Posts Tagged ‘Romi’

Margens operacionais da Romi evoluem e Ebitda atinge 13,0% no 3o. Trimestre de 2017

25/10/2017

Resultado representa crescimento de 12,6 pontos percentuais em relação ao 3o. Trimestre de 2016

A Indústrias Romi S.A., empresa líder brasileira na fabricação de máquinas-ferramenta, máquinas para plásticos e fundidos e usinados, registrou no terceiro trimestre de 2017 receita operacional líquida de R$168,0 milhões, montante 9,6% superior ao alcançado no 3o. Trimestre de 2016. Esse incremento foi devido ao aumento do faturamento das unidades Máquinas Romi e Máquinas Burkhardt+Weber.

A margem bruta obtida no 3o. Trimestre de 2017 foi de 28,9%, resultado 8,9 p.p superior ao 3o. Trimestre de 2016. A geração operacional de caixa medida pelo Ebitda foi de R$ 21,9 milhões, representando uma margem Ebitda 13,0% no 3o. Trimestre de 2017, que representou um crescimento de 12,6 pontos percentuais em relação ao 3o. Trimestre de 2016.

A receita operacional líquida da Unidade Máquinas Romi atingiu R$ 72,1 milhões no 3o. Trimestre de 2017, montante 12,7% superior ao 3o. Trimestre de 2016, reflexo das receitas do mercado externo, assim como o mix de produtos, com uma composição de máquinas com maior valor agregado. A Margem Ebitda dessa unidade de negócio no 3o. Trimestre de 2017 alcançou 10,2%, índice 17,2 p.p. maior do que o alcançado no 3o. Trimestre de 2016, resultado dos ajustes operacionais ocorridos no final de 2016, das reduções de custos e despesas e do mix de produtos.

O faturamento da subsidiária alemã B+W apresentou no 3o. Trimestre de 2017, quando comparado com o 3o. Trimestre de 2016, aumento de 57,1%, demonstrando que o faturamento tem refletido a sólida entrada e carteira de pedidos para o exercício de 2017. A margem Ebitda da B+W no 3o. Trimestre de 2017 apresentou crescimento de 12,1 p.p. em relação ao 3o. Trimestre de 2016, alcançando 6,7%.

No 3o. Trimestre de 2017, a margem Ebitda da Unidade Fundidos e Usinados alcançou 21,6%, crescimento de 11,3 pontos percentuais quando comparada com o 3o. Trimestre de 2016. Por outro lado, a receita operacional líquida foi de R$ 54,2 milhões no 3o. Trimestre de 2017, o que representa redução de 13,7% em relação ao mesmo período do ano anterior, decorrente, em sua maioria, da redução no volume de pedidos de peças fundidas e usinadas de grande porte.

“A atividade econômica continua apresentando grandes desafios e incertezas. Diante desse cenário, os esforços realizados pela Companhia continuam focados em otimizações, principalmente das estruturas indiretas, que podem ser percebidos nos primeiros nove meses de 2017, onde as margens operacionais continuam evoluindo e a dívida líquida sendo reduzida. A melhora nos dados macroeconômicos ainda não se materializou de maneira plena no volume de entrada de pedidos da Unidade de Máquinas Romi, embora seja possível notar uma evolução mais significativa na Unidade de Fundidos e Usinados, principalmente nos segmentos automotivo-comercial e agrícola” menciona Luiz Cassiano Rosolen, Diretor-Presidente da Romi.

Fonte: Romi

Curta nossa página no

Anúncios

Margens operacionais da Romi seguem evoluindo e Ebitda atinge 12,1% no 2o. Trimestre de 2017

14/08/2017

A Indústrias Romi S.A., empresa líder brasileira na fabricação de máquinas-ferramenta, máquinas para plásticos e fundidos e usinados, registrou no segundo trimestre de 2017 receita operacional líquida de R$163,8 milhões, montante 9,1% superior ao alcançado no 2o. Trimestre de 2016. Esse incremento foi devido principalmente ao faturamento da unidade de Fundidos e Usinados, que tem aumentado o seu volume de receita desde o início de 2016.

A margem bruta obtida no 2o. Trimestre de 2017 foi de 28,9%, resultado 5,5 p.p superior ao segundo trimestre de 2016. A geração operacional de caixa medida pelo Ebitda foi de R$ 19,9 milhões, representando uma margem Ebitda 12,1% no 2o. Trimestre de 2017.

A receita operacional líquida da Unidade Máquinas Romi atingiu R$ 65,1 milhões no 2o. Trimestre de 2017, montante praticamente estável em relação ao 2o. Trimestre de 2016, demonstrando que o cenário doméstico ainda apresenta baixo nível de investimentos. As receitas do mercado externo continuam demonstrando solidez, e apresentaram crescimento de cerca de 4,0% em dólares no 1o. Semestre de 2017, quando comparado com o mesmo período de 2016.

O faturamento da subsidiária alemã B+W apresentou no 2o. Trimestre de 2017, quando comparado com o 2o. Trimestre de 2016, aumento de 2,5% em Reais. Nesse mesmo período de comparação, porém, em Euro, esse incremento foi de 9,5%, demonstrando que o faturamento tem refletido a sólida carteira de pedidos para o exercício de 2017.

No 2o. Trimestre de 2017, a receita operacional líquida da unidade Fundidos e Usinados foi de R$ 64,3 milhões, o que representa aumento de 23,0% em relação ao 2o. Trimestre de 2016. Número é decorrente, principalmente, do aumento de pedidos de peças fundidas e usinadas para os segmentos automotivo comercial e agrícola. A margem bruta dessa Unidade de Negócio no 2o. Trimestre de 2017 foi de 27,5%, apresentando aumento de 10,8 pontos percentuais em relação ao 2o. Trimestre de 2016 devido ao maior volume de receita e de produção e aos ajustes operacionais voltados para a evolução da eficiência.

“Mesmo em um cenário de fraca atividade econômica, os esforços realizados pela Companhia nas diversas otimizações, principalmente das estruturas indiretas, puderam ser percebidos no resultado positivo do primeiro semestre de 2017, onde as margens operacionais continuam evoluindo e a dívida líquida sendo reduzida. De maneira geral, o mercado doméstico tem mostrado uma melhora muito tímida, sinalizando um segundo semestre ainda bastante desafiador, especialmente para a unidade de Máquinas Romi. Ações voltadas para geração de caixa e em medidas para permitir uma resposta rápida às volatilidades da demanda de mercado continuarão sendo o foco da Romi” menciona Luiz Cassiano Rosolen, diretor-presidente da Romi.

Fonte: Romi

Curta nossa página no

Romi apresenta evolução nas margens operacionais e Ebitda atinge R$10,8 milhões no 1o. trimestre de 2017

03/05/2017

Companhia registrou evolução nas margens operacionais de todas as suas Unidades de Negócio no 1T17

A Indústrias Romi S.A., líder brasileira na fabricação de máquinas-ferramenta, máquinas para plásticos e fundidos e usinados, registrou no primeiro trimestre de 2017 receita operacional líquida de R$146,5 milhões, montante 12,9% superior ao alcançado no 1T16. O aumento é resultado, principalmente do faturamento da subsidiária alemã B+W, que terminou o ano de 2016 com crescimento relevante em sua carteira de pedidos que estão sendo entregues ao longo de 2017 e da Unidade de Fundidos e Usinados, que tem aumentado o seu volume de receita desde o início de 2016.

A margem bruta obtida no 1T17 foi de 24,7%, resultado 4,5 p.p superior ao mesmo período do ano anterior. A geração operacional de caixa medida pelo EBITDA foi de R$ 10,8 milhões, representando uma margem EBITDA 7,4% no 1T17.

A receita operacional líquida da Unidade Máquinas Romi atingiu R$59,3 milhões no 1T17, o que representou redução de 12,2% em relação ao 1T16. Apesar do baixo nível de investimentos no cenário doméstico, as receitas do mercado externo continuam demonstrando solidez e apresentaram crescimento de cerca de 6%, em dólares, no 1T17, quando comparado com o 1T16.

