Posts Tagged ‘INP’

Guia da Sustentabilidade do Plástico será lançado em São Paulo no dia 21/10

20/10/2015

A publicação tem como objetivo oferecer à indústria de transformação plástica brasileira os parâmetros de ação voltados à sustentabilidade

No próximo dia 21 de outubro, será lançado em São Paulo o Guia de Sustentabilidade do Plástico, que é o resultado de um trabalho de diagnóstico e elaboração de plano de ação com vistas à sustentabilidade, a ser aplicado para a indústria de transformação plástica. O evento, que será realizado durante a BW Expo, tem como objetivo apresentar os principais resultados do projeto e compartilhar informações específicas e úteis para a adequação das empresas brasileiras aos padrões internacionais de sustentabilidade.

Com apoio da Plastivida, o Guia é uma iniciativa do Instituto Nacional do Plástico (INP), por meio de seu programa Think Plastic Brazil, e da Agência Brasileira da Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil). A WayCarbon, referência em assessoria sobre mudanças globais do clima, gestão de ativos ambientais, desenvolvimento de estratégias e estruturação de negócios ecoeficientes, foi contratada para realizar o trabalho de campo.

O trabalho foi norteado por duas questões: “Como a sustentabilidade vem sendo entendida e aplicada pelas empresas brasileiras transformadoras de plásticos?” e “Quais os caminhos possíveis para uma produção mais ecoeficiente?”. Cinco etapas foram elaboradas para responder às questões base do projeto: Entendimento Integrado do Setor Nacional e Internacional; Oficinas de Sensibilização; Visitas Técnicas; Análise de Cenários; e Tendências e Elaboração do Guia de Sustentabilidade.

Para Miguel Bahiense, presidente da Plastivida e diretor executivo do INP o Guia é o resultado de um importante mapeamento que mostra a realizada da indústria de transformação de plásticos no Brasil e aponta caminhos para que ela se desenvolva. “Esse desenvolvimento não é apenas no campo ambiental, mas também social e econômico, pois boas práticas sustentáveis agregam competitividade às empresas, no Brasil e em outros países”, afirma o executivo.

O evento de lançamento da publicação contará com a presença de representantes das entidades e empresas envolvidas no projeto. A solenidade, que será realizada das 16 às 20 horas, terá, após a abertura oficial, a apresentação do Guia, um painel com cases de empresas transformadoras de plásticos, palestras e um coquetel.

Para participar do evento de lançamento, o credenciamento gratuito pode ser feito através do link http://www.bwexpo.com.br/credenciamento

Serviço: Lançamento do Guia de Sustentabilidade do Plástico
Data: 21 de outubro
Horário: das 16 às 20 horas
Local: BW Expo (sala 2)
Centro de Eventos Pro Magno, Rua Samaritá, 230
Casa Verde – São Paulo – SP.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Plastivida

Curta nossa página no

Anúncios

Competitivo, Brasil conquista Feira Home + Housewares 2013

14/03/2013

Home_HousewaresNem a tempestade de neve que chegou a Chicago na primeira semana de março foi capaz de atrapalhar o desempenho dos expositores brasileiros na maior feira de UD do mundo. Entre 2 e 5 de março, a Home + Housewares assistiu mais um ano ao reflexo da recuperação da economia mundial, com visitação mais tímida que em outros anos.

No entanto, entre os brasileiros a palavra crise passou longe. Invicta, Plastigel, Grupo BB e Bandeirante foram algumas das empresas que participaram do estande longitudinal montado pelo Think Plastic Brazil no tradicional Centro de Exposições Mc Cormick. “Embora a visitação esteja abaixo do ano passado em quantidade, em qualidade está muito boa. Se a feira acabasse ontem (domingo, 03/03) já teria valido a pena”, explica Plínio Bevervanso, diretor geral do Grupo BB. “Você circula e vê os participantes lamentando que está fraco. Para mim, os resultados têm sido excelentes”, disse Jorge Pereira, representante da Plastigel.

Conseguir “resultados excelentes” em uma feira disputada como a americana é um feito e tanto. Ao todo, 17 empresas participaram da feira: Acrimet, Astra, Bandeirante, BB Store, Belchior, Bettanin, Brinox, Invicta, Jaguar, Kos, Naxos, Plastigel, Plasútil, São Bernardo, Sanremo, Schwanke e Soprano. Foram feitos 353 contatos e 15 negócios foram fechados em plena feira, o que rendeu aos expositores um total de US$ 440 mil.

E a expectativa para os próximos 12 meses é a melhor possível. As empresas participantes esperam realizar o equivalente a US$ 2,540 milhões em negócios. Os números são reflexo da prova que os expositores brasileiros deram de que o binômio preço e qualidade é uma maneira eficaz de driblar o clima sensível gerado a partir da crise de 2008. Dentre os destaques da participação brasileira, está o Global Design Points Gallery, com mais de 10 empresas associadas, a presença no Going Green e a visita do embaixador Paulo Camargo ao estande.

Eventos paralelos geram ainda mais informação

Na manhã da sexta (01/03), em torno de 20 pessoas foram convidadas pelo Programa a conhecer um porto seco, modal ferroviário, da Canadian Worldwide (CN), com o objetivo de conhecer oportunidades de facilidades logísticas para as transações com o mercado norte-americano. No fim do dia, o Think Plastic Brazil organizou, em parceria com o Consulado do Brasil em Chicago e o Cento de Negócios (CN) Apex-Brasil – Miami, um seminário pré-feira com cinco palestras: Panorama Comercial da Região de Illinois, realizada pelo consulado do Brasil nos EUA; Panorama de UD e Varejo nos EUA, por Perry Reynolds, VP de marketing da IHA; Relações com Distribuidores e Agentes Comerciais, dada pela empresa Jones Day; Mídias Digitais, realizada pela Alma Beta; e Exportações para os EUA, conferida pelo CN Apex-Brasil – Miami. “Essas plataformas são interessantes porque fazem com que os associados tenham mais informações para lidar com o exigente mercado norte-americano”, explica Gilberto Agrello, especialista do Programa para o Desenvolvimento de Mercado para UD e Embalagens Rígidas.

Fonte: Boletim Think Plastic Brazil

Curta nossa página no

Anúncios da Plastivida, INP e Abief informam suspensão da proibição de sacolinhas plásticas em São Paulo.

08/12/2011

A decisão do Tribunal de Justiça de manter suspensa a lei que proibia a distribuição de sacolinhas plásticas no varejo paulistano a partir de 1º de janeiro foi comunicada em dois Informes Publicitários, veiculados no dia 5 de dezembro, nos jornais Metro e O Estado de São Paulo.

Os Informes reforçam a necessidade do consumo responsável das sacolinhas e ressaltam suas vantagens, colocados de acordo com o perfil dos seus leitores.

Participam da iniciativa os parceiros no Programa de Qualidade e Consumo Responsável de Sacolas Plásticas,Plastivida Instituto Sócio-Ambiental dos Plásticos, Instituto Nacional do Plástico (INP) e a Associação Brasileira da Indústria de Embalagens Flexíveis (Abief).

Texto do comunicado é reproduzido a seguir:

VOCÊ JÁ TINHA 10 MOTIVOS PARA SER CONTRA A PROIBIÇÃO DAS SACOLINHAS PLÁSTICAS.

AGORA O TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO DECIDIU DAR MAIS UM.

