Posts Tagged ‘Seminários’

PICPlast leva seminários para transformadores de Criciúma

11/04/2019

Ação voltada para os colaboradores da indústria da transformação tem como objetivo contribuir para a competitividade e a produtividade da cadeia na região

O Plano de Incentivo à Cadeia do Plástico, PICPlast (www.picplast.com.br), realizará em Criciúma (SC), nos próximos dias 15 e 16 de abril, dois workshops destinados aos colaboradores da indústria da transformação da região. O objetivo é promover o desenvolvimento do setor no estado, realizando ações que contribuam para a competitividade e a produtividade da cadeia.

No dia 15 acontecerá o seminário “Vendas e Mercado”, em parceria com a Fundação Dom Cabral (FDC) e o Sindicato das Indústrias Plásticas do Sul Catarinense (Sinplasc). A atividade faz parte do Programa de Desenvolvimento em Gestão (PDG) realizado pelo PICPlast. A ideia é fortalecer ainda mais o mercado do sul do país, o segundo maior em número de transformadores desta indústria.

Já na manhã seguinte, 16 de abril, os transformadores da região poderão participar do workshop “Compliance como diferencial para a competitividade”. O treinamento tem como proposta discutir conceitos sobre compliance e os benefícios de suas aplicações como um diferencial competitivo para a cadeia do plástico. A iniciativa será ministrada pelo palestrante Wagner Giovanini, consultor especialista e diretor fundador da Compliance Total. Entre os assuntos da palestra, serão discutidos temas relacionados à legislação atual e às mudanças nela previstas, além da aplicação dos mecanismos de integridade, do impacto nas empresas e seus negócios, entre outros temas.

As vagas para participar dos dois treinamentos são limitadas, por isso, os interessados devem confirmar sua participação até o dia 11 de abril pelo e-mail seminariospicplast@gmail.com ou pelo telefone: (48) 3181-0369.

O Plano de Incentivo à Cadeia do Plástico (PICPlast) é uma iniciativa criada em 2013 pela Braskem e ABIPLAST – Associação Brasileira da Indústria do Plástico – que prevê o desenvolvimento de programas estruturais que contribuam com a competitividade e o crescimento da transformação plástica. Baseado em três pilares: aumento da competitividade e inovação do setor de transformação, estímulo às exportações de transformados plásticos e promoção das vantagens do plástico, o PICPlast também conta com investimentos voltados ao reforço na qualificação profissional e na gestão empresarial.

Fonte: Assessoria de Imprensa – PICPlast

Curta nossa página no

Anúncios

PETtalk, encontro da Indústria do PET, será realizado durante a Plástico Brasil 2019

15/03/2019

Principal encontro anual para o setor de embalagens PET acontece nos dias 27 e 28 de março como parte integrante da programação da Feira Internacional do Plástico e da Borracha

Realizado pela Abipet (Associação Brasileira da Indústria do PET), o PETtalk é o maior encontro do ano para o setor de embalagens PET. Durante os dias 27 e 28 de março, serão apresentadas e debatidas novas tecnologias, cenários e temas atuais desta indústria. Pela segunda vez, o evento integra a programação técnica da Plástico Brasil – Feira Internacional do Plástico e da Borracha, de 25 a 29 de março, no São Paulo Expo.

O PETtalk 2019 oferece uma série de palestras nacionais e internacionais com conteúdo para toda a cadeia industrial das embalagens de PET e abre espaço para o debate das soluções mais atuais na produção das embalagens fabricadas com o material. Tecnologias orientadas para o segmento, legislação para o setor de embalagens e as tendências que orientarão decisões também fazem parte da programação.

