Posts Tagged ‘TOMRA Sorting Recycling’

Planta de tratamento de resíduos sólidos da ilha de Maiorca, na Espanha, implanta novos equipamentos de recuperação de plásticos da Tomra

12/12/2017

Tirme reestrutura a sua planta de triagem de coleta seletiva, através de Stadler, e incorpora quatro Autosorts da Tomra Sorting Recycling

Tirme, o Parque de Tecnologias Ambientais de Maiorca, na Espanha, responsável pelo tratamento de resíduos sólidos urbanos na ilha, voltou a confiar na Tomra. A empresa implantou uma das primeiras plantas de triagem automáticas da Espanha e já possui equipamentos da marca desde 2002. Agora, ela atualizou a sua planta de reciclagem de embalagens, incorporando quatro unidades Autosort da Tomra Sorting Recycling, que se somam às existentes. Este sistema de classificação multifuncional é capaz de recuperar uma ampla gama de materiais recicláveis.

O projeto foi realizado pela Stadler, uma das empresas com maior experiência no segmento de instalações de triagem e tratamento de resíduos sólidos. “Os quatro novos Autosorts vieram para substituir equipamentos obsoletos, também da Tomra, após 14 anos de operação. Com a sua implementação ao processo, foi possível melhorar o desempenho e a qualidade do material selecionado, aumentar a eficiência e obter maior rentabilidade para a planta”, diz Luis Sánchez Vela, diretor da Stadler Espanha.

O primeiro dos Autosorts, com uma largura de 1000 mm, está configurado para polietileno de alta densidade (PEAD); os outros três, 600 mm de largura, para Tetrapak, plástico misto e recirculação, respectivamente. Esta recirculação no final do processo, destaca-se como a principal novidade desta reforma. Através do último Autosort, os materiais recicláveis são reprocessados, aumentando assim o índice de recuperação final.

Mas, além de incorporar novos equipamentos, eles também conseguiram aproveitar os recursos existentes, deslocando as unidades em diferentes pontos da planta. “O antigo Monosort foi deixado na fábrica para períodos de picos temporários e algumas unidades foram para recuperação de PET”, explica Luis Sánchez.

Do mesmo modo, um antigo Polisort de largura 2000 mm (originalmente utilizado para a fração plástico misto e tetrapak) foi reconfigurado para a seleção de PET, uma vez que é um dos materiais mais abundantes por ser usado na maioria das garrafas de bebidas.

Planta mais eficiente

“Desde 2002, a composição da coleta seletiva, tanto nos seus materiais como em densidade, variaram muito. Precisávamos, portanto, de uma melhoria do processo. Stadler nos deu a solução com o novo Autosort da Tomra Sorting Recycling. Com esta aquisição, fizemos uma nova distribuição de fluxos de materiais muito mais produtiva”, diz Simón Gili (foto abaixo), da Área de Engenharia e Desenvolvimento da Tirme.

“Com o Autosort melhoramos muito a recuperação de materiais valiosos e com isso a rentabilidade da planta melhorou bastante. Estamos muito satisfeitos. Os quatro novos sistemas foram instalados na parte final da seleção e estão funcionando muito bem”, acrescenta.

“Nós conhecemos essa tecnologia desde 2002, porque antes da reforma tivemos as quatro unidades Monosort e uma Polisort, mas, obviamente, a tecnologia avançou muito desde então. Com a modificação na planta, obtivemos claramente uma melhor eficiência. Na verdade, esperamos uma capacidade anual de 20.600 toneladas por ano de resíduos de coleta seletiva com essa taxa de trabalho e com a estrutura atual”, diz Simón Gili.

Máquina versátil e flexível

O Autosort baseia-se nos sensores de infravermelho próximo (NIR) e Espectrometria Visível (VIS). O primeiro reconhece os materiais pelas propriedades espectrais específicas; o segundo, todas as cores do espectro visível. A combinação desses sensores permite formar um sistema modular capaz de realizar desde as classificações básicas até as mais complexas, permitindo a separação por material e por cor, simultaneamente.

Graças a esses atributos, a Tirme conseguiu atualizar sua planta de triagem de resíduos de coleta seletiva, incorporando sistemas com tecnologia avançada. Além disso, segundo a Tomra, os sistemas são robustos e apresentam facilidade de manutenção.

“Estes novos equipamentos são muito mais versáteis do que o antigo Monosort, o qual só pode classificar um único tipo de material predefinido de fábrica. Dependendo das necessidades do momento ou do material que entra na planta, os novos modelos oferecem mais opções de configuração, podendo mudar a tarefa de classificação a qualquer momento “, diz Simón Gili.

Ser capaz de mudar a configuração dos sistemas é estratégico para uma planta que, como Tirme, está em um destino de férias como Maiorca. “Nós já reconfiguramos duas frações Autosort de PEAD para plástico misto, trocando o produto a ser selecionado. O resíduo varia de acordo com o fluxo turístico de Maiorca e a estação do ano. Sem dúvida, a flexibilidade da tecnologia da Tomra é um importante valor agregado”.

Uma colaboração produtiva

Em relação à execução do trabalho realizado, Simón Gili  aprecia positivamente o trabalho da Stadler, confirmando que a empresa “fez um importante esforço de coordenação para efetuar as alterações da instalação em apenas um mês, aproveitando uma paralisação de manutenção programada da planta”.

Na verdade, a planta prevê a próxima instalação de uma Unidade de Controle Central (CCU) da Tomra Sorting Recycling para monitorar remotamente todas as unidades Autosorts da planta e obter dados em tempo real sobre a seleção de materiais em cada um dos equipamentos operacionais da Tomra.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Tomra

Curta nossa página no

Anúncios

Tomra Sorting Recycling organiza Conferência Global sobre reciclagem e gerenciamento de resíduos

24/10/2017

Evento de dois dias reuniu especialistas da indústria, clientes e mídia para examinar ideias para o futuro e tecnologias inovadoras para hoje.

A Tomra Sorting Recycling realizou uma conferência global nos dias 10 e 11 de outubro para compartilhar informações dos principais especialistas em reciclagem e gerenciamento de resíduos e demonstrar os avanços da empresa em máquinas de separação baseadas em sensores. Sob o tema “Perspectivas Futuras na Reciclagem”, o evento de dois dias na Alemanha contou com uma série de apresentações e discussões em grupo no Centro de Congressos Rhein-Mosel, em Koblenz, e demonstrações técnicas no Centro de Testes da Tomra na sede europeia na mesma cidade. Entre os participantes, destaque para a presença internacional de líderes da indústria, representantes empresariais e membros da mídia especializada.

