Posts Tagged ‘Embalagem de Alimentos’

Acondicionamento em EPS amplia vida de prateleira e mantém propriedades da fruta na cadeia de comercialização de mamão

06/08/2021

  • Uso da solução proporciona vantagens competitivas para produtores de mamão, distribuidores e varejistas
  • Soluções em EPS da Termotécnica ampliam o shelf life da fruta com ganhos de qualidade, preço e ampliação de novos mercados

A Termotécnica afirma que sua linha de conservadoras DaColheita é ideal para o transporte, armazenamento e exposição das frutas no varejo, como o mamão, que precisa de um acondicionamento que preserve a sua qualidade em toda a cadeia logística. Segundo a fabricante da embalagem, a conservadora feita em EPS (mais conhecido como isopor® – marca registrada de terceiro) amplia o shelf life da fruta, mantendo sua qualidade e frescor do campo até o consumidor final mesmo em mercados distantes. É o caso da 3M Hortifruti, que atua no Ceasa/RS (Centrais de Abastecimento do Rio Grande do Sul), em Porto Alegre, e que utiliza as conservadoras DaColheita para mamão para trazer a fruta produzida no Espírito Santo para distribuição no mercado gaúcho.

Segundo a Termotécnica, estudos comparativos realizados pelo Laboratório Agrotropical em todas as etapas do processo logístico, do campo ao ponto de venda, demonstram que a conservadora em EPS DaColheita mantém as frutas em maturação nível 2, o ideal para a qualidade comercial, até 9 dias após a colheita, contra 6 dias das embalagens similares em papelão. Os padrões de conservação como aparência, textura, nível de maturação e coloração interna e externa das frutas (shelf life) foram 30% maiores nas embalagens DaColheita.

Desde a colheita até chegar à mesa do consumidor final, a fruta permanece mais fresca, nutritiva e saborosa, afirma a Termotécnica. As conservadoras DaColheita reduzem a perda de vitaminas e da umidade das frutas, ampliando a sua resistência, além de não liberar resíduos e fungos nos alimentos, garante a fabricante. Elas desidratam menos, chegam à temperatura desejada mais rápido e mantêm o frio por mais tempo. Sua estrutura também diminui o risco de avarias durante a movimentação, absorvendo melhor os impactos e reduzindo a perda de carga por danos.

A Termotécnica afirma que tudo isso traz grandes vantagens para todos os envolvidos na cadeia de distribuição. Para os produtores, proporciona-lhes menor índice de devolução dos lotes de frutas fora do padrão de qualidade exigido pelos clientes e permite a abertura de novos mercados mais distantes. Para os distribuidores e varejistas, propicia maior giro no PDV, têm sua marca associada a frutas de qualidade, com a manutenção do preço. “As nossas conservadoras têm esse apelo de limpeza, leveza, praticidade e design para exposição das frutas no PDV ou para entrega por delivery via e-commerce. Ou seja, as nossas conservadoras DaColheita tem bom desempenho em toda a cadeia: do embalamento da fruta, à facilidade e custo/benefício logístico de transporte e armazenamento, até o varejo e, finalmente, até a mesa dos consumidores”, reforça o diretor Superintendente da Termotécnica, Nivaldo de Oliveira.

Aliado a isso, questões como logística reversa das embalagens, diminuição das emissões de gases do efeito estufa e do desperdício de alimentos em toda a cadeia são cada vez mais importantes para os consumidores. Segundo a Termotécnica,as caixas conservadoras DaColheita contribuem nestas três frentes no quesito sustentabilidade:

1) Na reciclagem pós-consumo, pois o EPS é um material que pode ser 100% reciclado e se transformar em matéria-prima para outras aplicações, como rodapés e molduras.

2) Aumento do shelf-life dos produtos frescos em até 30%, o que contribui para a redução do desperdício na cadeia de distribuição e consumo.

3) Contribui para a redução da pegada de carbono, com a diminuição da emissão de Co2 equivalente, no transporte devido ao peso mais leve das soluções, o que reduz o consumo de combustível.

“Nossa abordagem ambiental traz a economia circular na prática. Inclui uma visão integrada desde a concepção de produtos, eficiência operacional, passando por logística reversa, reciclagem e indo até novas cadeias produtivas, fechando o ciclo da economia circular. Pensando na cadeia logística como um todo é uma solução diferenciada e inovadora para este mercado e que atende às exigências por uma atuação responsável das empresas em termos de sustentabilidade”, diz Albano Schmidt.

