Posts Tagged ‘Plastech Brasil 2015’

Perspectiva de geração de negócios na Plastech Brasil 2015 atinge R$ 153 milhões

29/10/2015

Plastech-2015

Pesquisa independente com expositores da Plastech Brasil 2015 identificou alto índice de satisfação e tendência de retorno dos participantes  

Em negócios concretizados durante a Plastech Brasil 2015 ou projetados para os 12 meses subsequentes, a feira realizada pelo Sindicato das Indústrias de Material Plástico do Nordeste Gaúcho (Simplás) na última semana de agosto atingiu R$ 153 milhões. Diante de um mercado muito afetado pela situação econômica atual, a exposição de Caxias do Sul (RS) superou a marca de 87% em relação a 2013, quando chegou aos R$ 175 milhões. Os dados compõem uma pesquisa independente aplicada pela consultoria Impacto Positivo aos expositores da quinta edição do evento, que retornará em 2017, de 22 a 25 de agosto. Na opinião dos organizadores, consideradas as circunstâncias atuais, foi um sucesso.

“Qualquer empresário sabe o que realizou nestes últimos dois anos. Atingimos R$ 175 milhões de negócios fechados durante a feira ou encaminhados para os 12 meses seguintes em 2013, que já era um ano muito melhor do que foi 2014. E aí chegou este 2015, o qual todos já estão cansados de saber como é que é. Com tudo isso, conseguimos botar esta feira de pé e ainda chegar a R$ 153 milhões! Qual setor, nos últimos dois anos, caiu apenas 13%? É de se comemorar”, avalia o presidente da Plastech Brasil, Orlando Marin.

A análise ainda leva em conta um fator territorial: o momento é especialmente complicado na Serra Gaúcha, onde se realizou a feira e é uma das regiões do país mais afetadas pela crise. Com matriz econômica em produtos acabados e bens de capital, como máquinas, implementos rodoviários, agrícolas e componentes automotivos, o polo industrial local viu-se comprometido pelo que deveria ser um atributo: o alto valor agregado da produção.

“Nosso parque industrial é fornecedor. E o transformador está deprimido. O que impulsionou uma realização de negócios na feira capaz de atenuar a queda foi o grande número de expositores e visitantes de outras regiões, estados e países. A expansão de público trouxe o equilíbrio. Se considerássemos apenas a Serra, pelo ano que enfrenta, a queda poderia ser grande. Por outro lado, se levássemos em conta apenas o pessoal de fora, o desempenho seria até de crescimento. Por uma questão de momento, pois temos grandes produtos e grandes empresas por aqui”, comenta Marin.

A pesquisa ainda destaca o chamado índice de reincidência da Plastech Brasil – a tendência de retorno de expositores e visitantes. Em relação a 2013, por exemplo, chega a 90%. Também chama atenção a parcela de expositores para quem a feira proporcionou abertura de novos mercados: 80%. Para 70% dos entrevistados, o fluxo de negócios atendeu às expectativas e, na avaliação de 57%, os resultados ficaram dentro ou acimado esperado. O índice geral de satisfação com o evento alcançou 80%.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Plastech Brasil / Foto: Gabriel Lain

Curta nossa página no

Anúncios

Chem-Trend expôs soluções para a indústria de termoplásticos na Plastech Brasil 2015

08/09/2015

Em uma parceria com a Activas, a companhia participou do evento no sul do País com sua linha de agentes de purga

A Chem-Trend, uma das líderes em agentes desmoldantes e especialidades químicas, esteve presente na Plastech Brasil 2015, realizada entre 25 e 28 de agosto, em Caxias do Sul (RS).

A empresa exibiu sua linha de agentes de purga Lusin® para as indústrias de termoplásticos no estande montado em parceria com a Activas,  empresa distribuidora de resinas plásticas no mercado brasileiro.

Para a Chem-Trend, participar da Plastech se revelou uma importante ocasião para estar diretamente em contato com empresas, fornecedores e mão de obra altamente especializados, em uma região responsável por 11,3% de toda capacidade instalada do setor de transformação de pláticos no Brasil, segundo dados da Abiplast.

Sobre os agentes de purga da linha Lusin®, a Chem-Trend destaca a alta eficiência para os processos de limpeza de extrusoras e máquinas de moldagem por injeção e em processamento por extrusão, sopro ou laminação.

A Chem-Trend é uma organização global com foco no desenvolvimento, produção e comercialização de agentes desmoldantes para uso nas indústrias de borracha, pneus, poliuretano, compósitos, termoplásticos e fundição sob alta pressão.  No Brasil desde 1986, a Chem-Trend mantém em sua planta, em Valinhos (SP), a produção, venda, administração, atendimento e todo o suporte técnico aos seus clientes. A Chem-Trend do Brasil fornece agentes desmoldantes, lubrificantes e limpadores a todo mercado nacional, América do Sul e África do Sul.

A Chem-Trend é uma empresa do Grupo Freudenberg que,  em 2014, empregou mais de 40 mil pessoas em cerca de 60 países do mundo e gerou vendas de mais de 7 bilhões de Euros.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Plastech

Curta nossa página no

Plastech Brasil 2015 atinge maior número de visitantes de sua história

31/08/2015

Quinta-feira (27) registrou maior fluxo de visitantes em um único dia desde a primeira edição do evento

Plastech_Marin_2015

Orlando Marin, Presidente da Plastech Brasil 2015

A Plastech Brasil 2015 chegou ao final na sexta-feira (28) quebrando o próprio recorde de público, com o credenciamento de aproximadamente 25 mil pessoas desde a abertura, na terça-feira (25). Para completar, a quinta-feira (27) registrou o maior fluxo de visitantes em um único dia, desde a primeira edição do evento, em 2007, com mais de 8,5 mil pessoas passando pelos portões do Parque de Exposições da Festa da Uva. A sexta edição da exposição realizada pelo Sindicato das Indústrias de Material Plástico do Nordeste Gaúcho (Simplás) já está marcada para a semana de 29 de agosto a 1 de setembro de 2017, em Caxias do Sul (RS).

Outro êxito se configurou no Fórum Plastech Brasil, que logo na estreia como principal atração da programação paralela já atraiu 400 participantes para 12 atividades. No total, considerando-se a agenda nos turnos simultâneo e contrário ao da feira, que transcorre entre a tarde e a noite, foram desenvolvidas 14 ações, incluindo-se as duas rodadas de negócios – uma nacional, gerenciada pelo Sebrae, e outra internacional, sob o comando do programa Think Plastic Brazil, desenvolvido em parceria com a Agência de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil).

Apenas no Fórum Plastech Brasil foram três encontros de lideranças empresariais e governamentais, três jornadas de capacitação técnica totalmente gratuitas (uma delas com foco específico em exportação, por meio do Programa de Incentivo à Competitividade da Cadeia do Plástico) e três painéis setoriais. A Rodada de Negócios do Sebrae chegou a um total de 90 encontros oportunizados, enquanto o Projeto Comprador, do programa Think Plastic, cravou a marca de 80 reuniões entre candidatos a aquisições e vendas.

“Uma feira de negócios permite muito mais do que apenas vender. Vender é só o que alguns veem na superfície do evento. Uma feira permite estabelecer contatos, fechar parcerias, se apresentar no mercado, enxergar o que o concorrente está fazendo e, a partir disso, desafiar a própria criatividade a fazer melhor. Neste sentido, estamos muito satisfeitos, porque tanta gente mostrou compreensão do que estamos fazendo aqui”, declarou o presidente da Plastech Brasil, Orlando Marin.

Jaime Lorandi, Presidente do Simplas

Jaime Lorandi, Presidente do Simplas

Para o presidente do Simplás, Jaime Lorandi, os números tornam-se ainda mais expressivos quando expostos à realidade econômica atípica vivida pela maioria dos empreendedores.

“O momento é de muita incerteza. E pudemos ver que muitos negócios encaminhados durante a feira podem ainda levar algum tempo para se concretizar, porque as pessoas estão preocupadas, aguardando o que vai acontecer com o país nos próximos meses”, explicou.

A expectativa é de muitas articulações iniciadas durante a Plastech Brasil 2015, especialmente em função do grande fluxo de público, comecem a se efetivar nos próximos meses.

“Não chegamos tão longe quanto gostaríamos. O momento não deixou. Mas crescemos. Mexemos com o mercado. Oferecemos oportunidade para quem queria fazer negócio. Então, também não deixamos o momento nos prejudicar tanto quanto poderia. É uma vitória”, resumiu Marin.

8 toneladas de resíduos recolhidos e três escolas premiadas

Desde a cerimônia de abertura, Orlando Marin havia deixado claro que a cifra mais digna de comemoração da Plastech Brasil 2015 já era conhecida antes mesmo de a feira começar. E tinha menos a ver com negócios do que com solidariedade e futuro.

Bastante emocionado, o presidente da feira celebrou as oito toneladas de resíduos recicláveis recolhidas pela mobilização entre professores, alunos e famílias ligados a 42 escolas de educação infantil da rede pública municipal de Caxias do Sul. Graças ao projeto Recicla Plastech Brasil, parte delas estão sendo transformadas em 1,2 mil lixeiras, que serão doadas a 600 ambientes escolares em conjuntos: uma verde, para os descartes orgânicos, e outra amarela, para os reaproveitáveis – no mesmo sistema de cores da coleta urbana de Caxias do Sul, para facilitar a assimilação por parte das crianças.

E também foram conhecidas as três escolas com maior volume de resíduos recolhidos, a maioria na forma de embalagens plásticas, que serão premiadas com aparelhos retroprojetores (datashow): Geny Adélia Dalle Molle (bairro São Cristóvão), com 764,66 quilos; Dolaimes Stédile Angeli (bairro Centenário), com 514,11 quilos; e Vovó Phelomena (bairro Serrano), com 440,02 quilos. A entrega, tanto das lixeiras, quanto dos prêmios, ocorrerá nos próximos dias, após o encerramento da Plastech Brasil 2015.

