Posts Tagged ‘Poliuretano Termoplastico’

BASF construirá plantas de plásticos de engenharia e poliuretanos termoplásticos em novo Complexo Integrado em Zhanjiang, na China

30/05/2019

  • As primeiras plantas do Complexo Integrado contribuirão para aumentar a capacidade global de produção de plásticos de engenharia e TPU
  • O projeto de investimento de US $ 10 bilhões da BASF em Zhanjiang está avançando rapidamente

A BASF planeja construir uma planta de compostagem de plásticos de engenharia e uma planta de poliuretano termoplástico (TPU) no Complexo Integrado de Zhanjiang, na China. Estas serão as primeiras plantas de produção a entrar em operação no local.

Até 2022, a nova planta de compostagem de plásticos de engenharia fornecerá uma capacidade adicional de 60.000 toneladas métricas por ano de compostos de plásticos de engenharia da BASF na China. Isso levará a capacidade total da BASF desses produtos na região da Ásia-Pacífico para 290.000 toneladas métricas por ano. Como parte do plano da empresa de implementar um conceito abrangente de fabricação inteligente no Complexo Integrado, com base em tecnologias de ponta, as novas fábricas utilizarão processos de embalagem automatizada, sistemas de controle de alta tecnologia e veículos guiados automaticamente.

“Menos de um ano depois de assinarmos o primeiro Memorando de Entendimento, temos o prazer de anunciar as primeiras fábricas a serem instaladas em nosso Complexo Integrado em Zhanjiang,” disse o Dr. Stephan Kothrade, Presidente da Functions Asia Pacific, Presidente e Chairman da BASF-Grande China. “O projeto está avançando rapidamente e os clientes no sul da China em breve se beneficiarão desses produtos inovadores para atender às suas necessidades imediatas”.

As instalações gerais para o Complexo Integral de Zhanjiang também serão construídas juntamente com as duas novas plantas. A BASF Integrated Site (Guangdong) Co. Ltd (BIG), a nova subsidiária integral da BASF, foi oficialmente fundada. Esta entidade supervisionará as operações do novo Complexo Integrado, focalizando o mercado do sul da China.

“Queremos melhorar nosso suporte aos clientes no mercado do sul da China e em todo o mundo. Faremos isso estabelecendo as novas fábricas perto das indústrias de clientes em crescimento e através de melhorias na eficiência alcançadas através de nossa abordagem de fabricação inteligente. Isso aumentará nossa velocidade de inovação e a eficiência de nossos serviços ”, disse Raimar Jahn, presidente da divisão de materiais de desempenho da BASF. “Em particular, empresas do segmento eletro-eletrônico e fabricantes de automóveis estão recorrendo à BASF para ajudá-los a lidar com tendências como a eletrificação de carros e a miniaturização de dispositivos eletrônicos.”

O crescimento do mercado de TPU, em particular para aplicações de alto padrão, é impulsionado por vários fatores, incluindo o aumento de requisitos regulatórios e as crescentes expectativas dos clientes para melhorar o desempenho de sustentabilidade em áreas como e-mobilidade, peso leve e automação. Segundo a BASF, as suas soluções dão suporte a este crescimento com fios e cabos com segurança aprimorada para uso em automação e no mercado automotivo, bem como materiais leves para bens de consumo. Com as necessidades dos clientes evoluindo rapidamente em todo o mundo, a BASF afirma estar aumentando seu investimento em mercados emergentes para atender às necessidades locais, enquanto continua investindo em economias desenvolvidas.

A BASF assinou o primeiro Memorando de Entendimento sobre o Complexo Integrado com o Governo Provincial de Guangdong, em Berlim, em julho de 2018, e em janeiro de 2019, a empresa assinou um Acordo Estrutural com detalhes adicionais do plano. O Complexo Integrado em Guangdong será o maior investimento da BASF, estimado em até US $ 10 bilhões após a conclusão, e será operado sob a responsabilidade exclusiva da empresa. A cadeia de valor integrada conectará as plantas a montante e a jusante – desde produtos químicos básicos até produtos e soluções mais orientados para o consumidor, atendendo a setores em crescimento tais como bens de consumo ou transporte. No final, o Complexo Integrado de Zhanjiang será o terceiro maior site da BASF em todo o mundo, seguindo Ludwigshafen, na Alemanha, e Antuérpia, na Bélgica.

