Posts Tagged ‘Indústria Química’

Câmara de Comércio Brasil-Alemanha realiza evento em São Paulo sobre o potencial de diversificação e inovação da indústria química

20/03/2018

Diversificação e inovação podem impulsionar exportações da indústria química brasileira

Nesta sexta, 23 de março, representantes da Associação Alemã de Tecnologia Química e Biotecnologia estarão em São Paulo para falar sobre diversificação e inovação e divulgar a maior feira do setor, que se realiza em Frankfurt em junho.

A Câmara de Comércio e Indústria Brasil-Alemanha realiza encontro para discutir o tema “A indústria química e seu potencial de diversificação e inovação” nesta sexta-feira, 23 de março, das 9h30 ao meio-dia, em sua sede (rua Verbo Divino 1488, 3º andar, Chácara Santo Antônio, São Paulo).

Representantes da Associação Brasileira da Indústria Química (ABIQUIM) e da Associação Alemã de Tecnologia Química e Biotecnologia (DECHEMA) discutirão as tendências do setor e a importância de aprimoramento tecnológico, com foco na diversificação e inovação para exportação. A vinda de representantes da instituição alemã ao Brasil se justifica pelo fato da indústria química do Brasil ocupar, hoje, a oitava posição no mundo, com faturamento anual próximo a US$ 12 bilhões. A BASF também apresenta seu case de eficiência energética no encontro.

Por fim, será divulgada a feira ACHEMA, principal evento mundial voltado para tecnologias para a indústria química, que ocorre a cada três anos em Frankfurt, promovida pela Associação Alemã de Tecnologia Química e Biotecnologia. Neste ano, ela se realiza de 11 a 15 de junho e, no Brasil, é oficialmente representada pela Câmara Brasil-Alemanha no Rio Grande do Sul (51 3222-5766 – larissa.behling@ahkrs.com.br), que também organiza grupos para visitá-la.

Programação e inscrições pelo https://www.sympla.com.br/achema—a-industria-quimica-e-seu-potencial-de-diversificacao-e-inovacao__252921. A participação é gratuita.

Curta nossa página no

Anúncios

Grupo Solvay e IndustriALL renovam acordo social global por cinco anos

13/02/2017
Valter Sanches, secretário-geral da IndustriAll Global Union (esq.) e Jean-Pierre Clamadieu, CEO do Grupo Solvay

Valter Sanches, secretário-geral da IndustriAll Global Union (esq.) e Jean-Pierre Clamadieu, CEO do Grupo Solvay

Acordo vai assegurar os mesmos direitos trabalhistas e sociais básicos para todos os empregados da Solvay no mundo

O Grupo Solvay renovou o acordo estrutural global (GFA, na sigla em inglês) com a IndustriALL Global Union por cinco anos, reforçando e acrescentando compromissos que assegurem os mesmos direitos trabalhistas e sociais básicos para todos os empregados da Solvay em suas operações no mundo.

Com o acordo, o Grupo Solvay reafirma o respeito pelas normas sociais da Organização Internacional do Trabalho (OIT) e pelos princípios do Pacto Global das Nações Unidas. E também inclui o compromisso com as diretrizes da Organização de Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) para empresas multinacionais. O Grupo Solvay espera que os seus fornecedores e terceirizados apliquem estes mesmos princípios.

O acordo social global foi atualizado para acrescentar novos projetos sociais, tais como a proteção da saúde mental no trabalho e outras ações, além de reforçar os compromissos do Grupo Solvay com o equilíbrio entre o trabalho e vida pessoal, saúde e segurança no trabalho, a não-discriminação, a diversidade e a proteção ao Meio Ambiente.

O Grupo Solvay e a IndustriALL continuarão a realizar duas missões conjuntas por ano para avaliar as políticas de segurança do Grupo Solvay e a implementação do acordo em um país e em um site industrial escolhido em conjunto pela empresa e pela organização. O Solvay Global Forum, composto por oito representantes sindicais dos principais países nos quais o Grupo Solvay está presente, será a partir de agora responsável pelo acompanhamento do cumprimento do acordo.

“Para o Grupo Solvay, a renovação por cinco anos é uma prova da relação de confiança que desenvolvemos com o IndustriALL há mais de uma década, defendendo um diálogo aberto e construtivo com nossos empregados e seus representantes. Este diálogo faz parte de nossos compromissos de sustentabilidade e colabora para o nosso desempenho global como empresa”, afirmou Jean-Pierre Clamadieu, CEO do Grupo Solvay

Valter Sanches, secretário-geral da IndustriALL disse que “este acordo é uma referência em termos de diálogo social na indústria química, por ter estabelecido uma cultura forte e relações de trabalho construtivas em todo o mundo nos últimos 12 anos. A renovação inclui um Fórum Global que será uma plataforma importante para o diálogo entre representantes dos sindicatos e trabalhadores”.

