Posts Tagged ‘Polímeros’

Tecniplas mostra soluções em tancagem na Fenasan

26/09/2017

Um dos tanques da Tecniplas fornecidos para a Sabesp

Empresa fabrica tanques e megatanques de PRFV para aplicações em saneamento

A Tecniplas, fornecedor brasileiro de tanques e equipamentos especiais em compósitos (Plástico Reforçado com Fibras de Vidro), participa mais uma vez da Feira Nacional de Saneamento e Meio Ambiente (Fenasan), evento que acontece entre os dias 03-05/10, em São Paulo.

Fabricante do maior tanque de Plástico Reforçado com Fibra de Vidro do Brasil – com 15 m de diâmetro, armazenando até 3,5 milhões de litros –, a Tecniplas pretende divulgar na Fenasan não só os seus megatanques, mas também os reservatórios que produz de acordo com as padronizações das concessionárias de água e esgoto. “Por exemplo, uma das exigências mais comuns é a inclusão de pontos de descanso, estruturas compostas por plataformas intermediárias e escadas”, explica José Roberto Vasconcellos, gerente comercial da Tecniplas.

Outra determinação das concessionárias diz respeito à coloração das resinas utilizadas na fabricação das paredes dos tanques. “Ajustamos o tom dos polímeros que processamos para que fiquem mais escuros. Assim, o líquido envasado não sofre qualquer influência da luz solar”, detalha.

A Tecniplas também demonstrará na Fenasan a importância de se contemplar nos projetos dos tanques a influência das cargas de vento. Por conta das recentes mudanças climáticas, tem crescido no Brasil o número de ocorrências causadas pela maior velocidade das rajadas. “Projetamos os reservatórios sujeitos a cargas de ventos com a adição de anéis de reforço que os protegem contra as pressões externas e evitam amassamentos que podem danificar a estrutura”.

Os tanques da Tecniplas para aplicações em saneamento podem ter até 15 m de diâmetro e armazenar 4,5 milhões de litros. Frente aos tradicionais reservatórios de concreto, garantem diversas vantagens, tais como maior estanqueidade e vida útil superior. “Concessionárias como Sabesp, em São Paulo, Corsan, no Rio Grande do Sul, e Casan, em Santa Catarina, já operam com os nossos tanques”.

Fundada em 1976, a Tecniplas mantém uma fábrica de 32 mil m² em Cabreúva, no interior de São Paulo. Seus produtos também são utilizados pelas indústrias de álcool e açúcar, papel e celulose, cloro-soda, química e petroquímica, fertilizantes e alimentos.

Serviço: Feira Nacional de Saneamento e Meio Ambiente (Fenasan)
Quando: 03-05/10
Onde: São Paulo Expo
Tecniplas: estande G04

Fonte: Assessoria de Imprensa – Tecniplas

Curta nossa página no

Anúncios

Materiais compósitos da Solvay presentes na estrutura de asa exclusiva do avião russo MC-21

15/06/2017

O Grupo Solvay emitiu comunicado parabenizando a United Aircraft Corporation e a AeroComposit pelo primeiro voo da aeronave russa MC-21.

O MC-21 é o único avião de passageiros de corpo estreito (narrow body) com estruturas de asa de compósitos, fabricadas pela AeroComposit com tecnologia de infusão de resina fora de autoclave. A tecnologia de materiais para infusão de resina da Solvay foi selecionada para a fabricação das estruturas das asas, incluíram fita de fiação de fibra de carbono seca PRISM® TX 1100 e a resina endurecida PRISM® EP 2400.

“Para a Solvay, a escolha da United Aircraft Corporation e da AeroComposit no uso de compósitos de fibra de carbono fora de autoclave para fabricar componentes de estrutura primária, como as asas, é um passo significativo na adoção mais ampla desses materiais em estruturas primárias de aeronaves de grande porte”, disse Carmelo Lo Faro, presidente da Unidade Global de Negócios Composite Materials do Grupo Solvay.

Segundo Lo Faro, a tecnologia exclusiva da Solvay melhora a eficiência de design e fabricação de peças complexas, oferecendo benefícios de custo, bem como vantagens críticas em leveza e eficiência de combustível. “Desejamos muito sucesso para a equipe do MC-21 nas próximas etapas”, assinalou.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Solvay

Curta nossa página no

Solvay Specialty Polymers cresce na América do Sul impulsionada por inovações para os setores automotivo, aeroespacial/aeronáutica e saúde

15/04/2017

O Grupo Solvay, fornecedor global de polímeros especiais, informa que a demanda por seus polímeros de alto desempenho continua a crescer na América do Sul para apoiar tecnologias em desenvolvimento para as indústrias dos setores automotivo, aeroespacial/aeronáutica e de saúde.

“A aplicação de nossos polímeros especiais têm ganhado espaço nos diversos mercados em que atuamos aqui na região, principalmente porque substituem com vantagens outros materiais tradicionalmente usados nessas indústrias. Temos reforçado nossa presença comercial na região, procurando aproveitar as oportunidades oferecidas pelo mercado regional”, afirma Andreas Savvides, Diretor Regional de Vendas e Marketing da Solvay Specialty Polymers na América do Sul.

Mercado Automotivo – Os fabricantes de automóveis em todo o mundo estão explorando maneiras de reduzir o peso total do veículo, a fim de cumprir as próximas normas de emissões de CO2, além de desenvolver carros mais eficientes em termos de combustível. Embora os termoplásticos tenham ajudado a reduzir o peso do veículo através da substituição de metal em componentes do interior, do exterior e sob o capô, o motor automotivo continua a ser uma fronteira para a tecnologia de plásticos e polímeros.

O Polimotor 2 (foto), um motor totalmente de plástico e polímeros, desenvolvido pelo engenheiro automotivo Matti Holtzberg, tem como objetivo aumentar substancialmente o uso de termoplásticos avançados para a produção de um motor de quatro cilindros e duplo comando de vávulas, que pesa 63-67kg ou cerca de 40kg menos do que o motor padrão atual da indústria automobilística. A Solvay é a principal fornecedora de materiais avançados para este projeto revolucionário do setor.

O Polimotor 2 está centrado na substituição de metal em uma vasta gama de componentes do motor, incluindo as bombas de água, corpo do acelerador, bomba de combustível e correia dentada, entre outros, com o uso de polímeros de alto desempenho fabricados pela Solvay. As aplicações visam: engrenagem da correia dentada (Torlon® PAI), duto eliminador do óleo e  duto de admissão do combustível  (KetaSpire® PEEK), bomba de óleo (AvaSpire® PAEK), saída de água (Amodel® PPA), juntas  da saída de água e  anéis do bico injetor (Tecnoflon® FKM),  galeria de combustível (Ryton® PPS),  tampa do comando de válvulas (Radel® PPSU) e câmara de admissão  (Sinterline® Technyl®).

Mecado Aeroespacial / Aeronáutica – O compósito TegraCore™ PPSU é utilizado pela indústria do setor Aeroespacial/Aeronáutico na produção de espuma estrutural para painéis e revestimentos, funcionando como componente isolador de cabines e interiores de aeronaves. Segundo a Solvay, atendem aos mais exigentes requisitos de inflamabilidade, densidade de fumaça e emissão de gases tóxicos, além de oferecer maior resistência ao impacto do que os materiais tradicionais.

O TegraCore™ PPSU ajuda a atender às necessidades da indústria aeronáutica para reduzir o peso e, assim, o consumo de combustível e as emissões de CO2, ao mesmo tempo em que economiza tempo e custos na produção, remodelação e manutenção das aeronaves, afirma a Solvay. Eles também podem ser usados ​​para fabricar peças estruturais usando os processos RTM. A Solvay obteve a homologação da Airbus para a linha TegraCore™ PPSU, que está sendo implementada em sua aeronave A350 XWB como material leve de alto desempenho e deve ser utilizada em outras aeronaves da Airbus.

Setor de Saúde – No setor de saúde, os polímeros especiais da Solvay são oferecidos para uso em dispositivos implantáveis, dispositivos médicos e instrumentos cirúrgicos. Os afastadores cirúrgicos feitos em Ixef® PARA e AvaSpire® PAEK são exemplos mais avançados da Solvay para mostrar as vantagens de polímeros de alto desempenho sobre o metal nessas aplicações. Segundo a Solvay, o uso de seus polímeros Solvay podem reduzir significativamente os custos de produção e permitir que os fabricantes de peças originais (OEM’s) comercializem instrumentos de uso único, normalmente mais econômicos do que os produzidos em metal.

A empresa tem ganhado mercado na área de Saúde com a oferta de polímeros especiais para a produção de estojos autoclaváveis da área odontológica e hospitalar em sulfonas. Os polímeros Radel® PPSU e Udel® PSU oferecem diversas funcionalidades para atender a várias exigências. Estojos produzidos com esses materiais sãoo leves e fáceis de transportar, transparentes, o facilita a visualização do conteúdo; além de oferecerem facilidade de limpeza e higienização, alta performance e durabilidade, afirma a empresa.