Tom Eng, vice-presidente sênior e líder da Tomra Sorting Solutions, Recycling, comentou: “Ao reunir alguns dos especialistas mundiais com mais conhecimento em reciclagem e gerenciamento de resíduos, esta conferência estimulou uma fantástica troca de ideias. Os participantes trocaram novos conhecimentos sobre toda a indústria, desde idéias ambientais até práticas técnicas. Estamos muito satisfeitos por ter recebido tanto feedback positivo, com muitos participantes nos dizendo que acharam o evento informativo e inspirador. É emocionante que todos nós estejamos no cerne de uma indústria em direção a um futuro inovador e ambientalmente importante”.

Um destaque popular do congresso foi a série de apresentações e sessões de perguntas e respostas centradas na economia circular – de particular interesse em um momento em que a responsabilidade ambiental das marcas de varejo está tendo uma influência crescente nas decisões de compra dos consumidores. George Kremlis, da Direção Geral de Meio Ambiente da Comissão Européia, fez uma apresentação sobre um plano de ação da União Européia para a economia circular; Helga Vanthournout, Especialista Sênior do McKinsey Center for Business and Environment, falou sobre os impactos da economia circular nos negócios; e Tom Eng compartilhou reflexões sobre a prontidão para a economia circular.

Os visitantes do Congresso também tiveram a oportunidade de ver duas inovações técnicas em ação no Centro de Testes da Tomra: o novo Autosort Laser, que possibilita a separação de vidro fino, grosso ou opaco de resíduos sólidos urbanos (MSW), para ajudar a reduzir os custos de aterro sanitário e criar receitas adicionais através da recuperação de produtos comercializáveis; os participantes também receberam uma prévia exclusiva do Autosort Black , a primeira máquina capaz de classificar materiais de embalagem de plástico preto, o que ajudará a atender as metas de triagem e reciclagem cada vez mais apertadas. O Autosort Black será trazido ao mercado no início de 2018.

As apresentações e discussões sobre as questões principais da economia circular contaram com a participação de todos os delegados da conferência. Além disso, os visitantes também se separaram em dois grupos – um com foco em resíduos sólidos urbanos e outro com foco em metais – para participar de demonstrações no que se refere aos desafios futuros que enfrentam seus segmentos particulares. (O nome de todos os palestrantes pode ser encontrados no final deste artigo.)

Novas soluções para separar vidro e embalagens de plásticos preto de Resíduos Sólidos Urbanos

Uma das duas inovações técnicas mais importantes demonstradas no Centro de Testes da Tomra foi o Autosort Laser, que é uma máquina de separação baseada em sensores, utilizando a tecnologia laser. Aos visitantes do congresso foi demonstrado como a tecnologia de separação por infravermelho (NIR) do Autosort Laser garante a estabilidade de classificação e permite separar vidro de polímeros transparentes, que são cada vez mais usados em itens como seringas, isqueiros e garrafas para bebês e cosméticos.

A outra inovação técnica significativa foi o uso combinado das máquinas Autosort e Autosort Black , que possibilita a recuperação de valiosos polímeros pretos dos materiais de embalagem. Enquanto a tecnologia de classificação baseada em sensor na detecção NIR é incapaz de detectar ou diferenciar entre plásticos pretos, o classificador de plástico preto pode separar polímeros diferentes, como PE, PP, PET e PS pretos. Para habilitar este processo, a máquina Autosort primeiro recupera os materiais plásticos pretos, que normalmente são parte dos fluxos de resíduos, para criar um fluxo único preto, sendo seguida do Autosort Black .

Uma outra máquina de reciclagem de plásticos, o Autosort Flake, também foi demonstrada no Centro de Testes. Ao combinar a detecção de cores e informações de material aprimoradas para classificar por cor e material ao mesmo tempo, novos padrões de classificação de alta precisão foram trazidos para um mercado que exige cada vez mais saídas de alta qualidade com plásticos rPET (tereftalato de polietileno reciclado). O Autosort Flake, como o Autosort Laser, contempla a tecnologia patenteada Flying Beam da Tomra, combinada com a tecnologia Fourline, que possui o NIR de maior resolução (perto de 1mm) disponível no mercado de classificação.

Aumentar a rentabilidade da classificação de metais

Olhando para a classificação de metais, as demonstrações das máquinas X-Tract e Combisense ilustram como a combinação das tecnologias baseadas em sensores tornam a triagem mais lucrativa, agregando valor na zorba (sucata não ferrosa triturada). Ao processar a zorba em um equipamento de transmissão de raios X, separando o alumínio dos metais pesados, o X-Tract funciona com uma precisão tão alta que pode atingir purezas de alumínio de 98-99%, afirma a Tomra Dos metais pesados remanescentes, a Combisense, em seguida, separa fragmentos valiosos de cobre, latão e metais cinzentos.

Em outra demonstração no Centro de Testes, a Tomra explicou sua tecnologia de separação LIBS (espectroscopia de degradação induzida por laser). Ao empregar um laser que pode monitorar toda a largura da esteira, tem-se a vantagem de eliminar a complexa e dispendiosa necessidade de separar os materiais em pistas simples. Isso permite a triagem e separação de diferentes ligas de alumínio com níveis de eficiência altos e sem precedentes, conseguindo precisões de classificação de 99% de pureza (ou maior) com alta capacidade de processamento, de três a sete toneladas por hora, assegura a Tomra

O serviço é igualmente importante

Para atingir os objetivos de sustentabilidade, a economia circular dependerá não só de máquinas de reciclagem ultra eficientes, mas também de empresas e pessoas que as produzam e as mantenham. Este foi o tema de uma apresentação de Peter Geisler, Diretor de Serviço Reciclagem, intitulado “Minimizar tempos de inatividade e maximizando o lucro – é tudo sobre serviço”. O reconhecimento da importância do suporte ao cliente é demonstrado através do Tomra Care, um pacote abrangente de serviços que cobre consultoria de processos, testes de sistema, financiamento, seguros, treinamento de pessoal e atualizações.

Painel de Palestrantes:

Nas sessões de discussões sobre resíduos:
• Antonio Furfari, Diretor Geral da Plastics Recyclers Europe, fez uma apresentação sobre Plásticos na Economia Circular
• Kjell Fredriksen, Consultor Senior da Mepex Consulting, refletiu sobre o Futuro da Triagem de Resíduos Sólidos Urbanos (RSU)
• Jürgen Priesters, Diretor de Desenvolvimento de Negócios da Tomra Sorting, falou sobre a Importância da Qualidade da Separação dos Plásticos para Reciclagem, Tecnologia, Matéria-prima e Custos
• Laszlo Szekely, Engenheiro de Desenvolvimento de Negócios da Tomra Sorting, falou sobre Separação de Vidro proveniente de RSU

