Posts Tagged ‘Rhodia’

Rhodia lança inovações em plásticos de engenharia e polímeros especiais na Feiplastic 2013

20/05/2013

feiplastic

  • Novidades atendem aos diversos mercados de plásticos de engenharia e polímeros especiais de alto desempenho
  • Participação conjunta das áreas de negócios de Plásticos de Engenharia e Specialty Polymers amplia o portfolio de soluções à disposição do mercado
  • Empresa conclui investimento e amplia em 15% a produção de plásticos de engenharia no Brasil
  • Technyl® completa 60 anos de inovação

A Rhodia, empresa do grupo Solvay, com o objetivo de reforçar sua liderança no mercado de compostos de poliamidas 6 e 6.6 e de polímeros especiais, está fazendo o lançamento de inovações para atender necessidades de diversos segmentos de aplicações desses produtos.

Essas novidades criadas pelas áreas globais de negócios Plásticos de Engenharia e Specialty Polymers, que serão apresentadas na Feiplastic 2013 – Feira Internacional do Plástico (de 20 a 24 de maio, em São Paulo, Brasil), ampliam a oferta de produtos e tecnologias do grupo Solvay com foco em sustentabilidade à disposição da indústria do setor.

Lançamento de novidades – Na área de plásticos de engenharia, a principal novidade da empresa é o Technyl® ECO, uma aplicação criada no Brasil para o plástico de engenharia a partir de poliamida 6.6 reciclada, que é obtida por meio de um processo exclusivo de reciclagem química produzido pela Rhodia com o aproveitamento de resíduos de fios têxteis e industriais de poliamida.

Esse processo garante excelentes propriedades mecânicas e manutenção das propriedades térmicas ao Technyl® ECO, fazendo com que ele possa ser utilizados em peças com alta exigência em performance, além de permitir uma redução significativa de CO2 equivalente. De acordo com análises de produto em aplicação industrial, o uso dessa poliamida reciclada permite a redução de 70% da emissão de CO2 equivalente e de 76% do consumo de energia, quando comparado ao composto virgem. Outro aspecto importante dos compostos Technyl® ECO é a qualidade assegurada Rhodia.

Rhodia_Entrada_de_arDestinadas inicialmente ao segmento automotivo, as poliamidas Technyl® ECO podem ser aplicadas na produção de diversas autopeças. A primeira autopeça a partir dessa poliamida reciclada, um coletor de admissão de ar para motor de automóvel, foi desenvolvida pela Rhodia e a Magneti Marelli, líder no desenvolvimento e produção de sistemas e componentes de alta tecnologia para veículos.

O coletor de admissão de ar é responsável por levar ar ao motor do veículo, além de dar suporte à galeria e ao corpo de borboleta. Trata-se de uma peça com alta exigência técnica de performance para a qual o Technyl® ECO já está homologado.

Investimentos em inovações sustentáveis – “Nosso planejamento estratégico, para reforçar nossa posição de liderança em plásticos de engenharia a partir de poliamida 6 e 6.6, contempla o desenvolvimento permanente de inovações que valorizam a sustentabilidade em todos seus aspectos e estão em linha com as grande tendências da sociedade atual”, afirma Marcos Curti, diretor para as Américas da área global de negócios Plásticos de Engenharia do grupo Solvay.

A empresa concluiu recentemente a instalação de uma extrusora mega compounder, um investimento que aumentou em 15% a capacidade da unidade industrial em São Bernardo do Campo, para atender os mercados da América Latina. Os plásticos de engenharia a partir de poliamidas 6 e 6.6 da Rhodia são empregados principalmente na produção de peças para a indústria automotiva, de eletroeletrônicos e bens industriais e de consumo.

“Abastecemos as necessidades dos clientes e trabalhamos em conjunto com eles para a criação de novas aplicações, que atendem tanto ao mercado interno quanto aos mercados internacionais”, acrescenta Curti, lembrando, como exemplo, os produtos anti-chama livres de halogênio, produzidos a partir de plásticos de engenharia da Rhodia.

Technyl, 60 anos de inovação – Durante a Feiplastic 2013, sob o slogan “60 anos de inovação”, a Rhodia inicia a comemoração da existência da marca Technyl, que se tornou reconhecida internacionalmente como uma das mais importantes linhas de produtos e tecnologia em plásticos de engenharia ou plásticos técnicos, cujas aplicações têm contribuído para o crescimento de diversos mercados industriais.

Polímeros Especiais – Um dos destaques do grupo Solvay no evento serão os Specialty Polymers, área global de negócios em que a empresa dispõe de um vasto portfólio de produtos e aplicações destinados a diversos mercados de atuação. “Estamos prontos para acompanhar todo o crescimento tecnológico que se dará no Brasil nos próximos anos, tanto pelos produtos que oferecemos quanto pela qualificação de nossos profissionais”, diz Alexandre Guimarães, gerente de Vendas e Marketing da área global de negócios Specialty Polymers para a América do Sul.

Essa área de negócios do grupo Solvay apresenta durante o evento uma série de novidades. Por exemplo, no segmento de produtos para a área de Saúde, no qual é cada vez maior o uso de polímeros especiais da empresa, em substituição ao metal, vidro e outros materiais, uma das inovações é o triângulo Bender, um dispositivo de apoio e posicionamento para cirurgia ortopédica totalmente ajustável, desenvolvido pela empresa norte-americana Tri-Medics, LLC, um dos principais fabricantes de dispositivos médicos e de instrumentação.

Rhodia_TrianguloPesando apenas quatro quilos, o triângulo é feito de Polifenilsulfona (PPSU) e oferece aos cirurgiões uma solução simples e fácil de usar, pois é ajustável, autoclavável e radiotransparente na utilização de raios-x. É uma alternativa altamente eficaz para substituir o suporte feito de espuma de borracha e metal, que é mais caro e mais complicado para manipulação.

No segmento industrial, a novidade da Solvay é um novo grade da linha Halar®, polímero de alta performance voltado para o revestimentos de superfícies, visando a prevenção contra agentes corrosivos. Qualquer indústria que maneje de alguma forma produtos químicos encontra nesses polímeros de revestimento uma solução tão ou mais eficaz, com melhor custo/benefício do que as soluções oferecidas por metais, como aço inox e outras ligas especiais.

O novo grade é destinado a aplicações em pintura eletrostática, muito comum para tubulações e peças de pequena geometria, mas que possui certa limitação de espessura de camada. Os polímeros da Solvay para revestimento anticorrosivo também possuem  aplicações no setor de Oil&Gas.

Para o segmento automotivo, a empresa oferece polímeros utilizados na produção de peças automotivas para ambientes agressivos, inclusive as que são imersas em biodiesel. Os polímeros especiais da Solvay são utilizados na produção de autopeças, tais como bombas de água e peças do sistema de arrefecimento, arruelas de encosto e mancais para transmissão e conectores elétricos para solda utilizando tecnologia “Reflow”.

A empresa apresenta peças com polímeros especiais para torneiras, conexões e válvulas de água quente, feitas para substituir o latão. Há também o primeiro material cromável/metalizável com função estrutural, trata-se de um dos materiais com a maior resistência mecânica do mercado, atendendo a requisitos estéticos.