Nivaldo de Oliveira reforça que “a embalagem é um veículo importante de posicionamento e de comunicação destes benefícios e agregação de valor. Toda a tecnologia de conservação e o design das nossas soluções em EPS DaColheita propiciam aos nossos clientes comunicar ao mercado esses diferenciais de qualidade e sustentabilidade”.

Curta nossa página no

Salada La Vita ganha embalagem com filme selável de fácil abertura

06/08/2021

A novidade é fruto de um desenvolvimento com o filme de poliéster da Terphane, da linha Sealphane.

A pandemia acelerou algumas tendências de consumo que vinham sendo percebidas, entre elas alimentos prontos oferecidos no varejo tradicional e no e-commerce. Neste segmento, um dos itens que cresce de forma animadora é a categoria FLV (frutas, legumes e vegetais) prontos para o consumo.

​Atenta a este movimento do mercado, a Salada La Vita lançou em maio deste ano uma linha pronta para o consumo em uma embalagem igualmente inovadora: uma bandeja APET (poliéster amorfo) com tampa feita com um filme de poliéster (PET) selável e de fácil abertura . “A solução vai ao encontro dessa necessidade crescente do varejo e do e-commerce de oferecer saladas para consumo “on the go” (em movimento), com  conveniência e funcionalidade”, explica José Ricardo Sorbile, Gerente Nacional de Vendas da Terphane.

Mas a solução só foi possível graças ao filme PET da Terphane. O filme escolhido para a tampa da embalagem foi o da linha Sealphane. Entre seus atributos, a empresa destaca a selagem automática que garante eficiência e rapidez ao processo, além de evitar perdas de produto e diminuir o risco de contaminação pela manipulação. Segundo a Terphane, a tampa é totalmente transparente, permitindo a clara visualização do produto já que o filme possui tratamento antifog (anti embaçamento).

Como reforçou o porta-voz Nick Kramer, Diretor Industrial da empresa La Vita, “após diversos testes, o filme da Terphane se mostrou ideal para atender às necessidades de nosso produto – a salada fresca. Além de manter as propriedades dos alimentos inalteradas, o atributo do antifog permitiu melhorar a apresentação no PDV, garantindo uma exposição adequada e ganho de competitividade.”.

A Terphane afirma que esta embalagem também permite que a bandeja selada seja empilhada durante o manuseio e distribuição, garantindo otimização logística e economia de espaço no transporte e na armazenagem. Ela também possibilita a apresentação do produto nas posições vertical ou horizontal na gôndola (PDV).

“Toda a solução está alinhada a um outro conceito bastante importante nos dias atuais, o da segurança alimentar. A embalagem pode conter diversos compartimentos, igualmente selados, e que possibilitam separar proteína, cereais e molho, mantendo o frescor de cada item e aumentando sua vida de prateleira “, explica Sorbile. Segundo ele, a embalagem também pode ser refrigerada e o filme permite a selagem até 210ºC, sem deformação.

O lançamento da Salada La Vita também se destaca pela sustentabilidade da embalagem: ela é mono material – bandeja e tampa de poliéster – e reciclável. Além disso, a Terphane afirma que o filme PET utilizado tem apenas 25µm e não atinge nem 1g por embalagem de salada; um peso muito menor quando comparado ao de uma tampa rígida. Isto contribui para gerar um volume menor de lixo. “O conjunto destaca a marca e o produto no PDV e aumenta sua competitividade pelo caráter inovador e adequado ao novo canal do e-commerce”, conclui José Ricardo Sorbile.

Desde a sua fundação em 1976, a Terphane concentra-se no desenvolvimento de tecnologias e processos de fabricação de filmes especiais de poliéster biorientado (BOPET). Sua equipe possui experiência e conhecimento em produção, revestimento e metalização de filmes. A empresa possui uma cadeia verticalizada que vai desde a produção da resina até a extrusão de filmes especiais. A Terphane faz parte do grupo industrial norte-americano Tredegar.

