Posts Tagged ‘Unipac’

Embalagens para nutrição enteral da Unipac atendem a demanda crescente do segmento hospitalar e clínico

22/09/2021

A Unipac vem atuando na produção de embalagens para nutrição enteral utilizadas em sistemas fechados, ou seja, para uso hospitalar e clínico e destinadas a pessoas que precisam se alimentar por meio de um tubo ou sonda flexível.

O produto atende à demanda de empresas globais e permite a nacionalização do fornecimento de um tipo de embalagem que possui características específicas para a segurança alimentar. Com estrutura coextrudada de seis camadas, é feita de polipropileno e EVOH, matéria-prima que possibilita melhor barreira a gases para sistemas multicamadas. Possui resistência a temperaturas de até 135°C, sendo indicada para aplicações que exijam processamento térmico e envase a quente (hot filled) ou esterilização dentro da embalagem, tal como os processos em autoclave (retort).

A embalagem para nutrição enteral produzida pela Unipac possui 1 litro, com gramatura leve e olhal, um tipo de suporte para pendurar o produto pela extremidade inferior. Para que a alimentação seja administrada ao paciente, o sistema fechado é conectado a uma bomba infusora, que permite a programação de dosagem durante o período de tratamento.

O desenvolvimento de embalagens para nutrição enteral teve início em 2012, visando atender às demandas de clientes. Para a produção do produto, a Unipac investiu em uma sala limpa fechada e climatizada para atender às Boas Práticas de Fabricação (BPF), com base nas resoluções da ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), na aquisição de máquina sopradora e cabeçote específico para multicamadas e na capacitação técnica de seus colaboradores.

As embalagens para alimentação enteral passam por testes diversos, tais como o de análise sensorial para verificar resíduos e odor; de migração total, que verifica se há migração de alguma substância para o produto; e o de transmissão de taxa de oxigênio, entre outros, feitos em parceria com centros de tecnologia. “Nossas equipes possuem sólidos conhecimentos no desenvolvimento de tecnologias que permitem a fabricação de embalagens de qualidade, como também adequadas às exigências legais e necessidades de nossos clientes, de forma a garantir o desempenho em sua finalidade”, explica André Silvestre, Gerente de Vendas do Segmento Embalagem da Unipac.

A expectativa da empresa é que o mercado de nutrição enteral cresça a taxa de dois dígitos em 2021 e nos próximos anos. “O produto atende a todas as normas vigentes e exigências dos clientes. Temos tecnologia, capacidade produtiva e know-how para atender a um segmento fundamental à manutenção da vida e estamos aptos a absorver demandas de segmentos específicos no mercado interno e externo”, finaliza Silvestre.

Com 45 anos em 2021, a Unipac é fornecedora de clientes que atuam nos segmentos automotivo, de defensivos agrícolas, logístico, entre outros. Executa seis tipos de processos de transformação em suas unidades produtivas – sopro, injeção, injeção estrutural, extrusão de chapas, termoformagem e rotomoldagem – que estão instaladas em Pompeia (matriz) e Limeira (filial), ambas em São Paulo, e nos sites de seus clientes, por meio do modelo in house, nas cidades de Regente Feijó/SP, Paulínia/SP e Maracanaú/CE. Possui em torno de 1.000 colaboradores. Conta com uma área voltada à inovação e um moderno centro de pesquisa de engenharia avançada em materiais e processos, além de ferramentaria própria para a produção de moldes.

Curta nossa página no

Unipac reitera sinergia com inpEV para reciclagem de embalagens vazias de agroquímicos

02/09/2021

A Unipac celebrou o Dia Nacional do Campo Limpo no último dia 18 de agosto, uma data criada pelo Instituto Nacional de Processamento de Embalagens Vazias (inpEV) com o objetivo de reconhecer a participação dos diferentes agentes da logística reversa de embalagens vazias de agroquímicos no Brasil – agricultores, revendas, cooperativas, indústrias e poder público – e comemorar os resultados alcançados com a atuação conjunta.

De acordo com dados do inpEV, em 2020, o Sistema Campo Limpo promoveu a correta destinação de 49,9 mil toneladas de embalagens de agroquímicos, ou seja, 94% das embalagens comercializadas no Brasil foram enviadas para reciclagem ou incineração. Do total recebido pelo Sistema em 2020, 93% foram recicladas e transformadas em novas embalagens e tampas ou outros produtos, como conduítes e dutos, tubo para esgoto, drenos e conexões. O trabalho só foi possível graças a uma estrutura composta de 411 unidades de recebimento e 3,9 mil recebimentos itinerantes.

