Posts Tagged ‘Manufatura Aditiva’

Arburg define tendências da indústria na Fakuma 2015

21/10/2015

ARBURG_096015_stand_Fakuma_2015

  • Arburg movimenta a indústria: Eficiência de Produção, Indústria 4,0 e construção leve
  •  Produção eficiente de peças plásticas: desde grandes lotes até itens individualizados
  • Especialistas do setor se reúnem no stand da Arburg durante a feira

Uma excelente atmosfera, enorme interesse, inovações de longo alcance – o stand da Arburg na Fakuma 2015 foi um sucesso. Com o tema principal “eficiência produtiva” e um foco na “Industria 4.0 – energizada pela Arburg”, a fabricante de injetoras com sede em Lossburg (Alemanha) consolidou a sua posição como um definidor de tendências da indústria na feira de Friedrichshafen. O destaque foi a personalização de tesouras de escritório em uma linha de produção totalmente automatizada e integrada com tecnologias da Informação, que incluiu uma injetora Allrounder, um Freeformer para manufatura aditiva e robô de sete eixos.

“A Fakuma 2015 foi caracterizada por discussões intensivas com clientes existentes e potenciais da Alemanha, Europa e de outros continentes. Naturalmente, nós também apresentamos inúmeras inovações e novos desenvolvimentos”, disse Michael Hehl, Sócio Diretor da Arburg e porta-voz da Administração. “Foi muito importante para nós não apresentar meras visões, mas soluções inovadoras e específicas para aplicações práticas. E isso é exatamente o que fizemos este ano, com onze mostras no nosso próprio stand e dez mostras adicionais em stands de parceiros.”

Indústria 4.0  na prática

Os visitantes do stand da Arburg tiveram a oportunidade de experimentar a “Indústria 4.0” na prática e de ver como é que peças produzidas em série, que foram individualizadas para criar itens personalizados, podem ser rastreadas ao longo de todo o ciclo de vida do produto. Dois Freeformers personalizaram tesouras de escritório moldadas por injeção e interruptores de luz basculantes pré-fabricados com geometrias 3D individuais  A aplicação de um código DM através de laser transformou cada produto em um portador de informação. O computador de hospedagem da Arburg (ALS) registrou todos os dados do processo e arquivou os mesmos em um site específico do produto na “nuvem”. Qualquer visitante que estivesse interessado poderia usar seus telefones celulares ou outros dispositivos móveis para acessar este site e exibir todos os dados relevantes do processo referentes à peça individual que recebeu – podendo continuar a fazê-lo por muito tempo após o término da feira.

Estréias e novas aplicações

Uma das estréias apresentadas pela Arburg no contexto da mostra de fabricação de tesouras de escritório foi a conexão automática entre a injetora Allrounder e o Freeformer, usando um robô de sete eixos “iiwa”  (assistente de trabalho industrial inteligente) da Kuka – exclusivo no mundo da manufatura aditiva até o momento.

Os visitantes interessados em construção leve puderam ver em ação a nova técnica de formação de espuma física Profoam em uma injetora hidráulica Allrounder 630 S. Como exemplo de produto, foi demonstrado um compartimento cinético reforçado com fibra de vidro – um produto da indústria automobilística.

Uma aplicação complexa de dois componentes foi demonstrada usando-se uma injetora elétrica Allrounder 470 A com um molde de 32 + 32 cavidades, que usou borrachas de silicone líquido (LSR) para produzir botões para interiores de automóveis. Outros exemplos práticos, por exemplo, para as indústrias médica e de embalagem, bem como uma micro-célula de produção, completaram as demonstrações da Arburg na feira.

Fonte: Arburg

Curta nossa página no

Na Fakuma 2015, Arburg posiciona-se com o conceito de fornecedora de sistemas para fabricação de peças plásticas

21/07/2015

• Manufatura aditiva: peças de produção em massa injetadas são personalizadas no Freeformer
• Indústria 4.0: produção para projetos pontuais automatizada e em rede
• Processos inovadores: Construção leve, processamento de borracha de silicone líquida, tecnologia de embalagem, etc.

 Juliane Hehl, sócia-administradora da Arburg

Juliane Hehl, sócia-administradora da Arburg

Durante a feira Fakuma, em Friedrichshafen (Alemanha), de 13 a 17 de Outubro de 2015, a Arburg vai se apresentar além da tecnologia de máquinas, posicionando-se como um fornecedor de sistemas de produção para manufatura de peças de plástico.