Curta nossa página no

Dow e Ulma Packaging introduzem embalagem termoformada rica em polietileno no mercado de frango fresco

06/08/2021

  • Em parceria com a fabricante de máquinas e serviços de embalagem ULMA Packaging, a Dow leva a primeira embalagem termoformada com alto teor de polietileno para o segmento.
  • Segundo a Dow, a embalagem é a solução mais sustentável porque tem menos embalagem por produto, menor pegada de carbono, pode ajudar a diminuir o desperdício de alimentos e é tecnicamente reciclável.
  • Fabricante do material afirma que, por sua alta resistência mecânica e selagem hermética, a embalagem é a prova de vazamento e oferece melhor experiência de compra. Permite gôndolas e manuseio limpos, além de atender às novas tendências de consumo alimentar decorrentes da pandemia, com aumento de compras online, proporcionando segurança para o serviço delivery, sem contaminação de outros produtos, além de ser uma embalagem lavável.
  • Material estende o tempo de vida útil do frango fresco por até dois finais de semana, aumentando o tempo na prateleira e oferecendo produtos frescos e seguros para consumo final, com diminuição de manutenção para os varejistas, garante a Dow.

Em parceria com a fabricante de máquinas ULMA Packaging e transformadores licenciados na América Latina, a Dow traz para o mercado de cortes de frangos frescos e refrigerados a primeira embalagem termoformada rica em polietileno desenvolvida com Phormanto, uma tecnologia inovadora que, segundo a empresa, oferece uma solução sustentável e disruptiva para o segmento. A nova embalagem é capaz de manter os alimentos frescos e prontos para consumo por até dois finais de semana, oferecendo alta confiabilidade, higiene e segurança em uma estrutura tecnicamente reciclável, garante a Dow. Como resultado, os produtores obtêm benefícios na oferta de produtos que se destacam na gôndola, em uma embalagem sustentável que contribui para a diminuição de avarias, perdas e desperdício de alimentos. Segundo a fabricante do material, o varejista tem menor manutenção de gôndolas e o consumidor recebe alimentos seguros e confiáveis, em embalagens práticas e sustentáveis com melhor experiência e manuseio limpo durante a compra.

A tecnologia Phormanto e o Mercado de Carne de Frango

Segundo a Dow, Phormanto é uma tecnologia patenteada pela empresa para embalagens termoformadas flexíveis, rica em polietileno, com estrutura reciclável, alta transparência, além de possibilitar a respirabilidade específica ou aplicação de atmosfera modificada atendendo aos requisitos do produto a ser embalado, com estrutura simplificada (sem a necessidade de poliamida).​ Criada em 2012, Phormanto é uma solução versátil, podendo atender diversos mercados e já presente em segmentos de queijos, alimentos embutidos e snacks e pela primeira vez, sendo adaptada às necessidades da avicultura.

O mercado de frango ocupa um importante espaço na economia dos países latino-americanos. Além da forte exportação, a proteína avícola está cada vez mais presente no cardápio das populações locais. Dados da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO) apontam que a produção de frangos triplicou nos países do Mercosul e da América Central nas últimas três décadas, com Brasil, México e Argentina à frente desse mercado. A produção brasileira é a terceira no ranking global e o consumo interno representa o quarto maior mercado consumidor de frangos, em todo o mundo.

O cenário de pandemia reforçou a demanda interna, com maior procura pelo frango – proteína com preço mais acessível – no lugar da carne bovina. Segundo a Associação Brasileira de Proteína Animal (Abrapa), a produção para o mercado interno poderá crescer cerca de 6,5% em 2021, com aumento estimado em 4,4% no consumo per capita, correspondente a 47 quilos.

Com base nesse contexto, atenta às particularidades dos cortes de aves e aos rígidos requisitos técnicos para esse segmento, a Dow e a ULMA encontraram no Phormanto uma solução para os desafios dessa cadeia.

“Os consumidores estão cada vez mais exigentes e cuidadosos em suas escolhas no momento de compra. Buscam por praticidade, alimentos frescos e sustentabilidade. Isso se reflete diretamente nas embalagens que, segundo pesquisas, precisam ser mais sustentáveis, inteligentes, práticas e adaptadas para diferentes momentos, com o máximo de eficiência e proteção do produto. No mercado avícola existe uma carência na experiência de compra além das oportunidades de melhoria em toda a cadeia, que podem ser atendidas a partir da mudança de embalagem.” explica Sabine Rossi, Gerente de Desenvolvimento de Novos Mercados da Dow.