Fonte: BASF

Curta nossa página no

Poliuretanos Termoplásticos da Huntsman são usados para proteger o transporte de peças automotivas até a montadora

11/03/2017

Distribuidor Major Polymers ajuda PolyFlex Products na seleção de TPUs com alta resistência à abrasão para embalagens retornáveis especializadas

Duas séries de poliuretanos termoplásticos (TPU) da Huntsman vêm ajudando a transformar o transporte de peças automotivas, garantindo que componentes automotores de alto valor agregado cheguem aos seus destinos livres de danos e contaminações; além disso, as OEMs e os fabricantes de peças para OEMs (tier 1) conseguem inclusive reduzir custos.

A PolyFlex Products, fabricante de embalagens retornáveis especializadas, sediada nos Estados Unidos, está utilizando duas séries de TPUs resistentes à abrasão da Huntsman, Irogran® e Avalon®, para melhorar o desempenho e a durabilidade de suas bandejas, contêineres, recipientes e prateleiras personalizadas. Mudar para o TPU ajudou a Polyflex a aumentar a garantia de seus calços para cinco anos. Além disso, reduziu os incidentes de danos nos calços causados por uso atípico.

O calço é usado para estabilizar os produtos em trânsito. Em sua forma mais básica, ele completa os contêineres e evita que as peças se movimentem durante o transporte. A Polyflex opera na extremidade mais técnica do espectro de calços, produzindo sistemas complexos, feitos sob medida para se adaptarem a produtos específicos. Para a indústria automotiva, isso inclui soluções feitas sob medida que se encaixam com segurança em torno de motores, transmissões de engrenagens, eixos, para-brisas e painéis de carrocerias, protegendo-os contra danos e avarias, o que está associado ao transporte por caminhão, trem e navio.

Por muitos anos, a Polyflex tem produzido calços personalizados para OEMs automotivas. A empresa desenvolve e produz peças em termoplásticos e borrachas que funcionam em conjunto com prateleiras de metal que são empilhadas dentro de contêineres e então transportadas por estradas, ferrovias e mares. Até recentemente, a Polyflex usava polipropileno para fabricar seus calços automotivos, mas o material em questão não possuía as propriedades de resistência e durabilidade necessárias. Com o tempo, conforme os componentes pesados e pontiagudos eram repetidamente desembalados, os calços começavam a se partir e quebrar.

Em busca de uma melhor solução, a Polyflex considerou a utilização de TPUs. Auxiliada pela Major Polymers, distribuidora dos TPUs Huntsman, a empresa selecionou duas séries de TPUs resistentes à abrasão da Huntsman, cada uma com uma escala de dureza Shore diferente: 90A para componentes pesados, e 60A para peças que precisam ser liberadas por deslizamento. Utilizando os novos materiais, a Polyflex rapidamente percebeu a sua durabilidade. Eles também constataram que:

  • O TPU pode ser usado para criar calços complexos, de todos os formatos e tamanhos
  • A excelente propriedade de amortecimento de vibrações do TPU cria uma superfície de movimentação mais estável
  • O uso do TPU pode reduzir o peso do calço, o que leva à redução dos custos de transporte
  • Os TPUs podem possuir propriedades de descarga eletrostática, que são ideais para a movimentação de componentes eletrônicos
  • O calço em TPU é totalmente reciclável.

Além disso, o TPU oferece resistência a baixas temperaturas, mantendo as mesmas propriedades físicas mesmo a temperaturas abaixo de zero. Isso é algo importante em estados norte-americanos como o Michigan, conhecidos pela fabricação de carros e pelos invernos longos e rigorosos. Mesmo em condições de congelamento, o TPU consegue manter a sua flexibilidade, o que ajuda a preservar a qualidade do transporte.

Por trabalhar com a Major Polymers e a Huntsman, a Polyflex pôde expandir o uso do TPU em uma gama muito mais ampla de aplicações dos calços. Recentemente, a empresa começou a testar um terceiro tipo de TPU para o transporte de componentes automotivos. Ken Bylo, vice-presidente da PolyFlex Products, disse: “O uso de TPU em calços automotivos vem crescendo gradativamente na última década. Nós fomos um dos primeiros a adotar este material com esta finalidade, e com o auxílio da Major Polymers e da Huntsman, estamos expandindo sua função. Levou um tempo para que as empresas da indústria automotiva percebessem os benefícios do TPU, mas agora houve uma verdadeira mudança no setor.”