As empresas palestrantes do PETtalk 2019 são:

  • Fabricantes de Resinas: PQS e Indorama
  • Embalagens e transformação: Amcor (Produção de Preformas e embalagens), Globalpet (Reciclagem Bottle-to-Bottle)
  • Tecnologias: Gneuss (Sistemas de filtragem processamento de PET), Husky (Líder mundial em sistemas para produção de Preformas PET), Krones (Máquinas e linhas completas de enchimento e empacotamento para fábricas de alimentos e bebidas), Piovan (Sistemas periféricos para a indústria do plástico, alimentos e refrigeração industrial), Bühler (Sistemas de Separação para Flakes e Pellets plásticos)
  • Reciclagem: 3Rios (A empresa fará um comparativo entre a Reciclagem de PET para o Mercado Têxtil e o de Embalagens)
  • Consultoria e dados de mercado: PCI WoodMackenzie (Tema: O comportamento do mercado Internacional de resinas virgens e reciclagem), Euromonitor (focalizará as tendências dos diversos mercados de bens de consumo).

Para Auri Marçon, presidente da Abipet, a abrangência da programação, com envolvimento dos vários elos da cadeia, reflete não só o quadro de associados mas também a própria atuação da entidade. “Realizar o PETTalk dentro de uma feira do porte da Plástico Brasil é uma forma de mostrar para todo o setor nosso modelo de gestão integrada, em que cada elo participa, tem voz, é ouvido e dá sua contribuição. As soluções de inovação no mundo moderno surgem desta integração, onde ninguém sozinho tem todas as respostas”.

Completam estas apresentações um apanhado completo da Abipet sobre o mercado do PET no Brasil, atualizações sobre a legislação brasileira para o setor, em especial as novidades da Política Nacional de Resíduos Sólidos (Lei 12.305/2010), e o NetPETworking, o grande encontro anual dos profissionais do setor.

O PETtalk é voltado para diretores, CEOs, presidentes e representantes de áreas técnicas e comerciais – usuários e desenvolvedores de embalagens – além de pesquisadores e outros profissionais envolvidos direta e indiretamente com o mundo das embalagens.

O investimento é de R$ 750,00 e as inscrições se encerram no dia 22. Grupos e associados da Abipet contam com condições especiais. O formulário de inscrições e demais informações estão disponíveis no endereço https://bit.ly/2Hjot0K.

PETtalk 2019 – Conferência Internacional da Indústria do PET
São Paulo Expo (Rodovia dos Imigrantes, Km 1,5)
Dias 27 e 28 de março, durante a Plástico Brasil 2019 – Mezanino – Sala 204
Horários: das 8h às 17h (dia 27) e das 8h às 14h (dia 28).
Mais informações no site http://www.pettalk.org.br

Plástico Brasil

Uma iniciativa da ABIMAQ – Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos e ABIQUIM – Associação Brasileira da Indústria Química e Informa Exhibitions, a feira vai reunir mais de 800 marcas nacionais e internacionais, que representam os setores de máquinas, equipamentos e acessórios, matérias-primas e resinas, moldes e porta moldes, automação industrial e robótica, periféricos, entre outros produtos, serviços e soluções.

Parte significativa das marcas expositoras é representada por 13 países: Alemanha, Argentina, Áustria, China, Estados Unidos, Hungria, Índia, Itália, México, Portugal, Taiwan, Turquia e Suíça, sendo que quatro deles – Alemanha, Áustria, China e Itália – participam com grupos de empresas reunidas em seus respectivos pavilhões. Mais de 60 entidades representativas nacionais e internacionais apóiam ao evento.

São esperados mais de 45 mil visitantes, entre transformadores de plástico, compradores e demais profissionais da construção civil, alimentos e bebidas, embalagens, automóveis e autopeças, perfumaria, higiene e limpeza, farmacêuticos.

A feira vai oferecer uma programação técnica com cerca de 80 horas de seminários, palestras e workshops, a maioria deles gratuita, como o Parque de Ideias, VDI Road Show, 1º ABINFER BUSINESS CENTER – ABC 2019, PETtalk 2019, SEBRAE Móvel, SENAI – Escolar Móvel de Indústria 4.0 e o SMED (Single Minute Exchange of Die).

