Posts Tagged ‘Rhodia’

Rhodia abre 70 vagas para estágios em 2018

11/07/2017
  • As inscrições para a seleção de estagiários de cursos de nível superior devem ser feitas até 03 de setembro pela Internet no site da Rhodia (www.rhodia.com.br) ou pelo site https://recrutamento.ciadeestagios.com.br/rhodiasolvay/
  • Novidade para este ano é que serão aceitos alunos de todos os semestres, dependendo do curso e necessidade da área de interesse.

A Rhodia, empresa do Grupo Solvay, abriu as inscrições para o processo seletivo do seu programa de estágios em 2018. A empresa prevê oferecer 70 vagas para estudantes universitários. A novidade para este ano é que serão aceitos alunos de todos os semestres, dependendo do curso e necessidade da área de interesse. O estágio será de no máximo 2 anos.

Posicionada como uma empresa de multi-especialidades químicas e materiais avançados, a Rhodia atua há quase 100 anos no Brasil e foi uma das pioneiras na implantação do programa de estágio nas corporações do país. Presente em diversos mercados (agricultura, nutrição animal e alimentação; aplicações industriais; automotivo e aeronáutico; bens de consumo e cuidados com a saúde; edifícios e construções; eletroeletrônicos; energia e meio ambiente), passa atualmente por um processo de grande transformação de portfólio e lidera a inovação no setor por meio da química sustentável.

As oportunidades de estágio para nível superior serão nas áreas de Administração, Análise de Sistemas, Ciência da Computação, Comércio Exterior, Contabilidade, Economia, Letras, Psicologia, Recursos Humanos, Sistemas de informação, Ciências Contábeis, Engenharias, Engenharia da Computação, Engenharia de Automação e Controle, Engenharia de Materiais, Engenharia de Produção, Engenharia Elétrica, Engenharia Mecânica, Engenharia Produção, Engenharia Química, Jornalismo, Logística, Marketing, Engenharia de Meio Ambiente, Química, Relações Públicas e Secretariado.

As vagas são destinadas às unidades industriais de Paulínia, Santo André, São Bernardo do Campo, Brotas, Itatiba e Taboão da Serra, e nos escritórios centrais da empresa, em São Paulo.

Os candidatos para estágio de nível superior devem ter conhecimentos de Inglês em nível intermediário e conhecimentos de informática como usuários. Os selecionados receberão uma bolsa-auxílio que pode chegar a R$ 1.750,00 mensais para 30 horas de estágio por semana, no segundo ano de estágio.

O estágio será de seis (6) horas por dia e, dependendo da necessidade da área, a frequência poderá variar entre três e cinco dias na semana. Além disso, a Rhodia oferece vale refeição ou restaurante, seguro de vida, assistência médica, assistência odontológica, auxílio-transporte ou fretado e estacionamento.

As inscrições de nível superior estarão abertas até 03 de setembro e devem ser feitas ou através do site da Rhodia em http://www.rhodia.com.br ou diretamente pela homepage https://recrutamento.ciadeestagios.com.br/rhodiasolvay/

Sobre o Grupo Solvay

A Solvay é uma empresa química de multiespecialidades com sede em Bruxelas e emprega 27.000 pessoas em 58 países. As vendas líquidas pró forma foram de € 10,9 bilhões em 2016. No Brasil, a Solvay também atua com a marca Rhodia.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Solvay

Curta nossa página no

Rhodia completa 40 anos de produção de sílica no Brasil

30/06/2017

Empresa comemora com clientes os 40 anos de produção de insumo utilizado na produção de pneus, borracha e calçados, para a formulação de agroquímicos e nutracêuticos, além de produtos para cuidados pessoais e alimentação humana

A sílica precipitada quimicamente, um insumo utilizado por indústrias de diferentes segmentos, desde os pneus (incluindo os ‘pneus verdes’) e artefatos técnicos de borracha até formulação de agroquímicos, nutracêuticos e calçados, passando por produtos de cuidados pessoais e para a alimentação humana, é uma das apostas para o crescimento sustentado dos negócios da Rhodia, empresa do Grupo Solvay, na região da América Latina.

Pioneira na região a produção de sílicas precipitadas, a Rhodia tem feito investimentos permanentes em sua unidade industrial instalada em Paulínia (SP), que está completando 40 anos de instalação. Por ano, em média, a empresa tem aplicado em torno de 10 milhões de reais em projetos de processos operacionais, na introdução de novas tecnologias e produtos, em logística e aumento de capacidade de produção.

Os objetivos dessa área de negócios são aumentar a eficiência da área e abastecer adequadamente os clientes em todos os países da região, com os produtos comercializados sob as marcas Zeosil®, Zeosil® Premium, Efficium® e Tixosil®, em suas diversas apresentações, de acordo com os segmentos de mercados em que são aplicadas.

“Produtividade e competitividade são as palavras-chave do setor e elas estão incorporadas ao nosso modo de trabalhar. Com nossas inovações e a capacidade de atender os diversos mercados em que atuamos, nós estamos bem posicionados para continuar crescendo na região junto com nossos clientes”, afirma François Pontais, vice-presidente para a América Latina da unidade global de negócios Sílica do Grupo Solvay.

A mais recente iniciativa na fábrica de Paulínia foi o início da produção da sílica de alta dispersabilidade (HDS, na sigla em inglês) destinada principalmente à produção dos pneus que economizam energia. Análises realizadas pela empresa e de organismos do setor automotivo indicam que o uso dessa sílica HDS permite a redução de até 7% no consumo de combustível do automóvel. Portanto, reduz na mesma proporção as emissões de carbono na atmosfera. A expansão do uso da sílica de alto desempenho na produção dos chamados pneus verdes pode ser um fator importante para que a indústria automobilística alcance mais rapidamente as metas de redução de emissões de carbono previstas nos programas de desenvolvimento do setor.

Do mesmo modo, a empresa está investindo para aumentar o uso de suas sílicas precipitadas em outros segmentos de mercado em que há potencial de crescimento, tais como oral, care, formulações de nutracêuticos e agroquímicos, além de mercados regionais importantes, como calçados e alimentação humana. “Temos em nosso pipeline de inovações, em nossos laboratórios no Brasil e em outras regiões de atuação do Grupo Solvay, uma série de projetos em diferentes etapas de desenvolvimento, que serão colocados à disposição do mercado até 2020”, acrescenta Pontais.

40 anos de pioneirismo – Erguida em 1977, sob o signo do pioneirismo, a unidade industrial de Sílica da Rhodia passou ao longo de 40 anos por diversas transformações e modernizações para manter sua competitividade em um cenário econômico regional de muitos desafios. Inicialmente a Rhodia e depois o Grupo Solvay (que adquiriu as operações da Rhodia em 2011) investem permanentemente nessa área de negócios.

A unidade global de negócios Sílica, do Grupo Solvay, é a inventora da sílica de alta dispersão (HDS), na década de 1990, e um player importante em pneus que economizam energia e possui nove fábricas e quatro laboratórios de Pesquisa e Inovação em quatro continentes.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Rhodia

Curta nossa página no

Grupo Solvay divulga resultados de 2016

05/03/2017

Solvay_logoFaturamento alcançou 10,9 bilhões de euros; lucro líquido somou 846 milhões de euros

O Grupo Solvay alcançou um faturamento de 10,9 bilhões de euros em 2016, segundo anúncio feito no dia 24/2, na sede do grupo, em Bruxelas, Bélgica. O EBITDA ajustado (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) somou 2,28 bilhões de euros, com uma elevação de 7,5% sobre 2015. A margem sobre o EBITDA bateu recorde em 2016 e alcançou 21%, um índice relevante para a indústria química em geral. O lucro líquido em uma base subjacente alcançou 846 milhões de euros contra 768 milhões de euros em 2015. A empresa obteve em 2016 uma geração de caixa de 876 milhões de euros, que representou um aumento de 384 milhões de euros em relação ao ano anterior.

Segundo Jean-Pierre Clamadieu, CEO do Grupo Solvay, “a empresa registrou em 2016 um crescimento sólido do EBITDA, apoiado por nosso processo de transformação organizacional e pela melhoria do perfil dos nossos clientes. A busca pela excelência operacional, por resultado rápido de sinergias e uma dinâmica contínua de preços contribuíram de forma sólida para o nosso desempenho”, disse. Para Clamadieu, ‘a atualização do nosso portfólio nos permitiu reduzir significativamente nossa intensidade dos gases de efeito de estufa. No geral, estes elementos combinados aumentam a criação de valor sustentável para os nossos clientes e acionistas”.

O CEO do Grupo Solvay acrescentou que a empresa continua no rumo certo para alcançar os seus objetivos de médio prazo. “Para 2017, esperamos que o EBITDA subjacente cresça em um dígito de nível médio, impulsionado principalmente por nossas áreas de Advanced Materials e Advanced Formulations, e gere mais 800 milhões de euros de caixa”, disse.

A Solvay é uma empresa química cujos produtos e soluções são utilizados em aviões, carros, dispositivos inteligentes e médicos, baterias, na extração de minerais e petróleo, entre muitas outras aplicações. A Solvay tem sede em Bruxelas e emprega 27.000 pessoas em 58 países. No Brasil, a Solvay também atua com a marca Rhodia.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Rhodia

Curta nossa página no

Grupo Solvay comemora feito: avião movido a energia solar completa a volta ao mundo e demonstra a eficácia das tecnologias sustentáveis

26/07/2016

Solvay_solar impulse3

Inovação têxtil brasileira, desenvolvida pela Rhodia, o Emana também fez parte dessa aventura

O Grupo Solvay celebra a façanha de Bertrand Piccard e André Borschberg, que completaram hoje (26/07) a volta ao mundo no comando do Solar Impulse 2 (Si2), avião movido a energia solar. O regresso a Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos, depois de uma viagem de 40.000 quilômetros tendo a energia solar como único combustível, representa o final de uma aventura extraordinária na qual o Grupo Solvay investiu desde o início.

Em uma carta entregue aos dois pilotos, logo após a aterrisagem em Abu Dhabi, o CEO do Grupo Solvay, Jean-Pierre Clamadieu, fez um agradecimento especial aos líderes dessa aventura. “Em nome de todos os empregados da Solvay, gostaria de dizer um grande obrigado por estes 12 anos extraordinários, repletos de sonhos, desafios, grandes e pequenas vitórias tecnológicas. Dia após dia, sua energia e personalidade notáveis foram fundamentais para o sucesso desse projeto”, disse Clamadieu na carta.

Primeiro parceiro do projeto, a partir de 2004, o Grupo Solvay colocou a serviço do Solar Impulse todo seu conhecimento e capacidade de inovação. No total, 15 produtos do Grupo Solvay estão em 6000 peças e partes do avião, permitindo o armazenamento e otimização do consumo de energia e a redução do peso da aeronave. O Grupo colocou no avião uma série de materiais plásticos e polímeros ultra-resistentes, além de compósitos que compõem a longarina e estabilizadores traseiros, tornando mais leve a aeronave.

