Posts Tagged ‘Du Pont’

Fusão entre a Dow e a Du Pont é concluída e ações da nova holding DowDuPont começam a ser negociadas na Bolsa de Nova Iorque

01/09/2017

  • A companhia agora avança rumo à separação pretendida que dará origem a empresas líderes nos mercados de Agricultura, Ciência dos Materiais e Produtos Especializados;
  • As separações estão previstas para ocorrer em até 18 meses.

A DowDuPont™ concluiu com sucesso a fusão de iguais entre The Dow Chemical Company (“Dow”) e E.I. du Pont de Nemours & Company (“DuPont”), efetiva em 31 de agosto de 2017. A entidade combinada está operando como uma holding sob o nome “DowDuPont” e com três divisões: Agricultura, Ciência dos Materiais e Produtos Especializados.

As ações da DuPont e da Dow tiveram suas negociações encerradas na Bolsa de Valores de Nova Iorque (NYSE) no dia 31 de agosto de 2017. A partir de hoje, a DowDuPont começará a negociar na NYSE sob o símbolo “DWDP”. Em linha com os termos estabelecidos no acordo de fusão, os acionistas da Dow receberam uma taxa de troca fixa de 1.00 de ação da DowDuPont por cada ação da Dow e os acionistas da DuPont receberam uma taxa fixa de troca de 1.282 ações da DowDuPont por cada ação da DuPont.

“Este dia representa um importante marco na história das duas companhias”, disse Andrew Liveris, Presidente Executivo da DowDuPont. “Estamos muito felizes por concluir essa fusão e avançar rumo à criação de três empresas independentes e líderes em seus mercados de atuação. Embora o patrimônio e a força conjunta das duas empresas sejam impressionantes, o verdadeiro valor dessa fusão reside na pretendida criação de três empresas poderosas que influenciarão mercados e impulsionarão o crescimento para o benefício de todos os seus públicos. Nossas equipes estão trabalhando há mais de um ano no plano de integração e, a partir de hoje, iniciaremos a execução desses planos com a intenção de completar as separações o mais rápido possível.”

“Para os acionistas, clientes e funcionários, a conclusão dessa fusão representa um passo definitivo rumo à geração de mais valor e maiores oportunidades por meio de um futuro construído em crescimento sustentável e inovação”, comenta Ed Breen, CEO da DowDuPont. “A DowDuPont é uma plataforma para o lançamento das três empresas pretendidas e fortes, que estarão muito bem posicionadas para investir em Ciência e Inovação, ajudar nossos clientes na solução de importantes desafios e gerar retornos de longo prazo para os nossos acionistas. Com a conclusão da fusão, nosso foco está em finalizar as estruturas organizacionais que serão os alicerces das três empresas pretendidas e capturar as sinergias para gerar valor. Com objetivos claros, visibilidade no mercado e uma estrutura de Pesquisa & Desenvolvimento mais produtiva, cada empresa pretendida estará preparada para competir com sucesso como uma líder de mercado”.

Conselho e Governança

O Conselho de Administração da DowDuPont é formado por 16 membros: oito são ex-diretores do Conselho da DuPont e os demais são diretores que fizeram parte do Conselho da Dow. Há dois diretores principais: Jeffrey Fettig, que atuou como o principal diretor independente da Dow, e Alexander Cutler, ex-diretor independente da DuPont. Andrew Liveris é o presidente do Conselho de Administração e Ed Breen também atua no Conselho. Abaixo, a relação dos demais membros do Conselho de Administração:

Dow:
o James A. Bell, ex-Chief Financial Officer da Boeing
o Raymond J. Milchovich, ex-presidente e CEO da Foster Wheeler AG
o Paul Polman, CEO da Unilever PLC e Unilever N.V.
o Dennis H. Reilley, Presidente executivo da Marathon Oil Corp.
o James M. Ringler, Presidente da Teradata Corporation
o Ruth G. Shaw, ex-executivo da Public Policy e Presidente da Duke Nuclear

DuPont:
o Lamberto Andreotti, ex-Presidente do Conselho e CEO da Bristol-Myers Squibb Company
o Robert A. Brown, Presidente da Boston University
o Marilly A. Hewson, Presidente e Chefe Executivo da Lockheed Martin Corporation
o Lois D. Juliber, Vice-Presidente e Chief Operating Officer da Colgate-Palmolive Company
o Lee M. Thomas, Ex-Presidente e CEO da Rayonier Inc.
o Patrick J. Ward, Chief Financial Officer da Cummins, Inc.

