Posts Tagged ‘Tigre’

Tigre encerrará atividades da fábrica de Camaçari em fevereiro de 2017

08/12/2016

tigre-camacari

A empresa de tubos e conexões Tigre anunciou no dia 28/11 o encerramento da operação na unidade de Camaçari, na Região Metropolitana de Salvador (BA). A fábrica deve encerrar as atividades em fevereiro de 2017, extinguindo 261 vagas diretas e 900 terceirizadas. Em nota divulgada à imprensa, a empresa afirma que a decisão foi tomada “após extensa análise de alternativas para garantir a competitividade das operações da companhia no País e assegurar a produtividade fabril com o melhor aproveitamento da capacidade das demais unidades existentes no Brasil”, garantindo a competitividade da empresa em todo país.

A Tigre ressaltou que os seus clientes continuarão a ser atendidos por outras unidades do Grupo e que a empresa “vem adotando medidas que assegurem a sustentabilidade e a perenidade do negócio”.

Entre as medidas adotadas para “minimizar os impactos” das demissões dos 261 funcionários, a empresa cita a criação de um núcleo de apoio com foco no auxílio aos funcionários no retorno ao mercado de trabalho, capacitação e qualificação profissional; priorização dos profissionais de Camaçari em vagas de trabalho em outras unidades da Tigre e parceria com instituições de apoio técnico e financeiros para empreendedores.

A unidade de Camaçari é a fábrica responsável pela produção de tubos de PVC que abastece, principalmente, o mercado nordestino.

A medida tem gerado protestos desde a sua divulgação. Neste dia 08/12, funcionários da Tigre realizaram um novo protesto contra o fechamento da unidade.

Fonte: Nota da Tigre

Curta nossa página no

Anúncios

Tigre apresenta novos produtos para sistemas de irrigação na Agrishow

06/05/2013

 Produtos que complementam a linha existente são tubos de PVC e novos Registros

Tigre_AgrishowA Tigre, multinacional brasileira líder na fabricação de tubos, conexões e acessórios no país e uma das maiores do mundo, participou da 20ª Feira Internacional de Tecnologia Agrícola em Ação, a Agrishow, realizada em Ribeirão Preto (SP), entre os dias 29 de abril e 03 de maio. A empresa demonstrou em seu estande produtos voltados para sistemas de irrigação, dando destaque aos complementos da linha.

O último lançamento para o segmento foi a Linha Agropecuária PVC, cuja função é a condução de água para a criação de animais em propriedades rurais, paisagismo e irrigação localizada (por gotejamento e microaspersão). A linha é composta por tubos e conexões de PVC na cor azul, com resistência a raios UV. Além disto, resiste aos produtos químicos utilizados na fertirrigação e oferecerem facilidade no transporte, instalação e manuseio.

Os Registros Irriga garantem o controle da abertura e fechamento do fluxo de água de forma segura, sem vazamentos e com apenas ¼ de volta. Todos os registros da Tigre são produzidos em uma unidade exclusiva, localizada em Joinville (SC), em que 100% das peças são testadas para assegurar a eficiência dos produtos.

“Considerando que a maior parte da água utilizada pelo homem é destinada à agricultura, desenvolvemos produtos para esse segmento de forma a contribuir para ampliação de áreas agrícolas, ou seja maior produção de alimentos. Quando o agricultor tem uma estrutura eficiente em sua plantação e utiliza a água de forma sustentável, sua rentabilidade aumenta”, afirma Carlos Teruel, gerente de produtos da Tigre. Com foco nesse ciclo ambiental, a Tigre oferece soluções para irrigação fixas e portáteis.

Os materiais plásticos utilizados nas aplicações de irrigação Tigre são bastante diversificados. “O plástico tem um importante papel no desenvolvimento deste setor, pois oferece uma solução com alta durabilidade, excelente desempenho e com um preço competitivo, fazendo com que todos possam ter acesso aos produtos, desde o pequeno agricultor, até os grandes produtores”, complementa Teruel.

Dentre os demais produtos da Tigre expostos na Feira estão:

Irriga EP (Engate Plástico) e ES (Engate Sela) – Tubos e conexões para sistemas de irrigação que visam conduzir água à temperatura ambiente nos sistemas móveis de irrigação. Utilizado em sistemas de irrigação portátil ou semi-fixo por aspersão convencional ou canhão. Também pode ser utilizado em linhas de sistemas de irrigação localizada. Oferece mais rapidez de instalação e facilidade de manuseio.

