Posts Tagged ‘Sinalização Viária’

Sinalização viária horizontal “3-D” da Evonik é adotada como medida de segurança por autoridades rodoviárias de São Paulo

05/03/2014

Levantamento recente feito pela ONG Observatório Nacional de Segurança Viária aponta que os acidentes de trânsito mataram cerca de 60 mil pessoas em 2012 no Brasil. O trabalho indica ainda que nesse período o País registrou mais de 350 mil casos de invalidez permanente em função desses acidentes.

Os números, assustadores, fazem parte de uma realidade que incomoda e que exige medidas urgentes e eficazes.

De acordo com estudos da Associação Automobilística da Austrália de 30% a 40% de colisões dianteiras podem ser evitadas através da utilização da sinalização horizontal.

Autoridades de trânsito no Brasil têm investido em tecnologias de sinalização horizontal viária que vão além do papel de delinear o tráfego.

Mais segurança nas estradas de São Paulo

Uma iniciativa importante partiu do Departamento de Estradas de Rodagem do Estado de São Paulo (DER), que tem inserido em novos projetos viários o sistema plástico a frio à base de resinas metacrílicas “3-D” estruturado e em relevos.

Em 2013 foram beneficiados estradas estaduais no municípios como Sales Oliveira, Itanhaém, Alambari, São José do Rio Preto, São Carlos, Guapiara, Dois Córregos e Tambaú, totalizando mais de 160 km de extensão que receberam sinalização viária com o Sistema Plástico a Frio. Já existem novos projetos confirmados e mais 150 km de estradas serão beneficiadas até março deste ano.

Tendo como função principal delinear visualmente o tráfego, a sinalização viária é a única medida de segurança que acompanha o usuário de trânsito durante todo o seu trajeto – e por este motivo também é reconhecida como uma medida de excelente custo-benefício.

Devido a avanços tecnológicos nos últimos anos, uma sinalização viária horizontal tem se destacado por oferecer funções adicionais de segurança rodoviária – o plástico a frio à base de resinas metacrílicas.

Para que a sinalização horizontal viária possa cumprir o seu papel, ela deve ser visível ao usuário de estrada durante o dia e durante a noite, o que se torna mais difícil em condições de chuva.

A sinalização plástico a frio quando aplicada na forma de estruturas tridimensionais “3-D”, é capaz de drenar água de chuva parada na superfície da sinalização horizontal. Sendo assim, ao contrário das sinalizações convencionais, as microesferas de vidro localizadas no topo da estrutura 3-D não são encobertas pela água de chuva, ficando livres para retrorrefletir a luz do farol do condutor de automóvel, o que permite uma melhor visibilidade da sinalização viária.

Benefícios do plástico a frio

Além da melhor visibilidade, esta sinalização através da sua superfície irregular, também oferece propriedades antiderrapantes. Item este de particular interesse para motociclistas que trafegam em condições chuvosas, como comprovado por autoridades de trânsito e motociclistas na cidade de Medellin, na Colômbia.

Além de intempéries, um outro fator que tende a contribuir com os acidentes de trânsito é o comportamento humano. Situações de sonolência, fadiga ou distração por parte de condutores de automóveis aumentam significativamente a probabilidade de acidentes.

Considerando 3 segundos de sonolência para um motorista viajando a 100 km/h, isso significaria que o veículo viajaria 83m sem o controle do motorista. Nestas situações a engenharia de segurança viária oferece um dispositivo conhecido como guias sonoras ou sinalizações viárias em forma de relevo.

A sinalização viária do tipo relevo, apresenta elevações de aproximadamente 7 mm de altura em formato de barras as quais proporcionam alarme sonoro e vibração quando os pneus do veículo cruzam a sinalização, despertando assim o motorista para que retorne a sua faixa de tráfego.

Em dias quentes a alta temperatura do asfalto em combinação com o peso de veículos tendem a achatar a forma do relevos convencionais, caso este que não ocorre com a sinalização relevo feita com o plástico a frio a base de resinas metacrílicas. O plástico a frio por ser um material termofixo oferece inigualável estabilidade térmica e mecânica.

Benefícios

A redução de acidentes de trânsito é de interesse de todos. Todos os dias pais, mães, filhos saem de casa com obrigações e interesses diferentes, mas com um objetivo comum: voltar para as suas famílias. A redução de acidentes de trânsito, que interrompeu a vida de cerca de 60 mil brasileiros em 2012, somente poderá ser alcançada através de uma combinação de medidas como ações de educação e conscientização de motoristas. Faz-se também necessária a adoção de simples medidas que funcionem como um dispositivo de segurança adicional à infraestrutura viária como um todo.

Quando se fala em sinalização horizontal, é importante ter em mente que ela deve ser desenvolvida para orientar o motorista e para promover a segurança tanto de veículos, quanto de pedestres.

