Posts Tagged ‘Indústria de Plásticos’

PICPlast promove debate sobre sucessão familiar voltado para a indústria da transformação plástica

21/09/2015

O Plano de Incentivo à Cadeia do Plástico (PICPlast) promoverá um treinamento sobre sucessão familiar para empresas brasileiras que atuam na indústria da transformação plástica. A iniciativa, denominada como “Programa de Sucessão Familiar”, tem o objetivo de disseminar estratégias de sucesso para as empresas enfrentarem os desafios comuns impostos às famílias empresárias. O treinamento será ministrado pela Cambridge Institute for Family Enterprise, entidade parceira do PICPlast, e será realizado nos dias 22, 23 e 24 de setembro, em São Paulo.

O evento será conduzido por especialistas brasileiros e internacionais por meio de palestras, estudos de caso, discussões em grupo e relatos de experiências vividas pelos integrantes das famílias. Ao final de cada dia de atividades, a família se reunirá com um consultor, denominado “Facilitador”, que intermediará as discussões sobre os problemas particulares enfrentados por cada grupo.

De acordo com o professor John A. Davis, fundador do Cambridge Institute, os desafios enfrentados pelas empresas familiares hoje são profundos e amplamente sólidos. “Os negócios estão mudando com extrema rapidez, assim como as famílias. O programa educacional desenvolvido pelo PICPlast, em parceria com a Cambridge, possibilita a estas famílias entenderem melhor suas forças e fraquezas, além de aplicar seus métodos para construir e manter famílias e empresas de sucesso ao longo de gerações”, afirma o professor.

O primeiro dia de atividades será dedicado à introdução e aos princípios básicos da sucessão familiar. Na oportunidade, os participantes terão uma extensa agenda com dinâmicas e tendências de empresas de controle familiar, ciclos de vida de sistemas de empresas familiares e geração de riquezas para suportar uma família em crescimento.

No segundo dia de evento, o tema discutido será governança corporativa. Ao longo do dia, famílias assistirão palestras sobre o desenvolvimento de uma governança eficaz na família, nos negócios (conselho de administração) e entre acionistas, transição bem-sucedida de responsabilidade e autoridade para a próxima geração e o desenvolvimento da união familiar em torno de missão e valores compartilhados.

No terceiro e último dia de treinamento, os temas que nortearão o treinamento serão a sucessão e as próximas gerações. Os participantes falarão sobre os conflitos familiares que podem desestabilizar a família e os negócios, a construção da disciplina familiar e o entusiasmo para tocar o negócio, e as formar para preparar a próxima geração para liderar e herdar os negócios com responsabilidade. No final das atividades, os participantes terão de entregar um Plano de Ação para lidar com os desafios encontrados ao longo das dinâmicas.

A iniciativa faz parte de uma série de atividades previstas pelo PICPlast para desenvolver ações de estímulo à inovação, competitividade e desenvolvimento sustentável da indústria brasileira de transformação plástica baseada em três focos de atuação:  auxiliar as empresas em estratégias para aumentar as exportações de transformados, aumentar a sua competitividade e Inovação no mercado global, e desenvolver ações para promover as vantagens do plástico e sua importância na vida moderna.

O PICPLAST é uma iniciativa da Braskem e da Abiplast.

A Braskem é a maior produtora de resinas termoplásticas das Américas, com capacidade anual de produção de mais de 16 milhões de toneladas de resinas e outros produtos petroquímicos básicos. Com faturamento de R$ 53 bilhões,  a Braskem atua em mais de 70 países, conta com cerca de 8 mil integrantes e opera 36 unidades industriais, localizadas no Brasil, EUA e Alemanha. Lidera ainda a construção de um complexo industrial petroquímico no México, em parceria com a mexicana Idesa, cujo investimento é avaliado em cerca de US$ 5,2 bilhões.

A Associação Brasileira da Indústria do Plástico – ABIPLAST representa o setor de transformados plásticos desde 1967, atuando para aumentar a competitividade da indústria. Para isso, realiza ações que promovem novas tecnologias, novos processos, pesquisa de produtos com foco na sustentabilidade, entre outras. A ABIPLAST representa atualmente 11.670 empresas que empregam um total de 358.000 mil pessoas.

Fonte: Assessoria de Imprensa – PICPLAST

Curta nossa página no

Anúncios

José Ricardo Roriz Coelho é reeleito presidente da Abiplast e do Sindiplast-SP

06/08/2015

Mandato das novas diretorias estende-se até agosto de 2019

roriz_1A Associação Brasileira da Indústria do Plástico (ABIPLAST) e o Sindicato da Indústria de Material Plástico, Transformação e Reciclagem de Material Plástico do Estado de São Paulo (SINDIPLAST) reelegeram José Ricardo Roriz Coelho (foto) para a presidência de ambas entidades na sexta-feira, 31 de julho de 2015.

A eleição foi feita por aclamação na Associação Brasileira da Indústria do Plástico (ABIPLAST) e com maioria plena dos votos do Sindicato da Indústria de Material Plástico, Transformação e Reciclagem de Material Plástico do Estado de São Paulo (SINDIPLAST).

As novas diretorias tomarão posse em 1o de setembro de 2015 para os mandatos que expiram em agosto de 2019.

Na ABIPLAST, o presidente José Ricardo Roriz Coelho contará com os empresários Alberto Geromini e Otto von Sothew nas 1a e 2a vice-presidências, respectivamente.

No SINDIPLAST, o 1º vice-presidente será Aurelio de Paula e o 2º vice-presidente, Rogerio José Mani.

Desafios serão enfrentados

“Vamos continuar firmes na defesa dos diversos segmentos que compõem a indústria de transformação do plástico”, afirma Roriz. “Nosso setor tem sofrido as consequências da estagnação econômica, da inflação crescente e da desinformação. Lidamos com normas e leis arbitrárias, as quais prejudicam não apenas nosso desempenho, mas afetam toda a sociedade. Estamos preparados para enfrentar os antigos e os novos desafios. Afinal, prezamos o futuro das nossas empresas. E, acima de tudo, somos brasileiros e sabemos que somente um país com uma indústria forte tem chances reais de superar a crise e inaugurar um ciclo virtuoso de crescimento”, conclui José Ricardo Roriz Coelho.

Fonte: Abiplast

Curta nossa página no

Chem-Trend apresenta novos produtos para aplicações de tampas e fechos

06/08/2015

A mudaChem-Trendnça de cor ou de material durante o processo de fabricação de tampas e fechos para embalagens ou garrafas, muitas vezes, pode levar a altas taxas de descarte.

Com o lançamento dos produtos Lusin® Clean 1060, a Chem-Trend oferece  novas soluções para purga, desenvolvidas especificamente para a limpeza de roscas, cilindros, bicos e câmara quente de máquinas injetoras usadas na fabricação de peças feitas em resinas plásticas, principalmente PE (polietileno).

Pronto para uso, o novo produto é indicado para aplicações em máquinas injetoras e moldes com muitas cavidades. Segundo a Chem-Trend, o produto reduz o tempo de limpeza com elevado padrão de qualidade, respeito ao meio ambiente e eficiência de processos exigidos pelo competitivo mercado atual.

O Lusin® Clean 1060 gera em torno de 50% de economia quando comparado à troca de cor feita com resina virgem, afirma o fabricante. Pode ser usado em temperatura processual de até 290º. De acordo com a Chem-Trend, esse novo agente de purga age rápido e remove completamente resíduos de máquinas injetoras, sendo, portanto, particularmente adequado para processos que demandem muitas trocas de cores ou alterações frequentes de materiais. Além disso, o novo agente de purga também remove pontos pretos, resíduo de carbonização e de material degradado, de acordo com informações da empresa.

“A indústria de alimentos é sensível e tem necessidades muito específicas. A Chem-Trend, através da linha Lusin®, é o parceiro dos transformadores de termoplásticos na busca por produtos que sejam comprovadamente seguros para uso em aplicações onde ocorre contato com alimentos,  atendendo às rigorosas exigências ambientais, resultando em maior eficiência de processo industrial e menores custos para a operação como um todo”, diz Henrique Costa, gerente de termoplásticos da Chem-Trend.

Limpezas com paradas

Para casos nos quais há necessidade de desligamento de maquinário, a Chem-Trend desenvolveu Lusin® Clean 1061, específico para paradas prolongadas (por exemplo, em finais de semana), com o propósito de permitir um startup livre de desperdício.

Complemento do Lusin® Clean 1060, o Lusin® Clean 1061 limpa os componentes de máquinas injetoras, para prevenir formação de pontos pretos nas tampas e fechos. O produto é especificamente formulado para remover resinas de partes da máquina onde, se lá permanecerem por um período muito extenso, provocarão contaminação por pontos pretos.

A Chem-Trend é uma organização global com mais de 50 anos, focada no desenvolvimento, produção e comercialização de agentes desmoldantes para uso nas indústrias de borracha, pneus, poliuretano, compósitos, termoplásticos e fundição sob alta pressão. No Brasil desde 1986, a Chem-Trend mantém em sua planta, em Valinhos (SP), a produção, venda, administração, atendimento e todo o suporte técnico aos seus clientes. A Chem-Trend do Brasil fornece agentes desmoldantes, lubrificantes e limpadores a todo mercado nacional, América do Sul e África do Sul. A Chem-Trend é uma empresa do Grupo Freudenberg, um grupo de tecnologia global que oferece soluções e serviços para mais de 30 segmentos do mercado. Em 2014, o Grupo Freudenberg empregou mais de 40 mil pessoas em cerca de 60 países do mundo e gerou vendas de mais de 7 bilhões de Euros .

Fonte: Assessoria de Imprensa – Chem-Trend

Curta nossa página no

Pavan Zanetti expôs sopradora e injetora durante a Fispal

30/06/2015
Sopradora PETIMATIC da Pavan Zanetti

Sopradora PETIMATIC da Pavan Zanetti

De 23 a 26 de junho, a fabricante de sopradoras e injetoras Pavan Zanetti esteve expondo na 31ª. edição da Fispal Tecnologia, a feira internacional do setor, que ocorreu no Pavilhão do Anhembi, em São Paulo. O evento foi visitado por um amplo contingente de clientes da indústria de embalagens para alimentos, bebidas, produtos químicos e farmacêuticos, cosméticos e outros segmentos que se utilizam da transformação do plástico.

Desta vez, a Pavan Zanetti colocou em exposição duas máquinas: a sopradora Petimatic e a injetora HXF.

A Petimatic produz frascos de até 2000 mililitros, dispõe de alimentador automático de pré-formas de PET; painel de operação com tela LCD; sistema de aquecimento de pré-formas dividido em zonas de aquecimento; controle de temperatura da boca ao fundo da pré-forma; sistema operacional de sopro com recuperação de ar de exaustão.

