Posts Tagged ‘Elastômero’

FCC lança na Brasilplast 2011 o Fortiprene TPE VERDE, primeiro elastômero termoplástico com 50% de origem renovável

02/05/2011

A FCC faz na Brasilplast 2011 o lançamento do Fortiprene TPE VERDE, com até 50% de materiais renováveis, de origem vegetal. O desenvolvimento deste material pioneiro representa um importante passo na busca de soluções para as questões de sustentabilidade do planeta, minimizando a degradação do meio ambiente e a exaustão dos recursos naturais.

Para atender à demanda deste mercado, a FCC investiu R$ 10 milhões na instalação de uma unidade produtiva junto à sua matriz, em Campo Bom/RS, e na ampliação da unidade de Conceição de Jacuipe/BA. Com estes investimentos, a empresa duplica sua capacidade de produção da matéria-prima, passando a ter capacidade para 10.000 toneladas/ano.

A apresentação da nova matéria-prima acontece como mais um esforço da FCC para manter o ritmo de aceleração de sua participação neste segmento – a indústria teve crescimento de 40% nas vendas de TPEs em 2010.

Fortiprene TPE VERDE é totalmente reciclável e sua funcionalidade e demais propriedades mecânicas e físicas permanecerão similares aos demais produtos convencionais atualmente disponíveis no mercado.

O Fortiprene TPE VERDE pode ser utilizado em qualquer aplicação em que os TPEs tradicionais já são utilizados, como por exemplo, na substituição de peças feitas em borracha vulcanizada, utilidades domésticas, cabos de ferramentas e utensílios, além de peças de vedação automobilísticas, brindes e brinquedos, entre outros.

Resultado de pesquisas próprias, o desenvolvimento do produto esteve focado também na questão econômica. O Fortiprene TPE VERDE não custa mais caro que um TPE convencional de propriedades similares, o que é um apelo importante para sua aceitação. Além de não custar mais, a nova matéria-prima da FCC pode ser processada no mesmo tipo de equipamento que qualquer outro TPE – injeção, extrusão, sopro e calandragem. Ou seja, para usar a matéria-prima renovável, as indústrias não terão que fazer qualquer modificação em seus processos.

O diretor de termoplásticos da FCC, Julio Schmitt, acredita na aceitação da nova matéria-prima, que oferecerá a fabricantes de utensílios, embalagens, a possibilidade de fazer uso de um material reciclável para a produção de peças e detalhes com toque macio e com característica anti-derrapante. O Fortiprene TPE Verde é feito para ser usado em peças que requeiram maciez de toque e o efeito anti-derrapante, como os cabos de ferramentas, cabos de escovas de dentes, embalagens de cosméticos, entre outros.

LINHA DE TPVs

A FCC está apresentando na Brasilplast também a linha completa de TPVs (Elastômeros Termoplásticos Dinamicamente Vulcanizados à base de PP/EPDM), o primeiro elastômero termoplástico dinamicamente vulcanizado (TPV) com tecnologia brasileira.

A FCC é a precursora brasileira na concepção dessa tecnologia. O Fortiprene TPV tem grande aplicação em autopeças de vedação.

A FCC projeta incremento significativo de sua participação no mercado de TPVs, “porque um produtor brasileiro de TVP atende mais rapidamente aos seus clientes, tanto no fornecimento quanto no desenvolvimento de peças”. Com o mercado doméstico aquecido, “as indútrias que usam esta matéria-prima precisam de um fornecedor local, para reduzir o tempo de desenvolvimento de novas peças, além dos recursos aplicados em estoque. A racionalização agiliza a produção e contribui para a formação de preços”.

CAPACIDADE DE DISTRIBUIÇÃO AMPLIADA

Para melhor atender aos clientes da região Sudeste, a FCC não investiu apenas na ampliação da capacidade de produção. A empresa está inaugurando uma unidade de distribuição em São Paulo, capital, com estoque, laboratório, show room e local de atendimento e suporte de serviços ao cliente.