“As OEMs estão agora solicitando de maneira proativa as soluções baseadas em TPU. Inicialmente, houve algumas preocupações referentes ao investimento adiantado adicional necessário; geralmente, o TPU é mais caro, mas o retorno sobre o investimento é bastante claro em termos de durabilidade, bem como diversos outros benefícios. Seja transportando pequenos componentes ou peças de mais de 350 kg, o TPU vem se tornando o material ideal para calços para nossos clientes automotivos. Nós o valorizamos devido a sua durabilidade, e nossos clientes tem a garantia de que ele manterá seus componentes intactos no transporte até as montadoras.”, complementa Bylo.

Ken Scarpace, presidente da Major Polymers, disse: “A mudança da Polyflex para o TPU foi bastante fácil graças ao suporte técnico que fornecemos em conjunto com a Huntsman. O principal desafio foi ajudar a Polyflex a produzir peças maiores usando um material que respondesse de maneira diferente quando comparado a outros tipos de termoplásticos e borrachas. Com a assistência da equipe de TPU da Huntsman, pudemos oferecer informações que garantiram uma transição sem problemas. Estamos muito contentes porque a Polyflex e seus clientes ficaram bastante impressionados com os resultados e porque agora a equipe está buscando utilizar outras séries em diferentes aplicações de calços.”

Eric M. Holdt, gerente de vendas de distribuição nas Américas da Huntsman, disse: “Nossos produtos e sistemas em poliuretano são usados em toda a indústria automotiva na produção de peças de carros, desde os estofados dos assentos e do isolamento acústico até os componentes de toque macio que ficam no interior e os cabos que ficam sob o capô. Sendo assim, é compreensível que nossas séries Irogran® e Avalon® também estejam adicionando ainda mais valor à cadeia de suprimentos da produção de carros.”

A Major Polymers Distribution Inc. é uma fornecedora de materiais termoplásticos da região Centro-Oeste dos Estados Unidos localizada em St. Clair, Michigan, especializada em compostos e polímeros de engenharia.

A PolyFlex Products, localizada em Farmington Hills, Michigan, desenvolve e produz bandejas reutilizáveis personalizadas, contêineres retornáveis e outros produtos de embalagem para o manuseio de materiais e para aplicações de processamento de fabricação automatizada. Além de atender a todo território norte-americano, a Polyflex Products também atua nos mercados do México e Alemanha e utiliza de novas tecnologias para desenvolver soluções personalizadas a partir de processos de moldagem de plástico, de poliuretano ou de borracha.

A Huntsman Corporation é um fabricante global de capital aberto e vendedor de produtos químicos diferenciados com uma receita de aproximadamente US$ 10 bilhões em 2015. A empresa opera mais de 100 unidades fabris e de Pesquisa & Desenvolvimento em cerca de 30 países e emprega aproximadamente 15.000 colaboradores.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Huntsman

Curta nossa página no

BASF encerra produção de TPU em Guaratinguetá (SP); abastecerá mercado da América do Sul através de sua rede global de produção

09/11/2016

basf-guaratingueta

A BASF abastecerá seus clientes de TPU (Poliuretano Termoplástico) na América do Sul por meio de sua rede global de produção de TPU Elastollan® com fábricas na Alemanha, Ásia e América do Norte.

A fabricação local de TPU em Guaratinguetá foi descontinuada a partir de 1 de novembro. Segundo a empresa, o abastecimento para os clientes da América do Sul está garantido, pois a BASF se compromete com seus clientes de TPU por meio de sua rede de produção global.

A fábrica de TPU Elastollan® é uma das quatro fábricas da Divisão de Materiais de Performance da BASF dentro do Complexo Químicos de Guaratinguetá. As outras três plantas – produção de poliéster de poliol, de produção de sistemas de poliuretano e produção Cellasto (partes microcelulares para a indústria automóvel) – continuarão com suas atividades em operação.

Elastollan® – marca registrada de poliuretano termoplástico da BASF, pode ser utilizado em aplicações para mangueiras, revestimento de cabos, correias, filmes, perfis e pode também ser processado usando tecnologias de moldagem por sopro e moldagem por injeção. É utilizado em diversos setores, como automotivo, calçados e fabricação industrial.

