Archive for the ‘Filme soprado’ Category

UBE E Clariant apresentarão palestras no próximo café da manhã da Abief, no dia 28 de Setembro

25/09/2017

Sob o tema central Inovação, Tecnologia e Sustentabilidade, o Café da Manhã da ABIEF (Associação Brasileira da Indústria de Embalagens Plásticas Flexíveis – www.abief.org.br) agendado para 28 de setembro das 8h00 às 12h30, em sua sede em São Paulo, terá como palestras: “Tendências em embalagens flexíveis”, “Hydrocerol: suas aplicações com benefícios em sustentabilidade e inovação” e “Todos os nylons são iguais? Diferenças, aplicações e vantagens dos nylons em embalagens flexíveis”.

Reinaldo Silva, da área de Marketing da UBE, fará a apresentação “Tendências em embalagens flexíveis” focalizada em soluções em embalagens flexíveis que atendam às necessidades do consumidor moderno e estejam alinhadas a macro tendências tais como crescimento populacional, falta de tempo, saudabilidade, estética corporal, busca pela transparência, sustentabilidade e preservação do meio ambiente. Já Edgar Veloso, da área Comercial da mesma empresa, apresentará a palestra “Todos os nylons são iguais? Diferenças, aplicações e vantagens dos nylons em embalagens flexíveis”. Na apresentação, serão abordados os diferentes tipos de nylon segundo as necessidades do mercado e características de produtos. Entre os assuntos, serão abordados: sustentabilidade em filmes flexíveis, produção do nylon, soluções em CoPA para aplicações existentes (transparência, resistência, retort, termoformabilidade, bolsas termoencolhíveis, garrafas flexíveis) e características do processo de extrusão em diferentes máquinas (filme soprado, cast, resfriamento a água, balão duplo/triplo).

Pela Clariant, Edson Marçal apresentará o novo Hydrocerol, um agente químico nucleante oferecido na forma de masterbatch ou em pó, e que pode ser usado nos processos de extrusão e injeção. O Café da Manhã da ABIEF conta com o apoio da Abiplast, Afipol, Instituto Brasileiro do PVC, Plastivida, Instituto de Embalagens e Projeto Pack.

Com 40 anos de atividades, a ABIEF (Associação Brasileira da Indústria de Embalagens Plásticas Flexíveis) tem por objetivo fomentar o mercado nacional de embalagens plásticas flexíveis. A Associação também tem incorporada às suas atividades o fomento à exportação e a preservação ambiental a partir do Programa de Qualidade e Consumo Responsável de Sacolas Plásticas. A entidade reúne empresas de todo o Brasil fabricantes de filmes monocamada, coextrusados e laminados; filmes de PVC e de BOPP; sacos e sacolas; sacaria industrial; filmes shrink e stretch; rótulos e etiquetas; stand-up pouches; embalagens especiais.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Abief

Curta nossa página no

Anúncios

Nova família de resinas INNATE da Dow equilibra rigidez e tenacidade

21/01/2016
Engenheira Gianna Buaszczyk (Dow)

Engenheira Gianna Buaszczyk (Dow)

No mês de outubro do ano passado, a Dow anunciou o lançamento de uma nova família de resinas para Embalagens de Precisão INNATE™, que, segundo a empresa, apresenta níveis de desempenho capazes de ajudar os clientes a atenderem algumas das necessidades mais desafiadoras de embalagens da atualidade. Para explorar o tema em mais profundidade, o Blog do Plástico conduziu uma entrevista com a Engenheira de Pesquisa e Desenvolvimento da Dow, Gianna Buaszczyk:

Pergunta (Blog do Plástico) – Como as novas resinas da linha INNATE se diferenciam dos outros grades de resinas de PEBDL atualmente existentes no mercado para aplicações semelhantes ?

