Posts Tagged ‘Pesquisa e Desenvolvimento’

Braskem fecha parceria com consórcio francês especializado em bioprodução e biociência

21/08/2019

Colaboração terá foco em Pesquisa & Desenvolvimento para novas soluções renováveis

A Braskem anunciou acordo de colaboração com o prestigiado Centro de Pesquisa europeu Toulouse White Biotechnology (TWB) para desenvolvimento de soluções renováveis. Especialista em projetos científicos, o centro será um parceiro importante no avanço de novas rotas de pesquisa e desenvolvimentos a partir de recursos naturais, visando obter soluções sustentáveis, inovadoras e economicamente viáveis.

O acordo de cooperação com a Braskem, única empresa brasileira entre as mais de 50 parceiras do TWB, valerá por três anos e contempla o desenvolvimento conjunto de novas tecnologias químicas renováveis baseadas em patentes de ambos os grupos. Sob orientação de líderes de pesquisa da Braskem e do TWB, nove pesquisadores do Laboratório de Engenharia de Sistemas e Processos Biológicos do Instituto Nacional de Ciências Aplicadas de Toulouse, identificados pelo trabalho neste campo, utilizarão a avançada estrutura do TWB para alavancar os resultados esperados.

“O TWB se destaca como um dos principais centros de pesquisa em biotecnologia industrial. Somos membro do consórcio desde 2018 e agora estamos expandindo a colaboração em projetos que corroboram nossa visão de utilizar a química e materiais renováveis como ferramentas de captura de carbono”, explicou Mateus Schreiner Garcez Lopes, responsável por Inovação em Tecnologias Renováveis da Braskem.

Iniciada em outubro de 2011, o TWB utiliza a inteligência coletiva para impulsionar vínculos pioneiros entre pesquisadores, grupos industriais e investidores, acelerando a transição para indústrias ecologicamente responsáveis. No início, eram cerca de 30 parceiros que, posteriormente, se agruparam para formar um consórcio público-privado de ponta, com o objetivo de acelerar o desenvolvimento da biotecnologia industrial e promover a bioeconomia.

Atualmente são 51 parceiros, entre grupos industriais, startups, investidores, autoridades locais e regionais. E já foram lançados 105 projetos colaborativos de pesquisa e desenvolvimento, que impulsionaram o crescimento de negócios disruptivos, arrecadando mais de 100 milhões de euros.

“Estamos orgulhosos em receber a Braskem, uma das líderes globais em química renovável. Esperamos contribuir de todas as maneiras possíveis para este projeto de P&D, com o intuito de promover o desenvolvimento de novos caminhos de produção sustentáveis, um objetivo que compartilhamos”, comentou Olivier Rolland, Diretor Executivo da TWB.

A Braskem expande cada vez mais seus esforços de pesquisa, desenvolvimento e comercialização de químicos e materiais de origem renovável. Em maio de 2018, a companhia iniciou uma operação na cidade de Boston , nos Estados Unidos, que complementa suas atividades no Centro de Pesquisa em Química Renovável, em Campinas, além de suas competências em ciência de materiais nos centros de Tecnologia & Inovação em Triunfo (Brasil) e Pittsburgh (EUA). A companhia é pioneira na fabricação em escala industrial de Polietileno Verde e EVA Verde , ambas resinas desenvolvidas a partir da cana-de-açúcar. As soluções são 100% recicláveis e o CO2 é capturado em seu processo produtivo.

A parceria com o TWB está alinhada com o compromisso da Braskem para promover a sustentabilidade na cadeia do plástico. Em novembro de 2018, a empresa definiu uma série de iniciativas globais para impulsionar a Economia Circular, entre eles, “continuar a investir no desenvolvimento de novos produtos Renováveis, a fim de apoiar a economia circular no início da cadeia de valor”.

Mais informações (em inglês): https://www.toulouse-white-biotechnology.com/en/

Curta nossa página no

Braskem expandirá Centro de Tecnologia e Inovação com novo prédio em Triunfo (RS)

20/12/2018

Prédio terá 2,8 mil metros quadrados, com investimento de R$ 50 milhões

A Braskem investirá R$ 50 milhões na expansão da sua estrutura de inovação no Brasil. A iniciativa engloba a construção de um novo prédio de 2,8 mil metros quadrados de área no Centro de Tecnologia e Inovação da Braskem no Polo Petroquímico de Triunfo (RS) para receber novos equipamentos e laboratórios em que serão desenvolvidas e testadas tecnologias para a fabricação de resinas termoplásticas em todo o mundo. Os novos equipamentos e técnicas a serem implementados com a expansão são complementares às competências existentes no local, que já conta com 6 plantas piloto.

