Posts Tagged ‘Mercado de Plásticos’

Interplast 2014 terá rodada de negócios do setor plástico

05/11/2013

A Interplast 2014 – Feira e Congresso de Integração da Tecnologia do Plástico – vai contar com uma rodada de negócios do setor plástico, simultaneamente à feira, de 18 a 22 de agosto de 2014, em Joinville/SC.

Interplast_2014Em sua oitava edição, a Interplast é a principal feira do segmento plástico do Brasil realizada nos anos pares. Tem uma média de 550 expositores, abrangendo soluções e tecnologias nos segmentos de máquinas e equipamentos, transformadores, ferramentarias, embalagens, matéria-prima, periféricos, design e serviços, distribuídos em 21 mil m² de área.

Na última edição, recebeu 28 mil visitas de 23 estados brasileiros e 24 países, em sua maioria profissionais da indústria plástica, seguido dos segmentos automotivo, eletrônico, eletroeletrônico, eletrodomésticos, construção civil, energia, petroquímico, engenharia, transportes e logística, fundição, entre outros.

Em paralelo à feira acontece o Cintec 2014 Plásticos – Congresso de Inovação Tecnológica -, organizado pela UniSociesc, e que reúne cerca de 400 congressistas a cada edição.

A EUROMOLD BRASIL – Feira Mundial de Construtores de Moldes e Ferramentarias, Design e Desenvolvimento de Produtos -, ocorre pela segunda vez simultaneamente à Interplast, viabilizada por meio de joint venture entre a Messe Brasil e a Demat, uma das mais representativas empresas privadas de organização de feiras da Alemanha.

A estimativa é que as duas feiras gerem mais de R$ 500 milhões em negócios. “Estamos percebendo uma procura maior das empresas expositoras em função da criação de um pólo automotivo na região”, aponta Richard Spirandelli, diretor da Messe Brasil.

A Interplast tem promoção e realização do Simpesc (Sindicato da Indústria de Material Plástico no Estado de Santa Catarina) e apoio da Abiplast (Associação Brasileira da Indústria do Plástico) e da Abimaq (Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos).

Serviço

  • Interplast 2014 – Feira e Congresso de Integração da Tecnologia do Plástico
  • EUROMOLD BRASIL – Feira Mundial de Construtores de Moldes e Ferramentarias, Design e Desenvolvimento de Produtos
  • Data: 18 a 22 de agosto de 2014
  • Horário: das 14 às 21 horas
  • Local: Expoville – Joinville-SC – Brasil
  • Organização: Messe Brasil

Fonte: MesseBrasil

Curta nossa página no

Anúncios

Feira K 2013 excede expectativas

31/10/2013
  • Muitas inovações pioneiras resultam em um número notável de negócios fechados durante a feira
  • Expositores prevêem um forte pós-feira em geração de negócios

k_2013Foi com grande expectativa que as empresas das indústrias de plásticos e borracha foram a Düsseldorf  para a K 2013, a feira mais importante do mundo em seu setor. A recuperação experimentada no setor, já há meses, juntamente com a confiança que as empresas do segmento tinham em poder mostrar inovações pioneiras de produtos para todos os setores da cadeia produtiva aumentaram as justificadas esperanças de uma boa exposição e de negócios ativos no pós-feira. E essas expectativas foram , na verdade, até mesmo excedidas ao longo dos oito dias da feira . Expositores relataram unanimemente que receberam inúmeras consultas de projetos concretos, que tiveram intensas negociações com visitantes vindos de todo o mundo e que conseguiram fechar um número notável de negócios , alguns dos quais foram concluídos instantaneamente – sendo que muitos deles estavam na casa dos milhões.

O Presidente do Conselho Consultivo de Expositores para a K 2013, Ulrich Reifenhäuser, ficou extremamente satisfeito com os resultados :”Nós não esperávamos que a disposição dos visitantes em investir fosse tão alta ! Os vários produtos e aplicações inovadoras que estrearam em Düsseldorf foram recebidos com grande interesse pelos visitantes.E as inovações não foram apenas admiradas, mas também foram realizadas muitas negociações concretas e contratos foram assinados . Muitos clientes estão ampliando suas capacidades e estão investindo em novas tecnologias para aprimorar a sua vantagem competitiva global. Nós temos bastante confiança em prever um forte pós- feira em termos de negócios e esperamos um crescimento contínuo em nosso setor . ”

Esta visão encontrou eco em todas as áreas da feira e foi compartilhado igualmente pelos mais de 3.200 expositores, desde produtores de matérias-primas, até processadores e fabricantes de máquinas. Os expositores destacaram particularmente a proporção agora ainda maior de visitantes internacionais e o seu alto grau de especialização, além do fato de que um número desproporcionalmente alto de gestores de alto escalão visitaram a K 2013.

Os cerca de 218.000 visitantes profissionais à K 2013 vieram de mais de 120 países. Werner Matthias Dornscheidt , Presidente e CEO da Messe Düsseldorf , encantado , juntamente com sua equipe, com a excelente resposta à feira, disse : “Mais uma vez, torna-se muito claro que a K é e continua sendo o evento mais importante na indústria de plásticos e borracha ! Este é o lugar onde as novas tecnologias são estreadas, ao lado de  novos desenvolvimentos de tecnologias maduras, e este também é o lugar onde os pedidos de compra são colocadas para essas inovações . Os visitantes estrangeiros à K 2013, em particular, mostraram uma vontade muito alta para investir e um em cada dois visitantes vieram para Düsseldorf com intenções de compra específicas em mente. Mesmo que o tamanho das delegações das empresas compradoras individuais tenha caído ligeiramente, nenhuma empresa que produza ou use produtos de plástico perdeu esta oportunidade para saber mais sobre as inovações de hoje e as tendências do futuro na K 2013 ” .

O evento anterior , em 2010, recebeu 222.486 visitantes e teve a participação de 3.094 expositores.

Os resultados da pesquisa feita com visitantes também sustentaram a visão mostrada pelos expositores de que a participação internacional dos visitantes subiu mais uma vez : 58%, ou seja, 126 mil visitantes profissionais, vieram do exterior . Pouco menos da metade dos visitantes estrangeiros vieram de outros continentes – viajaram para Düsseldorf de lugares tão distantes como Angola , Burkina Faso, Ilhas Malvinas , Iêmen, Malawi , Nepal, Nova Caledônia, Omã, Peru e Turcomenistão. Como esperado , a proporção de visitantes profissionais provenientes da Ásia representou o maior grupo de visitantes estrangeiros – cerca de 30.000 especialistas chegaram a Düsseldorf vindos do Sul e Leste Asiático, assim como da Ásia Central, Oriente Médio e Oriente Próximo. Visitantes da Índia foram mais uma vez o maior grupo, enquanto que o número de visitantes da China, Indonésia, Irã, Japão e Taiwan subiu consideravelmente.

Também apresentando um aumento significativo foi a proporção de visitantes da América do Norte: cerca de 8.100 visitantes foram registrados a partir dos EUA e Canadá – 1.300 a mais do que a K 2010. Em torno de 11.000 especialistas vieram da América Latina, correspondendo a aproximadamente o mesmo número que veio há três anos. Formando o maior contingente, estiveram especialistas do Brasil, México , Argentina e Colômbia.

Outro aumento  também foi observado no número de visitantes da África do Sul , com cerca de 2.000 profissionais.

Entre os visitantes de países europeus vizinhos, a Holanda dominou com 8.000 visitantes , seguida pela França , Bélgica, Grã-Bretanha e Itália. Houve também um aumento perceptível no interesse da Polônia, República Checa e Hungria.

Ao longo de todas as fronteiras nacionais, houve um número desproporcionalmente alto de gerentes entre os visitantes da feira : cerca de dois terços correspondiam a cargos da alta ou média administração. Bem mais da metade desses tem um papel decisivo ou co -determinante nas decisões de investimento de suas empresas. A proporção de visitantes dos setores de pesquisa, desenvolvimento e design também foi considerável.

Soluções para economia de recursos e eficiência energética dominaram muitos lançamentos de produtos e o setor mostrou-se marcado por um desejo de fabricar produtos de forma ambientalmente amigável, porém rentável. O setor de máquina e construção de plantas, o maior segmento em exibição na K 2013 com cerca de 1.900 expositores, também esteve no foco de interesse dos visitantes : pouco menos de dois terços de todos os visitantes entrevistados disseram que, particularmente, queriam reunir informações sobre as inovações nesse setor. Para 42% dos visitantes da feira, as apresentações dos produtores de matérias-primas e auxiliares eram de interesse primordial, enquanto que 22 % direcionaram a sua atenção principalmente para produtos semi-acabados e componentes técnicos feitos de borracha e plástico (várias respostas possíveis). Os visitantes vieram de todos os segmentos usuários principais – desde a construção civil, setor automotivo e embalagem, até o setor elétrico, de aplicações médicas e agrícola. Em geral , os visitantes da K 2013 deram suas melhores notas para a feira : 96% afirmaram ter plenamente alcançados os objetivos de sua visita.

Mostra especial” Kunststoff bewegt – Plásticos movimentam o mundo

Também reunindo grande interesse entre os visitantes de todo o mundo foi a mostra especial da K 2013 intitulada ” Kunststoff bewegt – Plásticos movimentam o mundo” . Esta mostra destacou a contribuição feita pelos plásticos para uma ” vida em movimento “. O objetivo foi abordar a contribuição direta de plásticos para as variadas facetas da mobilidade , bem como o movimento emocional – por exemplo , por meio da arte e design. Questões orientadas para o futuro, girando em torno dos principais temas do crescimento da população, as necessidades de energia e mudanças climáticas também foram discutidas. A abertura do evento, em 16 de outubro, teve a participação do ex- ministro das Relações Exteriores, Joschka Fischer, que discutiu a questão da sustentabilidade.

A próxima K Düsseldorf será realizada de 19 a 26 de outubro de 2016 .

Fonte: Messe Düsseldorf

Curta nossa página no

Braskem e Toyota Tsusho renovam parceria na Ásia

23/10/2013

A Braskem e a Toyota Tsusho, trade company da Toyota Corporation, anunciaram durante a Feira K, em Düsseldorf, Alemanha, a renovação do contrato de distribuição de polietileno verde I’m greenTM na Ásia. O acordo reforça a parceria entre as empresas e reafirma o interesse do mercado asiático pelo produto de fonte renovável, feito a partir do etanol da cana de açúcar. Atualmente, a Toyota Tsusho atende uma gama ampla de clientes na Ásia, especialmente no Japão.

O novo contrato, com validade até 2018, envolve os polietilenos linear, de alta e de baixa densidades, este último fruto do investimento feito neste ano pela Braskem com o objetivo de ampliação do portfólio e atendimento de um maior número de aplicações.

O acordo original entre as companhias foi assinado em 2010, mesmo ano em que a Braskem inaugurou sua unidade de Eteno Verde no Polo Petroquímico de Triunfo com capacidade de produção de 200 mil toneladas e confirmou seu pioneirismo mundial no desenvolvimento do produto.  “A Toyota apoiou o projeto de desenvolvimento do PE Verde, mesmo quando ainda estava em fase de planta piloto, por volta de 2007, e seu papel na expansão do mercado de produtos de fonte renovável na Ásia tem sido muito relevante”, afirma o vice-presidente Poliolefinas, Comperj e Renováveis da Braskem, Luciano Guidolin. No Japão, onde uma grande parte do lixo é incinerada para geração de energia, o uso de produtos de fonte renovável colabora para uma cadeia mais limpa.

Entre os benefícios do polietileno derivado da cana-de-acúcar, está a contribuição significativa para a redução do efeito estufa, já que captura mais de 2 toneladas de CO2 da atmosfera para cada tonelada de produto produzido.  O PE Verde possui propriedades idênticas às do polietileno convencional e sua aplicação tem sido muito valorizada no mercado de cosméticos, bebidas, varejo, embalagens para alimentos e produtos de higiene entre outros.

Fonte: Braskem

Curta nossa página no

A indústria de Plásticos e Borracha demonstra o seu pleno escopo e poder de inovação na feira K 2013, em Duesseldorf, na Alemanha.

21/10/2013

Conservação de recursos e eficiência energética são temas centrais

k_2013Os plásticos e a borracha são exemplos de eficiência. Materiais isolantes feitos de polímeros protegem contra o frio e o calor. Seu uso poupa muito mais petróleo do que é necessário para fabricá-los . a substituição de metal por plástico torna carros e aviões mais leves . A fabricação de automóveis leves economiza combustível e preserva recursos . Pneus feitos com blendas avançadas de borracha reduzem a resistência ao rolamento e o consumo de combustível. Por mais de cem anos, os plásticos e borracha tem estado disponíveis para infinitas novas aplicações, com o poder de inspirar e fascinar. Apenas algumas décadas atrás, os destaques inovadores no setor eram os filmes para embalagem, o revestimento de cabos e as seringas de uso único. Hoje, os destaques são as micromooldagens de cateteres cardíacos ou próteses produzidas por impressão 3D. Além disso , os materiais desempenham um papel fundamental na expansão de fontes de energia renováveis.

A indústria de plásticos e borracha está apresentando o seu pleno escopo e o seu poder de inovação na seu principal feira de comércio global, a K 2013, de 16 a 23 de outubro, em Düsseldorf, na Alemanha. Como Ulrich Reifenhäuser, presidente do Conselho de espositores da K 2013, ressaltou na conferência de imprensa antes da feira : ” Durante meses, os fabricantes de máquinas, produtores de matérias-primas e processadores de todo o mundo estiveram se preparando intensamente para o maior evento no calendário da indústria . Departamentos de desenvolvimento têm trabalhado incansavelmente para ter certeza de que eles vão convencer os visitantes com novos recursos e inovações que atendam às exigências de conservação de recursos e eficiência energética em materiais , máquinas, tecnologias e aplicações . ”

Centro de exposições de Düsseldorf lotado

Mais de 3,2 mil expositores irão apresentar os seus mais recentes desenvolvimentos para todos os setores da indústria na K 2013. O espaço de exposição abrange cerca de 171 mil metros quadrados e o centro de exposições de Düsseldorf está com todas as suas 19 alas lotadas.