Sessão paralelas na discussão dos metais:
• Maarten Labberton, Diretor do Grupo de Embalagens no European Aluminium, observou os Desafios e Potenciais da Reciclagem de Embalagens de Alumínio
• Prof. Geoff Scamans, Chief Scientific Officer at Innoval Technology, explicou como a Reciclagem é o Futuro para o Alumínio em Carros
• Richard Barrett, Editor da Metal Bulletin Magazine, foi o moderador do painel de discussões sobre os Futuros Desafios para a Reciclagem de Metais
• Frank van de Winkel, Responsável da Tomra Sorting BD, fez palestra sobre a classificação automática da produção de alumínio com a tecnologia LIBS
• Tom Jansen, Responsável de Vendas da Tomra Sorting Sales Manager, falou sobre as últimas tendências no que diz respeito a tecnologias ELV
• Brian Gist, Diretor Global de Venda em Metais da Tomra Sorting, concluiu as sessões com o resumo dos principais temas abordados

A Tomra Sorting Recycling projeta e fabrica tecnologias de seleção por sensores para a indústria global de reciclagem e gestão de resíduos. Mais de 4.900 sistemas foram instalados em 50 países em todo o mundo.  Responsável pelo desenvolvimento do primeiro sensor infravermelho de alta capacidade (NIR) do mundo para aplicações de triagem de resíduos, a Tomra Sorting Recycling continua se dedicando à recuperação de frações de alta pureza de fluxos de resíduos. A Tomra Sorting é de propriedade da empresa norueguesa Tomra Systems ASA, fundada em 1972, com  um volume de negócios de cerca de € 750m , atualmente empregando mais de 3.500 pessoas.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Tomra

Curta nossa página no

Novo equipamento da Tomra utiliza tecnologia a laser para separar vidros de polímeros em resíduos domiciliares e comerciais

25/09/2017

  • Tomra Sorting Recycling lança Autosort Laser
  • Tecnologia reduz resíduos a serem descartados em aterros

A Tomra Sorting Recycling anunciou o lançamento de uma máquina de separação por sensores baseada em tecnologia laser. Segundo a empresa, o seu Autosort Laser (www.Tomra-autosort-laser.com) permite a seleção de vidro, cerâmica, pedras, metais e plásticos de resíduos domiciliares e comerciais. As suas capacidades permitem que as plantas de recuperação de materiais possam reaver ainda mais resíduos e, portanto, reduzir o volume de material que seguirá para os aterros, reduzindo significativamente os custos de descarte, afirma a empresa. Além disso, o Autosort Laser ajuda a criar receitas adicionais através da recuperação de produtos com valor comercial.

A tecnologia de separação a laser é baseada no sistema de infravermelhos (NIR) e na série fléxível do Autosort da Tomra, um separador com mais de 4.000 unidades instaladas em todo o mundo. A Tomra afirma que o seu Autosort Laser oferece uma combinação de sensores capazes de detectar simultaneamente mais propriedades da corrente de resíduos no mesmo ponto, selecionando, portanto, as frações de material de forma mais eficiente. Ao contrário de tecnologias concorrentes, o Autosort Laser se diferencia por separar o vidro – fino, grosso ou opaco – de resíduos sólidos urbanos.

Uma das primeiras empresas a usar o Autosort Laser é a Remondis GmbH, na Alemanha. Harry Amann, gerente da planta, comentou sobre a instalação: “Estamos muito orgulhosos por ter o primeiro Autosort Laser instalado em nossa fábrica em Erftstadt, na Renânia. Uma grande redução de custos e uma excelente qualidade de produto na saída simplificaram o processo da nossa planta. Não preciso dizer que esperamos um retorno rápido neste projeto”.

Segundo a Tomra, o Autosort Laser possui um sistema de plano de fundo independente que garante a estabilidade de classificação e permite separar o vidro fino, grosso ou opaco em relação a polímeros transparentes, cada vez mais utilizados em itens como injeções, isqueiros, garrafas para bebês ou cosméticos. A série Autosort apresenta uma tecnologia patenteada Flying Beam e Fourline para alta velocidade e precisão, afirma a empresa. Com a interface de usuário padrão da Tomra, os operadores podem selecionar facilmente uma variedade de programas de seleção em sua tela sensível ao toque, enquanto o recurso de calibração contínua permite o monitoramento e otimização em tempo real, assegura a Tomra. O Autosort Laser pode ser facilmente integrado em função do design compacto.

O grupo Tomra tem a tecnologia laser em seu portfólio de sistemas de separação desde 1997. Como um método de identificação globalmente estabelecido, a tecnologia de seleção própria da Tomra foi especialmente adaptada e desenvolvida para as necessidades exclusivas da indústria de reciclagem.

Peter Mentenich, gerente sênior de produtos da Tomra Sorting Recycling comentou: “Estou muito satisfeito por ver as primeiras instalações bem-sucedidas e o lançamento do Autosort Laser em nosso portfólio de produtos. Ele garante uma maior rentabilidade para nossos clientes e ajuda a reduzir significativamente a quantidade de material que vai para aterros sanitários. Um bom exemplo novamente de que a sustentabilidade e os negócios não são mutuamente exclusivos – ambos podem ser alcançados com tecnologia inovadora de gerenciamento de resíduos e reciclagem”.

A Tomra Sorting Recycling desenvolve e fabrica tecnologias de separação baseada em sensores para a indústria global de reciclagem e gestão de resíduos, tendo sido responsável pelo desenvolvimento do primeiro sensor de infravermelho próximo para aplicações de separação de resíduos.  A Tomra Sorting é afiliada da empresa norueguesa Tomra Systems ASA com capital aberto na Bolsa de Oslo. Fundada em 1972, a Tomra Systems ASA tem faturamento de cerca de 650 milhões de euros e emprega mais de 2.600 pessoas.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Tomra Sorting Recycling

Curta nossa página no

Planta francesa Suez Regene Atlantique otimiza qualidade de flakes de PET reciclado após modernização

20/02/2017

tomra-plant-regene

Suez Regene Atlantique é uma planta francesa (foto) controlada pelo grupo Suez, especializada na recuperação e reciclagem de garrafas de PET. Em 2013, a empresa fez um investimento estratégico significativo na modernização e melhoria do processo de seleção ótica para a reciclagem de garrafas. Esta atualização ocorreu pela aquisição de novos equipamentos avançados de separação. Como parte deste processo, a Suez Regene Atlantique recebeu quatro máquinas de separação Autosort da Tomra e uma unidade Autosort Flake, junto com um sistema de controle automático.

Como resultado da modernização das suas instalações, a Suez Regene Atlantique se beneficiou de várias maneiras, mas sem dúvida a mais importante foi a enorme melhoria da qualidade do seu produto final. Atualmente, a planta produz mais de 50 toneladas de flakes por dia.

