de Guia Internacional de Tendências de Cores, contou com mostra internacional de empresas associadas e patrocinadores; seminário internacional; Apresentação de Anuário Internacional e Prêmio Global de Internacionalização para a indústria de plásticos transformados para Agrobusiness, Brinquedos, Construção Civil, Embalagens e Utilidades Domésticas.

A Colorfix Masterbatches, desde 1990, trabalha no desenvolvimento de concentrados de cor e/ou aditivos.. Com a matriz localizada em Colombo, na Região Metropolitana de Curitiba, no Paraná, a companhia conta ainda com unidades em São Caetano do Sul (São Paulo) e Jaboatão dos Guararapes (Pernambuco).

O Programa Think Plastic Brazil foi criado em dezembro de 2003, quando a cadeia nacional integrada dos plásticos foi reconhecida como uma das 10 maiores no mundo, tendo destaque em sua tecnologia, empregabilidade e sustentabilidade. Ele é desenvolvido pelo INP (Instituto Nacional do Plástico) e pela Apex-Brasil (Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos) para promover a exportação e a internacionalização dos plásticos transformados brasileiros nas verticais Agrobusiness, Brinquedos, Construção Civil, Embalagens e Utilidades Domésticas.

Curta nossa página no

Associados à Adirplast investem em soluções voltadas para a sustentabilidade

18/10/2021

A Adirplast (Associação Brasileira dos Distribuidores de Resinas Plásticas e Afins) vem trabalhando para estimular os aspectos de sustentabilidade entre seus associados e clientes. Como entidade representativa dos distribuidores de resinas plásticas, filmes biorientados, plástico de engenharia e masterbatches, atua no processo de conscientização e de busca por soluções mais verdes, tanto para serem oferecidas aos seus clientes como para serem utilizadas dentro de suas empresas. “Reforçamos sempre junto aos nossos clientes o uso consciente do plástico como matéria-prima e a importância de se evitar o desperdício durante os processos produtivos. Acreditamos, além disso, que o descarte inadequado dos materiais recicláveis, não apenas do plástico, é, na verdade, o vilão a ser combatido, porque o plástico é um material excepcional, quando usado e descartado corretamente, além de reciclado”, exemplifica Laercio Gonçalves, presidente da entidade.

Além de reforçarem o tema da reciclagem, muitas empresas associadas à Adirplast oferecem aos seus clientes produtos que ressaltam aspectos da sustentabilidade. Essas empresas buscam se engajar na agenda ESG (Environmental, Social and Corporate Governance) dentro de seus negócios.

A Polymark, por exemplo, afirma desenvolver, juntamente com seus fornecedores e clientes, modelos de negócios para otimizar a coleta de resíduos, maximizando a capacidade de reciclagem. “O sentimento antiplástico está em total contradição com os pontos fortes que estes materiais podem oferecer, tanto no contexto ambiental quanto na nossa vida cotidiana. A embalagem plástica funcional (com reduzida espessura e uso de monomaterial) é uma ferramenta fundamental na prevenção do desperdício de alimentos e amplia ativamente sua vida útil. O BOPP é um filme de baixíssima espessura e com alta barreira, o que proporciona baixa emissão de carbono com excelente funcionalidade”, explica Cláudia Savioli, diretora da Polymark.

A TIV-Bio Representações também diz oferecer soluções inovadoras para reciclagem. “Comercializamos um aditivo, que, quando mesclado nas resinas poliolefínicas, as transforma em materiais plásticos com biodegradação acelerada em ambientes de descarte urbano. Essa tecnologia complementa o sistema de reciclagem pois gera subprodutos na biodegradação dos materiais”, conta Tamas Vero, diretor da TIV-BIO.

O executivo ainda explica que alguns subprodutos dessas resinas, misturadas ao aditivo, podem gerar biogás, utilizado para gerar energia e água bruta para irrigação. “A utilização de nossos produtos é de suma importância para a sustentabilidade dos produtos plásticos à base de poliolefinas. Utilizando essas medidas, aliadas a outras, como a reciclagem, podemos retirar do ambiente os plásticos no formato atual – que podem ser poluentes se descartados erroneamente”.

Outra empresa associada, a Entec, também segue o conceito de sustentabilidade. “Há dois anos, oferecemos aqui no Brasil o PLA – biopolímero ácido poliláctico, que é biodegradável. Porém, para que isso aconteça, o ambiente precisa ser adequado (ambiente aeróbico para que ocorra a compostagem)”, explica Osvaldo, Gerente Geral da Entec.

Cruz explica ainda que o PLA ofertado pela Entec é usado em filamentos para impressão 3D. “Além disso, estamos em processo de negociação com fornecedores de materiais que contribuem e facilitam a biodegradabilidade dos polímeros plásticos fósseis”, diz. O executivo também reforça que a empresa trabalha para desenvolver alternativas de materiais que mitiguem o grande desafio que representam os plásticos pós-consumo na natureza.

A Activas é outra empresa associada que investe em sustentabilidade. “Oferecemos ao mercado biopolímeros de fonte renovável, biopolímeros compostáveis, assim como soluções pós-consumo. Além disso, desenvolvemos o serviço de Logística Reversa das sacarias e big bags, para que possamos, por meio de um parceiro, transformá-los em resina novamente para voltar ao mercado e, assim, completar o ciclo de economia circular”, explica Fernanda Boldo, diretora da Activas.