Oito máquinas Allrounders, três Freeformers, o sistema de computador host ALS da Arburg e automação integrada estarão em exibição no Salão A3, stand 3101, durante a feira.  Aplicativos eficientes em termos de produção indicam a tendência atual da indústria. Um dos destaques é a personalização de peças de produção em massa através da combinação de moldagem por injeção e manufatura aditiva, incluindo a integração com tecnologias Indústria 4.0. Processos inovadores de construção leve, moldagem por injeção multi-componente, processamento de borracha de silicone líquida, exemplos práticos para tecnologia médica e de embalagem e um micro-sistema de produção completam a apresentação da empresa alemã na feira. Outras oito injetoras AllRounder poderão ser encontradas nos estandes de parceiros da Arburg.

“Temos trabalhado sobre o tema da Indústria 4.0 há algum tempo. Com máquinas Allrounder automatizadas, o Freeformer para manufatura aditiva e soluções de Tecnologia da Informação, estamos cada vez mais nos desenvolvendo como um fornecedor de sistemas de produção para a produção integrada na fábrica digital”, salienta a Sócia Administradora da Arburg, Juliane Hehl. “Em Friedrichshafen, vamos mostrar na prática como peças de produção em massa podem ser personalizadas e rastreadas de uma maneira específica para a peça, usando a manufatura aditiva industrial com o Freeformer. As outras mostras no nosso stand de exposição, cada uma das quais também é um destaque, vão da mesma forma surpreender os visitantes “.

Combinação: Allrounder, Freeformer e Indústria 4.0

Arburg_FreeformerTrês Freeformers vão estar em exposição durante a Fakuma. Eles produzirão  componentes complexos a partir de grânulos de plástico comuns, sem o uso de moldes, através da fabricação aditiva industrial, a qual personaliza peças injetadas de produção em massa e ilustra também o tema da Indústria 4.0.

Os visitantes do stand poderão fazer versões exclusivas de várias tesouras de escritório, por exemplo. Em primeiro lugar, uma injetora elétrica Allrounder 370 E molda alças plásticas sobre lâminas de aço inoxidável, nas quais um código especial é então gravado a laser e, depois, nomes personalizados em 2D ou 3D são aplicados com laser ou com o Freeformer.

Um sistema robótico Multilift V insere a tesoura em um suporte e a transporta para fora da célula de produção, através de uma correia transportadora. Um scanner então verifica se a tesoura vai entregue diretamente ao visitante ou se a rotulação 3D feita com plástico será aplicada usando o Freeformer, em uma etapa posterior.

Durante a Fakuma 2015, a Arburg irá apresentar, pela primeira vez, uma solução de automação altamente flexível em combinação com o Freeformer: um robô de seis eixos montado em uma plataforma móvel da Kuka, batizada como ‘iiwa’ (assistente de trabalho industrial inteligente, na sigla em inglês), manuseia o carregamento e a descarga automática no Freeformer. Além da sua mobilidade e o alto grau de flexibilidade associada, a principal vantagem desta automação é a possibilidade da cooperação autônoma direta entre o ser humano e o robô. O robô vai entregar as tesouras personalizadas em 2D e 3D diretamente para os visitantes no Fakuma.

Um segundo exemplo prático de produção em rede vai ser apresentado por um Freeformer que faz o acabamento em interruptores de luz moldados por injeção com uma combinação de símbolos e nomes personalizados, em grandes volumes. Aqui também, o próprio produto se torna um veículo de informação através de um código aplicado por laser. Todos os componentes para esta produção em rede são supridos pelo fornecedor de sistemas Arburg.

O sistema de computador-host da Arburg (ALS) documenta continuamente todos os parâmetros relevantes do processo e os encaminha para um servidor web. Uma página web exibindo todos os dados relevantes do processo pode ser aberta por meio de um código individual, através de dispositivos móveis. Cada peça individual pode ser continuamente controlada desta forma.

Além das aplicações da “Indústria 4.0”, todas as exposições no stand da Arburg estarão conectadas através do ALS. Os visitantes poderão experimentar o desempenho do sistema de computador host – que é otimizado para operações de moldagem por injeção – conectando-se à máquina e aos dados operacionais “ao vivo” no estande, além de poderem também receber conselhos de especialistas.

