Posts Tagged ‘K 2016’

Tendências na K 2016: feira apresenta abundância de aplicações inovadoras e mostras complexas

09/09/2016

Materiais sob medida, uso eficiente dos recursos, produção com defeito zero, materiais leves e digitalização são apenas algumas das muitas tendências tecnológicas caracterizadas na feira deste ano

k2016Nenhuma outra feira do mundo apresenta materiais poliméricos, bem como máquinas de processamento de plásticos e borracha, tecnologia e equipamentos em tal abundância e em tal nível de qualidade superior como a feira K, em Düsseldorf / Alemanha. Não há outra exposição que mostre tal ampla variedade de mostras complexas e de qualidade superior. Foi com base nessas características que Werner Matthias Dornscheidt, CEO da Messe Düsseldorf, chamou a última feira K em 2013 de “maior fábrica de plásticos no mundo”. A K 2016 irá mais uma vez proporcionar uma visão abrangente de tecnologias de polímeros na vanguarda do desenvolvimento global.

Materiais funcionais sob medida e específicos para aplicações

Desde os anos 1990, essencialmente nenhum novo polímero entrou em produção em escala industrial – a menos de alguns biopolímeros. Assim, processos como a modificação, aditivação e funcionalização de matérias-primas poliméricas com o objetivo de criar compostos sob medida para aplicações específicas ou para a produção de propriedades específicas tornaram-se o eixo central de toda a produção de polímeros industriais. Atualmente, o foco principal parece residir na aprovação dos materiais que entram em contato com os alimentos ou água potável e de materiais utilizados em aplicações médicas. Outro objetivo importante para materiais feitos sob medida: resistência química suficiente para substâncias como cosméticos ou outros produtos químicos e estabilidade contra temperaturas de operação contínua e de pico, que são comuns em sistemas eletrônicos ou de iluminação. Em adição a uma condutividade térmica ajustável, muitas aplicações também requerem resistência elétrica ou condutividade elétrica ajustáveis. O mesmo se aplica a aplicações baseadas em borracha: solicitados a cumprir os exigentes requisitos de certificações para aplicações de água potável ou a fornecer retardância de chama confiável em materiais, os componedores vem aplicando uma grande expertise aos seus processos de formulação de blendas. Aplicações em borracha operadas muito próximas a motores de combustão devem resistir a temperaturas de operação e de pico progressivamente maiores, bem como a meios agressivos. Não só os veículos elétricos requerem pneus altamente eficientes e com melhor tração e resistência minimizada ao rolamento.

Uma utilização mais eficiente dos recursos traz novos desafios

A chamada para um uso responsável e cuidadoso de recursos finitos e seu consumo restritivo não é apenas uma exigência popular amplamente expressa, mas também uma necessidade econômica. Isto envolve o uso eficiente de materiais, isto é, materiais poliméricos. A seleção de um design de produto final específico para o material e para a produção é frequentemente o primeiro passo no sentido de tornar os processos de produção mais eficientes.

Também houve grandes melhorias no consumo de energia das máquinas de processamento de plásticos. No entanto, os fabricantes de grandes máquinas de processamento, da maioria de todas as máquinas de moldagem por injeção, bem como máquinas de moldagem por compressão, extrusoras e máquinas de moldagem por sopro, ainda identificam potencial para reduzir as taxas de consumo de suas máquinas. Eles estão se movendo para mais perto dos limites físicos e estão minimizando a energia necessária para plastificar o material. O padrão Euromap 60 para medir o consumo de energia das máquinas oferece aos processadores um mínimo de transparência. Para situações onde as taxas de consumo de energia são inevitáveis, os fabricantes de máquinas desenvolveram componentes que recuperam energia a partir de processos como a desaceleração dos movimentos da máquina e a acumula para outros processos motrizes. Usado em conexão com equipamentos e instalações técnicas, sistemas de recuperação de calor tornaram-se parte do equipamento padrão inicial de novas instalações e também foram adaptados em muitas instalações existentes.

Hoje em dia, a maioria dos fabricantes de máquinas e equipamentos chegaram à conclusão de que a melhor eficiência e disponibilidade de materiais frequentemente têm um efeito mais positivo sobre a eficiência global dos processadores do que economias de energia pouco expressivas. Embora a redução de energia pareça dominar o domínio público, soluções práticas que reduzem os tempos de troca de moldes estão atualmente na moda: sistemas de fixação rápida, sistemas de troca rápida, soluções de adaptadores e sistemas que detectam automaticamente qualquer molde recém-instalado. Todos estes produtos podem melhorar a disponibilidade de uma máquina e alargar a gama de produção do fornecedor. Isto se aplica para o processo de injeção, tanto de plásticos como de borracha, à medida que os fabricantes de máquinas de processamento de borracha também começaram a melhorar a flexibilidade de troca de produtos dos seus equipamentos, a aumentar o nível de automação e a fazer os procedimentos de processamento mais transparentes. De forma análoga aos benefícios da tecnologia de câmara quente para moldagem por injeção de termoplásticos, a tecnologia de câmara fria freqüentemente resulta em economia de material durante os processos de injeção de elastômeros.

Produção com defeito “zero”  ainda no topo da agenda

O objetivo de muitos transformadores de plásticos, a produção com defeito “zero” visa eliminar o desperdício da valiosa matéria-prima. Muitos sistemas podem contribuir para isso. A eliminação de corte de rebarbas, bem como a redução automática das tolerâncias de espessura de filmes plásticos, chapas e perfis, bem como de vedantes de borracha, por exemplo, tornam os processos de extrusão mais eficiente no uso de recursos. Estratégias envolvendo simulações e análise de dados correntes durante o processo ativo também visam impedir a produção de itens com defeito. Para processos de moldagem por injeção que permitem a detecção de defeitos durante a produção ativa, uma variedade de estratégias de separação estão disponíveis. Estas são baseadas em critérios de qualidade que foram medidos ou automaticamente determinados durante o processo ativo de produção. Processos que só permitem a detecção de defeitos na peça acabada operam progressivamente com sistemas ópticos como câmeras.

