Posts Tagged ‘Chapas’

Covestro vende negócio de chapas de policarbonato na América do Norte para Plaskolite

24/03/2018

  • Outras unidades de negócio regionais da Covestro sob revisão para otimização do portfólio
  • Clientes norte-americanos poderão recorrer a uma única fonte para um portfólio abrangente de produtos de chapas plásticas transparentes

A Covestro, fabricante líder global de materiais, continua o processo de otimização do seu portfólio. Como parte dessa estratégia, a empresa pretende vender seu negócio global de chapas de policarbonato (PCS). As chapas de policarbonato tem alta durabilidade e são moldáveis livremente, sendo usadas em transporte público, sistemas de cobertura ou aplicações de sinalização.

Como primeiro passo, a unidade norte-americana de chapas de PCS da Covestro,  que gerou vendas de cerca de US $ 170 milhões em 2017, foi vendida para a Plaskolite LLC, maior fabricante de chapas de acrílico da América do Norte. O acordo será conduzido como um acordo de ativos, o que significa que, assim como a transferência de propriedade intelectual e ativos fixos dedicados, os funcionários da Covestro serão incorporados à Plaskolite. Como parte da transação, a Plaskolite está adquirindo a sede do negócio de chapas, plantas de produção e instalações de armazenamento da Covestro localizada em Sheffield, Massachussets (EUA) e manterá a instalação terceirizada de depósito para distribuição existente em Hebron, Ohio. As operações continuarão na instalação fabril atual. Com esta aquisição, a Plaskolite empregará 950 pessoas. As empresas concordaram com um preço de venda de várias dezenas de milhões de dólares. A conclusão do fechamento do negócio está prevista para 01 de agosto de 2018.

“Nós avaliamos e otimizamos continuamente nosso portfólio para garantir crescimento futuro e criação de valor. Durante esse processo, ficou claro que o nosso negócio de chapas não se encaixaria estrategicamente, no longo prazo, no nosso negócio de policarbonatos ”, disse o CEO da Covestro, Patrick Thomas. “Por isso, decidimos que a unidade de chapas pode se desenvolver e crescer melhor sob um novo proprietário e estamos felizes por ter encontrado na Plaskolite um excelente comprador para nossas operações nos EUA.”

Em relação às suas unidades de chapas de policarbonato na Europa, a Covestro abrirá em breve um processo de venda em separado e, no devido tempo, anunciará detalhes sobre suas unidades remanescentes na região Ásia-Pacífico.

A aquisição transformará a indústria de chapas plásticas norte-americana, através da combinação do líder em fabricação em acrílico com o líder na fabricação em policarbonato.

“Esta aquisição é transformadora para a Plaskolite e fortalece nossa posição de liderança no setor”, disse Mitchell Grindley, Presidente e CEO da Plaskolite. “Isso amplia nossa oferta e fortalece ainda mais nossas parcerias. A Plaskolite será o único fabricante a oferecer um portfólio completo de produtos de chapas transparentes, incluindo acrílico, policarbonato, PETG e ABS, o que é benéfíco para os nossos clientes, que agora podem usar uma única fonte para todas as suas necessidades de chapas. ”

Este será o segundo negócio que a Plaskolite adquire da Covestro. Em 2012, a Plaskolite comprou a linha norte-americana Vivak® de chapas de PETG da empresa.

O comunicado de hoje sucede o anúncio feito pela Plaskolite em 12 de fevereiro passado sobre a aquisição do Negócio de Chapas Acrílicas Fundidas Contínuas da Lucite International, Inc., que ampliou sua oferta de chapas de acrílico e viabilizou a entrada no negócio de chapas de spa e banho.

Fundada em 1950 em Columbus, Ohio, por Donald G. Dunn e sua família, a Plaskolite, LLC é a maior fabricante norte-americana de chapas termoplásticas transparentes. Os produtos personalizados da Plaskolite são utilizados em uma ampla variedade de aplicações, incluindo janelas, portas, iluminação, placas, displays de ponto de venda e produtos de banho. A Plaskolite atende a uma base diversificada de clientes, incluindo distribuidores, OEMs e varejistas. Em 2015, o Charlesbank Capital Partners tornou-se o primeiro investidor externo de equity capital na Plaskolite.

Com vendas de 14,1 bilhões de euros em 2017, a Covestro está entre as maiores empresas de polímeros do mundo. As atividades de negócio estão focalizadas na fabricação de materiais poliméricos de alta tecnologia e no desenvolvimento de soluções inovadoras. Os principais segmentos atendidos são os setores automotivo, de construção civil, processamento e móveis de madeira e os setores elétrico e eletrônico. Outros setores incluem esporte e lazer, cosméticos, saúde e a própria indústria química. A Covestro possui 30 unidades de produção em todo o mundo e emprega aproximadamente 16.200 pessoas. A sede corporativa da empresa fica em Leverkusen, na Alemanha.

Fontes: Covestro e Plaskolite

Curta nossa página no

Anúncios

Novidade em tecnologia para iluminação é destaque da MMS Plásticos na Interplast 2016

17/08/2016

Sendo utilizada há cerca de 1 ano como lente pelos principais fabricantes do mercado de iluminação LED no exterior, a Chapa de Acrílico Diffuse chega no Brasil. Há apenas três meses no país, a tecnologia foi desenvolvida com exclusividade pela MMS Plásticos em parceria com a Arkema, fabricante da resina Plexiglas Diffuse, matéria-prima utilizada no desenvolvimento da Chapa de Acrílico Diffuse.

De acordo com a MMS Plásticos, a Chapa de Acrílico Diffuse traz diversos benefícios à iluminação. Um deles é a melhoria na difusão e transmissão da luz LED, oferecendo 92% de transmissão contra as lentes atuais que oferecem transmissão em torno de 50-70%. Com o aumento da transmissão e difusão da lente os fabricantes de luminárias reduzem os LEDs na fabricação dos produtos, gerando um menor custo no processo de produção. Além disso, a chapa elimina os hotspots da iluminação LED por conta da sua propriedade de máxima difusão de luz.

Segundo a MMS Plásticos, a Chapa de Acrílico Diffuse oferece maior durabilidade das lentes, pois mantém sua transmissão e o aspecto ao longo de anos, mesmo quando exposta a raios UV ou demais intempéries (tem 10 anos contra raios UV). O material pode ser utilizado na iluminação comercial, industrial, residencial e pública.

A novidade pode ser conferida na Interplast no estande da MMS Plásticos. A empresa está localizada no espaço coletivo do Sindicato da Indústria de Material Plástico do Estado do Rio de Janeiro (SIMPERJ).

Serviço
Interplast 2016 – Feira e Congresso de Integração da Tecnologia do Plástico – http://www.interplast.com.br
EUROMOLD BRASIL – Feira Mundial de Construtores de Moldes e Ferramentarias, Design e Desenvolvimento de Produtos – http://www.euromoldbrasil.com.br
Data: 16 a 19 de agosto de 2016
Horário: 14 às 21 horas
Local: Expoville – Joinville/SC – Brasil
Entrada: Gratuita
Organização: Messe Brasil

Fonte: Assesoria de Imprensa – Messe Brasil

Curta nossa página no

RRPlast apresenta máquinas e equipamentos para extrusão de chapas, tubos de irrigação e outros produtos durante a FEIPLASTIC

03/05/2015

RRPLAST_emailmarketing1 A fabricante indiana de equipamentos de extrusão RRPlast expõe pela primeira vez na FEIPLASTIC (Stand L 171a), que ocorrerá entre os próximos dias 4 e 8 de maio no Anhembi, em São Paulo.

