Posts Tagged ‘POM’

Venda de Plásticos de Engenharia cresce no País.

30/08/2011

Pesquisa promovida pela ADIRPLAST revela que a comercialização no Brasil dos plásticos de engenharia deve chegar a 35 mil toneladas neste ano

O consumo de plásticos de engenharia no Brasil cresceu em 2010. Segundo levantamento promovido pela ADIRPLAST – Associação Brasileira dos Distribuidores de Resinas Plásticas – e realizado Maxiquim Consultoria, o faturamento dos distribuidores ligados à entidade com o segmento de especialidades cresceu 1,5% no ano passado. Foi de 7,4% para 8,9% da participação no montante faturado pelas empresas.

Em relação ao volume de vendas, a pesquisa apontou que os plásticos de engenharia, também conhecidos por especialidades, tiveram, em 2010, 6,3% de participação na cadeia de distribuição de resinas.

E a boa fase dos plásticos de engenharia no mercado nacional deve se repetir neste ano. Levantamento que considera o primeiro trimestre deste ano, feito entre as empresas associadas à entidade, mostra que as especialidades foram responsáveis por mais de 10% do faturamento dos distribuidores, contra apenas 8,3% no mesmo período do ano passado. E a expectativa da ADIRPLAST é que esse mercado ainda cresça 28% neste ano, chegando a 35 mil toneladas comercializadas.

Entre os plásticos de engenharia, os que mais se destacam hoje no mercado brasileiro são ABS e San, Eva, Poliacetal e Poliamida, entre outros.

Para Laércio Gonçalves, presidente da ADIRPLAST, o avanço nas vendas dos plásticos de especialidades no mercado nacional reflete a boa fase pela qual passa o país e principalmente os segmentos industriais que mais fazem uso dessas matérias-primas: “A maior qualificação da indústria nacional e aumento de consumo da população são alguns dos motivos pelos quais vemos o mercado de plásticos de engenharia crescendo a cada ano. Segmentos ligados aos mercados automobilístico, médico-hospitalar, alimentício ou de higiene pessoal, além dos mercados de produtos mais sustentáveis, de eletro-eletrônico e de construção, são alguns dos consumidores desse tipo de material”.

Novidades, tecnologia e variedade
Diversas resinas compõem o segmento de plásticos de engenharia. Elas apresentam propriedades diferenciadas em relação às resinas commodities, como o polietileno (PE), o polipropileno (PP), o poliestireno (PS) e o PVC.

Pelas suas propriedades mecânicas, térmicas e óticas, os plásticos de engenharia são usados em aplicações de alta tecnologia. No setor automotivo, por exemplo, elas vêm sendo utilizadas cada vez mais, inclusive como substitutas de metais como o aço e o alumínio. Essa substituição tem ajudado a diminuir o peso dos veículos e, consequentemente, a reduzir o consumo de combustíveis e a emissão de gases nocivos à saúde.

Entre os principais plásticos de engenharia oferecidos hoje pelos distribuidores ligados à ADIRPLAST destacam-se as diferentes variedades de ABS (Acrilonitrila Butadieno-Estireno), SAN (Copolímero Estireno-Acrilonitrila), compostos de PP e PE, MABS (resinas mistas), ASA (Acrilonitrila Es tireno-Acrilato), PA (Poliamida), PBT (Polibutileno Tereftalato), POM (Poliacetal), PMMA (Polimetacrilato de Metila) e PPA (Poliftalamida), entre inúmeros outros tipos.

Atualmente as principais novidades deste segmento ficam por conta das resinas modificadas e blendas, algumas formuladas com materiais de alto apelo tecnológico e até sustentável. O material tem sido mais usado pelas empresas que trabalham mais fortemente o apelo de sustentabilidade de seus produtos e marcas.

Destaque também para algumas resinas mais específicas, usadas principalmente pela indústria médico-hospitalar, assim como para a copoliéster, que confecciona produtos de alta resistência, tanto ao impacto como a altas temperaturas, suportando acima dos 100°C. O material ainda oferece resistência química aos produtos e uma transparência similar a do vidro, entre outras propriedades marcantes. Sem contar que o componente é livre de substâncias restritas e, por isso, aprovado pelos mais respeitados ór gãos de regulamentação de materiais de destinação a contato humano. Hoje os principais mercados consumidores deste produto têm sido os fabricantes de embalagens de cosméticos e utilidades domésticas.

Já para os mercados de construção e design, a tecnologia fica por conta da resina ABS/PMMA. O material oferece alta resistência a impactos, a tração e a altas temperaturas. Fácil de moldar e altamente resistente à exposição ao tempo e a produtos químicos, esse plásticos tem sido usado na fabricação de sanitários de ônibus, cubas de banheiro e até banheiras de hidromassagem.

Fonte: Adirplast / Baião de 3

 

Anúncios

BASF apresenta novos grades de plásticos para aplicação médico-hospitalar

15/02/2011

Novos plásticos de engenharia para o setor médico-hospitalar
– primeiro Ultradur® para tecnologia médica

A BASF está inserindo três novos produtos de duas classes de material para seu portifólio de plásticos para tecnologia médica sob o sufixo “PRO”. Na linha de produtos POM (polioximetileno e poliacetal), existem dois novos grades: Ultraform® N2320 003 PRO and Ultraform® H4320 PRO. Além destes, o reforço do portifólio também tem o Ultradur® B4520 PRO, o primeiro PBT da BASF (polibutileno tereftalato), que agora foi melhorado para as aplicações em tecnologia hospitalar. Estes três novos grades “PRO” estão disponíveis em quantidades comerciais desde o início de fevereiro.