O espaço ampliado receberá laboratórios de caracterização avançada de polímeros, o que inclui análises como cromatografia, fracionamento de polímeros, microscopia, além de laboratórios de catálise e de tecnologia de processos petroquímicos. Os laboratórios de controle de qualidade das plantas de segunda geração serão centralizados no mesmo prédio. O investimento foi deflagrado este mês, e a conclusão do prédio está prevista para até o final de 2019.

O Centro de Tecnologia e Inovação em Triunfo é o maior dos quatro centros de tecnologia da Braskem, e um dos principais centros de pesquisa em polímeros do América Latina. Das cerca de 300 pessoas que compõem o time de Inovação & Tecnologia da Braskem no mundo, 170 atuam em Triunfo. De acordo com o diretor Global de Inovação da Braskem, Gilfranque Leite, a expansão aproveita a expertise desenvolvida na região ao longo dos últimos 16 anos, desde que o CTI foi inaugurado:

“Foi no CTI de Triunfo que ocorreu o desenvolvimento de tecnologias como o polietileno verde, que continua a ser aprimorada dando origem a materiais como o EVA Verde, lançado neste ano”, comente Leite. Em junho, um novo conceito de resina plástica reciclada (3R), com melhor qualidade e resistência, desenvolvido no CTI, foi apresentado em um evento em Vancouver. Outro destaque em 2018 foi o lançamento da linha Braskem Evance, com resinas inovadoras de alto desempenho e avançada customização para aplicações na indústria calçadista, automotiva e de construção, por exemplo. “Outro ponto de destaque é o alto nível de ensino técnico da região, onde temos excelentes pessoas sendo formadas e capacitadas para atuarem nos laboratórios da Braskem, provenientes de instituições como SENAI, UFRGS e PUCRS”, ressalta Leite.

Desde 2017, o CTI tem trabalhado de forma integrada com as unidades de pesquisa e desenvolvimento do Brasil, Estados Unidos, México e Alemanha. Soluções desenvolvidas neste centro, como resinas de alto desempenho para redução de peso de embalagens, resinas para filmes e embalagens desenvolvidas para o mercado internacional, materiais com resistência a altas temperaturas para a indústria automotiva e aditivação mais eficiente são usadas no mundo todo. Além disso, o CTI de Triunfo suporta pesquisas desenvolvidas em outras regiões, realizando testes de caracterização avançada em plantas piloto só disponíveis nesse centro. Trabalha ainda no aprimoramento de tecnologias para uso do plástico reciclado, novas resinas para impressoras 3D e embalagens inteligentes e outros. O local, além das atividades de P&D, atende mais de 400 clientes que buscam testar e aprimorar seus produtos.

A estrutura de inovação da Braskem conta com dois Centros de Tecnologia e Inovação, em Triunfo e em Pittsburgh (EUA), um Centro de Pesquisa em Tecnologias e Renováveis em Campinas e um Centro Técnico em Wesseling (Alemanha), totalizando 23 laboratórios e sete plantas piloto. Juntos, possuem 276 projetos no pipeline de inovação e tecnologia e mais de 900 documentos de patentes. A empresa investe na área cerca de R$ 300 milhões/ano.

Projeto Inovador

O novo prédio tem o desafio de incentivar a inovação antes mesmo de ser erguido. A equipe responsável pelo projeto identificou mais de 30 aplicações do plástico na construção, com soluções que levam em conta a economia, a durabilidade, resistência e a versatilidade dos materiais. A ideia é que o prédio todo funcione como uma espécie de showroom, com as estruturas em plástico aparentes e identificadas, onde a produção da Braskem e de seus parceiros vai da teoria à prática.

São muitas as possibilidades a serem empregadas: do piso às telhas, dos sistemas hidráulicos aos revestimentos usados para isolamento térmico e acústico ou elemento de design, o plástico apresenta entre suas qualidades a leveza, resistência à corrosão e facilidade para limpeza, dentre outros atributos que levam cada vez mais à sua incorporação na construção civil.