Resposta (Eng. Gianna Buaszczyk): As Resinas para Embalagens de Precisão INNATE™ trazem o grande diferencial de balanço entre rigidez e tenacidade. Foram desenvolvidas a partir de um revolucionário catalisador molecular patenteado aliado a uma tecnologia de processo avançada que permite um controle preciso e uniforme da química de resinas, o que resulta em níveis de desempenho e combinações de propriedades de filmes inéditas que:
• Satisfazem as necessidades de embalagens até então não atendidas
• Criam novos nichos de mercado
• Oferecem desempenho superior para as embalagens

Dow-graficoA resina experimental XUS 59910.02 (densidade 0,918 g/cm3 e fluidez 0,85 g/10min a 2,16kg e 190oC), primeira resina para embalagens de precisão da nova família INNATE™, oferece à cadeia de valor de embalagens o grande diferencial de balanço entre rigidez e tenacidade, possibilitando inúmeras combinações com outras resinas e redução de espessura, apresentando também resistência ao abuso significativamente maior: em um filme de 25 μm, a resina experimental XUS 59910.02 apresentou uma resistência à queda de dardo significativamente maior do que a uma resina da concorrência de módulo similar, o metaloceno PEBDL (fluidez 1,0; 0,918 d), bem como maior resistência do que a resina de menor módulo, metaloceno ELITE™ 5400G (fluidez 1,0; 0,916 d), conforme gráfico ao lado.

Apresenta também excelente processabilidade e excelente desempenho de selagem à quente

P – Como foi possível obter em um mesmo polímero propriedades aparentemente contraditórias como rigidez e tenacidade, assim como resistência mecânica e boa processabilidade?

R – As Resinas para Embalagens de Precisão INNATE™ são uma nova categoria de copolímeros base etileno. São diferentes das outras resinas da Dow em função do uso de um revolucionário catalisador molecular patenteado aliado a uma tecnologia de processo avançada que permite um controle preciso da arquitetura molecular, de forma inédita. Isso possibilita atingir propriedades diferenciadas, como aumento da tenacidade sem sacrificar outras propriedades chaves.

P – Quais são as principais aplicações da nova família de resinas INNATE e quais as vantagem que elas oferecem sobre as concorrentes?

R – As resinas podem ser aplicadas em embalagens flexíveis para alimentos, filmes industriais, sacaria industrial de alta resistência e em gramas artificiais.

Dow-Innate_embalagemEmbalagens para Alimentos e Especialidades: Durabilidade, resistência ao abuso e excelente processabilidade, quando utilizadas sozinhas ou em combinação com outros materiais, fazem das Resinas para Embalagens de Precisão INNATE™ uma excelente opção para embalagens de alimentos e produtos de consumo em geral. Elas oferecem:

  • Filmes com a resistência necessária para otimização das embalagens
  • Filmes com a rigidez necessária para o envase de produto, exposição e armazenamento eficiente de embalagens como, por exemplo, stand-up pouches
  • Melhor tenacidade aliada a uma excelente resistência a quebras por flexão (“flex crack”), importante propriedade para embalagens para líquidos
  • Integridade da embalagem, garantindo maior durabilidade para o produto

Filmes Industriais e de Consumo: Os filmes produzidos com as Resinas para Embalagens de Precisão INNATE™ possuem a tenacidade e resistência necessárias para enfrentar praticamente qualquer desafio de aplicação como, por exemplo, sacaria industrial de alta resistência. Os usuários contarão com:

  • Resistência ao abuso significativamente superior, o que garante maior resistência à queda;
  • Desempenho de selagem à quente similar ao das resinas comuns disponíveis no mercado;
  • Possibilidade de redução da espessura dos filmes, para obter diferenciação no mercado.

P – A resinas INNATE estão sendo produzidas em que plantas da Dow Chemical ? Quais os volumes atualmente produzidos? Quais são os planos para expansão da capacidade?

R – Hoje, a Dow tem capacidade para produção nas Américas e na Europa suficiente para atender à demanda dos próximos anos. Os planos de expansão serão definidos gradativamente.

P – Foi necessária alguma alteração no processo produtivo / plantas de PEBDL para obtenção das novas resinas ou a mudança foi somente no catalisador empregado na polimerização ?