Boldo conta ainda que a Activas, ao longo dos últimos dois anos, tem passado por um processo importante em suas políticas, em sua gestão e na forma holística de olhar seu negócio. “Trocamos toda a frota de 20 caminhões por modelos do padrão Euro 5, mundialmente reconhecidos por sua ecoeficiência, como parte das ações para compensar as emissões de carbono – que, inclusive, foram expandidas para além de 100% da frota própria. Compensamos as emissões de todos os escritórios e unidades, assim como a frota terceirizada, chegando a 890 mil kg de CO2. Conquistamos o selo IT Green pela adoção de práticas que resultam no uso dos recursos tecnológicos da maneira mais ‘limpa’ possível, cuidando para que as atividades de TI (tecnologia da informação) não tragam consequências negativas para o meio ambiente.”

No segmento de masterbatches, a empresa associada Colorfix também mantém uma pesquisa contínua para expansão de sua linha de produtos sustentáveis. “Neste momento, estamos trabalhando com aditivos para melhoria da resistência de PLAs através do uso de fibras naturais. Acreditamos que podemos sempre exercitar o olhar para novidades e incentivar políticas sustentáveis e com maiores cuidados com o meio ambiente”, conta Francielo Fardo, diretor da Colorfix.

Em abril deste ano, a empresa lançou a linha Revora, composta por pigmentos e aditivos pensados para a economia circular. Nela, a empresa trabalha com o PCR, compostáveis, plástico verde e aditivos de otimização de processos. “Apresentamos masterbatches e aditivos que usam como veículo resinas de fonte renovável, como cana-de-açúcar. Diminuem a emissão de carbono e tornam possíveis os produtos feitos 100% de bioplásticos.”

Fardo explica que a implantação do projeto de sustentabilidade envolve todos os setores da Colorfix. “Geramos uma conscientização coletiva sobre os cuidados com o meio ambiente. Acreditamos que é essencial pensar não somente nos clientes, mas em todos os agentes envolvidos em nosso processo produtivo”, finaliza.

A Adirplast tem como diretrizes o fortalecimento da distribuição, o apoio aos seus associados e a integração do setor de varejo de resinas plásticas, filmes biorientados, plásticos de engenharia, masterbatches e compostos. Atualmente, a entidade agrega empresas distribuidoras de insumos plásticos que, juntas, tiveram um faturamento bruto de cerca de R$ 4,5 bilhões em 2019. Elas responderam por cerca de 12% de todo o volume de polímeros, masterbatches e filmes biorientados comercializados no país. Credenciadas pelos fabricantes, essas empresas contam com uma carteira de 7.000 clientes, em um universo de 11.500 transformadores de plásticos no Brasil.

Curta nossa página no

Colorfix aposta no crescimento do uso do plástico na Construção Civil

29/08/2021

Com o setor aquecido nos últimos tempos, empresas do ramo de construção precisam reduzir custos e diversificar matérias-primas. A indústria do plástico, de olho nesta necessidade, oferece alternativas.

A utilização do plástico em muitos dos canteiros de obras país afora pode se tornar um bom negócio. “Cabe a nós, que trabalhamos com soluções e pesquisas constantes, mostrar ao mercado que existem boas alternativas no setor de transformação do plástico que podem ajudar a Construção Civil a continuar crescendo com menor custo”, explica o superintendente da Colorfix Masterbatches, Francielo Fardo, empresa que atua na área de transformação do plástico há mais de 30 anos.

O plástico já é uma realidade no dia a dia de obras em todo o país. Componentes de terminais da instalação elétrica, como caixas, espelhos, tomadas, interruptores, esquadrias e portas, tubos e conexões, telhas e forros são atualmente alguns dos itens de plásticos mais encontrados em um canteiro de obras. A preferência do mercado tem relação com os benefícios que esses produtos trazem como leveza, possibilidade de reuso e maior durabilidade.

Outro item muito utilizado são as caixas d’água feitas em polietileno, que são leves e de fácil instalação, manutenção e limpeza, além de porssuir maior resistência a intempéries. As caixas em PE vem substituindo as caixas de amianto.

As propriedades do PVC (alta resistência à corrosão, durabilidade, facilidade de corte e colagem, isolamento elétrico, não-propagação de chama e resistência aos agentes químicos usuais, como produtos de limpeza) garantem o seu espaço em aplicações como tubulações e conexões elétricas e hidráulicas, nos revestimentos de fios e cabos elétricos, tubos condutores para fiações elétricas (conduítes) e componentes terminais para a instalação de luz. Em várias dessas aplicações, o uso do PVC apresenta vantagens sensíveis, como por exemplo em relação aos eletrodutos galvanizados.

“A Construção Civil já tem essa afinidade com o plástico e isso o uso do material pode ser ampliado para outros produtos que podem substituir os tradicionais à base de ferro e/ou cimento, por exemplo”, exemplifica Fardo.

A Colorfix afirma que tem investido em pesquisas em masterbatches e aditivos para melhorar o desempenho dos produtos finais, disponibilizando para o mercado um leque de linhas que agregam valor e diminuem custos para a construção. Segundo a empresa, a sua linha Revora é uma dessas soluções que já está ao alcance de quem quer construir com economia e com sustentabilidade.

