Posts Tagged ‘Simplas’

Simplás celebra 29 anos de atividade com olhar em educação e sustentabilidade

24/08/2018

Presidente da Abiplast e da Fiesp, José Ricardo Roriz Coelho, acompanha palestra sobre educação e sustentabilidade proferida pelo presidente do Simplás, Jaime Lorandi.

Palestra do presidente Jaime Lorandi, em reunião-almoço, também marcará início da implantação do projeto Plástico do Bem na CIC de Caxias do Sul

O Sindicato das Indústrias de Material Plástico do Nordeste Gaúcho (Simplás) será o protagonista da tradicional reunião-almoço da Câmara de Indústria, Comércio e Serviços (CIC) de Caxias do Sul marcada para a próxima segunda-feira (27), a partir das 12h. Em comemoração aos 29 anos do Simplás, completados oficialmente no dia 25, o presidente Jaime Lorandi apresentará palestra sobre Educação para a sustentabilidade.

A ocasião marcará também o início da implementação do projeto Plástico do Bem na CIC de Caxias do Sul. Desde março deste ano, a iniciativa que capacita estudantes e professores da rede de ensino público municipal para a coleta, separação e limpeza de plásticos consumidos nas próprias residências e vizinhanças vem gerando renda extra para 20 escolas do município de Farroupilha, por meio do encaminhamento do material para a reciclagem. Cerca de 500 professores e 6,5 mil alunos receberam, além de orientação, coletores plásticos individuais com separadores para cada tipo de material, doados pelo Simplás. Em aproximadamente três meses de operação, as instituições de educação fundamental do município já encaminharam mais de 5 toneladas de plásticos para a reciclagem, gerando, assim, R$ 4 mil de recursos antes inexistentes.

O Simplás trabalha agora no sentido de ampliar o programa para outros municípios e segmentos da sociedade. Também em Caxias do Sul, por exemplo, já foi deflagrada a implementação do Plástico do Bem na unidade do Senai Nilo Peçanha, no Bairro Exposição.

“Na CIC, o objetivo é envolver as mais de 200 pessoas que trabalham diariamente nos quase 20 sindicatos de classe, entidades representativas, sociais e serviços instalados no condomínio. Ainda estamos acertando os últimos detalhes, mas, de novo: o mais importante aqui é o trabalho informativo e educacional para levar a uma mudança de hábitos entre as pessoas. Nós somos os primeiros responsáveis pelo que consumimos”, explica o presidente do Simplás, Jaime Lorandi.

Sucesso de público e crítica em Joinville (SC)

A palestra com que o Simplás celebrará os 29 anos de representação empresarial, na reunião-almoço da CIC, experimentou dois recentes sucessos de público e crítica. As apresentações ministradas pelo presidente do sindicato, Jaime Lorandi, na feira Interplast, em Joinville (SC), nos dias 14 e 15 de agosto, tiveram auditório lotado, aplausos e muitas perguntas do público.

No primeiro dia, havia a plateia especializada da Câmara Nacional de Recicladores de Materiais Plásticos (CNRMP) da Associação Brasileira da Indústria do Plástico (Abiplast); e, no segundo, uma turma de estudantes cheios de curiosidade entre um atento grupo de industriais da transformação.

“Achei muito interessante. Bem expositiva, elucidativa e educativa. Pretendo passar para a frente, entre a própria família e no meu meio social”, comentou o estudante do ensino médio Pedro Gori.

“Muito legal! Já quero fazer contato com o palestrante para falar sobre um projeto ambiental que estamos desenvolvendo em nosso curso”, revelou a estudante do Curso Técnico em Plásticos, do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia – campus Sapucaia do Sul, Jaqueline Abreu.

“Gostei muito. Nunca tinha visto nada assim”, completou a colega Lauany Pletsch.

Lorandi observa que o conceito de responsabilidade individual aplicado na relação entre produção, consumo e destinação correta de produtos plásticos tende a se expandir de maneira orgânica para quaisquer outros materiais inseridos no cotidiano da sociedade.

“Os plásticos representam 40% de todo os resíduos sólidos que produzimos hoje. Então, por óbvio, ao adquirirmos a cultura da separação para o plástico, naturalmente vamos evoluir para um comportamento adequado com o vidro, o metal, o papel, o papelão…”, sentencia o presidente do Simplás.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Simplas; Fotos: Zeca Martins

Curta nossa página no

Anúncios

Palestra do Presidente do Simplás, Jaime Lorandi, mobiliza lideranças do setor de plásticos na Interplast em torno de proposta de educação para sustentabilidade

15/08/2018

Presidente da Abiplast e da Fiesp, José Ricardo Roriz Coelho, avaliou positivamente palestra do presidente do sindicato, Jaime Lorandi

O Sindicato das Indústrias de Material Plástico do Nordeste Gaúcho (Simplás) finalizou, sob aplausos, a reunião da Câmara Nacional de Recicladores de Materiais Plásticos (CNRMP) da Associação Brasileira da Indústria do Plástico (Abiplast), em edição especial realizada no dia de abertura da Interplast 2018 – Feira e Congresso de Integração da Indústria do Plástico, nesta terça-feira (14), em Joinville (SC). A platéia de lideranças do setor saudou a linguagem inovadora e acessível proposta pelo sindicato para difundir na sociedade os conceitos da economia circular.

A palestra, que o presidente do Simplás e conselheiro da Abiplast, Jaime Lorandi, apresentará também na reunião-almoço da Câmara de Indústria, Comércio e Serviços (CIC) de Caxias do Sul, alusiva aos 29 anos do sindicato, no dia 27 de agosto, desafia visões pré-concebidas. E com dados, fatos e estatísticas, propõe soluções por meio da responsabilidade coletiva.

Na mesma ocasião, o Simplás também lançará o projeto Plástico do Bem, na própria CIC, capacitando os integrantes do condomínio de entidades a coletar, separar e trazer seus plásticos limpos para destinar à reciclagem e gerar recursos. Neste momento, o Plástico do Bem já está remunerando 20 escolas da rede municipal de Farroupilha por meio da capacitação para reciclagem oferecida aos estudantes, familiares e professores.

“O sujeito ativo da poluição são as pessoas. Não dar o destino correto para aquilo que se consome, ou nem mesmo pensar a respeito, é uma questão de comportamento. Porém, vivemos novos tempos e precisamos desenvolver novos hábitos. Assim, o caminho é investir na educação para a sustentabilidade”, afirma Lorandi.

Presidente da Abiplast e também da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), José Ricardo Roriz Coelho entende que a apresentação desenvolvida pelo Simplás – e que será compartilhada por todo o setor – tem a capacidade de modificar a forma como as pessoas enxergam o ato de consumo e o incremento na qualidade de vida oferecido pelos produtos.

“O Jaime é um palestrante bem didático e o conteúdo está bem acessível a toda a população. Não usa aquela linguagem técnica, restrita ao setor. Ele mostra, com fatos, que a sociedade não poderia viver sem o plástico. Porque oferece muitos benefícios e porque a troca por outros materiais teria imenso impacto ambiental. O que a sociedade precisa fazer é buscar alternativas para ampliar o uso dos plásticos e estabelecer uma relação mais amigável deles com as pessoas”, avalia Roriz.

Nesta quarta-feira (15), Lorandi volta a ministrar a palestra na Interplast 2018, agora aberta a todo o público participante da principal feira nacional do setor. O encontro está marcado para as 18h, na Sala Violeta (número 14), no Centro de Convenções da Expoville, em Joinville (SC). Inscrições podem ser feitas pelo link bit.ly/2Kf75Yu ou pelo site interplast.com.br.

Comentários sobre a Palestra:

“A palestra desenvolvida pelo Simplás é educativa, abrangente, expõe os benefícios dos plásticos para a humanidade, contrapõe a imagem tradicional que se tem dos plásticos e propõe uma solução. O problema, hoje, é de comportamento. Falta educação e falta ação, principalmente do poder público, para dar incentivos à economia circular, que ampliaria a geração de dinheiro, impostos e trabalho em toda a sociedade, de maneira limpa.”

Ricardo Hajaj (Presidente da Câmara Nacional de Recicladores de Materiais Plásticos (CNRMP) da Abiplast)

“A palestra é fantástica! Estamos apenas debatendo alguns pontos de sintonia, via Abiplast, para ser a mensagem nacional e oficial do setor. E vamos viralizar. Buscar as crianças. O trabalho feito pelo Simplás é maravilhoso. Estou orgulhoso e encantado de contar com um parceiro de setor como o Jaime.”

Albano Schmidt (Presidente do Sindicato da Indústria de Material Plástico no Estado de Santa Catarina)

“A linguagem não é nada técnica e, pelo contrário, é bastante acessível a qualquer pessoa. Principalmente, para quem é de fora do setor. Já estamos em tratativas para que o Jaime leve a palestra para o Energiplast [Fórum Brasileiro de Reciclagem Energética de Resíduos Sólidos com Ênfase em Plásticos], quem sabe fazendo a abertura do evento [dia 11 de setembro, na Fiergs, em Porto Alegre].”

Luiz Henrique Hartmann (Coordenador do Energiplast – Fórum Brasileiro de Reciclagem Energética de Resíduos Sólidos com Ênfase em Plásticos)

Fonte: Assessoria de Imprensa – Simplas; Foto: Zeca Martins

Curta nossa página no

Simplás leva oito empresas da Serra Gaúcha à Interplast 2018

02/08/2018

Em parceria com o Sebrae, sindicato terá estande de 82m2 na principal feira de transformação plástica do país na temporada, de 14 a 17 de agosto, em Joinville (SC)

Oito empresas do polo de transformação plástica de Caxias do Sul e Farroupilha (RS) serão as atrações com que o Sindicato das Indústrias de Material Plástico do Nordeste Gaúcho (Simplás) desembarcará na Interplast 2018, de 14 a 17 de agosto, em Joinville (SC). Em parceria com o Sebrae, o sindicato terá um estande de 82 m2 na principal feira nacional do setor na temporada. Além dos expositores, o Simplás também marcará presença com uma missão técnica integrada por quase 50 empresários e ainda duas edições da palestra “A Solução dos Plásticos”, abordando educação e sustentabilidade, ministrada pelo presidente Jaime Lorandi.

Com um total de 400 expositores e dezenas de milhares de visitantes em circulação no evento, a expectativa da entidade é propiciar aos participantes oportunidades para geração de negócios, abertura de relacionamentos e aquisição de conhecimento.

“Nestes momentos é que se verifica a importância do associativismo para o empreendedor, pois é a atuação do sindicato aliada a organizações de fomento que dá suporte para as indústrias mostrarem a um público específico o diferencial de seus produtos e serviços e o próprio desenvolvimento econômico e social da nossa região”, avalia o presidente do Simplás, Jaime Lorandi.

Boa parte dos expositores no estande coletivo do Simplás já participa há várias edições da Interplast – graças ao modelo oferecido pelo sindicato. É o caso da Polifibras, presente desde a primeira edição. A empresa farroupilhense aproveitará a vitrine do mercado para lançar novos compósitos de polipropileno com fibras naturais, que conferem às peças injetadas aspecto e coloração semelhantes à de madeira marfim, cerejeira e imbuia.

“São uma excelente opção ecológica e sustentável para as empresas que injetam utilidades domésticas, como copos, pratos e canecas. Não há necessidade de troca de moldes ou gastos extras para que nossos clientes lancem novos produtos no mercado, com apelo sustentável e ecológico” revela o diretor Daniel Pegoraro, que também destaca a visibilidade e ganhos que teve com a feira, por meio da parceria com o sindicato.