Diversos novos grades atendem a aplicações de desgaste por abrasão e temperaturas ainda mais elevadas na automotiva. Grades de novos de materiais como a Poliftalamida (PPA) Amodel® atendem a validações de sistemas de turbocompressores automotivos em 220ºC por milhares de horas. O PPA Amodel ® hoje pode atender à substituição de metais em hidrômetros ou relógios de água.

Para o segmento de construção, peças podem ser produzidas com compostos de polietileno reticulado (XL Compounds) para aplicações em fios e cabos, tubos, válvulas e conexões. Um dos destaques nesse segmento são os polímeros especiais para a produção de compostos isentos de halogênios para a produção de cabos elétricos. Esse tipo de cabo está ganhando cada vez mais espaço em ambientes de alta densidade de ocupação, bem como difíceis condições de fuga. O consumo de cabos livre de halogênios ainda é pequeno, mas as novas construções principalmente do estádios de futebol para a Copa do Mundo de 2014 estão alimentando esse mercado e estima-se um crescimento de 50% em cinco anos.

Sobre a Unidade Global de Negócios de Plásticos de Engenharia: A unidade global de negócios Plásticos de Engenharia, especialista em plásticos de engenharia a partir de poliamida 6 e 6.6, desenvolve, fabrica e comercializa nos últimos 60 anos, sob a marca Technyl®, uma linha completa de plásticos de alto desempenho para os mercados automotivo, de construção, elétrica e bens de consumo. Com uma estratégia de crescimento sustentada por seis unidades de produção em todo o mundo, a GBU Plásticos de Engenharia emprega sua expertise e capacidade de inovação, a fim de atender mais de perto às necessidades dos seus clientes, através de uma rede global de centros técnicos e de Pesquisa e Desenvolvimento.

Sobre a Unidade Global de Negócios de Specialty Polymers:  Com mais de 2.700 pessoas em todo o mundo, a empresa atende clientes a partir de seus 15 centros de fabricação e 11 centros de Pesquisa, Desenvolvimento e Tecnologia. Com sede em Bollate, na Itália, a GBU fornece mais de 1.500 produtos em 35 marcas de polímeros de alto desempenho – fluoropolímeros, fluorelastômeros, fluídos fluorados, poliamidas semiaromáticas, polímeros de sulfona ultrapolímeros aromáticos, polímeros de alta barreira e compostos reticuláveis de alto desempenho – para uso em mercados de alto crescimento, como transporte avançado, saúde, água, energia, e dispositivos inteligentes.

Fonte: Rhodia

Curta nossa página no

Anúncios

Solvay mostra inovações em plásticos de engenharia e polímeros especiais na Plastimagen 2013

11/03/2013
  • Produtos atendem a mercados em crescimento na região, com destaque para os setores automotivo e de transportes, energia, saúde e água
  • Empresa lança poliamida 6.10 derivada em parte de óleo de mamona, de fonte renovável, para produção de autopeças
  • Technyl®, marca reconhecida internacionalmente na área de plásticos de engenharia de alto desempenho, agora integra o portfólio da Solvay

Para reforçar sua presença no mercado mexicano e da América Latina, as unidades globais de negócios de Plásticos de Engenharia e Polímeros Especiais do Grupo Solvay participam conjuntamente pela primeira vez da Plastimagen 2013 (de 12 a 15 de março, no Centro Banamex, na Cidade do México), a principal exposição de produtos e tecnologias em plásticos e polímeros da região.

“Nosso objetivo é o de contribuir para o desenvolvimento dos mercados da região, oferecendo uma ampla gama de tecnologias, processos e produtos em plásticos de engenharia e polímeros especiais, segmentos em que o grupo é um dos líderes mundiais”, afirma Suzana Kupidlowski, Gerente de Marketing de Plásticos de Engenharia do grupo Solvay.

Com a reorganização das suas áreas de negócios, depois de consolidada a integração do grupo Rhodia, adquirido em setembro de 2011, a Solvay ampliou seu portfólio de plásticos de engenharia, incorporando a marca Technyl, internacionalmente reconhecida por uma série de tecnologias e produtos inovadores de base poliamida, utilizados na produção de peças para os setores automotivo, elétrico, bens industriais e de consumo.

Inovação sustentável – Entre as novidades para apresentação na Plastimagen 2013 está o Technyl® eXten — uma poliamida 6.10 derivada em parte de óleo de mamona, de fonte renovável. O novo produto, que reduz o impacto ambiental no processo de produção, pode ser utilizado na confecção de tubulações para combustíveis, servo freio e dutos de óleo para veículos leves e pesados. A novidade já foi homologada em diversos clientes finais das duas empresas, substituindo com vantagens aplicações que atualmente usam PA12, de origem totalmente petroquímica.

“Em comparação com outros plásticos de engenharia de poliamida de alto desempenho, a nova aplicação de Technyl® eXten oferece aos clientes vantagens técnicas e econômicas, além de contribuir para a redução das emissões de CO2”, explica Suzana Kupidlowski.

Technyl® eXten é uma poliamida parcialmente de origem vegetal. Medições realizadas de acordo com o método de teste padrão confirmaram que 62,5% do seu carbono são de origem renovável. Este material, além de reduzir a pegada de carbono, ajuda na redução de uso de recursos não renováveis​​, quando em comparação com outras poliamidas de origem integral da cadeia petroquímica.

Polímeros especiais – Igualmente em destaque na Plastimagen estarão os polímeros especiais da Solvay, uma gama de produtos de alto desempenho utilizados em mercados de forte crescimento no mundo, tais como transportes, saúde, água, energia e dispositivos inteligentes.

A unidade de negócios Solvay Specialty Polymers fornece uma ampla gama  de plásticos de alta performance, que inclui polímeros fluorados, polímeros de ultra-desempenho, poliamidas de alto desempenho, polímeros sulfonados, polímeros de alta barreira e compostos reticuláveis de alto desempenho. Esses materiais são amplamente utilizados na indústria aeroespacial e automotiva para fornecer soluções de alto desempenho para substituição de metal que reduzem o peso, têm menor custo e melhoram o desempenho. Resinas de fluorpolímero são utilizadas em uma vasta gama de fios e cabos. Pós de PTFE micronizado são utilizados como aditivos em uma ampla gama de materiais, tais como resinas termoplásticas, revestimentos e tintas, tintas de impressão, elastômeros e lubrificantes.

A unidade global de negócios Specialty Polymers, com sede na Itália, 15 unidades de produção e 11 centros de P&D no mundo, fornece mais de 1.500 produtos em 35 marcas.

Fonte: Solvay

Curta nossa página no

Rhodia aumenta em 20% a produção de filamentos de poliamida no Brasil

08/01/2013

 A Rhodia, empresa do grupo Solvay, ampliará em 20% a produção de filamentos de poliamida 6.6 para aplicações têxteis e industriais. O aumento da produção, que deverá ocorrer em etapas até o final  de 2013, inclui a utilização de máquinas e equipamentos de última geração instalados na unidade industrial da empresa Tork (ex-Ledervin) em Osasco (SP), conforme acordo assinado entre as duas empresas.

 O incremento da produção é uma resposta às necessidades do mercado brasileiro de filamentos de poliamida 6.6, em especial em fios têxteis texturizados e fios industriaisde alta tenacidade. Esses produtos são empregados em segmentos nos quais se projeta crescimento importante para os próximos anos.