A Colorfix oferece linhas de aditivos destinadas a aprimorar as propriedades de materiais plásticos, como, por exemplo, o Flamefix, que é utilizado como retardante de chama. Outros produtos, como o Revora UV, proporcionam o aumento da vida útil em peças plásticas, como por exemplo, caixas d’água e telhas. Já o Stactifix é usado para para repelir a poeira em superfícies.

Produtos para aumentar a resistência ao impacto, como o Exofix, são usados como agente expansor e também diminuir o peso das peças, enquanto que o Revora Bact foi desenvolvido para ser antimicrobiano nas caixas d’água.

Segundo Fardo, cada material plástico tem suas peculiares para atender demandas que necessitam de aplicações específicas. “O que vale destacar é que a sustentabilidade e a economia circular agregam valor ao setor da Construção Civil. Quando se fala em sustentabilidade, não devemos levar em consideração apenas a reciclagem e o reuso de materiais. Devemos também estar preocupados com a durabilidade do material, os danos causados pela sua extração do meio ambiente e também pela sua industrialização”, ressalta o superintendente da Colorfix.

Curta nossa página no

Colorfix apresenta aditivos para modificação de propriedades e processamento de resinas PCR

19/07/2021

A indústria de transformação do plástico vem mostrando ao mercado alternativas eficazes para a reciclagem de materiais pós-consumo, conhecidos como PCR. Essas novidades contribuem diretamente para a obtenção de uma cadeia circular sustentável no setor.

Para o consumidor final, essas iniciativas podem ser vistas materializadas em várias aplicações. Alguma delas podem ser encontradas em decks de jardim, bancos de parques e praças, móveis feitos a partir de plástico, entre outros mobiliários que cada vez mais vem caindo no gosto das pessoas e que são fabricados com resíduos recicláveis oriundos das casas dos consumidores. Essa alta no gosto popular também está atrelada à maior durabilidade desses produtos, sua leveza, aparência agradável e custos mais baixos quando comparado a produtos feitos a partir de madeira ou metal.

Contudo, no Brasil, o mercado do plástico ainda é tímido quando o assunto é a “opção por resina PCR”. A preferência por resinas virgens ainda é majoritariamente alta, principalmente pelo fator ‘custo’, pois os produtos PCR são, em sua maioria, mais caros que as resinas virgens.

Apesar de representar uma alternativa positiva do ponto de visto socioambiental, a obtenção, transformação e cadeia logística do PCR é normalmente mais onerosa do que a cadeia para a fabricação de resinas virgens.

Francielo Fardo

Mas esse cenário vem mudando. Na paranaense Colorfix Masterbatches, estudos e testes recentes em dois de seus produtos da linha sustentável Revora comprovam melhorias significativas nas propriedades mecânicas em polímeros que já passaram por processos de transformação, garante a empresa.

O primeiro deles, denominado Revora PCR Impact é um aditivo que melhora as propriedades mecânicas de impacto e tração. “Com a aplicação entre 5% e 8% do aditivo, é possível melhorar o alongamento e a resistência ao impacto em polímeros poliolefínicos (polietileno e polipropileno) pós-consumo”, explica o diretor superintendente Francielo Fardo.

De acordo com Fardo, com a aplicação de 5% do aditivo, o teste revela melhorias de 27% em resistência ao alongamento e de 15% em resistência ao impacto. Se o percentual de aditivo sobe para 8 %, a melhora observada na resistência ao impacto é de 30%.

Efeito do aditivo sobre o empenamento de peça

O outro aditivo da linha Revora (PCR PROHP) é um agente nucleante que proporciona a cristalização dos materiais a temperaturas mais altas e melhora a interação das cadeias do polímero, tornando o resfriamento da peça mais rápido durante o processo de injeção, afirma a Colorifix. “Com isso, o processo do cliente ganha menor tempo de resfriamento, favorecendo ganho de ciclo e reduzindo as marcas de rechupes, rebarbas e empenamentos. O ganho no tempo vai depender do processo específico de cada cliente”, explica Fardo.

“Utilizando de produtos Revora as empresas garantem a aplicação do conceito de sustentabilidade também em sua linha de produção, pois internamente exigimos um controle rigoroso em todo o nosso processo de produção, a começar pelos nossos fornecedores de matérias-primas”, ressalta Francielo Fardo.

Curta nossa página no

Adirplast filia empresas do segmento de Masterbatches e Compostos

03/07/2021

  • Entidade abre espaço para o segmento de Masterbatches e Compostos e ganha mais quatro associados
  • Associação agora representa 29 empresas distribuidoras em todo o Brasil

As empresas Actplus, Azzu, Colorfix e Pro-Color são as novas distribuidoras associadas à Adirplast (Associação Brasileira dos Distribuidores de Resinas Plásticas e Afins). Com as novas adesões, a entidade passa a representar mais um segmento do setor de plásticos: o de Masterbatches e Compostos. Isso faz aumentar a sua abrangência. A associação, que já abrigava empresas distribuidoras autorizadas no varejo de resinas plásticas, filmes de BOPP, BOPET e plásticos de engenharia, representa agora 29 distribuidoras no país.

