Posts Tagged ‘Sopro’

Romi exibe nova máquina para injeção de PVC na Plastech 2013

20/08/2013

Empresa mostra seu mais recente lançamento na feira mais importante da região Sul do Brasil

Máquinas de alta performance desenvolvidas para atender às mais diversas necessidades dos clientes serão exibidas pela Indústrias Romi S.A. durante a Plastech 2013, a mais importante feira do setor de plásticos da Região Sul.

Líder brasileira no setor de máquinas-ferramenta e máquinas para plásticos, além de importante produtora de fundidos e usinados, a Romi levará à feira sua mais nova linha de máquinas para injeção de conexões em PVC. O destaque da nova linha é a injetora ROMI EN 380 PVC, destinada ao mercado da construção civil, com aplicações em PVC rígido.

A Romi também vai expor em seu estande a sopradora ROMI P, máquina que utiliza recurso hidráulico de alta performance, produzindo frascos em geral. O equipamento permite alta eficiência e produtividade na fabricação de embalagens de até 5 litros.

Para William dos Reis, diretor da Unidade de Negócios de Máquinas para Plástico da Romi, a participação na Plastech é uma oportunidade de a empresa demonstrar seus lançamentos para o público da desenvolvida Região Sul. “Investimos em um equipamento voltado para a injeção de PVC, pois essa é uma demanda que ouvimos dos nossos clientes e se encaixa no atual momento da construção civil brasileira.”

Com um dos maiores estandes da feira, localizado na rua S/O, a Romi põe à disposição de todos os clientes produtos de alta tecnologia, qualidade e confiabilidade. Para que os clientes entendam bem o funcionamento dos equipamentos, a equipe de vendas dará orientação técnica sobre a melhor aplicação de máquinas para plástico. Os clientes poderão contar com a opção do Finame, financiamento disponível para empresas brasileiras, com taxa de juros 0,29% a.m.

A Plastech Brasil 2013 estará aberta entre os dias 27 e 30 de agosto, no Parque Mário Bernardino Ramos (local dos Eventos Festa da Uva), em Caxias do Sul. Realizada a cada dois anos, a feira terá nesta edição mais de 250 expositores. Os organizadores esperam mais de 22 mil visitantes.

Fonte: Romi

Curta nossa página no

Anúncios

Pavan Zanetti apresenta máquinas para transformação de plásticos na Plastech Brasil

06/08/2013

Pavan_Zanetti_PlastechAtuante no mercado de fabricação de máquinas desde 1966, a Pavan Zanetti é hoje uma das maiores da América Latina. Atualmente a empresa exporta para países como Porto Rico, Marrocos, México e Estados Unidos. Com sede em Americana (SP) e filial de assistência técnica em Recife (PE), a empresa fornece máquinas para transformação do plástico pelos processos de sopro e injeção. Segundo a Pavan Zanetti, seus equipamentos oferecem alta qualidade, produtividade e eficiência energética, associadas à baixa manutenção e facilidade de operação.

A Pavan Zanetti participou da Plastech Brasil em 2007 e na ocasião entregou duas sopradoras para a unidade do Senai em Caxias do Sul. O retorno à feira se dá com o objetivo de melhorar a participação na região, já que a empresa está com novos representantes e produtos no Rio Grande do Sul. Além disso, neste ano o plano de investimento da empresa foi concluído com a construção de uma nova fábrica e compra de maquinas para usinagem e TI. No momento a Pavan está implementando todos os equipamentos comprados na nova sede, já em pleno funcionamento. O investimento foi de cerca de R$ 15 milhões até o momento.

De acordo com o diretor comercial da empresa, Newton Zanetti, a empresa investiu fortemente nos últimos três anos, por isso, acredita que este é o momento de melhorar a participação na área e que a feira poderá ajudar nisso. A expectativa para a Plastech Brasil 2013, de acordo com Zanetti, é melhorar as vendas de injetoras e sopradoras. Ele afirma que a Plastech oferece uma reunião de grande número de clientes potenciais com a possibilidade de um show room de máquinas funcionando, dando visibilidade aos produtos e empresas.

“Temos a liderança no setor de sopro, crescendo muito na área de injetoras e sopro de PET e temos produtos a oferecer ao mercado gaúcho que justificam o investimento nessa feira, além de ser uma região industrial forte no plástico. Sempre dizemos que não podemos vender apenas equipamentos para plásticos, e sim também a confiança de que o cliente, ao comprar uma máquina, terá o respaldo de assistência técnica e bom funcionamento”, garante o diretor.

Fonte: PlastechBrasil 2013

Curta nossa página no

Romi registra melhor resultado trimestral desde o fim de 2011 e alcança R$ 11,7 milhões de EBITDA das Operações Continuadas

02/08/2013

Pelo quarto trimestre consecutivo, o EBITDA da companhia foi positivo, reflexo da busca contínua de eficiência operacional e reajuste gradual dos preços

As Indústrias Romi S.A., empresa brasileira fabricante de máquinas-ferramenta e máquinas para processamento de plásticos e importante produtor de peças fundidas e usinadas, atingiu R$ 151,4 milhões no trimestre e R$ 291,7 milhões no semestre em valor de receita operacional líquida das Operações Continuadas.  Isso representa aumento de 45,2% e 17,4% em comparação com os mesmos períodos de 2012.

Em Máquinas-Ferramenta, a receita operacional líquida atingiu R$ 99,4 milhões no 2T13, dos quais R$ 18 milhões se referem à consolidação da receita operacional líquida da B+W. Esse montante consolidado representou aumento de 35,7% se comparado com o mesmo período no ano anterior e de 0,6% ao 1T13. Já no semestre, a receita operacional líquida dessa unidade foi de R$ 198,3 milhões, o que representa crescimento de 11,2% em relação ao mesmo período de 2012.

No segundo trimestre de 2013, o faturamento líquido da Unidade de Negócios de Máquinas para Plásticos totalizou R$ 23,3 milhões, representando aumento de 84,7%, em relação ao 2T12 e de 33,6% quando comparado ao trimestre imediatamente anterior.

As vendas físicas da unidade de fundidos e usinados somaram 4.436 toneladas no 2T13, um aumento de 43,5% sobre o 2T12 (3.092 toneladas). Nesse período, a Receita Operacional Líquida da unidade foi de R$ 52,7 milhões, o que representa aumento de 32,7% em relação ao mesmo período em 2012. Foram vendidas 8.034 toneladas de produtos fundidos e usinados no período, 21,6% a mais que o obtido nos mesmos meses de 2012.

“Alcançamos no mercado interno crescimento de 30,9% em nossa receita líquida, se comparada ao primeiro semestre de 2012. Esse fato mostra o fortalecimento dos produtos Romi como um todo e nos deixa ainda mais confiantes para enfrentar os desafios dos próximos trimestres”, afirma Livaldo Aguiar dos Santos, diretor presidente da Romi.