O investimento faz parte do projeto da FCC, de oferecer agilidade no atendimento ao cliente, tanto para o fornecimento do produto quanto para o desenvolvimento de peças técnicas.

Fonte: Brasilplast / FCC

Anúncios

Rio Grande do Sul receberá investimento de R$ 300 milhões da Braskem para duplicação de unidade de butadieno.

30/03/2011

Após algumas semanas de negociações que envolveram as secretarias da Fazenda e de Desenvolvimento e Promoção do Investimento, a Braskem garantiu ao governador Tarso Genro que investirá R$ 300 milhões na duplicação da produção de butadieno no Polo Petroquímico de Triunfo. O produto é a matéria-prima utilizada na indústria de pneus e de borrachas em geral, oportunizando o crescimento da cadeia de elastômeros no Estado.

A confirmação foi feita pelo vice-presidente de Relações Institucionais da empresa, Marcelo Lyra, e pelo membro do Conselho de Administração, Alfredo Tellechea, durante reunião ocorrida nesta terça-feira (29) no Palácio Piratini. “A decisão, que ainda precisará ser ratificada pelo Conselho de Administração da empresa, foi influenciada pela visão estratégica do Governo visando o crescimento do Estado e está alinhada com o compromisso da Braskem com o desenvolvimento econômico do Rio Grande do Sul”, afirmou Lyra.

O Governo do Estado garantiu a isenção de ICMS na importação de máquinas e equipamentos que não sejam produzidos no Rio Grande do Sul e que cheguem ao Brasil por portos gaúchos. Além disso, não cobrará impostos sobre máquinas e equipamentos adquiridos de empresas gaúchas e autorizou a Braskem a pagar fornecedores do Estado com parte dos créditos.

“Nossa equipe agiu com muita responsabilidade. Os incentivos que estamos concedendo trarão benefícios na geração de emprego e renda, mas também para toda uma cadeia produtiva gaúcha que terá privilégios na venda de máquinas e equipamentos para a Braskem. Desta forma, nós valorizamos e beneficiamos outras regiões”, ressaltou o governador Tarso Genro.

A divulgação formal do investimento será realizada no Palácio Piratini. Na mesma data, a intenção é anunciar o início da construção de um programa para o desenvolvimento das cadeias do plástico e da borracha. O investimento prevê a instalação de capacidade adicional de 100 mil toneladas de butadieno/ano. Atualmente, a Braskem possui capacidade instalada de 105 mil toneladas/ano deste produto no Rio Grande do Sul.

A decisão de apostar na expansão baseia-se no potencial da cadeia produtiva do elastômero no Estado, que tem como principais players a Lanxess e a Borrachas Vipal, e nos bons resultados que a matéria-prima vem apresentando no mercado internacional com alta em mais de 50% no ano passado em relação a 2009. O aumento é reflexo de fatores como limitação da oferta mundial pela maior competitividade do gás natural e a redução do uso da nafta, restringindo a oferta de co-produtos, como o butadieno.

A construção da nova fábrica deve estar concluída até o final de 2012. A obra irá gerar mil empregos diretos e, em operação, 60 postos de trabalho permanentes. Em visita a Porto Alegre, em janeiro último, o presidente da Braskem, Carlos Fadigas, destacou a relevância do Estado para a empresa. “No período 2007 a 2012, a Braskem está investindo R$ 2,2 bilhões no RS com destaque para a fábrica de plástico verde a partir de etanol, a maior unidade do mundo na utilização dessa tecnologia. Esse montante também inclui investimentos em incremento de produtividade e modernização dos ativos e em paradas de manutenção”.

Fonte: Braskem

LANXESS fecha acordo para compra da DSM Elastômeros

15/12/2010

Negócio envolve a incorporação de uma fábrica em Triunfo (RS), com capacidade de 40 mil toneladas/ano

A LANXESS e a holandesa Royal DSM N.V. firmaram um acordo para a venda da DSM Elastômeros para a LANXESS por 310 milhões de euros, à vista e livre de dívidas. A aquisição será financiada pela LANXESS a partir da liquidez existente e deverá ser acretiva como EPS (lucro por ação) a partir de 2011.