O faturamento da subsidiária alemã B+W apresentou aumento de 37,5% no 1T17, quando comparado com o mesmo período do ano anterior, evidenciando a sólida carteira de pedidos dessa subsidiária e correspondendo a expectativa e cronograma de faturamento para 2017. Devido ao maior volume de operação e de receita, a Unidade de Negócio obteve margem bruta de 21,4% no 1T17, o que representa incremento de 20,0 pontos percentuais em relação ao 1T16.

Com bom volume de atividade, impulsionada por peças fundidas e usinadas de grande porte, a Unidade de Fundidos e Usinados obteve receita operacional líquida de R$57,3 milhões no 1T17, o que representa aumento de 41,6% em relação ao 1T16. No mesmo período, a margem bruta dessa unidade foi de 14,2%, apresentando aumento de 2,4 pontos percentuais em relação ao 1T16, devido, principalmente, ao seu maior volume de receita.

“Os impactos positivos de uma equipe focada em rentabilidade, com diversos projetos que consideram adequações operacionais, redução de custos e despesas e investimentos em automação e produtividade, já podem ser notados em nossos níveis de rentabilidade nesse primeiro trimestre de 2017”, afirma Luiz Cassiano R. Rosolen, Diretor-Presidente da Romi.

Fonte: Romi

Curta nossa página no

Romi apresenta soluções para paredes finas em ciclos ultrarrápidos e automação na feira Plástico Brasil

17/02/2017
Injetora ROMI ES 300

Injetora ROMI ES 300

Desenvolvendo continuamente soluções que proporcionam vantagens competitivas para seus clientes, a Romi estará presente na Plástico Brasil, que será realizada entre os dias 20 e 24 de março de 2017, no São Paulo Exhibition & Convention Center. A Plástico Brasil apresentará os últimos avanços tecnológicos e as principais tendências globais que envolvem a cadeia produtiva do plástico.

Em seu stand, a Romi apresentará seis equipamentos: as injetoras ROMI EN 600 e ROMI EN 220, a injetora para paredes finas em ciclos ultrarrápidos ROMI ES 300, as sopradoras ROMI C 5TS e ROMI MX 20L e o Centro de Usinagem ROMI D 800. Além do baixo nível de consumo energético e de ruído, performance e confiabilidade, toda a linha de injetoras e sopradoras está equipada com o novo comando de operação CM20, afirma a Romi.

Interface - Comando CM20

Interface – Comando CM20

Segundo a empresa, o comando CM20 possui altíssima velocidade e capacidade de processamento, interface gráfica multitouch de 19″ full HD e plena conectividade, sendo possível acessá-lo remotamente via browser, tablets ou smartphones. Os recursos interativos do comando CM20 e as diversas possibilidades de automação dos equipamentos Romi proporcionam aos clientes o aumento da eficiência e da produtividade em sua cadeia produtiva, rumo à Indústria 4.0, assegura a fabricante de máquinas para processamento de plásticos e ferramentaria industrial com sede em Santa Bárbara do Oeste (SP).

No stand da Romi, o visitante poderá contar com o suporte técnico da equipe, recebendo orientações sobre aplicações, suporte comercial e informações sobre as opções de financiamento disponíveis. “Nossos esforços estão totalmente direcionados para oferecer aos nossos clientes soluções completas e tecnológicas para aumentar a sua competitividade no mercado. Os visitantes da Plástico Brasil podem contar com a Romi em todos os momentos para, juntos, buscarmos as melhores oportunidades, adequadas às necessidades de cada empresa”, afirma William dos Reis, Diretor da Unidade de Máquinas para Plásticos.

Fonte: Romi

Curta nossa página no

K 2016: Romi leva linha de injetoras para o maior evento mundial do segmento de plásticos e borracha

20/10/2016

romi-k2016

Companhia reforça sua atuação global consolidando-se entre os maiores fabricantes mundiais de injetoras para processamento de plásticos

A Romi, empresa líder na indústria brasileira de máquinas e equipamentos industriais, participa, de 19 a 26 de outubro, do maior e mais importante evento global do setor de plásticos e borracha: a Feira K, que acontecerá em Düsseldorf, Alemanha.

Esta é a terceira participação da Romi nesse evento, que, neste ano, apresentará em seu estande as injetoras ROMI EN 170, ROMI EN 600 e ROMI EL 300 SPEED.

A linha de injetoras ROMI EN abrange os tamanhos de 70 a 1.100 toneladas de força de fechamento e possui acionamento hidráulico por servo-bomba com mais potência, velocidade e precisão, o que proporciona, segundo a empresa, capacidade de repetição de movimentos, tanto em ciclos curtos quanto em ciclos longos. As injetoras ROMI EN 600, ROMI EN 800 e ROMI EN 1100 são equipadas com dois conjuntos de servo-bombas, que permitem simultaneidade em quase todos os movimentos, aumentando a produtividade da máquina em até 20%, além de proporcionar maior razão de injeção, maior capacidade de plastificação e mais velocidade nos movimentos do fechamento, assegura a Romi. A linha ROMI EN atende com versatilidade a diferentes segmentos, como os de peças técnicas, automotivo e embalagens, e possui versões de injeção em multimateriais, PVC e PET. As injetoras da linha ROMI EN também destacam-se pelo baixo consumo de energia.

A ROMI EL 300 SPEED é uma injetora elétrica para ciclo rápido com alta razão de injeção, especialmente projetada para atender a aplicações de paredes finas, para embalagens de alimentos, descartáveis e utilidades domésticas. Possui maior área de moldes, com 730 mm entre colunas e placa com dimensão de 1.040 mm. Sua razão de injeção alcança 1.170 cm³/s e pressão máxima de 2.200 bar, com acionamento totalmente elétrico. Conta com simultaneidade completa em todos os movimentos e tem classificação 10+ em economia de energia conforme a Euromap 60.1.

Essas máquinas estarão equipadas com o novo painel de comando CM20. Segundo a Romi o comando CM20 possui altíssima velocidade e capacidade de processamento, interface gráfica multi-touch de 19”, full HD e plena conectividade, agregando mais precisão, velocidade e recursos avançados à linha de máquinas para processamento de plásticos produzidas pela Romi e oferecendo uma interface de programação bastante intuitiva. Com plena conectividade, é possível acessar o comando por meio de browser, tablet ou smartphone. Ele possui interface com sistemas MES, serviços remotos e recursos para a Indústria 4.0.

As máquinas de alta tecnologia e os serviços de qualidade e confiabilidade compõem o pacote de soluções que a Romi leva a seus clientes em todo o mundo, a partir de suas subsidiárias e da extensa gama de representantes, espalhados em todos os continentes. “Nossa constante presença na Feira K reafirma a forte relação comercial entre a Romi e o público europeu. Nosso time está preparado e motivado para oferecer todo o suporte técnico, orientando nossos clientes sobre a melhor aplicação e o melhor funcionamento dos nossos produtos de acordo com cada necessidade”, afirma Luiz Cassiano R. Rosolen, Diretor-Presidente da Romi.

João Inácio, gerente responsável pelas operações da Romi na Europa, destaca a percepção do cliente: “As máquinas fabricadas pela Romi oferecem performance, robustez e flexibilidade, visando sempre ao aumento da produtividade de quem as utiliza. Os clientes europeus têm encontrado na Romi uma parceira diferenciada, pois, sendo a fabricante do produto, oferece um serviço de pós-venda próximo, assertivo e com conteúdo técnico apurado”.

Exportando bens de capital desde 1944, a Romi conta com experiência no fornecimento de máquinas para todo o mundo e no gerenciamento de vendas e serviços por meio de suas subsidiárias localizadas no Reino Unido, na Alemanha, na Espanha, na França, na Itália, nos Estados Unidos e no México, além de representantes em diversos outros países.