A empresa apresentará a sua linha de produtos, buscando expandir sua presença no mercado brasileiro e sul-americano. Os principais segmentos atendidos pelas máquinas e equipamentos da RRPlast (www.rrplast.com) são os fabricantes de chapas plásticas, indústrias de canetas, fabricantes de tanques por rotomoldagem e fabricantes de tubos de irrigação por gotejamento.

A gama de produtos da empresa inclui:

  • Plantas de extrusão multicamada de chapas de PP/HIPS
  • Plantas de extrusão de chapas de PET
  • Plantas de produção de protetores para cabos em PS/ABS/PC/PMMA/HDPE/LDPE/EVA/S-PVC (largura de até 2.5 m. & espessura de até 40mm & produção de até 1 ton/hr)
  • Plantas de produção de chapas decorativas/produtos de papelaria em PP
  • Plantas para produção de tubos redondos e planos para irrigação por gotejamento
  • Plantas de reciclagem em 2 estágios com degasagem
  • Plantas de Compostagem e coloração de Polietileno para Aplicações de rotomoldagem
  • Plantas de extrusão de tubos em PEAD/PPR
  • Plantas de fabricação de lápis plásticos (sem madeira)
  • Plantas de fabricação de canetas, refill e palitos de pirulito

Sobre a RRPlast: Desde 1981,  a empresa vem fornecendo máquinas e equipamentos de extrusão para as indústrias de plásticos, tendo instalado mais de 1.800 máquinas de extrusão de plástico em toda a Índia e ao redor do mundo. A empresa já instalou mais de 600 linhas de extrusão de chapas. A RRPlast tem uma fatia de mercado superior a 50% no segmento de plantas para fabricação de tubos redondos de irrigação por gotejamento na Índia e em outros países, tendo instalado mais de 123 plantas. A empresa também possui 65% da fatia de mercado no segmento industrial de instrumentos para escrita. Sua sede está localizada em Asangaon, na Índia (próximo a Mumbai)

Fonte: RRPlast

Curta nossa página no

Nordson EDI anuncia Novo Mecanismo para Mudança na Espessura durante a fabricação de Chapas

23/04/2015

Sistema de posicionamento de lábio e saída da Nordson EDI reduz o tempo  de troca de configuração, além de permitir uma transição rápida em uma ampla faixa de espessuras

Nordson-Lip-Land-Adjustments

Sistema SmartGap™ ajusta o lábio de saída à medida que a abertura de lábio muda para acomodar uma chapa fina (esquerda), intermediária (centro) e grossa (direita)

Uma tecnologia inovadora para matrizes de chapa foi anunciada pela Nordson Corporation. Ela permite que os fabricantes façam mudanças de espessura com rapidez, aumentando a faixa de espessuras que podem ser produzidas e, simultaneamente a essas melhorias, aprimorando a qualidade da chapa, afirma a empresa.

Com o nome de SmartGap™, o novo sistema da Nordson EDI, com patente pendente, utiliza um mecanismo de ajuste de ponto único que altera a abertura do lábio e, ao mesmo tempo, modifica o comprimento do lábio de saída para oferecer as condições mais adequadas às espessuras recém ajustadas, à medida que a chapa sai da matriz. Ao vincular mecanicamente o ajuste dessas duas variáveis fundamentais do processo pela primeira vez, afirma a Nordson EDI, o sistema SmartGap garante uma configuração adequada da matriz e economiza tempo considerável, além de eliminar o processo de tentativa e erro na obtenção das propriedades desejadas da chapa.

O sistema SmartGap, disponível apenas em novas matrizes, elimina paradas prolongadas para a troca dos componentes do lábio que são frequentemente necessárias ao se fazer a transição para fabricar outros modelos. Além disso, relata a empresa, reduz o tempo necessário para a mudança de configuração, as quais costumam levar duas horas ou mais, para apenas alguns minutos. As limitações anteriores da faixa de espessura, resultantes das complexidades da modificação da matriz, também foram superadas. O sistema SmartGap abrange, de imediato, ajustes de abertura de matriz em uma faixa de 0,400 in (10,2 mm), permitindo aos processadores executar, de maneira eficiente, diversas trocas de produto por dia. Ao mesmo tempo, o sistema SmartGap aprimora a qualidade e a consistência do produto, em parte, ao manter as faces dos lábios e os lábios de saída paralelos, enquanto as mudanças de espessura são realizadas, afirma a Nordson EDI.

“Como os padrões de qualidade do produto que regiam o setor de chapas há apenas uma década não são mais aceitos em um mercado cada vez mais competitivo, a Nordson EDI desenvolveu o sistema SmartGap como uma maneira de eliminar as incertezas e falhas que muitas vezes acompanharam mudanças significativas de espessura”, disse Sam G. Iuliano, tecnólogo chefe. “Acreditamos que o SmartGap seja a primeira verdadeira inovação na tecnologia da matriz de chapa desde o início deste século.”

Inteligência integrada ajusta, automaticamente, o comprimento do lábio de saída enquanto altera a abertura do lábio

Para reconfigurar a abertura de lábio, os operadores ajustam, em movimento, o processo de mudança de espessura, usando um mecanismo de ajuste no final da matriz. A mudança simultânea no tamanho do lábio de saída ocorre automaticamente conforme necessário, dependendo da espessura pretendida da chapa. Portanto, para uma chapa fina, o lábio de saída é curto, o que ajuda a controlar a contrapressão em aberturas menores da matriz, reduz a deflexão e diminui a necessidade de passos intermediários. Para uma chapa intermediária, o lábio de saída varia de curto a médio, fornecendo pressão suficiente para ajustes eficazes no lábio flexível da matriz enquanto ajuda a reduzir a expansão do produto extrudado. Para uma chapa grossa, o lábio de saída é estendido até o tamanho máximo, aumentando a contrapressão em aberturas maiores do lábio e ajudando a reduzir a expansão do produto extrudado.

Antes do desenvolvimento do sistema SmartGap, havia dois métodos para variar a abertura do lábio. O mais simples consistia em ajustar o lábio superior flexível da matriz. Esse método tem uma faixa limitada de variação da espessura, ou “deslocamento”, exige diversos ajustes em toda a largura da matriz e precisa de uma parada prolongada para trocar um lábio inferior móvel ou fixo a fim de realizar uma alteração gradativa tanto no lábio de saída como na abertura do lábio, afirma a Nordson EDI.

Um método mais recente envolve o uso de um sistema de ajuste de ponto único, como o FastGap™ da Nordson EDI, para flexionar o lábio fixo, aumentando a faixa de deslocamento sem alterar o lábio de saída — de modo que o lábio de saída usado tenha um projeto compatível de tamanho médio.

