Posts Tagged ‘PVC’

K-2016: Potencial para reciclagem de plásticos continua enorme

03/06/2016

k2016Tecnologicamente, a reciclagem de plásticos não é mais um problema hoje em dia. A reciclagem do refugo gerado dentro das fábricas já se tornou uma prática estabelecida em toda a indústria. Para os transformadores de plásticos que trabalham com matérias-primas “puras”, a fábrica “sem resíduos” tem se tornado lugar comum. E para os resíduos pós-consumo, há cada vez mais estratégias maduras de reutilização, permitindo que o regranulado produzido com eles substitua o material virgem, sem problema.

De acordo com a associação de produtores de plásticos “PlasticsEurope”, o consumo de plásticos na indústria européia como um todo chegou a 47,8 milhões de toneladas, com cerca da metade, 25,8 milhões de toneladas, sendo coletadas após o uso. A PlasticsEurope investigou as taxas de coleta nos 28 estados da União Européia mais a Noruega e a Suíça e constatou que ainda há uma forte variação entre eles.

Cerca de 125.000 toneladas de resíduos de PVC, incluindo perfis de janelas, são reciclados anualmente na Europa. O material regenerado pode ser usado sem dificuldade para a produção de artigos para o setor da construção, tais como perfis e tubos

Cerca de 125.000 toneladas de resíduos de PVC, incluindo perfis de janelas, são reciclados anualmente na Europa. O material regenerado pode ser usado sem dificuldade para a produção de artigos para o setor da construção, tais como perfis e tubos

Embora a proibição da deposição de resíduos plásticos em aterros esteja sendo anunciada em nove países, a proporção que vai para aterro em outros países é ainda muito elevada – até 70 por cento. No geral, do total de resíduos coletados na Europa, cerca de dois terços estão sendo agora reutilizados, enquanto que 30,8 por cento são depositados em aterro. Dos resíduos plásticos que são reutilizados, cerca de metade – 7,7 milhões de toneladas – é reciclada e o restante é incinerado para gerar energia.

As principais frações são as poliolefinas

Com cerca de 9,5 milhões de toneladas de PP, 8 milhões de toneladas de PEBD e PELBD e 6 milhões de toneladas de PEAD e PEMD, as poliolefinas são os plásticos mais usados na Europa, em termos quantitativos, e correspondem conjuntamente a cerca de metade do consumo total. Se estes resíduos são puros (constituídos por um único tipo de plástico), eles podem ser processados eficientemente, de modo que existem inúmeras empresas de reciclagem dedicadas à reciclagem de poliolefinas.

A situação é mais complicada quando PE e PP são misturados, uma vez que eles são muito difíceis de separar por causa da sua densidade semelhante e os processos de triagem de NIR (infravermelho próximo) são hoje estado-da-arte. No entanto, PE e PP também podem ser utilizados em conjunto para conversão em produtos de alto valor.

Para muitos produtos, tais como sacos de lixo, já se tornou comum hoje em dia usar material reciclado, o que faz sentido tanto do ponto de vista econômico como ecológico.

Para muitos produtos, tais como sacos de lixo, já se tornou comum hoje em dia usar material reciclado, o que faz sentido tanto do ponto de vista econômico como ecológico. (Foto: Polifilm / Messe Düsseldorf)

Reciclagem de PET já estabelecida, mas com espaço para expansão

A resina PET, cuja maior parte é usada para a produção de garrafas, é responsável por cerca de 7 por cento do consumo anual total de plásticos na Europa – cerca de 3,1 milhões de toneladas. No geral, os 30 países da Europa alcançam uma taxa média de coleta de 57 por cento. Em 2014, por exemplo, foram coletados 1,75 milhões de toneladas de resíduos de PET pós-consumo. No entanto, até o momento são coletadas quase que exclusivamente garrafas, geralmente em sistemas de coleta dedicados. Embora o objetivo original tenha sido devolver para a produção de garrafas os flocos de garrafa coletados, a indústria tem procurado e encontrado clientes em outras áreas. Para os fabricantes de filme / chapa, os flocos de garrafa pós consumo vem se tornando cada vez mais interessantes e em 2014 eles usaram a maior fatia – 34 por cento – dos resíduos recolhidos em seu ramo industrial. Quase 30 por cento dos flocos foram usados em aplicações de sopro, 26 por cento na indústria das fibras e o resto em fitas para embalagem e outros produtos.

“A produção do regranulado necessário para aplicações de moldagem por injeção destinadas à produção de novas garrafas para aplicações em contato ou sem contato com alimentos é baixo por causa da queda acentuada no preço do material virgem”, explica Elfriede Hell, Chefe de Tecnologia de Reciclagem na fabricante austríaca Starlinger. Ao contrário das garrafas usadas, as bandejas e filmes pós-consumo geralmente acabam sendo incinerados para a geração de energia ou até mesmo vão parar em aterros. “Mas as coisas recentemente vem mudando. Temos um bom número de clientes interessados especificamente em projetos para reciclagem de bandejas e filmes “, salienta Hell

A reciclagem de PVC atinge altas taxas de utilização

A reciclagem de PVC se desenvolveu de forma encorajadora nos últimos anos. O PVC é um material cujas notáveis propriedades mecânicas o tornaram indispensável – em especial no setor da construção, onde ele detém uma fatia de 70 por cento, mas também nos segmentos de embalagens, móveis e tecnologia médica.  O PVC reciclado é utilizado particularmente em aplicações de construção, por exemplo, em novos perfis e tubos, bem como na horticultura e agricultura.

Materiais compostos são frequentemente inadequados para a reciclagem

Enquanto os produtos pós-consumo feitos de polímeros puros prestam-se bem ao reprocessamento, a situação para os produtos compostos constituídos por duas ou mais matérias-primas é inteiramente diferente. Por isso, o Dr Michael Scriba, Diretor Gerente da mtm-plastics e membro da Plastics Recyclers Europe (PRE) , propõe que, a partir de agora, as embalagens sejam fabricadas de forma a facilitar a sua reciclagem, já que são responsáveis pela maior parte dos resíduos pós-consumo. Neste aspecto, é particularmente importante que se dispense o uso de cargas como carbonato de cálcio nas embalagens de PE e PP tanto quanto possível, que se evitem compostos de plástico-papel, que se utilize a pigmentação de forma moderada e se tenha certeza de que a densidade de todos os produtos seja bem diferente de 1 g / cm, para que a separação com base na densidade seja possível.

Ao mesmo tempo, estão sendo realizados esforços na indústria para desenvolver estratégias de reutilização de resíduos mistos. A empresa Trenntechnik Ulm GmbH está implementando uma abordagem muito interessante ao desenvolver um processo de separação química para filmes compósitos PE / PA, construindo também uma planta de produção com capacidade de 10 toneladas por dia.

A Trenntechnik Ulm GmbH instalou uma linha especificamente para a separação química de filmes compostos PA / PE em Memmingen, Alemanha. Utilizando este método e um solvente adequado, será possível também recuperar outras matérias-primas

A Trenntechnik Ulm GmbH instalou uma linha especificamente para a separação química de filmes compostos PA / PE em Memmingen, Alemanha. Utilizando este método e um solvente adequado, será possível também recuperar outras matérias-primas (Foto: Trentechnik Ulm / Messe Düsseldorf)

Resumo

Embora a reciclagem seja um tema muito discutido atualmente e também esteja bastante presente em inúmeros projetos na indústria de plásticos, os especialistas continuam afirmando que muito pouco material proveniente de resíduos plásticos é usado no lugar de material virgem, embora tanto os sistemas de coleta como a viabilidade técnica da reciclagem tenham se desenvolvido enormemente . Qualquer pessoa que queira saber mais a respeito dessas novas soluções técnicas podem fazê-lo na feira K 2016, a principal feira mundial para a indústria de plásticos e borracha, que ocorrerá de19-26 de Outubro, em Düsseldorf, na Alemanha.