O espectro de fornecedores varia desde grandes players globais até pequenas start-ups , e a variedade de produtos vai desde matérias-primas commodities até moldes feitos sob medida ou micropeças . Werner M. Dornscheidt , presidente e CEO da Messe Düsseldorf : “Em nenhum outro lugar do mundo se pode experimentar a amplitude de matérias- primas e tecnologias de processamento e aplicação tão completamente quanto na K, em Düsseldorf. Este é o lugar onde todos os fornecedores de destaque mostram suas inovações revolucionárias, porque este é o lugar onde eles esperam encontrar um público de especialistas altamente internacional . Estou confiante de que haja novamente mais de 200 mil visitantes profissionais de todo o mundo que não vão perder esta oportunidade de estar na K 2013, para experimentar as tendências de hoje, desenvolvimentos para amanhã e visões para o futuro distante . ”

3.200 expositores de 59 países

Os expositores da K 2013 vêm de 59 países . Eles incluem fornecedores da Europa , com um grande número especialmente da Alemanha, Itália , Áustria, Suíça e França. O que é notável é que os países do Sul da Europa, os quais foram duramente atingidos pela crise do euro – como a Itália, Espanha e Grécia -, têm a mesma (ou até maior) presença na K 2013 do que em 2010 .

A indústria alemã de plásticos e borracha representa quase 40 por cento do espaço total, ou seja, 66.497 metros quadrados. Ao mesmo tempo, as mudanças no mercado mundial estão claramente refletidas no K: o número de empresas da Ásia e o espaço de apresentação reservado por elas aumentaram fortemente desde o evento de 2010. O espaço de exposição das cinco maiores países expositores asiáticos da Ásia – China , Taiwan, Índia, Japão e Coreia do Sul – é quase um terço maior ( um pouco menos de 18,8 mil metros quadrados em 2010; quase 25 mil metros quadrados em 2013).

Mostra especial “Plásticos movimentam o mundo “

A diversa gama de produtos e serviços dos próprios expositores será complementada por um programa de apoio abrangente . O show especial já tradicional no hall 6 , este ano intitulado ” Plásticos movimentam o mundo ” , merece uma menção especial . Ele deixa claro quais as contribuições que o plástico pode fazer para uma “vida em movimento”. Neste caso, o termo ” movimento” abrange uma gama muito ampla. Ela inclui não apenas as contribuições diretas que os plásticos fazem para as diferentes facetas de mobilidade, mas também as maneiras pelas quais eles podem “movimentar” no sentido emocional, por exemplo, na arte e design, ou como inspiração para soluções futuras para os grandes desafios do crescimento da população, demanda de energia e mudança climática.

Uma série de palestras de expositores proeminentes também estão explorando o tema do show especial a partir de ângulos diferentes . No dia da abertura, 16 de outubro , o ex- ministro alemão das Relações Exteriores, Joschka Fischer falouo sobre sustentabilidade. Ele foi seguido em 17 de outubro por Bertrand Piccard , a primeira pessoa a voar através dos EUA a partir de San Francisco para Nova York em uma aeronave solar, a sua ” Solar Impulse”, sem usar uma gota de combustível. Um dos destaques do mundo do esporte aconteceu no dia 18 de outubro, com o aparecimento dos campeões olímpicos e mundiais da associação de canoagem mais bem sucedido do mundo, o alemão “Team Kunststoff” .

Forte incentivo para a geração mais jovem

A K 2013 também dá grande ênfase a incentivar os jovens a entrar na profissão . Mais uma vez , houve um programa da kai, a iniciativa de educação em plásticos . Em painéis de discussões, shows com experimentos ao vivo e nos estandes de pesquisa, aprendizes, alunos escolares e universitários estão tendo a oportunidade de experimentar o que é trabalhar com plásticos . Além disso, a Associação Alemã de Engenheiros (VDI) esteve apresentando o Fórum de Estudantes VDI, no domingo, 20 de outubro. E na mostra especial “Plásticos movimentam o mundo”, houve também sessões em domingo, 20 de outubro , intituladas “Os jovens falando com …” para explicar para os jovens que tipos de empregos estão disponíveis na indústria de plásticos e discutir os aspectos ambientais e futuros temas com eles.

Outros destaques do programa de apoio são a estréia do Campus da Ciência, na qual as universidades e institutos de pesquisa estão agrupados em uma única área pela primeira vez para apresentar temas voltados para o futuro , e a conferência DesignChain@K . Também sendo apresentada pela primeira vez, a conferência se direciona a designers e desenvolvedores de diferentes ramos da indústria, oferecendo a oportunidade de aprender sobre os plásticos e as suas possibilidades de design. Outra novidade é a conferência “Eletrônica impressa – Oportunidades para a Indústria de Plásticos” e o PEPSO Pavilion (Produtos e Soluções de Eletrônica Impressa ), com informações sobre o status quo e as perspectivas do tema de inovação sobre eletrônicos impressos .

A K 2013 Düsseldorf está funcionando das 10 da manhã às 18:30 diariamente, de quarta-feira , outubro 16, a quarta-feira, 23 de outubro.

Fonte: Messe Duesseldorf

Curta nossa página no

DSM inova no processamento de poliamidas para filmes soprados

21/10/2013

Segundo a Royal DSM, o potencial da poliamida 6 para filmes soprados para embalagens flexíveis de alimentos é ainda maior com a introdução da sua resina Akulon ® XS. Graças às suas propriedades aprimoradas de cristalização, o Akulon XS possui uma janela de processamento ampliada, oferecendo novas possibilidades no projeto de multicamadas coextrudadas, bem como de estruturas de filmes em monocamada. Os processadores notam melhorias significativas na produção quando utilizam o novo Akulon XS.

À medida que a conscientização sobre a necessidade de redução do desperdício de alimentos e extensão do prazo de validade aumenta, a demanda por filmes-barreira para embalagens flexíveis para alimentos continua a crescer. Muitos filmes-barreira são coextrudados em linhas de filme soprado e estruturas com sete, nove e até onze camadas são agora bastante comuns. Esta tecnologia oferece uma maneira economicamente eficaz para combinar várias funcionalidades, como propriedade de barreira, capacidade de impressão, selagem e resistência ao impacto.

A poliamida 6 é uma opção muito interessante para utilização em tais filmes, devido às suas boas propriedades de barreira e à sua resistência mecânica. No entanto, a elevada taxa de cristalização da poliamida 6 pode limitar a sua janela de processamento. Normalmente, os processadores precisam comprometer a produtividade ou obter uma melhor processabilidade, misturando a poliamida 6 com poliamidas amorfas especiais mais caras ou copolímeros de poliamida. Isso reduz o custo benefício do filme.

Segundo a DSM, a sua resina Akulon XS resolve o problema. Ele se cristaliza de forma muito mais lenta no balão do filme do que a poliamida 6 convencional, de modo que a sua taxa de cristalização iguala-se à de outras camadas de material. Isso cria um balão mais estável e dá aos processadores mais flexibilidade nas suas condições de processamento. O filme também é mais elástico, e por isso, é necessário menos força para atingir a mesma blow-up ratio (BUR – relação de expansão), ou a mesma força pode ser usada para produzir uma espuma com uma BUR entre 7 e 10% maior. Há também menos rugas no filme plano.

Apesar da cristalização mais lenta criar cristais maiores, de onde se poderia esperar um filme menos claro, os testes em linhas de produção em escala industrial  têm mostrado que praticamente não há diferença discernível nas propriedades óticas dos filmes feitos com um filme de poliamida de referência e Akulon XS. Na verdade, todas as propriedades do filme são as mesmas do filme feito com a poliamida 6 padrão.

A DSM fornece Akulon XS aos clientes com um serviço especial de seus técnicos para maximizar as vantagens deste material inovador. A DSM está oferecendo suporte para otimizar o projeto da estrutura dos filmes, baseado em seu Modelo de Cálculo de Estrutura de Filme. Este modelo calcula as propriedades de barreira de diferentes estruturas de filmes, mesmo após o reprocessamento, e permite que os produtores de filme soprado  encontrem a estrutura de camadas e as condições de processamento ideais para o Akulon XS.

A DSM afirma que, com o Akulon XS, fica mais fácil e mais rentável para os processadores fazer filmes de poliamida 6 para embalagens flexíveis de alimentos, aproveitando as características propriedades mecânicas e de barreira da poliamida 6.

Fonte: DSM

Curta nossa página no

Braskem reforça atuação global na Feira K 2013

15/10/2013

Companhia apresenta resultados da estratégia de internacionalização no principal evento mundial da indústria de plásticos e borracha

K_2013_BraskemA Braskem estará presente na Feira K 2013, principal encontro da indústria de plásticos e borracha, que acontece em Düsseldorf, na Alemanha, entre os dias 16 e 23 de outubro. Nesta edição, a participação da Braskem ganha novas dimensões, já que depois de consolidar sua liderança no mercado brasileiro e regional, a companhia vem expandindo sua atuação internacional e hoje conta com plantas industriais no Brasil, Estados Unidos e Alemanha.

A Braskem, em parceria com o grupo mexicano Idesa, é atualmente responsável por um dos maiores projetos da indústria em execução no mundo e que marca o renascimento da petroquímica no continente americano. O complexo que está sendo construído no México terá capacidade de produção de 1,05 milhão de toneladas por ano de polietileno, além de um volume equivalente de eteno. Será um dos primeiros novos projetos petroquímicos a se beneficiarem dos efeitos da grande competitividade trazida pelo gás de xisto (shale gas) nos Estados Unidos. Com um investimento de US$ 3,2 bilhões, a iniciativa faz parte também da estratégia da companhia de diversificação de  suas fontes de matéria-prima.

A trajetória de crescimento e a internacionalização da companhia foi reforçada pela aquisição em 2011 de duas unidades industriais de produção de polipropileno nos Estados Unidos, que garantiu a liderança local no setor, e pela presença da Braskem na Europa, por meio de duas unidades fabris localizadas na Alemanha. No Brasil, a Braskem, que atende a todas as regiões do País, inaugurou em 2012 uma nova unidade de produção de PVC no estado de Alagoas, e expandiu a sua produção de butadieno no Rio Grande do Sul.

Líder mundial na produção de biopolímeros, a Braskem leva para a Feira K o já conhecido Plástico Verde, apresentado na última edição do evento. Nesta edição da feira, a Braskem detalha a expansão do portfólio do polietileno verde I’m greenTM, anunciada em maio desse ano, com o lançamento da nova linha de polietileno verde de baixa densidade (PEBD). A produção anual da nova resina será de aproximadamente 30 mil toneladas e o produto estará disponível para o mercado a partir de janeiro de 2014.  A expansão da linha de produtos renováveis reforça o compromisso da companhia com a criação de valor por meio do desenvolvimento sustentável para a cadeia produtiva do setor, seus clientes e a sociedade, cujos anseios por soluções que contribuam para a redução de emissões dos gases efeito estufa influenciam cada vez mais suas decisões de compra.

Durante a feira K, a companhia também apresenta seu amplo portfólio, resultado da atuação na área de inovação e na busca constante pela inserção da sustentabilidade em seus produtos e processos. Um dos destaques fica por conta da apresentação do conceito da linha Braskem Maxio®, criada para diferenciar as resinas que oferecem maior eficiência e minimizam o impacto ambiental no processo de transformação. Segundo a empresa, seus benefícios estão na redução do consumo de energia com o processamento a temperaturas mais baixas, diminuição do ciclo produtivo, eliminação de etapas e redução no uso de matéria-prima.

Outra apresentação importante é nova resina de polietileno para tampas de bebidas carbonatadas que possibilita a produção de tampas com ótima capacidade de vedação e que mantém as características da bebida envasada. A novidade chega para completar o portfólio de produtos da Braskem para o segmento de bebidas, que conta com resinas de polipropileno e polietileno nos processos de injeção e moldagem por compressão para tampas com ou sem liner.

Fonte: Braskem

Curta nossa página no

Rodadas de negócios do Think Plastic Brazil nas feiras House & Gift e Plastech aceleram geração de resultados

19/09/2013

Export_Plastic_RodadaUm grande número de atividades e negociações foram realizadas nas três rodadas comerciais nos  Projetos Compradores do Think Plastic Brazil, em agosto: na feira House & Gift, em São Paulo, na CNI, também em SP e na feira Plastech, que ocorreu em Caxias do Sul.

Menos de uma semana foi o tempo para que empresas brasileiras e compradores estrangeiros, principalmente da América Latina, fechassem negócio. A primeira a colocar pedido foi a distribuidora de brinquedos Pepeganga, do Uruguai. Federica Muñoz, encarregada de compras da empresa, diz que negociar frente a frente com as empresas brasileiras foi essencial para fechar uma compra com a Giotto. “Ainda estamos analisando os produtos de outras empresas para pedir cotações e avaliar a possibilidade de importar de outras empresas do Brasil”, diz.

Camila Muñoz, da distribuidora colombiana Matec, veio ao Brasil atrás de produtos de cozinha, principalmente. Além de conhecer empresas novas, ela afirma que encontrou um grande mercado fornecedor de produtos de qualidade. Segundo a executiva, uma das vantagens dos produtos brasileiros em relação aos chineses é a flexibilidade na entrega.

O dinamismo das rodadas de negócios foi o que atraiu Jorge Meoño, da distribuidora Hawaii, da Guatemala. “É possível ver muitos produtos nos quais tivemos um interesse muito especial”, analisou, entre uma negociação e outra do Projeto Comprador. “E vamos dar sequência visitando um par de fábricas.”

Proximidade com parceiros de negócio

Percival Landherr, diretor da Ibrapack, conversou com a reportagem do Think Plastic Brazil durante as rodadas do 36º Projeto Comprador, na CNI, em SP. Ele vende produtos bem específicos, que são fechos plásticos para embalagens, e diz que olhar o comprador frente a frente é a melhor forma de negociar. “Tenho expectativa em fechar negócio com um distribuidor convidado para o PC”, afirmou. “Um evento desse é bom para conhecer o parceiro, quem faz o negócio.”

Para Ivan Castex, comprador de embalagens da fabricante de alimentos chilena Carozzi, a proximidade é importante. “No Chile, não temos costume de fazer reuniões assim. Aqui buscamos mais parceiros”, ressalta.