Flexionar lábios de matriz por distâncias significativas resulta em lábios de saída não paralelos, causando uma geometria indesejável da trajetória do fluxo, convergente ou divergente. Isso pode piorar determinados problemas, como a contaminação do lábio, o que leva ao surgimento de marcas.  Quando não há meios para a modificação do lábio de saída ou quando os procedimentos de modificação do lábio de saída demandam muito tempo, os transformadores, geralmente, têm dificuldades para manter a qualidade da chapa.  Isso é especialmente verdadeiro nos extremos mais fino e mais espesso da faixa de seu produto, em que um lábio de saída médio é menos adequada.

Melhorias na qualidade e consistência da chapa proporcionadas pelo sistema SmartGap

Segundo a Nordson EDI, além de evitar paradas prolongadas e de ampliar a faixa de espessura disponível, a tecnologia SmartGap oferece as seguintes vantagens:

  • Evita a contração excessiva da chapa: uma vez que, hoje, é mais conveniente ajustar lábios com abertura menor, os processadores não precisam de passos intermediários para atingir a espessura pretendida. Sendo assim, há menos orientações de chapa e, consequentemente, menos problemas de contração.
  • Tolerâncias mais estreitas e chapas planas melhores: agora que comprimentos mais adequados de lábio de saída estão disponíveis para aberturas de lábio pequenas e grandes, o uso do lábio flexível para fazer o ajuste fino do perfil da espessura ficou mais eficiente. Além disso, uma proporção adequada entre lábio de saída e abertura do lábio evita a expansão excessiva do produto extrudado, responsável por causar defeitos visíveis de enrugamento. A geometria aprimorada de lábio também proporciona o desenvolvimento total do fluxo, o que resulta em orientação mais uniforme e menos deformações.
  • Melhor aparência: a redução da expansão de produtos extrudados ajuda a evitar a formação de estrias e reduz a tendência de contaminação das faces do lábio. Defeitos causados pela operação com uma abertura de matriz muito pequena, por exemplo, “pele-de-tubarão”, podem ser evitados ao utilizar sistemas que ofereçam um bom controle da espessura em aberturas maiores de matriz.
  • Desempenho aprimorado do anteparo externo: como o sistema SmartGap desliza os componentes do lábio em vez de flexioná-los em arco, os lábios de saída se mantêm paralelos e as faces de lábio continuam alinhadas e normais. Isso faz com que a geometria do lábio seja ideal para o uso com anteparos externos, uma vez que as vedações do anteparo não precisam conformar-se às faces irregulares de lábio.  O resultado é que os anteparos externos vedam melhor e requerem menos manutenção.

A Nordson Polymer Processing Systems (www.nordsonpolymerprocessing.com) fornece aos clientes componentes projetados para fundir, homogeneizar, filtrar, medir e dar forma a plásticos e materiais de revestimento fluido.  A Nordson fornece uma ampla gama de produtos de precisão de fluxo fundido — desde rosca e cilindros para extrusão e moldes para injeção até sistemas de filtragem, bombas e válvulas — para as matrizes de extrusão e sistemas de peletização, a fim de atender às necessidades em constante evolução da indústria de polímeros. A Nordson Polymer Processing Systems faz parte do grupo Nordson Corporation, fundado em 1954 e com sede em Westlake, Ohio, EUA. A empresa tem operações e escritórios de suporte em mais de 30 países.

Fonte: Nordson – Martino Comm.

Curta nossa página no

Unipac inaugura fábrica em Limeira

22/04/2015

Empresa investe na aquisição de prédio próprio e migra operações para assegurar capacidade de expansão

Unipac_1A Unipac, importante empresa industrial do segmento de transformação plástica, inaugurou oficialmente sua nova fábrica em Limeira (SP). A necessidade de ampliar a capacidade de produção de embalagens plásticas – utilizadas nos segmentos agrícola, químico, alimentício, entre outros – e de modernizar suas atividades, motivou a empresa a migrar todas as operações até então realizadas na filial de Santa Bárbara D´Oeste (SP), que encerrou seu ciclo.

O novo prédio abriga, desde 1º de janeiro de 2015, a fabricação de embalagens plásticas de 250 ml a 20 litros e de tampas para o mesmo segmento. Os investimentos na unidade incluíram a compra de maquinaria de última geração.

De acordo com Marcos Ribeiro, presidente da Unipac, a iniciativa se mostrou acertada para assegurar a expansão da empresa, abrindo claras perspectivas futuras. “O mercado nacional tem um amplo e diversificado potencial para embalagens, incluindo um dos nossos principais negócios da unidade de Limeira, o de embalagens plásticas rígidas para o segmento de agroquímicos, que vem crescendo em torno de 4% ao ano e que é impulsionado, principalmente, pela demanda mundial por alimentos, a qual movimenta o setor agrícola brasileiro. Os investimentos que fizemos nos permitirão manter nosso incremento na casa dos 20% ao ano”.

Tudo em um único lugar

Localizada às margens da Rodovia Engenheiro João Tosello (SP-147), no Km 103, em Limeira (SP), a nova planta da Unipac, com 23 mil m² de área construída e terreno de 57 mil m², comporta toda a área fabril oriunda de Santa Barbara D’Oeste, além dos estoques de embalagem, anteriormente alocados em operadores logísticos terceirizados. Na atual configuração, foi possível concentrar, em um único lugar, as operações de fabricação e armazenagem.

A escolha do local foi motivada, principalmente, pela proximidade com Santa Bárbara D´Oeste, a fim de manter o quadro de funcionários – cerca de 100 empregados diretos e 30  indiretos. Outros fatores que contribuíram para a definição foram o fato de Limeira estar numa região industrial forte, com mão de obra qualificada para apoiar o crescimento futuro da empresa, e a questão logística pelo fácil acesso, próximo a outras importantes rodovias.

“Em fevereiro de 2014, oficializamos a compra do prédio em Limeira. Precisávamos de um local maior que pudesse acomodar não apenas todas as atividades de embalagens, mas também nossa expansão. Por outro lado, tínhamos outra importante questão: queríamos manter nossos funcionários. Para tanto, procuramos lugares em cidades num raio de até 50 quilômetros de distância de Santa Bárbara D´Oeste. Deu certo e, hoje, o pessoal que permaneceu na empresa tem à disposição um ônibus fretado para ir ao trabalho”, explica Ribeiro.

Nova fábrica, mesmas exigências

Todas as práticas que dizem respeito à questão ambiental e que já são aplicadas nas outras unidades da empresa, permanecem também na fábrica de Limeira. Consideradas desde o inicio das atividades de adequação da nova planta, tais exigências, como controles e redução dos materiais e dos resíduos gerados, do consumo de água e energia, entre outras, já funcionam a pleno vapor. A planta utiliza novos sistemas de abastecimento: na fábrica, para reduzir as perdas de água e de resinas, as máquinas permitem controle e qualidade do processo de suprimento.

Recentemente, a unidade passou por auditoria do organismo de certificação de produto ABRACE e foi recomendada a obter a concessão da autorização para uso do Selo de Identificação da Conformidade, de acordo com os regulamentos de avaliação para embalagens utilizadas no transporte terrestre de produtos perigosos (Portaria INMETRO 326:2006).

Cliente da Unipac com unidade fabril in-house, a Syngenta também auditou e certificou a nova planta quanto à aderência aos padrões voltados à saúde, à segurança e ao meio ambiente. E estão previstas para junho e julho deste ano, respectivamente, as obtenções das certificações ISO 9001:08 e ISO 14001. Desta forma, o Sistema de Gestão da Qualidade da filial Limeira ficará integrado com a certificação de todas as outras unidades da Unipac.