R – Trata-se da utilização de um novo catalisador em combinação com tecnologia de processo avançada.

P – É possível fornecer alguma informação adicional sobre o catalisador empregado no processo? É catalisador metaloceno ?

R – Não se trata de tecnologia de catalisador metaloceno. INNATE™ é uma nova categoria de copolímeros base etileno.

P – Como é possível reduzir o peso da embalagem ? Através da redução da espessura?

R – As resinas INNATE™ tem propriedades diferenciadas, o que torna possível fazer a redução de espessura sem comprometer a resistência do filme, que deve ser avaliado para cada aplicação.

P – Por que a estabilidade do balão em processos de blown film com as resinas INNATE é melhor do que com os polímeros convencionais de PEBDL?

R – Porque as resinas INNATE apresentam maior resistência de fundido, o que se traduz em maior estabilidade de balão. Além disso, elas apresentam uma taxa maior de redução de viscosidade com aumento da tensão de cisalhamento comparado às resinas de mercado, o que permite trabalhar com menores temperaturas de fusão, além de se observar menor amperagem no motor.

P – A nova família pode ser usada em aplicações de co-extrusão ? Quais?

R – O alvo das resinas INNATE é, justamente, clientes com recurso de coextrusão para a produção de filmes. Os filmes coextrusados produzidos com as resinas INNATE oferecem uma resistência ao abuso até duas vezes maior que os materiais padrões disponíveis atualmente no mercado.

P – A introdução da nova família de resinas INNATE cria novos nichos de mercado e aplicações para o PEBDL ? Quais?

R – As resinas INNATE possibilitam a criação de novos nichos de mercado, uma vez que trazem a oportunidade de desenvolvimento de embalagens com novas características em termos de eficiência por meio da substituição de materiais.

Curta nossa página no

Grupo AMUT adquire Dolci Bielloni e amplia sua capacidade de fornecer equipamentos para produção de filmes flexíveis

09/04/2015
Riccardo Castello, Gerente Geral da Dolci Bielloni e Mauro Drappo, CEO da AMUT

Riccardo Castello, Gerente Geral da Dolci Bielloni e Mauro Drappo, CEO da AMUT

A sinergia entre as duas empresas italianas vai impulsionar novos projetos customizados para diversos segmentos da indústria plástica no Brasil

A recente união das empresas italianas Dolci Bielloni e o Grupo AMUT fortalecerá, ainda mais, a liderança e experiência das duas marcas em extrusão de plásticos no mundo. Esta decisão representa também uma ação estratégica do grupo, fabricante de máquinas e linhas de produção para extrudados rígidos (chapas, tubos, perfis) e termoformagem de ampliar sua participação no Brasil, junto com a filial AMUT-Wortex, fruto da joint venture iniciada em 2014 com a Wortex.

“A fusão com a Dolci Bielloni é um sucesso para o futuro do Grupo AMUT. Juntos iremos impulsionar o nosso papel de liderança no cenário internacional. A sinergia aprimora nossos pontos fortes,que é o de atender nossos clientes com uma completa linha de máquinas para extrusão de plásticos, termoformagem e reciclagem,diz Mauro Drappo, CEO da AMUT.

Já a fabricante Dolci Bielloni é reconhecida pela expertise em máquinas para impressão, corte e bobinamento, linhas de balão e cast para diferentes filmes multicamadas (stretch, silagem, barreira, técnicos, médicos, fraldas, PP), linhas de laminação e coating.

O início das atividades será formalmente anunciado na semana de 4 a 8 de maio, durante a Feiplastic– Feira Internacional do Plástico, com transmissão, ao vivo, no stand da AMUT-Wortex, do open house da AMUT Dolci Bielloni, evento que será realizado na Itália. Serão apresentdos os recentes desenvolvimentos em aplicações de filmes stretch. Linhas de produção de rolos manual e outra automática (2000 mm – 7 camadas), além de outra de rolos jumbo (1500 mm – 5 camadas). Estes sistemas representam a mais alta tecnologia neste setor”, antecipa Drappo.

