Posts Tagged ‘Máquinas’

Feira Internacional da Mecânica projeta 500 milhões em negócios para os próximos meses

28/05/2014
  • Tecnologia e produtividade foram a tônica do evento que reuniu 90 mil visitantes no maior encontro da indústria na América Latina.
  • Expositores comprovam sucesso da feira como plataforma de negócios.

Ao longo de cinco dias, a Feira Internacional da Mecânica transformou o Pavilhão de Exposições do Anhembi em um complexo de 85 mil m² de avançadas tecnologias da indústria de bens de capital. De 20 a 24 de maio, foram expostos produtos de 2.100 marcas nacionais e internacionais, de 12 setores da indústria, com visitação de 90 mil compradores, de acordo com a Reed Exhibitions Alcantara Machado, organizadora do evento. Em um ambiente propício para a atualização profissional e negócios, estima-se que cerca de R$ 500 milhões foram movimentados, principalmente por conta dos financiamentos e condições especiais preparados especialmente para o evento. Com forte presença internacional, a feira também recebeu visitantes e expositores de 60 países, como Argentina, Portugal, França, Espanha, EUA, Itália, Alemanha, Espanha, Canadá, Chile, Peru, entre outros.

“Desde sua criação há 50 anos, a Feira da Mecânica mantém sua tradição em se superar e mostrar a inovação como matéria-prima para o desenvolvimento da indústria nacional. Nesta edição, não foi diferente”, explica a diretora do evento Liliane Bortoluci. A confirmação de sucesso da feira também vem nos depoimentos dos expositores. “A edição deste ano está surpreendendo pela quantidade de visitantes, e o nível de interesse e conhecimento do público é bom, não estamos pegando ninguém no laço – avalia Wilson Borgneth, diretor comercial do Grupo Bener – até hoje, quarto dia, já fechamos 15 negócios, inclusive da área da Makino, que é de alta tecnologia. Calculo que já movimentamos R$ 2 milhões. Estamos muito satisfeitos”.

Para o diretor-presidente da Romi e vice-presidente da Abimaq, Livaldo Aguiar dos Santos, muitas das empresas procuraram mostrar algo novo para o mercado. “Tudo isso está ligado a ganho de produtividade. A Feira tem o foco da inovação, tendência para os próximos anos. Muitos economistas advogam que o Brasil não crescerá de maneira proporcional à sua população sem o ganho de produtividade. É o que faz a cadeia toda se movimentar. A Mecânica sempre ajudou muito o setor, e é um termômetro do mercado”. Diretor de vendas da Ergomat, Alfredo Ferrari acredita que esta edição da feira superou as expectativas. “Levando em consideração a conjuntura econômica, foi surpreendente. Desde o primeiro dia até agora tivemos grande número de visitantes, clientes interessados em investir e saber como adquirir novas máquinas. Fechamos negócios, 30% acima do que esperávamos, para pequenas e médias empresas, prestadores de serviço”.

E nem só de máquinas vive a Mecânica. A Arpi, empresa que produz equipamentos e acessórios para proteção pessoal e ambiental teve êxitos nesta edição. “Trouxemos produtos que, além de sua utilidade prática, contribuem para a segurança do trabalhador e para o meio ambiente. A aceitação foi ótima. Nossa intenção era puramente institucional e mesmo assim fechamos R$ 1,5 milhão em negócios, sem contar os novos contatos que gerarão futuros clientes cujo volume de venda é imensurável”, relata Renato Nunes, diretor comercial. Para Agenor de Carvalho, da Ecomach, o sucesso também foi inconteste. “Participar da Feira Internacional da Mecânica superou totalmente nossas expectativas. Trouxemos um produto novo no mercado, um óleo orgânico feito a partir da casca do arroz, apenas para que o mercado conhecesse essa solução. O resultado foi que saímos daqui com pedidos de amostra de 98 empresas para testar nosso produto. Muitas delas de grande porte, com consumo de 40 mil litros de óleo por mês. Nossa previsão mínima é que estes contatos gerem, até 2015 faturamento, na ordem de R$11 milhões”.

A experiência do BNDES na feira também indica o movimento aquecido no país em busca de financiamento. Nos dois primeiros dias de Mecânica, a procura foi intensa pelas linhas do PSI. Segundo o porta-voz do banco, Rafael Mazzeo, foram 31 visitas registradas na terça-feira e 44 no segundo dia de evento. “Temos recebido interessados principalmente no programa PSI para máquinas e equipamentos e pelo cartão BNDES. O grande público do banco são as micro, pequenas e médias empresas”.

Fonte: Reed Alcantara Machado – Assessoria de Imprensa

Curta nossa página no

Anúncios

30ª Feira da Mecânica começa hoje apostando em financiamento para indústria de bens de capital

20/05/2014

 Solenidade de abertura tem palestra do economista Paulo Rabello de Castro e presença de executivos como Milton Luiz de Melo Santos da Agência de Fomento Paulista – Desenvolve SP.

Mec_banner_blogdoplastico_site_168x90Hoje, dia 20 de maio, começa a 30ª Feira Internacional da Mecânica no Anhembi, em São Paulo, com a presença de autoridades da indústria nacional e especialistas do setor. O professor Paulo Rabello de Castro, doutor em Economia pela Universidade de Chicago, presidente do Instituto Atlântico e fundador SR Rating, primeira empresa brasileira de classificação de riscos, fará palestra de abertura. Presenças também confirmadas de Luiz Aubert Neto, presidente da Abimaq – entidade apoiadora da feira, e Milton Luiz de Melo Santos, presidente da Agência de Fomento Paulista Desenvolve SP.