A Injetora automática HXF produz frascos de diversos tamanhos e capacidades. É automática, de alto desempenho e economia de energia. Ideal para brinquedos, pré-forma de PET, utilidades domésticas, produtos com parede fina, produtos em PP/PL, além de PS, PC, conexões em PVC, materiais de engenharia, entre outros. Os modelos opcionais são equipados com bombas fixas e hidráulica proporcional, bomba variável e servo motor.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Pavan Zanetti

Curta nossa página no

Simplás leva grupo de empresários a Feiplastic 2015

06/05/2015

Plastech Brasil também é divulgada no estande do sindicato em São Paulo (SP)

Feiplastic_entrada

Nestas quinta (7) e sexta-feira (8), um grupo de 20 empresários participa da missão do Sindicato das Indústrias de Material Plástico do Nordeste Gaúcho (Simplás) que prospecta oportunidades de negócios, fortalece relacionamentos e descobre novidades da indústria de transformação no maior evento do mercado do plástico da América Latina, em São Paulo (SP). A Feiplastic, realizada no Anhembi desde segunda-feira (4), projeta a exposição de 1,4 mil marcas nacionais e internacionais e a presença de 70 mil visitantes em 85 mil m2 de feira.

Além de visitante, o próprio Simplás é também um dos expositores do evento. O estande que serve de ponto de apoio para a comitiva da Serra Gaúcha se constitui em referência para a divulgação da Plastech Brasil – Feira do Plástico, da Borracha, dos Compósitos e da Reciclagem, que tem o diferencial de ser organizada por uma entidade representativa do próprio setor, em Caxias do Sul (RS), de 25 a 28 de agosto.

“Os contatos têm sido intensos e com resultados importantes. Há negociações bem adiantadas com empresas de outros continentes, interessadas em estrear em nossa feira a fim de abrir um novo mercado na região Sul do Brasil, onde identificam proximidade geográfica e relações comerciais consolidadas com Chile, Argentina e Uruguai”, destaca o presidente da Plastech Brasil, Orlando Marin.

Por articulação do Simplás, também é aguardado para esta quinta-feira (7), na Feiplastic, o governador gaúcho José Ivo Sartori. A expectativa concentra-se em duas reuniões consecutivas, com empresas de transformação plástica do Rio Grande do Sul e de fora dele, no estande da petroquímica Braskem, no Anhembi.

“Serão dois excelentes momentos para se falar de oportunidades de investimentos com o próprio governador. Primeiro, para as empresas já instaladas, que tenham planos de ampliar suas operações em transformação plástica em solo gaúcho. Depois, para indústrias de outros Estados interessadas em aproveitar o potencial de negócios e de mão de obra qualificada no Rio Grande do Sul”, explica o presidente do Simplás, Jaime Lorandi.

Sobre o Simplás: O Sindicato das Indústrias de Material Plástico do Nordeste Gaúcho (Simplás) representa mais de 500 empresas de transformação que geram acima de 13 mil empregos diretos em oito municípios (Caxias do Sul, Coronel Pilar, Farroupilha, Flores da Cunha, Garibaldi, Nova Pádua, São Marcos e Vale Real), com estimativa de faturamento anual superior a R$ 4 bilhões. Em um raio de 50 quilômetros, a área de abrangência do Simplás apresenta a maior concentração de indústrias de transformação de plástico do Brasil.

Sobre a Plastech Brasil: A Plastech Brasil – Feira do plástico, da borracha, dos compósitos e da reciclagem é uma das mais completas plataformas de negócio da cadeia de transformação. Realizada pelo Sindicato das Indústrias de Material Plástico do Nordeste Gaúcho (Simplás) em Caxias do Sul (RS), expõe as principais tendências e inovações nos segmentos automotivo, de transformados plásticos, matérias-primas e produtos básicos, máquinas, equipamentos e acessórios, moldes e ferramentas, instrumentos, controle e automação, instituições de ensino técnico e superior, serviços, publicações e projetos técnicos, entidades da sociedade civil e representações de governo. Em 2015, ocupará os Pavilhões da Festa Nacional da Uva de 25 a 28 de agosto.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Simplas

Curta nossa página no

FEIPLASTIC 2015 espera receber 70 mil visitantes de diversos setores da Indústria do Plástico, de 4 a 8 de Maio, no Pavilhão do Anhembi

04/05/2015

Maior plataforma para negócios na cadeia de transformados plásticos na América Latina, feira movimenta a cidade de São Paulo com a participação de 1400 marcas –  155 delas pela primeira vez.

Feiplastic_LogoDe 4 a 8 de maio, a Feiplastic – Feira Internacional do Plástico volta a ocupar os 85mil m2 do Anhembi.  O evento reúne 1.400 marcas expositoras, 155 pela primeira vez. A Reed Exhibitions Alcantara Machado, promotora e organizadora da feira, espera receber 70 mil visitantes qualificados. A Feiplastic é a maior plataforma de negócios, sustentabilidade e tecnologia para a cadeia do plástico em toda América Latina. Neste ano a feira receberá 30 delegações expositoras, de países como Canadá, Colômbia, Coreia  do Sul, EUA, Equador, Espanha,  França, Finlândia , Inglaterra,  Israel,  Itália entre outros.

Outro ponto de destaque é a Rodada  de Negócios promovida pela Reed – organizadora do evento. “Para o Club Premium Plus, estamos esperando 140 compradores para 42 expositores selecionados, além de cerca de 600 compradores para outras rodadas de negócio que acontecem durante o evento”, estima o vice-presidente da Reed, Paulo Octavio Pereira de Almeida. A promotora do evento tem motivos para esperar grande realização de negócios, já que em 2013 expositores chegaram a vender até 60 máquinas.

Além disso, de acordo com a sondagem da Reed ao final de cada evento, em 2013, 95% dos expositores estavam satisfeitos ou muito satisfeitos com a feira. Cerca de 98% demonstraram interesse em renovar a participação na Feiplastic, o que reforça sua importância como vetor de negócios. Entre os principais setores da feira deste ano estão: Produtos Básicos e Matérias-Primas, Máquinas, Equipamentos e Acessórios, Moldes e Ferramentas, Transformadores de Plástico, Resinas Sintéticas, – Instrumentação, Controle e Automação, Serviços e Projetos Técnicos, Reciclagem

A cerimônia de abertura acontece às 11h do dia 4, no Espaço das Orquídeas, dentro do pavilhão do Anhembi. Participam representantes das diversas entidades apoiadoras do evento como Abiplast – Associação Brasileira da Indústria do Plástico; Abiquim – Associação Brasileira da Indústria Química e Siresp – Sindicato da Indústria de Resinas Plásticas. A Abiplast confirmou que lançará o relatório anual Perfil do Setor 2014 durante a Feiplastic.

Atrações e atividades paralelas

Operação Reciclar – numa área de aproximadamente 220 m², serão feitas as demonstrações do processo de reciclagem de diversos tipos de materiais, até o produto final transformado. Também estão sendo programadas pela Plastivida, que coordenada o projeto,várias palestras educativas sobre o tema. Entre as empresas participantes e patrocinadores bronze do projeto estão Pavan Zanetti, Romi e Wortex. A ideia é incentivar a coleta e reciclagem de materiais plásticos mostrando, na prática, todo o potencial de reciclabilidade e variedade de aplicações da resina plástica em diversos segmentos da indústria.

Projeto Comprador Think Plastic Brazil – movimentará negócios internacionais, com doze empresas internacionais e 35 nacionais. Em sua 43ª edição, a expectativa dos organizadores é de que as rodadas superem os US$ 3 milhões previstos para 2015/16. Compradores de países como Argentina, Colômbia, Chile, Costa Rica e Peru já confirmaram a participação. Destaque para compradores de empresas focadas em insumos para mineração e logística, além de indústrias de produtos de consumo de massa e ainda um dos maiores convertedores sul-americanos.

Também será montada a Ilha do Conhecimento, espaço exclusivo para a realização de debates técnicos e apresentações dos expositores, com o objetivo de promover a atualização profissional e conhecimento sobre produtos, equipamentos, tecnologias, tendências e melhores práticas do mercado. As empresas AGC Vidros, Talamac, Cristal Master, ARPI, Bayer e INP / Waycarbon já estão confirmadas.

Serviço:

Feiplastic – Feira Internacional do Plástico
Data: 4 a 8 de maio de 2015
Horário: 11h às 20h
Local: Pavilhão de Exposições do Anhembi – São Paulo – SP – Brasil
Mais informações: http://www.feiplastic.com.br

Curta nossa página no

Feira K 2016 – apontando o caminho a seguir para a indústria mundial de plásticos e borracha

23/04/2015

A apenas algumas semanas da data de encerramento das inscrições de expositores, a Messe Düsseldorf está registrando uma demanda muito grande por espaço de exposição

k2016Faltando algumas semanas para a data limite das inscrições para espaço de exposição na K 2016, uma coisa já é certa: a feira vai novamente proporcionar uma visão completa do mercado mundial da indústria de plásticos e borracha. Cerca de 3.000 expositores estarão presentes na principal feira mundial do setor, que se realiza de 19 a 26 de outubro de 2016. A demanda por espaço de exposição é extremamente animadora e todos os 19 pavilhões do recinto da feira de Düsseldorf serão mais uma vez totalmente ocupados. Empresas de todos os continentes já se inscreveram para apresentar suas inovações nas seguintes categorias de exposição:

– Matérias-primas e produtos auxiliares
– Produtos semi-acabados, peças técnicas e plásticos reforçados
– Máquinas e equipamentos para a indústria de plásticos e borracha.

“Graças à sua inigualável amplitude de oferta e à internacionalidade incomparável de expositores e visitantes, a feira situa-se em uma classe única em todo o mundo. É o lugar onde são tomadas as decisões-chave para produtos, processos e resolução de problemas, além de apontar o caminho a seguir nos próximos anos para toda a indústria”, diz Werner M. Dornscheidt, Presidente e CEO da Messe Düsseldorf. “Estamos muito satisfeitos pela demanda por espaço de exposição ser mais uma vez extremamente dinâmica. As empresas do mundo dos plásticos e borracha sabem que podem contar com um excelente trampolim para o sucesso dos seus negócios a cada três anos em Düsseldorf. As inscrições para K 2016 ainda podem ser feitas até 31 de maio de 2015. ”

As apresentações de empresas expositoras na K 2016 serão complementadas por uma mostra especial,  ilustrando o potencial de plásticos e borracha para aplicações no futuro. Fazendo referência a exemplos de diferentes setores, ela mostra a extensão com que as propriedades diversificadas dos plásticos moldam nossas vidas hoje e as contribuições que eles podem oferecer para a solução de importante problemas cotidianos. A mostra especial está sendo organizada pela indústria de plásticos da Alemanha, sob os auspícios da PlasticsEurope Deutschland eV e da Messe Düsseldorf.

Outro destaque do programa paralelo à K 2016 será o Campus da Ciência, o fórum de pesquisa e ensino. O Campus da Ciência oferece uma visão compacta das atividades e descobertas das universidades e organizações científicas e ajuda a intensificar o diálogo entre a pesquisa e a indústria.

Informações sobre os assuntos relacionas à K 2016 e à indústria estão disponíveis em www.k-online.com. Relatórios de ciência e pesquisa atualizados regularmente podem ser encontrados no site, juntamente com artigos da imprensa especializada internacional. A gama de informações fornecidas pelo site também se estende a outros eventos para a indústria de plásticos e borracha nos quais a Messe Düsseldorf está envolvida. O serviço é arrematado com uma lista dos meios de comunicação especializados mais importantes do mundo e uma retrospectiva da K 2013.