Depoimento de alguns expositores:

“Estamos muito confiantes nesta segunda participação no estande coletivo do Simplás. Temos a convicção que abriremos espaço para novos negócios e vamos fortalecer parcerias já existentes no mercado automotivo, linha branca e eletroeletrônico. Vamos apresentar nossa ferramentaria e nossas peças técnicas em termofixo e termoplástico desenvolvidas no Sistema IPOS de Produção (SIP) que é baseado na filosofia Lean Manufacturing ( Kaizen ).” – Thiago Petersen, diretor da IPOS

“Em nossa primeira participação na Interplast junto com o Simplás, seguimos para Santa Catarina com a expectativa de abertura e conhecimento de novos mercados, além da exposição da marca. Levaremos à feira manípulos em geral, injeção bicomponente, rodízios e caixas plásticas, que são nossos cases.” – André Schio, coordenador de vendas da D’Zainer

“Nossa expectativa é a mais alta possível. Acreditamos que nosso flake de PET PCR Super Lavado grau alimentício, homologado junto à Anvisa, será uma grande sensação no nosso segmento. Será o principal produto que apresentaremos. Já é a quarta vez que estamos na parceria com o Simplás e temos a certeza de concretizar ótimos negócios.” – Lauri Felisbino Júnior, diretor da Sulpet

“É nossa primeira participação na Interplast e estamos atentos à prospecção de novos clientes e na abertura de novos mercados com a ampliação da rede de relacionamento. Vamos mostrar no evento moldes e matrizes de precisão para os segmentos automotivo, linha branca, utilidades, agrícola, eletrônico, brinquedos, farmacêutico, entre outros.” – Paula Fioreze, Gerente Administratica da Roma Usinagens

ESTANDE SIMPLÁS/SEBRAE NA INTERPLAST 2018 – Produtos das expositoras

  • D’Zainer (dzainer.com.br): caixas para armazenamento industrial, comercial e residencial, produzidas com polietileno de alta densidade (PEAD); equipamento para movimentação de caixas, aparelhos ou móveis com base plana em uso interno
  • Elri (elri.com.br): acessórios automotivos para linha leve e pesada de veículos, embalagens plásticas técnicas e comerciais, telhado verde
  • Gauer Auto Peças (gauer.ind.br): componentes automotivos
  • Ipos (ipos.com.br): peças em termofixo (baquelite), termoplástico (plástico) para máquinas, equipamentos e materiais elétricos, serviços em pintura pelo processo de tampografia
  • Mantova (mantova.ind.br): tubos flexíveis
  • Polifibras (polifibras.com.br): resinas ecológicas
  • Roma Usinagens (romausinagens.com.br): moldes e matrizes
  • Sulpet (sulpet.com.br): reciclagem e processamento de resíduos

Fonte: Assessoria de Imprensa – Simplas

Curta nossa página no

ENAFER tem início com workshops técnicos

17/05/2018

Encontro Nacional de Ferramentarias ocorre em Caxias do Sul, RS, com expectativa de 350 participantes

Com a realização de oito workshops sobre novas tecnologias e serviços, teve início na manhã desta quinta (17), em Caxias do Sul, RS, o 11º Encontro Nacional de Ferramentarias (ENAFER). Os workshops constituem novidade no encontro, que nas 10 edições anteriores concentrava toda a sua programação em um único dia.

A realização dos encontros, em salas do Bloco M da Universidade de Caxias do Sul (UCS), a partir das 8h desta quinta (17), visa ampliar a oferta de informações estratégicas para os empresários e atender demanda de patrocinadores – aproximadamente 70 marcas nesta edição – que reivindicavam espaço para expor produtos e serviços, além de tratar de temas técnicos. Cada encontro, com duração de duas horas, tem a participação máxima de 70 inscritos.

A abertura oficial está programada para 9h da sexta (18), com manifestações dos presidentes Christian Dihlmann, da Associação Brasileira da Indústria de Ferramentais (ABINFER), e Jaime Lorandi, do Sindicato das Indústrias de Material Plástico do Nordeste Gaúcho (Simplás), entidades promotoras do ENAFER. A expectativa dos organizadores é reunir em torno de 350 participantes, de diferentes estados do Brasil. A programação da sexta contempla quatro palestras, duas mesas redondas e a assembleia geral da ABINFER. Todas as atividades serão concentradas no Bloco M da UCS.

Ações para preparar o futuro das empresas nortearão palestras de gestores de indústrias automotivas. O Diretor de Ferramentaria da General Motors do Brasil, José Antônio Zara, discorrerá sobre como os empresários devem preparar seus negócios para atender ao futuro da ferramentaria nacional, em termos de competência humana e tecnologia. Já Bruno Luís Ferrari Salmeron, diretor da Schulz Automotive, de Joinville (SC), centrará atenções na importância da governança como fator de sucesso da empresa. Ainda haverá palestra motivacional de Márcio Mancio sobre o tema Tropa de elite: A força da sua empresa.

Ao final da programação será realizada mesa redonda sobre a história da ferramentaria no Brasil com a participação dos empresários ferramenteiros mais experientes de Caxias do Sul. Também será prestada homenagem, com a entrega da medalha Herói Ferramenteiro, aos empresários Renato Henrique Leonardelli, Alcides Jerônimo Bonezi e Salustiano Lino Machado.

Rota 2030: sustentabilidade para o setor

O eixo central dos debates do ENAFER é o Programa Rota 2030, novo regime para o sistema automotivo em substituição ao Inovar-Auto, que teve sua vigência encerrada em dezembro de 2017. O formato do novo regime e suas condições interessa diretamente à indústria de ferramentais, que tem no segmento automotivo um de seus maiores clientes.

O Programa Rota 2030, que deve ser anunciado pelo governo ainda em maio, é considerado vital para dar sustentabilidade a todos os participantes da cadeia automotiva, pois demandará aumento no uso de conteúdos nacionais, criando mais e novas oportunidades de negócios. Os ajustes finais em discussão entre áreas do governo federal e setores empresariais diretamente envolvidos serão expostos por Igor Calvet, titular da Secretaria de Desenvolvimento e Competitividade Industrial do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, durante palestra no início da tarde desta sexta (18).

Segundo o presidente da Associação Brasileira de Ferramentais (ABINFER), Christian Dihlmann, o setor tem consciência de que dificilmente se repetirão as diretrizes de funcionamento do Inovar-Auto. Porém, há um anseio claro por isonomia frente às condições de disputa verificadas no mercado externo.“Não queremos agir sem regras, mas quando se permite que outros países o façam e ainda se comprem moldes de lá, a luta fica injusta. O Brasil precisa gerar emprego, mas coloca regras demais, que inviabilizam a competitividade. Concorremos com países que não têm o mínimo respeito pelo meio ambiente, onde as indústrias não têm sequer que atender às normas de um conselho de engenharia e arquitetura. Deste jeito, as empresas brasileiras vão fechando, gerando desemprego e acabando com o poder aquisitivo da população. Se continuar assim, não haverá mercado consumidor interno nem para adquirir os produtos que vêm da China”, adverte.

Gelson de Oliveira, vice-presidente técnico da ABINFER, acrescenta que as regras do jogo devem ser claras para que o empresário possa definir a sua estratégia de negócio, direcionando ações para o mercado interno ou apostando no externo. Segundo ele, o Inovar-Auto garantiu que as ferramentarias se mantivessem ativas, mesmo com as dificuldades decorrentes da crise. “Teria sido muito pior sem o Inovar-Auto. Por isso, a necessidade urgente da aprovação do Rota 2030”, sustentou.

Oliveira, empresário do setor em Caxias do Sul, lembrou que, atualmente, a capacidade instalada nas ferramentarias atende em torno de 30% das demandas da indústria automotiva. Atualmente, o índice médio de atendimento é de 15%. “No momento, quem determina como e onde serão feitos os moldes é a matriz das montadoras. Por isso, a saída para resolver esta equação é uma política governamental, que é importante, inclusive, para as montadoras”, assinala.

A definição das regras é fundamental para que as empresas possam se preparar diante da perspectiva de retomada mais intensa da atividade econômica nos próximos anos. De acordo com José Alceu Lorandi, integrante do Conselho Fiscal da ABINFER, o ano de 2018 ainda será de instabilidade em razão do processo eleitoral de outubro, mas os seguintes, de 2019 a 2021, apontam para um desempenho mais consistente. “Já temos indicações de novos projetos no setor automotivo, o que nos impõe a adoção de medidas para atender às demandas futuras com capacidade tecnológica e de produção ”, alertou.

Para o 1º tesoureiro da entidade, Antônio Gaviraghi, este ano tem se apresentado como um dos melhores para sua empresa, a Gama Matrizes, que já investiu perto de R$ 6 milhões na compra de novos equipamentos, que ainda não instalados. A demanda, segundo o empresário, visa suprir moldes para produção de modelos automotivos já em linha de produção. “Menos de 20% dos pedidos é para projetos futuros. A maioria é para atender a necessidades atuais”, comentou.

Fortalecimento do associativismo

O ENAFER é o maior fórum nacional de discussões na área de moldes e ferramentais, realizado anualmente, de modo itinerante, em São Paulo (SP), Joinville (SC) e Caxias do Sul (RS), os principais polos brasileiros de produção destes itens para diferentes segmentos industriais. A última passagem por solo gaúcho foi em 2014, também em Caxias do Sul. O objetivo é traçar um panorama atual e futuro do setor, além de propor e articular ações de fortalecimento para empresas, fornecedores e parceiros.

De acordo com o empresário José Alceu Lorandi, o ENAFER é fundamental na defesa dos interesses de todo o setor, independentemente do porte da empresa. Assinala que reduzir ao mínimo possível as importações de moldes representa aumentar a geração de empregos, renda e impostos internamente. “Ao longo destes anos, evoluímos muito, inclusive no fortalecimento do associativismo para empregar forças na direção de interesses comuns”, destacou.

O tesoureiro da ABINFER, Antônio Darci Gaviraghi, acrescenta que os encontros têm gerado a oportunidade de que os participantes se vejam como parceiros e não como concorrentes, estabelecendo novas relações comerciais. “É o caso da minha empresa, que tem terceirizado alguns serviços com outras ferramentarias”, exemplifica. Também destaca ser importante o engajamento de mais empresários à entidade visando fortalecer a sua representatividade.

Fonte: Assessoria de Imprensa – ENAFER

Curta nossa página no

11º Encontro Nacional de Ferramentarias começa no próximo dia 17

14/05/2018

Após três anos consecutivos de atividade produtiva muita baixa e faturamento em queda, a economia brasileira dá indicativos, ainda tímidos, de retomada. O cenário tende a induzir parte da classe empresarial a esquecer os efeitos danosos da crise e, assim, desmobilizar-se da tarefa de cobrar políticas governamentais de longo prazo que deem sustentabilidade aos negócios.

A 11ª edição do Encontro Nacional de Ferramentarias (ENAFER), confirmada para os dias 17 e 18 de maio, em Caxias do Sul, RS, tem como um de seus propósitos manter o empresariado mobilizado, especialmente em torno da definição do Programa Rota 2030, fundamental para que a indústria de ferramentaria crie condições para vislumbrar seu negócio no longo prazo. “Não podemos, em função de um sopro de retomada, baixar a guarda e esquecer de todas as dificuldades pelas quais passamos e que ainda não foram totalmente superadas. Construir uma política estruturante de longo prazo é vital para a continuidade do setor e isto será pauta central no 11º ENAFER”, afirma Christian Dihlmann, presidente da Associação Brasileira da Indústria de Ferramentais (ABINFER), organizadora do evento, que deve receber em torno de 300 participantes, número similar aos de anos anteriores.

De acordo com Dihlmann, o mercado segue em situação delicada e instável. “Temos de discutir e definir, desde já, uma política industrial de Estado e não de governo. O programa Rota 2030 é o caminho neste momento e por ele precisamos estar mobilizados, mostrando isto no 11º ENAFER, com grande participação”, convoca.

O presidente da ABINFER destaca a presença, no evento, do ministro Marcos Jorge, da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC), que falará sobre a importância do programa Rota 2030 para o futuro da indústria automotiva e de ferramentaria no Brasil, em palestra agendada para às 13h35 do dia 18. “O ministro precisa ver que o empresariado está mobilizado nesta demanda e sentir a pressão do setor, por meio de uma grande participação no evento”, reforça.