Ainda na área de Saúde, a Solvay anunciou recentemente que a empresa está entrando em dispositivos odontológicos com uma nova linha de negócios de cuidados dentários. Trata-se do Solvay Dental 360™, com a oferta de um material inovador para a substituição do metal no segmento de prótese dentária parcial removível (RPD, na sigla em inglês). O novo polímero especial Ultaire™ AKP da Solvay permite a produção de próteses RPD sem metal, biocompatíveis, mais confortáveis ​​e de aparência natural, que são mais de 60% mais leves do que uma estrutura metálica, assegura a Solvay.

Os polímeros especiais da Solvay também são utilizados na indústria de Petróleo e Gás para estender a vida útil dos equipamentos através de melhor proteção contra corrosão e substituição de metal; em embalagens blister de alta barreira para proteger e estender a vida útil de alimentos e produtos farmacêuticos; em materiais isentos de halogênio para eletrônicos, fios e cabos; e na produção de membranas utilizadas em hemodiálise e outros processos de filtração de alta tecnologia.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Solvay

Curta nossa página no

II Semana de Compósitos Avançados SAMPE Brasil ocorre em outubro

13/04/2017

De 2 a 6 de outubro de 2017 será realizada a II Semana de Compósitos Avançados – SAMPE Brasil no LEL-Laboratório de Estruturas Leves do IPT/Parque Tecnológico, em São José dos Campos, SP, Brasil. Um conjunto de eventos será organizado para mostrar as inovações e aplicações dos compósitos avançados. A programação compreende:

Dia 2: Seminário Adesão Estrutural e IV Desafio Acadêmico em Composites
Dia 3: II Seminário Fundamentos dos Composites Avançados, II Mostra de Tecnologias e III Curso Reparo de Estruturas em Material Compósito
Dia 4: X Painel Aeroespacial, II Mostra de Tecnologias e III Curso Reparo de Estruturas em Material Compósito
Dia 5: V Congresso Internacional SAMPE Brasil e II Mostra de Tecnologias
Dia 6: Curso de Prepreg

A SAMPE – Sociedade para o Avanço de Materiais e Engenharia de Processos está no Brasil desde 2012. É uma sociedade de membros profissionais, que fornece informações sobre novos materiais e tecnologias de processo através de congressos, exposições, fóruns técnicos, revistas e livros.

Curta nossa página no

Solvay usa polímero especial para lançar linha odontológica

30/03/2017

A Solvay está lançando o Solvay Dental 360™, uma nova linha de negócios de tratamento odontológico para a substituição do metal no segmento de próteses dentárias parciais removíveis (RPD, na sigla em inglês), permitindo um fluxo digital capaz de acelerar o trabalho de laboratórios dentários e dentistas.

As estruturas de próteses dentárias parciais removíveis (RPD) substituem dentes perdidos e são normalmente feitas em metal. Com a solução Solvay Dental 360™, elas podem ser desenvolvidas estruturas de RPD sem metal, biocompatíveis, mais confortáveis e com aparência natural, que são mais de 60% mais leves do que uma estrutura metálica, afirma a Solvay.

A Solvay usa seu novo polímero de aril cetona Ultaire™ AKP para fazer o disco de fresamento Dentivera™. Com este dispositivo, técnicos de laboratórios dentários capacitados e qualificados usam um software adaptado a este material para projetar e processar a estrutura das RPD’s. Segundo a empresa, isto aumenta a velocidade e a eficiência, uma vez que são necessárias menos etapas de fabricação em comparação com o uso de estrutura metálica.

“A iniciativa empresarial da Solvay no segmento de dispositivos médicos é impulsionada pelo nosso poder de inovação como um líder mundial em materiais de substituição de metal e seu histórico comprovado na área de Saúde”, disse Jean-Pierre Clamadieu, CEO da Solvay.

“A Solvay se orgulha de começar na área de dispositivos de tratamento odontológico com uma oferta exclusiva que aumenta o conforto dos pacientes e a eficiência para dentistas e técnicos de laboratórios”, disse Shawn Shorrock, Diretor-Global do Solvay Dental 360™.

O portfólio de polímeros na área de Saúde, compreende materiais usados nos mercados de ortopedia, cardiovascular e renal, entre outros.

O disco de fresamento Dentivera™ foi aprovado pelos órgãos reguladores de saúde nos Estados Unidos e na União Europeia. O lançamento do Solvay Dental 360™ acontece na International Dental Show (IDS) de 2017, em Colônia, na Alemanha.

Fonte: Solvay

Curta nossa página no

Fibermaq confia na retomada das vendas de máquinas para compósitos

19/03/2017

Crescimento de 30% previsto para o ano significa o retorno aos patamares de 2015

A Fibermaq, líder brasileira em equipamentos para a moldagem de compósitos, prevê para este ano um salto de 30% no faturamento. A projeção, à primeira vista bastante otimista, significa na verdade um retorno aos patamares de 2015. “Ano passado, a nossa receita caiu mais de 25%. Por conta da crise econômica, faltou confiança para as empresas investirem. Sem contar que sentimos um forte aumento da inadimplência”, analisa Christian de Andrade, diretor da Fibermaq.

Se o melhor a fazer é esquecer 2016, pelo menos o final do ano passado deixou algumas boas lembranças para a Fibermaq. “Iniciamos o fornecimento de máquinas para as empresas que atuam no setor de energia eólica. Também notamos certa recuperação na demanda dos moldadores de peças de compósitos para ônibus”.

Esses dois fatores somam-se às boas notícias recebidas pela Fibermaq no início deste ano. A primeira ficou por conta de um contrato para fornecimento de máquinas de enrolamento filamentar – serão usadas na fabricação de postes. “São equipamentos especiais, com muito mais tecnologia embarcada”. Depois, de olho em aplicações no setor eólico, a empresa concluiu nas últimas semanas o desenvolvimento de máquinas para a aplicação de materiais diversos, como putties e massas de colagem.

“Também finalizamos o projeto de uma nova pistola para a aplicação, via spray, de adesivos à base d´água, bem como de bombas hidráulicas e pneumáticas para o envase de materiais viscosos”. De acordo com Andrade, essas novidades têm um campo bastante amplo de aplicação. “Saem um pouco do nosso dia a dia de equipamentos para a moldagem de compósitos. As bombas para envase, por exemplo, podem ser usadas pela indústria farmacêutica e alimentícia, entre outras”, observa.

Distribuidora da Autometrix

Outra novidade da Fibermaq é o início da parceria com a norte-americana Autometrix, empresa especializada em sistemas automáticos para o corte de tecidos de reforços usados em peças de compósitos. “Atuaremos como distribuidores autorizados dos equipamentos da Autometrix no Brasil. Há potenciais clientes para as suas soluções nos setores de transportes, incluindo aviões e helicópteros, energia eólica, próteses e artigos esportivos”.

Fundada em 1978, na cidade de São Paulo, a Fibermaq é pioneira na fabricação de máquinas e acessórios para a moldagem de compósitos, epóxi e adesivos em geral. Ao longo desse período, mais de 5.000 laminadoras, gelcoateadeiras, injetoras de RTM e máquinas de enrolamento filamentar, entre outras, foram comercializadas pela empresa no Brasil e em toda a América Latina.

Fonte: Fibermaq

Curta nossa página no

Polímeros biodegradáveis da Evonik recebem certificação ISO 13485

19/03/2017

A marca RESOMER® da Evonik, composta por polímeros biodegradáveis para aplicação em dispositivos médicos (MD), agora possui certificação ISO 13485, padrão que rege especificamente os produtos MD. Os polímeros e copolímeros bioabsorvíveis são usados para fabricar implantes comerciais biorreabsorvíveis.

Uma auditoria abrangente conduzida pela empresa certificadora DQS Medizinprodukte GmbH no final de novembro de 2016 confirmou que os produtos RESOMER® cumprem todos os requisitos definidos pela norma ISO 13485. A DQS examinou especialmente o sistema de gerenciamento de riscos e sua garantia de qualidade e processos de documentação. A próxima recertificação deve ocorrer em um ano.

A qualidade e a segurança desempenham papel crucial na fabricação de dispositivos médicos. Tendo isso em mente, a Evonik apoia os clientes que atuam nesse mercado mediante o fornecimento de produtos apropriados e contribuindo, assim, para que eles atinjam os seus objetivos.

Fonte: Assesoria de Imprensa – Evonik

Curta nossa página no

Evonik apresenta aditivo para a produção de pneus durante feira Tire Technology Expo 2017, na Alemanha

05/03/2017

evonik-vestenamer

Na feira, em Hannover, a Evonik expôs um aditivo de processo que melhora a processabilidade de compostos de borracha

Segundo a Evonik, o seu aditivo de processo Vestenamer® simplifica a mistura e produção de vários componentes de pneus. O produto também melhora a dispersão de misturas difíceis de polímeros e reduz a viscosidade do composto, enquanto mantém as propriedades dinâmicas positivas do vulcanizado inalteradas em geral ou aumenta essas propriedades ainda mais em alguns casos, afirma a empresa.