A K 2016 será realizada em toda a área dos pavilhões da Messe Düsseldorf. Será aberta diariamente de quarta-feira, 19 de outubro de 2016, até quarta-feira, 26 de outubro de 2016, das 10:00 às 18:30.

Fonte: Messe Düsseldorf

Curta nossa página no

Unipac inaugura fábrica em Limeira

22/04/2015

Empresa investe na aquisição de prédio próprio e migra operações para assegurar capacidade de expansão

Unipac_1A Unipac, importante empresa industrial do segmento de transformação plástica, inaugurou oficialmente sua nova fábrica em Limeira (SP). A necessidade de ampliar a capacidade de produção de embalagens plásticas – utilizadas nos segmentos agrícola, químico, alimentício, entre outros – e de modernizar suas atividades, motivou a empresa a migrar todas as operações até então realizadas na filial de Santa Bárbara D´Oeste (SP), que encerrou seu ciclo.

O novo prédio abriga, desde 1º de janeiro de 2015, a fabricação de embalagens plásticas de 250 ml a 20 litros e de tampas para o mesmo segmento. Os investimentos na unidade incluíram a compra de maquinaria de última geração.

De acordo com Marcos Ribeiro, presidente da Unipac, a iniciativa se mostrou acertada para assegurar a expansão da empresa, abrindo claras perspectivas futuras. “O mercado nacional tem um amplo e diversificado potencial para embalagens, incluindo um dos nossos principais negócios da unidade de Limeira, o de embalagens plásticas rígidas para o segmento de agroquímicos, que vem crescendo em torno de 4% ao ano e que é impulsionado, principalmente, pela demanda mundial por alimentos, a qual movimenta o setor agrícola brasileiro. Os investimentos que fizemos nos permitirão manter nosso incremento na casa dos 20% ao ano”.

Tudo em um único lugar

Localizada às margens da Rodovia Engenheiro João Tosello (SP-147), no Km 103, em Limeira (SP), a nova planta da Unipac, com 23 mil m² de área construída e terreno de 57 mil m², comporta toda a área fabril oriunda de Santa Barbara D’Oeste, além dos estoques de embalagem, anteriormente alocados em operadores logísticos terceirizados. Na atual configuração, foi possível concentrar, em um único lugar, as operações de fabricação e armazenagem.

A escolha do local foi motivada, principalmente, pela proximidade com Santa Bárbara D´Oeste, a fim de manter o quadro de funcionários – cerca de 100 empregados diretos e 30  indiretos. Outros fatores que contribuíram para a definição foram o fato de Limeira estar numa região industrial forte, com mão de obra qualificada para apoiar o crescimento futuro da empresa, e a questão logística pelo fácil acesso, próximo a outras importantes rodovias.

“Em fevereiro de 2014, oficializamos a compra do prédio em Limeira. Precisávamos de um local maior que pudesse acomodar não apenas todas as atividades de embalagens, mas também nossa expansão. Por outro lado, tínhamos outra importante questão: queríamos manter nossos funcionários. Para tanto, procuramos lugares em cidades num raio de até 50 quilômetros de distância de Santa Bárbara D´Oeste. Deu certo e, hoje, o pessoal que permaneceu na empresa tem à disposição um ônibus fretado para ir ao trabalho”, explica Ribeiro.

Nova fábrica, mesmas exigências

Todas as práticas que dizem respeito à questão ambiental e que já são aplicadas nas outras unidades da empresa, permanecem também na fábrica de Limeira. Consideradas desde o inicio das atividades de adequação da nova planta, tais exigências, como controles e redução dos materiais e dos resíduos gerados, do consumo de água e energia, entre outras, já funcionam a pleno vapor. A planta utiliza novos sistemas de abastecimento: na fábrica, para reduzir as perdas de água e de resinas, as máquinas permitem controle e qualidade do processo de suprimento.

Recentemente, a unidade passou por auditoria do organismo de certificação de produto ABRACE e foi recomendada a obter a concessão da autorização para uso do Selo de Identificação da Conformidade, de acordo com os regulamentos de avaliação para embalagens utilizadas no transporte terrestre de produtos perigosos (Portaria INMETRO 326:2006).

Cliente da Unipac com unidade fabril in-house, a Syngenta também auditou e certificou a nova planta quanto à aderência aos padrões voltados à saúde, à segurança e ao meio ambiente. E estão previstas para junho e julho deste ano, respectivamente, as obtenções das certificações ISO 9001:08 e ISO 14001. Desta forma, o Sistema de Gestão da Qualidade da filial Limeira ficará integrado com a certificação de todas as outras unidades da Unipac.

Fundada em 1976, a Unipac conta com cerca de 900 funcionários e parques industriais instalados em quatro unidades no Estado de São Paulo – Pompeia (matriz), Limeira (filial), Regente Feijó e Paulínia (unidades in-house, ou seja, na sede de seus clientes). É considerada uma das indústrias de transformação de plásticos mais completas do país. A Unipac executa oito tipos de processos de transformação em seu parque fabril: sopro, injeção, injeção estrutural, extrusão de chapas, termoformagem, rotomoldagem, borracha e cerâmica. Essa variedade de processos possibilita a produção de soluções inovadoras e permite à Unipac atender aos seguintes mercados:

  • Automotivo: tanques para acondicionamento de diesel e Arla 32, com sistema integrado de nível, sucção, retorno e temperatura, além de sistemas de fixação e tampas – específicos para montadoras de caminhões e ônibus; e peças técnicas para diversas aplicações. Atende também o mercado de reposição; e acessórios para pick-ups, destinados ao setor de autopeças.
  • Agroquímico, Químico e Alimentício: embalagens monocamadas e multicamadas, além de tampas para as principais indústrias destes setores.
  • Agropecuário e Laticínios: produtos que auxiliam na ordenha e transporte do leite, além de outras soluções adequadas para o homem do campo.
  • Logístico: caixas colapsíveis e retornáveis, paletes, além de serviços de locação, higienização e manutenção para indústrias diversas.
  • Mercados diversos: peças técnicas produzidas de plástico, borracha ou cerâmica, para aplicações diversas.

Um moderno centro de pesquisa de engenharia em materiais e processos, a parceria com outros Centros de Pesquisas, incluindo o da Máquinas Agrícola Jacto e a sinergia entre as áreas da empresa e clientes  possibilita que a Unipac antecipe-se às tendências de mercado, sugerindo soluções inovadoras.

A Unipac faz parte de um grupo empresarial 100% nacional, fundado em 1948, composto por importantes empresas que atuam em vários segmentos: Jacto Agrícola, JactoClean, Rodojacto, Ferramentaria Jacto, Fundição Jacto, Veículos Jacto, Mizumo e Sintegra Surgical Sciencies.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Unipac

Curta nossa página no

Setor do plástico tem queda de 5,1% no primeiro bimestre de 2015

14/04/2015

A fabricação de transformados plásticos caiu de 11,1 milhões de toneladas no primeiro bimestre de 2014 para 10,5 milhões de toneladas em igual período deste ano o que representa uma queda de 5,1% no volume de produção do setor.

“Não tivemos uma redução tão significativa nem em 2009, em meio à crise financeira. Os últimos três anos foram de queda, mas nenhuma havia chegado a 5%”, afirma José Ricardo Roriz Coelho, presidente da Associação Brasileira da Indústria de Plásticos (ABIPLAST).

Este foi o pior primeiro bimestre da indústria de transformados plásticos desde a fundação da Abiplast, em 1947.

O prognóstico é de que a situação fique mais crítica ainda nos próximos meses, pois o período analisado não sofreu os efeitos da alta do câmbio. “Algumas matérias primas ficaram até 25% mais caras por causa do dólar”, afirma Roriz. “As empresas terão de repassar custos, o que é difícil em um momento em que o consumidor não está propenso a fazer gastos.”, complementa.

Em janeiro e fevereiro deste ano, a indústria de plásticos contratou 3.322 funcionários, uma queda de 39% em comparação com o mesmo bimestre de 2013. O setor emprega 355,6 mil trabalhadores no país.

O consumo aparente (produção nacional que fica no país mais as exportações) de transformados plásticos atingiu a cifra 1,15 milhões de toneladas no primeiro bimestre de 2015, o que significou uma contração de 4,96% sobre o mesmo período do ano passado.

O faturamento real (descontada a inflação) do setor também caiu de 10,54 bilhões de reais no primeiro bimestre de 2014 para R$ 9,44 bi no mesmo período de 2015. “O plástico está presente em quase todos os setores da indústria. O país está vivendo uma queda generalizada”, completa Roriz.

Fonte: Abiplast / Folha de São Paulo

Curta nossa página no

Fórum em Maceió discute indústria do plástico na região Nordeste

04/06/2014

Perspectivas para o setor, novos produtos, eficiência energética e inovação foram alguns dos temas propostos no evento

forum_alagoas_2014O Sindicato das Indústrias de Plásticos e Tintas do Estado de Alagoas (Sinplast) promoveu no último dia 28, o II Fórum Regional da Indústria do Plástico no auditório da Federação das Indústrias do Estado de Alagoas (FIEA), localizado na capital do Estado, Maceió. Na abertura do fórum estavam presentes o presidente do sindicato Wander Lôbo, o governador de Alagoas Teotonio Vilela Filho, o Diretor superintendente da Abiplast, PauloTeixeira,  e o diretor de Administração e Finanças do Sebrae Alagoas,  Roberval Cabral. O evento apresentou as inovações nos produtos e processos industriais do setor, as fontes de energia disponíveis, discutiu reciclagem e eficiência energética no segmento e as alternativas para eliminação dos lixões nos municípios como forma de disposição final dos seus resíduos

O II Fórum Regional da Indústria do Plástico teve o apoio da FIEA, do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE), do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI), da Associação das Empresas do Polo Multifabril de Marechal Deodoro (Assedi-MD), da Associação das Empresas do Polo Multissetorial Governador Luiz Cavalcante (Adedi), da Braskem e do Governo de Alagoas.

Durante o evento, houve palestras sobre as perspectivas para o setor de transformados plásticos, com Paulo Teixeira, diretor superintendente da Associação Brasileira da Indústria do Plástico (Abiplast); sobre o Núcleo de Tecnologia do Plástico, com o gerente da Unidade Tabuleiro do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), Cícero dos Anjos; e os resultados da pesquisa da Cadeia Produtiva da Química e do Plástico de Alagoas, com Everaldo Figueiredo, gerente da Unidade de Indústria do Sebrae Alagoas.

Também foram discutidos novos produtos no mercado do plástico e inovações em áreas específicas de transformação, com Antônio Rodolfo Junior, gerente de Engenharia de Aplicação e Desenvolvimento de Mercado – PVC/Cloro Soda da Braskem; além da Política Nacional de Resíduos Sólidos, com Ivo Milani, consultor de Projetos Socio-Ambientais da Compromisso Empresarial para Reciclagem (Cempre); e sobre eficiência energética no setor de plásticos, com Sidnei Amano, engenheiro eletricista da WEG.