“Isso sim é algo de se emocionar. Isso é um exemplo para todos nós. Por isso temos tanto orgulho desse projeto. Porque envolve as crianças, as famílias e as escolas, para mostrar que podemos e devemos ter um mundo melhor no futuro”, concluiu Marin.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Plastech Brasil / Fotos: Gabriel Lain

Curta nossa página no

Fórum Plastech Brasil debateu Programa Inovar Auto e contou com representantes de setores envolvidos

31/08/2015
  • Luiz Moan (presidente da Anfavea): “Onda de pessimismo é um crime”
  • Em Caxias do Sul (RS), Moan dá sinal positivo de montadoras à criação de bureau nacional de engenharia e defende potencial de mercado nacional
Da esquerda para a direita: Paulo Sérgio Furlan Braga (Coordenador do APL de Ferramentaria do Grande ABC), Luiz Moan (Presidente da ANFAVEA), Maria Paula Merlotti (coordenadora executiva do Setor Automotivo da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia - RS) e Carlos Manoel de Carvalho (vice-presidente da Abinfer, coordenador do APL de Ferramentaria do Grande ABC)

Da esquerda para a direita: Paulo Sérgio Furlan Braga (Coordenador do APL de Ferramentaria do Grande ABC), Luiz Moan (Presidente da ANFAVEA e diretor da General Motors), Maria Paula Merlotti (coordenadora executiva do Setor Automotivo da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia – RS) e Carlos Manoel de Carvalho (vice-presidente da Abinfer e coordenador do APL de Ferramentaria do Grande ABC)

O segundo dia do Fórum Plastech Brasil dedicou um painel aos desafios e oportunidades do programa Inovar-Auto.  O evento, que ocorreu na quarta-feira (26), pela manhã, no Parque de Exposições da Festa da Uva, em Caxias do Sul (RS), aconteceu em paralelo à Plastech Brasil 2015, feira voltada aos mercados de plástico, borracha, compósitos, reciclagem e transformados automotivos, organizada pelo Sindicato das Indústrias de Material Plástico do Nordeste Gaúcho (Simplás). A exposição foi realizada na semana passada, de 25 a 28 de agosto, das 14h às 21h.

O presidente da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), Luiz Moan, destacou durante o seu pronunciamento que o que mais abala o humor do mercado brasileiro é a ação humana:

“Cometemos o crime de entrar nessa onda de pessimismo e conseguimos deixar o consumidor com medo. O trabalhador fica com medo de perder o emprego e não gasta. E quando o consumidor não gasta, a economia não gira. E quando a economia não gira, o trabalhador perde o emprego. O momento é difícil, sim. Mas é um momento”.

O executivo apresentou números que sustentam a perspectiva do avanço considerável da indústria automotiva a longo prazo. Caso o país mostre capacidade de crescer pelo menos 3% ao ano pelas próximas duas décadas, atingirá condições de vender anualmente mais de 7 milhões de unidades de veículos. Em 2015, as vendas do setor devem fechar abaixo de 3 milhões.

“Estamos trabalhando para melhorar a cadeia produtiva e sair dessa situação. Pouca gente sabe o tamanho do mercado automotivo brasileiro. O potencial é enorme”, ponderou Moan.

Antes que alguém perguntasse de que forma o futuro volume seria absorvido pelo mercado e pela própria estrutura do país, Moan apontou para as cidades de até 500 mil habitantes, que correspondem a 98% dos municipalidades brasileiras, contando com 73% da população e – mais importante – possuindo uma faixa de consumo que cresce acima da média nacional.

“Mercado, temos. Futuro, temos. Só não podemos cometer o crime de deixar que essa onda de pessimismo nos abale. E não podemos cometer o erro de ficar parados. Temos de trabalhar para superar este momento. É um momento. Através do trabalho, vamos mudar este país”, arrematou, Moan, sob aplausos.

“Vamos botar nosso pessoal na rua com vocês”

Aplausos semelhantes foram dedicados ao diretor de Organização do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC Paulista, José Roberto Nogueira da Silva, o Bigodinho. O dirigente sindical apresentou as ações desenvolvidas em conjunto com o Arranjo Produtivo Local (APL) de Ferramentais e a Agência de Desenvolvimento Econômico do Grande ABC:

José Roberto Nogueira da Silva, Bigodinho, diretor de Organização do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC

José Roberto Nogueira da Silva (Bigodinho), diretor de Organização do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC

“A situação não está fácil no ABC, está muito difícil mesmo. Mas trabalhamos junto com as montadoras. Agora, por exemplo, estamos pressionando o governo pela política de renovação da frota de caminhões. E se para isso precisarmos mobilizar os trabalhadores para fazer as nossas caminhadas – que sabemos fazer – , vamos fazer. Vamos botar nosso pessoal na rua com vocês”, declarou, arrancando palmas do público de empresários.

Bigodinho destacou as chamadas Ações Pró-Ativas desenvolvidas conjuntamente por trabalhadores, empresários, integrantes do APL, da Agência de Desenvolvimento Econômico do ABC e do governo com o intuito de efetivar a aplicação do programa Inovar-Auto, que estimula a nacionalização de conteúdo pela cadeia automotiva.

Os quatro eixos pleiteados envolvem a manutenção dos atuais acordos comerciais com o México (impedindo o aumento de importações de veículos daquele país), uma linha de financiamento específica para as ferramentarias, a criação de um observatório de ferramentarias (para certificar a nacionalização de conteúdo e de aplicação de recursos obtidos pelas empresas com o BNDES) e, o mais desejado de todos, a criação de um bureau de engenharia.

“Quem não veio merece o puxão de orelha, porque tinha que estar aqui para saber o que está acontecendo. Temos de decidir se queremos ser fabricantes de conteúdo próprio ou apenas montadores. E temos de nos unir não só quando estamos em crise. Porque depois que a crise passa, cada um corre pro seu lado. O momento é muito difícil. Precisamos achar alternativas. Fazer algo diferente.”,  acrescentou Bigodinho.

Sinalização positiva de montadoras a bureau de engenharia

No debate que se seguiu ao painel, o secretário-executivo da Agência de Desenvolvimento Econômico do ABC, Giovanni Rocco Neto, indagou ao presidente da Anfavea, Luiz Moan, quanto à estagnação do projeto – já concluído há cerca de dois anos – que cria um bureau nacional de engenharia. De acordo com Neto, as montadoras contam com um fundo de recursos de aproximadamente R$ 1,5 bilhão especificamente destinado a Pesquisa e Desenvolvimento (P&D), que poderia estimular as ferramentarias no contexto do Inovar-Auto.

Moan respondeu que o avanço do projeto pelo Senado depende apenas de “união verdadeira” entre os três grandes pólos de ferramentarias do país.

“Os principais estão aqui (em Caxias do Sul), em Joinville (SC) e no ABC. A localização pode ser diluída – isso agora é o que menos importa. Mas tem que ser um verdadeiro bureau de engenharia nacional. Em prol das ferramentarias, eu defendo um bureau de engenharia nacional”, concluiu o executivo.

Idéias em debate

“Esse bureau de engenharia tem tudo a ver com o que precisamos e estamos trabalhando.”

Maria Paula Merlotti (coordenadora executiva do Setor Automotivo da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul)

“Nosso pensamento é de quanto mais tempo durar o Inovar-Auto, melhor.”

Rodrigo Machado Bolina (coordenador-geral das Indústrias de Máquinas Agrícolas e Rodoviárias substituto no Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior)

“Entendemos que o Inovar-Auto teria de ser uma política de Estado, independentemente de governo.”

Carlos Manoel de Carvalho (vice-presidente da Abinfer, coordenador do APL de Ferramentaria do Grande ABCD)

“Quando ninguém acreditava, nós conseguimos fazer uma mudança e criar um programa de adensamento de cadeia produtiva. Podemos fazer mais.”

Paulo Sérgio Furlan Braga (presidente da Câmara Setorial de Ferramentarias e Modelações da ABIMAQ, vice-presidente da ABINFER, coordenador do APL de Ferramentaria do Grande ABCD Paulista)

Fonte: Assessoria de Imprensa – Plastech Brasil / Fotos: Gabriel Lain

Curta nossa página no

Plastech Brasil oferece acesso gratuito a ferramentas de exportação pelo PICPlast

31/08/2015

Cursos de Capacitação do Plano de Incentivo à Competitividade da cadeia do plástico atraiu dezenas de participantes

Picplast_AleksanderEstreando na feira, o Fórum Plastech Brasil ofereceu capacitação gratuita a empreendedores interessados em investir nos mercados externos. Os cursos de capacitação do Plano de Incentivo à Competitividade da cadeia do plástico (PICPlast), oferecidos por meio de parceria entre Associação Brasileira da Indústria do Plástico (Abiplast) e Braskem, atraíram dezenas de interessados ao Parque de Exposições da Festa da Uva, em Caxias do Sul (RS), na tarde de quinta-feira (27).

Especialista em comércio exterior do programa Think Plastic Brazil, Aleksander Richard de Assis (foto), apresentou aos participantes os aspectos técnicos e mercadológicos da exportação.

“Queremos que as pessoas percebam que é possível fazer, desde que a empresa tenha foco e dedicação, e veja a exportação como um plano de negócio a médio e longo prazo”, esclareceu.

Para o especialista, a explanação foi sistematizada de forma didática, explicando aos interessados como se exportar, quais as ferramentas necessárias, os aspectos mercadológicos que precisam ser levados em conta, além de exposição de acessórios disponíveis no mercado.

“O principal mote da exportação é vir a ser, para a empresa, um canal a mais de venda. Ser uma opção ao mercado interno. Não se pode pensar em exportar somente na crise, mas durante a crise, a exportação pode, sim, ser uma forma de dar o equilíbrio financeiro de que a empresa tanto precisa”, alertou.

Guia de Sustentabilidade

Na sexta-feira (28) à tarde, a Plastech Brasil 2015 foi palco do pré-lançamento do Guia de Sustentabilidade do Plástico. Trata-se de uma obra de referência para a indústria dos transformadores plásticos. O diagnóstico das várias etapas de maturidade da sustentabilidade do setor foi apresentado no painel dedicado à reciclagem.

“O guia foi construído a partir de 26 visitas técnicas a 20 transformadores, e quatro recicladoras, além de Braskem e Petrobras. Ele traz ainda critérios, agenda de mudanças, apontamento de tendência e cenários”, comenta o especialista em comércio exterior do programa Think Plastic Brazil, Aleksander Richard de Assis, um dos envolvidos no projeto.

O lançamento oficial do Guia de Sustentabilidade, com o objetivo de estimular o aumento da competitividade internacional por meio de práticas ecologicamente corretas, está marcado para acontecer em outubro, em São Paulo.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Plastech Brasil 2015

Curta nossa página no

Think Plastic Brazil organiza mais de 80 encontros de negócios na Plastech Brasil

31/08/2015

Projeto Comprador aproximou vendedores nacionais de sete empresas vindas de quatro países

ThinkplasticBrazil_plastechO Projeto Comprador do programa Think Plastic Brazil opera através da organização de uma série de encontros com duração de 20 a 30 minutos, onde, a partir de um formulário prévio, as empresas internacionais (compradoras), descrevem seu perfil e necessidades. Por outro lado, é feita uma triagem entre os associados do projeto (vendedores). “Depois disso, as empresas que ‘derem liga’, combinam visitas técnicas, e têm grande chances de concretização de negócios.

Sete compradores internacionais, de México, Panamá, Colômbia e Equador, recepcionaram os vendedores brasileiros em Caxias do Sul (RS).

