Posts Tagged ‘Injeção’

Pláztico&Negócios da Pavan Zanetti recebe visitantes de várias regiões

20/04/2014

De 18 a 21 de março de 2014, a Pavan Zanetti recebeu clientes, amigos e fornecedores para mais uma edição da “Pláztico&Negócios”, a feira de máquinas e treinamentos promovida em seu showroom para facilitar o acesso do transformador do plástico às mais recentes tecnologias em máquinas, processos, periféricos e matéria-prima.

Dentre as máquinas colocadas em funcionamento para demonstrações aos visitantes, destacaram-se as injetoras com manipuladoras e ciclos totalmente automáticos; a Injection Blow (injeção e sopro simultâneos); sopradora convencional e com acumulador, sopro e estiramento de pré-formas de PET; sopradora de dupla estação de sopro modelo BMT5.6D/H (fabricando embalagens de 1.000 ml); sopradoras de acumulação para bombonas e sopradora de dupla estação para 20 litros com rebarbação automática.

O público superou todas as expectativas. Além de representantes de petroquímicas e instituições voltadas ao plástico, como a Abiplast, a feira foi prestigiada por clientes de todo o país: Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro, região Nordeste, diversas cidades do interior de São Paulo e muitos da Grande São Paulo, além de várias cidades de Minas Gerais.

A “Pláztico&Negócios” contou com o patrocínio de dois conceituados fornecedores da Pavan Zanetti, a BRASFIXO , empresa de elementos de fixação e logística, e a ACE Schmersal, marca reconhecida de elementos de segurança eletroeletrônico, além do SENAI (Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial), que trouxe vários especialistas em NR 12 para prestar esclarecimentos ao público presente.

Fonte: Pavan & Zanetti

Curta nossa página no

Grupo Furnax apresenta injetora de 350 ton e sistema In Mold Label durante a Plastshow

04/04/2014

O Grupo Furnax está apresentando na PlastShow 2014, entre 01 a 04 de abril,  a injetora da série SM-TS de 350 toneladas produzida por um dos maiores fabricantes de máquinas injetoras de grandes tonelagens, a Asian Plastic.

Segundo a empresa, a série SM-TS traz máquinas com soluções adequadas a produtos de paredes finas e ciclos rápidos. Destaca a Furnax que o equipamento prima pela precisão, velocidade e economia de energia, aliados a uma alta velocidade de injeção. Neles é possível acrescentar acumulador de oxigênio, que proporciona um ganho de velocidade de 300 mm/s. Com seu fechamento mecânico, as articulações da unidade são lubrificadas utilizando buchas de bronze e grafite que promovem menos desgastes por fricção, garantindo grande precisão e prolongando a vida útil da injetora.

O Grupo Furnax também apresentará na feira um sistema In Mold Label, que combinado à injetora SM-TS 350 toneladas, possibilita a aplicação de rótulos ou ilustrações diretamente no molde, produzindo uma peça personalizada sem a necessidade de rótulos adesivos, gravação ou impressões silk. Os produtos produzidos com o auxílio do sistema In Mold Label são impressos sobre filmes plásticos, que permitem sua adesão nas embalagens durante o processo de injeção, fixando permanentemente na superfície sem produzir bolhas de ar ou enrugamento pelo calor do molde.

O sistema garante maior produtividade, rapidez e economia, pois elimina etapas como a adesivação e impressão dos rótulos, além de garantir uma maior qualidade na imagem, melhor resistência à corrosão e compressão. O sistema In Mold Label é indicado a todos os segmentos que utilizem qualquer tipo de rótulos, dentre eles o alimentício, brinquedos, produtos domésticos, embalagens e cosméticos.

Além de apresentar tecnologias e injetoras de diversas tonelagens à pronta entrega, o Grupo aproveita a oportunidade para atender e solucionar as dúvidas dos clientes, oferecendo conhecimento técnico junto a uma estruturada equipe de vendas. De acordo com Vivian Rodrigues, gerente da Divisão Plástica da Furnax, a PlastShow é uma ocasião única para consolidar a empresa aos segmentos de embalagens em geral. O Grupo está localizado no estande 21, no ExpoCenter Norte – Pavilhão Azul.

Fonte:  Grupo Furnax

Curta nossa página no

Nordson Xaloy lança alternativa inovadora a resistências de aquecimento para bicos de injeção e tubos de transferência de material fundido

17/03/2014

Conhecida por proporcionar redução de custos em cilindros de injeção, a tecnologia SmartHeat™, da Nordson XALOY, também soluciona problemas com o vazamento de material pelo bico de injeção e com o aquecimento de tubos e adaptadores para transferência de material fundido

Um sistema de aquecimento inovador da Nordson XALOY  substitui resistências de aquecimento convencionais por um revestimento de aquecimento de alta eficiência energética que mantém a uniformidade do material fundido em tubos e adaptadores para transferência de material fundido em operações de extrusão, além de eliminar o tempo de inatividade necessário para remover vazamentos de material fundido dos bicos de injeção.

Apresentado inicialmente como um revestimento de cilindros de injeção, o sistema SmartHeat™ desde então tem sido adaptado com sucesso para estes usos adicionais:

Xaloy_Injection_Nozzle● Bicos de injeção. Um revestimento SmartHeat pode simplificar a manutenção e prevenir perda de tempo com a máquina inativa, resultante de vazamentos do plástico fundido  (especialmente quando a vedação bico/bucha do molde não está perfeita) para os espaços entre as resistências de aquecimento e o bico.  Disponível em novos bicos ou para substituir bicos existentes, o revestimento é facilmente limpo sem a necessidade de interromper a produção.

Xaloy-Melt-Pipes● Tubos ou adaptadores para transferência de material fundido. Estes componentes para a transferência de polímero fundido da extrusora para os equipamentos subsequentes podem se estender por uma distância considerável, tornando difícil a manutenção da uniformidade do material fundido. A substituição das resistências de aquecimento pelo revestimento contínuo do sistema SmartHeat garante uma temperatura consistente por distâncias significativas.

Nos tubos para transferência de material fundido instalados na Paragon Films, Inc., em Broken Arrow, Oklahoma, EUA, a empresa optou pela tecnologia SmartHeat principalmente para garantir um controle de temperatura uniforme em toda os tubos, de acordo com Gary Greenfield, diretor de engenharia.  “Qualquer um que utilize resistência de aquecimento sabe dos problemas que podem ocorrer com uma transferência de calor inconsistente e os problemas que aparecem quando as resistências se estragam,” disse o Sr. Greenfield. “Acreditamos que a SmartHeat eliminará esses problemas, não apenas proporcionando uma solução mais confiável do que as resistências de aquecimento, mas também ajudando a reduzir o consumo de energia.”

O sistema SmartHeat consiste de duas camadas de cerâmica metalizada pulverizada com plasma, com um pacote de fios de nicromo entre elas, além de uma cobertura para isolamento térmico. Como o calor dos fios é conduzido através do material cerâmico, o sistema eleva a temperatura do componente da máquina para os níveis desejados com mais rapidez do que os aquecedores de resistência, mantendo a temperatura de modo mais uniforme e consumindo menos energia, de acordo com a Nordson Xaloy. O revestimento de  isolamento térmico ajustado bem firmemente sobre o revestimento cerâmico virtualmente elimina perdas de calor para o local de trabalho, economizando custos com ar condicionado e reduzindo o risco de lesões do operador.

“O sistema SmartHeat é de 25 a 60% mais eficiente energeticamente que resistências de aquecimento e, como é um revestimento contínuo, distribui calor mais uniformemente — uma vantagem crucial para qualquer tubo de transferência de material fundido ou cilindro de processamento”, afirmou David Hotchkiss, gerente global de produtos da Nordson XALOY. “Como toda a fiação do SmartHeat passa por baixo do isolamento térmico, isto elimina o risco de ter vários fios expostos conectando múltiplas resistências de aquecimento.”

Fonte: Martino Communications / Nordson Xaloy

Curta nossa página no

Pavan Zanetti realiza mais uma edição da “Pláztico&Negócios”, de 18 a 21 de março

14/03/2014

Pavan_ZanettiEm sua quarta edição, que acontece de 18 a 21 de março, a “Pláztico&Negócios” já conquistou espaço garantido no calendário de eventos para o setor de termoplásticos.

Promovida pela Pavan Zanetti, esta feira de máquinas chama a atenção não só por apresentar os modelos de alta competitividade e performance na fabricação de embalagens, mas também por facilitar o acesso do transformador do plástico às mais recentes tecnologias, com treinamentos e demonstração de equipamentos em operação.

As atividades acontecerão das 8 às 18 horas, no showroom da empresa, que está localizada às margens da Rodovia Anhanguera, próximo ao km 125, com acesso pela Avenida Angelina Pascote, 4.405, em Americana (SP).

Na “Pláztico&Negócios”  estarão expostas  máquinas de Sopro Extrusão Contínua, Sopro Acumulação, Sopro de PET, Injeção, Injeção e Sopro integrados, que fazem parte da linha da Pavan Zanetti.

Além de poderem acompanhar processos produtivos com moldes, resinas e periféricos os visitantes também terão uma excelente oportunidade para fazer bons negócios, com consulta financeira para aquisição de máquinas através do FINAME, linha de financiamento do BNDES.

Fonte:  Pavan Zanetti

Curta nossa página no

Conjunto injetor com cilindro e rosca únicos para coinjeção reduz custo do processo em injetoras

22/01/2014

Também disponível em máquinas novas, a tecnologia Twinshot® da Nordson XALOY oferece diversas combinações de resina do tipo A-B-A sem o investimento dispendioso em sistemas de coinjeção com duplas unidades de injeção

A Nordson XALOY anunciou o lançamento de um pacote único de cilindro e rosca patenteado pela empresa, que oferece a economia e a versatilidade da injeção com dois componentes, ao mesmo tempo em que requer consideravelmente menos investimento que os sistemas de coinjeção que usam unidades de injeção separadas.

Chamado de Twinshot®, o sistema da Nordson XALOY substitui a rosca e o cilindro padrão por equivalentes desenvolvidos para produzir uma peça com dois componentes em um único ciclo de injeção, com uma única rosca, uma única carga e uma única retração. Está disponível como um item opcional em máquinas injetoras novas e como um pacote que pode ser instalado em um ou dois dias em máquinas usadas. O sistema Twinshot é limitado às estruturas de sanduíche simples “A-B-A”  e não pode ser usado para injeção com câmara quente ou em equipamentos com razão  L/D menores que 20:1, mas, dentro dessas limitações, pode processar uma ampla variedade de combinações de cores e resinas e pode voltar imediatamente a injetar apenas um único material.