O Brasil também fez parte dessa aventura, com a inovação têxtil Emana, desenvolvida pela Rhodia, empresa do Grupo Solvay. O fio têxtil foi utilizado na confecção de uma “segunda pele”, utilizada por baixo do uniforme de vôo, atuando para retardar o aparecimento da fadiga muscular — um fator tremendamente importante nesse tipo de voo em um cockpit de dimensões reduzidas, que restringe a movimentação do piloto.

“Todos os materiais que desenvolvemos e estão no Solar Impulse reforçam a nossa convicção de que a química fornece soluções eficazes para o desenvolvimento sustentável das nossas sociedades. O Grupo Solvay pretende mais do que nunca continuar a ser uma ponte entre a ciência e o progresso sustentável. “, acrescentou Clamadieu.

Quase todos os produtos desenvolvidos pela Solvay para este “laboratório voador” já estão disponíveis na vida cotidiana, em produtos fabricados para diversos mercados, tais como automotivo, aeronáutica e aeroespacial, construção, têxteis e smartphones e outros dispositivos inteligentes.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Solvay

Curta nossa página no

Rhodia começa a fabricar no Brasil sílica precipitada para uso em “pneus verdes”

05/07/2016

Rhodia_silica

  • Sílica precipitada de alto desempenho promove a economia de combustível e redução de emissões dos veículos
  • Empresa investiu em torno de U$$ 10 milhões em projetos de modernização, implantação de tecnologias e melhoria de processos na fábrica de sílica precipitada em Paulínia (SP)

A Rhodia, empresa do Grupo Solvay, deu início à produção no Brasil da sílica precipitada de alto desempenho (HDS, na sigla em inglês) para atender principalmente a expansão da fabricação dos chamados ‘pneus verdes’, que economizam energia (combustível) e ao mesmo tempo reduzem as emissões de carbono na atmosfera.

Estudos realizados pela empresa e por organismos do setor automotivo internacional indicam que o uso da sílica HDS permite a economia de até 7% no consumo de combustível do automóvel e reduz na mesma proporção as emissões de carbono na atmosfera. Além disso, o uso da sílica da Rhodia melhora em 10% a aderência do pneu ao piso molhado.

“Nossa sílica HDS pode ser um fator fundamental para a indústria automotiva alcançar mais rapidamente as metas de redução de emissões de carbono previstas pelo programa brasileiro Inovar-Auto”, diz François Pontais, Diretor para a América Latina da Unidade Global de Negócios Sílica, do Grupo Solvay.

Segundo Pontais, a migração da produção das montadoras de pneus para os chamados pneus verdes é uma tendência global do mercado, tendo em vista as exigências ambientais mais rigorosas para o controle de emissões dos veículos, visando incrementar a mobilidade sustentável. “A sílica HDS se tornou líder mundial no seu segmento por justamente atender a essas necessidades”, acrescenta.

O conceito do pneu verde nasceu na Europa no início dos anos 90 no segmento de veículos de passeio, a partir da invenção da sílica HDS pela Rhodia (que pertence ao Grupo Solvay desde 2011). Logo tomou corpo e se expandiu por conta da legislação ambiental europeia para o setor automotivo, que continua desafiando o setor para produção de veículos mais sustentáveis e, portanto, menos poluentes.

A expansão do uso de sílica HDS teve um impulso importante com a recente adoção de programas de etiquetagem de pneus, um modo de assegurar ao consumidor a melhor compra desse produto, alinhada à demanda por produtos mais sustentáveis. O programa de etiquetagem foi implementado inicialmente na Europa em 2012 e logo expandiu-se para outras regiões do planeta, como a Ásia (Japão e Coréia do Sul). Agora, a partir de outubro de 2016 passa a valer no Brasil. “A sílica HDS contribuirá para que a indústria de pneus ofereça o melhor produto aos consumidores”, afirma François Pontais.

Investimentos em tecnologia e inovação – O início da produção da sílica de alto desempenho no Brasil é um dos resultados de uma série de projetos voltados ao aumento da eficiência e da competitividade do negócio Sílica na América Latina, abrangendo a unidade de produção e o laboratório de desenvolvimento de aplicações, instalados no conjunto industrial do Grupo Solvay em Paulínia (SP), além das equipes de gestão administrativa e comercial.

“Nosso esforço está direcionado para reforçar a nossa liderança na região da América Latina, através da melhoria dos nossos processos e produtos, para atender as necessidades dos clientes dos diversos mercados em que nossas sílicas são utilizadas”, observa François Pontais, Diretor para a América Latina da unidade global de negócios Sílica, do Grupo Solvay.

O portfólio de projetos de melhoria abrange todas as áreas do negócio Sílica na América Latina. Por exemplo, há investimentos em “BAT” (Best Available Technology) para processos de produção (sílica de alto desempenho, eficiência energética, rendimentos da produção), em excelência operacional e em supply chain (embalagem, armazenagem e logística) na planta de industrial de Paulínia (SP).

Todas essas tecnologias e desenvolvimentos de produtos comercializados no setor de borracha e pneus – Zeosil® e Efficium® – foram destaques da empresa na Expobor 2016 – 12ª Feira Internacional de Tecnologia em Borrachas, Termoplásticos e Máquinas, que ocorreu de 28 a 30 de junho, no Expocenter Norte, em São Paulo.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Solvay/Rhodia

Curta nossa página no

Rhodia abre 100 vagas para estágios em 2017

12/06/2016

As inscrições para a seleção de estagiários de cursos de nível superior devem ser feitas até 15 de setembro pela Internet no site da Rhodia, em http://www.rhodia.com.br

A Rhodia, empresa do Grupo Solvay, abriu as inscrições para o processo seletivo para o seu programa de estágios em 2017. A empresa prevê oferecer 100 vagas para estudantes universitários que em 2017 estejam cursando o penúltimo ou o último ano da faculdade.

As oportunidades de estágio para nível superior serão nas áreas Ambiental, Comercial/Marketing, Comércio Exterior, Compras, Comunicação, Engenharia (Produção, Processos, Projetos), Manutenção, Finanças, Jurídico, Pesquisa e Desenvolvimento, Gestão de Qualidade, Recursos Humanos, Supply Chain/Logística, Tecnologia da Informação, entre outras. As vagas são destinadas às unidades industriais de Paulínia, Santo André, São Bernardo do Campo, Brotas, Itatiba, Taboão da Serra, e nos escritórios centrais da empresa, em São Paulo.

Os candidatos para estágio de nível superior devem ter conhecimentos de Inglês em nível intermediário e conhecimentos de informática como usuários. Os selecionados receberão uma bolsa-auxílio que pode chegar a R$ 1.690,00 mensais, dependendo do ano em que concluirão seus cursos, para 30 horas de estágio por semana.

O estágio será de seis (6) horas por dia e, dependendo da necessidade da área, a frequência poderá variar entre três e cinco dias na semana. Além disso, a Rhodia oferece vale refeição ou restaurante, seguro de vida, assistência médica, assistência odontológica, auxílio-transporte ou fretado e estacionamento.

As inscrições de nível superior estarão abertas até 15 de setembro e devem ser feitas no site da Rhodia em http://www.rhodia.com.br

Sobre o Grupo Solvay: Como um grupo internacional de química e de materiais avançados, a Solvay auxilia os clientes na inovação, no desenvolvimento e fornecimento de soluções sustentáveis de alto valor. Seus produtos são utilizados em diversos mercados, tais como automotivo e aeroespacial, bens de consumo e de cuidados com a saúde e beleza, energia e meio ambiente, construção, elétricos e eletrônicos, bem como aplicações industriais. O Grupo, com sede em Bruxelas, emprega 30.000 pessoas em 53 países. Registrou em 2015 um faturamento de € 12,4 bilhões, dos quais 90% foram obtidos com vendas em atividades nas quais está entre os três líderes mundiais.  No Brasil, o Grupo também atua com a marca Rhodia.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Solvay

Curta nossa página no

Rhodia lança inovações na Fimec para ampliar sua participação no fornecimento de componentes para calçados

22/03/2016

Emprefimec2016sa é uma das patrocinadoras da Fábrica Conceito de Calçados da Fimec

Rhodia e Basf desenvolvem um inovador solado de performance para calçados esportivos

Setor coureiro-calçadista representa 7% das vendas anuais de produtos químicos da Rhodia no Brasil

A Rhodia, empresa do Grupo Solvay, para atender às demandas por inovações e maior produtividade do setor calçadista/coureiro do País, reservou para a 40ª edição da Fimec (de 15 a 17 de março, em Novo Hamburgo- RS), o lançamento de uma série de novidades nas áreas de insumos e produtos químicos. O objetivo da empresa é reforçar sua participação no fornecimento para esse segmento, que em média representa em torno de 7% do total das vendas da empresa no Brasil.

Entre as novidades, destacaram-se o trabalho conjunto da Rhodia com a Basf para a criação de um solado composto de entressola de poliuretano e estabilizador de TPU – poliuretano termoplástico -, para aplicação em calçados esportivos (tênis, sapatênis etc). Esse desenvolvimento permite a produção de um solado de menor peso, maior absorção de impacto e aumento do conforto do usuário do calçado.

O solado todo em poliuretano foi utilizado no tênis de alta performance X-System, protótipo criado pelo projeto Inspira Mais, coordenado pela Assintecal (Associação Brasileira de Empresas de Componentes para Couro, Calçados e Artefatos), reunindo tecnologias destinadas aos calçados esportivos.

Segundo Marlise Margaritelli, gerente comercial e de marketing para a América Latina da área global de negócios Poliamida e Intermediários, o desenvolvimento desse solado é uma resposta da indústria de matérias-primas às necessidades do setor coureiro-calçadista por soluções com alta tecnologia e inovação, capazes de gerar valor ao produto final.

“A cadeia produtiva do setor no Brasil, desde as indústrias de matérias-primas até o fabricante do produto final, é altamente qualificada para a criação de produtos que atendam aos desejos dos consumidores finais tanto no Brasil quanto no Exterior”, diz ela.

De acordo com Letícia Mendonça, gerente de Transportes e Bens de Consumo da divisão de Materiais de Performance da BASF para América do Sul, a dinâmica do setor coureiro-calçadista exige dos fornecedores de insumos o desenvolvimento de soluções que sejam inovadoras e representem ganhos de produtividade para toda a cadeia industrial.

“Nosso foco são os sistemas de TPU (poliuretano termoplástico) da linha Elastollan® e os sistemas de PU (poliuretano) da linha Elastopan®. O primeiro se destaca pelos materiais de alta performance que conferem a melhor maciez do mercado brasileiro para o conforto ao calçado e o segundo, pela liberdade ilimitada de design em termos de forma, cor e textura para sistemas de calçados”, afirma.

Sílicas para calçados – No segmento de sílicas precipitadas, um insumo de larga utilização na produção de solados de borracha para calçados, o foco do trabalho da Rhodia é o desenvolvimento em conjunto com seus clientes de aplicações em linha com as atuais tendências do mercado.