Marco Wydra, gerente executivo do Think Plastic Brazil,  explica que o projeto tem três eixos estratégicos de atuação: o desenvolvimento empresarial, a promoção comercial e comunicação e a inteligência estratégica competitiva. “Visamos a inserção, incremento e consolidação das exportações de produtos transformados plásticos de pequenas, médias e grandes empresas; além da solidificação da cultura exportadora das empresas do setor; do aumento da base exportadora e da melhoria da exposição e imagem do setor no exterior”, ressalta o gerente do Think Plastic Brazil.

Para Wydra, a exportação deve ser vista como um processo constante, e não apenas uma alternativa em tempos de crise. “Não acredito em exportação esporádica. Uma vez entrando nesse segmento, não tem mais saída”, argumenta.

Associado ao Think Plastic Brazil há um ano, o supervisor de exportação da Mega Embalagens, empresa de Salvador do Sul (RS), Moisés Guidi, define o projeto como  bastante interessante e necessário, além de uma grande oportunidade para as empresas.

“Minha expectativa é de fechar negócios. Conversei com cinco compradores, e agendei algumas visitas. Acredito que a exportação é um mecanismo que traz visibilidade, agrega conhecimento, além de atualizar a empresa e auxiliar na sua imagem”, enumera Guidi, que já exporta para Uruguai, Argentina, Costa Rica, República Dominicana, México, Estados Unidos e Venezuela.

Do outro lado da mesa de negociação, o colombiano Víctor Pacheco, da empresa Alquería, ressalta a importância do projeto para as empresas compradoras, uma vez que ajuda a encontrar produtos que possam resolver problemas pontuais das empresas.

“Das reuniões feitas até agora, já tenho, sim, expectativa de fechamento de negócios. Esse projeto nos dá ainda ideias e visões diferentes, apresentando inovação”, emenda o colombiano que gostou muito do Brasil.

Sobre o Projeto Comprador do programa Think Plastic Brazil

O Think Plastic Brazil, criado em dezembro de 2003, é um programa de incentivo à exportação do plástico transformado brasileiro. Fruto de uma parceria entre a cadeia produtiva do plástico e o governo, por meio da Agência de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), a iniciativa tem como objetivos o incremento das exportações de produtos transformados plásticos – foco em Embalagens e Utilidades Domésticas, a solidificação da cultura exportadora das empresas transformadoras de plástico e o posicionamento do Brasil como Global Player.Hoje, o Think Plastic Brazil conta com a participação de cerca de 90 empresas.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Plastech Brasil 2015 / Foto: Gabriel Lain

Curta nossa página no

Plástico, ciência e sociedade foram temas abordados pela Plastivida e Instituto do PVC na Plastech 2015

31/08/2015

As entidades apoiaram as iniciativas de coleta seletiva e reciclagem realizadas nos dias do evento, além de palestras para a discussão da relação entre as pessoas e os plásticos

Miguel_PlastividaA relação das pessoas com os plásticos, a importância das informações técnicas e científicas no esclarecimento de mitos e fatos sobre os produtos plásticos e suas características, assim como a importância da educação ambiental na disseminação das boas práticas de consumo e descarte, foram temas que a Plastivida e o Instituto do PVC abordaram na edição 2015 da Plastech Brasil, feira da cadeia petroquímica de transformação,  realizada de 25 a 28 de agosto, em Caxias do Sul (RS).

As entidades foram Patrocinadoras Ouro do Recicla Plastech Brasil, que envolve conhecimento, educação ambiental e valorização dos benefícios dos plásticos na vida das pessoas. A iniciativa levou conceitos de descarte correto e reaproveitamento de materiais para além da feira, buscando a conscientização da sociedade sobre a forma correta de descarte dos plásticos.

Uma das inciativas do Recicla Plastech Brasil foi promover a educação ambiental. Para incentivar as crianças a levarem até suas escolas embalagens recicláveis de plásticos (garrafas de água, potes de produtos de higiene e limpeza, de alimentação, etc.), foram distribuídos gibis que contam a história da reciclagem e da coleta seletiva. Esses produtos foram coletados no mês de agosto em durante a Plastech, foram reciclados e transformados em aproximadamente em 1.200 lixeiras que serão doadas às mesmas escolas.

As três escolas com maior volume de resíduos recolhidos, a maioria na forma de embalagens plásticas,  serão premiadas com aparelhos retroprojetores (datashow): Geny Adélia Dalle Molle (bairro São Cristóvão), com 764,66 quilos; Dolaimes Stédile Angeli (bairro Centenário), com 514,11 quilos; e Vovó Phelomena (bairro Serrano), com 440,02 quilos. A entrega, tanto das lixeiras, quanto dos prêmios, ocorrerá nos próximos dias, após o encerramento da Plastech Brasil 2015. A escola com maior volume de material coletado receberá um prêmio especial para seus alunos: além do retroprojetor, em reconhecimento ao esforço e ao trabalho dos alunos, as entidades entregarão a essa escola o “Troféu Plastivida 2015 – Plástico, Ciência e Sociedade”.

O projeto promoverá, também, após a Plastech 2015, ações de educação ambiental junto às escolas da região, em parceria com a Secretaria Municipal de Educação, com o envolvimento das crianças, de professores e familiares.

Além disso, os visitantes do stand do Recicla Plastech Brasil puderam saber mais sobre a importância dos plásticos no desenvolvimento da sociedade, por meio da exposição virtual “Plasticidade – História e Arte do Plástico”, realizada pelas entidades.

Os visitantes também participaram de ações de reciclagem e conscientização sobre descarte correto de plásticos com a coleta das credenciais,  feitas de PVC, nas máquinas no Papa Cartão®, para serem transformadas em novos produtos.

A sociedade e os plásticos

Miguel Bahiense (foto), presidente da Plastivida e do Instituto do PVC, apresentou palestra para os visitantes da Plastech 2015 sobre a relação fundamental entre plástico, ciência e sociedade.

Os plásticos fazem parte da vida das pessoas, desde a hora em que acordam, até o momento em que vão dormir. Estão presentes em quase todos os itens do cotidiano, protegendo os alimentos, nas roupas, no ambiente de trabalho, no lazer, nos meios de transportes e de comunicação.

A busca constante da harmonia entre o consumo, o descarte, o bem-estar social e a preservação ambiental é o trabalho que a Plastivida e o Instituto do PVC realizam. As entidades acreditam que a chave para essa equação está nas pessoas.

Segundo Bahiense, são as pessoas que avaliam os benefícios de um produto para seu bem-estar, sua saúde, prevenção de doenças, proteção, qualidade de vida, assim como para a preservação do meio ambiente no momento da compra. “É nosso papel atuar para que informações com base científica sejam divulgadas e para que haja diálogo com a sociedade, contribuindo, assim, para que as pessoas possam decidir de forma consciente na hora de escolher determinado produto”, afirma Bahiense. E completa: “promovemos e apoiamos ações de educação ambiental para que as boas práticas de consumo e descarte sejam disseminadas e para que a sustentabilidade – a partir do benefício econômico, social e ambiental – seja perene. ”

Fonte: Assessoria de Imprensa – Plastivida – Instituto do PVC / Foto: Estefânia Uchoa/CMADS, divulgação

Curta nossa página no

Plastech Brasil 2015 chega movida a inovação, estréias e parcerias

21/08/2015

Fórum Plastech Brasil, com debates e capacitação, e rodadas de negócio nacional e internacional serão atrações na programação paralela

Plastech_2015

A Plastech Brasil 2015 abre os trabalhos no dia 25 (terça-feira) e vai até 28 (sexta-feira), das 14h às 21h, no Parque de Eventos da Festa da Uva, em Caxias do Sul (RS), com 300 marcas em exposição e 30 mil visitantes esperados.

Dois anos de economia atípica depois da edição anterior, a feira ressurge com um produto ainda mais competitivo. Graças à multiplicação de parcerias, a Plastech Brasil 2015 será a feira das estréias. Só em novos benefícios e serviços exclusivos a expositores e visitantes serão cinco: guincho cortesia a expositores de máquinas e equipamentos na montagem e desmontagem dos estandes, tour de visitas técnicas pelas produções de Marcopolo e Keko Acessórios Automotivos, praça de alimentação com food trucks, Espaço Premium para expositores e convidados estratégicos e Circuito Gastronômico Plastech Brasil. Além de um Fórum inteiro de programação paralela que terá como uma das atrações o presidente da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), Luiz Moan. E uma empresa estreante no evento que chega como campeã nacional da inovação industrial no ranking divulgado em julho pelos grupos Valor Econômico e PwC: a 3M.

Plastech_Marin“Um bom exemplo de solução que criamos a partir de parceria é o serviço de guincho como cortesia aos expositores de máquinas e equipamentos durante as etapas de montagem e desmontagem dos estandes. É uma novidade exclusiva que facilita a vida e elimina uma despesa de quem aposta na nossa feira”, ilustra o presidente da Plastech Brasil, Orlando Marin (foto).

Expositores que souberam enxergar oportunidade no momento, também tiraram proveito das alianças bem costuradas. Um mercado de 630 empresas que geram mais de 20 mil empregos, e a cada ano atingem faturamento estimado em R$ 4 bilhões, processando cerca de 400 mil toneladas de plástico, estará representado de maneira inédita em Caxias do Sul. Resultado de uma parceria entre o Sindicato da Indústria de Material Plástico do Estado do Rio de Janeiro (Simperj) e a Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan), que promoverá a estreia de uma ilha de exposição com 10 empresas fluminenses.

Ao todo, serão mais de 40 empresas distribuídas em quatro estandes coletivos de diferentes organizações. Três deles, estreantes no formato – além do Simperj, os estandes da Associação das Empresas de Pequeno Porte do Rio Grande do Sul (Microempa). O Sebrae mantém a assiduidade de longa data na Plastech Brasil. E as indústrias de Farroupilha (RS), como consequência do sucesso na estreia em 2013, voltam agora com subsídio ampliado em 100% pelo governo municipal.

“Mas o que ganhou maior corpo para este ano foi, sem dúvida, a programação paralela. Já tínhamos, como sempre, as Rodadas de Negócios do Sebrae e do Programa Think Plastic Brazil, voltado à exportação. E vamos estrear agora o Fórum Plastech Brasil. Nos mesmos dias e local da feira, só que nos dois turnos. Um ciclo de debates, palestras e muitas oportunidades de capacitação gratuita”, revela Marin.

A programação completa do evento, que é aberto ao público e dedicará painéis, cursos e workshops aos mercados de plástico, borracha, compósitos, reciclagem, transformados automotivos e moda encontra-se no site oficial plastechbrasil.com.br. Na mesma agenda ainda está contemplado o Fórum Regional de Secretários e Dirigentes Municipais de Desenvolvimento Econômico, com a participação do presidente da Frente Nacional dos Prefeitos (FNP), Márcio Lacerda, chefe do executivo de Belo Horizonte (MG).