 Para a garrafa de detergente fabricada com polietileno através do processo de extrusão-sopro, a Ecover Bélgica N.V., fabricante de produtos de limpeza ecológicos, utiliza resíduos de plástico recolhidos no mar por pescadores


Para a garrafa de detergente fabricada com polietileno através do processo de extrusão-sopro, a Ecover Bélgica N.V., fabricante de produtos de limpeza ecológicos, utiliza resíduos de plástico recolhidos no mar por pescadores (Foto:  Ecover / Messe Düsseldorf)

Pode-se supor, portanto, que as taxas de reciclagem irão continuar a aumentar nos próximos anos, já que há uma forte demanda por reciclados, tanto por razões ambientais como económicas. A poluição dos mares com resíduos tem colocado em evidência, internacionalmente, o tratamento irresponsável dedicado à destinação final dos resíduos, oferecendo maior força às demandas de outros consumidores para um tratamento sustentável dos recursos.

Fonte: Serviço de Imprensa – k 2016/Messe Düsseldorf

Curta nossa página no

Anúncios

Estudo sobre Ecoeficiência de janelas é apresentado em feira em Blumenau

20/05/2016

Instituto do PVC participou da Fabricon e da 12ª Fenahabit, onde apresentou estudo que evidencia as vantagens ambientais das janelas de PVC considerando três cidades brasileiras: São Paulo, Curitiba e Natal

Kommerling-fabrica-esquadriasNesta sexta-feira, 20 de maio, o Instituto do PVC participou da Fabricon – Feira Brasileira de Fabricantes da Construção Civil e da 12ª Fenahabit – Feira Nacional das Tecnologias de Habitação, Construção e Imobiliário, eventos realizados paralelamente em Blumenau, Santa Catarina. Na ocasião, a entidade apresentou em detalhes a primeira Análise de Ecoeficiência de um produto de PVC realizada no país, que compara o desempenho e aspectos ambientais de janelas brancas de PVC e janelas brancas de alumínio.

O estudo contemplou a produção, montagem, instalação, uso (com e sem ar condicionado), manutenção e destinação final dos produtos. Foram consideradas variações térmicas diferentes, em cidades como São Paulo (SP), Curitiba (PR) e Natal (RN) e em diferentes horários: comercial e residencial.

Os resultados mostraram que a janela de PVC é mais ecoeficiente que a janela de alumínio. Na avaliação das 11 categorias analisadas, a janela de PVC apresentou melhor desempenho em 10, se destacando principalmente na categoria Consumo de Energia, pois consome duas vezes menos energia que a janela de alumínio em todo o ciclo de vida dos produtos. Das mais relevantes categorias do estudo, destacaram-se ainda Consumo de Recursos e Potencial de Toxicidade. A janela de PVC consome três vezes menos recursos que a janela de alumínio e tem duas vezes menos pontos de toxicidade.

Na avaliação do impacto econômico, observou-se o preço de mercado mais elevado das janelas de PVC. Entretanto, essa variação inicial se dilui com o tempo de uso do produto, devido à melhor eficiência da janela de PVC em relação ao isolamento térmico e consequente economia de energia mensal.

Segundo Miguel Bahiense, presidente do Instituto do PVC, palestrante no evento, o objetivo do estudo foi analisar o desempenho de todo o ciclo de vida de duas das alternativas de janelas mais utilizadas pelo consumidor no Brasil, incluindo sua reciclagem. “A partir de informações técnicas e científicas, a população tem mais condições para tomar a melhor decisão sobre os produtos utilizados no dia a dia e obter o melhor benefício. Neste caso específico, arquitetos, construtoras e mesmo o consumidor final, ao tomarem conhecimento dos resultados, se sentirão confortáveis e seguros para especificar e usar janelas de PVC em obras, inclusive em reformas”, afirma o executivo.

A análise foi realizada pela Fundação Espaço ECO® (FEE®) para o Instituto do PVC e passou por uma revisão externa realizada pelo TÜVRheiland – instituto independente para inspeção técnica e certificação.

O Instituto do PVC representa a união de todos os segmentos da cadeia produtiva do PVC, desde os fabricantes de matéria-prima, até os recicladores. Seu compromisso é orientar as empresas associadas a adotarem posturas socialmente responsáveis, difundindo suas qualidades técnicas e ambientais, bem como sua versatilidade e reciclabilidade.

Fonte: Instituto do PVC

Curta nossa página no

Solvay vende suas ações na Indupa para a Unipar Carbocloro

03/05/2016

Solvay-Indupa-Plants-Argentina-232205

O Grupo Solvay informa ter assinado um acordo definitivo com a empresa química brasileira Unipar Carbocloro para vender o total de 70.59% de suas ações na Solvay Indupa.

“O desinvestimento do Grupo Solvay na Indupa segue o recente anúncio de saída de joint venture no mercado europeu de PVC, e está em linha com nosso objetivo de transformar a Solvay em uma empresa de especialidades químicas”, disse Vincent De Cuyper, do Comitê-Executivo da Solvay. “Com a aquisição da Solvay Indupa, a Unipar reforçará a sua posição estratégica na cadeia produtiva de soda cáustica e cloro, expandindo sua participação no segmento de PVC, bem como permitirá o desenvolvimento da Indupa”, acrescentou De Cuyper.

A transação está baseada em um total de entreprise value de US$ 202,2 milhões, estando sujeita aos habituais ajustes desse tipo de negócio.

A conclusão dessa transação está sujeita às condições usuais de fechamento, incluindo a aprovação das autoridades antitruste.

Criada em 1948 para a produção de PVC e soda cáustica, a Solvay Indupa tem 956 empregados e duas unidades industriais de produção na Argentina (foto) e no Brasil. Suas ações são cotadas na Bolsa de Valores de Buenos Aires. O Grupo Solvay havia classificado as suas ações na Indupa como “ativos à venda”.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Solvay

Curta nossa página no

Kömmerling montará fábrica de esquadrias de PVC na Fesqua 2016

18/04/2016

Ao demonstrar todas etapas do processo de produção, a ideia é desmistificar a dificuldade em se fabricar esquadrias modernas e de alto desempenho

Kommerling-fabrica-esquadriasUm dos principais players na área de sistemas e perfis de PVC, a Kömmerling terá um stand na Fesqua 2016 e também contará com um espaço de 330 m² onde será montada uma fábrica de esquadrias de PVC, contemplando todas as etapas do processo de produção,  desde o perfil até instalação.

“Em tempos de crise, o PVC surge como um grande diferencial em matéria de qualidade. Por isso, a intenção é demonstrar, durante a feira, a facilidade de se fabricar e instalar obras com padrão de excelência”, explica Priscila Oliveira Andrade, gerente de vendas da empresa.

Na oportunidade, técnicos da companhia estarão coordenando os trabalhos de produção de janelas – dentro das tipologias correr, giro, maximar – , que serão posteriormente instaladas em uma obra residencial em Curitiba.

Os clientes poderão interagir, fazendo simulações, já que serão programados tours guiados a cada 30 minutos para os visitantes da feira. Diariamente, também está prevista a instalação de janelas em um vão dentro da fábrica.

O projeto exigirá recursos da ordem de R$ 100 mil e contará com parceiros das áreas de máquinas, ferragens, vidros, dentre outros.

A Fesqua – Feira Internacional de Esquadrias, Ferragens e Componentes – ocorrerá nos dias 21 a 24 de setembro no São Paulo Expo – Exhibition and Convention Center.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Kömmerling

Curta nossa página no

Campanha de reciclagem de cartões de plástico chega a Fernando de Noronha

18/04/2016

Com o objetivo de promover a reciclagem de plásticos, o aeroporto de Fernando de Noronha recebe o coletor Papa Cartão® que prepara os cartões para serem transformados em novos produtos

InstitutodoPVC_FernandoNoronhaFernando de Noronha é um dos principais e mais belos parques marinhos brasileiros e destino daqueles que buscam o contato com a natureza. Dessa forma, a ação tem por objetivo informar aos moradores e visitantes do Arquipélago que os plásticos são 100% recicláveis e que as boas práticas de consumo responsável e descarte adequado contribuem para a preservação do ambiente.

No dia 19 de abril, o Aeroporto de Fernando de Noronha (PE) vai receber um Papa Cartão®, um coletor de cartões de plástico, para que esses produtos sejam destinados à reciclagem.

