Posts Tagged ‘Gamesa’

MVC lança novos processos para produção de componentes para o setor eólico

10/05/2016

MVC_aerogeradorgamesa

A MVC desenvolveu um novo processo para a fabricação de peças de aerogeradores para atender ao setor eólico. Segundo a empresa, o processo inovador, denominado RTM Skin, permite a produção de componentes de grande porte (as maiores peças em compósitos produzidas pela empresa) com melhor produtividade, acabamento e menor impacto no meio ambiente.

De acordo com Gilmar Lima, diretor-geral da MVC, o novo processo, assim como os processos de infusão e RTM Light, estão sendo utilizados para a produção de conjuntos de aerogeradores do modelo G114 2.1 MW (conversores de energia eólica em elétrica) para a Gamesa Eólica Brasil, na Bahia. “O projeto da nova peça foi elaborado pela engenharia da Gamesa, na Espanha. Com o auxílio da equipe da MVC, foram desenvolvidos métodos e processos para ser fabricada no Brasil, atendendo aos requisitos de qualidade e disponibilidade de materiais do mercado nacional”, explica.

Os materiais utilizados nas peças são tecidos de fibra de vidro, núcleos, resina ortoftálica e gel coat isoftálico. Por se tratar de um produto em gel acabado, a peça deixa o molde já com acabamento final, sem nenhuma necessidade de pintura. Também são utilizados componentes metálicos e fixadores que fazem parte da montagem posterior.

“A grande vantagem destes processos é que permitem fabricar um aerogerador de dimensões maiores, com menor impacto ambiental, e com qualidade excepcional”, avalia Gilmar Lima. “Estamos nos antecipando e atendendo à nova tendência existente no mercado de criação de máquinas cada vez maiores. A carcaça da nova Nacelle (palavra utilizada para definir o corpo do aerogerador) que estamos produzindo para Gamesa é a maior peça em compósitos já fabricada pela MVC”.

A carenagem do rotor dos aerogeradores (Spinner) – local onde há o acoplamento das pás – é desenvolvida e produzida pelo processo de infusão, apropriado para peças grandes – cada spinner possui mais de 4 m de altura – e alto teor de fibra. O procedimento de fabricação da MVC permite a obtenção de componentes que oferecem padrões de desempenho mais elevados e acabamento superficial, maior resistência a intempéries e melhores propriedades mecânicas (resistência e durabilidade).

Fonte: MVC

Curta nossa página no

Anúncios

MVC anuncia abertura de nova unidade em Camaçari.

12/09/2011

Agendada para partir em janeiro de 2012, fábrica atenderá apenas o mercado de energia eólica, produzindo  peças de compósitos para a Gamesa.

A MVC vai inaugurar em janeiro de 2012 uma fábrica em Camaçari (BA). A unidade, voltada ao mercado de energia eólica, abastecerá inicialmente a filial brasileira da espanhola Gamesa, companhia especializada em aerogeradores que, em julho, abriu uma planta na mesma cidade.

“A partir de 2013, pretendemos expandir a carteira de clientes desse segmento”, comenta Gilmar Lima, diretor geral da MVC. Com cerca de 2.000 m², a fábrica da MVC em Camaçari partirá com um potencial para processar 1.000 toneladas/ano de materiais compósitos – um tipo de plástico de alta performance que dá forma a diversas peças dos aerogeradores, como nacelles, bicos (noses) e coberturas. “A nova unidade terá capacidade para chegar a até 3.000 toneladas/ano, mas tudo vai depender da demanda”. De início, serão 60 funcionários, número que pode chegar a 200 em 2015.

 Produzir as gigantescas pás eólicas, também feitas de materiais compósitos, não faz parte da estratégia da MVC. “Queremos nos especializar nos outros componentes dos aerogeradores, tendo como diferencial o uso de processos mais automatizados e de melhor desempenho, como RTM e infusão”.

 O mercado de energia eólica deve gerar cerca de R$ 10 milhões em receitas para a MVC em 2012 – 6% do total projetado para o período. “A meta é que responda por 15% de uma receita estimada em R$ 400 milhões em 2015”, afirma o diretor geral.