GeoTigre – Linha de tubos e acessórios voltada para exploração de águas subterrâneas em poços tubulares profundos, totalmente ou parcialmente revestidos. Usado em residências, condomínios, órgãos públicos, estabelecimentos comerciais, propriedades rurais, postos de combustíveis, hotéis, hospitais e indústrias. Tem elevada resistência química e perfeita para revestimento de poços.

Irriga LF  – Tubos e conexões de PVC com juntas soldável ou elástica destinados a linhas fixas enterradas ou parcialmente expostas para sistemas de irrigação localizada (gotejamento ou microaspersão) e para sistemas de irrigação por Aspersão Convencional do tipo Semi-fixo. Utilizado nas linhas principais e nas linhas ramificadas. São soluções com mais produtividade para o campo.

Irriga LF Defofo  – Condução de água para sistemas de irrigação à temperatura ambiente, utilizado em adutoras de sistemas de irrigação e fertirrigação.

Fonte: Instituto do PVC / Tigre

Curta nossa página no

Uso do plástico na construção civil reformula produtos e contribui para elevar ecoeficiência

23/05/2012

Indústria explora novas matérias-primas para ganhar agilidade e poupar recursos naturais

No ano em que diversos países se reunirão, na Rio+20, para discutir a “Economia Verde”, o mercado brasileiro de construção civil mostra que essa não é uma preocupação nova. Com crescimento estimado em 5,2% pelo SindusCon-SP (Sindicato da Indústria da Construção Civil de São Paulo), o setor vem investindo em produtos com novas composições para garantir um desenvolvimento mais sustentável e atender a uma demanda crescente por produtos com diferenciais ambientais.

A tecnologia tem sido uma forte aliada no lançamento de produtos que buscam preservar os recursos naturais e ao mesmo tempo trazer mais agilidade e qualidade para as construções. Neste cenário, o plástico se apresenta como uma fonte de soluções para o setor.

“A construção civil é uma área de importância estratégica para o desenvolvimento do País e que se mostra em constante desenvolvimento desde o lançamento do Programa de Aceleração do Crescimento, Programa Minha Casa Minha Vida e com a vinda da Copa do Mundo e das Olimpíadas para o Brasil. Para apoiar esse crescimento, apostamos na expansão de nosso negócio e no consequente aumento do fornecimento de matéria-prima”, afirma Marcelo Cerqueira, vice-presidente da Unidade de Vinílicos da Braskem.

Menos entulho

O PVC, já muito usado na construção para a produção de tubos e conexões, começou a ganhar aplicações diferentes. Em novembro do ano passado, Global Housing, DuPont e Braskem firmaram parceria inédita para lançar no mercado brasileiro um novo conceito para construção residencial e comercial usando como base o PVC. Apresentada como ‘Casa de Concreto PVC’, a tecnologia representa uma forma inovadora e rápida para construir, em escala industrial, diferentes tipos de edificações. O sistema proporciona a redução em perdas por entulho e desperdício de materiais, como a madeira, muito utilizada na construção civil. Economia no consumo de água e energia na obra e elevado ganho de produtividade são também vantagens do produto.

Outros fatores que se destacam neste sistema são a rapidez na construção, sendo possível erguer uma casa com acabamento completo em até uma semana (pelos métodos tradicionais é necessário um período de 90 dias), durabilidade, facilidade de limpeza e conservação e baixa manutenção.

Alternativa

As telhas também estão sendo produzidas com o PVC. Além dos diferenciais técnicos, inerentes à resina, como resistência a agentes químicos, leveza e durabilidade, as telhas de PVC se mantêm estáveis às tempestades, granizos e outras intempéries. Frente às variações de temperatura, sua estabilidade estrutural e de cor são superiores às telhas convencionais. Além disso, o produto é ambientalmente correto, já que o PVC é totalmente reciclável e pode ser uma alternativa mais ecoeficiente em relação a outros materiais.

