Posts Tagged ‘Eficiência Energética’

Dart do Brasil reduz consumo energético com uso de resina Maxio da Braskem

24/08/2017

Solução da Braskem oferece maior eficiência e competitividade ao mercado transformador

A Braskem avança em mais uma parceria com clientes ao homologar e fornecer nova resina de Polipropileno (PP) para a Dart do Brasil, fabricante da marca Tupperware®. Segundo a Braskem, o polímero RP 340R faz parte da linha Maxio® e oferece maior índice de fluidez e eficiência, além de ganhos ambientais, gerando resultados, como aumento de produtividade e redução nos custos energéticos.

Com o acompanhamento técnico e o foco nas demandas do cliente, a Braskem busca oportunidades para oferecer resinas mais eficientes. “A mudança possibilitou um aumento de mais de 10% no ciclo de produção e uma redução no consumo energético que superou os 7%, ampliando de forma significativa a competitividade do cliente, sem a necessidade de um investimento em novos equipamentos de injeção”, afirma Arinaldo Zanotta, Engenheiro de Aplicação da Braskem.

O uso da resina Maxio® foi aplicado à aproximadamente 80% da linha de produtos da Dart, que conta mais de 40 injetoras em seu parque fabril no Rio de Janeiro. A empresa aprovou a resina em testes no Centro de Tecnologia da Tupperware na Bélgica, o que permitiu a sua homologação no Brasil e também na Europa, viabilizando seu uso global. “Esse é um grande passo. Com essa aprovação, podemos comercializar a resina para todas as unidades da Tupperware no mundo”, destaca Jefferson Bravo, Gerente de Contas da Braskem.

Linha Maxio®

Segundo a empresa, o selo Maxio® indica as resinas ecoeficientes do portfólio da Braskem que proporcionam aos clientes redução do consumo de energia, maior produtividade no processo produtivo e redução de peso do produto final, o que garante mais eficiência e, consequentemente, ganhos ambientais. Os benefícios são obtidos graças à evolução contínua das resinas, preservando ou melhorando propriedades mecânicas, químicas e óticas de produtos acabados.

Fonte: Braskem

Curta nossa página no

Anúncios

Sistema Firjan convoca empresas de plástico a participarem do Procompi

24/08/2017

Micro e pequenas empresas do setor de transformação de plástico receberão consultoria em eficiência energética

Empresas do setor de transformação de plástico das regiões Metropolitana, Baixada e Centro-Sul do estado do Rio podem se inscrever no Programa de Apoio à Competitividade das Micro e Pequenas Indústrias (Procompi). Parceria entre a Confederação Nacional da Indústria (CNI), Sebrae e Sistema FIRJAN, a iniciativa oferece benefícios para financiamento de projetos de eficiência energética para as empresas do setor de plástico, com o objetivo de elevar a competitividade da indústria.

O programa executará capacitações, diagnóstico de eficiência energética e acompanhamento das oportunidades de melhoria, promovida por consultoria especializada em cada empresa. As empresas interessadas em participar do Procompi podem obter mais informações e se inscrever por meio do preenchimento e assinatura do Termo de Adesão, disponível em http://www.firjan.com.br/procompi. Após assinatura, o termo deve ser encaminhado pelo e-mail: plastico@firjan.com.br.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Firjan

Curta nossa página no

Eficiência energética como diferencial competitivo é tema de seminário na Plástico Brasil

11/03/2017

Realizado pela ABIMAQ, encontro acontece no quarto dia feira, 23 de março, e apresenta soluções para um tema essencial à redução dos custos operacionais das indústrias e ao uso racional dos recursos naturais. As inscrições estão abertas

A Plástico Brasil – Feira Internacional do Plástico e da Borracha, que acontece de 20 e 24 de março, no São Paulo Expo, vai sediar o Seminário Eficiência Energética como Diferencial Competitivo. Realizado pela ABIMAQ – Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos, o seminário visa apresentar as soluções mais atuais sobre um tema relacionado não só à redução dos custos operacionais das indústrias – essencial em tempos de retração da atividade econômica –, mas também ao uso racional dos recursos naturais.