O inovador processo de construção leve “Profoam”

Com uma aplicação inovadora para a indústria automotiva, a Arburg vai apresentar um processo físico de produção de espumas de termoplásticos. O processo de construção leve inovador Profoam vem sendo pesquisado e desenvolvido em conjunto com o instituto alemão IKV (Institute for Plastics Processing). Ele permite uma economia significativa de materiais em peças plásticas automotivas e, portanto, uma redução no consumo da frota de veículos e emissões de CO2. Devido à redução em volume e peso, o processo também reduz o tempo de resfriamento da  peça no molde, minimiza a ocorrência de rechupes, contração e empenamento e não exige quaisquer dispositivos periféricos adicionais. Máquinas injetoras convencionais podem ser empregadas com este processo e ser também utilizadas para outras aplicações.

O estágio atual de desenvolvimento do Profoam será apresentado na Fakuma 2015 em uma injetora Allrounder hidráulica 630 S. Uma unidade de injeção com rosca de geometria normal será usada. Os grânulos de plástico são inicialmente misturados com o fluido propulsor. Durante a plastificação, o propulsor é dissolvido na massa fundida e somente escapa novamente quando a pressão é reduzida durante o processo de injeção, sob a forma de “bolhas” microcelulares. O resultado é um componente leve, robusto e de baixa-distorção, com uma estrutura de espuma homogênea. Outras vantagens do Profoam são o controle de processos simples, uma temperatura da massa fundida que não agride o material e a conservação de fibras longas durante a preparação da massa fundida, já que o processo não requer nenhum elemento de cisalhamento ou mistura no material fundido.

Duplamente macios: botões de pressão de LSR / composto de LSR

Uma injetora elétrica Allrounder 470 A de dois componentes, com uma força de fechamento de 1000 kN, uma unidade de injeção de tamanho 170 e uma segunda unidade de injeção de tamanho 30, em uma configuração em “L”, fabricará botões de pressão para o interior de veículos a partir de borracha de silicone líquida (LSR). O diafragma da peça moldada é fabricado com LSR colorida com uma dureza Shore de 50; o disco interior, a partir de LSR transparente com uma dureza Shore de 80. Silicones, ao contrário dos termoplásticos, não se degradam ou amarelam; assim, permitem uma textura particularmente agradável e aparência invariável ao longo de todo o seu ciclo de vida. A mostra operará com um molde 32 + 32 cavidades da Trelleborg e uma unidade rotativa elétrica. Os pesos de material injetado são especialmente pequenos – apenas 2,04 e 0,98 gramas. Um sistema robótico Multilift V, operando verticalmente, remove as peças acabadas do molde, realiza uma inspeção visual utilizando uma câmara de imagem térmica e os posiciona de acordo com suas cavidades.

Fabricação refinada: alças, cesta de frutas e conectores em Y

O fato de que as máquinas injetoras Allrounder hidráulicas, híbridas e elétricas são adequadas para uma ampla gama de usos será demonstrado na Fakuma com aplicativos específicos da indústria.

Por exemplo, uma Alrounder 570 S hidráulica de dois componentes, com uma força de fechamento de 2000 kN e tamanho da unidade de injeção 400 e 170,  irá produzir alças de serras de jardim em polipropileno reforçado com 40 por cento de fibra de vidro e TPE amigável ao tato. A máquina é completada por uma célula robótica móvel. Um pequeno robô Agilus de seis eixos, que se move sobre um eixo linear adicional transversalmente à máquina, remove as alças acabadas, submete-as à tampografia e, em seguida, coloca-as sobre uma correia transportadora. A automação flexível é caracterizada por movimentos dinâmicos e pela entrada rápida no molde. Isto resulta em tempos de ciclo curtos e elevada produtividade.

Uma Allrounder 820 H híbrida foi especialmente configurada na versão “Packaging” para aplicações na indústria de embalagens. A máquina de alta velocidade, com uma força de fechamento de 3700 kN e uma unidade de injeção de tamanho 1300, irá produzir pequenos cestos dobráveis (175 x 175 x 85 mm) para frutas, a partir de polipropileno, em um tempo de ciclo de cerca de 5 segundos. Etiquetas IML (in-mould labeling) serão adicionadas, utilizando-se automação fornecida pela Campetella. Dependendo da exigência, as cestas de frutas são colocadas em diferentes correias transportadoras para serem dobradas em conjunto ou abertas para fora.