Fonte: Romi

Curta nossa página no

Romi divulga balanço do primeiro trimestre de 2016

10/05/2016
  • Entrada de Pedidos no 1o. trimestre de 2016 cresceu 27,2% em relação ao mesmo período de 2015
  • Estoques em níveis normais, inadimplência controlada e fluxo de caixa operacional positivo ajudaram a Romi a compensar alto grau de incerteza ainda presente no mercado

A Romi apresentou os resultados alcançados no primeiro trimestre de 2016. Com receita de R$129,8 milhões no primeiro trimestre de 2016, a Romi obteve margem bruta de 20,2% e margem EBIT (Earnings Before Interest and Taxes) negativa em 9,7%. A margem EBITDA (Earnings Before Interest, Taxes, Depreciation and Amortization) foi negativa em 2,8%, com margem líquida negativa em 7,6%, o que representa um prejuízo líquido de R$ 9,9 milhões no período.

A posição de caixa no trimestre diminuiu R$ 3,1 milhões. O gerenciamento da Companhia tem conseguido manter os estoques em níveis normais, a inadimplência controlada e o fluxo de caixa operacional positivo. A Romi está focalizada em manter os níveis de endividamento e de caixa em patamares adequados, permitindo que, em um ano de recessão, os esforços possam ser direcionados para a captura das oportunidades.

A entrada de pedidos de máquinas Romi foi de R$ 58,9 nos primeiros três meses de 2016, volume 12,8% superior ao obtido no mesmo período em 2015. Já a entrada de pedidos da Unidade de Negócio de Fundidos e Usinados, impulsionada pela maior demanda do segmento de energia eólica, apresentou aumento de 59,9%, em relação ao 1T15. Diante desse cenário, a Companhia fechou o trimestre com uma carteira de pedidos de R$236,2 milhões.

O mercado doméstico foi responsável por 65% da receita da Romi no 1T16, confirmando o crescimento gradual e sustentável no mercado externo, uma vez que essa participação era de 79% no 1T15.

Segundo Luiz Cassiano Rosolen, Diretor-Presidente da Romi, “Apesar dos nossos esforços, aumentando o volume faturado tanto pela B+W quanto pela Unidade de Negócios de Fundidos e Usinados, os resultados ainda estão sofrendo influência da intensa instabilidade pela qual passa o mercado. Quase metade do faturamento da Romi está vinculado à venda de máquinas, cujo mix de produtos comercializados apresentou maior participação de itens de menor porte, cujas margens são geralmente inferiores às demais em virtude das características desses equipamentos.”

Os investimentos no primeiro trimestre de 2016 totalizaram R$2,4 milhões, sendo estes destinados, em parte, para a manutenção, produtividade, flexibilidade e competitividade do parque industrial da Romi.

O Programa de Aquisição de Ações Ordinárias de emissão da Companhia, que teve início em 28 de abril de 2015, foi concluído em 19 de janeiro de 2016, com a aquisição das 3,1 milhões de ações, pelo valor total de R$5,6 milhões.

Fonte: Romi

Curta nossa página no

Romi apresenta seu portfólio de máquinas na maior feira do setor industrial do Reino Unido

18/04/2016

Na Mach 2016, a empresa expôs soluções em usinagem e injeção para o mercado local

A Romi, líder na indústria brasileira de máquinas e equipamentos industriais, participou da MACH 2016, exposição bienal voltada à indústria manufatureira do Reino Unido, que aconteceu de 11 a 15 de abril, em Birmingham, Inglaterra.

Esse evento, mais do que promover a rede de relacionamento dos players do setor, teve como objetivo apresentar o que há de mais moderno em tecnologias industriais, incluindo usinagem, fresamento, torneamento, metrologia, fabricação aditiva e ferramentas, entre outras.

Em seu estande, a Romi exibiu cinco máquinas:

  • Torno CNC ROMI C 510, de médio porte que, segundo a empresa, oferece flexibilidade e precisão na operação.
  • Centro de torneamento ROMI GL 280M, compôs uma célula automatizada em conjunto com um robô Kawasaki. Essa célula usinou saca-rolhas de aço inox durante todo o evento, item distribuído aos visitantes do estande.
  • Centro de usinagem ROMI D 1250, máquina capaz de usinar três eixos em um mesmo setup com eixo X de 1.250 mm, bastante adequada às necessidades do público local, segundo a Romi.
  • Centro de usinagem ROMI DCM 620-5X, máquina capaz de usinar cinco eixos em um mesmo setup, oferecendo agilidade e precisão à operação. Essa máquina usinou uma miniatura do carro fabricado no Brasil pela Romi na década de 1950, o Romi-Isetta, a partir de um bloco quadrado de alumínio de 300 mm.
  • Injetora de plásticos EN 70

A Romi possui uma subsidiária no Reino Unido, instalada na cidade de Rugby, na Inglaterra. De lá, comercializa máquinas-ferramenta e máquinas para processamento de plástico Romi, e também oferece peças de reposição, serviços e respaldo técnico.

Para Luiz Cassiano Rosolen, Diretor-Presidente da Romi, a participação nesse evento reafirma o compromisso da Companhia com a satisfação do cliente: “O mercado do Reino Unido é muito importante para a Romi, tanto pelo atendimento que prestamos aos clientes que já possuem nossas máquinas quanto pelo potencial de consumo dos nossos produtos. Temos um time local muito bem preparado, produtos de alta qualidade e todo o interesse em encontrar, para cada cliente, a solução mais adequada”.

Fonte: Romi

Curta nossa página no

Romi reforça atuação no mercado mexicano com participação na feira Plastimagen

25/02/2016

A empresa estará presente novamente em um dos mais importantes fóruns de negócios para a indústria de plásticos na América Latina

A Romi, líder na indústria brasileira de máquinas e equipamentos industriais, participará da principal feira realizada no México para o mercado de transformação de plásticos.

A Plastimagen será realizada entre os dias 8 e 11 de março, no Centro Banamex, localizado na Cidade do México. O evento reunirá mais de 850 empresas, que apresentarão as últimas novidades em produtos, tecnologias e soluções para o mercado latino-americano de processamento de plástico. A organização do evento está contando com mais de 30 mil visitantes durante os quatro dias em que ele acontece.

A principal estratégia da Romi na feira é conquistar novos clientes, especialmente nos setores automobilístico e de utensílios domésticos, com as máquinas para processamento de plásticos, e de moldes / matrizes e petrolífero, com máquinas-ferramenta.

A Romi está entusiasmada com o mercado mexicano: “Temos requisitos suficientes para vencer a concorrência, seja em qualidade, preço ou tecnologia. Oferecemos todo o suporte técnico necessário, orientando nossos clientes sobre a melhor aplicação e o melhor funcionamento de seus produtos, tanto máquinas-ferramenta quanto máquinas para processamento de plásticos.” É o que afirma Luiz Cassiano Rosolen, Diretor-Presidente da Romi.

Além de possuir uma subsidiária no país, a Romi conta com o apoio de um representante local para comercialização de suas máquinas, peças e serviços no México.

Exportando bens de capital desde 1944, a Romi tem mais de 150 mil máquinas instaladas por todo o mundo e possui suas subsidiárias localizadas no Reino Unido, na Alemanha, na Espanha, na França, na Itália, nos Estados Unidos e no México, além de representantes na Argentina, no Chile, na Colômbia, no Equador, no Peru e na Venezuela.

Fonte: Indústrias Romi

Curta nossa página no

Operação Reciclar demonstrará diversas aplicações do Plástico e sua importância na economia e na vida das pessoas durante Feiplastic 2015

22/04/2015

Na edição de 2013 foram coletadas e recicladas 25 toneladas de plásticos dentro do Anhembi. Ação terá exposição com a história do plástico e sua importância.