Por exemplo, os fios industriais de alta tenacidade entram na fabricação de  tecidos de airbags, um item de segurança que será obrigatório nos veículos novos produzidos no Brasil a partir de 2014, em fios para pneus, correias transportadoras e linhas de costura industrial para calçados e estofados, entre outros, nos quais a principal exigência é a capacidade de resistência oferecida pela poliamida 6.6.

Já os fios têxteis texturizados da Rhodia são utilizados na confecção de roupas para os segmentos de moda/fashion, lingerie e moda íntima, esportivo, meias e uniformes, que valorizam a inovação, a tecnologia, a qualidade e o design diferenciado.

“Nossa intenção com esse projeto é contribuir para o crescimento da indústria nacional na área de poliamida 6.6, que enfrenta atualmente um ambiente de negócios extremamente competitivo”, afirma informa Francisco Ferraroli, presidente da Rhodia Fibras, unidade global de negócios do grupo Solvay dirigida a partir do Brasil.

Segundo Ferraroli, a empresa tem investido permanentemente na expansão dos mercados de filamentos de poliamida 6.6. “Recentemente, no final de 2011, concluímos outro investimento da ordem de 10 milhões de dólares no aumento de produção de fios inteligentes, microfibras e supermicrofibras para os diferentes segmentos têxteis que atendemos”, disse.

Fonte: Rhodia

Curta nossa página no

Rhodia apresenta soluções sustentáveis em plásticos de engenharia na Colombiaplast 2012

01/10/2012

A Rhodia, empresa do grupo Solvay, disposta a reforçar sua presença no mercado latino-americano de plásticos de engenharia e polímeros de alto desempenho, participa pela terceira vez consecutiva da Colombiaplast 2012 apresentando uma série de soluções alinhadas às necessidades do mercado. O evento, o maior do setor na região do Merconorte, ocorre de 01 a 05 de outubro no centro de exposições de Bogotá, na Colômbia.

O foco da Rhodia Plásticos de Engenharia está na oferta de tecnologias e produtos para produção de peças que atendam aos três principais eixos de crescimento do setor: redução de peso, reciclabilidade e sustentabilidade (redução de CO2). “Temos todas as condições de suprir a demanda dos clientes por soluções que agregam valor à cadeia produtiva do setor e os ajudem a crescer nesse mercado”, afirma Neville Camargo, gerente comercial da Rhodia Plásticos de Engenharia Américas.

Na área de plásticos de engenharia, os destaques do evento serão o TechnylStar A 205 Natural S, que oferece maior produtividade e redução de custos com energia,, o TechnylStar AFX, para substituição de metais, a linha de produtos FR – Fire Resistant, que são soluções para o segmento de distribuição de energia, e o novíssimo Technyl Eco, produto de fonte renovável. Na área de especialidades plásticas, a empresa disponibilizará informações sobre os polímeros de alto desempenho da Solvay Specialty Polymers, que são empregados em diversos segmentos de mercado.

Os plásticos de engenharia e polímeros em poliamida da Rhodia são empregados principalmente na produção de peças para os segmentos automotivo/transportes, eletroeletrônicos e construção e bens industriais de consumo. A empresa, uma das líderes mundiais desse setor, possui unidades produtivas e laboratórios de desenvolvimento de aplicações em quatro continentes. Na América do Sul, a unidade produtiva e o laboratório de desenvolvimento de aplicações estão instalados em São Bernardo Campo, no Brasil.

Apresentação especial – A participação da Rhodia na Colombiaplast também prevê a apresentação especial Um Mundo de Soluções em Plásticos de Engenharia, durante painel técnico do evento, no dia 03/10, às 15h00, a cargo de Neville Camargo e Alexandre Morbeck, especialistas em plásticos de engenharia e polímeros.

Fonte: Rhodia

Curta nossa página no

Rhodia, Valeo e PSA Peugeot Citroen confirmam benefícios ambientais de resina de poliamida reciclada para autopeças

06/08/2012

Uma Análise do Ciclo de Vida (ACV) conduzida pela Rhodia (empresa do grupo Solvay), Valeo e PSA Peugeot Citroën confirmou os benefícios ambientais obtidos com o uso de poliamida reciclada em aplicações automotivas. As três empresas realizaram uma análise multi-critérios de todo o ciclo de vida do conjunto de hélice e defletor do radiador, um componente importante da refrigeração do motor do novo Peugeot 208, que está sendo lançado mundialmente em 2012 pela PSA. A Valeo fabrica esta autopeça a partir da poliamida Technyl® reciclada da Rhodia Plásticos de Engenharia.

O estudo, que foi revisado por uma consultoria independente (BIO Intelligence Service), comparou o impacto ambiental no uso de poliamida Technyl® reciclada em relação ao Technyl® produzido com resina virgem, tendo em conta toda a cadeia de valor e destacando os sete principais critérios ambientais: mudança climática, esgotamento de recursos não-renováveis​​, o impacto sobre a redução da camada de ozônio, acidificação, eutrofização, o consumo de energia primária e oxidação fotoquímica.

Os resultados mostram que utilizando-se a poliamida Technyl® reciclada o impacto ambiental do componente é significativamente reduzido ao longo de todo o seu ciclo de vida. No geral, para os sete critérios utilizados, o benefício varia de -9% para -28%. Além disso, os resultados das análises indicam que todo o benefício ambiental é obtido na fase de produção da Rhodia Plásticos de Engenharia, na qual se fabrica a poliamida reciclada.

A poliamida não sofre nenhum tipo de alteração durante o processo de injeção, nem durante a instalação ou utilização do componente, uma vez que o desempenho mecânico da poliamida Technyl® reciclada permite produzir componentes do conjunto de hélice e defletor do radiador com uma concepção, peso e vida util idênticos aos obtidos com Technyl® produzido com resina virgem.

“A colaboração com parceiros como a Rhodia e a Valeo, ambos comprometidos com o desenvolvimento sustentável, representa uma vantagem real no cumprimento dos limites legais em matéria de emissões de CO2 e na redução ainda maior do impacto ambiental dos automóveis”, diz Louis David, diretor adjunto da Pintura, Materiais e Processos da PSA Peugeot Citroën. “Esses resultados tão significativos confirmam a importância de escolher bem os materiais reciclados de alto desempenho técnico para um carro de melhor concepção ecológica”.

O benefício é medido pela escala de produção em massa de automóveis. Por exemplo, o uso de Technyl® reciclado da Rhodia na produção anual estimada do conjunto de hélice e defletor do radiador para o Peugeot 208 evita a geração de um volume de gás de efeito estufa equivalente ao produzido por 400 mil veículos em movimento em torno do anel viário de Paris ou à oxidação fotoquímica (responsável por picos de ozonio) causada pela circulação de 2,2 milhões de veículos na mesma via.

Em média, um veículo é constituído de 20% de polímeros, dos quais de 150 a250 kg são plásticos de diferentes tipos. A iniciativa de colaboração entre a Rhodia, Valeo e PSA Peugeot Citroën tem o potencial de confirmar cientificamente o aumento do uso de plásticos reciclados para responder aos desafios ambientais enfrentados pela indústria automotiva mundial.