O CEO do Grupo Solvay, Jean-Pierre Clamadieu, e o secretário-geral da IndustriALL, Valter Sanches, assinaram a renovação do acordo na sede da empresa. Também estiveram presentes Kemal Ökzan, secretário-geral adjunto da IndustriALL; Albert Kruft, coordenador do Solvay Global Forum, e Caroll Landry, vice-presidente internacional do United Steelworkers.

Fonte e foto: Solvay

Curta nossa página no

Indústria química brasileira perde duas posições no ranking mundial do setor

22/12/2016

enaiq

Abiquim divulgou dados do segmento no Encontro Anual da Indústria Química

A Abiquim – Associação Brasileira da Indústria Química divulgou “O Desempenho da Indústria Química Brasileira” durante a 21ª edição do ENAIQ – Encontro Anual da Indústria Química, realizado no WTC Events Center, em São Paulo, no dia 2 de dezembro.

Refletindo a grave situação do setor, a indústria química brasileira caiu da 6ª para a 8ª posição no ranking mundial entre 2014 e 2015. Em 2015, a indústria química brasileira faturou US$ 111,8 bilhões, em comparação com US$ 147 bilhões em 2014. Com isso,  o Brasil foi ultrapassado por Índia e França no ranking do setor. Os primeiros colocados permanecem: China, Estados Unidos, Japão, Alemanha e Coreia do Sul. O setor químico brasileiro, no entanto, subiu para a terceira posição no PIB industrial nacional, estimulado pela queda da indústria automobilística, representando 10,4% de toda a indústria de transformação.

A indústria química brasileira deverá encerrar 2016 com um faturamento líquido de US$ 113,5 bilhões, segundo estimativa da Abiquim e associações específicas dos segmentos ligados ao setor. Esse valor é 1,4% superior ao registrado em 2015. Entre os segmentos, o destaque é o de Produtos Químicos de Uso Industrial, que deverá encerrar 2016 com um faturamento de US$ 54,9 bilhões. Já o déficit da balança comercial de produtos químicos deverá fechar o ano em US$ 16,9 bilhões, pois o Brasil importou US$ 26,7 bilhões em produtos químicos e exportou US$ 9,8 bilhões.

O presidente do Conselho Diretor da Abiquim, Marcos De Marchi, contou que o cenário econômico do País em 2016 afetou o desempenho do setor, mas que a perspectiva é de um cenário melhor no início do próximo ano. Ele explicou que a indústria opera com 80% de sua capacidade e antes de investir em novas plantas ou expansões os empresários trabalham para aumentar o índice de operação. “No entanto é necessário ter garantia de fornecimento de energia elétrica e matéria-prima a preços competitivos e por longo prazo para que possa haver mais investimentos”, concluiu.

Durante o evento foi realizada a cerimônia de entrega dos troféus aos vencedores do Prêmio Kurt Politzer de Tecnologia 2016, que prestigia a PD&I do País, reconhecendo projetos de inovação tecnológica na área química que demonstrem inventividade e criatividade.

Fonte: Abiquim

Curta nossa página no

Ipackchem instala em Paulínia (SP) nova fábrica de embalagens para químicos e agroquímicos

07/09/2016

Em projeto de R$ 40 milhões apoiado pela Investe SP, empresa francesa instala-se em Paulínia e opera com 30 funcionários

A Ipackchem, fabricante francesa de embalagens para a indústria química, iniciou as operações de sua primeira planta brasileira, em Paulínia (SP). Com o apoio da Investe São Paulo, agência de promoção de investimentos e exportações do Governo do Estado de São Paulo, a empresa está investindo R$ 40 milhões no projeto, que envolveu a contratação de 30 pessoas.

“A Ipackchem é um de nossos clientes que recebeu apoio completo: avaliamos áreas, demos apoio em questões de regulamentação ambiental e tributária, acompanhando cada fase do projeto. É um empreendimento de alto valor para a cadeia de produtos químicos no Estado de São Paulo,” ressalta Juan Quirós, presidente da Investe SP.

Segundo Philippe Carasso, Diretor Geral da empresa, grande parte de seus clientes internacionais do ramo químico e agroquímico têm unidades no Estado de São Paulo. “Nosso objetivo é apoiar nossos clientes e parceiros da melhor forma possível”, explicou.

A nova fábrica está produzindo embalagens para defensivos agrícolas, fertilizantes e outros produtos químicos. A operação inclui um sistema inovador de injeção de flúor nas embalagens que facilita o processo de reciclagem após o uso.