Melhor processabilidade de componentes de borracha

Os modernos pneus de alto desempenho precisam ter baixa resistência ao rolamento e excelente tração em pistas molhadas, além de alta resistência à abrasão. Isso só é possível com o uso de cargas altamente ativas como o negro de fumo e, particularmente, as sílicas precipitadas. Especialmente as misturas com altas concentrações de carga demandam processos de mistura de múltiplos estágios para garantir uma boa dispersão. Como auxiliar de dispersão, o aditivo Vestenamer® pode reduzir de modo considerável os ciclos de mistura e, ao mesmo tempo, otimizar a consistência dos lotes na produção, diz a Evonik. Em decorrência disso, a quantidade de etapas de mistura no processo pode ser reduzida e o processo projetado com mais eficiência.

Alta dureza e resistência à abrasão, além de uma deformação por compressão muito baixa são os requisitos importantes quando se trata de compostos para diversas faixas de aros. A Evonik assegura que o Vestenamer® melhora a processabilidade do composto de borracha por meio da redução da viscosidade na temperatura da mistura e, desse modo, evita o “bagging” no laminador.

O Vestenamer® é um aditivo semicristalino também denominado “Trans-Octenamer Rubber” (TOR). Como auxiliar de processamento de polímeros, ele atua como plastificante em compostos de borracha durante a mistura e o processamento. No entanto, durante a vulcanização do componente de borracha, ele é reticulado (crosslinked) juntamente com a borracha e, como elastômero, é plenamente integrado à rede do polímero. Desse modo, as propriedades da mistura se mantêm estáveis na aplicação final.

Fonte: Evonik

Curta nossa página no

Dilutec dribla crise e cresce 15% em 2016

19/02/2017

Empresa é uma das maiores fabricantes brasileiras de gelcoat e thinner

O ano passado foi ruim para a indústria brasileira, mas houve algumas exceções. Entre elas, a Dilutec, uma das principais fabricantes de gelcoat e thinner do país. “Seguimos na contramão de todos os indicadores e fechamos o período com um crescimento de 15%, tanto em volume produzido como em faturamento”, comemora Marcos Pannellini, gerente comercial.

No caso do gelcoat, operação baseada em Senador Canedo (GO) e que responde por 60% dos negócios da Dilutec, o desempenho positivo deveu-se principalmente à solução de problemas vivenciados por moldadores de compósitos carentes de atendimento especializado – gelcoat é um híbrido de resinas e pigmentos que dá cor a esse tipo de plástico especial.

“Muitas empresas enfrentavam dificuldades na produção das peças de compósitos devido à limitação de oferta de gelcoat e, em alguns casos, baixa qualidade. Então, fomos para a rua, identificamos os moldadores que estavam insatisfeitos e homologamos produtos que realmente atendem às suas necessidades. Com isso, a demanda subiu mês a mês”, lembra.

Destaque também para o foco na customização dos gelcoats, estratégia adotada sempre pela Dilutec para se diferenciar da concorrência. Além de formular cores exclusivas – por exemplo, tons que lembram as louças sanitárias antigas, como pergamon e rosa shell –, a empresa afirma que “acerta” o gelcoat conforme as peculiaridades dos processos de moldagem dos seus usuários. “Não trabalhamos com dois ou três produtos de prateleira, o que obrigaria o fabricante da peça a se adaptar. Ao contrário, entendemos o seu sistema produtivo e ajustamos o nosso gelcoat para garantir o melhor resultado em termos de aplicação, acabamento e durabilidade”.

Acontece o mesmo em relação ao thinner, observa Pannellini. Em vez de se especializar em apenas dois tipos – um para limpeza; outro para diluição de tintas –, a empresa buscou na produção sob medida o seu maior diferencial. Tanto é assim que, hoje em dia, estão catalogadas no laboratório da Dilutec mais de 200 formulações.

“Por conta disso, programamos para o primeiro trimestre de 2017 uma expansão que nos dará capacidade para fabricar 1 milhão de litros de thinner por mês”. Localizada em Piracicaba (SP), a planta da Dilutec tem potencial atualmente para produzir 400 mil litros/mês. Em paralelo, a fábrica de gelcoat receberá em abril novos equipamentos que ampliarão em 40% a capacidade instalada.

Além de fabricar gelcoat e thinner, a Dilutec é distribuidora das resinas da Ashland na Região Centro-Oeste e dos equipamentos para a moldagem de compósitos da BÜFAtec Spain na América Latina.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Dilutec

Curta nossa página no

Lanxess apresenta novas soluções para a indústria de pneus durante feira Tire Technology Expo 2017

24/01/2017

Lanxess_headquartersA unidade de negócio da Lanxess Rhein Chemie Additives (ADD) apresentará uma variedade de soluções para fabricantes de pneus na Tire Technology Expo (Exposição de Tecnologia para Pneus), que ocorrerá entre 14 e 16 de fevereiro de 2017, em Hanover, na Alemanha – ala 2, stand C224. A apresentação inclui seu portfólio completo de agentes Rhenodiv ecologicamente corretos para remoção de pneus, tintas de marcação de pneus Rhenomark, câmaras de ar para pneus Rhenoshape e compostos de alta concentração de fibra de aramida Rhenogran.

Novos lubrificantes para pneus para uma fabricação de pneus mais limpa

A Rhein Chemie Additives desenvolveu uma nova variedade de lubrificantes internos para uma produção mais limpa de pneus, afirma a empresa. Novos produtos permitem que os produtores de pneus apliquem baixíssimas quantidades de lubrificantes internos no pneu verde. Quando combinado com equipamentos de spray robotizado, o procedimento de revestimento sem contaminação das áreas do pneu ao lado do liner interno é garantido, assegura a Rhein Chemie Additives. O local de trabalho permanece mais limpo. Como benefício adicional, a base do novo produto Rhenodiv BP-337 é a química de ligações cruzadas isentas de hidrogênio.

Há uma crescente demanda pela ausência de silício migrante no processo de moldagem de pneus. Este é, particularmente, o caso, se for necessária uma superfície de pneu limpa e isenta de silício após a vulcanização. A Rhein Chemie Additives está atendendo a essa tendência com dois novos lubrificantes internos com liberação de jato único.

Câmaras de ar para pneus Rhenoshape: processos robotizados para câmaras de ar permanentemente revestidas

A Rhein Chemie Additives tem aumentado constantemente suas capacidades para câmaras de ar de alto desempenho permanentemente revestidas. Para garantir os aspectos de qualidade, de acordo com os requisitos do cliente, as operações em diferentes locais de produção de câmaras de ar têm sido continuamente aperfeiçoadas com processos robotizados. As câmaras de ar para pneus Rhenoshape equipadas com revestimentos permanentes Rhenodiv, permitem que fabricantes de pneus produzam pneus sem utilizar um agente de remoção adicional, afirma a empresa. Isto é importante para a produção de pneus de alto valor, tais como pneus de esvaziamento lento (capazes de continuar a rodar, mesmo furados), pneus vedantes e de baixo ruído – nos quais a ausência de migração de silício dos agentes de remoção tradicionais é obrigatória. Além disso, a operação de esguichar o spray no caso dos pneus verdes, incluindo-se a contaminação colateral de áreas críticas do pneu e das áreas de trabalho, torna-se obsoleta.

Compostos de alta concentração de fibra de aramida Rhenogran.  Opções versáteis de reforço mecânico para pneus

A Rhein Chemie Additives afirma que, sob intensos esforços mecânicos, dinâmicos e térmicos, o seu produto Rhenogran P91-40 proporciona excelente desempenho no reforço de compostos para pneus. O Rhenogran P91-40 incorpora a polpa de fibra curta de aramida Twaron, altamente elástica e de baixíssimo peso, no composto de borracha. Além dos polímeros tipicamente utilizados, tais como NR, IR, BR e SBR, o Rhenogran P91-40 é adequado para diversos tipos de borracha, incluindo-se EPDM, CR, NBR e HNBR.

A unidade de negócio Lanxess ADD fornece à indústria da borracha uma ampla gama de aditivos pré-dispersos ligados a polímeros, aceleradores de processos, ativadores de reforço e vulcanização, ceras de retorno antissolar, agentes de remoção, tintas para marcação de pneus e câmaras de ar de alto desempenho para cura de pneus .

Fonte – Lanxess

Curta nossa página no

França inaugura trecho experimental de estrada geradora de energia solar

09/01/2017

colas-solar-energy

Na quinta-feira, 22 de Dezembro de 2016, foi inaugurado na França pela Ministra do Meio Ambiente, Ségolène Royal, o primeiro grande projeto da estrada solar Wattway desenvolvido pela empresa Colas, subsidiária do Grupo Bouygues.

O trecho de testes da Wattway, constituído por 2.880 painéis fotovoltaicos, está instalado entre a saída sul de da cidade de Tourouvre, na Normandia, e a localidade de le Gué-à-Pont.

O trecho da Wattway que foi inaugurado é pavimentado com painéis solares que fornecem energia suficiente para alimentar as luzes de Tourouvre. O trecho do “Wattway” possui 1 km de comprimento e é coberto com aproximadamente 2.800 metros quadrados de painéis solares.