Roberval Cabral, diretor de Administração e Finanças do Sebrae Alagoas, destacou, durante a abertura, que o evento é uma sucessão do exitoso fórum anterior, que trouxe o que havia de mais atual em conhecimentos e informações sobre inovação e sustentabilidade no segmento.

“O que faz esse e outros segmentos em Alagoas darem certo é a parceria entre diversas instituições, sejam elas públicas, como o governo, ou privadas, como as empresas. E o resultado desse esforço está contabilizado. Mas é importante que todos aqueles envolvidos no processo continuem se capacitando e se atualizando sobre as inovações, tecnologias e boas práticas, pra que tudo isso seja aplicado nas empresas, fazendo-as crescerem e se desenvolverem com sustentabilidade”, registrou o diretor.

“A realização desse fórum demonstra como a linha traçada para desenvolver o segmento está firme: trazer renomados palestrantes de todo o Brasil, promover discussões, aprofundar conhecimentos e estabelecer diretrizes para o futuro demonstram a vontade de levar adiante esse projeto. Isso tudo e a governança diferenciada, que alia gestão pública, sociedade civil e empresarial, sindicatos, etc., têm sido responsáveis pela recuperação do estado, que passou anos na estagnação. O resultado disso, por exemplo, é Alagoas com um Produto Interno Bruto (PIB) cujo crescimento é maior que a média do Nordeste”, complementou Teotônio Vilela Filho, governador de Alagoas.

Cadeia Produtiva da Química e do Plástico

Desde 2006, o Sebrae Alagoas  e os demais integrantes da Cadeia Produtiva da Química e do Plástico de Alagoas – Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado do Planejamento e do Desenvolvimento Econômico (Seplande), Sistema Federação das Indústrias do Estado de Alagoas (FIEA), Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), Braskem, Universidade Federal de Alagoas (Ufal), Sindicato das Indústrias de Plástico e Tintas de Alagoas (Sinplast), Associação dos Dirigentes das Empresas do Distrito Industrial (Adedi), Associação das Empresas do Distrito Industrial de Marechal Deodoro (Assedi/MD) e Algás – têm trabalhado nesse projeto estruturante.

O objetivo é realizar consultorias, capacitações técnicas em termoplásticos e em gestão (como Gestão de Pessoas, Gestão Financeira, 5S, Como Vender Mais e Melhor), gerando melhorias na formação dos colaboradores e o consequente aumento de produtividade, além de ações de mercado e acesso a eventos, como é caso da participação em feiras como a Interplast, Feiplastic, Embala Nordeste e Feira K.

Esse trabalho vem gerando resultados expressivos. De 2009 a 2014, houve um aumento de 103% no número de pequenas indústrias instaladas no estado, passando de 33 para 67 empresas; houve redução de 2,4% para 0,7% no índice de desperdício de matéria-prima nas indústrias, o que equivale a cerca de 85 ton/mês de resina. Além disso, foi registrado um aumento de 51.831,91 ton/ano para 100 mil ton/ano na quantidade de plástico desmanchado em Alagoas; por fim, houve um aumento de 75,92% no número de ocupações geradas no setor, aumentando de 1.690 para 2.973 empregos gerados nas pequenas empresas atendidas pelos projetos e ações do Sebrae e seus parceiros.

Fonte: Sebrae-AL / Abiplast

Curta nossa página no

Feira Internacional da Mecânica projeta 500 milhões em negócios para os próximos meses

28/05/2014
  • Tecnologia e produtividade foram a tônica do evento que reuniu 90 mil visitantes no maior encontro da indústria na América Latina.
  • Expositores comprovam sucesso da feira como plataforma de negócios.

Ao longo de cinco dias, a Feira Internacional da Mecânica transformou o Pavilhão de Exposições do Anhembi em um complexo de 85 mil m² de avançadas tecnologias da indústria de bens de capital. De 20 a 24 de maio, foram expostos produtos de 2.100 marcas nacionais e internacionais, de 12 setores da indústria, com visitação de 90 mil compradores, de acordo com a Reed Exhibitions Alcantara Machado, organizadora do evento. Em um ambiente propício para a atualização profissional e negócios, estima-se que cerca de R$ 500 milhões foram movimentados, principalmente por conta dos financiamentos e condições especiais preparados especialmente para o evento. Com forte presença internacional, a feira também recebeu visitantes e expositores de 60 países, como Argentina, Portugal, França, Espanha, EUA, Itália, Alemanha, Espanha, Canadá, Chile, Peru, entre outros.

“Desde sua criação há 50 anos, a Feira da Mecânica mantém sua tradição em se superar e mostrar a inovação como matéria-prima para o desenvolvimento da indústria nacional. Nesta edição, não foi diferente”, explica a diretora do evento Liliane Bortoluci. A confirmação de sucesso da feira também vem nos depoimentos dos expositores. “A edição deste ano está surpreendendo pela quantidade de visitantes, e o nível de interesse e conhecimento do público é bom, não estamos pegando ninguém no laço – avalia Wilson Borgneth, diretor comercial do Grupo Bener – até hoje, quarto dia, já fechamos 15 negócios, inclusive da área da Makino, que é de alta tecnologia. Calculo que já movimentamos R$ 2 milhões. Estamos muito satisfeitos”.

Para o diretor-presidente da Romi e vice-presidente da Abimaq, Livaldo Aguiar dos Santos, muitas das empresas procuraram mostrar algo novo para o mercado. “Tudo isso está ligado a ganho de produtividade. A Feira tem o foco da inovação, tendência para os próximos anos. Muitos economistas advogam que o Brasil não crescerá de maneira proporcional à sua população sem o ganho de produtividade. É o que faz a cadeia toda se movimentar. A Mecânica sempre ajudou muito o setor, e é um termômetro do mercado”. Diretor de vendas da Ergomat, Alfredo Ferrari acredita que esta edição da feira superou as expectativas. “Levando em consideração a conjuntura econômica, foi surpreendente. Desde o primeiro dia até agora tivemos grande número de visitantes, clientes interessados em investir e saber como adquirir novas máquinas. Fechamos negócios, 30% acima do que esperávamos, para pequenas e médias empresas, prestadores de serviço”.

E nem só de máquinas vive a Mecânica. A Arpi, empresa que produz equipamentos e acessórios para proteção pessoal e ambiental teve êxitos nesta edição. “Trouxemos produtos que, além de sua utilidade prática, contribuem para a segurança do trabalhador e para o meio ambiente. A aceitação foi ótima. Nossa intenção era puramente institucional e mesmo assim fechamos R$ 1,5 milhão em negócios, sem contar os novos contatos que gerarão futuros clientes cujo volume de venda é imensurável”, relata Renato Nunes, diretor comercial. Para Agenor de Carvalho, da Ecomach, o sucesso também foi inconteste. “Participar da Feira Internacional da Mecânica superou totalmente nossas expectativas. Trouxemos um produto novo no mercado, um óleo orgânico feito a partir da casca do arroz, apenas para que o mercado conhecesse essa solução. O resultado foi que saímos daqui com pedidos de amostra de 98 empresas para testar nosso produto. Muitas delas de grande porte, com consumo de 40 mil litros de óleo por mês. Nossa previsão mínima é que estes contatos gerem, até 2015 faturamento, na ordem de R$11 milhões”.

A experiência do BNDES na feira também indica o movimento aquecido no país em busca de financiamento. Nos dois primeiros dias de Mecânica, a procura foi intensa pelas linhas do PSI. Segundo o porta-voz do banco, Rafael Mazzeo, foram 31 visitas registradas na terça-feira e 44 no segundo dia de evento. “Temos recebido interessados principalmente no programa PSI para máquinas e equipamentos e pelo cartão BNDES. O grande público do banco são as micro, pequenas e médias empresas”.

Fonte: Reed Alcantara Machado – Assessoria de Imprensa

Curta nossa página no

Cromex participa do projeto Apex-Brasil Fórmula Indy

28/05/2014

A Cromex, líder no mercado brasileiro de masterbatches e atuando também na distribuição de termoplásticos, participou do “Programa de Relacionamento ApexBrasil – Projeto Fórmula Indy – Indianapolis 500”, em Indiana (EUA) nos dias 24 e 25 de maio. A iniciativa da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), teve por objetivo promover o relacionamento entre empresas brasileiras e compradores internacionais, no sentido de fomentar as exportações.

Durante o final de semana, representantes de empresas brasileiras e seus clientes estrangeiros selecionados se encontraram em, um espaço exclusivo montado pela Apex-Brasil na prova da Fórmula Indy em Indianapolis (EUA). Três clientes internacionais da Cromex, além da Account Manager Latin and North America Cromex, Janaina Lana, participaram das ações de networking no PROGRAMA FÓRMULA INDY 2014.

A Cromex já é tradicional participante desse evento. Segundo Marcos Pinhel, diretor Comercial da empresa, trata-se de uma oportunidade única. “O evento nos permite apresentar nossos produtos e serviços com mais tempo de contato e mais possibilidades para conhecer melhor o comprador estrangeiro”, afirma o executivo.

Marcos Pinhel analisa que a Fórmula Indy é um enorme mobilizador de diferentes segmentos da opinião pública que, além do contato com as grandes corporações que participam do evento, proporciona visibilidade às empresas brasileiras integrantes do Projeto, com uma alta exposição de marcas, produtos e serviços, fortalecendo a imagem do Brasil no mercado norte-americano.

Segundo o executivo, a Cromex é uma empresa dona de uma cultura exportadora, que comercializa seus produtos para mais de 60 países. “Trata-se de um trabalho constante de inteligência e abertura de mercados e de manutenção dessas relações, o que esse tipo de iniciativa colabora de forma importante”, diz Pinhel.

Atualmente, 20% dos negócios da empresa são voltados aos mercados externos e a tendência é ampliar esse número.

Fonte: Cromex

Curta nossa página no

Sindiplast-ES chama atenção para eficiência energética nas empresas

20/05/2014

A atual situação energética nacional, com períodos de baixos níveis nos reservatórios de hidrelétricas e alto custo da tarifa de energia, tem preocupado ao empresários do setor do Plástico, já que o gasto com energia interfere diretamente na competitividade das empresas.

Há dois anos, o Sindicato da Indústria de Material Plástico do Espírito Santo (Sindiplast-ES) realizou uma parceria com o Sebrae-ES para a aplicação de um programa de eficiência energética nas empresas associadas, com consultoria para o uso racional e inteligente da energia. Algumas empresas aderiram, mas o resultado ainda não foi considerado satisfatório pelo Sindicato.

“Estimamos que o custo com energia elétrica deve aumentar de 15% a 20% até agosto deste ano. O uso eficiente deste bem é a melhor maneira de evitarmos perda de competitividade, por isso, mais uma vez estamos chamando a atenção do empresariado do setor para buscarem a redução dos custos diretamente no processo de produção”, enfatiza o presidente do Sindiplast-ES, Neviton Helmer Gasparini.

Neviton complementa que o serviço de consultoria pode realizar a análise tarifária e orientar quanto à redução de perdas de calor em equipamentos e tubulações, correção do fator de potência, troca de motores, aquisição de novas máquinas, troca de lâmpadas, entre outros. “A atitude deve partir do próprio empresário através de um diagnóstico de eficiência energética e com investimentos para a redução do consumo”, finaliza o presidente do Sindiplast-ES.