Gelson de Oliveira, vice-presidente técnico da ABINFER, acrescenta que as regras do jogo devem ser claras para que o empresário possa definir a sua estratégia de negócio, direcionando ações para o mercado interno ou apostando no externo. Segundo ele, o InovarAuto, programa que pautou as políticas do setor automotivo nos últimos anos e que se encerrou em 31 de dezembro de 2017, garantiu que as ferramentarias se mantivessem ativas, mesmo com as dificuldades decorrentes da crise. “Teria sido muito pior sem o InovarAuto. Por isso, a necessidade urgente da aprovação do Rota 2030”, sustentou.

Oliveira, empresário do setor em Caxias do Sul, lembrou que, atualmente, a capacidade instalada nas ferramentarias atende em torno de 30% das demandas da indústria automotiva. Atualmente, o índice médio de atendimento é de 15%. “No momento, quem determina como e onde serão feitos os moldes é a matriz das montadoras. Por isso, a saída para resolver esta equação é uma política governamental, importante, inclusive, para as montadoras”, assinala.

Mas pondera que, mesmo com estas ações, será longo e penoso o período para que as ferramentarias atinjam níveis de produção de anos anteriores. “Mesmo já sendo reconhecidos por nossa qualidade, aqui e no exterior, as empresas terão de investir em equipamentos, processos e softwares de última geração”, alertou. E para que o ritmo destes ajustes seja rápido, serão necessárias fontes públicas de financiamentos, porque as empresas, em sua maioria, não tem força financeira para investimentos expressivos, afirma Oliveira. “Não queremos nada de graça, pois temos de ser competentes. Mas sem uma política clara, os clientes escolherão fornecedores onde os impostos são menores e as tecnologias e os equipamentos estão disponíveis em abundância”, salientou.

Dihlmann destaca que o empenho da ABINFER em torno do programa Rota 2030 está alinhado com a própria estratégia do governo de criar condições para o desenvolvimento do setor automotivo. Ele lembra que veículos e casa própria são sonhos permanentes do consumidor brasileiro. “Considerando que os ferramentais são determinantes na produção de veículos, precisamos aproveitar para organizar e consolidar o setor neste momento onde o governo direciona grande energia para a indústria automotiva”, reforçou o dirigente, observando que, ao contrário do automotivo, onde novidades são rotineiras, na construção civil, outro forte mercado das ferramentarias, o ciclo de vida dos produtos é mais longo. Assegurou, no entanto, ser objetivo da entidade lutar também por programas de incentivo em outros setores, como eletrodomésticos, embalagens e a própria construção civil.

Programação terá dois dias

Nas 10 edições anteriores, o ENAFER concentrou suas atividades em um único dia, visando oferecer ao máximo informações estratégicas para o empresário. Como forma de atender a uma demanda de patrocinadores, que passam de 60 marcas nesta edição, a organização optou por criar um dia específico para tratar de temas técnicos. Desta forma, a quinta-feira, dia 17 de maio, será reservada para workshops, desenvolvidos em salas com capacidade para até 70 participantes e apresentados por patrocinadores, que divulgarão produtos e serviços. Na avaliação de Christian Dihlmann, presidente da ABINFER, a maioria dos participantes destes encontros será formada por empresários locais ou regionais.

Os workshops técnicos ocorrerão em salas da Universidade de Caxias do Sul, a partir de 8h. Até o momento estão confirmadas palestras conduzidas por representantes das marcas Top Solid, Polimod, +GF+, Casafer, Villares Metais e Produttare. As inscrições gratuitas podem ser feitas diretamente em http://www.enafer.com.br/workshops-tecnicos/.

A programação do 11º ENAFER terá início na quinta à noite, 17 de maio, com jantar de confraternização. Na sexta-feira, a abertura oficial está programada para 9h, com manifestações de Jaime Lorandi, presidente do Sindicato das Indústrias de Material Plástico do Nordeste Gaúcho, e de Christian Dihlmann, da ABINFER.

A programação contempla quatro palestras, duas mesas redondas, assembléia geral da ABINFER, almoço e intervalos para relacionamento. Todas as atividades serão concentradas no UCS Teatro, no Bloco M da Universidade de Caxias do Sul. As inscrições gratuitas podem ser feitas em http://www.enafer.com.br, onde também está disponível toda a programação.

Fonte: Assessoria de Imprensa: Abinfer

Curta nossa página no

Pesquisas sobre grafeno realizadas na Universidade Mackenzie despertam interesse da indústria de plásticos da Serra Gaúcha

14/04/2018

Material plástico aditivado com grafeno

Sindicato identifica oportunidades de negócio para o setor em visita a centros de pesquisa e desenvolvimento em São Paulo

A reciclagem dos pacotes de salgadinhos consumidos aos milhões todos os dias pode dar origem a uma matéria-prima relevante para impressão 3D, conseguida através da aditivação do polipropileno biorientado (BOPP) das embalagens descartadas de batatas fritas, nachos e outras guloseimas com partículas de grafeno.

E representa uma das oportunidades identificadas para o mercado do plástico durante visita a centros tecnológicos, em São Paulo, pelo Sindicato das Indústrias de Material Plástico do Nordeste Gaúcho (Simplás). Já é a segunda vez em menos de seis meses que o sindicato passa pelo Centro de Pesquisas Avançadas em Grafeno, Nanomateriais e Nanotecnologias da Universidade Presbiteriana Mackenzie – o MackGraph, onde a novidade foi apresentada quinta-feira (12/04). Assim como na ocasião anterior, em novembro passado, o objetivo do Simplas é detectar e compreender os possíveis impactos do grafeno para a indústria do plástico.

As possibilidades de aplicações só crescem no setor. Existe a possibilidade de que, em breve, a carroceria de um automóvel, que hoje é fabricada em aço, possa ter estrutura de plástico aditivado com grafeno. O material é muito mais resistente do que o aço, porém, flexível.

“É uma inovação que contempla três conceitos fundamentais para o futuro de qualquer negócio: sustentabilidade, tecnologia de ponta e altíssimo valor agregado. Percebemos que as pesquisas na Mackenzie estão bastante avançadas. O passo seguinte é dar viabilidade industrial e comercial para que estes novos materiais sejam naturalmente absorvidos pelo mercado”, constata o presidente do Simplás, Jaime Lorandi.

O grafeno possui condutividade térmica bastante superior à do cobre e tem uma densidade muito baixa.

Lorandi e o diretor executivo do Simplás, Zeca Martins, integram a missão organizada pelo Sindicato das Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e de Material Elétrico de Caxias do Sul (Simecs) e pela Uniftec, que também visitará o Instituto Mauá, o Instituto Tecnológico da Aeronáutica (ITA) e o Centro Tecnológico de São José dos Campos. As organizações são referência nacional em pesquisa e desenvolvimento para a indústria 4.0.

“O Simplás está sempre em busca de novas oportunidades de negócios e conhecimento para seus representados. Muitas delas, já são realidade e estão disponíveis hoje. O que procuramos é identificar e acessar estas novidades, a fim de trazer maiores condições de competitividade às empresas do setor”, conclui Lorandi.

Fonte:  Assessoria de Imprensa – Simplas

Curta nossa página no

Simplas promoverá apresentação sobre Indústria 4.0 durante a próxima reunião-jantar

05/10/2017

Diretor Regional do Senai-SC, Jefferson de Oliveira Gomes, abordará o tema segunda-feira (9), às 20h, na CIC de Caxias do Sul (RS)

Vislumbra-se que em 2020 haverá profissões que ainda não existem e que substituirão outras que acabaram de surgir; a educação precisará ser reformulada para a solução de problemas; e o desenvolvimento dos negócios no Brasil precisará de uma completa reformulação.

Tal cenário será explorado durante a palestra “Indústria 4.0” que o diretor regional do Senai de Santa Catarina, Jefferson de Oliveira Gomes, traz para a Reunião-Jantar do Sindicato das Indústrias de Material Plástico do Nordeste Gaúcho (Simplás) na segunda-feira (9), a partir das 20h. O evento será na Câmara de Indústria, Comércio e Serviços (CIC) de Caxias do Sul (RS). Mais informações e consulta para adesões podem ser feitos pelo telefone (54) 3013.8484 ou e-mail vanessa@simplas.com.br.

Engenheiro mecânico com graduação e mestrado pela UFSC e professor da divisão de engenharia mecânica-aeronáutica do Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), Gomes deixou a gerência executiva de tecnologia e inovação do Senai nacional, em Brasília, para assumir o comando da regional catarinense, em Florianópolis, há dois anos.

“Nos acostumamos com uma indústria em que a gente trabalha com máquina. Só que agora chegamos num momento em que a máquina trabalha com a gente. É uma lógica um pouco diferente”, comenta Gomes. Segundo o palestrante, a dificuldade de acesso à infraestrutura e o labirinto regulatório tem sido os maiores entraves para o desenvolvimento da indústria 4.0 no Brasil. Por outro lado, existe grande oportunidade para novidades germinadas em parques tecnológicos.

“Os americanos dizem que estamos saindo da era em que produzimos para o cliente e estamos chegando na era em que o cliente nos produz. É a era da customização em massa. O cliente me diz o quê e como quer. Por meio de sensores, estas informações são transmitidas diretamente à fábrica, a partir do produto. Primeiro, tínhamos as máquinas comunicando-se entre si. Agora, temos plantas industriais inteiras interligadas, recebendo e transmitindo informações e trabalhando com robótica inteligente”, comentou.

Neste sentido, afirma Gomes, há uma necessidade premente de se reformular o paradigma da educação no Brasil. Segundo ele, hoje o Brasil tem 27 milhões de estudantes que serão formados sem uma especialização técnica. Apenas 6% dos jovens brasileiros concluem o ensino médio com alguma formação técnica. Na Alemanha, o índice gira em torno dos 56%. E na Suécia, supera os 70%.

Dados do Fórum Econômico Mundial citados por Gomes revelam que, dos 3 bilhões de trabalhadores com algum tipo de vínculo empregatício no mundo, 1 bilhão exercem profissões que não existiam cinco anos atrás. E das profissões que surgirão nos próximos oito anos, 65% ainda são desconhecidas.

“Ninguém sabe dizer com certeza o que vai acontecer. Mas o que se sabe é que a educação terá de ser baseada em problemas. As pessoas terão que trabalhar mais em conjunto. Será preciso entender de engenharia e de psicologia. A indústria moderna é feita por gente que pensa e trabalha”, concluiu.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Simplas

Curta nossa página no

Simplás exibe tecnologia em utilidades domésticas, armazenamento e embalagens na Expoagas 2017

22/08/2017

Cilindro Laminador Estilo da Anodilar

Com lançamentos e produtos próprios, seis empresas compõem o estande do sindicato no Centro de Eventos da Fiergs, em Porto Alegre, entre os dias 22 e 24, das 12h às 21h

O Sindicato das Indústrias de Material Plástico do Nordeste Gaúcho (Simplás) servirá de vitrine e ponto de negócios para seis indústrias do polo de transformação plástica da Serra Gaúcha durante a Expoagas – feira anual da Associação Gaúcha de Supermercados (Agas). Anodilar, Dzainer, Gufani, Norb, Plásticos Itália e Sulbras apresentarão lançamentos e produtos próprios para os segmentos de utilidades domésticas (UDs), armazenamento e embalagens no estande coletivo do Simplás, de 22  a 24 de agosto, das 12h às 21h, no Centro de Eventos da Fiergs, em Porto Alegre.

A Expoagas é a maior feira do setor supermercadista em todo o Cone Sul e chega agora à 36ª edição. A expectativa é gerar mais de R$ 461 milhões em negócios. Em 2016, o evento encerrou com 44,2 mil visitantes de 6,4 mil empresas varejistas e 347 expositores. Os segmentos de utilidades domésticas e embalagens são dois dos mais representativos atendidos pelas indústrias da área de abrangência do Simplás.