Feira K é o domínio da engenharia de peças leves

Na mobilidade, a engenharia de peças leves amplamente considerada como a chave para a redução do consumo de energia combustível. “Não há praticamente nenhum produto de plástico que não seja também uma aplicação de engenharia leve,” comentou o Prof. Dr.-Ing. Christian Hopmann recentemente sobre o peso mínimo e perfil de desempenho de materiais poliméricos. Ainda assim, os fabricantes de máquinas, assim como os produtores de plásticos e reforços, os institutos e os transformadores de plásticos fazem todos os esforços para desenvolver técnicas confiáveis para a produção em larga escala de componentes leves particularmente para aplicações de mobilidade, tais como carros e aviões, bem como para aplicações industriais individuais.

Existem numerosas e virtualmente infinitas combinações de métodos de produção especiais particularmente para as técnicas de RIM e de moldagem por injeção, que se esforçam para encontrar soluções adequadas para a produção em larga escala de componentes leves. Apesar do fato de que muitas feiras e conferências internacionais lidam com o assunto da engenharia leve ou compósitos com fibras, a feira K oferece uma visão geral bem mais profunda sobre as muitas maneiras com as quais as fibras de reforço em uma matriz de material polimérico podem rapidamente produzir componentes de peso otimizado com um máximo de capacidade do processo.

Híbridos de Metal e plástico e as várias combinações de fibras com matrizes de polímeros são mostrados durante a K. Termoplásticos, termofixos, matrizes de poliuretano à base de bio-materiais estão sendo combinados com fibras de vidro, carbono e outras materiais sintéticos ou naturais, de modo a satisfazer as exigências e demandas de aplicações modernas. As unidades de produção de componentes leves são frequentemente montadas por muitos parceiros, já que a produção envolve uma gama de diferentes ingredientes, desde fibras de reforço e manuseio automatizado de materiais flexíveis até  máquinas e equipamentos para a produção que frequentemente ocorre em estágios múltiplos. Os materiais da matriz polimérica devem estar em conformidade com os regulamentos para retardância de chama, ao mesmo tempo em que devem proporcionar propriedades mecânicas superiores e fluidez. A combinação das fibras e do material de matriz deve fornecer propriedades suficiente de união.

A digitalização oferece novas oportunidades de produção

O uso de equipamento digital em paralelo aos processos de produção, também chamada de “indústria 4.0”, permite que os transformadores de plásticos possam analisar os dados da sua própria produção a fim de recolher informações práticas de seus processos. Na feira K deste ano, os fabricantes de máquinas e software têm se esforçado para oferecer produtos atraentes para os transformadores de plásticos. A gama de produtos em exposição provavelmente irá envolver novos conceitos para acelerar os processos de partida da produção e para melhorar a flexibilidade dos processos de produção, bem como produtos de serviços para manutenção preventiva, fornecimento de peças de reposição e de gestão da qualidade. No longo prazo, os dados recolhidos durante os processos de produção também serão utilizados para adaptar equipamentos de produção tais como máquinas, robôs, moldes e matrizes às necessidades reais da operação do dia-a-dia e para otimizar o seu design para as especificações de aplicação prática.

Graças à digitalização, melhorias relacionadas com a operação de processos em tempo real têm um grande potencial para aumentar a eficiência da produção: é agora mais fácil do que antes combinar o design da peça moldada, a construção e propriedades do material com as diferentes opções disponibilizadas pela engenharia de moldes e melhorá-los com a inteligência acumulada de procedimentos de produção controlados por processo e temperatura. Por isso, a simulação com um intenso feedback entre a produção e odesenvolvimento tornou-se cada vez mais importante. De um modo geral, muitos fornecedores estão se esforçando para atender ao aumento da demanda por maior transparência da produção e processo através da intensificação da interação entre TI e a tecnologia clássica de produção.

Produção de plásticos: lotes de tamanho 1

Produções com tamanhos de lote reduzidos são o resultado de conceitos de armazenamento enxuto e uma crescente demanda por entregas just-in-time. Uma apresentação em particular, que foi exibida na K 2013, colocou a produção de peças plásticas por produção aditiva firmemente no mapa industrial e direto nas mentes de muitos transformadores de plásticos. Mesmo que esses métodos de produção ainda sejam limitados para termoplásticos amorfos e ainda não permitam o uso de cargas e reforços, eles ainda fornecem matéria para reflexões, à medida que as preferências do consumidor moderno e as tendências da moda parecem mudar com o clima e a individualização da produtos plásticos apresentou um novo desafio para a indústria. Por um lado, este desenvolvimento aumenta as possibilidades para a produção sem moldes de componentes e um lotes de produção de tamanho 1; por outro lado, ele também aumenta o interesse em conceitos de troca mais rápidos para métodos de produção convencionais, tais como moldagem por injeção. Por sinal, a produção através de moldagem por injeção está cada vez mais dominada por sistemas de troca rápida para moldes, trocas de inserções da cavidade ou pacotes completos de extratores para fazer as freqüentes trocas de produto mais eficientes.

Interfaces homem-máquina com operação intuitiva

Novas oportunidades em TI também tiveram um impacto visível nos sistemas de controle para máquinas modernas de processamento de plásticos. Chaves, botões e interruptores em formatos clássicos foram substituídos por painéis de operação estruturados de múltiplos toques e macios, com ou sem elementos de controle centrais de aperto e e torção central já estabelecidos em veículos modernos. O novo visual das interfaces clássicas homem-máquina tem como objetivo fornecer uma operação mais intuitiva e também aplica a lógica familiar de operação de smartphones, iPads e tablets às tarefas de controle industrial. Como muitos técnicos de produção têm que ser treinados para as suas tarefas, fabricantes de máquinas e transformadores de plásticos gostam desta nova abordagem e esperam atrair novos funcionários para sua empresa ao facilitando o seu trabalho com os sistemas de controle fáceis e intuitivos. Espera-se que estes novos sistemas ajudem os novos funcionários a descobrir as suas oportunidades de carreira pessoais em uma indústria moderna, crescente e à prova de futuro.

Fonte: Messe Duesseldorf

Curta nossa página no

Anúncios

Transformador coreano expande uso de linha de extrusão da battenfeld-cincinnati para produção de chapas para termoformagem ; máquinas serão apresentadas durante a Feira K 2016

22/07/2016

battenfeld-cincinnati

Baterias de rolos também serão apresentadas no stand da empresa durante a Feira K, em Düsseldorf

Na Coréia, a Dongjin é considerada como o maior fabricante de embalagens termoformadas. A maior parte da produção é exportada, mas também há comercialização de uma parcela no mercado interno. Os mercados principais são o EUA e o Japão. Através da expansão de sua planta, a Dongjin busca aumentar o seu portfolio de produtos e intensificar sua presença no mercado.