A carteira de pedidos da companhia, em junho, apresentou-se 35% superior quando comparada ao primeiro trimestre de 2013, alcançando, assim, a marca de R$ 330,1 milhões no 2T13. Um dos fatores que auxiliaram a carteira nesse período foi a realização de duas grandes feiras do setor em São Paulo, a Feiplastic e a Feimafe. O lucro líquido das Operações Continuadas da Romi foi de R$ 5,1 milhões no segundo trimestre de 2013.

Nota: O EBITDA corresponde ao lucro antes do resultado financeiro, impostos sobre o lucro, depreciação e amortização.F

Fonte:  Indústrias Romi

Curta nossa página no

Romi investe em linha de baixo consumo energético e lança modelo de aplicação em PVC na Feiplastic

23/05/2013

Na primeira edição da Feira Internacional do Plástico, empresa apresenta novas soluções tecnológicas para a cadeia produtiva dos clientes

Empresa líder no setor brasileiro de máquinas para plásticos, a Indústrias Romi S.A. participou da 1ª Feira Internacional do Plástico, Feiplastic 2013, entre os dias 20 e 24 de maio, no Parque Anhembi, em São Paulo. A companhia apresentou no evento quatro novos equipamentos, que refletem a preocupação com o baixo consumo energético. Atenta às necessidades do mercado, a Romi expandiu a linha EN, com as injetoras ROMI EN 380 PVC e ROMI EN 450. Investiu na série EL, com a injetora ROMI EL 75, e para o mercado de sopro apresentará a nova linha ROMI C 5TS com Sistema IML. Além desses lançamentos, outro destaque na feira foi a sopradora ROMI PET 230.

Como empresa brasileira líder no setor de máquinas-ferramenta, além de importante produtora de fundidos e usinados, a Romi investe 4% de seu faturamento líquido em pesquisa e desenvolvimento, o que possibilita a renovação anual de seu portfólio.

Para William dos Reis, diretor de Máquinas para Plástico, a perspectiva de novos negócios é ampliada com a exposição na feira. “Estamos ansiosos com a Feiplastic, pois entendemos que esses novos equipamentos vão facilitar o processo industrial de nossos clientes. Focamos na ideia de oferecer produtos com a mais alta tecnologia e confiabilidade, com destaque para a nova injetora ROMI EN 380 PVC, equipamento que desenvolvemos para o setor de construção civil e que durante a feira vai injetar conexões”.

As linhas de máquinas ROMI EN e EL atendem aos requisitos de economia de consumo energético e matéria-prima, por conta da maior precisão de movimentos. “Destacamos ainda o alto nível de precisão dos equipamentos, que contam com movimentos independentes, acionados por servomotores, que são ‘energizados’ somente durante o efetivo movimento”, diz Reis.

A sopradora ROMI C 5TS dispõe de projeto hidráulico de alta performance e novo conceito de cabeçotes, com múltiplas zonas de aquecimento e fluxo otimizado. Ela é destinada à fabricação de frascos com até 5 litros para as indústrias de embalagem em geral. Já a sopradora automática ROMI PET 230 pode produzir até 2.500 frascos por hora, com até 3 litros de capacidade volumétrica, e tem como diferencial alimentação e extração automáticas. A máquina atende à fabricação de garrafas PET para as indústrias de alimentos, bebidas e produtos de higiene e limpeza.

Com um dos maiores estandes, localizado na rua K/L, a Romi pôs à disposição de todos os clientes produtos de alta tecnologia, qualidade e confiabilidade, além de orientação técnica de sua equipe de vendas para a melhor aplicação em máquinas para plástico. Os clientes também contaram com a opção do Finame, financiamento disponível para empresas brasileiras, com taxa de juros de 0,25% ao mês. Todos os equipamentos Romi em exposição estiveram ligados para maior interatividade com os visitantes da Feiplastic.

Fonte: Romi

Curta nossa página no

Área de Embalagens Rígidas e Especialidades Industriais da Dow tem novo Gerente de Marketing para a América Latina

27/02/2013

Dow_CastellanosO mexicano Alejandro Castellanos é o novo Gerente de Marketing para Embalagens Rígidas e Especialidades Industriais para a América Latina da Dow. Com o desafio de destacar junto ao mercado o amplo portfólio de soluções para tubulações, rotomoldagem, embalagens de sopro e de injeção e tampas de bebidas, desde janeiro de 2013 Castellanos é o responsável pelo posicionamento de linhas de produtos de polietileno de alta densidade e lineares, com marcas como  Fingerprint e Continuum. “Nossa principal meta é oferecer a solução adequada para nossos clientes, favorecendo a cadeia de valor”, comenta.

Graduado em Economia, Alejandro Castellanos está na Dow desde 2005 e já atuou em diversas funções na empresa. Entre elas, foi nomeado gerente de contas para Polietileno e Polipropileno em 2008 e, dois anos depois, juntou-se ao grupo de Elastômeros como Gerente de Produtos. Para atuar na área de Rígidos, Alejandro Castellanos ficará baseado no México.

Fonte: Dow

Curta nossa página no

Novas resinas automotivas da Braskem chegam ao mercado

15/10/2012

Novo polietileno é destinado para produção de tanques de combustível

 Atenta às tendências e necessidades de seus clientes, a Braskem desenvolveu novas resinas para o setor automotivo. O aprimoramento de seu portfólio tem como objetivo ampliar a oferta de produtos de alta qualidade e que estão em linha com o mercado internacional. Os novos grades de polietileno que acabam de chegar aos clientes são destinados à aplicação em sistemas de armazenamento de combustíveis. A novidade fica por conta das resinas HS4506 e HS4506A.

“O uso de polietileno na produção de tanques de combustível possibilita aliar alta segurança, redução de peso e maior grau de liberdade no design em relação ao de metal, o que possibilita um melhor aproveitamento do espaço disponível no veículo para a instalação dos tanques. Atualmente, 67% dos tanques automotivos já são produzidos com polietileno no Brasil”, destaca Claudia Arruda, diretora comercial da Braskem.

Nos novos grades da Braskem, a combinação única de processo produtivo, catalisador e comonômeros utilizados permitiu alcançar um produto com estrutura molecular distinta dos encontrados atualmente. Como resultado, as novas resinas possuem melhor processabilidade, resistência química e à corrosão, peso reduzido, durabilidade, melhor compatibilidade com outras resinas e baixa condutividade térmica.

A resina HS4506 foi desenvolvida para produção de tanques de combustível automotivos, bem como para fabricação de tubos de enchimento e de reservatórios de partida a frio. Também é indicada para produção de tanques fluoretados e coextrudados.

Já a resina HS4506A é especialmente aditivada para garantir maior resistência à radiação ultravioleta e às intempéries. A resina é destinada à produção de tanques de combustível para caminhões e para o segmento de reposição automotiva. Um dos seus destaques é aparência homogênea, ideal para tanques aparentes, como no caso dos caminhões.