Objetivo: a máxima pureza possível

Durante a discussão conceitual do projeto, a Tomra Sorting e a Regene Atlantique decidiram conjuntamente que, para produzir flakes de PET de máxima pureza possível, três resultados deveriam ser garantidos: uma elevada produção de matéria prima, uma alta consistência do produto e um elevado rendimento do produto

Processo recém-projetado

Para atingir esses objetivos, foi concebido um processo onde as garrafas PET embaladas em fardos são transportadas de centros de triagem localizados no sudoeste da França. Estes fardos são então levados para a estação de abertura dos fardos, onde as suas tiras de metal são cortadas manualmente antes das garrafas serem então carregadas na esteira de alimentação. A esteira leva o material o triturador, onde as garrafas são desagregadas individualmente antes de passar por um Autosort. A Regene Atlantique optou pelo conceito de seleção positiva para a sua primeira fase de classificação ótica. Nesse conceito de seleção positiva, a máquina de triagem irá selecionar garrafas de PET desejadas, e assim, garantir que quaisquer contaminantes que estejam presentes caiam através da força gravitacional. Após este primeiro passo de separação, duas outras unidades Autosort são então utilizadas para eliminar todos os contaminantes ainda presentes no fluxo principal de material PET.

Após estas três fases de separação ótica, todo o material rejeitado é levado para um quarto Autosort. Ele irá devolver todas as garrafas que foram removidas por engano pelo processamento anterior e também recuperar uma nova categoria de garrafas PET coloridas, que agora podem incluir ou não garrafas opacas. Depois da triagem ótica ter sido completada, as garrafas passam então por uma inspeção manual. Uma vez que isto ocorreu, as garrafas são então trituradas e assim emergem na sua forma de produto final: flakes.

Estes flakes passam então através de um tanque de flotação em que todo o material que contém polipropileno (PP) ou polietileno (PE) flutuará na superfície. Estes materiais podem então ser simplesmente removidos, enquanto o produto PET afunda e segue no processo de reciclagem. Uma vez que os materiais PE e PP foram separados, os flakes de PET são então lavados a uma temperatura de 93 ° C para dissolver quaisquer colas presentes e para remover todos os rótulos colados nos produtos. Depois que este processo de lavagem estiver concluído, outra operação de flotação é necessária para remover as etiquetas destacadas durante a lavagem.

Em uma etapa seguinte, os flakes tem a sua removida. Uma vez limpo e completamente seco, os flakes são então peneirados para separar as partículas mais finas e grandes. Os flakes grandes e sobredimensionados serão triturados novamente para se obter a distribuição de tamanho de partícula desejada. Estes flakes são então enviados para um tambor magnético e um separador indutivo. Esta combinação de equipamentos garante a remoção de quaisquer contaminantes metálicos remanescentes do material em flakes. O primeiro rolo captura metais ferroso, enquanto o segundo elimina metais não-ferrosos como o alumínio.

Como passo final, o material processado é enviado para o Autosort Flake. Esta máquina remove os últimos contaminantes. Aqui, o fluxo de material é dividido em três canais na primeira separação. Em seguida, o material ejetado é percorrido novamente através do canal de recuperação para uma segunda verificação. Finalmente, os operadores embalam os flakes em grandes sacos (big bags), cada um pesando aproximadamente uma tonelada. Após a embalagem, estes sacos são colocados em uma zona de armazenamento temporário para aguardar controle de qualidade: cada saco deve passar por um teste para avaliação dos vários contaminantes. A análise abrange uma gama de contaminantes que inclui PVC e metal – e quando se produzem flakes cristal (com azul claro) – os flakes opacos e coloridos de PET são eliminados também. Depois que estas medidas de controle de qualidade foram concluídas, os grandes sacos podem então ser despachados.

Planta apresente uma das melhores qualidades de flakes disponíveis no mercado europeu

Como resultado direto desse novo conceito de processamento, a qualidade da produção melhorou drasticamente, o tempo de manutenção essencial foi significativamente reduzido e o volume anual de resíduos da planta diminuiu em 300 toneladas.

Esta instalação melhorada agora permite à Suez produzir uma das melhores qualidades de flakes disponíveis no mercado europeu de hoje. Os clientes industriais utilizam os flakes produzidos pela Suez para produzir embalagens de qualidade alimentícia – principalmente para aplicações em chapas; e eles também são usados em fibras têxteis para uso em lã polar ou carpetes para o setor automotivo. Além disso, a saída do flake é usada igualmente para fabricar garrafas, completando assim verdadeiramente o círculo do processo da reciclagem. A transformação de resíduos em recursos valiosos contribui para uma solução importante para os problemas globais urgentes do nosso tempo – esgotamento dos recursos naturais e proteção ambiental.

Receitas consideravelmente mais elevadas

David Bourge, Gerente de Fábrica da Suez, Regene Atlantique, disse: “Graças à nossa parceria com a Tomra, conseguimos otimizar nossas operações de reciclagem de PET. Ao combinar o Autosort (separador de garrafas) com o Autosort Flake (separador de flakes), multiplicamos a nossa produção com alta qualidade por dois, resultando em receitas consideravelmente mais elevadas.

Como está o mercado Brasileiro

A indústria brasileira de reciclagem de PET também está buscando produção com qualidades de flake de PET mais elevadas, uma vez que as empresas estão se licenciando junto a ANVISA para a produção de material com qualidade para grau alimentício. Segundo Carina Arita, gerente comercial da Tomra no Brasil, “devido a essa demanda por alta qualidade de flake, a maioria de nossos clientes no Brasil também está adotando o conceito de seleção positiva e, graças ao avanço da nossa tecnologia, temos velocidade de processamento e de válvulas capazes de executar essa tarefa com sucesso, proporcionando uma separação mais eficiente”.

Já Carlos Manchado, diretor para todo continente americano, observa que “essa tendência é notória também nos outros países da América do Sul, principalmente considerando que esses países estão seguindo as especificações de qualidade exigidas pelos orgãos Europeus  e pela FDA (Food and Drug Admnistration) nos Estados Unidos. Ao final a resina PET reciclada pode ser considerada uma commodity, tornando-se um produto de circulação global”.

Sobre a Tomra Sorting Recycling

A Tomra Sorting Recycling (www.Tomra.com/recycling) desenvolve e fabrica tecnologias de separação baseada em sensores para a indústria global de reciclagem e gestão de resíduos. A empresa já instalou mais de 4.400 sistemas em 50 países de todo o mundo. A Tomra Sorting Recycling faz parte da Tomra Sorting Solutions, que também desenvolve sistemas baseados em sensores para a separação, descascamento e controle de processos para a indústria alimentícia e de mineração, entre outras. A Tomra Sorting é afiliada da empresa norueguesa Tomra Systems ASA com capital aberto na Bolsa de Oslo. Fundada em 1972, a Tomra Systems ASA tem faturamento de cerca de 650 milhões de euros e emprega mais de 2.600 pessoas.