Origem renovável

O polietileno produzido pela Braskem a partir do etanol de cana-de-açúcar também fez sua estreia no mercado da construção neste ano. O produto está sendo utilizado pela Tigre na fabricação da nova linha de grelhas, que passa a ser chamada de Grelha Ecológica Tigre. A resina também é utilizada desde novembro de 2011 nos cabos elétricos Afumex Green. Produzidos pela Prysmian, são os primeiros cabos ecológicos do mundo.

O “polietileno verde” tem como principais características ser de fonte renovável e absorver CO2 da atmosfera – gás causador do efeito estufa – durante o seu processo produtivo. Para cada tonelada do plástico produzida, até 2,5 toneladas de CO2 são retirados da atmosfera.

Saneamento

O plástico também está sendo usado para conferir mais agilidade e qualidade em obras de saneamento pelo Brasil. Os poços de visita, conhecidos tradicionalmente como bueiros, feitos de polietileno, estão sendo produzidos com tecnologia moderna, tornando as tarefas de instalação e manutenção mais simples, econômicas e ecologicamente corretas. Uma das características dos poços de visita de polietileno linear é a durabilidade, já que possuem excelente resistência a quebra sobre pressão e resistência de impacto. Com isso, estão menos sujeitos a fissuras e orifícios que levam ao vazamento, evitando contaminações do solo.

“Nosso portfólio de produtos lançados nos últimos anos demonstra o trabalho incansável de nosso Centro de Tecnologia e Inovação para se manter à frente das tendências do mercado e encontrar soluções inteligentes e sustentáveis para contribuir com os desafios dos nossos clientes”, disse Luciano Guidolin, vice-presidente da Unidade de Poliolefinas da Braskem.

Fonte: Braskem

Curta nossa página no

TIGRE é a empresa mais internacionalizada do setor de construção civil

14/07/2011
Levantamento da Fundação Dom Cabral avalia o grau de internacionalização de empresas nos indicadores de vendas/receita, ativos e funcionáriosA Tigre, multinacional brasileira líder na fabricação de tubos, conexões e acessórios em PVC no Brasil e na América do Sul, acaba de ser indicada como a 12ª empresa brasileira mais internacionalizada no estudo da Fundação Dom Cabral, “Transacionais Brasileiras 2011”. No segmento da construção civil, ela é a primeira.

O resultado comprova mais uma vez a sólida atuação da Tigre no mercado externo. O estudo avaliou o grau de internacionalização das empresas brasileiras segundo indicadores de vendas/receita, ativos e funcionários no exterior. Para o vice-presidente de Negócios Internacionais da Tigre, Luís Roberto Ferreira, “a estratégia de crescimento no exterior é uma importante alavanca para a meta de dobrar o tamanho da empresa, até 2014”. Ferreira afirma ainda que o foco é consolidar a liderança em todos os mercados em que a Tigre atua.

O Grupo Tigre planeja investir no ano de 2011 um total de R$ 250 milhões em inovação, aumento da capacidade produtiva e marketing, após um ano de 2010 com excelentes resultados. Foi o melhor ano da história da Tigre, com receita bruta de R$ 2,6 bilhões, um crescimento de 18% em relação a 2009. As unidades internacionais acompanharam este ritmo. A Tigre avançou no mercado internacional com a aquisição dos ativos da Israriego, no Equador. A Tigre-ADS (joint-venture voltada para a fabricação e comercialização de tubos corrugados de polietileno de alta densidade) apresentou desempenho acima do esperado, e atualmente possui operações no Brasil, Chile, Argentina e Colômbia.

A Tigre iniciou seu processo de internacionalização na década de 70, quando constituiu uma empresa no Paraguai e realizou a primeira exportação. “Atualmente realizamos negócios com mais de 40 países, sendo que em dez deles com unidades próprias. Os negócios internacionais representam hoje 21% do faturamento, englobando as exportações”, destaca Ferreira.