Ao lado dos negócios, conhecimento e relacionamento, a Sustentabilidade é um dos pilares da Plástico Brasil 2019. A feira vai destacar uma série de ações que visam não só colaborar com a preservação do meio ambiente, mas também inspirar os fornecedores, transformadores e demais visitantes profissionais a replicarem tecnologias ambientalmente corretas em seus negócios.

O credenciamento é gratuito e já pode ser feito no site da feira: https://www.plasticobrasil.com.br/pt/credenciamento.html.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Plástico Brasil 2019

Curta nossa página no

 

Em sua segunda edição, Feira Plástico Brasil 2019 terá eventos simultâneos com mais de 80 horas de seminários, palestras e workshops

25/02/2019

Aliada à realização de negócios e às inovações apresentadas por mais de 600 marcas expositoras nacionais e internacionais, a Plástico Brasil 2019 – Feira Internacional do Plástico e da Borracha, que se realizará de 25 a 29 de março no São Paulo Expo, em São Paulo (SP), contribuirá para o desenvolvimento comercial, tecnológico e profissional da cadeia do plástico e da borracha por meio de uma programação técnica com mais de 80 horas.

São seminários, palestras e workshops, a maioria deles gratuita, ministrados por especialistas brasileiros e estrangeiros, autoridades, empresários e instituições de ensino. Confira as atrações confirmadas até o momento:

SMED (Single Minute Exchange of Die)

Diminuir o tempo de setup para melhorar a produtividade tem sido um dos grandes desafios da indústria de plásticos nas últimas décadas. Em parceria com as empresas Staubli e Romi, a Plástico Brasil 2019 apresentará a nova versão do espaço “SMED – Single Minute Exchange of Die – Troca Rápida de Moldes”, presente desde a edição inaugural, em 2017.

No SMED (metodologia que tem como objetivo a redução do tempo de setup para menos de 10 minutos) , os visitantes poderão assistir ao vivo uma máquina realizando a troca de moldes de maneira totalmente automatizada, sem interação humana.

ABC 2019 – 1º ABINFER BUSINESS CENTER

Novidade desta edição, o espaço criado em parceria com a ABINFER (Associação Brasileira da Indústria de Ferramentais) é dedicado exclusivamente aos fabricantes de moldes. O ABC 2019 – 1º ABINFER BUSINESS CENTER oferece uma solução completa aos visitantes ao reunir produtos – apresentados por 12 empresas – e conhecimento, transmitido em palestras e workshops num auditório exclusivo ao longo de toda a feira. Dada a importância estratégica que os moldes, matrizes e ferramentas ocupam no processo industrial do plástico e da borracha, o ABINFER BUSINESS CENTER vai representar um ponto de encontro de realização de negócios, networking e inovação para todo o setor.

VDI ROADSHOW

Com o tema VDI Roadshow: Hot to apply german guidelines and standards successfully in Brazil (“Como aplicar as diretrizes e padrões alemães com sucesso no Brasil”), o evento é organizado pela a VDI Brasil (Associação de Engenheiros Brasil – Alemanha), em parceria com a VDMA (Associação Alemã de Fabricantes de Máquinas e Instalações Industriais). A participação se dá mediante pagamento e as inscrições estarão disponíveis em breve no endereço: http://www.vdibrasil.com/eventos/roadshow-vdi-na-plastico-brasil/

PETtalk 2019

Realizado pela ABIPET (Associação Brasileira da Indústria do PET), é o maior encontro do ano para o setor de embalagens PET. Durante dois dias, serão apresentadas e debatidas as novas tecnologias, cenários e temas atuais desta indústria.