Segundo sua cultura de sustentabilidade, a Unipac defende o trabalho de conscientização dos agentes envolvidos e de toda a comunidade sobre a responsabilidade de pensar e agir de forma sustentável, com efeito direto na vida das gerações presente e futuras. “O Brasil é uma referência no recebimento de embalagens para defensivos agrícolas no mundo e o inpEV, ao promover ações socioambientais em parcerias com cooperativas, escolas, universidades, entre outros públicos, visando incentivar a conservação ambiental e o compromisso de todos com a natureza e seu ciclo sustentável, tornou-se uma referência para outros setores e é prova de que é possível fazer a logística reversa com resultados positivos”, comenta André Silvestre, Gerente de Vendas do Segmento Embalagem da Unipac.

O Grupo Jacto busca regularmente sinergias com o inpEV, com o objetivo de fomentar o recebimento e a destinação correta do maior número possível de embalagens e também afirma investir em pesquisa, desenvolvimento de processos e materiais sustentáveis, a exemplo da tecnologia em máquinas para fabricação de embalagens com resinas recicladas pós-consumo.

“Como integrante da cadeia, somos corresponsáveis pelo bom desempenho desse ciclo. Desenvolvemos produtos e processos voltados ao menor impacto ao meio ambiente e tecnologias mais limpas, a exemplo da embalagem com proteção por plasma destinadas exclusivamente ao envase de defensivos agrícolas, que é livre de solventes, sem emissão de resíduos sólidos e reduz potencialmente o aquecimento global, o que favorece a reciclagem do produto final, garantindo à empresa do agronegócio a segurança e a integridade dos defensivos agrícolas desde o envase até a sua utilização no campo”, afirma Silvestre.

Exemplo de sucesso

A logística reversa de embalagens de agroquímicos é obrigatória (Lei federal nº 9.974/00) e está inserida na Política Nacional de Resíduos Sólidos. A legislação define as atribuições de empresas e poder público no que se refere à destinação de embalagens e produtos pós-consumo, bem como suas devidas responsabilidades.

Segundo a Unipac, todos os produtos fabricados pela empresa, embalagens ou tampas, podem ser reciclados e reaproveitados na fabricação de outros tipos de produtos, conforme normas vigentes.

Com 45 anos em 2021, a Unipac atua nos segmentos automotivo, de defensivos agrícolas, logístico, entre outros. Executa seis tipos de processos de transformação em suas unidades produtivas – sopro, injeção, injeção estrutural, extrusão de chapas, termoformagem e rotomoldagem – que estão instaladas em Pompeia (matriz) e Limeira (filial), ambas em São Paulo, e nos sites de seus clientes, por meio do modelo in house, nas cidades de Regente Feijó/SP, Paulínia/SP e Maracanaú/CE. Possui em torno de 1.000 colaboradores, que atuam de forma colaborativa e participativa, em um ambiente organizacional favorável ao desenvolvimento constante.

Conta com uma área voltada à inovação e um moderno centro de pesquisa de engenharia avançada em materiais e processos e mantém uma ferramentaria para a produção de moldes para os mais variados processos de transformação. A Unipac é uma das unidades de negócio do Grupo Jacto, composto por importantes empresas que atuam nos segmentos agrícola, tecnologia de aplicação de polímeros (automotivo, embalagens e logística), transporte, equipamentos para serviços de limpeza e higienização, e soluções para a área médica. Fundado em 1948 e presente nos cinco continentes, o Grupo é 100% nacional.

Curta nossa página no

Unipac inicia fornecimento de embalagens revestidas via tecnologia de plasma à Syngenta

05/08/2021

Empresa entrega os primeiros lotes de embalagens com a tecnologia plasma, uma aplicação inédita no envase de defensivos agrícolas

A parceria estratégica que une a Unipac e a Syngenta, fabricante de soluções agroquímicas , dá mais um passo adiante com a entrega, no último mês de Maio, das primeiras embalagens de 5 e 20 litros fabricadas com a tecnologia plasma e destinadas exclusivamente ao envase de defensivos agrícolas – utilização inédita da tecnologia neste segmento no Brasil.

Segundo a fabricante das embalagens, a tecnologia atende às estratégias de sustentabilidade e competitividade da Syngenta e estão em consonância com os direcionadores estratégicos da Unipac.