“Por exemplo, há muito espaço para os calçados esportivos de uso no dia a dia ou para prática de esportes de performance, que exigem um solado de borracha de maior desempenho, o que só se obtém com o uso de nossa sílica”, diz Paulo Garbelotto, Gerente Comercial e de Marketing na América Latina da área global de negócios Sílica, do Grupo Solvay.

Além disso, observa, está ocorrendo um crescimento do mercado de calçados para segmentos específicos de consumidores, tais como os calçados “anti stress” ou para pessoas que tem alguma necessidade especial, o que exige solados diferenciados de borracha. “Essa nova demanda tem levado ao aumento dos serviços de desenvolvimento conjunto de aplicações”, acrescenta Garbelotto.

Reconhecido fornecedor do setor com a marca Zeosil®, a área de Sílica tem investido no desenvolvimento de novos produtos que ajudam os clientes a obter maior produtividade em seus processos, melhorar a qualidade final de seus produtos e reduzir os custos de produção. Um dos exemplos desse trabalho de inovação foi a criação da sílica Efficium®, que oferece melhor dispersão e compatibilidade com a borracha, permitindo menor consumo de energia elétrica do misturador e menor tempo do uso do maquinário”, acrescenta.

Rhodia na Fábrica Conceito – A Rhodia também participou como um dos parceiros do projeto Fábrica Conceito, desenvolvido pelo Ibtec.- Instituto Brasileiro de Tecnologia de Couro, Calçados e Artefatos – para apresentar as tecnologias da empresa voltadas ao setor coureiro-calçadista. O foco da empresa foram os intermediários químicos aplicados nos solados de poliuretano e no tacão de PU e os solventes oxigenados usados na produção de adesivos. Durante a Fimec 2016, a Fábrica Conceito produziu 1 mil pares de calçados femininos e masculinos, entre sapatilhas, scarpin, botas femininas e sapatênis masculinos.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Rhodia

Curta nossa página no

Faturamento da Solvay em 2015 alcançou 10,6 bilhões de Euros

25/02/2016

Grupo Solvay divulga resultados de 2015

Solvay-BruxelasO Grupo Solvay alcançou um faturamento de 10,6 bilhões de euros em 2015, registrando um crescimento de 4% em relação ao ano anterior, segundo anúncio feito hoje (25/2), na sede do grupo, em Bruxelas, Bélgica.

O Rebitda (lucro recorrente antes de juros, impostos, depreciação e amortização) somou 1,955 bilhão de euros, com uma elevação de 9,6% sobre 2014. O lucro líquido ajustado foi de 477 milhões de euros, contra um lucro ajustado de 156 milhões que foi registrado em 2014. Em 2015, o grupo obteve uma geração de caixa de 387 milhões de euros. Os resultados não incluem os dados financeiros da Cytec, cuja transação de compra pelo Grupo Solvay foi fechada em dezembro de 2015.

Segundo Jean-Pierre Clamadieu, CEO do grupo Solvay, a empresa obteve um excelente crescimento dos resultados, embora a sazonalidade habitual no quarto trimestre tenha sido mais intensificada em 2015, por conta principalmente dos ajustes enfrentados pelo setor de petróleo e gás.

“Os programas de excelência operacional do grupo continuaram a contribuir de forma importante para os resultados e, combinados com a questão do câmbio, mais do que compensaram os volumes mais baixos. Os investimentos para apoiar o crescimento do grupo atingiram o seu mais alto nível em 2015. E a transformação do nosso portfólio foi acelerada com a aquisição da Cytec para impulsionar nosso crescimento. A alta qualidade do portfólio junto com os nossos sólidos fundamentos nos dão a confiança para o futuro”, acrescentou Clamadieu.

Em 2016, a Solvay prosseguirá com sua estratégia de transformação organizacional, através da atualização de seu portfólio e de reforço dos programas de excelência operacional, incluindo a inovação. A integração da Cytec está sendo executada antes do previsto e uma prioridade é garantir o sucesso total desse projeto. Em paralelo, a Solvay vai intensificar seu foco na obtenção de fluxo de caixa sustentável.

Apesar do aumento da volatilidade nos mercados de commodities, que está sendo registrado desde o final de 2015, e outros ajustes de mercados, o Grupo Solvay espera um crescimento do REBITDA para 2016 na casa de um “dígito alto”.

Resultados no Brasil

No Brasil, onde também atua com a marca Rhodia, o Grupo Solvay obteve um faturamento em 2015 da ordem de 3 (três) bilhões de reais, com evolução positiva, apesar do fraco desempenho enfrentado pela indústria nacional.

Os investimentos do Grupo Solvay no País mantiveram seu patamar histórico, alcançando 185 milhões de reais, que foram empregados em aumento de capacidade de produção, melhoria de processos produtivos, além de implantação de tecnologias e desenvolvimento de novos produtos.

O grupo, que atua na região da América Latina em diversas atividades do setor químico, com 11 unidades industriais (incluindo joint ventures e associações), registrou exportações de US$ 197 milhões, a partir de suas unidades brasileiras.

Fonte: Solvay

Curta nossa página no

Solvay adquire a tecnologia e os negócios de termoplásticos com fibras longas da EPIC Polymers

14/10/2015

O acordo ampliará a oferta de materiais leves para aplicações automotivas e outras relacionadas ao mercado de transporte

EPIC-Polymers-243877A Solvay anunciou a aquisição da tecnologia de termoplásticos com fibras longas (LFT – Long fiber Thermoplastics) da EPIC Polymers para complementar a sua oferta de materiais leves de alto desempenho e obter acesso à substituição de metais de peças automotivas semi-estruturais e peças maiores.

De propriedade privada, a EPIC Polymers GmbH com sede em Kaiserslautern, Alemanha, desenvolveu uma tecnologia inovadora para reforçar os polímeros termoplásticos com fibras de vidro longas de alto desempenho. O crescimento da demanda por estes materiais adaptados e sofisticados que oferecem propriedades mecânicas e térmicas superiores, aliados à alta resistência a impactos e a temperaturas elevadas, é impulsionado pela necessidade de reduzir o consumo de combustível e diminuir as emissões de CO2.

“Ter esta tecnologia é um passo importante da Solvay Specialty Polymers na expansão da ampla oferta de materiais extremamente leves e de altíssimo desempenho. Nós seremos capazes de fornecer peças semi-estruturais maiores para o setor automotivo, que é o nosso principal mercado, e desenvolver competências para aplicar a tecnologia de LFT em polímeros básicos, incluindo KetaSpire® PEEK e AvaSpire® PAEK, proporcionando novas possibilidades de substituição de metais em outros mercados, como o de transporte”, disse Augusto Di Donfrancesco, Presidente da Unidade Global de Negócios Specialty Polymers do Grupo Solvay.

Os produtos da Solvay Specialty Polymers substituem o metal em uma série de componentes automotivos de alto desempenho localizados no corpo do motor, como dutos de ar quente, conjunto motopropulsor, unidades de controle do motor, condutos e módulos de óleo e de água, enquanto os LFTs são normalmente utilizados para fazer peças semi-estruturais interiores/exteriores.

Além dos polímeros PEEK e PAEK, a tecnologia LFT será aplicada ao portfólio de produtos Amodel® PPA e Ryton® PPS da Solvay e ao conjunto de poliamidas 6.6 (PA6.6) Technyl®.

Sobre a EPIC Polymers: A EPIC Polymers GmbH é uma fornecedora líder de termoplásticos de alta resistência, de termoplásticos tribologicamente otimizados e de termoplásticos condutores.

Sobre a Solvay: O grupo, com sede em Bruxelas, emprega cerca de 26.000 pessoas em 52 países e obteve um faturamento de € 10,2 bilhões em 2014.  No Brasil, o grupo também atua com a marca Rhodia, que foi adquirida em 2011.

Fonte: Solvay

Curta nossa página no

Com o apoio de tecnologias da Solvay, avião movido exclusivamente a energia solar, aterrissa no Havaí, depois de voar cinco dias e cinco noites sem interrupção

06/07/2015

Acompanhe ao vivo essa viagem histórica em  http://www.solarimpulse.com/leg-8-from-Nagoya-to-Hawaii

solvay aviao solarO avião Solar Impulse 2, movido exclusivamente a energia solar, aterrissou nesta sexta-feira (03/07) em Honolulu, no Havaí, às 12h55 (horário de Brasília), completando a oitava parte de sua viagem de volta ao mundo, que foi iniciada no final de março passado. Na etapa mais difícil dessa jornada foram cinco dias e cinco noites de voo sem interrupção, a partir de Nagóia, no Japão, sob o comando no avião do piloto André Borschberg, um dos idealizadores desse projeto. O voo é controlado por um centro instalado no principado de Mônaco.

O Solar Impulse 2 foi montado a partir de centenas de inovações desenvolvidas por diversas empresas, com destaque para 13 tecnologias e produtos, entre polímeros especiais, plásticos e outros materiais criados pelo Grupo Solvay – o primeiro apoiador desse projeto – que estão em 6 mil peças e partes do avião.

O Brasil também faz parte dessa aventura, com a tecnologia Emana desenvolvida pela Rhodia, empresa do grupo Solvay. A microfibra têxtil inteligente Emana funciona como uma espécie de segunda pele utilizada pelos pilotos sob o uniforme. A função dessa roupa é retardar a fadiga muscular do piloto durante sua viagem, contribuindo para seu conforto e bem estar durante as 120 horas de voo ininterrupto nessa parte da viagem.

Desde o início desse projeto e durante 12 anos, a Solvay tem sido parte desta iniciativa pioneira, transformando desafios em oportunidades de mercado quanto ao desenvolvimento de soluções que significam redução de peso, armazenamento de energia e eficiência. Com este “laboratório voador”, a Solvay tem demonstrado a sua especialização em materiais avançados e energia sustentável, que permitem ao Solar Impulse voar ao redor do mundo exclusivamente com a energia do Sol.

Quem quiser acompanhar ao vivo essa aventura histórica pode acessar http://www.solarimpulse.com/leg-8-from-Nagoya-to-Hawaii

Fonte: Assessoria de Imprensa – Solvay

Curta nossa página no

Rhodia lança inovações em plásticos de engenharia na Feiplastic 2015

16/05/2015

Novidades estão em linha com as exigências dos mercados por plásticos de alto desempenho, proporcionando combinações únicas de propriedades

Feiplastic-RhodiaA Rhodia, empresa do grupo Solvay, apresentou na Feiplastic 2015 uma série de novidades em plásticos de engenharia de poliamida visando atender às necessidades dos clientes e dos mercados e em linha com as tendências do setor voltadas para a redução de peso, eficiência energética, maior barreira a fluidos, manutenção de alto desempenho térmico a longo prazo e maior liberdade de design, além de custos competitivos.

Os plásticos de engenharia da empresa são comercializados para três grandes mercados: automotivo, eletroeletrônicos e produtos industriais de consumo. O amplo portfólio da empresa é liderado pela gama de plásticos Technyl®, a qual oferece soluções sob medida conforme requisitos e demandas ao longo da cadeia de valor. Na região da América Latina, a unidade industrial está instalada em São Bernardo do Campo (Brasil), onde também está instalado o centro regional de pesquisa, inovação e desenvolvimento de aplicações.