A TIGRE NO EXTERIOR

• Negócios internacionais representam 21% do faturamento (engloba exportações).
• Exportações representam 4% do faturamento.
• Número de países com os quais a Tigre mantém negócios: mais de 40 países (10 deles com unidades próprias e em mais de 30 com exportações, com destaque para os países do continente africano).
* Entre as 12 empresas brasileiras mais internacionalizadas (Fundação Dom Cabral / 2011)

SOBRE A TIGRE

A Tigre é a multinacional brasileira líder na fabricação de tubos, conexões e acessórios em PVC no Brasil e na América do Sul e uma das maiores do mundo em seu segmento. Referência nos mercados Predial, de Infraestrutura, Irrigação e Indústria, é reconhecida também pela sua cultura de valorização das pessoas. Fundada em 1941, tem nove plantas no Brasil, incluindo fábrica de pincéis (Pincéis Tigre), perfis de PVC (Claris) e acessórios (Plena) e 12 no exterior (Argentina, Bolívia (2), Chile (3), Colômbia, Equador, Peru, Estados Unidos, Paraguai, Uruguai). Conta com mais de 6.700 funcionários e mais de 350 mil toneladas de produtos são fabricados anualmente. A receita bruta em 2010 foi de R$ 2,6 bilhões.

Fonte: Tigre

Grupo Tigre anuncia crescimento de 18% e faturamento recorde

30/03/2011

A empresa teve o melhor ano da história em 2010 e anuncia investimentos de R$ 250 milhões em 2011, quando completa 70 anos

A Tigre, multinacional brasileira líder na fabricação de tubos e conexões em PVC no Brasil e na América do Sul, acaba de divulgar as demonstrações financeiras de 2010. O Grupo Tigre apresentou uma receita bruta de R$ 2,6 bilhões e uma receita líquida de R$ 2,1 bilhões, valor 18% superior a 2009. O EBTIDA teve um crescimento 23,3% e o lucro líquido consolidado atingiu R$ 165 milhões. A Tigre também aderiu ao padrão internacional de contabilidade – IFRS, International Financial Reporting Standards – conjunto de normas e pronunciamentos de contabilidade internacionais publicados e revisados pelo International Accounting Standards Board (IASB).

Em 2010 a empresa investiu na aquisição e ampliação das unidades fabris, aumentando em 25% sua capacidade produtiva (atualmente o Grupo tem uma capacidade de produzir mais de 350 mil toneladas/ano) para atender a forte demanda do mercado de materiais de construção. O número de contratações no período foi superior a 700 pessoas, atingindo um quadro total de 6.763 postos de trabalho. “O ano de 2010 confirmou a tendência positiva de crescimento prevista em nosso planejamento. Foi o melhor ano da história da Tigre: apostamos na inovação, lançando mais de 300 produtos neste período, o que reforça ainda mais nossa liderança no mercado”, avalia Evaldo Dreher, presidente da Tigre.

No Brasil, houve crescimento em todos os segmentos, com destaque para os setores de infraestrutura, construtoras e varejo, este último impulsionado principalmente pelo aumento de linhas de financiamento e ampliação de renda nas classes C e D.

As unidades fora do Brasil também registraram bom desempenho. A Tigre avançou no mercado internacional com a aquisição dos ativos da Israriego, no Equador. A Tigre-ADS (joint venture voltada para a fabricação e comercialização de tubos corrugados de polietileno de alta densidade) apresentou desempenho acima do esperado, e atualmente possui operações no Brasil, Chile, Argentina e Colômbia.

Perspectivas 2011

Em 2011, a empresa prevê investir R$ 250 milhões em inovação, aumento de capacidade produtiva (inclusive com inauguração de novas unidades fabris no Brasil e no exterior) e ações de marketing e relacionamento. A previsão para o ano de 2011 é de 10% de crescimento em relação a 2010, com a contratação de 300 novos profissionais. “Estamos confiantes de que os projetos previstos para eventos como a Copa do Mundo e Olimpíadas impulsionarão ainda mais nosso crescimento no País, e no exterior nossa presença é cada vez mais consolidada. Vislumbramos um cenário positivo para novos investimentos nos próximos anos”, finaliza Dreher.

Fonte: Tigre

TIGRE-ADS inaugura sua primeira fábrica no Brasil

15/03/2011

Joint venture foi criada para atuar na América do Sul e no Brasil introduz solução inovadora para grandes obras de infraestrutura

A Tigre, líder na produção de tubos, conexões e acessórios em PVC e a ADS (Advanced Drainage Systems Inc.), líder na fabricação de tubos corrugados em Polietileno de alta densidade (PEAD) nos Estados Unidos, anunciaram no dia 02 de março a inauguração da primeira fábrica no Brasil de sua joint venture TIGRE-ADS, em Rio Claro, interior de São Paulo. O investimento para a criação da joint venture e início de suas operações na América do Sul foi de US$ 40 milhões no triênio 2009 a 2011.