Três comitês consultivos foram estabelecidos pelo Conselho de Administração da DowDuPont para supervisionar o estabelecimento das divisões de Agricultura, Ciência dos Materiais e Produtos Especializados em preparação para a separação pretendida. Além disso, cada Comitê Consultivo desenvolverá uma estrutura de capital em linha com os princípios estabelecidos em nosso Estatuto Social e designará o futuro CEO e o time de liderança de cada empresa pretendida.

Executivos da DowDuPont:

Como já anunciado, DowDuPont será liderada por uma equipe que reflete os pontos fortes e as capacidades de ambas as empresas. Junto com Liveris e Breen, estarão os seguintes executivos:
o Howard Ungerleider, Chief Financial Officer (CFO)
o Stacy Fox, Conselheira Geral e Corporate Secretary
o Charles J. Kalil, Conselheiro Especial da Presidência e Conselheiro Geral para a Divisão de Ciência dos Materiais
o James C. Collins, Jr., Chief Operating Officer da Divisão Agrícola
o Jim Fitterling, Chief Operating Officer da Divisão de Ciência dos Materiais
o Marc Doyle, Chief Operating Officer da Divisão de Produtos Especializados

Gerando Valor para os Acionistas

Por meio da fusão de portfólios altamente complementares da Dow e DuPont e, subsequentemente, com a criação das pretendidas empresas líderes, DowDuPont espera maximizar valor para os seus acionistas.

A DowDuPont afirma que os acionistas serão beneficiados com um perfil de investimento mais forte e focado de cada empresa pretendida e substanciais sinergias de custos, bem como do crescimento a longo prazo e criação de valor sustentável após as separações pretendidas em três empresas. Espera-se que a transação resulte em sinergias de custo de aproximadamente US$ 3 bilhões e potencial de atingir US$ 1 bilhão em sinergias de crescimento. A empresa espera alcançar uma taxa de execução de 100% nas sinergias de custo nos primeiros 24 meses após a conclusão da fusão.

Caminhos para a Separação

Os líderes e as equipes de integração da Dow e DuPont estão desenvolvendo os futuros modelos operacionais e a estrutura organizacional que apoiarão a estratégia de cada empresa pretendida. Assim que cada divisão estabelecer seus próprios processos, pessoas, ativos, sistemas e licenças para operar de forma independente, a DowDuPont pretende separar as divisões de forma que as mesmas passem a operar com suas próprias entidades legais, sujeito à aprovação do Conselho de Administração e de outras aprovações regulatórias. Espera-se que as separações pretendidas ocorram dentro de 18 meses.

Espera-se que as empresas pretendidas contemplem:

  • Uma Empresa Líder em Agricultura que reunirá os pontos fortes da DuPont Pioneer, DuPont Proteção de Cultivos e Dow AgroSciences para melhor servir aos produtores rurais em todo o mundo, com um portfólio superior de soluções, maior opção de escolhas e preços competitivos por valor. As capacidades combinadas e o mecanismo de inovação altamente produtivo permitirão que a pretendida empresa agrícola traga um conjunto ainda mais amplo de produtos para o mercado de forma mais rápida, podendo ser uma parceira ainda melhor para agricultores, entregando inovação e ajudando-os a aumentar a produtividade e rentabilidade. A pretendida empresa agrícola estará sediada em Wilmington (Delaware, EUA), com centros de negócios globais em Johnston (Iowa, EUA) e Indianápolis (Indiana, EUA).
  • Uma Empresa Líder em Ciência dos Materiais, que será denominada Dow e consistirá nos negócios que compõem os seguintes segmentos atuais da Dow: Plásticos de Performance, Materiais de Performance & Químicos, Soluções em Infraestrutura e Soluções de Consumo (Consumer Care e Dow Automotive Systems. Dow Electronic Materials fará parte da empresa de Produtos Especializados), assim como o atual negócio de Materiais de Performance da DuPont. A pretendida empresa de Ciência dos Materiais oferecerá o portfólio mais forte em químicos e polímeros da indústria, com escala e capacidades competitivas para permitir o desenvolvimento de soluções diferenciadas para clientes e mercados de elevado crescimento, como os de embalagem, transporte, infraestrutura e cuidados do consumidor. A pretendida empresa de Ciência dos Materiais terá a sua sede em Midland (Michigan, EUA).
  • Uma empresa líder em Produtos Especializados que será formada por negócios fortes e líderes de mercado, incluindo a DuPont Soluções em Proteção, Soluções Sustentáveis, Biociências Industriais e Nutrição & Saúde; que vai incorporar o negócio de Health & Nutrition da FMC que está pendente apenas da conclusão da transação. A empresa também será formada pelo negócio de Tecnologias em Eletrônicos, que combina a DuPont Eletrônicos & Comunicação com a Dow Electronic Materials. A empresa pretendida de Produtos Especializados será uma líder em inovação composta por empresas especializadas em tecnologia com produtos diferenciados e soluções que transformam indústrias e a vida das pessoas. A pretendida empresa terá sede em Wilmington (Delaware, EUA).

Como já anunciado, a Diretoria da DowDuPont está conduzindo uma revisão detalhada do portfólio para avaliar a realidade dos atuais negócios e alavancar conhecimento adquirido ao longo do último ano e meio para identificar oportunidades de valor agregado em preparação para a criação das pretendidas empresas líderes do setor.

Klein and Company, Lazard e Morgan Stanley & Co. LLC têm sido os conselheiros financeiros da Dow para a transação, tendo Weil, Gotshal & Manges LLP como conselheiros jurídicos.

Evercore e a Goldman, Sachs & Co. têm sido os conselheiros financeiros da DuPont para esta transação, tendo Skadden, Arps, Slate, Meagher & Flom LLP como os conselheiros jurídicos.

Sobre a DowDuPont

DowDuPont (NYSE: DWDP) é uma holding composta pela The Dow Chemical Company e pela DuPont com a intenção de formar empresas fortes, independentes e de capital aberto nos mercados de Agricultura, Ciência dos Materiais e Produtos Especializados, liderando suas respectivas indústrias por meio da produtividade, tendo a ciência como base para o desenvolvimento de inovações que atendam as demandas dos clientes e que ajudem a resolver os desafios globais.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Dow

Curta nossa página no

Anúncios

Dow Chemical e DuPont em negociações avançadas para fusão

09/12/2015

Segundo a Reuters, a Dow Chemical e a DuPont estão negociando uma fusão para criar uma gigante de produtos químicos com valor de mercado de mais de 130 bilhões de dólares e que poderá se dividir, na sequência, em uma série de diferentes negócios, afirmaram fontes com conhecimento do assunto.

Com a fusão, o presidente-executivo da Dow, Andrew Liveris, e seu homólogo na DuPont, Edward Breen, manteriam seus cargos na nova companhia, relatou uma das fontes, que informou também que um acordo pode ser fechado nos próximos dias.

O assunto não foi comentado por representantes da Dow e da DuPont.

As sinergias de custo geradas pela fusão podem atingir 3 bilhões de dólares, segundo informou a CNBC, mencionando fontes que estão a par do assunto. Tanto a Dow Chemical como a Du Pont possuem negócios significativos no setor de plásticos. Cada uma delas tem valor de mercado aproximado de 60 bilhões de dólares. Se a fusão se concretizar, a nova companhia resultante será a segunda maior empresa química do mundo, depois da BASF.

O eventual acordo, que terá de ser aprovado por agências regulatórias de vários países, permitirá que as duas empresas norte-americanas revigorem seus ativos. Ultimamente, os negócios dos segmentos de plástico e de especialidades químicas vem se beneficiando de custos de energia mais baixos, enquanto que as divisões de produtos químicos para agricultura vem tendo dificuldades para lidar com uma demanda fraca por defensivos.