Fonte: Sindiplast-ES

Curta nossa página no

Presidente do Simpesc destaca importância de Santa Catarina no setor de transformação de plásticos brasileiro

24/04/2014

 Estado tem mais de 900 empresas de transformação de resinas plásticas em produtos essenciais para a vida humana

simpescEm 2013 foram produzidas no Brasil 980 mil toneladas de produtos plásticos transformados, com um faturamento de R$ 12,2 bilhões, números que expressam a magnitude do mercado de plásticos no País.

E Santa Catarina tem um papel muito importante neste cenário, com mais de 900 empresas de transformação de resinas plásticas em produtos essenciais para a vida humana. O Estado é produtor de embalagens de alimentos, artigos de transporte, produtos para construção civil, autopeças, partes para produtos eletrônicos, eletrodomésticos, utilidades domésticas, produtos descartáveis etc..

“Em nossa mais recente medição chegamos a um número de 32 mil empregados diretamente nas fábricas. Certamente o setor emprega outro tanto indiretamente. Santa Catarina é o único estado em que o nível de produção per capita é equivalente ao de países desenvolvidos. A nossa diferença reside justamente no fato de termos grandes empresas em diversas sub-regiões, cada uma com sua especialidade: o Sul em descartáveis, o Norte em produtos para construção civil e peças técnicas e o Oeste em embalagens”, destaca o presidente do Sindicato da Indústria de Material Plástico no Estado de Santa Catarina (Simpesc) Albano Schmidt.

Santa Catarina também é apontada como celeiro de áreas promissoras para a indústria de transformação de plásticos. “Entendemos que ainda há espaço para crescimento em todas as áreas. Mas o que nos chama mais atenção são as autopeças, pois nosso Estado deve passar a ser em breve um pólo da indústria automobilística”, aponta Schmidt.

E é em Joinville, maior cidade do Estado que será realizada a oitava edição da Interplast, a principal feira do segmento plástico do Brasil realizada nos anos pares. Contará com mais de 500 marcas expositoras, abrangendo soluções e tecnologias nos segmentos de máquinas e equipamentos, transformadores, ferramentarias, embalagens, matéria-prima, periféricos, design e serviços, distribuídos em 21 mil m² de área.

Em paralelo à feira acontece o Cintec 2014 Plásticos – Congresso de Inovação Tecnológica -, organizado pela UniSociesc, e que reúne cerca de 400 congressistas em 20 palestras e seis minicursos.

A Interplast tem promoção e realização do Simpesc (Sindicato da Indústria de Material Plástico no Estado de Santa Catarina) e apoio da Abiplast (Associação Brasileira da Indústria do Plástico) e da Abimaq (Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos).

Fonte: Messe Brasil

Curta nossa página no

Produção de transformados plásticos cresce 6,74% em 2013

09/04/2014

Segundo o jornal O Estado de São Paulo, o segmento de transformados plásticos registrou um crescimento nominal de 6,74% em 2013 em comparação com 2012, atingindo uma produção de R$ 64,7 bilhões no ano. A expansão do segmento ficou abaixo dos 7,82% registrados por toda a indústria de transformação do País, cuja produção foi de R$ 2,072 trilhões. Com esses resultados, o segmento do plástico teve uma participação de 3,12% no setor de transformação. Os dados foram divulgados pela Associação Brasileira da Indústria do Plástico (Abiplast).

Apesar do crescimento da produção, o índice de produtividade do setor teve uma queda de 1,76% em 2013.  O nível de emprego subiu 1,4%, com 358 mil trabalhadores empregados.

Por sia vez, a balança comercial registrou um déficit de R$ 5,3 bilhões, mesmo com o aumento das exportações de plástico, que tiveram uma alta de 3,36% sobre 2012. As importações cresceram 3,39% em 2013, abaixo da média anual de 7%. Mesmo assim, a fatia de produtos importados no mercado pulou de 10,8%, em 2012, para 11,7% em 2013.  O percentual de produtos exportados ficou em 4,6%, um pouco acima dos 4,3% registrados em 2012. O consumo aparente registrou alta de 9% em termos nominais.

Fonte: Estado de São Paulo / Abiplast

Curta nossa página no

Abiplast divulga comunicado sobre acordo setorial para implementação do sistema de logística reversa de embalagens de produtos não perigosos

14/03/2014

A Abiplast divulgou ontem (13/03/14) sobre a implementação do sistema de logística reversa de embalagens, a qual é transcrita a seguir:

“Comunicamos que no dia 10 de março de 2014 foi entregue ao Ministério do Meio Ambiente – MMA, proposta do ACORDO SETORIAL adequada à negociação ocorrida em dezembro de 2013, que após análise pela equipe técnica do MMA será apresentada ao Comitê Orientador (CORI) e levada à Consulta Pública.

Esclarecemos que de acordo com a Lei nº 12305 de julho de 2010, regulamentada pelo Decreto nº 7404 de dezembro de 2010, é de responsabilidade dos fabricantes de embalagens, usuários de embalagens, importadores, distribuidores e comerciantes, a estruturação e implementação de sistemas de logística reversa para propiciar o retorno das embalagens após o uso pelo consumidor para reciclagem ou destinação ambientalmente adequada, de forma independente do serviço público.

Durante o ano de 2013 a Abiplast esteve em todos os Sindicatos Estaduais que solicitaram, apresentando o modelo de Acordo Setorial desenvolvido pela COALIZÃO EMPRESARIAL, da qual é participante, explicando os termos do Acordo e como a empresa produtora de embalagem plástica para produtos não perigosos, pode aderir e participar.

Neste momento, em que o Acordo Setorial caminha para a sua finalização, convocamos as empresas produtoras de embalagens plásticas para produtos não perigosos, que ainda não aderiram, que providenciem a sua ADESÃO ao Acordo por meio do Sindicato Estadual do qual são associadas.

Convocamos também as indústrias recicladoras de material plástico a contatarem o Sindicato ao qual estão filiadas/associadas a fim de conhecerem as ações do Sindicato e da Abiplast para a organização e valorização da indústria de reciclagem, pois com a implementação do Acordo Setorial acreditamos que esta indústria passará por grande modificação devido ao volume de material que será disponibilizado para a reciclagem.

Por fim, lembramos que a Adesão ao Acordo Setorial pelas empresas não é obrigatória, mas é obrigatório o cumprimento da Lei nº 12305/2010 e do Decreto nº 7404/2010 e o que os Sindicatos Estaduais e a Abiplast oferecem é uma forma de cumprir a legislação de forma mais simples, rápida, objetiva e com segurança jurídica.

José Ricardo Roriz Coelho
Presidente”

Fonte: Abiplast

Curta nossa página no

Sorteio de espaço na NPE2015 supera em muito os números da feira de 2012

14/03/2014

NPE2015 promete ser grande, dinâmica e repleta de máquinas em funcionamento

NPE2015-Space-Draw-OverviewAté o encerramento do sorteio de espaço da NPE2015 há duas semanas, as empresas expositoras tinham adquirido 39% a mais de estandes e 28% a mais de espaço de exposições do que no sorteio para a feira de 2012, anunciou hoje a SPI: The Plastics Industry Trade Association, que produz a feira trienal de plásticos da NPE.

As porcentagens são baseadas nos resultados recém-divulgados do Sorteio de espaço da NPE2015, que ocorreu nos dias 20 e 21 de fevereiro em Orlando, Flórida. Um ano antes da NPE 2015, o espaço de exposições vendido até o momento já totaliza 91% de todo o espaço ocupado na bem-sucedida feira de 2012.

Até o encerramento do Sorteio de espaço da NPE2015, os expositores tinham adquirido 1.054 estandes e 79.257 m2 líquidos de espaço, em comparação com os 758 estandes e 61.735 m2 no Sorteio de espaço da NPE2012. Dos dois imensos salões que compõem o Orange County Convention Center em Orlando, o West Hall agora está esgotado, assim como 70% do South Hall.

Além disso, há indícios fortes de que um número consideravelmente maior de maquinários será exibido em funcionamento do que na NPE2012. Mais de 300 expositores dizem que colocarão os equipamentos em funcionamento no pavilhão de exposições, e o número de estandes grandes obtidos até o encerramento do dorteio de espaço da NPE2015 — 235 deles com mais de 93 m2 — é outro sinal de que um grande número de máquinas será exibido e estará em funcionamento.

“A NPE2015 está no caminho de se tornar uma feira grande, movimentada e realmente incrível, com inúmeras descobertas aguardando pelos participantes”, disse Gene Sanders, vice-presidente sênior de feiras e conferências da SPI. “Muito do dinamismo no pavilhão de exposições será gerado por equipamentos em escala de produção em funcionamento por toda a parte, proporcionando muitas oportunidades para encontrar novas tecnologias de processamento sendo realmente utilizadas”.

Empresas internacionais também compareceram no Sorteio de espaço, respondendo por 28% dos espaços de exposições reservados, lideradas pela China, Canadá e Itália. Além disso, 14% das empresas que selecionaram espaços eram novas na NPE ou não fizeram exibições no evento de 2012.

“Ter o faturamento que tivemos de nossos expositores internacionais e de 2012, bem como o acréscimo de 140 novas empresas ao pavilhão são um bom sinal para a NPE2015, representando uma composição bastante diversificada de empresas que apoiam o setor de plásticos”, disse Brad Williams, diretor de marketing e vendas da SPI para feiras comerciais. “Estamos entusiasmados em poder trabalhar com tantas empresas com essa antecedência para apresentar coletivamente a NPE2015 aos setores que dependem de soluções em plásticos para o seu mercado”.

Fonte: Martino Communications / SPI

Curta nossa página no

Abiplast apóia Interplast e aponta os desafios da indústria de plásticos em 2014

11/02/2014

O desempenho da indústria de transformados plásticos em 2013, de maneira geral, foi positivo. Variáveis importantes como produção, exportação, emprego e investimento apresentaram aumento no ano. Contudo, o setor ainda revela desafios para 2014. A afirmação é da Abiplast, apoiadora da Feira e Congresso de Integração da Tecnologia do Plástico (Interplast), que será realizada de 18 a 22 de agosto, em Joinville/SC.

Segundo a entidade, a região Sul é estratégica para um evento como a Interplast porque concentra 27,6% das 11,7 mil empresas transformadoras de plástico brasileiras. São 3.226 empresas, que empregam mais de 94 mil pessoas, o que representa quase 5% do total de emprego gerado pela indústria de transformação na região.

“O setor de transformados plásticos é um importante fornecedor de produtos e soluções para praticamente todos os segmentos da economia brasileira. O fortalecimento desse setor passa pela solução de problemas horizontais da indústria, associados ao “custo Brasil”, e pela criação de um ambiente competitivo, com matérias-primas a preços competitivos e redução de distorções tributárias que afetam especificamente o setor”, defende José Ricardo Roriz Coelho, presidente da Abiplast.