“Como líderes de mercado em embalagens rígidas para defensivos agrícolas, temos de inovar, sempre com o foco do cliente, gerando propostas diferenciadas e com competitividade e sustentabilidade. Contamos com uma máquina rodando em plena capacidade para a produção das embalagens para a Syngenta, na quantidade e no prazo acordados por ambas as empresas” explica André Silvestre, Gerente de Vendas do Segmento Embalagem da Unipac. “É com muita alegria que cumprimos mais um passo no compromisso que une as nossas empresas e estamos certos do crescimento dos negócios”, completa.

As empresas possuem uma parceria que já dura mais de quatro décadas. E desde 2009, a Unipac mantém uma unidade in house dentro do parque fabril da multinacional, em Paulínia/SP, atuando na produção de embalagens para defensivos agrícolas e no fluxo logístico para abastecimento das linhas de produção.

Solução sustentável e competitiva

Conhecida como “o quarto estado da matéria”, a tecnologia de plasma permite que gases e vapores sejam excitados eletronicamente e se tornem altamente reativos, formando uma camada de barreira na parte interna das embalagens plásticas, com o objetivo de evitar a migração de solventes e a perda de ingredientes ativos.

A Unipac afirma que o processo de plasma é livre de solventes, sem emissão de resíduos sólidos favorecendo também a reciclagem do produto final. Segundo a fabricante, o uso para este tipo de aplicação é algo inédito no Brasil e favorece o caráter sustentável, se comparado a outras tecnologias de barreira convencionais, indo ao encontro dos objetivos buscados pela Unipac e Syngenta.

Os estudos sobre o uso da tecnologia plasma iniciaram-se em 2017, em conjunto pelas duas empresas, que asseguram que a solução reduz custos, melhora o controle da qualidade e traz vantagens logísticas e de segurança, favorecendo a expansão de sua utilização no Brasil e no exterior.

A Unipac detém o domínio da tecnologia de plasma e busca atender parceiros estratégicos que busquem reduzir a emissão de poluentes, em sintonia com critérios de sustentabilidade e competitividade.. A empresa afirma que as suas embalagens com proteção por plasma seguem protocolos baseados em normas internacionais de avaliação de compatibilidade com produtos químicos e em requisitos regulatórios vigentes. A tecnologia está homologada e atende às regulamentações para acondicionamento e transporte de produtos perigosos.

Completando 45 anos em 2021, a Unipac é uma indústria de transformação de polímeros atuando nos segmentos automotivo, de defensivos agrícolas, logístico, entre outros. Executa seis tipos de processos de transformação em suas unidades produtivas – sopro, injeção, injeção estrutural, extrusão de chapas, termoformagem e rotomoldagem – que estão instaladas em Pompeia (matriz) e Limeira (filial), ambas em São Paulo, e nos sites de seus clientes, por meio do modelo in house, nas cidades de Regente Feijó/SP, Paulínia/SP e Maracanaú/CE. A Unipac é uma das unidades de negócio do Grupo Jacto e possui em torno de 1.000 colaboradores. Conta com uma área voltada à inovação e um moderno centro de pesquisa de engenharia em materiais e processos. Mantém também uma ferramentaria própria para a produção de moldes para diferentes processos de transformação.

Curta nossa página no

Unipac lança embalagens inteligentes com sistema de autenticidade

17/10/2020

Primeiro mercado a ser atendido é o de defensivos agrícolas. As embalagens inteligentes confirmarão a autenticidade do produto, contribuindo positivamente com a economia formal.

A Unipac está apresentando ao mercado suas embalagens plásticas inteligentes, que fazem uso da tecnologia para comunicar as condições de um produto. A empresa atenderá, inicialmente, o segmento de defensivos agrícolas e a novidade servirá para comprovar, tanto para o fabricante como para o produtor rural e demais públicos envolvidos, que o conteúdo da embalagem é autêntico.

Desenvolvido em parceria com o CIAg – Centro de Inovação no Agronegócio (fundação sem fins lucrativos, criada e mantida pela controladora do Grupo Jacto, do qual a Unipac faz parte), o sistema fará a leitura – via aplicativo de celular – de uma tag aplicada no selo colocado na tampa da embalagem. A partir daí, todos os dados e informações disponíveis em banco de dados na nuvem para confirmar a autenticidade do produto podem ser acessados.

A identificação é feita com a tampa fechada, pois, uma vez aberta, a tag fica destruída. Quando a embalagem sai da linha de envase, um leitor de radiofrequência captura o número identificador único, presente em cada tag, e o carrega num banco de dados. Desse ponto em diante, a simples abertura da tampa permitirá a identificação da violação por meio do aplicativo.