Fonte: Braskem

Curta nossa página no

Eastman anuncia nova resina PET de extrusão-sopro para aplicações em embalagens de bebidas

04/10/2012

A Eastman Chemical Company anunciou a adição do polímero Aspira ™ One ao seu portfólio de resinas. Com o código de identificação da resina igual a 1 (RIC 1), o Aspira One foi desenvolvido especificamente para os processos de extrusão-sopro e aplicações de embalagem, tais como frascos transparentes com alças e garrafas grandes. Tratando-se de um novo polímero de PET, ele proporciona um equilíbrio ótimo entre capacidade de reciclagem, desempenho do produto, eficiência da produção e estética em relação a resinas de poliéster alternativas disponíveis para o mercado de extrusão-sopro.

O polímero Aspira ™ One  possui quatro principais atributos desejados pelos principais transformadores: sustentabilidade, flexibilidade de design, resistência da garrafa e eficiência do processo em plataformas de extrusão-sopro existentes. O polímero é sustentável pois ele é compatível com o fluxo de reciclagem de PET e, por conseguinte, é classificado com RIC 1. O Aspira One recebeu o reconhecimento de resina da Associação de Recicladores de Plástico Pós-consumo (APR) dos Estados Unidos, em julho de 2012, por cumprir o protocolo do Documento de Orientação Crítica para Garrafa PET.

O Aspira™ One permite a concepção de embalagens originais, transparentes e brilhantes, como alças através de orifícios e outras características inovadoras, que só podem ser obtidos pelo processo de extrusão sopro. Para um bom desempenho das garrafas, o material oferece uma robusta resistência e é livre de bisfenol A e halogênios. A clareza cristalina de Aspira One permite que o consumidor veja o conteúdo de seus frascos, proporcionando uma valiosa diferenciação do produto e apelo na prateleira.

Em contraste com outras resinas de poliéster para extrusão-sopro, o Aspira™ One é um material amorfo, oferecendo uma experiência de extrusão-sopro melhorada em relação a outros produtos. Em função dos pellets de Aspira™ One não serem cristalinos, eles podem ser secados e processados a temperaturas mais baixas do que outras resinas de PET. Isto reduz o consumo de energia, melhora a qualidade do material fundido e minimiza a degradação térmica do polímero. Outra característica é que não é necessária a cristalização de rebarbas recicladas das garrafas, pois os pellets de Aspira™ One são amorfos. Finalmente, o Aspira™ One não sofre fratura do material fundido em taxas altas de extrusão, dando-lhe alta transparência em todas as plataformas de extrusão-sopro.

“O polímero Aspira™ One fornece a solução simples que os transformadores líderes e proprietários de marcas estão procurando”, disse Ron Salati, Gerente de Desenvolvimento de Mercado Global para especialidades de embalagens plásticas da Eastman. “De fato, as principais empresas globais de bebidas devem usar garrafas de Aspira™ One, a partir de 2013.”

“A adição de Aspira™ One ao portfolio da Eastman se encaixa bem com outros produtos da empresa, pois a Eastman tem uma longa história de fornecimento de soluções inovadoras de embalagens para os mercados de alimentos, bebidas, cosméticos, produtos médicos e mercados de consumo com produtos feitos de materiais que incluem os copoliésteres Tritan ™ e Abrace ™ “, disse Burt Capel, diretor da unidade de negócios de plásticos da Eastman.

Fonte: Eastman

Curta nossa página no

Interplast 2012: Romi expõe sopradora recém-lançada

11/07/2012

Empresa traz para o principal evento do setor na Região Sul a Sopradora ROMI Premium Full e a injetora hidráulica ROMI EN 150

 A Romi apresenta ao público da Interplast 2012 sua mais nova máquina para o setor de sopro, a Sopradora ROMI Premium Full. O equipamento, que produz frascos em geral, oferece alta eficiência e produtividade, para fabricação de embalagens de até 5 litros.

Durante o evento, os visitantes também poderão conhecer a injetora ROMI EN 150 para PVC, máquina equipada com servobomba, que garante melhor performance do sistema hidráulico, resultando em baixo consumo energético e reduzido nível de ruído. Ela é voltada para a produção de peças de pequeno e médio porte, com aplicações de até 170 toneladas.

Segundo o diretor da área de Máquinas para Plástico, William dos Reis, a Interplast é uma feira de extrema importância para o Sul do Brasil, região que se destaca pelo grande potencial e desenvolvimento industrial. “Queremos reforçar a presença da companhia nessa região, demonstrando assim nosso amplo portfólio de máquinas para processamento de plástico.”

A Interplast – Feira e Congresso de Integração da Tecnologia do Plástico será realizada entre os dias 20 e 24 de agosto, das 14 às 21 horas, no Expoville, em Joinville/SC. Durante o evento, a Romi colocará toda a estrutura da companhia à disposição dos seus clientes, como vendas, serviços pós-venda, reforma de máquinas, entre outros.

Fonte: Indústrias ROMI

Curta nossa página no

Interplast: Bekum do Brasil apresenta sua linha de máquinas sopradoras

06/07/2012

A empresa alemã Bekum, especializada na fabricação de máquinas sopradoras para o mercado transformador de plásticos, estreia na Interplast com a apresentação de linha de máquinas 100% fabricadas no Brasil. Produzidas conforme rigorosos padrões de qualidade, as sopradoras da Bekum são conhecidas por sua produtividade, longevidade e resistência ao desgaste e tem capacidade de soprar artigos entre 50 ml e 160 l em mono e multicamada. Em seu estande, a empresa vai expor também peças de reposição para os seus equipamentos.

Além de comercializar máquinas sopradoras, a Bekum conta com serviços pós-venda, vendas de peças e engenharia. “Esse atendimento completo, que vai da venda do equipamento até a assistência técnica e disponibilidade de peças para reposição, é, certamente, um diferencial, que proporciona mais segurança e comodidade aos nossos clientes”, comenta Romi Kuhlemann, gerente de marketing da Bekum.

Fonte: Messe Brasil

Curta nossa página no

Interplast: Pintarelli apresenta sopradora da nova linha Starmaq

06/07/2012

A Pintarelli Industrial vem se firmando como fabricante de máquinas sopradoras por extrusão contínua, com mais de 60 equipamentos das linhas Starmaq, Soprática e Versátile fornecidos ao mercado nacional. Tratam-se de células automatizadas, para os mais variados segmentos de embalagens, que destacam-se pela qualidade, produtividade e  relação custo x benefício.

Focalizada em atender as necessidades e contribuir com o crescimento de seus clientes, a Pintarelli Industrial, em parceria com a Blufer Tecnoplast, tradicional fabricante de periféricos para a área de sopro, oferece soluções completas permitindo a formação de célula produtiva com sopradoras totalmente automatizadas, do sopro até a embalagem final dos frascos soprados.

Na Interplast 2012, a Pintarelli Industrial apresentará um modelo da linha de sopradoras Starmaq totalmente automatizada com periféricos fabricados pela Blufer Tecnoplast. A nova linha foi totalmente reestilizada, está mais robusta e com força de fechamento maior. Desenvolvida para atender a NR-12, permite um maior número de cavidades na mesa de sopro. O sistema hidráulico foi projetado para ter o melhor desempenho em termos de velocidade de trabalho, com controle proporcional e menor geração de ruído. O comando por IHM gráfica de 10 touch screen permite o acesso rápido a todos os parâmetros operacionais. Outro grande diferencial é o baixo consumo de energia e a possibilidade de incrementar mais cavidades com maior velocidade em célula totalmente automatizada.