Para apoiar o setor, a associação desenvolve ações estruturantes visando melhorar as condições de mercado com programas para qualificação de mão de obra, melhoria da gestão empresarial, incentivo à inovação e ações voltadas ao meio ambiente com participação ativa na Política Nacional de Resíduos Sólidos, no Acordo Setorial de Logística Reversa e na melhoria e estruturação do setor de reciclagem de plástico. “São ações que demandam mais apoio do Governo na análise da estrutura tributária brasileira para resolver assimetrias. Por conta do momento político, essa é uma agenda de longo prazo e  versa sobre equalizações tributárias, com a isonomia entre IPI de matérias-primas e produtos finais; a revisão da lógica tributária da atividade de reciclagem e a manutenção de condições de acesso a matérias primas a preços competitivos”, explica Coelho. A Abiplast desenvolve ainda ações para eliminar entraves que limitam a competitividade do setor de transformados plásticos.

Segundo o executivo, o processo de desindustrialização é uma realidade do setor industrial brasileiro e o transformado plástico também é afetado nesse processo. “O fato é que o crescimento da demanda brasileira por transformados plásticos, que no último ano cresceu em 8%, está sendo sistematicamente absorvida por importações. O coeficiente de importação de transformados plásticos, ou seja, o percentual da demanda brasileira atendida por importações está em 12% e cresceu 20% desde 2007. Já o déficit da balança comercial de transformados plásticos, aumentou 20% em 2013 em comparação com o ano anterior e se observarmos desde 2007 o déficit da balança hoje está três vezes maior”, diz.

Os desafios para 2014 envolvem o fortalecimento da indústria para que ela consiga atender a demanda nacional, que cresceu 8% em 2013. A busca pela competitividade também se tornou um desafio em meio a tantos fatores desfavoráveis de cunho estrutural, que só devem ser solucionados no longo prazo.

“2014 apresenta dois fatores extras que podem postergar o desenvolvimento da indústria plástica: a Copa do Mundo de Futebol no Brasil, que diminuirá os dias úteis de trabalho e as eleições que inibem decisões importantes na política industrial. Entretanto, o setor espera que a balança comercial, a produção e o faturamento aumentem em 2014. O setor alimentício e a produção de embalagens para esse segmento sempre é o mais representativo da indústria de transformados plásticos e a expectativa é de crescimento de 2,5% a 3,5% no consumo por essa indústria. Outro segmento expressivo é o da construção civil, que consome diversos componentes de plástico e estima crescer de 3,5% a 4% em 2014. Além disso, está em discussão o Plano Nacional de Saneamento que prevê aportes de aproximadamente R$ 25 bilhões/ano. Por fim, o setor automotivo, que não espera repetir o crescimento de 2013, porém o Programa Inovar-Auto representa uma grande oportunidade para fornecedores de peças e componentes automotivos plásticos”, finaliza.

Sobre a feira

A Interplast – Feira e Congresso de Integração da Tecnologia do Plástico – é a principal feira do segmento plástico do Brasil realizada nos anos pares. Em sua oitava edição, conta com cerca de 550 expositores abrangendo soluções e tecnologias nos segmentos de máquinas e equipamentos, transformadores, ferramentarias, embalagens, matéria-prima, periféricos, design e serviços.

Em paralelo à feira acontece o Cintec 2014 Plásticos – Congresso de Inovação Tecnológica -, organizado pela UniSociesc, e que reúne cerca de 400 congressistas a cada edição.

Simultaneamente à feira da indústria plástica ocorre a EUROMOLD BRASIL – Feira Mundial de Construtores de Moldes e Ferramentarias, Design e Desenvolvimento de Produtos -, viabilizada por meio de joint venture entre a Messe Brasil e a Demat, uma das mais representativas empresas privadas de organização de feiras da Alemanha. A estimativa é que as duas feiras gerem mais de R$ 500 milhões em negócios.

A Interplast tem promoção e realização do Simpesc (Sindicato da Indústria de Material Plástico no Estado de Santa Catarina) e apoio da Abiplast (Associação Brasileira da Indústria do Plástico) e da Abimaq (Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos).

Fonte: Assessoria de Imprensa – Messe Brasil

Curta nossa página no

Clariant lança Guia de Previsão de Cores para 2015

06/02/2014

Clariant_color_pallette_2015A Clariant, uma das empresas líderes mundiais em especialidades químicas, revelou seu nono guia de previsão de cores para a indústria de plásticos, o ColorForward™2015. A aclamada ferramenta anual elaborada pelo ColorWorks ™ da Clariant define as tendências que vão atrair a atenção das pessoas e estabelecer a paleta de tons para 2015. Foi desenvolvido com exclusividade para oferecer aos designers e fabricantes do setor uma vantagem inicial ao usarem o poder da cor para influenciar e orientar as decisões de compra dos consumidores.

“Como elemento natural, a cor possui o poder de transcender e traduzir influências culturais, políticas, religiosas e sociais. Como ferramenta, é capaz de comunicar emoções e histórias da forma mais sucinta possível. E, no mundo dos plásticos, a cor age como o fator ideal de promoção de marketing para direcionar as escolhas de compra dos consumidores no futuro”, comenta Judith van Vliet, Designer do ColorWorks Europa/IMEA.

As previsões de cores de ColorForward baseiam-se em intensa pesquisa sobre as mais influentes tendências sociais em todo o mundo. O processo criativo envolve apresentações aprofundadas dos centros ColorWorks em todo o mundo, onde são exploradas as tendências e influências regionais. Especialistas das principais organizações de análise de tendências do mundo e especialistas em cores de diversas indústrias de criação contribuem para o processo.

Para o ColorForward 2015, especialistas em cores, design, marketing e polímeros, representando diversas disciplinas de todo o mundo, reuniram-se no novo centro ColorWorks da Clariant em West-Chicago, IL, EUA, para identificar as tendências e desenvolver cores que melhor reflitam cada uma delas.

A paleta selecionada para 2015 inspira-se em quatro tendências sociais com potencial de exercer o maior impacto global no futuro próximo:

Tune In Space Out

Os estresses da vida cotidiana moderna, sobrecarregada pela tecnologia, resultaram em menos interações pessoais e mais relações virtuais, o que criou a intensa necessidade de se isolar do mundo.

O tédio está mais atraente, enquanto o silêncio é o mais alto luxo. A desintoxicação digital é o tônico rejuvenescedor. “Desconectar” força a interação com pessoas reais e nos reconecta à nossa identidade pessoal. Desconectar é conectar. Ser Internet-free é ter uma vida consciente; fazer a desintoxicação digital dos dedos e olhos, mente e alma. É belo viver e observar o que está ao nosso redor com calma. Em uma época em que a população da Terra usa os recursos de mais de quatro planetas, viver em Marte atualmente nos parece uma opção passível de consideração para o futuro da humanidade.

Live2Live

A atual geração anunciou a renovação. Até pouco tempo atrás , as pessoas viviam para trabalhar. Hoje, as pessoas querem mais da vida. Precisam ser mais criativas em tudo o que tocam e realizam. Desejam viver a vida. Um novo tipo de empreendedores, os “Empreendedores da Felicidade”, são intérpretes de uma abordagem rebelde contra o trabalho em cubículos. Preferem receber por suas habilidades, e não por seu tempo. Percebemos ainda que a tecnologia criou as bases para o sucesso da produção em pequena escala, pois ela permite que as pessoas sejam criativas e trabalhem com menos sobrecarga. Como fio condutor na abordagem da geração Y para todas as facetas da vida, o lúdico ganha importância cada vez maior na cultura diária. Seu significado é aplicar o pensamento dos jogos em contextos não relacionados aos jogos. As pessoas adoram ser recompensadas com pontos. O recém-descoberto otimismo da geração nascida no fim do milênio surge com o renascimento da empatia inovadora e é impulsionado por uma série de pensadores sociais, incluindo instigadores, que acreditam na beleza de uma atuação virtuosa e saudável.

Redefining Eden

Identidade. Expressão. Orientação. Biologia. Quatro dimensões que ajudam a traduzir em palavras convencionais o mais complexo espaço multidimensional já criado: o ser humano. Realmente faz sentido agrupar seres humanos em compartimentos rotulados, como animais selvagens em jaulas no zoológico? Realmente traz algum benefício aos seres humanos esperar que cada um de nós se encaixe em um esquema preconcebido e convencional, rejeitando a aceitação da natureza humana como uma coleção de infinitos matizes dentro do conceito de uma Pessoa? Uma Pessoa é uma Pessoa. Um ser humano que deve ser considerado como um indivíduo que vai além dos limites criados por culturas predominantes e egoístas, produzidas pelo homem, que foram artificialmente construídas ao longo dos séculos e estão alheias à Natureza que permeia a liberdade. Os rótulos são geralmente interpretados com o único objetivo de preservar e perpetuar a si mesmos e a seus respectivos poderes e interesses subjacentes.Os rótulos acabaram.

Raw

Em reação ao modo de vida superprotegido do terceiro milênio e movidas por tecnologias refinadas, processos refinados, comida refinada e atividade física refinada, um número cada vez maior de pessoas está optando por um retorno à noção original do seu estado primitivo. As pessoas estão ficando mais severas e resistentes. Estão buscando, dentro de si, poder e força de caráter. Procuram fazer parte da natureza, onde a sobrevivência do mais adaptado é a chave. Estamos observando uma liberação controlada da raiva. Sangue e feridas são os novos distintivos da coragem. A consequência natural da popularidade das rotinas de saúde física e esportes extremos é a emergência dos produtos de consumo “ extremos”, cujo início se deu na indústria de bebidas. Os consumidores não querem mais o “normal”;  querem uma variedade maior de bens “extremos”. Os alimentos são vistos como combustíveis para fornecer mais força e resistência e nos ajudar a alcançar nossos objetivos.

Os Produtos Clariant Masterbatches são comercializados sob as seguintes marcas globais: REMAFIN® (masterbatches e compostos olefínicos); RENOL® (masterbatches e compostos à base de resinas de engenharia, estirenos e PVC); MEVOPUR® (masterbatches para aplicações médicas e farmacológicas); CESA® (masterbatches aditivos); HYDROCEROL® (agentes químicos de nucleação e espumantes); OMNICOLOR (masterbatches de cores universais), e ENIGMA® (efeitos especiais); HIFORMER, o sistema de masterbatches líquidos.

Fonte: Clariant

Curta nossa página no

Simplás busca aproximação entre empresas e fiscalização do trabalho

04/02/2014

Encontro na sede do sindicato permite esclarecimentos durante entrega de documentação

Simplas_cipa

Presidente do Simplás, Jaime Lorandi, gerente do Ministério do Trabalho Vanius Corte e procurador do Ministério Público do Trabalho Ricardo Garcia (da esquerda para a direita)

A idéia levada à prática pelo Sindicato das Indústrias de Material Plástico do Nordeste Gaúcho (Simplás) parece simples, mas busca inverter um paradigma histórico: propor um ambiente favorável para aproximar e distensionar as relações entre setor produtivo e órgãos governamentais de fiscalização do trabalho. Experiência bem sucedida ocorreu na quinta-feira (30), quando a Câmara de Indústria, Comércio e Serviços (CIC) de Caxias do Sul serviu de ponto de encontro entre empresas, Ministério Público do Trabalho (MPT) e Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), para entrega de documentação e busca de esclarecimentos em torno das Comissões Internas de Prevenção de Acidentes (CIPAs). As duas reuniões, pela manhã e à tarde, ainda tiveram participação de representantes do Serviço Social da Indústria (SESI) e do Centro de Referência Regional em Saúde do Trabalhador (Cerest).