Fonte: Rhodia

Curta nossa página no

Rhodia abre 100 vagas para estágios em 2013

26/07/2012

A Rhodia, empresa do grupo Solvay, abriu as inscrições para o processo seletivo para o seu programa de estágios em 2013. A empresa prevê oferecer 100 vagas para estudantes universitários que em 2013 estejam cursando o penúltimo ou o último ano da faculdade.

As oportunidades de estágio serão em áreas de Pesquisa e Desenvolvimento, Engenharia, Recursos Humanos, Comunicação, Marketing, Finanças, Jurídico, Informática, Secretariado e Suprimentos, entre outras. As vagas são destinadas às unidades industriais de Paulínia, Jacareí, Santo André e São Bernardo do Campo e nos escritórios centrais da empresa, em São Paulo.

Os estudantes devem ter conhecimentos de Inglês em nível intermediário e conhecimentos de informática como usuários. Os selecionados receberão uma bolsa-auxílio que varia de R$ 1.325,00 a R$ 1.505,00 mensais, dependendo do ano em que concluirão seus cursos, para 30 horas de estágio por semana. Há vagas também para estágio para estudantes de nível técnico, com bolsa equivalente a R$ 905,00 mensais.

O estágio será de seis (6) horas por dia e, dependendo da necessidade da área, a freqüência poderá variar entre três e cinco dias na semana. Além disso, a Rhodia oferece vale refeição ou restaurante, seguro de vida, assistência médica, assistência odontológica e auxílio-transporte ou fretado.

As inscrições estarão abertas até o dia 06 de setembro e devem ser feitas exclusivamente ou no site da Rhodia em www.rhodia.com.br ou através do link www.empreza.com.br/rhodia2013,

A Rhodia atua no Brasil desde 1919. É pioneira no Brasil na realização de programas de estágios, que trata como uma oportunidade diferenciada para o estudante adquirir mais conhecimentos relacionados à sua escolha profissional. Mais informações sobre o Programa de Estágios da Rhodia estão no site http://www.rhodia.com.br

Sobre a Rhodia

A Rhodia é uma companhia química internacional fortemente engajada no Desenvolvimento Sustentável. Desde setembro de 2011, a Rhodia pertence à Solvay. Estruturada em 11 unidades globais de negócios, a Rhodia é parceira dos maiores líderes mundiais das indústrias: automotiva, eletroeletrônica, aromas e fragrâncias, saúde, mercados de cuidados pessoais e domésticos, bens de consumo e mercados industriais. A Rhodia emprega 14 250 pessoas em todo o mundo e obteve faturamento de 6,171 bilhões de euros em 2011.

Sobre a Solvay

A SOLVAY é um grupo químico internacional fortemente engajado no desenvolvimento sustentável e claramente focado na inovação e na excelência operacional. Com a recente aquisição da empresa de química de especialidades Rhodia foi criado um grande grupo químico mundial, que realiza mais de 90% de suas vendas em mercados onde já ocupa posição de liderança. A Solvay oferece uma ampla gama de produtos em vários setores tais como bens de consumo, construção, automotivo, eletrônico, energia, água e meio ambiente. O Grupo, que tem sede em Bruxelas, emprega 29 mil pessoas em 55 países e obteve um faturamento de 12,7 bilhões de euros (pro forma) em 2011.

Fonte: Rhodia

Curta nossa página no

Rhodia e Dytech desenvolvem autopeça com plástico de engenharia de fonte renovável.

08/05/2012

Novidade já está sendo utilizada na confecção de tubulações para combustíveis, servo freio, embreagens e dutos de óleo para veículos leves e pesados.

Com o objetivo de ampliar a oferta de produtos sustentáveis para o setor automotivo e de transportes, a Rhodia, empresa do grupo Solvay, e a DYTECH, empresa do setor de autopeças, desenvolveram no Brasil um produto inovador a partir do plástico de engenharia Technyl® eXten — uma poliamida 6.10 derivada em parte de óleo de mamona, de fonte renovável.

O novo produto, que reduz o impacto ambiental tanto dos processos de produção quanto das aplicações finais, pode ser utilizado na confecção de tubulações para combustíveis, servo freio, embreagens e dutos de óleo para veículos leves e pesados. A novidade já foi homologada em diversos clientes finais das duas empresas, substituindo com vantagens aplicações que atualmente usam PA (poliamida) 12, de origem totalmente petroquímica.

“Em comparação com outros plásticos de engenharia de poliamida de alto desempenho, a nova aplicação de Technyl® eXten oferece aos clientes uma série de vantagens técnicas e de custo-benefício, além dos ganhos ambientais, com a redução das emissões de CO2”, afirma Marcos Curti, diretor da Rhodia Plásticos de Engenharia e Polímeros para as Américas.

Technyl® eXten é uma poliamida parcialmente de origem biológica. Medições revelaram que 62,5% do seu carbono são de origem natural. Esta fonte biológica, além de reduzir a pegada de carbono, ajuda na redução de uso de recursos não renováveis, quando em comparação com outras poliamidas de origem totalmente da cadeia petroquímica. “A aplicação do nosso material na produção de autopeças nesse segmento de alto volume de produção, como os tubos e dutos para veículos leves e pesados, ajudará na redução de milhares de toneladas de emissões de CO2 por ano”, acrescenta Curti

Os plásticos de engenharia e polímeros em poliamida da Rhodia são empregados principalmente na produção de peças para os segmentos automotivo e de transportes, eletroeletrônicos e construção e bens industriais de consumo. A empresa, uma das líderes mundiais desse setor, possui unidades produtivas e laboratórios de desenvolvimento de aplicações em quatro continentes. No Brasil, a fábrica e o laboratório estão instalados em São Bernardo Campo (SP).

Segundo Giorgio Fabbroni, vice-presidente da DYTECH do Brasil, o desenvolvimento dessa nova aplicação de plástico de engenharia de origem renovável amplia a oferta de soluções em linha com as necessidades da indústria automotiva por produtos sustentáveis. A indústria de veículos pesados no Brasil — observa — vive um momento particularmente especial, com a entrada em vigor do Programa de Controle da Poluição do Ar por Veículos Automotores (Proconve 7).

“Os caminhões têm cada vez mais demandas de carga e as montadoras precisam reduzir o peso do veículo, sem perder eficiência e adequar-se à legislação ambiental, reduzindo as emissões. Estamos engajados juntos com a Rhodia em oferecer aos clientes soluções tais como o Technyl® eXten que combina todos os aspectos da sustentabilidade”, afirma Fabbroni.

Sobre a Rhodia / Solvay

A Rhodia, uma empresa do grupo Solvay, é estruturada em 11 unidades globais de negócios e atua em conjunto com os maiores líderes mundiais das indústrias  automotiva, eletroeletrônica, aromas e fragrâncias, saúde, mercados de cuidados pessoais e domésticos, bens de consumo e mercados industriais. A Rhodia emprega 14 250 pessoas em todo o mundo e obteve faturamento de 6,171 bilhões de euros em 2011.  O Grupo Solvay, que tem sede em Bruxelas, emprega 29 mil pessoas em 55 países e obteve um faturamento de 12,7 bilhões de euros (pro forma) em 2011.

Sobre a Dytech – Dynamic Fluid Technologies

Com um volume de negócios de 255 milhões de euros e cerca de 3.300 empregados em 9 países,  a DYTECH projeta, desenvolve e fabrica uma ampla gama de sistemas, subsistemas e componentes para motores e plataformas de aplicação.

