Posts Tagged ‘Financiamento’

Evonik investe na empresa irlandesa de tecnologia médica Vivasure Medical

07/10/2016

evonik-vivasure

  • Tecnologia inovadora fecha artérias de modo mais fácil e rápido após cirurgias minimamente invasivas
  • Nova aplicação para o polímero bioabsorvível Resomer® da Evonik

Por meio de suas atividades de Venture Capital, a Evonik investiu na empresa de equipamentos médicos Vivasure Medical Limited, sediada em Galway (Irlanda). A operação de financiamento foi liderada pelo Life Science Partners Health Economics Fund, da Holanda. Também participa do pool a empresa Panakes Fund, de Milão (Itália). Antigos investidores da Vivasure da esfera med-tec, incluindo Fountain Partners, Orchestra Medical Ventures e Ascent Biomedical Ventures, também participam da operação de financiamento.

“Soluções para as tecnologias médica e da saúde estão entre as principais áreas de crescimento da Evonik. Em virtude de nossa competência tecnológica nessas áreas e nosso atual portfólio de produtos, a Vivasure Medical se adapta à Evonik em termos estratégicos”, diz Bernhard Mohr, Diretor de Venture Capital na Evonik.

O dispositivo de fechamento Vivasure (Vivasure Closure Device) é o primeiro produto da plataforma de tecnologia PerQseal™ da empresa e a única opção totalmente bioabsorvível, sem sutura e inteiramente sintética aprovada para o fechamento de arteriotomias de grande diâmetro resultantes de procedimentos percutâneos transcatéter. Esses procedimentos minimamente invasivos estão se tornando cada vez mais comuns nas cirurgias, no mundo inteiro. Em algumas áreas já estão estabelecidos como padrão. O motivo: somente pequenas incisões são necessárias para realizar procedimentos minimamente invasivos, que são menos danosos aos pacientes.

“Temos o prazer de ter a Evonik como parceiro estratégico que pode nos ajudar de maneira especial com sua expertise em polímeros para aplicações em Farma e Dispositivos Médicos”, diz Gerard Brett, CEO e um dos fundadores da Vivasure Medical. “O dispositivo de fechamento Vivasure foi projetado para ser fácil de usar, permitindo que o cirurgião faça um reparo completo no ponto de acesso, sem deixar implantes de metal, suturas ou tecido exógeno. Nosso objetivo é melhorar os resultados clínicos, tempos de recuperação menores e resultados terapêuticos superiores para os pacientes, em comparação com a alternativa da cirurgia aberta”.

A Vivacare Medical utiliza o Resomer®, um polímero bioabsorvível da Evonik, que já provou o seu valor em numerosas aplicações comerciais. “A participação na Vivacare Medical nos oferece a possibilidade de abrir uma área de aplicação nova e empolgante para o Resomer®”, diz Jean-Luc Herbeaux, Diretor da Linha de Negócios Health Care da Evonik.

No contexto de suas atividades de venture capital, a Evonik planeja investir um total de €100 milhões em start-ups promissoras, detentoras de tecnologias inovadoras, e nos principais fundos de venture capital especializados. Os enfoques regionais estão na Europa, Estados Unidos e Ásia. Atualmente, a Evonik detém participação em nove start-ups e quatro fundos.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Evonik

Curta nossa página no

Compradores contam com linhas de financiamento durante Brasilplast.

13/05/2011

 Duas instituições financeiras estão oferecendo linha de crédito aos compradores que participam da Brasilplast 2011. A feira conta com a presença de representantes do BNDES (Banco Nacional do Desenvolvimento) e da Agência de Fomento Paulista / Nossa Caixa Desenvolvimento com propostas diferenciadas para a indústria do plástico. Os programas de financiamento têm como objetivo atender pequenas e médias empresas nacionais, com taxas menores das praticadas no mercado, para projetos de ampliação e compra de máquinas e equipamentos.

Com foco em inovação e sustentabilidade, a Agência de Fomento Paulista/Nossa Caixa Desenvolvimento apresenta na Brasilplast a linha de crédito Economia Verde, que tem como objetivo financiar projetos sustentáveis e que beneficiem o meio ambiente, fortalecendo a reciclagem em diversos setores da indústria.