Cada painel contém células de silício policristalino de 15 cm de largura que transformam a energia solar em eletricidade. Estas células fotovoltaicas extremamente frágeis são revestidas em um substrato em multicamadas composto por resinas e polímeros, suficientemente translúcidos para permitir que a luz solar passe e resistentes o suficiente para suportar o tráfego de caminhões. A superfície que está em contato com os pneus dos veículos é tratada para garantir uma resistência ao deslizamento equivalente às misturas convencionais de asfalto.

Já foram feitos ensaios iniciais do sistema “Wattway” em áreas de estacionamento e espaços ao redor de edifícios públicos, assim como em uma ciclovia de 70 metros de comprimento na Holanda. O projeto Wattway recebeu um subsídio total do governo francês de 5 milhões de euros.

Em média, aproximadamente 2.000 carros usam a estrada em Tourouvre todos os dias, os quais irão testar a durabilidade dos painéis instalados pela Colas. A empresa observa que a estrada típica é ocupada por carros apenas cerca de 10 por cento do tempo. “O resto do tempo fica olhando para o céu”.

Este projeto faz parte da lei de transição energética francesa, que envolve empreendimentos inovadores e ambiciosos. A eletricidade produzida por este trecho de estrada solar será enviada à rede Enedis, o fornecedor francês de eletricidade. A produção anual esperada é de 280 MWh. A produção diária irá flutuar de acordo com o tempo e as estações. Em média, a produção elétrica estimada chegará a 767 kWh por dia, com picos de até 1.500 kWh por dia no verão.

Um painel de informações instalado perto da estrada solar irá indicar a produção em andamento, bem como a produção total desde a instalação. Este painel será alimentado por eletricidade gerada através dos painéis da Wattway.

O projeto da estrada solar Wattway é uma inovação de Colas concebido para fornecer uma segunda função às estradas, permitindo que produzam energia solar. Resultante de cinco anos de pesquisa e desenvolvimento conjuntos com o Instituto Nacional Francês de Energia Solar, a Wattway entrou agora em uma fase experimental para determinar usos através de uma série de locais de teste.

Para o diretor da Wattway, Jean-Charles Broizat, este projeto é um passo importante no desenvolvimento das estradas solares Wattway: “Estamos ainda numa fase experimental. Construindo um site experimental desta escala é uma oportunidade real para a nossa inovação.Este site de teste nos permitiu melhorar o processo de instalação dos nossos painéis fotovoltaicos, bem como a sua fabricação, a fim de continuar a otimizar a nossa inovação”.

Segundo os cálculos da Colas, a França poderia teoricamente se tornar independente de energia ao pavimentar com painéis solares apenas um quarto de seu 1 milhão de quilômetros de estradas.

Uma desvantagem atribuída ao sistema é que os painéis solares são mais eficazes quando inclinados em direção ao sol, ao invés de que quando eles são colocados planos. Além disso, os custos ainda são altos: cada kilowatt-pico gerado pela Wattway atualmente custa quase 19 euros, em comparação com cerca de 1,3 euros para uma instalação de grande porte montados em telhados. A Colas tem por objetivo atingir custos competitivos até o ano 2020, observando que o custo da produção de energia solar por meios convencionais reduziu-se em 60% entre 2009 e 2015.

A Colas, subsidiária do Grupo Bouygues, é uma empresa líder mundial na construção e manutenção de infra-estruturas de transporte. Com 57.000 colaboradores em mais de 50 países em cinco continentes, o Grupo realiza cerca de 80.000 projetos por ano por meio de 800 unidades de negócio de construção e 2.000 unidades de produção de materiais. Em 2015, a receita consolidada da Colas totalizou 12 bilhões de euros (49% fora da França). O resultado líquido do Grupo atingiu 234 milhões de euros.

Fonte: Colas

Curta nossa página no

Covestro inicia a entrega do primeiro produto à base de CO2

06/01/2017
Caminhão chega à estação onde será carregado com o poliol à base de CO2 da Covestro - o primeiro a nível  mundial.

Caminhão chega à estação onde será carregado com o poliol à base de CO2 da Covestro – o primeiro a nível mundial.

  • Debut de dióxido de carbono como matéria-prima
  • Gás causador de efeito estufa usado para fabricar componentes de espuma para colchões

Inovação no mercado de plásticos: o fabricante de materiais Covestro iniciou a entrega de um novo produto à base de dióxido de carbono. O primeiro caminhão tanque deixou a planta da empresa em Dormagen perto de Colônia, Alemanha, na primeira quinzena de dezembro. A Covestro iniciou oficialmente a produção na fábrica inaugurada em Dormagen no verão passado. A planta usa o gás que está contribuindo para o aquecimento global para produzir um componente chave para as espumas usadas em colchões e móveis estofados.

O CO2 serve como uma nova matéria-prima, substituindo uma fração do petróleo a partir da qual o poliol é normalmente baseado. Esta contribuição para a sustentabilidade e feito científico pioneiro já está na fase de produção industrial.

Marco alcançado

“Alcançamos um outro marco. A fábrica está funcionando sem problemas e o primeiro carregamento de nosso novo componente de espuma flexível feito com CO2 está a caminho do cliente “, disse o gerente de projeto, Dr. Karsten Malsch. “Trabalhamos continuamente para atingir este momento desde a nossa pesquisa inicial, há vários anos. Estamos entusiasmados por ter chegado a esse ponto e estamos usando isso como motivação para continuar nossos esforços nessa área “.

A Covestro está trabalhando para integrar ainda mais dióxido de carbono em seus produtos. No caso do precursor da planta de Dormagen, um poliol, o teor de CO2 é de aproximadamente 20 por cento. Outros projetos já alcançaram conteúdo de mais de 40% no laboratório. A Covestro também está se esforçando para usar dióxido de carbono para a fabricação de outros produtos além da espuma flexível. Os produtos potenciais que já foram testados no laboratório incluem precursores para espuma rígida e elastómeros. A empresa também está disposta a licenciar a tecnologia. Isso conservaria recursos petrolíferos limitados em toda a indústria ao mesmo tempo em que reduziria o refino, que é intensivo em energia e emissões.

Com 2015 vendas de EUR 12.1 bilhões, Covestro está entre as maiores empresas de polímero do mundo. As atividades empresariais centram-se na fabricação de materiais poliméricos de alta tecnologia e no desenvolvimento de soluções inovadoras para produtos utilizados em muitas áreas da vida cotidiana. Os principais segmentos atendidos são os setores automotivo, elétrico e eletrônico, de construção e de esporte e lazer. A Covestro, antes Bayer MaterialScience, tem 30 plantas de produção em todo o mundo e no final de 2015, empregava aproximadamente 15.800 pessoas.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Covestro

Curta nossa página no

BASF encerra produção de TPU em Guaratinguetá (SP); abastecerá mercado da América do Sul através de sua rede global de produção

09/11/2016

basf-guaratingueta

A BASF abastecerá seus clientes de TPU (Poliuretano Termoplástico) na América do Sul por meio de sua rede global de produção de TPU Elastollan® com fábricas na Alemanha, Ásia e América do Norte.

A fabricação local de TPU em Guaratinguetá foi descontinuada a partir de 1 de novembro. Segundo a empresa, o abastecimento para os clientes da América do Sul está garantido, pois a BASF se compromete com seus clientes de TPU por meio de sua rede de produção global.

A fábrica de TPU Elastollan® é uma das quatro fábricas da Divisão de Materiais de Performance da BASF dentro do Complexo Químicos de Guaratinguetá. As outras três plantas – produção de poliéster de poliol, de produção de sistemas de poliuretano e produção Cellasto (partes microcelulares para a indústria automóvel) – continuarão com suas atividades em operação.

Elastollan® – marca registrada de poliuretano termoplástico da BASF, pode ser utilizado em aplicações para mangueiras, revestimento de cabos, correias, filmes, perfis e pode também ser processado usando tecnologias de moldagem por sopro e moldagem por injeção. É utilizado em diversos setores, como automotivo, calçados e fabricação industrial.

Fonte: BASF

Curta nossa página no

Victrex desenvolve polímero para dispenser de serviço de bordo

09/11/2016

victrex_dispenser-bordo

Dispenser de bebidas compacto e inovador da SkyTender Solutions foi fabricado com apoio da Victrex

Para a maioria dos passageiros, bebidas em altitudes de 10.000 metros fazem parte da “experiência de vôo”. No entanto, o serviço habitual implica em um custo para as companhias aéreas e seus fornecedores, além de ter impacto no meio ambiente. O “SkyTender”, um dispenser de bebidas móvel, produzido pela SkyTender Solutions, pode economizar tempo e substituir embalagens convencionais, tais como latas ou garrafas, tornando o consumo mais transparente. Com este produto inovador, a empresa alemã está contando com redes digitais de tecnologia e materiais de alta performance certificadas para a aviação, usando o polímero Victrex Peek para reservatórios de água.

Utilizado no reservatório de água interno, o polímero Victrex Peek garante que as bebidas tenham o seu gosto adequado. Os três reservatórios da SkyTender, de 10 litros cada, podem conter água potável quente ou fria. Em operação, os materiais não degradam e nem contaminam os produtos, especialmente em caso de contato prolongado com água quente. O termoplástico da Victrex está em conformidade com os requisitos da US Food and Drug Administration (FDA 21 CRF 177.2415) e a regulamentação europeia (CE 1935/2004) para contato com alimentos e tem uma história de décadas de uso na indústria alimentícia.