Feiplastic_LogoApós o sucesso na sua edição de 2013, a Feiplastic – Feira Internacional do Plástico – organiza mais uma vez este ano a Operação Reciclar simultaneamente à feira, no Pavilhão de Exposições do Anhembi. Entre as empresas participantes e patrocinadores bronze do projeto estão Pavan Zanetti, Romi e Wortex. A ideia é incentivar a coleta e reciclagem de materiais plásticos mostrando, na prática, todo o potencial de reciclabilidade e variedade de aplicações da resina plástica em diversos segmentos da indústria. A Plastivida coordena a ação com o apoio das entidades Abimaq, Abiplast, Abiquim, Instituto do PVC,  INP e Siresp.  A iniciativa também tem como patrocinadores as empresas Braskem (categoria ouro), Cincoplast (categoria prata) e Valor Sustentável (categoria bronze).

Durante os dias do evento, todo o resíduo plástico gerado na feira, desde a montagem até a desmontagem, será coletado e armazenado em quatro contâineres. Parte desse material será transformado em grão no equipamento Challenger Compounder da Wortex, para reciclagem de materiais rígidos, injetado numa máquina da Romi e soprado numa máquina da Pavan Zanetti. O público poderá conferir, ao vivo, a criação/transformação de novos produtos no espaço da Operação Reciclar. Na edição de 2013, foram coletadas e recicladas 25 toneladas de plásticos. Em todas as edições, a Operação Reciclar também recebe uma exposição com produtos desenvolvidos com plástico reciclado.

Paolo De Filippis, diretor da Wortex, adianta que a empresa levará para o seu estande a linha de equipamento de reciclagem Challenger Recycler para materiais flexíveis. A tecnologia, segundo a empresa, permite o reaproveitamento de produtos plásticos pós-consumo (resíduos sólidos urbanos, RSU) de forma completa, rápida e com baixo custo de energia, operação e espaço. “A linha Challenger Recycler têm modelos com capacidade de processar de 100 a 1500 quilos de plástico por hora. Esse tipo de equipamento permite o máximo de rentabilidade e traz valor agregado para o negócio, seja para cooperativas ou recicladores e para o pós industrial”, afirma o executivo.

A Pavan Zanetti, por sua vez, expõe a sopradora de resinas termoplásticas série Bimatic Modelo BMT 5.6 D/H Híbrida. “A empresa tem pesquisado, investido e realizado testes para desenvolver equipamentos com mais eficiência energética – explica Leandro Pavan, gerente de Marketing da marca – Na série Bimatic, o modelo BMT5.6 D/H tem o sistema de deslocamento dos carros porta-moldes, que deixaram de ter acionamentos hidráulicos e passaram a ter acionamentos através de motores elétricos e inversor, o que representa economia de 6%, em média”.

A Romi expõe uma injetora elétrica modelo EL 75, injetando uma bandeja plástica multiuso. “A reciclagem de materiais plásticos é de grande importância para a questão da sustentabilidade e para a competitividade dos transformadores de plásticos do país. Temos investido em duas modernas tecnologias: a linha de injetoras EN economiza até 65% de energia se comparado a outras injetoras hidráulicas. Sua precisão possibilita economia de até 2,5% do consumo de matéria-prima devido ao seu baixo desvio padrão do volume injetado. A linha EL, acionada por servomotores, pode chegar a 80% de economia, se comparada a máquinas injetoras hidráulicas convencionais, além da economia com o consumo de matéria prima devido a sua excelente repetibilidade e maior razão de injeção que permite a produção de peças plásticas com paredes mais finas”, explica William dos Reis, diretor da unidade de Negócios de Máquinas para Plásticos.

Serviço:
Feiplastic  – Feira Internacional do Plástico
Data: 4 a 8 de maio de 2015
Horário:  2ª a 6ª feira das 11h às 20h
Local: Pavilhão de Exposições do Anhembi
http://www.feiplastic.com.br

Fonte: Assessoria de Imprensa – Feiplastic

Curta nossa página no

Romi expande atuação na América Latina com participação na Expoplast Peru 2014

14/05/2014

Empresa participou pela primeira vez do evento, destacando equipamento inovador, de alta performance e com baixo nível de consumo energético

Com 84 anos de história e mais de 150 mil máquinas instaladas por todo o mundo, a Indústrias Romi participou da Expoplast Peru 2014,  entre os dias 7 e 10 de maio, no Centro de Exposições Jockey, em Lima.

A Expoplast é a principal feira do mercado peruano de plásticos,  cenário ideal para apresentar a injetora ROMI EN 150, a qual, segundo a empresa,  é um equipamento de alto padrão tecnológico, baixo consumo energético e de grande robustez e confiabilidade, além de trabalhar em alta velocidade e com repetitividade nos processos..

Para ter mais facilidade no serviço ao cliente, a Romi firmou uma parceria com a GH Trading, representante comercial da empresa em Lima.

“A economia peruana é uma das que mais se destacam na América Latina, com perspectivas de crescimento de 6,5% nos próximos anos. O país está investindo em um importante programa de desenvolvimento de infraestrutura, mineração e associações público-privadas. Nossa estratégia comercial contempla a expansão da marca Romi nesse país, com fornecimento de máquinas de alta performance e serviços de qualidade e confiabilidade, que possam contribuir para o desenvolvimento da indústria local e no crescimento econômico do país”, afirma Mônica Romi Zanatta, gerente de vendas internacionais da empresa.

Exportando bens de capital desde 1944, a Romi conta com experiência no fornecimento de máquinas para todo o mundo, e no gerenciamento de vendas e serviços por meio de suas subsidiárias localizadas no Reino Unido, Alemanha, Espanha, França, Estados Unidos e México.

Fonte:  Romi

Curta nossa página no

Máquinas Romi são destaque na Mecminas 2013

05/11/2013

Empresa líder nos segmentos de máquinas-ferramenta e máquinas para plástico oferece soluções de manufatura  para o mercado mineiro

Romi-EL75Considerada um dos maiores encontros do setor no País, a Mecminas 2013 – Feira da Indústria Mecânica de Minas Gerais vem contribuindo de maneira expressiva para o incremento de negócios no Estado. Programada para 5 a 8 de novembro no Centro de Feiras e Exposições de Minas Gerais, em Belo Horizonte, a Mecminas vai reunir empresas fornecedoras e compradoras dos principais setores da indústria.

Presente em todas as edições da feira, a Romi vai expor em seu estande cinco equipamentos de alta tecnologia dos segmentos de Máquinas-Ferramenta e Máquinas para Plástico: o Centro de Torneamento ROMI GL 240M, o Centro de Torneamento Vertical ROMI VTL 500R, o Centro de Usinagem Vertical ROMI D 800, a Injetora ROMI EL 75 e a Sopradora ROMI P 5L.

“O mercado mineiro é de grande relevância para os negócios da Romi, principalmente pela ampla atuação de nossos equipamentos nas empresas do setor metal mecânico e a Mecminas é um tradicional ponto de encontro entre os principais fabricantes de equipamentos, produtos e serviços desse Estado” , diz Hermes Lago, diretor da Unidade de Negócios Máquinas-Ferramentas da companhia.

William dos Reis, diretor da Unidade de Negócios Máquinas para Plástico da companhia, afirma que a feira é o local ideal para ampliar parcerias e iniciar novos negócios. “Entendemos que, com nosso amplo portfólio de máquinas, podemos apresentar soluções de manufatura e transformação de excelente custo-benefício para atender às novas demandas do Estado em diversos segmentos.”

Na feira, além das máquinas expostas, os visitantes poderão contar com todo o apoio técnico e comercial da equipe de vendas da filial Romi Belo Horizonte.