Fundada em 1976, a Unipac conta com cerca de 900 funcionários e parques industriais instalados em quatro unidades no Estado de São Paulo – Pompeia (matriz), Limeira (filial), Regente Feijó e Paulínia (unidades in-house, ou seja, na sede de seus clientes). É considerada uma das indústrias de transformação de plásticos mais completas do país. A Unipac executa oito tipos de processos de transformação em seu parque fabril: sopro, injeção, injeção estrutural, extrusão de chapas, termoformagem, rotomoldagem, borracha e cerâmica. Essa variedade de processos possibilita a produção de soluções inovadoras e permite à Unipac atender aos seguintes mercados:

  • Automotivo: tanques para acondicionamento de diesel e Arla 32, com sistema integrado de nível, sucção, retorno e temperatura, além de sistemas de fixação e tampas – específicos para montadoras de caminhões e ônibus; e peças técnicas para diversas aplicações. Atende também o mercado de reposição; e acessórios para pick-ups, destinados ao setor de autopeças.
  • Agroquímico, Químico e Alimentício: embalagens monocamadas e multicamadas, além de tampas para as principais indústrias destes setores.
  • Agropecuário e Laticínios: produtos que auxiliam na ordenha e transporte do leite, além de outras soluções adequadas para o homem do campo.
  • Logístico: caixas colapsíveis e retornáveis, paletes, além de serviços de locação, higienização e manutenção para indústrias diversas.
  • Mercados diversos: peças técnicas produzidas de plástico, borracha ou cerâmica, para aplicações diversas.

Um moderno centro de pesquisa de engenharia em materiais e processos, a parceria com outros Centros de Pesquisas, incluindo o da Máquinas Agrícola Jacto e a sinergia entre as áreas da empresa e clientes  possibilita que a Unipac antecipe-se às tendências de mercado, sugerindo soluções inovadoras.

A Unipac faz parte de um grupo empresarial 100% nacional, fundado em 1948, composto por importantes empresas que atuam em vários segmentos: Jacto Agrícola, JactoClean, Rodojacto, Ferramentaria Jacto, Fundição Jacto, Veículos Jacto, Mizumo e Sintegra Surgical Sciencies.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Unipac

Curta nossa página no

Grupo AMUT adquire Dolci Bielloni e amplia sua capacidade de fornecer equipamentos para produção de filmes flexíveis

09/04/2015
Riccardo Castello, Gerente Geral da Dolci Bielloni e Mauro Drappo, CEO da AMUT

Riccardo Castello, Gerente Geral da Dolci Bielloni e Mauro Drappo, CEO da AMUT

A sinergia entre as duas empresas italianas vai impulsionar novos projetos customizados para diversos segmentos da indústria plástica no Brasil

A recente união das empresas italianas Dolci Bielloni e o Grupo AMUT fortalecerá, ainda mais, a liderança e experiência das duas marcas em extrusão de plásticos no mundo. Esta decisão representa também uma ação estratégica do grupo, fabricante de máquinas e linhas de produção para extrudados rígidos (chapas, tubos, perfis) e termoformagem de ampliar sua participação no Brasil, junto com a filial AMUT-Wortex, fruto da joint venture iniciada em 2014 com a Wortex.

“A fusão com a Dolci Bielloni é um sucesso para o futuro do Grupo AMUT. Juntos iremos impulsionar o nosso papel de liderança no cenário internacional. A sinergia aprimora nossos pontos fortes,que é o de atender nossos clientes com uma completa linha de máquinas para extrusão de plásticos, termoformagem e reciclagem,diz Mauro Drappo, CEO da AMUT.

Já a fabricante Dolci Bielloni é reconhecida pela expertise em máquinas para impressão, corte e bobinamento, linhas de balão e cast para diferentes filmes multicamadas (stretch, silagem, barreira, técnicos, médicos, fraldas, PP), linhas de laminação e coating.

O início das atividades será formalmente anunciado na semana de 4 a 8 de maio, durante a Feiplastic– Feira Internacional do Plástico, com transmissão, ao vivo, no stand da AMUT-Wortex, do open house da AMUT Dolci Bielloni, evento que será realizado na Itália. Serão apresentdos os recentes desenvolvimentos em aplicações de filmes stretch. Linhas de produção de rolos manual e outra automática (2000 mm – 7 camadas), além de outra de rolos jumbo (1500 mm – 5 camadas). Estes sistemas representam a mais alta tecnologia neste setor”, antecipa Drappo.

Segundo a AMUT, a linha de filmes 2000-mm é  inovadora:seis extrusoras garantem a flexibilidade de produção e um design único, capaz de satisfazer as principais tendências no atual mercado de filmes. Segundo a empresa, um filme mais fino, porém mais forte, para se obter um filme stretch super forte. De acordo com a empresa, independente de sua pequena dimensão, as extrusoras são capazes de obter alto volume de produção e garantir excelente economia de energia.

A Amut (http://www.amut.it/en/) atua há quase 60 anos na Itália, com sede em Novara, a AMUT atua na fabricação de  linhas de extrusão para a produção de chapas, perfis, tubos, granulação em polímeros plásticos e também compostos plástico/pó de madeira (WPC), utilizados nos setores de construção, embalagem, eletrodomésticos, moveleiro, automotivo, médico e agrícola. Lidera também a  produção de equipamentos para termoformagem, cast film e plantas para reciclagem de plásticos, lixo urbano e industrial.

A Dolci Bielloni (http://www.dolciextrusion.it/) foi fundada em 1919, a empresa italiana pode fornecer linhas completas para embalagens de plástico, abrangendo toda a gama de produtos em termos de dimensões e de saída e atendendo às necessidades do mercado.

A Wortex (http://www.wortex.com.br) foi fundada em 1976, na cidade de Campinas (SP) e fabrica equipamentos para extrusão, reciclagem, acessórios, moinhos, roscas e cilindros.

Serviço: Feiplastic – Feira Internacional do Plástico
Data: 4 a 8 de maio de 2015
Horário: 11h às 20h
Estande Amut-Wortex:  rua H200
Estande Wortex: rua H298
Local: Pavilhão de Exposições do Anhembi – São Paulo
Mais informações: http://www.feiplastic.com.br

Fonte: Assessoria de Imprensa – Wortex

Curta nossa página no

SABIC lança as primeiras soluções de chapas transparentes e leves de policarbonato para uso em interiores de aeronaves

04/06/2014

Sabic_lexanA SABIC anunciou durante a Aircraft Interiors Expo, evento realizado em Hamburgo (Alemanha), duas soluções de chapas de policarbonato (LEXAN™) para uso em interiores de aeronaves. Estes novos produtos  – a chapa LEXAN XHR2000 e a chapa LEXAN LIGHT F6L300 – ajudarão a fornecer soluções importantes para as companhias aéreas para projetos de interiores de cabines diferenciados, além de ajudar a reduzir significativamente o peso, o que resulta em uma aeronave mais eficiente em termos de consumo de combustível. Segundo a SABIC, os engenheiros de projeto se beneficiarão destes materiais leves e duráveis, pois estes podem ajudar a reduzir os custos do sistema, além de oferecerem facilidade de fabricação e atenderem aos rigorosos padrões regulatórios do setor.