“Nosso compromisso, como líderes no segmento de plásticos de engenharia de poliamida 6.6 e 6, é o de oferecer permanentemente novas soluções que ajudem a expansão de toda a cadeia produtiva do setor”, diz Marcos Curti, diretor para as Américas da unidade global de negócios Plásticos de Engenharia do Grupo Solvay. Em todos os mercados nos quais atuamos – acrescenta Curti – há enormes possibilidades de expansão de aplicação de nossos plásticos, para atender as demandas atuais e futuras no uso desses materiais, tanto em veículos automotivos, aparelhos de uso doméstico e  equipamentos eletrônicos quanto no segmento de produtos industriais de consumo.“Por essa razão, o grupo tem investido fortemente no desenvolvimento de inovações em tecnologias, produtos e aplicações de poliamidas”, observa.

As inovações permitem aos engenheiros de produtos e processos atender a requisitos técnicos em serviço e proporcionar oportunidades de otimizar a relação resistência-peso (substituição a metais e outros materiais), reduzir consumo de energia e custo de manutenção, além de dar maior versatilidade para design de produtos.

Novidades para todos os mercados

No segmento de Equipamentos Elétricos, um dos destaques da empresa na Feiplastic é a linha Technyl® One,  uma nova tecnologia de plásticos de engenharia em poliamida patenteada e projetada especialmente para aplicação em dispositivos de proteção elétrica, como disjuntores, mini-disjuntores  e contactores de alta voltagem, que demandam excepcionais propriedades elétricas e flamabilidade sob condições críticas de operação, nas quais as poliamidas tradicionais não podem assegurar performance a longo prazo sob temperaturas elevadas. Esse produto está em linha com as novas demandas do segmento, proporcionando características adequadas para a miniaturização de componentes, bem como as exigências de segurança de produto, ligadas às metas de sustentabilidade, afirma a empresa.

Segundo a Rhodia, o Technyl® One oferece excelente processamento para produtos com espessura reduzida, ótimo acabamento superficial (mesmo para grades reforçados com altos teores de fibra de vidro), além de reduzir significativamente desgastes em moldes e máquinas injetoras, motivados por efeitos de corrosão, o que ajuda os transformadores e fabricantes de peças a minimizarem os custos de produção. Além da personalização do material para os requisitos específicos do produto final, incluindo amostragem de cor, a empresa também apoia seus clientes com suporte de design e testes de caracterização e validação.

Para o setor automotivo e de aeronáutica, a empresa destaca o desenvolvimento de peças e partes a partir do processo de sinterização seletiva a laser (SLS, na sigla em inglês) com o uso de uma tecnologia inovadora desenvolvida pela Solvay, base Poliamida 6 em pó reforçada, sob a marca Sinterline™, visando a aplicação em peças que demandem maior resistência térmica e mecânica. Com essa tecnologia é possível a impressão em 3D de protótipos e peças complexas em plásticos de engenharia para diferentes aplicações e mercados, com destaque para peças de motor e carroceria automotiva e componentes estruturais de scooters, bicicletas e artigos esportivos.

O Sinterline™ permite tanto a produção de peças complexas em escalas reduzidas como também preparação de protótipos funcionais para validação de novos conceitos, conferindo maior liberdade de design, redução de custos e tempos envolvidos em processo de desenvolvimento de novos produtos ou mesmo de processos produtivos tradicionais, afirma a Rhodia. Peças desenvolvidas a partir dessa tecnologia estão presentes também no Solar Impulse, o primeiro avião movido exclusivamente a energia solar que neste período está fazendo uma volta ao mundo.

Recentemente, a empresa francesa Kleefer desenvolveu uma scooter elétrica dobrável, para uso em áreas urbanas, utilizando essa tecnologia da Solvay.Antes do processo de sinterização a laser, as peças dessa scooter foram projetadas através do sistema MMI da Solvay para modelagem multi-escala e análise estrutural.

Novidades na linha Technyl® Exten também marcaram presença na Feiplastic 2015, incluindo nova solução de produto combinando requisitos para gerenciamento térmico e resistência a fluidos.

Technyl® ECO – sustentabilidade

Com base em tecnologia proprietária, a linha Technyl® ECO consiste de produtos derivados da revalorização de fios têxteis e industriais, que são tratados e submetidos a processo químico de repolimerização, assegurando seu retorno à cadeia de valor da poliamida e redução no impacto ambiental.

Segundo a empresa, um aspecto diferenciado da tecnologia é o controle adequado do peso molecular, o qual proporciona perfil equilibrado de propriedades mecânicas e ótima processabilidade. Em função da sua relação única custo-benefício-sustentabilidade, a linha Technyl® ECO tem atraído diversos clientes das áreas automotiva e de bens industriais de consumo (conhecida pela sigla CIG), vislumbrando oportunidades de redução de custos, aliando desempenho em serviço e adequação às políticas de sustentabilidade e responsabilidade social.

Fonte / Foto : Assessoria de Imprensa – Rhodia

Curta nossa página no

Solvay divulga resultados do primeiro trimestre de 2015

16/05/2015

Lucro líquido ajustado do grupo cresceu 49% no trimestre, em comparação ao mesmo período do ano passado

O Grupo Solvay obteve um faturamento de 2,646 bilhões de euros no primeiro trimestre de 2015, registrando um crescimento de 6,4% em relação ao mesmo período do ano passado, segundo anúncio feito em 06/05 pela companhia. O REBITDA – lucro ajustado antes de juros, impostos, depreciação e amortização – subiu 12% no período, alcançando 502 milhões de euros. O lucro líquido ajustado no primeiro trimestre de 2015 foi de 158 milhões de euros, com uma elevação de 49% sobre o mesmo período  de 2014.

Segundo Jean-Pierre Clamadieu, CEO do Grupo Solvay, no primeiro trimestre, o desempenho da empresa foi sustentado por efeitos cambiais favoráveis.  Além disso,  acrescentou,  o crescimento da demanda impulsionada por inovações, o pricing power e as medidas de excelência operacional permitiram compensar dificuldades nos mercados petróleo e gás e de cabos de acetado de celulose. “A integração de nossas últimas aquisições está no caminho certo e o projeto de joint venture  na área de clorovinis na Europa está progredindo bem”, disse Clamadieu.

Nas condições atuais, o Grupo Solvay está confiante em sua capacidade de gerar um crescimento sólido do REBITDA em 2015.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Solvay

Curta nossa página no

Feiplastic 2015: Rhodia lança novo plástico de engenharia e mostra polímeros especiais

01/05/2015

Solvay_Rhodia_logoOs plásticos de engenharia de alto desempenho utilizados na produção de peças e partes de automóveis, de eletroeletrônicos, eletrodomésticos e em produtos industriais de consumo são os destaques da Rhodia, empresa do grupo Solvay (stand A-498), na Feiplastic 2015, Feira Internacional do Plástico, que será realizada na próxima semana, de 04 a 08 de maio, no Pavilhão de Exposições do Anhembi, em São Paulo. Esses plásticos, de alto desempenho, contribuem para a redução de peso, eficiência energética, maior barreira a fluidos, manutenção de alto desempenho térmico a longo prazo e maior liberdade de design, além oferecerem custos competitivos, afirma a empresa.

A principal novidade da empresa nessa área é o lançamento do Technyl One, uma nova linha de plásticos de engenharia para utilização em produtos industriais que exigem alta resistência térmica, mecânica e química, como os contatores, disjuntores e mini-disjuntores elétricos, que funcionam em condições elevadas de temperatura. A empresa traz ao Brasil também equipamentos e a tecnologia para prototipagem em 3D de peças a partir de plásticos de engenharia de poliamida em pó.

A Rhodia é líder na América Latina na produção e comercialização desses plásticos de engenharia. Sua unidade industrial e laboratório desenvolvimento de aplicações estão instalados em São Bernardo do Campo – SP.

Na área de polímeros especiais, a empresa apresenta uma ampla gama de produtos e aplicações de polímeros especiais, que atendem mercados que exigem alto requisito técnico como as áreas de Aeronáutica, Petróleo e Gás, Automotivo e Transportes, Equipamentos para a Saúde e Biomateriais, Revestimentos de Cabos e Fios, Eletroeletrônicos e Dispositivos Inteligentes, Embalagens Especiais e Tratamento de Água.

Serviço: Feiplastic 2015 – Feira Internacional do Plástico – Pavilhão de Exposições do Anhembi (Av. Olavo Fontoura, 1.209 – Santana – São Paulo (SP)
De 04 a 08 de maio – Das 11h às 20h
Stand da Rhodia e do Grupo Solvay: Pavilhão A, nº 498

Fonte: Assessoria de Imprensa – Rhodia

Curta nossa página no

Solvay embarca sua inovação no Solar Impulse 2, o primeiro avião tripulado movido exclusivamente a energia solar, que realiza uma histórica volta ao mundo

13/03/2015

Solar ImpulseA Solvay está patrocinando a volta ao mundo que está sendo realizada pelos pilotos Bertrand Piccard e André Borschberg, que decolaram em 09/03 de Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos, para iniciar uma volta ao mundo a bordo do avião Solar Impulse 2 (Si2), o primeiro avião tripulado movido exclusivamente a energia solar e que pode voar dia e noite sem usar uma gota de combustível fóssil.

O objetivo desse projeto sustentável é demonstrar o desenvolvimento e utilização de energias renováveis e tecnologias de baixo carbono. O grupo Solvay, o primeiro patrocinador oficial do Solar Impulse, está engajado nesse projeto desde seu início – há 12 anos -, desenvolvendo tecnologias e materiais que ajudam a reduzir peso, armazenar energia e promovem eficiência energética. Com este “laboratório voador”, a Solvay tem posto à prova a sua especialização em materiais avançados e energia sustentável, que permitem ao Solar Impulse voar ao redor do mundo excluvisamente com a energia do Sol.

“A aventura Solar Impulse representa a inovação sem limites e a capacidade da Solvay de demonstrar sua força na busca de soluções para desenvolver e promover tecnologias de baixo carbono”, disse Jean-Pierre Clamadieu, presidente do Comitê Executivo e CEO da Solvay. “Desejamos aos pilotos Bertrand Piccard e André Borschberg um voo seguro e grande sucesso em sua volta ao mundo.”

Viajando a velocidades entre 50 e 100 quilômetros por hora, o Si2 voará 25 dias distribuídos por cinco meses, equipado com 15 produtos Solvay aplicados em mais de 6.000 componentes, incluindo os seus plásticos e polímeros de alto desempenho, fibras, filmes, lubrificantes e revestimentos.

A inovação brasileira também está a bordo com Emana, microfibra têxtil criada pela Rhodia, que faz parte do uniforme oficial de viagem dos pilotos. Espécie de segunda pele, usada por baixo do uniforme oficial dos pilotos,a roupa age para melhorar a microcirculação sanguínea, contribuindo para o retardamento da fadiga muscular dos pilotos durante o voo.