A Dongjin tem uma parceria com a battenfeld-cincinnati que já dura mais de 20 anos. Para produção de chapas, a Dongjin utiliza sete linhas da battenfeld-cincinnati: duas linhas de 7 camadas e cinco linhas de coextrusão simples – duas para PS, duas para PP ou PS e uma para PET. Uma nova linha de 3 camadas para fabricação de chapas de PS e PP com a bateria de rolos Multi-Touch será adicionada em um futuro próximo. E uma segunda linha de 3 camadas, também com baterias de rolos Multi-Touch, foi encomendada recentemente. Esta última fabricará chapas de PE, PP e PS num intervalo de espessura entre 0,35 a 2,0 mm para aplicações de termoformagem com um produção dee até 1500 kg/h. “Com a primeira linha Multi-Touch de alto desempenho, temos a capacidade de produzir 40% da chapa necessária e com custos de energia mais reduzidos”, afirma Song Seok Hwan, Presidente e CEO da Dongjin.

Graças à nova linha de extrusão de alto desempenho, o transformador agora necessita comprar de fornecedores externos uma quantidade significativamente menor de chapas, afirma a battenfeld-cincinnati. Isto traz uma grande vantagem, particularmente pelo fato de que os custos de investimento são pagos através da economia de energia. A linha completa precisa de aproximadamente 15-20% a menos de energia do que uma linha de extrusão de chapas convencional, assegura o fabricante de máquinas.

Segundo a battenfeld-cincinnati, a extrusora de alta velocidade é o principal responsável pela economia de energia, que é o segundo componente-chave da linha ao lado da bateria de rolos Multi-Touch. Com um diâmetro de rosca de 75 mm e um comprimento da unidade de processamento de 40 D , a extrusora atinge um fluxo de processamento até 2.000 kg/h, dependendo do material processado. O fabricante assegura que, graças ao design otimizado da rosca e cilindro, a extrusora provê uma ótima qualidade do material fundido mesmo com rotações elevadas de até 1200 rpm, criando, assim, condições para uma elevada qualidade do produto.

Qualidade combinada com elevada transparência, planicidade e espessura uniforme da chapa são hoje os parâmetros procurados pela indústria da embalagem. A bateria de rolos Multi-Touch foi projetada especialmente com isto em mente, afirma a battenfeld-cincinnati. Ao contrário de baterias de 3 rolos convencionais, a nova bateria trabalha com uma grande quantidade de espaços entre cilindros para assegurar uma refrigeração confiável e calibragem do lado superior e inferior da chapa, segundo a empresa. Na bateria de rolos Multi-Touch, a chapa passa primeiro através de uma unidade de pré-calibragem, constituída por dois cilindros grandes. Em seguida, a chapa entra na recalibragem, que está equipada com opções de 3, 5 ou 7 cilindros pequenos. Devido ao contato constante com os rolos, a chapa quase não apresenta orientação e um perfil de espessura particularmente uniforme, com uma acurácia de ± 1%, assegura a battenfeld-cincinnati. Isto contribui para a eficiência da linha, pois se pode alcançar economias significativas de matéria-prima, em comparação com linhas de extrusão de chapas convencionais

A battenfeld cincinnati afirma que, através do seu conceito de linha Multi-Touch, atende adequadamente às necessidades da indústria de embalagem em relação a chapas de alta qualidade produzidas em grande volume e com baixo consumo de energia.

A battenfeld-cincinnati fará a apresentação desta linha de produtos na feira de plásticos K 2016, neste ano, em Düsseldorf. Sob o lema “driven by innovation”, serão também apresentados os mais recentes avanços, ao lado de outros conceitos de máquinas já provados para o setor da embalagem.

Sobre a Dongjin Co., Ltd: A Dongjin crescido continuamente desde a sua fundação em 1975 e, ao mesmo tempo, tem ampliado constantemente a sua gama de produtos. Atualmente, o transformador emprega cerca de 450 colaboradores e produz produtos de embalagem, tais como chapas extrudadas, vasilhas termoformadas, artigos ocos moldados por sopro e copos injetados. Além de três unidades de produção na Coreia, o fabricante mantém unidades em Los Angeles/EUA e Yantai/China.

Sobre a battenfeld-cincinnati: O grupo battenfeld-cincinnati é um dos principais fabricantes mundiais de extrusoras e linhas completas de extrusão sob medida para atender às especificações dos clientes. A empresa oferece uma variedade de equipamentos nas áreas de tubos, perfis, chapas, chapas termoformadas e granulação. Os sites de produção estão localizados na Alemanha, Áustria, China e EUA.

Fonte: Assessoria de Imprensa – battenfeld-cincinnati

Curta nossa página no

Huntsman lança novo pigmento de dióxido de titânio para aplicações em plásticos durante Prévia da Feira K em Düsseldorf

22/07/2016

Um novo pigmento de dióxido de titânio (TiO2) está disponível para os formuladores da indústria de plásticos. Segundo a Huntsman, fabricante do pigmento, o Tioxide® TR48 é um grade novo de TiO2 com ótimas propriedades colorísticas, que foi concebido para um bom processamento mesmo a temperaturas elevadas. O produto foi projetado como parte da família Tioxide® TR28, que tem uma longa história de desempenho de processamento numa ampla gama de sistemas de plásticos.

Projetado para utilização na produção de masterbatches de poliolefinas, de filmes de BOPP e de compostos de engenharia, o Tioxide® TR48 é fácil de dispersar, tem ótimas capacidades de redução de matiz e foi desenvolvido com formulações de baixo teor de compostos orgânicos voláteis (VOC), afirma a Hunstsman.

As aplicações típicas para o Tioxide® TR48 incluem sistemas de embalagens convencionais e premium e a produção de peças de plástico para dispositivos eletrônicos de consumo e para a indústria automotiva.

O Tioxide® TR48 é um de uma série de novos produtos inovadores nos quais a Huntsman está trabalhando para melhorar a sua gama de pigmentos de TiO2 para a indústria de plásticos. Sob suas marcas Tioxide® e Sachtleben®, a Huntsman oferece uma gama de pigmentos brancos para uso em diferentes indústrias. Desenvolvidos ao longo de muitos anos, os pigmentos Tioxide® e Sachtleben® são conhecidos por seu desempenho em uma ampla gama de sistemas de masterbatches, compostos e processamento de plásticos.

