Posts Tagged ‘Ecovio’

BASF apresentou inovações e soluções sustentáveis na Feiplastic 2019

17/05/2019

Soluções da BASF para as indústrias automotiva, de embalagens, da construção, de bens de consumo, aplicações industriais, plasticultura, entre outras, fizeram parte do portfólio apresentado pela companhia no stand da Feiplastic 2019.

“A Feiplastic foi uma excelente oportunidade para apresentar nossas soluções e estreitar o relacionamento com o mercado”, considera Murilo Feltran, gerente de marketing e produto de Materiais de Performance da BASF. “Além das tecnologias inovadoras, nosso forte é a atuação em estreita colaboração com nossos clientes, entendendo suas necessidades e desenvolvendo soluções de acordo com cada necessidade”, afirma.

Materiais de desempenho

Uma das principais novidades foi a plataforma digital exclusiva para oferecer o portfólio de soluções para a indústria de calçados, como um novo canal de relacionamento com os clientes. A BASF fornece PU e TPU para produção de solas, entressolas, palmilhas e outros componentes que, segundo a empresa, permitem a fabricação de calçados de maior desempenho, conforto e durabilidade, atendendo às tendências e demandas dos consumidores. A ferramenta online, de interface amigável, está disponível no link http://www.shop.basf.com.br/calcados.

Entre os materiais com destaque na Feiplastic estão as soluções sustentáveis para o mercado de isolamento térmico, que têm como base o HFO e a água aplicados como agentes expansores de quarta geração para o mercado de refrigeração. A tecnologia é uma alternativa aos agentes de expansão utilizados convencionalmente e permite a redução nas emissões de gases de efeito estufa.

Também apresentando pegada sustentável, foi apresentado o polímero compostável e biodegradável ecovio®, obtido a partir de matérias-primas renováveis. O material tem desemepenho semelhante aos plásticos normalmente utilizados, atendendo requisitos de aparência, propriedades mecânicas e processabilidade, sofrendo degradação somente em condições de compostagem, afirma a BASF. Pode ser aplicado em filmes para agricultura, produção de copos, sacolas compostáveis certificadas e embalagens diversas, entre outras possibilidades.

A poliamida Ultramid® Deep Gloss agora está disponível também em cores. O material originalmente usado na cor black piano, está abrindo possibilidades para projetos mais versáteis de interiores de carros, com cores contrastantes e que seguem tendências de mercado. Segundo a BASF, o material possui propriedades diferenciadas, tais como resistência a riscos, à radiação UV e alta resistência química. Além disso, afirma a empresa, o alto nível de brilho reproduz estruturas com detalhes fiéis, permitindo uma mistura bem contrastante de luz e sombra, sem revestimento adicional.

Durante a feira, a BASF também promoveu a sua poliamida semicristalina que permite que a luz passe sem barreiras. Segundo a empresa, o Ultramid® Vision combina a transparência à luz com uma baixíssima dispersão, sendo a primeira poliamida semicristalina do mundo para componentes semitransparentes ou transparentes para ambientes com muitos desafios químicos. A BASF afirma que a poliamida é resistente aos raios UV, às altas temperaturas, aos riscos, a químicos e atende aos requisitos de segurança contra a propagação do fogo. A solução pode ser usada em diversas áreas de aplicação, sendo recomendada especialmente para peças de controle visual, iluminação ou design de luz.

Embalagens

A embalagem tem papel fundamental na garantia da qualidade de alimentos, desde a produção até a mesa do consumidor. As poliamidas são a melhor opção quando há a necessidade de aumentar o tempo de vida dos produtos através do aumento de propriedades mecânicas, proteção para migração de gorduras, barreira ao oxigênio e aromas. Por meio da parceria com seus clientes, a BASF buscou atender solicitações de melhoria de propriedades óticas, maior flexibilidade e menor encanoamento, sem perder as propriedades tradicionais das poliamidas. E o resultado foi, segundo a empresa, o desenvolvimento do Ultramid C37 LC, copolímero de poliamida com o menor ponto de fusão das poliamidas tradicionais encontradas no mercado – perto dos 180º.C. A BASF afirma que o material é o mais indicado para sacos encolhíveis e filmes termoformados e outras aplicações onde a estrutura a ser utilizada é assimétrica.