A participação e suporte da Victrex no projeto de desenvolvimento do reservatório de água estreito e com otimização de peso é valorizado por Andreas Strauß, vice-presidente sênior de Inovação na SkyTender Technology. “A Victrex tem nos dado grande apoio durante a seleção de materiais e design de ferramentas. Fomos capazes de integrar as propriedades dos materiais e diretrizes de processamento, bem como o comportamento térmico e estático logo nos primeiros estágios da concepção dos reservatórios de água”, destaca o executivo.

SkyTender: solução agradável e simples beneficia a todas as partes interessadas – A solução da SkyTender recebeu recentemente a autorização necessária da Autoridade Federal de Aviação dos Estados Unidos (FAA). A nova tecnologia deverá ter impacto positivo no serviço de bordo, bem como na proteção ambiental. Ela permitirá, por exemplo, a economia de tempo da tripulação de cabine no preparo e distribuição de bebidas. Os passageiros poderão escolher até 12 bebidas diferentes. Esta seleção variada é possível por meio de um sistema de “bag in box”, que, ao contrário de garrafas e latas tradicionais, demanda muito menos espaço de armazenamento, além de reduzir o desperdício de embalagem e otimizar as emissões de CO2 das companhias aéreas.

“Em 2015, as companhias aéreas receberam mais de 3,5 bilhões de passageiros e o transporte aéreo está crescendo cerca de 5% ao ano. Os fabricantes de aeronaves e as empresas de aviação pretendem corresponder a esse crescimento, com soluções ambientalmente compatíveis e rentáveis, definindo metas ambiciosas para alcançar este objetivo”, explica Uwe Marburger, gerente de Desenvolvimento de Negócios Aeroespacial da Victrex. “O dispenser móvel totalmente automático de bebidas da SkyTender pode, certamente, apresentar contribuição valiosa”, completa. Dada a sua conformidade com os requisitos em matéria de contato com alimentos, o Victrex Peek colabora para que a qualidade das bebidas permaneça a mesma. Além disso, o SkyTender constatou que o dispenser pode ficar em serviço por aproximadamente duas semanas sem necessitar de limpeza, oferecendo mais um benefício para as companhias aéreas. O termoplástico pode suportar os materiais de limpeza e desinfetantes necessários para este efeito a longo prazo, bem como resiste a combustíveis agressivos e fluidos hidráulicos em outras aplicações para a indústria da aviação. O polímero Victrex Peek tem sido utilizado em componentes de aeronaves por mais de três décadas, atendendo às normas de toxicidade, fogo e fumaça (FST). O material está qualificado por fabricantes como Airbus, Boeing e COMAC3. O polímero de alta fluidez foi utilizado nos recipientes de água para permitir que o reservatório interno de paredes finas seja fabricado de forma eficiente, usando moldagem por injeção.

Fonte: Victrex

Curta nossa página no

Nordson introduz nova gama de bombas de engrenagem durante Feira K 2016

06/11/2016

nordson-k2016

Nova gama BKG® BlueFlow ™ harmoniza tecnologias desenvolvidas inicialmente na Alemanha e nos EUA e incorpora aprimoramentos para todos os processos de polímero e Hot Melt

Harmonizando as tecnologias de duas linhas de produto renomadas mundialmente, a Nordson Corporation criou uma nova geração de bombas de engrenagens que proporcionam um rendimento até 15% maior sem um aumento na RPM, proporcionando um material fundido mais consistente e estável para melhorar a qualidade do produto.

A Nordson introduziu o design optimizado da bomba na K 2016, onde ela também destacou a disponibilidade de uma gama abrangente desses componentes, com opções que satisfazem as necessidades virtualmente de todas as aplicações de processamento de material fundido em todas as regiões geográficas.

As bombas de engrenagens BKG® BlueFlow ™ são uma gama de produtos de nova geração que melhora tecnologias já bem conhecidas, desenvolvidas separadamente pela Kreyenborg na Alemanha e pela empresa norte-americana Xaloy Corporation, ambos adquiridas pela Nordson em 2013 e 2012, respectivamente. As principais melhorias são:

● Produção mais eficiente do material fundido, o que permite alcançar até 15% de maior rendimento sem aumentar as RPMs da bomba; Ou reduzir as rpm para diminuir a tensão de cisalhamento sobre o polímero sem sacrificar o volume de material fundido.

● Maior desempenho na vedação e mais opções de vedação. A gama completa de tipos de vedação já está disponível em todo o mundo. Além de sistemas refrigerados a ar e água, também estão disponíveis projetos alternativos com aletas de resfriamento.

● Controle aprimorado sobre os parâmetros do material fundido. As novas bombas de engrenagens incluem sensores de pressão e temperatura nos lados de entrada e de saída, contribuindo para propriedades mais consistentes do material fundido e qualidade melhorada.

“As bombas de engrenagens BKG BlueFlow proporcionam um melhor desempenho no fornecimento de material fundido em todos os processos e são particularmente valiosas em operações envolvendo polímeros técnicos, produtos óticamente claros ou outras aplicações de alta desempenho onde é importante minimizar a tensão de cisalhamento”, disse Sven Conrad, diretor da unidade de negócios para produtos de material fundido. “Ao projetar essas novas bombas, temos uma combinação única de know-how americano e alemão que vem se estendendo por muitas décadas”.

Ampla gama de bombas de engrenagens para uma gama completa de aplicações em todas as regiões geográficas

nordson_k2016Além de fornecer um desempenho melhorado, o novo design BKG BlueFlow harmoniza as opções anteriormente disponíveis separadamente em diferentes partes do mundo. A gama de produtos inclui agora três séries: “EP” para extrusão padrão; “MP” para processos que envolvem mudanças frequentes de cor ou polímeros sensíveis ao calor; e “RP”, para descarga de vasos e reatores onde não é aplicado vácuo. As bombas estão disponíveis para todo o espectro de contingências, incluindo capacidades de bombeamento, pressões e métodos de aquecimento. Embora as bombas sejam designadas como “EU” e “EA” (para a Europa e Ásia) devido a diferenças regionais nas conexões e vedação, todas elas têm os mesmos componentes-núcleo, tais como rolamentos, eixos e opções de vedação. A disponibilidade de versões “US” e “EA”(foto) possibilita a instalação de bombas de engrenagens BKG BlueFlow como equipamentos de reposição para bombas existentes.

Em conjunto, a gama BKG BlueFlow inclui bombas de engrenagem para aplicações de filmes, chapas, tubos, perfis, fibras, compostagem, reciclagem, polimerização e hot melt. Uma ampla gama de capacidades de bombeamento ou volumes específicos estão disponíveis, variando de 33 a 3.201 cc / revolução, para faixas de produção de até 12.000 kg / h. Cada tamanho da bomba vem ou com aquecimento elétrico ou por fluido e com conexões EUA ou EA. As bombas de engrenagens são para uso com viscosidades de polímero de 2 a 20.000 Pas e a temperaturas de até 350 ° C. Todas as especificações estão em unidades métricas.

“O portfólio da BKG BlueFlow é verdadeiramente abrangente, proporcionando um grande grau de flexibilidade para aplicações que vão desde o uso geral até o altamente especializado”, disse Christian Schroeder, gerente global de produtos para material fundido. “A nossa gama de produtos inclui vários tipos de bombas que estavam disponíveis em uma ou outra das gamas anteriores, mas não em ambas. Por exemplo, existe agora um design global consistente para a nossa série MP. “

As bombas de engrenagens da série MP da gama BKG BlueFlow são projetadas para processos que envolvem várias mudanças de produto por dia e para polímeros sensíveis ou críticos ao cisalhamento, como PC ou PMMA para aplicações ópticas. A série inclui um procedimento de autolimpeza com pistão que facilita a purga, eliminando a necessidade de desmontar a bomba e evitando a degradação do polímero.

As bombas de engrenagens BKG BlueFlow tem suporte pela rede mundial de vendas e serviços da Nordson.

Fonte: Nordson

Curta nossa página no

Evonik promove evento para mercado de espumas de poliuretano

31/10/2016

Com foco em treinamento, encontro reunirá fabricantes de espumas flexíveis de poliuretano e será o lançamento oficial do projeto “Evonik PU Foam Academy” na América do Sul

evonik_pu-foam-academyNo próximo dia 7 de novembro, a Evonik, uma das líderes mundiais em especialidades químicas, realizará o 4º Encontro com Espumadores. O evento, que é destinado a formuladores de espuma de poliuretano de toda América Latina e equipe de distribuidores da empresa, será realizado das 8 às 18 horas no Hotel Novotel São Paulo Center Norte, na capital paulista.

“Como um dos líderes mundiais no fornecimento de aditivos de poliuretano, acreditamos que os investimentos devam ser contínuos em treinamentos, principalmente diante do cenário atual de exigências do mercado, que busca incessantemente a melhoria dos processos, qualidade dos produtos e cumprimento das mais diversas normas”, destaca Roberto Luiz, Gerente de Poliuretanos da Evonik.