A iniciativa é fruto de uma parceria entre a fabricante de cartão e recicladora RS de Paula e a Administração do Distrito de Fernando de Noronha e é realizada com o apoio do Instituto do PVC e Plastivida.

Cartões de débito, crédito, seguro-saúde, fidelidade, cartões-presentes, credenciais, cartões telefônicos, bilhete único e outros, inclusive os que contêm chip e tarja magnética poderão ser depositados nas máquinas Papa Cartão®. A máquina os tritura para serem transformados em novos produtos, tais como porta copos, placas de sinalização, caixas, marcadores de páginas, cartões de visitas, entre outros. Renato Soares de Paula, criador do Papa Cartão®, garante a segurança no processo: “como a frente da máquina é feita com plástico transparente, é possível visualizar o cabeçote destruindo o cartão em pontos estratégicos, mesmo aqueles com chip”, afirma.

Segundo Miguel Bahiense, presidente da Plastivida e do Instituto do PVC, a preservação do meio ambiente se dá a partir de informação e boas práticas de consumo e destinação de resíduos. “A reciclagem de cartões é um exemplo das ações que a cadeia produtiva dos plásticos tem realizado, no sentido de investir em educação ambiental, visando o bem-estar social, benefícios econômicos e preservação ambiental”, afirma o executivo. E completa: “esperamos que a ação seja apenas um ponto de partida para que as pessoas descartem corretamente outros tipos de produtos, sejam plásticos ou não.”

As iniciativas sustentáveis vem crescendo por parte das empresas de Fernando de Noronha e, com isso, há possibilidade de se ampliar a campanha de reciclagem de cartões. A Econoronha, por exemplo, adquiriu cartões feitos de plásticos reciclados para servirem de ingresso ao Parque Nacional Marinho de Fernando de Noronha. Uma das possibilidades que a RS de Paula vislumbra é a reciclagem também desses cartões de acesso, aumentando ainda mais a vida útil dos plásticos e contribuindo para a preservação de meio ambiente e a sustentabilidade do Arquipélago.

Fonte: Instituto do PVC

Curta nossa página no

Soluções em plástico aumentam a economia de água no setor construtivo

14/04/2016

Braskem-economia-agua

Produtos garantem melhor aproveitamento de recursos hídricos

Responsável por um expressivo consumo de água potável no país, de acordo com a Agência Nacional das Águas (ANA), a construção civil já tem o segmento de plásticos como um grande aliado para a utilização cada vez mais consciente de recursos hídricos. A Braskem fornece matérias-primas para a empresas que fabricam produtos que podem ajudar a reduzir perdas ao longo de todo o processo construtivo e para o setor de abastecimento.

Uma das aplicações visíveis das resinas plásticas está nas caixas d’água em polietileno, que cada vez mais têm sido destinadas ao armazenamento de água da chuva ou para reúso. Há ainda outros produtos para este fim, como os reservatórios em formato compacto, que podem aproveitar até a água pós-lavagem de roupas para nova utilização. Com baixo custo, ocupam pouco espaço e não necessitam de escavação, além de não requisitarem bombeamento, o que economiza energia.

O plástico também está presente em soluções menos aparentes, mas fundamentais para qualquer tipo de construção, como projetos de saneamento básico. É o caso dos tubos de polietileno de alta densidade (PEAD), que oferecem elevada durabilidade, resistência ao impacto e corrosão, além de serem mais leves se comparados a outras alternativas. Outra importante aplicação de polietileno está presente nas fossas sépticas, indicadas para a utilização residencial em regiões isoladas, litorâneas ou próximas a cursos d’água. As fossas podem ser responsáveis pela remoção de até 85% da matéria orgânica no efluente, evitando a contaminação de reservatórios naturais, lagoas, cursos d’água e lençóis freáticos.

Tubulações de esgoto também ganham em durabilidade e eficiência com o plástico, em especial com o polietileno de alta densidade, ideal para aplicações que precisem de resistência e facilidade de aplicação. Os materiais podem ser desenvolvidos tanto em polietileno de alta densidade (PEAD) como em PVC.

O plástico pode ser empregado ainda na captação de águas pluviais por meio de calhas em PVC, que proporcionam design diferenciado, mais qualidade e alta resistência aos raios ultravioleta. Outras soluções em PVC que podem aumentar a segurança no armazenamento de água, evitando perdas e contaminação, são os revestimentos de vinil e as geomembranas. Os produtos têm como objetivo evitar perdas por vazamentos em estruturas de alvenaria, no caso dos revestimentos, com a redução de resíduos na obra, e oferecer proteção de solos e aterros sanitários, entre outros, no caso das geomembranas de PVC.

Grandes obras de infraestrutura também contam com a modernidade das aplicações de plástico para o aumento de eficiência e otimização de recursos. São produtos destinados aos mais diversos fins, como drenagem, contenção, arrimo e outras funções que aumentam a eficiência dos processos construtivos e que também otimizam a utilização de água nas obras.

Fonte: Braskem

Curta nossa página no

Cipatex lança linha de laminados de PVC para pisos de veículos

22/03/2016

Cipatex-autolinea-passA Cipatex lançou uma nova linha de produtos para atender ao mercado automotivo. Desenvolvido para pisos de veículos de passeio, ônibus, kombis e vans, o Autolinea Pass conta com estrutura compactada com cristal de proteção que confere durabilidade, alta resistência ao desgaste das estampas e facilidade de limpeza, afirma a empresa.

O laminado de PVC plastificado reforçado com tela mista de poliéster e algodão (Tela Mandragoa) foi desenvolvido nas cores preto, cinza e branco, além de contar com diversas opções de estampas, como Tuffing e Gravier. De acordo com a Cipatex, o produto atende a resolução número 498 do Contran (Conselho Nacional de Trânsito) de 2014, que estabelece que os materiais empregados nos revestimentos internos de veículos nacionais ou importados fabricados, transformados ou adaptados deverão apresentar velocidade de propagação de chama de, no máximo, cem milímetros por minuto.

A nova linha complementa o portfólio da Cipatex para o segmento automotivo. A empresa já produz o Autocron, revestimento para bancos e laterais de veículos, além de laminados para tetos e porta pacotes.

De acordo com o gerente comercial automotivo da Cipatex, Everton Thomaz, o mercado automotivo é estratégico para empresa e o objetivo com a desenvolvimento de novos materiais é oferecer aos fabricantes de veículos o maior número de opções de produtos. “Uma das principais perspectivas com o lançamento da nova linha é consolidar a atuação da empresa no segmento de ônibus”, comenta Thomaz.

Criada em 1964, a Cipatex oferece ao mercado soluções em revestimentos sintéticos e não-tecidos, contando com uma linha de produtos que atende aos setores de calçados, piscinas, bolsas e acessórios, utilidades domésticas, construção, móveis, vestuário, automóveis, esporte e lazer, brindes, material escolar e comunicação visual. Ao todo, o grupo conta com cerca de 1.400 colaboradores distribuídos em cinco plantas industriais.

Fonte: Cipatex

Curta nossa página no

Cipatex fornece geomembranas para canais de transposição do rio São Francisco

19/01/2016

cipatex-transposicao-rio-sao-francisco

A Cipatex, fabricante de revestimentos sintéticos com sede em Cerquilho, interior de São Paulo, fornecerá geomembranas de PVC Cipageo® para o canal de transposição do rio São Francisco, no Brasil. O material será usado para impermeabilizar, inicialmente, um trecho de 460 mil metros quadrados da estação do eixo leste, na região de Pernambuco. Estão previstas construções de açudes e ramificações ao longo do percurso para levar água para cidades e comunidades rurais, o que deve gerar novas demandas pelo produto.

As geomembranas de PVC são utilizadas para garantir a estanqueidade do canal durante todo o percurso da água, para que não haja perdas com infiltração. “Entre os motivos que levaram as construtoras a optar pelo material da Cipatex® está a possibilidade da confecção das geomembranas em painéis com medidas que otimizam a instalação, garantindo um alto ganho de produtividade, redução de custos de aplicação e facilidade no transporte”, comenta Aureovaldo Casari, gerente de agroindústria e mineração da empresa.