Aditivos para plásticos

A BASF afirma que vem buscando soluções em aditivos para plástico ecologicamente corretas, focadas em sustentabilidade e que visam evitar a degradação e estender a vida útil dos plásticos. Esses requisitos se tornaram mais rigorosos também nas aplicações automotivas e, alinhado ao aumento da durabilidade das espumas de poliol e poliuretano, o seu PUR 70 encontra um nicho de aplicação. Segundo a empresa, o aditivo diminui drasticamente a emissão de aldeídos e componentes orgânicos voláteis, é livre de amina e atende aos requisitos VDA 278 10/11.

De acordo com a empresa, o seu Tinuvin® XT 55, um aditivo estabilizador à luz, confere durabilidade, além de melhorar os processos de fabricação. Tem aplicações em monofilamento de polietileno, usados para produção de grama sintética e poliolefinas, fitas para telas de sombreamento, andaimes, geotêxteis e big bags, entre outros. O fabricante afirma que o aditivo auxilia na resistência às condições climáticas adversas, incluindo exposição prolongada à luz ultravioleta, temperatura elevada e oscilante, além de poluentes ambientais.

Já o Irgastab IS 3066L, utilizado nas aplicações em PVC, promove melhoria na produtividade e maior viabilidade econômica, além de estar em conformidade com o FDA para aplicações em contato com alimentos, assegura a BASF.

Fonte: BASF

Curta nossa página no

Anúncios

Projeto piloto em Joinville realiza tratamento de resíduos sólidos orgânicos em sacos compostáveis de plástico biodegradável da BASF

05/03/2014
  • Sacos de ecovio® – polímero compostável certificado da BASF, com conteúdo parcialmente de fonte renovável – juntamente com resíduos orgânicos, transformam-se em adubo de valor
  • Processo automático utilizando composteira JORA Brasil demonstra forma alternativa e eficiente para a compostagem de resíduos orgânicos com sacos de ecovio®

ecovio_BasfA BASF implementou um projeto piloto em Joinville/SC com o objetivo de demonstrar a compostagem automática de resíduos orgânicos urbanos com sacos de ecovio®. Essa tecnologia de compostagem se adapta com facilidade às necessidades residencial e comercial, pois trata o resíduo orgânico no próprio local onde foi gerado.    Isso oferece  um modelo de gestão alternativo ao  apresentado em 2013 pela BASF em Mogi Mirim (mais informações  em: http://wp.me/pDBte-1sO.

O projeto foi implementado em parceria com o condomínio Joinville Country Club, com a Jora Brasil – fabricante da composteira automática, com a Romapack – fabricante dos sacos de ecovio® e a consultoria Inambi. Os resultados demonstram a eficácia de um método alternativo de compostagem de resíduos orgânicos com sacos ecovio® que podem ser implementados em locais privados com grande quantidade de geração de resíduos, como shoppings, restaurantes, clubes, empresas, escolas e até bairros.

Moradores do Joinville Country Club  (22 residências) participaram de um workshop de educação ambiental com foco na coleta seletiva de seus resíduos orgânicos domésticos em sacos de ecovio®. Os resíduos foram coletados durante seis semanas e depositados diretamente em uma composteira automática no próprio condomínio. Foram coletados 720 quilos de resíduos das residências e também do restaurante do clube local, os quais foram transformados em 360 quilos de adubo orgânico de qualidade que serão utilizados no campo de golfe do próprio condomínio. A qualidade do adubo produzido foi avaliada pelo laboratório Unithal.

“Em média, resíduos orgânicos demoram 30 dias para se compostar, ao serem coletados em sacos de ecovio®  o processo torna-se fácil e mais higiênico, pois  evita a necessidade de lavagem de recipientes. Os sacos plásticos convencionais não são adequados porque não se degradam em processo de compostagem”, compara Karina Daruich, gerente de biopolímeros da BASF.

A BASF já está utilizando um modelo automático de composteira similar no restaurante da fábrica da BASF, em Ludwigshafen, na Alemanha, onde foi demonstrada a mobilidade e simplicidade do uso do equipamento. O mesmo modelo também foi empregado com  sacos de ecovio® na feira K de 2013, principal feira global do segmento de plásticos.