Uma Allrounder 470 A elétrica, com uma força de fechamento de 1.000 kN, demonstrará aplicação para o campo da tecnologia médica, produzindo conectores em Y para terapia de infusão com um molde de 8 cavidade da Männer. O tempo de ciclo é de cerca de 15 segundos. O destaque desta aplicação é a injeção lateral através de um bico shut-off do tipo agulha e a desmoldagem por três lados. As peças são moldadas em PMMA (acrílico), cada uma pesando 1,1 gramas. A mostra tem uma correia transportadora estendida com uma tampa-túnel para comunicação com uma sala limpa. Ao colocar a máquina e equipamentos periféricos do lado de fora da sala limpa e somente transportar as peças limpas produzidas para dentro, a sala limpa pode ser operada com um alto nível de custo-benefício. Um módulo de ar limpo com ionização, por cima da unidade de fechamento, garante a atmosfera limpa necessária (classe ISO 7) durante a produção em série.

Solução de sistema para microcomponentes

Também estará em exibição na Fakuma 2015 um micro sistema de produção baseado em uma Allrounder 270 A elétrica, equipada com uma nova micro unidade de injeção e um robô Multilift H 3 + 1 horizontal compacto para uma separação confiável do micro componente e do canal de entrada. Um módulo de ar limpo com ionização assegura um ambiente de produção controlado e constante e impede eficazmente a adesão de micro componentes na área de trabalho.

A microunidade de injeção é projetada especialmente para controle preciso sobre pequenos deslocamento da rosca, em conjunto com uma alta dinâmica de preenchimento. Ela combina a escolha de uma rosca de 18 ou 15 milímetros para a fusão do material com uma rosca de 8 milímetros para a injeção. Isso permite o uso de grânulos de tamanhos normais e, portanto, todos os materiais comuns podem ser processados sem problemas, de modo que menores pesos de material injetado podem ser alcançados de forma precisa, com pequenos deslocamentos da rosca.

O micro sistema de produção fabricará quatro micro rodas em um tempo de ciclo de doze segundos. Nove componentes pesam o mesmo que um único grânulo de material de PBT. O robô de dois braços especialmente projetado remove simultaneamente o canal de entrada e as delicadas micro-rodas de apenas 0,004 gramas e as posiciona separadamente, com cuidado, de acordo com a posição da sua cavidade.

Fonte: Arburg

Curta nossa página no

Arburg entra no negócio de impressão 3D e apresenta novo equipamento durante a K’2013

21/10/2013

K_fair_ArburgA Arburg ampliou seu portfólio de produtos para incluir a fabricação aditiva (impressão 3D), abrindo as portas para novas possibilidades na produção de peças de plástico. Na K 2013, a fabricante de máquinas de moldagem por injeção alemã revelou seu segredo e apresentou seu equipamento de impressão 3D (freeformer) e o AKF ARBURG Plastic Freeforming ( AKF ) ao mercado de plásticos .

O Freeformer da Arburg produz peças de plástico totalmente funcionais usando a nova técnica de fabricação aditiva – ARBURG Plastic Freeforming ( AKF ) – a partir de arquivos de CAD em 3 dimensões, com grânulos de plásticos convencionais e sem um molde. Ela, portanto, oferece liberdade para a produção eficiente de peças individuais e lotes de pequeno volume de peças .

Com base em cerca de 60 anos de experiência no processamento de plásticos e construção de máquinas, a Arburg desenvolveu o Freeformer e a AKF internamente – para uma abrangente eficiência de produção. A solução inovadora oferece uma maior liberdade na escolha, combinação e processamento de plásticos, produção de componentes sem estruturas de apoio e um ambiente de produção livre de pó.

Ao contrário das técnicas de fabricação aditiva (impressão 3D) convencionais, com a técnica AKF da Arburg, granulados convencionais são fundidos, da mesma forma que no processo de moldagem por injecção. O Freeformer produz o componente sem estruturas de apoio, camada a camada, através de minúsculas gotículas, adicionadas por um bico. A unidade de descarga das gotículas e o bico permanecem estacionários, enquanto o porta-componente se move.

O processo AKF faz uso de arquivos de CAD 3D, que são lidos diretamente pelo Freeformer . Após a partida, tudo acontece automaticamente. Durante este processo, o produto sob construção é movimentado por um porta-componente com três ou cinco eixos.