“O Fórum Plastech Brasil será especialmente importante para o pessoal das ferramentarias, pois teremos aqui o presidente da Anfavea e diretor da GM, Luiz Moan, ao lado dos líderes do APL (Arranjo Produtivo Local) de Ferramentaria e do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC Paulista, entre outros grandes especialistas, debatendo as oportunidades e desafios do programa Inovar-Auto”, sublinha Marin.

Das atrações que se renovaram para 2015, a maior é o projeto que conjuga educação e sustentabilidade – o Recicla Plastech Brasil. Na estreia, em 2013, foram confeccionados 7 mil banquinhos a partir de resina plástica reciclada dos materiais descartados na própria feira e doados a escolas de educação infantil das redes públicas municipais de Caxias do Sul, Farroupilha e Flores da Cunha (RS).

Agora, a passagem pelas salas de aula ocorrerá também antes da feira. Quando a Plastech Brasil começar, já terão sido coletados, triados e processados os resíduos plásticos recolhidos pelas próprias crianças, em suas casas e vizinhança, a partir de um trabalho iniciado nas escolas, com material didático fornecido pelo Recicla – na forma de revista em quadrinhos.

No Parque da Festa da Uva, a resina recuperada dará origem a 1,2 mil lixeirinhas que serão distribuídas aos pares, identificando o destino de resíduos recicláveis e orgânicos nas cores verde e amarela, como no sistema de limpeza urbano da cidade, para 600 ambientes escolares. Todo o processo será filmado e dará origem a um documentário, que será distribuído às escolas participantes. E as três escolas que tiverido recolhido maior volume de resíduos reaproveitáveis ganharão aparelhos de datashow.

“Será uma grande feira. Muito melhor do que a conjuntura permitia imaginar lá no início. Será o grande momento para, mais do que melhorar as vendas no segundo semestre de um ano tão atípico, enxergar o que é tendência no mercado, fazer relacionamento e iniciar a retomada para 2016 e 2017. Antes do concorrente que não veio”, conclui Marin.

PLASTECH BRASIL 2015 EM NÚMEROS

  • 300 marcas em exposição
  • 30 mil visitantes esperados
  • 6 mil m2 de feira
  • 2 primeiras colocadas no ranking da inovação industrial no país
    1o. lugar – 3M
    2o. Lugar – Braskem
  • 4 das 100 melhores colocadas no ranking da inovação no país
    3M (expositora)
    Braskem (expositora e patrocinadora)
    Artecola (no controle da expositora MVC)
    GM (representada pelo diretor de Assuntos Institucionais, Luiz Moan)
    Fonte: ranking Inovação Brasil, do jornal Valor Econômico e consultoria Strategy& (grupo PwC)
  • 10 segmentos em exposição
    automotivo
    transformados plásticos
    matérias-primas e produtos básicos
    máquinas, equipamentos e acessórios
    moldes e ferramentas
    instrumentos, controle e automação,
    instituições de ensino técnico e superior
    serviços
    publicações e projetos técnicos
    entidades da sociedade civil e representações de governo
  • 40 empresas distribuídas em 4 ilhas de exposição coletiva
  • 1,2 mil lixeirinhas produzidas com material reciclado distribuídas para 600 ambientes escolares
  • 2 ciclos de rodadas de negócios
    Sebrae (nacional)
    Think Plastic Brazil (internacional)
  • 2 tours de visitas técnicas
    Marcopolo
    Keko Acessórios Automotivos
  • 5 atividades de capacitação gratuitas
  • 4 painéis de debate gratuitos
  • 2 encontros regionais – de Secretários e Dirigentes Municipais de Desenvolvimento Econômico e da Associação Latino-Americana de Materiais Compósitos (Almaco)
  • 1 curso de injeção plástica
  • 1 pré-lançamento – do Guia de Sustentabilidade do Plástico no Fórum Plastech Brasil
  • Criação do Grupo de Trabalho da Indústria Plástica e Petroquímica do Rio Grande do Sul
  • 5 operações de Food Trucks
    4 de comida
    1 de bebida
  • mais de 70 restaurantes, hotéis, bares e casas noturnas com pratos especiais, descontos e preços promocionais no Circuito Gastronômico Plastech Brasil
  • 2 DJs do Café de La Musique no Espaço Happy Business, que terá degustação de comidas e vinhos
  • 80m2 de Espaço Premium para expositores e parceiros estratégicos
  • 1 espetáculo artístico com o Coral Municipal para 500 expositores e convidados no Jantar do Expositor

SERVIÇO:

Plastech Brasil 2015
plastechbrasil.com.br
de 25 a 28 de agosto
das 14h às 21h
Parque de Eventos da Festa da Uva – Caxias do Sul (RS)

Fonte: Assessoria de Imprensa – Plastech Brasil 2015

Curta nossa página no

Fibermaq lança injetora de RTM na Plastech Brasil

19/08/2015

Sistema de controle CLP garante mais precisão ao novo equipamento

A Fibermaq, líder brasileira em equipamentos para a moldagem de compósitos, lançará na Plastech Brasil – 25-28/08, em Caxias do Sul (RS) – uma injetora para o processo de RTM (Moldagem por Transferência de Resina ou Resin Transfer Molding), tecnologia largamente utilizada pelos moldadores de peças de compósitos consumidas pela indústria automotiva, entre outros setores.

Denominada RTM Evolution Electronic, a máquina dispõe de um sistema de controle CLP que permite o armazenamento de diferentes programas de injeção. “Também torna o trabalho muito mais preciso. Tanto na versão pneumática como na eletrônica, o volume de material injetado será sempre aquele previamente definido. Na versão pneumática, a dosagem se dá por número de batidas, ou seja, múltiplos de 100 ml. No modelo eletrônico, por sua vez, o volume a ser dosado é mais flexível”, explica Christian de Andrade, diretor da Fibermaq.

Com design que privilegia a mobilidade – muitos fabricantes costumam levar as injetoras até os moldes, e não o contrário –, a RTM Evolution Electronic conta com nova configuração de manômetros, que facilita ainda mais o controle da operação, e mostrador para indicar a passagem de catalisador, afirma o fabricante. “Outro ponto positivo é o sistema mais simples de encaixe das mangueiras. E, para aumentar a segurança do operador, fechamos todas as áreas onde se encontram os componentes móveis”.

Na Plastech Brasil, a Fibermaq também vai apresentar um novo modelo de gelcoateadeira – com capacidade de 4 Kg/min, é ideal para a fabricação de peças de pequenas dimensões, segundo a empresa. O equipamento foi desenvolvido a pedido de clientes que desejam fabricar peças muito pequenas para a aplicação de gelcoat pelo sistema airless tradicional, tecnologia que, independente do fornecedor da máquina (empresas nacionais ou não), gera desperdícios em aplicações desse tipo.

“Isso ocorre não só por causa da pressão mais elevada de bombeamento, como também pelo excesso de material aplicado na peça”, explica Edmundo Pinto, representante do departamento técnico da linha de equipamentos para poliéster da Fibermaq.

Revestimento e impermeabilização

Os visitantes da Plastech Brasil ainda poderão conferir no estande da Fibermaq a Titan Helix, máquina bicomponente destinada à aplicação de poliuretano (PU) spray e poliuréia. Produzida pela norte-americana Titan, é indicada para serviços de revestimento e impermeabilização na construção civil.

Fundada em 1978, na cidade de São Paulo, a Fibermaq é pioneira na fabricação de equipamentos para a moldagem de compósitos, poliuretano, epóxi e adesivos em geral. Ao longo desse período, mais de 5.000 laminadoras, gelcoateadeiras, injetoras de RTM e máquinas de enrolamento filamentar, entre outras, foram comercializadas pela empresa no Brasil e em toda a América Latina.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Fibermaq

Curta nossa página no

Fórum Plastech Brasil terá capacitação para exportadores com apoio da Abiplast e Braskem

19/08/2015

Pequenas, médias e grandes empresas que fazem parte do setor de transformação do plástico estão convidadas a participar

O Fórum Plastech Brasil surge como a grande estréia na programação paralela da Plastech Brasil 2015, em Caxias do Sul (RS). De 25 a 28 de agosto, painéis, debates, cursos, palestras, workshops, encontros e fóruns de discussão vão se suceder no Auditório Pietro Zanella, montado na própria feira organizada pelo Sindicato das Indústrias de Material Plástico do Nordeste Gaúcho (Simplás), no Parque de Exposições da Festa da Uva, em Caxias do Sul (RS). Na quinta-feira (27), o destaque vai para os cursos oferecidos gratuitamente pelo PICPlast, o Programa de Incentivo à Competitividade da Cadeia do Plástico, desenvolvidos com apoio da Associação Brasileira da Indústria do Plástico (Abiplast) e Braskem. A atividade vai das 14h às 19h.

Na Capacitação em Custos e Rentabilidade, o consultor Márcio Fernandes, da ADVISA OC&S Strategy Consultants, aborda os principais conceitos financeiros e a utilização do modelo de custos e rentabilidade pelas empresas.

Já no módulo Capacitação e Exportação, logo na sequência, os palestrantes serão Maurício Antunes, instrutor da Aduaneiras, empresa que oferece consultorias, cursos, sistemas e informações voltadas para o comércio exterior e Aleksander Richard de Assis, do programa Think Plastic Brazil, desenvolvido em parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil).

Para a Capacitação em Custos e Rentabilidade, entre os temas a serem abordados estão processos de competitividade e globalização, planejamento estratégico de exportação e marketing internacional. Além disso, a programação também contempla conteúdo sobre os tipos de exportadores no Brasil, a dinâmica da operação de exportação e os incentivos fiscais destinados a esta operação.

Na parte destinada a Custos e rentabilidade, o objetivo da capacitação é contribuir para o desenvolvimento estrutural de modelos internos de gerenciamento, procedimentos fundamentais para o bom andamento dessas empresas. Os participantes terão acesso a conceitos contábeis e financeiros e, na prática, assistirão a demonstrações do funcionamento do modelo de operação; como a empresa pode fazer a alocação dos custos classificados por produto, como extrair os resultados por meio de relatórios pré-definidos, acompanhar preços de produtos, administrar o fluxo de caixa, avaliar a rentabilidade do seu negócio, entre outros. A expectativa é capacitar cerca de 400 empresas da indústria da transformação até o final de 2015.

Os cursos, que tem como apoiadores a Associação Brasileira da Indústria do Plástico (Abiplast) e a Braskem, fazem parte do Plano de Incentivo à Cadeia do Plástico (PICPlast). Lançado em setembro de 2013, o PICPlast tem por objetivo desenvolver programas estruturais que contribuam com a competitividade e crescimento da transformação plástica de forma conjunta entre a 2ª e 3º gerações da cadeia produtiva do plástico. As capacitações são direcionadas a pequenas, médias e grandes empresas que fazem parte do setor de transformação do plástico.

