Posts Tagged ‘Simplavi’

Evento discutirá a importância do plástico na qualidade de vida das pessoas

16/07/2016

2º Congresso Brasileiro do Plástico reunirá especialistas para debater e apresentar cases sobre a contribuição do plástico no desenvolvimento ambiental, social e econômico

Congresso-do-PlasticoO plástico vem se destacando, ao longo das últimas décadas, como indispensável para a sociedade moderna. Na saúde, o plástico está presente em hospitais com produtos de alta tecnologia, mais acessíveis e seguros. Seringas, bolsas de sangue e soro, cateteres, mangueiras e cadeiras de rodas são algumas das aplicações na área médico-hospitalar, além de elementos mais sofisticados, como próteses  e membros para pessoas amputadas. Também é presente em aplicações que previnem doenças e promovem qualidade de vida, como no saneamento básico e tratamento da água potável.

Uma das matérias-primas mais estudadas, o plástico integra aplicações que geram eficiência energética, economia, alto desempenho e sustentabilidade. Graças ele, vários produtos ficaram mais acessíveis, facilitando a ascensão de outras classes consumidoras e beneficiando um maior número de pessoas. Segmentos como o automotivo estão desenvolvendo veículos mais leves, seguros e econômicos. No agronegócio, o plástico está melhorando os processos desde o campo até a mesa do consumidor, contribuindo com maior produtividade, evitando o desperdício e aumentando o tempo de vida e a qualidade dos alimentos.

No Brasil, o setor plástico conta mais de 11 mil empresas de transformação, de pequeno, médio e grande portes, gerando mais de 300 mil empregos diretos, destacando-se como o quarto setor que mais emprega no país, segundo dados da Abiplast. Para Alfredo Schmitt, Presidente do Congresso Brasileiro do Plástico, o Brasil tem potencial para avançar no campo do desenvolvimento de novas aplicações, com produtos de maior valor agregado que possam atender as demandas do mercado global. “Nosso desafio é continuar investido em pesquisa, desenvolvimento e qualificação profissional para atender as demandas do consumidor, cada vez mais exigentes por produtos com qualidade e viés sustentável”, afirma o executivo.

Neste ambiente, o Brasil receberá o 2º Congresso Brasileiro do Plástico, uma  iniciativa do segmento com o objetivo de evidenciar o plástico como elemento indispensável para melhorar a qualidade de vida das pessoas. Nesta edição, congressistas brasileiros e estrangeiros discutirão as contribuições do produto em segmentos estratégicos como saúde, sustentabilidade, inovação e tecnologia e exportação. O evento será realizado nos dias 5 e 6 de outubro, na sede da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, em Porto Alegre (RS). Segundo Schmitt, o setor está dialogando cada vez mais com a sociedade para que os atributos do plástico sejam percebidos na mesma proporção dos benefícios que a população tem ao usá-lo.

Nos dois dias de Congresso, estarão reunidos especialistas do setor do plástico, representantes de sindicatos, membros de entidades ligadas ao setor, professores e pesquisadores de universidades nacionais e internacionais, empresários e representantes do Poder Público (Executivo, Legislativo e Judiciário) para ampliar os conhecimentos sobre essa importante cadeia produtiva e sua contribuição para a sociedade. O congresso é organizado por três sindicatos do setor do plástico – Sindicato das Indústrias de Materiais Plástico do Nordeste Gaúcho (Simplás), Sindicato das Indústrias de Material Plástico do Vale dos Vinhedos (Simplavi) e Sindicato das Indústrias de Material Plástico do Rio Grande do Sul (Sinplast).

Além dos sindicatos, o evento conta com o patrocínio de empresas como Braskem, Fitesa e FFS Filmes. Entidades do setor como a Plastivida, Instituto do PVC e Abief também patrocinam o evento. O evento também conta com o apoio especial de entidades como a Abiplast, Adirplast, Simpep, Simpesc, além de Abimaq, Abinfer, Abrapla, INP, Simplast, Simplas NP e Sindiplast.