Segundo a Evonik, atualmente, a tecnologia que melhor atende a todos estes requisitos é a de plástico a frio à base de resinas metacrílicas.
Outra vantagem do sistema plástico a frio é que ele pode ser aplicado com facilidade em diversos locais, como faixas longitudinais, transversais, travessias de pedestres, corredores de ônibus e ciclovias. Além disso, a tecnologia não requer aquecimento para a aplicação, como ocorre com os produtos convencionais. Isso confere rapidez na sua preparação e segurança para os aplicadores durante o manuseio.

A sustentabilidade também aparece como benefício, visto que o produto não emite solventes durante o preparo e aplicação, o que o torna mais amigável ao meio ambiente. Sua maior durabilidade contribui para diminuir as reformas e manutenções nas estradas. Por estes motivos, é o único sistema de sinalização horizontal no Brasil que possui o rótulo ecológico da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas).

Fonte: Evonik

Curta nossa página no

Anúncios

Sinalização viária com Sistema Plástico a frio da Evonik reduz acidentes em estrada colombiana

11/02/2014

Sistema Plástico a Frio à base de resinas metacrílicas: medida preventiva de redução de acidentes de baixo custo em estrada colombiana

Uma constante preocupação ronda as mentes das autoridades rodoviárias de todo o mundo em função do volume de acidentes ocorridos todos os dias nas estradas. Não por outro motivo, a busca e os esforços para redução dessas ocorrências são incessantes. Dentre as mais variadas ocorrências, um chama atenção pela gravidade: a saída de pista por cansaço, desatenção ou distração.

Estudo realizado pela Traffic Injury Foundation, em 2005, atesta tal afirmação ao apontar que 20% dos condutores canadenses entrevistados admitiram uma condição de microsleep (micro adormecimento) uma vez no ano anterior. Na prática, se um motorista, viajando a 100 km/h, tiver 3 segundos de microsleep, o veículo ficaria sem controle por 83 metros. Circunstância mais do que suficiente para ocorrência de acidentes.

Embora seja inquestionável que os motoristas devam melhorar a atenção dormindo o necessário antes de viagens longas, ou por meio de paradas para descanso, outra condição, tão importante quanto, necessita ser levada muito a sério: o planejamento de infraestrutura rodoviária, com medidas de alerta aos condutores em caso de fadiga ou distração.

Exemplo de sucesso vem da Colômbia, que adotou para uma importante estrada do país o sistema Plástico a Frio, tendo como principal componente as resinas metacrílicas reativas DEGAROUTE®, fornecidas pela Evonik, uma das líderes mundiais em especialidades químicas. A nova sinalização viária implantada resultou em maior segurança da via litorânea Guillermo Gaviria Correa, um caminho que liga a cidade de Medellin ao Golfo Uraba, parte do Mar do Caribe.

O sistema Plástico a frio DEGAROUTE® implantado na estrada – que conta também com um efeito sonoro – em combinação com o túnel mais longo da America do Sul melhorou sobremaneira a mobilidade na região. “E os acidentes rodoviários diminuíram consideravelmente desde a aplicação desta sinalização viária”, comemora José Fernando Flórez Duque, diretor de operação e manutenção do túnel Fernando Gómez Martínez. Com um tráfego médio diário de 5.000 veículos, o local recebe mais de 13.000 veículos nos finais de semana em busca de relaxamento nas áreas turísticas de Santa Fé da Antioquia, San Jerónimo e Sopetrán.

Características e eficiência

A pista colombiana é composta por uma combinação de diferentes tipos de asfalto. O substrato da faixa de rolamento leva um asfalto flexível betuminoso enquanto que as áreas de pedágio têm pavimentação asfáltica com microaglomerantes.

Anteriormente, conforme explica o diretor de operação e manutenção do túnel, as sinalizações viárias acrílicas à base de água costumavam ser utilizadas no local, entretanto, sem sucesso: “A estrada é composta de algumas curvas, o que aumenta o desgaste do material de sinalização, além de termos uma região com altos níveis de precipitação que chegam a até 160 mm por mês. O sistema de sinalização à base de água que era tradicionalmente aplicado não estava durando mais do que sete meses sob essas condições. Sendo uma região de clima quente e chuvoso fez-se necessária a adoção de uma sinalização viária resistente a estas intempéries”, afirmou.

Diante do impasse, e a fim de oferecer maior segurança aos motoristas, optou-se, então, pela sinalização rodoviária com maior visibilidade durante a noite e sob condições chuvosas, combinada a um aviso sonoro de alerta. As linhas centrais foram sinalizadas com o sistema plástico a frio sob a forma de pontos regulares. O alarme sonoro de aviso ocorre quando os pneus tocam a sinalização, e pode ser ajustado pela altura dos pontos e pela sua uniformidade. As linhas de bordo foram feitas com sinalização Plástico a frio DEGAROUTE® em estrutura com altura média de 3,7 mm para melhor resistência antiderrapante e também recursos sonoros. A elevada estabilidade térmica e resistência a raios UV das resinas DEGAROUTE®, são os fatores determinantes para a não deformidade da sinalização em forma 3D.

“Decidimos aplicar uma sinalização rodoviária que proporcionasse melhor desempenho, durabilidade e sustentabilidade garantindo vida útil mais longa, portanto, redução de custos administrativos e operacionais de obras frequentes. Além disso, temos uma melhor visibilidade noturna sob chuva, uma vez que as microesferas de vidro da sinalização não são encobertas pela água da chuva”, avalia Duque.