A quarta edição do evento – que já se tornou uma referência no setor – reunirá espumadores de toda América Latina, a equipe comercial da Evonik na América Latina, incluindo distribuidores e agentes, e ainda executivos da diretoria da Evonik na Alemanha. No encontro serão abordadas as plataformas de treinamentos e de serviços da empresa, apresentação de novos produtos e tecnologias e o lançamento oficial da “Evonik PU Foam Academy” na América do Sul.

Evonik PU Foam Academy

Este projeto foi lançado na Alemanha em 2011 e permitiu a padronização dos treinamentos realizados pela empresa em todo o mundo. O objetivo é promover a capacitação de clientes sobre a tecnologia do poliuretano com foco em espumas flexíveis em bloco, por meio de treinamentos personalizados e eventos especialmente desenvolvidos para este público. O programa já conta com mais de 1.200 slides de treinamentos.

No Brasil, os treinamentos oferecidos pela Evonik ocorrem desde o início das operações da empresa no País e foram intensificados em 2003, com a inauguração do Centro Técnico de Poliuretanos América do Sul, localizado no município de Americana (SP). No local, é possível oferecer projetos customizados, simulação de processos de produção em escala industrial, medidas de propriedades físicas, suporte de infraestrutura para construção de laboratórios e relatórios técnicos, entre outros serviços.

Teóricos e práticos, os cursos possuem flexibilidade de duração, conteúdo de acordo com o nível de conhecimento e interesse e podem ser realizados nas instalações do cliente, no Centro Técnico de Poliuretanos ou ainda em formato de eventos oferecidos a todos os clientes da Evonik de maneira conjunta. Desta forma, são moldados às necessidades de cada cliente – sejam fabricantes de espumas flexíveis para o mercado de colchões e móveis, automotivo, entre outros.

Encontro de Distribuidores

O incentivo aos treinamentos na área de poliuretanos também é estendido aos distribuidores da Evonik. Por isso, a empresa reunirá de 03 e 05 de novembro, no Hotel Sofitel Jequitimar, no Guarujá (SP), todos os seus distribuidores e agentes da América do Sul e Central.

No encontro, que é bianual, serão discutidos práticas e ações inerentes ao negócio, diferenciais dos novos produtos, plataformas de serviços e também serão compartilhadas as melhores práticas e experiências, bem como novos projetos. “Com uma equipe bem preparada, temos condições de oferecer não só o melhor produto, como também excelência nos serviços, criando uma relação de confiança com nossos clientes”, destaca Roberto Luiz.

Serviço:
4º Encontro com Espumadores
Data: 07/11/2016 – 8h00 às 18h00
Local: Hotel Novotel São Paulo Center Norte
Avenida Zaki Narchi, 500 – Vila Guilherme, São Paulo

Fonte: Assessoria de Imprensa- Evonik

Curta nossa página no

Evonik investe na empresa irlandesa de tecnologia médica Vivasure Medical

07/10/2016

evonik-vivasure

  • Tecnologia inovadora fecha artérias de modo mais fácil e rápido após cirurgias minimamente invasivas
  • Nova aplicação para o polímero bioabsorvível Resomer® da Evonik

Por meio de suas atividades de Venture Capital, a Evonik investiu na empresa de equipamentos médicos Vivasure Medical Limited, sediada em Galway (Irlanda). A operação de financiamento foi liderada pelo Life Science Partners Health Economics Fund, da Holanda. Também participa do pool a empresa Panakes Fund, de Milão (Itália). Antigos investidores da Vivasure da esfera med-tec, incluindo Fountain Partners, Orchestra Medical Ventures e Ascent Biomedical Ventures, também participam da operação de financiamento.

“Soluções para as tecnologias médica e da saúde estão entre as principais áreas de crescimento da Evonik. Em virtude de nossa competência tecnológica nessas áreas e nosso atual portfólio de produtos, a Vivasure Medical se adapta à Evonik em termos estratégicos”, diz Bernhard Mohr, Diretor de Venture Capital na Evonik.

O dispositivo de fechamento Vivasure (Vivasure Closure Device) é o primeiro produto da plataforma de tecnologia PerQseal™ da empresa e a única opção totalmente bioabsorvível, sem sutura e inteiramente sintética aprovada para o fechamento de arteriotomias de grande diâmetro resultantes de procedimentos percutâneos transcatéter. Esses procedimentos minimamente invasivos estão se tornando cada vez mais comuns nas cirurgias, no mundo inteiro. Em algumas áreas já estão estabelecidos como padrão. O motivo: somente pequenas incisões são necessárias para realizar procedimentos minimamente invasivos, que são menos danosos aos pacientes.

“Temos o prazer de ter a Evonik como parceiro estratégico que pode nos ajudar de maneira especial com sua expertise em polímeros para aplicações em Farma e Dispositivos Médicos”, diz Gerard Brett, CEO e um dos fundadores da Vivasure Medical. “O dispositivo de fechamento Vivasure foi projetado para ser fácil de usar, permitindo que o cirurgião faça um reparo completo no ponto de acesso, sem deixar implantes de metal, suturas ou tecido exógeno. Nosso objetivo é melhorar os resultados clínicos, tempos de recuperação menores e resultados terapêuticos superiores para os pacientes, em comparação com a alternativa da cirurgia aberta”.

A Vivacare Medical utiliza o Resomer®, um polímero bioabsorvível da Evonik, que já provou o seu valor em numerosas aplicações comerciais. “A participação na Vivacare Medical nos oferece a possibilidade de abrir uma área de aplicação nova e empolgante para o Resomer®”, diz Jean-Luc Herbeaux, Diretor da Linha de Negócios Health Care da Evonik.

No contexto de suas atividades de venture capital, a Evonik planeja investir um total de €100 milhões em start-ups promissoras, detentoras de tecnologias inovadoras, e nos principais fundos de venture capital especializados. Os enfoques regionais estão na Europa, Estados Unidos e Ásia. Atualmente, a Evonik detém participação em nove start-ups e quatro fundos.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Evonik

Curta nossa página no

Setor de compósitos faturou R$ 1,065 bilhão no primeiro semestre

07/10/2016

Resultado é 30% inferior ao da primeira metade de 2015. Para o ano, receita total deve encolher 13,7%

O setor de materiais compósitos faturou R$ 1,065 bilhão no primeiro semestre deste ano, queda de 30% em comparação a igual período de 2015. Sob o ponto de vista de material transformado, a retração foi de 27,8%, totalizando 66,5 mil toneladas. Na comparação com a segunda metade do ano passado, os encolhimentos dos índices foram de, respectivamente, 8% e 5,5%. Os dados são da consultoria Maxiquim.

“Os compósitos são largamente consumidos pelo mercado de transportes, com destaque às montadoras de ônibus e caminhões, que atravessam uma situação muito complicada. Também houve uma retração na demanda do setor de energia eólica, o único até então imune à crise. Em paralelo, as empresas da nossa cadeia produtiva não estavam capitalizadas o suficiente para enfrentar uma recessão tão longa, agravada pela restrição e custo do crédito, o que impediu o desenvolvimento de novos produtos”, avalia Gilmar Lima, presidente da Associação Latino-Americana de Materiais Compósitos (ALMACO).

Para 2016, a Maxiquim projeta um faturamento de R$ 2,3 bilhões, o que significará uma queda de 13,7% frente ao resultado anterior – em volume, um total de 136 mil toneladas, 8,8% a menos do que em 2015. “Mesmo assim, não tenho dúvidas de que 2017 será melhor, ainda que partindo de uma base muito ruim”. Lima aposta que a retomada começará pelos mercados de infraestrutura, construção e energia eólica. “O segmento esportivo, inspirado pelas Olimpíadas, também deve gerar oportunidades importantes para os materiais compósitos”.

De acordo com o presidente da ALMACO, as empresas devem fazer o máximo para, mesmo em períodos difíceis como o atual, manter os seus valores e diferenciais. “Aquelas que não perderam conhecimento com a saída de talentos terão anos excepcionais daqui para frente”.

Resultantes da combinação entre polímeros e reforços – por exemplo, fibras de vidro –, os compósitos são conhecidos pelos elevados índices de resistência mecânica e química, associados à liberdade de design. Há mais de 50 mil aplicações catalogadas em todo o mundo, de caixas d’água, tubos e pás eólicas a peças de barcos, ônibus, trens e aviões.

Fundada em 1981, a ALMACO tem como missão representar, promover e fortalecer o desenvolvimento sustentável do mercado de compósitos. Com administração central no Brasil e sedes regionais no Chile, Argentina e Colômbia, a ALMACO tem cerca de 400 associados (empresas, entidades e estudantes) e mantém, em conjunto com o Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), o Centro de Tecnologia em Compósitos (CETECOM), o maior do gênero na América Latina.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Almaco

Curta nossa página no

Fibermaq apresenta equipamento para aplicação de gelcoat na Interplast

08/08/2016

Gelcoateadeira Evolution conta com pistola mais leve e ergonômica

gelcoatadeira-evolutionA Fibermaq, empresa fornecedora de equipamentos para a moldagem de compósitos, apresentará na Interplast – 16-19/08, em Joinville (SC) – a Gelcoateadeira Evolution. Destinada à aplicação de gelcoat, combinação entre resinas e pigmentos usada para dar acabamento às peças de compósitos, a máquina conta com um novo modelo de pistola mais leve, ergonômica e fácil de efetuar as eventuais manutenções, afirma o fabricante.