Fonte: Plastech Brasil 2015

Curta nossa página no

Projeto Comprador na Plastech Brasil 2015 volta a facilitar exportações

15/08/2015

Número de empresas internacionais em busca de fornecedores em Caxias do Sul (RS) será maior em 2015

Plastech_Projeto-CompradorQuem aposta no mercado externo como prioridade ou alternativa de negócio tem encontro marcado na Plastech Brasil, dia 27 de agosto (quinta-feira), das 14h às 19h, no Parque de Exposições da Festa da Uva, em Caxias do Sul (RS), ocasião em que a Feira do Plástico, da Borracha, dos Compósitos, da Reciclagem e dos Transformados Automotivos (partes e peças) recebe mais uma edição do Projeto Comprador do programa Think Plastic Brazil, desenvolvido com apoio da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil).

O prazo para inscrições se encerra nesta sexta-feira (14). Para participar, basta entrar em contato com cristina.sacramento@thinkplasticbrazil.com, informando nome da empresa e  quem participará das rodadas, contatos (email, telefones fixo e celular) e com quais empresas pretende se reunir. “As inscrições serão validadas pelo comitê organizador, por isso, é muito importante confirmar o quanto antes sua presença”, alerta a especialista em desenvolvimento de mercado para embalagens flexíveis do Think Plastic Brazil, Cristina Sacramento.

A grande novidade em 2015 é o aumento do número de compradores internacionais, que passou de cinco, na edição 2013, para sete. São quatro empresas da Colômbia, uma do México, uma do Panamá e uma do Equador à procura de fornecedores na Plastech Brasil.

Estão confirmadas as companhias Team Foods (alimentação e transformação de plásticos), Alquería/Eplas (alimentos lácteos e transformados plásticos), Geotecol SAS (importação, comercialização e instalação de geossintéticos), e Finca SAS – Contegral (alimentos para pets e equinos), da Colômbia; Jafra (cosméticos), do México; Empresa Panameña de Alimentos (alimentação: café, massas, biscoitos e lácteos), do Panamá; e Induservi (soluções em packaging), do Equador.

A iniciativa que aproxima empresas candidatas à exportação de compradores internacionais que repetir o sucesso da edição anterior do evento, em 2013, quando em apenas algumas horas de reuniões na Plastech Brasil facilitou o fechamento de um negócio de aproximadamente US$ 150 mil e deixou encaminhados outros 11, estimados em mais de US$ 950 mil.

O Think Plastic Brazil, criado em dezembro de 2003, é um programa de incentivo à exportação do plástico transformado brasileiro. Fruto de uma parceria entre a cadeia produtiva do plástico e o governo, por meio da Agência de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), a iniciativa tem como objetivos o incremento das exportações de produtos transformados plásticos, a solidificação da cultura exportadora das empresas transformadoras de plástico e o posicionamento do Brasil como Global Player.

 Hoje, o Think Plastic Brazil conta com a participação de cerca de 90 empresas. Os objetivos do Programa são alcançados por meio dos três eixos estratégicos: Desenvolvimento Empresarial e Competitividade, Promoção Comercial e Comunicação e Inteligência e Estratégia Competitiva.

Projeto Comprador – Programa Think Plastic Brazil

  • O QUE É: rodadas de negociações com compradores internacionais
  • QUANDO: 27/8 (quinta-feira)
  • HORÁRIO: das 14h às 19h
  • ONDE: na Plastech Brasil 2015 (Pavilhão 1 do Parque de Exposições da Festa da Uva, em Caxias do Sul)
  • INSCRIÇÕES:  cristina.sacramento@thinkplasticbrazil.com (até 14/8)
  • INFORMAÇÕES:  cristina.sacramento@thinkplasticbrazil.com ou telefone (11) 2148.4773

PERFIL DOS COMPRADORES

EMPRESA: Team Foods Colombia
ORIGEM: Colômbia
SITE: http://www.team.co
INTERESSES: etiquetas termoencolhíveis (sleeve); in mold label; etiquetas em papel; estruturas laminadas (bi e tri), impressas, em bobinas, 34 referências diferentes, para embalar margarinas; liners para tampas de 38mm e espumados para tampas de 60mm; pallets plásticos; preformas PET (para complementar sua produção própria); masterbatches e compostos; resinas de PET e PP; foil de aluminio, em unidades, para fechamento de margarinas de embalagens rígidas; sacos de papel de 40kg, impressos, para proteicos, farinha de soja, etc; caixas corrugadas em papelão para embalagem de produtos

EMPRESA: Alquería/Eplas
ORIGEM: Colômbia
SITE: http://www.alqueria.com.co / http://www.eplas.com.co
INTERESSES: filme barreira coextrusado para leite, em bobinas e em bolsas; embalagens rígidas para iogurte e doce de leite – base termoformada em PE (distintos tamanhos) e tampas injetadas em PP; sleeves termoencolhíveis; foil de alumínio laminado com HDPE, impresso, para fechar embalagens de iogurte e de doce de leite; bolsas bilaminadas; stretch film, manual; bag in boxes; paletes plásticos; caixas plásticas; masterbatches para filmes barreira (negro, alta dispersão, FDA); PEBD para filmes barreira; PEAD para garrafas sopradas.

EMPRESA: Jafra
ORIGEM: México
SITE: http://www.jafra.com.mx
INTERESSES: bisnagas com tampa fliptop; tampas para perfumes; frascos em hdpe para produtos cosméticos diversos em PP ou Surlyn; frascos para perfumes; estojos de maquiagem de diversos tipos; etiquetas autoadesivas; embalagens flexíveis laminadas para sachets de amostras de produtos; caixas em papel cartonado para embalagem de perfumes (com aplicação de verniz e hot stamping); selos de vedação para frascos rígidos que embalam sais de banho e óleos corporais; plástico transparente do tipo “celofane” para fechamento de perfumes

EMPRESA: Geotecol SAS
ORIGEM: Colômbia
SITE: http://www.geotecolsas.com
INTERESSES: geomembranas em HDPE; geomembranas em PVC; geotêxteis tecidos e não-tecidos em PP; geomalhas para controle de erosão em PP; geodrenos; tubos em distintas larguras (2,5”, 4” e 6”) em PE para drenagem; tubos para aquedutos; telas de fechamento em PP (para cortina de proteção e fechamento de obras); cobertura “temporal” em PP para fechamento de aterros sanitários; geobolsas para tratamento de água; telas em HDPE calibre 6 e 8 com resistência química; interesse em conhecer melhor dutos de ventilação em PVC

EMPRESA: Empresa Panameña de Alimentos
ORIGEM: Panamá
SITE: http://www.epa.com.pa
INTERESSES: embalagem laminada BOPP/ AL/ PE, em bobina, para café; embalagem em bolsas pré-formadas (tipo stand up pouch) BOPP/ AL/ PE para café; filmes laminados BOPP 2 ou – CPP – 5u para massas; filmes laminados com diferentes estruturas em BOPP, em bobina, para biscoitos; sleeve termoencolhível em PVC impresso a 7 cores; selo para tampa de iogurte – PET impresso + PET metalizado com impressão a 6 cores; embalagens rígidas preformadas em OS branco para iogurte, queijo cremoso, sour cream, doce de leite, sorvetes e sundae e tampas em PP transparente; caixas plásticas tipo cestas em PEAD; paletes plásticos 40x40x5 polegadas em PEAD; stretch film manual e automático em PE; shrink film em PE

EMPRESA: INDUSERVI
ORIGEM: Equador
SITE: http://www.induservi.com
INTERESSES: stretch film em PE; schrink film em PE; tubos / bisnagas; PVC termoencolhível (center folded); tampas; selos de indução/ vedação; filmes PET; materbatches e compostos; zíperes para embalagens flexíveis; palletes plásticos; descartáveis; bolsas em rolos; PVC para alimentos; interesse em produtos inovadores

EMPRESA: Finca SAS / Contegral
ORIGEM: Colômbia
SITE: http://www.finca.co e http://www.contegral.co
INTERESSES: sacos de ráfia impressa, boca aberta; sacos de ráfia laminada, impressa, boca aberta; filmes laminados PET/PE, em bobina, impressos, para embalagem de pet food; tampas / preformas PET para garrafas de óleo comestível; caixas de ovos – 12 unidades

Fonte: Assesoria de Imprensa – Plastech Brasil / Foto: Arquivo Plastech Brasil

Curta nossa página no

ALMACO promove encontro regional durante a Plastech Brasil

12/08/2015

Promovido pela Associação Latino-Americana de Materiais Compósitos (ALMACO), o Encontro Regional de Caxias do Sul (RS) acontecerá em paralelo à Plastech Brasil, feira do plástico, borracha, compósitos e reciclagem – de 25-28/08, no Parque de Eventos da Festa da Uva.

No dia 26, a partir das 14h, os visitantes da Plastech poderão conferir cinco palestras apresentadas por alguns dos maiores especialistas brasileiros em compósitos. Logística reversa, tendências e novas tecnologias – matérias-primas e processos – serão os temas dos trabalhos.

Confira, a seguir, a agenda do Encontro Regional ALMACO em Caxias do Sul.

14h – Credenciamento;
14h30 – “Os avanços do Brasil na reciclagem e logística reversa de compósitos”, Paulo Camatta (ALMACO);
15h – “Gestão, mercado e tendências do segmento dos compósitos”, Waldomiro Moreira (Global Composites);
15h30 – “RTM Skin: uma nova alternativa para os segmentos de transporte e eólico”, Renan Holzmann (MVC);
16h – Coffee break;
16h30 – “Soluções com resíduos de compósitos: realidade e revolução”;
17h – “Melhoria das propriedades mecânicas do SMC de baixa densidade”, Márcia Cardoso (Ashland).

No dia seguinte, entre 9h-12h, Paulo Camatta, gerente executivo da ALMACO, e Waldomiro Moreira, diretor da Global Composites, apresentarão um curso prático sobre RTM Light e Infusão Flex.

“A Região Sul concentra um grande número de moldadores de compósitos, daí porque a nossa expectativa é de um excelente público nos dois dias do encontro”, afirma Erika Bernardino, gerente de marketing da ALMACO.

Os interessados em participar do Encontro Regional ALMACO em Caxias do Sul devem se inscrever no site www.plastechbrasil.com.br (campo “programação paralela”).

Resultantes da combinação entre polímeros e reforços – por exemplo, fibras de vidro – os compósitos são conhecidos pelos elevados índices de resistência mecânica e química. Há mais de 50 mil aplicações catalogadas em todo o mundo, de caixas d’água, tubos e pás eólicas a peças de barcos, ônibus, trens e aviões.

Fundada em 1981, a ALMACO tem como missão representar, promover e fortalecer o desenvolvimento sustentável do mercado de compósitos. Com administração central no Brasil e sedes regionais no Chile, Argentina e Colômbia, a ALMACO tem cerca de 400 associados (empresas, entidades e estudantes) e mantém, em conjunto com o Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), o Centro de Tecnologia em Compósitos (CETECOM), o maior do gênero na América Latina.