“A SABIC compreende a ambição de seus clientes de interiores de aeronaves de ficarem à frente das tendências de projeto e de atenderem a demanda por componentes de interiores com menos peso e que possam ajudar a melhorar a eficiência no consumo de combustível da aeronave. As soluções de chapas LEXAN XHR2000 e LEXAN LIGHT F6L300 leves e duráveis são as primeiras soluções do mercado criadas para ajudar nossos clientes a se manterem à frente em inovação neste ambiente desafiador onde estética, segurança e sustentabilidade são essenciais”, disse Kim Choate, diretor de negócios para transportes da unidade de negócios Innovative Plastics da SABIC.

Novas opções transparentes para design de interiores de aeronaves

Os designers de interiores de aeronaves sofrem por diversas vezes pelas limitações de transparência e conformidade dos materiais atualmente disponíveis. Com 80% de transmissão de luz – o mais alto nível disponível em material para chapas em conformidade com a norma OSU vigente – a nova chapa LEXAN XHR2000 da SABIC é uma opção pioneira para interiores de aeronaves com este nível de transparência, segundo a SABIC, além de atender aos padrões de liberação de calor da OSU 65/65 e as exigências de retardância à chama, emissão de fumaça e de toxicidade (FST)(FAR25.853, BSS7239, ABD0031) típicas da indústria aeroespacial.

Afirma também a empresa que o robusto desempenho de queima vertical  é possível com a utilização de um processo secundário, tal como um revestimento funcional ou filme laminado, que agrega ainda mais valor ao projeto aumentando a resistência química e as propriedades de resistência a riscos. A chapa LEXAN XHR2000 facilita o design de grandes componentes, tais como divisórias de segurança e janelas de grandes dimensões que são cada vez mais populares em projetos de plataforma. Além disso, segundo a SABIC, ela é mais flexível às adaptações e ajustes futuros no projeto, ajudando os projetistas a encontrarem respostas para outras necessidades, tais como o desenvolvimento das estações de serviço de autoatendimento em aeronaves, que exigem grandes janelas transparentes para que os passageiros possam ver o que está disponível. Outras possíveis aplicações incluem divisórias, proteção para poeira, painel de instrumentos, divisórias de telas de entretenimento e painéis divisores, painéis de equipamentos de cozinha, painéis de proteção, painéis de escada/corrimão, barreiras, janelas, espelhos, lentes de iluminação, sistemas de porta e refrigeração, e aplicações laminadas personalizadas e impressas, que exijam projetos gráficos transparentes/translúcidos.

Aumento da eficiência no consumo de combustível

A nova chapa de alto desempenho LEXAN LIGHT F6L300 da SABIC, que já se encontra em processo de avaliação de patente, é a opção de chapa termoplástica mais leve disponível atualmente, segundo a SABIC, independentemente do material de base, em conformidade com os padrões de OEMs para retardância à chama, emissão de fumaça e toxicidade. Com gravidade específica de 0,85 g/cm3, ela oferece até 40% de redução de peso quando substitui o PVC (policloreto de vinila) tradicional ou suas blendas com resinas acrílicas (PVC/PMMA) em chapas para possíveis aplicações, tais como peças de assentos, alojamentos da cabine de piloto, divisórias, compartimentos de bagagem e unidades de serviço ao passageiro. Afirma a empresa que as chapas LEXAN LIGHT atendem às exigências de retardância à chama, de emissão de fumaça e de toxicidade (BSS7239, ABD0031) típicas da indústria. Em média, uma aeronave consome cerca de 0,03 kg de combustível por hora para cada 1 kg levado a bordo, considerando que a frota comercial total voa aproximadamente 57 milhões de horas por ano, reduzir um quilo por voo pode resultar em uma economia de cerca de 1.700 toneladas de combustível e 5.400 toneladas de dióxido de carbono (CO2) por ano1.

O uso da chapa LEXAN LIGHT para substituir produtos à base de PVC/PMMA em estruturas de assentos pode ajudar a reduzir o peso destes em 121,6 kg em uma aeronave com média de 190 assentos, o que pode ajudar a frota comercial total a economizar aproximadamente 206.720 toneladas de combustível e reduzir em cerca de 656.640 toneladas de dióxido de carbono ( CO2) emitidos no período de um ano, segundo dados da SABIC. Estas possíveis economias ocorrem devido à estrutura inovadora de células fechadas da chapa LEXAN LIGHT que pode ser termoformada em complexas peças tridimensionais com paredes muito finas (reduzidas para 0,6 mm).

Fonte: Sabic

Curta nossa página no

Wortex demonstra reciclabilidade de plásticos prolongada durante a Feiplastic 2013

03/06/2013

Empresa operou ciclos contínuos de processamento de filme plástico e reciclagem durante a feira

Wortex_recycler

Com o objetivo de demonstrar a possibilidade de reciclagem dos plásticos durante períodos prolongados, a Wortex (www.wortex.com.br) colocou em operação uma linha de extrusão de filmes de polietileno de baixa densidade acoplada a uma unidade de reciclagem dos filmes produzidos durante a Feiplastic 2013 (Feira Internacional do Plástico), realizada em São Paulo entre os dias 20 e 24 de maio, no Pavilhão de Exposições do Anhembi.

Os filmes obtidos na linha de extrusão foram continuamente reaproveitados na unidade de reciclagem, onde foram produzidos grânulos de polietileno para realimentação da linha de extrusão. No total, foram processados continuamente durante a feira 2.500 kg. de Polietileno, a uma taxa de 300 kg/hora. A cada 8 horas e 20 minutos, um ciclo integral de processamento e reciclagem do material se completava, o que equivale a dizer que durante os 5 dias da feira e mais os dois dias anteriores à Feiplastic (ocasião em que a linha estava sendo testada), o material plástico foi processado aproximadamente 7 vezes.

Segundo Paolo de Filippis, diretor da Wortex, os grânulos de plástico utilizados durante a Feiplastic já haviam sido extrudados e reciclados nas instalações da empresa durante um período de 3 meses, correspondendo a aproximadamente 60 ciclos de processamento e reciclagem do material. Somando-se esse período em operação na empresa aos dias em que a unidade operou na Feiplastic, acrescenta de Filippis, os grânulos de plásticos foram reciclados aproximadamente 67 vezes, sem perda perceptível de propriedades.

Segundo de Filippis, tal fato demonstra a possibilidade de reciclagem do material plástico por um número muito grande de ciclos, derrubando mitos sobre uma possível degradação precoce do plástico durante o processamento. Além disso, continua de Filippis, prova que é possível utilizar o plástico sem agredir o meio-ambiente e que existe tecnologia disponível para o uso racional e sustentável dos materiais plásticos.

Com o intuito de comprovar que os materiais reciclados durante tais ciclos estendidos não sofrem perdas expressivas de propriedades, a Wortex irá realizar ensaios laboratoriais de medida de índice de fluidez e resistência à tração para acompanhamento das propriedades dos grânulos antes, durante e depois do processamento e reciclagem do material.

Defensor do uso de tecnologias sustentáveis, o executivo da Wortex afirma ser a favor do conceito de “regeneração” de materiais. Segundo de Filippis, durante a fabricação do plástico são a ele incorporados energia, esforço humano, tecnologia e capital, além de outros insumos, de modo que tais ingredientes valiosos não devem ser desperdiçados por  uma eventual degradação na natureza, mas sim preservados através da correta utilização, descarte, coleta e reprocessamento do material –  regenerando-o para um uso contínuo pela sociedade.