Fonte: Braskem

Curta nossa página no </

Evonik aposta em Inovação para alavancar crescimento

30/11/2017

  • Novos produtos e modelos de negócio dão novo impulso ao Grupo
  • Valor do canal de inovação aumentou em um terço nos últimos cinco anos
  • Tecnologia digital impulsiona a inovação

A Evonik pretende alavancar um potencial de crescimento adicional por meio da inovação. “Novos produtos, soluções e modelos de negócio farão uma contribuição significativa para o crescimento e a lucratividade da Evonik. Esses são integrantes essenciais da nossa agenda estratégica”, observou Harald Schwager, VP da Diretoria Executiva da Evonik Industries e responsável por inovações. O valor do canal de inovação da Evonik aumentou em um terço nos últimos cinco anos.

Schwager pretende implementar rapidamente esses planos de negócio a fim de gerar vendas adicionais a partir do valor do canal de projetos. “Temos que levar os nossos projetos de inovação para os clientes de um modo mais rápido e ainda mais focado. Vamos conseguir isso aumentando a nossa eficiência em pesquisa e desenvolvimento, trabalhando em colaboração estreita com os clientes”, acrescentou. No médio prazo, a meta da Evonik é aumentar para 16% a fatia de produtos e aplicações desenvolvidos nos últimos cinco anos nas vendas da empresa. Atualmente, essa participação é de 10%.

A Evonik pretende apoiar cada vez mais o sucesso dos clientes por meio de tecnologias digitais. Recentemente, a empresa anunciou que iria disponibilizar cerca de 100 milhões de euros para projetos de digitalização. “Nossa prioridade são novos modelos de negócio, além de soluções e serviços personalizados para os clientes. A mudança digital será um propulsor essencial da inovação ao longo da cadeia de fornecimento e às indústrias dos nossos clientes”, enfatizou Schwager.

Os gastos com pesquisa & desenvolvimento continuam altos em mais de 400 milhões de euros ao ano. Schwager, no entanto, acha que a pesquisa não é um fim em si. “Ela deve ocorrer de um modo focado em projetos que prometem mais negócio e crescimento – nos prazos curto, médio e longo”. Em resultado disso, cerca de 90% dos fundos são investidos nos esforços de pesquisa dos segmentos operacionais, e especificamente em negócios com potencial de crescimento particularmente alto. A participação do gasto com P&D nas receitas (razão P&D) nesses negócios já é de 4-6%. No Grupo como um todo, a razão de P&D excede 3%.

“Vemos a inovação como algo crucial para assegurar e expandir as nossas posições de mercado. Além disso, estamos trabalhando em áreas que irão gerar novos negócios para nós, impelidos por inovação. A Evonik prioriza em especial seis áreas de crescimento em inovação: Sustainable Nutrition, Healthcare Solutions, Advanced Food Ingredients, Membranas Cosmetic Solutions e Additive Manufacturing. Cada uma delas se apoia em uma estratégia clara com metas comerciais, objetivos de mercado e modelos de negócio, incluindo a aquisição de competências. “As inovações dessas áreas irão gerar um bilhão de euros adicional em vendas até o ano de 2025″, explica Küsthardt.

A Evonik é uma das principais empresas de especialidades químicas do mundo. A empresa atua em mais de 100 países no mundo inteiro. Em 2016, mais de 36.000 colaboradores geraram vendas da ordem de 12,7 bilhões de Euros e um lucro operacional (EBITDA ajustado) de cerca de 2,165 bilhões de Euros. No Brasil, a história da Evonik Industries, começou em 1953. A empresa conta hoje com cerca de 600 colaboradores no País e seus produtos são utilizados como matéria-prima em importantes setores industriais.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Evonik

Curta nossa página no

Braskem inaugura Núcleo Técnico na Alemanha

31/10/2016

braskem_alemanha

A unidade de P&D vai atender às demandas específicas dos clientes da Europa – em linha com a estratégia de internacionalização da empresa

A Braskem inaugurou seu Núcleo Técnico da Europa em sua fábrica em Wesseling, na Alemanha. Com investimento de cerca de 5 milhões de euros, a unidade vai possibilitar o desenvolvimento de novos produtos voltados especificamente às demandas do mercado europeu.