Fonte: Rhodia

   Curta nossa página

Rhodia mostra inovações sustentáveis para borracha na ExpoCaucho 2011

09/11/2011

 Destaques são as sílicas de alto desempenho para aplicação em pneus “verdes” e artefatos técnicos de borracha

 A Rhodia, uma empresa do grupo Solvay, apresenta na ExpoCaucho 2011, exposição paralela às XI Jornadas Latinoamericanas e IX Iberoamericanas de Tecnología del Caucho, em Medellín, Colômbia, todo o seu portfólio de sílicas para aplicações em vários segmentos do mercado de borracha, com atenção especial para os chamados pneus “verdes” e os artefatos técnicos.

Os destaques são as sílicas de alto desempenho, na linha de produtos sustentáveis, que substituem outras matérias-primas de origem petroquímica. As sílicas da Rhodia são aplicadas em mercados-chave como os de pneus “verdes” e os de artefatos técnicos de borracha, contribuindo para melhorar a produtividade dos clientes, ao mesmo tempo em que ajudam a reduzir o consumo de energia e de combustíveis, com conseqüente redução de emissões de CO2 na atmosfera.

No mercado de pneus, as sílicas de alto desempenho (HDS, na sigla em inglês) aplicadas na banda de rodagem melhoram em 25% o rolamento do pneu no solo, mantendo-se a estabilidade e segurança do veículo, resultando em diminuição de 5% a 7% do consumo de combustível e, na mesma proporção, das emissões na atmosfera. Inventadas pela Rhodia, essas sílicas já ocupam posição de liderança no mercado de pneus na Europa e na Ásia e a tendência é de crescimento na América Latina, principalmente pelo aumento da consciência do consumidor em relação aos produtos sustentáveis.

A Rhodia está engajada no esforço de toda a cadeia produtiva no processo de etiquetagem de pneus, o que permitirá ao consumidor escolher o produto levando em conta diferentes níveis resistência ao rolamento, o que se traduz na redução do consumo de combustível, e de aderência em piso molhado. Esse movimento, que começa a crescer na América Latina, já é realidade na Comunidade Européia, onde, a partir de 2012, os pneus somente poderão ser comercializados com essa etiqueta classificatória.

“Com as nossas sílicas, temos participado do desenvolvimento de vários produtos inovadores, como pneus de baixo consumo de energia, usados pelos principais fabricantes para reduzir o consumo de combustível e os níveis de emissão de CO2 dos veículos”, diz Luis Fernando Maida, diretor para a América Latina da GBU (Global Business Unit) Sílica da Rhodia.

Tanto para o mercado de pneus “verdes” quanto para o de artefatos técnicos, entre os principais produtos da Rhodia estão as sílicas da família Zeosil MP, em forma de microperólas exclusivamente fabricadas pela Rhodia , cujas propriedades e características técnicas incluem a enorme facilidade de dispersão, sem fazer poeira nos ambientes de produção, e a possibilidade de aumento de produtividade.

Suas aplicações, além das tradicionais borrachas de SBR e de polibutadieno, estendem-se à fabricação de ampla gama de artefatos com emprego no setor automotivo, como correias de transmissão para motores, mangueiras de fluidos confeccionadas com borrachas nitrílicas, mangueiras de ar de SBR, perfis de EPDM, anéis de vedação de SBR. Ainda em outros segmentos do mercado de borracha, as sílicas Rhodia proporcionam especial desempenho quando aplicadas em correias transportadores, roletes para descascar arroz e revestimentos de cilindros para impressão.

O portfólio de sílicas da Rhodia inclui outras sílicas da família Zeosil, como a 185GR e a 125GR. A Zeosil 185GR oferece desempenho e translucidez para aplicações de reforço em borrachas. Trata-se de sílica granulada, desenvolvida nos laboratórios da Rhodia no Brasil, e que tem conquistado especialmente o mercado de solados para calçados esportivos. A 125GR, também desenvolvida localmente, pode substituir com vantagens tecnológicas e econômicas outros insumos derivados do petróleo, como o negro de fumo, que são utilizados na produção de peças técnicas de borracha, como cabos, mangueiras e perfis de borracha.

Serviço: Rhodia na ExpoCaucho 2011 – de 07 a 11 de novembro de 2011

Hotel Intercontinental – Medellín – Colômbia

Fonte: Rhodia

Rhodia mostra inovações em plásticos de engenharia na Plastimagem, no México

05/10/2011
  • Novidades atendem aos mercados automotivo, eletroeletrônico e bens industriais de consumo
  • Destaques são Technylstar® A205F, nova tecnologia desenvolvida no Brasil que ajudará os clientes a obter maior economia de energia e uma nova gama de Technyl® livre de halogênio, para a indústria fotovoltaica.

 A Rhodia, uma empresa do grupo Solvay, disposta a reforçar sua participação no fornecimento de plásticos de engenharia em poliamida 6.6 para o mercado mexicano, apresentará na Plastimagem 2011 (de 04 a 07 de outubro, no Centro Banamex, na Cidade do México) uma série de inovações desenvolvidas em seus centros de pesquisas e junto com seus clientes. Essas inovações atendem os clientes do setores automotivo, de eletroeletrônicos e de bens de consumo e bens industriais.

 “Nossa intenção é reforçar nossas parcerias com os clientes locais, ajudando a expandir o setor de plásticos de engenharia, oferecendo as soluções que desenvolvemos em nossos laboratórios e centros de pesquisas mundiais”, afirma Marcos Curti, diretor da Rhodia Plásticos de Engenharia para as Américas.

 Mercado em expansão – Segundo ele, o mercado mexicano será beneficiado com a recente decisão da empresa de unificar as operações de plásticos de engenharia na América Latina e América do Norte. “Além da base industrial instalada no Brasil e dos acordos de industrialização nos EUA, vamos explorar toda a estrutura disponível na região em Pesquisa e Desenvolvimento, Sérviço Técnico e Marketing, para cada vez mais valorizar os nossos clientes em toda essa zona geográfica”, acrescenta Marcos Curti.

Um dos alvos da Rhodia Plásticos de Engenharia é o segmento de peças para o setor automotivo, que passa por um período de expansão no México. Segundo a Amia, Associação Mexicana da Indústria Automotiva, a produção de automóveis continua em alta: de janeiro a agosto de 2011 foram fabricados 1,68 milhões de automóveis, com um crescimento de 14,8% sobre o mesmo período em 2010. “Cada vez mais os veículos incorporam peças e partes fabricadas em plásticos de engenharia de poliamida”, diz Curti.

As ambições de crescimento da Rhodia no segmento de plásticos de engenharia são solidamente baseadas na inovação sustentável e na presença em mercados com crescimento rápido e lucrativo. A Unidade Global de Negócios de Plásticos de Engenharia tem forte presença no mercado mundial e está particularmente bem posicionada em regiões de rápido crescimento: cerca de 38% de suas vendas estão na Ásia, e 18% estão na América Latina.

Um Mundo de Soluções com os plásticos de engenharia da Rhodia

Sob o slogan “Um Mundo de Soluções”, a empresa apresenta uma série de novidades em tecnologia e produtos na área de plásticos de engenharia. As novidades selecionadas para apresentação na Plastimagem 2011 incluem:

— uma nova geração de Technyl®Star, denominada A205F, que ajudará os clientes a obter maior produtividade, além de redução significativa dos custos com energia em seus processos de produção.