Fonte e foto: Assessoria de Imprensa – Tomra

Curta nossa página no

Tomra associa-se à New Plastics Economy, iniciativa global para reorientar o uso dos plásticos segundo os princípios da economia circular

24/01/2017

tomra-environmental-pollution

O fornecedor global de soluções baseadas em sensores de alta tecnologia Tomra Sorting Recycling, se inscreveu como membro da New Plastics Economy, uma iniciativa de três anos que trabalha para um sistema global de plásticos guiado pelos princípios da economia circular.

Liderada pela Fundação Ellen MacArthur, a iniciativa reúne empresas, governos, cientistas e cidadãos para acelerar a transição para um sistema global mais eficaz para os plásticos. Os três objetivos principais do projeto são: a criação de uma melhor economia de plásticos pós-consumo, a redução do desvio de plásticos para o meio ambiente e a dissociação da produção de plásticos de matérias-primas à base de combustíveis fósseis.

A Tomra é um dos cinco novos membros da iniciativa New Plastics Economy, que trabalha com mais de 40 organizações de toda a cadeia de valor dos plásticos e é apoiada por acadêmicos, empresários e filantropos.

Como parte da iniciativa, os novos membros apresentaram detalhes de projetos piloto inovadores voltados a repensar o futuro dos plásticos em um workshop em Londres, em dezembro de 2016. Entre esses, um projeto inicial proposto pela Tomra Sorting Recycling focaliza-se na classificação de plásticos.

“Trabalhar com a Fundação Ellen MacArthur como membro da rede New Plastics Economy é uma boa oportunidade para continuar nossos esforços para rever a forma como o plástico é usado e reciclado em todo o mundo”, disse Stefan Ranstrand, presidente e CEO da Tomra. Os objetivos da iniciativa complementam nossa própria visão de liderar a revolução dos recursos e ajudam a desenvolver uma economia circular para os plásticos “.

“Lixo marinho é uma preocupação crescente em todo o mundo e será o nosso foco principal como um membro da iniciativa. Resíduos plásticos representam uma grande proporção do lixo marinho e aumentando-se o valor do plástico recuperado, ao torná-lo útil para a reciclagem e reutilização, se reduzirão os volumes de lixo marinho. Nossas tecnologias são capazes de mudar a forma como os plásticos são reciclados, em termos de qualidade e quantidade, e estamos ansiosos para fazer uma contribuição significativa para o desenvolvimento de um melhor sistema global de plásticos “, diz Ranstrand.

Em janeiro de 2017, a New Plastics Economy apresentou suas últimas conclusões aos líderes governamentais e empresas na Reunião Anual do Fórum Econômico Mundial, em Davos.

Rob Opsomer, líder da iniciativa, comenta: “A New Plastics Economy está trabalhando para repensar completamente e redesenhar o nosso sistema global de plásticos, e melhorar a forma como os plásticos são gerenciados após o seu uso, e queremos dar um passo muito importante nesse campo. Tenho satisfação por poder contar com o envolvimento ativo de todos os participantes, incluindo a Tomra, na colaboração para definir direção, estabelecer sistemas e normas comuns e dar início à inovação – para avançar para um sistema de plásticos que funcione”.

Sobre a Tomra Sorting Recycling

A Tomra Sorting Recycling desenvolve e fabrica tecnologias de separação baseada em sensores para a indústria global de reciclagem e gestão de resíduos. A empresa já instalou mais de 4.400 sistemas em 50 países de todo o mundo. Responsável pelo desenvolvimento do primeiro sensor de infravermelho próximo para aplicações de separação de resíduos, a Tomra Sorting Recycling faz parte da Tomra Sorting Solutions, que também desenvolve sistemas baseados em sensores para a separação, descascamento e controle de processos para a indústria alimentícia e de mineração, entre outras. A Tomra Sorting é afiliada da empresa norueguesa Tomra Systems ASA com capital aberto na Bolsa de Oslo. Fundada em 1972, a Tomra Systems ASA tem faturamento de cerca de 650 milhões de euros e emprega mais de 2.600 pessoas. Para obter mais informações sobre a Tomra Sorting Recycling visite www.Tomra.com/recycling

Fonte: Assessoria de Imprensa Tomra

Curta nossa página no

Tomra Sorting Recycling vence na China o Prêmio Ringier de Inovação Tecnológica para a Indústria do Plástico

24/05/2016

Tomra-Sorting_Ringier

A empresa ganhou o prémio pelo seu inovador sistema Autosort Flake, lançado na China em 2015. O prêmio foi entregue em Shangai no dia 17 de Março passado.

Lançados em 2006, os Prêmios de Inovação Tecnológica de Ringier converteram-se num dos prêmios mais influentes e prestigiados na indústria da China, principalmente devido ao seu processo de avaliação neutro e objetivo.

Desta forma, apenas os novos produtos e soluções lançadas no mercado chinês durante o exercício 2015-2016 puderam entrar no processo de seleção dos prémios 2016. A seleção dos candidatos de cada categoria foi avaliada por um painel de juízes especializados da indústria. A continuação deu-se com a possibilidade de o público votar através da página web oficial dos prêmios e finalmente a lista dos vencedores foi eleita através do painel de juízes depois da revisão da informação recolhida e o voto final do público.

Um sistema automático de classificação e reciclagem

“Na Tomra estamos muito orgulhosos em receber este Prémio de Inovação Tecnológica da Ringier”, afirmou Kelly Xie, Responsável pela Tomra Sorting Recycling na China. “Depois de mais de dois anos de desenvolvimento, estamos convencidos de que o Autosort Flake é o expoente da tecnologia atual de classificação e reciclagem. É muito gratificante saber que os nossos esforços e investimentos para oferecer uma engenharia inovadora de desenho são reconhecidos e apreciados”.

Autosort Flake: uma ampla variedade de materiais

O Autosort Flake tem como primeira aplicação a limpeza dos flakes de PET antes da transformação da matéria prima. Segundo a Tomra, o Autosort Flake é capaz de classificar fluxos de resíduos diferentes e pode separar tanto metais como materiais com cores diferentes (incluindo materiais não transparentes, também por cor). Isto quer dizer, que apesar do seu principal uso ser purificar flakes de PET, oferece também outras aplicações adicionais como a classificação de PE/PP, de metais e flocos de PVC.

De acordo com a Tomra, o Autosort Flake pode analisar três tipos de propriedades diferentes dos materiais de forma simultânea. Através do seu sensor EM3, é possível identificar os metais segundo as suas propriedades eletromagnéticas. O Autosort Flake pode também analisar polímeros através da implementação de sensores espectrométricos, como a tecnologia infravermelha (NIR). E por último a câmera RGB também pode ampliar a detecção de materiais por cores e materiais não transparentes como por exemplo pedras, metais, compostos cerâmicos e cristais. Ressaltando que a tecnologia de transmissão RGB usada para a classificação por cores é hoje a tecnologia mais avançada do setor da classificação de PET.