O Tioxide® TR48 foi apresentado na prévia da feira K, em Düsseldorf, Alemanha, na terça-feira 28 de junho e estará disponível comercialmente em 2017.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Huntsman

Curta nossa página no

Projetando mais um ano recorde em 2016, Sepro lançará robôs ainda maiores na Feira K 2016

18/07/2016
Robô 7X 100XL do Grupo Sepro a ser apresentado na K 2016 - espera-se que seja o maior em exibição na feira

Robô 7X 100XL do Grupo Sepro, a ser apresentado na K 2016, o qual se espera ser o maior robô em exibição na feira

O Grupo Sepro levará um total de 26 robôs para a feira K 2016, incluindo dois que serão, provavelmente, os maiores robôs da feira. O número total de robôs, assim como a sua ampla gama de dimensões e configurações, ajudam a reforçar o compromisso da Sepro com a conectividade e a agilidade, dois dos principais elementos na indústria do futuro, também conhecida como Indústria 4.0. A empresa fez esse anúncio pela primeira vez durante a Prévia de Imprensa da feira K 2016, que ocorreu em Dusseldorf, de 27 a 29 de junho.

De acordo com o CEO da SEPRO, Jean-Michel Renaudeau, a empresa está na caminho de conquistar seu quarto ano consecutivo de recorde de vendas. Ele estima um faturamento global que excederá € 100 milhões pela primeira vez. Espera-se que as unidades vendidas (robôs e saca-canais) ultrapassem os 2.500.

O faturamento projetado pelo Grupo Sepro para 2016 excede os 100 milhões de Euros

O faturamento projetado pelo Grupo Sepro para 2016 excede os 100 milhões de Euros

“A maioria das pessoas espera que a indústria do futuro – alguns a chamam de Indústria 4.0 – será construída com base na idéia de abertura,” explica Renaudeau. “Abraçamos esta idéia e acreditamos que foi isto que impulsionou nossos sucessos recentes. Temos estado abertos às novas tecnologias, sejam elas desenvolvidas pelos engenheiros da Sepro ou por empresas parceiras, tais como a Staübli, Machines Pagès e, mais recentemente, a Yaskawa Motoman. Fizemos conexões com empresas transformadoras por injeção e fabricantes de máquinas através de uma integração ágil, o que permite à Sepro equipar qualquer máquina de injeção com uma plataforma de controle comum, disponível em várias configurações diferentes. Além disso, estamos trabalhando com pesquisadores da Carnegie Mellon University para a próxima geração de controles dos robôs. Em todas estas ações, vemos um futuro ainda mais aberto para a inovação, integração e colaboração que beneficiará não somente a Sepro, mas toda a indústria.”

26 robôs em 11 stands distribuídos em 3 pavilhões diferentes na K 2016

Graças às parcerias com dez diferentes fabricantes de máquinas de injeção, os robôs da Sepro poderão ser vistos em operação em três pavilhões de máquinas na feira de plásticos de Dusseldorf, de 19 a 26 de outubro próximos. Estes expositores representam sete nações diferentes.

  • Benelux: Stork, no Hall 13, stand D72 – 2 Robôs
  • Brasil: Romi, no Hall 15, stand D40 – 3 Robôs
  • China: Haitian, no Hall 13, stand A57 – 2 Robôs
  • China: Chen Hsong, no Hall 13, stand B43 – 1 Robô
  • China: Confidencial – Hall 13 – 1 Robô
  • China (Taiwan): FCS Group, no Hall 12, stand B11 – 1 Robô
  • França: Billion, no Hall 15, stand B24 – 3 Robôs
  • Alemanha: Confidencial – Hall 13 – 1 Robô
  • Alemanha /Japão: Sumitomo Demag, no Hall 15, stand D22 – 3 Robôs
  • Europa: Confidencial – Hall 15 – 1 Robô

Robôs de todos os tamanhos

Outros oito robôs serão exibidos no stand próprio da Sepro (Pavilhão 12, A49). Entre eles estão dois novos robôs destinados a máquinas injetoras grandes. O novo 7X-100XL, um robô cartesiano de 5 eixos, será demonstrado juntamente com o novo 6X-400, um robô de braço articulado de 6 eixos, resultado da recente parceria com a Yaskawa Motoman.

Ocupando 88 m2 dos 300 m2 do stand da empresa, espera-se que estes dois robôs sejam os maiores em exibição na K 2016. O eixo horizontal do 7X-100XL oferece um curso horizontal de 5m. O curso vertical telescópico é de 3.200 mm e a carga útil máxima é de 100 kg (como opção, há um curso vertical estendido de até 3.600 mm). Na K 2016, o 7X-100XL estará demonstrando a manipulação de um pára-choque de Classe C através de 5 eixos de movimento, usando uma articulação (pulso) acionada por servomotor desenvolvida pela Staübli Robotics. Diferente das articulações pneumáticas, as quais somente podem se mover em uma rotação contínua de 0° a 90° ou de 0° a 180°, as articulações do 7X podem se mover de 0 a 180° e de 0 a 270° ou qualquer parte destas rotações com precisão absoluta, afirma a Sepro.

O 7X-100XL completa a linha Sepro de robôs de 5 eixos (gama 5X e 7X), que inclui agora 6 modelos com capacidade para automatizar máquinas injetoras de 20 a 5.000 toneladas.

O novo robô Sepro Yaskawa 6X-400 de 6 eixos também estará manipulando um pára-choque automotivo – neste caso de um veículo Audi. O robô é o maior dos quatro modelos lançados recentemente para equipar máquinas injetoras entre 800 a 5.000 tons. Estes quatro novos modelos completam a gama de robôs de 6 eixos da Sepro. Quatro unidades menores de 6 eixos, desenvolvidos em parceria com a Staübli Robotics, foram lançadas há alguns anos para equipar máquinas injetoras com até 800 toneladas de força de fechamento. Como todos os robôs Sepro, as novas unidades Yaskawa-Motoman têm assistência da equipe global da Sepro.