Segundo a Unipac, dentre os principais benefícios do novo sistema estão: o combate à ilegalidade, preservação da imagem da marca, maior segurança ao produtor, aumento de market share por menor interferência de produtos adulterados e falsificados e a possibilidade de explorar outros tipos de informações pertinentes ao negócio, além de contribuir positivamente com a economia formal.

A solução proposta pela Unipac elimina subjetividades na autenticação da embalagem pelo olho humano, como ocorre no caso de selos holográficos. Além disso, impede o reenvase de produto oriundo de contrafação em embalagem original, pois serve justamente para provar se a embalagem foi ou não violada. Havendo a constatação de rompimento por meio do sistema, provavelmente o produto não é autêntico ou pode ter sido adulterado.

Segundo a empresa, outras vantagens que merecem destaque são: o sistema não afeta a reciclabilidade da embalagem e não precisa alterar a linha de envase do cliente – é necessário somente a instalação do leitor NFC após a indução dos selos, um investimento inferior, se comparado às vantagens que a solução apresenta, garante a Unipac.

Embalagens próprias e de clientes

A solução já está em teste e a previsão é que as embalagens com o sistema desenvolvido pela Unipac estejam no mercado a partir de 2021. O pré-lançamento contempla a aplicação de tags nas versões de 1 litro e de 5 litros do portfólio da Unipac. Para o próximo ano, haverá expansão para as embalagens de 20 litros e a empresa já possui iniciativas de prospecção em outros mercados potenciais.

As embalagens inteligentes da Unipac serão comercializadas por módulos de serviços, como leitura de autenticidade, relatórios de vendas, mapas de locais ondem mais ocorrem adulterações, inteligência de mercado com base em informações capturadas e recomendações de mercado. O aplicativo estará disponível para Android e, em breve, IOS, e utilizará o leitor NFC dos smartphones. Também poderá ser acessado via web.

“O ponto central das embalagens inteligentes no momento é a autenticidade, porém a Unipac pode propor outras soluções, a exemplo da rastreabilidade (leitura passiva). E há, ainda, outras frentes previstas, como uma maior interação do agricultor com o fabricante”, comenta André Silvestre, Gerente de Vendas do Segmento Embalagem da Unipac.

Um sistema necessário

De acordo com um estudo produzido em 2019, pelo Instituto de Desenvolvimento Econômico e Social das Fronteiras (IDESF), cerca de 20% dos defensivos agrícolas comercializados no Brasil são de origem ilegal. Cálculos da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (FIESP) apontam que o mercado ilegal de agroquímicos causa um prejuízo anual estimado de aproximadamente R$ 8 bilhões.

Muitos compram sem saber que o produto é ilegal e as adulterações podem ocorrer em diversas etapas: onde é comercializado, durante o transporte ou quando chega ao local de aplicação. “Com esse sistema que estamos propondo, cada selo de indução terá um RG único. Então, se houver violação da embalagem e a inclusão de um novo selo, este não coincidirá com as informações existentes na base de dados e vai acusar que o conteúdo não é autêntico. Com isso, queremos ajudar o mercado a reduzir a contrafação. Essa solução vai muito além de vender um serviço ou uma embalagem inteligente. Ela não só vai contribuir com a redução de algo que é impactante para o mercado de defensivos agrícolas, como também promover ainda mais a interação entre o fabricante e o agricultor” finaliza Silvestre.

Com 44 anos de existência em 2020 e contando com mais de 1.000 colaboradores, a Unipac fornece produtos para empresas nacionais e internacionais que atuam nos segmentos automotivo, de defensivos agrícolas, logístico, entre outros. Executa seis tipos de processos de transformação em suas unidades produtivas – sopro, injeção, injeção estrutural, extrusão de chapas, termoformagem e rotomoldagem – que estão instaladas em Pompeia (matriz) e Limeira (filial), ambas em São Paulo, e nos sites de seus clientes, por meio do modelo in house, nas cidades de Regente Feijó/SP, Paulínia/SP e Maracanaú/CE. A Unipac é uma das unidades de negócio do Grupo Jacto, composto por empresas que atuam nos segmentos agrícola, tecnologia de aplicação de polímeros (automotivo, embalagens e logística), transporte, equipamentos para serviços de limpeza e higienização, além de soluções para a área médica.