Fonte: Messe Brasil

Curta nossa página no

Clariant desenvolve nova tecnologia de cores líquidas para sopro de poliolefinas.

14/05/2012
  • Tecnologia de veículo líquido é ideal para extrusão-sopro em monocamada
  • Elimina problemas com líquidos em contêineres de poliolefinas
  • Abre novas opções para os proprietários de marcas e os transformadores de plástico

A nova tecnologia de veículo líquido (LVT), desenvolvido pela Clariant Masterbatches parece eliminar muitos dos problemas que têm impedido uma maior utilização de cores líquidas e concentrados de aditivos no processo de extrusão-sopro de poliolefinas (polietilenos de alta e baixa densidade e polipropileno). Testes iniciais com contêineres em monocamada mostram que esses sistemas – altamente compatíveis – permitem cargas mais elevadas de pigmentos e menores taxas de utilização e ao mesmo tempo praticamente eliminam os desafios anteriores relacionados com o deslizamento na rosca. A melhor compatibilidade com as resinas resulta em linhas de união mais fortes no produto acabado, como evidenciado por muitos testes padrão de compressão sob carga e ruptura

“Transformadores que trabalham com extrusão-sopro e proprietários de marcas nos mercados de cuidados pessoais e produtos de uso doméstico muitas vezes identificam os masterbatches líquidos como sendo uma alternativa atraente em relação aos concentrados sólidos”, disse Raymond Sloan, Chefe de Cores Líquidas da Clariant Masterbatches na América do Norte. “No entanto, até agora, a utilização de cores líquidas tem sido limitado no processo de sopro de resinas de poliolefinas porque muitos veículos líquidos para as cores (incluindo óleo mineral) não se incorporam às resinas. Esses veículos eram amigáveis aos pigmentos, mas às resinas.”

Os novos masterbatches da Clariant utilizam um veículo líquido que incorpora auxiliares de suspensão, além de ligantes terem sido também incorporados aos novos masterbatches LVT para permitir cargas mais altas de pigmentos e (na maioria dos casos) menores taxas de utilização. Os componentes adicionais aumentam o fluxo de permitem mudanças de cor significativamente mais rápidas. Estes e outros avanços permitem que a Clariant ofereçam vantagens funcionais significativas em importantes aplicações e mercados. Os benefícios incluem:

Melhoria da resistência das linhas de união. Veículos anteriores tinham uma tendência para rapidamente migrar para a superfície de contêineres moldados por extrusão-sopro, interferindo na solda das junções do material. Em contraste, os novos produtos líquidos da Clariant parecem, na verdade, auxiliar na formação de uma junção forte. Os produtos acabados fabricados com os novos masterbatches LVT foram facilmente aprovados nos testes industriais padronizados de resistência à carga e de queda.

Melhores características de processamento. As novas cores líquidas da Clariant têm um efeito positivo sobre o fluxo de material na extrusora. O menor deslizamento na rosca produz uma melhor mistura, uma dispersão mais completa e menos estrias. Produz também temperaturas de processamento menores em até 17 ° C, de modo que menos resfriamento é necessário.

Mudanças de cor mais rápidas. Maior Produtividade. Os produtos LVT Clariant tendem a não aderir a superfícies metálicas e, na verdade, podem atuar como um agente de limpeza, removendo depósitos deixados por outros corantes. Mudanças de cor – que podem normalmente demorar várias horas quando se usam corantes sólidos – podem agora ser completadas em minutos com as novas cores líquidas da Clariant. Isso significa que os processadores gastarão muito menos tempo produzindo refugo para reprocessamento e mais tempo produzindo os seus contêineres reais que serão vendidos.

“Até agora”, diz Sloan, “os testes foram completados em vários tipos de recipientes de monocamada e estamos confiantes que resultados semelhantes podem ser alcançados em aplicações multicamadas envolvendo tanto cores opacas como efeitos perolizados. Apesar dos líquidos terem tido somente uma aceitação limitada nesses mercados, nós esperamos plenamente que a nossa nova tecnologia, juntamente com a nossa assistência técnica líder à indústria e o alcance global da Clariant nos permitirá descobrir novas oportunidades no mercado de extrusão-sopro. A Clariant está ativamente procurando transformadores que possam ser nossos parceiros para nos ajudar a testar e a comprovar os benefícios LVT em aplicações específicas. “

COMPROMISSO GLOBAL

A Clariant tem oferecido, em escala global, masterbatches líquidos para PET e outras aplicações há muitos anos. Em 2008, a Clariant adquiriu a Rite Systems, Inc., um fornecedor americano líder de masterbatches líquidos e tecnologia de veiculação, com sede em West Chicago, IL. A nova tecnologia de veículo líquido para extrusão-sopro foi desenvolvida lá e testada de forma abrangente na América do Norte. Ela agora está sendo implementado também em três plantas na América do Sul e em outras na Europa e China.

“A Clariant é uma das poucas empresas capazes de oferecer masterbatches de cores e aditivos em forma sólida e líquida em uma escala global, tanto para PET como para poliolefinas”, observa Matthias Brommer, Vice Presidente de Marketing da Clariant Masterbatches. “Estamos empenhados em oferecer aos nossos clientes opções de formas líquidas e sólidas, fazendo recomendações imparciais baseadas apenas no que é melhor para suas aplicações específicas.”

Fonte / Foto: Clariant

Curta nossa página no

Empresas Italianas promovem Rodada de Negócios em Caxias do Sul

24/11/2011

Voltado para o setor de plástico e borracha, o evento conta com apoio do Simplás, do Simecs e da Abiplast

Um grupo de empresas italianas vem à cidade de Caxias para promover o Seminário Tecnológico Itinerante no Brasil e uma Rodada de Negócios. O evento acontecerá no dia 1º de dezembro, das 8h30min às 18h, e será sediado no Personal Royal Hotel. O objetivo é proporcionar às empresas locais a oportunidade de realizar negócios com organizações italianas, que apresentarão as inovações tecnológicas no setor de máquinas para a indústria das duas cadeias. A participação é gratuita e as inscrições podem ser feitas somente através do site http://foldermais.com.br/ice/formulario_rs.php.

As empresas italianas que participarão das rodadas de negócio atuam com extrusoras monorrosca, duplarrosca e linhas completas; com linhas de extrusão para perfis e respectivos equipamentos auxiliares, cabeçotes e fieiras de extrusão; com termoformadoras; com soldadoras à alta freqüência; com moldes à injeção; com máquinas de rotomoldagem; com prensas e moldes à compressão para tampas e fechamentos e com máquinas sopradoras para peças plásticas (garrafas/frascos).