Durante a Feiplastic, a Wortex operou a sua linha de reciclagem Challenger Recycler (foto) e uma extrusora de filme Challenger Blow para demonstrar a reciclabilidade contínua e estendida do material processado.

Sobre a Wortex: Fundada em 1976 em Campinas (SP), a Wortex é uma empresa 100% brasileira, fabricando equpamentos para extrusão, reciclagem, acessórios, moinhos, roscas e cilindros. Dentro de um programa de internacionalização, a Wortex estabeleceu uma joint venture com o grupo italiano Amut,  que trará para a indústria de transformação de plástico nacional mais inovação tecnológica e investimentos para o setor. A Amut tem forte presença em mercados como Europa, Ásia e América do Norte e possui um faturamento anual de 50 milhões de Euros. A sinergia entre as duas empresas, que produzem sistemas de extrusão de plásticos, será ampliada com as novas instalações no Brasil, em Campinas, onde produzirão máquinas de extrusão para tubos, perfis e chapas para embalagens termoformadas. No médio prazo, a expectativa da Wortex é aumentar o faturamento em até 75% com a joint-venture.

Curta nossa página no

Wortex e a italiana Amut oficializam joint-venture na FEIPLASTIC 2013

20/05/2013

feiplastic

No dia 20 de maio, às 14h30, a empresa reúne a imprensa para detalhar como será a operação conjunta entre as empresas

Dentro de um amplo programa de internacionalização, a Wortex inicia, junto ao grupo italiano Amut, uma joint-venture que trará para a indústria de transformação de plástico nacional mais inovação tecnológica e investimentos para o setor.  A sinergia entre as duas empresas, que produzem sistemas de extrusão de plásticos, será ampliada com as novas instalações no Brasil, em Campinas (SP), onde produzirão máquinas de extrusão para tubos, perfis e chapas para embalagens termoformadas.

O início das atividades será anunciado no dia 20 de maio, durante coletiva de imprensa na Feiplastic – Feira Internacional do Plástico, no Pavilhão de Exposições do Anhembi. A apresentação para o mercado surge com duas linhas: primeiramente uma para tubos de PVC rígido e, posteriormente, para tubos lisos de polietileno até 1500mm de diâmetro e corrugados até 635mm de diâmetro, chapas para embalagens de poliestireno e polipropileno.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Feiplastic

Curta nossa página no

Chapa de Policarbonato da SABIC IP recobre seu Primeiro Estádio Esportivo no Brasil, a Arena do Grêmio, com cobertura de baixo peso

30/04/2013

Arena-Gremio

A divisão Innovative Plastics da SABIC anunciou hoje, a primeira aplicação de suas chapas alveolares em policarbonato LEXAN™ THERMOCLEAR™ em um estádio esportivo no Brasil, a nova Arena do Grêmio, um estádio multiuso localizado em Porto Alegre, com 60.540 assentos, no qual as chapas de 10 mm e cor personalizada são utilizadas como cobertura. As chapas SABIC LEXAN THERMOCLEAR foram escolhidas pelo seu baixo peso, dureza e resistência a impacto, em comparação ao vidro. Este resistente material de cobertura já se provou antes mesmo da conclusão do estádio, quando a cobertura parcialmente instalada resistiu a uma violenta tempestade de vento. Esse projeto representa um novo marco nas quatro décadas de sucesso da SABIC em fornecer materiais com tecnologia de ponta para auxiliar designers e arquitetos a garantir segurança enquanto criam grandes obras arquitetônicas.“

A chapa SABIC LEXAN THERMOCLEAR – comparada ao vidro colorido e laminado, que foi considerado inicialmente – é tecnológica e esteticamente superior” disse Marcos Benicio, líder de contrato da OAS, contratada e instaladora geral para este projeto. “O material, durável e leve, não só é mais eficiente em questão de custos, como também muito mais fácil de transportar e instalar em comparação ao vidro, pesado e quebrável. Como benefício adicional, fomos capazes de obter o material localmente da fábrica SABIC em Campinas, que também forneceu suporte técnico e serviço de combinação de cores.”

“A especialidade material e técnica da SABIC vêm ajudando arquitetos e empreiteiras a projetar e construir alguns dos mais icônicos estádios pelo mundo.” disse Jack Govers, gerente geral de Chapas e Filmes Especiais, Innovative Plastics. “Durante muitos anos, nós temos aprimorado e reforçado nossas chapas para atender requerimentos ambientais e expectativas estéticas e de desempenho . O dia de hoje marca uma conquista significativa com a adição de mais uma arena inspiradora – a primeira do Brasil – que se beneficia da liberdade de design, eficiência energética e alto desempenho da chapa LEXAN THERMOCLEAR.”

A chapa LEXAN THERMOCLEAR foi fornecida em um tom personalizado de azul combinando com a marca do time Grêmio. A cor leve e com superfície altamente refletiva da chapa ajuda a minimizar os efeitos de calor e reduz a necessidade de sistemas de refrigeração. Esses atributos, somados ao baixo peso de cada painel (2,2 kg/m²) contribuem para o impacto ambiental reduzido da Arena do Grêmio, que aguarda receber a certificação Leadership in Energy and Environmental Design (LEED), do Green Building Council (EUA).

Benefícios

A chapa LEXAN THERMOCLEAR oferece muitas vantagens em relação aos materiais convencionais, como o vidro. A mesma é segura e fácil de se manusear, cortar e instalar, além de virtualmente inquebrável. Seu baixo peso pode oferecer economia significativa em termos de custo com transporte, manuseio e instalação. Quando comparada com vidro aramado de 6-mm, a chapa LEXAN THERMOCLEAR de 10-mm oferece uma redução de peso de mais de 85%.

A chapa LEXAN THERMOCLEAR proporciona uma resistência a impacto marcante dentro de uma larga variação de temperatura, entre – 40C e 120C, e também após prolongadaexposição à ambientes externos. Ela pode resistir a condições climáticas rigorosas, assim como variações de temperatura sem quebras ou empenamento. Ela possui recurso de tratamento de superfície patenteado em um de seus lados que oferece excelente resistência contra degradação por radiação Ultravioleta (UV). Este material acompanha uma garantia escrita limitada de 15 anos contra descoloração, perda de transmissão de luz e perda de resistência a impacto devido a intempéries.

O time da SABIC no Brasil providenciou simulações de cargas de vento, cálculos de resistência mecânica para os perfis de alumínio e relatórios regulamentares de resistência a chamas.

Fonte – SABIC IP

Curta nossa página no

Processo simplificado de fabricação de placas de DPET da OCTAL™ viabiliza rastreabilidade de embalagens termoformadas

14/03/2013

OctalA indústria de embalagens da América do Sul, especialmente no Brasil, continua em expansão. Muitas empresas estão procurando opções de materiais de embalagem e como resultado muitas estão fazendo a transição para a Placa e Resina de PET. Esta transição é atribuída à durabilidade, resistência e apelo visual da PET que resulta na sua escolha freqüente para diversas aplicações em embalagens de alimentos e bebidas. Entretanto, hoje em dia, a legislação mais recente e mais rigorosa em relação ao contato com alimentos tornou-se uma questão de grande importância para os usuários de PET.