Especialistas e representantes de grandes empresas vão comentar cases e práticas adotadas em indústrias do setor de plásticos e borracha. As palestras acontecem no dia 23 de março no mezanino do São Paulo Expo, e a inscrições podem ser feitas pelo link http://plasticobrasil.com.br/pt/seminario-eficiencia-energetica. O investimento é de R$ 80 para associados da ABIMAQ, ABIQUIM e VDMA e R$ 120 para demais interessados.

Confira a programação:

Dia 23 de março

  • 14h: Abertura
  • 14h20: Palestra: A Qualidade no Mercado de Eficiência Energética, por Alexandre Sedlacek Moana, Presidente da ABESCO –  Associação Brasileira das Empresas de Serviços de Conservação de Energia
  • 14h45: Palestra: ISO 50001 – A Norma de Gestão de Energia na Indústria de Plásticos, por Edgard Dutra, Diretor Comercial da Metaplan Equipamentos Ltda
  • 15h10: Palestra: Soluções e Cases do Setor Plástico, por Sidnei Amano, Coordenador do CNEE – Centro de Negócios de Eficiência Energética da Weg Equipamentos Elétricos S/A – Região Sudeste
  • 15h35: Palestra: Eficiência Energética na Produção de Plásticos, por Cristiano dos Santos Gonçalves, Diretor Industrial da Schneider Electric Brasil Ltda
  • 16h: Palestra: Benefícios da Cogeração nas Indústrias de Borracha, por Oliver Jones, Engenheiro Novos Produtos da Ecogen Brasil Soluções Energéticas S.A.
  • 16h25: Perguntas dos participantes
  • 16h45: Encerramento

A Feira Plástico Brasil é uma iniciativa da ABIMAQ – Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos e da ABIQUIM – Associação Brasileira da Indústria Química, com organização e promoção da Informa Exhibitions, a Plástico Brasil será palco de avanços tecnológicos e tendências globais dos  segmentos que compõem a cadeia produtiva do plástico: instrumentação, controle e automação, máquinas, equipamentos e acessórios, moldes e ferramentas, produtos básicos e matérias-primas, reciclagem, resinas sintéticas, serviços e projetos técnicos e outros. O evento vai receber uma visitação de transformadores e profissionais da indústria do plástico, que atendem e atuam em diversos segmentos, como construção civil, automóveis e autopeças, agricultura, móveis, eletrônicos, instrumentos médicos, vestuário e calçados e eletrodomésticos, entre outros.

Serviço: PLÁSTICO BRASIL – Feira Internacional do Plástico e da Borracha
Data: 20 a 24 de março de 2017
Local: São Paulo Expo Exhibition & Convention Center
Realização: ABIMAQ – Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos e ABIQUIM – Associação Brasileira da Indústria Química.
Promoção e organização: Informa Exhibitions
Patrocínio Oficial: Romi

Fonte: Assessoria de Imprensa – Plástico Brasil

Curta nossa página no

Esquadrias de PVC otimizam custos de climatização de ambientes

18/03/2015

Kommerling_economia_energiaCom o aumento de 17% nas contas de energia em 2014 e a previsão de que devem alcançar pelo menos 50% ao longo de 2015, as esquadrias de PVC apresentam-se como uma excelente opção para reduzir os custos com climatização com ar condicionado, sobretudo em relação às janelas de alumínio que, com a elevação da temperatura, transmitem o calor de fora para dentro, exigindo mais do funcionamento do ar condicionado para resfriar o ambiente.