Atualmente, a planta tem 3,4 mil metros quadrados construídos, localizada em um terreno de 8,8 mil metros quadrados. A expectativa é que a capacidade operacional dobre ano que vem.

Com sede em Paris, na França, a Ipackchem emprega 350 pessoas e gera receita de mais de 60 milhões de euros em cinco fábricas: Saint-Etienne (França), Crewe (Reino Unido), Peremarton (Hungria), Paulínia (Brasil) e Randburgo (África do Sul).

Fonte: Investe São Paulo

Curta nossa página no

Evonik participa de evento dedicado à sustentabilidade na indústria química

30/06/2015

Iniciativa visa engajar a cadeia de fornecedores da indústria química em prol do desenvolvimento sustentável

Evonik_tfs

No último dia 18 de junho ocorreu, em São Paulo, o segundo encontro mundial da iniciativa Together for Sustainability (TfS) – “Juntos pela Sustentabilidade”. O evento reuniu representantes das empresas associadas ao programa TfS e de empresas que compõem a cadeia de suprimentos da indústria química brasileira, entidades setoriais e especialistas da área de sustentabilidade.

Ruediger Eberhard, presidente do TfS e que também é Diretor de Compras (CPO) da Evonik, destacou que foi motivador o encontro, com resultados muitos positivos e perspectivas de grandes avanços no desenvolvimento sustentável: “Nosso objetivo é implementar um programa de engajamento global dos fornecedores da indústria química, que vem trabalhando para ser uma referência mundial neste campo”.

E acrescentou: “como Diretor de Compras da Evonik posso dizer que o foco mudou. Se antes as preocupações eram sobre entrega, qualidade, prazo, hoje são sobre saúde e segurança, direitos humanos e trabalhistas e responsabilidade ambiental”, lembrando que o programa envolve os fornecedores em um processo de melhoria contínua em todos os aspectos que envolvem a sustentabilidade: econômico, ecológico e social.

Weber Porto, diretor presidente da região América do Sul da Evonik, que participou do painel de discussão “Criação de  Vantagens Competitivas e Sustentáveis na Cadeia de Suprimento Global”, mediada pela jornalista Rosana Jatobá, acrescentou: “Muito tempo  atrás, sinônimo de desenvolvimento era fumaça saindo das chaminés das fábricas. Depois começou-se a pensar em segurança das fábricas, do trabalho e meio ambiente até chegarmos hoje ao tema sustentabilidade, no qual é impossível separar os aspectos econômicos e sociais. As empresas têm um papel fundamental em todo o processo”.

O evento também contou com palestra de Bertrand Conquéret, CPO Henkel; Gabrielle Unger, General Manager TfS; Carlos Fadigas, presidente da Abiquim; Pierre-François Thaler, co-fundador da EcoVadis; Sara Juarez, da Fundação Espaço ECO e Renata Lucio, da SGS.

A iniciativa Together for Sustainability foi criada em 2011 por seis empresas químicas multinacionais com a meta de desenvolver e implementar um programa de auditoria global por parte de especialistas independentes para avaliar e melhorar as práticas de sustentabilidade nas cadeias de fornecimento da indústria química. Hoje o programa conta com a participação de 13 empresas com atuação global – mais cinco em processo de adesão – e já realizou mais de 8.000 avaliações e auditorias.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Evonik

Curta nossa página no

Henri Slezynger presidirá Conselho Diretor da Abiquim até 2013.

31/03/2011

As empresas associadas à Abiquim elegeram, em 31 de março, o novo Conselho Diretor da entidade para o biênio 2011/2013. O empresário Henri Armand Slezynger, engenheiro químico e administrador de empresas, será o presidente do Conselho Diretor. Slezynger é acionista da Unigel, grupo com 15 unidades industriais no Brasil e no México. Com atuação nos segmentos de especialidades químicas, fertilizantes, plásticos e embalagens, a Unigel emprega cerca de 2 mil pessoas.

Slezynger terá como vice-presidentes Carlos Fadigas de Souza Filho, presidente da Braskem, Pedro Emílio Suarez, presidente da Dow, Marcos De Marchi, presidente da Rhodia, Marcelo Lacerda Soares Neto, presidente da Lanxess, Paulo Francisco Schirch, presidente da Solvay, Alfred Hackenberger, presidente da Basf, e João Benjamin Parolin, diretor superintendente da Oxiteno.