O Tribunal de Justiça de São Paulo manteve a suspensão da lei que proíbe o uso das sacolinhas plásticas nos supermercados e no comércio varejista de São Paulo. Esse, agora, é o 1º motivo para você perceber o erro que é esta proibição e, assim como a Justiça de São Paulo e milhões de pessoas, também ser contra ela. Conheça aqui os outros 10:

2. As sacolinhas não são descartáveis, são reutilizáveis. Quase todo mundo as reutiliza para colocar lixo. Sem elas você vai ser obrigado a comprar novos sacos para esse fim. Um sacrifício sem vantagem ambiental. A única diferença é que você vai ter que pagar por esses sacos e por outros tipos de sacola. Prepare o bolso.

3. Pesquisa Datafolha mostra que 88% das pessoas reutilizam as sacolas para armazenar lixo, transportar objetos e recolher sujeira de animais. Por isso ela é a embalagem preferida de 84% da população.

4. Cidades como Jundiaí, que já proibiram as sacolinhas, registraram aumento considerável de vendas de sacos de lixo. Com um novo gasto mensal, é o consumidor que sai no prejuízo.

5. Os órgãos de vigilância sanitária recomendam o uso de recipientes plásticos para descarte do lixo. Com a proibição das sacolinhas, populações menos favorecidas não terão como descartar o lixo da forma correta.

6. Um estudo internacional* comprova que o processo de fabricação das sacolinhas plásticas causa menos impacto ambiental do que o das sacolas de pano, papel e papelão. Não é papo, é fato, é científico.

7. Ao longo de sua vida útil, uma sacolinha plástica comum emite menos gás carbônico e metano no meio ambiente (gases causadores do efeito estufa) do que qualquer uma das sacolas alternativas oferecidas hoje*.

8. A proibição das sacolinhas poderá acarretar o fim de 30.000 empregos diretos no país e 6.000 empregos diretos em São Paulo.

9. Para evitar o acúmulo de fungos e bactérias e a possível contaminação dos alimentos, as sacolas retornáveis precisam ser higienizadas com alta frequência, o que aumenta o consumo de água e outros produtos. É preciso ter cuidado também com as caixas de papelão usadas, pois muitas vezes elas não têm as condições higiênicas adequadas para transportar as compras.

10. Sacolinhas plásticas são recicláveis: se usadas e descartadas corretamente, podem se transformar em diversos outros produtos plásticos.

11. O problema não é a sacolinha, e sim o desperdício e o descarte inadequado, esses sim são os vilões do meio ambiente. A solução, portanto, não é proibir, mas educar a população a usar, de forma responsável, as sacolinhas plásticas e todas as outras embalagens.

Quer saber mais? Acesse http://www.plastivida.org.br e informe-se. Você vai ver que proibir as sacolinhas vai custar caro, não vai ajudar o meio ambiente e é você quem vai ter que pagar essa conta.

*  Segundo o Environment Agency http://www.environment-agency.gov.uk

Fonte: INP – Instituto Nacional do Plástico

Datafolha comprova preferência por sacolas plásticas

13/09/2011

Pesquisa nacional feita pelo Datafolha em maio, a pedido da Plastivida, do INP e da Abief, mostrou hábitos e opiniões relevantes sobre o uso de sacolas plásticas. Veja alguns resultados:

  • 84% apontaram as sacolas plásticas como o meio mais frequente para carregar as compras.
  • 50% indicaram as sacolas plásticas como o melhor meio para transportar as compras.
  • 88% dos usuários de sacolas plásticas costumam reutilizá-las. Destes, 96% para lixo.
  • 82% não concordam com o pagamento pelo uso das sacolas plásticas.
  • 64% entendem que seria uma obrigação do comércio fornecer gratuitamente alternativas para transportar as compras, caso as sacolas fossem banidas.

Outras informações sobre a pesquisa são relatadas pelo presidente da Plastivida e INP, Miguel Bahiense Neto, em artigo a seguir:

“Uma abrangente pesquisa feita pelo Datafolha em maio revela que a grande maioria dos consumidores prefere as sacolas plásticas para transportar suas compras e cuida de não desperdiçá-las, reutilizando-as e dando-lhes uma destinação ambientalmente correta após o uso.

Dos consumidores entrevistados em uma mostra qualificada de 1.123 pessoas na Região Metropolitana de São Paulo e nas cidades de Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Porto Alegre e Recife, 84% apontaram as sacolas plásticas como o meio mais frequente para carregar as compras. Sacolas de pano e nylon são usadas por 11%, carrinhos de feira por 3%, e caixas de papelão por 2%.

Indagados especificamente sobre qual seria o melhor meio para transportar as compras, 50% indicaram as sacolas plásticas, 27% as de pano, nylon e de feira, 12% os carrinhos de feira, 6% as caixas de papelão, 3% as sacolas de papel e 2% outros meios.

Os que optaram pelas sacolinhas plásticas relataram como razões para essa escolha a resistência dessas embalagens e sua reutilização.

O Datafolha mostra que 88% dos usuários de sacolas plásticas costumam reutilizá-las, 7% as descartam e 6% as remetem para reciclagem. Este dado é duplamente relevante. Primeiro, porque demonstra que a grande maioria dos consumidores dá novo uso à sacola ou as recicla; assim, não as desperdiça.

Segundo por mostrar que ainda há um trabalho educacional a ser feito em relação aos 7% que descartam, conscientizando-os sobre o potencial de reuso e reciclagem das sacolinhas. Com isso, daremos mais um passo para a preservação ambiental.

Em questão com múltiplas escolhas, os entrevistados que reutilizam as sacolas indicaram que o fazem para acondicionamento de lixo (96%), recolhimento de sujeira de animais (51%), utilização para transportar outros objetos (66%), separação do lixo a ser levado à reciclagem (39%), armazenamento de mantimentos (26%), preservação de roupas (17%) ou utilização como matéria prima para confeccionar outros produtos (4%).

Essa resposta é bastante interessante por mostrar a importância das sacolinhas para a saúde pública (acondicionando o lixo de forma segura e higiênica), para a economia (protegendo as roupas ou transportando outros produtos) e para o meio ambiente (acondicionando os descartes recicláveis para levá-los à reciclagem, ou reciclando-as para fabricar novos produtos).

O Datafolha mostra ainda que 82% não concordam com o pagamento pelo uso das sacolas plásticas. Em resposta que permitia escolhas múltiplas, 81% concordaram em que a cobrança pelas sacolinhas daria mais lucro para o comércio; 57% concordam em que a proibição da distribuição das sacolas prejudicará a população; 96%, em que o comércio distribua sacolas biodegradáveis, caso as sacolas plásticas fossem proibidas.

Neste último caso, 64% entendem ser obrigação do comércio fornecer gratuitamente alternativas para transportar as compras. Somente 10% acham que o comércio deveria vender outro tipo de sacolas.

Feitas de polietileno, as sacolas plásticas são 100% recicláveis. No entanto, o Datafolha mostra que a maior parte da população desconhece esse fato. Equivocadamente, 45% opinaram que as sacolas não são recicláveis. Somente 38% responderam que as sacolas plásticas são recicláveis. E 17% não souberam responder.

Todos esses resultados levam a duas conclusões. Os consumidores preferem as sacolas plásticas e portanto não querem seu banimento. E a educação é o caminho para garantir o direito de os consumidores escolherem a melhor embalagem para transportar suas compras e contribuírem para a preservação do meio ambiente, mediante o uso consciente das sacolas plásticas e seu descarte correto”.