Fonte: BASF

Curta nossa página no

Rhodia lança inovações na Fimec para ampliar sua participação no fornecimento de componentes para calçados

22/03/2016

Emprefimec2016sa é uma das patrocinadoras da Fábrica Conceito de Calçados da Fimec

Rhodia e Basf desenvolvem um inovador solado de performance para calçados esportivos

Setor coureiro-calçadista representa 7% das vendas anuais de produtos químicos da Rhodia no Brasil

A Rhodia, empresa do Grupo Solvay, para atender às demandas por inovações e maior produtividade do setor calçadista/coureiro do País, reservou para a 40ª edição da Fimec (de 15 a 17 de março, em Novo Hamburgo- RS), o lançamento de uma série de novidades nas áreas de insumos e produtos químicos. O objetivo da empresa é reforçar sua participação no fornecimento para esse segmento, que em média representa em torno de 7% do total das vendas da empresa no Brasil.

Entre as novidades, destacaram-se o trabalho conjunto da Rhodia com a Basf para a criação de um solado composto de entressola de poliuretano e estabilizador de TPU – poliuretano termoplástico -, para aplicação em calçados esportivos (tênis, sapatênis etc). Esse desenvolvimento permite a produção de um solado de menor peso, maior absorção de impacto e aumento do conforto do usuário do calçado.

O solado todo em poliuretano foi utilizado no tênis de alta performance X-System, protótipo criado pelo projeto Inspira Mais, coordenado pela Assintecal (Associação Brasileira de Empresas de Componentes para Couro, Calçados e Artefatos), reunindo tecnologias destinadas aos calçados esportivos.

Segundo Marlise Margaritelli, gerente comercial e de marketing para a América Latina da área global de negócios Poliamida e Intermediários, o desenvolvimento desse solado é uma resposta da indústria de matérias-primas às necessidades do setor coureiro-calçadista por soluções com alta tecnologia e inovação, capazes de gerar valor ao produto final.

“A cadeia produtiva do setor no Brasil, desde as indústrias de matérias-primas até o fabricante do produto final, é altamente qualificada para a criação de produtos que atendam aos desejos dos consumidores finais tanto no Brasil quanto no Exterior”, diz ela.

De acordo com Letícia Mendonça, gerente de Transportes e Bens de Consumo da divisão de Materiais de Performance da BASF para América do Sul, a dinâmica do setor coureiro-calçadista exige dos fornecedores de insumos o desenvolvimento de soluções que sejam inovadoras e representem ganhos de produtividade para toda a cadeia industrial.

“Nosso foco são os sistemas de TPU (poliuretano termoplástico) da linha Elastollan® e os sistemas de PU (poliuretano) da linha Elastopan®. O primeiro se destaca pelos materiais de alta performance que conferem a melhor maciez do mercado brasileiro para o conforto ao calçado e o segundo, pela liberdade ilimitada de design em termos de forma, cor e textura para sistemas de calçados”, afirma.

Sílicas para calçados – No segmento de sílicas precipitadas, um insumo de larga utilização na produção de solados de borracha para calçados, o foco do trabalho da Rhodia é o desenvolvimento em conjunto com seus clientes de aplicações em linha com as atuais tendências do mercado.

“Por exemplo, há muito espaço para os calçados esportivos de uso no dia a dia ou para prática de esportes de performance, que exigem um solado de borracha de maior desempenho, o que só se obtém com o uso de nossa sílica”, diz Paulo Garbelotto, Gerente Comercial e de Marketing na América Latina da área global de negócios Sílica, do Grupo Solvay.

Além disso, observa, está ocorrendo um crescimento do mercado de calçados para segmentos específicos de consumidores, tais como os calçados “anti stress” ou para pessoas que tem alguma necessidade especial, o que exige solados diferenciados de borracha. “Essa nova demanda tem levado ao aumento dos serviços de desenvolvimento conjunto de aplicações”, acrescenta Garbelotto.

Reconhecido fornecedor do setor com a marca Zeosil®, a área de Sílica tem investido no desenvolvimento de novos produtos que ajudam os clientes a obter maior produtividade em seus processos, melhorar a qualidade final de seus produtos e reduzir os custos de produção. Um dos exemplos desse trabalho de inovação foi a criação da sílica Efficium®, que oferece melhor dispersão e compatibilidade com a borracha, permitindo menor consumo de energia elétrica do misturador e menor tempo do uso do maquinário”, acrescenta.