Destaques da tecnologia:

  • Peças plenamente funcionais são criadas com gotas de plástico minúsculas , sem um molde
  • Versátil: grânulos de plásticos convencionais de baixo custo são usados, ao invés de materiais especiais caros
  • Não há estruturas de apoio : a unidade de descarga estacionária e porta-componente móvel para geometrias complexas em 3D
  • Combinável: a técnica AKF também é adequada para o processamento de dois componentes, por exemplo, em combinações móveis hard / soft
  • Sem esforço: as peças são automaticamente construídas, camada por camada, com base em arquivos de CAD 3D
  • Bico de fechamento cronometrado, com piezo-tecnologia, garante alta qualidade de parte
  • Porta-componente de 3 ou 5 eixos com motores lineares para geometrias complexas em 3D, sem estrutura de apoio
  • Operação intuitiva usando gestos com as mãos sobre a tela multi-touchscreen de alta qualidade
  • Ambiente de produção silencioso e livre de pós

Fonte: Arburg

 

Curta nossa página no

SPI americana anuncia a “NPE3D”, um novo evento anual cuja estréia acontecerá na NPE2015

21/10/2013
  • Designers e fabricantes poderão ver a impressão 3D em primeira mão
  • Todos os participantes da NPE terão acesso às exposições e demonstrações da NPE3D

 NPE3D-LogoUma tecnologia para produção de protótipos tridimensionais, componentes de moldes e até mesmo peças acabadas, diretamente a partir de arquivos digitais, será o foco de uma nova exposição anual chamada NPE3D: A Feira de Soluções e Conferência 3D Global do Setor Industrial, anunciou hoje a SPI: A Associação Comercial do Setor de Plásticos (Plastics Industry Trade Association) dos EUA.

A primeira NPE3D será realizada em conjunto com o evento da SPI chamado NPE2015: A Feira Internacional de Produtos Plásticos (International Plastics Showcase), e estará aberta aos portadores de identificação e ao público em geral. A NPE2015 ocorrerá entre 23 e 27 de março de 2015 em Orlando, Flórida. Depois disso, nos anos em que a NPE, que é trienal, não for realizada, a SPI anunciará o local e o cronograma da NPE3D.

A NPE3D trará exposições e demonstrações informativas sobre a impressão 3D, uma tecnologia cujos avanços recentes estão rapidamente tornando-a mais acessível para designers, fabricantes de ferramentas e processadores em diversos setores, como automotivo, de produtos de consumo, dispositivos médicos e embalagens, de acordo com Gene Sanders, vice-presidente sênior de conferências e feiras comerciais da SPI.

“A NPE2015 será o ambiente de inauguração perfeito para uma feita de aprendizado voltada para a impressão 3D, fornecendo uma base de expositores incorporada e um público de mais de 60.000 profissionais da indústria, muitos dos quais têm uma grande necessidade de saber mais sobre essa tecnologia revolucionária”, disse Sanders. “A grande diversidade do setor de plásticos reunido na NPE2015 fará da NPE3D uma plataforma ideal para discussão e debate, com a participação de uma enorme gama de mercados e perspectivas.”

Durante a NPE2015, a NPE3D ocorrerá em uma área próxima, com acesso público para todos. Mais informações sobre a NPE3D estão disponíveis em http://www.NPE3D.com.

Fundada em 1937, a SPI: The Plastics Industry Trade Association promove crescimento no setor de plástico dos EUA, avaliado em US$ 380 milhões. Representando quase 900 mil trabalhadores americanos no terceiro maior setor de fabricação dos EUA, a SPI fornece aconselhamento jurídico, pesquisas de mercado, promoções da indústria e o estímulo a relações comerciais, além de estratégias de desperdício zero. Desde fornecedores de resina e fabricantes de equipamentos a processadores e proprietários de marcas, a SPI representa todas as facetas do setor de plásticos dos EUA. A SPI também é proprietária e produz a feira internacional NPE. Todos os lucros da NPE são reinvestidos nos serviços da SPI à indústria.

Fonte: Martino Communications / SPI

Curta nossa página no

Stratasys e Arburg colaboram na utilização de moldes de injeção impressos com tecnologia 3D

11/09/2013
  • Moldes impressos com materiais da Stratasys e instalados nas injetoras de plástico Arburg são usados para criar protótipos a partir do material do produto final real;
  • Outra aplicação é o uso de moldes criados com materiais da Stratasys para verificar os produtos em fase de desenvolvimento interno ou que precisam passar por testes realizados por órgãos reguladores;
  • Moldes impressos em 3D aceitam a injeção de um número finito de peças ou produtos, variando de 10 a 100 unidades;
  • Os setores automotivo, aeroespacial e de defesa são os mais avançados no uso de moldes criados com o uso de impressoras 3D.