O Si2 tem previsão de parar em 12 locais, incluindo escalas na Índia, China, Estados Unidos e Europa ou na África do Norte, antes de retornar para Abu Dhabi. André Borschberg pilotou a primeira parte da viagem de 400 km, a partir de Abu Dhabi até Muscat, em Omã. Entre os principais desafios da jornada está o voo ininterrupto de cinco dias e noites da China para o Havaí.

Se quiser acompanhar em tempo real essa jornada, que teve início nesta madrugada em Abu Dhabi, nos Emirados Unidos, acesse o site http://www.solarimpulse.com

Fonte: Solvay / Rhodia Brasil

Curta nossa página no

Rhodia se engaja em projeto mundial para ampliar sustentabilidade na logística da Indústria Química

20/05/2014

Iniciativa dos principais “players” do setor químico mundial busca aumentar a transparência e promover melhorias na cadeia de fornecimento

A Rhodia, empresa do grupo Solvay, já deu início no Brasil, entre seus fornecedores, à fase de piloto de implantação do projeto Juntos pela Sustentabilidade (Together for Sustainability – TfS), cujo objetivo final é o de alavancar a sustentabilidade na cadeia de fornecimento do setor químico. A iniciativa mundial, lançada nesta semana, reúne as indústrias químicas AkzoNobel, Basf, Bayer, Clariant, Evonik Industries, Henkel, Lanxess e Solvay.

O programa Juntos pela Sustentabilidade pretende desenvolver e implementar um programa global de engajamento de fornecedores, que avalia e fomenta as práticas de sustentabilidade na cadeias de fornecimento, incluindo aspectos ambientais e sociais. Está baseado em melhores práticas e princípios reconhecidos – como Pacto Global das Nações Unidas e o Programa Global Atuação Responsável®, assim como princípios desenvolvidos pela Organização Internacional do Trabalho (OIT), Organização Internacional para a Padronização (ISO) e Responsabilidade Social Internacional (SAI).

Até ao momento, os membros da TfS iniciaram com sucesso cerca de 2.000 avaliações e auditorias.. No decorrer de 2014, a iniciativa pretende expandir as suas atividades aos mercados emergentes de crescimento elevado, incluindo o Brasil, China e Índia.

A Rhodia iniciou o trabalho junto a um universo de 100 dos seus principais fornecedores. “O objetivo final da TfS no horizonte  a partir de 2016 é estabelecermos alguns padrões na cadeia de fornecimento, abrangendo todos os pilares da sustentabilidade, o que permitirá ganhos de longo prazo tanto para as empresas quanto para os seus fornecedores”, diz Nelson Costa Junior, Diretor de Compras & Supply Chain do grupo Solvay na América do Sul.

Avaliações e Auditorias de Terceiros – A iniciativa TfS integra avaliações e auditorias de fornecedores realizadas por peritos independentes. As avaliações serão feitas pela empresa EcoVadis, líder mundial em avaliação de Responsabilidade Social Corporativa. Os resultados das avaliações,  são compartilhados em forma de scorecards num portal acessível às empresas e fornecedores.

Em relação às auditorias, a TfS colobora com empresas de auditoria independentes para analisar o desempenho de sustentabilidade de um fornecedor em relação a um conjunto de critérios pré-definidos adequados às exigências da indústria química, incluindo temas de gestão; saúde, segurança e meio ambiente; e de governança. A auditoria consiste numa avaliação no local, por exemplo, em instalações de produção, armazéns e escritórios.

Os benefícios para os fornecedores que participam da iniciativa são diversos. A troca de informação com múltiplos clientes reduz o número de avaliações e auditorias necessárias, reduzindo, por sua vez, tempo, recursos e custos globais. Isto permitirá que as empresas e os fornecedores envolvidos nesse projeto disponibilizem os recursos de forma mais eficiente e melhorem mutuamente os padrões de sustentabilidade na cadeia global de fornecimento da indústria química.

Fonte: Rhodia

Curta nossa página no

Solvay comemora 150 anos

24/10/2013

No Brasil, com a Rhodia, o grupo atua há 94 anos

 “Um século e meio de descobertas a serviço do progresso das pessoas e da sociedade”. O slogan comemorativo dos 150 anos de fundação do grupo Solvay reflete a contribuição que a empresa tem dado para a evolução da sociedade ao desenvolver permanentemente novas tecnologias, produtos e processos no setor químico.

Desde sua fundação, em 1863, por Ernest Solvay, o grupo entende que a química, além de ser um negócio lucrativo, oferece ao mercado um leque crescente de tecnologias e soluções inovadoras, competitivas e geradoras de valor. Atende às demandas do seu tempo e ajuda a construir um futuro melhor para as pessoas e para o planeta.

“Temos orgulho de fazer parte dessa história de sucesso, ao mesmo tempo em que reconhecemos os desafios para continuar progredindo no setor químico, oferecendo aos nossos clientes e ao mercado os melhores produtos e tecnologias. Por isso, investimos permanentemente em nossos recursos e talentos para fazer a química cada vez mais sustentável”, afirmou Osni de Lima, presidente do Grupo Solvay na América do Sul, ao participar de eventos realizados no Brasil para comemorar os 150 anos do grupo.

O grupo Solvay investe anualmente em torno de US$ 60 milhões em duas operações na América do Sul, para aumento de capacidade de produção, desenvolvimento e lançamento de novos produtos e aplicações para os diversos mercados em que atua na região.

Constituído inicialmente na Bélgica, para a produção de carbonato de sódio, através de um processo químico criado por Ernest Solvay, o grupo expandiu progressivamente suas atividades, desenvolvendo novos produtos e alcançando mercados internacionais.

Ao longo dos anos, a empresa transformou-se constantemente para se adaptar a novos desafios macroeconômicos e geopolíticos, mantendo no centro de sua cultura empresarial a produção industrial química ligada à ciência.

Para perpetuar o compromisso de Ernest Solvay pela pesquisa científica, o Grupo criou em 2013 o Prêmio Solvay para a Química do Futuro, concebido para celebrar grandes descobertas científicas que vão ajudar a criar a indústria química do futuro.

Um dos mais importantes movimentos estratégicos realizados pelo grupo recentemente foi a aquisição das operações internacionais da Rhodia, em setembro de 2011, cuja consolidação foi concluída no início de 2013, criando um empresa química internacional com operações em 55 países, empregando cerca de 29.000 pessoas e possuindo um  faturamento anual da ordem de 12,4 bilhões de euros. Ao mesmo, tendo em vista a sua reconhecida trajetória de sucesso na região, a marca Rhodia foi mantida no Brasil.

Áreas de atuação

Bens de consumo: Mais conforto e bem-estar aos consumidores com fibras, plásticos, aromas e várias outras soluções, que estão presentes em produtos de limpeza e de higiene pessoal, alimentos, artigos têxteis e equipamentos esportivos.

Automotivo: O grupo é um aliado dos avanços que contribuem para a mobilidade sustentável: sílicas para pneus mais eficientes, que diminuem consumo de combustível; plásticos de engenharia e polímeros especiais, que reduzem o peso dos veículos, melhorando seu desempenho; materiais com base em terras raras, que reduzem as emissões de poluentes.

Energia: Soluções para agregar eficiência energética aos processos industriais e para aumentar a capacidade de armazenamento de energia nas baterias de lítio. Além de produtos usados para gerar energia solar e eólica e membranas de difusão de gases e transferência de calor.

Meio ambiente: Soluções específicas que ajudam proteger o meio ambiente na vida cotidiana e na indústria. Elas são utilizadas em controle de emissões atmosféricas, reparação de solo, abastecimento e tratamento de água, tecnologias de membranas de separação de gás e de purificação de água.

Construção:  Solventes e fibras para uma infinidade de aplicações em construção: tintas e revestimentos, isolamento térmico, janelas, fiação elétrica, cabos e tubos, acessórios para sistemas de aquecimento e arrefecimento, agentes de expansão e retardantes de chama.

Agricultura: Produtos seguros, eficazes, fáceis de usar e ambientalmente amigáveis para a fabricação de agroquímicos, substituindo com vantagens os aditivos convencionais. Já o bicarbonato de sódio e a sílica são utilizados na fabricação de produtos para cuidado animal.

Eletricidade e eletrônicos: Formulações e soluções de alto desempenho para materiais condutores e fotovoltaicos, revestimentos de monitores de tela plana, semicondutores, diagnósticos médicos por imagens e câmeras digitais, otimização da eficiência energética da iluminação elétrica, componentes de isolamento elétrico e eletrônicos orgânicos.

Papel: Produtos usados nos diferentes estágios da produção de papel: peróxido de hidrogênio para o branqueamento da celulose, soda cáustica para a produção de celulose e carbonato de sódio para a preparação do papel.

Outras Indústrias: Agentes de processos e intermediários para inúmeras aplicações, ajudando as indústrias clientes a superar o desafio de assegurar desempenho ambiental e, ao mesmo tempo, manter a competitividade.

Fonte: Solvay

Fonte: Nordson Kreyenborg / Martino Communications

Curta nossa página no

Rhodia abre 100 vagas para estágios em 2014

14/08/2013
  • As inscrições para a seleção de estagiários de cursos de nível superior devem ser feitas até o dia 15 de setembro exclusivamente pela Internet no site da Rhodia, em www.rhodia.com.br.
  • A empresa também oferece vagas para estágios técnicos em Paulínia e no ABC

A Rhodia, empresa do grupo Solvay (www.solvay.com), abriu as inscrições para o processo seletivo para o seu programa de estágios em 2014. A empresa prevê oferecer 100 vagas para estudantes universitários que em 2014 estejam cursando o penúltimo ou o último ano da faculdade.

As oportunidades de estágio para nível superior serão nas áreas Ambiental, Comercial/Marketing, Comércio Exterior, Compras, Comunicação, Engenharia, Finanças, Jurídico, Pesquisa e Desenvolvimento, Qualidade, Recursos Humanos, Relações Governamentais, Secretariado, Supply Chain/Logística, Tecnologia da Informação, entre outras. As vagas são destinadas às unidades industriais de Paulínia, Jacareí, Santo André e São Bernardo do Campo e nos escritórios centrais da empresa, em São Paulo.

Os candidatos para estágio de nível superior devem ter conhecimentos de Inglês em nível intermediário e conhecimentos de informática como usuários. Os selecionados receberão uma bolsa-auxílio que varia de R$ 1.325,00 a R$ 1.505,00 mensais, dependendo do ano em que concluirão seus cursos, para 30 horas de estágio por semana.

O estágio será de seis (6) horas por dia e, dependendo da necessidade da área, a freqüência poderá variar entre três e cinco dias na semana. Além disso, a Rhodia oferece vale refeição ou restaurante, seguro de vida, assistência médica, assistência odontológica e auxílio-transporte ou fretado.