O negócio envolve a incorporação de duas fábricas da DSM Elastômeros, sendo uma localizada em Triunfo (RS), com capacidade anual de 40 mil toneladas, e outra, em Sittard-Geleen (sede da empresa), na Holanda, com capacidade produtiva de 160 mil toneladas/ano.

A DSM Elastômeros produz borracha sintética de monômeros de etileno propileno dieno (EPDM), sob a marca Keltan. Possui aproximadamente 420 funcionários em todo o mundo e deverá obter um faturamento de cerca de 380 milhões de euros em 2010.

Os contratos serão finalizados após a conclusão do processo de consulta com os representantes dos trabalhadores da DSM na Holanda. A transação ainda está sujeita à aprovação pelas autoridades antitruste e deve ser concluída nos primeiros meses de 2011.

“Estamos ansiosos para dar as boas vindas aos profissionais da equipe de EPDM da DSM, bem como para receber seus ativos em nossas principais atividades de borracha sintética”, disse Axel C. Heitmann, presidente mundial da LANXESS. “A transação também será um passo importante rumo à nossa meta de atingir cerca de 1,4 bilhão de euros em EBITDA pré-excepcionais em 2015”.

Feike Sijbesma, CEO/Chairman do Conselho de Administração da DSM disse: “A venda da DSM Elastômeros completa a nossa estratégia Vision 2010, para nos tornarmos uma empresa focada em Life Sciences e Materials Sciences. Essa transformação foi alcançada de acordo com o nosso cronograma e em condições favoráveis para nossos acionistas e funcionários. A DSM entrou agora em uma nova era, focada no estímulo ao crescimento e no retorno com maior rendimento, qualidade e confiança para cumprir nossas metas em médio prazo.”

O negócio será integrado à unidade de negócios Technical Rubber Products (TRP) da LANXESS, chefiada por Guenther Weymans, que comercializa EPDM sob a marca Buna PE®, com produções em Marl, na Alemanha, e em Orange, nos Estados Unidos; uma capacidade anual combinada de 120 mil toneladas.

Segundo Marcelo Lacerda, Presidente da LANXESS no Brasil, a empresa deu mais um importante passo para impulsionar suas atividades no país, onde já opera com suas 13 unidades de negócios e quatro fábricas. “Esta aquisição reforça nossa presença e amplia nossa base de produção no mercado brasileiro, ao mesmo tempo em que ratifica o comprometimento da LANXESS em crescer nos países do BRIC”, disse o executivo.

Com cerca de mil funcionários em todo o mundo, a unidade de negócios TRP faz parte do segmento Performance Polymers da  LANXESS, que registrou um faturamento de 2,4 bilhões de euros em 2009. Outros produtos do portfólio da unidade TRP incluem a borracha de policloropreno (CR), borracha nitrílica hidrogenada (HNBR), borrachas de etileno vinil acetato (EVM) e borracha nitrílica (NBR).

Produção sustentável e aplicações variadas

Com a transação, a LANXESS pretende fortalecer a sua base tecnológica por meio do acesso à tecnologia ACE, que, em comparação aos processos convencionais, reduz os custos com energia e produção de EPDM, ao mesmo tempo em que amplia as possibilidades de aplicação da borracha. A DSM está em processo de implementação desta tecnologia em uma escala maior em seu site em Sittard-Geleen.

“Nossos clientes serão beneficiados com uma vasta gama de produtos Premium de EPDM”, ressaltou Werner Breuers, membro do Conselho da LANXESS. A LANXESS avaliará a implementação da tecnologia ACE em suas fábricas existentes.

A borracha sintética de EPDM é utilizada, sobretudo, na indústria automobilística, mas também nas indústrias de modificação de plásticos, cabos e fios, construção e óleos aditivos. Suas propriedades incluem densidade muito baixa, boa resistência ao calor, à oxidação, a produtos químicos e a intempéries, assim como boas propriedades de isolamento elétrico. O mercado global prevê um crescimento percentual de um dígito por ano, nos próximos dez anos, desse tipo de borracha, impulsionado pelo aumento das demandas no Brasil e na China.