De acordo com Srivatsan Iyer, CEO da Braskem Europa, com o Núcleo Técnico da Europa, a empresa vai ampliar seu portfólio de produtos e soluções para melhor servir mercados de alto crescimento na região. “Essa decisão reflete nosso compromisso de oferecer produtos e suporte técnico aos nossos clientes na Europa, com foco no contínuo desenvolvimento da indústria petroquímica e da cadeia do plástico”, destaca o executivo.

Com mais esse investimento, na Alemanha, a Braskem reforça sua área de Inovação – nos últimos sete anos, a companhia aportou mais de R$ 1 bilhão em inovação – em linha com sua estratégia de internacionalização. “A nova unidade chega para complementar a nossa estrutura de inovação, permitindo uma valiosa troca de experiências, práticas e conhecimento entre equipes ao redor do mundo, bem como o aumento na capilaridade de nossas parcerias tecnológicas. Esse é um passo importante para que a Braskem fortaleça sua presença global”, afirma Patrick Teyssonneyre, diretor de Inovação da empresa.

A nova unidade soma-se a dois Centros de Tecnologia da Braskem, um no Brasil e outro nos Estados Unidos, localizados em Triunfo (RS) e Pittsburgh (Pensilvânia), respectivamente, além do Núcleo de Pesquisa em Renováveis, Núcleo de Desenvolvimento de Tecnologias de Processo e o Núcleo Técnico do México. No último ano, foram registrados 51 novos pedidos de patentes, 23% deles relacionados a tecnologias que utilizam matéria-prima renovável. O total de patentes depositadas pela Braskem chegou à soma de 959.

Fonte: Braskem

Curta nossa página no

AX Plásticos promove equipamentos para laboratórios de Pesquisa e Desenvolvimento em polímeros durante a Interplast 2016

31/03/2016

AXPlasticos

A AX Plásticos (www.axplasticos.com.br), pioneira nacional no desenvolvimento de equipamentos para transformação de polímeros em escala laboratorial (foto) e também fabricante de extrusoras e linhas completas de extrusão, divulgará na Interplast a sua linha de equipamentos para laboratórios de pesquisas e de desenvolvimento.

Douglas Amorim, sócio-diretor, conta que esta linha cresce a cada ano, sendo constantemente atualizada visando as necessidades de mercado e os desejos de clientes. Os diferenciais desses equipamentos são: dimensões, peso e a diminuição significativa da quantidade de matéria-prima para uso e de energia elétrica para o desenvolvimento ou para a pesquisa.

“Por ser realizada na região Sul, a Interplast concentra um grande número de empresas da indústria de plásticos nos três estados e por isso sempre estamos presentes”, destaca Douglas.

A AX Plásticos completa 12 anos de atuação em 2016. Possui máquinas em mais de 16 estados brasileiros em indústrias, universidades, centros de pesquisas, SENAI’s, entre outros. A empresa é pioneira no desenvolvimento de equipamentos de transformação para pesquisa e desenvolvimento de termoplásticos (máquinas para laboratório). Os equipamentos da AX Plásticos estão instalados em laboratórios dos mais diversos ramos do setor plástico, desde fabricantes de resina, como Braskem, Rionil, Karina, M&G Rodhia, até transformadores como BoxFlex, Xalon Suturas e Idex.

A Interplast tem em média 550 marcas expositoras apresentando novidades dos mais variados setores como máquinas, equipamentos, transformadoras, ferramentarias, embalagens, matérias-primas, periféricos, design e serviços. Realizada pelo Simpesc (Sindicato da Indústria de Material Plástico no Estado de Santa Catarina) e organizada pela Messe Brasil, a 9ª edição tem o apoio da ABIMAQ (Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos), ABIPLAST (Associação Brasileira da Indústria do Plástico) e FIESC (Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina). Paralelamente ao evento acontecem a 3ª EUROMOLD Brasil – Feira Mundial de Construtores de Moldes e Ferramentarias, Design e Desenvolvimento de Produtos – o CINTEC 2016 Plásticos – Congresso da Inovação Tecnológica e a Rodada de Negócios.