As inscrições de nível superior estarão abertas até o dia 15 de setembro e devem ser feitas no site da Rhodia em www.rhodia.com.br

Estágios técnicos em Paulínia – A empresa abriu as inscrições para estágios técnicos, destinados aos estudantes que em 2014 cursarão o último ano do ensino técnico.  Em Paulínia, as vagas serão para as seguintes áreas da empresa: Administração, Bioquímica, Edificações, Eletroeletrônica, Instrumentação, Logística, Mecânica, Mecatrônica, Meio Ambiente, Química e Segurança do Trabalho. As inscrições estarão abertas até 15 de setembro e deverão ser feitas exclusivamente pelo endereço http://www.alleata.com.br

Estágios técnicos no ABC-As vagas de estágio técnico nas unidades da empresa em Santo André e São Bernardo do Campo serão para as áreas de Administração, Bioquímica, Contabilidade, Desenho de Projetos, Edificações, Eletrônica, Eletroeletrônica, Informática, Instrumentação, Laboratorista, Logística, Mecânica, Mecatrônica, Meio Ambiente, Plásticos, Qualidade, Química, Secretariado, Segurança do Trabalho e Têxtil. As inscrições devem ser feitas até 15 de setembro através do envio de e-mail com curriculum para estagios.rhodia@willisa.com.br

Curta nossa página no

Aplicações de Plásticos de Engenharia na Indústria Automotiva foram destaque na Feiplastic 2013

28/05/2013

Preocupação ambiental, Novo Regime Automotivo e redução dos custos de produção são alguns dos motivos que tornam o material mais atrativo para as grandes montadoras.

 Desde janeiro deste ano está em vigor o Novo Regime Automotivo que, entre outras exigências, determina que montadoras aumentem a eficiência energética de seus produtos em pelo menos 12% até 2017, o que segundo a ANFAVEA, representaria uma economia de 13,6% em combustível. Uma das soluções utilizadas pelas fábricas para atingir a meta é a redução do peso do carro. Para isso, estão investindo na substituição de compostos automotivos de metal por peças equivalentes feitas de plásticos de alta performance, também chamados de plásticos de engenharia. Essa tendência pôde ser comprovada na FEIPLASTIC 2013 – Feira Internacional do Plástico, que acontece no Pavilhão de Exposições do Anhembi, onde gigantes da indústria mostraram resultados positivos para o setor.

Coletores de Admissão de ar, por exemplo, eram exclusivamente fabricados de metal no passado, e hoje os modelos feitos com plástico de alta performance estão presentes em cerca de 97% dos veículos no Brasil de acordo com Paulo da Silva Motta, gerente de marketing e desenvolvimento de novos negócios da Rhodia. “Hoje o cárter de óleo feito de poliamida (componente principal do plástico de engenharia) é utilizado numa porcentagem próxima de zero. Nossa expectativa é que em cinco anos essa peça, feita de plástico, esteja presente em 50% da nova frota”, afirma.

Ainda de acordo com Motta, um carro 100 kg mais leve economiza meio litro de combustível por cem quilômetros rodados e reduz em 11,65g a emissão de CO2 por quilômetro. O Inovar-Auto também tem como critério a redução de emissão de carbono pelo veículo. Dessa forma a utilização do plástico já contribui para duas exigências do Novo Regime Automotivo que propõe desconto de 30 pontos no IPI para as montadoras. A japonesa UBE chegou à FEIPLASTIC com objetivo de aumentar sua participação no Brasil em 10% ainda em 2013. Para isso a empresa apresenta um grande portfólio de aditivos que são usados para diminuir o peso do plástico de engenharia sem que este perca suas propriedades. “Nossa empresa investe 5% do faturamento total no desenvolvimento de novos produtos. A FEIPLASTIC foi a plataforma escolhida para mostrar nossa linha completa de inovações ao mercado brasileiro tendo em vista a importância da feira e uma crescente demanda por nossos produtos, impulsionada principalmente pela indústria automotiva”, disse Carlos Catarozzo, executivo de vendas e marketing da UBE.

A DSM trouxe para a FEIPLASTIC uma tampa estética de motor feito de poliamida ecologicamente correta, pois 70% de sua composição é obtida do óleo de mamona. Além do plástico de alta performance ser reciclável, a fonte de sua matéria-prima também é renovável, contribuindo para a redução do peso do carro e de emissão de gases poluentes. O EcoPaXX, como é chamado, já é utilizado no novo Mercedes-Benz Classe A.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Feiplastic

Curta nossa página no

Rhodia lança inovações em plásticos de engenharia e polímeros especiais na Feiplastic 2013

20/05/2013

feiplastic

  • Novidades atendem aos diversos mercados de plásticos de engenharia e polímeros especiais de alto desempenho
  • Participação conjunta das áreas de negócios de Plásticos de Engenharia e Specialty Polymers amplia o portfolio de soluções à disposição do mercado
  • Empresa conclui investimento e amplia em 15% a produção de plásticos de engenharia no Brasil
  • Technyl® completa 60 anos de inovação

A Rhodia, empresa do grupo Solvay, com o objetivo de reforçar sua liderança no mercado de compostos de poliamidas 6 e 6.6 e de polímeros especiais, está fazendo o lançamento de inovações para atender necessidades de diversos segmentos de aplicações desses produtos.

Essas novidades criadas pelas áreas globais de negócios Plásticos de Engenharia e Specialty Polymers, que serão apresentadas na Feiplastic 2013 – Feira Internacional do Plástico (de 20 a 24 de maio, em São Paulo, Brasil), ampliam a oferta de produtos e tecnologias do grupo Solvay com foco em sustentabilidade à disposição da indústria do setor.

Lançamento de novidades – Na área de plásticos de engenharia, a principal novidade da empresa é o Technyl® ECO, uma aplicação criada no Brasil para o plástico de engenharia a partir de poliamida 6.6 reciclada, que é obtida por meio de um processo exclusivo de reciclagem química produzido pela Rhodia com o aproveitamento de resíduos de fios têxteis e industriais de poliamida.

Esse processo garante excelentes propriedades mecânicas e manutenção das propriedades térmicas ao Technyl® ECO, fazendo com que ele possa ser utilizados em peças com alta exigência em performance, além de permitir uma redução significativa de CO2 equivalente. De acordo com análises de produto em aplicação industrial, o uso dessa poliamida reciclada permite a redução de 70% da emissão de CO2 equivalente e de 76% do consumo de energia, quando comparado ao composto virgem. Outro aspecto importante dos compostos Technyl® ECO é a qualidade assegurada Rhodia.

Rhodia_Entrada_de_arDestinadas inicialmente ao segmento automotivo, as poliamidas Technyl® ECO podem ser aplicadas na produção de diversas autopeças. A primeira autopeça a partir dessa poliamida reciclada, um coletor de admissão de ar para motor de automóvel, foi desenvolvida pela Rhodia e a Magneti Marelli, líder no desenvolvimento e produção de sistemas e componentes de alta tecnologia para veículos.

O coletor de admissão de ar é responsável por levar ar ao motor do veículo, além de dar suporte à galeria e ao corpo de borboleta. Trata-se de uma peça com alta exigência técnica de performance para a qual o Technyl® ECO já está homologado.

Investimentos em inovações sustentáveis – “Nosso planejamento estratégico, para reforçar nossa posição de liderança em plásticos de engenharia a partir de poliamida 6 e 6.6, contempla o desenvolvimento permanente de inovações que valorizam a sustentabilidade em todos seus aspectos e estão em linha com as grande tendências da sociedade atual”, afirma Marcos Curti, diretor para as Américas da área global de negócios Plásticos de Engenharia do grupo Solvay.

A empresa concluiu recentemente a instalação de uma extrusora mega compounder, um investimento que aumentou em 15% a capacidade da unidade industrial em São Bernardo do Campo, para atender os mercados da América Latina. Os plásticos de engenharia a partir de poliamidas 6 e 6.6 da Rhodia são empregados principalmente na produção de peças para a indústria automotiva, de eletroeletrônicos e bens industriais e de consumo.

“Abastecemos as necessidades dos clientes e trabalhamos em conjunto com eles para a criação de novas aplicações, que atendem tanto ao mercado interno quanto aos mercados internacionais”, acrescenta Curti, lembrando, como exemplo, os produtos anti-chama livres de halogênio, produzidos a partir de plásticos de engenharia da Rhodia.

Technyl, 60 anos de inovação – Durante a Feiplastic 2013, sob o slogan “60 anos de inovação”, a Rhodia inicia a comemoração da existência da marca Technyl, que se tornou reconhecida internacionalmente como uma das mais importantes linhas de produtos e tecnologia em plásticos de engenharia ou plásticos técnicos, cujas aplicações têm contribuído para o crescimento de diversos mercados industriais.

Polímeros Especiais – Um dos destaques do grupo Solvay no evento serão os Specialty Polymers, área global de negócios em que a empresa dispõe de um vasto portfólio de produtos e aplicações destinados a diversos mercados de atuação. “Estamos prontos para acompanhar todo o crescimento tecnológico que se dará no Brasil nos próximos anos, tanto pelos produtos que oferecemos quanto pela qualificação de nossos profissionais”, diz Alexandre Guimarães, gerente de Vendas e Marketing da área global de negócios Specialty Polymers para a América do Sul.

Essa área de negócios do grupo Solvay apresenta durante o evento uma série de novidades. Por exemplo, no segmento de produtos para a área de Saúde, no qual é cada vez maior o uso de polímeros especiais da empresa, em substituição ao metal, vidro e outros materiais, uma das inovações é o triângulo Bender, um dispositivo de apoio e posicionamento para cirurgia ortopédica totalmente ajustável, desenvolvido pela empresa norte-americana Tri-Medics, LLC, um dos principais fabricantes de dispositivos médicos e de instrumentação.

Rhodia_TrianguloPesando apenas quatro quilos, o triângulo é feito de Polifenilsulfona (PPSU) e oferece aos cirurgiões uma solução simples e fácil de usar, pois é ajustável, autoclavável e radiotransparente na utilização de raios-x. É uma alternativa altamente eficaz para substituir o suporte feito de espuma de borracha e metal, que é mais caro e mais complicado para manipulação.

No segmento industrial, a novidade da Solvay é um novo grade da linha Halar®, polímero de alta performance voltado para o revestimentos de superfícies, visando a prevenção contra agentes corrosivos. Qualquer indústria que maneje de alguma forma produtos químicos encontra nesses polímeros de revestimento uma solução tão ou mais eficaz, com melhor custo/benefício do que as soluções oferecidas por metais, como aço inox e outras ligas especiais.

O novo grade é destinado a aplicações em pintura eletrostática, muito comum para tubulações e peças de pequena geometria, mas que possui certa limitação de espessura de camada. Os polímeros da Solvay para revestimento anticorrosivo também possuem  aplicações no setor de Oil&Gas.

Para o segmento automotivo, a empresa oferece polímeros utilizados na produção de peças automotivas para ambientes agressivos, inclusive as que são imersas em biodiesel. Os polímeros especiais da Solvay são utilizados na produção de autopeças, tais como bombas de água e peças do sistema de arrefecimento, arruelas de encosto e mancais para transmissão e conectores elétricos para solda utilizando tecnologia “Reflow”.