“Embora a resina normalmente seja responsável por muito mais do que a metade do custo de produção de uma peça, a injeção com dois componentes faz com que seja possível otimizar o equilíbrio entre a função do material e o seu custo, ao usar duas resinas diferentes em vez de uma”, disse Anton Hagen, gerente  global de produtos para roscas e moldagem com vários materiais . “O baixo custo de investimento do sistema Twinshot da Nordson XALOY e a facilidade com que ele pode ser adaptado em máquinas usadas tornam os benefícios econômicos da coinjeção acessíveis para mais processadores de plástico. Além disso, o sistema é mais simples de operar do que as máquinas de co-injeção com duas unidades de injeção, ocupa menos espaço e utiliza menos energia”.

As vantagens citadas para a injeção com dois componentes com o sistema Twinshot incluem:  materiais especiais de alto custo pode ser usados somente na camada superficial (pele) da peça, sendo que o material mais barato, de uso geral, é injetado no núcleo da peça; pode-se usar material  reciclado para injeção no núcleo da peça; pode-se combinar um núcleo com função estrutural com um camada superficial com função estética; pode-se agregar valor ao produto ao combinar-se, por exemplo, uma superfície (pele) de “toque macio” de TPE  com um núcleo rígido; pode-se obter os benefícios de um núcleo de espuma (redução no peso e tensões na peça e eliminação das marcas de empenamento e rechupes) com um acabamento superficial estético.

Como um exemplo simplificado das economias que podem ser obtidas com o sistema Twinshot, Hagen mencionou o caso de um corpo de espelho automotivo que tinha custos de US$5,00 de material e US$1,00 de energia. “Com a coinjeção obtém-se facilmente uma economia de 15% nos custos do material, reduzindo o custo de resina por peça em US$0,75 e diminuindo o custo total por peça em 12,5%”.

Como funciona o sistema de coinjeção com dois componentes Twinshot®

O sistema Twinshot inclui uma rosca com duas zonas de plastificação independentes e um cilindro com duas aberturas  de alimentação. O material que constituirá a camada superficial da peça é inserido na primeira abertura de alimentação  a partir de um funil alimentador padrão ou um alimentador volumétrico. O material que constituirá o núcleo da peça entra pela segunda abertura de alimentação e é dosado no sistema por um alimentador “auger” com controle de velocidade. Os outros componentes do sistema Twinshot são uma válvula anti-retorno com dupla finalidade e um bico de injeção Eliminator™. As espessuras das camadas são controladas pelas velocidades da rosca primária e da rosca “auger”.

A cavidade do molde é preenchida em uma única carga. Geralmente, há a injeção sequencial dos dois materiais pelo mesmo ponto de injeção (ou pontos de injeção), com um pouco de injeção simultânea. O material da camada superficial da peça é resfriado contra as paredes do molde enquanto o segundo material fundido preenche o núcleo da peça. O resultado é uma estrutura sanduíche do tipo A-B-A, com três camadas, com a camada B, ou núcleo, completamente encapsulado. A proporção entre o núcleo e a camada superficial depende da viscosidade relativa dos materiais, assim como da geometria da peça. Ao se usar moldes com várias cavidades, o preenchimento equilibrado é uma condição necessária para o uso ótimo do sistema Twinshot. Em condições ideais, a frente de material fundido deve alcançar todas as superfícies da cavidade simultaneamente.

A Nordson XALOY (www.nordsonxaloy.com)  é a empresa do grupo Nordson Corporation para produtos de Sistemas de processamento de polímeros , é líder na fabricação de componentes e sistemas de plastificação para maquinas de injeção e extrusão, produzindo cilindros, roscas de alto desempenho, sistemas de plastificação pré-montados, rolos de transferência de calor, bombas de para polímeros engrenage, trocadores de tela, peletizadores e fornos de limpeza, e também oferece serviços de treinamento e testes de processos avançados. A empresa possui mais de oito décadas de experiência com engenharia, materiais, processos e aplicação, a partir das quais desenvolve soluções para otimizar processos, combater o desgaste, impulsionar resultados e aprimorar a qualidade. A Nordson XALOY mantém escritórios de vendas e serviços nos Estados Unidos, Tailândia, Japão, China e Europa, além de uma rede global de agentes e pontos de serviços.

A Nordson Corporation projeta, fabrica e comercializa produtos e sistemas diferenciados usados para o processamento e distribuição de precisão de adesivos, revestimentos, polímeros e plásticos, selantes, biomateriais e outros materiais e para a gestão de fluidos, testes e inspeções, cura UV e tratamento de superfícies com plasma, tudo isso com o suporte de nossa experiência em aplicações e serviços e vendas globais diretas. A Nordson atende a uma ampla gama de mercados finais de consumo não durável, durável e de tecnologia, incluindo embalagens, materiais em TNT, eletrônicos, produtos médicos, eletrodomésticos, energia, transporte, construção e montagem e acabamento de produtos em geral. Fundada em 1954 e com sede em Westlake, Ohio, EUA, a empresa tem operações e escritórios de suporte em mais de 30 países.

Fonte: Nordson Xaloy / Martino Comm.

Curta nossa página no

Máquinas Romi são destaque na Mecminas 2013

05/11/2013

Empresa líder nos segmentos de máquinas-ferramenta e máquinas para plástico oferece soluções de manufatura  para o mercado mineiro

Romi-EL75Considerada um dos maiores encontros do setor no País, a Mecminas 2013 – Feira da Indústria Mecânica de Minas Gerais vem contribuindo de maneira expressiva para o incremento de negócios no Estado. Programada para 5 a 8 de novembro no Centro de Feiras e Exposições de Minas Gerais, em Belo Horizonte, a Mecminas vai reunir empresas fornecedoras e compradoras dos principais setores da indústria.

Presente em todas as edições da feira, a Romi vai expor em seu estande cinco equipamentos de alta tecnologia dos segmentos de Máquinas-Ferramenta e Máquinas para Plástico: o Centro de Torneamento ROMI GL 240M, o Centro de Torneamento Vertical ROMI VTL 500R, o Centro de Usinagem Vertical ROMI D 800, a Injetora ROMI EL 75 e a Sopradora ROMI P 5L.

“O mercado mineiro é de grande relevância para os negócios da Romi, principalmente pela ampla atuação de nossos equipamentos nas empresas do setor metal mecânico e a Mecminas é um tradicional ponto de encontro entre os principais fabricantes de equipamentos, produtos e serviços desse Estado” , diz Hermes Lago, diretor da Unidade de Negócios Máquinas-Ferramentas da companhia.

William dos Reis, diretor da Unidade de Negócios Máquinas para Plástico da companhia, afirma que a feira é o local ideal para ampliar parcerias e iniciar novos negócios. “Entendemos que, com nosso amplo portfólio de máquinas, podemos apresentar soluções de manufatura e transformação de excelente custo-benefício para atender às novas demandas do Estado em diversos segmentos.”

Na feira, além das máquinas expostas, os visitantes poderão contar com todo o apoio técnico e comercial da equipe de vendas da filial Romi Belo Horizonte.

Fonte: Romi

Curta nossa página no

DSM une-se ao grupo LIPA para desenvolvimento de peças leves com compósitos termoplásticos avançados

31/10/2013

A Royal DSM anunciou que se juntou ao LIPA-Team (http://www.lipa-series.com/en/), grupo formado para desenvolver um processo industrial para a produção de peças de compósitos termoplásticos avançados, reforçados com fibras contínuas. LIPA significa “Lightweight Integrated Process Application” – pode ser traduzido para português com, “Aplicação de Processo Integrado para Produtos Leves”.  A DSM vai contribuir com know-how sobre materiais e seu conhecimento sobre aplicações de poliamida 6.

Christian Götze, chefe de desenvolvimento da Georg Kaufmann Formenbau, o parceiro líder do LIPA, diz: “Com a participação da DSM como parceiro de apoio para o LIPA-Team, podemos ampliar nossa competência existente para aplicações de poliamida 6. A DSM vai apoiar com know-how específico de aplicação em relação à seleção de materiais, desenvolvimento de peças, engenharia e processamento de material. Estamos convencidos de que, com a participação da DSM, podemos dar mais um passo à frente importante na tecnologia que combina moldagem por injeção com compósitos termoplásticos reforçados com fibra contínua”.

A chave para o sucesso de compósitos termoplásticos avançados em aplicações automotivas produzidas em grandes volumes são os processos automatizados de fabricação. A equipe do projeto LIPA desenvolveu um processo integrado em várias etapas, que compreendem o pré-aquecimento de uma chapa orgânica (uma pré-forma de fibras contínuas impregnadas com termoplásticos), o transporte robotizado dessa chapa para um molde LIPA em uma máquina injetora e a sobre-injeção (back-injection) da chapa com termoplástico para criar a peça final. Todas as etapas do processo total -aquecimento primário, manipulação, reformatação e injeção – devem estar perfeitamente coordenadas entre si, com o molde, bem como com o sistema de manipulação. Os vários parceiros de desenvolvimento podem contar com mais de 20 anos de experiência em sobre-injeção (back-injection) e prensagem de materiais flexíveis, como têxteis ou chapas de termoplásticos.

A participação da DSM no LIPA-Team complementa outras iniciativas importantes que a empresa recentemente realizou no desenvolvimento colaborativo de compósitos termoplásticos avançados para aplicações automotivas com produtos leves de alta resistência.

A DSM também é parceira no projeto ENLIGHT, patrocinado pela União Europeia, que visa acelerar o desenvolvimento tecnológico de um portfólio de materiais com alto potencial para reduzir o peso e a pegada de carbono em veículos elétricos de médio a alto volume. Além disso, a DSM é um dos sócios fundadores da AZL, o Centro Aachen para Produção Leve Integrativa, que irá desenvolver tecnologias de produção automatizada de componentes leves otimizados em termos de carga e custo, adequados para a produção em massa e cadeias de processos versáteis no design de compósitos e multimateriais.

A DSM está lançando uma linha de compósitos reforçados com fibra de carbono com base na sua poliamida 4.10 EcoPaXX®, poliamida 6 Akulon® e poliamida 4.6 Stanyl®  para reduzir significativamente o peso de peças na corpo do automóvel e no seu chassis. Os compósitos reforçados com fibra de vidro terão como objetivo reduzir o peso de componentes semiestruturais.

Fonte: DMS / LIPA

Curta nossa página no

Nordson Corporation constitui grupo global de “Sistemas de Processamento de Polímeros”

31/10/2013

Nordson-LogoA K 2013 marcou o lançamento do grupo de soluções e tecnologias de sistemas de processamento de polímeros da Nordson Corporation, um novo fornecedor global com uma ampla gama de tecnologias para fusão de polímeros, condicionamento, distribuição e formatação de plásticos, segundo a empresa anunciou.