Rhodia na Fábrica Conceito – A Rhodia também participou como um dos parceiros do projeto Fábrica Conceito, desenvolvido pelo Ibtec.- Instituto Brasileiro de Tecnologia de Couro, Calçados e Artefatos – para apresentar as tecnologias da empresa voltadas ao setor coureiro-calçadista. O foco da empresa foram os intermediários químicos aplicados nos solados de poliuretano e no tacão de PU e os solventes oxigenados usados na produção de adesivos. Durante a Fimec 2016, a Fábrica Conceito produziu 1 mil pares de calçados femininos e masculinos, entre sapatilhas, scarpin, botas femininas e sapatênis masculinos.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Rhodia

Curta nossa página no

BASF apresenta soluções para calçados de segurança na A + A 2015, em Düsseldorf

03/11/2015

BASF_Shoes

  • O Infinergy® apresenta propriedades de suspensão e absorção para calçados de segurança
  • Para temperaturas extremas, a BASF um grade com propriedades de alta resistência à flexão, mesmo a temperaturas de – 45 °C

Neste ano, a BASF apresentou seu novo portfolio de poliuretano (PU) e poliuretano termoplástico (TPU) para calçados de segurança na A + A 2015, a feira internacional de saúde e segurança ocupacional em Düsseldorf (Alemanha). De 27 a 30 de outubro, os visitantes do evento puderam conferir as soluções de PU/TPU da BASF em calçados de segurança.

Infinergy® – elástico como borracha, porém mais leve

O primeiro poliuretano termoplástico expandido do mundo  (TPU-E)  está sendo usado pela primeira vez em calçados de segurança. De acordo com a BASF, a espuma de células fechadas de partículas elásticas apresenta baixa densidade, alta elasticidade, elevada resistência à abrasão, força de tração e uma boa durabilidade a longo prazo com um amplo intervalo de temperaturas (chegando até a -20 °C), juntamente, com uma boa resistência química. Entretanto, a principal característica do Infinergy® é a sua alta resiliência. Segundo a empresa, o teste de elasticidade de rebote de acordo com a norma ISO 8307 (teste de rebote de bola) e DIN 53512 (com martelo pêndulo definido) demonstra que o Infinergy® atinge uma altura de rebote de mais de 55%, colocando-o à frente em comparação com outros tipos de espumas, tais como polipropileno expandido (PPE) a 30%, acetato de vinilo etileno (EVA) a 37%, e polietileno expandido (EPE) a 50%. O Infinergy® não perde sua alta resiliência, mesmo com o uso contínuo, tornando-o o material ideal para entressolas nos calçados de segurança.

O Infinergy®  é usado pela primeira vez na linha de calçados de segurança “Wellmaxx”, produzidos pelo fabricante inovador ELTEN. “Nenhuma entressola produziu até agora maior retorno de energia. Na prática, a nova tecnologia de amortecimento torna a vida mais fácil para todos os membros de equipes cujo trabalho envolve corridas – um fator importante em alguns setores, pois significa uma grande melhoria na prevenção da fadiga e problemas de articulação”, confirma Stefan Tintrup, sapateiro ortopédico e especialista líder em tecnologia de calçados da fabricante Elten, na Renânia do Norte. As pessoas que participaram do teste de desgaste ficaram muito entusiasmadas com as propriedades únicas de suspensão e absorção dos sapatos.

Elastopan® Light Safe – leve e antiestático

No Elastopan® Light Safe, a BASF oferece outro sistema de baixa densidade. Segundo a BASF, este é um poliuretano expandido por água, extremamente antiestático e com baixa densidade. As entressolas feitas com esse novo material são até 40% mais leves do que os sistemas de PU padrão utilizados em entressolas em calçados de segurança e, portanto, proporcionam maior conforto para o usuário, afirma a empresa.

Ele pode ser usado em combinação com TPU ou sola exterior de borracha para produzir uma camada de dupla densidade que atende à norma ISO EN20344: 2011. O material não requer qualquer tecnologia de produção especial, pode assim ser processado com máquinas injetoras e de casting convencionais com a finalidade de produzir solas e sapatos.

Grades de Elastopan® para as temperaturas mais baixas

A BASF oferece uma família de sistemas de PU sob o nome Elastopan® Extreme Frost, projetada especialmente para condições climáticas muito frias. Em contraste com os sistemas convencionais, as solas feitas desse material exibem uma resistência à flexão a -45 ° C em mais de 50.000 ciclos, no  Teste canadensa de flexão Ross, e em mais de 8.000 ciclos, nas condições do Certificado Russo de Conformidade GOST, afirma a empresa. Outras propriedades principais incluem alta resistência ao deslizamento em superfícies molhadas e congeladas, baixa abrasão e alta absorção, segundo a BASF.