— uma nova gama de Technyl®, livres de halogênio, para a indústria fotovoltaica;

TechnylStar A205F – Entre as recentes inovações desenvolvidas pela empresa e que começam a ganhar espaço em clientes mundiais da Rhodia está o TechnylStar A205F, uma nova tecnologia para formulações de plásticos de engenharia em poliamida. A inovação foi projetada especificamente para aplicações de produção em massa que necessitam de ciclos de injeção curtos e moldes complexos. É particularmente adequada para peças pequenas produzidas em grandes volumes, incluindo abraçadeiras, grampos, conectores, tomadas e válvulas técnicas utilizadas pelas indústrias dos segmentos automobilístico, de eletroeletrônicos e de bens industriais e bens de consumo.

Em comparação com as poliamidas tradicionais disponíveis no mercado, o uso de TechnylStar A205F proporciona, em condições ideais de processamento, economia significativa de energia através da redução de temperatura de processamento, proporcionando uma redução de até 20% do consumo global de energia. Além disso, a fluidez inigualável desse produto aumenta a produtividade de moldagem de injeção em até 15% e garante alta liberdade de design, mantendo todas as propriedades mecânicas essenciais para a aplicação.

“Esta nova geração de TechnylStar ilustra perfeitamente a capacidade da Rhodia de desenvolver inovações que preservam os recursos não-renováveis”, afirma Marcos Curti, lembrando que a ampliação da tecnologia foi desenvolvida por equipes da empresa no Brasil, proporcionando um perfeito exemplo do valor agregado trazido pela presença global da empresa. “Não tenho dúvida de que esta nova gama será uma referência de mercado, permitindo a nossos clientes em todo o mundo dar um passo importante em direção ao consumo reduzido de energia e aumento da produtividade”, acrescenta Curti.

Poliamidas Ignífugas – Durante a Plastimagem 2011, outro destaque da Rhodia é a nova linha livre de halogênio das poliamidas ignífugas Technyl® para uso nas mais exigentes aplicações fotovoltaicas de componentes. Esses componentes fotovoltaicos têm de ter um desempenho consistente em seu mais alto nível, atendendo uma ampla gama de temperaturas e condições meteorológicas. Esses produtos também têm que cumprir normas de segurança extremamente rigorosas no mundo inteiro.

A nova linha ignífuga de Technyl® lançada pela Rhodia oferece uma solução que satisfaz plenamente as exigências técnicas, de processamento, regulamentares e de custo-desempenho necessárias para a fabricação de componentes fotovoltaicos. “As poliamidas ignífugas Technyl® permitem às empresas produzir componentes fotovoltaicos em uma nova escala industrial”, explica o diretor da Rhodia Plásticos de Engenharia nas Américas.

As versões ignífugas da Technyl® atendem aos requisitos das normas UL5VA, UL94 V-0, e também com as certificações atmosféricas altamente rigorosas da ULF1. A linha Technyl A 60G1 V25, projetada especificamente para caixas de junção, foi avaliada com os conceitos 5VA e ULF1 pelos Underwriters Laboratories. Este produto livre de halogênio também recebeu conceito na UL94 V-0 como o melhor na classe RTI, desempenho de envelhecimento elétrico e mecânico. A Technyl 50H1 tem propriedades de inflamabilidade semelhantes, ao mesmo tempo em que exibe um comportamento de processamento excelente, comprovando ser a solução ideal para aplicações em conexões fotovoltaicas de paredes finas.

Usar a energia do sol para gerar eletricidade limpa está rapidamente se tornando uma realidade comercial viável com a melhoria contínua da tecnologia fotovoltaica. A nova linha fotovoltaica ignífuga da Technyl® contribui para a preservação dos recursos não-renováveis, mais uma vez demonstrando o compromisso da Rhodia com a inovação sustentável.

A Rhodia, uma empresa do grupo Solvay, é uma companhia química internacional fortemente engajada no Desenvolvimento Sustentável. Líder em seus negócios, a empresa coloca a busca da excelência operacional e sua capacidade de inovação a serviço do desempenho dos seus clientes. Estruturada em 11 unidades globais de negócios, a Rhodia é parceira dos maiores líderes mundiais das indústrias: automotiva, eletroeletrônica, aromas e fragrâncias, saúde, mercados de cuidados pessoais e domésticos, bens de consumo e mercados industriais. A Rhodia emprega 14 000 pessoas em todo o mundo e obteve faturamento de 5,23 bilhões de euros em 2010.

Fonte: Rhodia

Inovação em poliamida da Rhodia garante investimentos em expansão de fábrica.

21/06/2011

A Rhodia apresenta na  Conferência  Anual da Anpei (Associação Nacional de Pesquisa e Desenvolvimento das Empresas Inovadoras), de 20 a 22 de junho, em Fortaleza, no Ceará, o processo de inovação dual na cadeia de plásticos de engenharia no Brasil  na origem do Technylstar  A 205 F, um sucesso de mercado tanto no Brasil quanto no Exterior, meses após seu lançamento comercial.

 Esse reconhecimento do mercado foi essencial para garantir investimentos  adicionais de R$ 5,3 milhões para a expansão da produção de plásticos de engenharia da Rhodia, em sua fábrica de São Bernardo do Campo (SP).

 A mais recente inovação da Rhodia  cria uma  nova plataforma tecnológica em plásticos de engenharia, destinada aos mercados automotivo, eletroeletrônicos  e de bens de consumo, para a produção de braçadeiras, tomadas, interruptores,  máscaras de farol, clips e válvulas especiais, entre outras peças de geometria complexa. Nesses mercados, o principal atributo a ser assegurado é a elevada resistência mecânica dessas peças, ao mesmo tempo em que a capacidade do material de preencher os moldes de maneira completa e homogênea é essencial .

O novo produto – Technylstar  A 205 F – tem como base uma formulação especial de poliamida lubrificada e estabilizada, com altíssima fluidez e desempenho nos equipamentos dos clientes.  Essa combinação única de estabilidade  nas propriedades e maior facilidade no preenchimento de moldes/peças   complexos proporciona  ao mesmo tempo maior liberdade de design das peças e redução de custos na cadeia, com aumento significativo de produtividade nos processos de injeção, além de redução de consumo energético e emissões carbônicas.

 Com a adoção do Technylstar  A 205 F,  a economia de energia anual  de uma empresa que possua 40 injetoras – tamanho médio de empresas transformadoras de plásticos – seria suficiente para, por exemplo, iluminar 657.600 lâmpadas de 100 watts ou energizar 8.220 chuveiros elétricos.

 Segundo Thomas Canova,  Diretor de Pesquisas e Desenvolvimento da Rhodia Plásticos de Engenharia América Latina,  o caráter dual dessa inovação possibilita ganhos na cadeia produtiva em qualquer cenário econômico. “Em épocas de retração de mercado,  nossos clientes podem reduzir as temperaturas de trabalho, com consequente redução no consumo de energia.  Em épocas de forte aquecimento do mercado, as temperaturas de trabalho  podem ser ajustadas de maneira a aumentar a produtividade sem investimentos físicos adicionais em injetoras . Nos dois casos, a competitividade da cadeia é reforçada ”, assinala.