Após a operação que seria estruturada como uma fusão de iguais, a nova empresa poderia se dividir em ciências de materiais, especialidades e agroquímicos, afirmaram as fontes, ressaltando, porém, que os planos ainda não estão finalizados.

Fonte: Reuters / CNBC

Curta nossa página no

DuPont apresenta Centro de Inovação na Feiplastic 2013

24/04/2013

feiplastic

Empresa reforça o posicionamento global de colaboração e promove discussões entre especialistas e clientes na maior feira de plásticos da América Latina

A DuPont inova a sua participação na Feiplastic 2013 ao levar para o Pavilhão de Exposição do Anhembi o conceito do seu Centro de Inovação, localizado em Paulínia, São Paulo. Inaugurado em 2012, o espaço foi especialmente criado para estimular atividades de colaboração entre a DuPont, clientes, acadêmicos e representantes de organizações civis e governamentais. Para a feira, a proposta é conduzir as atividades do centro de pesquisa entre os participantes, convidando-os para discussões sobre inovações específicas para o mercado de plástico.

Durante o evento, a DuPont conduzirá palestras técnicas sobre o setor e que envolvem desde tecnologias para melhorar a performance do plástico em diversos  mercados – como de embalagens, automotivos, eletroeletrônicos e consumo – aos processo de impressão flexográfica. O Centro de Inovação será instalado no estande da DuPont e todos os participantes estão convidados a discutirem temas de inovação com representantes da empresa e soluções para problemas específicos do setor.

Na edição deste ano da Feiplastic, a DuPont marca presença com alguns de seus produtos já consolidados no mercado de embalagens, como os da unidade de negócio de Embalagens e Polímeros Industriais (DuPont Packaging & Industrial Polymers), que produz uma extensa variedade de adesivos de coextrusão, resinas de alta transparência e resinas selantes; os de Polímeros de Performance (DuPont Performance Polymers) que englobam os polímeros de engenharia, resinas de fontes renováveis e elastômeros; os do negócio Tecnologias com Titânio (DuPont Titanium Tecnologies ) que traz aplicações do dióxido de titânio, DuPont™ Ti_Pure®, no mercado de plásticos, além das chapas de Alta Performance DuPontTMCyrel® DSP e DFP, o mais recente lançamento da DuPont  na área de impressão flexográfica (DuPont Packaging & Graphics).

Destaque para a participação dos produtos DuPont Surlyn®, resina ionomérica que possui diversas aplicações na indústria de alimentos, cosméticos, e produtos farmacêuticos;  DuPont™ Fusabond®, resina compatibilizante da linha dos modificadores de polímeros que promove alta capacidade de dispersão de polímeros e minerais de diferentes naturezas; DuPont™ Zytel® Plus, resina de nylon de alto desempenho que resiste a longas exposições ao calor e produtos químicos; o DuPont™ Sonora®, polímero  de fonte renovável que apresenta alto desempenho para utilização em peças e componentes automotivos, além dos elastômeros, DuPont™ Viton® e o DuPont™ Vamac®, materiais utilizado em juntas, vedações e mangueiras por promover excelente resistência a diferentes fluidos.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Feiplastic

Curta nossa página no

Bioplásticos e aditivos para biodegradação de polímeros são destaques na Feiplastic 2013

07/03/2013

Braskem, Du Pont e Skintech Tecnologia são expositores-exemplo da tendência atual da indústria do plástico

feiplastic

Uma das bandeiras levantadas pela Feiplastic – Feira Internacional do Plástico, que acontece de 20 a 24 de maio de 2013, é a abordagem sustentável dos produtos e soluções. São tecnologias e matérias-primas que garantem ao Brasil a liderança no mercado de plásticos verdes. Um dos exemplos é o políetileno desenvolvido pela Braskem, produzido a partir de etanol de cana-de-açúcar, e que reduz consideravelmente a emissão de gases do efeito estufa. O produto pode ser utilizado na fabricação de frascos de higiene e beleza, embalagens de alimentos, sacolas, sacos de lixo e brinquedos.