Quem promove é o evento é o Departamento para a Promoção de Intercâmbios da Embaixada da Itália e a Associação dos Fabricantes Italianos de Máquinas e Moldes para Matérias Plásticas e Borracha (Assocomaplast). As entidades contam com a colaboração da Associação Brasileira da Indústria do Plástico (Abiplast), do Sindicato das Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e de Material Elétrico de Caxias do Sul (Simecs) e do Sindicato das Indústrias de Material Plástico do Nordeste Gaúcho (Simplás).

Fonte: Núcleo Comunicação e Marketing

Eastman e Bekum realizam palestra e demonstração no Senai de Jundiaí sobre o processo de extrusão-sopro e aplicações de resinas de copoliéster.

18/11/2011

A Eastman Chemical do Brasil e a Bekum do Brasil realizaram no dia 8 de novembro, no SENAI Jundiaí, um Open House para convidados. Os participantes assistiram uma palestra dada pelas duas empresas envolvendo aspectos técnicos e possíveis usos para resinas de copoliéster .

Após a palestra, os convidados foram encaminhados a uma sopradora Bekum  que operava com a resina GN001, da Eastman, para produção de garrafas de 500ml sem alça. O GN001 é uma resina de PETg direcionada para o processo de extrusão sopro, conferindo ao produto final boas caracteristicas de transparência e brilho.

 As resinas copoliéster GN001 e EB062 são materiais transparentes, de fácil processamento, que se adequam muito bem aos equipamentos de extrusão-sopro. Por serem resinas obtidas de matérias primas da linha de produção do PET, podem ser recicladas junto com este, podendo, inclusive, ter o número “1” de reciclagem.

 “Os nossos copoliésteres não possuem plastificantes ou geram qualquer tipo de gás tóxico durante seu processamento. Possuem FDA para contato com alimentos, e não necessitam de materiais especiais para limpeza da máquina ou para suas paradas”, afirma Mauro Kohler, Representante da Área de Assistência Técnica da Eastman.

Fonte: Eastman

Unipac desenvolve embalagem de 10 Litros autoempilhável

27/10/2011

A novidade está em conformidade com a norma UN e oferece melhor empilhamento na atividade logística, devido ao seu formato e geometria

Atenta às demandas de mercado, a Unipac, uma divisão de negócios do Grupo Jacto, lança a embalagem de 10 litros autoempilhável, que é indicada para o armazenamento e transporte de produtos líquidos da área de alimentos ou de substâncias químicas, agroquímicas, entre outras que requerem homologação de acordo com as exigências da Norma UN – que classifica as embalagens e contentores para o transporte de produtos perigosos via marítima e terrestre.

A embalagem de 10 litros autoempilhável da Unipac tem um design planejado e seu formato e geometria proporcionam excelentes ganhos no processo de logística. Ela facilita o acondicionamento direto no palete e reduz o espaço necessário para o armazenamento, pois permite o empilhamento de até quatro bombonas (1+3), dependendo do peso e densidade do produto a ser envasado – e sem a necessidade de outros meios como, por exemplo, caixas de papelão. Com esta configuração de empilhamento, é possível dispor até 100 bombonas em paletes de 1,00 x 1,2 metro.

Nesse projeto, a Unipac seguiu o formato de outras embalagens já desenvolvidas pela empresa, que possuem a alça esmagada na mesma altura do bocal. Isso reduz o peso da embalagem e confere melhoria significativa nas linhas de envase, além de evitar que os produtos circulem pela mesma durante o transporte.

A Unipac optou pelo desenvolvimento da embalagem após constatar que a solução atenderia diversos segmentos, trazendo redução de custos e vantagens às empresas que adotam as bombonas autoempilháveis em substituição às embalagens atuais, que requerem outros insumos para o transporte adequado, tais como caixa de papelão, fitas adesivas e mão de obra para montagem, além de investimentos por parte do cliente para homologação do conjunto – no caso da bombona de 10 litros autoempilhável, a Unipac se responsabiliza pela sua homologação.

“Fizemos pesquisas e, a partir dos resultados, projetamos um modelo que confere um ótimo desempenho técnico e econômico aos nossos clientes”, informa Vailton Carlos Bonfim, gerente comercial da Unipac. O executivo lembra que esse lançamento aumenta o portfólio de produtos da Unidade de Negócios de Embalagem da empresa, composta por itens com vários formatos, tamanhos e tampas, todas homologadas de acordo com suas respectivas normas e prontas para atender às mais diversas necessidades dos clientes.

 Testes confirmam qualidade da embalagem

A embalagem de 10 litros autoempilhável da Unipac é fabricada em polietileno de alta densidade (PEAD), pelo processo de sopro, e foi aprovada em todos os testes de homologação para transportes de produtos perigosos via terrestre, conforme a Resolução 420/04, da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), entre eles: resistência à queda (-18 °C), verificação de estanqueidade, teste de pressão hidráulica e empilhamento.

Em seguida, os Organismos de Certificação de Produto (OCP), credenciados pelo Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Inmetro), certificaram a embalagem para o envase de produtos classificados nos grupos de risco II e III e com densidade de até 1,4 g/cm3. Paralelamente, foram realizados no laboratório próprio da Unipac – além dos já citados -, os testes de stress cracking (análise de falha sob tensão – envelhecimento da embalagem) e de envase – este realizado em conjunto com clientes interessados em adquirir a embalagem.

Como parte de seu propósito de prover soluções inovadoras e de manter a qualidade em todas as suas etapas e processos, a Unipac possui um moderno laboratório de ensaios, como equipamentos de alta tecnologia, que fica na sede da empresa, em Pompeia (SP). Nele, é possível desenvolver, transformar e testar cada produto, de acordo com as especificações das normas técnicas vigentes, trazendo ainda mais garantia e confiabilidade aos produtos da marca Unipac.

Para a embalagem de 10 litros autoempilhável, a Unipac possui uma linha de tampas que se diferencia pela segurança contra violação, abertura involuntária ou vazamentos e, ao mesmo tempo em que garante total eficiência no fechamento, proporcionando facilidade de abertura pelo usuário final, além de contribuir com o meio ambiente, pois sem comprometer qualquer característica técnica, tem menor peso frente às tampas de mercado, gerando assim menor quantidade de resíduos sólidos.

 Fonte: Unipac

Romi leva injetoras e sopradora à Plastech Brasil 2011

12/08/2011

A Indústrias Romi S.A., empresa líder brasileira no setor de máquinas-ferramenta e máquinas para processamento de plásticos, apresenta algumas de suas principais linhas de injetoras e sopradoras na Plastech Brasil 2011.

A companhia irá demonstrar, durante o evento, a injetora ROMI EL 300, um equipamento totalmente elétrico, com baixo consumo energético, que se adapta facilmente a salas limpas e é voltado para produção de peças de alta precisão. A injetora ROMI EN 150, voltada para diversas aplicações, também é composta por servobomba, recurso que permite a redução do consumo energético em relação à máquina com bomba de vazão variável.

Já a sopradora ROMI PET 230 automática é um equipamento para sopro de pré-formas com alta produção de frascos e garrafas para linha de bebidas, cosméticos, limpeza e frascos de uso geral.