A LANXESS é líder em especialidades químicas, com volume de vendas de 5.06 bilhões de euros em 2009. Atualmente conta com cerca de 14.500 funcionários distribuídos em 23 países. A companhia está presente em 42 unidades de produção ao redor do mundo. O core business da LANXESS é o desenvolvimento, produção e venda de especialidades químicas, plásticos, borracha e intermediários. No Brasil, a LANXESS está representada por meio de suas 13 unidades de negócio e possui unidades produtivas, laboratórios e escritórios nas cidades de São Paulo e Porto Feliz (SP), São Leopoldo e Triunfo (RS), Duque de Caxias (RJ), Cabo de Santo Agostinho e Recife (PE).

A Royal DSM N.V. cria soluções que fomentam, protegem e melhoram o desempenho. Seus mercados finais incluem nutrição e saúde humana e animal, cuidado pessoal, produtos farmacêuticos, automotivos, revestimentos e pintura, elétrica e eletrônica, proteção da vida e habitação. A DSM tem um faturamento anual líquido de cerca de € 8 bilhões e emprega aproximadamente 22.700 pessoas em todo o mundo. A empresa tem sede na Holanda, e possui unidades em cinco continentes. A DSM está listada na Euronext Amsterdam. Mais informações: www.dsm.co.

Fonte: Virta

SENAI-RS organiza Seminário de Atualidades Tecnológicas em Elastômeros, Plásticos e Adesivos.

16/09/2010

Entre 30 de setembro e 1º de outubro, acontece a XV edição do Seminário de Atualidades Tecnológicas: Elastômeros, Plásticos e Adesivos, no Centro de Eventos da FIERGS, em Porto Alegre (RS).

Organizado pelo SENAI, o encontro funciona para atualização e intercâmbio de informações, acesso a inovações técnicas, tecnológicas e de gestão ao setor. No público-alvo, estão empresários, técnicos, pesquisadores, estudantes, professores e outros profissionais ligados ao setor.

Fonte: Boletim do INP

Solvay aumenta a capacidade de produção de Tecnoflon® para atender à crescente demanda.

09/09/2010

Fluoroelastomêros são usados em aplicações de baixas emissão e com combustíveis alternativos na indústria automotiva

A Solvay anuncia que decidiu aumentar a capacidade de produção de Fluoroelastômeros curáveis por Peróxidos (PC Fluoroelastômeros) , comercializados sob a marca Tecnoflon®, na planta Solvay Solexis, em Spinetta Marengo, Itália. A Solvay está investindo 10 milhões de Euros no aumento da capacidade, que deverá iniciar a produção na primeira metade de 2012.

A demanda por PC Fluoroelastômeros na indústria automotiva está aumentando rapidamente, pois estes polímeros – que são resistentes a altas temperaturas e apresentam uma marcante resistência química – são bem apropriados para aplicações de baixa emissão e com combustíveis alternativos, tais como o biodiesel, o qual exige mais dos equipamentos do que o diesel mineral convencional. Os Fluoroelastômeros são também usados em sistemas para combustíveis alternativos contendo metanol ou etanol, onde a sua baixa permeabilidade reduz perdas de combustíveis, assim como em selos de eixos sem mola, os quais tem menos fricção e conseqüentemente maior eficiência energética, ou em turbo mangueiras de carga energeticamente eficientes, funcionando a temperaturas mais altas.

Por causa da sua flexibilidade, combinada com propriedades mecânicas superiores, os PC Fluoroelastômeros são igualmente usados para aplicações críticas na indústria aeroespacial e nos ambientes muito quentes e quimicamente agressivos que são comuns na extração de petróleo e gás.