 Inovação envolveu fornecedores e clientes – O projeto de Pesquisa e Desenvolvimento teve duração de três anos , sendo coordenado pelo centro de desenvolvimento de plásticos de engenharia e polímeros da empresa em São Bernardo do Campo, no ABC paulista. O projeto contou ainda com o suporte de equipes européias e asiáticas, além do apoio dos centros de P&D da Rhodia em Paulínia, no interior de São Paulo, e em Lyon, na França .

 De acordo com Canova, programas  específicos de caracterização  e validação foram conduzidos em rede , com parceiros  acadêmicos. Contou-se ainda com a integração da cadeia produtiva um ano antes do lançamento do produto, por meio de parcerias de desenvolvimento com clientes  importantes  do setor, para avaliação e ajustes da tecnologia. Outro ponto essencial para o sucesso da inovação foi o envolvimento do elo de fornecedores de matérias-primas, com os quais novas rotas logísticas e alterações foram discutidas e implementadas.

 O projeto  ainda gerou patentes internacionais que consolidaram a posição de liderança da empresa no setor. A originalidade da solução científica e tecnológica desenvolvida, assim como o sucesso imediato de mercado atingido por esse produto, levou ao reconhecimento do case como a maior inovação da empresa no Brasil, na categoria acionistas, no ano de 2010, no programa de premiação interno da companhia, denominado Rhodia Way Awards.

 A inovação  foi essencial para garantir  investimentos significativos para que o Brasil pudesse aumentar a capacidade de produção do polímero, em sua fábrica de São Bernardo do Campo. “Estamos aplicando R$ 5,3 milhões para aumentar nossa produção, assegurando o fornecimento ao mercado regional, mas também transformando a operação brasileira em plataforma de exportação da Rhodia para o mundo”, complementa Marcos Curti, diretor da Rhodia Plásticos de Engenharia e Polímeros América Latina.

 Os plásticos de engenharia e polímeros em poliamida da Rhodia são empregados principalmente na produção de peças para os segmentos automotivo e de transportes, eletroeletrônicos e construção e bens industriais de consumo. O grupo Rhodia, que é um dos líderes mundiais desse setor, possui unidades produtivas e laboratórios de desenvolvimento de aplicações em quatro continentes. No Brasil, a fábrica e o laboratório estão instalados em São Bernardo Campo (SP).

Fonte: Rhodia


Sílica em pneus ajuda a economizar combustível e reduzir emissões de CO2

14/06/2011

A sílica de alto desempenho aplicada na produção de pneus reduz a resistência ao rolamento em 25% e o consumo de combustível e as emissões de CO2 em 7% (equivalente a uma redução de aproximadamente sete gramas por quilômetro rodado), mantendo ao mesmo tempo a segurança e a durabilidade dos pneus.

A informação é de Paulo Garbelotto, gerente de Desenvolvimento de Negócios da Rhodia Sílicas, que apresentará na próxima quarta-feira, dia 15/6, palestra especial sobre “Sílica de Alto Desempenho para o Mercado de Borracha”, na IRC 2011 – International Rubber Conference, evento técnico que pela primeira vez é realizado na América Latina – de 15 a 17 de junho, em São Paulo. A IRC 2011 reunirá centenas de especialistas e profissionais do setor, que realizam pesquisas e trabalhos para estudar o comportamento dos elastômeros, melhorar sua produção e sua utilização de maneira segura e ecologicamente corretas.

Desde que foi adotada pelos fabricantes internacionais de pneus de energia eficiente, os chamados pneus verdes, a sílica de alto desempenho da Rhodia para o mercado de borracha tem ajudado na economia de 20 bilhões de litros de combustível e redução de emissões equivalentes de CO2 da ordem de 50 milhões de toneladas, acrescenta Garbelotto, um dos principais especialistas internacionais no setor de borracha.

A sílica de alto desempenho é componente chave nesse tipo de pneus. A Rhodia tem trabalhado para ampliar esses níveis de benefícios, buscando atender a demanda mundial por esse tipo de pneus de energia eficiente, de acordo com o novo conceito de mobilidade sustentável, impulsionado pela exigência dos consumidores por produtos mais eficientes e que economizem energia. “A Europa, por exemplo, terá uma nova legislação sobre a rotulagem de pneus, a partir de novembro de 2012, e no Brasil já estão sendo conduzidos estudos nesse sentido, coordenados pelo Inmetro e com a participação de todo o segmento”, assinala o especialista.

A Rhodia, que inventou a sílica de alto desempenho, possui oito unidades industriais desse produto em todo o mundo, sendo que uma destas fábricas está instalada conjunto industrial da empresa em Paulínia (SP), atendendo ao mercado da região da América Latina. “Temos feito investimentos permanentes nessa unidade, ampliando capacidade de produção de nossa gama de sílicas Zeosil e Tixosil, utilizadas nos mercados de borracha (pneus e artefatos técnicos), calçados, oral care e nutrição humana e animal”, complementa Luis Fernando Maida, diretor da Rhodia Sílica América Latina.

Fonte:  Rhodia

Faurecia e Rhodia aliam as suas forças de inovação para desenvolver componentes estruturais leves para assentos automotivos

19/05/2011

A Faurecia, líder no fornecimento de componentes e soluções de engenharia automotiva, e a Rhodia, líder no desenvolvimento e produção de especialidades químicas, estão unindo esforços para desenvolver uma nova geração de conjunto de componentes estruturais inovadores e leves para assentos de veículos, utilizando plásticos de engenharia de alto desempenho à base de poliamida.

 As duas empresas trabalham juntas desde novembro de 2009 e reforçaram a sua parceria mediante a assinatura de um protocolo de desenvolvimento conjunto em fevereiro deste ano. Este acordo tem por principal objetivo desenvolver uma gama de componentes para assentos utilizando Technyl® SI da Rhodia, um composto de poliamida de ‘superimpacto’ patenteado e inovador, projetado para satisfazer as necessidades de resistência a impacto em peças de utilização intensa.

 O acordo alia o avançado know-how em design de assentos da Faurecia e a tecnologia de plásticos de engenharia da Rhodia, reforçada pelo seu know-how único em simulação preditiva avançada e design de peças.

 “A Faurecia trabalha com materiais inovadores – desenvolvidos pela Rhodia – e conceitos estruturais de assentos, com vista a ultrapassar os grandes desafios colocados à indústria automotiva para a fabricação de veículos mais leves. A Faurecia definiu uma visão, uma estratégia e um programa claros para reduzir o peso dos assentos dos automóveis. Esta parceria deverá ajudar os construtores a cumprir os regulamentos mundiais cada vez mais exigentes sobre emissões,” afirmou Patrick Koller, Vice-Presidente Executivo de Faurecia Automotive Seating.

 “Este projeto de co-inovação com um líder mundial de componentes automotivos representa um passo importante para a introdução de materiais avançados de poliamida como uma alternativa ao aço em aplicações estruturais para automóveis. Este avanço foi conseguido graças ao know-how complementar de ambas as partes e a um intenso trabalho de equipe”, acrescentou François Hincker, presidente da Rhodia Plásticos de Engenharia.

