Posts Tagged ‘S’

Tomra Sorting Recycling e Stadler UK escolhidos como fornecedores de tecnologia para a reforma de planta da Viridor no Reino Unido

21/01/2021

Em 2019, a Stadler UK Limited foi nomeada pela Viridor como um dos dois principais parceiros de contrato para a reforma de £15,4 milhões de Masons sua planta de triagem de materiais (Materials Recycling Facility – MRF) perto de Ipswich, modernizando a instalação como parte da renovação do contrato de dez anos do condado de Viridor-Suffolk. Viridor opera esta planta em nome da Suffolk Waste Partnership.

A Viridor especificou as soluções de seleção com base nos sensores da Tomra Sorting Recycling em sua documentação de licitação para a reforma. Tendo já trabalhado juntos em vários projetos em todo o mundo, Stadler e Tomra trabalharam em estreita colaboração desde os estágios iniciais da concorrência para garantir que a planta e o equipamento atendessem aos requisitos específicos da Viridor.

Ao investir fortemente na atualização da planta, a Viridor foi capaz de transformar suas operações, aumentando a capacidade de 65.000 toneladas por ano (tpa) para 75.000 tpa (equivalente a 17 toneladas por hora). A planta agora está operando em plena capacidade e em níveis ideais de processamento. A qualidade da saída também melhorou consideravelmente graças aos novos equipamentos Tomra instalados durante a atualização.

O material de entrada da planta é uma mistura de materiais recicláveis secos (não incluindo vidro) do Condado de Suffolk. O material é primeiro processado usando um equipamento de separação mecânica totalmente novo, incluindo um tambor dosador, um separador balístico Stadler PPK, uma peneira rotativa, separadores balísticos Stadler STT2000, separadores magnéticos e de indução. Após a separação mecânica, o material (exceto a fibra) passa por um processo de separação por ar antes de chegar às unidades de seleção baseadas em sensores óticos Tomra Autosort® recém-instaladas.

Antes da atualização, três separadores óticos Tomra estavam instalados na MRF. Estes foram substituídos por 11 novas unidades Tomra Autosort. Como uma das unidades existentes tinha apenas quatro anos, a Tomra simplesmente fez o upload do software mais recente.

As unidades foram programadas para classificar e recuperar fibra mista (papelão, papel e jornais e panfletos misturados) e para classificar plásticos misturados por polímero em mono frações de plásticos com alta pureza (PET, HDPE, plásticos duros, filme, potes, tubos e bandejas).

O sistema Autosort reúne tecnologias da Tomra para fornecer precisão avançada de tarefas de seleção complexas em alta capacidade. A Tomra afirma que o Autosort é capaz de separar materiais difíceis ou mesmo impossíveis de separar usando tecnologias convencionais, oferecendo precisão de seleção de alto desempenho consistente em todas as frações alvo – mesmo nas aplicações mais complexas.

Uma vez que o material de alimentação da planta foi processado pelas unidades Autosort relevantes, ele recebe uma verificação final de controle de qualidade antes de ser enfardado para o transporte aos clientes finais, todos sediados no Reino Unido. Qualquer material que sobrar após a recuperação de todas as frações alvo é enviado para recuperação de energia ou para aterro.

Com os novos equipamentos mecânicos e com os sensores instalados, a Viridor afirma estar colhendo uma série de benefícios operacionais, incluindo:
• Maior capacidade – a planta pode processar uma tonelagem maior de material de alimentação (10.000 toneladas adicionais por ano)
• Melhor pureza do mercado das frações separadas, por exemplo, 98,5% de pureza em jornais e panfletos, e mais de 95% para polímeros como PET, HDPE e plásticos mistos
• Eficiências de custo resultantes da planta funcionando em plena capacidade
• Risco reduzido de paradas da planta
• Soluções preparadas para o futuro – o equipamento é projetado para as necessidades de um mercado em constante mudanças de comportamento, e pode ser reprogramado para lidar com as mudanças no fluxo de material de alimentação
• Redução de custos derivada da seleção de PET e HDPE – anteriormente, esse material era enviado para Viridor Rochester para reprocessamento, mas agora pode ser reprocessado no local, reduzindo a pegada de carbono e economizando nos custos de reprocessamento

Steven Walsh, Engenheiro Comercial da Tomra Sorting Recycling, comenta: “Estamos muito satisfeitos em trabalhar com a Stadler neste projeto, já tendo trabalhado com eles em uma série de outros projetos nacional e internacionalmente. Antes da reforma, esta unidade da Viridor só podia classificar plásticos misturados para processamento adicional na planta de Recuperação de Plásticos (Plastic Recovery Facility – PRF) de Rochester e era extremamente focada na seleção manual, usada para refinar a seleção de todos os tipos de plásticos. Agora, porém, a Masons está entre as plantas mais altamente automatizadas no Reino Unido e, ao integrar o equipamento Tomra e se beneficiar da experiência técnica da Tomra, a Viridor pode recuperar materiais de qualidade superior prontos para alimentar a economia circular”.