Segundo a AMUT, a linha de filmes 2000-mm é  inovadora:seis extrusoras garantem a flexibilidade de produção e um design único, capaz de satisfazer as principais tendências no atual mercado de filmes. Segundo a empresa, um filme mais fino, porém mais forte, para se obter um filme stretch super forte. De acordo com a empresa, independente de sua pequena dimensão, as extrusoras são capazes de obter alto volume de produção e garantir excelente economia de energia.

A Amut (http://www.amut.it/en/) atua há quase 60 anos na Itália, com sede em Novara, a AMUT atua na fabricação de  linhas de extrusão para a produção de chapas, perfis, tubos, granulação em polímeros plásticos e também compostos plástico/pó de madeira (WPC), utilizados nos setores de construção, embalagem, eletrodomésticos, moveleiro, automotivo, médico e agrícola. Lidera também a  produção de equipamentos para termoformagem, cast film e plantas para reciclagem de plásticos, lixo urbano e industrial.

A Dolci Bielloni (http://www.dolciextrusion.it/) foi fundada em 1919, a empresa italiana pode fornecer linhas completas para embalagens de plástico, abrangendo toda a gama de produtos em termos de dimensões e de saída e atendendo às necessidades do mercado.

A Wortex (http://www.wortex.com.br) foi fundada em 1976, na cidade de Campinas (SP) e fabrica equipamentos para extrusão, reciclagem, acessórios, moinhos, roscas e cilindros.

Serviço: Feiplastic – Feira Internacional do Plástico
Data: 4 a 8 de maio de 2015
Horário: 11h às 20h
Estande Amut-Wortex:  rua H200
Estande Wortex: rua H298
Local: Pavilhão de Exposições do Anhembi – São Paulo
Mais informações: http://www.feiplastic.com.br

Fonte: Assessoria de Imprensa – Wortex

Curta nossa página no

DSM inova no processamento de poliamidas para filmes soprados

21/10/2013

Segundo a Royal DSM, o potencial da poliamida 6 para filmes soprados para embalagens flexíveis de alimentos é ainda maior com a introdução da sua resina Akulon ® XS. Graças às suas propriedades aprimoradas de cristalização, o Akulon XS possui uma janela de processamento ampliada, oferecendo novas possibilidades no projeto de multicamadas coextrudadas, bem como de estruturas de filmes em monocamada. Os processadores notam melhorias significativas na produção quando utilizam o novo Akulon XS.

À medida que a conscientização sobre a necessidade de redução do desperdício de alimentos e extensão do prazo de validade aumenta, a demanda por filmes-barreira para embalagens flexíveis para alimentos continua a crescer. Muitos filmes-barreira são coextrudados em linhas de filme soprado e estruturas com sete, nove e até onze camadas são agora bastante comuns. Esta tecnologia oferece uma maneira economicamente eficaz para combinar várias funcionalidades, como propriedade de barreira, capacidade de impressão, selagem e resistência ao impacto.

A poliamida 6 é uma opção muito interessante para utilização em tais filmes, devido às suas boas propriedades de barreira e à sua resistência mecânica. No entanto, a elevada taxa de cristalização da poliamida 6 pode limitar a sua janela de processamento. Normalmente, os processadores precisam comprometer a produtividade ou obter uma melhor processabilidade, misturando a poliamida 6 com poliamidas amorfas especiais mais caras ou copolímeros de poliamida. Isso reduz o custo benefício do filme.

Segundo a DSM, a sua resina Akulon XS resolve o problema. Ele se cristaliza de forma muito mais lenta no balão do filme do que a poliamida 6 convencional, de modo que a sua taxa de cristalização iguala-se à de outras camadas de material. Isso cria um balão mais estável e dá aos processadores mais flexibilidade nas suas condições de processamento. O filme também é mais elástico, e por isso, é necessário menos força para atingir a mesma blow-up ratio (BUR – relação de expansão), ou a mesma força pode ser usada para produzir uma espuma com uma BUR entre 7 e 10% maior. Há também menos rugas no filme plano.