As esquadrias de PVC – que não são condutoras nem de som nem de calor – reduzem os gastos com a climatização do ambiente, proporcionando uma economia de até 75% com a energia elétrica, em comparação com uma janela convencional, afirma a Kommerling, fabricante de esquadrias de PVC. Além de evitar o desperdício energético, elas são totalmente recicláveis  e não têm metais pesados em sua formulação, afirma a empresa

“Tendo em conta que toda esquadria deve desempenhar seu papel isolante, a janela tem um grande potencial para reduzir os gastos com a climatização. Neste quesito, as esquadrias de PVC contribuem para o menor consumo de energia com ar condicionado”, faz questão de ressaltar Oliver Legge, diretor para a América Latina da Kommerling. Ele excplica que quanto menos energia se perde pelas aberturas, mais se economiza, lembrando que quando se economiza energia elétrica, não se está apenas protegendo o próprio patrimônio, mas também o planeta.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Kommerling

Curta nossa página no

Sindiplast-ES chama atenção para eficiência energética nas empresas

20/05/2014

A atual situação energética nacional, com períodos de baixos níveis nos reservatórios de hidrelétricas e alto custo da tarifa de energia, tem preocupado ao empresários do setor do Plástico, já que o gasto com energia interfere diretamente na competitividade das empresas.

Há dois anos, o Sindicato da Indústria de Material Plástico do Espírito Santo (Sindiplast-ES) realizou uma parceria com o Sebrae-ES para a aplicação de um programa de eficiência energética nas empresas associadas, com consultoria para o uso racional e inteligente da energia. Algumas empresas aderiram, mas o resultado ainda não foi considerado satisfatório pelo Sindicato.

“Estimamos que o custo com energia elétrica deve aumentar de 15% a 20% até agosto deste ano. O uso eficiente deste bem é a melhor maneira de evitarmos perda de competitividade, por isso, mais uma vez estamos chamando a atenção do empresariado do setor para buscarem a redução dos custos diretamente no processo de produção”, enfatiza o presidente do Sindiplast-ES, Neviton Helmer Gasparini.

Neviton complementa que o serviço de consultoria pode realizar a análise tarifária e orientar quanto à redução de perdas de calor em equipamentos e tubulações, correção do fator de potência, troca de motores, aquisição de novas máquinas, troca de lâmpadas, entre outros. “A atitude deve partir do próprio empresário através de um diagnóstico de eficiência energética e com investimentos para a redução do consumo”, finaliza o presidente do Sindiplast-ES.

Fonte: Sindiplast-ES

Curta nossa página no

CasaE da BASF: Uso de Poliuretanos colabora para uma obra rápida e eficiente

04/06/2013
  • Redução no consumo de energia é um dos benefícios alcançados com espuma rígida de poliuretano.
  • Elastômero de poliuretano age como impermeabilizante e pode ser aplicado em superfícies de todos os tipos.

Projeto pioneiro da BASF, a CasaE, Casa de Eficiência Energética, é apresentado no Brasil e traz novidades  desenvolvidas pela empresa no mercado de construções. A unidade brasileira é a décima da BASF no mundo e reúne produtos de todos os segmentos da empresa que juntos colaboram para uma economia de 70% de toda a energia utilizada pela residência.

“A CasaE visa a eficiência energética e conta  com produtos desenvolvidos pela BASF especialmente para ela. Ela reúne em um único espaço, tecnologias que atendem às demandas globais avaliadas pela empresa como grandes desafios para os próximos anos e que servirão como direcionadores dos processos de inovação e sustentabilidade dentro da empresa. Dentre eles está o conceito de urbanização, com ramificações para os setores de construção e cuidados para o lar, já que no ano de 2050, cerca de 75% da população mundial viverá em cidades“, avalia Michel Mertens, vice-presidente sênior da BASF para a América do Sul.

Entre os produtos desenvolvidos especialmente para a CasaE, há uma linha do segmento de Poliuretanos destinados à impermeabilização, fabricação de pisos e ao conforto térmico. Além de serem mais eficientes, essas substâncias diminuem o tempo da obra.

O Elastocoat®, elastômero de poliuretano, apresenta-se como um produto  versátil e durável. Ele funciona como ligante ou membrana impermeabilizante, protegendo as mais diversas superfícies. Na CasaE o produto foi utilizado no piso da guarita, na impermeabilização da laje da sala de reunião e no piso da casa de máquinas.