Apresentando ao público gaúcho dois lançamentos da linha de injetoras, o diretor de Comercialização de Máquinas da empresa, Hermes Lago, afirma: “A Plastech está crescendo e a participação da Romi no mercado da região Sul também. Acreditamos que esse evento vai colaborar com o crescimento dos resultados da companhia em 2011.”

Outra máquina Romi em exposição será a injetora ROMI P220, que estará demonstrando uma injeção de peça no estande do SENAI.

Máquinas Romi na Plastech:

Injetora ROMI EL 300 Aplicação – máquinas elétricas que se adaptam facilmente a salas limpas. Apresentam baixo nível de ruído e são indicadas para produção de peças de alta precisão com baixo consumo de energia. Capacidade – 300 toneladas de força de fechamento, 745 g de capacidade de injeção.Essa série de máquinas propicia elevada relação desempenho/consumo energético, permitindo uma melhor relação entre produção (kg/h) e consumo energético (kW). É um projeto novo, dotado de componentes e insumos de alta confiabilidade e tecnologia.

Injetora ROMI EN 150 Aplicação – máquina de uso geral destinada a diversas aplicações: injeção de peças técnicas, utilidades domésticas, brinquedos e embalagens. Capacidade – 150 toneladas de força de fechamento, 380 g de capacidade de injeção. Diferencial – a série ROMI EN é composta por máquinas com servobomba, recurso que permite a redução do consumo energético em relação à máquina com bomba de vazão variável. O funcionamento é baseado na variação da rotação do motor: quando a máquina é exigida, o motor fornece a potência necessária ao movimento; quando a máquina está em tempo “de parada”, ou seja, num momento em que não é exigida, o motor permanece praticamente em descanso. Nessa fase, o consumo energético se aproxima muito ao de uma lâmpada convencional.

Sopradora ROMI PET 230 automática Aplicação – equipamento para sopro de pré-formas com alta produção de frascos e garrafas para linha de bebidas, cosméticos, limpeza e frascos de uso geral. Capacidade – produção de frascos e garrafas com capacidade volumétrica de até 3 litros. Dimensões – permitem moldes de duas cavidades de até 3 litros cada. Diferencial – equipamento de alta produtividade, com processo 100% automático, bem compacto em uma construção monobloco, robusto e preciso. Na Plastech 2011 estará produzindo garrafas de 500 ml para água mineral, com uma produção estimada em 1.500 garrafas por hora.

Sobre a Romi – A Indústrias Romi S.A. , fundada em 1930, é líder de mercado na indústria brasileira de máquinas e equipamentos industriais. A empresa fabrica máquinas-ferramenta, principalmente tornos mecânicos e centros de usinagem, máquinas injetoras e sopradoras de termoplásticos e peças feitas de ferro fundido cinzento, nodular ou vermicular, que são fornecidos em estado bruto ou usinado. Os produtos e serviços da Romi são vendidos mundialmente e utilizados por uma grande variedade de indústrias, tais como a automotiva, produtos de consumo geral e indústrias de máquinas e equipamentos industriais e agrícolas.

 Fonte: Assessoria de Imprensa – PlastechBrasil 2011

 

Romi leva sopradora ROMI PET 230 para a 27ª Fispal Tecnologia.

07/06/2011

A Indústrias Romi S.A., empresa líder brasileira no setor de máquinas-ferramenta e máquinas para processamento de plásticos, participa, de 7 a 10 de junho, da Fispal Tecnologia 2011, demonstrando a sopradora ROMI PET 230 automática. A máquina é voltada à fabricação de garrafas ou frascos para as indústrias de bebidas e refrigerantes, água mineral, óleos comestíveis, molhos, cosméticos, condimentos e produtos de higiene e limpeza. Durante o evento, que será realizado no Parque Anhembi, o equipamento estará soprando pré-formas de garrafas de 500 ml para água mineral, com produção estimada em 2,5 mil garrafas por hora.

Sopradora ROMI PET 230 automática

Aplicação – equipamento para sopro de pré-formas com alta produção de frascos e garrafas para linha de bebidas, cosméticos, limpeza e frascos de uso geral.

Capacidade – produção de frascos e garrafas com capacidade volumétrica de até 3 litros.

Dimensões – permitem moldes de duas cavidades de até 3 litros cada.

Diferencial – equipamento de alta produtividade, com processo 100% automático, bem compacto em uma construção monobloco, robusto e preciso.

Fonte: RP1 C0municação

Braskem apresenta 16 novos produtos na Brasilplast 2011

16/05/2011
Nova planta de PVC, que conta com investimentos de R$ 1 bilhão, também foi um dos destaques da feira

Os Clientes que visitaram o stand da Braskem na Brasilplast tiveram acesso a painéis touchscreen onde puderam visualizar todos os catálogos, selecionar o conteúdo de interesse e enviá-los para seus e-mails pessoais. Além disso, o material também esteve disponível em IPADs e em todo o estande através da rede instalada pela Braskem.

Telas touchscreen também mostraram aos presentes os cases de sucesso de parceiros da Braskem, ideias que deram certo e que já podem ser vistas na prática. Uma mesa interativa também foi criada para apresentar de forma lúdica os conceitos do selo I’m Green, que identifica os materiais da Braskem feitos a partir de fonte renovável, e do ciclo de produção do polietileno verde para o público em geral.O estande contou ainda com um sistema especial de localização dos colaboradores da Braskem através de seus crachás. Dessa forma, os clientes puderam ser atendidos de forma rápida.Os lançamentos da Braskem na Brasilplast foram:
POLIETILENOS
Solução para tanques de combustível
A resina HS4506 foi desenvolvida para produção de tanques de combustível automotivos, bem como para fabricação de tubos de enchimento e de reservatórios de partida a frio. Outro desenvolvimento da Braskem é a resina HS4506A, especialmente aditivada para garantir maior resistência à radiação ultravioleta e às intempéries. A resina é destinada à produção de tanques de combustível para caminhões e para o segmento de reposição automotiva.

Receita inovadora para o mercado de laminados
A resina Flexus 9212XP (XP = extra performance) atende às necessidades do mercado de laminados de alta performance, utilizados nos processos de empacotamento automático de elevada velocidade. É uma resina metalocênica (mPEBDL),  com o diferencial de manter mais estáveis os valores de Coeficiente de Fricção Cinético (CoF). É uma solução inovadora, patenteada pela Braskem e é resultado de uma receita capaz de melhorar a estabilidade do CoF, após a laminação, transporte  e estocagem das bobinas.

Quaterpolímero para o mercado frigorífico
Considerando as características do mercado frigorífico, a Braskem desenvolveu a resina Pluris 6301, um quaterpolímero que apresenta melhor processabilidade, selagem e alongamento. Estas características, combinadas com seu baixo nível de bloqueio e teor de géis, tornam o produto uma ótima opção para embalagem de pão de forma.

Bimodais com tecnologia Mitsubishi
As resinas BU004W e BS002W foram produzidas com tecnologia Mitsubishi e trazem um diferencial significativo de desempenho de propriedades mecânicas em relação aos demais produtos monomodais.