Criada em agosto de 2009, a nova companhia atua na América do Sul para a produção e comercialização de tubos, conexões e acessórios de PEAD de grandes diâmetros (de 100 mm a 1200 mm) para aplicação em sistemas de saneamento, drenagem, detenção e retenção de água. Atende principalmente aos mercados de infraestrutura, mineração, agricultura, aterros sanitários e drenagem esportiva. “A inovação dos produtos da TIGRE-ADS é nossa principal estratégia para atuar no mercado brasileiro, que desconhece nosso conceito moderno em soluções de PEAD para grandes obras de infraestrutura. Cito o Brewery Parkade, um gigantesco centro comercial de 42 acres inaugurado em 2001, que utilizou em seu projeto nosso sistema de retenção e detenção de águas pluviais. Foram instalados 5 mil metros de tubos corrugados de dupla parede e diâmetro interno de 1.200 mm, resultando em uma capacidade de armazenamento e escoamento de 8,5 milhões de litros de água, afirma Joseph Chlapaty, CEO da ADS.

Um dos principais motivos para a construção de uma fábrica no Brasil foi ter uma estrutura capaz de atender os importantes projetos que o País implementará nos próximos anos. “Temos uma expectativa muito positiva para o desenvolvimento de grandes obras por conta dos eventos esportivos, como a Copa do Mundo em 2014 e Olimpíadas em 2016”, completa Evaldo Dreher, presidente da Tigre.

No Brasil, os tubos TIGRE-ADS já estão sendo utilizados no projeto Água Viva de Uberaba (MG) para um sistema de esgotamento sanitário e também no município de Cruz das Almas, na Bahia. “Podemos citar algumas vantagens de nossos produtos em relação a outros materiais: dependendo do tipo de solo, o tempo de instalação é três a cinco vezes mais rápido; a relação custo x benefício é superior, chegando a 10% de economia; e o tempo médio de vida útil do produto é 75 anos, em média, entre outros”, explica Igor Nelsen, gerente geral da TIGRE-ADS no Brasil.

A cidade de Rio Claro está a 177 km de São Paulo e foi escolhida para abrigar a fábrica da joint venture, ao lado do complexo industrial da Tigre. A cidade possui excelentes vias de escoamento de produtos e mão-de-obra qualificada. A planta possui quatro linhas de produção com processos automatizados de tubos corrugados de parede simples e de parede dupla (drenagem e saneamento), conduítes corrugados de PEAD (energia, telecomunicações e predial) e Sistemas de Retenção & Detenção / Conexões Padrão e Customizadas.

Tigre em números

Presente no mercado brasileiros há 70 anos
20 fábricas no Brasil e no exterior
Mais de 6.763 funcionários
Volume produzido de mais de 350 mil toneladas/ano

ADS em números

Presente no mercado americano há 45 anos
42 fábricas e 30 Centros de Distribuição
2.800 funcionários
Volume produzido de mais de 270 mil toneladas/ano

SOBRE A TIGRE

A Tigre é a multinacional brasileira líder na fabricação de tubos, conexões e acessórios em PVC no Brasil e na América do Sul e uma das maiores do mundo. Referência nos mercados Predial, de Infraestrutura, Irrigação e Indústria, é reconhecida também pela sua cultura de valorização das pessoas. Fundada em 1941, tem oito plantas no Brasil, incluindo fábrica de pincéis (Pincéis Tigre), perfis de PVC (Claris) e acessórios (Plena), e 12 no exterior (Argentina, Bolívia (2), Chile (3), Colômbia, Equador, Peru, Estados Unidos, Paraguai, Uruguai). Conta com 6.763 funcionários e mais de 350 mil toneladas de produtos são fabricados anualmente. O faturamento em 2009 foi de R$ 2,3 bilhões.

SOBRE A ADS

Drenagem Advanced Systems, Inc. (ADS) é o maior produtor mundial de tubo corrugado em polietileno de alta densidade (PEAD). Fundada em 1966, tem uma rede global de 42 fábricas e mais de 30 centros de distribuição. Além do seu carro-chefe, os tubos N-12, a empresa oferece uma linha completa de conexões e outros acessórios, incluindo produtos renomados como: StormTech ®, Nyloplast ®, BaySaver Technologies ®, FLEXSTORM ™ Inlet Filtros e vários geotêxteis.