O 6X-400 que será demonstrado no stand da Sepro terá um raio de alcance superior a 4 m. e poderá suportar uma carga útil máxima de 120 kg. O design do robô Sepro Yaskawa-Motoman é otimizado para minimizar a necessidade de espaço. Os dois modelos menores foram projetados para instalação no piso, próximo à máquina injetora, como uma unidade de braço articulado, enquanto que as duas unidades maiores são projetadas especialmente para montagem sobre a placa fixa da máquina, parede ou outra estrutura elevada. O 6X-400 é um dos maiores robôs montados em plataforma do mundo.

A nova gama Sepro Yaskawa-Motoman, juntamente com toda família de robôs Sepro de 6 eixos, será acionada pelo controle Visual 3 da Sepro. A mesma plataforma de controle é usada em todos os robôs Sepro. Os controles “Visual” são projetados com uma interface universalmente amigável ao usuário e são particularmente adaptados ao mundo da injeção de plásticos. A Sepro é a única fabricante independente de robôs a oferecer uma plataforma de controle nativa comum para todos os seus robôs, afirma a empresa.

Outros novos robôs que serão lançados

A Sepro também estará lançando novos robôs pequenos, incluindo um robô de 3 eixos chamado “Success 5” e um saca-canais S5 com servo acionamento. Os dois robôs compartilham o mesmo design mecânico básico. O novo Success 5, que faz parte da gama Success de robôs econômicos e de uso geral para injetoras de até 1.000 toneladas, é o menor da sua linha. Ainda assim, ele é um verdadeiro servomotor de 3 eixos com uma rotação pneumática padrão R1 (0° a 90°) e uma rotação opcional R3 (0° a 90° ou 0° a 180°). A unidade padrão tem um curso de desmoldagem horizontal de 400 mm, um curso vertical de 1.000 mm e uma carga útil máxima de 3 kg.

O saca-canais S5 conta com o mesmo design linear de 3 eixos, com um pinça simples para sacar o canal da bucha, porém ele pode ser fornecido opcionalmente com uma rotação R1 simples na articulação e pode ser equipado com uma garra simples no final do braço. O saca-canais de ciclo rápido opera totalmente no interior da máquina injetora e inclui uma calha de descarga e proteção.

Para ilustrar a abrangência do portfolio de produtos da Sepro, o saca-canais S5 estará operando na K 2016 juntamente com vários outros robôs Sepro na manipundo capas de iPad. Esta célula de demonstração incluirá robôs dos tipos:

  • Success 11 e Success 22… modelos um pouco maiores do que o novo Success 5
  • 5X-25… representando os modelos menores da linha de robô de 5 eixos da Sepro
  • Saca-canais S3 numérico… com braço horizontal que gira até 100° desde a linha de centro da máquina para descarga de canais da bucha ou peças pequenas ao lado da placa fixa
  • Também será exibido um Saca-canais pneumático

O stand contará também com uma máquina injetora de 50 toneladas da Sumitomo-Demag, equipada com um robô Sepro 6X-60 de braço articulado, o menor da gama 6X Visual de robôs de 6 eixos. Nesta integração compacta, o robô removerá cilindros de seringas médicas de um molde e os colocará na esteira na lateral da máquina.

Solution by Sepro

Um outro destaque no stand da Sepro será uma “parede de automação” apresentando imagens e vídeos que explicam todos os recursos e serviços por trás do “Solution by Sepro”, um pacote completo de robôs, equipamentos periféricos, automação e serviços destinado a trazer novos níveis de eficiência e de qualidade para o processo de moldagem por injeção, afirma a Sepro. Cada solução personalizada inclui um ou mais robôs, garras multifuncionais, alimentadores de insertos e sistemas de posicionamento, bem como equipamentos para inspeção pós moldagem, montagem e embalagem. Soluções específicas estão disponíveis para:

  • Controle… visão; presença/ausência de componentes; continuidade elétrica
  • Manuseio de peças… mesas móveis; empilhadores verticais
  • Rastreabilidade… marcação; etiquetagem; separação por cavidade
  • Montagem… fechamento; clipagem; rosqueamento; colagem; soldagem
  • Corte… remoção de vestígios do ponto de injeção; remoção de rebarbas

A Sepro foi uma das primeiras empresas no mundo a desenvolver robôs cartesianos para máquinas injetoras de plásticos, lançando seu primeiro “manipulador” CNC em 1981. Atualmente, o Sepro Group é um dos maiores vendedores independentes de robôs Cartesianos. Clientes do mundo todo são atendidos pelas filiais da empresa e escritórios de vendas e serviços na Alemanha, Espanha, Benelux, Reino Unido, Estados Unidos, Canadá, México, Brasil, China e agora também na Áustria e Hungria. Inúmeros parceiros de negócios independentes, distribuidores e centros de serviços levam a rede global da Sepro para mais de 50 países. Até o momento, a Sepro já equipou mais de 30.000 máquinas injetoras ao redor do mundo.

Fonte – Assessoria de Imprensa – Sepro

Curta nossa página no

Prévia da K 2016 antecipa onda de inovações a serem lançadas durante a feira em outubro, em Düsseldorf

08/07/2016

K2016_Preview-01

Inovações nas áreas de matérias-primas, máquinas, processos, aditivos e aplicações, bem como novos desenvolvimentos relacionados à indústria 4.0, à impressão 3D, automação, robótica, reciclagem e purificação de matérias-primas foram exibidos na avant-premiére da feira K 2016, organizado pela Messe Düsseldorf entre os dias 26 a 29 de junho, no pavilhão de feiras de Düsseldorf, na Alemanha. Mais de 70 jornalistas de 32 países participaram do evento, no qual 14 expositores apresentaram algumas das inovações que irão exibir durante a K 2016, entre 19 a 26 de outubro, em Düsseldorf.

Um debate com representantes das organizações de apoio à K 2016 e a Messe Düsseldorf abriu o evento, com a participação do Sr. Werner M. Dornscheidt (Presidente e CEO da Messe Düsseldorf), Dr. Rüdiger Baunemann (Diretor Geral da PlasticsEurope Deutschland eV) , o Sr. Thorsten Kuhmann (Diretor Gerente da Associação dos Fabricantes de Máquinas para Plásticos e Borracha da Alemanha, dentro da VDMA), o Sr. Boris Engelhardt (Diretor Gerente da Associação da Indústria de Borracha Alemã – WDK) e o Dr. Oliver Möllenstädt (Diretor Geral da Associação de Processadores de Plásticos da Alemanha – GKV). Durante o painel , o foco da discussão foi a busca do caminho em direção ao crescimento económico para a indústria de plásticos, mas também alguns desafios, tais como implementar a Indústria 4.0 ou como evitar o lixo marinho, foram amplamente debatidas.

