Posts Tagged ‘Região Sul’

Empresas da região Sul apresentam novas tecnologias e prospectam negócios na Feiplastic 2013

13/03/2013

feiplastic

A região concentra 27,5% das empresas do setor de Transformados Plásticos do país e emprega 91.967 pessoas

A força econômica e o potencial das indústrias do setor plástico na região Sul, que, segundo a Abiplast (Associação Brasileira da Indústria do Plástico) concentra 27,5% das empresas do País e emprega pelo menos 91.967 pessoas, serão demonstradas pelas marcas expositoras na FEIPLASTIC 2013 – 14ª Feira Internacional do Plástico, maior feira de negócios da indústria plástica na América Latina, que acontece de 20 a 24 de maio, no Pavilhão de Exposições do Anhembi, em São Paulo. A feira terá a participação de 50 empresas vindas do Paraná ao Rio Grande do Sul, dos principais segmentos da cadeia produtiva do plástico, que trarão novidades em produtos e lançamentos para os 70 mil visitantes/compradores esperados para o evento.

Em sua segunda participação na FEIPLASTIC, a Apex apresentará os Cilindros e as Camisas anilox com gravação hexagonal e tecnologia GTT para as áreas de banda estreita, flexíveis e papelão ondulado. A tecnologia de gravação GTT, patenteada pela marca, atualmente é o que existe de mais inovador na flexografia mundial, que traz a vantagem de economizar tinta. A unidade Apex Latin America opera em toda a América Latina, e a Apex Group of Companies, maior fabricante de cilindros anilox, está presente em cinco continentes. A empresa é especializada no desenvolvimento, fabricação e distribuição de cilindros medidores e para aplicações especiais, concentrando-se na impressão e revestimento para a indústria de etiquetas, flexíveis e papel ondulado em todo o mundo.

Já a Flexo Tech irá expor a Impressora Flexográfica Gearless – modelo Access Premium 8C. O produto diferencia-se pela avançada tecnologia empregada, como o sistema de acionamento dos cilindros através de servomotores de última geração e posicionamento das unidades de impressão por comando numérico computadorizado (CNC). O equipamento ainda destaca-se pela alta velocidade de produção, sistemas de trocas automáticas de bobinas na entrada e na saída, alinhadores eletrônicos, viscosímetros, sistemas automáticos de lavagem e de gerenciamento automático de impressão. A empresa atua em todo o território nacional e em países da América Latina, Rússia e Turquia. “Investimos constantemente em novas tecnologias com o que há de mais moderno na indústria mundial de equipamentos, buscando sempre um design arrojado e inovador. A empresa participa das feiras promovidas pela Reed Exhibitions Alcantara Machado há mais de 10 anos, e nossas expectativas são as melhores, pois o empenho da organizadora na promoção de seus eventos garante o sucesso dos expositores”, afirma o diretor comercial da empresa, Romário Zonneveld.

Os avanços nos processos de nanotecnologia serão apresentados pela Cristal Master, com dois lançamentos durante a feira.  O primeiro deles é o Antimicrobiano Orgânico Atóxico, desenvolvido em parceria com a Kher Chemical and Research, que emprega no seu processo nanotecnologia nacional e pode ser incorporado em vários tipos de matrizes poliméricas. Com a função de agregar a propriedade antimicrobiana ao polímero, favorecer a durabilidade dos produtos e proteger o ambiente, ele elimina um amplo espectro de microrganismos, como bactérias e fungos, nocivos ao meio ambiente. A segunda novidade será o Agente Interfacial, alternativa para utilizar resinas recicladas reduzindo a utilização de espessuras de filmes, por exemplo, sem perder a característica de resistência (propriedades mecânicas). Ele busca a compatibilização de dois componentes que, misturados, agregam ao produto final melhores características e estabilidade morfológica. “Este ano teremos novas aquisições para manter nosso parque fabril atualizado e eficaz, e sustentar o forte crescimento projetado. Diante disso, o nosso objetivo maior na FEIPLASTIC é incrementar novos negócios entre 10% e 20%”, afirma Luiz Carlos Reinert, diretor administrativo da empresa.