Excelente balanço entre rigidez e resistência ao impacto
O BS002W possibilita a redução de peso de frascos soprados, enquanto mantém as propriedades de empilhamento. A nova resina também apresenta ótima resistência ao stress cracking, o que a torna adequada para produção de frascos para embalagens de produtos tensoativos, tais como detergentes, limpadores multiuso e produtos químicos.

Redução de peso e manutenção das propriedades de empilhamento
A elevada densidade do produto BU004W proporciona uma redução de peso dos frascos e mantém as propriedades de empilhamento. O pacote de aditivos  diferenciado também proporciona aos frascos soprados com BU004 melhores propriedades ópticas com frascos mais brancos e melhor acabamento superficial.

Ótima processabilidade e excelente resistência a impacto a baixa temperatura
O produto HS5010, PEAD-APM, produzido por meio da tecnologia Loop Slurry apresenta ótima processabilidade e excelente resistência a impacto de baixa temperatura. É indicado para sopro de bombonas de embalagens de produtos químicos e agroquímicos.

Resina para o segmento de Fios & Cabos
A resina TC9008 é o mais recente lançamento da Braskem para o segmento de Fios & Cabos. É um composto à base de polietileno de baixa densidade (PEBD), pigmentado com negro de fumo. É indicado para revestimento ou capa de fios e cabos para telecomunicações e energia. O composto proporciona alta produtividade durante a extrusão, acabamento, alta flexibilidade e elevada resistência à baixa temperatura, além de proteção contra a ação das intempéries.

POLIPROPILENO

Embalagens rígidas com fluidez e resistência a impactos
O CP 191XP é um polipropileno copolímero heterofásico de alto índice de fluidez e elevada resistência a impactos. Foi desenvolvido para responder às exigências do mercado de injeção de ciclo rápido e de peças de paredes finas. Proporciona maior versatilidade e produtividade, mantendo um ótimo balanço de propriedades (rigidez e impacto). Este produto é destinado a embalagens de sorvete injetadas, utilidades domésticas e compostos automotivos.

Inovação para o mercado de Nãotecido
Este ano a Braskem está lançando para o mercado de Nãotecido o H 155, grade que apresenta elevada fluidez, possibilitando melhor desempenho na formação da camada de barreira obtida pelo processo meltblown. Este grade substituirá o H 152 no portfólio de PP Braskem.

Composto para aplicação final em para-choques
O CP 393 é um copolímero de alto impacto e baixíssima contração. Foi especialmente desenvolvido para compostos cuja aplicação final é pára-choque. A adição de carga mineral deixa “gap zero” entre o pára-choque de plástico e o pára-lama de metal.

Opção versátil para a indústria automotiva
O CP 286 é um copolímero heterofásico especialmente desenvolvido para o mercado de compostos. Sua função é manter elevada resistência ao impacto, com maior rigidez e fluxo. O bom balanço de propriedades mecânicas e alto índice de fluidez, ligado baixo VOC – isenção de voláteis elimina odores – torna esta opção muito versátil para uso na indústria automotiva em aplicações como pára-choques e painéis.

Aumenta a produtividade do mercado automobilístico
O CP 100 é um polipropileno copolímero heterofásico de altíssima fluidez com excelente balanço de rigidez e impacto. O objetivo da Braskem com essa resina é responder às exigências de maior produtividade do mercado automobilístico, proporcionando maior versatilidade e flexibilidade para os Clientes. O CP 100 atende importantes necessidades dos Clientes, como baixo teor de VOC (Volatile organic compound); excelentes propriedades organolépticas; maior facilidade de preenchimento no molde de injeção, com excelente balanço de propriedades mecânicas e maior produtividade em peças injetadas.

Alta Rigidez para mercados de eletrodomésticos e eletroportáteis
Desenhada para o mercado de peças técnicas e compostos, que requerem elevada rigidez e boa processabilidade para injeção, a Braskem lançou o grade H 201HC. Devido à sua elevada cristalinidade e alta rigidez, o produto apresenta maior resistência termomecânica e uma resistência diferenciada ao risco, tornando-o uma excelente opção para componentes de eletrodomésticos e eletroportáteis.

Inovação para mercado de baldes industriais
A resina CP 270R é um polipropileno copolímero heterofásico, especialmente desenhado para o processo de injeção de baldes e contêineres, que exijam balanço de propriedades entre resistência ao impacto e rigidez, com elevação do índice de fluidez em relação aos grades anteriores.

Maior transparência para utilidades domésticas
Como proposta de maior transparência para utilidades domésticas, a Braskem lançou a resina Prisma 1410, um copolímero randômico de elevado índice de fluidez, desenvolvido para injeção de peças e embalagens com excelente transparência. Este produto apresenta ótima processabilidade, alta produtividade e perfeito balanço rigidez/impacto.

Fonte: Braskem
Foto (crédito): Getty Images

Através de sua marca Sandretto, Romi participará da importante feira K 2010, que se realiza em Düsseldorf, Alemanha.

01/10/2010

Presente na Feira K 2010, na Alemanha, a Romi apresentará ao mercado europeu as novidades da sua linha de máquinas para plásticos da conceituada marca Sandretto. É a primeira participação da Companhia no evento após a aquisição das operações da italiana Sandretto em 2008. A feira K 2010 será realizada entre os dias 27 de outubro e 3 de novembro de 2010, no pavilhão Messe Düsseldorf GmbH, na Alemanha.

“A participação nesta que é uma das maiores feiras mundiais do setor de máquinas para processamento de plásticos demonstra a consolidação internacional das operações da Romi através de sua marca Sandretto, que hoje possui uma rede própria de distribuição e de serviços pronta para atender aos importantes mercados e unidades de produção da Europa e do resto do mundo”, afirma Hermes Alberto Lago Filho, diretor de Comercialização da Romi.

Em seu estande de 400 m², a Romi vai expor as máquinas EL 220, da linha Técnica; a Nove HPF 200, da linha para embalagem e um lançamento para Aplicação Geral.

Fonte: Indústrias Romi

Romi leva sopradora e injetora para Interplast 2010

18/08/2010

A Indústrias Romi S.A.,  empresa líder brasileira no setor de máquinas-ferramenta e máquinas para processamento de plásticos, participa da Interplast 2010 com duas máquinas das suas linhas de sopradoras e injetoras para plástico. Em seu estande de 120 m2 estarão expostas, em plena operação, a sopradora ROMI JAC Compacta 5TS e a Injetora ROMI Prática 220. A Interplast acontece entre 23 e 27 de agosto, no Megacentro Expoville, em Joinville, Santa Catarina.