PARQUE DE IDÉIAS

O projeto promove a aproximação entre universidades e o setor produtivo. Neste espaço, algumas das maiores instituições de ensino do Brasil apresentam seus projetos de inovação e ministram palestras sobre temas relevantes e estratégicos para a indústria do plástico e da borracha. Escolas técnicas e empresas expositoras que desenvolvem e utilizam soluções inovadoras para a indústria também têm presença garantida na grade de palestras. Neste ano, dois temas receberão atenção especial: Design de Embalagens e Reciclagem & Sustentabilidade.

PLÁSTICO BRASIL

Uma iniciativa da ABIMAQ – Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos, ABIQUIM – Associação Brasileira da Indústria Química e Informa Exhibitions, a feira vai reunir mais de 600 marcas nacionais e internacionais– de 13 países como Alemanha, Argentina, Áustria, China, Estados Unidos, Hungria, Índia, Itália, México, Portugal, Taiwan, Turquia e Suíça – que representam os setores de máquinas, equipamentos e acessórios, matérias-primas e resinas, moldes e porta moldes, automação industrial e robótica, periféricos, entre outros produtos, serviços e soluções. São esperados mais de 45 mil visitantes, entre transformadores de plástico, compradores e demais profissionais das indústrias da borracha, construção civil, alimentos e bebidas, embalagens, automóveis e autopeças, perfumaria, higiene e limpeza, farmacêuticos,entre outros.

O credenciamento é gratuito e já ser feito no site da feira: https://www.plasticobrasil.com.br/pt/credenciamento.html.

Fonte: Plástico Brasil 2019

Curta nossa página no

Vale a pena treinar os funcionários em injeção de plásticos ?

07/02/2018

Por Bill Tobin (*)

Existe uma escassez de mão-de-obra qualificada na indústria e o transformador por injeção tem duas soluções para esse problema: contratar funcionários qualificados que trabalhem nos concorrentes ou melhorar as habilidades de seus próprios funcionários. Cada solução possui vantagens e desvantagens.

Contratação de pessoal de fora da empresa

Isso pode ser algumas vezes complicado. Muitos recrutadores perguntam se o candidato tem especialização na área. O problema é que isso significa apenas que o candidato frequentou e completou um curso na área. Isso traz à mente a velha charada: “Como é que você chama a alguém que fez um curso de medicina em um faculdade de reputação duvidosa e se formou com as piores notas da turma ? A resposta é: “Doutor”.

O diploma não significa nada em termos da capacidade do candidato para trabalhar com outros, do seu nível de competência, da capacidade para transmitir esse conhecimento a outros e incorporar esse modo de pensar na sua empresa.

Quando você contrata alguém novo, frequentemente há resistências. Seus especialistas atuais não vão ser necessariamente gentis com o Guru externo que chega na fábrica e vai logo usurpando as suas posições atuais na fila de promoção da empresa. Além disso, seu novo contratado também vai ser confrontado com a tarefa árdua de converter a atitude de seus funcionários atuais para agir e fazer as coisas de uma nova maneira.

Treinando seu próprio pessoal

A pergunta então se converte em: “quem deve receber treinamento” ? Seu primeiro problema é descobrir se o seu pessoal realmente compreende a técnica de moldagem por injeção. Isso é menos complicado do que parece.

Todavia, em vários casos os gerentes apresentam algumas objeções genéricas sobre o treinamento do seu pessoal:

Primeira objeção: Uma vez que eu os treinar, eles pedem demissão, vão para outra empresa e eu vou desperdiçar dinheiro“.

Resposta: Geralmente, este é um problema relacionado à falta de remuneração pelo desempenho do funcionário. Se o treinamento resultar em uma melhora na lucratividade, esses funcionários devem ter direito a um aumento de remuneração proporcional à sua contribuição.

Segunda Objeção: “O treinamento fora da empresa é caro e, na maioria das vezes, os funcionários treinados não transmitem o que eles aprenderam aos outros depois que retornam do curso”.