Ultraform de alta viscosidade
Por vários anos, os grades S e W da BASF no portifólio Ultraform PRO eram os únicos plásticos de engenharia para aplicação medico-hospitalar. O Ultraform N2320 003 PRO é um novo grade de injeção com alta viscosidade, excelente para a produção de componentes finos e que necessitam de força mecânica. Graças à sua resistência ao impacto e dureza, o novo grade Ultraform N é muito bom para a produção de elementos como partes funcionais de aplicadores de insulina, bombas de asma e outros aparelhos. Diferentemente, o novo Ultraform® H4320 PRO foi personalizado especificamente para ser processado por extrusão em velocidades relativamente altas de ejeção. O material tem viscosidade mais alta que o grade Ultraform N, tem mais resistência ao impacto, enquanto apresenta alto grau de dureza e força, além de ter alta estabilidade térmica. As principais aplicações são conectores de plug, cabos de instrumentos cirúrgicos e outros componentes feitos de partes semi-acabadas.

Ultradur para aplicação medico-hospitalar:
Com o Ultradur B4520 PRO, a BASF está lançando o primeiro PBT de injeção para aplicação em tecnologia médica. No novo Ultradur PRO, a já conhecida alta estabilidade do PBT foi combinada com um comportamento de encolhimento otimizado, de forma que o produto agora vai ao encontro dos rígidos padrões de exatidão dimensional dos componentes de peças médicas. Outras vantagens deste material são a abrsorção minima de água, a alta resistência química, a facilidade de impressão e esterilização iônica com radiação (gama) ou óxido de etileno. A combinação das partes em plástico traz ao Ultraform PRO e ao Ultradur PRO sinergias adicionais: por exemplo, aplicadores de insulina com propriedades excelentes de fricção podem ser produzidos com estes materiais. Neles, Ultraform PRO apresenta baixa fricção entre as partes individuais enquanto Ultradur PRO previne, de forma confiável, os ruídos durante o uso, pelo alto poder de deslizamento.

Serviços para a tecnologia médico-hospitalar
Quando o assunto é assegurar a segurança do paciente, é indispensável termos confiança na cooperação entre os fabricantes de plásticos e os produtores de componentes médicos. Com isso em mente, a BASF oferece seus plásticos da família “PRO” junto com um pacote de serviços que foi adaptado especificamente para os requisitos deste mercado.

Além do suporte relacionado com a tecnologia de aplicação, o serviço confirma o comprometimento de que nenhuma mudança será feita na formulação do plástico que está registrada no Arquivo Mestre de Substâncias (DMF, por suas siglas em inglês) do FDA. Além disso, a BASF conduz diversos testes nos grânulos dos plásticos da família PRO de forma que os clientes consigam aprovação mais facilmente em relação às aplicações médicas e farmacêuticas. Isso inclui não somente testes de acordo com os padrões de aplicação médico-hospitalares (por exemplo: EU Pharmacopeia, US Pharmacopeia e DIN EN ISO 10993-5), mas também um certificado para contato com produtos alimentares. Certificados adicionais como aderência (RoHS Directive 2002/95/EC), de acordo com as regras do REACH (Norma EC número 1907/2006) e a ausência de metais pesados de acordo com o CONEG (1º de janeiro de 1994) e com a Norma Europeia 94/62/EEC são também parte do pacote de serviços.

Fonte: BASF

Thathi Polímeros lança resinas plásticas importadas da Dupont

12/08/2010

A Thathi Polímeros, distribuidora da Dupont no Brasil, lança na Interplast 2010 resinas plásticas importadas Dupont e busca fortalecer a rede de clientes no sul do Brasil. A resina de poliéster Crastin® PBT é um dos produtos mais utilizados na injeção de peças plásticas do segmento eletroeletrônico, devido às propriedades elétricas. O termoplástico de engenharia Delrin ® POM combina propriedades mecânicas, químicas e tem baixa absorção de umidade, diferenciais que o fazem substituir os metais em grande escala.

O termoplástico elastomérico Hytrel® combina as características de alto desempenho dos elastômeros com a processabilidade dos termoplásticos e pode ser utilizado em temperaturas de -40ºC a 110 ºC, em aplicações que envolvem grande resistência ao impacto, flexibilidade e redução de ruídos. A combinação do polímero de tereftalato e a fibra de vidro do Rynite® PET conferem ao material combinação de estabilidade térmica, propriedades elétricas, estabilidade dimensional, rigidez e estabilidade ao descoloramento para cores claras, mesmo quando exposto ao calor.

Leva a feira também, a tradicional linha de nylon da marca Zytel.

Sobre a Thathi Polímeros
Fundada em 1987 como empresa comercial, a Thathi Polímeros foi oficializada como distribuidora da Dupont no Brasil em 1994. É a maior distribuidora de resinas plásticas de engenharia do país e tem certificação da SGS ICS, desde 2002. Desenvolve projetos para a indústria automotiva, eletroeletrônica, construção civil e linha de consumo, auxiliando na indicação e aplicação técnica da matéria-prima.

Fonte: Messe Brasil