Segundo a Cipatex, as geomembranas Cipageo® são produzidas pelo sistema de calandragem com geotêxtil aderido, o que confere maior resistência mecânica e a perfurações. Além de canais de irrigação, o material pode ser aplicado na impermeabilização de lagoas agrícolas e de tratamento de resíduos, ensilagem, lajes, muros de arrimo, áreas sujeitas à infiltração, túneis,  solo para lixiviação em pilhas e canaletas,  galvanoplastia, biodigestores, entre outros, acrescenta a empresa. O material é tolerante a diversos tipos de ácidos, sais e bases, com boa resistência ao envelhecimento e às influencias do meio ambiente. Devido ao grande alongamento, maleabilidade e flexibilidade, pode ser empregado em qualquer tipo de superfície, complementa a Cipatex.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Cipatex

Curta nossa página no

Convenção Kömmerling debaterá Administração e Gestão de Serralherias para fabricação de sistemas de perfis de PVC

19/01/2016

Kommerling_economia_energiaNo período de 2 a 5 de fevereiro, a Kömmerling, tradicional fabricante alemão de sistemas de perfis de PVC, reunirá 50 participantes, representando 20  parceiros, durante a Convenção Anual, na cidade sul matogrossense de  de Bonito, Na ocasião, a empresa transferirá conhecimentos e expertise, por meio do curso Administração e Gestão de Serralherias.

“A iniciativa tem como base os procedimentos adotados para a melhoria de qualidade, em termos de atendimento e organização”, informa Priscila Oliveira de Andrade, gerente de vendas da empresa. Trata-se de um instrumento de orientação que ajudará os parceiros a se prepararem tecnicamente para fazer frente aos impactos da crise econômica no setor de esquadrias.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Kömmerling

Curta nossa página no

Reservatório doméstico da Sansuy economiza água de reúso

21/12/2015

ÁguaCapta é eficiente para guardar água da chuva ou de máquina de lavar roupas. Além da economia no final do mês, equipamento evita o uso desnecessário de água tratada para irrigar plantas, lavar carro ou quintal

A crise de falta de água que afeta cidades em diversas regiões do país fez a população mudar comportamentos com o objetivo de economizar esse recurso. Aproveitar água da chuva ou de máquinas de lavar para reúso é uma ação que ajuda o meio ambiente, mas precisa ser feita de maneira segura.

Para isso, soluções criativas ganham espaço em residências e comércios. Um exemplo é o ÁguaCapta oferecido pela Sansuy: um reservatório flexível, em formato de tambor, leve e que, como o próprio nome diz, capta a água da chuva de telhados e calhas e armazena em seu interior. Podendo receber águas de outras fontes também, tais como máquinas de lavar roupas.

Com ÁguaCapta é possível criar um sistema de coleta de água e ampliar a capacidade de armazenamento utilizando o sistema de conexão, que permite interligar diversos reservatórios em série, distribuindo a água entre eles. Outro ponto de destaque é a tela que dificulta a entrada de insetos e sujeiras, importante aspecto quando se pensa em armazenar água.

“Além de economia na conta, o equipamento evita o uso de água tratada para irrigar plantas, lavar carro, quintal e outras finalidades domésticas. Com ÁguaCapta é possível armazenar água e ficar tranquilo em períodos de racionamento”, diz Tony Brito, diretor comercial da Sansuy.

ÁguaCapta é fabricado com material lavável e atóxico e está disponível em quatro capacidades: 80 litros, 200 litros, 305 litros e 600 litros. A instalação do equipamento é simples e, quando fora de uso, pode ser dobrado e guardado com facilidade.

Fundada em 1966, a Sansuy iniciou suas atividades produzindo mangueiras de alta pressão para pulverizadores agrícolas e, ao longo do tempo diversificou para a produção de laminados flexíveis de PVC e seus manufaturados. Atualmente, suas unidades industriais localizadas em São Paulo e na Bahia fornecem produtos para os segmentos automotivo, de transporte e logística, moveleiro, mineração, lazer, construção e arquitetura, agronegócios, armazenagem, papelaria, sinalização e comunicação visual, entre outros, abastecendo tanto o mercado nacional como o internacional.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Sansuy

Curta nossa página no

Sansuy expõe tanque para armazenamento de água potável e aquicultura na Fenacam

29/10/2015

Sansuy-vinitank

Com importante foco no agronegócio, e em especial na aquicultura, a Sansuy, tradicional fabricante de laminados flexíveis de PVC e seus manufaturados, leva seus produtos à Fenacam 2015 – Feira Nacional do Camarão. O evento será realizado em Fortaleza, no Ceará, no período de 16 a 19 de novembro.

Na exposição deste ano, a Sansuy lança o vinitank XP, um reservatório desenvolvido especialmente para o armazenamento de água potável e também para aquicultura. “Fornecido na forma de kit para montagem, este tanque circular pré-moldado ganhou uma nova estrutura que permitirá ampliar o seu mercado”, explica Marcelo Castagnolli, gerente de produto da Sansuy. A empresa visa agora também o segmento de reservatórios de água, nicho importante neste momento de escassez de chuvas.

Tanto o PVC como o tecido utilizados não transmitem sabor ou odor, não afetando a qualidade da água potável ou a saúde dos organismos aquáticos alojados em seu interior, afirma a Sansuy. Além disso, os materiais empregados na confecção do vinitank XP apresentam elevada resistência ao intemperismo, sendo aditivados com compostos que garantem proteção contra os efeitos da radiação ultravioleta, evitando sua degradação precoce, assegura a empresa.

Fabricado com tela soldada de fios de aço carbono galvanizados e bolsão confeccionado com laminado de PVC reforçado com tecido de fios de poliéster de alta tenacidade, o reservatório está disponível no formato circular com 1 metro de altura para capacidades de 4 mil a 27 mil litros, e com 1,2 metro de altura para capacidades de 5 mil a 33 mil litros.

O tanque foi projetado para oferecer flexibilidade e facilitar as operações de transporte, montagem, desmontagem e manuseio. Além disso, o vinitank XP já possui preparação para sistema de drenagem centralizada no fundo do reservatório, para esgotamento total.

Aplicação na aquicultura

Além do armazenamento de água potável, o vinitank XP encontra uma série de aplicações na aquicultura, como a criação de camarões, manutenção de reprodutores, desova, produção de alevinos e juvenis, engorda de peixes de água do mar e de água doce e outros usos. Pode ainda ser utilizado para quarentena, em decorrência da facilidade de limpeza e higienização, ponto considerado crítico para o controle de enfermidades.

Serviço:
Fenacam 2015
Data: 16 a 19 de novembro
Local: Centro de Eventos do Ceará
Endereço: Av. Washington Soares, 999 – Fortaleza (CE)
Site: http://www.fenacam.com.br
Localização da Sansuy: Estande 41

Fonte: Assessoria de Imprensa – Sansuy

Curta nossa página no

Saie Vetro fortalece presença da Kömmerling na região Nordeste

20/10/2015

Kommerling_esqudriasA Kömmerling é a única fornecedora de perfis de PVC a marcar presença no Saie Vetro, Salão Itinerante de Esquadrias e Vidro, que acontece  nos dias 22 e 23 de outubro, no Fiesta Bahia Hotel, em Salvador. Além da exposição de produtos, a empresa participa do evento  com a palestra “Esquadrias de PVC – a Evolução da Serralheria“, ministrada por Priscila Andrade, gerente de vendas da companhia.

Por meio da Saie Vetro, a Kömmerling quer demonstrar a importância do Nordeste para a expansão das vendas de esquadrias de PVC no Brasil, já que a região, vem registrando um crescimento de 35% dos seus negócios esse ano, porcentual que estima repetir em 2016.

A busca por materiais de construção com melhor desempenho, eventos de arquitetura e cursos de design são alguns componentes que têm contribuído, decisivamente, para tamanho avanço desse mercado, segundo Priscila Andrade. Ela aponta como grande vetor de crescimento a área residencial horizontal, em condomínios, instalada no litoral e nos grandes polos industriais, como Caruaru e Campina Grande.