Como resultado de uma série de aquisições estratégicas deste a última feira K, agora a Nordson fabrica componentes de precisão para fluxo de material fundido, desde roscas e cilindros para extrusão e injeção de plásticos até matrizes usadas para produzir filmes, revestimentos, chapas e pellets.  Além disso, o grupo fornece uma série de componentes críticos no processamento, tais como sistemas de filtragem, bombas e válvulas.

“Todas as organizações adquiridas pela Nordson no setor de processamento de polímeros são fornecedoras líderes de componentes de processamento de material fundido, com excelência em engenharia de precisão e que colocam um alto valor no atendimento das necessidades de fabricação dos clientes, oferecendo-lhes suporte pós-venda”, disse Peter Lambert, vice-presidente sênior da Nordson Corporation. “Esperamos que nossos clientes se beneficiem não apenas da ampla gama de de produtos ofereceidos, mas também dos recursos globais de fabricação e serviços locais da Nordson Corporation.  A nossa estratégia é de reunir empresas complementares para otimizar a qualidade e a eficiência do processamento de polímeros para atender a nossos clientes OEM, ajudando-os, em última instância, a fornecerem com o mais alto valor agregado e o melhor desempenho a seus usuários finais.”

A começar pela empresa adquirida mais recentemente, as linhas de produtos que compõem as ofertas da Nordson na área de processamento de polímeros são:

● Kreyenborg GmbH, com sede em Münster, Alemanha. Esta organização fabrica sistemas de filtragem para material fundido, bombas de engrenagem e válvulas de material fundido para extrusão, reciclagem e polimerização. Jan Hendrik Ostgathe é o diretor executivo.

● BKG Bruckmann & Kreyenborg Granuliertechnik GmbH, com sede em Münster, Alemanha. Esta organização produz sistemas de peletização submersa, secadoras centrifugas e placas de matrizes para extrusão, reciclagem e polimerização. Ralf Simon é o diretor executivo.

● Nordson XALOY, com sede em New Castle, Pensilvânia, EUA, fabrica componentes e sistemas de transferência de material fundido para maquinas de extrusão e injeção, incluindo cilindros, roscas de alto desempenho, sistemas pré-montados de plastificação, rolos de transferência de calor e fornos de limpeza; fabrica também sistemas de peletização. Steve Purcell é o vice-presidente e gerente geral.

● Nordson Extrusion Dies Industires, baseada em Chippewa Falls, Winsconsin, EUA, fabrica matrizes planas, blocos de alimentação e equipamentos relacionados para filmes, chapas, revestimento por extrusão e revestimentos fluidos. Godfrey Sandham é o vice-presidente e gerente geral. Também sob a marca Nordson Extrusion Dies Industries está outra empresa adquirida pela Nordson, a fabricante de matrizes planas Verbruggen, cujas instalações em Temse, Bélgica, agora são a sede da Nordson EDI Europa N.V. E também faz parte da Nordson Extrusion Dies Industries a Divisão de Revestimentos Premium, que fabrica matrizes de revestimento com ranhuras.

“Os Sistemas de processamento de polímeros Nordson não estão no negócio de fabricar máquinas primárias, como injetoras ou extrusoras, mas sim em fornecer os componentes necessários para que esses sistemas funcionem”, disse Peter Lambert. “Com o passar do tempo, haverá oportunidades crescentes para que clientes OEM e processadores possam adquirir componentes de nosssas várias linhas de produtos através de uma única ordem de compra, se optarem por fazê-lo, alinhando suas práticas de compras, tirando proveito de nossas experiências conjuntas com plásticos e utilizando componentes otimizados para trabalharem em conjunto ao longo do fluxo de material fundido.”

Clientes se beneficiarão dos diversos recursos da Nordson

A Nordson Corporation, empresa matriz que reuniu as especialidades complementares das cinco empresas adquiridas, tem recursos extensivos que beneficiarão seus clientes.  Com operações diretas em mais de 30 países e alcance global em mais de 42, a Nordson oferece uma base internacional para aumentar o acesso local a serviços técnicos e de vendas. O sólido suporte da empresa à pesquisa e desenvolvimento (P&D) resultará em um maior fluxo de inovações em componentes para o processamento de plásticos, desde novas tecnologias de cilindros e roscas até inovações em peletizadores e matrizes de extrusão. A Nordson é uma empresa multinacional de capital aberto com vendas anuais de quase US$ 1,5 bilhões. Com sede em Westlake, Ohio, EUA, a empresa fundada em 1954 é líder mundial na produção de equipamentos de precisão para dosagem de adesivos, revestimentos, selantes e outros materiais, além de fabricar também sistemas para gerenciamento, teste e inspeção de fluidos, cura Ultra-Violeta e tratamento plasma de superfícies. Assim como as empresas adquiridas recentemente, a Nordson tem experiência especial em equipamentos para fusão de material, filtragem, bombeamento e medição em aplicações críticas de manufatura.

No ano passado, a Nordson investiu aproximadamente US$ 50 milhões em pesquisa e desenvolvimento. A empresa possui 475 patentes nos EUA e 986 patentes estrangeiras, além de 1.051 patentes pendentes.

“O compromisso de longa data da Nordson com P&D irá gerar novos componentes do fluxo de material fundido que beneficiarão processadores de plásticos, aumentando a produtividade, reduzindo o tempo de inatividade, eliminando desperdício, aprimorando a qualidade dos produtos e fornecendo novos recursos de fabricação que facilitam a diversificação”, disse Peter Lambert. “Todas as nossas recentes aquisições são empresas fortes, lucrativas e líderes respeitadas em seus setores e a Nordson está investindo nelas para criar compromissos e recursos de longo prazo na indústria de processamento de polímeros.”

Fonte: Martino Communications / Nordson

Curta nossa página no

Romi consolida presença internacional e apresenta lançamentos na K 2013

21/10/2013

Principal encontro mundial de companhias do setor tem participação da Romi pela segunda edição consecutiva

K-fair_romi-primaxEmpresa líder brasileira de máquinas para plástico e tradicional exportadora, a Romi participa da edição 2013 do maior encontro de negócios para transformadores de plástico, a feira K. Realizada entre os dias 16 e 23 de outubro, em Dusseldorf, na Alemanha, a feira conta com os principais players do mercado.

A Romi tem um espaço de 400 metros quadrados, localizado no Hall 15, estande D40. A empresa está apresentado três máquinas lançadas este ano e destacadas em eventos nacionais. São elas: as injetoras ROMI EL 75, a ROMI EL 300 e a ROMI EN 450.

Para Cassiano Rosolen, diretor Financeiro e de Supply Chain, a Romi fortaleceu sua presença global na indústria de transformação de plástico e reforçou sua determinação de estar globalmente bem estruturada. “Desde 1944, a Indústrias Romi exporta e tem experiência para fornecer máquinas, suporte de vendas e serviços aos nossos clientes, por meio de subsidiarias Romi, localizadas na Alemanha, no Reino Unido, na França, na Espanha, no México e nos Estados Unidos”, afirma Rosolen.

O diretor da Unidade de Negócios de Máquinas para Plástico, William dos Reis, explica que as máquinas apresentadas pela Romi na K combinam alta tecnologia, precisão, eficiência energética e produtividade a um custo competitivo. “Estamos muito atentos ao mercado e nos empenhamos em antecipar as necessidades de nossos clientes, produzindo máquinas reconhecidas pela sua alta performance, confiabilidade e durabilidade.”

Linha de produtos Romi

Linha EN – Série de máquinas dedicada a aplicações de uso em geral e com força de fechamento de 70 a 450 toneladas. Os  equipamentos contam ainda com sistema de acionamento hidráulico por servomotor.

Linha EL – Série de máquinas totalmente elétricas e com força de fechamento de 75 a 300 toneladas. Esses equipamentos são voltados a aplicações técnicas.

Linha Primax – Série composta por máquinas hidráulicas e híbridas, com força de fechamento de 220 a 1.500 toneladas.

Máquinas Romi na K 2013

Injetora ROMI EL 75 e ROMI EL 300

As injetoras ROMI EL 75 e EL 300 são equipamentos voltados para aplicações técnicas e de engenharia, com força de fechamento de 75 e 300 toneladas. Usando tecnologia e experiência de máquinas CNC, toda a linha conta com fuso de esfera recirculante e movimentos por servomotor. O resultado é uma máquina silenciosa, rápida e precisa. Operando com níveis de ruído inferiores a 60 decibéis, as injetoras conseguem economia média de energia de até 60%, em comparação com máquinas hidráulicas atuais; e de até 80% quando comparadas   as máquinas mais antigas. A precisão é de centésimos de milímetro. Esses são os dois primeiros modelos a usar o novo controle CM15, de 15 polegadas, com controle touch-screen, conectividade via Internet, VNC Server e servidores FTP e PVI.

Injetora ROMI EN 450

A série EN é a mais recente linha de máquinas produzidas pela Romi, projetada para atender às necessidades de quem procura injetoras altamente eficientes, compactas e com baixo nível de ruído. Fáceis de operar, elas possuem acionamento hidráulico por servomotor, que proporciona alto desempenho e baixo consumo de energia. A economia de energia nesse caso é de até 40% se comparado a um equipamento de bomba de vazão variável. A redução pode chegar até 66% em relação ao modelo  de vazão fixa. Com boa aceitação pelo mercado, a Romi está expandindo a série EN para equipamentos de 450 toneladas de força de fechamento. Na K 2013, a empresa vai expor a injetora ROMI EN 450.

Fonte:  Romi

Curta nossa página no

Stratasys e Arburg colaboram na utilização de moldes de injeção impressos com tecnologia 3D

11/09/2013
  • Moldes impressos com materiais da Stratasys e instalados nas injetoras de plástico Arburg são usados para criar protótipos a partir do material do produto final real;
  • Outra aplicação é o uso de moldes criados com materiais da Stratasys para verificar os produtos em fase de desenvolvimento interno ou que precisam passar por testes realizados por órgãos reguladores;
  • Moldes impressos em 3D aceitam a injeção de um número finito de peças ou produtos, variando de 10 a 100 unidades;
  • Os setores automotivo, aeroespacial e de defesa são os mais avançados no uso de moldes criados com o uso de impressoras 3D.

 A Stratasys, Ltd., uma das principais fabricantes de impressoras 3D e sistemas de produção para prototipagem e manufatura do mundo, anuncia sua colaboração com a Arburg Brasil, subsidiária da alemã Arburg. Um dos líderes globais do mercado de injetoras de plástico, esta empresa tem se destacado, nos últimos 20 anos, no segmento de soluções industriais verdes, que promovem a eficiência energética e a sustentabilidade.