Em sua primeira participação no evento, a Comm 5 terá como destaque a solução Visão, combo de hardware e software que atua no apontamento automático de produção, responsável pelo acompanhamento de todo o processo produtivo em tempo real. A solução funciona como um coletor, com sensores instalados nas máquinas. Os dados coletados são enviados ao software para a geração de relatórios. Além disso, estes mesmos dados alimentam o ERP (Enterprise Resource Planning), software multi-modular que auxilia o gestor da empresa nas fases de seu negócio, permitindo um monitoramento mais amplo do processo. Com matriz em São Paulo, filial em Santa Catarina e forte atuação nas regiões Sul e Sudeste, a Comm5 desenvolve tecnologia e fabrica equipamentos e soluções para automação industrial, comercial, residencial e vigilância. Segundo Fabiana Voltolini, gerente comercial da empresa, a companhia tem o objetivo de participar da feira para aumentar seu nicho de mercado, se tornar conhecida em outras regiões, além de fortalecer as parcerias já consolidadas e demonstrar as novidades para 2013.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Feiplastic

Curta nossa página no

Anúncios

Empresários do setor de plásticos reúnem-se em Joinville e reinvidicam isenção tributária para o plástico reciclado.

25/08/2010

Os sindicatos da indústria de plásticos  dos estados de Santa Catarina,  Paraná,  Rio Grande do Sul e  mais de 80 lideranças do setor subscreveram a “Carta de Joinville”  durante reunião realizada paralelamente à Feira Interplast, na sede da SOCIESC.

O segmento de plásticos vai desenvolver esforços no sentido de reinvidicar a isenção da alíquota do Imposto sobre Produtos Industrializados para as matérias primas usadas no segmento de reciclagem.  A alíquota atual gira em torno de 5 a 15%.

O setor de reciclagem deseja também que o BNDES disponibilize recursos para as empresas do segmento com faturamento inferior a 10 milhões de reais por ano para modernização do parque fabril e capital de giro.

Da esquerda para a direita: Aladir Vitola (Cirplasul), Felinto Koeber (Simpesc), Manuel Gonzales (Simplast/RS), Djalma Azevedo (Sindiplast/RS), Robson (Induplast/SC), Luiz Henrique Hartmann (Sinplast/RS), Orlando Marin (Simplas/RS), Merehg Cachum (Sindiplast/SP), Albano Schmidt (Fiesc/Simpesc), Denise Dybas Dias (Simpep/PR), Alfredo Schmidt (Abief), Alceu Lorenzon (Sindiplast/SC), Roger Belisário (Arerj/Sindieco), Marcio Vacaro (Sindiplast/SC), Michele Araujo Ferreira (Senado Federal), Dlama Velho Azevedo (Sindiplast/SC), João Durval A. Neto (Simplavi/RS), Moacir Martins (Sociesc)

CARTA DE JOINVILLE

1. INTRODUÇÃO

Este documento chamado de “CARTA DE JOINVILLE” foi elaborado após amplo debate preliminar dos representantes dos sindicatos ligados à categoria de RECICLAGEM, bem como também na reunião de mobilização e organização do setor, realizada no dia 24 de Agosto de 2010 na cidade de Joinville – SC.

O presente documento é uma carta de reivindicação de empresários, entidades e sindicatos abaixo relacionados, ligados ao setor do plástico em defesa da cadeia da reciclagem, setor que vem encontrando extremas dificuldades econômicas.

2. OBJETIVOS E REINVINDICAÇÕES DO SETOR:

A busca de Incentivos fiscais e econômicos para a cadeia de reciclagem no Brasil, principalmente no âmbito do tributo federal IPI, através da aprovação imediata de uma das duas medidas abaixo relacionadas:

1) PL 510/2009 da Senadora Serys Slhessarenko com revisão, acrescentando alterações no atual formato tributário. Consideramos que a isenção do IPI seria a opção mais adequada.

2) Medida Provisória 476/09 com a emenda do relator Deputado Leonardo Quintão, onde as indústrias terão direito a obter crédito presumido do IPI na compra de matéria-prima decorrente de resíduos sólidos, de qualquer tipo de empresa industrial ou comercial (a proposta inicial limitava este crédito apenas a compras de cooperativas).

Consideramos que qualquer das medidas é benéfica ao setor.

Aproveitamos a oportunidade para demandar linhas de créditos facilitadas e específicas para a cadeia da reciclagem, com taxas de juros diferenciadas, para a modernização do obsoleto parque industrial, assim como capital de giro. Relatamos que o programa do Próplástico não contempla o setor em virtude de que a grande maioria das empresas não se enquadram nas exigências do programa.

São signatários desta carta:

Federação das Indústrias de Santa Catarina (FIESC); Simpesc-SC; Sindiplast-SC; Sinplasc-SC; Simpep-PR; Sintrofab-PR; SimplasNP-PR; Simplas-RS; Sinplast-RS; Simplavi-RS; Sindieco-RJ; Sindiplast-SP;

Entidades presentes no evento e apoiadoras:

INP, ABIPLAST,  PLASTIVIDA, ARERJ-RJ, SOCIESC-SC, ABIEF, MAXIQUIM, BRASKEM, CIRPLASUL, ABIRP-SP, ANAP-SP, FIESC-SC

Fonte:  SIMPESC / SOCIESC