Curta nossa página no

Unipac oferece linha de embalagens para o segmento de defensivos agrícolas

16/08/2020

O armazenamento e transporte de defensivos agrícolas exige soluções que proporcionem maior robustez e segurança. Segundo a Unipac, suas embalagens para defensivos agrícolas são desenvolvidas com o objetivo de garantir a segurança necessária, além da integridade dos produtos, desde o envase até a sua utilização no campo. A empresa afirma que dá suporte aos times de desenvolvimento de seus clientes, desde a concepção da embalagem, com design adequado à aplicação, até a adaptação do produto para cada linha de envase, além de alocar recursos para definir o melhor tipo de material, a estrutura mecânica e a gramatura de embalagem, com foco na relação custo-benefício.

Embalagens recicláveis e mais leves

Em busca da sustentabilidade, a Unipac investiu na construção de um portfólio com opções de embalagens – para as diferentes classes de defensivos – que podem ser recicladas, contribuindo para o aumento do índice de reciclagem dentro do processo de logística reversa estabelecido pelo inpEV (Instituto Nacional de Processamento de Embalagens Vazias). A empresa também tem outras iniciativas em andamento e produz embalagens com resina reciclada resina pós-consumo (PCR).

As embalagens da Unipac estão disponíveis tanto com tecnologia monocamada (utilizadas nas classes de produto à base de água) como com tecnologia de barreira (para uso nas classes de produtos à base de solvente químico) – neste caso, disponíveis nas versões Coex (revestimento interno com EVOH -Álcool etileno vinílico – ou Nylon), Fluoretação (barreira por meio de tratamento químico à base de flúor) e Nanocompósitos (utilização de nanopartículas atuando como barreira, impedindo a permeabilidade de gases).

O portfólio completo de produtos inclui desde frascos de 250 ml até embalagens de 20 litros, além de tampas autolacráveis, que permitem maior segurança ao produto acondicionado durante o fluxo logístico. A empresa tem capacidade para projetar conjuntos completos – embalagem e tampa – dentro nas normas vigentes no Brasil e no mundo. Recentemente, a empresa conquistou a homologação da embalagem de 20 litros monocamada mais leve do mercado brasileiro, graças à redução de 13% do peso frente à referência de mercado.

A Unipac, que é uma empresa do grupo Jacto, também tem experiência como fornecedora in house desde a década de 1990. “Apresentamos propostas de valor competitivas e inovadoras, suportadas pela busca da excelência operacional e pelos constantes investimentos que temos realizado, como a aquisição de sopradoras de última geração e demais tecnologias no processo produtivo, que trazem confiabilidade e diferenciação aos clientes com os quais temos alianças estratégicas”, comenta André Silvestre, Gerente de Vendas do Segmento Embalagem da Unipac.

Curta nossa página no

Unipac oferece caixas colapsáveis personalizadas para logística

11/08/2020

A linha Caixa Móbil de embalagens plásticas colapsáveis desenvolvida pela Unipac inclui uma extensa oferta de tipos e tamanhos de caixas que podem ser customizadas conforme cada projeto logístico.

As caixas são fabricadas pelo processo de injeção estrutural e, segundo a empresa, são mais leves, robustas e estruturadas do que os modelos convencionais. Estas características as tornam indicadas como substitutas de outras formas de acondicionamento, favorecendo a integridade dos produtos armazenados, com baixa necessidade de manutenção, além de serem sustentáveis, afirma a empresa.

De acordo com Rafael Brilhante, gerente de vendas do segmento de logística da Unipac, as características da Caixa Móbil proporcionam maior flexibilidade dentro das áreas de movimentação e armazenagem. “As mudanças culturais, econômicas e produtivas direcionam para uma tendência de personalização, seja para o desenvolvimento de soluções mais completas, redução de custos ou ganho de produtividade”, afirma.

Menos peso e mais segurança

De acordo com o fabricante, a Caixa Móbil pode ser customizada para aplicações que exijam máxima resistência quanto à capacidade de carga, podendo ser utilizadas no transporte de peças fundidas, forjadas e estampadas, entre outros, tanto para produtos de alta como de baixa densidade. Além das portas laterais, as caixas possuem entrada para garfos de empilhadeira e para carrinhos hidráulicos e acessórios, como rodízio, cinta de fixação, cantoneiras, tampa e reforços metálicos. A Unipac afirma que os modelos são de fácil limpeza e higienização, possuem longa durabilidade e, no fim da vida útil, podem ser recicladas.

