Posts Tagged ‘Propeno’

BASF avalia investimento em planta de propeno a partir de gás natural nos Estados Unidos

06/05/2014
  • Complexo de propeno em escala mundial à base de metano na costa do golfo os EUA
  • Integração mais forte na América do Norte

 A BASF está avaliando um investimento em escala mundial em um complexo industrial para obtenção de propeno a partir do metano, na Costa do Golfo, nos EUA . A produção de propeno para suprir as operações norte-americanas da BASF permitiria à empresa aproveitar os baixos preço do gás, devido à produção de gás de xisto nos EUA, melhorando consideravelmente seus custos atuais. Este seria o maior investimento em uma planta única da BASF até o momento.

A BASF pretende reforçar ainda mais a sua integração vertical a montante em propeno e ampliar as suas atividades a jusante à base de propileno, levando a uma posição de mercado mais forte na América do Norte. O propeno é um dos produtos químicos básicos mais importantes na indústria petroquímica e é usado na produção de uma vasta gama de produtos químicos de alto valor . Estes  químicos são usados para a fabricação de produtos, tais como plásticos, revestimentos, detergentes ou polímeros superabsorventes para fraldas de bebê.

Detalhes sobre o potencial de investimento, incluindo a capacidade da planta, valor do investimento e a localização exata estão atualmente em fase de avaliação .

Fonte:  BASF

Curta nossa página no

Anúncios

Joint venture da Chevron Phillips e Petrochem inicia operação plena de complexo petroquímico na Arábia Saudita

01/10/2012

A Saudi Polymers Co começou a operar em plena capacidade nesta segunda feira na sua unidade de Al Jubail, na Arábia Saudita.

O complexo petroquímico pode produzir 1,16 milhões de toneladas / ano de eteno; 1,1 milhões de toneladas / ano de polietileno (combinando PE de alta densidade e PE linear de baixa densidade); 430.000 toneladas / ano de propeno, 400.000 toneladas de polipropileno (PP); 200.000 toneladas / ano de poliestireno (PS) e 100.000 toneladas / ano de hexeno-1.

“Vamos agora trabalhar para atingir as metas de inventário críticas para assegurar nossa confiabilidade a longo prazo como um fornecedor de produtos de qualidade”, disse Mike Zeglin, presidente-executivo da Saudi Polymers.

A Saudi Polymers Co. irá atender tanto ao mercado doméstico como ao internacional.

As exportações de produtos serão negociadas pelo seu distribuidor exclusivo, Gulf Polymers Distribution Co, utilizando a rede global de marketing da Chevron Philips.

O complexo petroquímico, que fica em um terreno de 1,1 milhões metros quadrados na cidade industrial de Al Jubail, teve a sua construção iniciada em janeiro de 2008 e criou cerca de 950 postos de trabalho.

A Petrochem (National Petrochemical Company) da Arábia Saudita detém uma participação de 65% na Saudi Polymers, enquanto os restantes 35% são de propriedade da Arabian Chevron Phillips Petrochemical Co Ltd – uma subsidiária integral da empresa norte-americana Chevron Phillips Chemical (CPC).

Fonte: Chevron Phillips

Curta nossa página no

Braskem poderá fornecer propeno para novo projeto da Basf no Brasil

10/03/2011
Empresa deixará de exportar o excedente de propeno produzido e fortalecerá a cadeia produtiva

A BASF acaba de anunciar mundialmente sua intenção de avaliar um novo projeto de produção em escala mundial de ácido acrílico, acrilato de butila e polímeros superabsorventes (SAP) no Brasil. Caso o projeto seja de fato implantado, a Braskem, maior petroquímica das Américas, será a fornecedora de longo prazo de propeno, que é a matéria-prima para a fabricação do ácido acrílico.

O propeno que será destinado a BASF é, atualmente, exportado. Assim, ao optar por fornecer o produto para uma planta local, a Braskem contribui para garantir o abastecimento para importantes segmentos no país como SAP para fraldas – um mercado que movimentou US$ 2 bi em 2009 -, resina acrílica para tintas (US$ 3 bi em 2009), construção civil, adesivos e têxtil, entre outros. Já os acrilatos de butila e poliacrilatos estão presentes no detergente em pó e no tratamento de água industrial. O ácido acrílico possui larga utilização no setor de mineração.

“Certamente, a parceria com a BASF incentivará maior investimento de empresas de terceira geração no país e criará oportunidades para consumos adicionais de petroquímicos básicos e resinas”, afirma Manoel Carnaúba, vice-presidente de Petroquímicos Básicos da Braskem.

A  BASF  será a primeira empresa a produzir ácido acrílico e SAP na América do  Sul.  Para  garantir  a  competitividade  dos investimentos,  as  duas companhias  assinaram um Memorando de Entendimento, que define as condições de  fornecimento  de  longo prazo para o propeno e soda – ambos usados como matéria-prima  para a produção de ácido acrílico -, bem como o fornecimento de serviços pela Braskem à BASF.

Fonte: Braskem