Fonte: Plastivida

Reunião-Janta do Simplás destaca sustentabilidade das sacolas plásticas

08/09/2011

Evento contou com a presença do Presidente da Plastivida e INP

 O Simplás – Sindicato das Indústrias de Material Plástico do Nordeste Gaúcho realizou na noite desta segunda-feira, dia 5 de setembro, a terceira reunião-janta, no Restaurante Tulipa, no Complexo dos Pavilhões da Festa da Uva. O presidente da Plastivida (Instituto Socioambiental dos Plásticos) e do INP (Instituto Nacional do Plástico), Miguel Bahiense, apresentou a palestra “Sustentabilidade das Sacolas Plásticas”.

A apresentação expôs os resultados de um estudo britânico, concluindo que, dentre nove categorias analisadas, em oito as sacolinhas tiveram melhor desempenho ambiental que suas substitutas. “Nunca havia sido divulgado um estudo científico sobre sacolas, este foi o primeiro”, disse ele. Miguel também falou sobre uma pesquisa feita pela Braskem sobre a ecoeficiência dos produtos, no qual foram analisados os mitos e as verdades em relação ao uso de sacolas plásticas e de papel, de algodão, retornáveis ou oxidegradáveis. A sacola plástica apresentou vantagens sobre as demais. Conforme o presidente da Plastivida, “existem cenários em que as sacolas descartáveis são melhores do que as retornáveis. À medida que aumentamos o volume de descarte do lixo, melhor será para o meio ambiente utilizarmos as sacolas descartáveis.

Assim, pode-se facilmente deduzir que o vilão não é a sacola ou o plástico em si, mas sim o desperdício e o descarte inadequado. Todos os tipos de sacola têm impacto, mas todas também apresentam modos de melhor utilizá-las. Dessa forma, criou-se o Programa de Qualidade e Consumo Responsável de Sacolas Plásticas, cuja meta é reduzir em 30% o consumo de sacolas descartáveis. Também foi criado o selo de qualidade para uma sacola mais resistente, o que aumenta a sua durabilidade e capacidade de reutilização. “Educação é a saída. É através dela que conseguiremos resolver a situação”, afirmou Miguel. Para um uso consciente e descarte correto, é preciso “reduzir, reutilizar e reciclar”, disse ele.

No evento também palestrou o Coordenador Comercial da Proamb – Soluções Ambientais, Eclair Rossato, falando sobre “Cooprocessamento de Resíduos Sólidos Industriais e a Portaria 16 da FEPAM”.  Além dele palestraram os diretores da Faculdade de Tecnologia (Ftec), Claudio Meneguzzi e Mauricio Sebastião de Barros, sobre a história da entidade e sobre o núcleo de Caxias do Sul.

Fonte:  Núcleo Comunicação e Marketing

Campanha de rádio reforça importância da educação ambiental.

21/07/2011

Destaque da semana: problema não está nas sacolas plásticas, mas no desperdício e descarte incorreto

No último spot da campanha de esclarecimento sobre o uso de sacolas plásticas promovida pela Plastivida, INP e Abief, veiculado na semana do dia 18, a campanha enfatiza a importância da educação para o combate ao desperdício e para o descarte correto das sacolinhas plásticas, como também reforça o direito do consumidor de optar pela embalagem mais adequada a suas necessidades.

Com duração de 30 segundos, as mensagens estão sendo veiculadas nas rádios Band News FM, Bandeirantes AM/FM São Paulo e CBN FM (esta em Florianópolis, Blumenau, Goiânia, Fortaleza e Recife).

Fonte: Plastivida

Campanha de rádio questiona o porquê de se acabar com o uso das sacolas plásticas.

14/07/2011

O melhor desempenho ambiental das sacolas plásticas em comparação a outras como as de pano e papel, demonstrado por estudo do governo britânico, é o tema desta semana da campanha de rádio que Plastivida, INP e Abief veiculam desde 27 de junho.

“Das 9 categorias ambientais pesquisadas, as sacolinhas vencem em 8. Durante seu ciclo de vida, emitem menos CO2. Usam menos matéria-prima em sua fabricação e são 100% reutilizáveis e recicláveis. Por que acabar com a embalagem mais sustentável?”, questiona a mensagem desta semana.

Clique no vídeo a seguir para ver a mensagem.

Fonte: Plastivida

Campanha de rádio destaca Selo de Qualidade de Sacolas Plásticas

06/07/2011

“Por que penalizar a população, tentando acabar com as sacolas plásticas, se a solução é combater o desperdício das sacolinhas e o seu descarte incorreto?”

Com esta indagação, Plastivida, INP e Abief colocam no ar, na semana de 4 a 8 de julho, o segundo spot da campanha de rádio idealizada para valorizar as sacolas plásticas e esclarecer os consumidores sobre o equívoco cometido por aqueles que buscam acabar com sua disponibilização pelo varejo.

Nesta semana, a campanha convida o ouvinte a exigir do supermercado a sacolinha com o Selo de Qualidade do Programa de Qualidade e Consumo Responsável de Sacolas Plásticas, que mostra o peso que ela pode suportar, evitando assim o seu uso em duplicidade.

 

Fonte: Plastivida

Plastivida, Abief e INP promovem campanha de rádio para valorização de sacolas plásticas.

28/06/2011

Mensagens serão transmitidas para as principais capitais do país.

A partir de 27 de junho, Plastivida, INP e Abief colocarão no ar uma campanha de rádio para valorizar as sacolas plásticas e esclarecer os consumidores sobre o equívoco cometido por aqueles que buscam acabar com sua disponibilização pelo varejo.

Serão quatro spots no período de um mês veiculados diariamente, sendo um diferente a cada semana. A veiculação ocorrerá de 27 de junho a 26 de julho.

As mensagens abordarão a importância do uso, reuso e reciclagem das sacolinhas; a atuação da indústria na fabricação de sacolas dentro da norma técnica e na articulação com o varejo e os consumidores por meio do Programa de Qualidade e Consumo Responsável; a sustentabilidade das sacolas comprovada por estudo da Agência Ambiental do Governo Britânico; e o direito do consumidor de optar pela embalagem mais adequada a suas necessidades.

A veiculação, em spots com duração de 30 segundos, será feita nas seguintes rádios:

  • Band News FM – 88 inserções.
  • Bandeirantes AM/FM São Paulo – 52 inserções.
  • CBN FM (Florianópolis, Blumenau, Goiânia, Fortaleza e Recife) – 47 inserções em cada praça.

Ouça abaixo a mensagem desta semana no YouTube:

Fonte: Plastivida

Especialista americano apresenta novamente no Brasil seminário sobre Injeção de Plásticos, nas cidades do Rio de Janeiro, Manaus e Maceió.

26/06/2011

Moldagem Científica” é o título do seminário a ser ministrado pelo especialista americano em injeção Bill Tobin nas cidades do Rio de Janeiro (01 de agosto), Maceió (03 de agosto) e Manaus (05 de agosto).

O seminário  “Moldagem Científica” foi apresentado pela primeira vez no Brasil no final do ano passado nas cidades de Caxias do Sul, Porto Alegre, São Paulo, Curitiba e Joinville, contando com a participação de mais de 130 profissionais da área e apoio do  Sindiplast-SP,  Simplás-RS, Simpesc-SC, Abiplast e INP, além da Ulbra, Escola Tupy e Plástico Sul.  Entre os participantes, mais de 80 % avaliaram o seminário como sendo Ótimo / Bom e informaram que estariam dispostos a assistir outro seminário com Bill Tobin.  Os seminários foram bastante interativos, com muitas perguntas e discussões. O feedback recebido dos participantes sobre a qualidade da tradução do seminário também foi muito positiva, de modo que todos puderam apreender o conteúdo das palestras e tirar dúvidas.