O projeto também recebeu o ElastopaveTM, um composto aglutinante de poliuretano, que misturado com cascalhos ou pedras constrói superfícies altamente permeáveis, substituindo pavimentos convencionais. O resultado pode ser visto no pavimento drenante ao redor da casa e na calçada.

Entre os Poliuretanos ainda está o Elastopor®/Elastopir®, uma espuma rígida de poliuretano que proporciona maior conforto térmico, reduzindo o consumo de energia e gerando rapidez no processo de instalação. O produto foi aplicado nas paredes e telhas da guarita e  na parede divisória  entre o home e o quarto infantil.

Fonte: BASF

Curta nossa página no

Poliestireno Expandido e Espuma Melamínica geram isolamento térmico e acústico na CasaE construída pela BASF

03/06/2013
  • Além de reduzir consideravelmente os ruídos externos, espuma especial Basotect®  retarda chamas.
  • Isolamente térmico do Neopor®  chega a 20% em relação tradicional.

O projeto CasaE, Casa de Eficiência Energética, pretende mostrar ao mercado brasileiro as últimas novidades em produtos e técnicas para uma construção mais sustentável. A iniciativa da BASF, que com a casa brasileira agora soma 10 unidades no mundo, tem o objetivo de revolucionar o mercado da construção civil. Um dos grandes diferenciais da CasaE é o seu sistema construtivo que, além de maior rapidez na obra, gera uma economia de energia que chega a aproximadamente 70%.

“Queremos mostrar que o conceito construtivo (método, técnica e produtos) utilizado na CasaE pode ser utilizado em uma moradia comum, sendo totalmente factível ao mercado. Aos poucos pretendemos transformar a cultura da indústria da construção e de seus consumidores“, ressalta Michel Mertens, vice-presidente sênior da BASF para a América do Sul.

Na CasaE o sistema construtivo não é de alvenaria tradicional. Entre as inovações que ela apresenta estão os Polímeros de Performance da BASF, que foram usados em quase todos os ambientes. Graças aos produtos dessa linha, a residência tornou-se mais protegida de ruídos externos e de incêndios.

O Neopor® é um dos isolantes mais eficientes do mercado. Os blocos de poliestireno expansível (EPS) geram maior proteção contra umidade e variações de temperatura. Na CasaE o produto foi aplicado nas paredes da sala, dos quartos, da cozinha e do elevador, além das lajes da sala e quartos. O produto apresenta performance de isolamento térmico acima de 20% em relação ao EPS convencional e até 70% acima da alvenaria tradicional.

Já os forros da sala de reunião, do auditório e do home teather foram revestidos com Basotect®, uma espuma especial à base de melamina que promove elevado nível de conforto acústico. O produto ainda é o único dessa categoria que é retardante de chamas.

Além dessas duas soluções, diversas outras foram aplicadas na casa para tornar seu processo mais ágil e com contribuição à eficiência energética.

Fonte: BASF

Curta nossa página no

Romi prepara lançamentos com baixo consumo de energia para Feiplastic 2013

22/02/2013

feiplastic

A nova injetora Romi EL 75 está entre as novidades que a multinacional brasileira incluirá no portfólio de produtos para atender os principais setores da indústria plástica

Novidades em máquinas sustentáveis com alta eficiência energética estão sendo preparadas pelas empresas expositoras da Feiplastic 2013, principal feira de negócios da indústria plástica da América Latina, que se realiza em maio de 2013.  Um dos exemplos é a Romi, maior fabricante de máquinas injetoras e sopradoras para termoplástico do Brasil. Entre os lançamentos está a injetora Romi EL 75, que atende à norma ISO 14000 para gestão ambiental.