A empresa apresenta peças com polímeros especiais para torneiras, conexões e válvulas de água quente, feitas para substituir o latão. Há também o primeiro material cromável/metalizável com função estrutural, trata-se de um dos materiais com a maior resistência mecânica do mercado, atendendo a requisitos estéticos.

Diversos novos grades atendem a aplicações de desgaste por abrasão e temperaturas ainda mais elevadas na automotiva. Grades de novos de materiais como a Poliftalamida (PPA) Amodel® atendem a validações de sistemas de turbocompressores automotivos em 220ºC por milhares de horas. O PPA Amodel ® hoje pode atender à substituição de metais em hidrômetros ou relógios de água.

Para o segmento de construção, peças podem ser produzidas com compostos de polietileno reticulado (XL Compounds) para aplicações em fios e cabos, tubos, válvulas e conexões. Um dos destaques nesse segmento são os polímeros especiais para a produção de compostos isentos de halogênios para a produção de cabos elétricos. Esse tipo de cabo está ganhando cada vez mais espaço em ambientes de alta densidade de ocupação, bem como difíceis condições de fuga. O consumo de cabos livre de halogênios ainda é pequeno, mas as novas construções principalmente do estádios de futebol para a Copa do Mundo de 2014 estão alimentando esse mercado e estima-se um crescimento de 50% em cinco anos.

Sobre a Unidade Global de Negócios de Plásticos de Engenharia: A unidade global de negócios Plásticos de Engenharia, especialista em plásticos de engenharia a partir de poliamida 6 e 6.6, desenvolve, fabrica e comercializa nos últimos 60 anos, sob a marca Technyl®, uma linha completa de plásticos de alto desempenho para os mercados automotivo, de construção, elétrica e bens de consumo. Com uma estratégia de crescimento sustentada por seis unidades de produção em todo o mundo, a GBU Plásticos de Engenharia emprega sua expertise e capacidade de inovação, a fim de atender mais de perto às necessidades dos seus clientes, através de uma rede global de centros técnicos e de Pesquisa e Desenvolvimento.

Sobre a Unidade Global de Negócios de Specialty Polymers:  Com mais de 2.700 pessoas em todo o mundo, a empresa atende clientes a partir de seus 15 centros de fabricação e 11 centros de Pesquisa, Desenvolvimento e Tecnologia. Com sede em Bollate, na Itália, a GBU fornece mais de 1.500 produtos em 35 marcas de polímeros de alto desempenho – fluoropolímeros, fluorelastômeros, fluídos fluorados, poliamidas semiaromáticas, polímeros de sulfona ultrapolímeros aromáticos, polímeros de alta barreira e compostos reticuláveis de alto desempenho – para uso em mercados de alto crescimento, como transporte avançado, saúde, água, energia, e dispositivos inteligentes.

Fonte: Rhodia

Curta nossa página no

Solvay mostra inovações em plásticos de engenharia e polímeros especiais na Plastimagen 2013

11/03/2013
  • Produtos atendem a mercados em crescimento na região, com destaque para os setores automotivo e de transportes, energia, saúde e água
  • Empresa lança poliamida 6.10 derivada em parte de óleo de mamona, de fonte renovável, para produção de autopeças
  • Technyl®, marca reconhecida internacionalmente na área de plásticos de engenharia de alto desempenho, agora integra o portfólio da Solvay

Para reforçar sua presença no mercado mexicano e da América Latina, as unidades globais de negócios de Plásticos de Engenharia e Polímeros Especiais do Grupo Solvay participam conjuntamente pela primeira vez da Plastimagen 2013 (de 12 a 15 de março, no Centro Banamex, na Cidade do México), a principal exposição de produtos e tecnologias em plásticos e polímeros da região.

“Nosso objetivo é o de contribuir para o desenvolvimento dos mercados da região, oferecendo uma ampla gama de tecnologias, processos e produtos em plásticos de engenharia e polímeros especiais, segmentos em que o grupo é um dos líderes mundiais”, afirma Suzana Kupidlowski, Gerente de Marketing de Plásticos de Engenharia do grupo Solvay.

Com a reorganização das suas áreas de negócios, depois de consolidada a integração do grupo Rhodia, adquirido em setembro de 2011, a Solvay ampliou seu portfólio de plásticos de engenharia, incorporando a marca Technyl, internacionalmente reconhecida por uma série de tecnologias e produtos inovadores de base poliamida, utilizados na produção de peças para os setores automotivo, elétrico, bens industriais e de consumo.

Inovação sustentável – Entre as novidades para apresentação na Plastimagen 2013 está o Technyl® eXten — uma poliamida 6.10 derivada em parte de óleo de mamona, de fonte renovável. O novo produto, que reduz o impacto ambiental no processo de produção, pode ser utilizado na confecção de tubulações para combustíveis, servo freio e dutos de óleo para veículos leves e pesados. A novidade já foi homologada em diversos clientes finais das duas empresas, substituindo com vantagens aplicações que atualmente usam PA12, de origem totalmente petroquímica.

“Em comparação com outros plásticos de engenharia de poliamida de alto desempenho, a nova aplicação de Technyl® eXten oferece aos clientes vantagens técnicas e econômicas, além de contribuir para a redução das emissões de CO2”, explica Suzana Kupidlowski.

Technyl® eXten é uma poliamida parcialmente de origem vegetal. Medições realizadas de acordo com o método de teste padrão confirmaram que 62,5% do seu carbono são de origem renovável. Este material, além de reduzir a pegada de carbono, ajuda na redução de uso de recursos não renováveis​​, quando em comparação com outras poliamidas de origem integral da cadeia petroquímica.

Polímeros especiais – Igualmente em destaque na Plastimagen estarão os polímeros especiais da Solvay, uma gama de produtos de alto desempenho utilizados em mercados de forte crescimento no mundo, tais como transportes, saúde, água, energia e dispositivos inteligentes.

A unidade de negócios Solvay Specialty Polymers fornece uma ampla gama  de plásticos de alta performance, que inclui polímeros fluorados, polímeros de ultra-desempenho, poliamidas de alto desempenho, polímeros sulfonados, polímeros de alta barreira e compostos reticuláveis de alto desempenho. Esses materiais são amplamente utilizados na indústria aeroespacial e automotiva para fornecer soluções de alto desempenho para substituição de metal que reduzem o peso, têm menor custo e melhoram o desempenho. Resinas de fluorpolímero são utilizadas em uma vasta gama de fios e cabos. Pós de PTFE micronizado são utilizados como aditivos em uma ampla gama de materiais, tais como resinas termoplásticas, revestimentos e tintas, tintas de impressão, elastômeros e lubrificantes.

A unidade global de negócios Specialty Polymers, com sede na Itália, 15 unidades de produção e 11 centros de P&D no mundo, fornece mais de 1.500 produtos em 35 marcas.

Fonte: Solvay

Curta nossa página no

Rhodia aumenta em 20% a produção de filamentos de poliamida no Brasil

08/01/2013

 A Rhodia, empresa do grupo Solvay, ampliará em 20% a produção de filamentos de poliamida 6.6 para aplicações têxteis e industriais. O aumento da produção, que deverá ocorrer em etapas até o final  de 2013, inclui a utilização de máquinas e equipamentos de última geração instalados na unidade industrial da empresa Tork (ex-Ledervin) em Osasco (SP), conforme acordo assinado entre as duas empresas.

 O incremento da produção é uma resposta às necessidades do mercado brasileiro de filamentos de poliamida 6.6, em especial em fios têxteis texturizados e fios industriaisde alta tenacidade. Esses produtos são empregados em segmentos nos quais se projeta crescimento importante para os próximos anos.

Por exemplo, os fios industriais de alta tenacidade entram na fabricação de  tecidos de airbags, um item de segurança que será obrigatório nos veículos novos produzidos no Brasil a partir de 2014, em fios para pneus, correias transportadoras e linhas de costura industrial para calçados e estofados, entre outros, nos quais a principal exigência é a capacidade de resistência oferecida pela poliamida 6.6.

Já os fios têxteis texturizados da Rhodia são utilizados na confecção de roupas para os segmentos de moda/fashion, lingerie e moda íntima, esportivo, meias e uniformes, que valorizam a inovação, a tecnologia, a qualidade e o design diferenciado.

“Nossa intenção com esse projeto é contribuir para o crescimento da indústria nacional na área de poliamida 6.6, que enfrenta atualmente um ambiente de negócios extremamente competitivo”, afirma informa Francisco Ferraroli, presidente da Rhodia Fibras, unidade global de negócios do grupo Solvay dirigida a partir do Brasil.

Segundo Ferraroli, a empresa tem investido permanentemente na expansão dos mercados de filamentos de poliamida 6.6. “Recentemente, no final de 2011, concluímos outro investimento da ordem de 10 milhões de dólares no aumento de produção de fios inteligentes, microfibras e supermicrofibras para os diferentes segmentos têxteis que atendemos”, disse.

Fonte: Rhodia

Curta nossa página no

Rhodia apresenta soluções sustentáveis em plásticos de engenharia na Colombiaplast 2012

01/10/2012

A Rhodia, empresa do grupo Solvay, disposta a reforçar sua presença no mercado latino-americano de plásticos de engenharia e polímeros de alto desempenho, participa pela terceira vez consecutiva da Colombiaplast 2012 apresentando uma série de soluções alinhadas às necessidades do mercado. O evento, o maior do setor na região do Merconorte, ocorre de 01 a 05 de outubro no centro de exposições de Bogotá, na Colômbia.

O foco da Rhodia Plásticos de Engenharia está na oferta de tecnologias e produtos para produção de peças que atendam aos três principais eixos de crescimento do setor: redução de peso, reciclabilidade e sustentabilidade (redução de CO2). “Temos todas as condições de suprir a demanda dos clientes por soluções que agregam valor à cadeia produtiva do setor e os ajudem a crescer nesse mercado”, afirma Neville Camargo, gerente comercial da Rhodia Plásticos de Engenharia Américas.

Na área de plásticos de engenharia, os destaques do evento serão o TechnylStar A 205 Natural S, que oferece maior produtividade e redução de custos com energia,, o TechnylStar AFX, para substituição de metais, a linha de produtos FR – Fire Resistant, que são soluções para o segmento de distribuição de energia, e o novíssimo Technyl Eco, produto de fonte renovável. Na área de especialidades plásticas, a empresa disponibilizará informações sobre os polímeros de alto desempenho da Solvay Specialty Polymers, que são empregados em diversos segmentos de mercado.

Os plásticos de engenharia e polímeros em poliamida da Rhodia são empregados principalmente na produção de peças para os segmentos automotivo/transportes, eletroeletrônicos e construção e bens industriais de consumo. A empresa, uma das líderes mundiais desse setor, possui unidades produtivas e laboratórios de desenvolvimento de aplicações em quatro continentes. Na América do Sul, a unidade produtiva e o laboratório de desenvolvimento de aplicações estão instalados em São Bernardo Campo, no Brasil.