Destaque também para o aprimoramento da segurança: a Gelcoateadeira Evolution não tem partes móveis aparentes. “Ainda instalamos uma caixa metálica que protege o operador do contato com diversos componentes”, afirma Christian de Andrade, diretor da Fibermaq. Segundo a empresa, outros diferenciais são a maior robustez da bomba de catalisador, fabricada totalmente em aço inox e sem peças plásticas, e a presença de um visor de passagem (rotâmetro), acessório que alerta o operador sobre a falta de catalisador na bombona ou quando ocorre algum tipo de obstrução na linha.

Com mistura externa de resina e catalisador, o equipamento da Fibermaq também dispõe de um sistema de fixação do pistão pneumático à bomba de resina, proporcionando mais espaço para a manutenção. “Desenvolvemos um novo tipo de ligação de eixos que aumenta a proteção do selo, prolongando a sua vida útil”, observa Andrade.

RTM Evolution com certificação NR-12

A Fibermaq também anunciará na Interplast a recente conquista da certificação NR-12 para a sua injetora RTM Evolution, máquina usada no processo de moldagem de compósitos denominado Resin Transfer Molding (RTM) e comumente adotado por fabricante de componentes automotivos.

“Fomos a primeira empresa do nosso segmento a conseguir essa certificação”, comenta o diretor da Fibermaq. Norma do Ministério do Trabalho, a NR-12 determina que sejam enclausuradas as eventuais zonas de perigo dos equipamentos, como frestas e passagens. Também é necessária a instalação de proteções ou carenagens que impossibilitem o contato do operador com peças móveis, como engrenagens, polias, correias e motor.

Fundada em 1978, na cidade de São Paulo, a Fibermaq fornece máquinas e acessórios para a moldagem de compósitos, poliuretano, epóxi e adesivos em geral. Ao longo desse período, mais de 5.000 laminadoras, gelcoateadeiras, injetoras de RTM e máquinas de enrolamento filamentar, entre outras, foram comercializadas pela empresa no Brasil e em toda a América Latina.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Fibermaq

Curta nossa página no

Nova poliamida reforçada da BASF contribui para isolamento térmico em sistemas de janelas

05/08/2016
  • Componente melhora desempenho, funcionalidade e design, em substituição ao metal
    Produto foi desenvolvido em cooperação com fabricante espanhol STAC Padrón

BASF_16_Transmission_coverUm novo componente promete melhorar o desempenho,  isolamento térmico, funcionalidade e design dos sistemas de janelas.  Segundo a BASF, O uso da poliamida Ultramid ® LFX, reforçada com fibras de vidro longas, proporciona benefícios significativos quando comparadas aos materiais convencionais, em virtude de apresentar uma melhor resistência e boas propriedades de isolamento. O componente também permite um design de janela inteligente, leveza, além de substituir o metal na moldura da janela, o que elimina a possibilidade de corrosão.

Bom isolamento está nos pequenos detalhes

Para que um novo edifício seja moderno e eficiente em termos energéticos, é necessário mais do que apenas o isolamento de uma grande área da fachada. Não menos importantes são os sistemas de janelas, o que significa pensar de forma criativa ou substituir materiais convencionais. Em cooperação com o fabricante de janelas espanhol, STAC Padrón, a BASF substituiu o componente feito de zamak (liga metálica), por Ultramid® reforçado com fibra de vidro longa, melhorando o sistema significativamente, afirma a empresa. Ao usar o material, um perfil de performance superior foi criado, apresentando propriedades mecânicas superiores, melhorando o isolamento da janela como um todo e contribuindo para uma construção sustentável, garante a BASF. O desenvolvimento foi fruto de um trabalho conjunto: o novo design do componente, integrado ao perfil da janela, foi proposto pelo cliente STAC. A BASF calculou otimizou o design com sua tecnologia de simulação Ultrasim®. Em seguida, uma ferramenta protótipo foi criada para produzir o novo componente. A utilização das fibras de vidro longas foi um fator determinante e produziu os resultados idealizados. Joaquim Perez Vidal, Gerente de Compras da Europa Ocidental na BASF resume a conquista: “A aplicação explora plenamente os atributos do Ultramid® LFX: excelente estabilidade em todas as temperaturas de aplicação, alta tenacidade, resistência à fadiga e boa separação térmica.”

Construções do futuro: Componentes pequenos – efeito surpreendente

Ser capaz de substituir o metal na moldura da janela é uma vantagem real. “É possível reduzir os pontos térmicos fracos no design da janela, com efeito positivo no conforto no interior do ambiente”, explica Javier Fernandez Cobian da STAC.

A BASF afirma que o seu produto Ultramid® atende às altas exigências mecânicas e ao mesmo tempo, é livre de corrosão e extra leve. Graças à sua superfície lisa, a janela pode ser aberta e fechada com maior facilidade e isso é conseguido sem a aplicação de revestimento adicional, garante a fabricante do material. Isto também é vantajoso para o perfil ambiental do componente de plástico, pois não há necessidade de pós-tratamentos como proteção contra corrosão, sendo particularmente eficiente no processo de produção. Além disso, é mais leve do que os produtos convencionais e, consequentemente, reduz a energia consumida durante o transporte, segundo a BASF.

Fonte: BASF

Curta nossa página no

Grupo Solvay lança produtos na Rio Oil&Gas 2016

03/08/2016

Solvay-Rio-Oil-and-Gas

O Grupo Solvay, para reforçar sua participação como fornecedor do setor de petróleo e gás, fará o lançamento de novos produtos e tecnologias na Rio Oil&Gas 2016 (de 24 a 27 de outubro, no Centro de Convenções do Riocentro (Pavilhão 4 – X16A).

A oferta do Grupo Solvay inclui produtos para exploração e produção de petróleo e gás, além de tecnologia de retardância a chama em uniformes profissionais (EPI) e tratamento de água e efluentes. São polímeros especiais, solventes, surfactantes e aditivos, especialidades químicas para têxteis e peróxidos de hidrogênio.

A principal novidade será o lançamento mundial de um polímero especial da linha Solef ® PVDF, resistente a temperaturas de até 150º C, usado como camada de barreira em linhas flexíveis (risers) e mangueiras umbilicais, afirma a Solvay.

Fonte: Solvay

Curta nossa página no

MVC lança novos processos para produção de componentes para o setor eólico

10/05/2016

MVC_aerogeradorgamesa

A MVC desenvolveu um novo processo para a fabricação de peças de aerogeradores para atender ao setor eólico. Segundo a empresa, o processo inovador, denominado RTM Skin, permite a produção de componentes de grande porte (as maiores peças em compósitos produzidas pela empresa) com melhor produtividade, acabamento e menor impacto no meio ambiente.

De acordo com Gilmar Lima, diretor-geral da MVC, o novo processo, assim como os processos de infusão e RTM Light, estão sendo utilizados para a produção de conjuntos de aerogeradores do modelo G114 2.1 MW (conversores de energia eólica em elétrica) para a Gamesa Eólica Brasil, na Bahia. “O projeto da nova peça foi elaborado pela engenharia da Gamesa, na Espanha. Com o auxílio da equipe da MVC, foram desenvolvidos métodos e processos para ser fabricada no Brasil, atendendo aos requisitos de qualidade e disponibilidade de materiais do mercado nacional”, explica.

Os materiais utilizados nas peças são tecidos de fibra de vidro, núcleos, resina ortoftálica e gel coat isoftálico. Por se tratar de um produto em gel acabado, a peça deixa o molde já com acabamento final, sem nenhuma necessidade de pintura. Também são utilizados componentes metálicos e fixadores que fazem parte da montagem posterior.

“A grande vantagem destes processos é que permitem fabricar um aerogerador de dimensões maiores, com menor impacto ambiental, e com qualidade excepcional”, avalia Gilmar Lima. “Estamos nos antecipando e atendendo à nova tendência existente no mercado de criação de máquinas cada vez maiores. A carcaça da nova Nacelle (palavra utilizada para definir o corpo do aerogerador) que estamos produzindo para Gamesa é a maior peça em compósitos já fabricada pela MVC”.

A carenagem do rotor dos aerogeradores (Spinner) – local onde há o acoplamento das pás – é desenvolvida e produzida pelo processo de infusão, apropriado para peças grandes – cada spinner possui mais de 4 m de altura – e alto teor de fibra. O procedimento de fabricação da MVC permite a obtenção de componentes que oferecem padrões de desempenho mais elevados e acabamento superficial, maior resistência a intempéries e melhores propriedades mecânicas (resistência e durabilidade).