Também participam Juan Pablo de Vera, presidente da Reed Exhibitions Alcantara Machado e Liliane Bortoluci, diretora da Feira. Durante o evento, Livaldo Aguiar dos Santos, diretor-presidente da Indústrias Romi S.A e membro do comitê de inovação da Câmara Brasil-Alemanha, fará o pré-lançamento do Prêmio Brasil-Alemanha de Inovação.

A edição 2014 da Feira da Mecânica, que reunirá 2.100 marcas expositoras nacionais e internacionais, chega também com forte presença das linhas de crédito da Desenvolve São Paulo e do BNDES. Segundo o órgão paulista, os interessados contarão com juros de apenas 0,37% ao mês, prazo de até 72 meses e carência máxima de 12 meses para começar a pagar. A Agência atende empresas paulistas com faturamento anual a partir de R$ 360 mil. O Bradesco, que também oferece programas de financiamento, estima crescimento de 15% sobre o volume de negócios realizados na última edição da Mecânica.

Em pesquisa feita Reed Exhibitions Alcantara Machado, promotora da Mecânica 2014, existe um potencial de compras entre os visitantes pré-credenciados para a feira, que deve receber 100 mil visitantes/compradores. A sondagem revelou que 24% do público visitante possui decisão final de compra, 20% efetuam pesquisa para suas empresas e 27% recomendam máquinas e equipamentos para as mesmas. Entre o capital disponível para negócios durante a feira, 30% dos entrevistados pretendem gastar até R$ 100 mil; 13% de R$ 100 mil a R$ 500 mil; 5% pretendem fazer negócios que devem ultrapassar R$ 1 milhão.

Fonte:  2pro / Reed Alcantara Machado

Curta nossa página no

Starlinger apresentará nova tecnologia de laminação durante a Feira K 2013

19/09/2013

Starlinger_at_K_2013A Starlinger & Co. GmbH está apresentando este ano em Düsseldorf um novo conceito em laminação de tecidos. “Este é um passo revolucionário na laminação contínua de tecidos, fazendo com que esta se torne muito mais simples e eficiente, ao mesmo tempo em que garante uma qualidade excepcional da laminação”, afirma o Diretor de vendas da Starlinger, Hermann Adrigan.  Já nos anos passados, segundo a empresa, a Starlinger definiu padrões da indústria com suas linhas de laminação stacoTEC, das quais vende até 30 linhas por ano a clientes de todo o mundo. A primeira apresentação a nível mundial da nova linha de laminação ocorrerá no stand da Starlinger no Hall 16 da Feira, onde os visitantes poderão vê-la funcionando. Além disto, serão apresentados também desenvolvimentos de produtos inovadores em embalagens de tecidos flexíveis e a linha completa de soluções “turn-key” em máquinas.

Reciclagem de plásticos:  Solucões para resíduos muito contaminados e estréia mundial de tecnologia de descontaminação

No Hall 9 da feira, a Starlinger recycling technology lançará un novo desenvolvimento que permite a reciclagem de resíduos plásticos pós-industriais e pós-consumo altamente contaminados, como por exemplo residuos domésticos molhados, filmes agrícolas ou similares, assim como materiais com muita impressão. Durante a feira, uma linha recoSTAR universal 65 VAC processará filmes de Polietileno bastante impressos, demostrando a qualidade da desgasificação da massa fundida e a capacidade de limpeza necessária para se poder usar regranulado de alta qualidade em aplicações distintas.

A Starlinger viscotec organizará a apresentação mundial do novo reator deCON no Hall 9 da feira. No Hall 16, será instalado um reator viscoSTAR, projetando-se em uma tela múltipla a linha de chapas de PET viscoSHEET, lançada recentemente. De acordo com a Stalinger, a nova linha de chapas permite processar até 100% de PET reciclado, PET virgem e PIR (material pós-industrial) com níveis garantidos de viscosidade intrínseca que atendem às exigências da FDA/EFSA para aplicações com material para uso alimentar.

“Open House” da Starlinger na Austria

Nos dias anteriores à Feira K, os clientes terão a posibilidade de participar da Open House da Starlinger em Weissenbach, situada a uma hora de Viena. Durante a Open House, entre os dias 14 a 16 e 21 a 25 de outubro de 2013, se poderá ver em funcionamento toda a gama de máquinas que mostram os últimos avanços na produção de embalagens têxteis e equipamentos de reciclagem de plásticos.

Fonte: Starlinger

Curta nossa página no

Projeções da Abiplast apontam para queda nas vendas

30/05/2011

Fonte: VALOR / Abiplast

Número em vendas de máquinas já bate recorde na Brasilplast

11/05/2011

A 13ª Feira da BRASILPLAST já começou batendo recordes em vendas de máquinas e equipamentos. Só no primeiro dia do evento, as empresas HGR, Simco, Stäubli, Seibit e Colorflex venderam ao todo 19 máquinas, desde injetoras plásticas até robôs de pintura.

 De acordo com os porta-vozes das empresas, as vendas foram surpreendentes, o que aumenta ainda mais as perspectivas de negócios.. “Não é comum fechar negócio no primeiro dia de feira. Estamos surpresos com as vendas e com a quantidade de visitas recebidas no estande”, afirmou Marcelo Magdalone da Silva, gerente geral da Stäubli no Brasil, empresa que já vendeu dois robôs de pintura, em um total de R$ 150 mil.

 O otimismo é compartilhado por Pedro Henrique Xavier, da Colorflex. Só ontem a empresa vendeu três máquinas de R$ 60 mil e uma de R$ 800 mil. A Seibit não ficou atrás, com cerca de R$ 900 mil em negócios já concretizados. Já a Simco tem expectativa de vender até 40 máquinas até o fim da BRASILPLAST, que termina na sexta-feira, dia 13 de maio.

Fonte: Assessoria de Imprensa Brasilplast