Em função dos índices de acidentes de trabalho em Caxias do Sul, MPT e MTE passaram a notificar organizações de diversos segmentos, com o intuito de verificar e orientar a implementação e funcionamento das CIPAs. A iniciativa conta com respaldo do Simplás.

“Apoiamos o diálogo porque a responsabilidade social faz parte dos princípios do sindicato. Precisamos ter cuidado com as pessoas em nossas empresas. Então, apoiamos a responsabilização de uma CIPA mais eficiente. Isso é humanismo: todos preocupados com todos. Vai além de simplesmente cumprir a lei. Temos de trabalhar uma cultura de compromisso e conscientização coletivos”, afirma o presidente Jaime Lorandi.

Os encontros facilitam a troca de esclarecimentos e informações de documentação entre empresas e agentes do governo, a fim de que as CIPAs sejam não apenas implementadas, mas efetivamente operacionalizadas nas organizações.

“Já vimos muitas atas de reuniões de CIPA com registro de atividades praticamente em branco, em que havia só data e assinatura dos presentes. Isso precisa mudar. Estamos muito preocupados com os acidentes de trabalho e o absenteísmo por motivo de saúde aqui em Caxias. Por isso essa chamada às empresas”, explica o procurador do Trabalho Ricardo Garcia.

Garcia revela que todas as organizações com mais de 19 funcionários serão notificadas gradualmente, ao longo de todo ano, independentemente do ramo de negócio. “Vamos conversar até com os hospitais, por exemplo”.

De acordo com o procurador, em cada caso, a partir da entrega de um bloco de cerca de 20 documentos, será estabelecido um cronograma de trabalho. A primeira etapa será de adequação às exigências da Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT) no que tange à prevenção de acidentes. Só depois surge a possibilidade de autuação.

“Este momento não é punitivo, mas de conscientização. De uma mudança de cultura. As pessoas não vão mais assumir postos só pela busca de estabilidade, mas por responsabilidade com os demais”, conclui o presidente do Simplás, Jaime Lorandi.

Sobre o Simplás

O Sindicato das Indústrias de Material Plástico do Nordeste Gaúcho (Simplás) representa aproximadamente 500 empresas de transformação que geram mais de 13 mil empregos diretos em oito municípios (Caxias do Sul, Coronel Pilar, Farroupilha, Flores da Cunha, Garibaldi, Nova Pádua, São Marcos e Vale Real), com estimativa de faturamento anual superior a R$ 3 bilhões. Em um raio de 50 quilômetros, a área de abrangência do Simplás apresenta a maior concentração de indústrias de transformação de plástico do Brasil.

Fonte: Simplas / Foto: Pauline Gazola

Curta nossa página no

Inscrição para o sorteio de espaços de exposição na NPE 2015 tem participação maciça de empresas do setor

21/01/2014

Zbyszko Tabernacki, proeminente economista, discutirá o panorama de negócios global no sorteio que, segundo informa a SPI, atrairá representantes de 950 empresas expositoras

NPE2015-LogoO número de empresas expositoras que estarão reunidas no mês que vem em Orlando, Flórida, para a seleção de estandes na feira de plásticos NPE2015 excederá muito o total presente no sorteio da NPE2012, e a expectativa é que essas empresas devem se comprometer com cerca de 15% mais espaço do que o ocorrido no Sorteio de espaço de 2012, segundo as projeções da SPI: The Plastics Industry Trade Association, que realiza a NPE a cada três anos.

Mais de 800 empresas já se inscreveram para participar do Sorteio de espaço da NPE2015, a ser realizado entre 19 e 21 de fevereiro de 2014 no Rosen Shingle Creek Resort em Orlando. A SPI espera que até o evento de Sorteio de espaço, mais de 950 estarão inscritas. A projeção é que elas reservem mais de 74.300 metros quadrados de espaço. Em comparação, 661 empresas participaram do sorteio da NPE2012 e a quantidade total de espaço selecionado até o fechamento do evento foi de 61.736 metros quadrados.

“A procura maciça por empresas que desejam expor na NPE2015 é um reflexo do panorama positivo do setor de plásticos nas Américas, favorecido pelo aumento da força da economia, do ‘reforço’ do setor de fabricação e da explosão da produção local de petróleo e gás natural” declarou Gene Sanders, vice-presidente sênior de feiras comerciais e conferências da SPI. “Os inscritos no Sorteio de espaço da NPE2015 dizem que também foram motivados pelo sucesso da NPE2012, além do aumento dos investimentos em marketing da SPI e de nosso foco cada vez maior nos clientes de setores de produtos para o consumidor, como o automotivo, produtos para construção, eletrônicos, saúde e embalagens.”

O panorama do setor de plásticos será o assunto de uma palestra realizada por Zbyszko Tabernacki, vice-presidente do IHS Country and Industry Research and Forecasting group (www.ihs.com) aos participantes do Sorteio de espaço da NPE2015. Tabernacki é um renomado especialista em risco-país, economia global e finanças. Ele dirige uma equipe global de 165 analistas de país e economistas em oito escritórios localizados em cinco continentes. Sua equipe é responsável pela cobertura diária, análise e previsões de ocorrências políticas, econômicas e de segurança para 204 países.

O Sorteio de espaço da NPE2015 está aberto aos expositores em perspectiva, que podem se inscrever em http://www.npe.org/spacedraw. A posição das empresas na ordem de escolha do espaço será baseada na data em que suas inscrições e pagamentos foram recebidos.

A NPE é uma exposição internacional de plásticos que ocorre a cada três anos e é realizada e de propriedade exclusiva da SPI: The Plastics Industry Trade Association (A Associação Comercial do Setor de Plásticos) dos EUA. A NPE2015 ocorrerá de segunda a sexta-feira, 23 a 27 de março de 2015, no Orange County Convention Center em Orlando, Flórida. A NPE2012 teve 1.933 expositores, 40% dos quais eram de fora dos EUA. O evento atraiu 55.359 participantes, 26% dos quais visitantes internacionais.

Fonte: NPE / Martino Communications

Curta nossa página no

Interplast 2014 já tem 70% dos espaços comercializados

13/01/2014

Interplast_2012Feira será realizada de 18 a 22 de agosto de 2014, em Joinville/SC

Há sete meses de sua realização, a Interplast 2014 – Feira e Congresso de Integração da Tecnologia do Plástico – já tem 70% dos espaços comercializados. Entre os expositores internacionais, destaque para Portugal, França, Alemanha, China e Taiwan.

Em sua oitava edição, a Interplast, que será realizada de 18 a 22 de agosto de 2014, em Joinville/SC, é a principal feira do segmento plástico do Brasil realizada nos anos pares. Tem uma média de 550 expositores, abrangendo soluções e tecnologias nos segmentos de máquinas e equipamentos, transformadores, ferramentarias, embalagens, matéria-prima, periféricos, design e serviços, distribuídos em 21 mil m² de área.

Na última edição, recebeu 28 mil visitas de 23 estados brasileiros e 24 países, em sua maioria profissionais da indústria plástica, seguido dos segmentos automotivo, eletrônico, eletroeletrônico, eletrodomésticos, construção civil, energia, petroquímico, engenharia, transportes e logística, fundição, entre outros.

Em paralelo à feira acontece o Cintec 2014 Plásticos – Congresso de Inovação Tecnológica -, organizado pela UniSociesc, e que reúne cerca de 400 congressistas a cada edição.

A EUROMOLD BRASIL – Feira Mundial de Construtores de Moldes e Ferramentarias, Design e Desenvolvimento de Produtos -, ocorre pela segunda vez simultaneamente à Interplast, viabilizada por meio de joint venture entre a Messe Brasil e a Demat, uma das mais representativas empresas privadas de organização de feiras da Alemanha.

A estimativa é que as duas feiras gerem mais de R$ 500 milhões em negócios. “Estamos percebendo uma procura maior das empresas expositoras em função da criação de um pólo automotivo na região”, aponta Richard Spirandelli, diretor da Messe Brasil.

A Interplast tem promoção e realização do Simpesc (Sindicato da Indústria de Material Plástico no Estado de Santa Catarina) e apoio da Abiplast (Associação Brasileira da Indústria do Plástico) e da Abimaq (Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos).

Fonte: Messe Brasil

Curta nossa página no

SPI americana nomeia Montesino Tech. como representante da feira NPE 2015 na América Latina

20/12/2013

NPE2015-LogoA SPI, Associação da Indústria do Plásticos dos EUA (www.plasticsindustry.org), nomeou a Montesino Technologies, Inc. como representante de vendas da NPE2015 na América Latina, conforme anunciou hoje Brad Williams, diretor de marketing e vendas da SPI.

Promovida pela SPI, a NPE2015 ocorrerá dos dias 23 a 27 de março de 2015 em Orlando, Flórida. A Montesino é responsável pelas vendas de espaço de exposição para empresas da América Latina e por dar suporte ao programa da SPI, com o objetivo de atrair mais visitantes da região do que os que participaram da NPE em 2012, na qual houve participação recorde de latino-americanos.

“A SPI espera um aumento ainda maior na participação de expositores e participantes da América Latina na NPE2015, graças ao forte crescimento do setor de plásticos em muitos países da região”, afirmou Williams. “A ampla experiência da Montesino no atendimento de clientes do setor de fornecimento de plásticos e matérias-primas na América Latina nos ajudará a compreender e atender melhor este valioso segmento do público da NPE, o que permitirá que ofereçamos a eles uma experiência ainda melhor na exposição.”

Fundada em 1996, a Montesino atua como consultora e representante de fabricantes, com experiência específica em produtos da área da saúde e de embalagens de plástico. Grande parte de seu trabalho se concentra em mercados da América Latina. Além de sua sede mundial localizada em Wilmington, Delaware, EUA, a empresa tem uma sede regional no Brasil. A Montesino oferece aos clientes informações sobre a NPE no idioma de sua preferência: espanhol, português ou inglês.

O líder da equipe de vendas da América Latina para a NPE2015 é Peter Schmitt, diretor executivo da Montesino (peter.schmitt@montesino.com), trabalhando em conjunto com Migna Liz Vega-Morales (mignaliz.vega@montesino.com). É possível contatá-los pelo número +1-302-888-2355 ou pelo e-mail npe@montesino.com.

Para obter detalhes sobre a NPE2015 e se inscrever como participante ou reservar espaço para a feira, visite o site www.npe.org.

A NPE é uma exposição internacional de plásticos que ocorre a cada três anos e é realizada e de propriedade exclusiva da SPI: The Plastics Industry Trade Association (A Associação Comercial do Setor de Plásticos) dos EUA. A NPE2015 ocorrerá de segunda a sexta-feira, 23 a 27 de março de 2015, no Orange County Convention Center em Orlando, Flórida. A NPE2012 teve 1.933 expositores, 40% dos quais eram de fora dos EUA. O evento atraiu 55.359 participantes, 26% dos quais visitantes internacionais.