Para dar sustentação a este ritmo de expansão, a Kommerling conta,  na região, com parceiros fabricantes em  Porto Seguro e Vitória da Conquista, bem como revendas em Salvador,  João Pessoa e  Caruaru.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Kömmerling

Curta nossa página no

Kommerling/ Schück demonstram diferentes tipologias e cores de perfis de PVC na Habitacon

19/10/2015

Exposição teve por objetivo despertar o interesse das demandas dos segmentos construtivo e condominial, bem como dos profissionais especificadores

Em parceria com a  empresa Schück, a Kommerling participou da  5 ª edição da Habitacon – Feira de Fornecedores para a Construção & Condomínios -, que aconteceu de 15 a17 de outubro no Expo Renault Barigui, em Curitiba.

Os destaques ficaram por conta das portas de giro, janelas oscilobatentes e persianas, bem como maxim-ar, esquadrias de correr, peças com perfil branco, amadeirado e preto.

“Demonstramos as difentes tipologias e cores disponíveis e realçamos as  características de qualidade do PVC  – ­como múltiplas câmaras, maior expessura da parede externa, reforço interno de aço galvanizado  – agregadas aos melhores componentes disponíveis no mercado, como ferragens da marca alemã Roto-Frank e da austríaca Maco “, destaca Philippe Oliveira de Andrade, gerente de vendas da Schück.

Segundo o executivo, a feira abriu oportunidade de intercâmbio entre fornecedores de produtos, equipamentos, tecnologias, serviços e consumidores, bem como proporcionou possibildades de atualização junto a profissionais especificadores, como engenheiros, arquitetos, síndicos, administradores, gestores e condôminos em geral.

A Schück vê grande potencial de expansão na venda de esquadrias de PVC de alta qualidade no mercado de Curitiba e região; “Estamos trabalhando para tornar a empresa referência”, enfatiza o dirigente.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Kömmerling

Curta nossa página no

Brasil recicla 17,1% de PVC pós-consumo

06/10/2015

As 72 recicladoras de PVC do Brasil faturaram juntas, em 2014, R$ 141,8 milhões e geraram 1.415 empregos diretos

Pesquisa encomendada pelo Instituto do PVC mostra que a indústria brasileira de reciclagem mecânica de PVC reciclou 17,1% do total de PVC pós-consumo gerado em 2014, ou seja, foram recicladas 22,9 mil toneladas das 134,2 mil toneladas de PVC pós-consumo gerado naquele ano. Em comparação ao índice de 2013, registrou-se um crescimento de 0,7 pontos percentuais.

Em termos de volumes, é possível observar a evolução da produção de PVC reciclado no Brasil nos últimos dez anos, que cresce 11% ao ano desde 2005, quando a pesquisa começou a ser realizada, e se encontra em patamares estáveis nos últimos três anos. A estabilidade é observada desde 2012, quando houve um aumento de 21%, na comparação com 2011.

pvc1

 

pvc2As 72 empresas responsáveis pela reciclagem de PVC no país faturaram juntas R$ 141,8 milhões, o que representa um crescimento de 4,6% ao ano no período de 2005 a 2014. Além disso, foram responsáveis pelo emprego direto de 1.415 profissionais.

A capacidade instalada da indústria de reciclagem de PVC no Brasil vem crescendo e em 2014, ultrapassou 86 mil toneladas, o que mostra um crescimento de 1% frente a 2013, ainda resquício de investimentos realizados pelas empresas de reciclagem a partir da Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), que ainda está em fase de discussão.

pvc3De 2005 a 2014, a quantidade de PVC pós-consumo gerado aumentou em média 3% ao ano. Considerando-se o mesmo período observa-se que o crescimento do volume de PVC reciclado (11%) é maior que o aumento do volume de PVC pós-consumo gerado, o que é extremamente positivo e traz um consequente aumento do índice de reciclagem mecânica do PVC. Esses dados mostram que a quantidade de PVC não reciclado e destinado a aterros diminuiu. A redução na destinação de recicláveis em aterros é um dos objetivos da PNRS.

pvc4As empresas recicladoras de PVC no Brasil localizam-se principalmente nas regiões Sudeste e Sul, com destaque para São Paulo. Por ser um dos principais estados na indústria de transformação de plástico no Brasil e consequentemente ter grande poder de consumo da população, São Paulo possui a maior quantidade de resíduos disponíveis para a reciclagem. A indústria transformadora de plástico também é forte nos demais estados das regiões Sudeste e Sul.

pvc5Em comparação com a reciclagem de plásticos de outros países, a reciclagem de PVC no Brasil está avançada, mas ainda tem potencial para crescimento. O índice de reciclagem de PVC pós-consumo se aproxima do índice de reciclagem pós-consumo de todos os plásticos de países como França e Reino Unido, com 19,8% e 22,0%, respectivamente.

Metodologia – A pesquisa sobre o índice de reciclagem do PVC foi encomendada pelo Instituto do PVC à Maxiquim, consultoria especializada no segmento industrial e obedeceu a metodologia do IBGE. Além disso, envolveu empresas de todo o Brasil.

O Instituto do PVC é a entidade que representa a união de todos os segmentos da cadeia produtiva, desde os fabricantes de matéria-prima, até os recicladores. “O objetivo deste trabalho é acompanhar o desenvolvimento deste setor que gera emprego e renda e que vem compor o cenário dos novos desafios que se apresentam a partir da implementação da Política Nacional de Resíduos Sólidos Urbanos”, afirma Miguel Bahiense, presidente do Instituto do PVC.

Fonte (texto e gráficos): Instituto do PVC / Maxiquim

Curta nossa página no

Braskem doa 7 mil metros de tubos de PVC para Prefeitura de Maceió

18/09/2015

Material para obras na orla prepara a capital alagoana para o verão dos 200 anos de sua fundação

Imagen aérea - planta da Braskem em Maceió

Imagen aérea – planta da Braskem em Maceió

A Braskem vai doar mais de 7 mil metros de tubos PVC, para a Prefeitura de Maceió. O material será usado em obras de drenagem e melhoria da balneabilidade da orla da cidade, que se prepara para o verão de comemorações dos 200 anos de sua fundação.

A obra consiste na coleta e no afastamento, por meio da tubulação de PVC, da água de rebaixamento de lençol freático entre as praias de Pajuçara e Jatiúca para o canal Gulandi, que capta as chuvas na região. A rede de coleta será instalada na faixa de areia, com 11 estações elevatórias ao longo da orla marítima, interrompendo o fluxo de água atualmente lançado no mar. O projeto será entregue em seis meses. “Vamos iniciar uma obra muito solicitada pela rede hoteleira e todo o setor turístico. Contamos com a mobilização de vários parceiros e das secretarias municipais, e a cidade vai ganhar muito com isso. Maceió precisa dessas parcerias público-privadas”, afirmou o prefeito Rui Palmeira.

“Com essa parceria público-privada, a cidade terá uma praia limpa, refletindo em mais saúde, lazer e novos empreendimentos hoteleiros, o que atrai mais turistas e gera emprego e renda. Além disso, atende à questão ambiental”, disse o gerente de Marketing e Relações Institucionais, Milton Pradines.

O executivo também destacou o fato de os tubos terem como matéria-prima o PVC, um produto por excelência de Alagoas, já que a unidade da Braskem no Polo Industrial Aprígio Vilela, em Marechal Deodoro, é a maior fabricante da resina do Hemisfério Sul, com uma produção de 470 mil toneladas por ano. Pradines ressaltou ainda que os tubos são fabricados pela Corr Plastik, cliente da Braskem instalado em Maceió. “Dessa forma, fortalecemos a cadeia local da química e do plástico.”

“Alagoas é a cara do PVC no Brasil. Geramos 400 empregos diretos e quase 1.000 indiretos, então, é uma força de trabalho importante para o estado. Mesmo diante da crise econômica que o país enfrenta, estamos conseguindo crescer, exportando e buscando novos mercados. Interessa-nos muito firmar novas parcerias para fazer outros produtos à base de PVC que atraiam empresas e, assim, possamos ainda mais enrijecer a cadeia alagoana da química e do plástico”, falou Marco Aurélio Campelo, gerente da unidade PVC da Braskem.

