Posts Tagged ‘PEBD’

Dow oferecerá PEBD e PEBDL baseados em reciclados pós-consumo na América do Norte

15/01/2020

  • Dow combina suas resinas de polietileno virgem com os pellets de resina pós-consumo (PCR) da Avangard Innovative, obtidos a partir de filmes plásticos
  • Contrato exclusivo permitirá lançamento dos primeiros produtos baseados em PCR da Dow na América do Norte

Em um contrato exclusivo, a Avangard Innovative LP, empresa de Houston (Texas) especialista em valorização de resíduos, fornecerá à Dow pellets de resina pós-consumo (PCR) obtidos a partir de filme plástico, o que corresponde a uma adição significativa ao portfólio de circularidade plástica da Dow – alinhado ao objetivo da empresa de promover a economia circular de plásticos.

As duas empresas esperam começar a oferecer no final deste ano as primeiras inovações baseadas em PCR da Dow a clientes norte-americanos que estão exigindo perfis de sustentabilidade mais consistentes em aplicações direcionados, tais como revestimentos, embalagens retráteis e embalagens protetoras, entre outras aplicações. A Dow inicialmente utilizará a PCR da Avangarde para criar produtos de polietileno linear de baixa densidade (PEBDL) e polietileno de baixa densidade (PEBD).

“Estamos oferecendo aos nossos clientes as ferramentas necessárias para fornecer aos consumidores produtos feitos de plástico reciclado, tais como os revestimentos que colocam em suas lixeiras e e a embalagem retrátil que eles usam para empacotar e enviar mercadorias embaladas”, disse Victor Zapata, diretor comercial para reciclagem na América Latina e América do Norte. “Esta colaboração combina a tecnologia de coleta e classificação de resíduos da Avangard e ​​com o conhecimento da Dow em ciência de materiais, além da sua experiência em aplicações e escala operacional, a fim de oferecer um processamento consistente e um fornecimento confiável de PEBD e PEBDL baseados em PCR para nossos clientes em toda a América do Norte”.

Promovendo soluções para a economia circular de plástico

A colaboração entre a Dow e a Avangard impulsiona esforços que garantem que o valor do plástico não seja perdido após apenas somente um ciclo de uso de material.

“Qualquer plástico perdido no meio ambiente como lixo é inaceitável”, disse Nestor de Mattos, vice-presidente comercial da Dow na América do Norte para Embalagens e Plásticos Especiais. “É por isso que estamos colaborando com a Avangard para promover novas soluções que mantenham o valor dos plásticos usados. Esse esforço não apenas ajuda a Dow a atingir suas metas de sustentabilidade, mas também ajuda nossos clientes a alcançarem seus próprios objetivos de sustentabilidade, promovendo a mudança para uma economia cicular dos plásticos “.

Contrato com a Dow dá continuidade ao crescimento da Avangard

O contrato exclusivo para fornecimento de PCR à Dow, que será combinado com resinas virgens para criar novos produtos de PEBD e PEBDL, vem em seguida ao anúncio da Avangard de que está expandindo sua coleta e classificação de filmes no próximo ano – facilitada por uma segunda fábrica em Houston e novas plantas em Nevada e no México .

“A combinação de nossa colaboração com a Dow e a nossa expansão planejada torna este um momento muito emocionante para a Avangard Innovative”, disse Rick Perez, CEO da Avangard. “Construímos uma experiência de coleta e classificação de filmes ao longo de 35 anos, posicionando-nos de maneira única para oferecer materiais de PCR que permitirão à Dow desenvolver produtos circulares para seus clientes “.

A Avangard foi certificada como uma empresa comercial minoritária (MBE) pelo Conselho de Desenvolvimento de Fornecedores Minoritários de Houston (HMSDC) e pelo Estado do Texas.