Sobre a Romi
A Indústrias Romi S.A. (Bovespa: ROMI3), fundada em 1930, é líder de mercado na indústria brasileira de máquinas e equipamentos industriais. A companhia está listada no segmento de “Novo Mercado”, que é reservado para sociedades com o mais alto grau de governança corporativa na Bovespa. A empresa fabrica máquinas-ferramenta, principalmente tornos mecânicos e centros de usinagem, máquinas injetoras e sopradoras de termoplásticos e peças feitas de ferro fundido cinzento, nodular ou vermicular, que são fornecidos em estado bruto ou usinado. Os produtos e serviços da Romi são vendidos mundialmente e utilizados por uma grande variedade de indústrias, tais como a automotiva, produtos de consumo geral e indústrias de máquinas e equipamentos industriais e agrícolas.

Fonte: Indústrias Romi / Messe Brasil

Romi apresenta novidades na Embala Nordeste 2010.

06/08/2010

Durante a feira Embala Nordeste, a empresa demonstrará solução para pequenos engarrafadores, que passarãoa contar com máquinas Romi em todo o seu processo produtivo.

A Romi chega à Embala Nordeste 2010 com uma proposta  que vem movimentando o mercado de transformação de material plástico: o ingresso no segmento de máquinas injetoras para pré-formas. A novidade, apresentada anteriormente na Mecânica 2010, em maio, tornou-se capaz com a adequação da ROMI Primax 220H para esse fim. Dessa forma, a Companhia amplia as opções de equipamentos para pequenos engarrafadores, que passarão a contar com máquinas Romi em todo o seu processo produtivo.

Em uma área de 140 m², a empresa demonstrará, ponta a ponta, a produção de embalagens PET, com máquinas para cada uma das etapas do processo, que, além da injeção da pré-forma feita pela ROMI Primax 220H, inclui o sopro da garrafa PET na ROMI PET 130 “Mostraremos durante o evento a capacidade da Romi em atender de forma integral a demanda do mercado de pequenos engarrafadores, aqueles que produzem em torno de 3 a 4 mil embalagens por hora”, informa Hermes Lago, diretor de Comercialização de Máquinas da Romi. Entre os potenciais compradores, ele cita os engarrafadores de bebidas gaseificadas e de produtos de limpeza.

Para o diretor, ter “em casa” todo o processo traz inúmeras vantagens a este público que, hoje, em sua maioria, adquire as pré-formas prontas. O primeiro benefício é a maior flexibilidade obtida ao poder adequar o molde da pré-forma ao processo produtivo e não ter que se adaptar aos padrões das pré-formas prontas no mercado. Além disso, o produtor ganha em economia, rapidez e, principalmente, na garantia e controle da sua produção. “Enxergamos uma lacuna nesse mercado e pretendemos preenchê-la com um equipamento que reúne a qualidade já comprovada da Romi a preços acessíveis para esta faixa de empreendedores”, ressalta Lago.

O processo completo poderá ser conferido no estande da Romi, durante a Feira Embala Nordeste, que acontece de 23 a 26 de agosto, no Centro de Convenções de Pernambuco Recife / Olinda.

Fonte: Indústrias ROMI

Wortex apresenta máquinas para transformação e reciclagem de plástico

06/08/2010

Com a expectativa de fortalecer o relacionamento com os clientes e iniciar novas negociações, a Wortex Máquinas e Equipamentos apresenta na Interplast a sua linha de produtos focada na indústria de transformação e reciclagem do plástico. Para reciclagem dispõe dos modelos Challenger Recycler, Challenger Compounder, Eco-Challenger, recicladoras convencionais e de PET. Para fabricação de peças para máquinas injetoras, sopradoras e extrusoras desenvolve modelos de roscas, cilindros e acessórios monos e duplos, nitretados ou bimetálicos bem como projetos especiais de roscas, extrusoras, kits de extrusão, troca-tela manual e hidráulico.

Sobre a Wortex
O Centro Industrial e Tecnológico Wortex, fundado em 1976 em Campinas/SP, ocupa uma área integrada atualmente de 22.000 m2, com máquinas, laboratórios, equipamentos de última geração e profissionais qualificados. A empresa é pioneira e líder no mercado nacional, seguindo o padrão internacional de qualidade e precisão nos projetos desenvolvidos aos clientes.

Fonte: Messe Brasil

Pavan Zanetti lança sopradora pré-forma PET e anuncia ampliação da planta industrial

28/06/2010

A Pavan Zanetti, indústria de sopradoras e injetoras para termoplásticos, lança na Interplast 2010 a Petmatic, sopradora para pré-forma PET, desenvolvida para a fabricação de embalagens de óleo, álcool, bebidas carbonatadas, cosméticos, produtos farmacêuticos, higiene e limpeza e garrafas para água mineral. “A Petmatic garante modernidade, eficiência, produtividade com baixo custo operacional”, comenta Newton Zanetti, diretor comercial da Pavan Zanetti.

Segundo o diretor a presença na Interplast 2010 é uma forma de fortalecer a presença no mercado catarinense, o segundo maior do segmento de plásticos do país. “Temos uma ampla carteira de clientes na região e a participação na feira acaba atribuindo forte visibilidade para a marca. O mercado dessa região chama atenção pela elevada representatividade de matrizes plásticas”, reforça.

A empresa está ampliando a área industrial em 12 mil m² com o objetivo de atender a demanda do mercado. “Atualmente nossa estrutura não suporta o crescimento do mercado e levamos até seis meses para entrega dos pedidos de máquinas”, afirma Zanetti. Segundo ele a recuperação do setor pós-crise de 2008/2009 foi imediata, impulsionada pelo sistema de financiamento com juros atrativos para compra de máquinas ou ampliação das plantas industriais.

Sobre a Pavan Zanetti
A Pavan Zanetti é uma indústria de sopradoras e injetoras para o mercado de termoplásticos, fundada em 1966. Utiliza tecnologia própria, atendendo o mercado interno, além de exportar para toda a América Latina, entre outros países como México, Porto Rico, Estados Unidos e Marrocos. Para manter a competitividade e atender as necessidades dos clientes e do mercado, mantém-se atenta às tendências e inovações tecnológicas disponíveis no mercado para incorporá-las aos seus produtos.

Fonte: MesseBrasil

ROMI exibe sopradora para PET na FISPAL

17/06/2010

A Romi levou à FISPAL 2010, a sopradora ROMI PET 230, destinada à fabricação de garrafas ou frascos para as indústrias de: bebidas e refrigerantes, água mineral, óleos comestíveis, molhos, condimentos e produtos de higiene e limpeza. Durante o evento, que aconteceu entre 8 e 11 de junho no Parque Anhembi, o equipamento esteve soprando pré-formas de PET de 17g para garrafas de não carbonatados de até meio litro, com produção estimada de 2.600 garrafas por hora.

Sobre a Sopradora ROMI PET 230 automática com duas cavidades:

Aplicação – Equipamento para sopro de pré-formas com alta produção de frascos e garrafas para linhas de bebidas, cosméticos, limpeza e frascos de uso geral.

Capacidade – produção de frascos e garrafas com capacidade volumétrica de até 3 litros.

Dimensões – Permite moldes de até duas cavidades e de até 3 litros cada.

Diferencial – Equipamentos de alta produtividade, em processo 100% automático, bem compacto em uma construção monobloco, muito robusta e precisa.

Fonte:  Indústrias ROMI