Realizada pelo Sindicato das Indústrias de Material Plástico do Nordeste Gaúcho (SIMPLÁS), a Plastech Brasil é uma das mais completas plataformas de negócio do setor no país.

Fonte: Almaco

Curta nossa página no

Nissei ASB expõe tecnologia para processamento de PET na Plastech Brasil 2015

06/08/2015

NisseiASBReunindo uma injetora e uma máquina sopradora, a Nissei ASB desenvolveu a tecnologia de um estágio – ou seja, injeção, estiramento e sopro em um único equipamento. Trabalhando com o PET e investindo forte em pesquisa e desenvolvimento, a empresa apresentou há 25 anos as primeiras garrafas, frascos e potes que partiam de uma pré-forma injetada e depois, na fase de estiramento e sopro, chegavam ao seu design final, em um vasilhame que oferecia muitas vantagens. Após todos estes anos, a Nissei ASB investiu em pesquisa e desenvolveu sistemas de injeção, estiramento e sopro integrados, que produziram embalagens inovadoras, hoje encontradas em todo o mundo.

“Se considerarmos que cada sistema equivale a uma injetora e uma sopradora, teremos mais de 7 mil máquinas instaladas”, estima o diretor da Nissei ASB Sudamérica, Nick Saito.

O sistema de injeção, estiramento e sopro integrado da Nissei ASB é produzido de maneira que a injetora, o molde de injeção, a sopradora e o molde de sopro são ajustados para produzir embalagens PET que atendam às exigências e propriedades de cada tipo de produto a ser envasado.

No total, a empresa possui mais de 12 mil projetos de moldes de injeção e de sopro. Saito explica que, para cada tipo de produto – alimento, bebida, farmacêutico, cosmético ou químico, por exemplo – a Nissei ASB já testou tipos de gargalos, de roscas para tampa, top load, fill point, densidade do produto a ser envasado, etc.

“Enfim, mantemos um amplo arquivo de registros acumulados em vários anos de experiência que permite oferecer a melhor opção para atender ao mercado”, arremata  o executivo.

Segundo a empresa, uma unidade de produção que utiliza o sistema de injeção, estiramento e sopro integrado da Nissei ASB não necessita de grandes espaços, tem baixo consumo de energia elétrica, é facil de operar, não desperdiça matéria prima e representa um investimento de retorno garantido.

A subsidiária da Nissei ASB para a América do Sul está instalada em São Paulo, onde dispõe de centro técnico, show-room, serviços de atendimento ao cliente e estoque de peças de reposição, além de prestar assessoria na análise, desenvolvimento e execução de projetos em PET. Em escala mundial, a companhia está presente em 75 países.

Fonte: Nissei ASB / Assessoria Plastech Brasil

Curta nossa página no

Ferramentarias, montadoras, governos e metalúrgicos apontam desafios e oportunidades do programa Inovar-Auto no Fórum Plastech Brasil

06/08/2015

Presidente da Anfavea, Luiz Moan será um dos painelistas do dia 26 de agosto, a partir das 9h, em Caxias do Sul (RS)

Plastech_2015_168x270Na mesma mesa estarão reunidos o presidente da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) e diretor de Assuntos Institucionais da GM, Luiz Moan, e o diretor de organização do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, José Roberto Nogueira da Silva, o Bigodinho. Dia 26 (quarta-feira), a partir das 9h, ao lado de representantes da indústria de ferramentas, fabricantes de peças, agências de desenvolvimento, Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) e Governo do Rio Grande do Sul, eles irão apontar os desafios e oportunidades do programa Inovar-Auto à indústria de transformação. O painel de discussão marca a estreia do Fórum Plastech Brasil, principal atração da agenda paralela da feira organizada pelo Sindicato das Indústrias de Material Plástico do Nordeste Gaúcho (Simplás), de 25 a 28 de agosto, em Caxias do Sul (RS).

O evento é gratuito, porém com vagas limitadas. A programação completa e os formulários de inscrições estão disponíveis no site oficial da Plastech Brasil (plastechbrasil.com.br). Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (54) 3228 1251 ou pelo e-mail daniela@plastechbrasil.com.br. O painel ocorre no Auditório Pietro Zanella, montado junto à própria feira, no Parque de Exposições da Festa da Uva.

“Acredito que os principais focos de ação estão sendo construídos com muita competência pela indústria. O primeiro ponto é desenvolvimento e pesquisa de engenharia automotiva”, antecipa com exclusividade o presidente da Anfavea, Luiz Moan. Para o executivo, também diretor de Assuntos Institucionais da GM, muitas montadoras recém chegadas no mercado brasileiro estão apostando bastante em novos centros de engenharia, enxergando ali um investimento no patrimônio futuro da empresa.

“O segundo ponto é a eficiência energética dos veículos fabricados no Brasil. Há uma meta ambiciosa para ser atingida, colocada pelo governo brasileiro. Há uma exigência de 12% de melhoria como meta mínima. E são estimuladas melhorias entre 15% e 18%. Por isso a importância do desenvolvimento da engenharia”, reforça Moan.

A importância da pauta pode ser mensurada pelo grau de sintonia entre os interessados: “Para ter acesso ao Inovar-Auto, as montadoras terão que aumentar seu conteúdo nacional, investir em tecnologias para produzir motores que gastem e poluam menos”, afirma o diretor de organização do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, José Roberto Nogueira da Silva. O dirigente sublinha que o sindicato mantém diálogo aberto permanentemente com o governo, atento aos benefícios econômicos e sociais da efetivação do programa no mercado. “Ao restringir a importação de veículos, o Inovar­Auto estimula as montadoras instaladas aqui a fazerem carros com atributos técnicos que permitam sua exportação”, acrescenta o dirigente.

Vice-presidente da Associação Brasileira da Indústria de Ferramentais (Abinfer) e coordenador do Arranjo Produtivo Local (APL) de Ferramentaria do Grande ABCD Paulista, Carlos Manoel de Carvalho detalha o pensamento enunciado por Nogueira: “O que está acontecendo é que as montadoras estão começando a trazer as plataformas mundiais para o Brasil e daqui, a preparar vários outros carros para suas plantas ou mercados no exterior. Dentre as 20 montadoras instaladas no Brasil atualmente, as que entenderam o Inovar-Auto estão se dando bem. As que não entenderam, estão perdendo dinheiro e se posicionando mal neste novo cenário proposto pelo governo”.

Na opinião de Carvalho, o marco regulatório do programa é excelente e hoje as ferramentarias nacionais já conseguem fornecer produtos a custo zero para as montadoras.

“O que é necessário agora é comprometimento de todos os atores da cadeia, não só ferramentarias, mas governos e montadoras. Por isso, um encontro como este em Caxias do Sul é importante: é hora de todos os setores sentarem e conversarem olho no olho para tirarem suas dúvidas e esclarecerem suas intenções neste programa”.

Uma das profissionais diretamente ligadas à elaboração e desenvolvimento do Inovar-Auto, a coordenadora geral de Arranjos Produtivos Locais no Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), Margarete Gandini, será a representante do governo federal no painel.

As ações do governo gaúcho, por outro lado, serão explanadas pela coordenadora executiva do Setor Automotivo da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia (SDECT), Maria Paula Merlotti.
“Os diversos segmentos que a Plastech Brasil reúne apresentam um enorme potencial de inovação e são grandes indutores da retomada do crescimento econômico do país”, revela Maria Paula. A gestora pretende fazer um breve relato da cadeia automotiva instalada no Rio Grande do Sul, enfatizando a importância dos segmentos do plástico e da borracha e as principais oportunidades oferecidas à cadeia automotiva pelo programa Inovar-Auto. “Também vale destacar os eventos paralelos oferecidos pela feira, em especial as visitas técnicas guiadas (às linhas produtivas de Marcopolo e Keko Acessórios Automotivos), que oferecerão ao visitantes a oportunidade de conhecer algumas empresas de excelência na região da Serra Gaúcha”, conclui Maria Paula.

O painel de abordagem dos desafios e oportunidades do programa Inovar-Auto ainda contará com a participação do economista-chefe do Sindipeças, Ricardo Jacomassi, e a mediação do presidente da Câmara Setorial de Ferramentarias e Modelações da Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq), vice-presidente da Abinfer e coordenador do APL de Ferramentaria do Grande ABCD Paulista, Paulo Sérgio Furlan Braga.

O evento tem apoio de Simplás; Abinfer; Sindicato das Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e de Material Elétrico de Caxias do Sul (Simecs); Arranjo Produtivo Local Metal-Mecânico e Automotivo (APL-MMeA) da Serra Gaúcha; APL de Ferramentaria do Grande ABCD; Sindicato dos Metalúrgicos do ABC; Sindicato dos Metalúrgicos de Santo André e de Mauá; Agência de Desenvolvimento Econômico do Grande ABC; Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Turismo de São Bernardo do Campo e Secretaria de Desenvolvimento Econômico de Caxias do Sul.

A Plastech Brasil – Feira do plástico, da borracha, dos compósitos, da reciclagem e dos transformados automotivos (partes e peças) é uma das mais completas plataformas de negócio da cadeia de transformação. Realizada pelo Sindicato das Indústrias de Material Plástico do Nordeste Gaúcho (Simplás) em Caxias do Sul (RS), expõe as principais tendências e inovações nos segmentos automotivo, de transformados plásticos, matérias-primas e produtos básicos, máquinas, equipamentos e acessórios, moldes e ferramentas, instrumentos, controle e automação, instituições de ensino técnico e superior, serviços, publicações e projetos técnicos, entidades da sociedade civil e representações de governo. Em 2015, ocupará os Parque de Eventos da Festa Nacional da Uva de 25 a 28 de agosto.