“Nossos notáveis fluoroelastômeros de alta performance estão ajudando nossos clientes a aumentar a sua eficiência energética e a reduzir emissões. A demanda por estes produtos tem se recuperado de forma impressionante aos níveis pré-crise e se espera que continue a crescer à medida que eles são usados em novas aplicações e substituem materiais de menor desempenho. Nós estamos comprometidos em apoiar nossos clientes nessa jornada e manter nossa posição de liderança nesta área”, comenta Pierre Joris, Diretor da Solvay Solexis. “O desempenho de nossa grupo especial de especialidades poliméricas de alta performance claramente demonstra que a química está ajudando a responder aos desafios globais”, complementa Augusto Di Donfrancesco, Gerente Geral da Unidade de Negócios Estratégicos de Especialidades Poliméricas da Solvay.

SOBRE A SOLVAY: A Solvay é um grupo industrial internacional ativo em Química, oferecendo uma ampla gama de produtos e soluções nesse mercado. O grupo tem base em Bruxelas e emprega aproximadamente 19.000 pessoas em 50 países. Em 2009, suas vendas consolidadas anuais somaram 8,5 bilhões de Euros. As ações da Solvay são vendidas na bolsa de valores NYSE Euronext em Bruxelas.

Fonte:  Solvay

FCC mostra na Interplast peças injetadas, com aspecto de cristal

20/08/2010

A FCC aproveita sua participação na feira para mostrar a evolução do Elastômero Termoplástico. O material permite a produção de peças transparentes, com o aspecto de cristal, flexível e inquebrável. Ele atende vários segmentos, como o da construção civil, metal mecânico, utilidades domésticas, saúde e higiene, operações de montagem e calçadista, que poderão oferecer produtos com a transparência do cristal e mais duráveis. Também atende os fabricantes de peças para demandas mais severas, como cabos de ferramentas, que buscam a transparência do cristal, mas necessitam da flexibilidade e resistência ao impacto do Fortiprene TPE 7201. Quem passar pelo estande da empresa poderá conhecer as peças injetadas por clientes que já usam o material.

A FCC é um dos maiores fabricantes de sistemas de colagem e vedantes, compostos termoplásticos e resinas poliuretânicas da América Latina. Com origem no setor calçadista, segmento que tem participação preponderante em sua produção. A empresa é uma das líderes globais em tecnologias para adesivos aquosos e tem tecnologia própria na síntese de poliuretanos e é o maior e mais diversificado fornecedor de Elastômeros termoplásticos da América Latina. Para garantir seu espaço no mercado, a empresa investe forte na certificação de seus processos, garantindo a aceitação de seus produtos em todos os continentes.

Fonte: Messe Brasil

Thathi Polímeros lança resinas plásticas importadas da Dupont

12/08/2010

A Thathi Polímeros, distribuidora da Dupont no Brasil, lança na Interplast 2010 resinas plásticas importadas Dupont e busca fortalecer a rede de clientes no sul do Brasil. A resina de poliéster Crastin® PBT é um dos produtos mais utilizados na injeção de peças plásticas do segmento eletroeletrônico, devido às propriedades elétricas. O termoplástico de engenharia Delrin ® POM combina propriedades mecânicas, químicas e tem baixa absorção de umidade, diferenciais que o fazem substituir os metais em grande escala.

O termoplástico elastomérico Hytrel® combina as características de alto desempenho dos elastômeros com a processabilidade dos termoplásticos e pode ser utilizado em temperaturas de -40ºC a 110 ºC, em aplicações que envolvem grande resistência ao impacto, flexibilidade e redução de ruídos. A combinação do polímero de tereftalato e a fibra de vidro do Rynite® PET conferem ao material combinação de estabilidade térmica, propriedades elétricas, estabilidade dimensional, rigidez e estabilidade ao descoloramento para cores claras, mesmo quando exposto ao calor.

Leva a feira também, a tradicional linha de nylon da marca Zytel.

Sobre a Thathi Polímeros
Fundada em 1987 como empresa comercial, a Thathi Polímeros foi oficializada como distribuidora da Dupont no Brasil em 1994. É a maior distribuidora de resinas plásticas de engenharia do país e tem certificação da SGS ICS, desde 2002. Desenvolve projetos para a indústria automotiva, eletroeletrônica, construção civil e linha de consumo, auxiliando na indicação e aplicação técnica da matéria-prima.

Fonte: Messe Brasil