A divisão de Materiais de Performance da BASF engloba todo o know-how de materiais da BASF em  plásticos inovadores e personalizados. Mundialmente ativa em quatro grandes setores da indústria – transporte, construção, aplicações industriais e bens de consumo,  a Divisão de Materiais de Performance alcançou vendas globais de € 6,5 bi em 2014.

Fonte: BASF

Curta nossa página no

Bayer MaterialScience muda de nome e passa a se chamar Covestro

03/09/2015
  • Fabricante de materiais tem nova identidade
  • Covestro inicia suas operações e agora é legalmente e economicamente independente
  • Entrada no mercado de capitais é esperada para meados de 2016

covestroUma das principais fabricantes de polímeros do mundo tem uma nova identidade. A partir de 1º de Setembro de 2015, a Bayer MaterialScience passa a operar sob o nome Covestro (pronuncia-se Covéstro). A companhia hoje é legalmente e economicamente independente, mas continuará sendo uma subsidiária 100% da Bayer AG. A Bayer pretende conduzir a entrada da Covestro no mercado de capitais até meados de 2016 a fim de concentrar-se exclusivamente em seus negócios de ciências da vida.

“A independência nos permitirá reunir nossas forças para enfrentar a competição global de forma mais rápida, efetiva e flexível”, afirma o CEO da Covestro, Patrick Thomas.

“Fazer do mundo um lugar melhor”

A Covestro possui uma nova e colorida logo. Sua visão também é nova: “Fazer do mundo um lugar melhor”. “Nós cumprimos essa visão inspirando a inovação e conduzindo o crescimento por meio de tecnologias e produtos rentáveis que beneficiam a sociedade e reduzem os impactos ambientais”, explica Thomas.

A Covestro fornece produtos para indústrias-chave em todo mundo, tais como os setores automotivo, de construção e eletrônico, bem como as indústrias de esportes, moveleira e têxtil. Com seus produtos e soluções em aplicações, a companhia ajuda a solucionar os maiores desafios do nosso tempo, da mudança climática à escassez de recursos, mobilidade e urbanização ao crescimento populacional e mudanças demográficas.

Produtos versáteis para indústrias-chave

Os produtos da Covestro incluem matérias-primas para a espuma premium de poliuretano que, em sua forma flexível, é usada em móveis, colchões e assentos automotivos; em sua forma rígida, ela é usada no isolamento de prédios e em equipamentos de refrigeração.

A companhia também produz policarbonatos de alta performance, que são materiais muito versáteis para componentes automotivos, estruturas para coberturas, dispositivos médicos e muito mais. O portfolio da Covestro ainda é composto por especialidades químicas, incluindo matérias-primas para revestimentos, adesivos e filmes.

A Covestro é administrada por um Conselho formado por quatro membros. Os membros do Conselho de Administração, presidido pelo CEO Patrick Thomas, também incluem Frank H. Lutz (Diretor Financeiro e de Relações Trabalhistas), Dr. Klaus Schaefer (Produção e Tecnologia) e o Dr. Markus Steilemann (Inovação).

Sobre a Covestro: Com vendas de 11,7 bilhões de euros em 2014, a Covestro é uma das maiores companhias de polímeros do mundo. Suas atividades estão focadas na produção de polímeros de alta tecnologia e no desenvolvimento de soluções inovadoras para produtos usados em diversas áreas. O grupo Covestro possui 30 sites de produção ao redor do mundo e até o final de 2014 empregava cerca de 14.200 colaboradores. A Covestro é uma empresa do Grupo Bayer.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Covestro

Curta nossa página no

BASF apresenta inovações para o mercado calçadista na FIMEC 2015

18/03/2015
  • Poliuretano Termoplástico para calçados esportivos leves, resistentes e profissionais
  • Primeiro TPU expandido do mundo que proporciona o máximo impulso para o tênis de corrida Energy Boost® da Adidas

A BASF,  parceira de sistemas de poliuretanos e TPU para a indústria calçadista na América do Sul, participa da FIMEC 2015 (Feira Internacional de Couros, Produtos Químicos, Componentes, Máquinas e Equipamentos para Calçados e Curtumes), que acontece de 17 a 20 de março, na Fenac, em Novo Hamburgo/RS. Na feira, a empresa apresenta uma variedade de soluções que vão desde novos tipos de TPU para calçados esportivos ultraleves e resistentes a novos recursos, como impermeabilidade e controle de temperatura.

