Posts Tagged ‘Gás Natural’

BASF avalia investimento em planta de propeno a partir de gás natural nos Estados Unidos

06/05/2014
  • Complexo de propeno em escala mundial à base de metano na costa do golfo os EUA
  • Integração mais forte na América do Norte

 A BASF está avaliando um investimento em escala mundial em um complexo industrial para obtenção de propeno a partir do metano, na Costa do Golfo, nos EUA . A produção de propeno para suprir as operações norte-americanas da BASF permitiria à empresa aproveitar os baixos preço do gás, devido à produção de gás de xisto nos EUA, melhorando consideravelmente seus custos atuais. Este seria o maior investimento em uma planta única da BASF até o momento.

A BASF pretende reforçar ainda mais a sua integração vertical a montante em propeno e ampliar as suas atividades a jusante à base de propileno, levando a uma posição de mercado mais forte na América do Norte. O propeno é um dos produtos químicos básicos mais importantes na indústria petroquímica e é usado na produção de uma vasta gama de produtos químicos de alto valor . Estes  químicos são usados para a fabricação de produtos, tais como plásticos, revestimentos, detergentes ou polímeros superabsorventes para fraldas de bebê.

Detalhes sobre o potencial de investimento, incluindo a capacidade da planta, valor do investimento e a localização exata estão atualmente em fase de avaliação .

Fonte:  BASF

Curta nossa página no

Anúncios

Braskem anuncia parceria para o desenvolvimento de tecnologia para a produção de eteno a partir do gás natural

21/01/2014

A Braskem e a Siluria Technologies, empresa americana pioneira na produção comercial de combustíveis e produtos químicos a partir de gás natural, firmaram um acordo de colaboração para a conversão direta do metano do gás natural em eteno – matéria-prima usada pela indústria petroquímica.

Denominada acoplamento oxidativo de metano (OCM) desenvolvida pela Siluria, a tecnologia abre inúmeras oportunidades de utilização em diversos segmentos da indústria, inclusive o petroquímico, com a possibilidade de eliminar a etapa inicial de craqueamento da nafta para obtenção de eteno. Juntas, as empresas realizarão um estudo para identificar perspectivas comerciais desta tecnologia nas plantas de base eteno da Braskem.

O contrato prevê opções de licenciamento para introdução da tecnologia da Siluria em escala mundial pela Braskem, além de oportunidades para que a Companhia adquira o eteno produzido por futuras plantas da Siluria. A parceria também prevê direitos de participação societária da empresa norte-americana em eventuais projetos comerciais da Braskem que utilizem a tecnologia. A empresa brasileira contará ainda com uma planta de demonstração de OCM da Siluria, prevista para o quarto trimestre de 2014, em uma de suas fábricas nos Estados Unidos.

“Estamos muito felizes de poder trabalhar com uma empresa líder na fabricação de olefinas e derivados como a Braskem”, destacou Ed Dineen, diretor presidente da Siluria.  “Sua experiência no setor, ampla presença e aspiração ao crescimento fazem da Braskem o parceiro inicial ideal na estratégia de Siluria de desenvolver múltiplas parcerias para a implantação da tecnologia em diversos setores de processamento de produtos químicos, combustíveis e gás natural”.

“A Braskem busca o crescimento do negócio nas Américas e no mundo todo”, disse Fernando Musa, diretor-presidente da Braskem América. “Acreditamos que a tecnologia da Siluria possa desempenhar um papel importante em nossa estratégia de crescimento, além de fortalecer potencialmente nossa base atual de ativos”.

Fonte: Braskem

Curta nossa página no

Empresa de Santa Catarina implementa processo de termoformagem aquecido com gás natural

11/03/2013

Termopor_copoProjeto desenvolvido pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), com apoio técnico e financeiro da Petrobras e da Companhia de Gás de Santa Catarina (SCGÁS), concebeu uma solução movida a gás natural para o segmento de termoformagem de plástico, ao invés do que é comumente utilizado, a eletricidade. Na última quinta-feira, 7, na sede da empresa parceira do estudo, NTS Máquinas e Equipamentos, em Criciúma, foram produzidos copos plásticos  com energia proveniente do gás natural.

O processo, até então, era realizado apenas com energia elétrica. Agora, até 30% da etapa de aquecimento poderá ser substituída por um painel radiante movido a gás natural, com grandes vantagens econômicas para as indústrias. O protótipo foi testado nas instalações da NTS Máquinas e Equipamentos, parceira do projeto e fabricante de equipamentos de termoformagem. O projeto é o único do mundo neste formato, e, após ser patenteado, poderá representar ganhos em competitividade para a indústria nacional. Denominado Termopor, o estudo foi conduzido durante três anos e contou com investimentos de R$ 1,7 milhão.