Fonte: SLEA Comunicação

MVC firma parceria com Espanhola Gamesa e ingressa no segmento de energia eólica

28/03/2011

Contrato prevê inicialmente o fornecimento de 150 conjuntos por ano.

A MVC, empresa brasileira líder no desenvolvimento de produtos e soluções em plásticos de engenharia e pertencente à Artecola e à Marcopolo, fechou parceria com a fabricante espanhola de sistemas para energia eólica Gamesa. Inicialmente, a MVC fornecerá para a Gamesa Eólica Brasil o bico (nose) de aerogeradores (conversores de energia eólica em energia elétrica). Em uma segunda etapa, será desenvolvido também o corpo do gerador, parte integrada ao bico.

De acordo com Gilmar Lima, diretor-geral da MVC, o fornecimento, com previsão para gerar receita de R$ 5 milhões a partir de 2012, marca a entrada da MVC em um novo segmento. “A nossa participação neste segmento se deu em razão do seu alto crescimento em todo o mundo e de utilizar materiais e tecnologias de alto desempenho. Outro fator importante para esta decisão é que acreditamos que possamos contribuir com soluções inovadoras e diferenciadas para este mercado”, explica o executivo.

A MVC estuda o mercado de energia eólica desde 1998 quando, com apoio do FINEP e da Pôle de Plasturgie de l’Est (centro de tecnologia francês), desenvolveu um novo conceito para a fabricação, em compósitos, das pás e dos demais componentes. “Desenvolvemos todo o projeto, materiais, processos, ensaios, controles e no final fabricamos uma peça do conjunto em escala. O que faltava para este projeto estar completo era o cliente e agora, com a Gamesa, o encontramos”, finaliza Lima.

Os bicos para aerogeradores levaram três meses para serem desenvolvidos e serão produzidos na unidade de São José dos Pinhais, pelo processo de infusão com moldes fechados, apropriado para peças grandes – cada bico possui 4,2 m de altura – e alto teor de fibra. O procedimento de fabricação da MVC permite a obtenção de componentes que oferecem padrões de desempenho mais elevados e acabamento superficial, maior resistência a intempéries e melhores propriedades mecânicas (resistência e durabilidade).

“Faz cerca de seis anos que a MVC e a Gamesa “vêm construindo” esta parceria. Neste período, ambas as empresas se prepararam para o início da produção no Brasil. Investimos em treinamentos no exterior e em novas tecnologias para produzir as peças e atender a Gamesa. O objetivo inicial do projeto é abastecer o mercado interno, principalmente os parques eólicos da região Nordeste, com uma produção de 150 peças até março de 2012. Posteriormente, ampliaremos o nosso fornecimento para outras regiões e países”, ressalta Lima.

Sobre a Gamesa

Com mais de 15 anos de experiência, a Gamesa é uma das líderes mundiais no mercado de projeto, fabricação, instalação e manutenção de turbinas de vento, com 21.000 MW instalados em 30 países em quatro continentes e mais de 13.600 MW em manutenção.

A Gamesa tem 30 fábricas na Europa, Estados Unidos, China e Índia, e mais de 7.200 empregados no mundo inteiro. A empresa também é uma referência mundial no mercado de construção, desenvolvimento e venda de parques eólicos, com mais de 4.000 MW, e tem 22.600 MW instalados em parques eólicos na Europa, América e Ásia.

A produção anual equivalente a cerca de 21.000 MW, representa mais de 5 milhões de toneladas de petróleo (TEP) por ano e evita a emissão na atmosfera de cerca de 31 milhões de toneladas de CO2/ano.

Em 2010, a Gamesa anunciou a construção de uma fábrica no Brasil, em Camaçari, na Bahia. A unidade deve começar a operar no próximo mês de abril, vai gerar 100 postos de trabalho e terá capacidade produtiva de 300 MW.

Fonte : Secco Consultoria de Comunicação / ABMACO