“Nossos produtos podem melhorar as propriedades das solas, palmilhas e outras partes do calçado”, afirma Letícia da Rocha Mendonça, gerente de Transportes e Bens de Consumo da divisão de Materiais de Performance da BASF para América do Sul. “Trabalhamos em conjunto com nossos clientes para desenvolver novas aplicações e inovações de produtos para que eles atinjam ainda mais o sucesso”.

A FIMEC 2015 reune cerca de 1.200 empresas, sendo mais de 600 expositores brasileiros, que apresentam os principais lançamentos e novidades em produtos e serviços nas áreas de couros, produtos químicos, componentes, máquinas e equipamentos para o mercado de coureiro-calçadista.

A BASF está apresentando os seguintes produtos durante a feira (as características dos produtos foram informadas pela empresa):

Elastollan® Soft®: O poliuretano termoplástico (TPU) com a menor dureza encontrada no mercado brasileiro. Apresenta maciez, resistência à abrasão e ao grip (escorregamento) e é ideal para o mercado de calçados profissionais e esportivos.

Elastollan® Light®: Um leve poliuretano termoplástico expandido com elevada resistência à abrasão e maciez, podendo ser utilizado em entressolas de calçados esportivos, chinelos, entre outros,

Climate control®: Um sistema de poliuretano desenvolvido para a produção de palmilhas capazes de absorver e liberar a umidade dos pés ao caminhar, garantindo melhor conforto térmico ao calçado.

Botas impermeáveis de PU: Um sistema 100% poliuretano e extremamente durável e resistentes a óleos, ácidos, solventes e gasolina.

Chinelo em poliéter de baixa densidade: Um calçado desenvolvido com um sistema inovador de PU para maior resistência à hidrólise e maior durabilidade ao ser utilizado em locais úmidos, como praias e piscinas.

Infinergy®: O primeiro poliuretano termoplástico expandido do mundo (E-TPU), que combina as propriedades elásticas do TPU com a leveza da espuma. O Infinergy ™ é utilizado no inovador tênis de corrida “Energy Boost”, da fabricante Alemã Adidas.

FIMEC 2015
Data: 17 a 20 de março de 2015
Horário: das 13h às 20h
Local: Rua Araxá, 505 – Bairro Ideal – Novo Hamburgo – RS
Estande: 4176-A

Fonte: Assessoria de Imprensa – BASF

Curta nossa página no

Scandiflex busca ampliar produção de polióis para fabricação de Poliuretanos Termoplásticos

18/11/2012

A empresa apresentou suas novidades durante a Feipur que aconteceu em São Paulo de 6 a 8 de Novembro

A Scandiflex, Subsidiária da Eastman do Brasil, vem atuando na inovação e ampliação da sua área de produção de polióis utilizados na fabricação de poliuretanos termoplásticos (TPUs). O TPU é um poliuretano que garante versatilidade no desenvolvimento de várias soluções para a indústria, como produtos pneumáticos, solas de sapato, tubos petrolíferos, buchas, roletes, material dentário, entre outros. O TPU da Scandiflex é comercializado pelo nome de Thermollan™, poliuretano termoplástico.

“A Eastman acredita no potencial do TPU como negócio, portanto, vem investindo e ampliando a capacidade produtiva da empresa, introduzindo tecnologias mais eficientes e sustentáveis, reorganizando e adequando os processos”, afirma o Diretor geral da Eastman e da Scandiflex, Pedro Fortes. “A partir de agora, a Scandiflex passa a seguir os rígidos critérios e padrões de qualidade praticados pela Eastman”, completa.

A Scandiflex busca trabalhar junto a seus clientes, identificando necessidades e problemas, e propondo novas soluções, sejam elas, novos produtos ou solicitações individuais e personalizadas. O diferencial da empresa é a flexibilidade na execução de todo processo de produção da resina base.