O sensor NIR permite a detecção de flakes de PET devido ao módulo ótico Fourline. Esta tecnologia pode analisar simultaneamente quatro linhas de pixels individuais com dimensões aproximadas a 2mm; segundo a Tomra, tratao da mais alta resolução de NIR disponível atualmente no mercado de tecnologia de classificação baseada em sensores. Mediante a existência de uma placa de calibração instalada dentro do scanner, o módulo ótico Fourline proporciona também uma calibração contínua.

“A calibração contínua assegura aos nossos clientes poder eliminar os erros que normalmente derivariam de um oneroso tempo de inatividade. Isto proporciona uma produtividade e homogeneidade no produto de saída não disponível na concorrência”, afirma Valerio Sama, Responsável de Produto de Reciclagem. “Este inovador aspecto contribui para manter baixos tantos os custos de manutenção como o consumo de energia, demonstrando que é possível proteger os recursos ambientais, além de se reduzirem os custos operacionais”.

A Tomra Sorting Recycling desenvolve e fabrica tecnologias de separação baseada em sensores para a indústria global de reciclagem e gestão de resíduos. A empresa já instalou mais de 4.400 sistemas em 40 países de todo o mundo. Responsável pelo desenvolvimento do primeiro sensor de infravermelho próximo para aplicações de separação de resíduos, a Tomra Sorting Recycling faz parte da Tomra Sorting Solutions, que também desenvolve sistemas baseados em sensores para a separação, descascamento e controle de processos para a indústria alimentícia e de mineração, entre outras. A Tomra Sorting é afiliada da empresa norueguesa Tomra Systems ASA, fundada em 1972 e contando atualmente com faturamento de cerca de 550 milhões de euros e mais de 2.400 funcionários.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Tomra

Curta nossa página no

Tomra Sorting Recycling lança equipamento de nova geração para separação de flakes

17/12/2015

TOMRA-AUTOSORT-FLAKEA Tomra Sorting Recycling (www.tomra.com/recycling) apresentou ao mercado no dia 7 de dezembro o seu novo Autosort Flake, com capacidade para classificação tripla simultânea. O lançamento do produto foi originalmente planejado para acontecer na Conferência de Reciclagem de Plásticos em Bruxelas, nos dias 25 e 26 de novembro de 2015. No entanto o seu lançamento foi transferido para ocorrer via Internet (www.upgrade-your-flake.com) depois do cancelamento do evento. Anunciando uma nova era de alta-precisão na classificação, o Autosort Flake combina detecção de cores e maior informação relevante para maximizar a recuperação de produtos recicláveis de alta qualidade que os mercados exigentes demandam cada vez mais.

Lançado em um momento em que o mercado do plástico rPET (politereftalato de etileno reciclado) está mudando inexoravelmente, buscando taxas de saída de um produto premium de alto grau de qualidade, o lançamento do Autosort Flake reitera o pioneirismo da Tomra Sorting. O seu lançamento digital oferece à indústria de reciclagem a análise com precisão e a triagem dos flakes de PET por critério de cor e de material ao mesmo tempo. Segundo a Tomra, a tecnologia inovadora dessa nova geração do Autosort Flake também detecta metais e o seu processamento duplo oferece aos clientes um melhor rendimento no processamento do material juntamente com uma saída de alta vazão constante, tudo a partir de uma única máquina.

Na sua declaração de lançamento, Valerio Sama, gerente de produto Reciclagem da Tomra Sorting disse: “Em comparação com a nossa primeira geração de separação de flakes apresentado em 2010, a nova geração é capaz de fazer a separação equivalente a duas unidades independentes e com um grau muito maior de precisão, reduzindo assim a perda de material de boa qualidade. O mais recente avanço é um exemplo claro de parceria com os nossos clientes para desenvolver ótimos resultados. O nosso novo Autosort Flake combina uma configuração mecânica comprovada em campo com a nossa experiência interna em Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) para criar mais um marco na indústria. Como resultado, a Tomra Sorting Recylcling pode oferecer uma solução completa de garrafa para flake visando aumento de valor agregado do plástico.”

Descrevendo os benefícios econômicos inerentes, ele acrescentou: “Os separadores da Tomra baseados em sensores podem criar valor em várias etapas do processo da reciclagem de plásticos. Dependendo das necessidades e da demanda, também é possível combinar diferentes tipos de equipamentos Tomra para atingir ainda melhores resultados. O Autosort e o Autosort Flake, combinados, fornecem o mais alto – e mais consistente – rendimento para a indústria”.

Detalhando as vantagens do ponto de vista do cliente, David Bourge, Gerente da Planta da Suez Regene Atlantique, disse: “Graças à parceria com a Tomra, nós conseguimos otimizar as nossas operações de reciclagem de PET. Combinando o Autosort (classificador de garrafas) com a Autosort Flake (classificador de flake), nós aumentamos a nossa capacidade com produtos de alta qualidade em 200%, resultando em receitas consideravelmente maiores – sendo que através do computador central somos capazes de monitorar, controlar e melhorar a nossa produção em tempo real. Em cada etapa de processo, a decisão de investimento gerou em retorno muito rápido”.

tomra_autoflalke

Tal como acontece no equipamento Autosort, o novo Autosort Flake da Tomra conta com a patente tecnológica FLYING BEAM®, combinada com o novo desenvolvimento do módulo ótico FOURLINE 2 mm, que é atualmente a mais alta resolução NIR disponível no mercado de equipamentos por sensor, segundo a Tomra. A empresa afirma que este recurso inovador oferece aos clientes calibração contínua para evitar erros que podem levar a períodos de inatividade, proporcionando assim uma estabilidade única no mercado. Desta forma, contribui para uma baixa necessidade de manutenção e baixo consumo de energia, demonstrando que se podem proteger os recursos naturais ao mesmo tempo que se reduzem os custos operacionais.

A Tomra Sorting Recycling desenvolve e fabrica tecnologias de separação baseada em sensores para a indústria global de reciclagem e gestão de resíduos. A empresa já instalou mais de 4.400 sistemas em 40 países de todo o mundo. Responsável pelo desenvolvimento do primeiro sensor de infravermelhos próximos para aplicações de separação de resíduos, a Tomra Sorting Recycling é precursora na indústria dedicada à recuperação de frações de elevada pureza a partir de fluxos de resíduos. A Tomra Sorting é afiliada da empresa norueguesa Tomra Systems ASA com capital aberto na Bolsa de Oslo. Fundada em 1972, a Tomra Systems ASA tem faturamento de cerca de 550 milhões de euros e emprega mais de 2.400 pessoas.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Tomra

Curta nossa página no

Tomra Sorting Recycling apresenta tecnologia de classificação por sensores em Conferência Européia de Reciclagem de Plásticos

23/11/2015
Equipamento Titech Autosort para separação de resíduos plásticos

Equipamento Autosort para separação de resíduos plásticos

Como incrementar a quantidade de resíduos de plásticos que chegam às recicladoras e como conseguir uma alta qualidade do produto final com soluções de tecnologias avançadas foram os principais temas em debate da Conferência europeia de Reciclagem de Plásticos, que se realizou em Madri, no dia 28 de outubro.