A empresa garante que a Caixa Móbil é versátil e apresenta vantagens como menor peso, redução de acidentes de trabalho, introdução de divisórias complementares – que podem dar mais proteção aos produtos durante o transporte – e maior resistência, sem a ocorrência de ferrugem ou riscos. De acordo com a Unipac, essas características promovem mais competitividade e produtividade para diversos setores produtivos e comerciais e permitem substituir outras formas de acondicionamento, entre as quais contêineres metálicos que não são colapsáveis, não possuem tampa e, por isso, podem enferrujar ou danificar peças durante o transporte.

O desenvolvimento da linha Caixa Móbil colapsável é fruto de estudos de mercado, do entendimento das necessidades e especificações das atividades logísticas de diversos setores e da flexibilidade das linhas de produção da Unipac. “Procuramos ouvir e entender os clientes para oferecer produtos que agregam valor aos diversos ambientes de movimentação e armazenamento, facilitando e tornando a logística mais segura, com a melhor relação custo-benefício”, informa Rafael Brilhante.

A Unipac é uma empresa de transformação de polímeros pertencente ao Grupo Jacto.

Curta nossa página no

Unipac inaugura fábrica em Limeira

22/04/2015

Empresa investe na aquisição de prédio próprio e migra operações para assegurar capacidade de expansão

Unipac_1A Unipac, importante empresa industrial do segmento de transformação plástica, inaugurou oficialmente sua nova fábrica em Limeira (SP). A necessidade de ampliar a capacidade de produção de embalagens plásticas – utilizadas nos segmentos agrícola, químico, alimentício, entre outros – e de modernizar suas atividades, motivou a empresa a migrar todas as operações até então realizadas na filial de Santa Bárbara D´Oeste (SP), que encerrou seu ciclo.

O novo prédio abriga, desde 1º de janeiro de 2015, a fabricação de embalagens plásticas de 250 ml a 20 litros e de tampas para o mesmo segmento. Os investimentos na unidade incluíram a compra de maquinaria de última geração.

De acordo com Marcos Ribeiro, presidente da Unipac, a iniciativa se mostrou acertada para assegurar a expansão da empresa, abrindo claras perspectivas futuras. “O mercado nacional tem um amplo e diversificado potencial para embalagens, incluindo um dos nossos principais negócios da unidade de Limeira, o de embalagens plásticas rígidas para o segmento de agroquímicos, que vem crescendo em torno de 4% ao ano e que é impulsionado, principalmente, pela demanda mundial por alimentos, a qual movimenta o setor agrícola brasileiro. Os investimentos que fizemos nos permitirão manter nosso incremento na casa dos 20% ao ano”.

Tudo em um único lugar

Localizada às margens da Rodovia Engenheiro João Tosello (SP-147), no Km 103, em Limeira (SP), a nova planta da Unipac, com 23 mil m² de área construída e terreno de 57 mil m², comporta toda a área fabril oriunda de Santa Barbara D’Oeste, além dos estoques de embalagem, anteriormente alocados em operadores logísticos terceirizados. Na atual configuração, foi possível concentrar, em um único lugar, as operações de fabricação e armazenagem.

A escolha do local foi motivada, principalmente, pela proximidade com Santa Bárbara D´Oeste, a fim de manter o quadro de funcionários – cerca de 100 empregados diretos e 30  indiretos. Outros fatores que contribuíram para a definição foram o fato de Limeira estar numa região industrial forte, com mão de obra qualificada para apoiar o crescimento futuro da empresa, e a questão logística pelo fácil acesso, próximo a outras importantes rodovias.

“Em fevereiro de 2014, oficializamos a compra do prédio em Limeira. Precisávamos de um local maior que pudesse acomodar não apenas todas as atividades de embalagens, mas também nossa expansão. Por outro lado, tínhamos outra importante questão: queríamos manter nossos funcionários. Para tanto, procuramos lugares em cidades num raio de até 50 quilômetros de distância de Santa Bárbara D´Oeste. Deu certo e, hoje, o pessoal que permaneceu na empresa tem à disposição um ônibus fretado para ir ao trabalho”, explica Ribeiro.

Nova fábrica, mesmas exigências

Todas as práticas que dizem respeito à questão ambiental e que já são aplicadas nas outras unidades da empresa, permanecem também na fábrica de Limeira. Consideradas desde o inicio das atividades de adequação da nova planta, tais exigências, como controles e redução dos materiais e dos resíduos gerados, do consumo de água e energia, entre outras, já funcionam a pleno vapor. A planta utiliza novos sistemas de abastecimento: na fábrica, para reduzir as perdas de água e de resinas, as máquinas permitem controle e qualidade do processo de suprimento.