Benjamin Eule, Diretor da Stadler UK Limited, acrescenta: “Nossa função era desmontar a planta existente e, fornecer e instalar uma solução totalmente pronta para operação da planta recém-reformada. Foi uma das renovações mais rápidas em que já trabalhamos. Levamos apenas cerca de três meses desde a discussão inicial até a assinatura dos contratos e, depois que os contratos foram assinados, estávamos no local cinco meses depois para realizar a instalação. Demorou duas semanas para desmontar a planta e tudo era novo, exceto um separador ótico Tomra no qual a Tomra simplesmente atualizou para o software mais recente, pois tinha apenas alguns anos. A instalação – incluindo a retirada do equipamento antigo – levou 80 dias no total. Instalamos novas estruturas de suporte, esteiras transportadoras e todos os componentes elétricos necessários no processo. Também gerenciamos os processos de comissionamento com e sem material”.

O Diretor de Reciclagem da Viridor, Derek Edwards, disse: “Este é de longe o maior investimento em uma planta MRF do Reino Unido nos últimos anos. A Viridor está fortemente focada no desenvolvimento de oportunidades para colocar materiais recicláves de qualidade de volta na economia a que pertencem. Isso começa com a visão de resíduos como um recurso, em vez de lixo e, graças ao compromisso da Suffolk com a reciclagem e nosso investimento na planta Masons MRF, estamos bem posicionados para aproveitar ao máximo as oportunidades de reciclagem do condado e vender esse material para clientes finais que estão no Reino Unido.

O Sr. Edwards acrescentou: “O plano de investimento da planta Masons foi projetado especificamente não apenas para alcançar maior capacidade, mas para combinar a qualidade de produção com os requisitos do mercado. A planta tem o mesmo material de alimentação de antes, mas agora pode processar um adicional de 10.000 toneladas de material por ano. Estamos muito satisfeitos com o desempenho da planta e seus equipamentos desde que a reforma foi concluída”.

Fundada em 1791, a Stadler dedica-se ao planejamento, produção e montagem de sistemas e componentes de triagem para a indústria de tratamento e reciclagem de resíduos sólidos em todo o mundo. Sua equipe de mais de 450 funcionários qualificados oferece um serviço completo personalizado, do projeto conceitual ao planejamento, produção, modernização, otimização, montagem, comissionamento, reformas, desmontagem, manutenção e assistência técnica de componentes para completar os sistemas de reciclagem e classificação. Sua linha de produtos inclui separadores balísticos, correias transportadoras, peneiras giratórias e removedores de rótulos.

A Tomra Sorting Recycling desenvolve e fabrica tecnologias de seleção baseadas em sensores para a indústria global de reciclagem e gerenciamento de resíduos. Cerca de 6.000 sistemas foram instalados em mais de 100 países em todo o mundo. Responsável pelo desenvolvimento do primeiro sensor infravermelho próximo (NIR) de alta capacidade do mundo para aplicações de seleção de resíduos, a Tomra Sorting Recycling faz parte da Tomra Sorting Solutions, que também desenvolve sistemas baseados em sensores para selecionar, descascar e processar análises para a indústria alimentícia, de mineração e outras. A Tomra Sorting pertence à empresa norueguesa Tomra Systems ASA, que está listada na Bolsa de Valores de Oslo. Fundada em 1972, a Tomra Systems ASA tem um volume de negócios de cerca de 885 milhões de euros e emprega mais de 4.500 pessoas globalmente.

Curta nossa página no

Bemis cria embalagens stand-up pouch sem alumínio para a Cargill

09/03/2017

Mudança diminuiu em 25% a emissão de carbono e reduziu o consumo de matéria-prima da embalagem

A Bemis, uma das maiores fabricantes de embalagens do mundo, desenvolveu embalagens em formato stand-up pouch (sachê) com estrutura foilless (sem alumínio) para a linha de atomatados da Cargill, fabricante dos molhos de tomate Pomarola e Tarantella.

Entre os principais benefícios da mudança, afirma a Bemis, pode-se citar a redução de 25% das emissões de dióxido de carbono da embalagem e menor consumo de matéria-prima através da redução da gramatura da embalagem em 8%. Além disso, o processo de reciclagem das embalagens foi facilitado.
“Reduzir as emissões de carbono em 25% da embalagem representa 826.200 kg de CO2 a menos no ambiente, o equivalente a emissão de CO2 de aproximadamente 468 carros em circulação nas cidades por um ano”, afirma Márcio Barela, Coordenador de Sustentabilidade da Cargill.