Números:

35º Projeto Comprador – House & Gift: 181 rodadas, 27 empresas brasileiras, US$ 35 mil em negócios no próprio evento, US$ 1,15 milhão em expectativa de negócios para os próximos 12 meses.

36º Projeto Comprador – São Paulo: 80 rodadas, 27 empresas, US$ 3.030.000,00 em expectativa de negócios para os próximos 12 meses.

36º Projeto Comprador – Plastech: 39 rodadas, 13 empresas, US$ 150 mil em negócios no próprio evento, US$ 952 mil em expectativa de negócios para os próximos 12 meses.

Fonte / Foto: Boletim Export Plastic

Curta nossa página no

Dow apresenta soluções em plásticos e novos projetos na K 2013

11/09/2013

k_2013A Dow Chemical Company exibirá suas marcas, tecnologias  e inovações de sua franquia de Plásticos de Performance na K 2013, o maior encontro global da indústria de plástico e borracha que será realizado em Dusseldorf, na Alemanha, de 16 a 23 de outubro.

Usando o tema “Solutionism at K” (Solucionismo na K), a Dow planeja destacar como os novos níveis de inovação e colaboração em importantes mercados e cadeias de valor estão possibilitando soluções revolucionárias em toda a indústria do plástico.

A Dow também exibirá seus projetos globais de crescimento – ou seja, o projeto de joint-venture da Companhia na Arábia Saudita (Sadara Chemical Company), assim como os seus investimentos na Costa do Golfo dos Estados Unidos. Esses investimentos ilustram o compromisso da Dow de atuar em mercados de alta tecnologia e alto crescimento, como o de transporte, infraestrutura, eletrodomésticos, duráveis de consumo, embalagens alimentícias, serviços públicos, saúde e medicina, entre outros.

“A Feira K continua a ser o principal evento global para que possamos destacar como nós somos o parceiro de inovação preferido para os nossos clientes diretos e a cadeia de valor mais ampla em todo o mundo”, afirmou Diego Donoso, presidente do negócio de Embalagens e Plásticos Especiais da Dow. “Os mercados de plásticos continuam numa trajetória de crescimento e os projetos, como o Sadara e nossos investimentos na Costa do Golfo dos Estados Unidos servirão para atender à robusta demanda no futuro.”

Os clientes que visitarem o stand da Dow na K 2013 terão acesso ao Business Center exclusivo da Companhia, onde, entre outras atividades, eles poderão participar de uma variedade de discursos programáticos especiais que terão líderes de pensamento e especialistas da indústria falando sobre tópicos que incluem energia, sustentabilidade e o novo paradigma da recuperação econômica global.

“A nossa participação na K continua a enfatizar o compromisso da Dow com uma maior familiaridade e colaboração da cadeia de valor em toda a indústria do plástico”, afirmou Kim Ann Mink, presidente do negócio de Elastômeros, Elétrica e Telecomunicações da Dow, “É uma tremenda oportunidade de nossos clientes e outros parceiros importantes engajarem-se diretamente com nossos especialistas em marketing e tecnologia de todo o mundo, e ver em primeira mão os últimos avanços impulsionados pelo mercado em inovação de produtos e desenvolvimento de aplicações, e como essas tecnologias estão mudando o cenário da indústria”.

Em 2012, a receita da franquia de plásticos Dow Performance Plastics foi de US$14,5 bilhões. Os negócios que representam a Dow na K incluem os seguintes:

  •  Dow Performance Packaging é uma das maiores franquias de embalagens plásticas flexíveis e rígidas do mundo para o mercado de alimentos e bebidas, assim como para os setores de embalagens industriais e de consumo.
  •  Dow Elastomers é o maior produtor global de elastômeros de poliolefinas, oferecendo o mais amplo portfólio de produtos, e o maior produtor de terpolímero de etileno-propileno-dieno (EPDM) com metaloceno – que serve as indústrias de transporte, infraestrutura, duráveis de consumo e adesivos
  •  Dow Hygiene and Medical produz materiais de alto desempenho para os mercados de higiene pessoal, fraldas infantis e para adultos, assim como embalagens médicas;
  •  Dow Adhesives and Functional Materials fornece aos mercados de etiquetas, embalagens alimentícias e médicas produtos adesivos que melhoram a resistência de adesão com estética aprimorada;
  •  Dow Electrical & Telecommunications é um fornecedor líder global de soluções impulsionadas pela tecnologia para as indústrias elétrica e de telecomunicações;
  •  Dow Polymers for Pipe presta serviços para os sistemas de distribuição de água e gás natural com materiais para tubos que são mais fortes, fáceis de instalar e atendem aos padrões regulatórios.

Outras promoções planejadas incluem demonstrações sobre as linhas de fabricantes líderes de máquinas em toda a feira, permitindo que os clientes vejam, de primeira mão e de perto, as últimas vantagens em processamento e desempenho dos produtos de próxima geração da Dow.

A Dow também será a anfitriã de uma série de apresentações técnicas em sua exposição no piso da feira, com especialistas técnicos e de marketing que falarão sobre tópicos que incluem sustentabilidade, desempenho da aplicação de produtos, tendências do mercado e design de embalagens, entre outros.

A Dow participará da K 2013 no estande K48 do Hall 8a, próximo à entrada norte do local da feira da Messe Dusseldorf.

Fonte: Dow

Curta nossa página no

Expo PLAST na Embala Nordeste se consolida como a maior feira regional do setor plástico no Nordeste

04/09/2013

expo_plast_2013Durante a Embala Nordeste 2013, além das tradicionais áreas de embalagens e processos, os visitantes também puderam conferir os segmentos representados pela Expo Plast, evento simultâneo que apresentou toda a cadeia produtiva do plástico

Este segmento ocupou, este ano, nada menos que 30% do espaço da feira realizada na semana passada, no Centro de Convenções de Pernambuco.

Grandes marcas nacionais e internacionais marcaram presença. “Os resultados foram excelentes. Tanto em negócios como em contatos. E ainda tivemos a Arena do Conhecimento que contribuiu muito para o setor. A Greenfield está de parabéns por ter aglutinado tantas empresas importantes para o setor”, disse o presidente do Sindicato da Indústria do Plástico de Pernambuco – Simpepe, Valter Câmara.

O vice-presidente da Federação das Indústrias de Pernambuco- Fiepe e empresário do setor, Anísio Coelho, ressaltou o êxito da Expo Plast dentro da Embala Nordeste. “Foi um espaço importantíssimo de geração de negócios e de novos contatos. Destacaria também o acesso à novas tecnologias como um ponto forte da feira”.

Também empresário do setor plástico e diretor-financeiro da Fiepe, Felipe Coelho acrescenta: “Boa parte da indústria do plástico pernambucana ainda está defasada. Num evento como este é possível encontrar equipamentos com tecnologia de ponta para todos os portes de empresa. Isso aumenta a competitividade e a lucratividade. Por isso a feira é extremamente importante, não só para Pernambuco como para toda região”, destaca o líder empresarial.

Quem explica essa penetração regional é o diretor da Greenfield, Luiz Fernando Pereira. “Além da forte presença dos fabricantes de equipamentos, sistemas, periféricos e moldes, do sul e sudeste no segmento plástico, destacaram-se na Embala 2013 expositores de embalagens e máquinas dos estados de Alagoas, Ceará, Paraíba e Pernambuco. Bem mais do que o registrado em edições anteriores, confirmando que a Semana Industrial Embala Nordeste é um evento de todo o nordeste e não só do estado de Pernambuco”.

Alagoas e Ceará montaram grandes estandes e conseguiram um destaque ainda maior para as empresas instaladas por lá. “Alagoas é um Estado pioneiro na participação em feiras de negócios no setor químico e plástico e que vem participando dos grandes eventos nacionais divulgando seus atrativos. Temos participado da Embala há várias edições. Ficamos encantados com a pujança da feira que está cada vez maior. Ótima oportunidade para mostrar nossos atrativos como a política fiscal, creditícia e locacional específica para o setor. Além disso, sempre procuramos ter sinergia com o setor produtivo e as instituições que representam estes setores”, disse o secretário de Estado do Planejamento e do Desenvolvimento Econômico, Luiz Otavio Gomes. Alagoas, hoje em dia, detém três plantas da Braskem, é a maior fabricante de resina para PVC da América Latina.

O Ceará também esteve representado por empresa e entidades como Aarom, BS Pet, Bobpack, DCDN, In´traplast, Kibo, Marcoprint, Mil Plastic, Plásticos Lumar, Plastec – CE, Plastsan, Sindquímica CE  e Sindiverde CE.

Dados do evento em 2013: Da matéria prima ao produto acabado, a feira reuniu mais de 200 marcas expositoras do setor plástico, entre elas as principais fabricantes de máquinas, periféricos, matérias primas e componentes.

Novidade em 2013 Villa UD: Ilha de Utilidades Doméstica. Concentrando grandes fabricantes de Utilidades Domésticas, a região nordeste do Brasil desperta sua vocação em manufatura de produtos plásticos como: Cadeiras, Mesas, Brinquedos, Cabides, Canecas, Squeezes, Bacias, Balde, Mangueiras, Peças Automotivas, entre outros.

A estreia da Villa UD na Expo Plast 2013 ampliou as oportunidades de negócios com os tradicionais expositores da feira, gerando mais canais de relacionamentos e negócios.

A Expo Plast 2013 apresentou também a Casa do Plástico, inciativa das entidades ABIPLAST, ABIEF e AFIPOL, o espaço GREEN EXPO com expositores focados em sustentabilidade e meio ambiente, conferencias e muitos outros atrativos.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Embala Nordeste

Curta nossa página no

Plastech Brasil 2013 confirma expectativa de geração de negócios e lançamento de tendências

02/09/2013

Desempenho de mercado e perspectiva de inovações em sustentabilidade motivam interesse de retorno em 2015

plastechbrasil_foto_1Os números oficiais serão divulgados nos próximos dias, tão logo se conclua a tabulação de uma extensa pesquisa efetuada pelo Sindicato das Indústrias de Material Plástico do Nordeste Gaúcho (Simplás) com os participantes da Plastech Brasil 2013 – com o objetivo, principalmente, de auferir perspectivas. Contudo, ao final de quatro dias da quarta edição do evento, dois indicativos já se tornaram possíveis de detecção entre alguns dos cerca de 250 expositores: satisfação com os negócios gerados e desejo de voltar em 2015.

É o caso da paulista H3 Polímeros, que fez sucesso com a idéia de reaproveitar meias-calças descartadas para produzir novas resinas. Foi a primeira participação na Plastech Brasil e já há a ideia de se retornar daqui a dois anos.

“Esperamos que nos próximos seis meses as vendas resultantes desta feira superem os R$ 2,5 milhões só em Caxias. Nosso objetivo era apresentar o novo conceito de poliamida 6 e 66 no nosso foco – os setores moveleiro e automobilístico – o que foi atendido”, avalia Eduardo Korkes, da área comercial. Ele calcula em torno de 60 contatos mantidos durante a feira. A H3 Polímeros tem sede em Bom Jesus dos Perdões (SP).

A Cristal Master é um exemplo da rapidez de resultados em tratativas mantidas durante a feira, as quais, pelas dimensões que adquirem, normalmente levariam meses para se concretizar. O consultor de negócios, Evandro Venceslau, encontrou uma série de possibilidades de contatos e enxergou na feira um expressivo caráter regional. A empresa de Joinville (SC), que trabalha com Masterbach, Aditivos, Tingimentos Técnicos e Compostos, executou a primeira venda de um de seus produtos na feira. “Fechamos projetos significativos na linha de bactericidas. Fechamos o primeiro negócio de um antimicrobiano de zinco aqui na feira” aponta.

Empresas locais também comemoram os contatos estabelecidos, mesmo que, para muitas, os negócios só se concretizem no período posterior à feira. O diretor da JR Oliveira, Gelson de Oliveira, afirma que especialmente na quarta (28) e quinta-feira (29), a movimentação foi grande e houve contato com clientes em potencial, especialmente da área automobilística e de eletrodomésticos. A empresa trabalha no ramo de fabricação de moldes e injeção de plásticos.

Mesmo quem tinha ideia de apenas fazer contatos na feira conseguiu faturar. Gerente de vendas da Qualiterme Equipamentos de Refrigeração, de Novo Hamburgo, Neimar Holz conta que foram negociadas quatro máquinas de resfriamento de água. Média de uma para cada dia de feira.

“Feira é para se fazer contatos, mas, mesmo assim, tivemos vendas. A visitação nos dois últimos dias foi muito boa”, avalia Holz.

Público bastante interessado e ansioso para sanar dúvidas – foi a impressão que ficou para os expositores da Polimold. No estande da empresa de São Bernardo do Campo (SP), além de se manter contatos com clientes, foi possível abrir novos relacionamentos. “Nossa primeira participação foi até melhor do que pensávamos”, avalia o representante comercial da Polimold no Rio Grande do Sul, Marcelo Tomazoni.

Até para quem tinha pouca experiência em feiras, a avaliação é positiva. Caso da Microjet, cujos expositores esperam retornar daqui a dois anos. “Saímos muito satisfeitos. Foi uma feira bem focada e até vendemos uma máquina durante o próprio evento”, afirma o expositor Alexandre Dal Colletto.

“A Plastech Brasil é hoje um vetor de negócios e inovação”

Na avaliação do presidente da Plastech Brasil, Orlando Marin, o desempenho da feira organizada pelo Simplás pode ser considerado exitoso desde a origem, quando superou um quadro de cancelamentos no mercado.

“Fizemos um evento bem organizado, com inovações, com tecnologia, um evento limpo. Com o Recicla Plastech Brasil, reaproveitamos o plástico descartado durante a montagem e a própria feira. Chegamos a 40% de novos expositores, do nosso total de 250. Trouxemos mais de 400 marcas. Tivemos dois módulos de rodadas de negócios: um para micro e pequenos empresários, outro com compradores de Estados Unidos, Chile e Colômbia. Aos poucos, as pessoas vão se convencendo de que a Plastech Brasil é uma feira em que não se pode deixar de expor”.

Um depoimento significativo partiu do consultor João Luiz Zuñeda, da emprea MaxiQuim, que estuda e desenvolve projetos para a cadeia plástica, petroquímica e de borracha:

“A Plastech Brasil é um vetor de negócios e tendências cada vez mais importante para o Rio Grande do Sul e o Brasil. Aqui se está falando em reciclagem energética, em competitividade, está se propondo um debate totalmente novo, com olhar de negócios. A Plastech Brasil está levando a público uma discussão que ainda nem está clara no restante do país. Está ultrapassando o mercado”.