Esta é a segunda parceria público-privada firmada entre a Braskem e a Prefeitura de Maceió nos últimos 20 dias. No final de agosto, foi inaugurado, na Avenida Assis Chateaubriand, o Complexo Lourenço Vasconcelos, uma área multiuso construída inteiramente com a tecnologia Concreto PVC. O espaço oferta aos moradores do bairro Trapiche da Barra e região serviços de atendimentos de saúde, lazer e esporte, com a presença de quadra poliesportiva, Posto de Saúde e base do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU).

Parcerias e doação

O termo de doação dos 7.103 metros de tubos de PVC rígido para sistemas de adução e distribuição de água foi assinado pelo prefeito de Maceió, Rui Palmeira, o diretor presidente da Agência Reguladora de Serviços de Saneamento Básico de Maceió (ARSMAC), Leonardo Novaes, o assessor da diretoria da Braskem, Jorge Augusto Bastos, e o gerente de produção de PVC, Marco Aurélio Campelo.

As obras de drenagem serão conduzidas pela Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminfra), utilizando R$ 2,9 milhões de recursos próprios do município. A parceria envolveu também o Governo de Alagoas, por meio da Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz), na desoneração tributária da doação, e as entidades Associação das Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi) e Associação Brasileira da Indústria de Hotéis – Seccional Alagoas (ABIH-AL), que financiaram a elaboração do projeto técnico da obra.

Fonte: Braskem

Curta nossa página no

Região Centro Oeste é estratégica para a expansão dos negócios da Kömmerling

09/09/2015

Por meio da parceria com a Vista Esquadrias, de Goiânia, empresa vê  boas possibilidades de vendas para o PVC em portas de correr e janelas com persianas integradas

A região Centro Oeste é conhecida nacionalmente pelas suas grandes obras residenciais, sejam em condomínios, sejam no meio rural, nas quais é priorizada a busca por ambientes com conforto para descanso.  Devido ao calor, o uso de ar condicionado  nestas instalações é quase indispensável, o que torna os itens  isolamento e conforto térmico preponderantes na hora de escolher uma esquadria.

Acompanhando de perto o potencial desse mercado, a  Kömmerling  antevê boas possibilidades de disseminação da vendas de perfis de PVC, não apenas no tradicional branco, para grandes vãos, mas, sobretudo,  para tons amadeirados e coloridos que estimulam a  criatividade dos arquitetos locais.

Para expandir seus negócios na região, a Kommerling mantém parceria com a Vista Esquadrias, de Goiânia,  desde novembro de 2014, incorporando-a a outras 27 em todo país.

“A Kömmerling está alçando novos horizontes, abrindo canais nas regiões do Brasil, onde o PVC ainda não é tão conhecido. Na região Centro Oeste, detectamos uma grande necessidade de produtos de alto padrão”,  informa Priscila Andrade, gerente de vendas da Kommerling.”Somente na capital goiana, há mais de 20 condomínios horizontais de alto padrão”, atesta Claudia Andrade Ferreira, sócia-proprietária  da Vista Esquadrias, que enxerga boas possibilidades de vendas para produtos como portas de correr e janelas com persianas integradas.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Kömmerling

Curta nossa página no

Cipatex entra no setor de brinquedos infláveis

08/09/2015

Cipatex-inflavel

De olho em um mercado que cresce a cada ano, a Cipatex®, líder na fabricação de revestimentos sintéticos, aposta no setor de brinquedos infláveis com o lançamento da lona “Toda Play”. O material pode ser utilizado na fabricação de pula-pula, piscina de bolinha, tobogã, campo de futebol de sabão, touro mecânico, entre outros.

Segundo dados da Associação Brasileira dos Fabricantes de Brinquedos (Abrinq), a indústria do brinquedo registra altas consecutivas há oito anos e a estimativa para 2015 é superar 15%.

“Com o mercado de venda e aluguel de brinquedos aquecido, a Cipatex® tem expectativas positivas com o lançamento do novo produto. Além da procura dos equipamentos para festas infantis, buffets e restaurantes, muitas famílias também estão em busca deste tipo de brinquedo para presentear os filhos e garantir diversão na própria residência”, comenta Rosemeire Branco, gerente comercial da Cipatex®.

Hoje, diversas empresas comercializam os produtos pela internet para o consumidor final. “Os pais encontraram nos brinquedos infláveis uma forma de tentar tirar os filhos da frente do computador, televisão e vídeo-game e colocá-los em atividade”, acrescenta Rosemeire.

Desenvolvida em dez cores, como branco, amarelo, vermelho, verde, azul, laranja e rosa, a lona “Toda Play” para a fabricação de brinquedos é plana e dificulta o acúmulo de sujeira. Além das tonalidades disponíveis, a Cipatex® está preparada para desenvolver outras cores e atender as necessidades de cada cliente.

Cipatex-pulapulaEntre as características da lona de PVC fabricada com tecido de poliéster de alta tenacidade estão resistência à ruptura, tratamento anti-UV, antioxidante e antifungo. Para garantir ainda mais segurança às crianças na hora de brincar, o produto conta com aditivo que retarda a propagação das chamas.

Sobre o Grupo Cipatex®:   Criada em 1964, a companhia se diversificou ao longo dos anos e hoje conta com uma linha de produtos que atende aos setores de calçados, piscinas, bolsas e acessórios, utilidades domésticas, construção, móveis, vestuário, automóveis, esporte e lazer, brindes, material escolar e comunicação visual.  Ao todo, o grupo conta com cerca de 1.400 colaboradores distribuídos em cinco plantas industriais.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Cipatex

Curta nossa página no

Kömmerling inova com perfis de janelas de PVC em preto fosco

31/07/2015

Kommerling-pretofosco

A Kömmerling  – empresa líder mundial no setor de sistemas de perfis em PVC –  quer acabar com a idéia que janela de PVC deve ser branca. A empresa disponibiliza, em seu estoque no Brasil, a cor preto fosco, sendo a massa de perfil interna preta e a lâmina com proteção térmica Cool Colors Plus da Skai.

Apesar do preto ser uma cor que absorve mais energia térmica, essa proteção faz uma barreira, o que dá um desempenho muito semelhante ao branco.Todos os parceiros fabricantes Kömmerling e as revendas Fenster estão capacitadas a fornecer essas janelas.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Kömmerling

Curta nossa página no

Chile é um dos principais destinos de Geomembranas de PVC da Cipatex para o setor de mineração

20/07/2015

CipageoO setor de mineração surge como grande oportunidade de negócios para o mercado de geomembranas, mantas de PVC empregadas na impermeabilização de lagoas de evaporação e decantação, em pilhas de lixiviação e tanques de rejeitos minerais. O segmento é uma das principais apostas da Cipatex®, fabricante de revestimentos sintéticos.

A Cipatex® considera o mercado de geomembranas estratégico para seus negócios. O otimismo se dá por projetos já desenvolvidos pela companhia nos últimos anos no setor de mineração e vários em andamento. O Chile é um dos principais destinos das mantas de PVC produzidas pela empresa. Para um projeto realizado no Deserto do Atacama, por exemplo, a companhia forneceu oito mil toneladas de geomembranas Cipageo®. O material foi aplicado na impermeabilização de lagoas de evaporação e decantação. E este ano, pela primeira vez, a empresa fechou negócios com uma mineradora de ouro para extração de cobre no Chile e deverá fornecer até dezembro 360 mil m² do produto.

Conforme Aureovaldo Casari, gerente de agroindústria e mineração da Cipatex®, nos últimos dez anos a empresa forneceu 50 milhões de m² de geomenbranas, sendo 70% deste total para o mercado chileno.

Outro fator que leva a Cipatex® a considerar o segmento promissor é a previsão do relatório Global Geomembranes Market 2015-2019, publicado no início do ano pela TechNavio, que apontou que o mercado global de geomembranas deve registrar uma taxa de crescimento anual composta (CAGR, na sigla em inglês) de 12,16% até 2019.

Segundo Casari, o PVC evoluiu muito tecnicamente nos últimos anos, além de apresentar menor custo de instalação, em relação à impermeabilização com Pead, o que leva muitas mineradoras hoje a optarem pelo material.