 As estruturas de assentos concebidas em parceria pela Faurecia e pela Rhodia encontram-se atualmente em fase avançada de desenvolvimento, estando a produção em série prevista para 2014. Para além deste marco importante, as duas empresas irão estender a sua colaboração a novas soluções inovadoras, de forma a responder às necessidades dos fabricantes de veículos em termos de soluções mais leves.

 Sobre a Faurecia

A Faurecia ocupa a sexta posição mundial no fornecimento de equipamentos automotivos, sendo especializada em quatro grandes atividades chave: assentos automotivos, tecnologias de controle de emissões, sistemas de interior e sistemas de exterior de automotivos. Em 2010, o Grupo registrou vendas totais no valor de 13,8 bilhões de euros. Emprega 75 000 pessoas em 33 países e possui 238 unidades de produção e 38 centros de I&D.

Sobre a Rhodia

A Rhodia é um grupo químico internacional fortemente engajado no Desenvolvimento Sustentável.  Estruturada em 11 unidades globais de negócios, agrupadas em cinco business clusters, a Rhodia é parceira dos maiores líderes mundiais das indústrias: automotiva, eletroeletrônica, aromas e fragrâncias, saúde, mercados de cuidados pessoais e domésticos, bens de consumo e mercados industriais. O Grupo emprega 14 000 pessoas em todo o mundo e obteve faturamento de 5,23 bilhões de euros em 2010.

Fonte: Rhodia

RHODIA anuncia investimento na fábrica brasileira de Plásticos de Engenharia.

09/05/2011
  •  Empresa vai investir R$ 5,3 milhões em 2011 na ampliação de produção de plásticos em São Bernardo do Campo (SP)
  • Novidades apresentadas na Brasilplast atendem aos mercados automotivo, eletroeletrônico e bens industriais de consumo 
  • Destaques são Technyl® A205F, nova tecnologia desenvolvida no Brasil que ajudará os clientes a obter maior economia de energia; uma nova gama de Technyl® livre de halogênio, para a indústria fotovoltaica; Evolite by Technyl®, nova gama de compósitos de alta performance que abrirá um mundo de inovações para projetistas e usuários.

A Rhodia Plásticos de Engenharia vai investir R$ 5,3 milhões em 2011 para a ampliação da produção de compostos de plásticos de engenharia em sua unidade industrial de São Bernardo Campo. Os recursos serão aplicados na implantação de uma nova linha de produção, que aumentará em 6 mil toneladas a atual capacidade produtiva da empresa. Essa nova capacidade deverá estar em funcionamento até o final deste ano.

As informações foram dadas hoje (09/5) por François Hincker, presidente da GBU (Global Business Unit) Plásticos de Engenharia da Rhodia, ao participar do primeiro dia da Brasilplast 2011 – Feira Internacional da Indústria do Plástico. Segundo Hincker, o aumento de produção esta inserido na estratégia de crescimento mundial dos negócios da Rhodia na área de plásticos de engenharia de poliamida, segmento em que a empresa é uma das líderes mundiais.

“Nossas posições de liderança, combinadas com uma forte presença nas regiões de rápido crescimento, como na América Latina, nos permitem atender o futuro crescimento do mercado”, acrescentou François Hincker, lembrando que outro eixo de expansão dessa atividade em termos mundiais está baseado na inovação.

As ambições de crescimento da Rhodia no segmento de plásticos de engenharia são solidamente baseadas na inovação sustentável e na presença em mercados com crescimento rápido e lucrativo. A Unidade Global de Negócios de Plásticos de Engenharia tem forte presença no mercado mundial e está particularmente bem posicionada em regiões de rápido crescimento: cerca de 38% de suas vendas estão na Ásia, e 18% estão na América Latina.

Inovação – Sob o slogan “Um Mundo de Soluções”, a empresa apresenta uma série de novidades em tecnologia e produtos na área de plásticos de engenharia. As quatro zonas temáticas no stand da empresa identificam claramente seu compromisso de agregar valor aos clientes:

  •  “A proximidade é uma força”, enfatizando como os clientes se beneficiam da presença global e força local da empresa;
  • “Eficiência é valor”, apresentando produtos e serviços que reduzem o tempo de colocação de um produto no mercado e aumentam a competitividade dos clientes;
  • “A vida é um ciclo”, apresentando inovações dedicadas às questões ambientais e de reciclagem;
  • “A inovação está no ar”, revelando as últimas inovações voltadas para produção de peças que combinam leveza e alto desempenho.

“Nossas equipes de produção, de P&D, comercial e de assistência técnica operam em sintonia fina com a cadeia produtiva do setor para identificar oportunidades e criar soluções que atendam as demandas do mercado”, afirma Marcos Curti, diretor da Rhodia Plásticos de Engenharia e Polímeros América Latina.

Os plásticos de engenharia e polímeros em poliamida da Rhodia são empregados principalmente na produção de peças para os segmentos automotivo e de transportes, eletroeletrônicos e construção e bens industriais de consumo. O grupo Rhodia, que é um dos líderes mundiais desse setor, possui unidades produtivas e laboratórios de desenvolvimento de aplicações em quatro continentes. No Brasil, a fábrica e o laboratório estão instalados em São Bernardo Campo (SP).

Nos últimos meses, a Rhodia apresentou várias inovações importantes na área de poliamidas para Plásticos de Engenharia, incluindo a poliamida bioderivada Technyl® eXten, as soluções em reciclagem 4earth™, a Fuel’In by Technyl®, para aplicações de contato com combustível e Technyl® Super Impact, para a substituição de metais.

As novidades selecionadas para apresentação na Brasilplast 2011 incluem:

  • uma nova geração de Technyl®Star, denominada A205F, desenvolvida nos laboratórios brasileiros, que ajudará os clientes a obter maior produtividade, além de redução significativa dos custos com energia em seus processos de produção.
  • uma nova gama de Technyl®, livres de halogênio, para a indústria fotovoltaica;
  • Evolite by Technyl®, um compósito termoplástico revolucionário que abrirá um mundo de inovações para projetistas e usuários;
  • novos pós de poliamida, que irão desafiar os limites da fabricação rápida de peças plásticas.

Fonte: Rhodia

Brasilplast 2011: Rhodia mostra novidades e planos na área de Plásticos de Engenharia.

05/05/2011

O presidente da GBU (Global Business Unit) Rhodia Plásticos de Engenharia, François Hincker, apresentará à Imprensa as novidades em tecnologias e produtos e os planos de crescimento dessa área de negócios na próxima segunda-feira, dia 09/5, às 14h30, no estande da empresa na Brasilplast 2011 – Feira Internacional da Indústria do Plástico.

Também participarão da entrevista o presidente da Rhodia América Latina, Marcos De Marchi, e o diretor da Rhodia Plásticos de Engenharia América Latina, Marcos Curti.

A GBU Plásticos de Engenharia é um dos core business do grupo Rhodia. Tem fábricas e laboratórios em quatro continentes (América do Sul, América do Norte, Ásia e Europa). Suas tecnologias e produtos são empregadas para produção de peças para os mercados automotivo e de transportes, construção e eletroeletrônicos, bens industriais e bens de consumo.

 O estande da Rhodia, criado sob o slogan “Um Mundo de Soluções”, está localizado nas ruas D/E do Pavilhão de Exposições do Anhembi (SP).

Fonte:  Rhodia