Posts Tagged ‘Recicladores’

Operação Reciclar na Brasilplast destaca aspectos sócio-ambientais do Plástico.

09/05/2011

Uma equipe de cooperados da Associação Reciclázaro será encarregada de fazer a coleta de plástico produzido pelas empresas parceiras expositoras da BRASILPLAST (13ª Feira Internacional da Indústria do Plástico). A Associação é uma das apoiadoras da Operação Reciclar, iniciativa da Reed Exhibitions Alcantara Machado com apoio  da Plastivida. Cerca de dez colaboradores da Cooperativa Recicla Butantã, projeto da Associação Reciclázaro, se encarregarão da  coleta nos estandes e transporte do material até o espaço da Operação Reciclar, na entrada do Pavilhão de Exposições do Anhembi.

Os materiais serão separados por tipo de matéria prima plástica, em seguida serão triturados para o processamento em forma de grãos, sendo então soprados ou injetados. A unidade de demonstração possibilitará ao visitante da Brasilplast conhecer ao vivo o processo c ompleto de reciclagem e fabricação de novos produtos à partir de plástico reciclado. Serão usadas máquinas de reciclagem da Wortex, de injeção da ROMI e de sopro da Pavan Zanetti.

Além da questão ambiental, o principal objetivo desta ação é a valorização humana, com a geração de renda e inclusão social dentro do próprio evento”, afirma Marcos Moreira Vaz, coordenador de comunicação da Reciclázaro.

Além da participação da Associação Reciclázaro, a Operação Reciclar conta com o apoio e patrocínio de outras cinco entidades: Abiquim, Plastivida, Abiplast, Abimaq e Siresp, além de 10 empresas: Ampacet, Braskem, Fortymil, Hece, Pavan Zanetti, Radici, Romi, Sun Chemical, Stäubli e Wortex, que contribuirão com a doação de 100% de seus materiais produzidos durante a feira.

Fonte: Brasilplast

Foto (crédito): Getty Images

Anúncios

Sinplast e Plastivida promovem evento sobre Reciclagem Energética em Porto Alegre

10/09/2010

Fórum abordará o papel dos plásticos nesta solução inovadora para a destinação dos resíduos sólidos urbanos.

A Plastivida e o SINPLAST (Sindicato das Indústrias de Material Plástico no Estado do Rio Grande do Sul) realizarão o 1º Fórum Gaúcho de Reciclagem Energética de Resíduos Sólidos com Ênfase em Plásticos, no dia 23 de setembro, das 8h30 às 16h00, no Plenário Mercosul da FIERGS (Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul), em Porto Alegre.

O presidente da Plastivida, Francisco de Assis Esmeraldo, realizará palestra sobre Reciclagem Energética de Plásticos: Solução para o Lixo Urbano. Por indicação da Plastivida, Carlos R. V. Silva Filho, da ABRELPE (Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais), traçará um Panorama da Gestão de Resíduos no Brasil e no Mundo; e Carlos Alberto Rodrigues da Silva, da EMAE (Empresa Metropolitana de Águas e Energia), abordará os Fatores de Influência na Tomada de Decisão para Destinação de Resíduos.

Outras palestras versarão sobre temas como a coleta seletiva de lixo, os fatores de sucesso na recuperação de resíduos sólidos urbanos e as linhas de financiamento para o setor. O evento conta com o apoio da FIERGS, FECOMERCIO-RS, ABRELPE, EMAE, Braskem e Departamento Municipal de Limpeza Urbana de Porto Alegre.

A entrada é franca e as inscrições podem ser feitas pelo telefone (51) 3364-4503 ou pelo e-mail sinplast@sinplast.org.br.

Fonte: Plastivida

Plastivida defende complementaridade da Coleta Seletiva e Reciclagem Energética dos plásticos

27/08/2010

Essas ações são indispensáveis para uma gestão sustentável dos resíduos sólidos urbanos

A Plastivida defende a coleta seletiva, a reciclagem mecânica e a Reciclagem Energética como solução integrada para a gestão de resíduos sólidos urbanos, principalmente pela importância das cooperativas que geram renda e inclusão social dos catadores, beneficiando a preservação ambiental.