Há 51 anos o Grupo Cipatex® oferece ao mercado soluções em revestimentos sintéticos e não-tecidos, contando com uma linha de produtos que atendem aos setores de calçados, piscinas, bolsas e acessórios, utilidades domésticas, construção, móveis, vestuário, automóveis, esporte e lazer, brindes, material escolar e comunicação visual, além de revestimentos sintéticos. Ao todo, a Cipatex® conta com cerca de 1.400 colaboradores distribuídos em cinco plantas industriais.

Fonte: Cipatex

Curta nossa página no

Braskem apresenta amplo portfólio de soluções na Feiplastic 2015

06/05/2015

Companhia está presente na maior feira do setor plástico na América Latina, que ocorre de 4 a 8 de maio no Pavilhão de Exposições do Anhembi, em São Paulo (SP)

Feiplastic_BraskemCom foco em inovação como ferramenta para a transformação, a Braskem está exibindo as principais aplicações em polietileno, polietileno verde, polipropileno e PVC para variados mercados, como o agronegócio, construção, varejo, automotivo, logística, além de apresentar soluções para o cenário de crise hídrica. Ao todo, são cerca de 30 catálogos de produtos de diferentes famílias de resinas para aplicações diversas desenvolvidas para atender às necessidades dos clientes.

Entre as novidades levadas à feira está o lançamento da Plataforma de Valorização de Resíduos Plásticos, programa que fomenta negócios e iniciativas envolvendo a reciclagem do plástico; o lançamento do aplicativo para smartphones Braskem Maxio, que compara vantagens da utilização da linha com resinas convencionais em processos de injeção; a apresentação do Braskem Proxess, nova família de polietilenos de alta performance, a partir de tecnologias de catalisadores metalocênicos; e a abertura do projeto Braskem Labs, elaborado em parceria com a ONG Endeavor com o objetivo de engajar empreendedores no desenvolvimento de soluções socioambientais inovadoras, por meio do uso do plástico, em segmentos como saúde, moradia e mobilidade.

“Queremos interagir com o público, mostrando como a Braskem atua no desenvolvimento de soluções eficientes para a indústria e a sociedade. A ideia é disseminar entre os visitantes as vantagens que o plástico e a química oferecem ao cotidiano das pessoas, agregando praticidade, segurança e inovação,”, afirma Luciano Guidolin, vice-presidente de Poliolefinas, Vinílicos e Renováveis da Braskem.

Durante a Feiplastic 2015 os visitantes podem ainda participar de palestras sobre inovações, vantagens e diferenciais do plástico, análises de ciclo de vida de produtos, sustentabilidade, entre outros temas. São mais de 35 palestras que ocorrerão em formato de conversas dinâmicas e breves, gratuitas e abertas ao público. Os encontros, a serem realizados na área externa do estande da Braskem, serão liderados por porta-vozes da empresa e convidados. .

O Plano de Incentivo à Cadeia do Plástico (PICPlast), lançado em 2013 pela Braskem e Associação Brasileira da Indústria do Plástico (Abiplast), também terá um espaço dedicado e integrado ao estande da Braskem, onde será possível conhecer os resultados obtidos pelo programa até o momento, reforçando a importância do engajamento de toda a cadeia do plástico.

Fonte: Braskem; Foto: Reed Exhibitions Alcântara Machado

Curta nossa página no

Cipatex lança estampa de vinil para piscina

15/04/2015

Cipatex_caribeA Cipatex®, fabricante de revestimentos sintéticos, lança uma nova estampa de vinil para piscina. Pastilhada em tons de azul, a versão “Caribe” da linha Cipavinil® conta com elementos que remetem ao ambiente marinho.

A nova estampa complementa as diversas opções de temas e cores oferecidas pela empresa. Os revestimentos vinílicos da linha Cipavinil permitem composição de fundos e bordas, que se adequam aos mais variados projetos e estilos.

Segundo Amauri Rosa, consultor técnico da linha Cipavinil®, a estampa “Caribe” surge como alternativa para quem deseja ter uma piscina com um visual mais moderno e arrojado. A nova versão também conta com borda decorativa, que é opcional, indicada para valorizar ainda mais o projeto.

​​Estampa Caribe

De acordo com o consultor técnico, as piscinas de vinil oferecem várias vantagens frente aos modelos convencionais, como o revestimento cerâmico. Dentre elas, a relação custo x benefício, que pode chegar a uma economia de até 60%. As diversas opções de estampas em vinil também têm chamado a atenção de decoradores, arquitetos e consumidores.

Segundo a Cipatex, outro diferencial das piscinas de vinil é que são mais fáceis de limpar, reduzem a possibilidade de vazamento, oferecem maior facilidade de manutenção e são 100% recicláveis, afirma a empresa.

Toda a linha Cipavinil® conta com alta resistência aos raios UV, a variações de temperatura e aos produtos para tratamento da água, afirma o fabricante. Além disso, os revestimentos vinílicos da Cipatex® possuem proteção antimicrobiana que é incorporada durante o processo de fabricação, inibindo o crescimento de microorganismos e oferecendo proteção eficaz contra bolor, evitando manchas e mau odor.

O revestimento vinílico da Cipatex® conta com uma grande variedade de estampas e possibilita a aplicação em vários formatos de piscina, seja em residências ou de uso coletivo, como academias, clubes e escolas. A Cipatex®, por exemplo, oferece várias opções nas linhas Pastilhas e Basic, além de estampas da linha Diversão onde alguns modelos foram desenvolvidos no conceito 3D.

Para facilitar a escolha da estampa, a Cipatex® oferece no site http://www.cipavinil.com.br um simulador, onde o cliente pode visualizar a piscina fazendo a combinação entre formatos, cores, estilos e modelos diferentes.

Criada em 1964, a Cipatex® conta hoje com uma linha de produtos que atende aos setores de calçados, piscinas, bolsas e acessórios, utilidades domésticas, construção, móveis, vestuário, automóveis, esporte e lazer, brindes, material escolar e comunicação visual.  Ao todo, a Cipatex® conta com cerca de 1.400 colaboradores distribuídos em cinco plantas industriais.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Cipatex

Curta nossa página no

Operação Reciclar terá coleta segura de Cartões Magnéticos durante a Feiplastic

07/04/2015

Máquina que inutiliza os produtos e os prepara para reciclagem é uma das ações de educação ambiental da mais importante feira da indústria de plásticos da América Latina

Feiplastic_LogoA Operação Reciclar, ação promovida desde 2011 pela Reed Exhibitions Alcantara Machado, apresenta uma novidade na Feiplastic 2015 – Feira Internacional do Plástico, que será realizada de 4 a 8 de maio, no Pavilhão de Exposições do Anhembi, em São Paulo. Trata-se de uma coleta segura de cartões de plástico para reciclagem, ação coordenada pelo Instituto do PVC e a Plastivida. Para isso será instalada uma máquina Papa-Cartões®, que já os inutiliza, preparando para a transformação.

O descarte desses produtos, após sua validade ou substituição por mais novos, costuma ser feita no lixo comum. São cartões de débito ou crédito de instituições financeiras, planos de saúde, de fidelidade, credenciais, bilhete único, entre outros usos, que, mesmo quando contêm chip e tarja magnética, podem virar novos produtos, como porta-copo, placas de sinalização, caixas, marcadores de páginas, cartões de visita. O próprio piso do estande será feito de cartões reciclados, mostrando na prática aos visitantes outra possibilidade desse processo.

“A reciclagem de cartões é um exemplo positivo que contribui para a sensibilização da sociedade sobre a importância de ações sustentáveis, tanto para a economia, quanto para o meio ambiente e que demonstra que o plástico é um aliado da sociedade”, afirma Miguel Bahiense, presidente do Instituto do PVC e da Plastivida.

Seguindo o objetivo da Operação Reciclar de reunir os representantes da cadeia produtiva do plástico e reafirmar sempre a preocupação com a preservação do meio ambiente, também haverá estações coletoras na saída do Anhembi para as credenciais da Feiplastic, feitas de PVC. Todo o resíduo plástico gerado no evento, desde a montagem até a desmontagem, é coletado para ser reciclado.