K2016_Preview-02

BASF, Sepro, Erema, Battenfeld-Cincinnati, Haiti, Sikora, Reifenhäuser, Huntsmann Tecnoelastomeri, Huntsmann Pigmentos e Aditivos, Hekuma, Lanxess, Arlanxeo, LPKF, Sumitomo Demag e Wacker apresentaram seus novos produtos e tecnologias para os meios de comunicação internacionais em apresentações seguidas de questões levantadas pelos jornalistas.

As novidades apresentadas pela BASF incluíram seu novo portfólio de Poliftalamidas para componentes sofisticados nas indústrias automotiva e eletrônica; o seu portfolio de poliamida especialmente projetados para o duto de ar de admissão em motores de combustão; a simulação de formação de espumas de sistemas de PU para interiores de automóvel, os biopolímeros Ecovio e uma nova geração de estabilizadores de luz contra condições climáticas adversas.

A Reifenhäuser afirmou que eles “estão estabelecendo os novos padrões para além do atual estado da arte” na produção de máquinas de extrusão para filmes soprados de alta qualidade, filmes planos, monofilamentos, fitas e não-tecidos.

A Sepro anunciou que trará 26 robôs para a K 2016, enfatizando o papel que desempenha no cenário da Indústria 4.0. Dois desses robôs deverão ser os maiores em operação durante a feira: um robô de feixe  cartesiano de 5 eixos será demonstrado juntamente com um novo robô de braço articulado de 6 eixos, que é resultado do acordo da parceria recente com a Yaskawa Motoman .

A Erema apresentou o conceito “Careformance’, anunciando a empresa como a primeiro na indústria de reciclagem de plásticos a apresentar um extensivo pacote de fábrica inteligente tanto para os recicladores como para os produtores, na era da “Reciclagem 4.0 ‘.

A Wacker destacou o desenvolvimento da primeira impressora 3D em escala industrial para os silicones. A empresa também apresentou novas aplicações para filmes de silicone, novos aditivos de silicone para compósitos madeira plástica e uma nova borracha de silicone líquido com dureza shore extremamente elevada, além de outras inovações em tecnologias de silicone.

A Battenfeld-Cincinnati anunciou seus mais recentes desenvolvimentos para os setores de tubos, perfis e chapas para termoformagem, como uma nova série de extrusoras de rosca simples com uma unidade de processamento que oferece temperatura do material fundido mais baixas e custos de energia reduzidos em até 15%. Linhas inovadoras de chapas para termoformagem, pilhas de rolos para bobinamento e extrusoras de rosca  dupla também serão exibidas durante a feira.

A Sikora destacou suas tecnologias inovadoras para medição, controle, inspeção, análise e triagem. A empresa apresentou um sistema de inspeção e análise on-line / off-line de pellets, flocos e filmes / fitas com base em tecnologias de infra-vermelho, óticas ou de raios-X, bem como um método para medir com precisão o diâmetro interno / externo, ovalização, espessuras de parede e flacidez de grandes tubos de plástico.

A Huntsman Pigments & Additives enfatizou seus novos pigmentos de dióxido de titânio de tom azulado  para embalagens de filmes multicamadas e filmes duráveis para aplicações externas. Também apresentou uma adição de um novo grade com uma melhor reflexão solar à sua gama de pigmentos Altirium, bem como desenvolvimentos em pigmentos coloridos.

A Huntsman TPU falou sobre transferência de tecnologia e como a natureza acelerada das indústrias de esportes, lazer e vestuário, e a necessidade de contínua inovação em materiais está fomentando o uso de TPU em novas aplicações industriais. A Huntsman Tecnolelastomeri descreveu como a empresa alemã  Raeder Vogel está usando os seus sistemas de poliuretano para criar uma família de rodas e rolamentos de poliuretano duráveis  para uso em aplicações industriais extremas.

A Lanxess destacou suas soluções de peso reduzido para a indústria automotiva, especialmente algumas que serão utilizados no novo veículo Honda Clarity 2016 com célula de combustível de hidrogênio de 2016. Outros desenvolvimentos incluíram: componentes de bateria para motociclistas verdes, novas poliamida 6.6 com 60% de fibras de vidro,  e componentes de compósitos ultra-finos decorados em uma etapa de processamento único.

A Arlanxeo, a nova joint venture formada pela Lanxess e Saudi Aramco, apresentou-se como uma líder global em borracha sintética com unidades de negócios em borrachas para Pneus & Especialidades  e Elastômeros de alto desempenho. Desenvolvimentos introduzidos pelo Arlanxeo compreenderam: Elastômeros que ajudam a reduzir os danos causados pelo fogo, elastômeros para aplicações de baixa temperatura, e outros.

A LPKF apresentou a sua tecnologia de solda plástica com laser que está substituindo, em muitas áreas de aplicação, processos de união convencionais, tais como colagem ou soldag ultra-sônica. Segundo a LPKF, a produção está sendo cada vez mais convertida em tecnologias de solda a laser em  setores sensíveis à qualidade e ao custo, incluindo produtos automotivos, médicos e de consumo.

A Haitian enfatizou sua estratégia de produto que desloca a produção de pequenas máquinas injetoras para máquinas elétricas, bem como de grandes máquinas para tecnologia de duas placas. A Haitian também enfatizou a sua expansão de unidades em todo o mundo e a expansão do Serviço na Europa. Novos desenvolvimentos incluem a atualização de máquinas de dois cilindros e soluções elétricas.

A Hekuma apresentou os seus sistemas de automação para o ambiente de moldagem por injeção. A empresa também defendeu suas soluções de requisitos complexos no projeto da máquina e na execução técnica de extrema precisão em altas velocidades.

A Sumitomo Demag anunciou que a empresa vai se concentrar principalmente em inovações de aplicações para máquinas elétricas. O segundo foco da empresa durante a Feira K será na área de embalagens. Neste caso,  ciclos rápidos e produtividade correspondem à maior demanda dos clientes. Além disso, a Sumitomo Demag irá se concentrar na sua tecnologia “Indústria 4.0” para todos as máquinas de plásticos elétricas.