Agora, a maioria dos fabricantes de embalagens implementa programas de garantia de qualidade e higiene para evitar que  produtos contaminados ou com defeito cheguem ao consumidor. Estes programas de rastreabilidade melhoram a garantia de qualidade e controles internos e mantêm a segurança alimentar em destaque. Tendo isto em mente, a rastreabilidade eficaz deve fornecer aos termoformadores e aos seus clientes uma visão completa da origem do material e como ele foi armazenado, transportado, seco, combinado e processado: por qual máquina, sob quais condições e a data de conclusão de cada lote de placas de PET.

Atualmente, os transformadores garantem que sejam criados registros da produção diária e depois transferidos para bases de dados de fornecimento de informações que seguem os produtos até os seus destinos. A informação incluída deve cumprir com cada norma de certificação à qual a empresa ou seu cliente aderiu, como ISO, BRC ou até mesmo os requisitos específicos do usuário final.

O rastreamento destes identificadores-chave para os termoformadores pode ser fácil ou muito complexo, dependendo de como o sistema está implementado. Obviamente, quanto menos complexo for o sistema de fabricação de placas de PET, mais fácil será rastrear o processo para encontrar respostas às questões conforme elas cheguem – isto é especialmente importante no campo da segurança alimentar.

Por exemplo, a extrusão de uma placa de APET reflete um processo de fabricação tradicional que tipicamente requer o uso de resina granulada de um fornecedor. Enquanto geralmente é fácil obter a devida documentação da maioria dos fornecedores de resina virgem, a “verdadeira” rastreabilidade de qualquer floco reciclado do pós-consumidor contido na placa se torna mais difícil visto que os sistemas de reciclagem são diversos e variados em seus processos e matérias-primas.

William J. Barenberg, Jr., Chief Operating Officer da OCTAL, explica: “Após a entrega de um fornecedor de resina de PET típico, a resina precisará ser seca em uma operação de quatro a seis horas antes de ser inserida na extrusora. Sempre que a resina é transportada e levada para fora do seu recipiente, ela está potencialmente exposta a contaminantes.”

Para eliminar alguns dos riscos que afetam a rastreabilidade, agora os termoformadores dispõem do processo novo, único e direto para a placa (DPET™) da OCTAL, o qual elimina cinco fases dos processos de produção de placas convencionais (granulador, SSP, compactador, secador e extrusora). Quando a PET derretida chega ao empilhamento programado aquecida na temperatura adequada, ela ainda não foi exposta à atmosfera nem aos intermináveis riscos de transporte.

“Os termoformadores devem observar que isto significa que não existe chance de contaminação no sistema. Isto garante uma placa acabada livre de umidade, de modo que os termoformadores se beneficiam da eliminação de todos os defeitos causados pela umidade. A rastreabilidade é favorecida visto que a resina está limitada a uma fonte.

“Os processadores e embaladores de alimentos na América do Sul agora podem ter certeza da pureza do produto,” diz Barenberg.

Qualquer termoformador de embalagens de alimentos em busca de fornecedores cuja documentação de rastreabilidade seja de fácil compreensão deve examinar as diferenças nos processos de fabricação de placas de PET. Existem duas áreas principais para se avaliar: o próprio fornecimento de resina e os processos de fabricação do produtor da placa. Quanto menos complexas cada uma destas áreas, maior a probabilidade de haver uma rastreabilidade confiável.

Fonte: Octal

Curta nossa página no

Chapa de Policarbonato da SABIC é usada em pára-brisa de veículos florestais de empresa sueca

22/12/2012

SABIC-SUECIAOperadores de equipamento de corte de madeira necessitam de ótima visibilidade e proteção contra fragmentos ou grandes objetos que possam entrar em sua cabine e causar graves acidentes em ambientes florestais. Assim, quando a Rottne Industry AB precisou de um produto com alto desempenho para os para-brisas e janelas de suas ceifadeiras e carregadeiras, pediu ajuda à unidade Innovative Plastics da SABIC. Trabalhando com a SABIC e seu distribuidor, Vink Essåplast Group AB na Suécia, a Rottne Industry AB selecionou o resistente policarbonato (PC) com alta qualidade óptica LEXANTM MARGARDTM para a tarefa. O sucesso desse trabalho em conjunto, ilustra a dedicação da SABIC em atender às crescentes necessidades dos clientes com produtos de excelente desempenho.

“Recebemos um extraordinário retorno dos clientes sobre a avançada qualidade óptica de nossos para-brisas e janelas desde que começamos a usar a chapa de policarbonato LEXAN da SABIC, fabricadas na nova linha de extrusão de chapas LEXAN com qualidade óptica de ponta”, declarou Jan-Åke Björck, gerente de compras, Rottne Industry AB. “Os operadores relatam uma visão perceptivelmente mais clara e apurada da cabine, permitindo que trabalhem com mais eficiência e segurança. Esta tecnologia de classe mundial está nos ajudando a agradar nossos clientes e a nos destacar neste importante setor do mercado.”

A chapa de policarbonato LEXANTM MARGARD MR5E , possui ambos os lados com revestimento de proteção anti-risco e proteção aos raios UV – disponível opcionalmente com impressão ou revestimento que permite formas com configuração 3D – proporcionando propriedades ópticas que são líderes no setor, com excepcional visibilidade e extrema resistência a impactos que elevam a segurança nestes tipos aplicações.

Outra opção nesta linha de produtos é a chapa de LEXANTM MARGARD MR5IR, a qual absorve a radiação próxima à infravermelha (IR), propriedade que auxilia a aprimorar o conforto e a proteção do operador contra condições de calor, além de oferecer excelente proteção UV e resistência à abrasão e à impactos. Ambos os produtos são líderes no setor e estão sendo fornecidos pela nova linha de extrusão de chapas da SABIC localizada nas instalações de fabricação da empresa em Bergen op Zoom, Holanda.

“Nossa chapa de policarbonato LEXAN com qualidade óptica, realmente se destaca em ambientes rigorosos, como o de exploração de madeira, onde o aumento de proteção, conforto e campo de visão dos trabalhadores pode fazer uma diferença crucial”, afirmou Jack Govers, gerente geral do segmento de Specialty Film & Sheet da SABIC. “Investimos em capacidade de produção e tecnologia de última geração e em um rigoroso programa de controle de qualidade, para nos certificarmos de que as chapas LEXAN apresentem excelentes propriedades ópticas e desempenho máximo para o setor. Estamos muito felizes que a Rottne Industry AB escolheu nosso material, o que obviamente os ajudou a alcançar uma maior satisfação do cliente e aumentou sua vantagem competitiva – uma situação de ganho para todos.”

A nova linha de extrusão de chapas LEXAN com avançada qualidade óptica da SABIC em Bergen op Zoom utiliza a tecnologia clean room Classe 1.000 para produzir chapas com a melhor qualidade óptica do setor. A chapa de LEXANTM MARGARD MR5E pode ser usada para laminação e fechamento de cabines de veículos florestais e agrícolas, trens de alta velocidade e vidro-PC à prova de bala para veículos VIPs, militares, policiais e ainda em construções de alta segurança, incluindo prisões e outras instituições correcionais. A nova linha de produção, inaugurada no quarto trimestre de 2011, tem uma ampla capacidade de produção, variando de 2mm a 15 mm de espessura.