“Nossas composteiras são as únicas que transformam os resíduos orgânicos em adubo de valor e funcionam a um baixo custo de energia – 10 a 15 vezes menor que equipamentos desidratadores, ou seja, que apenas reduzem volume e não transformam o resíduo em adubo pronto para fertilizar as plantas”, afirma Eduardo Schreiber diretor da Jora Brasil.

“A preocupação com o meio ambiente e com a PNRS (Política Nacional de Resíduos Sólidos – lei federal número 12.305/10) nos fez pensar em uma alternativa viável para a destinação do lixo que coincide com os propósitos dos parceiros”, comenta Pierre Richter síndico do condomínio Joinville Country Club.

Para a BASF, o resultado do projeto e o conceito de circuito fechado demonstram oportunidades que podem beneficiar a sociedade e serem implementadas, por exemplo, em grandes eventos, como o campeonato mundial de futebol deste ano.

Fonte: BASF

Curta nossa página no

Plástico biodegradável da BASF será usado em projeto de compostagem de resíduos orgânicos domésticos em Mogi Mirim-SP

17/09/2013
  • BASF, Prefeitura Municipal de Mogi Mirim, Construrban, Inambi, Romapack e Visafertil iniciam projeto piloto para coleta e compostagem de resíduos sólidos orgânicos no município
  • Matéria prima utilizada na confecção dos sacos para coleta seletiva será o ecovio® da BASF, polímero compostável certificado, com conteúdo parcialmente de fonte renovável
  • Cerca de 240 toneladas de resíduos orgânicos serão geradas durante o projeto e transformados em 120 toneladas de adubo para plantas

A BASF e a Prefeitura de Mogi Mirim, juntamente com seus parceiros, lançaram no dia 16/09 um projeto piloto de compostagem de resíduos sólidos orgânicos gerados no município, por meio da introdução da coleta seletiva domiciliar. A primeira coleta será iniciada na próxima quarta-feira (18.09).

É a primeira vez que um projeto desenvolvido na América do Sul vai demonstrar o uso de sacos plásticos produzidos com ecovio®, um polímero biodegradável, assim como a eficiência do processo de compostagem como contribuição para a gestão de resíduos sólidos urbanos.

Os sacos feitos com o ecovio® da BASF serão produzidos pela Romapack, indústria de embalagens. “Confeccionamos cerca de 200 mil sacos para serem distribuidos a uma amostragem de 1.770 unidades residenciais e mais duas escolas, o correspondente a cerca de 5.300 moradores”, afirma Gisele Barbin, Gerente Comercial da Romapack.

Os bairros selecionados para o desenvolvimento desse trabalho foram o Jardim Paulista e Jardim Silvânia, que possuem características representativas dos hábitos da comunidade no município. Para conscientizar os moradores envolvidos no projeto, a BASF, Fundação Espaço Eco e consultoria Inambi – responsável pelo monitoramento e elaboração do relatório final do projeto – desenvolveram um programa de treinamento sobre todo o processo de coleta seletiva de resíduos orgânicos para compostagem.

“Estamos desenvolvendo programas de educação ambiental para que os moradores possam, por si próprios, serem capazes de diferenciar cada tipo de resíduos e destinar os orgânicos de forma correta para a compostagem, participando de forma ativa e consciente no desenvolvimento desse modelo de reciclagem”, afirma Marcos Badra, diretor da consultoria Inambi.

“Ao darmos uma destinação mais adequada ao resíduo orgânico, também contribuímos para melhorar a qualidade da coleta seletiva de recicláveis em geral, eliminando a contaminação pelo resíduo orgânico“, complementa Ubiratan S. de Carvalho, Diretor da Construrban Logística Ambiental.

Os resíduos orgânicos domésticos serão coletados todas as segundas, quartas e sextas-feiras por um caminhão da Construrban. Esses resíduos serão destinados à Visafértil, que opera uma usina de compostagem em Mogi Mirim.

O projeto terá três meses de duração com estimativa de gerar cerca de 240 toneladas de resíduos orgânicos, os quais serão transformados em cerca de 120 toneladas de adubo rico em nutrientes essenciais para as plantas. Esse processo de transformação do resíduo junto com o saco produzido com ecovio compostável e certificado é estimado em cerca de 90 dias.