Ao concluir este seminário de 1 dia, o profissional que o assistir terá  ferramentas e técnicas que poderão ser imediatamente aplicadas no seu trabalho para melhorar a produtividade e aumentar a lucratividade da sua empresa. O seminário foi desenvolvido para apresentar técnicas de produção e processamento que resultam em redução de custos e que podem beneficiar mesmo aqueles profissionais com muita experiência.  Os profissionais que mais obterão proveito deste seminário são os Técnicos de Regulagem, Operadores líderes, Supervisores de Injeção, Engenheiros de produção, máquina e molde e Inspetores e Supervisores da área de qualidade.

O seminário “Moldagem Científica” vem sendo apresentado periodicamente por Bill Tobin há vários anos em diferentes cidades dos Estados Unidos, Canadá, Austrália, Nova Zelândia, México e Israel, já tendo sido oferecido também oferecido em Dubai, Marrocos e Arábia Saudita.

Bill Tobin é um conferencista, professor e autor internacionalmente reconhecido e muito solicitado para cursos e seminários na área de Injeção de Plásticos.  Ele tem mais de 40 anos de experiência na área de Plásticos e é Membro Senior da Society of Plastics Engineers. Bill Tobin é autor de 23 livros técnicos e já escreveu mais de 250 artigos técnicos para diferentes revistas especializadas. Ele tem um estilo de treinamento divertido, informativo e cadenciado.

88% dos profissionais que já assistiram ao seminário relataram ter podido aplicar imediatamente o que foi aprendido e 91% disseram que o seminário valeu o preço pago.

Segundo Fred Wise, Presidente e CEO da Wise Plastics Technologies em St. Charles, Illinois, EUA,  “se um participante aproveitar somente uma única idéia deste seminário, ele pagará a sua taxa de inscrição em somente um dia, na volta a seu trabalho”.

Todos os participantes do seminário receberão um CD contendo cópia do último livro de Bill Tobin, com inúmeros procedimentos e “check-lists”, além de planilhas pré-programadas com todos os experimentos usados para otimizar um ciclo de moldagem por injeção.

Neste ano, o seminário está sendo organizado pela Plassoft Tecnologia Ltda, contando com o patrocínio da INCOE  e apoio institucional da Abiplast, Simperj-RJ, Simplast-Manaus,  INP e Blog do Plástico. Estão sendo oferecidos descontos especiais para inscrições antecipadas (até 15/07) e para associados aos Sindicatos, Abiplast e INP, além de um bônus para mais de 4 participantes da mesma empresa.

As inscrições no seminário poderão ser realizadas diretamente no site www.plassoft.com.br/seminario. Informações sobre o programa do seminário, currículo do conferencista, preços do seminário e pagamento podem ser obtidas também no site.

Informações adicionais podem ser obtidas através dos telefones (71)3351-6880 e (11) 3596-6264  ou pelos emails: info@plassoft.com.br e susana@abiplast.org.br.

No Rio de Janeiro, informações também podem ser obtidas junto ao SIMPERJ, no tel. (21) 2220-9726 com a Sra. Ísis Alves ou via email: simperj@simperj.org.br.

Em Manaus, podem ser obtidas informações junto ao SIMPLAST Manaus com o Sr. Paulo Abreu, no tel. (92) 9966 0520 ou via email: simplast@argo.com.br.

Datas/Locais:

01/08 – Rio de Janeiro

03/08 – Maceió

05/08 – Manaus

Entidades ligadas à indústria do plástico se posicionam contra proibição de sacolas plásticas pela Câmara Municipal de São Paulo.

19/05/2011

Posicionamento frente ao PL, aprovado pela Câmara de São Paulo, que visa o banimento de sacolas plásticas no município

• No dia 17 de maio, a Câmara de Vereadores de São Paulo aprovou o Projeto de Lei 496/2007, que dispõe sobre a proibição da distribuição gratuita ou venda de sacolas plásticas aos consumidores em todos os estabelecimentos comerciais da capital. O PL define que os estabelecimentos comerciais devem estimular o uso de sacolas reutilizáveis, confeccionadas com material resistente e que suportem o acondicionamento e transporte de produtos e mercadorias em geral.

• São Paulo é o maior centro consumidor do país e sofrerá com a penalização: perda de movimentação no comércio, empregos em risco na cadeia produtiva, além da penalização da população em si e do meio ambiente.

• As sacolas plásticas são apontadas incorretamente como sendo causadoras de impacto ambiental, quando na verdade o problema não reside nelas e sim no desperdício, no descarte incorreto e na falta de uma política adequada de reciclagem de resíduos pós-consumo.

• Não há alternativas consistentes para substituir as sacolas plásticas. Econômicas, duráveis, resistentes, práticas, higiênicas e inertes, são reutilizáveis e 100% recicláveis. Pesquisa do Ibope confirma que 100% das sacolas plásticas são reutilizadas como saco de lixo, 71% constituem as embalagens preferidas da população para transportar suas compras e 75% das donas de casa são a favor do seu fornecimento pelo varejo.

• Embalar o lixo em plástico é uma recomendação dos órgãos de saúde do país, para que se evitem contaminações. A sacola plástica é reutilizada pelo consumidor para acondicionar o lixo doméstico, assim como para outros tantos usos, o que representa higiene, economia e atitude ambientalmente responsável. Na falta dessa embalagem, o consumidor deverá comprar sacos de lixo, o que irá gerar custo adicional às famílias.

• Ambientalmente, as sacolas plásticas são comprovadamente as mais amigáveis. Estudo encomendado pelo governo britânico sobre o impacto ambiental de diversos tipos de sacolas mostrou que a sacolinha de plástico tem melhor desempenho ambiental em 8 das 9 categorias avaliadas. Outro importante dado é que ela apresenta a menor geração de CO2 em seu processo produtivo, além de consumir menor quantidade de matéria-prima frente às outras opções.

• Com isso em vista, acreditamos que o combate ao desperdício a partir da educação: conscientização sobre o uso correto, reutilização e descarte responsável das sacolas plásticas é o caminho adequado.

• Defendemos que as sacolas plásticas sejam utilizadas sim, porém fabricadas com a qualidade exigida pela Norma Técnica ABNT NBR-14937. Isso porque as sacolas mais resistentes inibem a prática de se colocar uma sacola dentro da outra para transportar produtos mais pesados ou utilizar somente a metade de sua capacidade, além, de poderem ser usadas mais vezes, mesmo para as compras em supermercados.

• Essas sacolas mais resistentes são a base do Programa de Qualidade e Consumo Responsável de Sacolas Plásticas, desenvolvido pela Plastivida, Instituto Nacional do Plástico (INP) e Associação Brasileira da indústria de Embalagens Plásticas Flexíveis (Abief), para envolver indústria, varejo e população na questão da melhoria na qualidade das sacolas e nas boas práticas de uso e descarte dessas embalagens.