“A soma das tecnologias Arburg e Stratasys abre para as indústrias brasileiras a possibilidade de saltar para o centro da nova revolução industrial e passar a usar moldes impressos em 3D nas injetoras de plástico Arburg”, destaca Renata Sollero, gerente de território para o Brasil. “Isso permite reduzir o período de desenvolvimento e lançamento de produtos, além de baixar o custo de todo o processo”. Segundo Renata, um único molde de aço pode custar dezenas ou centenas de milhares de reais e levar de uma semana a meses para ser produzido. “O molde impresso em 3D, por outro lado, é produzido em questão de horas; no caso de alguma mudança ou ajuste no projeto do produto a ser injetado, um outro molde impresso em 3D é gerado com igual rapidez, o que agiliza todo o processo de desenvolvimento de produto”.

O uso de moldes impressos em 3D é mais frequente na indústria automobilística – em especial em empresas que fabricam peças e componentes pequenos e médios. “Em seguida vem a indústria aeronáutica e de defesa, seguidas pelos fabricantes de produtos eletrônicos, brinquedos, sapatos e equipamentos médicos”, detalha Renata.

Coexistência entre moldes impressos em 3D e moldes de alumínio e aço

Para Kai Wender, diretor geral da Arburg Brasil, a colaboração com a Stratasys coloca ao alcance das empresas usuárias das injetoras Arburg a possibilidade de acelerar seus processos de desenvolvimento de produtos e de geração de moldes. Segundo o executivo, o mercado vive hoje um momento de diversificação de tecnologias, em que moldes de aço podem, em alguns casos, ser complementados ou até mesmo substituídos por moldes impressos em 3D. “De qualquer maneira, ao escolher as injetoras de plástico da Arburg, os usuários esperam encontrar os mesmos valores que a empresa tem defendido nos últimos 50 anos: uma empresa inovadora, habilitada para o desenvolvimento de injetoras de plástico reconhecidas por sua eficácia e robustez, totalmente qualificada para suportar os processos industriais de manufatura”, declara Wender. “Estamos passando por um período em que os moldes de aço tradicionais e os moldes criados com impressoras 3D podem coexistir na mesma empresa, cada um atuando em aplicações específicas com base na limitação de geometria e nos materiais plásticos injetados”.

Aplicações de “soft tooling”

O uso de moldes gerados em impressoras 3D nas injetoras de plástico Arburg é uma aplicação de “soft tooling”, ferramentaria leve. Após ser impresso em impressoras 3D e com materiais digitais da Stratasys, o molde é colocado na injetora de plástico. Esses moldes suportam a pressão de injeção e podem produzir o primeiro lote de peças injetadas a partir do material do produto final. “As partes internas dos moldes impressos em nossas impressoras são idênticas às partes internas dos moldes de aço, e elas podem aceitar, por meio da injeção de plástico, a maioria dos materiais amplamente usados no setor”, acrescenta Renata. Os materiais incluem polipropileno, elastômeros termoplásticos, acetal (POM) e ABS, e assim por diante. “Isso demonstra que as empresas que desejam substituir moldes de aço por moldes impressos com materiais da Stratasys podem continuar a empregar plásticos já usados intensamente como material de injeção em todo o setor”. Renata ressaltou também que os usuários deveriam considerar que esse processo pode exigir pequenas alterações de projeto no molde em relação ao projeto do molde de aço (isto é, ângulos de inclinação mais altos e ponto de injeção de material mais amplo para reduzir a pressão de cavidade).

As aplicações de soft tooling estão conquistando o mercado. “Atualmente, temos várias aplicações em grande escala para moldes impressos em 3D. Na maioria delas, a principal vantagem é a verificação de material real moldado e injetado de forma rápida e relativamente econômica”, observa Renata. Uma das aplicações está relacionada a indústrias de plásticos que produzem grandes quantidades de peças e produtos. Com o uso de moldes 3D, essas empresas têm a opção de verificar o molde de aço que será usado futuramente para injetar as peças. Neste caso, as indústrias de plástico imprimem geralmente de 10 a 20 moldes em material da Stratasys antes de obter o molde perfeito, que será usado como base para a criação do molde de aço final.

Uma das aplicações mais conhecidas de moldes impressos em 3D é na produção de pequenas séries de produtos para validação interna de projetos ou, então, validação de produtos que serão examinados por órgãos reguladores como a ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas). “No Brasil, por exemplo, um brinquedo só pode ser fabricado depois de ter sido examinado e testado no laboratório da ABNT. Para submeter esse brinquedo à série de testes necessária, seria preciso montar toda a linha de produção e também gerar o molde em aço para a injetora de plástico”, explica Renata. “Moldes impressos em 3D e colocados na injetora de plástico podem ser usados para a produção do brinquedo sem que, antes, toda a linha de produção industrial seja montada”.

Quantidade de peças injetadas depende de diversos fatores

Outra aplicação estratégica de moldes impressos em 3D está relacionada à possibilidade de usar moldes impressos em 3D para personalizar o produto desejado. “Nessa aplicação, as injetoras de plástico recebem moldes que são ligeiramente diferentes entre si; esses moldes serão usados para criar produtos em linhas limitadas e personalizadas, feitos sob medida para mercados e usos específicos”, explica Renata. Fatores como a complexidade geométrica deste molde e sua maior ou menor resistência ao calor e à temperatura definem a quantidade de peças que podem ser criadas com esses moldes. “Cada caso tem suas limitações. Em geral, os moldes impressos com a tecnologia da Stratasys podem aceitar a injeção de um número de peças ou produtos que varia de 10 a 100 unidades”. As empresas que desejam injetar milhões de peças ou produtos devem continuar a usar os moldes de aço nas máquinas de moldagem por injeção de plástico, pois eles são mais indicados nesse tipo de aplicação”, finaliza Renata.

Sobre a Stratasys .: Com sede em Minneapolis nos Estados Unidos e em Rehovot, em Israel, a Stratasys produz impressoras 3D e materiais para prototipagem e fabricação de produtos. Seus processos patenteados FDM® e PolyJet®  produzem protótipos ou objetos fabricados diretamente de arquivos de CAD 3D ou de outros conteúdos 3D. Entre os sistemas incluem-se impressoras desktop 3D acessíveis para desenvolvimento de ideias, uma série de sistemas para prototipagem e grandes sistemas de produção para manufatura digital direta. Entre as subsidiárias da Stratasys destacam-se a MakerBot e a Solidscape; a empresa opera, ainda, a rede de serviços para manufatura digital RedEye. A Stratasys conta com mais de 1.500 funcionários e possui mais de 500 patentes concedidas ou pendentes de manufatura aditiva no mundo inteiro.

Sobre a Arburg: Empresa alemã construtora de máquinas, é um dos fabricantes líderes mundiais de máquinas de moldagem por injeção para o processamento de plásticos com forças de fechamento entre 125 kN e 5.000 kN. Sistemas robóticos, soluções personalizadas específicas para setores e clientes e outros periféricos completam sua linha de produtos.  A Arburg está representada por suas próprias organizações em 32 locais e 24 países, e por parceiros comerciais em mais de 50 países. As máquinas são produzidas exclusivamente na matriz em Lossburg, Alemanha. De um total de mais de 2.200 funcionários, aproximadamente 1.840 trabalham na Alemanha. Ao redor de 360 funcionários trabalham nas organizações da Arburg no mundo inteiro. Em 2012, a Arburg tornou-se uma das primeiras empresas a ganhar uma certificação tripla: ISO 9001 (Qualidade), ISO 14001 (Meio ambiente) e ISO 50001 (Energia). Mais informações sobre a Arburg podem ser encontradas em www.arburg.com .

Fonte: Stratasys (Gad Comunicação)

Curta nossa página no

Arburg patrocina Seminário Internacional em Injeção de Plásticos – “Moldagem Científica”

04/09/2013

Novo Seminário apresentado pelo especialista Bill Tobin apresenta ferramentas para otimização do processo de injeção

Motivada pelo propósito de estimular o desenvolvimento técnico e aprimoramento profissional do segmento de injeção de plásticos nos mercados onde atua, a Arburg patrocinará o Seminário “Moldagem Científica”, a ser apresentado pelo especialista americano Bill Tobin na primeira quinzena de outubro, nas cidades de Curitiba, Joinville, Rio de Janeiro, São Paulo e Manaus.

No ano de 2012, a Arburg patrocinou outro seminário também apresentado por Bill Tobin no Brasil, intitulado “Troubleshooting – Resolução de Defeitos de Moldagem”, cujos resultados foram bastante positivos para os participantes, segundo relatos que a Arburg recebeu dos seus clientes que assistiram ao evento.

Reconhecida internacionalmente pela qualidade, precisão, confiabilidade e eficiência energética de suas máquinas injetoras, a Arburg foi fundada na Alemanha em 1923 e conta com 2.150 colaboradores em todo o mundo. A empresa está presente no Brasil desde o ano 2000, atuando com uma equipe com 10 representantes, 14 funcionários, showroom, treinamento técnico operacional, técnicos em aplicação, reposição de peças e assistência técnica.

Seminário com Bill Tobin em São Paulo (auditório da Abiplast/Sindiplast), em 2012

Bill Tobin é um conferencista e autor internacionalmente reconhecido e solicitado para cursos e seminários na área de Injeção de Plásticos. Ele vem apresentando seminários há vários anos em diferentes cidades dos Estados Unidos, Brasil, China, Canadá, Austrália, Nova Zelândia, México, Israel, Marrocos, Arábia Saudita e Brasil. Bill Tobin tem mais de 40 anos de experiência na área de Plásticos, é Membro Senior da Society of Plastics Engineers e autor de 23 livros técnicos e mais de 250 artigos técnicos publicados em diferentes revistas especializadas. Bill Tobin já esteve no Brasil em 2010, 2011 e 2012, apresentando seminários em São Paulo, Caxias do Sul, Joinville, Manaus, Rio de Janeiro, Maceió, Curitiba, Belo Horizonte  e Porto Alegre.

O Seminário “Moldagem Científica”, organizado pela Plassoft Tecnologia Ltda., conta com o apoio da ABIPLAST – Associação Brasileira da Indústria do Plásticos, INP (Instituto Nacional do Plástico) e dos Sindicatos da Indústria do Plástico do Estado de São Paulo (SINDIPLAST), do Estado de Santa Catarina (SIMPESC), do Estado do Amazonas (SIMPLAST-Manaus) e do Estado do Rio de Janeiro (SIMPERJ).

O seminário ocorrerá nas seguintes datas e locais:
•    02/10/2013 – Curitiba
•    04/10/2013 – Joinville
•    07/10/2013 – Rio de Janeiro
•    09/10/2013 – São Paulo
•    11/10/2013 – Manaus

O seminário terá tradução simultânea realizada por especialista em plásticos.