Recentemente, a unidade passou por auditoria do organismo de certificação de produto ABRACE e foi recomendada a obter a concessão da autorização para uso do Selo de Identificação da Conformidade, de acordo com os regulamentos de avaliação para embalagens utilizadas no transporte terrestre de produtos perigosos (Portaria INMETRO 326:2006).

Cliente da Unipac com unidade fabril in-house, a Syngenta também auditou e certificou a nova planta quanto à aderência aos padrões voltados à saúde, à segurança e ao meio ambiente. E estão previstas para junho e julho deste ano, respectivamente, as obtenções das certificações ISO 9001:08 e ISO 14001. Desta forma, o Sistema de Gestão da Qualidade da filial Limeira ficará integrado com a certificação de todas as outras unidades da Unipac.

Fundada em 1976, a Unipac conta com cerca de 900 funcionários e parques industriais instalados em quatro unidades no Estado de São Paulo – Pompeia (matriz), Limeira (filial), Regente Feijó e Paulínia (unidades in-house, ou seja, na sede de seus clientes). É considerada uma das indústrias de transformação de plásticos mais completas do país. A Unipac executa oito tipos de processos de transformação em seu parque fabril: sopro, injeção, injeção estrutural, extrusão de chapas, termoformagem, rotomoldagem, borracha e cerâmica. Essa variedade de processos possibilita a produção de soluções inovadoras e permite à Unipac atender aos seguintes mercados:

  • Automotivo: tanques para acondicionamento de diesel e Arla 32, com sistema integrado de nível, sucção, retorno e temperatura, além de sistemas de fixação e tampas – específicos para montadoras de caminhões e ônibus; e peças técnicas para diversas aplicações. Atende também o mercado de reposição; e acessórios para pick-ups, destinados ao setor de autopeças.
  • Agroquímico, Químico e Alimentício: embalagens monocamadas e multicamadas, além de tampas para as principais indústrias destes setores.
  • Agropecuário e Laticínios: produtos que auxiliam na ordenha e transporte do leite, além de outras soluções adequadas para o homem do campo.
  • Logístico: caixas colapsíveis e retornáveis, paletes, além de serviços de locação, higienização e manutenção para indústrias diversas.
  • Mercados diversos: peças técnicas produzidas de plástico, borracha ou cerâmica, para aplicações diversas.

Um moderno centro de pesquisa de engenharia em materiais e processos, a parceria com outros Centros de Pesquisas, incluindo o da Máquinas Agrícola Jacto e a sinergia entre as áreas da empresa e clientes  possibilita que a Unipac antecipe-se às tendências de mercado, sugerindo soluções inovadoras.

A Unipac faz parte de um grupo empresarial 100% nacional, fundado em 1948, composto por importantes empresas que atuam em vários segmentos: Jacto Agrícola, JactoClean, Rodojacto, Ferramentaria Jacto, Fundição Jacto, Veículos Jacto, Mizumo e Sintegra Surgical Sciencies.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Unipac

Curta nossa página no

Unipac desenvolve embalagem de 10 Litros autoempilhável

27/10/2011

A novidade está em conformidade com a norma UN e oferece melhor empilhamento na atividade logística, devido ao seu formato e geometria

Atenta às demandas de mercado, a Unipac, uma divisão de negócios do Grupo Jacto, lança a embalagem de 10 litros autoempilhável, que é indicada para o armazenamento e transporte de produtos líquidos da área de alimentos ou de substâncias químicas, agroquímicas, entre outras que requerem homologação de acordo com as exigências da Norma UN – que classifica as embalagens e contentores para o transporte de produtos perigosos via marítima e terrestre.

A embalagem de 10 litros autoempilhável da Unipac tem um design planejado e seu formato e geometria proporcionam excelentes ganhos no processo de logística. Ela facilita o acondicionamento direto no palete e reduz o espaço necessário para o armazenamento, pois permite o empilhamento de até quatro bombonas (1+3), dependendo do peso e densidade do produto a ser envasado – e sem a necessidade de outros meios como, por exemplo, caixas de papelão. Com esta configuração de empilhamento, é possível dispor até 100 bombonas em paletes de 1,00 x 1,2 metro.

Nesse projeto, a Unipac seguiu o formato de outras embalagens já desenvolvidas pela empresa, que possuem a alça esmagada na mesma altura do bocal. Isso reduz o peso da embalagem e confere melhoria significativa nas linhas de envase, além de evitar que os produtos circulem pela mesma durante o transporte.