Presidente da feira, Orlando Marin apontou possíveis tendências de tecnologias, processos e ideias, cujo surgimento o mundo deve testemunhar muito em breve:

“O plástico, a química e a petroquímica provocarão uma revolução no uso de materiais – os mais diversos. Há coisas fantásticas sendo testadas no mundo, como novos compósitos. Carros feitos quase totalmente de plástico, que chegam a ficar 700 quilos mais leves, o que significa que se tornarão mais econômicos e menos poluentes. Temos blocos de motores sendo desenvolvidos com resinas sintéticas…”.

Em uma última análise, Marin deu pistas da linha de pensamento que deve pautar realizadores, expositores e visitantes da quinta edição da Plastech Brasil, em 2015:

“O que era novidade há 15 ou 20 anos, hoje é comum. Só que não vamos esperar mais 20 anos para criar outra novidade. As fontes de recursos do planeta estão em vias de esgotamento. Temos de nos preocupar muito com isso”.

Sobre a Plastech Brasil:  A Plastech Brasil é uma das principais feiras setoriais do país organizada por um sindicato de classe. Em 2013, a quarta edição do evento bienal realizado pelo Sindicato das Indústrias de Material Plástico do Nordeste Gaúcho (Simplás) ocupa os Pavilhões da Festa da Uva, em Caxias do Sul, de 27 a 30 de agosto, das 14h às 21h.

Ao todo, são mais de 400 marcas em exposição e 25 mil visitantes esperados na feira de Tecnologias para Termoplásticos e Termofixos, Moldes e Equipamentos. Os segmentos expostos na Platech Brasil incluem matérias-primas e produtos básicos, máquinas, equipamentos e acessórios, moldes e ferramentas, instrumentos, controle e automação, transformadores de plástico, serviços e projetos técnicos, publicações técnicas, entidades e instituições.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Plastech Brasil (créditos da foto: Pauline Gazola)

Curta nossa página no

Projeção de quase R$ 400 milhões em investimentos na indústria de transformação movimenta Plastech Brasil 2013

26/08/2013

banner_plastech_460_60

De 27 a 30 de agosto, feira de Tecnologias para Termoplásticos e Termofixos, Moldes e Equipamentos ocupa Pavilhões da Festa da Uva, em Caxias do Sul. Usina de reciclagem operando na própria exposição é uma das grandes atrações

Uma das principais feiras setoriais do país organizada por um sindicato, a Plastech Brasil chega a 2013 com um impulso de fôlego do mercado: a expectativa de investimentos de quase R$ 400 milhões em máquinas e equipamentos pela indústria da transformação do Rio Grande do Sul, só neste ano. A quarta edição do evento realizado pelo Sindicato das Indústrias de Material Plástico do Nordeste Gaúcho (Simplás) ocupa os Pavilhões da Festa da Uva, em Caxias do Sul, de terça (27) a sexta-feira (30), das 14h às 21h.

Ao todo, são mais de 400 marcas em exposição e 25 mil visitantes esperados na feira de Tecnologias para Termoplásticos e Termofixos, Moldes e Equipamentos. Os segmentos expostos incluem matérias-primas e produtos básicos, máquinas, equipamentos e acessórios, moldes e ferramentas, instrumentos, controle e automação, transformadores de plástico, serviços e projetos técnicos, publicações técnicas, entidades e instituições.

Para 2013, estima-se que aproximadamente R$ 370 milhões sejam investidos pelo segmento plástico do Rio Grande do Sul em novas máquinas e equipamentos, conforme levantamento dos sindicatos locais junto a associados. Considerando-se o total de 481 empresas da Serra Gaúcha, é possível projetar um aporte de mais de R$ 170 milhões só na região sede da Plastech Brasil, que concentra mais de 40% de todo plástico transformado no estado e gera mais de 13 mil empregos diretos, utilizando mais de 4 mil unidades de máquinas e equipamentos.

“Num momento de tantas incertezas no mercado, tivemos a felicidade de ver consolidada uma feira que desde sua idealização, há mais de meia década, é organizada diretamente pelos próprios empresários que vivem o dia a dia do segmento plástico. O Simplás sempre esteve preocupado em proporcionar investimentos minimizados para a locação de espaços, serviços diferenciados e, principalmente, a oportunidade para geração de negócios. Independentemente de tamanho e de onde estão localizadas as empresas expositoras, seja no Brasil ou Exterior”, comenta o presidente da Plastech Brasil e diretor do Simplás, Orlando Marin.

O Rio Grande do Sul, onde ocorre o evento, é o detentor do segundo lugar no ranking nacional da indústria da transformação, com 1.316 empresas, o equivalente a 11,3% da capacidade instalada em todo o Brasil. É o terceiro na geração de empregos, com 30.595 trabalhadores, correspondendo a 8,8% dos contratados do país – os dados são do perfil 2012 da Associação Brasileira da Indústria do Plástico (Abiplast).

Marin destaca que o BNDES sinaliza com até R$ 100 bilhões em crédito para compra de máquinas e equipamentos em 2013. No ano passado o valor não chegou a R$ 45 bilhões. Só de janeiro a maio deste ano, as liberações para a linha Finame já cresceram mais de 50%.

Entre as empresas que responderam a uma pesquisa inédita do Simplás, ainda no início do ano, 96% não cogitam qualquer possibilidade de redução e 51% delas projetam crescimento médio de 4,74% em 2013. “Tem outro dado muito importante aí: 93% das empresas trabalham com maquinário nacional. Isso é investimento que alimenta a nossa própria indústria”, observa Marin.

Recicla Plastech Brasil, Espaço Happy Business e oportunidades em nível internacional concentram expectativa

Em 2013, a Plastech Brasil receberá a única edição das rodadas de negócios internacionais do Projeto Comprador realizado pelo programa Think Plastic Brazil fora de São Paulo. Com apoio da Agência Brasileira de Promoção das Exportações (Apex-Brasil), cinco compradores internacionais com foco em embalagens serão aproximados de empreendedores brasileiros.

Para o mercado interno está prevista a ampliação das rodadas de negócio promovidas pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae).

“A expectativa de geração de negócios chega a uma média de aproximadamente R$ 4 mil por m² locado, a partir de um levantamento realizado com os participantes da feira em 2011. Se levarmos em conta que a Plastech Brasil 2013 trabalha com previsão de crescimento, podemos concluir que a vitrine é interessante para o expositor”, avalia o diretor executivo do Simplás, Zeca Martins.

Os organizadores, contudo, decidiram ir ainda além em 2013. Cientes de que muitos dos participantes desejam aproveitar todo período disponível em Caxias do Sul para gerar novos contratos, criaram o Happy Business. Um espaço exclusivo, de maior conforto, com opções de alimentação, vinho da Serra Gaúcha e música ambiente. Para estreitar relações e fechar negócios após o horário de encerramento da feira, sem sair do pavilhão de exposições.

Uma novidade em particular merece carinho especial dos organizadores. O Recicla Plastech Brasil propõe a conscientização ambiental e de uso racional da matéria plástica desde os primeiros anos de educação e erguerá uma usina de reciclagem em pleno pavilhão de exposições, num estande de 220m2. O objetivo é traduzir ao público em geral o processo de reciclagem dos diversos tipos de plástico e o que pode ser produzido a partir da utilização de resinas recicladas.

“Atualmente, o grande volume de lixo do mundo é produzido pela própria sociedade. A indústria, de sua parte, reaproveita tudo o que pode, afinal, desperdício é sinônimo de prejuízo. Hoje, o que requer uma mudança de comportamento é a produção e descarte de lixo doméstico”, sublinha o presidente da Plastech Brasil e diretor do Simplás, Orlando Marin.

Coordenadora da Plastech Brasil e uma das idealizadoras da iniciativa inédita no sul do Brasil, Célia Marin enfatiza o caráter extensivo do Recicla Plastech Brasil, que terá ações de continuidade além da feira, no sistema público de ensino.

“Estaremos divulgando o conceito de sustentabilidade, mostrando que os impactos ambientais e sociais podem ser minimizados quando se trabalha de forma responsável, engajando as pessoas e o meio ambiente. Durante a feira, serão produzidos 5,7 mil banquinhos com matéria-prima totalmente reciclada, que posteriormente serão doados a 30 escolas infantis da rede pública municipal de Caxias do Sul”, revela.

A Plastech Brasil conta com os apoios de Sindicato das Indústrias de Material Plástico do Estado do Rio Grande do Sul (Sinplast), Sindicato das Indústrias de Material Plástico do Vale dos Vinhedos (Simplavi), Associação Brasileira da Indústria do Plástico (Abiplast), Associação Brasileira da Indústria de Embalagens Plásticas Flexíveis (Abief), Associação Brasileira da Indústria de Ferramentais (Abinfer), Associação Latino-Americana de Materiais Compósitos (Almaco), Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq), Associação Brasileira dos Distribuidores de Resinas e Bobinas Plásticas de BOPP e BOPET (Adirplast), Associação Brasileira dos Importadores de Máquinas e Equipamentos (Abimei), Sindicato das Indústrias de Resinas Plásticas (Siresp), Instituto Nacional do Plástico (INP), Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (Sistema Fiergs), Câmara de Indústria, Comércio e Serviços (CIC) de Caxias do Sul, Prefeitura Municipal de Caxias do Sul e Governo do Estado do Rio Grande do Sul.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Plastech Brasil

Curta nossa página no

NPE 2015: Número recorde de seleções de espaço para exposição no “pré-sorteio” da SPI é sinal antecipado de uma feira grande e movimentada

06/08/2013

69 expositores de longa data na NPE ganharam 18,5% mais espaço do que no Pré-sorteio da última NPE. O maior estande da história da NPE é da Milacron

NPE2015-LogoCom 20 meses ainda faltando para a exposição internacional de plásticos NPE2015, 69 expositores de longa data na NPE se comprometeram com a aquisição de 1/5 do espaço total antecipado para a exposição e atingiram um novo recorde na seleção adiantada de espaço, conforme anunciado hoje pela SPI: Plastics Industry Trade Association, que realiza a NPE a cada três anos.

A seleção ocorreu em julho em um “Pré-sorteio” especial, que permitiu às empresas que expuseram em pelo menos 16 das últimas 27 NPEs escolher antecipadamente o espaço antes do evento de Sorteio de espaço, que acontecerá em fevereiro de 2014. As 69 empresas se comprometeram com a compra de 16.685 m² reais de espaço de exposição, o que equivale a 18,5% mais do que o total do Pré-sorteio da NPE2012.

Uma expositora, a Milacron Inc., escolheu um espaço de 2.285 m², que será o maior estande da história da NPE. “A Milacron está animada para expor na NPE2015”, disse Shawn Reilley, vice-presidente de vendas e marketing da Milacron Group para a Global Plastics Machinery. “Temos diversas iniciativas altamente inovadoras a caminho e que serão apresentadas em nosso estande, e temos a sorte de poder compartilhar nosso espaço com novos e antigos parceiros do setor de plásticos. A  Milacron tem uma grande história para contar, e decidimos que precisamos de uma grande área para contá-la corretamente.”

Além das empresas que escolheram o espaço para exposição, outras empresas, dentre elas a Formosa Plastics Corp. e a LyondellBassell, selecionaram amplos centros de atendimento ao cliente ou áreas de demonstração em salões nas adjacências da área de exposição. Combinados com o espaço para exposição, essas aquisições aumentaram o espaço total escolhido no Pré-sorteio para 20.215 m².

Resultados do pré-sorteio anunciam “Nova era de crescimento” no setor de plásticos

“Os resultados do pré-sorteio refletem uma crescente confiança na economia e na força otimizada da NPE após o sucesso da exposição de 2012”, disse William R. (Bill) Carteaux, presidente e CEO da SPI. “Agora, há um amplo consenso de que nossa indústria encontra-se equilibrada para uma nova era de crescimento e que precisa mais do que nunca da NPE como um lugar de demonstração de tecnologia e um centro de negociação para empresas de plástico das Américas, da Europa e da Ásia.”

Outro fator na grande aquisição de espaço que ocorreu no Pré-sorteio da NPE2015 foi a resposta predominantemente positiva dos expositores ao recinto de exposições de Orlando, Flórida, que era novidade na NPE2012 e se repetirá na NPE2015. “A cidade de Orlando e o Orange County Convention Center ofereceram aos expositores e aos participantes da NPE2012 vantagens logísticas e de custos em relação ao nosso local anterior”, disse Gene Sanders, vice-presidente sênior da SPI para feiras comerciais e conferências. “Além disso, a localização estratégica de Orlando para visitantes de mercados de rápido crescimento na América Latina mostrou-se valiosa para muitos expositores.”

Tanto no Pré-sorteio como no Sorteio de espaço que ainda irá acontecer, a SPI utiliza um sistema projetado para garantir imparcialidade na alocação de espaço. A SPI concede prioridade de escolha de acordo com o número de NPEs anteriores em que a empresa expôs e se ela é ou não membro da SPI. Dentro de cada categoria de prioridade, a ordem em que o espaço é selecionado pelas empresas é determinada por um sorteio aleatório.

Espera-se que quase 1.000 empresas participem do Sorteio de espaço, que ocorrerá entre 19 e 21 de fevereiro de 2014 no Rosen Shingle Creek Hotel, Orlando, Flórida. Esse evento também inclui workshops educativos sobre planejamento, operações de feiras comerciais e marketing. Toda a equipe da NPE, contratadas do setor de feiras comerciais e propriedades locais de Orlando estarão prontas para ajudar os expositores com estratégia, planejamento e pedidos para a feira. As inscrições para participar do Sorteio de espaço serão publicadas em www.npe.org/spacedraw nas próximas duas semanas.

A planta da NPE2015, com informações sobre os estandes escolhidos pelos expositores até agora e sobre o espaço ainda disponível, está publicada em www.npe.org/show-floor-plan.