Fonte: Romi

Curta nossa página no

Romi consolida presença internacional e apresenta lançamentos na K 2013

21/10/2013

Principal encontro mundial de companhias do setor tem participação da Romi pela segunda edição consecutiva

K-fair_romi-primaxEmpresa líder brasileira de máquinas para plástico e tradicional exportadora, a Romi participa da edição 2013 do maior encontro de negócios para transformadores de plástico, a feira K. Realizada entre os dias 16 e 23 de outubro, em Dusseldorf, na Alemanha, a feira conta com os principais players do mercado.

A Romi tem um espaço de 400 metros quadrados, localizado no Hall 15, estande D40. A empresa está apresentado três máquinas lançadas este ano e destacadas em eventos nacionais. São elas: as injetoras ROMI EL 75, a ROMI EL 300 e a ROMI EN 450.

Para Cassiano Rosolen, diretor Financeiro e de Supply Chain, a Romi fortaleceu sua presença global na indústria de transformação de plástico e reforçou sua determinação de estar globalmente bem estruturada. “Desde 1944, a Indústrias Romi exporta e tem experiência para fornecer máquinas, suporte de vendas e serviços aos nossos clientes, por meio de subsidiarias Romi, localizadas na Alemanha, no Reino Unido, na França, na Espanha, no México e nos Estados Unidos”, afirma Rosolen.

O diretor da Unidade de Negócios de Máquinas para Plástico, William dos Reis, explica que as máquinas apresentadas pela Romi na K combinam alta tecnologia, precisão, eficiência energética e produtividade a um custo competitivo. “Estamos muito atentos ao mercado e nos empenhamos em antecipar as necessidades de nossos clientes, produzindo máquinas reconhecidas pela sua alta performance, confiabilidade e durabilidade.”

Linha de produtos Romi

Linha EN – Série de máquinas dedicada a aplicações de uso em geral e com força de fechamento de 70 a 450 toneladas. Os  equipamentos contam ainda com sistema de acionamento hidráulico por servomotor.

Linha EL – Série de máquinas totalmente elétricas e com força de fechamento de 75 a 300 toneladas. Esses equipamentos são voltados a aplicações técnicas.

Linha Primax – Série composta por máquinas hidráulicas e híbridas, com força de fechamento de 220 a 1.500 toneladas.

Máquinas Romi na K 2013

Injetora ROMI EL 75 e ROMI EL 300

As injetoras ROMI EL 75 e EL 300 são equipamentos voltados para aplicações técnicas e de engenharia, com força de fechamento de 75 e 300 toneladas. Usando tecnologia e experiência de máquinas CNC, toda a linha conta com fuso de esfera recirculante e movimentos por servomotor. O resultado é uma máquina silenciosa, rápida e precisa. Operando com níveis de ruído inferiores a 60 decibéis, as injetoras conseguem economia média de energia de até 60%, em comparação com máquinas hidráulicas atuais; e de até 80% quando comparadas   as máquinas mais antigas. A precisão é de centésimos de milímetro. Esses são os dois primeiros modelos a usar o novo controle CM15, de 15 polegadas, com controle touch-screen, conectividade via Internet, VNC Server e servidores FTP e PVI.

Injetora ROMI EN 450

A série EN é a mais recente linha de máquinas produzidas pela Romi, projetada para atender às necessidades de quem procura injetoras altamente eficientes, compactas e com baixo nível de ruído. Fáceis de operar, elas possuem acionamento hidráulico por servomotor, que proporciona alto desempenho e baixo consumo de energia. A economia de energia nesse caso é de até 40% se comparado a um equipamento de bomba de vazão variável. A redução pode chegar até 66% em relação ao modelo  de vazão fixa. Com boa aceitação pelo mercado, a Romi está expandindo a série EN para equipamentos de 450 toneladas de força de fechamento. Na K 2013, a empresa vai expor a injetora ROMI EN 450.

Fonte:  Romi

Curta nossa página no

Romi exibe nova máquina para injeção de PVC na Plastech 2013

20/08/2013

Empresa mostra seu mais recente lançamento na feira mais importante da região Sul do Brasil

Máquinas de alta performance desenvolvidas para atender às mais diversas necessidades dos clientes serão exibidas pela Indústrias Romi S.A. durante a Plastech 2013, a mais importante feira do setor de plásticos da Região Sul.

Líder brasileira no setor de máquinas-ferramenta e máquinas para plásticos, além de importante produtora de fundidos e usinados, a Romi levará à feira sua mais nova linha de máquinas para injeção de conexões em PVC. O destaque da nova linha é a injetora ROMI EN 380 PVC, destinada ao mercado da construção civil, com aplicações em PVC rígido.

A Romi também vai expor em seu estande a sopradora ROMI P, máquina que utiliza recurso hidráulico de alta performance, produzindo frascos em geral. O equipamento permite alta eficiência e produtividade na fabricação de embalagens de até 5 litros.

Para William dos Reis, diretor da Unidade de Negócios de Máquinas para Plástico da Romi, a participação na Plastech é uma oportunidade de a empresa demonstrar seus lançamentos para o público da desenvolvida Região Sul. “Investimos em um equipamento voltado para a injeção de PVC, pois essa é uma demanda que ouvimos dos nossos clientes e se encaixa no atual momento da construção civil brasileira.”

Com um dos maiores estandes da feira, localizado na rua S/O, a Romi põe à disposição de todos os clientes produtos de alta tecnologia, qualidade e confiabilidade. Para que os clientes entendam bem o funcionamento dos equipamentos, a equipe de vendas dará orientação técnica sobre a melhor aplicação de máquinas para plástico. Os clientes poderão contar com a opção do Finame, financiamento disponível para empresas brasileiras, com taxa de juros 0,29% a.m.

A Plastech Brasil 2013 estará aberta entre os dias 27 e 30 de agosto, no Parque Mário Bernardino Ramos (local dos Eventos Festa da Uva), em Caxias do Sul. Realizada a cada dois anos, a feira terá nesta edição mais de 250 expositores. Os organizadores esperam mais de 22 mil visitantes.

Fonte: Romi

Curta nossa página no

Romi registra melhor resultado trimestral desde o fim de 2011 e alcança R$ 11,7 milhões de EBITDA das Operações Continuadas

02/08/2013

Pelo quarto trimestre consecutivo, o EBITDA da companhia foi positivo, reflexo da busca contínua de eficiência operacional e reajuste gradual dos preços

As Indústrias Romi S.A., empresa brasileira fabricante de máquinas-ferramenta e máquinas para processamento de plásticos e importante produtor de peças fundidas e usinadas, atingiu R$ 151,4 milhões no trimestre e R$ 291,7 milhões no semestre em valor de receita operacional líquida das Operações Continuadas.  Isso representa aumento de 45,2% e 17,4% em comparação com os mesmos períodos de 2012.

Em Máquinas-Ferramenta, a receita operacional líquida atingiu R$ 99,4 milhões no 2T13, dos quais R$ 18 milhões se referem à consolidação da receita operacional líquida da B+W. Esse montante consolidado representou aumento de 35,7% se comparado com o mesmo período no ano anterior e de 0,6% ao 1T13. Já no semestre, a receita operacional líquida dessa unidade foi de R$ 198,3 milhões, o que representa crescimento de 11,2% em relação ao mesmo período de 2012.

No segundo trimestre de 2013, o faturamento líquido da Unidade de Negócios de Máquinas para Plásticos totalizou R$ 23,3 milhões, representando aumento de 84,7%, em relação ao 2T12 e de 33,6% quando comparado ao trimestre imediatamente anterior.

As vendas físicas da unidade de fundidos e usinados somaram 4.436 toneladas no 2T13, um aumento de 43,5% sobre o 2T12 (3.092 toneladas). Nesse período, a Receita Operacional Líquida da unidade foi de R$ 52,7 milhões, o que representa aumento de 32,7% em relação ao mesmo período em 2012. Foram vendidas 8.034 toneladas de produtos fundidos e usinados no período, 21,6% a mais que o obtido nos mesmos meses de 2012.