 A Stratasys, Ltd., uma das principais fabricantes de impressoras 3D e sistemas de produção para prototipagem e manufatura do mundo, anuncia sua colaboração com a Arburg Brasil, subsidiária da alemã Arburg. Um dos líderes globais do mercado de injetoras de plástico, esta empresa tem se destacado, nos últimos 20 anos, no segmento de soluções industriais verdes, que promovem a eficiência energética e a sustentabilidade.

“A soma das tecnologias Arburg e Stratasys abre para as indústrias brasileiras a possibilidade de saltar para o centro da nova revolução industrial e passar a usar moldes impressos em 3D nas injetoras de plástico Arburg”, destaca Renata Sollero, gerente de território para o Brasil. “Isso permite reduzir o período de desenvolvimento e lançamento de produtos, além de baixar o custo de todo o processo”. Segundo Renata, um único molde de aço pode custar dezenas ou centenas de milhares de reais e levar de uma semana a meses para ser produzido. “O molde impresso em 3D, por outro lado, é produzido em questão de horas; no caso de alguma mudança ou ajuste no projeto do produto a ser injetado, um outro molde impresso em 3D é gerado com igual rapidez, o que agiliza todo o processo de desenvolvimento de produto”.

O uso de moldes impressos em 3D é mais frequente na indústria automobilística – em especial em empresas que fabricam peças e componentes pequenos e médios. “Em seguida vem a indústria aeronáutica e de defesa, seguidas pelos fabricantes de produtos eletrônicos, brinquedos, sapatos e equipamentos médicos”, detalha Renata.

Coexistência entre moldes impressos em 3D e moldes de alumínio e aço

Para Kai Wender, diretor geral da Arburg Brasil, a colaboração com a Stratasys coloca ao alcance das empresas usuárias das injetoras Arburg a possibilidade de acelerar seus processos de desenvolvimento de produtos e de geração de moldes. Segundo o executivo, o mercado vive hoje um momento de diversificação de tecnologias, em que moldes de aço podem, em alguns casos, ser complementados ou até mesmo substituídos por moldes impressos em 3D. “De qualquer maneira, ao escolher as injetoras de plástico da Arburg, os usuários esperam encontrar os mesmos valores que a empresa tem defendido nos últimos 50 anos: uma empresa inovadora, habilitada para o desenvolvimento de injetoras de plástico reconhecidas por sua eficácia e robustez, totalmente qualificada para suportar os processos industriais de manufatura”, declara Wender. “Estamos passando por um período em que os moldes de aço tradicionais e os moldes criados com impressoras 3D podem coexistir na mesma empresa, cada um atuando em aplicações específicas com base na limitação de geometria e nos materiais plásticos injetados”.

Aplicações de “soft tooling”

O uso de moldes gerados em impressoras 3D nas injetoras de plástico Arburg é uma aplicação de “soft tooling”, ferramentaria leve. Após ser impresso em impressoras 3D e com materiais digitais da Stratasys, o molde é colocado na injetora de plástico. Esses moldes suportam a pressão de injeção e podem produzir o primeiro lote de peças injetadas a partir do material do produto final. “As partes internas dos moldes impressos em nossas impressoras são idênticas às partes internas dos moldes de aço, e elas podem aceitar, por meio da injeção de plástico, a maioria dos materiais amplamente usados no setor”, acrescenta Renata. Os materiais incluem polipropileno, elastômeros termoplásticos, acetal (POM) e ABS, e assim por diante. “Isso demonstra que as empresas que desejam substituir moldes de aço por moldes impressos com materiais da Stratasys podem continuar a empregar plásticos já usados intensamente como material de injeção em todo o setor”. Renata ressaltou também que os usuários deveriam considerar que esse processo pode exigir pequenas alterações de projeto no molde em relação ao projeto do molde de aço (isto é, ângulos de inclinação mais altos e ponto de injeção de material mais amplo para reduzir a pressão de cavidade).

As aplicações de soft tooling estão conquistando o mercado. “Atualmente, temos várias aplicações em grande escala para moldes impressos em 3D. Na maioria delas, a principal vantagem é a verificação de material real moldado e injetado de forma rápida e relativamente econômica”, observa Renata. Uma das aplicações está relacionada a indústrias de plásticos que produzem grandes quantidades de peças e produtos. Com o uso de moldes 3D, essas empresas têm a opção de verificar o molde de aço que será usado futuramente para injetar as peças. Neste caso, as indústrias de plástico imprimem geralmente de 10 a 20 moldes em material da Stratasys antes de obter o molde perfeito, que será usado como base para a criação do molde de aço final.