Informações adicionais sobre o evento, inclusive sobre inscrições e programa do seminário, podem ser obtidas no site www.plassoft.com.br/seminario, através dos telefones (71) 3351 6880 e (11) 98580 0212 ou ainda pelo email info@plassoft.com.br. As informações podem também ser obtidas junto aos Sindicatos regionais que estão apoiando o evento.

Está sendo oferecido um desconto de 15% nas inscrições realizadas até o próximo dia 16 de setembro. Associados aos Sindicatos da Indústria do Plástico locais e às outras entidades apoiadoras tem um desconto adicional sobre o valor da inscrição. Para as empresas que efetuarem 4 inscrições, é oferecido o bônus de uma quinta inscrição gratuita.

Curta nossa página no

Novos cursos do SENAI em São Paulo terão 9 máquinas da Pavan Zanetti

30/08/2013
HDL-10-L

Sopradora Série HDL

Até setembro, a Pavan Zanetti entregará para o SENAI (Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial) cinco injetoras HXF90 BR, duas sopradoras HDL 10L e duas sopradoras BMT 5.6 S/H. As nove máquinas serão instaladas em escolas da instituição no interior paulista.

Os equipamentos permitirão ao SENAI implantar novos Cursos Técnicos, de Aprendizagem em Moldagem de Plástico e Ferramentaria de Moldes, aumentado sua capacidade de formação de profissionais para o setor de plásticos, que está em crescente desenvolvimento.

Segundo a Pavan Zanetti, a injetora HXF90 BR apresenta alto desempenho e grande economia de energia. É utilizada para tampas, brinquedos, peças técnicas (inclusive automotivas) e pré-formas de PET.

A sopradora HDL 10L atende o segmento de embalagens de médio e grande portes, como bombonas industriais e agroquímicos, peças técnicas, autopartes e produtos para construção civil.

A sopradora BMT 5.6 S/H é indicada para frascos de até 5 litros, empregada na fabricação de embalagens para os setores de higiene e limpeza, cosméticos, produtos farmacêuticos, produtos alimentícios e peças técnicas de pequeno volume.

De acordo com a Pavan Zanetti, os equipamentos possuem comando avançado, interface amigável e de fácil operação, além de um completo sistema de segurança. Este conjunto de características garante as condições ideais de manuseio por aprendizes.

Fonte: Amiglo / Pavan Zanetti

Curta nossa página no

Polimold vê na Plastech Brasil oportunidade para atrair negócios na região Sul

26/08/2013

Polimold_logoMaior fabricante de porta moldes e sistemas de câmara quente da América Latina, a Polimold, com sede em Bernardo do Campo (SP), exporta para diversos países da Europa, Ásia, América do Sul e ainda tem participação no mercado dos Estados Unidos e México. Além da matriz, que conta com aproximadamente 400 colaboradores, a Polimold ainda possui outras quatro unidades fabris em São Bernardo e exibe mais de 35 anos de experiência.

Esta é a primeira vez que a empresa participa da Plastech Brasil e a expectativa é de grande participação de ferramentarias da região. De acordo com a diretora de marketing da Polimold, Poliana Baldim Lopes, a feira é uma grande oportunidade de confraternizar com os clientes, já que, muitas vezes, os contatos feitos no dia a dia são muito objetivos. Além disso, obviamente, a Plastech Brasil é vista como chance de atrair oportunidades de negócios de maneira mais descontraída.

“Sem dúvida a grande vantagem da Plastech Brasl é demonstrar a força de nosso mercado de moldes no Brasil, especialmente na região Sul, grande concentração de ferramentarias e Pólos industriais consumidores de nossos produtos”, acrescenta Poliana.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Plastech Brasil

Curta nossa página no

Romi participa da Embala Nordeste e reforça atuação no mercado nordestino

26/08/2013

O Nordeste é uma das regiões do Brasil em que a economia tem registrado bom ritmo de crescimento. Um desses indicadores é a presença de grandes empresas nas feiras regionais. A Indústrias Romi, líder no setor de máquinas-ferramenta e máquinas para plásticos, além de importante produtora de fundidos e usinados, vem investindo na região. Nos últimos cinco anos aumentou em mais de 100% o número de máquinas injetoras instaladas, e hoje, esse mercado já representa 15% de suas vendas internas.

Outro fato que reforça essa ação é que no ano passado a Romi participou apenas da Embala Nordeste. Neste ano, esteve na FORIND NE e confirmou presença na Embala Nordeste e na Fimmepe, ambas realizadas em Olinda, Pernambuco.

“Decidimos aumentar nossa presença no mercado de feiras nordestino em razão da demanda de clientes da região. No ano passado, participamos de uma feira no Recife. Este ano estaremos em três eventos, a fim de trazer soluções aos nossos clientes e mostrar nossa estrutura comercial no Nordeste”, afirma William dos Reis, diretor da unidade de Negócios de Máquinas para Plástico da Romi.

Com um escritório de vendas e serviços localizado em Salvador, a Romi atende com rapidez e agilidade as empresas do Nordeste. Para que os clientes dessas feiras entendam bem o funcionamento dos equipamentos, a equipe de vendas e serviços dará orientação técnica sobre a solução ideal para sua produção. Outra opção disponível aos clientes da Romi em eventos pelo Brasil é o Finame, financiamento oferecido a empresas brasileiras, com taxa de juros 0,29% ao mês.

Embala Nordeste

Realizada entre os dias 27 e 30 de agosto, no Centro de Convenções de Pernambuco, a Romi vai mostrar aos visitantes a injetora ROMI EN 100 e a sopradora Maxtec 20L.

A 21ª edição da Embala Nordeste 2013 é uma das principais mostras de tecnologia e soluções do Brasil nas áreas de embalagens, processos, transformação e impressão. Ocupando área de 25 mil metros quadrados, a feira reúne cerca de 500 marcas de expositores do Brasil e do exterior.

Fonte: Romi

Curta nossa página no

Bill Tobin apresenta seminários em injeção de plásticos novamente no Brasil em outubro

21/08/2013
foto_4_reduzida

Seminário com Bill Tobin em São Paulo (auditório da Abiplast/Sindiplast), em 2012

“Moldagem Científica” é o tema do seminário a ser ministrado este ano pelo especialista americano em injeção Bill Tobin nas cidades de Curitiba (02 de outubro), Joinville (04 de outubro), Rio de Janeiro (07 de outubro), São Paulo (09 de outubro) e Manaus (11 de outubro).

O seminário  “Moldagem Científica” já foi apresentado no Brasil em 2010 e 2011 nas cidades de  São Paulo, Caxias do Sul, Porto Alegre, Joinville, Rio de Janeiro, Maceió, Curitiba e Manaus. No ano de 2012, Bill Tobin apresentou um outro seminário – “Troubleshooting : Resolução de Defeitos de Moldagem” – em São Paulo, Caxias do Sul, Manaus, Joinville e Belo Horizonte.   Mais de 400 profissionais do setor de injeção de plásticos de mais de 100 empresas brasileiras assistiram aos vários seminários com Bill Tobin ocorridos no Brasil nos últimos três anos. Entre os participantes, mais de 80 % avaliaram o seminário como sendo Ótimo / Muito Bom e informaram que estariam dispostos a assistir outro seminário com Bill Tobin.  Os seminários foram bastante interativos, com muitas perguntas e discussões. O feedback recebido dos participantes sobre a qualidade da tradução do seminário também foi positiva, de modo que todos puderam apreender o conteúdo das palestras e tirar dúvidas.

O seminário “Moldagem Científica” foi concebido para apresentar técnicas de produção e processamento que resultam em redução de custos e que podem beneficiar mesmo aqueles profissionais com muita experiência. Durante o seminário “Moldagem Científica”, Bill Tobin expõe uma série de experimentos que podem ser realizados nas injetoras para determinar, por exemplo, o tempo de solidificação do ponto de injeção, o tempo de resfriamento,  o momento de se extrair a peça do molde e a pressão de fechamento mínima, entre outros parâmetros.  A obtenção da janela de processamento ótima para uma dada moldagem, o teste do balanceamento das cavidades,  a determinação do melhor perfil de temperatura do cilindro de injeção, o ganho de produtividade através do uso de roscas dedicadas  e experimentos para se determinar o nível de precisão e repetibilidade das máquinas são outros temas abordados durante o seminário.

Ao concluir este seminário de 1 dia, o profissional que o assistir terá  ferramentas e técnicas que poderão ser imediatamente aplicadas no seu trabalho para otimizar o processo de injeção, melhorar a produtividade e aumentar a lucratividade da sua empresa.

Os profissionais que mais obterão proveito deste seminário são os Técnicos de Regulagem, Operadores líderes, Supervisores de Injeção, Engenheiros de produção, máquina e molde e Inspetores e Supervisores da área de qualidade.

O seminário “Moldagem Científica” vem sendo apresentado periodicamente por Bill Tobin há vários anos em diferentes cidades dos Estados Unidos, Canadá, China, Austrália, Nova Zelândia, México e Israel, já tendo sido oferecido também oferecido em Dubai, Marrocos e Arábia Saudita.

Bill Tobin é um conferencista e autor internacionalmente reconhecido e muito solicitado para cursos e seminários na área de Injeção de Plásticos.  Ele tem mais de 40 anos de experiência na área de Plásticos e é Membro Senior da Society of Plastics Engineers. Bill Tobin é autor de 23 livros técnicos e já escreveu mais de 250 artigos técnicos para diferentes revistas especializadas. Ele tem um estilo de treinamento divertido, informativo e cadenciado.

Todos os participantes do seminário receberão um CD contendo cópia do último livro de Bill Tobin, com inúmeros procedimentos e “check-lists”, além de planilhas pré-programadas com todos os experimentos usados para otimizar um ciclo de moldagem por injeção.

O seminário “Moldagem Científica, que ocorrerá na primeira quinzena de outubro de 2013, está sendo organizado pela Plassoft Tecnologia Ltda, contando com o patrocínio da fabricante alemã de injetoras ARBURG  e apoio institucional da ABIPLAST, SINDIPLAST-SP, SIMPESC, SIMPLAST-Manaus, SIMPERJ, SIMPEP, INP, Revista Plástico Sul e Blog do Plástico.

Estão sendo oferecidos descontos especiais para inscrições antecipadas (até 16/09/2013). Associados às entidades apoiadoras tem um desconto adicional sobre o valor da inscrição. Para as empresas que efetuarem 4 inscrições, é oferecido o bônus de uma quinta inscrição gratuita.

As inscrições no seminário poderão ser realizadas diretamente no site www.plassoft.com.br/seminario. Informações sobre o programa do seminário, currículo do conferencista, preços do seminário e pagamento podem ser obtidas também nesse site ou através dos telefones (71) 3351 6880 e (11) 98580 0212 ou ainda pelo email info@plassoft.com.br. As informações podem também ser obtidas junto aos Sindicatos regionais que estão apoiando o evento.