Serviço:
2º Congresso Brasileiro do Plástico
Data: 5 e 6 de outubro de 2016
Local: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS)
Endereço: Av. Ipiranga, 6.681 – Paternon – Porto Alegre/RS

Fonte: M. Free Assessoria de Imprensa

Curta nossa página no

Anúncios

Sindicatos da indústria do plástico do Rio Grande do Sul lançam parceria inédita para missões técnicas

30/03/2016

Chinaplas2014

Associados do APL-MMeA também terão acesso ao novo programa conjunto de viagens de negócios

Pela primeira vez, o Sindicato das Indústrias de Material Plástico do Nordeste Gaúcho (Simplás), o Sindicato das Indústrias de Material Plástico no Estado do Rio Grande do Sul (Sinplast) e o Sindicato das Indústrias de Material Pástico do Vale dos Vinhedos (Simplavi) passarão a organizar missões técnicas em conjunto. O Programa de Missões Empresariais (PME), inovação desenvolvida pelas entidades que representam aproximadamente 1,3 mil empresas, equivalentes a cerca de 11% da indústria nacional de transformados plásticos, promove a ampliação do volume de potenciais participantes, que além de facilitar o fechamento de grupos, pode oferecer condições para redução de custos. O PME se estende ainda aos associados do Arranjo Produtivo Local Metal Mecânico e Automotivo da Serra Gaúcha (APL-MMeA).

Com o PME, as entidades pretendem oferecer oportunidades para geração de novos negócios a curto e médio prazo, troca de conhecimento, abertura de novos canais, estreitamento de relações e colaboração entre os transformadores e prospecção de novos clientes.

“O mercado é intolerável com o empreendedor desatualizado. Há sempre um novo processo ou produto e, principalmente, há sempre pessoas com novas ideias a serem conhecidos. Por esta razão é que o Simplás, nos últimos seis anos, já concedeu quase R$ 60 mil em subsídios para participação de seus associados em missões técnicas: porque acreditamos no retorno do investimento para cada um dos empresários beneficiados e, consequentemente, para todo setor na região e no Brasil”, avalia o presidente do Simplás, Jaime Lorandi.

O calendário do setor prevê sete feiras – seis delas, internacionais – ainda em 2016: Chinaplas (foto – em Xangai, de 25 a 28 de abril); Expoplast (Lima, de 3 a 6 de maio); Argenplas (Buenos Aires, de 13 a 16 de junho); Interplast (Joinville, de 16 a 19 de agosto); Expotransporte (Buenos Aires, de 13 a 16 de setembro); Colombiaplast (Bogotá, de 26 a 30 de setembro) e Feira K (Dusseldörf, Alemanha, de 19 a 26 de outubro). A comercialização dos pacotes ficará a cargo da Leaf Turismo.

“A participação em feiras é uma das melhores estratégias para adquirir o conhecimento específico do setor, que é fundamental para a tomada de decisões. Além de captar informações importantes e de descobrir novas oportunidades, ainda é possível divulgar o potencial do seu próprio negócio em escala nacional e até, mundial. Mais do que por questão de sobrevivência, é pela evolução que vale a pena olhar o que o mundo está fazendo”, destaca Lorandi.

Empresas que são cumulativamente filiadas e associadas ao Simplás há mais de um ano e que estejam adimplentes com suas contribuições (sindical, dissídio e mensalidade) podem solicitar subsídio para participação em feiras. Inclusive fora do país. Os valores vão de R$ 500 a R$ 3 mil para um representante da empresa com cargo diretivo ou gerencial.

Diretor de Missões e integrante do Conselho Consultivo do Simplás, o empresário Nestor Travi aponta ainda para um valor de capitalização futura aos participantes:

“Para tornar-se exportador, leva muito tempo. E é nas feiras que se começa a desenvolver muito da cultura exportadora de uma empresa. Lá na frente, virão os dividendos. Então, é importante sair de casa, conhecer o que há ao redor, abrir os horizontes e depois, usar a criatividade”.

O cenário propício ao comércio exterior também é sublinhado pelo presidente do Sinplast, Edilson Deitos:

“A participação em feiras e missões leva à busca de um conhecimento destes mercados, tendências, novos designs de produto, novas tecnologias. Oportunidade de manter contato na prospecção de futuros representantes para determinado país ou região, aproveitando o momento favorável para a exportação de produtos transformados plásticos”.

Para o presidente do Simplavi, Ivânio Arioli, a participação em missões técnicas por parte dos empreendedores é sinônimo de qualificação.

“A realização de missões empresariais é, sem dúvida, uma excelente oportunidade para qualificar os empresários, pois facilita o acesso ao conhecimento da tecnologia que está disponível no mundo. Estar em sintonia com o desenvolvimento traz conhecimento e nos qualifica para sermos mais competitivos no mercado”.