William dos Reis, diretor da Unidade de Plásticos da empresa, explica que a Romi trabalha constantemente no desenvolvimento de máquinas com alto padrão de qualidade e baixo consumo de energia. “Além disso, temos a certificação nas normas ISO 14000 pelo ABS desde 2005”, completa Reis. A presença na Feiplastic é apontada pelo diretor como uma ferramenta de geração de negócios. “Queremos sempre estar próximos aos nossos clientes, divulgando nossa marca, produtos e serviços”.

A Feira Internacional do Plástico vem sendo divulgada nos 35 escritórios que a Reed Exhibitions mantém em todo o mundo. O investimento da organizadora em divulgação deve chegar a R$ 5 milhões, divididos em 36 veículos nacionais, sete internacionais, além de ações em redes sociais da internet, entre outros meios de comunicação. Outras grandes marcas da indústria plástica nacional e internacional já confirmaram presença na Feiplastic. A lista inclui nomes como Basf, Bayer, Braskem, Deb’Maq, Wortex, entre outros. A feira ocupará 85 mil m² do Pavilhão de Exposições do Anhembi, deve reunir 1.400 marcas expositoras e público estimado de 70 mil visitantes, entre fabricantes, técnicos, engenheiros, profissionais do setor e transformadores de produtos plásticos.

Fonte: Assessoria de Imprensa da Feiplastic

Curta nossa página no

Arburg e BASF fazem exposição conjunta sobre eficiência energética em injeção durante a feira Fakuma 2011.

05/10/2011

Exemplo de aplicação: Combinação material / máquina que economiza energia. Em uma mostra especial na feira Fakuma 2011 (a ocorrer entre os dias 18 a 22/10/2011 em Friedrichshafen, na Alemanha), o produtor de materias-primas BASF e o fabricante de máquinas injetoras Arburg irão apresentar o tema multifacetado da eficiência energética. Os visitantes no Foyer Leste serão apresentados a medidas para aumentar a eficiência energética em injeção através de toda a cadeia de valor agregado – e além dela -, reduzindo, assim, custos unitários. Usando um plástico especialmente otimizado e a tecnologia de máquina apropriada, as duas empresas irão demonstrar como novos desenvolvimentos podem trabalhar conjuntamente para economizar energia.

Em uma área de exposição de 100 m2, o processo completo de moldagem por injeção será analisado em detalhes, em termos de eficiência energética: desde o projeto da peça até o planejamento de produção. Como um exemplo prático claro, a produção comparativa com dois plásticos diferentes irá mostrar como a eficiência energética pode ser aprimorada pela escolha correta do material. Para esta finalidade, uma injetora elétrica Arburg Allrounder 370 E irá produzir corpos de prova a partir de um plástico padrão e também de um material que foi especialmente melhorado em termos de suas características de fluxo. A função de “medida de energia” existente no sistema “Selogica” de controle da injetora registra o consumo energético do processo.

A comparação torna claro como uma máquina otimizada em termos energéticos, em conjunto com um plástico com características de fluxo melhoradas, podem contribuir para economias de energia significativas no processo de moldagem por injeção. Dependendo do tamanho das peças e das suas geometrias, temperaturas de processamento mais baixas e tempos de ciclo mais curtos resultam em maior eficiência energética, reduzindo assim os custos unitários de produção

Eficiência energética através de um material otimizado.

O novo material com características de fluxo melhoradas da BASF é o Ultramid B3WG6 High Speed (Poliamida 6 com 30% de fibras de vidro). As propriedades de fluxo melhoradas deste material termoplástico permitem uma temperatura de processamento mais baixa, resultando em vários benefícios em termos de economias de tempo, energia e custos.

Propriedades de fluxo melhoradas podem ser aproveitadas de várias maneiras. Estruturas delicadas e peças com paredes finas podem ser preenchidas mais facilmente e com mais confiabilidade, gerando uma queda na taxa de refugo, particularmente no caso de geometrias complexas. A redução significativa na pressão de injeção implica que os moldes serão submetidos a um desgaste muito menor. Isto aumenta o tempo de operação e reduz custos de manutenção. Um fluxo melhorado significa que menos pressão de injeção é requerida para peças grandes, em particular, de modo que a força de fechamento pode ser reduzida, permitindo que os transformadores possam fabricar os seus produtos em máquinas menores. Além disto, menos pontos de injeção ou bicos de sistemas de câmara quente são requeridos nos moldes. Mesmo com paredes finas, é ainda possível produzir peças com um conteúdo de fibra de vidro comparativamente alto.