Na K 2016, mais de 3.000 expositores de todos os continentes estarão apresentando seus mais recentes desenvolvimentos nas áreas de máquinas e equipamentos para a indústria de plásticos e borracha, matérias-primas e auxiliares, produtos semi-acabados, peças técnicas e produtos plásticos reforçados. A feira, que estará aberta das 10:00 até 18:00 de quarta-feira, 19 de outubro de até quarta-feira, 26 de outubro, espera atrair cerca de 200.000 visitantes profissionais de todo o mundo.

Curta nossa página no

K-2016: Potencial para reciclagem de plásticos continua enorme

03/06/2016

k2016Tecnologicamente, a reciclagem de plásticos não é mais um problema hoje em dia. A reciclagem do refugo gerado dentro das fábricas já se tornou uma prática estabelecida em toda a indústria. Para os transformadores de plásticos que trabalham com matérias-primas “puras”, a fábrica “sem resíduos” tem se tornado lugar comum. E para os resíduos pós-consumo, há cada vez mais estratégias maduras de reutilização, permitindo que o regranulado produzido com eles substitua o material virgem, sem problema.

De acordo com a associação de produtores de plásticos “PlasticsEurope”, o consumo de plásticos na indústria européia como um todo chegou a 47,8 milhões de toneladas, com cerca da metade, 25,8 milhões de toneladas, sendo coletadas após o uso. A PlasticsEurope investigou as taxas de coleta nos 28 estados da União Européia mais a Noruega e a Suíça e constatou que ainda há uma forte variação entre eles.

Cerca de 125.000 toneladas de resíduos de PVC, incluindo perfis de janelas, são reciclados anualmente na Europa. O material regenerado pode ser usado sem dificuldade para a produção de artigos para o setor da construção, tais como perfis e tubos

Cerca de 125.000 toneladas de resíduos de PVC, incluindo perfis de janelas, são reciclados anualmente na Europa. O material regenerado pode ser usado sem dificuldade para a produção de artigos para o setor da construção, tais como perfis e tubos

Embora a proibição da deposição de resíduos plásticos em aterros esteja sendo anunciada em nove países, a proporção que vai para aterro em outros países é ainda muito elevada – até 70 por cento. No geral, do total de resíduos coletados na Europa, cerca de dois terços estão sendo agora reutilizados, enquanto que 30,8 por cento são depositados em aterro. Dos resíduos plásticos que são reutilizados, cerca de metade – 7,7 milhões de toneladas – é reciclada e o restante é incinerado para gerar energia.

As principais frações são as poliolefinas

Com cerca de 9,5 milhões de toneladas de PP, 8 milhões de toneladas de PEBD e PELBD e 6 milhões de toneladas de PEAD e PEMD, as poliolefinas são os plásticos mais usados na Europa, em termos quantitativos, e correspondem conjuntamente a cerca de metade do consumo total. Se estes resíduos são puros (constituídos por um único tipo de plástico), eles podem ser processados eficientemente, de modo que existem inúmeras empresas de reciclagem dedicadas à reciclagem de poliolefinas.

A situação é mais complicada quando PE e PP são misturados, uma vez que eles são muito difíceis de separar por causa da sua densidade semelhante e os processos de triagem de NIR (infravermelho próximo) são hoje estado-da-arte. No entanto, PE e PP também podem ser utilizados em conjunto para conversão em produtos de alto valor.

Para muitos produtos, tais como sacos de lixo, já se tornou comum hoje em dia usar material reciclado, o que faz sentido tanto do ponto de vista econômico como ecológico.

Para muitos produtos, tais como sacos de lixo, já se tornou comum hoje em dia usar material reciclado, o que faz sentido tanto do ponto de vista econômico como ecológico. (Foto: Polifilm / Messe Düsseldorf)

Reciclagem de PET já estabelecida, mas com espaço para expansão

A resina PET, cuja maior parte é usada para a produção de garrafas, é responsável por cerca de 7 por cento do consumo anual total de plásticos na Europa – cerca de 3,1 milhões de toneladas. No geral, os 30 países da Europa alcançam uma taxa média de coleta de 57 por cento. Em 2014, por exemplo, foram coletados 1,75 milhões de toneladas de resíduos de PET pós-consumo. No entanto, até o momento são coletadas quase que exclusivamente garrafas, geralmente em sistemas de coleta dedicados. Embora o objetivo original tenha sido devolver para a produção de garrafas os flocos de garrafa coletados, a indústria tem procurado e encontrado clientes em outras áreas. Para os fabricantes de filme / chapa, os flocos de garrafa pós consumo vem se tornando cada vez mais interessantes e em 2014 eles usaram a maior fatia – 34 por cento – dos resíduos recolhidos em seu ramo industrial. Quase 30 por cento dos flocos foram usados em aplicações de sopro, 26 por cento na indústria das fibras e o resto em fitas para embalagem e outros produtos.

“A produção do regranulado necessário para aplicações de moldagem por injeção destinadas à produção de novas garrafas para aplicações em contato ou sem contato com alimentos é baixo por causa da queda acentuada no preço do material virgem”, explica Elfriede Hell, Chefe de Tecnologia de Reciclagem na fabricante austríaca Starlinger. Ao contrário das garrafas usadas, as bandejas e filmes pós-consumo geralmente acabam sendo incinerados para a geração de energia ou até mesmo vão parar em aterros. “Mas as coisas recentemente vem mudando. Temos um bom número de clientes interessados especificamente em projetos para reciclagem de bandejas e filmes “, salienta Hell

A reciclagem de PVC atinge altas taxas de utilização

A reciclagem de PVC se desenvolveu de forma encorajadora nos últimos anos. O PVC é um material cujas notáveis propriedades mecânicas o tornaram indispensável – em especial no setor da construção, onde ele detém uma fatia de 70 por cento, mas também nos segmentos de embalagens, móveis e tecnologia médica.  O PVC reciclado é utilizado particularmente em aplicações de construção, por exemplo, em novos perfis e tubos, bem como na horticultura e agricultura.