“A Visafértil se orgulha em participar desse projeto com técnicas inovadoras, transformando os resíduos orgânicos domésticos de Mogi Mirim em um composto nobre e sustentável, juntamente com os sacos de ecovio®, comenta Ulisses Giradi, diretor da Visafértil

“A BASF já conduziu outros projetos piloto de compostagem semelhantes na Alemanha, Canadá, Tailândia, Índia e Austrália, com resultados previstos alcançados. A coleta de resíduos orgânicos realizada de forma higiênica, com sacos plásticos compostáveis produzidos com ecovio® da BASF contribuiu para reduzir a quantidade de resíduos orgânicos destinada a aterros, para aumentar sua vida útil e diminuir a emissão de gases de efeito estufa”, afirma Karina Daruich, gerente de biopolímeros da BASF para América do Sul.

O projeto poderá se transformar num modelo de sucesso baseado nas premissas da Lei 12.305/2010 (PNRS – Política Nacional de Resíduos Sólidos) e ser seguido por outros municípios brasileiros.  “É uma enorme satisfação fazer parte dessa iniciativa pioneira e podermos ser os incentivadores de uma ampla conscientização da população quanto aos benefícios ao meio ambiente e de um futuro sustentável”, comentou o prefeito de Mogi Mirim, Luís Gustavo Antunes Stupp.

Fonte: BASF

Curta nossa página no

BASF promove utilização de plástico biodegradável em sacos plásticos e copos descartáveis

12/06/2013
  • BASF realiza, mais uma vez, evento lixo zero e transforma resíduo orgânico em adubo
  • Copos revestidos e sacos de lixo feitos com ecovio® possibilitam a transformação de resíduo sem a separação

O ecovio®, plástico compostável certificado da BASF, é o protagonista do projeto envolvendo copos descartáveis e biodegradáveis e sacos de lixo compostáveis que acontecerá durante o  evento de apresentação da primeira casa de eficiência energética da BASF no Brasil, a CasaE localizada na zona sul de São Paulo.

Durante o evento, a empresa Lia Tulmann, encarregada do serviço de buffet do evento, orientada pela Inambi, coletará todo o resíduo orgânico utilizado na preparação dos alimentos em sacos de lixo confeccionados com ecovio®, plástico compostável certificado da BASF, com conteúdo renovável.

Além disso, os copos descartáveis usados no evento também serão coletados. Eles não são feitos de um plástico convencional, mas sim de um papel que é revestido com uma camada fina de ecovio® PS1606. Todo material será enviado para a Visafértil Indústria e Comércio de Fertilizantes Orgânicos, especializada em produção de insumos orgânicos agrícolas a partir de resíduos industriais, que opera uma usina de compostagem em Mogi Mirim.

“A solução inovadora permite que os copos descartáveis de papel revestidos com uma fina camada de ecovio® PS1606 não precisem ser destinados a aterros sanitários após o uso. Ao invés disso, eles podem ser processados juntamente com o lixo orgânico e com os sacos de lixo para produzir um adubo de alta qualidade”, explica Karina Daruich, Gerente do Negócio de Biopolímeros da BASF para a América do Sul.

Uso, coleta e compostagem

Além dos resíduos pré consumo, gerados durante a preparação dos alimentos para o evento, todo o resíduo orgânico gerado pós consumo no evento será compostado e se transformará em adubo orgânico. O Grupo Visafértil coletará os copos, juntamente com os resíduos de alimentos, em sacos de lixo compostáveis de ecovio®, e os transportará para a usina de compostagem em Mogi Mirim, onde o comportamento de degradação é monitorado e controlado periodicamente.

“Este projeto, realizado na CasaE, serve não só para destacar o compromisso ativo da BASF com a eficiência de recursos, mas também para estudar o ciclo fechado na gestão de resíduos, um conceito que já testamos em outros projetos no Brasil e no mundo”, diz Gislaine Rossetti, Diretora de Relações Institucionais da BASF para a América do Sul.

Projeto piloto: ciclo fechado para resíduos orgânicos

O plástico ecovio® atende às  exigências legais das normas européia EN 13432 e norte americana ASTM 6400 para a biodegradabilidade e compostabilidade de embalagem. Juntamente com seus parceiros de cooperação, a BASF está expandindo este conceito de ciclo fechado ao longo de toda cadeia de valor; assim ele pode ser implantado em eventos de grande escala em estádios ou em feiras, ou então em restaurantes fast-food, complexos de escritórios, hospitais e centros de lazer e esportes.