Para Francielo Fardo, da Colorfix, participar da associação o ajudará a realizar o benchmarking com outras empresas do setor. “Além disso, temos a oportunidade de compreender melhor tendências do mercado”, explica o executivo. Hoje a empresa, que atende todo o território nacional, trabalha com masterbatches de cor e aditivos, inclusive da marca Revora, que oferece produtos sustentáveis. “Atendemos aos processos de transformação de injeção, extrusão-sopro, multifilamento, monofilamento, rotomoldagem, extrusão de filme, ráfia e extrusão de chapa para todas as resinas, desde as poliolefinas até as de engenharia”, diz Fardo.

Tedy João Pacífico, da Azzu Resinas, também acha muito positivo a entrada da empresa na entidade: “A Adirplast nos traz informações sobre o segmento de Masterbatches e isso nos dá ferramentas de planejamento para o nosso negócio, traduzindo-se em mais previsibilidade às nossas ações”. O executivo também conta que a empresa, que tem sete anos de mercado, tem em seu portfólio masterbatches de cor e aditivos para todas as resinas e processos termoplásticos, atendendo todo o Brasil e Mercosul.

O executivo da Pro-Color, Roberto Clauss, também aposta que a entrada de sua empresa na Adirplast trará benefícios. “Isso nos ajudará a aumentar o nosso network, nos atualizará sobre o universo das resinas termoplásticas e será um ambiente para compartilhar informações”. Clauss conta que a empresa, que existe desde 1986, tem sua matriz em Cotia, SP, mas também conta com filiais em Bauru (SP), Jaraguá do Sul (SC), Condado (PE), e Recife (PE). Hoje o portfólio da companhia conta com Masterbatches, Compostos, Aditivos, Dry-Blend, Tingimentos e Mão de Obra para tingimento e aditivação.

Alexandre Pastro, que representa a Actplus, empresa do Grupo Activas, também comemora a entrada na entidade. “A participação na Adirplast é muito importante pois, além da troca de informações, do fortalecimento das parcerias e da interação entre as empresas, também ajuda no desenvolvimento do setor plástico em nosso País, pois amplia as possibilidades de crescimento e melhoria contínua das empresas participantes”. O diretor conta que a empresa produz compostos de plásticos de engenharia, masterbatches, aditivos, resinas pigmentadas e faz industrialização para terceiros. “Estamos presentes em todos os segmentos de mercado, com destaque para aplicações na indústria automotiva e alimentos”, finaliza.

Para o presidente da Adirplast, Laercio Gonçalves, a entrada deste novo grupo reforça ainda mais a importância da entidade. “A troca de informações entre diversos representantes da cadeia do plástico fortalece o nosso setor para a construção de um mercado mais saudável e competitivo”, finaliza.

A Adirplast tem como diretrizes o fortalecimento da distribuição, o apoio aos seus associados e a integração do setor de varejo de resinas plásticas, filmes bi-orientados, plásticos de engenharia, masterbatches e compostos. Seu objetivo é demonstrar a importância que os distribuidores têm para o setor e para o desenvolvimento do mercado brasileiro de plásticos. A entidade trabalha ainda para promover a imagem sustentável do plástico. Atualmente, a entidade agrega empresas distribuidoras de insumos plásticos que, juntas, tiveram um faturamento bruto de cerca de R$ 5 bilhões em 2020. Elas responderam por cerca de 12% de todo o volume de polímeros, filmes bi-orientados, masterbatches e compostos comercializados no país. Credenciadas pelos fabricantes, essas empresas contam com uma carteira de 7.000 clientes, em um universo de 11.500 transformadores de plásticos no Brasil. Para atendê-los, a entidade emprega 150 representantes externos e mantém 200 postos de atendimento, contando com equipes de assistência técnica e de pós-venda.

Curta nossa página no

Colorfix oferece masterbatches sustentáveis para os segmentos de higiene, beleza e cosméticos

19/06/2021

Embalagens podem ser desenvolvidas dentro do conceito de Design Circular

Masterbatches com a cor ideal e aditivos que podem corrigir imperfeições de processo e de características de performance mecânica são algumas das soluções que a Colorfix oferece aos segmentos de higiene, beleza e cosméticos

O conceito de Design Circular de produtos para os segmentos de cosméticos, higiene e beleza no Brasil vem ganhando cada vez mais espaço no mercado. O consumidor contemporâneo está cada vez mais atento e exigindo que embalagens e demais componentes que acondicionam produtos consumidos no varejo estejam dentro de um conceito sustentável, ou seja, algo que realmente se faça presente em toda a cadeia de produção das embalagens.

Segundo o diretor superintendente da paranaense Colorfix Masterbatches, Francielo Fardo, empresa que atua há mais de 30 anos no mercado de transformação do plástico, essa tendência tem sido percebida pela companhia, que tem uma fatia de 10% da carteira composta por clientes deste segmento. “Em nossos estudos e pesquisas vemos que o mercado está cada vez mais voltado para um consumo de produtos que sejam amigos do meio ambiente”, avalia.

Conforme o executivo, o giro dos produtos deste segmento de mercado acaba sendo muito rápido, por se tratar de consumo não durável. “Profissionais da área de design também estão atentos a esta demanda, buscando respostas rápidas, criativas e sustentáveis, que acabam por demandar também a indústria da transformação do plástico”, comenta Fardo.

A Colorfix, de olho nesta necessidade, afirma ter desenvolvido soluções que vão ao encontro dos anseios de empresas e profissionais que atuam no segmento cosméticos. Dentro deste conceito destaca-se a linha denominada Revora.