• Com uma sacola dentro da norma e com a educação da população para o uso e descarte adequados dessas embalagens o desperdício é combatido. O consumidor pode levar sua sacola plástica mais de uma vez ao supermercado, depois disso dar a ela outras finalidades (embalar alimentos, carregas produtos molhados na bolsa, recolher as fezes de animais domésticos ou mesmo usar como saco de lixo)

• Presente em oito capitais (São Paulo, Porto Alegre, Salvador, Goiânia, Brasília, Rio de Janeiro, Recife e Florianópolis), o Programa traz resultado notório: 4 bilhões de sacolas plásticas deixaram de ser consumidas de 2007 a 2010. Mesmo o Ministério do Meio Ambiente (MMA) reconhece o esforço como inovador, consistente e equilibrado. O Programa segue em 2011 com o objetivo de alcançar e até mesmo ultrapassar a marca dos 30% de redução no uso de sacolas plásticas até 2012.

• Na capital paulista, as redes de varejo signatárias do Programa, como o Pão de Açúcar, por meio da educação do consumidor, já reduziram significativamente o desperdício, graças a distribuição de sacolas dentro de normas e do trabalho de educação do consumidor.

• As entidades também lançaram em 2010 a Escola de Consumo Responsável, um projeto itinerante que tem levado os conceitos de uso responsável e descarte adequado dessas embalagens para todo o País.

O Banimento é um caminho ou uma falta de visão sistêmica?

• Perguntamos: deveríamos banir as sacolas ou promover ações em favor de seu uso responsável? Imagine se baníssemos tudo o que é moderno e que ao mesmo tempo tenha algum impacto ambiental. Voltaríamos aos primórdios, com baixa qualidade e baixa expectativa de vida e com epidemias que, atualmente, só fazem parte dos livros de história e total falta de higiene no contato com os alimentos.

• Na sociedade contemporânea, a melhor forma de usufruir dos benefícios (conforto, praticidade, economia, segurança e qualidade de vida) a que todos temos direito é utilizar este ou qualquer outro produto de forma responsável, o que significa aplicar o conceito ambiental, reconhecido internacionalmente, dos 3Rs: Reduzir, Reutilizar e Reciclar.

• A sacola plástica é 100% reciclável e, quando feita dentro de norma, mais resistente, pode e deve ser reutilizada – até mesmo para novas compras em supermercado – sem onerar o consumidor. Hoje, o Brasil conta com uma indústria de reciclagem de plásticos ociosa em mais de 30% uma vez que o país não conta com processos de coleta seletiva adequados para que menos materiais que podem ser reutilizados acabem nos lixões e aterros.

• Acreditamos que a população não pode ser penalizada – seja com cobranças extras, com a geração de novas despesas com sacos de lixo, ou mesmo com a perda e empregos na cadeia produtiva das sacolas plásticas (que hoje garante em São Paulo cerca de 6 mil empregos diretos).

• A saída está na educação e na responsabilidade compartilhada – indústria, varejo, população e governo fazendo sua parte para adequar a questão do consumo e do descarte.

Fonte:  ABIEF

Export Plastic levará empresas brasileiras à África do Sul.

03/05/2011

O Programa Export Plastic participará da Saitex, feira anual voltada aos principais setores comerciais da África do Sul, país que registra a segunda maior economia do continente e ocupa a 25ª posição em termos de PIB (US$ 527,5 bi em 2010).

Recém integrada ao BRICs, grupo de emergentes do qual o Brasil faz parte, a África do Sul contempla um mercado em franco desenvolvimento e apresenta uma moderna infraestrutura de apoio à distribuição de mercadorias aos grandes centros urbanos. Por tudo isso, está na lista dos países considerados prioritários pela Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) para estabelecer relações comerciais com exportadores brasileiros.

Para a edição deste ano da feira, são esperados cerca de 12 mil visitantes de 42 nacionalidades. Em 2010, o evento contou com a participação de mais de 600 expositores, de 32 países.

Para Marco Wydra, gerente executivo do Programa Export Plastic, esta é uma grande oportunidade para as empresas mostrarem seus produtos e conquistarem espaço em um mercado novo para os brasileiros. “Com essas reuniões, iniciamos os preparativos para realizarmos pela primeira vez um Projeto Vendedor na Saitex, para que o Brasil também possa usufruir das oportunidades do continente africano”, afirma Wydra.

A feira, que ocorrerá entre 17 e 19 de julho, é realizada há 18 anos em Joanesburgo, e o estande do Programa já tem registrado a presença de oito empresas brasileiras, que mostrarão ao público as tendências e novidades em filmes e embalagens plásticas industriais. Para as reuniões com esses executivos, o Programa está buscando contatos com as maiores redes varejistas locais. “Uma delas, Pick n Pay, já elogiou a qualidade dos produtos brasileiros e deverá fazer parte das rodadas”, conclui Wydra.

Para saber mais entre em contato com a equipe do Programa Export Plastic.

Fonte: Boletim Export Plastic

Grandes compradores internacionais confirmam presença no Projeto Comprador na Brasilplast

03/05/2011

Cada vez mais o Brasil tem atraído olhares, atenções e investimentos estrangeiros, por sua tecnologia e crescimento econômico. Um cenário propício para negócios é a quantidade de feiras e eventos que o país sedia. No setor do plástico, o Brasil se destaca na realização da Brasilplast, terceira maior feira do segmento do mundo, realizada a cada dois anos.

As empresas associadas ainda podem manifestar seu interesse em participar das rodadas de negócios, que serão realizadas pelo Programa Export Plastic, no dia 9 de maio, das 15h às 20h, no Espaço Premium da feira.

Tradicionalmente, o Programa promove a vinda de importantes compradores internacionais, media contatos, estimula a interação dos empresários nacionais e estrangeiros e incentiva a divulgação dos avanços tecnológicos das empresas associadas, o diferencial competitivo do país e a qualidade dos produtos brasileiros.

Nesta edição da Brasilplast não será diferente. O Programa promoverá o 24º Projeto Comprador e o Projeto Imagem, além de viabilizar visitas às empresas e intermediar negócios entre os brasileiros e os visitantes. “Queremos mais uma vez disseminar a cultura exportadora e valorizar o produto brasileiro”, afirma Marco Wydra, gerente executivo do Programa Export Plastic.

O Projeto Comprador contará com a participação de representantes de sete grandes empresas internacionais interessadas em negociar com empresários brasileiros. Uma delas é a Atlantic Packing, uma das maiores distribuidoras de embalagens americana, com 12 unidades de negócios somente nos EUA e bases na América Latina e Caribe. A empresa busca laminados em BOPP, filmes shrink e outros produtos destinados à indústria alimentícia e de embalagens.

A corporação mexicana Distribuidora y Comercializadora de Productos para La Construcción y Geosinteticos SA participa pela primeira vez do evento e traz uma grande oportunidade de geração de negócios com os fabricantes de geosintéticos e produtos para setores agrícolas e de construção civil.

A gigante chilena SPL, empresa detentora de uma das maiores minas a céu aberto de sal do mundo, também marcará presença no Projeto Comprador. No Brasil, a empresa busca, desde stand up pouches e shrink film em PVC até big bags em polipropileno e sacaria de ráfia para acondicionamento do sal.

Os participantes do Projeto Comprador e os importadores terão a oportunidade de assistir uma palestra sobre o mercado europeu de embalagens, com o pesquisador convidado pelo Programa, Robbin Leggett.

Na edição anterior da Brasilplast, em 2009, o Programa Export Plastic realizou um Projeto Comprador que contou com 193 encontros comerciais e que gerou US$ 160.000 em negócios. A expectativa da organização dessa ação é de dobrar o montante este ano.

