Posts Tagged ‘E-commerce’

UBE América e Michigan State University anunciam parceria para pesquisa inédita sobre embalagem de e-commerce para alimentos

21/04/2020

A UBE America, subsidiária da japonesa UBE nos EUA, anunciou uma parceria com a Escola de Embalagem da Michigan State University (MSU SoP) no projeto ‘Estudo de mercado de embalagens de alimentos para e-commerce’. A proposta é unir a expertise da Universidade com a experiência de um dos principais players globais de nylon para avaliar as necessidades da cadeia de suprimentos de alimentos e bebidas e desenvolver soluções em embalagem que atendam às especificidades do e-commerce. “Ao combinarmos os recursos da universidade com o grande alcance de nossa indústria, estamos prontos para enfrentar o desafio de mudar o paradigma da embalagem nos canais digitais de vendas”, sintetiza Daniel Hernandes, Gerente de Vendas UBE Latin America.

Assim, o estudo coletará informações relevantes para a otimização das embalagens para e-commerce, sendo os principais tópicos:

  • pesquisa sobre os formatos e materiais atuais de embalagem usados no e-commerce e nas cadeias de suprimento tradicionais;
  • quantificação e categorização dos impactos da e-supply chain nos formatos tradicionais de embalagem;
  • identificação de deficiências específicas e de áreas para melhoria;
  • estabelecimento de oportunidades para mudanças de materiais e de design;
  • estudos de shelf life para validar o desempenho dos novos materiais na cadeia de suprimento do e-commerce.

A primeira fase do estudo inclui uma pesquisa desenvolvida especificamente para empresas envolvidas na produção/distribuição de embalagens para e-commerce (varejo, convertedores, fabricantes, end users, etc). Os resultados, que incluem as embalagens flexíveis mono e multi material, serão fundamentais para reduzir as falhas e aumentar a eficiência de toda a cadeia de suprimentos, levando à segunda etapa do estudo. Esta etapa avaliará as mudanças de cenário da embalagem. Com isto em mente, o nylon será pesquisado como o material para o desenvolvimento de embalagens otimizadas para este crescente canal de distribuição.

Os resultados do estudo deverão ser anunciados ainda no primeiro semestre de 2020.

Fundada na cidade de Ube, província de Yamaguchi, no Japão, em 1897, a UBE mantém 11 mil colaboradores em todo o mundo e um portfólio global de produtos que se divide em: químicos 24%; cimento e materiais de construção 37%; máquinas 11%; meio ambiente e energia 9%; e farmacêuticos 1%. Ao todo são três plantas de nylon – no Japão, Tailândia e Espanha – que abastecem o mercado global. Cada planta possui o seu próprio centro de Pesquisa & Desenvolvimento. No Brasil a operação da UBE existe desde 2010 e as vendas de Plásticos de Engenharia representam 25% da produção de Castellón – Espanha. O escritório brasileiro atende a toda América Latina, com ênfase a Brasil, Argentina, Chile, Peru, Colômbia e Equador.

A Escola de Embalagem da Michigan State University, que figurou como #1 no Best Colleges 2017, se dedica à geração de conhecimento, ciência e tecnologia de embalagem desde 1952. Pioneira na disciplina de embalagem e a única instituição dos EUA com programa de doutorado (Ph.D.) em embalagem, a Escola tem preparado líderes nesta área em todo o mundo, com uma reputação destacada e com a criação de uma comunidade com excelência em pesquisa e educação. A Escola acredita que a embalagem é uma área interdisciplinar que integra ciência, engenharia, tecnologia e gestão para proteger e identificar produtos para distribuição, armazenagem, comercialização e uso. Ela abrange ainda os processos de design, avaliação e produção das embalagens. Trata-se de um sistema integral para a cadeia de valor que impacta na qualidade do produto, satisfação do usuário, eficiência na distribuição e segurança.