A Tomra Sorting Recycling (www.Tomra.com/recycling) foi uma das empresas convidadas e Judit Jansana, Diretora Comercial para Espanha e Portugal, uma das oradoras principais nas sessões centrais da Conferência. Sob o tema “Potencializar a qualidade na linha de classificação”, ela se focalizou em apresentar as melhores soluções que podem ser adotadas por plantas de recuperação de materiais para aprimorar os processos de recuperação e reciclagem de plásticos, e assim, obter um produto final que satisfaça e exceda as especificações de qualidade.

Judit-Jansana

Judit Jansana, Diretora Comercial da Tomra para Espanha e Portugal

O uso da tecnologia de classificação por sensores para incrementar a quantidade e qualidade do plástico recuperado nas linhas de classificação foi o núcleo central da intervenção, que terminou com uma análise sobre as ameaças e oportunidades para o setor do plástico. Jansana descreveu como funcionam os equipamentos de classificação da Tomra, dotados de tecnologia de sensores que permitem identificar objetos na esteira transportadora, baseando-se na sua forma, tamanho, cor e tipo de material… para separá-los de forma precisa e rápida com jatos de ar ou dedos mecânicos, maximizando assim a eficiência da classificação. Para a classificação dos diferentes resíduos, os equipamentos dispõem de diferentes tecnologias de detecção, tais como câmaras, sensores raio-X, infravermelhos (NIR), espectrometria visível (VIS), sensores eletromagnéticos, etc.

Além disso, Jansana expôs várias possíveis formas de se incrementar a quantidade de plásticos a recuperar. Como, por exemplo, aumentando a recuperação nas próprias plantas de classificação de resíduos, especialmente nas plantas de tratamento de restos de fração ou de resíduos sólidos (plantas de RSU). Jansana explicou também que é igualmente possível incrementar a qualidade do plástico obtido nas plantas de Resíduos Sólidos Urbanos, estendendo o processo atual com equipamentos de separação automática adicionais para a separação de PET multicamada  ou para a classificação por cores (como a separação de PEAD natural do resto das cores, por exemplo), com um projeto adequado das linhas de tratamento, à base de equipamentos com sensores, que permitem facilmente separar o plásticos de outros resíduos e classificá-los por tipos, obtendo assim um alto grau de pureza e a qualidade técnica. Com a tecnologia de sensores, pode-se inclusive remover os objetos com retardantes à base de Bromo, conteúdos existentes em muitos produtos plásticos procedentes dos resíduos elétricos- eletrônicos, hoje proibidos pela norma européia. Judit Jansana ilustrou a sua exposição com exemplos gráficos de configurações de diferentes equipamentos Tomra nas linhas de classificação.

Relativamente ao segmento dos resíduos de embalagens, Jansana estimou ser necessário uma mudança normativa para incentivar o projetos dos mesmos (misturas, materiais compostos ou aditivos), que facilitem a sua reciclagem no final da sua vida útil. Já em relação às oportunidades do setor, Jansana destacou o desenvolvimento de novas aplicações como PP, misturas de plásticos e multicamadas.

A Conferência Europeia de Reciclagem de Plásticos é um fórum internacional dedicado à reciclagem de plástico, em que se expõe e se debatem as soluções e os desafios que enfrenta a indústria atualmente, representando assim mesmo uma oportunidade de estabelecer contato com os principais setores da indústria de reciclagem de plástico.

A Tomra Sorting Recycling desenvolve e fabrica tecnologias de separação baseada em sensores para a indústria global de reciclagem e gestão de resíduos. A empresa reinvidica já ter instalado mais de 4.400 sistemas em 40 países de todo o mundo. A empresa foi responsável pelo desenvolvimento do primeiro sensor de infravermelho próximo para aplicações de separação de resíduos. A Tomra Sorting Recycling faz parte da Tomra Sorting Solutions, que também desenvolve sistemas baseados em sensores para a separação, descascamento e controle de processos para a indústria alimentícia e de mineração, entre outras. A Tomra Sorting é afiliada da empresa norueguesa Tomra Systems ASA, com capital aberto na Bolsa de Oslo. Fundada em 1972, a Tomra Systems ASA tem faturamento de cerca de 550 milhões de euros e emprega mais de 2.400 pessoas.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Tomra

Curta nossa página no

Tomra Sorting Recycling lança nova iniciativa de atendimento ao cliente

02/09/2015

Empresa acaba de iniciar uma nova linha integrada de serviços de suporte para oferecer aos seus clientes benefícios comerciais aprimorados

TOMRA-Care

Batizada de Tomra Care, a nova iniciativa da empresa permite a partir de agora oferecer um pacote de serviços ainda mais abrangente. Desenvolvido como resultado de uma revisão estratégica dos serviços de suporte ao cliente da Tomra Sorting já existentes, a Tomra Care reúne 28 componentes que dão cobertura nas áreas de consultoria de processos, testes de sistemas, financiamento, seguros, treinamento de pessoal e atualizações.

A nova iniciativa foi concebida especificamente para garantir que os clientes experimentem serviços feitos sob medida e tenham o máximo retorno dos seus investimentos. Peter Geisler, Diretor de Serviços para Reciclagem da Tomra, explica: “Entendemos que as necessidades dos nossos clientes são guiadas pelas exigências dos mercados nos quais atuamos. Tal percepção nos permitiu aprimorar mais a nossa já robusta gama de serviços de atendimento ao cliente,para responder a essas necessidades. Nosso objetivo com a Tomra Care é permitir que nossos clientes alcancem continuamente os mais altos níveis de produtividade com a mais baixa inatividade de equipamentos possível, ao mesmo tempo em que gerenciam bem seus custos”.

Os serviços de suporte ao cliente já experimentados da Tomra Sorting Solutions – inclusive o serviço de atendimento remoto por telefone, a ampla variedade de opções de treinamento para as equipes dos clientes e as alternativas de peças de reposição – foram incluídos no portifólio de atendimento da Tomra Care.

Já os novos serviços introduzidos com a iniciativa incluem várias opções de financiamentos e seguros, mais o serviço de suporte por telefone 24 horas por dia, 7 dias por semana, para alguns dos produtos. Além desses, o serviço de consultoria e projetos em pré-venda, no qual os engenheiros comerciais da Tomra ajudam os clientes a projetar e a planejar novas instalações, é agora parte integrante da Tomra Care.