A Brasilplast 2011 contará com 1300 expositores e deverá receber 65 mil pessoas, entre brasileiros e visitantes de 60 países, interessados em conhecer as novidades em equipamentos, máquinas, matérias-primas e produtos transformados de plástico.

Fonte:  Boletim Export Plastic

ABNT publica norma desenvolvida pelo INP

13/04/2011

No dia 16 de março, foi publicada mais uma Norma elaborada pelo Instituto Nacional do Plástico, sede do Organismo de Normalização Setorial de Embalagem e Acondicionamento Plásticos.

Trata-se da ABNT NBR 15931 – Tanque estacionário de superfície, rotomoldado em polietileno (PE), para armazenamento de combustíveis líquidos com volume entre 1.000 L e 10.000 L – Projeto, requisitos e métodos de ensaio.

A Norma não inclui, todavia, tanques utilizados para transporte e distribuição de combustíveis ou tanques para estocagem de gases. Para saber como adquiri-la, clique aqui.

Fonte: Boletim do INP

Export Plastic leva 24 empresas para a feira Home & Housewares 2011

01/03/2011

Entre os dias 6 e 8 de março, Chicago receberá a Home & Housewares, a maior feira de utilidades domésticas do ocidente. No ano passado, a feira recebeu 60 mil profissionais, dois mil expositores de mais de 35 países e mais de 20 mil compradores, vindos de mais de 100 países de todo o mundo.

O Programa Export Plastic participará da Home & Housewares pela sexta vez e este ano contará com 24 associados expondo produtos em seu estande. No ano passado, 16 empresas associadas ao Programa participaram do evento e firmaram US$ 708.000 em negócios somente durante os três dias de feira. Juntas, realizaram 590 contatos comerciais e declaram uma expectativa de negócios de US$ 4.680.000 para o ano seguinte.

Além de expor seus produtos na feira, as empresas poderão participar do retail tour organizado pelo Programa, com visitas às principais redes americanas de varejo. Nessas visitas o exportador pode conhecer a disposição dos produtos frente à concorrência, avaliar como as outras empresas se apresentam aos consumidores e com isso traçar novas estratégias de imagem para melhor atuarem no ponto de venda.

Outra atividade prevista é a palestra com a gerente do Centro de Negócios da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) em Miami, Silvia Pierson, que falará sobre a comercialização de produtos de UD com os Estados Unidos.  A palestra será realizada no dia 5 de março e será destinada aos associados do Programa.

Fonte: Boletim Export Plastic

Sacola retornável fabricada com PET reciclado é utilizada em supermercados e lojas de Portugal.

17/02/2011

Vislumbrando o crescente número de pessoas que optam por sacolas retornáveis, a Associação Portuguesa de Empresas de Distribuição (APED) colocou no mercado português um novo modelo, feito com material reciclado. Esta sacola apresenta na sua composição um material inovador, constituído em 99% por garrafas PET recicladas, com largas vantagens na economia de recursos naturais. O lançamento da nova Sacola “Verde” mostra a preocupação e responsabilidade da APED relativamente ao Ambiente e à Prevenção de resíduos, contribuindo para o consumo sustentável dos recursos naturais e para a promoção do eco-consumo.

A Sacola “Verde” pode ser adquirida em lojas dos Associados da APED tais como: Continente, Jumbo, Modelo Bonjour, Modelo, Pão de Açúcar, Pingo Doce e Staples.

Fonte: APED / Instituto Nacional do Plástico (INP)

Export Plastic: Perspectiva de negócios com a Pack Expo chega a quase US$ 8 milhões

17/11/2010

Os negócios fechados com compradores internacionais durante a Pack Expo, realizada em Chicago (EUA) entre os dias 31 de outubro a 3 de novembro, chegaram a U$$ 650 mil, com perspectivas de ampliar para US$ 8 milhões nos próximos 12 meses. As associadas fizeram cerca de 600 contatos não só com importadores americanos, mas de outros 23 países das Américas, Europa e África.

Este evento bienal, o principal do setor de embalagens nos Estados Unidos, contou com forte presença de distribuidores norte-americanos, mas recebeu também importantes representantes da indústria (de alimentos, bebidas, produtos de limpeza e higiene e outros), usuários finais, como Coca-Cola, Hershey, Reckitt Benckiser e Heinz.

As 11 empresas brasileiras que participaram da feira no estande do Programa Export Plastic foram: Braspack, Cleverpack, Embaquim, Felinto, Polo Films, Valfim, Védat, Vitopel, Zaraplast, Ibrapack e Mazda.

Fonte: Export Plastic

Consulta Nacional sobre Normas para embalagem e acondicionamento plásticos – INP / ABNT ONS-51

03/09/2010

Atualmente, seis Projetos de normatização do Instituto Nacional do Plástico / ABNT ONS-51 estão em Consulta Nacional, aguardando votação.

Projeto 51:002.05-001 – Lonas plásticas para silagem – Requisitos e métodos de ensaio
Descrição:
estabelece requisitos físicos e mecânicos, além dos métodos de ensaio para lonas plásticas em polietileno e/ou copolímeros de etileno, utilizados em silagem.
Prazo: 18/10/2010.
Projeto 51:002.04-001/3 – Filmes plásticos agrícolas para cultivo protegido — Parte 3: Telas para sombreamento e proteção
Descrição:
esta parte da ABNT NBR 15560, que já teve outras duas etapas (Cobertura de estufas e Cobertura de Solos), estabelece os requisitos de desempenho de telas para sombreamento e proteção, incluindo a identificação de acordo com o fator de cobertura.
Prazo: 21/10/2010.
Projeto 51:003.04-002/1 – Contentor móvel de plástico – Parte 1: Requisitos gerais
Descrição:
especifica os requisitos gerais, de segurança, de saúde e de ergonomia para contentores móveis de plástico, para acondicionamento de resíduos de acordo com a ABNT 51:003.04-002/2 e ABNT 51:003.04-002/3. Não se aplica a contentor de lixo perigoso.
Prazo: 21/10/2010.
Projeto 51:003.04-002/2 – Contentor móvel de plástico – Parte 2: Contentor de duas rodas com capacidade de 120 l, 240 l e 360 l, destinado à coleta de resíduos sólidos urbanos por coletor compactador (RSU) e de saúde (RSS)
Descrição:
especifica as dimensões, volumes e capacidades de carga para o contentor móvel de plástico de duas rodas com capacidade de 120 l, 240 l e 360 l destinado ao acondicionamento de resíduos sólidos urbanos (RSU) e de saúde (RSS). Aplica-se aos coletores-compactadores dotados de dispositivo de basculamento.
Prazo: 21/10/2010.
Projeto 51:003.04-002/3 – Contentor móvel de plástico – Parte 3: Contentor de quatro rodas com capacidade de 660 l, 770 l e 1.000 l, destinado à coleta de resíduos sólidos urbanos por coletor compactador (RSU) e de saúde (RSS)
Descrição:
especifica as dimensões, volumes e capacidades de carga para o contentor móvel de plástico de quatro rodas com capacidade de 660 l, 770 l e 1.000 l destinado ao acondicionamento de resíduos sólidos urbanos (RSU) e de saúde (RSS). Aplica-se aos coletores-compactadores dotados de dispositivo de basculamento.
Prazo: 21/10/2010.
Projeto 51:003.04-002/4 – Contentor móvel de plástico – Parte 4: Métodos de ensaio
Descrição:
especifica os métodos de ensaio para os contentores plásticos construídos de acordo com as ABNT NBR 51:003.04-002/2 e ABNT NBR 51:003.04-002/3.
Prazo: 21/10/2010.