Ao lançar o Polietileno (PE) Verde, a Braskem fez do Brasil o maior produtor mundial de biopolímeros. Para cada tonelada de Polietileno Verde produzida, são capturadas e sequestradas até 2,5 toneladas de gás carbônico da atmosfera. A Braskem já contribui com a redução anual de emissão de mais de 750 mil toneladas de CO2, o que equivale a plantar e manter mais de 5 milhões de árvores a cada ano.

“Temos como visão alcançar a liderança mundial da química sustentável até 2020”, explica Jorge Soto, diretor de Desenvolvimento Sustentável da Braskem. “Isso significa não apenas ampliar o portfólio de resinas verdes, mas também investir em operações cada vez mais sustentáveis e no desenvolvimento de novas tecnologias e processos com esse fim”. Atualmente, a tecnologia que usa como matéria-prima o etanol passou, inclusive, a fazer parte de produtos de outra empresa expositora da Feiplastic, a Du Pont. A empresa possui linha de resinas adesivas e modificadores de polímeros criada em parceria com a Braskem, ampliando suas linhas de resinas Bynel e Fusabond. Os produtos foram desenvolvidos para igualar ou superar o desempenho de seus equivalentes derivados de petróleo. Os produtos são totalmente recicláveis através das atuais redes de reciclagem de polietileno.

Outra empresa expositora com forte apelo ambiental é a Skintech Tecnologia, que oferece os aditivos oxibiodegradáveis da norte-americana Willow Ridge Plastics, como explica Talitta Silva, gestora de Marketing e Administração da companhia. “Tais aditivos podem ser aplicados em polímeros diversos como PEAD, PEBD, PELBD, PP, BOPP e PS. Os plásticos oxibiodegradáveis possuem duas fases ativas. A primeira é a fase de degradação oxidativa. Isso ocorre com o envelhecimento do próprio material. Conforme o plástico sofre a degradação, as propriedades físicas se reduzem. O material fragmentado torna-se ideal para a ação dos micróbios. Os produtos derivados resultantes são água, dióxido de carbono e biomassa. Os critérios de normatização da Willow Ridge Plastics estão de acordo com a Resolução nº 105 da Anvisa e com a norma ASTM 6954-04. A tecnologia é aplicável a polímeros plásticos de origem fóssil ou renovável. A vantagem é a sua versatilidade e custo final, que não ultrapassa 5% do preço final.

Silva comenta que a Feiplastic é “fundamental para setor, pois é praticamente a única opção, em âmbito nacional, para a troca de experiências, divulgação e fidelização de negócios no setor plástico. As feiras são excelentes oportunidades para expor, com alcance global, o potencial tecnológico da indústria plástica brasileira”. A presença em feiras internacionais como a Feiplastic também são importantes para a imagem da indústria nacional, complementa Silva. “Podemos demonstrar a capacidade produtiva de nosso seguimento, e a qualidade e eficiência dos produtos fabricados. O Brasil é uma excelente opção de negócio para investidores de todo o mundo”.

Acredita-se que, em poucos anos, o consumo dos “plásticos verdes” deva representar parcela significativa de todas as resinas plásticas consumidas no mundo todo. Estudo divulgado em novembro de 2012, parceria entre o instituto European Bioplastics e a Universidade de Hannover, na Alemanha, revela cenário favorável para mercado mundial de plásticos ecologicamente corretos, com grande virada daqui cinco anos. A capacidade da produção global de bioplástico deve chegar a 6 milhões em 2016, volume quase cinco vezes maior que o de 2011, que fechou em 1,2 milhão de toneladas. O PET parcialmente vegetal, por sua vez, deverá ocupar 80% do mercado, o equivalente a 4,6 milhões de toneladas.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Feiplastic

Curta nossa página no

Parceria entre Braskem e DuPont cria nova linha de produtos com polietileno derivado de cana-de-acúcar

18/11/2012

Resinas adesivas e modificadores de polímeros adesivos passarão a utilizar o plástico de origem renovável