O portfólio da Dow é composto pelos segmentos Materiais de Desempenho, Intermediários Industriais e Plásticos e oferece aos clientes de indústrias de alto crescimento, tais como embalagens, infraestrutura e bens de consumo, uma gama de produtos e soluções diferenciados. A Dow opera 113 unidades de produção em 31 países e emprega cerca de 37.000 funcionários em todo o mundo. Em 2018, a empresa gerou um faturamento de cerca de US $ 50 bilhões (pro forma)

Curta nossa página no

Braskem expande portfólio de resinas para o segmento de filmes termoencolhíveis

17/09/2013

A Braskem expande seu portfólio de resinas de polietileno de alta densidade (PEAD) com o lançamento de uma família especialmente desenhada para atender ao segmento de filmes termoencolhíveis (embalagens secundárias para unitização de latas e garrafas), também conhecidos como filmes shrink.

O principal diferencial da linha é o baixo nível de géis, garantindo uma embalagem compacta, sem furos, sem marcas na superfície e mantendo boa visualização do produto empacotado. A família apresenta duas resinas: a HD7600U e HD7600M, produzidas, respectivamente, no Rio de Janeiro e Bahia.

A formulação do filme shrink contempla, além do PEAD, polietilenos de baixa densidade e linear (PEBDL e PEBD). Segundo a Braskem, a combinação das propriedades inerentes a cada uma das famílias de resinas proporciona rigidez, encolhimento e compactação da unidade simultaneamente.

“A expansão do portfólio para filmes shrink demonstra a importância do segmento para a Braskem. A família HD7600 é resultado do trabalho conjunto dos nossos engenheiros com os Clientes, desenvolvido durante quase um ano, que garantiu o fornecimento de resinas de alta performance para atender de forma abrangente o mercado”, destaca Renato Augusto Yoshino de Lima, líder comercial do segmento de filmes industriais.

Fonte: Braskem

Curta nossa página no

Tecnologia de compressores da GE será usada em projeto da Braskem Idesa que aumentará capacidade de produção de polietileno do México.

05/05/2012

A General Electric (GE) inicia colaboração com a Braskem Idesa na instalação de um Complexo de polietileno de alta eficiência que melhorará a capacidade produtiva da região, impulsionará a criação de emprego e atrairá empresas.

O México reduzirá significativamente a quantidade de polietileno que o País importa para fins de manufatura, embalagens e outras aplicações industriais quando o seu novo complexo de produção de polietileno que utilizará a tecnologia de hipercompressores da GE der a partida. A planta de Veracruz, que introduzirá na região a produção de plásticos em grande escala, é uma joint venture entre duas empresas petroquímicas importantes das Américas, a Braskem S.A. do Brasil e o Grupo Idesa do México. Atualmente, o México importa cerca de 70 % da quantidade total de polietileno utilizado no país.

As tecnologias de hipercompressores e compressores de intensificação (booster compressors) da GE são elementos-chave da unidade de produção de Polietileno de Baixa Densidade (PEBD). Estes compressores de alta eficiência apresentam tecnologias inovadoras que utilizam menos energia elétrica, reduzem custos operacionais e exigem menos manutenção, tornando a planta local mais competitiva em relação às resinas importadas.

“Este projeto é muito importante estrategicamente para o desenvolvimento de negócios na área e nossa expectativa é que ele estimule o crescimento a longo prazo – por isso era imperativo que fôssemos extremamente seletivos com as soluções que escolhemos”, disse Silvia Migueles Pires, diretora de compra Da Braskem Idesa. “A tecnologia confiável e eficiente de compressores da GE nos tornará mais competitivos desde o dia da partida e a forte presença local da GE nos dará vantagens em termos de instalação, manutenção, serviços e expansão, as quais irão pagar dividendos durante a vida útil da unidade.”

Os compressores de Polietileno de Baixa Densidade da GE apresentam um projeto que permite variação de escala, tornando possível atualizações e adição de capacidade com pouco efeito nas operações do dia-a-dia e requerendo poucos ajustes.

“Espera-se que a tecnologia da planta atraia novas empresas para a região, criando empregos e crescimento saudável”, disse Marco Caviola, líder de Soluções em Petroquímica da GE para a América Latina. “Estamos empenhados em apoiar o crescimento a longo prazo, expandindo nossas instalações de manutenção local e proporcionando o treinamento de operadores e pessoal de manutenção da Braskem Idesa.”