Materiais compostos são frequentemente inadequados para a reciclagem

Enquanto os produtos pós-consumo feitos de polímeros puros prestam-se bem ao reprocessamento, a situação para os produtos compostos constituídos por duas ou mais matérias-primas é inteiramente diferente. Por isso, o Dr Michael Scriba, Diretor Gerente da mtm-plastics e membro da Plastics Recyclers Europe (PRE) , propõe que, a partir de agora, as embalagens sejam fabricadas de forma a facilitar a sua reciclagem, já que são responsáveis pela maior parte dos resíduos pós-consumo. Neste aspecto, é particularmente importante que se dispense o uso de cargas como carbonato de cálcio nas embalagens de PE e PP tanto quanto possível, que se evitem compostos de plástico-papel, que se utilize a pigmentação de forma moderada e se tenha certeza de que a densidade de todos os produtos seja bem diferente de 1 g / cm, para que a separação com base na densidade seja possível.

Ao mesmo tempo, estão sendo realizados esforços na indústria para desenvolver estratégias de reutilização de resíduos mistos. A empresa Trenntechnik Ulm GmbH está implementando uma abordagem muito interessante ao desenvolver um processo de separação química para filmes compósitos PE / PA, construindo também uma planta de produção com capacidade de 10 toneladas por dia.

A Trenntechnik Ulm GmbH instalou uma linha especificamente para a separação química de filmes compostos PA / PE em Memmingen, Alemanha. Utilizando este método e um solvente adequado, será possível também recuperar outras matérias-primas

A Trenntechnik Ulm GmbH instalou uma linha especificamente para a separação química de filmes compostos PA / PE em Memmingen, Alemanha. Utilizando este método e um solvente adequado, será possível também recuperar outras matérias-primas (Foto: Trentechnik Ulm / Messe Düsseldorf)

Resumo

Embora a reciclagem seja um tema muito discutido atualmente e também esteja bastante presente em inúmeros projetos na indústria de plásticos, os especialistas continuam afirmando que muito pouco material proveniente de resíduos plásticos é usado no lugar de material virgem, embora tanto os sistemas de coleta como a viabilidade técnica da reciclagem tenham se desenvolvido enormemente . Qualquer pessoa que queira saber mais a respeito dessas novas soluções técnicas podem fazê-lo na feira K 2016, a principal feira mundial para a indústria de plásticos e borracha, que ocorrerá de19-26 de Outubro, em Düsseldorf, na Alemanha.

 Para a garrafa de detergente fabricada com polietileno através do processo de extrusão-sopro, a Ecover Bélgica N.V., fabricante de produtos de limpeza ecológicos, utiliza resíduos de plástico recolhidos no mar por pescadores


Para a garrafa de detergente fabricada com polietileno através do processo de extrusão-sopro, a Ecover Bélgica N.V., fabricante de produtos de limpeza ecológicos, utiliza resíduos de plástico recolhidos no mar por pescadores (Foto:  Ecover / Messe Düsseldorf)

Pode-se supor, portanto, que as taxas de reciclagem irão continuar a aumentar nos próximos anos, já que há uma forte demanda por reciclados, tanto por razões ambientais como económicas. A poluição dos mares com resíduos tem colocado em evidência, internacionalmente, o tratamento irresponsável dedicado à destinação final dos resíduos, oferecendo maior força às demandas de outros consumidores para um tratamento sustentável dos recursos.

Fonte: Serviço de Imprensa – k 2016/Messe Düsseldorf

Curta nossa página no

Feira K 2016 terá mostra especial: “Os plásticos moldam o futuro”

21/10/2015

k2016Desde que, há um século, os materiais plásticos foram convertidos pela primeira vez em telefones, interruptores de luz e caixas de rádio, sua diversidade e presença na vida cotidiana têm aumentado enormemente. Sinônimos de inovação, segurança, conforto e, virtualmente, de um escopo ilimitado de aplicações e de design, os materiais poliméricos vem, desde então, conquistando todas as esferas da vida. Sem os plásticos e a borracha, não será possível dominar os enormes desafios do futuro. Falar de plásticos é a mesma coisa que falar de tecnologias de conservação de recursos, de mobilidade, de proteção de alimentos e água potável, de tecnologias médicas inovadoras, de eficiência energética e sustentabilidade.

Durante a K 2016 em Düsseldorf , de 19 a 26 de outubro do próximo ano, a mostra especial intitulada “Plasticos moldam o futuro” vai destacar os desenvolvimentos que já estão tomando forma e as visões que podem se tornar realidade amanhã. Com referência a exemplos, a mostra demonstra até que ponto os plásticos estão deixando sua marca em espaços de convivência modernos – funcionalmente, esteticamente e sustentavelmente. Também será dedicada atenção às questões econômicas e ambientais e mesmo assuntos problemáticos – como lixo marinho, por exemplo – serão abordados.

Apresentações multimídia e um stand com design inovador vão animar o programa da mostra especial no Hall 6, que consistira de blocos de informação e entretenimento, atividades, palestras-âncora e rodadas de discussões. Idéias de alunos e estudantes sobre como moldar o futuro não serão apenas o foco do tradicional Dia da Juventude no domingo da K 2016 (23 de Outubro), mas também irão oferecer um estímulo revigorante a todos os dias da feira. A mostra “Plásticos moldam o futuro” promete contar insights e perspectivas sobre o futuro para expositores e visitantes profissionais da K 2016, bem como para a mídia e o público em geral.

Em 2016, a mostra especial, um projeto da indústria de plásticos alemã, sob a liderança da organização PlasticsEurope Deutschland eV, e da Messe Düsseldorf, estará suplementando as atrações da feira K pela 9ª vez. O encontro mundial mais importante do setor de plásticos e borracha estará novamente cobrindo tudo o que a indústria tem para oferecer. Cerca de 3.000 expositores de todos os continentes estarão participando e todos os 19 pavilhões do recinto de feiras de Düsseldorf já estão totalmente reservados. Cerca de 200.000 visitantes profissionais de todo o mundo são esperados na K 2016.

A K 2016 estará aberta diariamente das 10:00 às 18:30, a partir de quarta-feira, 19 de outubro, até quarta-feira, 26 de outubro de 2016. Todos os detalhes sobre a feira podem ser encontrados em www.k-online.com e nas redes sociais.

Xing: https://www.xing.com/net/pri4bd1eex/k2013
Facebook: https://www.facebook.com/K.Tradefair?fref=ts
Twitter: https://twitter.com/K_tradefair

Fonte: Messe Düsseldorf

Curta nossa página no