Guia experimentado com quase duas décadas de feiras setoriais e missões técnicas internacionais, o diretor da Mediolanum, Max Bareta, observa que um maior número de adesões em cada grupo pode criar condições para redução de custos. E aponta outra vantagem no caso de quem vai e volta com participantes do mesmo Estado:

“Muitas vezes, entre os integrantes do próprio grupo surgem novos negócios. É praticamente uma feira dentro da feira: durante os contatos no ônibus, no avião, no hotel. É questão de aproveitar”.

Mais informações sobre o programa de missões conjuntas do setor plástico-petroquímico do Rio Grande do Sul podem ser obtidas com a agência Leaf Turismo ou diretamente com cada sindicato.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Simplas

Curta nossa página no

Sindicatos da Indústria plástica gaúcha iniciam articulação conjunta do setor

27/06/2013

banner_plastech_460_60

Sindicatos do setor plástico começam ciclo de reuniões mensais nesta quinta-feira (27) em Caxias do Sul

Detentor do segundo lugar no ranking nacional da indústria da transformação, com 1.316 empresas, o equivalente a 11,3% da capacidade instalada em todo o Brasil, e do terceiro lugar na geração de empregos, com 30.595 trabalhadores, correspondendo a 8,8% dos contratados do país, o Rio Grande do Sul ganha nesta quinta-feira (27) um foro inédito de articulação setorial. A partir das 17h, no Sindicato das Indústrias de Material Plástico do Nordeste Gaúcho (Simplás), em Caxias do Sul, os três sindicatos que representam as empresas do segmento plástico gaúcho passam a cumprir um cronograma de reuniões mensais para definir e encaminhar pleitos conjuntos. Haverá alternância de sede a cada encontro.

O Simplás representa cerca de 500 empresas instaladas nos municípios de Caxias do Sul, Coronel Pilar, Farroupilha, Flores da Cunha, Garibaldi, Nova Pádua, São Marcos e Vale Real. O bloco de entidades de classe se completa com o Sindicato das Indústrias de Material Plástico do Vale dos Vinhedos (Simplavi), compreendendo a área de Bento Gonçalves, Monte Belo do Sul, Santa Tereza e Pinto Bandeira, e o Sindicato das Indústrias de Material Plástico do Rio Grande do Sul (Sinplast), de abrangência estadual.

“A ideia foi lançada e aceita na última reunião-janta do Simplás (dia 10 de junho, em Caxias do Sul). A partir de agora vamos nos reunir mensalmente para buscar alinhamento nas ações, elaborar estratégias de médio e longo prazo, discutir saídas para problemas comuns a todo setor e a melhor forma de encaminhar nossos pleitos”, explica o presidente do Simplás, Orlando Marin.

Conforme o dirigente, dois exemplos de temas que devem merecer exame mais apurado por parte do grupo são os altos custos de energia elétrica e matéria-prima, que comprometem substancialmente a competitividade da indústria de transformação gaúcha.

Para o primeiro encontro são esperados, além de Marin, o 1o vice-presidente do Simplás, Jaime Lorandi, o diretor executivo do Simplás, Zeca Martins, o presidente do Simplavi, Ivanio Arioli, o 2o vice-presidente do Simplavi, Emílio Ristow, e o presidente do Sinplast, Edilson Deitos.

Fonte: Simplas

Curta nossa página no

Sindicatos do segmento plástico do Rio Grande do Sul homenageiam Braskem pela inauguração da Planta Verde

30/09/2010

Da esq. para dir.: Alfredo Schmitt – presidente do Sinplast; Emílio Ristow – presidente do Simplavi; Bernardo Gradin, presidente da Braskem; Orlando Marin, presidente do Simplás e Rui Chammas, vice-presidente da Braskem (foto:Jefferson Bernardes)

O Simplás – Sindicato das Indústrias de Material Plástico do Nordeste Gaúcho, o Sinplast – Sindicato das Indústrias de Material Plástico no Estado do Rio Grande do Sul e o Simplavi – Sindicato das Indústrias de Materiais Plásticos do Vale dos Vinhedos entregaram um troféu em homenagem à inauguração da Planta Verde da Braskem.

Os três presidentes dos Sindicatos prestaram homenagem ao presidente da petroquímica, Bernardo Gradin, “pela iniciativa de contribuir com o desenvolvimento, porém com sustentabilidade”.

A Braskem inaugurou no dia 29 de setembro, no Pólo Petroquímico de Triunfo – RS, a maior unidade industrial de eteno derivado de etanol do planeta, que vai permitir a produção de 200 mil toneladas de polietileno verde por ano. Com o início das operações, a empresa passa a fornecer ao mundo resina de origem renovável e avança em sua estratégia de tonar-se líder mundial em química sustentável, com diversificação das suas fontes de matéria-prima competitiva. Foram investidos cerca de R$ 500 milhões no projeto, concebido com tecnologia própria da companhia.