Destaques no estande do Simplás na Expoagas 2017

Anodilar – Entre outros produtos, traz um lançamento: o Cilindro Laminador Estilo. Ideal para os apaixonados por massas caseiras, pois além de laminar, o equipamento permite cortar o alimento. Possui design e sistema exclusivo de regulagem única de espessura entre os rolos, mantendo maior uniformidade da massa, afirma a empresa.

Dzainer – Além de caixas para armazenamento industrial, comercial e residencial, produzidas com polietileno de alta densidade (PEAD), a Dzainer apresentará o Transbox, que é um equipamento para movimentação de caixas, aparelhos ou móveis com base plana. Segundo a empresa, o equipamento proporciona agilidade e reduz o desgaste físico na movimentação de cargas leves. Indicado para indústrias em geral, supermercados, frigoríficos e varejo.

Gufani – O destaque é a cesta de compras com capacidade de 20 litros, alta resistência, diversas cores e possibilidade de inserção de logomarca.

Norb – A empresa de Caxias do Sul tem como atração um produto patenteado: a Marmita Termoprática, fabricada em plástico, com revestimento interno de aço inoxidável, que pode ser levada ao micro-ondas. As peças, em diversas opções de cores, são isentas de toxinas e fáceis de se limpar, garante a Norb.

Plásticos Itália – É com lançamento de produto próprio que a indústria de Farroupilha desembarca na Expoagas. O carregador de sacolas Carry-Bag® surgiu com o objetivo de auxiliar no transporte de pacotes de compras pelos clientes de supermercados. Suporta até 20kg e incentiva a redução do consumo de sacolas nos estabelecimentos. O produto tem apenas 11cm fechado e 24cm aberto. Segundo a Plásticos Itália, o produto é prático, confortável, leve e menor do que os similares. Outra grande vantagem do Carry-Bag® é seu apelo ambiental, pois a matéria-prima utilizada na fabricação vem da cana-de-açúcar.

Sulbras – A empresa lança duas novas linhas de produtos próprios: a primeira linha compreende caixas organizadoras para uso industrial e residencial e a outra consiste de vasos de jardim com prato anti-mosquito. Nos dois casos, utiliza material anti-UV.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Simplas

Curta nossa página no

Simplas mobiliza entidades nacionais e internacionais para sensibilizar Vaticano sobre equívoco de Encíclica Papal desfavorável ao uso dos plásticos

20/04/2017

  • Proposta para diálogo com o Vaticano conquista apoios da Aliplast e Braskem
  • Entidades industriais do Canadá e Estados Unidos serão contactadas
  • Plastivida oferece apoio para contato com ONGs

A iniciativa do Sindicato das Indústrias de Material Plástico do Nordeste Gaúcho (Simplás) de buscar uma convergência internacional do setor para dialogar com o Vaticano, a fim de obter uma nova orientação da Igreja Católica quanto ao uso e reciclagem dos plásticos, conta agora com os apoios oficiais da Associação Latino-americana da Indústria Plástica (Aliplast) e da petroquímica Braskem. O endosso foi confirmado em duas reuniões consecutivas durante a realização da Feiplastic, no Expo Center Norte, em São Paulo.

A Associação Brasileira da Indústria do Plástico (Abiplast) e fabricantes de máquinas para plástico do Brasil e da Itália já manifestaram também seu apoio à iniciativa do Simplas.

A idéia é subsidiar o Vaticano com informações completas e atualizadas a respeito dos benefícios dos plásticos para a humanidade, em particular sobre seu ciclo de reaproveitamento. O canal de comunicação do Simplás com a chancelaria do Papa Francisco está aberto desde o ano passado. Os contatos se iniciaram ainda em 2015, quando a encíclica Laudato Si, de caráter social e ambiental, foi publicada com um trecho que propôe que se evite o consumo do plástico (entre outros materiais).

O Simplas prosseguirá as conversações, com o aval da Associação Brasileira da Indústria do Plástico (Abiplast), a partir de uma resposta já obtida da chancelaria do Papa Francisco, após sucessivas tentativas por meio de cartas, intermediação bispal e até contato direto com cardeais na Basílica de São Pedro.

“Os religiosos ligados ao Papa e representantes da Secretaria de Estado do Vaticano foram muito receptivos e compreenderam a necessidade de existir este diálogo e colocaram-se à disposição. A partir deste momento, cabe às lideranças internacionais do setor de plástico unirem-se e elaborarem um projeto de diálogo com o Vaticano, com o objetivo de sensibilizar os cardeais da Secretaria de Estado e, posteriormente, dialogar com o Papa Francisco”, afirma Jaime Lorandi (foto), presidente do Sindicato das Indústrias de Material Plástico do Nordeste Gaúcho (Simplas).

A encíclica Laudato Si, divulgada em 18 de junho de 2015, tem caráter social e ambiental. Em determinado trecho, o documento sugere aos fiéis católicos – que correspondem a aproximadamente 1,3 bilhões de pessoas no mundo todo – “evitarem o uso de material plástico”. “Esta orientação do Papa pode influenciar as idéias e o comportamento de bilhões de pessoas nas próximas décadas”, adverte Lorandi.

Na condição de empresário do ramo de plásticos e, ao mesmo tempo, de estudioso diletante de Encíclicas Papais, a posição única de Jaime Lorandi lhe permitiu cedo identificar o equívoco da orientação da Encíclica sobre o uso dos plásticos, a qual, inclusive, é contraditória com a visão do Papa sobre o combate à pobreza e à fome.

“A maioria dos povos descartam os produtos pós-consumo de forma não ecológica, tratando-os como lixo e jogando-os no meio ambiente. Esta forma errônea de destinação criou uma mentalidade de que os plásticos poluem, gerando uma onda de desinformação contra o uso do material. Caso a humanidade evite ou exclua os plásticos de sua vida, haverá muito mais famintos, sedentos, despidos, doentes, desabrigados e com menos possibilidade de deslocamento geral. Inclusive, haverá maior dano ambiental, provocado pelo uso de outros materiais que exigem maiores recursos naturais e energéticos”, alerta o presidente do Simplas. “É dever das pessoas que possuem conhecimento aprofundado em plásticos, em humanidades e em uso de recursos naturais e energéticos, informar a todos sobre os benefícios deste material e alertar sobre os perigos consequentes de seu desuso e eliminação. Caso haja alteração na orientação da encíclica, este fato histórico trará uma grande repercussão positiva na cultura da reciclagem, principalmente nos países ocidentais”, afirma Lorandi.

Durante a Feiplastic 2017, o presidente do Simplás realizou várias reuniões e contatos visando mobilizar o setor para o desenvolvimento de um projeto coletivo internacional e unificado com o objetivo de conversar diretamente com o Vaticano a respeito da importância dos plásticos para a vida humana. Sobretudo, quando se cumpre o seu ciclo de descarte e reutilização.

“O avanço adicional do encontro com a Aliplast durante a Feiplastic foi a manifestação do México de levar a proposta à associação da América do Norte, que reúne as indústrias de Canadá e Estados Unidos. Para que também eles apóiem a formação de uma linguagem única de todo o setor, a nível mundial”, afirma o presidente do Simplás.

Aval da Braskem

Durante encontro com Jaime Lorandi, também no decorrer da Feiplastic, o presidente e o vice-presidente da Braskem, Fernando Musa e Edison Terra, respectivamente, afirmaram que desconheciam o tema relativo à encíclica Laudato Si e se propuseram a encaminhar o assunto ao Conselho Mundial do Plástico (WPC, na sigla em inglês). A Braskem ocupa uma cadeira no Comitê Executivo da organização, que trata de assuntos estratégicos à cadeia plástico-petroquímica em todo o planeta.

“Eles perceberam que o assunto deve ser abordado com muito zelo. E já confirmaram que a associação internacional dos fabricantes de plástico vai apoiar e fornecer todas as informações necessárias”, afirma Lorandi.

Plastivida busca sensibilizar Organizações Não Governamentais

Visando obter o apoio de instituições de ensino e organizações não-governamentais (ONGs) ligadas ao setor, a iniciativa do Simplas conta também com o suporte da Plastivida – Instituto Sócio-Ambiental dos Plásticos.

“A Plastivida já se sensibilizou e vai levar o assunto às demais ONGs ligadas ao plástico, para obter também o apoio e as informações delas para formatarmos o projeto de diálogo com o Vaticano”, comenta Lorandi. O envolvimento das ONGs visa também avançar com a sensibilização de organismos internacionais sobre o tema: “Agora queremos o apoio da ONU. Queremos obter o suporte de organizações mundiais, como a FAO (Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação) e a OMS (Organização Mundial da Saúde), para que elas também tenham conhecimento da importância do plástico para a alimentação e a saúde do planeta”, finaliza Lorandi.

Fonte: Simplas; foto: Júlio Soares / Objetiva (divulgação Simplas)

Curta nossa página no

Simplás comparece com estande coletivo e missão a feira em Joinville

15/08/2016

Simplas_Interplast

Vitrine com sete empreendimentos e comitiva com 30 integrantes da Serra Gaúcha participam da Interplast, que ocorre de 16 a 19 de agosto, em Santa Catarina

O Sindicato das Indústrias de Material Plástico do Nordeste Gaúcho (Simplás) desembarca com um estande coletivo de oito vitrines e uma missão técnica de 30 integrantes do polo transformador da Serra Gaúcha na segunda semana de agosto, em Joinville (SC). Ambos os grupos participam da Interplast, que entre os dias 16 e 19 deve atrair representantes de mais de 400 empresas de oito estados e cinco países para um dos mais importantes eixos industriais do sul do Brasil.

A lista de expositores já confirmados no espaço que o Simplás organiza em parceria com o Sebrae segue abaixo. O estande de 84m2 no pavilhão principal estará aberto durante toda semana de feira, das 14h às 21h.

Já a missão, parte de Caxias do Sul na quinta-feira, 18, e retorna no dia 19, depois de cumprir um roteiro de visitas técnicas por empresas da região de Joinville e pela própria Interplast. O grupo é composto por três dezenas de representantes dos mais diversos setores, com predominância na indústria de transformação e prestação de serviços.

“Toda feira merece ser avaliada com muita atenção como uma grande oportunidade. Seja para fazer negócio, seja para estabelecer e reforçar contatos, seja para conhecer algo de novo e voltar com um aprendizado. E a Interplast é a feira mais importante do país no segundo semestre deste ano”, avalia o presidente do Simplás, Jaime Lorandi.

As empresas confirmadas no stand coletivo Simplás-Sebrae na Interplast são:

  • Bakelitsul (www.bakelitsul.com.br): acessórios industriais
  • Elri (www.elri.com.br): acessórios automotivos para linha leve e pesada de veículos, embalagens plásticas técnicas e comerciais, telhado verde
  • Ipos (www.ipos.com.br): peças em termofixo (baquelite), termoplástico (plástico) para máquinas, equipamentos e materiais elétricos, serviços em pintura pelo processo de tampografia
  • Norb (www.norb.ind.br): linha de utilidades domésticas, com destaque para a Marmita
  • Termoprática®, um produto patenteado e único no Brasil.
  • Polifibras (www.polifibras.com.br): resinas ecológicas
  • Tracksul (www.tracksul.com): contêineres, caixas e bandejas plásticas
  • Sulpet (www.sulpet.com.br): reciclagem e processamento de resíduos

Fonte e Foto: Assessoria de Imprensa – Simplás

Curta nossa página no

Evento discutirá a importância do plástico na qualidade de vida das pessoas

16/07/2016

2º Congresso Brasileiro do Plástico reunirá especialistas para debater e apresentar cases sobre a contribuição do plástico no desenvolvimento ambiental, social e econômico

Congresso-do-PlasticoO plástico vem se destacando, ao longo das últimas décadas, como indispensável para a sociedade moderna. Na saúde, o plástico está presente em hospitais com produtos de alta tecnologia, mais acessíveis e seguros. Seringas, bolsas de sangue e soro, cateteres, mangueiras e cadeiras de rodas são algumas das aplicações na área médico-hospitalar, além de elementos mais sofisticados, como próteses  e membros para pessoas amputadas. Também é presente em aplicações que previnem doenças e promovem qualidade de vida, como no saneamento básico e tratamento da água potável.