Para a ULMA Packaging, a proposta da tecnologia Phormanto possibilitou o desenvolvimento de uma solução inédita para o mercado de aves. A empresa atua no mercado de termoformadoras de alto desempenho e desenvolve produtos e serviços para fornecer soluções completas a seus clientes. “Além de nossa liderança e presença global, o que nos diferencia é o nosso extenso catálogo, que incorpora tecnologias de ponta, um serviço amigável e flexível e nossa capacidade de fornecer soluções chave na mão. A parceria com a Dow reflete e reforça esse compromisso, avançando em tecnologias de design e fabricação de embalagens para agregar valor à toda a cadeia”, analisa José Segovia, Diretor da ULMA Packaging.

Segundo a Dow, a tecnologia Phormanto é uma alternativa inédita em comparação à termoformagem tradicional para esse segmento e às opções atuais de embalagem. A empresa afirma que, por suas propriedades, o material Phormanto proporciona alta resistência mecânica com respirabilidade específica para a proteína avícola, quando fornecida de forma fresca ou refrigerada.

A Dow assegura que o material Phormanto é à prova de vazamentos e pode ser projetado para embalagens de fácil abertura, com aspectos visuais diferenciados, como brilho e transparência, além de permitir a exposição vertical, facilitando a visibilidade da marca e contribuindo para otimizar o espaço em prateleiras e gôndolas. Combinadas, essas propriedades permitem a produção de embalagens seguras e confiáveis, que estendem da vida útil do alimento em até duas vezes mais, um impacto significativo na comparação com outras soluções disponíveis, garante a fabricante. Essa extensão pode reduzir o índice de desperdício no varejo em até 40%, segundo dados do estudo “Stop Waste – Save Food” (2016-2020), realizado pela Denkstatt.

Ainda segundo o mesmo estudo, vale ressaltar que o setor de alimentos é responsável por cerca de 30% das emissões de gases efeito estufa. Além do combate ao desperdício de alimentos, a nova embalagem desenvolvida com Phormanto colabora para a redução das emissões de CO2 resultantes da produção de embalagens.

“Esta nova oferta para a indústria de proteína animal está intimamente ligada à nossa meta de ‘fechar o ciclo’ da economia circular e ao nosso compromisso de trabalhar diretamente com nossos clientes, proprietários de marcas e a cadeia de valor. Queremos colaborar no redesenho das aplicações de embalagens recicláveis, proporcionando claros benefícios sociais e ambientais”, Sabine Rossi, Gerente de Desenvolvimento de Novos Mercados da Dow.

A Dow oferece um portfólio de materiais plásticos, intermediários industriais, revestimentos e silicones para uma variedade de produtos e soluções a clientes em segmentos de mercado de alto crescimento, como embalagens, infraestrutura e cuidados do consumidor. A Dow opera 109 unidades fabris em 31 países e emprega cerca de 36.500 pessoas. Em 2019, gerou aproximadamente US$ 43 bilhões em vendas.

A ULMA Packaging atua no desenvolvimento e fabricação de equipamentos e sistemas de embalagem, compreendendo soluções completas que abrangem desde a manipulação e carga do produto primário, até o encaixotamento e paletização final, passando pelo empacotamento, com a possibilidade de opção entre cinco diferentes tecnologias de embalagem: Filme Extensível, Flow Pack (HFFS), Termoformado, Termoselado e Vertical (VFFS). A ULMA Packaging opera em mais de 60 países com presença própria em 24, contando com mais de 1700 funcionários.

Curta nossa página no

Nestlé se compromete a investir para criar mercado para plásticos reciclados a serem usados em embalagens alimentícias

24/01/2020

A Nestlé anunciou em 16 de janeiro que investirá até 2 bilhões de francos suíços para estimular a substituição de material plástico virgem por plásticos reciclados de qualidade alimentar e acelerar o desenvolvimento de soluções inovadoras de embalagens sustentáveis.

Em cima da sua promessa feita em 2018 de tornar 100% de suas embalagens recicláveis ​​ou reutilizáveis ​​até 2025, a Nestlé diz que reduzirá o uso de plásticos virgens em um terço no mesmo período, enquanto trabalhará com parceiros para promover a economia circular e continuar os esforços de limpeza dos resíduos plásticos em oceanos, lagos e rios. A redução de um um terço no uso de plásticos virgens corresponde a uma quantidade de aproximadmaente 500.000 toneladas por ano, de acordo com Sander Defruyt, chefe do projeto de plásticos Ellen MacArthur.