Uma das aplicações mais conhecidas de moldes impressos em 3D é na produção de pequenas séries de produtos para validação interna de projetos ou, então, validação de produtos que serão examinados por órgãos reguladores como a ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas). “No Brasil, por exemplo, um brinquedo só pode ser fabricado depois de ter sido examinado e testado no laboratório da ABNT. Para submeter esse brinquedo à série de testes necessária, seria preciso montar toda a linha de produção e também gerar o molde em aço para a injetora de plástico”, explica Renata. “Moldes impressos em 3D e colocados na injetora de plástico podem ser usados para a produção do brinquedo sem que, antes, toda a linha de produção industrial seja montada”.

Quantidade de peças injetadas depende de diversos fatores

Outra aplicação estratégica de moldes impressos em 3D está relacionada à possibilidade de usar moldes impressos em 3D para personalizar o produto desejado. “Nessa aplicação, as injetoras de plástico recebem moldes que são ligeiramente diferentes entre si; esses moldes serão usados para criar produtos em linhas limitadas e personalizadas, feitos sob medida para mercados e usos específicos”, explica Renata. Fatores como a complexidade geométrica deste molde e sua maior ou menor resistência ao calor e à temperatura definem a quantidade de peças que podem ser criadas com esses moldes. “Cada caso tem suas limitações. Em geral, os moldes impressos com a tecnologia da Stratasys podem aceitar a injeção de um número de peças ou produtos que varia de 10 a 100 unidades”. As empresas que desejam injetar milhões de peças ou produtos devem continuar a usar os moldes de aço nas máquinas de moldagem por injeção de plástico, pois eles são mais indicados nesse tipo de aplicação”, finaliza Renata.

Sobre a Stratasys .: Com sede em Minneapolis nos Estados Unidos e em Rehovot, em Israel, a Stratasys produz impressoras 3D e materiais para prototipagem e fabricação de produtos. Seus processos patenteados FDM® e PolyJet®  produzem protótipos ou objetos fabricados diretamente de arquivos de CAD 3D ou de outros conteúdos 3D. Entre os sistemas incluem-se impressoras desktop 3D acessíveis para desenvolvimento de ideias, uma série de sistemas para prototipagem e grandes sistemas de produção para manufatura digital direta. Entre as subsidiárias da Stratasys destacam-se a MakerBot e a Solidscape; a empresa opera, ainda, a rede de serviços para manufatura digital RedEye. A Stratasys conta com mais de 1.500 funcionários e possui mais de 500 patentes concedidas ou pendentes de manufatura aditiva no mundo inteiro.

Sobre a Arburg: Empresa alemã construtora de máquinas, é um dos fabricantes líderes mundiais de máquinas de moldagem por injeção para o processamento de plásticos com forças de fechamento entre 125 kN e 5.000 kN. Sistemas robóticos, soluções personalizadas específicas para setores e clientes e outros periféricos completam sua linha de produtos.  A Arburg está representada por suas próprias organizações em 32 locais e 24 países, e por parceiros comerciais em mais de 50 países. As máquinas são produzidas exclusivamente na matriz em Lossburg, Alemanha. De um total de mais de 2.200 funcionários, aproximadamente 1.840 trabalham na Alemanha. Ao redor de 360 funcionários trabalham nas organizações da Arburg no mundo inteiro. Em 2012, a Arburg tornou-se uma das primeiras empresas a ganhar uma certificação tripla: ISO 9001 (Qualidade), ISO 14001 (Meio ambiente) e ISO 50001 (Energia). Mais informações sobre a Arburg podem ser encontradas em www.arburg.com .

Fonte: Stratasys (Gad Comunicação)

Curta nossa página no

Tecnologia de impressão em 3D é usada para produção de peças aeronáuticas com resina de Polieterimida da SABIC-IP

16/10/2012

A SABIC-IP anunciou que a sua resina de polieterimida ULTEM 9085 está ajudando a resolver um dos maiores desafios para a indústria aeronáutica – a capacidade de produzir  pequenos volumes de peças de forma rápida e econômica. Juntamente com a tecnologia Fused Deposition Modeling (FDM ®) da empresa Stratasys, Inc., a resina de polieterimida da SABIC-IP está permitindo que um cliente da Stratasys – a Taylor-Deal Aviation LLC (TDA) – com sede em Dallas, Texas – crie peças especiais para manuseio de fluidos e ar apenas algumas horas – em vez de semanas – ao mesmo tempo em que atende às normas mais recentes da indústria aeronáutica para chama, fumaça e toxicidade.