“Alcançamos no mercado interno crescimento de 30,9% em nossa receita líquida, se comparada ao primeiro semestre de 2012. Esse fato mostra o fortalecimento dos produtos Romi como um todo e nos deixa ainda mais confiantes para enfrentar os desafios dos próximos trimestres”, afirma Livaldo Aguiar dos Santos, diretor presidente da Romi.

A carteira de pedidos da companhia, em junho, apresentou-se 35% superior quando comparada ao primeiro trimestre de 2013, alcançando, assim, a marca de R$ 330,1 milhões no 2T13. Um dos fatores que auxiliaram a carteira nesse período foi a realização de duas grandes feiras do setor em São Paulo, a Feiplastic e a Feimafe. O lucro líquido das Operações Continuadas da Romi foi de R$ 5,1 milhões no segundo trimestre de 2013.

Nota: O EBITDA corresponde ao lucro antes do resultado financeiro, impostos sobre o lucro, depreciação e amortização.F

Fonte:  Indústrias Romi

Curta nossa página no

Romi investe em linha de baixo consumo energético e lança modelo de aplicação em PVC na Feiplastic

23/05/2013

Na primeira edição da Feira Internacional do Plástico, empresa apresenta novas soluções tecnológicas para a cadeia produtiva dos clientes

Empresa líder no setor brasileiro de máquinas para plásticos, a Indústrias Romi S.A. participou da 1ª Feira Internacional do Plástico, Feiplastic 2013, entre os dias 20 e 24 de maio, no Parque Anhembi, em São Paulo. A companhia apresentou no evento quatro novos equipamentos, que refletem a preocupação com o baixo consumo energético. Atenta às necessidades do mercado, a Romi expandiu a linha EN, com as injetoras ROMI EN 380 PVC e ROMI EN 450. Investiu na série EL, com a injetora ROMI EL 75, e para o mercado de sopro apresentará a nova linha ROMI C 5TS com Sistema IML. Além desses lançamentos, outro destaque na feira foi a sopradora ROMI PET 230.

Como empresa brasileira líder no setor de máquinas-ferramenta, além de importante produtora de fundidos e usinados, a Romi investe 4% de seu faturamento líquido em pesquisa e desenvolvimento, o que possibilita a renovação anual de seu portfólio.

Para William dos Reis, diretor de Máquinas para Plástico, a perspectiva de novos negócios é ampliada com a exposição na feira. “Estamos ansiosos com a Feiplastic, pois entendemos que esses novos equipamentos vão facilitar o processo industrial de nossos clientes. Focamos na ideia de oferecer produtos com a mais alta tecnologia e confiabilidade, com destaque para a nova injetora ROMI EN 380 PVC, equipamento que desenvolvemos para o setor de construção civil e que durante a feira vai injetar conexões”.

As linhas de máquinas ROMI EN e EL atendem aos requisitos de economia de consumo energético e matéria-prima, por conta da maior precisão de movimentos. “Destacamos ainda o alto nível de precisão dos equipamentos, que contam com movimentos independentes, acionados por servomotores, que são ‘energizados’ somente durante o efetivo movimento”, diz Reis.

A sopradora ROMI C 5TS dispõe de projeto hidráulico de alta performance e novo conceito de cabeçotes, com múltiplas zonas de aquecimento e fluxo otimizado. Ela é destinada à fabricação de frascos com até 5 litros para as indústrias de embalagem em geral. Já a sopradora automática ROMI PET 230 pode produzir até 2.500 frascos por hora, com até 3 litros de capacidade volumétrica, e tem como diferencial alimentação e extração automáticas. A máquina atende à fabricação de garrafas PET para as indústrias de alimentos, bebidas e produtos de higiene e limpeza.

Com um dos maiores estandes, localizado na rua K/L, a Romi pôs à disposição de todos os clientes produtos de alta tecnologia, qualidade e confiabilidade, além de orientação técnica de sua equipe de vendas para a melhor aplicação em máquinas para plástico. Os clientes também contaram com a opção do Finame, financiamento disponível para empresas brasileiras, com taxa de juros de 0,25% ao mês. Todos os equipamentos Romi em exposição estiveram ligados para maior interatividade com os visitantes da Feiplastic.

Fonte: Romi

Curta nossa página no

Romi realiza Open House em sua subsidiária do Reino Unido

19/03/2013

Objetivo é estreitar relacionamento com clientes das marcas Romi e Sandretto

A Romi abriu as portas de suas instalaçôes de Rugby, no Reino Unido, e mostrou sua experiência no desenvolvimento e fabricação de máquinas injetoras e máquinas-ferramenta de alta qualidade e desempenho. O Open House visou fortalecer a posição de mercado das marcas Romi e Sandretto e reforçar a relação com os clientes daquele mercado.

A experiência e cooperação entre Romi, Sandretto e fornecedores qualificados resulta na capacidade da empresa em oferecer a seus clientes pacotes turn-key, o que tem se demonstrado um requisito importante para os clientes. Juntas, Romi e Sandretto tem mais de 180 mil máquinas vendidas em todo o mundo. “É a força e confiança nas marcas que os clientes tem procurado quando da escolha de um fornecedor de máquinas”, diz a gerente de vendas Internacionais da Romi, Mônica Romi Zanatta.

Presente no mercado externo desde 1944, a Romi possui subsidiárias localizadas nos EUA, Itália, Alemanha, Inglaterra, Espanha, França e México. Com a aquisição dos ativos da Sandretto, em 2008, a Romi reforçou sua presença em todo o mundo.

Neste Open House, as seguintes máquinas foram demonstradas:

Injetoras para plásticos:
– Sandretto PRIMAX H 220
– Sandretto EN 150 e 200
– Sandretto EL 150
Estas máquinas são comercializadas no Brasil com a marca Romi.

Máquinas-ferramenta:
– ROMI C 420
– ROMI GL 240M
– ROMI D 800
A linha ROMI C é comercializada no Brasil com a marca Centur.

Fonte:  Romi

Curta nossa página no

Romi prepara lançamentos com baixo consumo de energia para Feiplastic 2013

22/02/2013

feiplastic

A nova injetora Romi EL 75 está entre as novidades que a multinacional brasileira incluirá no portfólio de produtos para atender os principais setores da indústria plástica

Novidades em máquinas sustentáveis com alta eficiência energética estão sendo preparadas pelas empresas expositoras da Feiplastic 2013, principal feira de negócios da indústria plástica da América Latina, que se realiza em maio de 2013.  Um dos exemplos é a Romi, maior fabricante de máquinas injetoras e sopradoras para termoplástico do Brasil. Entre os lançamentos está a injetora Romi EL 75, que atende à norma ISO 14000 para gestão ambiental.

William dos Reis, diretor da Unidade de Plásticos da empresa, explica que a Romi trabalha constantemente no desenvolvimento de máquinas com alto padrão de qualidade e baixo consumo de energia. “Além disso, temos a certificação nas normas ISO 14000 pelo ABS desde 2005”, completa Reis. A presença na Feiplastic é apontada pelo diretor como uma ferramenta de geração de negócios. “Queremos sempre estar próximos aos nossos clientes, divulgando nossa marca, produtos e serviços”.

A Feira Internacional do Plástico vem sendo divulgada nos 35 escritórios que a Reed Exhibitions mantém em todo o mundo. O investimento da organizadora em divulgação deve chegar a R$ 5 milhões, divididos em 36 veículos nacionais, sete internacionais, além de ações em redes sociais da internet, entre outros meios de comunicação. Outras grandes marcas da indústria plástica nacional e internacional já confirmaram presença na Feiplastic. A lista inclui nomes como Basf, Bayer, Braskem, Deb’Maq, Wortex, entre outros. A feira ocupará 85 mil m² do Pavilhão de Exposições do Anhembi, deve reunir 1.400 marcas expositoras e público estimado de 70 mil visitantes, entre fabricantes, técnicos, engenheiros, profissionais do setor e transformadores de produtos plásticos.