“Essa linha apresenta facilidades para que o conceito de Design Circular seja aplicado na prática. Ou seja, utilizando do conceito Revora, proporcionamos ao mercado soluções que ajudam a criar, por exemplo, embalagens e acessórios criativos, com ressignificados. Um dos mercados mais abertos, promissores e que valorizam esses diferenciais é justamente o de cosméticos”, destaca Fardo.

Para a Colorfix, as modificações dos produtos e processos não ocorrem de uma forma imediata e automática, pois uma série de ajustes precisam ser identificados e revisados para um projeto contemplar conceitos voltados a Economia Circular. “Esta curva de aprendizado e adaptação, por exemplo, precisa ser levada em consideração para entendermos qual é o melhor momento para promovermos as melhores alternativas ao mercado”, considera Fardo.

Segundo a Colorfix, a sua linha Revora possui masterbatches feitos com resinas biodegradáveis, resinas verdes e resinas PCR, aditivos para otimizar o uso de resinas pós-consumo e aditivos que tornam o uso de resinas convencionais mais sustentáveis. Com todas essas soluções já disponíveis ao mercado, a meta da Colorfix é aumentar em 40% a carteira de clientes do segmento cosméticos, higiene e beleza até o final de 2022. A empresa afirma que essas soluções sustentáveis agregarão valor percebido nas embalagens e produtos para esse importante segmento do mercado brasileiro.

Curta nossa página no

Fabricantes internacionais de matérias primas apresentam novidades na Feiplastic 2017

19/03/2017

Marcas como Braskem, Dow, Rhodia Solvay e Milliken apresentam ampla gama de produtos inovadores para a confecção de embalagens, filmes e peças automotivas

Um dos setores importantes da FEIPLASTIC 2107 – Feira Internacional do Plástico, o de “Resinas”, juntamente com outros fabricantes de matérias-primas essenciais na cadeia de produção do plástico, estarão representados no evento por marcas de alto reconhecimento nacional e internacional. Braskem, Dow, Rhodia Solvay, Milliken, Eastman e Colorfix são algumas das principais marcas que levarão uma extensa gama de materiais inovadores para a confecção de embalagens, filmes e peças automotivas, por exemplo, a serem apresentados ao público da FEIPLASTIC.

A FEIPLASTIC 2017 é organizada pela Reed Exhibitions Alcantara Machado e acontece no Expo Center Norte, em São Paulo, de 3 a 7 de abril. Além do setor de “Resinas Sintéticas”, a Feira contemplará o de “Produtos Básicos e Matérias-Primas”, “Máquinas, Equipamentos e Acessórios”, “Moldes e Ferramentas”, “Transformadores de Plástico”, “Instrumentação, Controle e Automação” e “Serviços e Projetos Técnicos”.

A Braskem, maior produtora de resinas termoplásticas das Américas, com volume anual superior a 20 milhões de toneladas e faturamento anual de R$ 54 bilhões, apresenta alguns produtos como o Flexus, marca do polietileno de base metalocênica indicado para utilização em embalagens que exigem características como maior resistência, brilho, transparência e selagem; e o Flexus Cling, da mesma família de resinas, que foi especialmente desenvolvido para extrusão de filmes stretch (estiráveis), utilizados por indústrias para proteger cargas durante transporte. Junto com o Flexus, o Proxess, família de PEBDL metalocênico, é desenhado para atender ao mercado de embalagens flexíveis, indicado para o de empacotamento automático (FFS) ou sacarias industriais, e também para filmes termoencolhíveis, agrícolas e barreira.

A empresa também apresenta uma outra marca: Amppleo, resina de polipropileno de alta resistência, especialmente desenvolvida para a produção de espumas de alto desempenho, capaz de suportar temperaturas de até 100°C sem se deformar, além de possibilitar a fabricação de espumas com ampla versatilidade de aplicações dentro de uma grande escala de densidade. Com ela, a empresa pretende estabelecer parcerias para o desenvolvimento de novas aplicações nos mercados automotivo, industrial, de embalagens, construção civil e eletrodomésticos.

Durante o evento, a Dow apresentará suas mais recentes inovações em resinas: DOWLEX™GM, INNATE™, OPULUX™HGT e AGILITY™. A família DOWLEX™GM proporciona o desenvolvimento de filmes com melhores óticas e aprimora atributos como transparência e brilho, de forma a ter maior destaque no ponto de venda.  Já a família INNATE™ apresenta um equilíbrio inédito entre tenacidade e rigidez, combinado a uma excelente resistência ao rasgo e à perfuração, o que possibilita a produção de embalagens mais leves e resistentes.

O OPULUX™ HGT, solução recente em verniz de alto brilho que substitui o processo de laminação, incrementando a resistência térmica e mecânica de embalagens flexíveis, complementa o portfólio da Dow para o mercado de embalagens. E a nova família AGILITY™ de resinas de polietileno de baixa densidade, indicadas tanto para processos de filme soprado quanto de revestimento por extrusão, possibilita uma maior produtividade nas linhas de produção, mantendo a uniformidade e a qualidade dos filmes.

A Rhodia Solvay levará à FEIPLASTIC lançamentos de quatro unidades globais de negócio: “Plásticos de Engenharia”, “Specialty Polymers”e “Technology Solutions”. Uma das principais novidades no evento será o lançamento no mercado regional da nova poliamida Technyl® REDx com “molécula inteligente” para peças de alta exigência térmica. Este material inovador, que supera o desempenho dos plásticos especiais convencionais, é destinado a aplicações em peças submetidas a estresse térmico constante, especialmente para os motores automobilísticos da nova geração.