Serviço:

Feiplastic  – Feira Internacional do Plástico
Data: 4 a 8 de maio de 2015
Horário:  2ª a 6ª feira das 11h às 20h
Local: Pavilhão de Exposições do Anhembi
Mais informações: http://www.feiplastic.com.br

Fonte: Assessoria de Imprensa – Feiplastic

Curta nossa página no

Esquadrias de PVC otimizam custos de climatização de ambientes

18/03/2015

Kommerling_economia_energiaCom o aumento de 17% nas contas de energia em 2014 e a previsão de que devem alcançar pelo menos 50% ao longo de 2015, as esquadrias de PVC apresentam-se como uma excelente opção para reduzir os custos com climatização com ar condicionado, sobretudo em relação às janelas de alumínio que, com a elevação da temperatura, transmitem o calor de fora para dentro, exigindo mais do funcionamento do ar condicionado para resfriar o ambiente.

As esquadrias de PVC – que não são condutoras nem de som nem de calor – reduzem os gastos com a climatização do ambiente, proporcionando uma economia de até 75% com a energia elétrica, em comparação com uma janela convencional, afirma a Kommerling, fabricante de esquadrias de PVC. Além de evitar o desperdício energético, elas são totalmente recicláveis  e não têm metais pesados em sua formulação, afirma a empresa

“Tendo em conta que toda esquadria deve desempenhar seu papel isolante, a janela tem um grande potencial para reduzir os gastos com a climatização. Neste quesito, as esquadrias de PVC contribuem para o menor consumo de energia com ar condicionado”, faz questão de ressaltar Oliver Legge, diretor para a América Latina da Kommerling. Ele excplica que quanto menos energia se perde pelas aberturas, mais se economiza, lembrando que quando se economiza energia elétrica, não se está apenas protegendo o próprio patrimônio, mas também o planeta.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Kommerling

Curta nossa página no

Amut-Wortex apresenta sua nova linha de extrusão de rosca dupla para fabricação de tubos de PVC

03/06/2014

Amut_WortexA indústria de transformação de plástico nacional tem, a partir de agora, uma nova linha de extrusão de rosca dupla para fabricação de tubos de PVC, desenvolvida pela Amut-Wortex nas novas instalações, em Campinas (SP). Com investimentos de R$ 4 milhões, que envolvem a ampliação da fábrica e aquisição de maquinários, o grupo italiano Amut acredita no potencial do Brasil e na alta capacidade tecnológica e de produção da Wortex para expandir seus negócios.

“A partir da Itália, a AMUT exporta 90% da sua produção para os mercados europeu, norte-americano e asiático. Encontramos na Wortex o parceiro ideal para tornar realidade a manufatura e distribuição dos nossos produtos, a exemplo, desta linha de extrusão com dupla rosca contra-rotante com produção simultânea de dois tubos, ideal para produção de tubos pequenos e médios para os setores da construção”, explica Angelo Milani, diretor comercial da Amut.

Com uma ampla gama de aplicações, o PVC é usado principalmente na construção civil, em redes de distribuição de água e esgoto, irrigação, conduítes entre outros. A nova extrusora tem capacidade para produzir de 600 a 700kg/hora de tubos de PVC com diâmetros que vão de 20 a 125 mm. Entretanto, a Amut-Wortex está capacitada para produzir tubos de PVC de até 1,20m de diâmetro, de polietileno até 1,60m e vários outros tipos de tubos para aplicações para a indústria médica, automobilística, etc.

Atualmente, a Amut-Wortex tem um corpo de colaboradores, formado por engenheiros, equipe comercial e assistência técnica. A nova fábrica da empresa em Campinas possui instalações de 3,5 mil m². A meta é aumentar para 6 mil m² até o início de 2015.

Intercâmbio Brasil-Itália

A Wortex iniciou, em abril de 2013, junto ao grupo italiano Amut, uma joint-venture que está trazendo para a indústria de transformação de plástico nacional mais inovação tecnológica e investimentos para o setor.

De acordo com o diretor da Wortex, Paolo De Filippis, os produtos que a Amut-Wortex se propõe a fabricar aqui terão índice de nacionalização dentro dos parâmetros requeridos pelo BNDES para enquadramento ao FINAME. Trata-se de um intercâmbio, no qual a empresa italiana está transferindo tecnologia para produção de chapas, tubos, termoformadoras e equipamentos para reciclagem, principalmente de material pet, tecnologia esta que complementa as linhas de reciclagem já fabricadas pela Wortex.

Fonte: Wortex

Curta nossa página no

Sansuy destaca produtos vinílicos na Hortitec 2014

28/05/2014

Empresa apresentará em seu estande equipamentos que facilitam o trabalho do produtor agrícola

Sansuy-HortitecConsiderada a maior mostra de horticultura da América Latina, a Hortitec – Exposição Técnica de Horticultura, Cultivo Protegido e Culturas Intensivas contará, mais uma vez, com a participação da Sansuy, fabricante de laminados flexíveis e produtos manufaturados de PVC. Em função da abertura do Mundial de Futebol, neste ano a feira será realizada de 28 a 30 de maio, no Pavilhão da Expoflora, em Holambra, São Paulo.

Para a 21ª edição do evento, a empresa destacará em seu estande dois importantes produtos destinados à tecnologia agrícola, à produtividade e ao meio ambiente: o viniarco e o vinitank com hidroponia. “É importante estar em um ambiente como esse mostrando soluções para facilitar a vida do agricultor. Por isso, a Sansuy faz questão de estar presente todos os anos na exposição”, reforça Marcelo Castagnolli, gerente de produto da empresa.

Produtos sob medida para o agronegócio

Ideal para produtores de flores e hortaliças que utilizam estufas, o viniarco da Sansuy é indicado, também, para aquicultores na produção de alevinos e juvenis de peixes, larvicultura de organismos aquáticos, manejo reprodutivo de pós-larvas de camarão, ranicultura (criação de rãs), laboratório de pesquisa sobre produção e nutrição de organismos aquáticos, hidroponia e aquaponia.

Construído com estrutura tubular de aço carbono galvanizado a fogo, o viniarco não tem colunas intermediárias e o acesso é feito através de portas corrediças de acordo com a necessidade do cliente. A cobertura pode ser fabricada com laminado reforçado de PVC translúcido, com janelas laterais confeccionadas com tela sannet; ou blockout de laminado de PVC branco (parte externa) e cinza (internamente), janelas e laterais de tela sannet e laminado de PVC cristal. Para o treinamento alimentar de espécies de peixes carnívoras, a estrutura é recoberta com laminado reforçado de PVC com blockout total para controle sobre o foto-período.

Já o vinitank oferece vantagens imbatíveis para quem se preocupa com o meio ambiente. Uma delas é o reaproveitamento de água, traduzido em menor consumo. Para chegar nessa equação, a Sansuy uniu a técnica da hidroponia, que permite o cultivo de plantas em canais ou recipientes por onde circula uma solução composta de água e nutrientes, à piscicultura. Da junção resultou um sistema inovador denominado “aquaponia”, que utiliza a água dos tanques onde são criados os peixes para fertilizar e nutrir os vegetais, integrando as duas culturas.

Depois de abastecer os viveiros de organismos aquáticos, a água passa por filtros especiais que recuperam sua qualidade, sendo, em seguida, bombeada para a base hidropônica, e retornando novamente para os peixes. Como vantagem adicional, os dejetos são captados pelo sistema de escoamento e passam por um decantador, onde são separados os sólidos em suspensão, que servem como fertilizantes para uma horta tradicional. Para a criação de peixes é indicado o vinitank com capacidades de 5 mil a 100 mil litros.

Serviço
21ª Hortitec – Exposição Técnica de Horticultura, Cultivo Protegido e Culturas Intensivas
Data: 28 a 30 de maio
Horário: das 9h às 19h
Local: Pavilhão da Expoflora
Endereço: Rua Maurício de Nassau, 675 – Holambra/SP
Site: http://www.hortitec.com.br

Fonte: Sansuy / Instituto do PVC

Curta nossa página no