A reciclagem de plásticos para uso em embalagens de alimentos é difícil para a maioria dos materiais, o que leva a um suprimento limitado de plásticos reciclados de qualidade alimentar. Para criar um mercado, a Nestlé comprometeu-se a utilizar até 2 milhões de toneladas métricas de plásticos reciclados de qualidade alimentar e alocou mais de 1,5 bilhão de francos suíços para pagar um prêmio por esses materiais entre agora e 2025. A Nestlé diz que buscará eficiência operacional para manter neutros os ganhos desta iniciativa.

Para mais informações (em inglês), clique aqui.

Curta nossa página no

Terphane apresenta filme transparente com propriedade de altíssima barreira

20/12/2018

Segundo a empresa, o seu CBR é um excelente substituto ao EVOH, com vantagens técnicas e ambientais.

Globalmente existe uma forte tendência de demanda por filmes que oferecem altíssima barreira para embalagens plásticas flexíveis, mantendo uma boa transparência. Isto porque o consumidor exige, cada vez mais, um produto com suas propriedades mantidas inalteradas e prefere enxergar o que está comprando. Para atender a esta crescente demanda e contribuir positivamente para um posicionamento mais transparente de produtos e marcas, a Terphane, empresa líder em filmes PET (poliéster), disponibiliza o Terphane CBR, um filme de poliéster que, segundo a empresa, proporciona excelente barreira e transparência a estruturas de embalagens flexíveis.

O Terphane CBR dispensa a coextrusão com EVOH, o uso de recobrimento ou de PVOH, garante a Terphane. Ele possui tratamento Corona na face oposta à camada barreira e foi desenvolvido para proporcionar ao convertedor de embalagens uma boa estabilidade nos processos de impressão e de laminação, além de oferecer ao usuário final uma embalagem que atenda às necessidades de barreira transparente estável a gases, afirma a empresa. “Sem dúvida, o CBR é um filme que confere ao produto uma excelente apresentação em termos de embalagem”, comenta Flávia Silveira, Desenvolvimento de Negócios da Terphane.

Outros importantes atributos do filme CBR mencionados pela Terphane:

· barreira a gases, aromas e gorduras;
· propriedades mecânicas e ópticas, uniformidade de espessura, estabilidade dimensional e térmica;
· alto desempenho nos processos de conversão;
· tratamento nas duas faces, o que permite ancoragem de tintas (processos de rotogravura e flexografia), adesivos e vernizes;
· disponibilidade na espessura de 12 micra.

O Terphane CBR é aprovado pelas normas brasileiras e internacionais para o contato direto com alimentos. “Mas realmente o grande apelo é a alta barreira em um filme de apenas 12 micra, o que o torna um material ambientalmente positivo”, lembra Flávia. Segundo a especialista, por suas características o CBR é indicado para embalagens de massas frescas, queijos, nozes e castanhas, ração animal, maionese e produtos com atmosfera modificada (ATM). Outro importante diferencial mencionado pela Terphane é que, por sua alta transparência, o filme permite a produção de embalagens com janelas que criam um atrativo no ponto de venda, permitindo que o consumidor final visualize o produto, constatando sua qualidade, e possa monitorar quando ele estiver acabando.

Quando laminado a uma camada selante de PE (polietileno) ou de PP (polipropileno), os resultados de permeabilidade se completam, pois, o filme atua como barreira a oxigênio e a camada selante, como barreira à umidade.

Desde a sua fundação em 1976, a Terphane concentra-se no desenvolvimento de tecnologias e processos de fabricação de filmes especiais de poliéster biorientado (BOPET). A empresa se destaca ainda por uma cadeia verticalizada que vai desde a produção da resina até a extrusão de filmes especiais. Esta característica garante um desempenho único aos filmes Terphane e a coloca como líder de mercado na América Latina. A Terphane faz parte do grupo industrial norte-americano Tredegar.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Terphane

Curta nossa página no </

Davis-Standard adquire fabricante americano de equipamentos de termoformagem para a indústria de embalagens de alimentos

02/12/2018

A Davis-Standard, LLC anunciou que adquiriu a Thermoforming Systems LLC de Yakima, Washington (EUA). A TSL projeta, fabrica e comercializa equipamentos avançados de termoformagem para a indústria de embalagens de alimentos na América do Norte.