Segundo a Nossa Caixa, os pequenos e médios empresários de São Paulo contam com uma taxa abaixo da encontrada no mercado para projetos de ampliação e compra de máquinas e equipamentos. Os juros são de 0,49% ao mês (+IPC/Fipe), com prazo de até 5 anos e 12 meses de carência.

Já o BNDES traz o projeto Proplástico de apoio ao Desenvolvimento da Cadeia Produtiva do Plástico, iniciativa do governo federal, que apoia desde o aumento da capacidade e produtividade da indústria como a reciclagem de produtos plásticos e investimentos socioambientais. O governo federal busca fomentar a indústria de transformação do plástico através de programas que oferecem taxas menores”, afirma Sidney Ferreira de Carvalho, da Gerência de Promoção e Eventos do BNDES.

Fonte: Assessoria de Imprensa Brasilplast

Foto (crédito): Getty Images

Programa Proplástico do BNDES desperta interesse na cadeia produtiva do plástico.

05/07/2010

Uma linha de financiamento com R$ 700 milhões em empréstimos que irá contribuir para o desenvolvimento da cadeia produtiva do plástico chamou a atenção dos representantes do setor em reunião do Fórum de Competitividade de Plástico realizada na terça-feira (22) na sede da Associação Brasileira da Indústria do Plástico (Abiplast), em São Paulo.

O programa de Apoio ao Desenvolvimento da Cadeia Produtiva do Plástico – BNDES Proplástico, aprovado no último dia 8, tem como objetivo incentivar o aumento da produção de transformados plásticos, embalagens, equipamentos e moldes; melhorar padrões de qualidade; diminuir o déficit comercial da cadeia; modernizar parques industriais; estimular projetos inovadores e o desenvolvimento de soluções ecologicamente corretas e socialmente responsáveis. A data de vigência do programa de estímulo à indústria de plástico é até setembro de 2012.

“É uma iniciativa inédita para o País e uma ótima oportunidade para o fortalecimento de todos os elos da cadeia”, avalia a líder do Projeto de Desenvolvimento Setorial de Plásticos da ABDI, Junia Motta. O programa do BNDES contempla o setor de transformação, distribuição de resina, empresas de reciclagem, máquinas, equipamentos e moldes. As cinco linhas de crédito direto, no valor mínimo de R$ 3 milhões, são voltadas para incorporação, fusão ou aquisição de empresas, apoio à produção e modernização, aquisição de máquinas novas com o sucateamento obrigatório das antigas, inovação e investimentos em reciclagem e outros investimentos de caráter socioambiental.

Segundo Junia, a proposta entusiasmou empresários que já solicitaram a divulgação da linha de financiamento em eventos setoriais. A Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Trabalho de Diadema (SP), por exemplo, já sinalizou que quer uma apresentação do Proplástico para cerca de 350 empresas da região. Em parceria com a ABDI, o Sindicato da Indústria de Material Plástico do Estado de São Paulo (Sindiplast) e o Sindicato da Indústria de Artefatos de Borracha do Estado de São Paulo (Sindibor), a Secretaria desenvolve o Programa de Desenvolvimento Setorial que tem como objetivo aumentar a competitividade da cadeia produtiva de plásticos por meio de ações de capacitação, rodadas tecnológicas, oficinas de design, diagnósticos de gestão e inovação.

Outro ponto que desperta o interesse do empresariado é o estudo “Caracterização da Cadeia Petroquímica e de Transformados Plásticos”, encomendado pela ABDI. O material aborda a integração dos elos da cadeia, as matérias-primas, inserção no mercado externo, infraestrutura tecnológica, além da aplicação do design, reciclagem e tributação.

A iniciativa da Agência tem o objetivo de facilitar a compreensão do setor, da sua estrutura de mercado e de fatores determinantes de competitividade tanto para órgãos governamentais quanto para a iniciativa privada.

Fonte: Coordenação de Comunicação – ABDI

BNDES cria programa de apoio à cadeia produtiva do plástico

16/06/2010
O BNDES aprovou a criação de programa específico de financiamento para a indústria de transformados plásticos. Trata-se do programa de Apoio ao Desenvolvimento da Cadeia Produtiva do Plástico – BNDES Proplástico, que visa à modernização das empresas do setor, com o aumento da  produção de plásticos e seus produtos, de equipamentos e de moldes para o segmento, além da melhoria dos padrões de qualidade e de produtividade das indústrias instaladas no país.