Fonte: Assessoria de Imprensa da Feiplastic

Curta nossa página no

Romi realiza Open House na Itália

22/12/2012

Empresa apresentou ao público sua nova linha de injetoras, que alinha praticidade, tecnologia e alta precisão

romi-primaxA Indústrias Romi S.A., empresa líder brasileira no setor de máquinas-ferramenta e máquinas para processamento de plásticos, apresentou aos visitantes do Open House – Arceto di Scandiano, a sua injetora Romi Primax 220H. O encontro foi realizado entre os dias 14 e 15 de dezembro, na cidade de Arceto Scandiano, na empresa RECO TECH.

Investindo na apresentação dos modelos de máquinas plástico produzidos no Brasil, a Romi acredita que o Open House abrirá portas para novas negociações, atingindo o interesse do público italiano, que terá a oportunidade de conhecer melhor sua linha de máquinas e todos seus avanços tecnológicos.

A Romi destaca as realizações de Open House como melhor forma de interagir no bom relacionamento entre cliente e empresa, proporcionando antes mesmo da compra, total transparência e credibilidade da marca.

Durante o evento, a injetora Romi Primax 220H fez  demonstrações ao público para apresentar a qualidade e as inovações tecnológicas do produto. Além da apresentação da máquina, estiveram disponíveis catálogos e demais materiais publicitários de toda a gama de Injetoras Romi.

Fonte: Romi

Curta nossa página no

Indústrias Romi expõe injetora e sopradora na Embala Nordeste 2012

23/07/2012

Empresa traz para o principal evento realizado no Nordeste, a Sopradora ROMI PET 230 e a injetora hidráulica ROMI EN 150

A Indústrias Romi S.A., líder brasileira no setor de máquinas-ferramenta e máquinas para plásticos, além de importante produtora de fundidos e usinados, apresentará ao público da Região Nordeste, durante a Embala NE 2012,  a sopradora automática ROMI PET 230. Equipamento com capacidade produtiva de até 2500 frascos por hora e de até 3 litros de capacidade volumétrica, a sopradora ROMI PET 230 possui o diferencial de alimentação e extração automáticos, sendo voltada à fabricação de garrafas PET para as indústrias de alimentos, bebidas e produtos de higiene e limpeza.

No evento, os visitantes também poderão conhecer a injetora ROMI EN 150, máquina equipada com servobomba, que garante melhor performance do sistema hidráulico com baixo nível de ruído e consumo energético. Ela é voltada para a produção de peças de pequeno e médio porte, com aplicações de até 170 toneladas.

O novo diretor da área de Máquinas para Plástico, William dos Reis afirma que a Embala NE é uma feira de extrema importância para o Nordeste do Brasil, região que se destaca pelo grande potencial e desenvolvimento industrial. “Queremos reforçar a presença da companhia nessa região, demonstrando assim nosso amplo portfólio de máquinas para processamento de plástico.”

A Embala NE – 7ª Feira Internacional de Embalagens e Processos, que será realizada entre os dias 28 e 31 de agosto, das 14 às 21 horas, no Centro de Convenções de Pernambuco, em Recife/PE. Durante o evento, a Romi colocará toda a estrutura da companhia à disposição dos seus clientes, como vendas, serviços pós-venda, reforma de máquinas, entre outros.

Fonte: Indústrias Romi

Curta nossa página no

Interplast 2012: Romi expõe sopradora recém-lançada

11/07/2012

Empresa traz para o principal evento do setor na Região Sul a Sopradora ROMI Premium Full e a injetora hidráulica ROMI EN 150

 A Romi apresenta ao público da Interplast 2012 sua mais nova máquina para o setor de sopro, a Sopradora ROMI Premium Full. O equipamento, que produz frascos em geral, oferece alta eficiência e produtividade, para fabricação de embalagens de até 5 litros.

Durante o evento, os visitantes também poderão conhecer a injetora ROMI EN 150 para PVC, máquina equipada com servobomba, que garante melhor performance do sistema hidráulico, resultando em baixo consumo energético e reduzido nível de ruído. Ela é voltada para a produção de peças de pequeno e médio porte, com aplicações de até 170 toneladas.

Segundo o diretor da área de Máquinas para Plástico, William dos Reis, a Interplast é uma feira de extrema importância para o Sul do Brasil, região que se destaca pelo grande potencial e desenvolvimento industrial. “Queremos reforçar a presença da companhia nessa região, demonstrando assim nosso amplo portfólio de máquinas para processamento de plástico.”

A Interplast – Feira e Congresso de Integração da Tecnologia do Plástico será realizada entre os dias 20 e 24 de agosto, das 14 às 21 horas, no Expoville, em Joinville/SC. Durante o evento, a Romi colocará toda a estrutura da companhia à disposição dos seus clientes, como vendas, serviços pós-venda, reforma de máquinas, entre outros.

Fonte: Indústrias ROMI

Curta nossa página no

Romi oferece máquinas injetoras revisadas com garantia.

20/06/2012

A Romi está disponibilizando a seus clientes a comercialização de máquinas-ferramenta e injetoras seminovas. Responsável por essa iniciativa, a nova Unidade de Negócios da Companhia está pronta para atender aos clientes, oferecendo máquinas revisadas / reformadas com garantia do fabricante.

Com isso, os clientes Romi passam a dispor de uma linha de produtos seminovos de alta qualidade e confiabilidade, a preços competitivos e com garantia. O processo de revisão da máquina é realizada por profissionais da própria fábrica, que utilizam somente peças originais. Os clientes contam, ainda, com a possibilidade de instalação de itens opcionais novos. Segundo o diretor da nova unidade de Serviços, Ivan Machado, “a Romi observou essa necessidade do mercado e se estruturou com excelência para atendê-la. Nossos clientes conhecem a experiência da Romi em desenvolver máquinas de qualidade e apresentar um suporte ágil aos nossos clientes”.

 “Nossa experiência propicia ainda a entrega desses equipamentos em condições ideais para a produção. Essas máquinas são uma alternativa para clientes que desejam adquirir um produto com qualidade e alto desempenho, com preço diferenciado e garantia direta do fabricante”, completa Machado.

Fonte: Romi

Curta nossa página no

Romi participa da Equiplast 2011, na Espanha.

22/11/2011

Através de sua marca Sandretto, a Romi busca liderança no competitivo mercado espanhol para as máquinas de injetoras de plástico

A Romi participou da Equiplast 2011, uma das mais importantes exposições da indústria de plásticos na Espanha. A feira se realizou entre os dias 14 e 18 de Novembro de 2011, em Barcelona.

Segundo Hermes Lago, diretor de vendas da Companhia, “a participação da Romi na Equiplast 2011 foi especialmente importante para a apresentação da subsidiária Romi para o mercado espanhol, a Italprensas Sandretto, que passa a contar com uma nova estrutura comercial, completamente renovada e que atende a todas as áreas da península. A subsidiária também apresenta uma nova gestão de vendas, bem como novas instalações em Barberà del Vallés, onde estão centralizados os serviços de assistência técnica e peças de reposição, bem como a coordenação dos técnicos residentes que atuam em áreas como Valencia, Levante e País Basco. “

“Esta reestruturação é importante para mantermos o contato e a estrutura de pós-venda mais próximos aos clientes, o que faz parte da estratégia de expansão e renovação da empresa, com o objetivo de oferecer um melhor serviço a nossos numerosos clientes na Espanha “, diz Romi Monica Zanatta, gerente de vendas internacionais.

Dentro do plano de ação desenvolvido para o mercado espanhol, a empresa expôs, na Equiplast 2011, uma injetora Sandretto EN 100, de aplicação geral, e que serve a muitos setores da produção industrial. Também estiveram em exposição  o centro de usinagem vertical Romi D 600, projetado para ambientes de alta produção e ferramentaria, e a Sandretto EL 100 máquina elétrica, mais direcionada ao setor técnico de processamento de plásticos por injecção. “Ambos os modelos de injetoras cumprem o objectivo de proporcionar maior economia de energia”, conclui o gerente da subsidiária espanhola, Adolfo Ibañez.