Curta nossa página no

Sistema Firjan apresenta oportunidades do e-commerce para negócios

28/09/2017

Terceira edição do Cola trouxe Marcel Andrade, da JET e-business, para falar sobre os principais canais de venda virtual

Em um mundo cada vez mais digital, é imprescindível que empresas e indústrias possuam um canal de e-commerce. Para orientar os empresários sobre essa ferramenta online, o Sistema Firjan promoveu em 26 de setembro a terceira edição do COLA, evento que conecta especialistas e empreendedores para debater temas alinhados à realidade do novo mercado. O convidado foi Marcel Andrade, gerente de Canais da JET e-business, que falou sobre a importância de um setor pode ser medida em números: em 2016 o faturamento do e-commerce, só nos Estados Unidos, foi de US$ 1 trilhão, segundo a consultoria eMarketer.

Andrade apresentou os caminhos para o empreendedor dar o pontapé inicial na criação do seu negócio virtual. Além disso, foram expostas as plataformas disponíveis na web para difundir e promover o marketing empresarial de forma efetiva.

“Um dos pontos principais para quem começa a montar o seu e-commerce é saber como colocar o site em evidência no Google. Para isso, existem duas formas: Search Engine Optimization (SEO) e Search Engine Marketing (SEM). A primeira é um conjunto de técnicas de otimização por meio de textos para alcançar bons rankings orgânicos que produzam tráfego e autoridade para o site. A segunda é gerar visualizações através de anúncios em Links Patrocinados. O ideal é conseguir conciliar essas duas formas de atuação”, explicou.

O especialista também apontou alguns pilares para criar uma plataforma que seja capaz de atingir as expectativas da companhia. O planejamento, embora seja mutável, é o que mantém as premissas do empreendimento, garantindo que não seja perdida a essência do que foi proposto inicialmente.

“É fundamental que a empresa crie um departamento exclusivo para a administração do e-commerce. Outro ponto importante é optar por um modelo enxuto, porém com capacidade de escala adequada para o lançamento do projeto”, afirmou.

Um aspecto destacado por Andrade foi a importância de ter um espaço com opiniões relacionadas ao produto no site. De acordo com ele, essas avaliações influenciam o consumidor a tomar a decisão final de efetuar ou não a compra.

Possibilidades de atuação no e-commerce

O mercado de vendas on-line oferece duas opções principais de atuação. Elas são o Business to Business (B2B), modalidade que define transações comerciais entre empresas, e o Business to Commerce (B2C), voltado a operações comerciais entre a indústria e o consumidor final. Além disso, existe a ferramenta Enterprise Resource Planning (ERP’s), que é um software que integra todos os dados e processos de uma empresa, como, por exemplo, contas a pagar, controle de estoque e emissão de NFE.

“Primeiro o empresário precisa definir qual área de atuação se adequa mais ao seu negócio. A vantagem do B2B é usar a visibilidade de mercado que uma grande empresa possui para criar uma relação de revenda. Já o B2C é a operação tradicional de varejo, que é voltada a vendas para pessoas físicas. Após essa tomada de decisão, é recomendado organizar o e-commerce com uma ERP”.

Ele também destacou que essa forma de venda on-line é um caminho sem volta, com impacto nos negócios em âmbito mundial. “Os jovens consideram natural realizar compras pela internet e isso não vai mudar. De acordo com a Forrester, a expectativa é que até 2020 só o mercado de B2B movimente US$ 6,7 trilhões”.

Presidente do Sindicato da Indústria de Produtos Cosméticos e Higiene Pessoal no estado do Rio (Sipaterj), Celso Dantas destacou que o e-commerce possibilita que as empresas ampliem seus mercados. “Os negócios online estão em franca expansão. É importante que a Firjan estimule os empreendedores a buscar oportunidades nas vendas digitais, principalmente neste momento de recessão. Precisamos estar atentos às grandes tendências para aumentar nossa base de clientes”, comentou.

Fonte: Assessoria de Imprensa – FIRJAN

Curta nossa página no