A simulação de preenchimento no computador mostra a peça que será vista ao vivo durante a Fakuma 2011: um plástico com características de fluxo melhoradas (figura superior) é capaz de preencher adequadamente uma peça complexa, enquanto que um plástico convencional com o mesmo conteúdo de fibra de vidro não consegue realizar o preenchimento à mesma temperatura de processamento (figura inferior). A figura mostra a parte superior de um pião de aproximadamente 10 cm. com uma longa trajetória de fluxo. Com o plástico convencional, a frente de material fundido se solidifica prematuramente, de modo que a peça não é completamente preenchida.

Uma característica especial do Ultramid B3WG6 High Speed é a excelente qualidade da superfície da peça. As propriedades mecânicas do novo material, tais como rigidez e resistência mecânica, são comparáveis àquelas do plástico padrão.

Em termos de eficiência energética, o uso do novo material reduz o calor utilizado pela máquina injetora, que corresponde à maioria dos requerimentos globais de energia. Testes realizados pela BASF tem mostrado que o tempo de ciclo pode ser reduzido em até 30 % graças ao processamento a temperaturas aproximadamente 40°C mais baixas, ajudando a reduzir ainda mais o consumo de energia. Assim, nos testes – que são representativos de muitas aplicações-padrão – uma economia de energia global de 30 % pode ser alcançada, baseada no número de peças produzidas.

Tecnologia de máquina injetora energeticamente eficiente.

Além disso, como uma representante da série Edrive, a injetora elétrica Allrounder 370 E também contribui para a eficiência energética na produção de peças moldadas por injeção. As injetoras elétricas Allrounders são caracterizadas pela alta eficiência do acionamento servo-elétrico e das unidades de fechamento com joelhos mecânicos, por exemplo. A recuperação energética dos servo-motores durante a frenagem também tem um efeito benéfico na demanda energética da máquina. Juntos, estes fatores se combinam para reduzir o consumo energético de 25 a 50 %, em comparação com máquinas hidráulicas padrão, dependendo da aplicação. Como um indicativo da sua eficiência energética ótima em operação, todas as máquinas da série Edrive carregam o rótulo de eficiência energética “e2” da Arburg.

Fonte: Arburg

Chapas de Policarbonato da SABIC apoiam metas de sustentabilidade e eficiência energética em Faculdade de Londres.

09/09/2011

Os novos painéis de proteção solar fabricados com a chapa de policarbonato (PC) Lexan* Exell* D produzidas pela divisão Innovative Plastics da SABIC estão contribuindo de forma importante para a eficiência energética e o conforto do novo prédio da faculdade de Westminster, na região central de Londres. Estes painéis de alto desempenho filtram a luz solar minimizando efeitos negativos como aumento da temperatura e o brilho indesejável em telas de computador. Eles também resistem à intensidades significativas de luz natural contribuindo também para a redução do consumo energético em construções e dos custos de manutenção com o aumento da vida útil destes painéis.

A SABIC investe continuamente em materiais ambientalmente responsáveis para todo o mundo, em especial para a indústria de construção civil, ajudando clientes a atingirem suas metas de sustentabilidade com produtos novos e mais ecológicos.

“O sucesso deste projeto dependia de um material avançado e que pudesse oferecer uma combinação de propriedades de alto desempenho: excelente estética, isolamento, proteção contra raios ultravioleta, retardância à chama, durabilidade e leveza”, disse Simon O’Hea, diretor da Colt Group Ltd. “Com base em nosso histórico de trabalho com a SABIC e depois de pesquisarmos todas as nossas opções, recomendamos a chapa Lexan Exell D ao arquiteto. A SABIC forneceu a chapa personalizada com o equilíbrio exato de transmissão de luz e redução de calor, o que aumentou consideravelmente a eficiência energética do edifício e ainda permitiu um impacto impressionante por parte do projeto arquitetônico do edifício”.