Sobre a NPE: A NPE é uma exposição internacional de plásticos que ocorre a cada três anos e é realizada e de propriedade exclusiva da SPI: The Plastics Industry Trade Association. A NPE2015 ocorrerá de segunda a sexta-feira, 23 a 27 de março de 2015, no Centro de Convenções de Orange County em Orlando, Flórida. A NPE2012 teve 1.933 expositores, 40% dos quais eram de fora dos EUA. O evento atraiu 55.359 participantes, 26% dos quais eram visitantes internacionais.

Fundada em 1937, a SPI: The Plastics Industry Trade Association promove o crescimento no setor de plástico dos EUA. Representando quase 900 mil trabalhadores americanos no terceiro maior setor de fabricação dos EUA, a SPI fornece aconselhamento jurídico, pesquisas de mercado, promoções da indústria e o estímulo a relações comerciais e estratégias de desperdício zero.  Desde fornecedores de resina e fabricantes de equipamentos a processadores e proprietários de marcas, a SPI representa todas as facetas do setor de plásticos dos EUA. A SPI também produz a feira internacional NPE. Todos os lucros da NPE são reinvestidos nos serviços da SPI à indústria.

Fonte: Martino Communications / SPI

Curta nossa página no

Feira K na Alemanha terá mostra especial intitulada “Os plásticos movimentam o mundo”

22/07/2013

O material fornece a resposta para os desafios presentes e futuros

k_2013Os plásticos movimentam o mundo – especialmente quando se conectam com os principais desafios enfrentados pela nossa sociedade moderna. Incrivelmente versátil, leve, seguro, durável, econômico e impressionantemente eficiente em termos de energia – com a sua multiplicidade de propriedades positivas, os polímeros são indispensáveis na maioria das áreas de nossas vidas diárias. E as histórias de sucesso do material estão longe de acabar, à medida que ele penetra novas áreas de aplicação o tempo todo. Os plásticos movimentam nossas vidas, então, tanto no sentido figurado e literal. Cerca de 3,1 mil expositores irão documentar esse enorme potencial na K 2013, a maior feira internacional de plásticos e borracha, que começa em 16 de outubro e termina no dia 23 do mesmo mês, em Düsseldorf / Alemanha. Exposições selecionadas também serão apresentadas em uma mostra especial com o título “Os plásticos movimentam o mundo” (“Plastics move the world”). Elas ilustram as muitas melhorias já atribuídas a produtos plásticos hoje e a sua potencial contribuição para os desafios futuros, por exemplo, protegendo os recursos globais no futuro.

A mostra especial no hall 6 terá uma abordagem ampla sobre o significado da palavra “movimentar”. Ela inclui não apenas as contribuições diretas dos plásticos para diversas áreas da mobilidade, mas também aspectos emocionais como, por exemplo, seu efeito sobre a arte e design e seu potencial para resolver problemas futuros, tais como o crescimento demográfico, aumento do consumo de energia e mudança climática. Como de costume, a mostra especial será realizada em uma área especial que proporciona uma combinação de elementos de informação, interação e exibição.

O foco será em cinco áreas temáticas que representam as vastas aplicações e propriedades de materiais poliméricos. O lema “Os plásticos movimentam – pessoas”, por exemplo, concentra-se na mobilidade pessoal com a ajuda de carros, trens, transporte públicos e aeronaves, bem como sobre a mobilidade de pessoas portadoras de deficiência, que se beneficiam do avanço contínuo de meios modernos. A sustentabilidade de produtos de plástico é levada em conta por todas as áreas temáticas.

Aspectos emocionais também são considerados. Materiais poliméricos frequentemente movem as pessoas nos esportes ou na arte – em ambas as categorias, a mostra apresenta exemplos surpreendentes do potencial dos plásticos. Isso também diz respeito a esportes competitivos, esportes para portadores de deficiência e de lazer. Sem materiais poliméricos, o design moderno não seria possível. Estes materiais podem ser encontrados em teatros, museus, bem como na arquitectura.

Inovações e desenvolvimentos visionários são apresentados em “Os Plásticos movimentam – o futuro”, uma seção especial da mostra. Isso inclui o viver com eficiência energética, bem como futuras aplicações médicas, tratamento de água e fornecimento de alimentos para uma população mundial crescente. Materiais poliméricos atuam como versáteis solucionadores de problemas em muitas áreas de aplicação.

Além das apresentações, a mostra especial também apresenta palestras VIP, bem como painéis diários de discussão (exceto domingo e último dia da exposição) com especialistas da ciência e da indústria. No segundo dia da feira, Bertrand Piccard, pioneiro de renome no campo de aeronaves movidas a energia solar, vai apresentar o seu projeto. Seu avião Solar Impulse está atualmente finalizando a sua missão mais longa, cruzando os EUA a partir de San Francisco para Nova York utilizando apenas energia solar. Em 2015, ele pretende completar um vôo ininterrupto ao redor do mundo com um avião movido a energia solar.

O painel diário de discussões também irá lidar com questões complexas, tais como os detritos marinhos, que ameaçam os oceanos e costas. Devido ao fato de que estas discussões são frequentadas por visitantes e expositores internacionais da K 2013, elas serão conduzidos alternadamente em Alemão e em Inglês. A tradicional mostra especial “Dia da Juventude” (“Youth Day”) será realizada no domingo, 20 de outubro. Este evento contará com vários painéis de discussão entre jovens adultos e cientistas de alto nível, além de representantes da indústria de plásticos.

A mostra especial vai fornecer informações interessantes, não somente para os expositores e especialistas que visitam a K 2013, mas também para um público mais amplo. Este evento se soma às apresentações feitas pelas empresas expositoras, na medida em que proporciona aspectos pioneira e inovadores e promove a posição especial da K Düsseldorf como uma indicadora de tendências e de fórum de inovação para toda a indústria. A mostra é organizada pela indústria do plástico alemã, sob a égide da PlasticsEurope Deutschland eV e da Messe Düsseldorf.

Fonte: Messe Duesseldorf

Curta nossa página no

A Braskem e IAB-Alagoas lançam o concurso Casa PVC

12/07/2013

A Braskem e o Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB), Departamento Alagoas, lançaram no último dia 10 de julho, Concurso Público Nacional de Arquitetura para a elaboração do projeto de uma casa, cujos elementos construtivos sejam prioritariamente os plásticos, e em especial, o PVC. As inscrições  estão abertas até o dia 9 de agosto. Os projetos devem ser enviados ao IAB do dia 28 de agosto até o dia 06 de setembro.

O concurso faz parte das comemorações da inauguração da primeira unidade de PVC em Alagoas, em 1988. Um dos seus objetivos é dar visibilidade para novas tecnologias aplicadas na construção civil, incorporando  os conceitos de habitação sustentável global. A utilização do Concreto de PVC como matéria prima para o projeto se configura como o grande diferencial no atendimento de requisitos como durabilidade e conforto térmico, sendo ainda, o PVC um material reciclável.

O júri será composto por arquitetos indicados pelo IAB e pela Braskem. A premiação total será de 18 mil reais, sendo 10 mil reais para o 1º colocado, 5 mil reais para o  segundo colocado e 3 mil reais para o terceiro colocado. O resultado do concurso, que terá abrangência nacional, será divulgado no dia 23 de setembro e a solenidade de premiação será no dia 30 de setembro. Os trabalhos vencedores serão objeto de uma exposição aberta ao público, em local ainda não definido.

Para Rafael Tavares, Presidente IAB AL: “A realização de concursos públicos para projetos executivos é uma ação que merece todo apoio e envolvimento do IAB, visto que esta não é uma prática corrente. Outra questão importante é a possibilidade de estimular os profissionais do setor para a incorporação de novas tecnologias em seus projetos”. Para Milton Pradines, Gerente de Relações Institucionais da Braskem, “o concurso é mais uma ação de divulgação do PVC  produzido em Alagoas e que é utilizado em larga escala na construção civil”.

Para Marco Aurélio Campêlo, Gerente da Planta de PVC da Braskem em Alagoas, o “estado é o maior produtor de PVC da América Latina e devemos estimular toda e qualquer ação que dê visibilidade ao produto. Além disso, o país convive um alto déficit habitacional e o PVC é uma das melhores alternativas para utilização nas construções habitacionais”.

As informações sobre o concurso estão disponíveis no site: www.casapvcbraskem.iabal.com.br

Fonte: Braskem

Curta nossa página no

Simplás apresenta pesquisa setorial inédita nesta segunda-feira (10/06)

10/06/2013

Reunião-janta também trará detalhes de programa de incentivo estadual e balanço da presidência de Orlando Marin

Pela primeira vez, o Nordeste Gaúcho – região que concentra 60% da transformação de plásticos no terceiro maior polo do setor no Brasil – ganha um retrato de momento a partir das informações e percepções dos próprios empresários. Uma pesquisa quantitativa e qualitativa inédita traçando o perfil econômico e produtivo das empresas na área de cobertura do Sindicato das Indústrias de Material Plástico do Nordeste Gaúcho (Simplás) será apresentada nessa segunda-feira (10), durante a tradicional reunião-janta da entidade. O encontro começa às 20h, na Câmara de Indústria Comércio e Serviços (CIC) de Caxias do Sul.

Tamanho e estrutura da maioria das empresas, perspectivas atuais de mercado e futuras para o setor plástico, principais ramos de atividade e clientes, modelos de produção, consumo de resinas e energia e, principalmente, a estimativa de investimento em máquinas e equipamentos para 2013 – em um segmento que é o terceiro maior empregador industrial do país.

“Tivemos algumas surpresas muito positivas. Constatamos uma forte expectativa de crescimento do setor e uma disposição de movimentar a economia, de não ficar parado. Basta ver a estimativa de investimentos, que proporcionalmente passa dos R$ 250 milhões”, avalia o diretor executivo do Simplás, Zeca Martins.

A diretora da empresa Competitive, responsável pelo levantamento, Elisete Bertollo fará a apresentação dos resultados.

A reunião ainda terá uma apresentação de João Luiz Zuñeda, diretor da consultoria Maxiquim, abordando o trabalho setorial desenvolvido entre entidades dos segmentos plástico, petroquímico e de borracha em parceria com o Governo do Estado, para identificar necessidades e oportunidades de mercado e promover a inovação tencológica. Zuñeda também falará das perspectivas para o segundo semestre.

Para finalizar, Orlando Marin fará um balanço dos nove anos à frente da presidência do Simplás, com destaque aos avanços e conquistas no período.

Fonte: Simplas

Curta nossa página no

Expositores comemoram vendas realizadas durante Feiplastic 2013 e indústria têm encomendas programadas até o final de 2013

03/06/2013

ExpositorFeiplastic_2es que chegaram a vender até 60 máquinas, ou com faturamento de R$ 15 milhões em cinco dias de feira. Este é o balanço positivo da FEIPLASTIC 2013 – Feira Internacional do Plástico, encerrada no dia 24 de maio. Estandes lotados e satisfação de visitantes e expositores deram a tônica do evento, no Pavilhão de Exposições do Anhembi. “Muitos já venderam o suficiente para reservar a produção até o final do ano”, relata Wilson Carnevalli, diretor da Carnevalli e presidente da Câmara Setorial de Máquinas e Acessórios para a Indústria do Plástico (CSMAIP) da Abimaq.

Durante a FEIPLASTIC, os 69.150 mil visitantes percorreram 85 mil m² do Anhembi em busca de inovação, lançamentos e alta tecnologia aliados à sustentabilidade de 673 empresas e 1402 marcas. De acordo com Liliane Bortoluci, diretora do evento, “a feira superou as expectativas, tanto em número de expositores como em público visitante, cada vez mais qualificado e com poder de decisão. Só aqui engenheiros, diretores, técnicos, entre outros, podem comparar produtos e vê-los funcionando ao vivo, num mesmo lugar. Negócios se efetivam aqui dentro”. Neste ano, a FEIPLASTIC recebeu 144 novas empresas participantes interessadas em ampliar presença no mercado brasileiro e concretizar negócios. Entre elas, destacam-se grandes multinacionais como a holandesa DSM, cujas áreas de atuação envolvem os plásticos de engenharia; a alemã SIKORA, que agora tem filial no Brasil; e o grupo italiano TCM, que pretende instalar sua primeira fábrica no País, voltada à produção de embalagens PET.

Segundo a Abiplast, os investimentos em máquinas realizados pelo setor apontam recuperação, confirmada pelo pelos expositores da FEIPLASTIC. Nos três primeiros meses de 2013, foram investidos R$ 623 milhões. Em nenhum mês do ano anterior foi verificado volume igual de investimentos. O presidente da entidade, José Ricardo Roriz Coelho, ressaltou também a importância da indústria plástica como fonte de emprego. “Na terceira geração do petróleo, que são os transformados plásticos, a cada R$ 1,3 milhão investido, um emprego é criado. Na segunda geração, o valor já é de R$ 10 milhões para um emprego. A indústria de primeira geração precisa de R$ 22 milhões por emprego. Por isso, somos uma grande força empregadora no país”. A evolução de vagas de emprego no setor plástico no primeiro trimestre de 2013 foi de 6,4 mil vagas.

Também presente na feira, a Desenvolve SP – Agência de Desenvolvimento Paulista, instituição financeira do governo do Estado de São Paulo, que firmou acordos com fabricantes e revendedores. No total, foram realizados 35 acordos operacionais com expositores, que estimam novos negócios nos próximos meses.  Outro foco de investimentos foi a rodada internacional de negócios Think Plastic Brazil organizada pela Abiplast junto com a Apex Brasil, e que proporcionou aos participantes 107 reuniões, com compradores do Peru, Equador, EUA, Guatemala, México e Colômbia e 31 empresas brasileiras, além da expectativa de retorno na ordem dos US$ 6,850 milhões nos próximos 12 meses.

Operação Reciclar

A ação consistiu em doar o material reciclável produzido por 28 empresas expositoras da FEIPLASTIC para a ONG PIVI (Projeto de Incentivo à Vida). Durante os cinco dias de evento, a equipe de coleta retirou 25 toneladas de aparas, resíduos processados e produtos finais nos estandes.