“A TSL é líder de mercado em tecnologia de equipamentos de termoformagem para embalagens de alto volume e estamos entusiasmados em dar as boas vindas à sua equipe dedicada que se incorpora à Davis-Standard hoje”, disse Jim Murphy, presidente e CEO da Davis-Standard. Murphy acrescentou: “Estamos entusiasmados com esta oportunidade com a TSL, à medida em que compartilhamos os valores centrais e um foco em nossos clientes, na tecnologia e na inovação de produtos. Este é um dia empolgante para ambas as organizações quando começamos nosso futuro juntos.”

James Naughton, presidente da Thermoforming Systems LLC, comentou sobre a transação. “A Davis-Standard tem uma reputação de longa data como líder global em tecnologia de extrusão e foi nosso parceiro preferido para trabalhar”, disse ele. “Estamos muito satisfeitos em nos juntarmos a uma organização que compartilha nossos princípios de negócios e, junto com a Davis-Standard, a TSL buscará aprofundar seu compromisso com nossos clientes e funcionários. A TSL continuará a operar e a atender seus clientes como ante. Estamos entusiasmados com nossas oportunidades exclusivas de produtos com a Davis-Standard. ”

Fonte: Davis Standard

Curta nossa página no </

Terphane lança versão VMAT de filme de poliéster com aspecto mais fosco e toque aveludado

19/10/2018

Novo filme é especialmente indicado para a produção de embalagens de alimentos.

Atenta à necessidade dos proprietários de marcas de destacarem seus produtos e marcas no ponto de venda, a Terphane, empresa fabricante de filmes PET (poliéster) especiais, lançou a versão VMAT em sua linha de filmes mate (foscos). Como principais atributos, o novo filme é bem mais fosco e tem um toque aveludado, afirma a empresa. Como explica Marcos Vieira, Diretor de Pesquisa & Desenvolvimento Global Terphane, “até então os filmes mate tinham, no mínimo, 50 unidades de brilho. No VMAT, conseguimos atingir um índice praticamente inédito no mercado de PET, com 10 unidades de brilho”. Na prática, isto significa que o filme está muito próximo do fosco total, ou seja, do brilho zero.

Por estas características, o novo filme VMAT é indicado para embalagens de diversas categorias de produtos, embora o foco inicial da Terphane seja a indústria de alimentos. “O fato de não ter brilho garante à embalagem um enorme diferencial no ponto de venda”, reforça Vieira. Isto porque a leitura da embalagem melhora muito, especialmente num ambiente como o do supermercado, cuja luz normalmente gera reflexos; no caso do filme fosco, a luz não é refletida e a leitura e os grafismos ganham destaque aos olhos do consumidor.

“Para completar, ao pegar a embalagem o consumidor sente um toque aveludado, outro importante diferencial. Sem contar que, apesar de fosco, o VMAT é extremamente transparente. A face fosca é a externa e a face interna, que recebe a impressão, é brilhante e de altíssima transparência, garantindo grande destaque para a embalagem final”, explica Marcos Vieira.

O novo filme VMAT da Terphane, que faz parte da família MATE composta por três outros filmes, já está disponível em todo o mundo na espessura de 13 micra. Outras espessuras, num interalo de 5 a 75 micra, podem ser desenvolvidas de acordo com a necessidade do cliente. “Entendemos que o VMAT também tem um forte apelo sustentável por garantir um alto rendimento e por seu baixo peso”, completa o Diretor. Clientes no Brasil, na área de alimentos, já estão testando o novo VMAT da Terphane.

Desde a sua fundação em 1976, a Terphane concentra-se no desenvolvimento de tecnologias e processos de fabricação de filmes especiais de poliéster biorientado (BOPET). Sua equipe possui experiência e conhecimento em produção, revestimento e metalização de filmes. A empresa possui uma cadeia verticalizada que vai desde a produção da resina até os filmes especiais, sendo uma das líderes de mercado na América Latina e um importante player global. A Terphane faz parte do grupo industrial norte-americano Tredegar Corporation.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Terphane

Curta nossa página no