Com dotação orçamentária de R$ 700 milhões e prazo de vigência até 30 de setembro de 2012, o novo programa contempla ações ligadas à produção, inovação, reciclagem, consolidação e internacionalização de empresas. Com isso, o BNDES Proplástico pretende também contribuir para a redução do déficit comercial da cadeia produtiva de plásticos, promovendo a maior inserção do Brasil no mercado internacional.

O BNDES Proplástico, com operações diretas e indiretas não automáticas, abrangerá todos os portes de empresas do setor. Os beneficiários serão sociedades empresárias que pertençam à cadeia produtiva do plástico, como produtor, fornecedor de equipamentos, reciclador e distribuidor. O valor mínimo das operações a serem apoiadas no âmbito desse programa é de R$ 3 milhões.

O BNDES Proplástico está em consonância com as medidas  estabelecidas na Política de Desenvolvimento Produtivo (PDP) do Governo Federal e contempla:  financiamento para investimentos associados à produção e modernização; investimentos para a troca de equipamentos antigos por novos; fortalecimento das empresas nacionais; investimentos em inovação, com vistas ao desenvolvimento de produtos e processos; e investimentos socioambientais.

Para isso, o BNDES Proplástico conta com cinco subprogramas:

Proplástico Produção e Modernização: investimentos para implantação, expansão e modernização da capacidade produtiva de transformados plásticos e de reciclagem, bem como aquisição de equipamentos novos com objetivo de aumentar a produtividade e a competitividade do segmento.

Proplástico Renovação de Bens de Capital: apoio à troca de equipamentos antigos por novos, com a inutilização (“sucateamento destrutivo”) das máquinas usadas, de forma a impedir a sobrevida de equipamentos ineficientes, com baixa produtividade, reduzida segurança do trabalhador e alto consumo de energia.

Proplástico Fortalecimento das Empresas Nacionais: apoio à incorporação, aquisição ou fusão de empresas que levem à criação de firmas de controle nacional de maior porte, de maior integração vertical ou internacionalização. Neste subprograma, o apoio será mediante instrumentos de renda variável e/ou financiamento com limite máximo de R$ 50 milhões por grupo econômico.

Proplástico Inovação: investimentos em pesquisa, desenvolvimento e inovação que possibilitem novos usos e aplicações de produtos, inclusive ligados a processos de reciclagem de material plástico, além de design.

Proplástico Socioambiental: investimentos envolvendo a racionalização do uso de recursos naturais, mecanismos de desenvolvimento limpo, projetos de reciclagem e material,  sistemas de gestão e recuperação de passivos ambientais. Além disso, estão contemplados projetos e programas de investimentos sociais realizados por empresas ou em parceria com instituições públicas ou entidades de fins não econômicos.

Sendo um programa com características especiais para o setor de transformados plásticos, as operações diretas de financiamento do BNDES Proplástico realizadas com micro, pequenas e médias empresas (MPMEs)  poderão, a critério do Banco, ser dispensadas de limites de exposição de risco ou  de prestação de garantia real.

O custo financeiro do BNDES Proplástico terá como base a  TJLP (atualmente em 6% ao ano). A remuneração básica do BNDES varia de acordo com o porte da empresa, sendo de 1% ao ano para as MPMEs.

As taxas de risco de crédito das operações de empresas com faturamento bruto de até R$ 300 milhões serão fixas em 0,5% ao ano, enquanto as operações com as demais empresas seguirão as políticas operacionais do BNDES. O prazo total do financiamento é de até 10 anos, incluindo até três anos de carência.

O setor de transformados plásticos, elo importante da cadeia petroquímica, reúne cerca de 11 mil indústrias no país, sendo mais de 70% microempresas. Intensiva em mão-de-obra, a indústria de transformação plástica é responsável pela geração de aproximadamente 300 mil empregos no Brasil. O reconhecimento da importância dessa indústria, caracterizada como de média-baixa intensidade tecnológica,  levou à inclusão dos plásticos entre os setores prioritários da política industrial do governo Federal  (a PDP), lançada em maio de 2008.

Fonte: BNDES