Também contemplando o setor automotivo, o projeto Polimotor 2 oferece um amplo portfólio de soluções que incluem os polímeros especiais das marcas Torlon® (PAI), Avaspire® (PAEK), Ketaspire® (PEEK) eRyton® (PPS). A empresa divulgará ainda os novos desenvolvimentos de polímeros especiais – incluindo fluorpolímeros – para aplicação de baterias automotivas em veículos híbridos e elétricos, que começam a ganhar mercado especialmente na Europa.

Outra novidade é o Technyl® 4earth®, um novo processo patenteado pela Solvay que transforma fontes estáveis de têxteis técnicos pós-industriais ou em fim de vida – tais como airbags para automóveis – em plásticos de engenharia de primeira qualidade. Esta tecnologia exclusiva oferece novos produtos ecológicos reduzindo significativamente o impacto ambiental de peças de poliamida.

O foco da unidade global de negócios “Technology Solutions /Polymer Additives” na Feiplastic são os aditivos estabilizadores a luz e antioxidantes. O destaque desse negócio são os produtos da linha Cyasorb® Cynergy Solutions desenvolvidos para aplicações com elevados requerimentos técnicos como: filmes de PE para cobertura de estufas agrícolas, compostos de PP para peças automotivas interiores e exteriores, rotomoldagem e geosintéticos.

A Milliken, empresa global de especialidades químicas, revestimento e materiais de alto desempenho, vai apresentar seu produto clarificante concentrado NX UltraClear®, que proporciona ao polipropileno (PP) altíssima transparência, ideal para a confecção de embalagens e recipientes cujo conteúdo precisa estar protegido e à vista. A ação do clarificante é capaz de superar o tradicional aspecto translúcido do PP em embalagens termoformadas (moldadas em altas temperaturas), criando uma transparência similar àquela do PET e PS (poliestireno), mas com os benefícios ambientais e de desempenho do material.

A Eastman, empresa de especialidades químicas e fibras, estará presente na FEIPLASTIC 2017 apresentando seu portfólio de Plásticos Especiais, com destaque para Tritan e Glass Polymer, além de TPU’s e Plastificantes Scandiflex. Em Plásticos Especiais, a Eastman apresentará o projeto Philips Duravita, com novas Jarras para Blenders. Neste ano, a empresa oferecerá eventos diários, com destaque para o “Eastman Strike: Desafio Tritan”: a empresa montará uma pista de boliche e o jogo será realizado com garrafas feitas com Tritan, testando sua resistência.

Após dois anos em desenvolvimento, a Colorfix Masterbatches vai lançar o ColorID. Trata-se de um aplicativo digital com a função de identificar a cor solicitada pelo cliente, de forma mais rápida e assertiva. O cliente irá apresentar a cor e o representante comercial, de forma online, fará a leitura, identificando a tonalidade e ainda indicando as possíveis variáveis e a sua ficha técnica. De acordo com a Colorfix, o ColorID conta com um armazenamento de 800 cores, nas versões com e sem textura, em PE (polietileno), PP (polipropileno) e PS (poliestireno).

Entre os expositores de Resinas e Matérias-Primas confirmados para a FEIPLASTIC 2017, estão: ETENO, VIDEOLAR –INNOVA, COLORMIX, FORTYMIL, A SCHULMAN, DRY COLOR, MAIS POLIMEROS, AKRO-PLASTIC, EASTMAN, PIRAMIDAL, AMPACET, ECOMASTER, REPLAS, COLORFIX, ELEKEIROZ, BRASKEM, CRISTAL MASTER, EVONIK, ACTIVAS, CROMEX, INBRA, PEPASA, DACARTO,
STYROLUTION, ASTON, KARINA, KURARAY, REMO, PRO-COLOR, MILLIKEN, EXXONMOBIL, SOFTER, MITSUI, KRISOLL, TERMOCOLOR, MULTICEL, CUYO, ARKEMA, MULTICOLOR, SNETOR, BAERLOCHER, NEXO, SABIC, BASELL, NZ COOPERPOLYMER, BASF, BIESTERFELD, OMYA, LANXESS, BOREALIS, ASACLEAN, APTA RESINAS, BRASCHEMICAL, PONTUAL POLIMEROS, COVESTRO, CABOT, PROQUIMIL, RAPOSO, CARBOMIL, CORBION, INNOVA, CHEMSON, RADICI PLASTIC, PETROPOL, CHEM-TREND, RHODIA SOLVAY, CLARIANT, SUN ACE, INEOS STYROLUTION, COIM, THATHI, UBE, TORAY

Fonte: Assessoria de Imprensa – Feiplastic

Curta nossa página no

Na Feiplastic, Colorfix Masterbatches lançará aplicativo que identifica a cor in loco

18/03/2017

Após dois anos de desenvolvimento, a empresa paranaense Colorfix Masterbatches irá lançar durante a Feiplastic 2017, em São Paulo, o ColorID. Trata-se de um aplicativo com a função de identificar a cor solicitada pelo cliente, de forma mais rápida e assertiva. Para o diretor superintendente da companhia, Francielo Fardo, a ferramenta irá modificar o conceito de desenvolvimento dos masterbatches.