SOBRE A TIGRE-ADS

A TIGRE-ADS é uma joint venture criada em 2009 pela brasileira Tigre e pela americana ADS (Advanced Drainage Systems Inc.) para atuar na produção e comercialização de tubos corrugados de Polietileno de alta densidade (PEAD) para sistemas de drenagem, saneamento e detenção, retenção e infiltração. A empresa atende aos mercados de infraestrutura, mineração, irrigação, aterros sanitários e drenagem esportiva. Sua atuação é na América do Sul com sede em Santiago, Chile, onde possui duas fábricas. A terceira unidade inaugurada em março de 2011 fica localizada no Brasil, na cidade de Rio Claro, interior de São Paulo. Na América do Sul, a empresa conta com 175 funcionários e investiu US$ 40 milhões no triênio de 2009 a 2011, para dar suporte à construção de suas plantas e início das operações.

Fonte: Tigre

TIGRE dobra sua capacidade produtiva no Equador

04/08/2010

A Tigre, líder no mercado da America do Sul de tubos e conexões, adquire a planta industrial e os ativos de produção de tubos de PVC da equatoriana Israriego, empresa anteriormente controlada pela Plastro Irrigation de Israel e recentemente comprada pela Deere & Co. Com esta compra, a Tigre soma 8% ao seu market share no Equador. Desta forma, a empresa fortalece sua atuação neste país, agrega uma área de 15 mil m², e aumenta sua capacidade produtiva em tubos de PVC.

Essa negociação está relacionada à estratégia da Tigre de expansão internacional e consolidação da liderança em todos os mercados onde o Grupo atua. A Tigre está presente em Quito com uma unidade fabril e um centro de distribuição desde 2007. Desde então tem registrado um crescimento expressivo, comparando o primeiro semestre de 2010 com o mesmo o período do ano passado, a Tigre Equador apresenta um crescimento superior a 60%.

“Com esse investimento teremos um posicionamento mais fortalecido no Equador e nos demais mercados da América do Sul”, declara Maria Aparecida Hallack, Vice-Presidente da Tigre de Negócios Internacionais.

Vale ressaltar que a Tigre Equador agregará também uma eficiente rede de distribuição, fazendo com que consumidores (final e revenda) tenham uma gama mais completa de produtos e serviços.

Tigre e sua atuação no exterior

A Tigre está entre as 10 empresas brasileiras mais internacionalizadas segundo o estudo da Fundação Dom Cabral, “Transacionais Brasileiras 2010”, pelo segundo ano consecutivo. Hoje, possui 12 fábricas no exterior, concentradas no continente Americano, e mantém negócios com mais de 40 países, que representam 25% de seu faturamento anual (em 2009, a Tigre registrou receita de R$ 2,3 bilhões).

No primeiro semestre de 2010, o Grupo Tigre teve crescimento de 34% e duplicou o seu resultado operacional, em relação ao mesmo período de 2009, em todas suas unidades no exterior.

A TIGRE NO EXTERIOR

Número de fábricas: 12 (Argentina, 2 na Bolívia, 3 no Chile – incluindo as plantas da joint-venture TigreADS, Colômbia, Equador, Peru, Estados Unidos, Paraguai, Uruguai)

Funcionários no exterior: 1.500

Contratações no exterior em 2009: 200 colaboradores

SOBRE A TIGRE

A Tigre é a multinacional brasileira líder absoluta na fabricação de tubos, conexões e acessórios em PVC na America do Sul e uma das maiores do mundo. Referência nos mercados Predial, de Infraestrutura, Irrigação e Indústria, é reconhecida também pela sua cultura de valorização das pessoas. Fundada em 1941, tem 8 plantas no Brasil, incluindo fábrica de Pincéis (pincéis Tigre), perfis de PVC (Claris) e acessórios (Plena), e 12 no exterior (Argentina, Bolívia (2), Chile(3), Colômbia, Equador, Peru, Estados Unidos, Paraguai, Uruguai). Conta com 6.250 funcionários e mais de 300 mil toneladas de produtos são fabricados anualmente. O faturamento em 2009 foi de R$ 2,3 bilhões.

Fonte:  Tigre