Termopor_equipamento“A solução industrial é inédita e abre caminho para uma nova aplicação do gás natural, contribuindo para a diversificação do uso desta fonte de energia ambientalmente correta”, explica o gestor do projeto por parte da SCGÁS, engenheiro Jorge Gustavo Wanderley de Azevedo.

O diretor da NTS, Walter João Nuernberg, completou: “O equipamento é uma evolução de um trabalho que iniciou há mais de três anos, e com certeza será uma novidade no mercado, trazendo redução de custos na produção. Como a conta de energia é um item bastante importante no custeio das empresas, esta alternativa poderá proporcionar vantagens bastante competitivas para as indústrias.”

O evento teve a presença de técnicos da SCGÁS, de representantes da NTS, do gerente de Tecnologia para uso Final da Petrobras, Antônio Cláudio Correa Meyer Sant´Anna, e da equipe do professor da UFSC, Amir Antônio Oliveira Júnior, coordenador do projeto.

Fonte:  Governo do Estado de Santa Catarina

Curta nossa página no

Braskem e PetroPerú assinam acordo para analisar viabilidade de projeto petroquímico no sul do Peru

25/11/2011

A Braskem e a Petróleos Del Perú (PetroPerú), empresa estatal dedicada ao transporte, refino e comercialização de combustíveis e outros derivados do petróleo, se uniram e assinaram nesta quinta-feira, 24/11, um Memorando de Entendimento para análise técnica e econômica da viabilidade de um projeto petroquímico no Peru.

O objetivo das duas empresas é estudar a viabilidade da implementação de unidades para a produção integrada de 1,2 milhão de toneladas/ano de eteno e polietilenos, utilizando o etano proveniente das reservas de gás natural da região de Las Malvinas. Após a confirmação de sua viabilidade e sujeito às negociações dos contratos definitivos e das aprovações societárias das partes, este empreendimento fará parte do denominado Projeto Integrado do Sul, que inclui a construção do Gasoduto Andino do Sul, pela empresa Kuntur, e de um moderno complexo industrial na região sul do Peru, que será um marco no processo de industrialização do país.

“Com a realização desta parceria, traremos mais desenvolvimento econômico e social ao nosso país. O projeto terá como grande vantagem sua localização estratégica na costa do Pacífico e a capacidade para atender tanto ao mercado peruano como aos de outros países da região andina”, ressalta Humberto Campodónico, presidente da PetroPerú.

“Esta iniciativa da Braskem está em linha com sua visão estratégica de se tornar uma das empresas líderes na indústria química mundial até 2020, por meio da combinação de crescimento no mercado doméstico, alternativas de acesso a matérias-primas competitivas e busca de oportunidades de internacionalização para o acesso a novos mercados, especialmente no eixo da América”, afirma Sergio Thiesen, diretor de Negócios Internacionais para América do Sul da Braskem.

Fonte: Braskem

Presidente da Petrobrás anuncia estudos para Pólo Gás Químico no Espírito Santo.

16/07/2010

No último dia 15, durante a cerimônia de início da produção comercial na camada pré-sal do Espírito Santo, no campo de Baleia Franca,   o presidente da Petrobrás, José Sérgio Gabrielli anunciou que a empresa está realizando estudos para avaliar a viabilidade de implantação de um Pólo Gás Químico no Estado, para aproveitar o Gás produzido na região.

“Nós estamos desenvolvendo projetos, que estão ainda em fase de projetos, mas se tornarão realidade dentro em breve para desenvolver a química do gás natural, para produzir produtos químicos no Estado do Espírito Santo”,  afirmou Gabrielli, depois de ser estimulado pelo presidente Lula a anunciar os planos da estatal.

As negociações iniciais previam a construção de uma planta de fertilizantes a partir do gás natural, mas durante os debates com o governo do Espírito Santo surgiu a idéia de expandir o projeto para a implantação de um Pólo Gás Químico.

O Espírito Santo hoje produz  cerca de 5 milhões de metros cúbicos de gás e aproximadamente 160 mil barris diários de petróleo, sendo o segundo maior produtor nacional da commodity. Afirma o governador Paulo Hartung que o estado está a caminho de produzir 500 mil barris diários de petróleo, em breve.

O campo do pré sal de Baleia Franca vai produzir inicialmente 13 mil barris diários de óleo leve, devendo alcançar 100 mil barris até  final de 2010. A camada do pré sal do Espírito Santo situa-se a 100 metros de profundidade, sendo bem mais próxima da superfície que a da bacia de Santos, que chega a alcançar dois quilômetros.