Datas/Locais:

  • 02/10/2013 – Curitiba
  • 04/10/2013 – Joinville
  • 07/10/2013 – Rio de Janeiro
  • 09/10/2013 – São Paulo
  • 11/11/2013 – Manaus

Curta nossa página no

Romi exibe nova máquina para injeção de PVC na Plastech 2013

20/08/2013

Empresa mostra seu mais recente lançamento na feira mais importante da região Sul do Brasil

Máquinas de alta performance desenvolvidas para atender às mais diversas necessidades dos clientes serão exibidas pela Indústrias Romi S.A. durante a Plastech 2013, a mais importante feira do setor de plásticos da Região Sul.

Líder brasileira no setor de máquinas-ferramenta e máquinas para plásticos, além de importante produtora de fundidos e usinados, a Romi levará à feira sua mais nova linha de máquinas para injeção de conexões em PVC. O destaque da nova linha é a injetora ROMI EN 380 PVC, destinada ao mercado da construção civil, com aplicações em PVC rígido.

A Romi também vai expor em seu estande a sopradora ROMI P, máquina que utiliza recurso hidráulico de alta performance, produzindo frascos em geral. O equipamento permite alta eficiência e produtividade na fabricação de embalagens de até 5 litros.

Para William dos Reis, diretor da Unidade de Negócios de Máquinas para Plástico da Romi, a participação na Plastech é uma oportunidade de a empresa demonstrar seus lançamentos para o público da desenvolvida Região Sul. “Investimos em um equipamento voltado para a injeção de PVC, pois essa é uma demanda que ouvimos dos nossos clientes e se encaixa no atual momento da construção civil brasileira.”

Com um dos maiores estandes da feira, localizado na rua S/O, a Romi põe à disposição de todos os clientes produtos de alta tecnologia, qualidade e confiabilidade. Para que os clientes entendam bem o funcionamento dos equipamentos, a equipe de vendas dará orientação técnica sobre a melhor aplicação de máquinas para plástico. Os clientes poderão contar com a opção do Finame, financiamento disponível para empresas brasileiras, com taxa de juros 0,29% a.m.

A Plastech Brasil 2013 estará aberta entre os dias 27 e 30 de agosto, no Parque Mário Bernardino Ramos (local dos Eventos Festa da Uva), em Caxias do Sul. Realizada a cada dois anos, a feira terá nesta edição mais de 250 expositores. Os organizadores esperam mais de 22 mil visitantes.

Fonte: Romi

Curta nossa página no

Pavan Zanetti apresenta máquinas para transformação de plásticos na Plastech Brasil

06/08/2013

Pavan_Zanetti_PlastechAtuante no mercado de fabricação de máquinas desde 1966, a Pavan Zanetti é hoje uma das maiores da América Latina. Atualmente a empresa exporta para países como Porto Rico, Marrocos, México e Estados Unidos. Com sede em Americana (SP) e filial de assistência técnica em Recife (PE), a empresa fornece máquinas para transformação do plástico pelos processos de sopro e injeção. Segundo a Pavan Zanetti, seus equipamentos oferecem alta qualidade, produtividade e eficiência energética, associadas à baixa manutenção e facilidade de operação.

A Pavan Zanetti participou da Plastech Brasil em 2007 e na ocasião entregou duas sopradoras para a unidade do Senai em Caxias do Sul. O retorno à feira se dá com o objetivo de melhorar a participação na região, já que a empresa está com novos representantes e produtos no Rio Grande do Sul. Além disso, neste ano o plano de investimento da empresa foi concluído com a construção de uma nova fábrica e compra de maquinas para usinagem e TI. No momento a Pavan está implementando todos os equipamentos comprados na nova sede, já em pleno funcionamento. O investimento foi de cerca de R$ 15 milhões até o momento.

De acordo com o diretor comercial da empresa, Newton Zanetti, a empresa investiu fortemente nos últimos três anos, por isso, acredita que este é o momento de melhorar a participação na área e que a feira poderá ajudar nisso. A expectativa para a Plastech Brasil 2013, de acordo com Zanetti, é melhorar as vendas de injetoras e sopradoras. Ele afirma que a Plastech oferece uma reunião de grande número de clientes potenciais com a possibilidade de um show room de máquinas funcionando, dando visibilidade aos produtos e empresas.

“Temos a liderança no setor de sopro, crescendo muito na área de injetoras e sopro de PET e temos produtos a oferecer ao mercado gaúcho que justificam o investimento nessa feira, além de ser uma região industrial forte no plástico. Sempre dizemos que não podemos vender apenas equipamentos para plásticos, e sim também a confiança de que o cliente, ao comprar uma máquina, terá o respaldo de assistência técnica e bom funcionamento”, garante o diretor.

Fonte: PlastechBrasil 2013

Curta nossa página no

Romi registra melhor resultado trimestral desde o fim de 2011 e alcança R$ 11,7 milhões de EBITDA das Operações Continuadas

02/08/2013

Pelo quarto trimestre consecutivo, o EBITDA da companhia foi positivo, reflexo da busca contínua de eficiência operacional e reajuste gradual dos preços

As Indústrias Romi S.A., empresa brasileira fabricante de máquinas-ferramenta e máquinas para processamento de plásticos e importante produtor de peças fundidas e usinadas, atingiu R$ 151,4 milhões no trimestre e R$ 291,7 milhões no semestre em valor de receita operacional líquida das Operações Continuadas.  Isso representa aumento de 45,2% e 17,4% em comparação com os mesmos períodos de 2012.

Em Máquinas-Ferramenta, a receita operacional líquida atingiu R$ 99,4 milhões no 2T13, dos quais R$ 18 milhões se referem à consolidação da receita operacional líquida da B+W. Esse montante consolidado representou aumento de 35,7% se comparado com o mesmo período no ano anterior e de 0,6% ao 1T13. Já no semestre, a receita operacional líquida dessa unidade foi de R$ 198,3 milhões, o que representa crescimento de 11,2% em relação ao mesmo período de 2012.

No segundo trimestre de 2013, o faturamento líquido da Unidade de Negócios de Máquinas para Plásticos totalizou R$ 23,3 milhões, representando aumento de 84,7%, em relação ao 2T12 e de 33,6% quando comparado ao trimestre imediatamente anterior.

As vendas físicas da unidade de fundidos e usinados somaram 4.436 toneladas no 2T13, um aumento de 43,5% sobre o 2T12 (3.092 toneladas). Nesse período, a Receita Operacional Líquida da unidade foi de R$ 52,7 milhões, o que representa aumento de 32,7% em relação ao mesmo período em 2012. Foram vendidas 8.034 toneladas de produtos fundidos e usinados no período, 21,6% a mais que o obtido nos mesmos meses de 2012.

“Alcançamos no mercado interno crescimento de 30,9% em nossa receita líquida, se comparada ao primeiro semestre de 2012. Esse fato mostra o fortalecimento dos produtos Romi como um todo e nos deixa ainda mais confiantes para enfrentar os desafios dos próximos trimestres”, afirma Livaldo Aguiar dos Santos, diretor presidente da Romi.

A carteira de pedidos da companhia, em junho, apresentou-se 35% superior quando comparada ao primeiro trimestre de 2013, alcançando, assim, a marca de R$ 330,1 milhões no 2T13. Um dos fatores que auxiliaram a carteira nesse período foi a realização de duas grandes feiras do setor em São Paulo, a Feiplastic e a Feimafe. O lucro líquido das Operações Continuadas da Romi foi de R$ 5,1 milhões no segundo trimestre de 2013.

Nota: O EBITDA corresponde ao lucro antes do resultado financeiro, impostos sobre o lucro, depreciação e amortização.F

Fonte:  Indústrias Romi

Curta nossa página no

Villares Metals lança novo aço para fabricação de moldes

18/06/2013

Com o lançamento desse produto, a Villares Metals quer estreitar ainda mais o relacionamento com o setor automotivo. Do volume total de produção, que foi de 87 mil toneladas em 2012, 65% atendeu ao mercado interno e 35% o externo

A Villares Metals, a maior produtora de aços especiais não planos de alta-liga da América Latina, lançou o VP ATLAS, um aço de elevada resistência mecânica e que oferece desempenho superior na produção de moldes para injeção de plásticos para as indústrias automotivas e de eletrodomésticos. O evento de lançamento ocorreu na capital paulista, no dia 17 de junho, nas dependências da Associação Brasileira de Máquinas e Equipamentos (ABIMAQ). Na ocasião, o presidente da Anfavea, Luiz Moan, também esteve presente, proferindo uma palestra sobre as “Tendências e perspectivas do setor automotivo para os próximos anos”.

O lançamento do VP ATLAS em São Paulo não foi por acaso. A Villares Metals tem conhecimento da importância dessa região para o desenvolvimento sócio-econômico do país, sobretudo para o setor automotivo.

“O Estado de São Paulo abriga grande parte das montadoras de veículos do nosso país e a maioria das empresas que fornecem equipamentos/peças para esse segmento são clientes da Villares Metals. Em 2012, a empresa produziu 87 mil toneladas, sendo que 65% abasteceram o mercado interno e 35 % foram destinados para a exportação. O nosso objetivo é cada vez mais estreitar o relacionamento com esse segmento, atendendo as suas necessidades, principalmente no que diz respeito ao novo regime automotivo”, enfatiza, Rafael Agnelli Mesquita, Diretor de Novos Negócios & Marketing da empresa.

Características do VP ATLAS

Com o lançamento do VP ATLAS, a Villares Metals pretende aumentar o seu portfólio de produtos para ferramentais aplicados nos segmentos Automotivo e de Eletrodomésticos. “É a certeza de que estamos atentos ao crescimento do mercado e às novas tendências da indústria automotiva e de eletrodomésticos. Dessa forma, a Villares se antecipou a essas necessidades e passa a oferecer um aço com maior resistência para moldes de injeção de plástico, com conceito patenteado e altamente inovador”, afirma Rafael.

Segundo a Villares, o produto é indicado para as mais severas aplicações automotivas e de eletrodomésticos por apresentar alta resistência mecânica, por exemplo, característica essencial exigida nesses segmentos. “Este novo aço possui composição química balanceada, com patente requerida, passando por tratamento de microinclusões, o que lhe garante melhor equilíbrio e desempenho, que são vistos como vantagens competitivas em mercados tão acirrados, como o Automotivo, entre outros”, destaca José Bacalhau, Engenheiro Pesquisador, responsável pelo desenvolvimento do produto.