“Diferentemente da sequência tradicional no qual os clientes nos enviam um padrão de cor, e, posteriormente, nós o desenvolvemos e enviamos de volta uma amostra, com o aplicativo ColorID o cliente irá apresentar a cor e o representante comercial, de forma online, fará a leitura, identificando a tonalidade e ainda indicando as possíveis variáveis e a sua ficha técnica”, explica Fardo.

Essa é uma inovação no segmento da transformação do plástico brasileiro. A tecnologia é bastante difundida no segmento de tecidos nos EUA. Em um primeiro momento, o ColorID conta com um armazenamento de 800 cores, nas versões com e sem textura, em PE (polietileno), PP (polipropileno) e PS (poliestireno).

Catálogo de Tendências

O aplicativo tem por objetivo ser uma ferramenta complementar ao catálogo Cores & Tendências, desenvolvido pela Colorfix desde 2014. Neste ano, ele chega aos clientes na versão 3.0. A edição é inspirada nas cores da natureza e também nas tendências apontadas por estudos de cores de mercado para a indústria, moda e design.

Seguindo o conceito de inovação e comprometimento, o slogan do catálogo deste ano é ‘Re-pensar’, que, aliado à cor do ano (verde Greenery), significa a esperança, a recomeço, o repensar e o renovar. Além do verde, o catálogo apresenta mais nove cores que serão tendências neste ano, entre as tonalidades do azul, amarelo, laranja, rosa e marrom, com efeitos diversos (metalizados, perolados, interferência e soft touch) e de forma transparente.

Todas as cores são desenvolvidas em PP/PE e acompanham suas características técnicas. Entre elas, o código, a aplicação, a resina de aplicação, a temperatura, a solidez à migração e à luz, e a sua toxicidade.

Feiplastic

A Feiplastic ocorre de 3 a 7 de abril no Expocenter Norte, em São Paulo. A Colorfix participa desta feira desde 2009. “É de extrema importância participar de eventos deste porte. Primeiro porque reúnem informações do setor em um único local, o que agrega valor aos negócios através da troca de informações no contato pessoal. Segundo, pela proximidade dos clientes que têm a possibilidade de conhecer novos produtos e tirar suas dúvidas com toda a equipe da companhia que se mobiliza para o evento. Por último, há a questão de estar presente no mercado, demonstrando o que há de novidade e tecnologia em nossa linha de produção”, declara Fardo.

Além do ColorID e do Catálogo de Tendências, durante a feira também serão apresentados os aditivos transparentes, clearfix colorants e marmorizados. Os Clearfix Colorants tem entre os principais benefícios a alta transparência em polipropileno clarificado, cores vivas e limpas, alta resistência a migração e nucleação, afirma a empresa. OEfeito marmorizado é muito utilizado em peças de jardim, utensílios domésticos, brinquedos, embalagens para cosméticos, entre outros.

Palestras

A Colorfix oferecerá minipalestras aos visitantes de seu stand, com duração de 15 minutos cada. Entre os assuntos abordados, estão: “Colorimetria: avaliação visual e instrumental”, “Aditivos para ganho de alta performance e sustentabilidade”, e “Como dimensionar o produto para atender as necessidades e custos do cliente”.

16h – Aditivos para ganho de alta performance e sustentabilidade
17h – Como dimensionar o produto para atender as necessidades e custos do cliente
18h – Colorimetria: avaliação visual e instrumental
19h – Aplicativo ColorID

A Colorfix Masterbatches, desde 1990, trabalha na inovação e no desenvolvimento de concentrados de cor e aditivos. Com a matriz localizada em Colombo, na Região Metropolitana de Curitiba, no Paraná, a companhia conta ainda com unidades em São Paulo (São Caetano) e Pernambuco (Jaboatão dos Guararapes).

Fonte: Assessoria de Imprensa – Colorfix

Curta nossa página no

Colorfix apresentará novos produtos e realizará treinamentos em seu stand na Interplast

10/07/2016

ColorfixA Colorfix  (http://colorfix.com.br), fornecedora de masterbatches e aditivos com sede em Colombo, na Região Metropolitana de Curitiba, no Paraná,  apresentará novidades durante a feira Interplast, de 13 a 16 de agosto, em Joinville (SC).

Em relação às cores, a Colorfix lançará o Rose Quartz (rosa pastel) e a Serenity (azul calmo) para o seu Catálogo de Tendências 2016/2017. O lançamento segue a tendência da Pantone 2016 (empresa norte-americana famosa por seu sistema numérico de escala de cores).

Outra inovação no quesito cores será o lançamento de sua linha de cores metálicas – rosa e dourado para o segmento de cosméticos; e o alumínio, em substituição ao processo de pintura, desenvolvido, especificamente, para eletroeletrônicos e móveis.

Sobre os aditivos, o destaque ficará por conta da linha de alta performance e sustentabilidade, que, segundo a Colorfix é focalizada na redução custos nos processos dos clientes.