Os hipercompressores da Série “P” da GE são projetados especificamente para atender aos rigores da compressão de etileno em plantas de PEBD. Eles lidam com a maior pressão e potência da indústria no setor e apresentam tecnologia de ponta em resistência à fadiga. Os componentes de longa duração são montados para minimizar a pulsação e a vibração das tubulações, melhorando as condições gerais da planta.

O projeto de construção começará ainda este ano.

Sobre a GE Energy

Com mais de 100.000 funcionários em mais de 100 países, a GE Energy atua no setor de energia com tecnologias em áreas como gás natural, petróleo, carvão e energia nuclear; eólica, solar, biogás e processamento de água, gestão de energia e modernização da rede. A empresa também oferece soluções integradas para atender indústrias intensivas em água e energia, tais como as de mineração, metais, petroquímica, alimentos e bebidas e combustíveis não convencionais.

Sobre a Braskem Idesa S.A.P.I.

Criada em 2009, a Braskem Idesa é uma joint venture formada pela Braskem, a maior empresa petroquímica das Américas, e o Grupo Idesa, empresa petroquímica mexicana líder. Juntos, elas estão desenvolvendo o projeto Etileno XXI, que se concentra no desenvolvimento e implementação de um complexo petroquímico para produção de polietileno no Estado de Veracruz, México. O projeto requer um investimento de US $ 3,2 bilhões e entrará em operação em 2015.

Fonte: GE

Braskem Idesa Seleciona Processo Lupotech T Para Nova Planta de PEBD de 300 KTon no México.

07/02/2011

A Braskem Idesa S.A.P.I., uma joint-venture da Braskem S.A. e do Grupo Idesa S.A. de C.V., do México, selecionou a tecnologia de processo Lupotech T da LyondellBasell para uma nova planta de Polietileno de Baixa Densidade (PEBD) de 300 Kton por ano. A planta será construída no Complexo Petroquímico Coatzacoalcos em Veracruz, no México, e está programada para iniciar a sua operação em 2015.

“Para competir com sucesso no mercado de PEBD na América do Norte é necessário uma tecnologia de processo como a Lupotech T,” afirma Roberto Bischoff, CEO da Braskem Idesa. “Ela proporciona um desempenho líder em termos de custo de manufatura, assim como um portfolio de produtos bem abrangente.”

“O fato de ser a primeira licença de PEBD tubular concedida na região do NAFTA em mais de 20 anos constitui-se numa evidência adicional do desempenho líder da tecnologia Lupotech T  para a produção em escala mundial de PEBD e copolímeros de EVA” afirma Kaspar Evertz, vice presidente de licenciamentos da LyondellBasell.

A Lupotech T é a tecnologia de processo de PEBD a alta pressão mais largamente usada no mundo. Desde o ano 2000, a LyondellBasell licenciou 20 plantas com tecnologia Lupotech T, representando aproximadamente 6 milhões de toneladas anuais em termos de capacidade licenciada.

Com mais de 250 licenças concedidas para processos de poliolefinas,  a LyondellBasell é o licenciador líder de tecnologias para produção de polipropileno e polietileno.

Além do processo Lupotech T, o portfolio de tecnologias licenciadas para poliolefinas e serviços técnicos associados compreendem:

• Spherilene – tecnologia de processo flexível em fase gasosa para a produção de PELBD, PEMD e PEAD.
• Hostalen – processo slurry de baixa pressão para a produção de PEAD multimodal de alto desempenho.
• Spherizone – tecnologia de polipropileno de última geração, baseada em um reator multi-zona, para a produção de polipropileno e novas poliolefinas.

• Spheripol – tecnologia líder de polipropileno para a produção de homopolímeros e copolímeros randômicos e heterofásicos.
• Metocene PP – tecnologia inovadora adicional para a produção de especialidades de polipropileno, usando sistemas catalíticos de sítio único.

A LyondellBasell é uma das maiores empresas mundiais no segmento de plásticos, produtos químicos e refinarias. A empresa manufatura produtos em 59 fábricas, em 18 países.

Fonte: LyondellBasell