Uma das matérias-primas mais estudadas, o plástico integra aplicações que geram eficiência energética, economia, alto desempenho e sustentabilidade. Graças ele, vários produtos ficaram mais acessíveis, facilitando a ascensão de outras classes consumidoras e beneficiando um maior número de pessoas. Segmentos como o automotivo estão desenvolvendo veículos mais leves, seguros e econômicos. No agronegócio, o plástico está melhorando os processos desde o campo até a mesa do consumidor, contribuindo com maior produtividade, evitando o desperdício e aumentando o tempo de vida e a qualidade dos alimentos.

No Brasil, o setor plástico conta mais de 11 mil empresas de transformação, de pequeno, médio e grande portes, gerando mais de 300 mil empregos diretos, destacando-se como o quarto setor que mais emprega no país, segundo dados da Abiplast. Para Alfredo Schmitt, Presidente do Congresso Brasileiro do Plástico, o Brasil tem potencial para avançar no campo do desenvolvimento de novas aplicações, com produtos de maior valor agregado que possam atender as demandas do mercado global. “Nosso desafio é continuar investido em pesquisa, desenvolvimento e qualificação profissional para atender as demandas do consumidor, cada vez mais exigentes por produtos com qualidade e viés sustentável”, afirma o executivo.

Neste ambiente, o Brasil receberá o 2º Congresso Brasileiro do Plástico, uma  iniciativa do segmento com o objetivo de evidenciar o plástico como elemento indispensável para melhorar a qualidade de vida das pessoas. Nesta edição, congressistas brasileiros e estrangeiros discutirão as contribuições do produto em segmentos estratégicos como saúde, sustentabilidade, inovação e tecnologia e exportação. O evento será realizado nos dias 5 e 6 de outubro, na sede da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, em Porto Alegre (RS). Segundo Schmitt, o setor está dialogando cada vez mais com a sociedade para que os atributos do plástico sejam percebidos na mesma proporção dos benefícios que a população tem ao usá-lo.

Nos dois dias de Congresso, estarão reunidos especialistas do setor do plástico, representantes de sindicatos, membros de entidades ligadas ao setor, professores e pesquisadores de universidades nacionais e internacionais, empresários e representantes do Poder Público (Executivo, Legislativo e Judiciário) para ampliar os conhecimentos sobre essa importante cadeia produtiva e sua contribuição para a sociedade. O congresso é organizado por três sindicatos do setor do plástico – Sindicato das Indústrias de Materiais Plástico do Nordeste Gaúcho (Simplás), Sindicato das Indústrias de Material Plástico do Vale dos Vinhedos (Simplavi) e Sindicato das Indústrias de Material Plástico do Rio Grande do Sul (Sinplast).

Além dos sindicatos, o evento conta com o patrocínio de empresas como Braskem, Fitesa e FFS Filmes. Entidades do setor como a Plastivida, Instituto do PVC e Abief também patrocinam o evento. O evento também conta com o apoio especial de entidades como a Abiplast, Adirplast, Simpep, Simpesc, além de Abimaq, Abinfer, Abrapla, INP, Simplast, Simplas NP e Sindiplast.

Serviço:
2º Congresso Brasileiro do Plástico
Data: 5 e 6 de outubro de 2016
Local: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS)
Endereço: Av. Ipiranga, 6.681 – Paternon – Porto Alegre/RS

Fonte: M. Free Assessoria de Imprensa

Curta nossa página no

Jaime Lorandi é reeleito para novo mandato à frente do Simplás

10/07/2016

Simplas-Lorandi

A próxima gestão do Sindicato das Indústrias de Material Plástico do Nordeste Gaúcho (Simplás) já tem uma linha de trabalho definida para o triênio 2016-2019. Jaime Lorandi (foto), reeleito para a presidência na última quarta-feira (29), estabeleceu quatro eixos de atuação na entidade que representa mais de 500 empresas de transformação que geram aproximadamente 12 mil empregos diretos em oito municípios (Caxias do Sul, Coronel Pilar, Farroupilha, Flores da Cunha, Garibaldi, Nova Pádua, São Marcos e Vale Real), com estimativa de faturamento anual superior a R$ 3 bilhões. Em um raio de 50 quilômetros, a área de abrangência do Simplás apresenta uma das maiores concentrações de indústrias de transformação de plástico do Brasil. A posse oficial da nova diretoria está prevista para 1o de agosto.

Melhoria e promoção da ética nas relações de trabalho e na Justiça do Trabalho; estímulo à qualificação profissional de gestores empresariais; defesa da elaboração e implementação de um plano de desenvolvimento econômico e social multissetorial para toda a região; e promoção da sustentabilidade por meio da educação para o descarte correto do plástico pós-consumo das residências serão as diretrizes no programa de ação da entidade.

“Há mais de 25 anos, o Simplás representa um setor responsável pela geração de dezenas de milhares de empregos na região. O sucesso da indústria, portanto, tem relação direta com o bem-estar e o progresso de milhares de famílias de empregadores e empregados. Assim, compreendemos que o papel comunitário do sindicato vai além da esfera associativa. Nos próximos três anos vamos trabalhar intensamente para que os benefícios da ética, da qualificação, do desenvolvimento e da sustentabilidade alcancem cada vez mais pessoas, em toda a sociedade”, afirma Lorandi.

Fonte: Assessoria de Imprensa (Simplás); Foto: Neli Alvanoz

Curta nossa página no

Simplás lança Curso de Gestão na Prática para Micro e Pequenos Empresários

07/04/2016

Capacitação em parceria com a faculdade Ftec tem inscrições abertas e início marcado para 14 de maio

O Sindicato das Indústrias de Material Plástico do Nordeste Gaúcho (Simplás), com foco no perfil majoritário de suas representadas, desenvolveu e agora está lançando o Curso de Gestão na Prática para Micro e Pequenos Empresários. As aulas, com início marcado para 14 de maio, serão ministradas nas instalações e por professores e especialistas da faculdade Ftec, em Caxias do Sul (RS).

O objetivo da iniciativa é oferecer capacitação com preços competitivos e conceitos de aplicação imediata a associados e contribuintes do Simplás, e também ao público em geral. A carga total atingirá 56 horas, distribuídas em sete módulos de oito horas, com uma aula por mês, sempre aos sábados.

“É um curso inovador, sem similar no mercado, objetivo e extremamente didático, especialmente elaborado para auxiliar o empresário agora. Os professores vão abordar situações práticas do cotidiano das empresas, com ferramentas de uso instantâneo”, revela o diretor de Educação, Inovação e Tecnologia e também vice-presidente do sindicato, Gelson Oliveira.

As aulas abordarão princípios básicos de gestão, liderança, finanças, marketing e produto, vendas, produção, qualidade e inovação (detalhes abaixo). As inscrições já estão abertas e as vagas são limitadas. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (54) 3228.1251 ou pelo e-mail greice@simplas.com.br.

“Tudo foi desenvolvido pensando no perfil da maioria dos nossos representados, que são executivos de micro e pequenas empresas, com pouquíssimo tempo disponível, mas sempre em busca de atualização. Assim, os horários são diferenciados, para que o empresário não precise abrir mão de seus compromissos durante a semana. Para completar, aperfeiçoamos todo projeto até chegar a um excelente custo-benefício”, conclui Oliveira.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Simplas

Curta nossa página no

Sindicatos da indústria do plástico do Rio Grande do Sul lançam parceria inédita para missões técnicas

30/03/2016

Chinaplas2014

Associados do APL-MMeA também terão acesso ao novo programa conjunto de viagens de negócios

Pela primeira vez, o Sindicato das Indústrias de Material Plástico do Nordeste Gaúcho (Simplás), o Sindicato das Indústrias de Material Plástico no Estado do Rio Grande do Sul (Sinplast) e o Sindicato das Indústrias de Material Pástico do Vale dos Vinhedos (Simplavi) passarão a organizar missões técnicas em conjunto. O Programa de Missões Empresariais (PME), inovação desenvolvida pelas entidades que representam aproximadamente 1,3 mil empresas, equivalentes a cerca de 11% da indústria nacional de transformados plásticos, promove a ampliação do volume de potenciais participantes, que além de facilitar o fechamento de grupos, pode oferecer condições para redução de custos. O PME se estende ainda aos associados do Arranjo Produtivo Local Metal Mecânico e Automotivo da Serra Gaúcha (APL-MMeA).

Com o PME, as entidades pretendem oferecer oportunidades para geração de novos negócios a curto e médio prazo, troca de conhecimento, abertura de novos canais, estreitamento de relações e colaboração entre os transformadores e prospecção de novos clientes.

“O mercado é intolerável com o empreendedor desatualizado. Há sempre um novo processo ou produto e, principalmente, há sempre pessoas com novas ideias a serem conhecidos. Por esta razão é que o Simplás, nos últimos seis anos, já concedeu quase R$ 60 mil em subsídios para participação de seus associados em missões técnicas: porque acreditamos no retorno do investimento para cada um dos empresários beneficiados e, consequentemente, para todo setor na região e no Brasil”, avalia o presidente do Simplás, Jaime Lorandi.

O calendário do setor prevê sete feiras – seis delas, internacionais – ainda em 2016: Chinaplas (foto – em Xangai, de 25 a 28 de abril); Expoplast (Lima, de 3 a 6 de maio); Argenplas (Buenos Aires, de 13 a 16 de junho); Interplast (Joinville, de 16 a 19 de agosto); Expotransporte (Buenos Aires, de 13 a 16 de setembro); Colombiaplast (Bogotá, de 26 a 30 de setembro) e Feira K (Dusseldörf, Alemanha, de 19 a 26 de outubro). A comercialização dos pacotes ficará a cargo da Leaf Turismo.

“A participação em feiras é uma das melhores estratégias para adquirir o conhecimento específico do setor, que é fundamental para a tomada de decisões. Além de captar informações importantes e de descobrir novas oportunidades, ainda é possível divulgar o potencial do seu próprio negócio em escala nacional e até, mundial. Mais do que por questão de sobrevivência, é pela evolução que vale a pena olhar o que o mundo está fazendo”, destaca Lorandi.

Empresas que são cumulativamente filiadas e associadas ao Simplás há mais de um ano e que estejam adimplentes com suas contribuições (sindical, dissídio e mensalidade) podem solicitar subsídio para participação em feiras. Inclusive fora do país. Os valores vão de R$ 500 a R$ 3 mil para um representante da empresa com cargo diretivo ou gerencial.

Diretor de Missões e integrante do Conselho Consultivo do Simplás, o empresário Nestor Travi aponta ainda para um valor de capitalização futura aos participantes:

“Para tornar-se exportador, leva muito tempo. E é nas feiras que se começa a desenvolver muito da cultura exportadora de uma empresa. Lá na frente, virão os dividendos. Então, é importante sair de casa, conhecer o que há ao redor, abrir os horizontes e depois, usar a criatividade”.

O cenário propício ao comércio exterior também é sublinhado pelo presidente do Sinplast, Edilson Deitos:

“A participação em feiras e missões leva à busca de um conhecimento destes mercados, tendências, novos designs de produto, novas tecnologias. Oportunidade de manter contato na prospecção de futuros representantes para determinado país ou região, aproveitando o momento favorável para a exportação de produtos transformados plásticos”.

Para o presidente do Simplavi, Ivânio Arioli, a participação em missões técnicas por parte dos empreendedores é sinônimo de qualificação.

“A realização de missões empresariais é, sem dúvida, uma excelente oportunidade para qualificar os empresários, pois facilita o acesso ao conhecimento da tecnologia que está disponível no mundo. Estar em sintonia com o desenvolvimento traz conhecimento e nos qualifica para sermos mais competitivos no mercado”.