Fundada em 1937, a SPI: The Plastics Industry Trade Association promove o crescimento no setor de plástico dos EUA, avaliado em US$ 380 bilhões. Representando quase 900 mil trabalhadores americanos no terceiro maior setor de fabricação dos EUA, a SPI fornece aconselhamento jurídico, pesquisas de mercado, promoções da indústria e o estímulo a relações comerciais, além de estratégias de desperdício zero. Desde fornecedores de resina e fabricantes de equipamentos a processadores e proprietários de marcas, a SPI representa todas as facetas do setor de plásticos dos EUA. A SPI também é proprietária e produz a feira comercial NPE. Todos os lucros da NPE são reinvestidos nos serviços da SPI à indústria. Encontre a SPI on-line nos sites http://www.plasticsindustry.org e http://www.inthehopper.org.

Fonte: SPI / Martino Communications

Curta nossa página no

Prêmio de Inovação Automotiva da SPE destaca colaboração do fornecedor de matérias-primas no desenvolvimento de equipamentos originais

11/12/2013

Os materiais da SABIC – Innovative Plastics ajudaram o Grupo Chrysler, a Ford, a Nissan e a Volkswagen a ganhar destaque no 43o. Prêmio Inovação Automotiva da Sociedade de Engenharia de Plásticos (SPE), a mais tradicional e mais importante competição das indústrias automotiva e de plásticos. As aplicações ganhadoras dos prêmios por categoria incluíram o Grupo Chrysler (carroceria interna e painel de instrumento do Jeep Cherokee 2014MY) e a Ford (chassis/hardware, para-choque dianteiro absorvedor de energia do Fusion/Mondeo 2014MY). O uso de materiais específicos e o suporte oferecido pela SABIC aos diferentes projetos possibilitaram que cada um desses atendesse as necessidades variadas, como a redução de peso, a liberdade de estilo e a conformidade com as normas de proteção de pedestres. Cada um dos programas premiados destaca o valor da estreita colaboração em toda a cadeia de valor para o impulsionamento da inovação. Eles também destacam o poder de resolução de problemas da ampla gama de soluções de resinas termoplásticas da SABIC, além da colaboração no projeto da empresa e o suporte de engenharia.

Os clientes do setor automotivo da SABIC têm desfrutado da rica história de sucesso nesta competição. Desde 2008, as aplicações automotivas com materiais e suporte da SABIC produziram 10 vencedores do Prêmio de Inovação Automotiva SPE e 16 aplicações adicionais foram indicadas como finalistas. Os finalistas deste ano com aplicações moldadas a partir de materiais da SABIC incluem o sistema de teto panorâmico totalmente retrátil do Lincoln Sedan de Luxo MKZ 2014MY da Ford, as janelas laterais de policarbonato transparente do híbrido plug-in a diesel XL1 2013MY da Volkswagen e o sistema de bateria do veículo elétrico LEAF 2013MY da Nissan.

“Estamos mais uma vez felizes em ver as aplicações dos nossos clientes sendo indicadas como as principais inovações da indústria”, disse Scott Fallon, gerente geral de automotivos do negócio Innovative Plastics da SABIC. “É gratificante exercer a função de facilitador e ajudar nossos clientes a determinarem a combinação ideal de projeto, processos e materiais que dão vida a estas inovações. Estamos orgulhosos por fazermos parte desses prêmios e estamos ansiosos para avançarmos ainda mais junto com nossos clientes no futuro”.

Grupo Chrysler obtém o primeiro lugar em carroceria interna

SabicEste é o segundo prêmio concedido pela SPE para o painel de instrumentos (IP) do Jeep Cherokee 2014MY, o primeiro foi alcançado na Conferência de Poliolefinas de Engenharia Automotiva (TPO) realizada o mês passado em Detroit.

As peças moldadas em resina de poliolefina são de 2,5 a 4 mm o que significa que as peças são mais pesadas ​​e apresentam ciclos de moldagem longos. A utilização da resina STAMAX™ 30YK270 da SABIC ajudou na redução da espessura para 2,0 mm reduzindo o peso e oferecendo um ciclo de tempo até 30 por cento menor.

O IP foi projetado especificamente com resina STAMAX para reduzir a espessura da peça sem sacrificar o desempenho de impacto e resistência, os principais atributos do material de polipropileno reforçado com fibra de vidro longa. O fato de se utilizar de menos material na produção resulta em uma peça de parede fina que economiza milhões de libras de plástico durante a vida do programa.

Os especialistas automotivos da SABIC forneceram assistência de engenharia e apoio técnico significativo durante todo o programa, inclusive em modelagem avançada orientada para fibra, para reduzir o empenamento durante o desenvolvimento do produto e projeto dos moldes. O fornecedor neste estágio foi a Intertec System. A Windsor Mold Systems foi a produtora da ferramenta.

Ford  procurou atender às Exigências de Desempenho de Vanguarda em todos os mercados globais

Sabic_2A Ford levou para casa o prêmio na categoria Chassis/Hardware por seu projeto de absorvedor de energia (EA) do para-choque frontal de peça única, com flexibilidade de ajuste suficiente para atender às exigências dos concorrentes que existem no mercado global. A Ford, trabalhando com a Magna Exteriors and Interiors e a SABIC, escolheu a resina XENOY™ 1103, uma mistura de policarbonato (PC) /tereftalato de polibutileno (PBT) para esta peça única dos veículos Fusion and Mondeo 2014MY. A resina XENOY proporciona excelente absorção de energia no momento do impacto, com a necessária rigidez, e mantém a sua integridade estrutural em uma ampla gama de temperaturas. A flexibilidade do projeto foi obtida com o ajuste dos recursos da espessura e geometria do material na peça moldada por injeção, conforme apropriado, para atender as diferentes necessidades do mercado regional.

Além de cumprir sua função fundamental na absorção da energia de impacto com sua resistência estrutural superior, este sistema absorvedor de energia reduz a complexidade de projeto, fabricação e montagem. O conceito de projeto global de peça única elimina a necessidade de diferentes materiais para absorverem impacto, vigas e fáscias para para-choques para atender as exigências de impacto em diferentes países. Feita a partir de material plástico leve da SABIC, o absorvedor de energia é 40 por cento mais leves e 10 por cento menos dispendioso do que a peça feita em aço. A peça é 20 por cento mais leve que os absorvedores de energia à base de polipropileno mais grosso. Essa economia de peso contribui para uma melhor economia de combustível.

Aplicações finalistas da Ford, Nissan e Volkswagen impressionam

Os materiais e suporte da SABIC também estavam presentes nas seguintes aplicações finalistas:

·         O Sedan de luxo Lincoln MKZ 2014MY com o sistema de teto panorâmico totalmente retrátil e na categoria Chassi Externo: A Ford usou a resina LEXAN™, um material de PC para painéis de guarnição deste teto retrátil, com substituição do acrílico para conseguir o aprimoramento no desempenho contra arranhões/estragos e na estabilidade dimensional.

·         Veículo elétrico LEAF Nissan 2013MY Nissan LEAF veículo elétrico, bateria, categoria Sistemas Elétricos: A Nissan escolheu a resina NORYL™ N1150, um material de éter de polifenileno modificado (MPPE) para utilização nos principais componentes de seu sistema de bateria Lítio-Ion. Uso da resina NORYL permitiu à Nissan reduzir o peso das peças em até 20 por cento. A alta temperatura da resina e a estabilidade dimensional de longo prazo lavaram ao aprimoramento significativo na qualidade da peça e permitiram a produção de baterias mais estáveis no sistema de montagem automotiva Nissan.

·         Híbrido plug-in a diesel XL1 Volkswagen 2013MY, janelas laterais, categoria Carroceria Externa: As janelas laterais, o único conjunto de seu tipo na indústria atualmente, são produzidas através de uma solução moldada por injeção em duas etapas que usa a tecnologia de revestimento por plasma EXATEC™ da SABIC em resina LEXAN e resina CYCOLOY™, um material de PC/ABS (acrilonitrila-butadieno-estireno). Estas soluções reduzem o peso das janelas laterais em 33 por cento versus as soluções convencionais em vidro, além de proporcionar aparência de alta qualidade óptica, superfície resistente a arranhões, características aerodinâmicas que ajudam a melhorar a economia de combustível, isolamento térmico aprimorado e redução do embaçamento. A SABIC apoiou totalmente no desenvolvimento das aplicações da Volkswagen, desde o projeto de engenharia até a e produção das janelas laterais.

Fonte:  SABIC

Curta nossa página no

ABIPLAST apresenta resultados do setor de plásticos em 2013

06/12/2013

AbiplastEm coletiva realizada em 02/12, o presidente da ABIPLAST, José Ricardo Roriz Coelho, apresentou a pesquisa “A Indústria de Transformados Plásticos – Desempenho 2013 Expectativas para 2014”, que tem como fonte o IBGE: PIM-PF e PIA, Sistema AliceWeb / MDIC e RAIS/MTE, com estimativas da ABIPLAST.

De acordo com os números, projeta-se que a produção física de transformados plásticos registrará crescimento de 1,6% em 2013 em relação ao anterior. Quando analisados os segmentos, laminados apresentarão a maior expansão, de 8,3% na mesma comparação. O levantamento mostra ainda a análise trimestral, revelando que o segundo trimestre de 2013 será o mais favorável ao setor, com a produção de 1,745 milhão de toneladas.

Analisando a produção em valores, a pesquisa aponta o crescimento de 8,6%, na comparação 2012-2013, saindo de R$ 56,4 bilhões para R$ 61,3 bilhões. No que diz respeito ao consumo aparente de transformados plásticos, o aumento projetado é de 9,1%, ou seja, de R$ 60,8 bilhões foi para R$ 66,3 bilhões.

Em relação ao comércio internacional, o setor deverá exportar 7% a mais quando comparado com o ano anterior, com 255 mil toneladas, e importará 3% acima do registrado em 2012, ou um total de 731 mil toneladas. Desse modo, o saldo da balança comercial de transformados plásticos permanece deficitário, ultrapassando R$ 5 bilhões – um valor 14,7% maior que em 2012.

Espera-se que os investimentos tenham crescimento de 4,8% na comparação com o ano anterior, totalizando R$ 1,97 bilhão. Já o nível de emprego no setor de transformados plásticos terá alta de 2,2% ou o total de 7.600 postos de trabalho gerados em 2013.

O presidente Roriz também falou sobre as ações e iniciativas empreendidas pela ABIPLAST ao longo de 2013, como a internacionalização da FEIPLASTIC 2013, principal feira do setor, a ampliação das linhas de financiamento para o setor e a realização do 3º Seminário “Competitividade: O Futuro Perfil da Transformação Brasileira de Plástico”. Destaca-se nesse âmbito a agenda de competitividade apresentada ao Governo Federal e a atuação decisiva da entidade na definição da Política Nacional de Resíduos Sólidos.

Ao abordar as perspectivas para o setor de transformados plásticos para 2014, Roriz anunciou a projeção de crescimento de 1,8% na produção física, um aumento nominal de 8% e real de 2% na produção em valor, e o crescimento de 9% no consumo aparente de transformados plásticos.

Fonte: Abiplast

Curta nossa página no