Resposta: Correto, MAS:
1. Não envie seus funcionários para uma escola. Lá, as máquinas, moldes e outros itens são todos “perfeitos”. Ao invés disso, traga a escola para a sua fábrica.
2. Traga o instrutor não só com uma palestra em PowerPoint, mas também com livros ou outros materiais escritos. A maioria das pessoas esquece muito do que foi aprendido em uma aula de um dia. O livro permitirá que eles façam consultas e atualizem sua memória. Assim como no ensino médio ou na faculdade, os participantes não devem ter que fazer anotações extensivas durante a aula. Eles estão lá para aprender, não para escrever seu próprio livro-texto.
3. O treinamento não deve ser uma palestra com nível de pós-graduação. Embora o cálculo do comportamento de um polímero seja interessante, sua aplicação prática, despida de todas as equações, é o que gera lucros. Se forem necessários cálculos complexos, dê aos treinandos planilhas previamente montadas, com os cálculos complexos embutidos – e espaços em branco somente para entrada de dados.
4. Mesmo que seja necessário um dia extra, consiga que o instrutor divida a turma em grupos e os mande para o chão da fábrica para PROVAREM ter absorvido as instruções.
5. Cuidado com o “marketing” durante o curso. Se o seu instrutor estiver usando conceitos que só mostram resultados se houver a compra de equipamentos complementares, você não deve pagar essa pessoa para passar um dia fazendo propaganda.

Objeção 3: “Por que devo pagar um instrutor? Será que o pessoal de assistência técnica dos fabricantes de máquina ou dos fornecedores de resinas não pode dar o treinamento ? Nós já gastamos muito dinheiro com eles”.

Resposta: Há mais vinte anos, esta seria uma objeção válida. Hoje em dia, os fornecedores de resinas tem pouca disponibilidade de pessoal: podem ter somente uma ou duas pessoas para cobrir um vasto território. E as empresas de máquinas podem lhe ensinar bastante sobre como tirar o melhor proveito de suas máquinas, mas não muito além disso.

Objeção 4: “Eu não posso parar a fábrica para o treinamento. Estamos muito ocupados”.

Resposta: Grande parte das empresas ainda trabalha em uma semana de cinco dias com três turnos. Não é tão difícil como pode eventualmente parecer montar um curso no fim de semana – seja em dois sábados consecutivos ou em um único fim de semana, com uma aula no sábado e uma sessão prática no domingo.

Para fábricas que operam em regime de 24/7, eu já dividi a aula e a parte prática em segmentos de quatro horas. Mesmo que o instrutor perca algum sono fazendo isso, você pode agendar as pessoas para assistirem a cada segmento começando a trabalhar mais cedo ou ficando após o término do turno.

Objeção 5: “Já estamos indo bem! Não precisamos de treinamento para “otimizar”.

Resposta: Verdadeiro, se você pode absorver o custo de uma remessa de venda ocasionalmente rejeitada ou não se preocupar em ser pressionado para baixar o seu preço sob a ameaça de “Eu tenho gente que pode fabricar as suas peças melhor e mais barato” ou, ainda, se não se importar em perder a oportunidade de melhorar os lucros.

Albert Einstein disse uma vez: “Se você não pode explicar algo de forma simples, é porque você não o entende bem o suficiente”.

Se você acha que o seu pessoal já é de primeira linha e não precisa de treinamento adicional, você pode verificar isso com dois testes simples:

Primeiro, entre no site (em inglês): http://wjtassociates.com/site/?page_id=17 and download “20 Questions”. Existem dois testes: básico e avançado. Alguém que entenda o processo de injeção deve acertar 100% no teste básico e pelo menos 90% no avançado. Lá estão apenas as perguntas, e não as respostas. As “respostas” devem fazer parte do conhecimento geral da pessoa que aplica o teste. Você está procurando as “explicações simples” de Einstein para demonstrar a compreensão do processo de moldagem. Distribua os testes e peça aos seus funcionários para que escrevam as respostas. Se, ao aplicar o teste, você ou seus especialistas não podem responder às perguntas, provavelmente significa que você também precisa de treinamento.