Com mais de 70 anos de mercado, a Villares Metals é a maior produtora de aços especiais não planos de alta-liga da América Latina. Empresa siderúrgica semi-integrada, a Villares Metals possui uma linha de produtos ampla, que inclui: aços rápidos, aços ferramenta (aços para trabalho a quente, aços para trabalho a frio, aços para moldes plásticos), aços inoxidáveis, aços válvula, ligas especiais e peças forjadas. Possui um centro de distribuição de aços-ferramenta com uma área de 5.500m2 em Sumaré (SP) e outro de 1.300m2 em Joinville (SC), com capacidade de entrega em todo Brasil. Para atender as necessidades específicas de seus clientes, a empresa possui um moderno Centro de Pesquisa e Desenvolvimento. Em 2012, a empresa investiu mais de R$ 7 milhões no desenvolvimento de novas tecnologias, atentando-se sempre às exigências e mudanças do mercado.

A Villares Metals emprega cerca de 1.400 pessoas e seu faturamento no último ano fiscal (início em abril de 2012 e término em março de 2013), foi próximo a R$ 800 milhões.

Fonte: Villares Metals

Curta nossa página no

Desenvolvimento do setor de plásticos no Brasil faz a Conair considerar expansão

11/06/2013

Logo-ConairUm dos maiores fornecedores  globais de equipamentos auxiliares para processadores de plásticos, o grupo Conair está avaliando suas opções de crescimento, incluindo uma possível operação de fabricação no Brasil, em 2014, informa Bill Hricsina, diretor administrativo para América Latina.

¨A Conair é uma companhia internacional, com operações de longa data na Europa, Ásia e América do Sul e está ativiamente envolvida no Brasil, desde meados de 1970, pois já fabricamos aqui durante um determinado período, até que as condições do mercado e as regulamentações governamentais nos forçaram a parar nossas operações. Hoje, no entanto, vemos um grande potencial e a pergunta não é “se” vamos ampliar nossa participação no Brasil, mas sim, a questão é simplesmente “como vamos ampliar.”

Imagem-ConairUsuários de equipamentos da Conai são encontrados no setor automotivo, na fabricação de eletrodomésticos, em embalagens, tubos para irrigação e tubulação comercial. No momento, os negócios no Brasil são gerenciados pela sede latino-americana no México, porém a Conair tem pessoal de vendas e serviços há muito tempo em São Paulo.

O Grupo Conair (www.conairgroup.com) é um importante fornecedor global de equipamentos auxiliares para processadores de plásticos, incluindo sistemas de secagem de resina, misturadores, alimentadores e sistemas de transporte de materiais, equipamentos de controle de temperatura e granuladores.

Mais de 450 produtos individuais e soluções para extrusão incluem sistemas de controle de linha, sistemas de reciclagem de filmes e rebarbas de extrusão de tubos e perfis. O grupo Conair tem operações na Europa, Ásia e América do Sul.

Fonte: Interativa

Curta nossa página no

Sepro Robotique negociou 21 robôs na Feiplastic

10/06/2013

Durante a Feiplastic, a Sepro Robotique negociou 21 equipamentos, dos quais sete para a recém-inaugurada planta da Sakura, em Itu. Segundo Oscar da Silva, diretor da empresa no Brasil, as vendas proporcionaram uma receita equivalente a 350 mil euros.

A Sepro administra negócios mundiais da ordem de 55 milhões de euros,sendo a maior  fornecedora de robôs para a indústria automotiva da Europa e da América do Norte, tendo automatizado mais de 25 mil máquinas injetoras no mundo. Há 12 anos no Brasil, a empresa conta com 65 clientes ativos e mais de 500 máquinas injetoras automatizadas.

Fonte: Interativa

Curta nossa página no

Romi investe em linha de baixo consumo energético e lança modelo de aplicação em PVC na Feiplastic

23/05/2013

Na primeira edição da Feira Internacional do Plástico, empresa apresenta novas soluções tecnológicas para a cadeia produtiva dos clientes

Empresa líder no setor brasileiro de máquinas para plásticos, a Indústrias Romi S.A. participou da 1ª Feira Internacional do Plástico, Feiplastic 2013, entre os dias 20 e 24 de maio, no Parque Anhembi, em São Paulo. A companhia apresentou no evento quatro novos equipamentos, que refletem a preocupação com o baixo consumo energético. Atenta às necessidades do mercado, a Romi expandiu a linha EN, com as injetoras ROMI EN 380 PVC e ROMI EN 450. Investiu na série EL, com a injetora ROMI EL 75, e para o mercado de sopro apresentará a nova linha ROMI C 5TS com Sistema IML. Além desses lançamentos, outro destaque na feira foi a sopradora ROMI PET 230.

Como empresa brasileira líder no setor de máquinas-ferramenta, além de importante produtora de fundidos e usinados, a Romi investe 4% de seu faturamento líquido em pesquisa e desenvolvimento, o que possibilita a renovação anual de seu portfólio.

Para William dos Reis, diretor de Máquinas para Plástico, a perspectiva de novos negócios é ampliada com a exposição na feira. “Estamos ansiosos com a Feiplastic, pois entendemos que esses novos equipamentos vão facilitar o processo industrial de nossos clientes. Focamos na ideia de oferecer produtos com a mais alta tecnologia e confiabilidade, com destaque para a nova injetora ROMI EN 380 PVC, equipamento que desenvolvemos para o setor de construção civil e que durante a feira vai injetar conexões”.

As linhas de máquinas ROMI EN e EL atendem aos requisitos de economia de consumo energético e matéria-prima, por conta da maior precisão de movimentos. “Destacamos ainda o alto nível de precisão dos equipamentos, que contam com movimentos independentes, acionados por servomotores, que são ‘energizados’ somente durante o efetivo movimento”, diz Reis.

A sopradora ROMI C 5TS dispõe de projeto hidráulico de alta performance e novo conceito de cabeçotes, com múltiplas zonas de aquecimento e fluxo otimizado. Ela é destinada à fabricação de frascos com até 5 litros para as indústrias de embalagem em geral. Já a sopradora automática ROMI PET 230 pode produzir até 2.500 frascos por hora, com até 3 litros de capacidade volumétrica, e tem como diferencial alimentação e extração automáticas. A máquina atende à fabricação de garrafas PET para as indústrias de alimentos, bebidas e produtos de higiene e limpeza.

Com um dos maiores estandes, localizado na rua K/L, a Romi pôs à disposição de todos os clientes produtos de alta tecnologia, qualidade e confiabilidade, além de orientação técnica de sua equipe de vendas para a melhor aplicação em máquinas para plástico. Os clientes também contaram com a opção do Finame, financiamento disponível para empresas brasileiras, com taxa de juros de 0,25% ao mês. Todos os equipamentos Romi em exposição estiveram ligados para maior interatividade com os visitantes da Feiplastic.

Fonte: Romi

Curta nossa página no

Villares Metals apresenta aço de alta resistência para indústrias automotiva e de eletrodomésticos

09/05/2013

feiplastic

O VP ATLAS, que estará em exposição na FEIPLASTIC 2013, atende às necessidades dos setores Automotivo e de Eletrodomésticos, apresentando melhor desempenho na produção de moldes para injeção de plásticos para esses segmentos

A Villares Metals, a maior produtora de aços especiais não planos de alta-liga da América Latina, estará apresentando na FEIPLASTIC 2013 o  VP ATLAS, um aço de elevada resistência mecânica e que oferece desempenho superior na produção de moldes para injeção de plásticos para as indústrias automotivas e de eletrodomésticos.

“Com a apresentação do VP ATLAS, a Villares Metals pretende aumentar o seu portfólio de produtos para ferramentais aplicados nos segmentos Automotivo e de Eletrodomésticos. É a certeza de que estamos atentos ao crescimento do mercado e às novas tendências da indústria automotiva, sobretudo após a oficialização do novo regime automotivo brasileiro. Dessa forma, a Villares se antecipou a essas necessidades e passa a oferecer um aço com maior resistência para moldes de injeção de plástico, com conceito patenteado e altamente inovador”, afirma, Rafael Agnelli Mesquita, Diretor de Novos Negócios & Marketing da empresa.

O produto é indicado para as mais severas aplicações automotivas e de eletrodomésticos por apresentar alta resistência mecânica, por exemplo, característica essencial exigida nesses segmentos. “Este novo aço possui composição química balanceada, com patente requerida, passando por tratamento de microinclusões, o que lhe garante melhor equilíbrio e desempenho, que são vistos como vantagens competitivas em mercados tão acirrados, como o Automotivo, entre outros”, destaca José Bacalhau, Engenheiro Pesquisador, responsável pelo desenvolvimento do produto.

Sobre a Villares Metals: Com mais de 60 anos de mercado, a Villares Metals é a maior produtora de aços especiais não planos de alta-liga da América Latina. Empresa siderúrgica semi-integrada, a Villares Metals possui uma linha de produtos ampla, que inclui: aços rápidos, aços ferramenta (aços para trabalho a quente, aços para trabalho a frio, aços para moldes plásticos), aços inoxidáveis, aços válvula, ligas especiais e peças forjadas. Possui  centro de distribuição de aços-ferramenta da América Latina, com uma área de 5.500m2 em Sumaré (SP) e outro de 1.300m2 em Joinville (SC) com capacidade de entrega em todo Brasil. Para atender as necessidades específicas de seus clientes, a empresa possui um moderno Centro de Pesquisa e Desenvolvimento. A Villares Metals emprega cerca de 1.500 pessoas e seu faturamento no último ano fiscal (início em abril de 2011 e término em março de 2012), foi próximo a R$ 850 milhões.

Fonte: Alfapress

Curta nossa página no

Bosch Rexroth prioriza eficiência energética na Feiplastic 2013

07/05/2013

feiplastic

Entre os dias 20 e 24 de maio de 2013, a Bosch Rexroth participa da 14ª edição da Feira Feiplastic – Feira Internacional do Plástico – que será realizada no Pavilhão de Exposições do Anhembi, na cidade de São Paulo/SP.

Durante a feira Feiplastic 2013, a Bosch Rexroth apresentará como principal destaque uma máquina Injetora para Termoplásticos, que estará em operação simulando o processo de produção com forças de fechamento de 25 toneladas, capacidade de injeção de 49cm³ e solução de segurança de acordo com a NR12.  A máquina é completamente equipada com produtos e acessórios Rexroth como o CLP IndraMotion for Plastics, bomba fixa servoacionada Sytronix, válvulas proporcionais, válvulas monitoradas e CLP de segurança SafeLogic compact.

Confira a seguir outros destaques da Bosch Rexroth na Feiplastic 2013.