Fonte: Núcleo Comunicação e Marketing

Empresários do setor de plásticos reúnem-se em Joinville e reinvidicam isenção tributária para o plástico reciclado.

25/08/2010

Os sindicatos da indústria de plásticos  dos estados de Santa Catarina,  Paraná,  Rio Grande do Sul e  mais de 80 lideranças do setor subscreveram a “Carta de Joinville”  durante reunião realizada paralelamente à Feira Interplast, na sede da SOCIESC.

O segmento de plásticos vai desenvolver esforços no sentido de reinvidicar a isenção da alíquota do Imposto sobre Produtos Industrializados para as matérias primas usadas no segmento de reciclagem.  A alíquota atual gira em torno de 5 a 15%.

O setor de reciclagem deseja também que o BNDES disponibilize recursos para as empresas do segmento com faturamento inferior a 10 milhões de reais por ano para modernização do parque fabril e capital de giro.

Da esquerda para a direita: Aladir Vitola (Cirplasul), Felinto Koeber (Simpesc), Manuel Gonzales (Simplast/RS), Djalma Azevedo (Sindiplast/RS), Robson (Induplast/SC), Luiz Henrique Hartmann (Sinplast/RS), Orlando Marin (Simplas/RS), Merehg Cachum (Sindiplast/SP), Albano Schmidt (Fiesc/Simpesc), Denise Dybas Dias (Simpep/PR), Alfredo Schmidt (Abief), Alceu Lorenzon (Sindiplast/SC), Roger Belisário (Arerj/Sindieco), Marcio Vacaro (Sindiplast/SC), Michele Araujo Ferreira (Senado Federal), Dlama Velho Azevedo (Sindiplast/SC), João Durval A. Neto (Simplavi/RS), Moacir Martins (Sociesc)

CARTA DE JOINVILLE

1. INTRODUÇÃO

Este documento chamado de “CARTA DE JOINVILLE” foi elaborado após amplo debate preliminar dos representantes dos sindicatos ligados à categoria de RECICLAGEM, bem como também na reunião de mobilização e organização do setor, realizada no dia 24 de Agosto de 2010 na cidade de Joinville – SC.

O presente documento é uma carta de reivindicação de empresários, entidades e sindicatos abaixo relacionados, ligados ao setor do plástico em defesa da cadeia da reciclagem, setor que vem encontrando extremas dificuldades econômicas.

2. OBJETIVOS E REINVINDICAÇÕES DO SETOR:

A busca de Incentivos fiscais e econômicos para a cadeia de reciclagem no Brasil, principalmente no âmbito do tributo federal IPI, através da aprovação imediata de uma das duas medidas abaixo relacionadas:

1) PL 510/2009 da Senadora Serys Slhessarenko com revisão, acrescentando alterações no atual formato tributário. Consideramos que a isenção do IPI seria a opção mais adequada.

2) Medida Provisória 476/09 com a emenda do relator Deputado Leonardo Quintão, onde as indústrias terão direito a obter crédito presumido do IPI na compra de matéria-prima decorrente de resíduos sólidos, de qualquer tipo de empresa industrial ou comercial (a proposta inicial limitava este crédito apenas a compras de cooperativas).

Consideramos que qualquer das medidas é benéfica ao setor.

Aproveitamos a oportunidade para demandar linhas de créditos facilitadas e específicas para a cadeia da reciclagem, com taxas de juros diferenciadas, para a modernização do obsoleto parque industrial, assim como capital de giro. Relatamos que o programa do Próplástico não contempla o setor em virtude de que a grande maioria das empresas não se enquadram nas exigências do programa.

São signatários desta carta:

Federação das Indústrias de Santa Catarina (FIESC); Simpesc-SC; Sindiplast-SC; Sinplasc-SC; Simpep-PR; Sintrofab-PR; SimplasNP-PR; Simplas-RS; Sinplast-RS; Simplavi-RS; Sindieco-RJ; Sindiplast-SP;

Entidades presentes no evento e apoiadoras:

INP, ABIPLAST,  PLASTIVIDA, ARERJ-RJ, SOCIESC-SC, ABIEF, MAXIQUIM, BRASKEM, CIRPLASUL, ABIRP-SP, ANAP-SP, FIESC-SC

Fonte:  SIMPESC / SOCIESC