Serviço:
Interplast 2016 – Feira e Congresso de Integração da Tecnologia do Plástico – http://www.interplast.com.br
EUROMOLD BRASIL – Feira Mundial de Construtores de Moldes e Ferramentarias, Design e Desenvolvimento de Produtos – http://www.euromoldbrasil.com.br
Data: 16 a 19 de agosto de 2016
Horário: 14 às 21 horas
Local: Expoville – Joinville-SC – Brasil
Organização: Messe Brasil

Fonte: Assessoria de Imprensa – Interplast

Curta nossa página no

SENAI-SP inaugura Núcleo de Materiais Avançados e Nanocompósitos

03/11/2015
SENAI_Mario-Amato

O presidente da Fiesp e do SENAI-SP, Paulo Skaf, inaugurou no dia 23 de outubro o Núcleo de Materiais Avançados e Nanocompósitos da Escola SENAI Mario Amato, em São Bernardo do Campo

A nova área representa investimento de R$ 14,5 milhões e intensifica a estratégia da entidade de oferecer estruturas completas para a prestação de serviços técnicos e tecnológicos para as indústrias que investem no desenvolvimento e na pesquisa de materiais não metálicos, como polímeros, cerâmicas e compósitos. A nova área tem potencial para atender todo o país.

Sua criação vem ao encontro da necessidade de desenvolvimento de materiais leves e de alto desempenho, que demandem menores custos de produção, possibilidade de design diferenciado, segurança, conforto e diminuição de impactos ambientais.

A pesquisa e o desenvolvimento de materiais poliméricos compostos, como blendas, polímeros com aditivos diversos e compósitos, assim como materiais cerâmicos e modificações químicas em superfícies, são necessárias ao atendimento da indústria de transformação de materiais em diversos segmentos, como, por exemplo, o automotivo, da construção civil, de embalagens, de cosméticos, de alimentos, de informática e odonto-médico hospitalar.

O núcleo é composto por dois ambientes dotados com equipamentos de alta tecnologia: o laboratório de caracterização de materiais, que permitirá análises de caracterização química, caraterização física, caracterização microscópica e raio X; e o laboratório de processamento de materiais poliméricos e materiais cerâmicos, que produzirá amostras em escala laboratorial para a execução de testes.

Estiveram presentes à inauguração diversas autoridades políticas e representantes da indústria. Entre eles, o Secretário de Governo do Município de São Caetano do Sul, Nilson Bonome; Walter Vicioni Gonçalves, diretor regional do Senai-SP e superintendente do Sesi-SP; Ricardo Terra, diretor técnico do Senai-SP; Claudemir Facco de Oliveira, diretor da Escola Senai Mário Amato; o diretor superintendente da Abiplast e do Sindiplast, Paulo Teixeira e o presidente do Sistema Fiesp, Paulo Skaf.

Fonte: Assessoria de Imprensa -Abiplast / Agência Indusnet Fiesp

Curta nossa página no

Innova celebra dez anos do Centro de Tecnologia em Estirênicos

09/09/2015

innova-cte

O CTE, Centro de Tecnologia em Estirênicos, é o primeiro e único na América Latina e se dedica a aperfeiçoar produtos existentes e acelerar o ciclo de desenvolvimento de novas aplicações, contando com a participação ativa dos clientes, num diálogo  com benefícios para todo o segmento.

Além dos equipamentos de última geração, o CTE da Innova conta hoje com nove profissionais, entre técnicos, engenheiros, químicos, mestres e doutores, atuando nos laboratórios de Polimerização, Reologia, Análises Químicas e Testes Físicos ed e Processamento. Ao longo dos dez anos do CTE da Innova, foram desenvolvidas sete novas variações (grades) de poliestireno, em sua maioria com depósito ou requerimento de patente no INPI. Hoje, os produtos próprios representam mais de 30% do faturamento gerado pela resina.

O portfólio do CTE conta também com uma extensa lista de desenvolvimentos sob demanda dos clientes. “Nosso trabalho é pensar o universo dos estirênicos, sobretudo de forma integrada com as outras áreas da Innova. Dessa forma, conseguimos identificar e compreender as necessidades e oportunidades apresentadas pelos clientes”, explica Marcus Dal Pizzol, gerente de Tecnologia e Desenvolvimento, à frente do CTE desde sua criação.

O Grupo de Inovação Tecnológica (GIT) faz o gerenciamento dos projetos de inovação através de uma metodologia capaz de captar as idéias do mercado e também as internas, a fim de encaminhá-las no âmbito do CTE. “Foi decisiva a cultura interna da Innova que, como o próprio nome diz, está voltada para a inovação. Pesquisar aqui não é retórica, e sim postura prática”, define Dal Pizzol.