Apresentação especial – A participação da Rhodia na Colombiaplast também prevê a apresentação especial Um Mundo de Soluções em Plásticos de Engenharia, durante painel técnico do evento, no dia 03/10, às 15h00, a cargo de Neville Camargo e Alexandre Morbeck, especialistas em plásticos de engenharia e polímeros.

Fonte: Rhodia

Curta nossa página no

Rhodia, Valeo e PSA Peugeot Citroen confirmam benefícios ambientais de resina de poliamida reciclada para autopeças

06/08/2012

Uma Análise do Ciclo de Vida (ACV) conduzida pela Rhodia (empresa do grupo Solvay), Valeo e PSA Peugeot Citroën confirmou os benefícios ambientais obtidos com o uso de poliamida reciclada em aplicações automotivas. As três empresas realizaram uma análise multi-critérios de todo o ciclo de vida do conjunto de hélice e defletor do radiador, um componente importante da refrigeração do motor do novo Peugeot 208, que está sendo lançado mundialmente em 2012 pela PSA. A Valeo fabrica esta autopeça a partir da poliamida Technyl® reciclada da Rhodia Plásticos de Engenharia.

O estudo, que foi revisado por uma consultoria independente (BIO Intelligence Service), comparou o impacto ambiental no uso de poliamida Technyl® reciclada em relação ao Technyl® produzido com resina virgem, tendo em conta toda a cadeia de valor e destacando os sete principais critérios ambientais: mudança climática, esgotamento de recursos não-renováveis​​, o impacto sobre a redução da camada de ozônio, acidificação, eutrofização, o consumo de energia primária e oxidação fotoquímica.

Os resultados mostram que utilizando-se a poliamida Technyl® reciclada o impacto ambiental do componente é significativamente reduzido ao longo de todo o seu ciclo de vida. No geral, para os sete critérios utilizados, o benefício varia de -9% para -28%. Além disso, os resultados das análises indicam que todo o benefício ambiental é obtido na fase de produção da Rhodia Plásticos de Engenharia, na qual se fabrica a poliamida reciclada.

A poliamida não sofre nenhum tipo de alteração durante o processo de injeção, nem durante a instalação ou utilização do componente, uma vez que o desempenho mecânico da poliamida Technyl® reciclada permite produzir componentes do conjunto de hélice e defletor do radiador com uma concepção, peso e vida util idênticos aos obtidos com Technyl® produzido com resina virgem.

“A colaboração com parceiros como a Rhodia e a Valeo, ambos comprometidos com o desenvolvimento sustentável, representa uma vantagem real no cumprimento dos limites legais em matéria de emissões de CO2 e na redução ainda maior do impacto ambiental dos automóveis”, diz Louis David, diretor adjunto da Pintura, Materiais e Processos da PSA Peugeot Citroën. “Esses resultados tão significativos confirmam a importância de escolher bem os materiais reciclados de alto desempenho técnico para um carro de melhor concepção ecológica”.

O benefício é medido pela escala de produção em massa de automóveis. Por exemplo, o uso de Technyl® reciclado da Rhodia na produção anual estimada do conjunto de hélice e defletor do radiador para o Peugeot 208 evita a geração de um volume de gás de efeito estufa equivalente ao produzido por 400 mil veículos em movimento em torno do anel viário de Paris ou à oxidação fotoquímica (responsável por picos de ozonio) causada pela circulação de 2,2 milhões de veículos na mesma via.

Em média, um veículo é constituído de 20% de polímeros, dos quais de 150 a250 kg são plásticos de diferentes tipos. A iniciativa de colaboração entre a Rhodia, Valeo e PSA Peugeot Citroën tem o potencial de confirmar cientificamente o aumento do uso de plásticos reciclados para responder aos desafios ambientais enfrentados pela indústria automotiva mundial.

Fonte: Rhodia

Curta nossa página no

Rhodia abre 100 vagas para estágios em 2013

26/07/2012

A Rhodia, empresa do grupo Solvay, abriu as inscrições para o processo seletivo para o seu programa de estágios em 2013. A empresa prevê oferecer 100 vagas para estudantes universitários que em 2013 estejam cursando o penúltimo ou o último ano da faculdade.

As oportunidades de estágio serão em áreas de Pesquisa e Desenvolvimento, Engenharia, Recursos Humanos, Comunicação, Marketing, Finanças, Jurídico, Informática, Secretariado e Suprimentos, entre outras. As vagas são destinadas às unidades industriais de Paulínia, Jacareí, Santo André e São Bernardo do Campo e nos escritórios centrais da empresa, em São Paulo.

Os estudantes devem ter conhecimentos de Inglês em nível intermediário e conhecimentos de informática como usuários. Os selecionados receberão uma bolsa-auxílio que varia de R$ 1.325,00 a R$ 1.505,00 mensais, dependendo do ano em que concluirão seus cursos, para 30 horas de estágio por semana. Há vagas também para estágio para estudantes de nível técnico, com bolsa equivalente a R$ 905,00 mensais.

O estágio será de seis (6) horas por dia e, dependendo da necessidade da área, a freqüência poderá variar entre três e cinco dias na semana. Além disso, a Rhodia oferece vale refeição ou restaurante, seguro de vida, assistência médica, assistência odontológica e auxílio-transporte ou fretado.

As inscrições estarão abertas até o dia 06 de setembro e devem ser feitas exclusivamente ou no site da Rhodia em www.rhodia.com.br ou através do link www.empreza.com.br/rhodia2013,

A Rhodia atua no Brasil desde 1919. É pioneira no Brasil na realização de programas de estágios, que trata como uma oportunidade diferenciada para o estudante adquirir mais conhecimentos relacionados à sua escolha profissional. Mais informações sobre o Programa de Estágios da Rhodia estão no site http://www.rhodia.com.br

Sobre a Rhodia

A Rhodia é uma companhia química internacional fortemente engajada no Desenvolvimento Sustentável. Desde setembro de 2011, a Rhodia pertence à Solvay. Estruturada em 11 unidades globais de negócios, a Rhodia é parceira dos maiores líderes mundiais das indústrias: automotiva, eletroeletrônica, aromas e fragrâncias, saúde, mercados de cuidados pessoais e domésticos, bens de consumo e mercados industriais. A Rhodia emprega 14 250 pessoas em todo o mundo e obteve faturamento de 6,171 bilhões de euros em 2011.

Sobre a Solvay

A SOLVAY é um grupo químico internacional fortemente engajado no desenvolvimento sustentável e claramente focado na inovação e na excelência operacional. Com a recente aquisição da empresa de química de especialidades Rhodia foi criado um grande grupo químico mundial, que realiza mais de 90% de suas vendas em mercados onde já ocupa posição de liderança. A Solvay oferece uma ampla gama de produtos em vários setores tais como bens de consumo, construção, automotivo, eletrônico, energia, água e meio ambiente. O Grupo, que tem sede em Bruxelas, emprega 29 mil pessoas em 55 países e obteve um faturamento de 12,7 bilhões de euros (pro forma) em 2011.

Fonte: Rhodia

Curta nossa página no

Rhodia e Dytech desenvolvem autopeça com plástico de engenharia de fonte renovável.

08/05/2012

Novidade já está sendo utilizada na confecção de tubulações para combustíveis, servo freio, embreagens e dutos de óleo para veículos leves e pesados.

Com o objetivo de ampliar a oferta de produtos sustentáveis para o setor automotivo e de transportes, a Rhodia, empresa do grupo Solvay, e a DYTECH, empresa do setor de autopeças, desenvolveram no Brasil um produto inovador a partir do plástico de engenharia Technyl® eXten — uma poliamida 6.10 derivada em parte de óleo de mamona, de fonte renovável.

O novo produto, que reduz o impacto ambiental tanto dos processos de produção quanto das aplicações finais, pode ser utilizado na confecção de tubulações para combustíveis, servo freio, embreagens e dutos de óleo para veículos leves e pesados. A novidade já foi homologada em diversos clientes finais das duas empresas, substituindo com vantagens aplicações que atualmente usam PA (poliamida) 12, de origem totalmente petroquímica.

“Em comparação com outros plásticos de engenharia de poliamida de alto desempenho, a nova aplicação de Technyl® eXten oferece aos clientes uma série de vantagens técnicas e de custo-benefício, além dos ganhos ambientais, com a redução das emissões de CO2”, afirma Marcos Curti, diretor da Rhodia Plásticos de Engenharia e Polímeros para as Américas.

Technyl® eXten é uma poliamida parcialmente de origem biológica. Medições revelaram que 62,5% do seu carbono são de origem natural. Esta fonte biológica, além de reduzir a pegada de carbono, ajuda na redução de uso de recursos não renováveis, quando em comparação com outras poliamidas de origem totalmente da cadeia petroquímica. “A aplicação do nosso material na produção de autopeças nesse segmento de alto volume de produção, como os tubos e dutos para veículos leves e pesados, ajudará na redução de milhares de toneladas de emissões de CO2 por ano”, acrescenta Curti

Os plásticos de engenharia e polímeros em poliamida da Rhodia são empregados principalmente na produção de peças para os segmentos automotivo e de transportes, eletroeletrônicos e construção e bens industriais de consumo. A empresa, uma das líderes mundiais desse setor, possui unidades produtivas e laboratórios de desenvolvimento de aplicações em quatro continentes. No Brasil, a fábrica e o laboratório estão instalados em São Bernardo Campo (SP).

Segundo Giorgio Fabbroni, vice-presidente da DYTECH do Brasil, o desenvolvimento dessa nova aplicação de plástico de engenharia de origem renovável amplia a oferta de soluções em linha com as necessidades da indústria automotiva por produtos sustentáveis. A indústria de veículos pesados no Brasil — observa — vive um momento particularmente especial, com a entrada em vigor do Programa de Controle da Poluição do Ar por Veículos Automotores (Proconve 7).

“Os caminhões têm cada vez mais demandas de carga e as montadoras precisam reduzir o peso do veículo, sem perder eficiência e adequar-se à legislação ambiental, reduzindo as emissões. Estamos engajados juntos com a Rhodia em oferecer aos clientes soluções tais como o Technyl® eXten que combina todos os aspectos da sustentabilidade”, afirma Fabbroni.

Sobre a Rhodia / Solvay

A Rhodia, uma empresa do grupo Solvay, é estruturada em 11 unidades globais de negócios e atua em conjunto com os maiores líderes mundiais das indústrias  automotiva, eletroeletrônica, aromas e fragrâncias, saúde, mercados de cuidados pessoais e domésticos, bens de consumo e mercados industriais. A Rhodia emprega 14 250 pessoas em todo o mundo e obteve faturamento de 6,171 bilhões de euros em 2011.  O Grupo Solvay, que tem sede em Bruxelas, emprega 29 mil pessoas em 55 países e obteve um faturamento de 12,7 bilhões de euros (pro forma) em 2011.

Sobre a Dytech – Dynamic Fluid Technologies

Com um volume de negócios de 255 milhões de euros e cerca de 3.300 empregados em 9 países,  a DYTECH projeta, desenvolve e fabrica uma ampla gama de sistemas, subsistemas e componentes para motores e plataformas de aplicação.

Fonte: Rhodia

   Curta nossa página