Os principais benefícios do uso exclusivo da nova resina ULTEM 9085 com a tecnologia FDM incluem uma avançada flexibilidade de design, economicidade de produção a baixos volumes, tempos de ciclo acelerados e conformidade com os regulamentos para chama-fumaça-toxicidade da Federal Aviation Administration (FAA).

“A Taylor-Deal Aviation está sendo pioneira em novas tecnologias que dão aos clientes aeroespaciais economias de custo, tempo e peso”, disse Brian M. Taylor, presidente da Taylor Deal-Aviation. “Com a resina de polieterimida ULTEM de alto desempenho da SABIC e a avançada tecnologia FDM da Stratasys, estamos criando novos e estimulantes desenhos que permitem a produção rentável de pequenas quantidades de peças especiais. Esta nova solução está nos ajudando a fornecer aos clientes, de maneira rápida, componentes de qualidade superior que  oferecem adequação aos regulamentos da FAA, além de baixo peso para uma melhor eficiência no uso de combustível. Ao mesmo tempo, coloca-nos no caminho para crescermos em novos mercados globais. “

“Nosso equipamento de FDM é ideal para a rápida produção de peças com geometrias complexas que não poderiam ser feitas tão facilmente ou de forma rentável utilizando processos tradicionais de fabricação”, disse Ryan Sybrant, gerente de desenvolvimento de negócios da Stratasys. “O sucesso com a tecnologia FDM também depende do uso do material certo. A combinação da tecnologia FDM com a resina ULTEM da SABIC dá a clientes como a Taylor-Deal Aviation uma solução completa. É um tipo de projeto e método de fabricação alternativo que pode criar peças acabadas para aplicações exigentes da indústria de aviação. “

A tecnologia de processo FDM patenteada pela Stratasys e o processo de manufatura aditiva criam peças tridimensionais diretamente de arquivos de CAD no computador, camada por camada, para uso na verificação de design, prototipagem, desenvolvimento e fabricação.

A tecnologia FDM resolve dois principais desafios para a TDA:

  • Em projetos e modificações personalizadas de aeronaves, existem limitações geométricas que tornam os métodos de produção tradicionais ineficazes.
  • As ferramentas para peças de fibra de vidro e os custos de usinagem de peças metálicas fazem com que a produção de pequenas quantidades de peças, muito comum na indústria aeroespacial, se torne muito cara.

A resina de polieterimida da SABIC aumenta a atratividade da tecnologia FDM

Segundo a SABIC,  a resina ULTEM 9085 cumpre os pré-requisitos das normais da FAA, quando comparada  com materiais concorrentes, tais como o PEEK.  A resina de PEI também apresenta retardância inerente  à chama, sem aditivos. A resina de ULTEM da SABIC também fornece uma elevada relação resistência-peso, excelente resistência térmica elevada, alta resistência e rigidez e uma resistência química abrangente.

David Wildgoose, gerente geral de resinas de engenharia da SABIC IP, observA: “As excepcionais propriedades físicas da resina Ultem de alto desempenho aumentam o valor da tecnologia de FDM para produzir rapidamente componentes manufaturados diferenciados. Como resultado, a TDA não só ganhou eficiência do processo de FDM, mas também é capaz de fornecer componentes personalizados que satisfazem os mais exigentes requisitos de segurança em aeronaves. O uso da tecnologia FDM com resina Ultem apresenta grandes oportunidades para uma ampla gama de aplicações onde não havia anteriormente soluções rentáveis. “

A tecnologia FDM usando a resina ULTEM 9085 pode ser aplicada a outras indústrias, tais como a indústria ferroviária e outros setores de transporte, onde é vital reduzir os custos de produção, eliminar peso para reduzir o consumo de combustível, melhorar a liberdade de design e atender aos padrões de segurança em relação a chama-fumaça-toxicidade. As aplicações incluem peças e dutos para manusear ar ou líquidos em espaços ocultos ou outras peças que necessitam de geometrias complexas. Outros setores que podem se beneficiam da tecnologia Stratasys incluem os segmentos automotivo, médico, de produtos de consumo e militar.

Fonte:  SABIC-IP

Curta nossa página no