Conforme preconizam as Políticas Nacional e Estadual de Resíduos Sólidos é fundamental que os municípios incrementem a coleta seletiva para possibilitar que a reciclagem mecânica cresça continuamente e assim possamos obter os benefícios ambientais e sociais decorrentes dessa iniciativa.

Por outro lado, é preciso que sejam instaladas unidades de Reciclagem Energética, pois esta tecnologia permite reduzir em até 90% o volume dos resíduos transformando-os em energia, solucionando a atual realidade dos lixões e aterros superlotados.

O processo de Reciclagem Energética é também uma solução para os restos de plásticos que por qualquer razão não possam ser reciclados por estarem sujos, engordurados, contaminados etc. A função desses resíduos no processo é fundamental, uma vez que 1 quilo de plástico produz a mesma energia que 1 litro de óleo combustível. Vamos valorizá-los!

Para melhor entendimento,  a Plastivida recomenda que se assista à  matéria abaixo sobre o modelo de Reciclagem Energética adotado pelo Japão – edição da série especial sobre o lixo veiculada pela Rede Globo – Bom Dia Brasil.

Fonte:  Plastivida

Empresários do setor de plásticos reúnem-se em Joinville e reinvidicam isenção tributária para o plástico reciclado.

25/08/2010

Os sindicatos da indústria de plásticos  dos estados de Santa Catarina,  Paraná,  Rio Grande do Sul e  mais de 80 lideranças do setor subscreveram a “Carta de Joinville”  durante reunião realizada paralelamente à Feira Interplast, na sede da SOCIESC.

O segmento de plásticos vai desenvolver esforços no sentido de reinvidicar a isenção da alíquota do Imposto sobre Produtos Industrializados para as matérias primas usadas no segmento de reciclagem.  A alíquota atual gira em torno de 5 a 15%.

O setor de reciclagem deseja também que o BNDES disponibilize recursos para as empresas do segmento com faturamento inferior a 10 milhões de reais por ano para modernização do parque fabril e capital de giro.

Da esquerda para a direita: Aladir Vitola (Cirplasul), Felinto Koeber (Simpesc), Manuel Gonzales (Simplast/RS), Djalma Azevedo (Sindiplast/RS), Robson (Induplast/SC), Luiz Henrique Hartmann (Sinplast/RS), Orlando Marin (Simplas/RS), Merehg Cachum (Sindiplast/SP), Albano Schmidt (Fiesc/Simpesc), Denise Dybas Dias (Simpep/PR), Alfredo Schmidt (Abief), Alceu Lorenzon (Sindiplast/SC), Roger Belisário (Arerj/Sindieco), Marcio Vacaro (Sindiplast/SC), Michele Araujo Ferreira (Senado Federal), Dlama Velho Azevedo (Sindiplast/SC), João Durval A. Neto (Simplavi/RS), Moacir Martins (Sociesc)

CARTA DE JOINVILLE

1. INTRODUÇÃO

Este documento chamado de “CARTA DE JOINVILLE” foi elaborado após amplo debate preliminar dos representantes dos sindicatos ligados à categoria de RECICLAGEM, bem como também na reunião de mobilização e organização do setor, realizada no dia 24 de Agosto de 2010 na cidade de Joinville – SC.

O presente documento é uma carta de reivindicação de empresários, entidades e sindicatos abaixo relacionados, ligados ao setor do plástico em defesa da cadeia da reciclagem, setor que vem encontrando extremas dificuldades econômicas.

2. OBJETIVOS E REINVINDICAÇÕES DO SETOR:

A busca de Incentivos fiscais e econômicos para a cadeia de reciclagem no Brasil, principalmente no âmbito do tributo federal IPI, através da aprovação imediata de uma das duas medidas abaixo relacionadas:

1) PL 510/2009 da Senadora Serys Slhessarenko com revisão, acrescentando alterações no atual formato tributário. Consideramos que a isenção do IPI seria a opção mais adequada.