Procedimentos para votar:

Acesse www.abntonline.com.br/consultanacional, busque na lista à esquerda de sua tela o título ONS 51 – Embalagem e Acondicionamento Plásticos (penúltimo item) e clique sobre ele.

Aparecerá o número do projeto, a data limite para voto e uma lupa para visualização do texto. Clique sobre a lupa.
Será solicitado o seu e-mail e senha. Caso não seja cadastrado, clique em “Criar meu ABNT passaporte gratuitamente”.
Visualize o projeto e, antes de votar, leia-o atentamente, seguindo as indicações.

ATENÇÃO: Todo e qualquer comentário sobre o projeto de Norma deverá ser encaminhado via Consulta Nacional, através do site da ABNT (em forma de anexo), para que possa ser documentado e discutido na reunião de avaliação dos resultados da Consulta Nacional.

Fonte: Instituto Nacional do Plástico

Export Plastic forma grupo de empresas para expor na Colombiaplast

31/08/2010

O Programa Export Plastic está formando um grupo de empresas para expor na Colombiaplast – Feira Internacional do Plástico –, que ocorrerá na Colômbia, de 4 a 8 de outubro. O evento, que é especializado e bienal, é um dos mais representativos da Região Andina, América Central e Caribe. A expectativa dos organizadores é a de ampliar o número de visitantes registrado em 2008: 50 mil pessoas. Até o fechamento desta edição, quatorze empresas associadas já tinham confirmado sua participação.

Esta é a quarta vez que o Programa Export Plastic participa desse evento. “É importante destacar que nossa presença na Região Andina é constante e persistente. Participamos das feiras regionais mais importantes, com resultados bem positivos para o setor brasileiro de transformação do plástico”, assegura Marco Wydra, gerente Executivo do Programa Export Plastic, lembrando que na edição anterior as empresas brasileiras realizaram negócios de US$ 2,12 milhões.

Os interessados ainda podem obter mais informações com Cristina Sacramento, especialista em Desenvolvimento de Mercado – Embalagens Flexíveis – telefone (11) 2148-4773 ou e-mail cristina.sacramento@exportplastic.com.br.

Fonte:  Boletim Export Plastic

Rodadas de negócios do Export Plastic ampliam negócios com México, Colômbia e Peru

31/08/2010

No total, o 22º Projeto Comprador computou negócios da ordem de US$ 3 milhões para os próximos doze meses

Os fabricantes brasileiros de transformados plásticos, presentes no 22º Projeto Comprador, realizaram negócios imediatos com importadores do México, Colômbia e Peru da ordem de US$ 230 mil, valor que deverá subir para US$ 3 milhões nos próximos doze meses. O evento ocorreu no dia 14 de agosto, durante a 41ª. edição da House and Gift Fair, em São Paulo, totalizando 130 rodadas de negócios. Além disso, foram realizadas seis visitas técnicas em fábricas de empresas associadas.

Do Brasil, participaram 24 empresas: Alpes, Acrimet, Bandeirante, Belchior, Caixaplast, Cobrirel, Coza, Cromex, Dejota, Delo, Grupo BB, Invicta, Jaguar, Kaballa, Kos Acrílicos, MartiplastParamount, PKZ, Plasútil, Replasmac, Sanremo, São Bernardo, Schwanke e Tritec. Entre os importadores estavam Sears, CE International, Latin American Distribuidors, Heim Dekoration, Usabco Industries e Almacenes.

Durante as rodadas de negócios, os empresários brasileiros também puderam realizar consultas com especialistas em Comércio Internacional, Cores & Design, Transporte, Logística, Crédito Corporativo e Financiamento para Inovações Tecnológicas e Ambientais.

“Estas rodadas de negócios fazem parte da ação tripla ++Leads Export Plastic, organizada pelo Programa para gerar contatos e interações comerciais para o resto do semestre”, lembra Gilberto Agrello, especialista em Desenvolvimento de Mercado – Rígidos & UD.

Produtividade nas rodadas

“Não perdemos uma rodada! Cada uma representa um importante canal de relacionamento e de negócios com o Comércio Internacional”, explica Jones Rocha, responsável pela exportação da Martiplast, para quem além de ampliar o network internacional, a empresa também aumenta seus negócios. “Estamos em tratativas finais com empresas da Colômbia e México”, revela.

O executivo informa que, além de negociar pessoalmente com os importadores “decision makers”, nessa edição teve também a oportunidade de mostrar em seu estande na feira o porte e a dimensão da empresa, com destaque para a qualidade, design e conceito dos produtos. ”Por isso é sempre muito produtivo participar de rodadas como essa”, finaliza Rocha.

Fonte: Boletim Export Plastic

Instituto Nacional do Plástico publica agenda de reuniões em agosto para discussão de Normais Técnicas para Embalagem e Acondicionamento de Plásticos.

12/08/2010

Confira as datas e os locais dos próximos encontros que discutem as Normas Técnicas para Embalagem e Acondicionamento Plásticos:

Terça-feira, 10 de agosto, das 14h às 17h
Revisão ABNT NBR 14222 Embalagem plástica para água mineral e de mesa – Garrafão retornável – Requisitos e métodos de ensaio
Revisão ABNT NBR 14328 Embalagem plástica para água mineral e de mesa – Tampa para garrafão retornável – Requisitos e métodos de ensaio
Revisão ABNT NBR 14637 Embalagem plástica para água mineral e de mesa – Garrafão retornável – Requisitos para lavagem enchimento e fechamento
Revisão ABNT NBR 14638 Embalagem plástica para água mineral e de mesa – Garrafão retornável – Requisitos para distribuição
Local: INP – Av. Chedid Jafet, 222 – Bloco C – 4º andar – Vila Olímpia – São Paulo/SP
Quarta-feira, 11 de agosto, das 14h às 17h
51:003.05-001 Potes plásticos – Requisitos e métodos de ensaio
Local: INP – Av. Chedid Jafet, 222 – Bloco C – 4º andar – Vila Olímpia – São Paulo/SP
Quinta-feira, 12 de agosto, das 9h às 12h
51:002.05-001 Filmes plásticos (lonas plásticas) para silagem – Requisitos e métodos de ensaio
Local: INP – Av. Chedid Jafet, 222 – Bloco C – 4º andar – Vila Olímpia – São Paulo/SP
Terça-feira, 17 de agosto, das 10h às 12h
51:003.04-002 Contentores móveis de plástico
Parte 1: Contentor de duas rodas com capacidade de 120, 240 e 360 litros, destinado à coleta de resíduos sólidos urbanos por coletor compactador (RSU) e de saúde (RSS)
Parte 2: Contentor de quatro rodas com capacidade de 660, 770 e 1 000 litros, destinado à coleta de resíduos sólidos urbanos (RSU) por coletor compactador e de saúde (RSS)
Parte 3: Métodos de ensaio
Parte 4: Requisitos de segurança e saúde
Local: ANFIR – Rua Conselheiro Saraiva, 306 – Santana – São Paulo/SP
Quinta-feira, 19 de agosto, das 13h30 às 16h30
51:005.01-003 Tanque estacionário rotomoldado em polietileno (PE) para acondicionamento de combustíveis – Requisitos e métodos de ensaio
Local: INP – Av. Chedid Jafet, 222 – Bloco C – 4º andar – Vila Olímpia – São Paulo/SP
Quinta-feira, 26 de agosto, das 14h às 17h
ABNT NBR 14937 Sacolas plásticas tipo camiseta – Requisitos e métodos de ensaio
Local: INP – Av. Chedid Jafet, 222 – Bloco C – 4 º andar – São Paulo/SP
Sexta-feira, 27 de agosto, das 10h às 13h
51:003.03-002 Embalagens resistentes à crianças – Requisitos e métodos de ensaio
Local: INP – Av. Chedid Jafet, 222 – Bloco C – 4 º andar – São Paulo/SP