Aplicando LEXAN MARGARD MR5E em ambientes florestais

A chapa de LEXAN MARGARD MR5E oferece as melhores propriedades ópticas da linha de produtos PC LEXAN. Ela atende às mais altas exigências em relação a pontos pretos, bolhas, linhas e fibras, e também quanto à defeitos de distorção e ondulação. Comparado ao vidro, o material proporciona uma economia de peso de aproximadamente 50 por cento e é virtualmente inquebrável. Além destas propriedades, é compatível com o regulamento ECE 43R da Comissão Econômica da Europa das Nações Unidas (UN/ECE), relativo à aprovação de materiais de segurança. Graças ao durável revestimento em ambas superficies, a chapa de LEXAN MARGARD MR5E proporciona excelente resistência química e à abrasão, preservando a transparência óptica e atraente aparência e favorecendo a manutenção no longo prazo.

A chapa LEXAN MARGARD moldada em 3D adiciona valor à chapa LEXAN, tornando as peças muito mais fáceis de serem instaladas em cabines e reduzindo o risco de defeitos durante a instalação.

Para seu equipamento florestal, a Rottne Industry AB selecionou a chapa LEXAN MARGARD para todas as janelas, estampado-as com uma tira invisível, que cobre a cola usada para instalar as janelas na moldura de metal.

O para-brisa e as janelas da carregadeira usam a chapa LEXAN MARGARD MR5IR que apresenta absorção da radiação próxima à infravermelha, no intervalo de comprimento de onda entre 780 e 1400 nm. Auxiliando no controle do calor infravermelho que atinge a cabine do operador, este material ajuda a poupar energia e proteger contra a radiação UV prejudicial, sem comprometer a visibilidade. Esta tecnologia reduz o acúmulo de calor na cabine diminuindo os custos de ar-condicionado em dias quentes e ensolarados.

Fonte: SABIC IP

Curta nossa página no

Chapas de Policarbonato da SABIC apoiam metas de sustentabilidade e eficiência energética em Faculdade de Londres.

09/09/2011

Os novos painéis de proteção solar fabricados com a chapa de policarbonato (PC) Lexan* Exell* D produzidas pela divisão Innovative Plastics da SABIC estão contribuindo de forma importante para a eficiência energética e o conforto do novo prédio da faculdade de Westminster, na região central de Londres. Estes painéis de alto desempenho filtram a luz solar minimizando efeitos negativos como aumento da temperatura e o brilho indesejável em telas de computador. Eles também resistem à intensidades significativas de luz natural contribuindo também para a redução do consumo energético em construções e dos custos de manutenção com o aumento da vida útil destes painéis.

A SABIC investe continuamente em materiais ambientalmente responsáveis para todo o mundo, em especial para a indústria de construção civil, ajudando clientes a atingirem suas metas de sustentabilidade com produtos novos e mais ecológicos.

“O sucesso deste projeto dependia de um material avançado e que pudesse oferecer uma combinação de propriedades de alto desempenho: excelente estética, isolamento, proteção contra raios ultravioleta, retardância à chama, durabilidade e leveza”, disse Simon O’Hea, diretor da Colt Group Ltd. “Com base em nosso histórico de trabalho com a SABIC e depois de pesquisarmos todas as nossas opções, recomendamos a chapa Lexan Exell D ao arquiteto. A SABIC forneceu a chapa personalizada com o equilíbrio exato de transmissão de luz e redução de calor, o que aumentou consideravelmente a eficiência energética do edifício e ainda permitiu um impacto impressionante por parte do projeto arquitetônico do edifício”.

Projetado para a Sustentabilidade

O diferente edifício da faculdade de Westminster – uma faculdade líder e de educação permanente que oferece mais de 200 cursos vocacionais e acadêmicos para estudantes – foi projetado pela Schimidt Hammer Lassen Architects para minimizar o uso de energia elétrica e os resíduos de carbono. Esta estratégia de sustentabilidade inclui o uso de painéis verticais de proteção solar fabricados pela Colt usando a chapa Lexan Exell D em cores translúcidas e personalizadas, que ladeiam as janelas das fachadas leste e oeste do prédio.

Os painéis de proteção solar, também conhecidos como sistema de “toldo”, são fabricados em suportes retangulares de 3,5 m por 5,76 m de chapa Lexan Exell D sólida. Eles são montados em cada um dos lados das janelas do edifício, nas fachadas que recebem maior exposição ao sol. A SABIC forneceu também serviços de combinação de cores, suporte técnico à Colt e ainda concedeu ao material uma garantia limitada de 10 anos contra quebra, amarelamento e perda de transmissão de luz.

Pesando apenas a metade do vidro, a chapa Lexan Exell D reduz a quantidade de material necessária para o suporte estrutural. A chapa de PC também oferece alta resistência a impacto (250 vezes maior que o vidro), retardância à chama (em conformidade com a norma europeia contra incêndio EN 13501-1) e está em conformidade com a resistência a impacto de segurança para vidros Pr EN 356. Outras propriedades importantes são a estabilidade dimensional; facilidade de manuseio e instalação, e resistência ao amarelamento, pichação e quebra.

“Os produtos de chapa Lexan podem desempenhar um papel importante na sustentabilidade geral dos edifícios residenciais e comerciais que, de outra forma, precisariam do uso mais intenso de aparelhos de ar condicionado, reduzindo dessa forma a radiação infravermelha”, disse Jack Govers, gerente geral de Chapas e Filmes Especiais da Innovative Plastics. “Ao mesmo tempo, nossas soluções de chapa Lexan permitem aos arquitetos a criação de projetos que apresentem altos níveis de luz natural, criando um ambiente agradável para trabalhar e viver. Estes materiais podem ajudar os arquitetos e projetistas a terem sucesso no design para construções sustentáveis, com a possibilidade de ainda contribuírem para as certificações ecológicas”.

Os produtos de chapa Lexan aprimoram a sustentabilidade e estilo. As chapas de PC Lexan da SABIC são leves, possuem retardância à chama, estão disponíveis em configurações sólidas e alveolares, e são usadas em todo o mundo para revestimento de paredes, telhados, vitrificação de grandes estádios, hotéis e outras estruturas impressionantes. Elas são projetadas para permitir a penetração da luz solar natural e filtrada sem, no entanto, permitir o aquecimento da área coberta.

Os produtos de chapa Lexan podem enfrentar desafios de desempenho tais como perda de coloração, deformações, arranhões, rachaduras, ferrugem e descamação de pintura que ocorrem em metal. Eles podem ser projetados com recursos como proteção ultravioleta dos dois lados e revestimentos especiais que proporcionam recursos de autolimpeza ou proteção contra pichação. A chapa Lexan pode ser moldada a frio e dobrada em formas complexas utilizando equipamentos convencionais podendo ser aprimorada com cores, texturas e efeitos especiais. Além disso, o peso mais leve dos plásticos em relação ao vidro permite que esses materiais sejam utilizados em componentes estruturais mais simples. Outro destaque da chapa Lexan é que oferece uma resistência ao impacto extremamente elevada, provendo proteção mesmo quando submetida a golpes violentos contra objetos mais pesados.

Fonte: SABIC-IP