A DuPont Packaging & Industrial Polymers (DuPont) anunciou o lançamento de uma nova linha de resinas adesivas e modificadores de polímeros em parceria com a Braskem, maior produtora de resinas das Américas e líder mundial na produção de biopolímeros, ampliando assim suas linhas de resinas DuPontT Bynel® e DuPontT Fusabond®. Os produtos foram desenvolvidos para igualar ou superar o desempenho de seus equivalentes derivados de petróleo, além de complementar a crescente carteira de soluções da DuPont visando maior sustentabilidade. Os produtos são ainda totalmente recicláveis através das atuais redes de reciclagem de polietileno (PE).

Através da parceria, anunciada oficialmente na European Bioplastics Conference, em Berlim, na Alemanha, a DuPont empregará o PE de fonte renovável da Braskem na produção de alternativas substitutivas às resinas adesivas e modificadores de polímeros de origem fóssil. Assim, usuários poderão atingir melhores indicadores ambientais sem alterar os níveis de desempenho ou processabilidade dos produtos.

O polietileno desenvolvido pela Braskem utiliza o etanol renovável produzido a partir da cana-de-açúcar em substituição a materiais com base em petróleo. O polietileno “verde” oferece um impacto ambiental positivo em relação ao polietileno com base em petróleo, já que captura e sequestra CO2 da atmosfera ao longo da sua cadeia produtiva.

“Estes dois materiais possuem inúmeras aplicações em diversas indústrias,” diz Shanna Moore, diretora global de sustentabilidade da DuPont Packaging & Industrial Polymers. “Estamos comprometidos em auxiliar os clientes a atingirem seus objetivos, visando oferecer maior sustentabilidade em seus produtos. Através de nossos esforços dedicados de pesquisa e desenvolvimento e parcerias como essa com a Braskem, podemos atender com sucesso os desejos de nossos clientes de reduzir sua pegada de carbono”, ressalta.

“A Braskem está empenhada em transformar o desenvolvimento das linhas Bynel® e Fusabond® em uma parceria longa e frutífera com a DuPont”, diz Marcelo Nunes, diretor de Químicos Renováveis da Braskem. “Sabemos que a utilização de biopolímeros em produtos voltados para a indústria de filmes e embalagens multicamadas é uma tendência e os negócios crescerão bastante”.

O compromisso da Braskem com o meio ambiente e sua abordagem à produção sustentável atraiu a DuPont, já que ambas as empresas incluem fortes compromissos ambientais em suas missões. A DuPont possui vasto conhecimento em embalagem multicamadas e na formulação de compostos de polímeros. Tal conhecimento, combinado com novos materiais, permitirá maior penetração de polímeros de fontes renováveis em estruturas mais sofisticadas.

As resinas adesivas de coextrusão DuPontT Bynel®, geralmente chamadas de tie layers, ajudam fabricantes de embalagem a melhorarem suas barreiras, vedação de calor e outras funções em estruturas multicamadas como filmes, garrafas, tubos e folhas termoformáveis. A DuPont oferece à indústria de embalagens a maior variedade disponível destas resinas especializadas. Com os novos grades de origem renovável, a empresa pretende ajudar fabricantes de filmes e embalagens multicamadas que passaram a utilizar o polietileno verde da Braskem a aumentar o conteúdo de material renovável em suas estruturas.

As resinas na linha de produtos DuPontT Fusabond® são polímeros modificados que foram desenvolvidos para facilitar a combinação de polímeros diferentes utilizados em compostos endurecidos, preenchidos ou misturados. Assim como a família de produtos Bynel®, a DuPont oferece uma ampla variedade de produtos para melhor se adaptar às demandas de aplicações específicas. Entre as possíveis aplicações de grades de origem renovável da linha Fusabond® estão o seu uso em compostos de madeira/plástico, compostos de amido/PE e compostos de fibra de vidro/PE, nos quais a utilização de um modificador de base renovável aumenta significativamente a porcentagem de material renovável na estrutura.

Fonte: Braskem

Curta nossa página no

Global Housing, DuPont e Braskem se unem para inovar no mercado brasileiro de construções.