Export Plastic promove palestra na Embala Nordeste sobre Planejamento Estratégico e Balanced Scorecard

04/08/2010

A iniciativa levará conhecimento sobre tecnologia gerencial às empresas, elemento necessário para o desenvolvimento de habilidades competitivas

O Programa Export Plastic promoverá a palestra sobre “Planejamento Estratégico e Balanced Scorecard”, desenvolvido especialmente paraa indústria transformadora de plástico, seus executivos e profissionais das áreas de gestão de custos, financeira, industrial e exportação.

A palestra será ministrada pelo economista Marcelo Martinovich e tem como objetivo esclarecer a importância e os benefícios do planejamento estratégico empresarial para potencializar as oportunidades de mercado, bem como, as vantagens da utilização da metodologia de medição e gestão de desempenho, o Balanced Scorecard.

A palestra será realizada durante a Feira Embala Nordeste no Auditório “Embala Design Show” entre as ruas E e F, dia 24 de agosto, das 16h às 17h30. A iniciativa faz parte de ciclo de palestras que será realizado durante todo o evento com o objetivo de capacitar as empresas e principalmente seus empresários.

O curso é GRATUITO para os expositores e visitantes da feira. Mais informações podem ser obtidas com Richard Assis
pelo telefone (11) 7027-6508 ou e-mail aleksander@exportplastic.com.br.

Programa Export Plastic estrutura ações para evento em Las Vegas

27/07/2010

Variety Merchandise contará com visitas de importantes distribuidores e compradores de redes varejistas da região

Pela terceira vez consecutiva, o Programa Export Plastic levará empresas brasileiras para participarem como expositoras da Variety Merchandise, feira que tem foco também em Utilidades Domésticas, que ocorrerá entre 8 e 11 de agosto, em Las Vegas, nos Estados Unidos. “Para essa edição, estamos preparando uma estrutura de participação completa e de acordo com as expectativas das associadas”, informa Gilberto Agrello, especialista em Desenvolvimento de Mercado – Rígidos & UD, referindo-se a algumas ações importantes que estão sendo desenvolvidas.

Uma delas é a contratação de uma consultoria especializada no mercado norte-americano, que identificará possíveis compradores para os produtos brasileiros, encurtando o caminho de prospecção das associadas. Outro ganho está na localização do estande, no upper level (piso de cima), ao lado dos expositores de housewares. PKZ, Plasutil, Schwanke, Jaguar, São Bernardo, Dello e Sanremo são as empresas associadas que vão expor no evento.

Destaque ainda para a presença de grandes compradores, que passaram no estande do Programa no ano passado e agora devem prestigiar as empresas brasileiras novamente. Entre elas, compradores da Distribuidora Four Seasons (EUA), Toy R US (US), Importadora D’Lauri (México) e Sears (Guatemala), entre outros. A ASD/AMD Las Vegas Variety Merchandise faz parte da ação ++Leads, que, além dessa feira, contempla mais dois eventos neste segundo semestre, como Projeto Comprador Gift (Brasil) e Feira Intergift (Espanha).


Fonte: Export Plastic

Programa Export Plastic promove encontros de negócios com empresas brasileiras, compradores e agentes internacionais durante Feira K 2010.

23/07/2010

A Feira K, que acontece há mais de 50 anos em Düsseldorf, é referencial de inovação e ponto de encontro dos mais importantes compradores do mundo

No período de 27 de outubro a 3 de novembro, o mundo internacional da indústria do plástico e da borracha encontra-se na sua maior feira: a K. Vitrine das novas tendências em toda a cadeia do plástico, o evento reúne compradores internacionais de várias regiões.  Ciente dessa importância, o Programa Export Plastic decidiu promover encontros de negócios com empresas brasileiras participantes do Programa, compradores e agentes internacionais, além de palestra sobre particularidades do mercado alemão e aspectos comerciais europeus, a ser proferida por um especialista internacional. Esses encontros ocorrerão em espaço anexo à feira.

“As reuniões de negócios em Dusseldorf serão concentradas em um único dia, 28 de outubro, segundo dia da K, para que as empresas brasileiras tenham tempo de conhecer as novidades apresentadas no evento e ainda, caso tenham interesse, visitar a Pack Expo (EUA), por exemplo”, diz Cristina Sacramento, especialista em Desenvolvimento de Mercado – Embalagens Flexíveis.

Para Cristina, participar da K é uma oportunidade que a empresa tem para conhecer as tendências mundiais do plástico em todos os elos da cadeia produtiva com seus diversos setores de aplicação e, também, para entender a dinâmica do mercado internacional e suas especificidades. “As empresas podem, com essa ação do Export Plastic, aliar a busca por atualização com oportunidades comerciais, que serão trazidas nas rodadas de negócios que promovemos”, destaca Cristina. Caso a empresa tenha interesse em participar das rodadas, é importante que programe sua viagem para o início da K (pois a ação ocorrerá no dia 28 de outubro) e entre em contato com o Programa o mais breve possível.

Além da Feira K, o Programa também organiza comitivas de empresários para visitar a Colombiaplast (Colômbia), de 4 a 8 de outubro, e a Pack Expo (EUA), que ocorre entre 31 de outubro a 3 de novembro. As empresas interessadas poderão se programar para participar dos três eventos. As inscrições podem ser feitas pelo telefone (11) 2148-4773, com Cristina Sacramento ou pelo e-mail cristina.sacramento@exportplastic.com.br.

Fonte: Boletim – Export Plastic

Programa de Qualidade e Consumo Responsável de Sacolas Plásticas chega a Recife.

07/07/2010

Em 9 de junho, o Instituto Nacional do Plástico (INP) lançou em Recife (PE), o projeto-piloto do Programa de Qualidade e Consumo Responsável de Sacolas Plásticas. Para um auditório de aproximadamente 60 pessoas, o superintendente do INP, Paulo Dacolina, apresentou as bases e objetivos do programa.

Na ocasião, estiveram presentes nomes como Élvio Polito, secretário adjunto do Meio Ambiente do Estado de Pernambuco, Luciano Siqueira, ex-vice-prefeito de Recife e atual vereador, Ricardo Essinge, presidente da Federação das Indústrias do Estado de Pernambuco (FIEP), Edvaldo Guilherme dos Santos, presidente da Associação Pernambucana de Supermercados (APES) e Fernando de Araujo Pinheiro, presidente do Sindicato da Indústria de Material Plástico do Estado de Pernambuco (SIMPEPE).

O Projeto conta com a participação das redes de supermercados Pão de Açúcar, Arco-Íris, Sttyllo e Kennedy e com o apoio do SIMPEPE (Sindicato da Indústria de Material Plástico do Estado de Pernambuco) e APES (Associação Pernambucana de Supermercados).

Fonte:  Boletim – Instituto Nacional do Plástico