Fonte: Indústrias Romi

Romi consolida posição no mercado internacional com a marca Sandretto

22/09/2011

Empresa estrutura operação de vendas e serviços no México, estreitando relacionamento com clientes e fortalecendo sua presença internacional

A Indústrias Romi S.A., empresa líder brasileira no setor de máquinas-ferramenta e máquinas para processamento de plásticos, estará presente, com sua marca Sandretto, nas mais importantes feiras internacionais, mostrando sua expertise no desenvolvimento e fabricação de máquinas de alta qualidade e processamento de plásticos.

 No calendário internacional, também estão programadas open houses na Itália, visando fortalecer a liderança de mercado da empresa e o relacionamento direto com os clientes. A abertura de uma subsidiária no México faz parte da iniciativa de ampliar a presença internacional da Romi, que proporcionará aos seus clientes vantagens exclusivas, por meio do apoio direto de vendas e serviços.

 Neste segundo semestre de 2011, a empresa participará das feiras: Expo Plast (Romênia), Interplas (Inglaterra), Plastimagen (México), Fakuma (Alemanha), Plast Eurasia (Turquia) e Equiplast (Espanha). Além desses eventos importantes, a companhia planejou seis open houses na Itália, que serão realizadas nas regiões do Vêneto, Marche, Emilia Romagna, Toscana, Campania e Lombardia.

 “A Romi, por meio de sua marca Sandretto, consolida sua posição no mercado internacional. A combinação de trabalho conjunto e know-howgerou resultados importantes em tecnologia, inovação e serviços, que beneficiaram diretamente os clientes em todo o mundo. Juntas, Romi e Sandretto, venderam mais de 180 mil máquinas mundialmente. Atualmente, os clientes buscam credibilidade e robustez quando escolhem um fornecedor de máquinas”,afirma Mônica Romi Zanatta, gerente de Vendas Internacional.

 Com presença mundial desde1944, a Romi possui subsidiárias nos Estados Unidos, na Itália, na Alemanha, na Inglaterra, na Espanha e na França, além das fábricas no Brasil e na Itália, na região de Turim. Com a aquisição dos ativos da Sandretto, em 2008, a companhia consolidou sua presença em todo o mundo. “A abertura da nova subsidiária no México vai reforçar a determinação da empresa de se estruturar, com o objetivo de melhor atender ao mercado mexicano, que acreditamos ter potencial para absorver nossa linha de produtos e serviços”, declara Mônica.

 O foco da Romi, durante as feiras e open houses, será demonstrar as recém-lançadas máquinas injetoras Sandretto P, Sandretto EN e Sandretto EL, que oferecem alta tecnologia e produtividade, com custo extremamente competitivo.

Fonte: Indústrias Romi 

Romi leva injetoras e sopradora à Plastech Brasil 2011

12/08/2011

A Indústrias Romi S.A., empresa líder brasileira no setor de máquinas-ferramenta e máquinas para processamento de plásticos, apresenta algumas de suas principais linhas de injetoras e sopradoras na Plastech Brasil 2011.

A companhia irá demonstrar, durante o evento, a injetora ROMI EL 300, um equipamento totalmente elétrico, com baixo consumo energético, que se adapta facilmente a salas limpas e é voltado para produção de peças de alta precisão. A injetora ROMI EN 150, voltada para diversas aplicações, também é composta por servobomba, recurso que permite a redução do consumo energético em relação à máquina com bomba de vazão variável.

Já a sopradora ROMI PET 230 automática é um equipamento para sopro de pré-formas com alta produção de frascos e garrafas para linha de bebidas, cosméticos, limpeza e frascos de uso geral.

Apresentando ao público gaúcho dois lançamentos da linha de injetoras, o diretor de Comercialização de Máquinas da empresa, Hermes Lago, afirma: “A Plastech está crescendo e a participação da Romi no mercado da região Sul também. Acreditamos que esse evento vai colaborar com o crescimento dos resultados da companhia em 2011.”

Outra máquina Romi em exposição será a injetora ROMI P220, que estará demonstrando uma injeção de peça no estande do SENAI.

Máquinas Romi na Plastech:

Injetora ROMI EL 300 Aplicação – máquinas elétricas que se adaptam facilmente a salas limpas. Apresentam baixo nível de ruído e são indicadas para produção de peças de alta precisão com baixo consumo de energia. Capacidade – 300 toneladas de força de fechamento, 745 g de capacidade de injeção.Essa série de máquinas propicia elevada relação desempenho/consumo energético, permitindo uma melhor relação entre produção (kg/h) e consumo energético (kW). É um projeto novo, dotado de componentes e insumos de alta confiabilidade e tecnologia.

Injetora ROMI EN 150 Aplicação – máquina de uso geral destinada a diversas aplicações: injeção de peças técnicas, utilidades domésticas, brinquedos e embalagens. Capacidade – 150 toneladas de força de fechamento, 380 g de capacidade de injeção. Diferencial – a série ROMI EN é composta por máquinas com servobomba, recurso que permite a redução do consumo energético em relação à máquina com bomba de vazão variável. O funcionamento é baseado na variação da rotação do motor: quando a máquina é exigida, o motor fornece a potência necessária ao movimento; quando a máquina está em tempo “de parada”, ou seja, num momento em que não é exigida, o motor permanece praticamente em descanso. Nessa fase, o consumo energético se aproxima muito ao de uma lâmpada convencional.

Sopradora ROMI PET 230 automática Aplicação – equipamento para sopro de pré-formas com alta produção de frascos e garrafas para linha de bebidas, cosméticos, limpeza e frascos de uso geral. Capacidade – produção de frascos e garrafas com capacidade volumétrica de até 3 litros. Dimensões – permitem moldes de duas cavidades de até 3 litros cada. Diferencial – equipamento de alta produtividade, com processo 100% automático, bem compacto em uma construção monobloco, robusto e preciso. Na Plastech 2011 estará produzindo garrafas de 500 ml para água mineral, com uma produção estimada em 1.500 garrafas por hora.

Sobre a Romi – A Indústrias Romi S.A. , fundada em 1930, é líder de mercado na indústria brasileira de máquinas e equipamentos industriais. A empresa fabrica máquinas-ferramenta, principalmente tornos mecânicos e centros de usinagem, máquinas injetoras e sopradoras de termoplásticos e peças feitas de ferro fundido cinzento, nodular ou vermicular, que são fornecidos em estado bruto ou usinado. Os produtos e serviços da Romi são vendidos mundialmente e utilizados por uma grande variedade de indústrias, tais como a automotiva, produtos de consumo geral e indústrias de máquinas e equipamentos industriais e agrícolas.

 Fonte: Assessoria de Imprensa – PlastechBrasil 2011

 

Feira Mac&Tools conta com participação da Romi.

28/07/2011

Empresa participa da maior feira de metal-mecânica do Centro-Oeste com equipamentos das linhas de máquinas-ferramenta e máquinas para plástico

A  primeira edição da Mac&Tools – Feira de Máquinas e Ferramentas da Indústria Metal-Mecânica do Centro-Oeste, será realizada no Centro de Convenções de Goiânia, entre os dias 26 e 29 de julho de 2011

Nesta feira, a empresa demonstrará o Centro de Usinagem Vertical ROMI D 600, o Centro de Torneamento ROMI GL 280 e a Sopradora ROMI Maxtec 10L, equipamentos de alta tecnologia e com ampla aplicação em diversos segmentos da indústria.

Em sua 1ª edição, a Mac&Tools já é a maior exposição da indústria Metal-Mecânica do Centro-Oeste, e tem como objetivo inaugurar um centro de negócios no Estado.

Fonte: Indústrias Romi