No laboratório de desenvolvimento localizado em sua sede, em Mauá/SP, são realizados diversos testes de verificação de desempenho do produto. “Os produtos desenvolvidos aqui possuem alta tecnologia e qualidade, com preço competitivo frente ao mercado nacional e internacional”, afirma Luis André Mazurok, Gerente Desenvolvimentos de Novos Produtos da Scandiflex.

Tanto a Eastman quanto a Scandiflex estão comprometidas em atingir  altos padrões de desempenho de saúde, segurança, ambiental e de proteção. “Temos consciência da importância da segurança operacional, gerenciamento de produto e responsabilidade social da Scandiflex. Por isso, participamos desde 1992, do programa Atuação Responsável, instituído e coordenado pela ABIQUIM, Associação Brasileira das Indústrias Químicas, completa Mazurok.

Sobre a Eastman Chemical Company

Uma empresa global com sede em Kingsport, Tennessee, Estados Unidos, a Eastman alcançou vendas de US$ 7,2 bilhões de dólares em 2011, possuindo aproximadamente 10 mil colaboaradores em todo o mundo.

Sobre a Scandiflex

A Scandiflex conta com uma diversificada linha de mais de 40 tipos de plastificantes poliméricos e monoméricos, incluindo ftalatos, adipatos, citratos, maleatos, sebacatos, azelatos e trimelitatos, destinados a diversas indústrias como, tintas, vernizes, filmes, calandrados, adesivos, fios e cabos, brinquedos, embalagens, plásticos, borrachas, têxtil, plastissóis, produtos hospitalares, veterinários e defensivos agrícolas. A empresa possui ampla gama de polióis-poliésteres e sistemas de poliuretano. A Scandiflex foi adquirida pela Eastman Chemical Holdings do Brasil Ltda em Setembro de 2011.

Fonte: The Group Comunicação / Eastman

Curta nossa página no

BASF expandirá negócio de poliuretanos do Brasil.

16/10/2011
  •  Investimentos no negócio de poliuretanos e especialidades irão fortalecer a posição de mercado.
  • A localidade Mauá será integrada nas localidades Demarchi e Guaratinguetá da BASF

 A BASF anunciou que investirá para expandir seus negócios de sistemas de poliuretanos (PU) e especialidades no Brasil. As fábricas de sistemas de PU, polióis, TPU (poliuretano termoplástico) e Cellasto® serão expandidas e consolidadas no Complexo Químico da BASF, em Guaratinguetá. Além disso, um novo centro de desenvolvimento e serviços técnicos será inaugurado na localidade Demarchi, em São Bernardo do Campo, para criar uma estrutura que dê suporte aos clientes e às atividades de desenvolvimento do mercado. Devido a restrições de espaço físico, esta expansão não poderá ser realizada na localidade de Mauá.

“Com este investimento, a BASF vai assegurar o futuro do negócio de poliuretanos na América do Sul. Além disso, também destaca nossa posição como líderes no mercado global de poliuretanos”, afirma Wayne T. Smith, Presidente Global da Divisão de Poliuretanos da BASF. “Iremos nos posicionar de forma a atender aos clientes do mercado de poliuretanos da melhor forma possível, ajudando-os a atingir ainda mais o sucesso.”

Anton Traunfellner, Diretor do Negócio de Poliuretanos da BASF para a América do Sul, complementa: “queremos que nosso negócio cresça de forma rentável e utilizaremos as estruturas existentes nas localidades Demarchi e Guaratinguetá, que oferecem benefícios excelentes de logística e Verbund. Como consequência, poderemos oferecer ótimos serviços de desenvolvimento e mais qualidade de produtos aos nossos clientes”. O mercado brasileiro de poliuretanos é direcionado, principalmente, pelas indústrias de móveis, calçados, aplicações e transporte.

Sob a marca Cellasto®, a BASF desenvolve, produz e distribui componentes de elastômeros de poliuretano microcelular que aumentam o conforto ao dirigir automóveis na forma de batentes de amortecimento. A BASF é a líder mundial no fornecimento de componentes de PU microcelular. Cellasto® está dentro de um em cada dois carros fabricados no mundo. Nove entre dez montadoras utilizam os batentes de suspensão da BASF.

O TPU da BASF é comercializado sob a marca Elastollan®, um elastômero de poliuretano termoplástico com ótimo potencial de inovação. Em desenvolvimento constante e adaptado às necessidades do mercado, Elastollan® se estabeleceu muito bem como um material com talentos múltiplos para diversos nichos da indústria.

Fonte: BASF