Guia experimentado com quase duas décadas de feiras setoriais e missões técnicas internacionais, o diretor da Mediolanum, Max Bareta, observa que um maior número de adesões em cada grupo pode criar condições para redução de custos. E aponta outra vantagem no caso de quem vai e volta com participantes do mesmo Estado:

“Muitas vezes, entre os integrantes do próprio grupo surgem novos negócios. É praticamente uma feira dentro da feira: durante os contatos no ônibus, no avião, no hotel. É questão de aproveitar”.

Mais informações sobre o programa de missões conjuntas do setor plástico-petroquímico do Rio Grande do Sul podem ser obtidas com a agência Leaf Turismo ou diretamente com cada sindicato.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Simplas

Curta nossa página no

Simplas posterga realização da Feira Plastech Brasil 2017 em Caxias do Sul

22/03/2016

Plastech-Cancelamento

Cenário de mercado determina adiamento da próxima Plastech Brasil

A sexta edição da Plastech Brasil – Feira do Plástico, da Borracha, dos Compósitos, da Reciclagem e dos Transformados Automotivos será realizada após 2017. O Sindicato das Indústrias de Material Plástico do Nordeste Gaúcho (Simplás) decidiu postergar o evento em respeito à situação enfrentada pela indústria de transformação nacional. No entendimento dos organizadores, é imprescindível oferecer perspectivas de retorno positivo a expositores, participantes e à comunidade – o que não acontece no atual cenário econômico e político do país.

Embora a quinta edição da Plastech Brasil, em 2015, tenha batido o próprio recorde de público, com mais de 25 mil visitantes, superado os R$ 153 milhões em projeção de negócios fechados para os 12 meses subsequentes e merecido dos expositores a manifestação de 85% de desejo de retorno na feira seguinte, o atual contexto de mercado, na avaliação dos dirigentes do Simplás, determina o adiamento. A edição prevista para 2017 ainda não tem nova data para ocorrer – dependerá da evolução do mercado nos próximos meses.

“É uma decisão dura, difícil, mas que está fundamentada no profundo respeito que nutrimos pelos participantes da nossa feira. Temos um compromisso com o resultado dos empreendedores. A Plastech Brasil será realizada no momento em que o mercado sinalizar que nossos expositores e visitantes poderão reencontrar terreno fértil para a geração de negócios”, explica o presidente da feira, Orlando Marin.

Marin revela que, além do baixo índice de investimentos no setor, o momento vem apresentando reduções até pouco tempo consideradas impensáveis por muitos empresários.

“Vejo gente cortando plano de saúde, adiantamento de salário, transporte, para conseguir sobreviver mais um mês até que se resolva alguma coisa em Brasília. É a realidade e temos de dizê-la de maneira honesta e transparente como sempre fizemos”, desabafa o dirigente, que projeta um período longo e complexo para a recuperação econômica.

Desde o lançamento, em 2007, a Plastech Brasil já recebeu quase 100 mil visitantes. Só nas duas últimas edições, em 2013 e 2015, somou mais de R$ 325 milhões em negócios projetados para os 12 meses seguintes. Em 2015, segundo apurado pela consultoria independente Impacto Positivo, 80% dos expositores registraram abertura de novos mercados com a participação na feira.

“A Plastech Brasil, mais do que um produto, é uma marca do Simplás. Por esta razão é que o evento está apenas adiado: pelo respeito que temos com nossos expositores e visitantes, que precisam ter condições de retorno para seu investimento, e porque, tão logo estas condições se configurem novamente, estaremos preparados com a melhor plataforma de negócios para que sejam aproveitadas”, conclui o presidente do Simplás, Jaime Lorandi.

A Plastech Brasil – Feira do plástico, da borracha, dos compósitos e da reciclagem é realizada pelo Sindicato das Indústrias de Material Plástico do Nordeste Gaúcho (Simplás) em Caxias do Sul (RS), e expõe as principais tendências e inovações nos segmentos automotivo, de transformados plásticos, matérias-primas e produtos básicos, máquinas, equipamentos e acessórios, moldes e ferramentas, instrumentos, controle e automação, instituições de ensino técnico e superior, serviços, publicações e projetos técnicos, entidades da sociedade civil e representações de governo.

Em 2015, estreou na programação paralela o Fórum Plastech Brasil – um ciclo de debates, palestras, encontros, cursos e workshops diários abertos ao público, abordando os segmentos em exposição na Plastech Brasil.

O Sindicato das Indústrias de Material Plástico do Nordeste Gaúcho (Simplás) representa mais de 500 empresas de transformação que geram acima de 13 mil empregos diretos em oito municípios (Caxias do Sul, Coronel Pilar, Farroupilha, Flores da Cunha, Garibaldi, Nova Pádua, São Marcos e Vale Real), com estimativa de faturamento anual superior a R$ 4 bilhões.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Plastech Brasil

Curta nossa página no

Presidente da Abimaq traça panorama do mercado de bens de capital em Reunião-Jantar do Simplás

20/07/2015

Setor liderado por Carlos Pastoriza responde por quase 350 mil empregos diretos em todo o país

Presidente da ABIMAQ, Carlos Pastoriza

Presidente da ABIMAQ, Carlos Pastoriza

À frente da Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq), Carlos Pastoriza representa um segmento de aproximadamente 9 mil empresas (cerca de 1,5 mil delas associadas à entidade) que geram 346,8 mil postos de trabalho em todo o país.  Embora o setor tenha registrado receita líquida de R$ 94,4 bilhões em 2014, o número de vagas no setor reduziu-se em 23,5 mil entre junho de 2014 e maio de 2015. Para traçar o mais atualizado panorama do mercado de bens de capital,  Pastoriza estará em Caxias do Sul (RS) no dia 27 (segunda-feira). O empresário será o palestrante da Reunião-Jantar do Sindicato das Indústrias de Material Plástico do Nordeste Gaúcho (Simplás), a partir das 20h, na Câmara de Indústria, Comércio e Serviços (CIC).

O dirigente estava no grupo de empresários dos setores petroquímico, farmacêutico, siderúrgico, agropecuário e de indústria pesada, que, no fim de junho, teve um encontro com a Presidenta Dilma Rousseff nos EUA, a fim de discutir novas estratégias comerciais para os produtos nacionais em solo norte-americano. Pastoriza apelou por garantias à competitividade.

“Não podemos ter esse acanhamento. O BNDES está sendo massacrado, quando é um instrumento de desenvolvimento do nosso país”, declarou na ocasião.

Mais recentemente, o presidente da Abimaq acompanhou de perto as negociações entre governo federal, indústrias e centrais de trabalhadores que resultaram no emergencial Plano de Proteção ao Emprego (PPE). A iniciativa prevê a redução em até 30% da jornada de trabalho, com redução proporcional de salários dos trabalhadores em períodos de crise, por no máximo um ano. O governo se propõe a complementar metade da redução da renda do funcionário com recursos do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT), reduzindo a perda do empregado a 15% dos seus salários. A contrapartida do governo não será superior a R$ 900,84, o equivalente a 65% do maior benefício do seguro-desemprego.

“O grau de adesão dependerá da realidade de cada empresa e de saber se ela tem fôlego para manter os empregos até 2016”, relatou o executivo ao jornal Folha de São Paulo.

Já no início de julho, passou pelo presidente da Abimaq a renovação de uma parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) até 2017. O Programa Brazil Machinery Solutions que visa à promoção das exportações brasileiras de máquinas e equipamentos e ao fortalecimento da imagem do Brasil como fabricante de bens de capital mecânico, exportou US$ 1,2 bilhão em 2014.

“Temos um desafio enorme pela frente, que é o de colocar o Brasil em outro patamar, pelo menos em paridade com o mercado mundial. Temos a missão de mudar totalmente o número de apenas 1,2% no gráfico de exportação para o mundo”, concluiu Pastoriza.

Sobre o Simplás: O Sindicato das Indústrias de Material Plástico do Nordeste Gaúcho (Simplás) representa mais de 500 empresas de transformação que geram acima de 13 mil empregos diretos em oito municípios (Caxias do Sul, Coronel Pilar, Farroupilha, Flores da Cunha, Garibaldi, Nova Pádua, São Marcos e Vale Real), com estimativa de faturamento anual superior a R$ 4 bilhões.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Simplás

Curta nossa página no

Simplás leva grupo de empresários a Feiplastic 2015

06/05/2015

Plastech Brasil também é divulgada no estande do sindicato em São Paulo (SP)

Feiplastic_entrada

Nestas quinta (7) e sexta-feira (8), um grupo de 20 empresários participa da missão do Sindicato das Indústrias de Material Plástico do Nordeste Gaúcho (Simplás) que prospecta oportunidades de negócios, fortalece relacionamentos e descobre novidades da indústria de transformação no maior evento do mercado do plástico da América Latina, em São Paulo (SP). A Feiplastic, realizada no Anhembi desde segunda-feira (4), projeta a exposição de 1,4 mil marcas nacionais e internacionais e a presença de 70 mil visitantes em 85 mil m2 de feira.

Além de visitante, o próprio Simplás é também um dos expositores do evento. O estande que serve de ponto de apoio para a comitiva da Serra Gaúcha se constitui em referência para a divulgação da Plastech Brasil – Feira do Plástico, da Borracha, dos Compósitos e da Reciclagem, que tem o diferencial de ser organizada por uma entidade representativa do próprio setor, em Caxias do Sul (RS), de 25 a 28 de agosto.

“Os contatos têm sido intensos e com resultados importantes. Há negociações bem adiantadas com empresas de outros continentes, interessadas em estrear em nossa feira a fim de abrir um novo mercado na região Sul do Brasil, onde identificam proximidade geográfica e relações comerciais consolidadas com Chile, Argentina e Uruguai”, destaca o presidente da Plastech Brasil, Orlando Marin.

Por articulação do Simplás, também é aguardado para esta quinta-feira (7), na Feiplastic, o governador gaúcho José Ivo Sartori. A expectativa concentra-se em duas reuniões consecutivas, com empresas de transformação plástica do Rio Grande do Sul e de fora dele, no estande da petroquímica Braskem, no Anhembi.

“Serão dois excelentes momentos para se falar de oportunidades de investimentos com o próprio governador. Primeiro, para as empresas já instaladas, que tenham planos de ampliar suas operações em transformação plástica em solo gaúcho. Depois, para indústrias de outros Estados interessadas em aproveitar o potencial de negócios e de mão de obra qualificada no Rio Grande do Sul”, explica o presidente do Simplás, Jaime Lorandi.

Sobre o Simplás: O Sindicato das Indústrias de Material Plástico do Nordeste Gaúcho (Simplás) representa mais de 500 empresas de transformação que geram acima de 13 mil empregos diretos em oito municípios (Caxias do Sul, Coronel Pilar, Farroupilha, Flores da Cunha, Garibaldi, Nova Pádua, São Marcos e Vale Real), com estimativa de faturamento anual superior a R$ 4 bilhões. Em um raio de 50 quilômetros, a área de abrangência do Simplás apresenta a maior concentração de indústrias de transformação de plástico do Brasil.