Fonte: MVC

Curta nossa página no

ALMACO organiza evento sobre Compósitos em São Paulo

18/04/2016

2º Encontro Regional contará com a participação de diretor técnico da ABEEólica

Almaco1Os principais representantes da cadeia produtiva de compósitos estarão presentes no 2º Encontro Regional, evento que a Associação Latino-Americana de Materiais Compósitos (Almaco) organizará no próximo dia 26, no auditório 50 do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), em São Paulo (SP).

Além de palestras sobre matérias-primas e tecnologias de processamento de compósitos, o 2º Encontro Regional contará com a apresentação “Visão do mercado eólico do Brasil”, de Sandro Yamamoto, diretor técnico da Associação Brasileira de Energia Eólica (ABEEólica). “A geração de energia eólica é de vital importância econômica para o nosso setor, fora que exemplifica a elevada resistência mecânica típica dos compósitos”, afirma Erika Bernardino, gerente de marketing da Almaco.

Os compósitos à base de resina epóxi são usados na fabricação das pás eólicas, enquanto que os produtos moldados com resinas poliéster fazem parte de diversos componentes das turbinas, como nacelles, spinners e blocos elétricos. Em 2015, a geração de energia eólica respondeu por 95,6% da demanda brasileira por compósitos de epóxi – foi o único segmento, a propósito, que cresceu no período (+4,5%).

Confira, a seguir, a agenda do 2º Encontro Regional Almaco:

  • 13h: Credenciamento
  • 13h30: “Visão do mercado eólico no Brasil”, Sandro Yamamoto (ABEEólica)
  • 14h: “Contribuição do adesivo estrutural na evolução dos processos de fabricação de compósitos”, Gabriel da Silva (Lord)
  • 14h30: “A visão sistêmica nos processos decisórios da gestão: foco no gerenciamento com limitação de recursos”
  • 15h30: “Sustentabilidade e tecnologia em resinas para compósitos com zero emissão de estireno”, André Oliveira (Reichhold)
  • 15h50: “Unindo compósitos: possibilidades na medida certa”, Juliana Hoehne
  • 16h20: “RTM Light Classe A: melhoria cosmética”, Márcia Cardoso (Ashland)
  • 16h50: “Materiais compósitos termoplásticos: estado da arte e potencial crescimento”, Rodrigo Berardini (Toho Tenax)
  • 17h20: “Processo de fabricação de peças em material compósito com núcleos removíveis”, Fernando Melo (Universidade Positivo – pós-graduação em materiais compósitos).

O evento promovido pela Almaco conta com o patrocínio de Ashland, Lord, MVC Soluções em Plásticos, Owens Corning, Reichhold e Toho Tenax.

Resultantes da combinação entre polímeros e reforços – por exemplo, fibras de vidro –, os compósitos são conhecidos pelos elevados índices de resistência mecânica e química, associados à liberdade de design. Há mais de 50 mil aplicações catalogadas em todo o mundo, de caixas d’água, tubos e pás eólicas a peças de barcos, ônibus, trens e aviões.

Fundada em 1981, a Almaco tem como missão representar, promover e fortalecer o desenvolvimento sustentável do mercado de compósitos. Com administração central no Brasil e sedes regionais no Chile, Argentina e Colômbia, a Almaco tem cerca de 400 associados (empresas, entidades e estudantes) e mantém, em conjunto com o Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), o Centro de Tecnologia em Compósitos (Cetecom), o maior do gênero na América Latina.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Almaco

Curta nossa página no

Tecnologia Intune da Dow recebe prêmio Kirkpatrick de Engenharia Química

07/04/2016

A 43a. edição do renomado prêmio bienal Kirkpatrick Chemical Engineering Achievement Award reconhece os maiores destaques de tecnologias relacionadas à engenharia química em todo o mundo

A Dow, por meio de seu negócio de Elastômeros, foi premiada no 43º Kirkpatrick Chemical Engineering Achievement Award, por sua tecnologia Intune™. O reconhecimento é concedido pela revista Chemical Engineering, uma das mais tradicionais e reconhecidas no setor de engenharia química no mundo.

Criado a partir da plataforma exclusiva de copolímeros olefínicos em bloco da Dow, uma revolução em ciência de catalisadores e engenharia de reação, a tecnologia Intune™ possibilita a combinação de polietileno (PE) e polipropileno (PP), de forma que as melhores propriedades de cada um desses materiais seja mantida, afirma a empresa. Tal combinação de propriedades somente é possível graças à compatibilização promovida pelo Intune™ – uma vez que antes do desenvolvimento dessa inovação, a combinação destes materiais resultava em propriedades inferiores àquelas obtidas individualmente. A tecnologia oferece uma flexibilidade totalmente inédita aos processos de mistura e compatibilização desses importantes polímeros, possibilitando atender necessidades específicas de várias aplicações, assegura a Dow.

“O desenvolvimento da tecnologia Intune™ comprova que o negócio de Elastômeros da Dow é líder em inovação, desenvolvimento e comercialização de soluções únicas e diferenciadas para o mercado. Este novo material permite que os fabricantes e usuários finais possam desenvolver novos produtos pela obtenção de características únicas de dois polímeros que tipicamente não são compatíveis. Um exemplo seria ter num só produto as propriedades de flexibilidade do polietileno e a resistência a altas temperaturas do polipropileno. O Intune™ exemplifica como soluções inovadoras podem trazer benefícios de desempenho e custo para diversas aplicações, mercados, clientes diretos e indiretos. Essa nova tecnologia baseada na plataforma copolímeros de bloco poliolefinicos foi desenvolvida através do contato direto com toda a cadeia de valor, possibilitando obter uma família de produto que pode ajudar a mudar o cenário da indústria de plástico, celebra Marcello Mori, Diretor Comercial do negócio de Elastômeros da Dow para a América Latina.

A Dow afirma que a sua tecnologia Intune™ permite o desenvolvimento de materiais com misturas ou estruturas multicamadas contendo PE e PP, combinando os melhores atributos de cada material, como a tenacidade, processabilidade e excelente propriedade de selagem do PE com a rigidez, transparência e resistência à alta temperatura do PP. A tecnologia também possibilita atingir propriedades superiores em aplicações obtidas a partir de matéria-prima pós consumo e pós-industrial em que PE e PP não foram previamente segregados. Assim, é possível produzir material reciclado com alto valor agregado, afirma a empresa.

Fonte: Dow

Curta nossa página no

AX Plásticos promove equipamentos para laboratórios de Pesquisa e Desenvolvimento em polímeros durante a Interplast 2016

31/03/2016

AXPlasticos

A AX Plásticos (www.axplasticos.com.br), pioneira nacional no desenvolvimento de equipamentos para transformação de polímeros em escala laboratorial (foto) e também fabricante de extrusoras e linhas completas de extrusão, divulgará na Interplast a sua linha de equipamentos para laboratórios de pesquisas e de desenvolvimento.

Douglas Amorim, sócio-diretor, conta que esta linha cresce a cada ano, sendo constantemente atualizada visando as necessidades de mercado e os desejos de clientes. Os diferenciais desses equipamentos são: dimensões, peso e a diminuição significativa da quantidade de matéria-prima para uso e de energia elétrica para o desenvolvimento ou para a pesquisa.

“Por ser realizada na região Sul, a Interplast concentra um grande número de empresas da indústria de plásticos nos três estados e por isso sempre estamos presentes”, destaca Douglas.

A AX Plásticos completa 12 anos de atuação em 2016. Possui máquinas em mais de 16 estados brasileiros em indústrias, universidades, centros de pesquisas, SENAI’s, entre outros. A empresa é pioneira no desenvolvimento de equipamentos de transformação para pesquisa e desenvolvimento de termoplásticos (máquinas para laboratório). Os equipamentos da AX Plásticos estão instalados em laboratórios dos mais diversos ramos do setor plástico, desde fabricantes de resina, como Braskem, Rionil, Karina, M&G Rodhia, até transformadores como BoxFlex, Xalon Suturas e Idex.

A Interplast tem em média 550 marcas expositoras apresentando novidades dos mais variados setores como máquinas, equipamentos, transformadoras, ferramentarias, embalagens, matérias-primas, periféricos, design e serviços. Realizada pelo Simpesc (Sindicato da Indústria de Material Plástico no Estado de Santa Catarina) e organizada pela Messe Brasil, a 9ª edição tem o apoio da ABIMAQ (Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos), ABIPLAST (Associação Brasileira da Indústria do Plástico) e FIESC (Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina). Paralelamente ao evento acontecem a 3ª EUROMOLD Brasil – Feira Mundial de Construtores de Moldes e Ferramentarias, Design e Desenvolvimento de Produtos – o CINTEC 2016 Plásticos – Congresso da Inovação Tecnológica e a Rodada de Negócios.

Serviço:
Interplast 2016 – Feira e Congresso de Integração da Tecnologia do Plástico – http://www.interplast.com.br
EUROMOLD BRASIL – Feira Mundial de Construtores de Moldes e Ferramentarias, Design e Desenvolvimento de Produtos – http://www.euromoldbrasil.com.br
Data: 16 a 19 de agosto de 2016
Horário: 14 às 21 horas
Local: Expoville – Joinville-SC – Brasil
Organização: Messe Brasil

Fonte: Assessoria de Imprensa – Interplast

Curta nossa página no