Plásticos biodegradáveis: ecovio® e ecoflex®

O material ecovio® PS1606é um novo desenvolvimento da BASF. Ele agora é produzido com ecoflex® FS (parcialmente de fonte renovável) e PLA (ácido poliláctico) o qual é obtido a partir de amido de milho. Como resultado, a camada fina de plástico nos copos descartáveis consiste em mais de 75% de matérias-primas renováveis, sendo que o artigo acabado é composto por mais de 90% de matérias-primas orgânicas. Afirma a BASF que, como os resíduos orgânicos em si, as moléculas de ecovio® são digeridas por micro-organismos com o auxílio de enzimas durante o processo de compostagem. No final do processo de compostagem, os micro-organismos terão convertido completamente o resíduo orgânico, os copos com ecovio® PS1606 e os sacos de lixo compostáveis, em dióxido de carbono, água e biomassa. Segundo a BASF, esta é uma vantagem decisiva em termos de recuperação de resíduos, já que as empresas de descarte de resíduos não têm que separar laboriosamente os copos e sacos. Pelo contrário, o material simplesmente se torna um composto  juntamente com o resto do lixo orgânico.

Fonte: BASF

Curta nossa página no

BASF realiza projeto piloto com uso de plástico biodegradável em evento esportivo

28/08/2012
  • Resíduo orgânico do fim de semana de corrida para ser transformado em adubo
  • Lausitzring e BASF lançam projeto piloto com talheres descartáveis e compostáveis no ADAC Masters Weekend

O Ecovio® FS Paper, plástico biodegradável da BASF, assumiu o centro do palco em um projeto piloto envolvendo talheres descartáveis e biodegradáveis durante o evento de automobilismo ADAC Masters Weekend, realizado entre 24 e 26 de Agosto na pista de corrida Lausitzring. Durante o fim de semana do evento, a empresa Polster® Catering, encarregada do serviço de buffet na Lausitzring, usou apenas bandejas de papelão e pratos de papel que são compostáveis. Os copos seguirão o exemplo na próxima temporada.

Os talheres descartáveis, fabricados pela empresa Hosti, não são feitos a partir de um plástico convencional, mas sim de um papel que é revestido com uma camada fina de Ecovio® FS Paper. Isto cria talheres descartáveis cuja camada de plástico garante não fiquem impregnados e que não precisem ser incinerados – como é o caso geralmente – depois de usados. Em vez disso, eles podem ser processados juntamente com o lixo orgânico a fim de produzir um composto valioso. Este composto de alta qualidade é utilizado novamente na Lausitzring para melhorar o solo que foi salientado pela mineração a céu aberto no passado. Graças a este sistema de circuito fechado, os parceiros do projeto deram vida a um projeto que é único no continente europeu. Lausitzring é o primeiro local para eventos de grande escala na Europa a introduzir tal sistema. Este projeto faz parte do “Green Lausitzring”, no qual a administração da empresa EuroSpeedway Verwaltungs GmbH, na sua qualidade de operadora da pista de corrida Lausitz, está apoiando e testando tecnologias ambientalmente amigáveis.

Usando – Coletando – Compostando

Para certificar-se que os visitantes retornariam os talheres compostáveis usados aos estandes do serviço de buffet e não os descartariam nas latas de lixo comum, os organizadores cobraram o depósito de um euro por item. Os fornecedores recolheram os talheres descartáveis, juntamente com os resíduos de alimentos, em sacos de lixo também compostáveis e os transportaram para a usina de compostagem Hörlitz. Os operadores da usina de compostagem têm reservado um espaço dedicado à compostagem do lixo orgânico da Lausitzring, onde o comportamento de degradação pode ser precisamente monitorado e controlado. Consequentemente, este projeto piloto serve não só para destacar o compromisso ativo com a economia de recursos na esfera do automobilismo, mas também para estudar o comportamento de degradação de grandes quantidades de bandejas e pratos que foram revestidos com Ecovio® FS Paper. Este estudo está sendo conduzido pelo Departamento de Gestão de Resíduos e Fluxo de Material da Universidade de Rostock, na Alemanha.