Apesar da cristalização mais lenta criar cristais maiores, de onde se poderia esperar um filme menos claro, os testes em linhas de produção em escala industrial  têm mostrado que praticamente não há diferença discernível nas propriedades óticas dos filmes feitos com um filme de poliamida de referência e Akulon XS. Na verdade, todas as propriedades do filme são as mesmas do filme feito com a poliamida 6 padrão.

A DSM fornece Akulon XS aos clientes com um serviço especial de seus técnicos para maximizar as vantagens deste material inovador. A DSM está oferecendo suporte para otimizar o projeto da estrutura dos filmes, baseado em seu Modelo de Cálculo de Estrutura de Filme. Este modelo calcula as propriedades de barreira de diferentes estruturas de filmes, mesmo após o reprocessamento, e permite que os produtores de filme soprado  encontrem a estrutura de camadas e as condições de processamento ideais para o Akulon XS.

A DSM afirma que, com o Akulon XS, fica mais fácil e mais rentável para os processadores fazer filmes de poliamida 6 para embalagens flexíveis de alimentos, aproveitando as características propriedades mecânicas e de barreira da poliamida 6.

Fonte: DSM

Curta nossa página no

Matriz de extrusão e anel de ar da Davis Standard ajudam a aumentar em 50 % a produtividade de linha de filme da empresa americana Mid South Extrusion

13/07/2012

Michael A. Henagan, Executivo da Mid South Extrusion, e o novo sistema implementado pela Davis Standard.

Uma matriz Centrex de três camadas e um anel de ar Triple Lip da Davis Standard ajudaram a empresa Mid South Extrusion a aumentar em 50 % a produção de uma linha existente na empresa, ao mesmo tempo em que melhoraram o controle de uniformidade da espessura do filme. A Mid South, com sede em Monroe, Louisiana, reformou uma linha da Davis-Standard instalada originalmente em 1999 com a finalidade de produzir o novo filme metalocênico coextrudado ExtrudTuff ™ da empresa. Os limites de produção e qualidade da Mid South foram estudados através da aplicação da nova tecnologia usando uma linha piloto da Davis Standard.

“A demanda para o nosso novo filme ExtrudTuff tem sido excepcional, por isso chamamos a Davis-Standard para encontrar uma maneira econômica para melhorarmos as nossas taxas de produção e qualidade”, disse Mike Henagan, vice-presidente executivo de operações da Mid South. “A Davis-Standard provou que eram possíveis taxas de produção maiores e uma melhor qualidade pelo uso de nova tecnologia para produzir nosso novo filme coextrudado. Pudemos inicialmente validar as capacidades de processamento da matriz e do anel de ar na linha piloto da Davis Standard. Isto nos levou a comprar novas roscas e cilindros DSB ® III, juntamente com uma nova matriz Centrex e anel de ar Triplo Lip. Em seguida, desenvolvemos um plano para fazer a transição da forma mais suave possível, para evitar perturbações nas programações de produção críticas. Nós simplesmente não podíamos ter surpresas ou interrupções. A linha foi então reformada e colocada de volta à produção antes do previsto por causa do excelente gerenciamento do projeto e suporte. Nossos clientes estão muito satisfeitos com o resultado. “

Os ensaios na linha-piloto da Davis-Standard em Bridgewater, New Jersey, mostraram o aumento da taxa de produção em 50 por cento e uma melhoria substancial no controle da uniformidade da espessura do filme usando a matriz Centrex de três camadas e a tecnologia IBC (resfriamento interno do balão), em conjunto com o anel de ar Triple Lip. A linha piloto é um sistema de 300 mm de diâmetro. Embora a linha piloto seja muito menor do que a linha de produção existente na Mid South Extrusion, a Davis-Standard usou a informação obtida nos ensaios e desenvolveu uma solução para a linha existente, a qual inclui conjunto de novas roscas e cilindros, sopradores e controles para acompanhar a nova matriz e anel de ar. A matriz Centrex é reconhecida por grandes volumes de IBC (resfriamento interno do balão) e taxas de produção aumentadas, enquanto o anel de ar Triple Lip fornece um resfriamento superior e controle da espessura. Tanto a matriz como a anel de ar tem tido um um bom desempenho desde que foram testados no outono passado.