A Colorfix também exibirá durante a Interplast outros produtos do seu portfolio:

  • Selofix (Selante): com ação preventiva e aplicação para paradas de máquina e vedação da rosca. Segundo a Colorfix, o produto evita problemas como carbonização e amarelamento da resina, agilizando o reinício de produção e diminuindo perdas por contaminação de carbonização.
  • Purgfix: Agente de purga, com ação corretiva. Combinação de produtos que permite uma limpeza eficiente e rápida dos equipamentos, eliminando pontos de carbonização e facilitando a troca de materiais e cores, afirma a Colorfix.
  • Processfix HP (high performance) (Aditivo nucleante). Específico para polipropileno (PP). Ao utilizar o Processfix HP, o ciclo de produção pode ser reduzido em até 15% o que gera, consequentemente, uma aumento da produtividade, além de melhorar o desempenho do produto final, garante o fabricante.
  • Processfix (Auxiliar de processo). Segundo a Colorfix, atua diminuindo o atrito entre o polímero e os componentes da máquina durante o processamento, promovendo um melhor fluxo do material e melhor acabamento na superfície da peça.

Além das novidades, a empresa oferecerá mini-palestras aos seus visitantes, com duração de 15 minutos cada. Entre os assuntos abordados, estão: “Calorimetria: avaliação visual e instrumental”, “Aditivos para ganho de alta performance e sustentabilidade”, e “Como dimensionar o produto para atender às necessidades e custos do cliente”.

“A Interplast é uma vitrine para os nossos produtos, além de ser um ambiente de oportunidades técnicas e comerciais. Eventos como este fortalecem não somente a marca da companhia, mas também o setor como um todo”, afirma Francielo Fardo, diretor superintendente da Colorfix. “Além disso, a feira também é um espaço para o reforço e fixação da marca; estreitamento de relação com clientes tradicionais; e prospecção de novas parcerias, clientes e novos projetos”, finaliza.

A Colorfix Masterbatches atua desde 1990 no desenvolvimento de concentrados de cor. Hoje, são mais de 50 mil produtos, entre cores e aditivos, visando a melhoria tanto de produtos quanto de processos dos clientes. A matriz está localizada em Colombo, na Região Metropolitana de Curitiba, no Paraná, mas a companhia conta ainda com unidades em São Paulo (São Caetano) e Pernambuco (Distrito Industrial de Recife).

A Interplast tem em média 550 marcas expositoras apresentando novidades dos mais variados setores como máquinas, equipamentos, transformadoras, ferramentarias, embalagens, matérias-primas, periféricos, design e serviços. Realizada pelo Simpesc (Sindicato da Indústria de Material Plástico no Estado de Santa Catarina) e organizada pela Messe Brasil, a 9ª edição tem o apoio da ABIMAQ (Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos), ABIPLAST (Associação Brasileira da Indústria do Plástico) e FIESC (Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina).
Paralelamente ao evento acontecem a 3ª EUROMOLD Brasil – Feira Mundial de Construtores de Moldes e Ferramentarias, Design e Desenvolvimento de Produtos – o CINTEC 2016 Plásticos – Congresso da Inovação Tecnológica e a Rodada de Negócios.

Serviço
Interplast 2016 – Feira e Congresso de Integração da Tecnologia do Plástico – http://www.interplast.com.br
EUROMOLD BRASIL – Feira Mundial de Construtores de Moldes e Ferramentarias, Design e Desenvolvimento de Produtos – http://www.euromoldbrasil.com.br
Data: 16 a 19 de agosto de 2016
Horário: 14 às 21 horas
Local: Expoville – Joinville-SC – Brasil
Organização: Messe Brasil

Fonte: Assessoria de Imprensa – Interplast

Curta nossa página no

Colorfix lança masterbaches para mercado de cosméticos, utilidades domésticas e construção civil.

14/07/2010

A Colorfix, fabricante de concentrados de cor e aditivos de alta performance, lança na Interplast 2010 as linhas de marterbaches coloridos fluorescente para o mercado de cosméticos e utilidades domésticas, fotoluminescente para construção civil e segurança, e a linha de aditivos Fix para todos os segmentos. “Os Masterbaches de aditivos da linha Fix conferem propriedades únicas aos polímeros e auxiliam os processos de transformadores dos mais diversos segmentos”, comenta Amarildo Bazan, diretor comercial da Colorfix.

A Colorfix também leva à feira o aditivo Bactfix, bactericida de alta eficiência; Blackcooler, aditivo que reduz a absorção de calor pelo composto plástico em até 20%, melhorando a eficiência de produtos como ar condicionado automotivos; Selofix, selante para injetoras melhorando a eficiência nas partidas de produção; e Purgfix, aditivo de purga de alta performance que reduz custo e tempo na troca de cores.

“Nossa participação na Interplast é imprescindível pela forte atuação no sul do país, onde podemos promover nossos produtos e a marca, apresentar lançamentos e novidades, prospectar novos clientes antes, durante e após a feira, além do evento permitir a expansão dos negócios com empresas e distribuidores”, enfatiza Bazan.

Sobre a Colorfix
Fundada em 1990, Colorfix fabrica concentrados de cor e aditivos de alta performance. É   uma das principais empresas brasileiras fornecedoras de matéria-prima para a indústria do segmento plástico para processos de injeção, sopro, extrusão de filmes, perfis e chapas, termoformagem, rotomoldagem, monofilamento, multifilamento etc. Atende aos segmentos automobilístico, linha branca, cosméticos, brinquedos, alimentício, utensílios domésticos, construção civil, agropecuário, de peças técnicas, entre outros.

Fonte: Messe Brasil