A Unipac optou pelo desenvolvimento da embalagem após constatar que a solução atenderia diversos segmentos, trazendo redução de custos e vantagens às empresas que adotam as bombonas autoempilháveis em substituição às embalagens atuais, que requerem outros insumos para o transporte adequado, tais como caixa de papelão, fitas adesivas e mão de obra para montagem, além de investimentos por parte do cliente para homologação do conjunto – no caso da bombona de 10 litros autoempilhável, a Unipac se responsabiliza pela sua homologação.

“Fizemos pesquisas e, a partir dos resultados, projetamos um modelo que confere um ótimo desempenho técnico e econômico aos nossos clientes”, informa Vailton Carlos Bonfim, gerente comercial da Unipac. O executivo lembra que esse lançamento aumenta o portfólio de produtos da Unidade de Negócios de Embalagem da empresa, composta por itens com vários formatos, tamanhos e tampas, todas homologadas de acordo com suas respectivas normas e prontas para atender às mais diversas necessidades dos clientes.

 Testes confirmam qualidade da embalagem

A embalagem de 10 litros autoempilhável da Unipac é fabricada em polietileno de alta densidade (PEAD), pelo processo de sopro, e foi aprovada em todos os testes de homologação para transportes de produtos perigosos via terrestre, conforme a Resolução 420/04, da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), entre eles: resistência à queda (-18 °C), verificação de estanqueidade, teste de pressão hidráulica e empilhamento.

Em seguida, os Organismos de Certificação de Produto (OCP), credenciados pelo Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Inmetro), certificaram a embalagem para o envase de produtos classificados nos grupos de risco II e III e com densidade de até 1,4 g/cm3. Paralelamente, foram realizados no laboratório próprio da Unipac – além dos já citados -, os testes de stress cracking (análise de falha sob tensão – envelhecimento da embalagem) e de envase – este realizado em conjunto com clientes interessados em adquirir a embalagem.

Como parte de seu propósito de prover soluções inovadoras e de manter a qualidade em todas as suas etapas e processos, a Unipac possui um moderno laboratório de ensaios, como equipamentos de alta tecnologia, que fica na sede da empresa, em Pompeia (SP). Nele, é possível desenvolver, transformar e testar cada produto, de acordo com as especificações das normas técnicas vigentes, trazendo ainda mais garantia e confiabilidade aos produtos da marca Unipac.

Para a embalagem de 10 litros autoempilhável, a Unipac possui uma linha de tampas que se diferencia pela segurança contra violação, abertura involuntária ou vazamentos e, ao mesmo tempo em que garante total eficiência no fechamento, proporcionando facilidade de abertura pelo usuário final, além de contribuir com o meio ambiente, pois sem comprometer qualquer característica técnica, tem menor peso frente às tampas de mercado, gerando assim menor quantidade de resíduos sólidos.

 Fonte: Unipac

Unipac apresenta reservatório plástico para obra limpa na feira Construir Minas

13/09/2011

A empresa marcou presença na feira Construir Minas, destacando as vantagens do uso do Pramassa, um reservatório plástico para o preparo de massas de concreto, rebocos e argamassas, desenvolvido para evitar o desperdício de material na obra

A Unipac, uma divisão de negócios do Grupo Jacto  participou da Construir Minas 2011 – Feira Internacional da Construção –  realizada entre os dias 7 e 10 de setembro, no Expominas, em Belo Horizonte (MG).

 No evento, a empresa destacou o Pramassa, um reservatório plástico para o preparo de massas de concreto, rebocos, argamassas, etc. Além de evitar desperdícios de materiais, esse produto contribui para a preservação da limpeza de cidades e municípios, pois evita a utilização da rua ou da calçada para o preparo destas misturas, que pode até gerar multa ao infrator, seja ele proprietário ou responsável pela obra.

 O Pramassa é produzido a partir de polietileno de alta densidade (PEAD), material que proporciona maior resistência e menor peso ao produto, permitindo grande facilidade de manuseio. Suas dimensões são de 2m x 1m x 0,25m, com volume total de 380 litros.

 “Nossas expectativas para o evento são positivas, o que deve favorecer o contato com clientes, a oportunidade de novos negócios e o fortalecimento da marca, que é reconhecida por gerar soluções inteligentes, como o Pramassa, que beneficia o mercado de construção civil, principalmente as empresas que prezam por uma obra limpa e sem desperdícios”, explica Vailton Carlos Bonfim, gerente comercial da Unipac.

Fonte: Unipac