Redução no Consumo de Energia com Sytronix

A Rexroth combina o potencial de todas as tecnologias de acionamento e comando em prol da eficiência energética. O sistema de acionamento de bombas hidráulicas – Sytronix – desenvolvido para o mercado industrial é um exemplo disso. Segundo a empresa, com ele é possível reduzir o consumo de energia em até 80%, através do controle da demanda de energia necessária para a execução do trabalho. Sendo assim o processo de integração nos requisitos de automação torna-se mais simples e o tempo de comissionamento menor. A Rexroth afirma que, em muitos casos, é possível dispensar a refrigeração da unidade hidráulica, pois devido à otimização do processo o fluido hidráulico não se aquece excessivamente, consequentemente, é possível utilizar um design mais compacto, que reduz a complexidade e os custos de aquisição. Ao mesmo tempo, o baixo consumo de energia reduz as emissões de CO2 prejudiciais ao meio ambiente.

Soluções de Segurança para Máquinas

Atenta às principais mudanças e preocupada com as condições de segurança no ambiente industrial, a Bosch Rexroth oferece uma linha de produtos e soluções para atender às exigências e expectativas de seus clientes. Segundo a empresa, o compacto controlador lógico de segurança SafeLogic da Bosch Rexroth é a solução ideal para um processamento lógico seguro em máquinas de pequeno e médio porte. O comando pode ser expandido à medida que a quantidade de periféricos aumenta. Blocos funcionais previamente definidos e uma programação gráfica simplificam a configuração e aceleram o processo de comissionamento.

Com o objetivo de proporcionar um alto nível de segurança ao mercado de máquinas com classificação elevada de risco, a Bosch Rexroth desenvolveu válvulas monitoradas para sistemas hidráulicos de segurança. As válvulas – direcionais e proporcionais – são acionadas por bobinas elétricas e o deslocamento do embolo interno tem a sua posição indicada pelo sistema de monitoramento. O cliente pode aplicar este tipo de sistema onde é requerido monitoração do nível de segurança.

Os blocos de segurança foram desenvolvidos em conformidade com as normas de segurança nacionais e internacionais, tendo como principais características a redundância nos comandos, o que proporciona elevada flexibilidade de seleção e uso, afirma a empresa.

Start-Up Fácil e Rápido com a Nova Linha de Inversores de Frequência

A Bosch Rexroth afirma que seus inversores de frequência eletrônicos séries FE, FV e EFC 3600 oferecem soluções econômicas e eficientes para o controle de energia da aplicação. O controle de velocidade variável para unidades de eletrônicos é um fator importante para o aumento da eficiência energética na construção de máquinas. Com eles, a Bosch Rexroth oferece benefícios econômicos para a automação em geral, como o controle de bombas, compressores, extrusoras, e demais máquinas, que eram operadas de maneira contínua e agora podem ter seu processo de trabalho flexibilizado.

O Grupo Bosch possui mais de 306.000 colaboradores em todo o mundo, tendo apresentado um faturamento de 52,3 bilhões de euros nos setores de tecnologia automotiva, energia e tecnologia de construção, tecnologia industrial e bens de consumo em 2012. O Grupo Bosch é composto pela Robert Bosch GmbH e suas cerca de 350 subsidiárias e empresas regionais presentes em aproximadamente 60 países. Incluindo os representantes de vendas e serviços, a Bosch está presente em cerca de 150 países. A Bosch investiu cerca de 4,5 bilhões de euros em pesquisa e desenvolvimento em 2012, e solicitou o registro de aproximadamente 4.700 patentes em todo o mundo.

No Brasil, o grupo Bosch está presente desde 1954 e atualmente emprega cerca de 11.700 colaboradores. Em 2011, o grupo registrou no país um faturamento líquido de R$ 4,8 bilhões com a oferta de produtos e serviços automotivos para montadoras e para o mercado de reposição, ferramentas elétricas, sistemas de segurança, termotecnologia, máquinas de embalagem e máquinas industriais.

A Bosch Rexroth Ltda. possui uma sede em Atibaia/SP, uma unidade fabril em Pomerode/SC, nove regionais de vendas próximas aos mais importantes mercados brasileiros e Distribuidores Autorizados situados nas principais cidades do país.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Feiplastic

 

Curta nossa página no

Sepro apresentará novos robôs na Feiplastic 2013

30/04/2013
SEPRO_ROBOS_1

Os robôs da 5X Line reúneM um robô cartesiano Sepro 3-eixos e uma rotação 2-eixos Stäubli é adicionada para proporcionar um total de 5 eixos de movimentos CNC

A Sepro Robotique, atravês de sua filial brasileira, Sepro do Brasil, estará presente na Feiplastic, no estande J88, apresentando robôs 5-eixos e 6-eixos controlados por comando inteligente e  robôs para depósito simples (simple pick-and-place).

Os destaques ficam por conta de:

Robôs 5-eixos & 6-eixos

Duas novas linhas de robôs multi-eixos – o 5X e 6X Visual – foram desenvolvidos pela Sepro Robotique em colaboração com Stäubli Robotics especificamente para aplicações de moldagem por injeção.

Representando a 5X Line, o modelo 5X-25, robô de médio porte para máquinas injetoras de 120 a 450 T. Projetada para aplicações universais e complexas, a 5X Line de 5-eixos é baseada no robô Cartesiano Sepro 3-eixos para alta-precisão e alta-velocidade. Uma  rotação 2-eixos Stäubli é adicionada para fornecer um cabeçote compacto com servo-rotações (R1 = 0 – 180° e R2 = 0 – 270°) tornando-o fácil de se adaptar para aplicações difíceis como colocação de inserto, trajetórias complexas de extração no molde, acompanhamento de trajetórias para tratamento de chama ou rebarba, e semelhantes. Dois modelos adicionais estão disponíveis – o menor 5X-15 e o maior 5X-35, permitem que a gama atenda máquinas injetoras desde as menores de 30 Toneladas até as maiores de 800 Toneladas.

SEPRO_ROBOS_2


Os robôs da 6X Visual combinam um robô poliarticulado Stäubli 6-eixos com o controle Sepro Visual 3 para entregar uma solução multi-eixos especialmente projetada para moldagem por injeção.

Um robô 6X-90L estará no stand da Sepro como um exemplo da linha de robôs 6X Visual. Ele combina um robô poliarticulado de 6-eixos Stäubli com o controle Sepro Visual 3 para entregar uma solução de automação de uso geral com cinco tamanhos para atender máquinas injetoras desde 20 a 4000 Toneladas. O 6X-90 L, uma versão com braço extendido de alcance máximo de 1200 mm e uma carga útil máxima de 15 kg foi desenvolvido para injetoras de 80 a 200 Toneladas.

Novos robôs Success

Outro destaque é a nova gama Success de robôs generalistas servo-controlados Sepro, que apresenta cursos e carga útil maiores, especificamente projetados para trazer velocidades e precisão para os transformadores que possuem aplicações de depósito simples (simple pick-and-place) e automações periféricas simples. O focus da Sepro no design e fabricação permitiu a concepção de um robô acessível com recursos aprimorados com toda a qualidade e confiabilidade para quais Sepro é reconhecida. Três dos quatro modelos standards estarão expostos  no stand das Indústrias Romi S.A.

Success 11 é destinado a atender máquinas com até 180 T de fechamento e estará operando numa Romi 75 T. Ele tem um curso horizontal de 1500 a 3500 mm. O curso vertical é de 1000 mm ou 1200 mm com braço telescópico e o curso de extração é de 500 mm. Carga útil máxima de 5 kg.
Success 22 será apresentado numa Romi 380 T e pode automatizar máquinas entre 150 e 400 T de fechamento. Seu curso horizontal pode variar entre 1500 e 6000 mm. O curso vertical é de 1400 mm ou 1600 mm com braço telescópico e o curso de extração é de 700 mm. Carga útil máxima de 10 kg.
Success 33 é grande o suficiente para atender às necessidades de aplicações em máquinas injetoras entre 300 e 700 T e será apresentado numa Romi 450 T. O curso horizontal pode variar de 2000 a 6000 mm. O curso vertical é de 1600 mm ou 1800 mm com braço telescópico e o curso de extração é de 900 mm. Carga útil máxima de 15 kg.

Todos os modelos oferecem velocidades máximas instantâneas de 3 m/sec no eixo vertical e 2 m/sec no eixo horizontal. O controle Touch 2 é de série, enquanto o mais avançado controle Visual 2 é disponível como opcional.

Uma plataforma de controle universal

“Your Free Choice in Robots” estende-se ao controle dos robôs. Desde os mais avançados robôs de 5- e 6-eixos aos robôs de 3-eixos e sprue-pickers, os robôs Sepro são controlados por uma familia unificada de controles desenvolvidos por Sepro. O controle de robô Visual 3, o mais novo, rápido e poderoso controle da Sepro, é equipamento de série nos robôs 5X Line e 6X Visual, e é opcional nos robôs 3-eixos S5 Line de alto desempenho. Sua arquitetura com dupla-CPU dedica um processador para as funções de interface homem/máquina do monitor e outro processador para o controle em tempo-real do posicionamento e movimentos do robô, e do controle dos equipamentos periféricos. Como os controles Visual 2, que é standard nos robôs S5, e Touch 2 na gama generalista Success, Visual 3 possui uma interface utilizador com tela larga LCD Touch-screen de 10” fácil de ler e navegar tornando a operaçõe simples e intuitiva. Um joystick permite que os operadores realizem ajustes finos. Não importa o modelo de robô escolhido, a plataforma de controle será muito familiar para o utilizador.

Fundada em 1973 e com sede em La Roche-sur-Yon (França), a Sepro Robotique foi uma das primeiras empresas no mundo a desenvolver robôs cartesianos para máquinas injetoras, apresentando seu primeiro “manipulador” com controle CNC em 1981. Hoje, Sepro é um dos maiores vendedores independentes de robôs cartesianos. Clientes em todo o mundo são atendidos por suas filiais diretas na Alemanha, Espanha, Reino Unido, Estados Unidos, México e Brasil. Vendas diretas, escritórios de serviço, bem como representantes, distribuidores e hubs de serviço estendem a rede global da Sepro a mais de 40 outros paises. O faturamento global da empresa é de aproximadamente € 55 milhões, com 90% dos robôs exportados da França e 40% vendidos fora da Europa. Sepro é o maior fornecedor de robôs da indústria automotiva na Europa e América do Norte, e automatizou mais de 25.000 máquinas injetoras no mundo.

A Sepro atua há 12 anos no Brasil e foi um dos primeiros fornecedores de robôs cartesianos para máquinas injetoras em automatizar os sistemistas da indústria automotiva. Suas instalações brasileiras são localizadas em Jundiaí, SP – fornecendo suporte para o setor automotivo, de embalagem, eletrodoméstico e cosmético. No Brasil, a empresa conta com cerca de 65 clientes ativos, e automatizou mais de 500 máquinas injetoras.

Fonte – Interativa Comunicação & SEPRO

Curta nossa página no


Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 1.456 outros seguidores