Tom L. Eng, Diretor da Tomra Sorting Recycling, enfatiza: “As necessidades de cada cliente são específicas para cada situação em particular que enfrentem. A Tomra Care foi desenvolvida para nos permitir oferecer soluções  sob medida para atender com precisão essas necessidades individuais das empresas. Afinal, sempre fomos parceiros dos nossos clientes antes, durante e depois da compra de um sistema da Tomra Sorting system. A introdução da Tomra Care mais que nunca reforça essa abordagem e estamos ansiosos para colocá-la em ação junto a nossos clientes atuais e futuros”.
Para obter mais informações sobre a Tomra Care visite www.tomra.com/recycling/TOMRA-Care

Sobre a Tomra Sorting Recycling: A empresa desenvolve e fabrica tecnologias de separação baseada em sensores para a indústria global de reciclagem e gestão de resíduos. A empresa já instalou mais de 4.400 sistemas em 40 países de todo o mundo. A Tomra Sorting é propriedade da empresa norueguesa Tomra Systems ASA com capital aberto na Bolsa de Oslo. Fundada em 1972, a Tomra Systems ASA tem faturamento de cerca de 550 milhões de euros e emprega mais de 2.400 pessoas.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Tomra Sorting Recycling

Curta nossa página no

Empresa norueguesa Tomra Sorting Recycling apresentou tecnologia de separação de plásticos para reciclagem durante a Feiplastic 2015

12/05/2015

Tomra Sorting apresentou na FEIPLASTIC 2015 sua tecnologia de separação baseada em sensores para aplicações de reciclagem de Plásticos. Seu sistema multifuncional TITECH autosort 4 permite selecionar materiais de diferentes plásticos, assim como outras aplicações em fluxos de resíduos (tais como embalagens em geral, coleta seletiva, resíduos domésticos e papel entre outros)

A TOMRA Sorting Recycling participou da FEIPLASTIC Brasil 2015, que aconteceu em São Paulo nos dias 4 a 8 de maio. A tecnologia da TOMRA Sorting baseada em sensores permite identificar e separar cada componente por tipo de polímero (PET, PE, PP, PVC, PS, ABS etc), selecionando os diferentes materiais por cores, formas, tamanhos, condutividade ou propriedades espectrais.

Reciclagem de garrafas de plástico

No caso das garrafas de plástico, com os sistemas de separação da TOMRA Sorting Recycling é possível produzir uma monofração de polímero para a reciclagem, apresentado a qualidade exigida para uso alimentar, afirma a empresa

Graças a um sistema duplo de sensores que separam por cor e tipo de material, os equipamentos da TOMRA identificam partículas de apenas 2 milímetros, bem como garrafas e objetos maiores, separando muito rapidamente impurezas de outros polímeros, metais, ou de cor, etc.

O resultado do processo, segundo a empresa, é uma fração de um único material com uma pureza de 99,97%, o qual pode ser reutilizado para uso alimentar, produzindo novas garrafas e assim fechando o círculo. Afirma a TOMRA que a tecnologia padrão não pode oferecer este resultado, uma vez que não permite alcançar de forma confiável, e de uma só vez, uma pureza e um rendimento comparáveis.

A situação no Brasil: mais e melhor tecnologia para a reciclagem de plásticos

No Brasil, a criação de fábricas de recuperação e reciclagem de embalagens, assim como a mecanização das existentes, cumpre uma dupla função: evoluir na gestão sustentável dos plásticos, maximizar retornos de investimentos e melhorar as condições de trabalho.

Nas tarefas de separação de embalagens e resíduos de embalagens (plásticos em geral, filme plástico,  PEAD, PET, PVC, latas de alumínio, bricks, papel e papelão…) os separadores óticos, como o TITECH autosort 4, são de grande ajuda para os trabalhadores, que antes faziam a separação manualmente.

Afirma a TOMRA que o seus equipamentos limpam e retiram impurezas de forma limpa e precisa, deixando somente os materiais a serem recuperados. Também realizam as tarefas de separação mais difíceis, como distinguir visualmente as frações de PEAD das de PP. Além disso, com esta tecnologia é possível que as empresas e as cooperativas aumentem a produtividade e a rentabilidade de todo o processo de recuperação de materiais.

Melhor valorização dos resíduos com o TITECH autosort 4

Feiplastic_TITECH-PlantaO TITECH autosort 4 combina os sensores NIR e VIS em configurações distintas para dar resposta a diferentes aplicações, obtendo frações de pureza muito elevada de diferentes produtos. O TITECH autosort 4 pode separar desde papel e papelão (impresso, revestido ou sem tratamento) até numerosos tipos de plástico (PET/PE por cor) e outros polímeros (PE, PP,PS, PVC, PET, EPS, ABS por tipo de material), afirma a empresa. Também se aplica à limpeza de madeira, remoção de metais, separação de material orgânico/inorgânico, etc.

Seu sensor de infravermelho próximo (NIR) não requer uma fonte de luz externa, graças à tecnologia FLYING BEAM®, que permite economizar até 70% da energia ao iluminar exclusivamente a área que se está analisando. Segundo a TOMRA, isto faz dele o sistema com maior eficiência energética e menor exigência de manutenção disponível atualmente no mercado, o que permite uma redução dos custos de funcionamento. Graças à tecnologia DUOLINE® com a qual realiza uma dupla exploração, o TITECH autosort 4 é confiável e preciso, afirma a empresa. Além disso, é um sistema compacto que se caracteriza pela sua fácil instalação e integração em fábricas, seu fácil manuseio, a simplicidade de seus componentes, sua potência, confiabilidade e precisão.

A TOMRA Sorting está no Brasil desde 2011, por meio de sua filial, e conta com equipe comercial e engenheiros para as ações de instalação e manutenção de seus próprios equipamentos TITECH. A TOMRA Sorting Recycling, anteriormente TITECH, concebe e fabrica tecnologias para a separação baseada em sensores para a indústira da reciclagem e da gestão de resíduos. Conta com mais de 4400 sistemas instalados em 40 países no mundo inteiro. Responsável pelo desenvolvimento do primeiro sensor de infravermelhos próximos do mundo para aplicações no campo da reciclagem de resíduos, a TOMRA Sorting Recycling faz parte da TOMRA Sorting Solutions, que também desenvolve sistemas baseados em sensores para a separação, despela e controle de processos para a indústria alimentar e de mineração, entre outras. A TOMRA Sorting um dos fornecedores de soluções de separação baseadas em sensores mais avançados do mundo, com mais de 11 500 sistemas instalados no mundo inteiro.A TOMRA Sorting é propriedade da empresa norueguesa TOMRA Systems ASA, fundada em 1972, com um faturamento anual de cerca de 550 milhões de euros mais de 2400 funcionários.

Fonte: TOMRA Sorting Recycling; ; Vídeo: Reed Exhibitions Alcantara Machado

Curta nossa página no