“Utilizando a ferramenta de desenvolvimento Stage Gate, trabalhamos em conjunto com o cliente para entender suas necessidades e desenvolvemos um plano de ação minucioso de ajuste de maquinário, consultorias e treinamentos. Isso possibilitou que o novo conceito de embalagens fosse implementado de forma assertiva, atendendo ao cronograma de implementação definido pela Cargill”, explica Antonio Ponce, Gerente de Marketing de Shelf Stable de Alimentos e Bebidas da Bemis.

Além da sustentabilidade, outras vantagens da troca de estrutura da embalagem são o apelo visual no ponto de venda (sem aspecto amassado), resistência mecânica e proteção do produto, afirma a Bemis.

“A embalagem do produto é um dos elos de conexão entre marca e consumidor. A nova embalagem é visualmente mais atrativa e pode contribuir para uma melhor experiência do consumidor no ponto de venda”, afirma Daniel Pontes, Gerente de Marketing da Cargill.

Com sede em Neenah, Wisconsin (EUA), a Bemis atende aos mercados de alimentos, bebidas, cosméticos, farmacêuticos, higiene pessoal, limpeza doméstica, médico-hospitalares e pet food com embalagens flexíveis, rígidas, cartonadas, tubos laminados e rótulos. A companhia conta com 18 mil funcionários em 60 unidades, localizadas em 12 países nas Américas do Norte e Latina, Europa e Ásia-Pacífico.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Bemis

Curta nossa página no

Romi investe em linha de baixo consumo energético e lança modelo de aplicação em PVC na Feiplastic

23/05/2013

Na primeira edição da Feira Internacional do Plástico, empresa apresenta novas soluções tecnológicas para a cadeia produtiva dos clientes

Empresa líder no setor brasileiro de máquinas para plásticos, a Indústrias Romi S.A. participou da 1ª Feira Internacional do Plástico, Feiplastic 2013, entre os dias 20 e 24 de maio, no Parque Anhembi, em São Paulo. A companhia apresentou no evento quatro novos equipamentos, que refletem a preocupação com o baixo consumo energético. Atenta às necessidades do mercado, a Romi expandiu a linha EN, com as injetoras ROMI EN 380 PVC e ROMI EN 450. Investiu na série EL, com a injetora ROMI EL 75, e para o mercado de sopro apresentará a nova linha ROMI C 5TS com Sistema IML. Além desses lançamentos, outro destaque na feira foi a sopradora ROMI PET 230.

Como empresa brasileira líder no setor de máquinas-ferramenta, além de importante produtora de fundidos e usinados, a Romi investe 4% de seu faturamento líquido em pesquisa e desenvolvimento, o que possibilita a renovação anual de seu portfólio.

Para William dos Reis, diretor de Máquinas para Plástico, a perspectiva de novos negócios é ampliada com a exposição na feira. “Estamos ansiosos com a Feiplastic, pois entendemos que esses novos equipamentos vão facilitar o processo industrial de nossos clientes. Focamos na ideia de oferecer produtos com a mais alta tecnologia e confiabilidade, com destaque para a nova injetora ROMI EN 380 PVC, equipamento que desenvolvemos para o setor de construção civil e que durante a feira vai injetar conexões”.

As linhas de máquinas ROMI EN e EL atendem aos requisitos de economia de consumo energético e matéria-prima, por conta da maior precisão de movimentos. “Destacamos ainda o alto nível de precisão dos equipamentos, que contam com movimentos independentes, acionados por servomotores, que são ‘energizados’ somente durante o efetivo movimento”, diz Reis.

A sopradora ROMI C 5TS dispõe de projeto hidráulico de alta performance e novo conceito de cabeçotes, com múltiplas zonas de aquecimento e fluxo otimizado. Ela é destinada à fabricação de frascos com até 5 litros para as indústrias de embalagem em geral. Já a sopradora automática ROMI PET 230 pode produzir até 2.500 frascos por hora, com até 3 litros de capacidade volumétrica, e tem como diferencial alimentação e extração automáticas. A máquina atende à fabricação de garrafas PET para as indústrias de alimentos, bebidas e produtos de higiene e limpeza.

Com um dos maiores estandes, localizado na rua K/L, a Romi pôs à disposição de todos os clientes produtos de alta tecnologia, qualidade e confiabilidade, além de orientação técnica de sua equipe de vendas para a melhor aplicação em máquinas para plástico. Os clientes também contaram com a opção do Finame, financiamento disponível para empresas brasileiras, com taxa de juros de 0,25% ao mês. Todos os equipamentos Romi em exposição estiveram ligados para maior interatividade com os visitantes da Feiplastic.

Fonte: Romi

Curta nossa página no