A adição do filme de engenharia ExtrudTuff dá à Mid South Extrusion uma vantagem ainda maior no mercado de filmes de embalagem, proporcionando propriedades físicas melhores que os filmes de polietileno tradicionais.

Fonte: Davis Standard

Curta nossa página no

Fortymil apresentará novidades em compostos e recuperados paras linha de injeção e filmes durante Brasilplast 2011.

16/03/2011

Presente na 13º Feira Internacional da Indústria do Plástico – Brasilplast, que ocorre de 9 a 13 de maio, no Anhembi, em São Paulo/SP a Fortymil leva para essa edição uma série de inovações no segmento de materiais recuperados. Com as inovações, a Fortymil conseguiu melhorar a performance dos compostos e recuperados  na linha de injeção e blown film , o que permitirá aos clientes um ganho de produtividade e uma perfomance mais próxima a resina virgem.

Os participantes do evento também poderão conhecer a linha completa de compostos virgens e recuperados de PP, PE, ABS e PS, naturais e coloridos. Esses produtos são voltados para os mercados automotivo, agrícola, brinquedos, construção, eletro-eletrônico, eletrodomésticos, higiene-limpeza, UD, entre outros.

Para atender à crescente demanda do mercado nacional, a empresa também está renovando seu parque industrial, aumentando a capacidade instalada em 20%, além de ampliar seu laboratório. “Esse investimento permitirá ampliarmos a prestação de serviços de extrusão e micronização para os clientes, bem como fazermos frente à crescente demanda por material reciclado de alta qualidade, gerando perspectivas bem promissoras para a empresa em 2011”, assegura Ricardo Mason, diretor da Fortymil.

Importante player do setor, a Fortymil atua na área de fabricação e distribuição de resinas. Na área industrial, com atuação nacional, conta com um parque fabril moderno onde produz compostos de resinas virgens, compostos de resinas recuperadas e resinas recicladas, além de prestar serviço de beneficiamento, micronização, tingimento e aditivação. Na área de distribuição, atua com exclusividade para a Braskem para os estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Espírito Santos.

Fonte: Brasiplast / Mais Comunicação

Corona Brasil mostra na Interplast tratamento superficial corona que permite aderência de outros materiais

05/08/2010

A Corona Brasil, líder em vendas de equipamentos para tratamento superficial de plástico por efeito corona, mostra na Interplast 2010 as vantagens do sistema. Consiste em descarga elétrica de alta voltagem e alta frequência que aumenta a umectabilidade da superfície de materiais plásticos em diversas formas, permitindo a aderência de outros materiais. O tratamento é utilizado por fabricantes de embalagens flexíveis e rígidas e pode ser aplicado em polietileno, polipropileno, poliéster, PVC, borracha e folhas de alumínio, em processos de extrusão, impressão em linha e estática, laminação, recobrimento (coating), adesivagem, colagem, umedecimento e higienização.

Sobre a Corona Brasil
Fundada em 2002, a Corona Brasil fabricante de equipamentos de tratamento corona, é líder nesse mercado em volume de vendas. Possui equipamentos com alto desempenho e tecnologia diferenciada para todas as aplicações relacionadas a tratamento superficial por efeito corona. A empresa é responsável pela distribuição desemicondutores de alta potência da Westcode (USA), agora IXYS Long Beach. Além do Brasil, a Corona atua com representantes nos mercados do Peru, Colômbia, Argentina e México, e exporta para outros países da América Latina, América do Norte, Europa e Ásia.

Fonte: Messe Brasil