Posts Tagged ‘Higiene e Limpeza’

Braskem, Biowash e Greco e Guerreiro firmam parceria para lançamento de embalagens feitas com plástico de origem renovável e resina pós-consumo

25/12/2019

A mistura de resinas utilizada na solução para produtos de limpeza reduz em até 168% as emissões de CO2, um dos gases causadores do efeito estufa, afirma a Braskem

Empenhada em impulsionar o conceito de economia circular também no segmento de embalagens, uma das principais áreas de atuação da Braskem, a companhia anuncia mais uma parceria para alavancar o desenvolvimento de soluções sustentáveis. A partir de agora, as embalagens dos produtos de 1 e 5 litros da empresa brasileira Biowash , pioneira no desenvolvimento de produtos de limpeza naturais e 100% biodegradáveis, passam a ser produzidas a partir da mistura de plástico renovável, feito à base da cana-de-açúcar , e resina pós-consumo (PCR).

“A iniciativa reforça um movimento em prol da economia circular, importante para a Braskem, e que depende muito do trabalho em conjunto com nossos clientes, parceiros, e da sociedade de uma forma geral. Por isso, estamos buscando cada vez mais parcerias para o desenvolvimento de novas soluções que atendam às tendências de mercado, considerando importantes pontos como a seleção prévia de matéria-prima, o design e o retorno do produto ao ciclo produtivo por meio da reciclagem”, explica Rafaela Baldin, responsável pelo projeto com o cliente.

Reforçando a importância do trabalho em conjunto, a parceria conta ainda com participação do transformador Greco e Guerreiro , responsável pela produção e fornecimento das novas embalagens sustentáveis a Biowash. Os frascos, encontrados nos multiusos concentrados, lava-roupas e lava-louças, passam a conter 60% de plástico de origem renovável da Braskem e 40% de resina PCR, oriunda da reciclagem de produtos plásticos.

Segundo a Braskem, como mais da metade da composição dos frascos contém plástico de origem renovável I’m green bio-based, que captura gás carbônico, um dos principais causadores do efeito estufa, a solução captura 6,30 toneladas de CO2 ao ano, ou seja, uma redução de até 168% de emissões atmosféricas na comparação com as embalagens convencionais. O volume de CO2 capturado por ano pelo produto também é seis vezes maior que a quantidade de gás carbônico absorvido por mil mudas de árvores cultivadas ao longo de dez anos, segundo a Braskem.

E por também incluir em sua composição a resina pós-consumo, a embalagem se torna ainda mais sustentável, contribuindo para que itens plásticos sejam reciclados e se tornem matéria-prima para uma nova utilização na cadeia produtiva. “O uso de 40% de PCR natural agrega maior sustentabilidade à embalagem e ao mesmo tempo traz o impacto visual, sem o uso de pigmentos, fazendo a diferença no ponto de venda. O esforço conjunto, a conscientização, a inclusão do trabalho de catadores e cooperativas e o foco em economia circular agregam todos os valores que norteiam o trabalho da Greco e Guerreiro nesta trajetória de 30 anos de mercado” ressalta Marcelo Guerreiro Mason, head de Sustentabilidade da empresa.

Segundo a Biowash, a parceria vai muito além do seu constante compromisso com a qualidade e respeito ao meio ambiente. “Este é o primeiro passo da Biowash na entrega de embalagens sustentáveis, mas ainda contamos com o consumidor para fazer a sua parte, destinando sempre os frascos a reciclagem”, ressalta Becky Weltzein, sócia-diretora da empresa.

“A embalagem endereça importantes questões, como a segurança do produto final, mas também é a cara da marca e reforça a sua identidade para o mercado e para o consumidor, por isso acreditamos que as parcerias neste segmento nos ajudam a levar uma mensagem mais positiva a sociedade. Sobretudo, acreditamos que o engajamento da cadeia de valor nos ajuda a seguir com o nosso propósito, que é melhorar a vida das pessoas criando soluções sustentáveis da química e do plástico, como as novas embalagens da Biowash”, finaliza Baldin.

A Biowash, fundada em 1981, é pioneira na fabricação de produtos de limpeza 100% naturais. Atualmente, a empresa conta com 24 itens. Todos biodegradáveis, veganos, base vegetal e com a importante certificação IBD e o selo Empresas BT. Conta ainda com produtos destinados a pessoas alérgicas, oferecendo produtos dermatologicamente testados e hipoalergênico.

A Greco e Guerreiro conta com mais de 800 funcionários entre todas as suas planta fabris, transformando 60 milhões de frascos soprados por mês. Fundada em 1990 na cidade de Morungaba, no interior de São Paulo, a empresa é referência em uso de material reciclado pós consumo e signatária do Global Commitment, iniciativa da Fundação EllenMacArthur e ONU Meio Ambiente. Com unidades de Sopro PEAD e PET, injeção, envase de líquidos e transportadora; o grupo atua nos segmentos de Higiene e Limpeza, Alimentício, Farmacêutico, Hospitalar e Automotivo.