Painel: Programa Inovar Auto: desafios e oportunidades
    Horário: 9h30 às 12h
    Local: Auditório Pietro Zanella, na Plastech Brasil
    Cronograma:

  • 9h às 9h30 – Credenciamento
  • 9h30 às 9h50 – Carlos Manoel de Carvalho (vice-presidente da Abinfer, coordenador do APL de Ferramentaria do Grande ABCD Paulista e membro da sociedade Hida, de cooperação Brasil-Japão)
  • 9h50 às 10h10 – Luiz Moan (presidente da Anfavea e diretor de Assuntos Institucionais da GM do Brasil)
  • 10h10 às 10h30 – Ricardo Jacomassi (economista-chefe do Sindipeças)
  • 10h30 às 10h50 – José Roberto Nogueira da Silva/Bigodinho (diretor de Organização do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC Paulista)
  • 10h50 às 11h10 – Maria Paula Merlotti (coordenadora executiva do Setor Automotivo da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul)
  • 11h10 às 11h30 – Margarete Gandini (coordenadora geral de Arranjos Produtivos Locais no Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior)
  • 11h30 às 12h00 – Debate / Mediador: Paulo Sérgio Furlan Braga (presidente da Câmara Setorial de Ferramentarias e Modelações da ABIMAQ, vice-presidente da ABINFER, coordenador do APL de Ferramentaria do Grande ABCD Paulista e membro da sociedade Hida, de cooperação Brasil-Japão)

Fonte: Assessoria de Imprensa – Plastech Brasil

Curta nossa página no

3M confirma participação na Plastech Brasil 2015

06/08/2015

3M_glass-bubblesA 3M estreiará na Plastech Brasil 2015 – Feira do Plástico, da Borracha, dos Compósitos, da Reciclagem e dos Transformados Automotivos  com impacto e geração de expectativa proporcionais às dimensões de quem está presente em dezenas de países. Com foco na  indústria de transformação e por meio de  sua divisão de  Materiais Avançados, a 3M atende clientes dos segmentos de plástico e borracha, petróleo e  gás, tintas e revestimentos, mineração e transportes, entre outros. Possui mais de 4,2 mil colaboradores no Brasil.

O destaque na exposição em Caxias do Sul (RS) ficará por conta de uma tecnologia nova para os mercados de plástico e borracha, mas já familiar nas indústrias de petróleo, tintas e mineração, que a 3M designa como Glass Bubbles. Trata-se de microesferas ocas de vidro com aplicações em diversos  segmentos, especialmente em plástico e borracha, aliando benefícios de redução de peso, menor tempo de processo, melhor estabilidade dimensional, acabamento mais  uniforme e redução de perdas e reprocesso.

“Em  2015, a divisão inova, oferecendo aos mercados de plástico e borracha, além do suporte técnico para as diversas aplicações, um serviço de consultoria em formulações de compostos plásticos otimizados para seus clientes, utilizando aditivos e microesferas de vidro. Com laboratório específico para atender ao mercado, fornecemos relatórios com testes de caracterização e amostras de compostos aditivados e customizados, conforme requisitos dos clientes e do mercado”, revela a gerente de produtos da divisão de Materiais Avançados da 3M, Kellen Cristina Busiol.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Plastech Brasil

Curta nossa página no

Wortex expõe na Plastech Brasil apostando na ampliação das vendas para o setor de reciclagem

28/07/2015

Feira acontece em Caxias do Sul (RS), nos Pavilhões da Festa da Uva

WortexA Wortex (www.wortex.com.br) participa, de 25 a 28 de agosto, da Plastech Brasil – Feira do Plástico, da Borracha, dos Compósitos e da Reciclagem. O evento é organizado na cidade de Caxias do Sul (RS), nos Pavilhões da Festa da Uva, e acontece das 14h às 21h. A empresa estará localizada no estande 64, esquina P11/P15. A ideia é fortalecer a presença da marca na região Sul, e promover encontro com os clientes.

A meta da Wortex para 2015 continua sendo ampliar as vendas em 10% e, para isso, a empresa está apostando e investindo em uma nova linha de lavagem de material pós-consumo. Paolo de Filippis, diretor da empresa, é um entusiasta do uso sustentável dos plásticos e da sua ampla reciclabilidade: “Acreditamos no potencial do mercado de reciclagem, que deve crescer entre 10% e 15% este ano. Há muitos empreendedores atuando neste setor, que está em franco movimento no país”.

Após participação no Sul, em 2015 a empresa ainda deve expor na Fimmepe – Mecânica Nordeste, em Olinda (PE), de 20 a 23 de outubro.

Fundada em 1976, na cidade de Campinas (SP), a Wortex é uma empresa 100% nacional que fabrica equipamentos para extrusão, reciclagem, acessórios, moinhos, roscas e cilindros.

Fonte: Wortex

Curta nossa página no

Pavan Zanetti confirma presença na Plastech Brasil 2015 com sopradora para pré-formas de PET

20/07/2015

Injetora automática para termoplásticos deve ser outra atração no estande em Caxias do Sul (RS)

Sopradora PETIMATIC da Pavan Zanetti

Sopradora PETIMATIC da Pavan Zanetti

A sopradora destina-se à indústria de transformação, especialmente nos segmentos químico e agroquímico, alimentício, de higiene e cosméticos, produtos farmacêuticos e lubrificantes, e será a grande atração da Pavan Zanetti na Plastech Brasil 2015.

A linha de produtos da empresa de Americana (SP) inclui sopradoras de resinas termoplásticas por acumulação e extrusão contínua que produzem frascos de 10ml a 200 litros, máquinas de injeção e sopro (série ISI) e injetoras de 58 a 2100 toneladas de força de fechamento.

Na Plastech Brasil 2015 estará em exibição a Petimatic 3C/2L, uma sopradora de pré-formas de PET com capacidade para frascos de até 2 litros e uma produtividade de até 4000 frascos de 500 ml por hora. A máquina possui alimentador automático de pré-formas PET; painel de operação com display por toque; sistema de aquecimento de pré-formas PET por seções verticais de lâmpadas halogêneas, o que possibilita uma distribuição uniforme de calor; sistema de fechamento do molde com braçagens de cinco pontos, acionada por cilindro pneumático,  proporcionando alta velocidade e grande força de fechamento e movimento de estiramento por servomotor.

O diretor Gilson Pavan revela que a Pavan Zanetti estuda a possibilidade de expor também uma injetora automática para termoplásticos HXF, série I na Plastech Brasil 2015.

“Este modelo apresenta alto desempenho e grande economia de energia, sendo ideal para brinquedos, pré-formas de PET, utilidades domésticas, produtos com parede fina, produtos em PP/PL, além de PS, PC, conexões em PVC, materiais de engenharia, entre outros. A HXF produz frascos em diversos tamanhos e capacidades e é comercializada em modelos opcionais, equipados com bombas fixas com inversor, e com servomotor”, detalha o executivo.

Fonte: Plastech Brasil

Curta nossa página no

Piramidal apresenta o próprio cartão de pagamento na Plastech Brasil 2015 e reforça investida no e-commerce

20/07/2015

 Distribuidora de resinas projeta avanço de até 10% em 2015

PiramidalA empresa atua há 30 anos, contando atualmente com cerca de 200 colaboradores e mais de 4 mil clientes ativos em todo o Brasil e unidades distribuídas em Pernambuco, Paraná e Rio Grande do Sul, além da matriz em São Paulo. A Piramidal está lançando um cartão de pagamento com o próprio timbre da empresa, oferecendo facilidade e limite adicional sem anuidade aos compradores de resinas termoplásticas.

“Este deve ser um ano difícil, mas para quem estiver preparado podem surgir boas oportunidades“, aposta o sócio e diretor Wilson Cataldi, que acrescenta: “Apesar do difícil momento no cenário da economia brasileira, a Piramidal almeja um crescimento de 8% a 10% em 2015”.

Presente em todas as edições da Plastech Brasil, a empresa reservou para a feira realizada em Caxias do Sul (RS), de 25 a 28 de agosto, sua grande novidade na temporada.

“Apresentaremos o Piramidal Card, uma nova forma de pagamento que proporciona ao cliente mais facilidade e limite adicional sem anuidade. Além disso, neste ano também iniciamos uma parceria com a PQS na distribuição de resinas PET”, revela Cataldi.

Conforme o executivo, a empresa investe continuamente em logística, tecnologia e qualificação dos colaboradores. E em 2015, reforça as ações em e-commerce. A Piramidal já ampliou o limite no volume de compras pela loja virtual, onde os clientes de todo o Brasil podem adquirir resinas a qualquer hora do dia. A respeito da segmentação da Plastech Brasil, a avaliação é positiva.

“É de grande importância para um evento deste porte como a Plastech apresentar novidades e tecnologias que fortaleçam todo o mercado e seus segmentos. Além disso, será uma ótima oportunidade para network e novas negociações”, finaliza Cataldi.

Fonte: Plastech Brasil

Curta nossa página no

Cromex marca seus 40 anos na Plastech 2015 com lançamentos em compostos e cores para plásticos

14/07/2015

Aditivo redutor de odores para compostos e resinas olefínicas, masterbatch preto “superblack”, plásticos de engenharia e compostos e aditivos customizados para o processo de Rotomoldagem serão destaques no evento

A Cromex, empresa brasileira fornecedora de masterbatches de cores e aditivos para plásticos, estará presente na Plastech 2015, durante os dias 25 a 28 de agosto de 2015, em Caxias do Sul – RS, para comemorar com os clientes e parceiros os 40 anos da companhia no mercado.

Os visitantes da feira vão poder conhecer toda a gama de produtos e serviços oferecidos pela Cromex para a indústria de transformação de plásticos. São produtos que atendem, desde as aplicações de critérios técnicos mais básicos, até os mais complexos.

Em destaque, estarão os últimos lançamentos da empresa, tais como o aditivo redutor de odor para compostos e resinas olefínicas, que é indicado para produtos injetados e extrudados que utilizam resina reciclada e recuperada; o masterbatch preto “superblack”, com maior poder de cobertura; a linha de masterbatches líquidos Dispermix® e uma linha completa com soluções voltadas para plástico de engenharia, desenvolvida para a indústria automobilística, de aviação, alimentícia e bebidas, indústria química, agrícola, mineradora, linha branca, eletroeletrônicos, etc.

A Cromex também vai dar destaque à Linha Microcolor®, de compostos coloridos e aditivos customizados para o processo de Rotomoldagem. A empresa tem atuado neste segmento com compostos para diversas aplicações, como caixa d’água, grandes tanques, cisternas, peças para o setor agrícola e automotivo, brinquedos e manequins, entre outras.

A Cromex conta com uma linha de soluções voltadas para termoplásticos de engenharia, desenvolvida para a indústria automobilística, de aviação, etc. Todo o portfólio de produtos e serviços da Cromex serão apresentados na edição 2015 da Plastech e podem ser conferidos no novo site da companhia, desenvolvido para estreitar o relacionamento e atender as demandas de seus clientes. Uma inovação do site é o simulador de cores, ferramenta com exclusividade no segmento, que tem o objetivo de agilizar a escolha do cliente no processo de desenvolvimento de cores.

40 anos de atividades – Hoje, a empresa possui duas unidades fabris, onde são produzidos cores e aditivos para a indústria de transformação. Em São Paulo, a unidade conta com uma área de 7.800 m2. Em Simões Filho, Bahia, a unidade conta com 64 mil m2, dos quais 14 mil m2 são de área construída. As duas fábricas contam com modernos laboratórios para o desenvolvimento e testes de produtos, além de parcerias com Institutos de pesquisas.

A Cromex conta também com laboratórios de pesquisa para o desenvolvimento de novos produtos, em parceria com a indústria nacional e internacional. A empresa é certificada pela ISO 9001, 14001 e OHSAS 18001. Seus produtos obedecem a normativas internacionais como REACH, FDA entre outras.