Após a aquisição do controle acionário da Innova pela Videolar, o CTE ganhou impulso em duas novas frentes de trabalho: uma delas é a integração das plantas petroquímicas de Triunfo (RS) e Manaus (AM), homologando os produtos em todos os clientes. Outro grande desafio é a implantação das tecnologias relacionadas à novas resinas, em especial o EPS (poliestireno expandido) e o ABS (acrilonitrilabutadieno estireno). Um laboratório exclusivo está sendo instalado para se dedicar totalmente ao desenvolvimento e lançamento do EPS por extrusão.

A Innova S.A. é uma petroquímica de segunda geração, controlada pela Videolar S.A. que produz Etilbenzeno, monômero de estireno e poliestireno, no Polo Petroquímico do Sul, em Triunfo/RS. A empresa também importa para revenda as resinas ABS (acrilonitrilabutadieno estireno) e SAN (acrilonitrila estireno). As sinergias com o novo controlador, a Videolar, que possui planta industrial em Manaus/AM, permitem atendimento regionalizados a clientes de norte a sul do Brasil.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Innova

Curta nossa página no

Feiplastic 2013: AX Plásticos demonstra extrusoras para laboratórios de polímeros

08/04/2013

feiplastic

Durante esta Feiplastic, a AX Plásticos estará reafirmando seu compromisso de ocupar o posto de “solução ideal para o laboratório do plástico”. Seja para a área industrial no desenvolvimento de cores, produtos, ou na área acadêmica contribuindo para as pesquisas de novas resinas, compósitos, blendas, entre outras.

A empresa  é pioneira nacional na fabricação de máquinas extrusoras para laboratórios de polímeros termoplásticos e já recriou, em seus nove anos de existência, diversas linhas de transformação dimensionadas para pequenos espaços e idealizadas para o setor de pesquisas e desenvolvimento brasileiro.

Durante a feira, a AX Plásticos exporá seu consagrado modelo “AX16DR”, o modelo dupla-rosca co-rotante da AX, que conta com grande gama de opcionais como “side-feeder” único ou duplo com opções de mudança de posição, alimentador principal para materiais em diversos estados, pó, grânulo, líquido; sistema de degasagem; sistema de CLP; medidor de pressão de massa e que já está presente em diversos centros de pesquisa e excelência como o IPEN-USP, a UNICAMP, a UFMG, a UFBA, a UFV em Viçosa-MG, a UFRN a UniFeI em Itájuba-MG..

Exibirá também a extrusora de bancada “AX20” para filme tubular com o consumo mínimo de 200 gramas de matéria-prima para testes. Estará presente, ainda a menor extrusora do mundo para filme tubular, a “AX10 Nano” com rosca de 10 mm de diâmetro e pesando apenas 27 Kg.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Feiplastic

Curta nossa página no

Braskem investe em robô para pesquisas na área de biotecnologia aplicada à geração de polímeros renováveis

27/02/2013

Equipamento é um dos mais modernos da América do Sul e o primeiro com esta aplicação no Brasil

A Braskem adquiriu para suas pesquisas em engenharia metabólica o aparelho High Throughput Screening (HTS), da norte-americana Hamilton, uma das empresas mais conceituadas mundialmente em robótica. Este robô é o mais moderno da Hamilton em uso na América do Sul e o primeiro com esta aplicação no Brasil.

O robô será utilizado em projetos baseados em manipulação genética de microrganismos, conhecida como biologia sintética, para a criação de novos polímeros renováveis. Com o seu uso, o trabalho que seria feito por um pesquisador pode ser multiplicado de 100 a 1.000 vezes, no mesmo período de tempo.

Para aprender os detalhes da operação do robô, quatro pesquisadores da Braskem passaram por um período de treinamento nos Estados Unidos. Uma assistência técnica também foi criada no Brasil pela Hamilton especialmente para dar suporte à máquina.

“Esta aquisição é mais uma ferramenta para que a Braskem e o Brasil possam acelerar o desenvolvimento das competências em biotecnologia e se posicionar como peça chave para a bioeconomia. A Braskem tem resultados na área de biologia sintética e biopolímeros avançados equivalentes aos das empresas mais renomadas nesta área”, destaca o gerente do Programa de Biotecnologia da Braskem, Avram Slovic.

Fonte: Braskem

Curta nossa página no