Curta nossa página no

Dow realiza evento sobre soluções para embalagens

24/09/2012

Especialistas em embalagens flexíveis, produtos higiênicos, varejo e logística se reuniram para avaliar demandas, tendências e oportunidades

A divisão de Plásticos de Performance da Dow acaba DE apresentar para clientes e parceiros novas soluções para embalagens flexíveis, com destaque para os setores de alimentos, cuidados com pessoas, unitização e higiene. Numa nova proposta de discussão, a empresa reuniu os convidados em um Seminário Técnico para debater as melhores aplicações e produtos para cada etapa da cadeia. “Para desenvolver soluções que funcionam, queremos unir às nossas tecnologias a expertise do convertedor, que é especialista em produzir o melhor filme, e do brand owner, que conhece as necessidades do consumidor”, explica Axel Labourt, diretor de vendas da Dow para o Brasil.

Um painel com especialistas das áreas de embalagens, produtos higiênicos, varejo e logística abriu o evento. Bruno Pereira, gerente de soluções para embalagem da área de Plásticos de Performance para América Latina da Dow; Wilson Palhares, diretor da Bloco de Comunicação, que edita a revista Embalagem e Marca; Carlos Richer, consultor de benchmarking de desempenho de fraldas; Ricardo Pastore, professor e coordenador do Núcleo de Estudos e Negócios do Varejo da Escola Superior de Propaganda e Marketing; e Marco Aurelio Prometti, responsável pela cadeia de suprimentos de perecíveis e regional centro oeste do Grupo Pão de Açúcar conduziram a discussão sobre as tendências no abastecimento de alimentos, o crescimento do consumo de fraldas descartáveis, sustentabilidade na cadeia, oportunidades e desafios. “A indústria consumidora espera por soluções inovadoras. Com a embalagem podemos trazer uma alternativa como a portabilidade de uma fruta, por exemplo, e as marcas poderão oferecer para seus clientes uma nova forma de consumir o produto, atendendo às demandas de praticidade, saudabilidade, barreira e melhor shelf life. É importante conversarmos para saber como trabalhar de forma integrada”, afirma Bruno Pereira.

Com a troca de informações, durante o evento pode-se observar que o comportamento do consumidor está mudando também no setor de higiene para produtos absorventes, como fraldas e absorventes feminino. “O crescimento e envelhecimento da população, aliados à elevação do poder econômico e baixa penetração destes produtos no Brasil vem contribuindo para a busca de soluções diferenciadas para atender aos novos e usuais consumidores, o que revela para a companhia um mercado com muito potencial de crescimento”, detalha Letícia Jansen, diretora de marketing de Higiene e Medicina da Dow. Entre as soluções apresentadas durante o seminário, a resina de fibra ASPUNTM para a fabricação de não-tecido mono spun bond foi um dos destaques da área de Higiene, apresentado por Thomas Allgeuer, cientista sênior da Dow. O não-tecido produzido com ASPUN confere uma suavidade excepcional comparada à tecnologia ofertada atualmente, o que se traduz em maior conforto, maciez e extensibilidade para produtos absorventes.

Entre as soluções inovadoras na área de embalagens para alimentos a Dow apresentou: filmes que combinam rigidez e transparência, que são uma nova alternativa para substituir filmes de cPP e BOPP; e estruturas 100% polietileno para termoformagem flexível, que possibilitam o crescimento desse tipo de embalagem em diversos mercados. Para oferecer embalagens ainda mais leves, o destaque foi a tecnologia de Microfoaming (microespumado) que possibilita filmes com mesma espessura e menor peso, gerando mínimos impactos em propriedades mecânicas. Outra solução patenteada pela Dow ressaltada no evento foi o Stand Up Pouch 100% Polietileno (PE) e para finalizar os destaques da área de embalagens para alimentos foram mostrados os conceitos para melhorar o controle na variação de CoF (Coeficiente de Fricção).

A unitização foi o tema que fechou o evento, compilando as necessidades e oportunidades de todos os setores. “É preciso trabalhar de forma correta e eficiente para se atingir o melhor resultado. Cargas mal paletizadas causam prejuízos enormes. A Dow oferece a resina adequada para cada aplicação, mas não adianta ter o melhor filme se ele não for bem aplicado na paletização. Por isso, é fundamental a orientação e a cooperação entre toda a cadeia de valor”, resume Eduardo Ruiz, técnico especialista para Plásticos de Performance do Dow.

Fonte: Dow

Curta nossa página no