Sobre a Plastech Brasil: A Plastech Brasil – Feira do plástico, da borracha, dos compósitos e da reciclagem é uma das mais completas plataformas de negócio da cadeia de transformação. Realizada pelo Sindicato das Indústrias de Material Plástico do Nordeste Gaúcho (Simplás) em Caxias do Sul (RS), expõe as principais tendências e inovações nos segmentos automotivo, de transformados plásticos, matérias-primas e produtos básicos, máquinas, equipamentos e acessórios, moldes e ferramentas, instrumentos, controle e automação, instituições de ensino técnico e superior, serviços, publicações e projetos técnicos, entidades da sociedade civil e representações de governo. Em 2015, ocupará os Pavilhões da Festa Nacional da Uva de 25 a 28 de agosto.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Simplas

Curta nossa página no

Encontro nacional de ferramentarias em Caxias do Sul destaca linha de financiamento direto do BNDES a partir de R$ 1 milhão

14/05/2014

PSI – Inovação e Máquinas e Equipamentos Eficientes é linha operada por uma novidade: departamento do banco especificamente voltado a fornecedores de bens de capital

encontro_ferramentariasCriado em 2014, o departamento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) com ênfase específica no apoio ao fornecedor de bens de capital será apresentado aos participantes do 7o Encontro Nacional de Ferramentarias (Enafer) no dia 16 de maio, sexta-feira, em Caxias do Sul (RS), no Personal Royal Hotel. A grande oportunidade reside na linha PSI – Inovação e Máquinas e Equipamentos Eficientes, que permite operações diretas com o banco já a partir de R$ 1 milhão. O objetivo consiste em fomentar o setor de bens de capital a partir da cadeia de fornecedores.

“É uma linha de apoio para estratégias futuras completas de inovação. Vai muito além de pesquisa e desenvolvimento. Vamos apresentar também outras possibilidades, como o Finem e o Pro Plástico. A ideia é justamente abordar uma série de instrumentos de mercado que já estão disponíveis e surpreendentemente, pouca gente conhece”, revela o gerente do Departamento de Bens de Capital do BNDES, Luiz Daniel Willcox de Souza.

De acordo com Souza, a criação do departamento facilitou para ampliar o conhecimento do setor, caracterizado pela heterogeneidade, e definir políticas específicas, em articulação com outros órgãos governamentais. Exemplo disso será o painel complementar com o gerente adjunto de Planejamento (Serra) do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), André Gotler.

“Há boas possibilidades de financiamento ao produtor de bens de capital, especialmente nos campos de desenvolvimento e inovação. Por isso é importante que falemos a respeito de projetos futuros”, conclui Souza.

O maior evento do setor de ferramentarias no Brasil é organizado pela Plastech Brasil Eventos – nova unidade de negócios do Sindicato das Indústrias de Material Plástico do Nordeste Gaúcho (Simplás), organizador da Plastech Brasil – Feira do plástico, da borracha, dos compósitos e da reciclagem.

Informações de inscrição podem ser obtidas pelos telefones (54) 3228.1251 e 8135.1182, ou pelo email fernanda@plastechbrasil.com.br. A programação completa e o formulário de inscrição encontram-se disponíveis no site plastechbrasil.com.br.

O 7o Enafer tem realização da Abinfer e da Organização Virtual de Ferramentarias (Virfebras), com apoios de Simplás, Plastech Brasil, Sindicato das Indústrias Metalúrgias, Mecânicas e de Material Elétrico de Caxias do Sul (Simecs), Associação Comercial e Industrial de Joinville (ACIJ) – Núcleo de Usinagem e Ferramentaria, APL de Ferramentaria do Grande ABCD, Associação Brasileira de Máquinas e Ferramentas (Abimaq) – Câmara Setorial de Ferramentarias e Modelações (CSFM), revistas Ferramental e Plástico Sul.

Fonte: Simplas

Curta nossa página no

Simplás busca aproximação entre empresas e fiscalização do trabalho

04/02/2014

Encontro na sede do sindicato permite esclarecimentos durante entrega de documentação

Simplas_cipa

Presidente do Simplás, Jaime Lorandi, gerente do Ministério do Trabalho Vanius Corte e procurador do Ministério Público do Trabalho Ricardo Garcia (da esquerda para a direita)

A idéia levada à prática pelo Sindicato das Indústrias de Material Plástico do Nordeste Gaúcho (Simplás) parece simples, mas busca inverter um paradigma histórico: propor um ambiente favorável para aproximar e distensionar as relações entre setor produtivo e órgãos governamentais de fiscalização do trabalho. Experiência bem sucedida ocorreu na quinta-feira (30), quando a Câmara de Indústria, Comércio e Serviços (CIC) de Caxias do Sul serviu de ponto de encontro entre empresas, Ministério Público do Trabalho (MPT) e Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), para entrega de documentação e busca de esclarecimentos em torno das Comissões Internas de Prevenção de Acidentes (CIPAs). As duas reuniões, pela manhã e à tarde, ainda tiveram participação de representantes do Serviço Social da Indústria (SESI) e do Centro de Referência Regional em Saúde do Trabalhador (Cerest).

Em função dos índices de acidentes de trabalho em Caxias do Sul, MPT e MTE passaram a notificar organizações de diversos segmentos, com o intuito de verificar e orientar a implementação e funcionamento das CIPAs. A iniciativa conta com respaldo do Simplás.

“Apoiamos o diálogo porque a responsabilidade social faz parte dos princípios do sindicato. Precisamos ter cuidado com as pessoas em nossas empresas. Então, apoiamos a responsabilização de uma CIPA mais eficiente. Isso é humanismo: todos preocupados com todos. Vai além de simplesmente cumprir a lei. Temos de trabalhar uma cultura de compromisso e conscientização coletivos”, afirma o presidente Jaime Lorandi.

Os encontros facilitam a troca de esclarecimentos e informações de documentação entre empresas e agentes do governo, a fim de que as CIPAs sejam não apenas implementadas, mas efetivamente operacionalizadas nas organizações.

“Já vimos muitas atas de reuniões de CIPA com registro de atividades praticamente em branco, em que havia só data e assinatura dos presentes. Isso precisa mudar. Estamos muito preocupados com os acidentes de trabalho e o absenteísmo por motivo de saúde aqui em Caxias. Por isso essa chamada às empresas”, explica o procurador do Trabalho Ricardo Garcia.

Garcia revela que todas as organizações com mais de 19 funcionários serão notificadas gradualmente, ao longo de todo ano, independentemente do ramo de negócio. “Vamos conversar até com os hospitais, por exemplo”.

De acordo com o procurador, em cada caso, a partir da entrega de um bloco de cerca de 20 documentos, será estabelecido um cronograma de trabalho. A primeira etapa será de adequação às exigências da Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT) no que tange à prevenção de acidentes. Só depois surge a possibilidade de autuação.

“Este momento não é punitivo, mas de conscientização. De uma mudança de cultura. As pessoas não vão mais assumir postos só pela busca de estabilidade, mas por responsabilidade com os demais”, conclui o presidente do Simplás, Jaime Lorandi.

Sobre o Simplás

O Sindicato das Indústrias de Material Plástico do Nordeste Gaúcho (Simplás) representa aproximadamente 500 empresas de transformação que geram mais de 13 mil empregos diretos em oito municípios (Caxias do Sul, Coronel Pilar, Farroupilha, Flores da Cunha, Garibaldi, Nova Pádua, São Marcos e Vale Real), com estimativa de faturamento anual superior a R$ 3 bilhões. Em um raio de 50 quilômetros, a área de abrangência do Simplás apresenta a maior concentração de indústrias de transformação de plástico do Brasil.

Fonte: Simplas / Foto: Pauline Gazola

Curta nossa página no

Simplás leva associados para aproximação com empresários na Alemanha durante feira K

21/10/2013

Missão técnica embarcou no dia 14 para a Feira K, maior evento do setor plástico do mundo

SimplasDirigentes e associados do Sindicato das Indústrias de Material Plástico do Nordeste Gaúcho (Simplás) são maioria na comitiva que o setor produtivo do plástico do Rio Grande do Sul enviou a Dusseldörf, na Alemanha, nesta segunda-feira (14). O grupo que participa da Feira K, maior evento mundial no segmento, é formado ainda por representantes do Sindicato das Indústrias de Material Plástico no Estado do Rio Grande do Sul (Sinplast) e do Sindicato das Indústrias de Material Plástico do Vale dos Vinhedos (Simplavi). A missão do Simplás embarcou no pátio da Câmara de Indústria, Comércio e Serviços (CIC) de Caxias do Sul.

Entre 16 e 20 de outubro, além de visitar a feira, a representação busca a implementação de uma agenda positiva para as empresas gaúchas do segmento plástico junto a empreendedores de todo mercado europeu, em particular o alemão. Troca de tecnologias, abertura de novos negócios, formação de parcerias e relacionamentos são os possíveis frutos de uma inédita pauta de encontros de negócios e aproximações.

A petroquímica Braskem é a principal parceira na iniciativa – o próprio estande na exposição será utilizado para demonstrações e contatos. Também de maneira inédita, o trabalho conta com respaldo da Câmara de Indústria e Comércio Brasil-Alemanha, consultoria da empresa Maxiquim e apoio do Governo do Estado, por meio da Agência Gaúcha de Desenvolvimento e Promoção dos Investimentos (AGDI).

“Da maneira como está organizado, este é um movimento sem precedentes. A ideia é que façamos da passagem pela Feira K o marco para um reposicionamento do setor industrial plástico do Rio Grande do Sul no mercado externo”, comenta o diretor executivo do Simplás, Zeca Martins.
O potencial gerador de negócios e inovação da Serra Gaúcha deve ser apresentado aos europeus incluindo a quinta edição da Plastech Brasil, em 2015, como uma das grandes oportunidades para aproveitá-lo.

“94% dos participantes em 2013 já manifestaram interesse de voltar daqui a dois anos. Quase 80% registraram abertura de novos mercados. A geração de negócios nos próximos 12 meses deve superar R$ 170 milhões. E estamos falando aqui da maior concentração de indústrias de transformação de plástico do Brasil, em um raio de 50 quilômetros”, destaca o presidente da Plastech Brasil, Orlando Marin, que também integra a delegação.
A comitiva conta ainda com as presenças do primeiro-secretário do Simplás, Ricardo Polo, e do diretor suplente Milton Panizzon.

Fonte: Simplas

Curta nossa página no

Jaime Lorandi toma posse como presidente do Simplás pelos próximos três anos

02/08/2013
Simplas_Posse

Orlando Marin, ex-presidente, e Jaime Lorandi, novo presidente do Simplás

Tomou posse na noite desta quinta-feira o novo presidente do Sindicato das Indústrias de Material Plástico do Nordeste Gaúcho (Simplás), Jaime Lorandi. Diretor da Plásticos Itália, Lorandi, 53 anos, fica à frente do Simplás até 2016. Ele assume o posto até então ocupado por Orlando Marin, que permanece como um dos suplentes. A assinatura do termo de posse da nova diretoria ocorreu na Câmara de Indústria, Comércio e Serviços de Caxias do Sul (CIC), seguida de jantar. No primeiro discurso como presidente, Lorandi exaltou o trabalho do antecessor durante os nove anos em que foi presidente.

“Somos idealistas, procuramos agir pelo bem comum. Orlando formou uma excelente feira (a Plastech Brasil, Feira de Tecnologias para Termoplásticos, Termofixos, Moldes e Equipamentos que ocorre em Caxias do Sul entre 27 e 30 de agosto), uniu sindicatos em atrito, bateu de frente com o problema da energia elétrica, pois pagamos pela energia 29% a mais do que nossos concorrentes”, destacou.

Lorandi anunciou ainda os membros do conselho consultivo, que atuam como uma espécie de conselheiros do sindicato, e os componentes do Simplás Jovem.

“É necessário formar grupos de liderança entre os jovens, para que eles entendam o que é deixar um legado, algo além de nossa empresa. O jovem tem que protestar, sair à rua, o próprio papa Francisco disse isso”, afirmou Lorandi.

Orlando Marin se despediu da presidência e se disse muito feliz.

“A gente faz isso porque gosta e crescemos muito, sempre respeitando os outros. Aprendemos o quanto se coloca fora em recursos e riqueza neste país. Recursos que poderiam ser canalizados para quem produz. Jaime tem muita capacidade para agregar novos talentos e isso vem em benefício de todos” discursou Marin, emocionado.

O presidente da CIC, Carlos Heinen, cumprimentou os dois presidentes e destacou o crescimento da indústria plástica e da Plastech Brasil, que vai para a quarta edição.