Conferência Feiplastic

Os dois dias de Conferência Feiplastic levaram aos participantes especialistas e lideranças do setor, como o presidente da Abiplast, José Ricardo Roriz Coelho que traçou um cenário de crescimento nas últimas décadas. “De 1981 a 1990, a indústria plástica nacional registrou crescimento de 2,3%, e entre 1991 e 2000, 2,7%. A partir da década seguinte, o ritmo aumentou, e de 2003 a 2010 a alta foi de 4,4%”. O BNDES, também palestrante, corroborou o otimismo do empresariado, apontando grande procura por financiamentos. “Há 15 anos, as atividades do BNDES voltadas para o setor plástico eram praticamente zero. No ano passado, os aportes somaram R$ 1,6 bilhão”, concluíram Gabriel Gomes e Martim Francisco de Oliveira e Silva, palestrantes do banco.

DEPOIMENTOS

CARNEVALLI – Wilson Miguel Carnevalli, diretor da Carnevalli e presidente da Câmara Setorial de Máquinas e Acessórios para a Indústria do Plástico (CSMAIP) da Abimaq

“A feira está tão boa que mal temos tempo de reunir a equipe de vendas. Está acima da expectativa. Tenho conversado com expositores e muitos estão com produção de máquinas vendida até o final do ano. Para nós é a melhor feira que existe. A Carnevalli vendeu na feira 15 máquinas, o que representa um faturamento de R$ 12 milhões a R$ 15 milhões, o que corresponde a 60 dias de vendas”.

WORTEX, Paolo de Filippis, diretor

“Posso dizer que foi um sucesso. Claro que o clima de feira empolga as pessoas e pode ser que muitas vendas que foram acordadas aqui acabem não se realizando.  Mas para os próximos seis meses temos uma estimativa, conservadora, de faturar 15 milhões de reais com vendas que nasceram aqui na Feiplastic. O destaque foi a linha de filmes Recycler. Ficamos contentes com a qualidade dos visitantes, e muitos possíveis clientes”.

LINDNER – Luiz Henrique Hartmann, diretor

“Até agora vendemos 3 máquinas na Feiplastic e faturamos 200 mil euros, o que é significativo no faturamento da empresa. A expectativa é que chegue a 500 mil euros até o final do evento. E nos próximos dois meses temos uma estimativa de vender mais máquinas em negócios iniciados na feira. Isso deve gerar mais 500 mil euros.”

HAITIAN – Roberto Candido de Melo, gerente

“Vendemos 60 máquinas na Feiplastic. Por ano vendemos cerca de 500 máquinas. Ou seja, nosso desempenho aqui em uma semana corresponde a mais ou menos 10% das nossas vendas no ano. É como se em uma semana obtivéssemos o resultado de um mês de trabalho”.

WISEWOOD – Edilson Gomes, gerente de vendas

“Faturamos 300 mil reais, é um ótimo desempenho. Tão bom quanto isso foram os contatos que fizemos com possíveis clientes do Canadá e dos EUA que ficaram bastante interessados nos dormentes de plástico que produzimos (equipamento utilizado em trilhos de trem). Acho que esses contatos vão render bons negócios nos próximos meses”.

RULLI STANDARD – Paulo Sérgio Leal, engenheiro

“Fechamos vários negócios e fizemos inúmeras cotações. Já vendemos pelo menos R$ 5 milhões. Nossa intenção é divulgar a marca, que já é bem estabelecida, e atender clientes novos e antigos”.

POLIMÁQUINAS, Clóvis Barbosa, gerente comercial

“Para nós, a feira está muito boa e já era o esperado, pois inovamos no estande. Até hoje, penúltimo dia de feira, já vendemos oito máquinas, o que significa cerca de R$ 2,5 milhões. Foram clientes do Brasil e de fora. Vendemos duas máquinas para a Venezuela e uma para o Chile. Após a feira, entre oito e 10 negócios devem se concretizar a partir da Feiplastic. Só não vendemos mais porque o ano está fechado com encomendas. Estamos ampliando a fábrica, inclusive, que ganhará mais 1000 m², além dos 5 mil m² já instalados”.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Feiplastic; Foto: Feiplastic

Curta nossa página no

Participação Latino-Americana na feira NPE2015 ultrapassará o recorde estabelecido em 2012 e incluirá forte presença de brasileiros.

03/06/2013

A SPI cita o crescimento do setor de plásticos na região e o fácil acesso a Orlando como os motivos pelos quais cada vez mais latino-americanos visitarão a NPE2015

NPE2015-LogoA exposição internacional de plásticos NPE 2015 será o principal evento do setor das Américas, atraindo profissionais de toda a vasta região que vai do Chile ao Canadá, incluindo um recorde no número total de participantes da América Latina.

Produzida pela SPI, a NPE2015 ocorrerá de 23 a 27 de março de 2015 em Orlando, Flórida, EUA. A NPE trienal foi realizada em Chicago durante várias décadas, mas mudou para Orlando em 2012. Um resultado da mudança foi o dobro da participação da América Latina em comparação com a feira de 2009 e a participação dos brasileiros mais do que triplicou.

“Em 2015 a sede do evento em Orlando atrairá mais uma vez latino-americanos por causa de seu baixo custo, fácil acesso aéreo e popularidade como destino de férias”, afirmou Gene Sanders, vice-presidente sênior de feiras e conferências. “Para os brasileiros, o acesso a Orlando realmente expandiu desde a NPE2012, aumentando de 14 para 22 voos sem escalas partindo do Rio de Janeiro e de São Paulo a cada semana”.

Ao mesmo tempo, de acordo com Sanders, o crescimento repentino do setor de plásticos nos países da América Latina promete fazer com que a NPE2015 seja um ímã para profissionais buscando descobrir tecnologias avançadas e explorar novas oportunidades comerciais. “A SPI prevê que participantes latino-americanos somarão de 10 a 15 por cento de todos os participantes da NPE2015, um aumento com relação ao recorde de oito por cento de 2012”, afirmou Sanders.

Fácil acesso ao eixo do comércio de empresas de plástico de todo o mundo

Agora está mais fácil do que nunca para profissionais do setor de plásticos da América Latina e do Caribe visitar a NPE. Os custos com viagem, hotéis e alimentação são menores em Orlando do que em Chicago. Há um amplo acesso via aérea, com mais de 250 voos sem escalas para Orlando partindo de cidades de toda a região a cada semana (vide tabela) e cada vez mais voos diretos para Miami. E nos meses que faltam até a NPE2015, agências governamentais e grupos do setor organizarão delegações de visitantes para a feira, simplificando programas de viagem e a logística no local. No Brasil, por exemplo, uma delegação oficial será organizada pelo U.S. Commercial Service.

“O motivo pelo qual a NPE atrai tanta participação internacional é que ela serve como uma vitrine de tecnologia e eixo de comércio para empresas de plástico das Américas, Europa e Ásia”, disse Sanders.

Por exemplo, empresas expositoras na NPE2015 incluirão: 1) centenas de empresas diretamente de fora dos EUA; 2) os principais fornecedores multinacionais de equipamentos e materiais em plástico, tanto empresas sediadas nos EUA quanto subsidiárias nos EUA de empresas sediadas em outros locais; e 3) o maior número de fornecedores domésticos dos EUA de tecnologias de plásticos já reunido para expor em um evento do setor em qualquer lugar do mundo. Participantes internacionais virão de mais de 100 países.

A última NPE, em 2012, alcançou um novo recorde de participação internacional, com 750 empresas expositoras – ou 40% do total – vindo diretamente de fora dos Estados Unidos.  A participação também mostrou um forte componente internacional. 26% de todos os visitantes vieram de fora dos Estados Unidos, um aumento substancial em comparação com qualquer NPE anterior.

A NPE 2015 é um evento único no setor de plásticos devido à sua amplitude de conteúdos, que incluem uma exposição de escala mundial, extensa programação educativa e muitas apresentações especiais.  Segue abaixo uma visão geral do evento:

● 2.000 empresas expositoras, incluindo fornecedores de maquinário, resinas e compostos, materiais químicos e aditivos, moldes, matrizes, softwares de design, recursos para criação de matrizes personalizadas e mais.  Cerca de 40% desses expositores virão de fora dos EUA. Ao todo, os expositores da NPE2015 ocuparão uma área de mais de 90.000 metros quadrados com seus estandes.

● Equipamentos operando em escala real durante a exposição, produzindo filmes, placas, garrafas e peças moldadas por injeção.  Entre as demonstrações mais elaboradas de equipamentos, estarão células de produção completas – de fato, unidades de processamento de plástico que incorporam manuseio de peças, decoração, montagem e outras funções.

● Mais de 60.000 participantes de mais de 20.000 empresas, representando um poder de compra de US$ 100 bilhões.  Mais de 25% desses profissionais do setor de manufatura virão de fora dos EUA.

● Equipes de compras de proprietários de marcas de empresas diversas, como Apple, Ford, John Deere, Kimberly-Clark, Phillips, Procter & Gamble e Tervis Tumblers.

● ANTEC® 2015. Concomitante à NPE2015, este evento anual produzido pela SPE (Society of Plastics Engineers, Sociedade dos Engenheiros de Plásticos) será a maior conferência técnica de plásticos do ano, com centenas de apresentações originais revisadas por pares.

● A conferência “Business of Plastics” da SPI.  Os apresentadores se concentrarão nas implicações comerciais de temas como inovações tecnológicas, questões de sustentabilidade, reshoring, mercados em expansão e desafios de gestão como desenvolvimento de capital humano – tudo isso em relação com mercados como o aeroespacial, o automotivo, de construção, eletrônico, médico e de embalagens.

● 3ª IPDC (Competição internacional de projetos plásticos).  Aberta a candidatos de todos os países, a IPDC apresentará aplicações inovadoras de designers e processadores que atendem aos setores de aparelhos eletrodomésticos, automotivo, eletrônicos, de dispositivos médicos, de embalagens e outros mercados de consumo e indústrias.

● Muitas programações e eventos especiais, como o almoço com o presidente da SPI, a cerimônia de introdução e o banquete do Plastics Hall of Fame e pavilhões com diversos expositores focados em tecnologias especializadas ou setores da indústria.

A NPE é uma exposição internacional de plásticos que ocorre a cada três anos e é realizada e de propriedade exclusiva da SPI: The Plastics Industry Trade Association. A NPE2015 ocorrerá de segunda a sexta-feira, 23 a 27 de março de 2015, no Centro de Convenções de Orange County em Orlando, Flórida. A NPE2012 teve 1.933 expositores, 40% dos quais eram de fora dos EUA. O evento atraiu 55.359 participantes, 26% dos quais eram visitantes internacionais.

Fundada em 1937, a SPI: The Plastics Industry Trade Association promove crescimento no setor de plástico dos EUA de US$ 380 milhões. Representando quase 900 mil trabalhadores americanos no terceiro maior setor de fabricação dos EUA, a SPI fornece aconselhamento jurídico, pesquisas de mercado, promoções da indústria e o estímulo a relações comerciais e estratégias de desperdício zero.  Desde fornecedores de resina e fabricantes de equipamentos a processadores e proprietários de marcas, a SPI tem orgulho de representar todas as facetas do setor de plásticos dos EUA. A SPI também é proprietária e produz a feira internacional NPE. Todos os lucros da NPE são reinvestidos nos serviços da SPI à indústria.

Curta nossa página no

Feiplastic na reta final para abertura

15/05/2013

feiplastic

Maior evento da cadeia na América Latina reúne todos os agentes da indústria para apresentar novas tecnologias que otimizam a produção e geram menos impacto ambiental

Na próxima segunda-feira (20/5), o Pavilhão de Exposições do Anhembi recebe a FEIPLASTIC – Feira Internacional do Plástico, considerado o principal evento de negócios da indústria plástica de toda a América Latina. A nova concepção da Feira, organizada e promovida pela Reed Exhibitions Alcantara Machado, reflete as importantes transformações econômicas do Brasil que impactaram todos os setores da indústria. Novos pilares que envolvem Negócios, Sustentabilidade e Tecnologia serão apresentados na edição deste ano pelas 1.400 marcas expositoras dos setores de matérias-primas; máquinas, equipamentos e acessórios; moldes e ferramentas; transformadores e resinas sintéticas. A expectativa é atrair 70 mil visitantes, entre fabricantes, técnicos, engenheiros, profissionais do setor e transformadores de produtos plásticos.

De acordo com a Associação Brasileira da Indústria do Plástico – Abiplast, o setor de transformados plásticos espera um aumento de 1% em sua produção física este ano. Outro indicador importante e esperado pelo setor são os investimentos de cerca de R$ 2 bilhões na aquisição de novos equipamentos, ampliando os negócios gerados em 2013. A renovação do convênio com a APEX-Brasil – Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos para o programa Think Plastic Brazil deve incrementar ainda mais as exportações de produtos transformados plásticos. Esse esforço rendeu mais de US$ 5 milhões em negócios no convênio 2010-2012.

Compradores de países como Estados Unidos, México, Colômbia, Peru e Equador já confirmaram a participação no Projeto Comprador Think Plastic Brazil. Destaque para dois distribuidores norte-americanos com foco em insumos para conversão, setor que tem registrado resultados positivos para a indústria nacional. Estão previstas 100 reuniões de negócios no dia 20 de maio, superando as 81 reuniões da última edição.

Operação Reciclar

O material reciclável produzido por algumas empresas expositoras da FEIPLASTIC será destinado à ONG Pivi. A ação é uma iniciativa da Reed Exhibitions Alcantara Machado com o apoio da Plastivida. A equipe de coleta irá retirar aparas, resíduos processados e produtos finais nos estandes e os levará para o estande da Plastivida, de 2h em 2h, cerca de 4 vezes ao dia. Os equipamentos são operados por manivela e não necessitam de energia elétrica.

Segundo a Abiplast, o Brasil já conta com 801 empresas voltadas à reciclagem de plástico pós-consumo que, somadas, têm capacidade instalada para processar 1,2 milhão de toneladas de material. Esse número representou em 2011 um faturamento bruto de R$ 2,201 milhões, empregando diretamente 21.266 pessoas.