A empresa atende a mais de 18 diferentes setores da economia  (agricultura, construção civil, embalagens, automotivo, esportivo, cosmético, higiene e limpeza, etc). As suas linhas de produtos abrangem aplicações que atendem dos mais básicos aos mais complexos critérios técnicos, como as linhas de masterbatches brancos, pretos e coloridos; as especialidades, soluções para o plástico de engenharia, BOPP; a linha sustentável para biopolímeros a partir de fontes renováveis (PE Verde) e biodegradáveis.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Cromex

Curta nossa página no

Revestimento de Polietileno de Ultra Alto Peso Molecular é atração da Polistar na Plastech Brasil 2015

06/07/2015

Material reduz desperdício e aumenta vida útil de equipamentos para diversos mercados

Polistar_UHMWPERevestimentos de UHMWPE (Polietileno de Ultra Alto Peso Molecular), consagrado mundialmente pela versatilidade, baixo coeficiente de fricção, alta resistência química e à abrasão, estabilidade dimensional e antiaderência serão a grande atração da Polistar Brasil na Plastech Brasil 2015. Segundo os fabricantes, o material é ideal para revestimentos de silos, chutes, moegas, calhas, tubos e caçambas, que garantem a vida útil do equipamento e aumentam a produtividade industrial gerando maior lucratividade, maior segurança e durabilidade. O sistema tem alta penetração nas indústrias alimentícia, de mineração,  agrícola, construção civil, e de geração de energia.

“Hoje somos os únicos a realizar o revestimento de tubos com UHMW nos diâmetros de 200mm a 500mm em tubos de até 6m de comprimento, garantindo um escoamento rápido e contínuo, aumentando a durabilidade dos tubos com um material que é quimicamente inerte”, afirma o diretor João Assunção de Lemos.

Assim como no revestimento de caçambas (foto), container ou pás carregadoras, o revestimento com UHMW traz a diminuição do tempo de descarga em até 40%, o que significa aumento da vida útil dos equipamentos e economia de combustível, afirma a empresa.

“Além de evitar acúmulo de material no fundo da caçamba, por exemplo”, completa Lemos.

Da mesma maneira, o revestimento de silos, moegas e chutes com UHMW evita o depósito e aglomeração dos materiais dentro dos silos permitindo um escoamento rápido e contínuo, proporcionando altos índices de produtividade. Assim, os silos revestidos com UHMWPE chegam a dobrar o tempo de vida útil, graças ao menor desgaste das paredes e à absorção de ruído gerado pelo impacto dos materiais com as paredes do equipamento.

Fonte: Plastech Brasil

Curta nossa página no

Piovan exibe lançamentos na Plastech Brasil e apresenta nova empresa do grupo

06/07/2015

Com sede na Itália, Aquatech torna-se o braço do grupo no segmento de refrigeração industrial

Piovan_DigitempNa expectativa da participação na Plastech Brasil 2015, a Piovan  destacará o Pureflo, a nova geração de alimentadores para grânulos sem filtro, com design exclusivo pantenteado pela própria empresa, que elimina a necessidade da manutenção padrão do funil alimentador (limpeza do filtro) e melhora ainda mais a capacidade de transporte de todo o sistema. É ideal para instalação em locais de difícil acesso.

Mas a grande novidade fica por conta da Aquatech, a nova empresa do Grupo Piovan, que foi criada no início deste ano, focalizando-se totalmente em refrigeração industrial. A Aquatech apresentará o DigitempL (foto), um novo termochiller de alta performance que pode proporcionar redução de  ciclos em injetoras ou sopradoras. Conta com até duas saídas independentes e temperaturas de 6°a 90°C.

“Oferecendo mais opções que possam contribuir com a melhoria de processos dos nossos clientes, apresentamos também a linha de detectores e separadores de metal da alemã S+S, que a Piovan está distribuindo com exclusividade para todo o mercado de transformação de plástico”, revela o vice-presidente da Piovan para América do Sul, Ricardo Prado Santos.

Além das novidades, a exibição também conta com dosadores volumétricos, alimentadores e desumidificadores por ar comprimido.

A sede mundial da Piovan está sediada em Santa Maria di Sala, Veneza, Itália e foi fundada em 1934 como uma empresa metalúrgica. Em 1964 entrou para a indústria do plástico,  especializando-se na fabricação de equipamentos auxiliares. A gama de produtos fornecidos inclui: alimentadores, desumidificadores, cristalizadores, secadores, desumidificadores para moldes, dosadores volumétricos, misturadores gravimétricos por perda de peso, moinhos, termorreguladores, chillers e softwares de supervisão.

A evolução da expertise da Piovan permite operar em diversos setores, tais como pré-formas e garrafas PET, embalagens rígidas, autopeças, artigos técnicos, soluções médicas, chapas termoformadas, filmes flexíveis, cabos, perfis e cintas, reciclagem compostos.

Nos últimos dez anos, a empresa tornou-se uma organização multinacional com fábricas na Itália, Alemanha, Brasil, China e EUA, 23 filiais, representantes em mais de 70 países e 900 colaboradores em todo o mundo.

Fonte: Plastech Brasil

Curta nossa página no

Presidente da Anfavea fará parte do Painel Inovar-Auto no Fórum Plastech Brasil

06/07/2015

Luiz Moan abordará rumos e oportunidades do programa Inovar-Auto para a indústria da transformação

Além da mostra de tecnologia em forma de máquinas, equipamentos, projetos e soluções inovadoras, a feira ganha agora uma programação paralela oferecendo debates e capacitação nos segmentos de plástico, borracha, compósitos, reciclagem e transformados automotivos (partes e peças): é o Fórum Plastech Brasil, com participação gratuita. Basta se inscrever antecipadamente, pois o número de vagas é limitado.

De 25 a 28 de agosto, o Auditório Pietro Zanella, no Parque de Exposições da Festa da Uva, em Caxias do Sul (RS), receberá painelistas como o presidente da Associação Nacional de Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), Luiz Moan, o diretor de Organização do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC Paulista, José Roberto Nogueira da Silva e o presidente do Plastivida – Instituto Sócio-Ambiental dos Plásticos, Miguel Bahiense. Além de representantes do governo gaúcho, é possível que o evento conte com participantes do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio (MDIC) e Ministério do Meio Ambiente (MMA).

Em pauta, desde tendências em materiais, aplicações e processos em compósitos e borrachas sustentáveis, até as novidades em torno dos programas Inovar-Auto e PICPlast, passando pelos benefícios da reciclagem e chegando até à combinação entre plástico, moda e estilo.

“Tanto quanto da eficiência de suas máquinas e do esforço de seus trabalhadores, o empresário sabe que é da troca de ideias, do intercâmbio de informações que depende o sucesso de sua indústria. Principalmente aqui no Brasil, somos excelentes em executar tarefas, mas ainda podemos fazer muito melhor na concepção das estratégias. O Fórum Plastech Brasil é a contribuição que queremos dar para o setor de transformação pensar e agir sobre o próprio futuro”, comenta o presidente da Plastech Brasil, Orlando Marin.

As inscrições já estão abertas pelo site da Plastech Brasil, onde também consta a programação completa. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (54) 3228.1251.

Fonte: Assessoria de Imprensa Plastech Brasil

Curta nossa página no

Simplás leva grupo de empresários a Feiplastic 2015

06/05/2015

Plastech Brasil também é divulgada no estande do sindicato em São Paulo (SP)

Feiplastic_entrada

Nestas quinta (7) e sexta-feira (8), um grupo de 20 empresários participa da missão do Sindicato das Indústrias de Material Plástico do Nordeste Gaúcho (Simplás) que prospecta oportunidades de negócios, fortalece relacionamentos e descobre novidades da indústria de transformação no maior evento do mercado do plástico da América Latina, em São Paulo (SP). A Feiplastic, realizada no Anhembi desde segunda-feira (4), projeta a exposição de 1,4 mil marcas nacionais e internacionais e a presença de 70 mil visitantes em 85 mil m2 de feira.

Além de visitante, o próprio Simplás é também um dos expositores do evento. O estande que serve de ponto de apoio para a comitiva da Serra Gaúcha se constitui em referência para a divulgação da Plastech Brasil – Feira do Plástico, da Borracha, dos Compósitos e da Reciclagem, que tem o diferencial de ser organizada por uma entidade representativa do próprio setor, em Caxias do Sul (RS), de 25 a 28 de agosto.

“Os contatos têm sido intensos e com resultados importantes. Há negociações bem adiantadas com empresas de outros continentes, interessadas em estrear em nossa feira a fim de abrir um novo mercado na região Sul do Brasil, onde identificam proximidade geográfica e relações comerciais consolidadas com Chile, Argentina e Uruguai”, destaca o presidente da Plastech Brasil, Orlando Marin.

Por articulação do Simplás, também é aguardado para esta quinta-feira (7), na Feiplastic, o governador gaúcho José Ivo Sartori. A expectativa concentra-se em duas reuniões consecutivas, com empresas de transformação plástica do Rio Grande do Sul e de fora dele, no estande da petroquímica Braskem, no Anhembi.

“Serão dois excelentes momentos para se falar de oportunidades de investimentos com o próprio governador. Primeiro, para as empresas já instaladas, que tenham planos de ampliar suas operações em transformação plástica em solo gaúcho. Depois, para indústrias de outros Estados interessadas em aproveitar o potencial de negócios e de mão de obra qualificada no Rio Grande do Sul”, explica o presidente do Simplás, Jaime Lorandi.

Sobre o Simplás: O Sindicato das Indústrias de Material Plástico do Nordeste Gaúcho (Simplás) representa mais de 500 empresas de transformação que geram acima de 13 mil empregos diretos em oito municípios (Caxias do Sul, Coronel Pilar, Farroupilha, Flores da Cunha, Garibaldi, Nova Pádua, São Marcos e Vale Real), com estimativa de faturamento anual superior a R$ 4 bilhões. Em um raio de 50 quilômetros, a área de abrangência do Simplás apresenta a maior concentração de indústrias de transformação de plástico do Brasil.

Sobre a Plastech Brasil: A Plastech Brasil – Feira do plástico, da borracha, dos compósitos e da reciclagem é uma das mais completas plataformas de negócio da cadeia de transformação. Realizada pelo Sindicato das Indústrias de Material Plástico do Nordeste Gaúcho (Simplás) em Caxias do Sul (RS), expõe as principais tendências e inovações nos segmentos automotivo, de transformados plásticos, matérias-primas e produtos básicos, máquinas, equipamentos e acessórios, moldes e ferramentas, instrumentos, controle e automação, instituições de ensino técnico e superior, serviços, publicações e projetos técnicos, entidades da sociedade civil e representações de governo. Em 2015, ocupará os Pavilhões da Festa Nacional da Uva de 25 a 28 de agosto.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Simplas

Curta nossa página no