Projetado para a Sustentabilidade

O diferente edifício da faculdade de Westminster – uma faculdade líder e de educação permanente que oferece mais de 200 cursos vocacionais e acadêmicos para estudantes – foi projetado pela Schimidt Hammer Lassen Architects para minimizar o uso de energia elétrica e os resíduos de carbono. Esta estratégia de sustentabilidade inclui o uso de painéis verticais de proteção solar fabricados pela Colt usando a chapa Lexan Exell D em cores translúcidas e personalizadas, que ladeiam as janelas das fachadas leste e oeste do prédio.

Os painéis de proteção solar, também conhecidos como sistema de “toldo”, são fabricados em suportes retangulares de 3,5 m por 5,76 m de chapa Lexan Exell D sólida. Eles são montados em cada um dos lados das janelas do edifício, nas fachadas que recebem maior exposição ao sol. A SABIC forneceu também serviços de combinação de cores, suporte técnico à Colt e ainda concedeu ao material uma garantia limitada de 10 anos contra quebra, amarelamento e perda de transmissão de luz.

Pesando apenas a metade do vidro, a chapa Lexan Exell D reduz a quantidade de material necessária para o suporte estrutural. A chapa de PC também oferece alta resistência a impacto (250 vezes maior que o vidro), retardância à chama (em conformidade com a norma europeia contra incêndio EN 13501-1) e está em conformidade com a resistência a impacto de segurança para vidros Pr EN 356. Outras propriedades importantes são a estabilidade dimensional; facilidade de manuseio e instalação, e resistência ao amarelamento, pichação e quebra.

“Os produtos de chapa Lexan podem desempenhar um papel importante na sustentabilidade geral dos edifícios residenciais e comerciais que, de outra forma, precisariam do uso mais intenso de aparelhos de ar condicionado, reduzindo dessa forma a radiação infravermelha”, disse Jack Govers, gerente geral de Chapas e Filmes Especiais da Innovative Plastics. “Ao mesmo tempo, nossas soluções de chapa Lexan permitem aos arquitetos a criação de projetos que apresentem altos níveis de luz natural, criando um ambiente agradável para trabalhar e viver. Estes materiais podem ajudar os arquitetos e projetistas a terem sucesso no design para construções sustentáveis, com a possibilidade de ainda contribuírem para as certificações ecológicas”.

Os produtos de chapa Lexan aprimoram a sustentabilidade e estilo. As chapas de PC Lexan da SABIC são leves, possuem retardância à chama, estão disponíveis em configurações sólidas e alveolares, e são usadas em todo o mundo para revestimento de paredes, telhados, vitrificação de grandes estádios, hotéis e outras estruturas impressionantes. Elas são projetadas para permitir a penetração da luz solar natural e filtrada sem, no entanto, permitir o aquecimento da área coberta.

Os produtos de chapa Lexan podem enfrentar desafios de desempenho tais como perda de coloração, deformações, arranhões, rachaduras, ferrugem e descamação de pintura que ocorrem em metal. Eles podem ser projetados com recursos como proteção ultravioleta dos dois lados e revestimentos especiais que proporcionam recursos de autolimpeza ou proteção contra pichação. A chapa Lexan pode ser moldada a frio e dobrada em formas complexas utilizando equipamentos convencionais podendo ser aprimorada com cores, texturas e efeitos especiais. Além disso, o peso mais leve dos plásticos em relação ao vidro permite que esses materiais sejam utilizados em componentes estruturais mais simples. Outro destaque da chapa Lexan é que oferece uma resistência ao impacto extremamente elevada, provendo proteção mesmo quando submetida a golpes violentos contra objetos mais pesados.

Fonte: SABIC-IP