FEIPLASTIC – Feira Internacional do Plástico 2013
Data: 20 a 24 de maio de 2013
Horário: Segunda a sexta das 11h às 20h
Local: Pavilhão de Exposições do Anhembi
Av. Olavo Fontoura, 1.209 – Santana – São Paulo – SP – Brasil
http://www.feiplastic.com.br

Fonte: Assessoria de Imprensa – Feiplastic

Curta nossa página no

Missão do Simplás levará equipe organizadora da Plastech Brasil 2013 à Feiplastic

09/05/2013

Sindicato do Nordeste Gaúcho terá estande próprio e grupo de empresários em São Paulo

O Sindicato das Indústrias de Material Plástico do Nordeste Gaúcho (Simplás) desembarcará com uma missão de mais de 30 empresários na Feiplastic – Feira Internacional do Plástico que ocorre de 20 a 24 de maio, das 11h às 20h, no centro de exposições do Anhembi, em São Paulo. O grupo representa a região que em oito municípios concentra mais de 60% do plástico transformado do Rio Grande do Sul, com mais de 500 companhias processando cerca de 450 mil toneladas por ano.

Apoiador da Feiplastic, o Simplás esteve presente nas três edições da feira anterior, a maior do segmento na América Latina, em parceria com a Abiplast. Em seu estande, a entidade do Nordeste Gaúcho contará com toda equipe da Plastech Brasil. O objetivo é ampliar relacionamento com expositores e visitantes, já visando à edição da feira que se realiza de 27 a 30 de agosto, em Caxias do Sul.

Instalada na região que concentra o 3o maior polo de ferramentarias do país, a Plastech Brasil projeta crescimento de 60% em 2013, com a atração de 400 expositores e mais de 25 mil visitantes. A estimativa de faturamento dos expositores no evento chega a uma média de R$ 4 mil por metro quadrado locado, segundo pesquisa realizada na edição anterior, em 2011.

A Plastech Brasil tem foco em matérias-primas e produtos básicos; máquinas, equipamentos e acessórios; moldes e ferramentas; instrumentos, controle e automação; transformadores de plástico; serviços e projetos técnicos.

Caxias do Sul, onde se realiza o evento, é o 2o polo metalmecânico do Brasil e um dos maiores de toda América Latina. Só no parque industrial do município são 32 mil empresas de grande, médio e pequeno porte.

“Pela primeira vez, China e Índia estarão participando de modo direto. Companhias de Estados Unidos e Itália também já manifestaram interesse. A identificação da feira como uma geradora de oportunidades ganha corpo fora do país”, revela o presidente do Sindicato das Indústrias de Material Plástico do Nordeste Gaúcho (Simplás), realizador do evento, Orlando Marin.

Detentor do 4o maior PIB e do 3o maior parque industrial do Brasil, o Rio Grande do Sul ocupa a vice-liderança nos setores plástico e de borracha, de produtos químicos e de petroquímica, de máquinas e equipamentos, de produtos de metal e de fabricação de bebidas. Recentemente, recuperou o topo do ranking nacional como polo moveleiro, posição em que já estava nos setores de couro e calçados, equipamentos de transporte e equipamentos agrícolas.

O programa Think Plastic Brazil – promovido pela Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) – estará desenvolvendo o projeto Comprador com empresas associadas ao Simplás e expositores. “Será a única edição do Projeto Comprador realizada fora de São Paulo em 2013”, destaca Marin.

Para as micro e pequenas empresas, maiores empregadoras do país, o Sebrae já acena com a ampliação das rodadas de negócio  incluindo o Arranjo Produtivo Local (APL) dos setores metalmecânico e automotivo (MMEA), ferramentarias e Polo Naval.

Além disso, ainda oferecerá subsídio de 60% na montagem de um estande coletivo especialmente voltado ao APL automotivo. O benefício é dirigido às empresas que participam dos projetos do Sebrae e do APL-MMeA, associadas ao Simplás e ao Sindicato das Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e de Material Elétrico de Caxias do Sul (Simecs).

Braskem, Innova e BRDE já são os primeiros patrocinadores do projeto Recicla Plastech Brasil, que vai demonstrar os processos de coleta, separação, reaproveitamento de matéria-prima e geração de um novo produto com destino público dentro do pavilhão de exposições. Os 5,7 mil banquinhos plásticos produzidos a partir do reaproveitamento de plástico descartado serão doados a escolas municipais de educação infantil, numa parceria com a Secretaria de Educação e a Prefeitura Municipal.

A continuidade do Projeto, cujas ações serão desenvolvidas após a realização da Plastech Brasil,  com a rede de ensino pretende transformar em hábito das crianças a forma correta de descarte de resíduos.

“Queremos mostrar ao público em geral, aquele que não está familiarizado com o setor de transformação, o que é o processo de reciclagem e o que pode ser feito a partir do reaproveitamento dos diversos tipos de plástico. Muita gente não sabe, por exemplo, que 100% do plástico é reciclável. Até mais de uma vez, dependendo do material”, explica Eugênio Razzera, 2º vice-presidente do Simplás.

A conveniência dos participantes, normalmente valorizada na concepção da feira, será expandida. Literalmente. Happy Business é o nome da iniciativa que possibilitará o fechamento de negócios além das 21h. Com música ambiente ao vivo.

“Sabemos que muitos participantes da Plastech Brasil desejam aproveitar ao máximo o período disponível na cidade para encaminhar novas situações comerciais. Com o Happy Business queremos oferecer um espaço de maior tranquilidade, com opções de alimentação, um bom vinho da Serra Gaúcha e boa música para facilitar o aproveitamento destas oportunidades, após as 21h, sem precisar sair do pavilhão de exposições”, define o diretor-executivo do Simplás, Zeca Martins.

Diferenciais voltados aos expositores e consagrados em feiras anteriores serão mantidos, como o cartão de descontos e vantagens Clube do Expositor e a Sala Vip para retoques em maquiagem, quick massage ou simplesmente descanso no intervalo dos negócios.

“Se ainda cabe uma sugestão, depois da feira, faça uma experiência. Estique a permanência e a quilometragem para conhecer um pouco mais das serras, vales e cânions que embelezam esta região do Brasil. ”, conclui Orlando Marin.

Curta nossa página no

Cervejaria lança a primeira lata de cerveja com lacre plástico de proteção

06/05/2013

Cervejaria Colônia aposta em inovação para levar às gôndolas solução mais segura e sustentável para consumo de bebidas em latas

cervejaria_colonia_1A Cervejaria Colônia vai lançar no mercado as primeiras latas de cervejas do mundo com lacre plástico. A solução inovadora, desenvolvida pela CBE Companhia Brasileira de Embalagens e Braskem, garante a vedação completa da parte superior da lata da cerveja, mantendo a superfície limpa, além de ser totalmente reciclável.

O lacre plástico, que chega aos supermercados a partir do segundo semestre, foi aprovado em testes laboratoriais por institutos no Brasil e na França. A solução será aplicada às latas na linha de envase, sem perda de produtividade, após os processos de lavagem e secagem da embalagem. As etapas vão garantir um produto totalmente seguro, limpo e pronto para o consumo em qualquer ocasião, já que a vedação é completa. Isso vai proporcionar a proteção da parte superior da lata nos percursos de deslocamento do produto, desde a fabricação até as mãos do cliente final.

De acordo com pesquisas de mercado, a ideia de uma lata totalmente protegida é uma necessidade, que aguardava a disposição da indústria para produção em larga escala. ‘Em pesquisas de foco atestamos que o consumidor deseja, aprova e valoriza uma solução que ofereça segurança no consumo e está disposto, inclusive a pagar mais por isso se preciso’, revela Jacques Pontes, Diretor-Presidente da Companhia Brasileira de Embalagens. ‘É a garantia de hiegenização da lata para o consumidor final’, completa.

O plástico foi escolhido por ser um material flexível, com propriedades herméticas, além de ser totalmente reciclável. ‘O plástico é uma matéria-prima muito versátil, que atende a todas as necessidades dessa solução, com a vantagem de ser ecológico e reciclável. Temos estudos em curso com o ACV Brasil, para a Análise do Ciclo de Vida do lacre, além de parcerias com cooperativas de catadores, para capacitação de coleta da solução e incentivo para a reciclagem’, reforça Albertoni Bloisi, Coordenador de Embalagem da área  de Desenvolvimento de Mercado da Braskem.

De acordo com Luiz Cláudio dos Santos, diretor de marketing da Colônia, a expectativa é que o consumidor da cerveja valorize a novidade. ‘Como a primeira cervejaria brasileira a utilizar os lacres de plástico, pretendemos dar um salto em nossas vendas, com uma solução ainda mais segura para o consumidor e muito atrativa no ponto de venda’, diz. Segundo ele, a novidade não altera o preço da cerveja.

O executivo revela que, com a Lei Seca, a venda de cervejas nos supermercados do Brasil aumentou e que o lacre é, também, uma poderosa ferramenta de marketing. ‘Além de todos os atributos de confiabilidade, a novidade nos permite usar a criatividade na composição das artes utilizadas nas latinhas, com várias possibilidades. É mais um diferencial nas prateleiras’, aposta.

Fonte: Braskem

Curta nossa página no

Setor de compósitos cresce 5,2% no primeiro trimestre

06/05/2013

O setor brasileiro de compósitos faturou R$ 765 milhões no primeiro trimestre, alta de 5,2% em comparação a igual período do ano passado. Frente aos últimos três meses de 2012, a subida foi de 1,5%. Os dados são da Maxiquim, consultoria contratada pela Associação Latino-Americana de Materiais Compósitos (ALMACO).

“Fomos fortemente influenciados pelas retomadas dos mercados de caminhões, ônibus, tratores e implementos rodoviários. O segmento eólico também está vivendo um momento excelente, o que ajudou a aumentar as nossas receitas”, afirma Gilmar Lima, presidente da ALMACO.

Em contrapartida, de janeiro a março foram consumidas 49.700 ton. de compósitos, queda de 10% ante o volume registrado no mesmo intervalo de 2012 e ligeira alta de 0,4% na comparação com o quarto trimestre do ano passado. “O descompasso entre faturamento e volume de material processado deve-se ao aumentos nos custos dos insumos, serviços e folhas de pagamento”, comenta Lima.

Para o presidente da ALMACO, essa tendência tende a permanecer. “Nem tanto em razão dos custos, mas porque as empresas estão buscando materiais de valor agregado alto, que melhoram o desempenho e reduzem o tempo de fabricação das peças”.

Ainda segundo a pesquisa da Maxiquim, o setor brasileiro de compósitos deve faturar R$ 3,225 bilhões em 2013, o que significará um salto de 8,1% – em volume, 211.000 toneladas (+2,3%).

Resultantes da combinação entre polímeros e reforços – por exemplo, fibras de vidro – os compósitos são conhecidos pelos elevados índices de resistência mecânica e química, bem como pela versatilidade. Há mais de 50 mil aplicações catalogadas em todo o mundo, de caixas d´água, tubos e pás eólicas a peças de barcos, ônibus e aviões.

Fonte: Almaco

Curta nossa página no

Cromex apresentará seu leque de serviços e produtos para a transformação de plásticos na Feiplastic 2013

29/04/2013

feiplastic

A empresa irá expor linha abrangente de produtos, desde os masterbatches pretos e brancos, até as especialidades voltadas ao plástico de engenharia, passando pela linha sustentável.

A Cromex, líder no mercado brasileiro de masterbatches de cores e aditivos para plásticos e distribuição de resinas termoplásticas, vai levar à Feiplastic 2013 sua gama de soluções – produtos e serviços – para a indústria de transformação de plásticos.

Durante o evento, que será realizado em São Paulo, entre os dias 20 e 24 de maio, o estande da Cromex, estruturado em totens, apresentará as linhas de masterbatches brancos, pretos e coloridos, além das especialidades, soluções voltadas para plástico de engenharia, BOPP, e a linha sustentável. São produtos que atendem desde as aplicações de critérios técnicos mais básicos até as mais complexas.

A equipe de profissionais da empresa estará à disposição do público visitante para detalhar os produtos e serviços em um estande interativo. “Criamos um layout mais aberto para que as pessoas circulem pelo estande e conheçam toda a linha da Cromex, com a orientação de nossos especialistas”, conta Larissa Vecchi, gerente de Marketing da Cromex.

A Cromex tem investido em tecnologia, P&D e na qualificação de pessoas para ampliar e melhorar sua gama de soluções – produtos e serviços – para a indústria de transformação. A empresa quer estar posicionada entre as cinco grandes produtoras mundiais de masterbatches, conta Marcos Pinhel, diretor Comercial da Cromex.

Com o slogan “A gente faz e entrega”, a Cromex reforça seu escopo de trabalho que foi recentemente ampliado. Para atuar na distribuição, a Cromex conta atualmente com três Centros de Distribuição (CDs): em São José dos Pinhais (PR), Caxias do Sul (RS) e São Paulo (SP). A partir desses CDs, dimensionados nas mais rigorosas condições de segurança, a companhia leva a todo o território nacional, com a melhor relação custo benefício do mercado, as diversas resinas termoplásticas (Polipropilenos, Polietilenos, Poliestirenos, Especialidades, Masterbatches e Dióxido de Titânio). A Cromex também dispõe de uma frota exclusiva e sistema de endereçamento para rápida localização de lotes e para maior agilidade de carga e descarga.

Para a produção dos masterbatches, a Cromex conta com duas unidades fabris, onde são produzidos cores e aditivos para a indústria de transformação. Em São Paulo, a unidade conta com uma área de 7.800 m2. Em Simões Filho, Bahia, a unidade conta com 64 mil m, dos quais 14 mil m são de área construída. As duas fábricas contam com modernos laboratórios de controle de qualidade.

A Cromex, que é certificada pela ISO 9001, 14001 e OHSAS 18001. Seus produtos obedecem as mais rigorosas normativas internacionais como: REACH, FDA entre outras. Em 2012, a empresa realizou grandes investimentos em máquinas e modernos equipamentos.

Este ano, os recursos foram destinados à Pesquisa e Desenvolvimento e hoje a Cromex conta com um moderno e bem equipado laboratório para masterbatches da América do Sul, em sua unidade de São Paulo.

Do mesmo modo, a empresa tem investido na capacitação da mão de obra, tanto na produção quanto na assistência para garantir o padrão de qualidade de produtos e serviços que a companhia oferece ao mercado. Hoje, a Cromex reúne cerca de 605 colaboradores em suas unidades.

Forte atuação no mercado externo – Com essa estrutura, além da liderança no mercado brasileiro, a Cromex também atua fortemente no exterior. Dona de uma cultura exportadora, a empresa comercializa seus produtos para mais de 60 países.