2) Medida Provisória 476/09 com a emenda do relator Deputado Leonardo Quintão, onde as indústrias terão direito a obter crédito presumido do IPI na compra de matéria-prima decorrente de resíduos sólidos, de qualquer tipo de empresa industrial ou comercial (a proposta inicial limitava este crédito apenas a compras de cooperativas).

Consideramos que qualquer das medidas é benéfica ao setor.

Aproveitamos a oportunidade para demandar linhas de créditos facilitadas e específicas para a cadeia da reciclagem, com taxas de juros diferenciadas, para a modernização do obsoleto parque industrial, assim como capital de giro. Relatamos que o programa do Próplástico não contempla o setor em virtude de que a grande maioria das empresas não se enquadram nas exigências do programa.

São signatários desta carta:

Federação das Indústrias de Santa Catarina (FIESC); Simpesc-SC; Sindiplast-SC; Sinplasc-SC; Simpep-PR; Sintrofab-PR; SimplasNP-PR; Simplas-RS; Sinplast-RS; Simplavi-RS; Sindieco-RJ; Sindiplast-SP;

Entidades presentes no evento e apoiadoras:

INP, ABIPLAST,  PLASTIVIDA, ARERJ-RJ, SOCIESC-SC, ABIEF, MAXIQUIM, BRASKEM, CIRPLASUL, ABIRP-SP, ANAP-SP, FIESC-SC

Fonte:  SIMPESC / SOCIESC

Empresários reúnem-se amanhã na SOCIESC para discutir tributação da reciclagem de plásticos.

23/08/2010

Empresários que atuam no ramo da reciclagem do plástico se reúnem nesta terça-feira (24/08), das 9 às 12 horas, na Sociedade Educacional de Santa Catarina (Sociesc) campus Marquês de Olinda. Participantes da Interplast 2010, cerca de 80 empresários da área da reciclagem e associações parceiras querem discutir a redução da carga tributária em torno do setor. Eles entendem que esta é uma medida importante para incentivar o mercado da reciclagem e preservar o meio ambiente, tendo em vista práticas sustentáveis e um consumidor cada dia mais exigente. Informações pelo (47) 9181-8856, com o consultor tecnológico da Sociesc, Moacir Martins.

Fonte: Sociesc

Recicladores de plástico concluem curso em Caxias do Sul

13/08/2010

Prefeitura e Simplás formam recicladores neste sábado

Cerca de 150 recicladores das Usinas de Materiais Plásticos participaram de curso para identificar e separar os diferentes tipos de plástico

O Simplás – Sindicato das Indústrias de Material Plástico do Nordeste Gaúcho, juntamente com a Prefeitura Municipal de Caxias do Sul, realizam neste sábado dia 14, a partir das 9h30min, a formatura do Curso de Capacitação de Separação de Material Plástico e a 1ª Reunião–Almoço da Cadeia Produtiva da Reciclagem de Caxias do Sul. O evento será realizado no CTG da Codeca, no Bairro Centenário.

A capacitação atendeu mais de 150 recicladores no decorrer do ano e foi fruto de um convênio assinado com a Prefeitura Municipal de Caxias do Sul, no início do ano de 2009, em que o sindicato se comprometeu à assessorar e apoiar a gestão da usina, capacitando os recicladores para melhor identificação do material plástico, absorvendo a produção das 12 associações de recicladores presentes na cidade.

O curso teve carga horária de 10h e por ser in loco, possibilitou, além da explicação teórica como o uso da simbologia de acordo com a NBR 13230, a prática, o que para os recicladores é de extrema importância. Foi abordado também o valor dos profissionais da área de reciclagem para o meio-ambiente e para toda a sociedade, prestigiando desta forma o trabalho realizado. Ministrado pelo tecnólogo em polímeros, Marcelo Pacheco ensinou os recicladores a identificar e distinguir os diferentes tipos de plástico pela superfície, toque, aparência visual e teste de chama. “O reciclador agora poderá identificar melhor o polímero, através do cheiro e do comportamento da chama utilizada no processo de identificação”, explica o professor. Segundo ele, o processo irá agregar valor ao resíduo coletado, já que “materiais diferentes possuem características diferentes”.

Fonte: Núcleo Comunicação e Marketing