07/11/2011

Fonte: Global Housing

Global Housing, DuPont e Braskem firmam parceria inédita para lançar no mercado brasileiro um novo conceito para construção residencial e comercial. Apresentada como ‘Casa de Concreto PVC’, a tecnologia representa uma forma inovadora e rápida para construir, em escala industrial, diferentes tipos de edificações com alto padrão de qualidade, uso reduzido de madeira e água e mínimo desperdício de materiais.

 A versatilidade do sistema é destaque, pois possibilita aplicações tanto em construções mais simples como em projetos mais complexos, incluindo hospitais, creches, escolas, centros comunitários e galpões.

 Outros fatores que tornam este sistema inovador são: rapidez na construção, sendo possível erguer uma casa com acabamento completo em até uma semana (pelos métodos tradicionais é necessário, pelo menos, um período de 90 dias), durabilidade, imunidade aos fungos e bactérias, facilidade de limpeza e conservação e baixíssima manutenção. Além disso, não é necessária mão-de-obra especializada para a construção. Com estas características, o projeto visa contribuir para a reurbanização de diversas cidades do Brasil e do mundo.

 A sustentabilidade também representa um importante diferencial, já que o sistema proporciona a redução em perdas por entulho e desperdício de materiais, economia no consumo de água e energia na obra e elevado ganho de produtividade – se comparado aos sistemas convencionais.

 O sistema construtivo, desenvolvido pela Global Housing e com tecnologia da DuPont e Braskem, acaba de receber a aprovação da Caixa Econômica Federal para a construção de 1.000 casas em todo o país. Este foi o primeiro passo para obter a homologação no programa ‘Minha Casa, Minha Vida’ do Governo Federal. Com isso, Global Housing, DuPont e Braskem esperam contribuir para a realização do sonho da casa própria de uma parcela mais ampla da população brasileira.

 Para a comercialização do sistema no mercado brasileiro, as três empresas parceiras envolveram todos os órgãos competentes locais, visando o cumprimento de todas as normas técnicas e exigências legais do país, necessidades e expectativas da população. O Sistema Construtivo Concreto PVC foi devidamente analisado e obteve uma avaliação técnica positiva conforme a diretriz SINAT 004 (Sistema Nacional de Avaliação Técnica) e a NBR 15575.

Fonte: Braskem

Thathi Polímeros lança resinas plásticas importadas da Dupont

12/08/2010

A Thathi Polímeros, distribuidora da Dupont no Brasil, lança na Interplast 2010 resinas plásticas importadas Dupont e busca fortalecer a rede de clientes no sul do Brasil. A resina de poliéster Crastin® PBT é um dos produtos mais utilizados na injeção de peças plásticas do segmento eletroeletrônico, devido às propriedades elétricas. O termoplástico de engenharia Delrin ® POM combina propriedades mecânicas, químicas e tem baixa absorção de umidade, diferenciais que o fazem substituir os metais em grande escala.

O termoplástico elastomérico Hytrel® combina as características de alto desempenho dos elastômeros com a processabilidade dos termoplásticos e pode ser utilizado em temperaturas de -40ºC a 110 ºC, em aplicações que envolvem grande resistência ao impacto, flexibilidade e redução de ruídos. A combinação do polímero de tereftalato e a fibra de vidro do Rynite® PET conferem ao material combinação de estabilidade térmica, propriedades elétricas, estabilidade dimensional, rigidez e estabilidade ao descoloramento para cores claras, mesmo quando exposto ao calor.

Leva a feira também, a tradicional linha de nylon da marca Zytel.

Sobre a Thathi Polímeros
Fundada em 1987 como empresa comercial, a Thathi Polímeros foi oficializada como distribuidora da Dupont no Brasil em 1994. É a maior distribuidora de resinas plásticas de engenharia do país e tem certificação da SGS ICS, desde 2002. Desenvolve projetos para a indústria automotiva, eletroeletrônica, construção civil e linha de consumo, auxiliando na indicação e aplicação técnica da matéria-prima.

Fonte: Messe Brasil