Como conselheiros, foram eleitos Carlos Alberto Schmid (Huntsman), Ciro Mattos Marino (Millennium), Cristiano Melcher (Fosbrasil), Domingos Henrique Guimarães Bulus (White Martins), Eduardo Kunst (Artecola), Eduardo Leite Cordeiro (Petrom), Flávio Augusto Lucena Barbosa (Innova), Irundi Sampaio Edelweiss (Deten), Isaac Plachta (IQT), José Veiga Veiga (M&G Polímeros), Julio Muñoz Kampff (Henkel), Laércio Valentin Giampani (Syngenta), Luiz Antonio Veiga Mesquita (Vale Fertilizantes), Mario Antonio Carneiro Cilento (Carbocloro), Michael Pronin (Clariant), Nelson Pereira dos Reis (Quirios), Paulo Cezar Amaro Aquino (Petroquisa), Reinaldo Rubbi (Elekeiroz), Ricardo Vellutini (DuPont), Richard Ward (Petroquímica Suape), Rui Chammas (Quattor), Theodorus van der Loo (Bayer), Wanderlei Passarella (GPC Química), Weber Ferreira Porto (Evonik Degussa) e Wolfgang Heinz Guderle
(DyStar).

O Conselho Fiscal é composto por Ricardo Neves de Oliveira (ICL Brasil), Rodrigo Lopes Almeida (Monsanto) e Ronaldo Silva Duarte (Columbian), tendo como suplentes Haroldo Montenegro Ignacio de Almeida (QGN), José Lucas de Alvarenga Freire Filho (Bluestar Silicones) e Pedro Riveros (Air Products).

Fonte: Abiquim

Presidentes da Braskem e Petrobrás integram lista das 40 pessoas mais influentes da Indústria Química mundial

03/01/2011

A publicação ICIS.com elegeu as 40 pessoas mais influentes  da Indústria Química mundial em 2010. Da lista fazem parte CEO´s e presidentes das maiores empresas químicas, petroquímicas e de petróleo do mundo. Dois brasileiros integram a lista,  nas posições 13 e 14, respectivamente: José Sérgio Gabrielli, presidente da Petrobrás, e Carlos Fadigas, recém empossado presidente da Braskem. Veja a seguir a lista completa:

1. Erew Liveris – Chairman, –  Presidente e CEO, Dow Chemical

2. Peter Bahnsuk Kim, – CEO, LG Chem

3. Mohamed Al-Mady, –  CEO, SABIC

4. Yoshimitsu Kobayashi  – Presidente, Mitsubishi Chemical Holdings

5. Kurt Bock – CEO-eleito, BASF

6. James Gallogly – CEO, LyondellBassell Industries

7. Mukesh Ambani – Chairman e Diretor, Reliance Industries

8. Jim Ratcliffe – Chairman, INEOS

9. Abdullah Bin Al-Attiyah – Chairman e Diretor, Qatar Petroleum

10. Stephen Pryor – Presidente, ExxonMobil Chemical

11. Mohamed Hassan Marican – CEO, PETRONAS

12. Ellen Kullman – Chairwoman e CEO, DuPont

13. Jose Sergio Gabrielli – Presidente e CEO, Petrobras

14. Carlos Fadigas – CEO eleito, Braskem

15. Su Shulin – Chairman, Sinopec

16. Dmitry Konov – Presidente, Sibur

17. Axel Heitmann – Chairman, LANXESS

18. Feike Sijbesma – Chairman, DSM

19. Stephen Clark – CEO, Brenntag

20. John Zillmer – Presidente e CEO, Univar

21. James Rogers – Presidente e CEO, Eastman Chemical

22. Chong Bum Shik – Presidente e CEO, Honam Petrochemical

23. Abdulaziz Abdulla Alhajri – CEO, Borouge

24. Christian Jourquin – CEO, Solvay

25. Hans Wijers – Chairman e CEO, Akzonobel

26. Stephanie Burns – Chairman e CEO, Dow Corning

27. Khalid Al-Falih – Presidente e CEO

28. Graeme Burnett – Senior vice Presidente Asia e Middle East, Total Petrochemicals

29. Patrick Thomas – CEO, Bayer Materialscience

30. Jeffrey Quinn – Chairman, Presidente e CEO, Solutia

31. Klaus Engel – CEO, Evonik Industries

32. Giorgio Squinzi – Presidente, CEFIC

33. John McGlade – Chairman, Presidente e CEO, Air Products

34. Peter Huntsman – Presidente e CEO, Huntsman

35. Geert Dancet – Diretor Executivo, European Chemicals Agency

36. Craig Morrison – Chairman e CEO, Momentive performance Materials

37. Cal Dooley – Presidente e CEO, American Chemistry Council

38. Francois Vleugels – CEO, Spolchemie

39. Nathan Ticatch – Presidente, Petrologistics

40. Chris Jahn – Presidente, National Association of Chemical Distributors

Fonte: ICIS