Em segundo lugar, vá ao chão de fábrica e apresente um desafio para a pessoa (o funcionário ou um candidato). Se o processo estiver verdadeiramente otimizado, será quase impossível melhorar a qualidade da peça ou o tempo de ciclo. Se não estiver, peça-lhe que demonstrem e expliquem como eles fizeram a otimização. Esta tarefa usa nove experimentos simples.

Se a pessoa que está sendo testada (um novo empregado ou empregado já existente) tiver sucesso nos testes escritos e práticos, pague-o muito bem! Peça-lhe que ensine aos outros. Todavia, se os resultados dos testes forem ruins ou o desafio não der bons resultados, você deve refletir sobre a necessidade de treinar seu pessoal.

O resultado habitual de um bom curso de treinamento – juntamente com uma sessão de demonstração prática mostrando que os conceitos funcionam – é uma melhoria mínima de 5% na produtividade. Na maior parte do tempo, é maior do que 5%. A melhoria da produtividade significa um aumento líquido na produção, por hora, de peças que podem ser vendidas. Ou, pensando de outra maneira, se você tiver 20 máquinas na sua fábrica, uma melhoria de 5% na produtividade lhe proporcionará o resultado de 21 máquinas trabalhando – sem ter que comprar uma máquina adicional.

Se você pode se dar ao luxo de produzir refugo ou ter ciclos lentos, você pode pagar por um treinamento. Pessoas produtivas treinadas proporcionam um retorno que mantém a sua fábrica rentável e mais competitiva do que a dos seus concorrentes. Ciclos lentos e refugo, em última instância, são uma sangria de dinheiro que pode causar problemas para a sobrevivência da empresa.

A escolha é sua.

(*) Bill Tobin é especialista em Injeção de Plásticos. Com mais de 40 anos de experiência na área, é autor de 23 livros técnicos e apresenta regularmente cursos e seminários em vários países ao redor do mundo

Curta nossa página no

Pavan Zanetti realiza a sexta edição da “Pláztico&Negócios”, de 22 a 26 de fevereiro

08/02/2016

Pavan_ZanettiA Pavan Zanetti inicia as comemorações de seus 50 anos de atividades com a sexta edição da “Pláztico & Negócios”, feira de máquinas e workshops sobre processos de fabricação de plásticos que acontecerá de 22 a 26 de fevereiro, no showroom da empresa, localizada às margens da Rodovia Anhanguera, próximo ao km 125, com acesso pela Avenida Angelina Pascote, 4.405, em Americana (SP).

Além da exposição de máquinas para demonstrações, o evento promoverá visitas monitoradas à linha de produção e oferecerá workshops. Haverá, ainda, atendimento aos interessados em orientações financeiras para a aquisição de equipamentos e informações sobre máquinas para pronta-entrega.

Confira a programação:

22/02 – Visitação
23/02 – Workshop de Injeção
24/02 – Workshop de Sopradora
25/02 – Workshop de Injeção e Sopro Pet (manhã)
25/02 – Palestra sobre NR12 (tarde)
25/02 – Palestra sobre Eficiência Energética (tarde)
26/02 – Visitação

Inscrições:

  • As vagas são limitadas e as inscrições devem ser feitas no site http://www.pavanzanetti.com.br
  • Os workshops e as palestras são gratuitos para clientes (3 vagas por cliente, 1 pessoa por workshop ou palestra)
  • Para não-clientes, o custo é R$ 200,00 por workshop ou palestra ou R$ 500,00 para participação nos três dias do evento. Informações adicionais fornecidas através do telefone 19. 3475.8500.

A Pavan Zanetti anunciou também que, durante o mês de fevereiro, estará realizando promoção, comercializando máquinas novas abaixo do preço.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Pavan Zanetti

Curta nossa página no