Trata-se de um trabalho constante de inteligência e abertura de mercados, que conta com a participação da Cromex em diversos eventos internacionais. Este ano, a empresa participará da Feiplastic, Expo Pack (México), Pack Expo (Las Vegas, EUA), Feira K (Alemanha), e Andina Pack (Colômbia).

Atualmente, 20% dos negócios da empresa são voltados aos mercados externos e a tendência é ampliar esse número.

Soluções Cromex – Os produtos da Cromex são desenvolvidos para diversos segmentos: alimentícios, brinquedos, cosméticos, higiene pessoal e beleza, construção civil, setor automotivo, agrobusiness, entre outros.

Uma dessas aplicações é o plástico de engenharia, segmento para o qual a empresa fornece produtos de alto desempenho e que estarão em evidência na Feiplastic 2013.

Outro destaque na exposição da Cromex será a linha para BOPP (brancos, aditivos e cargas minerais), de alta performance técnica, desenvolvidos de acordo com as necessidades da indústria, proporcionando o melhor desempenho nas máquinas.

Inovação e sustentabilidade – Sempre atenta às tendências mundiais e com a preocupação de promover boas práticas sustentáveis, a Cromex também tem se destacado no desenvolvimento de cores e aditivos voltados aos biopolímeros de fontes renováveis (PE Verde) e biodegradáveis (PLA), atendendo a mercados que lançam seus produtos com o apelo de sustentabilidade. A empresa também atua na produção de masterbatches livres de metais pesados.

Os masterbatches da Cromex conferem aos produtos efeitos especiais e metalizados, assim como aditivos específicos para redução de ciclos, espessuras, aumento de vida útil, como nucleantes, antioxidantes, estabilizantes UV, deslizantes, auxiliares de fluxo, entre outros, compatíveis com as propriedades fundamentais de sustentabilidade do produto biodegradável ou de fonte renovável.

Fonte: M. Free / Cromex

Curta nossa página no

Chinaplas 2013 começará em três semanas

29/04/2013

chinaplas_2013

A CHINAPLAS 2013 que acontece de 20 e 23 de maio de 2013, é uma oportunidade única para encontrar o que há de mais avançado no mercado de plásticos, bem como todas as tendências mundiais em um segmento que se expande a cada ano. A CHINAPLAS é, hoje, o segundo maior evento do mundo da área de plásticos e borracha e o evento mais importante da Ásia.  A organizadora espera que a feira atraía mais de 115.000 visitantes de 150 países/regiões e mais de 100 grupos de compradores em 4 dias de evento.

A China é hoje a detentora de 23% da produção mundial de plásticos. O rápido crescimento dessa indústria, seja em quantidade como em qualidade, vem sendo estimulado especialmente pelas as indústrias manufatureiras automotivas e de eletrônicos, as quais têm se desenvolvido em ritmo acelerado, aumentando as demandas de empresas chinesas por tecnologias de molde e equipamentos de manufatura. No Brasil, a maior demanda por plásticos – 47% –  vem dos setores da construção civil, indústria automotiva e alimentos e bebidas e a China é o pais com o qual o Brasil realiza o maior numero de negócios neste segmento, 20%. Com a aproximação dos grandes eventos como a Copa do Mundo e as Olimpíadas a expectativa é de um aumento na demanda por tecnologias relacionadas ao plástico e à borracha.

Produção de Moldes para plásticos não para de crescer na China

O desenvolvimento de moldes plásticos deve crescer continuamente nos próximos anos, resultando num aumento na produção total de moldes.  Por isso, a CHINAPLAS 2013 vai expandir a “Zona de Moldes”, que teve sua área de exposição aumentada em 18% em relação à última edição. Serão mais de 200 empresas chinesas e expositores internacionais.

Área especializada em Filmes Plásticos facilitará o encontro de novas tecnologias

Além dos moldes, o uso de filmes plásticos e sua tecnologia não estão mais limitado à agricultura e ao empacotamento. Eles têm sido amplamente aplicados à medicina, eletrônicos, TI, plantas solares e arquitetura, entre outros, gerando uma ampliação da demanda do mercado global pelo filme plástico. Para atender às necessidades da grande quantidade de compradores em potencial e ajudá-los a encontrar tecnologias avançadas em equipamentos de produção de filmes e linhas de produção de filme, uma nova zona temática – “Zona de Tecnologia de Filmes” – estará localizada no saguão 8.1 na Zona A. Novos expositores mostrarão linhas de extrusão para filmes de sopro, linhas de extrusão para filmes planos e folhas, linhas de estiramento para filmes e filamentos, rebobinadores de talhadeiras, equipamento de enrolamento, equipamentos de medição & teste para filmes, equipamentos auxiliares para linhas de extrusão de filmes, impressoras para filmes, laminação e máquinas de revestimento e outras tecnologias de processamento de filmes etc.

Além das zonas temáticas mencionadas acima, haverá também 8 outras zonas temáticas que visam facilitar o dia a dia dos compradores de diferentes indústrias.  São elas: a Zona de Maquinário para Molde de Injeção, Zona de Máquinas de Extrusão, Zona de Maquinários & Equipamento para Borracha, Zona de Auxiliares & Teste de Equipamentos, Zona de Químicos & Matérias-Primas, Zona de Produtos Semi-Acabados, Zona de Bioplásticos e Saguão Chinês de Maquinários de Exportação & Materiais.

A área de exibição deve alcançar um novo recorde de 220.000 m2, cobrindo um total de 25 saguões de exibição nas zonas A e B, apresentando um aumento de 22% em relação à última edição que aconteceu em Guangzhou, em 2011.

Mais de 2.800 expositores de 36 países e regiões, junto a 12 pavilhões da Áustria, Canadá, França, Alemanha, Itália, Japão, Coreia, China, Taiwan, Turquia, Reino Unido e EUA, mostrarão matérias-primas e produtos químicos variados e mais de 3.200 unidades de máquinas para plásticos e borracha.

Sobre a CHINAPLAS 2013 : A CHINAPLAS 2013 é organizada pela Adsale Exhibition Services Ltda., e co-organizada pelo Centro de Comércio Exterior da China (Grupo), Conselho Nacional da Indústria de Eletricidade da China – Associação das Indústrias de Processamento de Plásticos da China, Associação das Indústrias de Maquinário para Plásticos da China, Associação das Indústrias de Plástico de Guangdong, MesseDuesseldorf China Ltda., Associação de Comércio de Plásticos de Xangai e Serviços Yazhan de Exibição de Pequim Ltda. O evento também tem o apoio de várias associações de plásticos e borrachas da China e do exterior.

Criada em 1983, a CHINAPLAS é a única feira de exibição de comércio de plásticos e borracha aprovada pela UFI (Associação Global da Indústria de Exibição). A CHINAPLAS foi exclusivamente patrocinada pela Associação Europeia de Maquinários Manufatureiros de Plástico e Borracha (EUROMAP) na China pela 24ª vez. A CHINAPLAS é atualmente a principal feira de comércio de plástico e borracha da Ásia, e a segunda do mundo.

Fonte: Chinaplas

Curta nossa página no

Faturamento do setor de embalagens plásticas flexíveis cresce 7,5% em 2012

23/04/2013

Estudo da Maxiquim mostra que, em comparação com 2011, o setor também alcançou aumento no volume de produção (1,9%).

 Apesar de 2012 ter sido um ano de muita instabilidade para o setor de transformação de plásticos, o segmento de embalagens plásticas flexíveis registrou aumento no faturamento em 7,5% com relação ao ano anterior, segundo estudo da Maxiquim solicitado pela Associação Brasileira da Indústria de Embalagens Plásticas Flexíveis (Abief). Em 2011, o segmento faturou R$ 11,2 bilhões. Já no ano seguinte, o faturamento registrado foi de R$ 12 bilhões.

O volume de produção também cresceu em 2012. Em 2011, a produção foi de 1.779,19 mil toneladas de embalagens flexíveis contra 1.813 mil toneladas em 2012, ou seja, crescimento de 1,9%.

Apesar destes números positivos, o setor sofreu com a volatilidade dos custos, principalmente no que tange ao aumento dos preços das matérias-primas superior aos demais custos de produção e ao consequente aumento nas importações de produtos acabados.

O estudo da Maxiquim mostrou que as importações de embalagens flexíveis cresceram 11,5% em valores (de US$ 573 milhões, em 2011, para US$ 639 milhões, em 2012) e 12,8% em volume (de 120 mil toneladas, em 2011, para 136 mil toneladas em 2012), ou seja, o déficit da balança comercial do setor foi o maior dos últimos oito anos, atingindo US$ 453 milhões no ano de 2012.

Mostrou ainda que as exportações caíram no período. Em valores, a queda foi de 14,0% (de US$ 217 milhões, em 2011, para US$ 186 milhões, em 2012) e 14,7% em volume (de 62 mil toneladas, em 2011, para 53 mil toneladas em 2012).

O setor de embalagens plásticas flexíveis faz parte da indústria brasileira de transformação plástica, setor que conta com 11 mil empresas e gera cerca de 350 mil empregos diretos no país.

Neste, a Abief – Associação Brasileira da Indústria de Embalagens Plásticas Flexíveis é a entidade que há 35 anos representa o mercado nacional de embalagens plásticas flexíveis, correspondente a cerca de 40% da produção do setor, com uma diversa gama de embalagens plásticas, para as mais diversas finalidades, tais como filmes monocamada, coextrusados e laminados; filmes de PVC e de BOPP; sacos e sacolas; sacaria industrial; filmes shrink (encolhíveis) e stretch (estiráveis); rótulos e etiquetas; stand up pouches (SUP) e embalagens especiais.

Diante desse cenário, a Abief tem atuado no sentido de resgatar a competitividade da sua indústria, tanto no mercado interno quanto para exportação. “O ano de 2012 foi especialmente desafiador para o setor; os custos, com destaque para a escalada dos preços das matérias primas, dificultaram bastante a obtenção de margens satisfatórias pelas empresas”, afirma Sergio Carneiro Filho, novo presidente da Abief .

Segundo ele, ainda assim foi grande a movimentação da entidade, visando melhorar o cenário dos negócios. “Seja com o diálogo, no sentido de equalizarmos devidamente as movimentações de custos, tanto com fornecedores, quanto junto aos clientes; seja no sentido de pleitear a equalização de determinadas tributações impactantes na nossa cadeia produtiva; seja investindo e procurando maximizar a eficiência e produtividade das empresas, com consequente redução de custos“, disse o executivo.

Com isto, o ano de 2013 apresentou um início bem mais animador. “A redução dos custos da energia elétrica, a manutenção da disponibilidade de recursos para novos investimentos pelo BNDES, a momentânea nova estabilidade dos custos das matérias primas e a concretização de negociações ao longo da cadeia, tudo isso em conjunto mostra um ano mais otimista para a indústria de embalagens plásticas flexíveis”, concluiu Sergio Carneiro Filho.

Fonte: M. Free Comunicação / Abief

Curta nossa página no

 

Feiplastic reforça importância da atualização tecnológica para fomento de exportações brasileiras

16/04/2013

feiplastic

Feira Internacional do Plástico mostra-se alinhada à indústria. Setor deve retomar crescimento em 2013 e mercado de transformados plásticos estima investir R$ 2 bilhões

A Associação Brasileira da Indústria do Plástico – Abiplast – é uma das principais entidades apoiadoras da Feiplastic – Feira Internacional do Plástico, e também uma das maiores fomentadoras da indústria brasileira, rumo a sua internacionalização através de programas como o Think Plastic Brazil, uma parceria entre o setor de transformados plásticos nacionais e o governo federal, por meio da Apex-Brasil – Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos. A iniciativa é voltada ao estímulo às exportações de produtos transformados plásticos, e ao estabelecimento da cultura exportadora em empresas transformadoras de plástico do país.

Essas ações têm uma forte sinergia com a Feiplastic, que tem sido uma importante plataforma para setor ganhar visibilidade internacional. Em 85 mil m² do Pavilhão de Exposições do Anhembi, os visitantes encontrarão na feira um ambiente para negócios com as principais marcas da indústria plástica nacional e internacional. São nomes como Basf, Bayer, Braskem, Deb’ Maq, Dupont, Romi, Rhodia, Polimaquinas, Wortex, Romi, DSM, Activas, Seibt, Polimold, Krauss Maffei, Arburg, Mecalor, Rulli, SEW, Sumitomo, Tupahue, Villares Metals e Remo, entre outras. A feira deve reunir cerca de 1.400 marcas expositoras e público estimado de 70 mil visitantes, entre fabricantes, técnicos, engenheiros, profissionais do setor e transformadores de produtos plásticos.

A ação entre Abiplast e Apex-Brasil foi criada em 2004, com o nome Export Plastic, agora reformulado para atender à nova realidade do mercado. Em entrevista recente, Marco Wydra, gerente executivo do projeto, explicou o reposicionamento. “O objetivo da mudança é ampliar internacionalmente a identidade exportadora do Brasil como um dos players mais importantes do mundo na área de transformação de plásticos”. Segundo o Think Plastic, o Brasil hoje tem na Argentina seu maior mercado importador de transformados plásticos. O país sul-americano é seguido pela Holanda, Estados Unidos e o Chile. Entre as maiores dificuldades de incremento às exportações brasileiras estão os produtos asiáticos. Diante de tais desafios, a saída para as indústrias nacionais é a atualização tecnológica, aumento de produtividade e atrativos como vantagens ambientais e de qualidade dos produtos oferecidos.

A expectativa da Abiplast é que o setor de transformados plásticos invista cerca de R$ 2 bilhões na compra de novos equipamentos, ampliando os negócios gerados ao longo de 2013. Na avaliação da entidade, com a retomada no crescimento da economia brasileira, a demanda estimada por produtos plásticos para 2013 será 7% maior do que a observada no ano passado. No balanço entre o contabilizado em 2012 e as perspectivas para 2013, Wydra também é otimista, frisando conquistas do setor. “[Em 2012] renovamos o convênio com a Apex-Brasil, abrimos o departamento de Inteligência Comercial, customizamos projetos e renovamos a nossa marca. Esse esforço rendeu mais de US$ 5 milhões em negócios no convênio 2010-2012, mas tudo indica que esse número irá aumentar”.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Feiplastic

Curta nossa página no