Fonte: Simplas

Créditos (foto): Julio Soares/Objetiva

Curta nossa página no

Novo presidente do Simplas define prioridades para sua gestão

01/07/2013
  • Plastech Brasil, curso de dirigentes e planejamento estratégico são prioridades de Jaime Lorandi na presidência do Simplás
  • Empresário eleito na noite da última quarta-feira (26) assume comando da entidade em 1o de agosto

Simplas_LorandiFomento de negócios, qualificação setorial e planejamento são as prioridades apontadas por Jaime Lorandi (foto) para comandar o Sindicato das Indústrias de Material Plástico do Nordeste Gaúcho (Simplás) no triênio 2013-2016. Aos 53 anos, o empresário e professor universitário natural de Caxias do Sul (RS) foi eleito na noite da última quarta-feira (26). O evento de posse está previsto para 1o de agosto. Até lá, Orlando Marin segue à frente da entidade.

O Simplás representa mais de 500 empresas de transformação em oito municípios da Serra Gaúcha – Caxias do Sul, Coronel Pilar, Farroupilha, Flores da Cunha, Garibaldi, Nova Pádua, São Marcos e Vale Real. A região processa anualmente mais de 300 mil toneladas de plástico e responde por cerca de 13 mil empregos diretos. A cargo do Simplás, a Plastech Brasil tornou-se a maior feira setorial do país realizada por uma entidade de classe. Em 2013, ocorre de 27 a 30 de agosto em Caxias do Sul.

“Queremos fazer da Plastech Brasil um evento gerador de negócios ainda mais expressivo do que já é. Também está em nossos objetivos um curso de desenvolvimento de dirigentes e a elaboração de um planejamento estratégico para o sindicato”, revela Lorandi.

Entre os desafios que o empresário identifica no horizonte, o principal reside exatamente no alto nível de condução estabelecido por Orlando Marin ao longo dos últimos nove anos.

“É a nossa primeira prova: dar continuidade ao excelente trabalho realizado pela atual gestão. Além disso, precisamos tornar o setor mais unido, produtivo, competitivo e lucrativo”.

Um conceito surge de maneira reiterada nos projetos que Lorandi pretende ver concretizados no comando da entidade: “Qualificação. Precisamos qualificar melhor o empreendedorismo dos dirigentes do setor plástico e dos trabalhadores”.

No mesmo sentido, o empresário acredita que a sintonia entre as forças do setor produtivo deve avançar, na defesa de interesses comuns.

“Vamos atuar de forma muito intensa contra a alta carga tributária a que somos submetidos e também por maior união entre empresários e trabalhadores do setor plástico, para reivindicar  a prestação de melhores serviços pelo governo”, conclui.

Diretoria (efetivos) da Nova Gestão do Simplás (2013-2016)

  •  Presidente – JAIME LORANDI
  • 1º Vice-presidente – GELSON DE OLIVEIRA
  • 2º Vice-presidente – PLÍNIO ROBERTO PAGANELLA
  • 1º Secretário – RICARDO ALEXANDRE POLO
  • 2º Secretário – HELOISA R. KUHN BROLIATO
  • 1º Tesoureiro – REMO JOÃO BOFF
  • 2º Tesoureiro – JOSEMAR BOEIRA MARTINS

Fonte: Simplas

Curta nossa página no

Sindicatos da Indústria plástica gaúcha iniciam articulação conjunta do setor

27/06/2013

banner_plastech_460_60

Sindicatos do setor plástico começam ciclo de reuniões mensais nesta quinta-feira (27) em Caxias do Sul

Detentor do segundo lugar no ranking nacional da indústria da transformação, com 1.316 empresas, o equivalente a 11,3% da capacidade instalada em todo o Brasil, e do terceiro lugar na geração de empregos, com 30.595 trabalhadores, correspondendo a 8,8% dos contratados do país, o Rio Grande do Sul ganha nesta quinta-feira (27) um foro inédito de articulação setorial. A partir das 17h, no Sindicato das Indústrias de Material Plástico do Nordeste Gaúcho (Simplás), em Caxias do Sul, os três sindicatos que representam as empresas do segmento plástico gaúcho passam a cumprir um cronograma de reuniões mensais para definir e encaminhar pleitos conjuntos. Haverá alternância de sede a cada encontro.

O Simplás representa cerca de 500 empresas instaladas nos municípios de Caxias do Sul, Coronel Pilar, Farroupilha, Flores da Cunha, Garibaldi, Nova Pádua, São Marcos e Vale Real. O bloco de entidades de classe se completa com o Sindicato das Indústrias de Material Plástico do Vale dos Vinhedos (Simplavi), compreendendo a área de Bento Gonçalves, Monte Belo do Sul, Santa Tereza e Pinto Bandeira, e o Sindicato das Indústrias de Material Plástico do Rio Grande do Sul (Sinplast), de abrangência estadual.

“A ideia foi lançada e aceita na última reunião-janta do Simplás (dia 10 de junho, em Caxias do Sul). A partir de agora vamos nos reunir mensalmente para buscar alinhamento nas ações, elaborar estratégias de médio e longo prazo, discutir saídas para problemas comuns a todo setor e a melhor forma de encaminhar nossos pleitos”, explica o presidente do Simplás, Orlando Marin.

Conforme o dirigente, dois exemplos de temas que devem merecer exame mais apurado por parte do grupo são os altos custos de energia elétrica e matéria-prima, que comprometem substancialmente a competitividade da indústria de transformação gaúcha.

Para o primeiro encontro são esperados, além de Marin, o 1o vice-presidente do Simplás, Jaime Lorandi, o diretor executivo do Simplás, Zeca Martins, o presidente do Simplavi, Ivanio Arioli, o 2o vice-presidente do Simplavi, Emílio Ristow, e o presidente do Sinplast, Edilson Deitos.

Fonte: Simplas

Curta nossa página no

Investimento da indústria de transformação deve superar R$ 170 milhões na Serra gaúcha

12/06/2013

Estimativa para 2013 parte de pesquisa inédita apresentada pelo Simplás

A despeito das dificuldades com alto custo de matéria-prima, logística e energia – ou exatamente para manter a competitividade diante destes obstáculos – a indústria de transformação da Serra gaúcha estima investir mais de R$ 170 milhões em máquinas e equipamentos ainda em 2013. A cifra parte de uma pesquisa inédita contratada pelo Sindicato das Indústrias de Material Plástico do Nordeste Gaúcho (Simplás) e apresentada durante a reunião-janta da entidade na noite da última segunda-feira (10/06), em Caxias do Sul.

Das 100 empresas que responderam ao levantamento, 62 acenaram com investimentos da ordem de R$ 77,8 milhões. Considerando-se o total de 481 empresas da região, é possível projetar mais de R$ 170 milhões só na Serra. Também segundo pesquisa, na área de cobertura do Sindicato das Indústrias de Material Plástico do Rio Grande do Sul (Sinplast) as empresas calculam investimentos na faixa de R$ 200 milhões. Assim, as 1,3 mil empresas do segmento em todo o Estado devem investir na aquisição de máquinas e equipamentos cerca de R$ 370 milhões. A estimativa atual supera em mais de R$ 100 milhões a informação obtida pelos sindicatos junto aos associados no início do ano, que era de R$ 250 milhões.

“O mercado está emitindo vários sinais positivos, mesmo com algumas turbulências. Já na Pesquisa Industrial Mensal de Emprego e Salário (Pimes) do IBGE divulgada em março, o setor de plástico e borracha era um dos únicos a apresentar avanço no índice de pessoal ocupado assalariado, com 2,7%. À frente de alimentos e bebidas, que é o principal setor industrial do país, e ficou em 1,6%. O BNDES espera liberar até R$ 100 bilhões em crédito para compra de máquinas e equipamentos em 2013. O ano passado não chegou a R$ 45 bilhões. Só de janeiro a maio deste ano, as liberações para a linha Finame já cresceram mais de 50%. A Fiergs anunciou há poucos dias crescimento de 4,1% na indústria gaúcha entre fevereiro e março. Ou seja, mesmo com todos os obstáculos, os empresários estão se movimentando”, comenta o presidente do Simplás, Orlando Marin.

Das empresas que responderam à pesquisa, 96% não acenam com qualquer perspectiva de redução e 51% delas projetam crescimento de 4,74%. “Tem outro dado muito importante aí: 93% das empresas trabalham com maquinário nacional. Isso é investimento que alimenta a nossa própria indústria”, complementa Marin.

A expectativa no Simplás é de que boa parte destes recursos estejam em circulação durante a Plastech Brasil 2013, de 27 a 30 de agosto. A feira, única do Brasil organizada por um sindicato, é a terceira mais importante do cenário mundial na opinião de 25% dos entrevistados. Neste ano, a expectativa de crescimento é de 60%, chegando a 400 expositores e cerca de 25 mil visitantes.

“O mercado já enxerga a Plastech Brasil, que está recém na quarta edição, como uma excelente oportunidade para crescer e fazer negócios”, conclui o diretor executivo do Simplás, Zeca Martins.

A pesquisa foi contratada pelo Simplás e executada pela empresa Competitive, entre 100 empresas da área de atuação do sindicato, correspondendo aos municípios de Caxias do Sul, Coronel Pilar, Farroupilha, Flores da Cunha, Garibaldi, Nova Pádua, São Marcos e Vale Real. O objetivo da entidade é tornar o levantamento periódico, constituindo, a partir daí, o Termômetro Econômico do Simplás.

No Rio Grande do Sul, três entidades representam o setor produtivo do plástico: o Sindicato das Indústrias de Material Plástico do Nordeste Gaúcho (Simplás), o Sindicato das Indústrias de Material Plástico do Rio Grande do Sul (Sinplast) e o Sindicato das Indústrias de Material Plástico da Região dos Vinhedos (Simplavi).

Fonte: Simplas

Curta nossa página no

Simplás apresenta pesquisa setorial inédita nesta segunda-feira (10/06)

10/06/2013

Reunião-janta também trará detalhes de programa de incentivo estadual e balanço da presidência de Orlando Marin

Pela primeira vez, o Nordeste Gaúcho – região que concentra 60% da transformação de plásticos no terceiro maior polo do setor no Brasil – ganha um retrato de momento a partir das informações e percepções dos próprios empresários. Uma pesquisa quantitativa e qualitativa inédita traçando o perfil econômico e produtivo das empresas na área de cobertura do Sindicato das Indústrias de Material Plástico do Nordeste Gaúcho (Simplás) será apresentada nessa segunda-feira (10), durante a tradicional reunião-janta da entidade. O encontro começa às 20h, na Câmara de Indústria Comércio e Serviços (CIC) de Caxias do Sul.

Tamanho e estrutura da maioria das empresas, perspectivas atuais de mercado e futuras para o setor plástico, principais ramos de atividade e clientes, modelos de produção, consumo de resinas e energia e, principalmente, a estimativa de investimento em máquinas e equipamentos para 2013 – em um segmento que é o terceiro maior empregador industrial do país.

“Tivemos algumas surpresas muito positivas. Constatamos uma forte expectativa de crescimento do setor e uma disposição de movimentar a economia, de não ficar parado. Basta ver a estimativa de investimentos, que proporcionalmente passa dos R$ 250 milhões”, avalia o diretor executivo do Simplás, Zeca Martins.

A diretora da empresa Competitive, responsável pelo levantamento, Elisete Bertollo fará a apresentação dos resultados.

A reunião ainda terá uma apresentação de João Luiz Zuñeda, diretor da consultoria Maxiquim, abordando o trabalho setorial desenvolvido entre entidades dos segmentos plástico, petroquímico e de borracha em parceria com o Governo do Estado, para identificar necessidades e oportunidades de mercado e promover a inovação tencológica. Zuñeda também falará das perspectivas para o segundo semestre.

Para finalizar, Orlando Marin fará um balanço dos nove anos à frente da presidência do Simplás, com destaque aos avanços e conquistas no período.

Fonte: Simplas

Curta nossa página no