Projeto piloto: talheres compostáveis e descartáveis em eventos de grande escala

Numerosos projetos pilotos já foram possibilitados pela BASF para demonstrar que as sacolas de resíduos orgânicos feitas de Ecovio® FS degradam dentro de um curto período de tempo em usinas de compostagem industriais. Ecovio® é um plástico que satisfaz às rigorosas exigências legais da norma européia EN 13432 para a biodegradabilidade e compostabilidade de embalagem. A experiência piloto na Lausitzring é a primeira de seu tipo para testar como talheres descartáveis com uma camada de Ecovio® FS Paper podem ser compostados em grandes quantidades. Juntamente com seus parceiros de cooperação, a BASF tem a intenção de expandir este conceito de circuito fechado para talheres biodegradáveis e descartáveis ao longo de toda cadeia de valor para que possa ser implantado em grandes eventos em estádios e em feiras, ou então em restaurantes fast-food, complexos de escritórios, hospitais e centros de lazer e esportes.

Plásticos biodegradáveis: Ecovio® e Ecoflex®

Considerando que os primeiros produtos Ecovio® foram baseados no clássico da BASF, à base do poliéster Ecoflex®, Ecovio® FS Paper é um novo desenvolvimento. Este material agora é feito parcialmente de Ecoflex FS e PLA (ácido poliláctico), o qual é obtido a partir de amido de milho. Como resultado, a camada fina de plástico nos talheres descartáveis consiste em mais de 50% de matérias-primas renováveis e, de fato, o artigo acabado é composto por mais de 90% de matérias-primas orgânicas. Como os resíduos biodegradáveis em si, as moléculas de Ecovio® são quebradas por microorganismos com o auxílio de enzimas. O único fator decisivo para o processo de degradação é a estrutura da molécula e não a origem das matérias-primas. No final do processo de compostagem, os microorganismos converterão completamente os pratos de papelão com o revestimento de Ecovio® em dióxido de carbono, água e biomassa. Esta é uma vantagem decisiva em termos de recuperação de resíduos já que as empresas de descarte de resíduos não têm que separar laboriosamente os talheres. Pelo contrário, o material simplesmente se torna o composto valioso juntamente com o resto do lixo orgânico.

Fonte: BASF

Curta nossa página no

BASF inicia operações em planta expandida para produção de plástico biodegradável.

02/02/2011
  • A capacidade de produção de plástico biodegradável aumentou em 60.000 toneladas métricas por ano.
  • Aumenta também a produção de plásticos a partir de matérias-primas renováveis
  • A BASF espera um crescimento significativo do mercado para plásticos biodegradáveis até 2020.

A BASF iniciou a operação da sua planta expandida para a produção do plástico biodegradável Ecoflex®. A expansão da planta existente em Ludwigshafen (Alemanha) irá aumentar a capacidade de produção de Ecoflex de 14.000 para 74.000 toneladas métricas por ano. Ao mesmo tempo, a BASF aumentará a capacidade de produção do Ecovio®, um derivado do Ecoflex.

“Nós já temos sucesso no mercado com o nosso poliéster biodegradável Ecoflex e com o Ecovio. A maior capacidade de produção desses dois produtos irá melhorar significativamente nossa posição”, disse Dr. Worfgang Hapke, presidente da divisão de Polímeros de Desempenho da BASF. “A expansão da capacidade também nos permitirá responder mais efetivamente aos desejos dos nossos clientes”.

O Ecoflex é um plástico que possui as propriedades do polietileno convencional, sendo totalmente biodegradável sob condições de compostagem industriais, de acordo com a norma DIN EN 13432. O Ecovio é um derivado do Ecoflex que é também biodegradável e que contém até 75 % de matérias-primas renováveis. Aplicações típicas são sacos de supermercados, sacos para descarte de lixo orgânico, embalagem de alimentos e filmes para aplicações na agricultura. Uma das últimas inovações é o papel Ecovio FS, que é usado para fornecer um revestimento biodegradável à prova d’água nas superfícies internas de copos de papel e recipientes de papelão

Com o Ecovio e o Ecoflex, a BASF já é um dos fornecedores líderes mundiais de plásticos biodegradáveis e bioderivados. Ambas estas propriedades estão tendo uma demanda crescente e o mercado para plásticos biodegradáveis e bioderivados está crescendo no momento em mais de 20 % por ano.

Fonte: BASF