“É claro que fizemos test drives na nova sinalização e a primeira coisa que veio à mente é que esta é a sinalização viária que fala aos motoristas! Ouvimos dos usuários da estrada que o som emitido pelos pneus quando passam por cima da sinalização leva a um comportamento de direção mais cuidadoso. Isso é exatamente o que buscamos”, completa.

Fonte: Evonik

Curta nossa página no

Evonik apresenta resina de MMA para sinalização viária durante a TranspoQuip 2013

03/12/2013

Evonik_degarouteA Evonik, uma das líderes mundiais de especialidades químicas e que comemora 60 anos de atividades no Brasil, participará, mais uma vez, da TranspoQuip Latin America, evento que ocorrerá entre os dias 03 e 05 de dezembro, no Expo Center Norte, em São Paulo (SP).

O encontro, que reúne empresas voltadas a tecnologias, produtos e serviços para os compradores das indústrias de infraestrutura de transporte no Brasil e América Latina, será uma oportunidade para a Evonik destacar as soluções que dispõe na área de sinalização e demarcação viária, como as resinas metacrílicas DEGAROUTE® utilizadas na formulação do sistema de sinalização viária horizontal Plástico a Frio – tecnologia largamente usada em todo o mundo.

“Será mais uma oportunidade de levar ao conhecimento de autoridades públicas, aplicadores e formuladores, dados sobre performance, durabilidade, funcionalidade e vantagens do sistema Plástico a Frio à base das resinas DEGAROUTE®, além de estudos comparativos relacionados à sustentabilidade de sistemas de sinalização viária. Em nosso stand o visitante poderá visualizar os sistemas Plástico a Frio indicados para diversas aplicações, como travessias de pedestres, ciclovias, corredores de ônibus, faixas em estrutura, relevo, entre outras, além da inovação “piso tátil à base de DEGAROUTE®”, afirma Debora Rebuelta, Chefe de Produto para América do Sul – Coating Resins & Performance Resins.

Piso tátil: orientação segura: Um dos destaques da Evonik na TranspoQuip 2013 será a sinalização para orientação de caminho, conhecida como piso tátil, que beneficia, especialmente, idosos e pessoas com visão reduzida. São placas com medidas 412mm x 600mm de Plástico a Frio desenvolvida à base das resinas DEGAROUTE®, com cargas minerais, as quais, segundo a Evonik, ampliam a resistência à derrapagem e ao desgaste, melhoram a aparência do produto final e prolongam a vida útil das placas.

A acessibilidade de deficientes visuais foi estabelecida pela Lei nº 10.098/2000 e regulamentada pelo Decreto nº 5296/2004 e regula a utilização de piso tátil – especificados pela norma técnica NBR 9050. As características da DEGAROUTE®, já utilizada na produção de sinalizações viárias horizontais, permitem o desenvolvimento de pisos táteis que ofereçam segurança, conforto à população e vida vida útil excepcionalmente longa.

De acordo com a empresa, as placas são flexíveis, de fácil aplicação e alto contraste à base aplicada e podem ser pré-fabricadas – facilmente coladas no piso, sendo transitável em menos de uma hora e representando uma inovação no mercado brasileiro – ou moldada “in loco”, com rápida aplicação e liberação da área para uso, e baixo custo em comparação a produtos convencionais, como aqueles que exigem quebra da área onde será utilizado.

Resina de alto desempenho: A solução baseada em plástico a frio caracteriza-se pela maior durabilidade, afirma a Evonik, exigindo menor necessidade de reaplicação e, consequentemente, menos transtornos com interdições de vias e riscos de acidentes.

A linha DEGAROUTE®  está disponível nas versões spray, estrutura, relevo, extrudado plano e para aplicação a rolo, em camadas de diversas espessuras (0,3 a 7mm), permitindo adequação às necessidades de cada via; podendo ser utilizado em faixas longitudinais, transversais, travessias de pedestres, corredores de ônibus, ciclovias, etc.

A versão Estrutura, por exemplo, que será um dos destaques no estande da Evonik, possui elevada visibilidade à noite, mesmo sob condições de chuva – as microesferas de vidro localizadas no topo da superfície fazem com que a demarcação não seja encoberta pela água da chuva e continue retrorefletindo a luz do farol do automóvel, sob chuva ou neblina.

Ao mesmo tempo, funciona como um sonorizador para o motorista. Possui um sistema antiderrapante evitando deslizamentos nas faixas e melhorando a segurança de pedestres e motociclistas; resistência química e fácil restauração; excelente adesão ao concreto ou asfalto, sob qualquer clima, entre outros benefícios.

Serviço:
TranspoQuip Latin America 2013
Data:
03 a 05 de dezembro
Horário (exposição): 12 às 20 horas
Local: Expo Center Norte – Pavilhão Vermelho
Rua José Bernardo Pinto, 333 – Vila Guilherme – São Paulo

Fonte: Evonik

Curta nossa página no