Posts Tagged ‘Doação’

SABIC doa US$ 1,5 milhão para apoiar esforços em resposta à COVID-19 nas Américas

07/05/2020

A SABIC anunciou no final de abril que doará US$ 1,5 milhão em produtos e em espécie em vários países das Américas para ajudar as pessoas mais afetadas pela pandemia da Covid-19. Isso inclui fornecer produtos plásticos produzidos pela SABIC que serão usados para doação e na fabricação de equipamentos médicos vitais.

A SABIC, cuja sede das Américas está localizada em Houston, doará aproximadamente US$ 1 milhão para bancos de alimentos e agências comunitárias, como a United Way, nas comunidades em que operam para ajudar aqueles que estão enfrentando a pandemia. A SABIC também está doando aproximadamente US$ 500.000 em produtos, elaborados em suas instalações nos EUA, Canadá, México, Argentina e Brasil, para fabricação e envio de equipamentos de proteção individual para profissionais de saúde e equipamentos médicos essenciais, como ventiladores, dispositivos de monitoramento de pacientes, máquinas de terapia respiratória e equipamentos de diagnóstico.

Ao anunciar sua doação para as Américas, Greg Adams, vice-presidente da SABIC na região, disse: “a SABIC, como todo o mundo, encontra-se em um período sem precedentes. Como empresa, estamos honrados por nossos materiais estarem sendo usados em dispositivos que ajudam na fabricação de equipamentos médicos essenciais para tratar pacientes e, ao mesmo tempo, em oferecer materiais que são usados na proteção daqueles na linha de frente, incluindo profissionais de saúde, enquanto eles desempenham suas funções. Nossos colegas continuam envolvidos para fazer o que podem para ajudar nossas comunidades durante essa crise.”

Exemplos de doação de produtos incluem:

  • Fabricação de aproximadamente 70.000 protetores faciais feitos de película de Policarbonato Lexan que serão distribuídos para profissionais de saúde e socorristas em toda a região das Américas
  • Fabricação e doação pelo Centro de desenvolvimento e processamento de Polímeros (Polymer Processing Development Center, PPDC) da SABIC, em Pittsfield, Massachusetts, de protetores faciais de uso médico. O PPDC usou folhas e filmes de policarbonato Lexan produzidos pela SABIC para fabricar os protetores faciais
  • Colaboração entre a fábrica da SABIC de Cobourg (Canadá) e um hospital local, juntamente com uma organização sem fins lucrativos da região, para criar protetores faciais usando folhas de policarbonato – filme Lexan produzido pela SABIC
  • Colaboração entre a fábrica da SABIC em Campinas, Brasil, com uma universidade e outras entidades para criar ventiladores para hospitais locais usando o copolímero LNP PC HPH4504H produzido pela SABIC

Atualmente, a SABIC opera 60 fábricas de produção e composição em mais de 50 países em todo o mundo. Nos Estados Unidos, as instalações da SABIC estão localizadas em Bay St. Louis, Miss.; Burkville, Ala.; Mt. Vernon, Ind.; Pittsfield, Mass.; Selkirk, N.Y. e Wixom, Mich. Outros locais da SABIC incluem Cobourg, Canadá; Tampico, México; Tortuguitas, Argentina e Campinas, Brasil.

Curta nossa página no

Empresas do setor do plástico do Espírito Santo produzem protetores faciais para profissionais de saúde durante pandemia

27/04/2020

O setor de Transformados Plásticos capixaba tem atuado para impedir o avanço do coronavírus. Empresas associadas ao Sindicato da Indústria de Material Plástico do Estado do Espírito Santo (Sindiplast-ES) estão envolvidas na confecção de protetores faciais que serão entregues pelo governo estadual a profissionais da saúde durante a pandemia.

A Fibrasa foi a responsável por doar oito toneladas de polipropileno (PP) para ajudar na fabricação dos itens de proteção. Na LBRX é feito o beneficiamento do material, através de extrusão. O processo é concluído na Plastin, que desenvolveu o suporte da lâmina de acetato, dando forma ao produto final. As três indústrias estão localizadas no município da Serra.

O sócio-proprietário da LBRX, Henrique Cavalcanti, ressalta que a empresa atua no mercado de telecomunicações e utiliza o seu conhecimento em reciclagem para reprocessar o polipropileno e deixá-lo pronto para ser usado novamente. “Começamos o trabalho na última sexta-feira (3 de março) e seguimos firmes para atender a demanda. Fazemos parte dos setores que não pararam as atividades durante a pandemia e entre os nossos profissionais fica a certeza de que eles estão sendo muito importantes nesse período de isolamento social. Fica o sentimento de fazer a sua parte e contribuir com a sociedade”, afirma o empresário.

Já o proprietário da Plastin, Neviton Gasparini, frisa que todos os esforços estão sendo empenhados para que os protetores faciais sejam produzidos em um curto espaço de tempo e assim chegarem aos profissionais da saúde. O governador Renato Casagrande, em visita à Plastin para acompanhar de perto a produção, agradeceu a contribuição de todos os envolvidos na ação de enfrentamento à Covid-19.

“Há um trabalho dos governos municipal, estadual e federal, mas há também uma forte atuação da sociedade, que colabora para que possamos atender melhor as pessoas que dependem dos hospitais. É uma ajuda importante para diminuir o sofrimento do outro”, destacou o governador.

Doações

Além da atuação dos setores produtivos, outra frente de trabalho para reduzir os impactos e o avanço do coronavírus tem sido a solidariedade. Há um movimento em todo o Estado para arrecadar alimentos e itens de higiene e limpeza para serem doados a famílias que precisam de ajuda nesse momento.

A Maifredo Embalagens e a Agrofit, por exemplo, que são duas empresas associadas ao Sindiplast-ES, atenderam recentemente ao chamado da Central Única das Favelas (Cufa) para beneficiar moradores carentes da Grande Vitória com materiais de higiene pessoal. A Agrofit doou 2.700 sacolas plásticas para abrigarem os kits, além de 100 sabonetes, enquanto a Maifredo Embalagens contribuiu com 1.000 garrafas pet, usadas para acondicionar o álcool em gel.

O presidente do Sindiplast-ES e diretor da Maifredo Embalagens, Jackley Maifredo, ressalta que o setor tem buscado somar esforços para dar sua contribuição nesse período delicado. “Nós nos colocamos a disposição dos nossos associados para divulgar seus produtos e serviços nos canais de comunicação do Sindiplast-ES. Ao mesmo tempo, estamos levantando ações solidárias que podem ser praticadas por cada um deles. Temos um compromisso de atender à sociedade, por isso, seguimos produzindo e, ao mesmo tempo, buscando fazer um trabalho social”, conclui.

Curta nossa página no

Unigel doa materiais e alimentos para auxiliar na mitigação da Covid-19

27/04/2020

A Unigel, uma das maiores indústrias químicas e petroquímicas do país, com presença nos estados da Bahia e de São Paulo, vem intensificando suas ações sociais para auxiliar a população a amenizar os impactos da pandemia de coronavírus – Covid-19, com a doação, até o momento, de 47 toneladas de materiais de seu portfólio, 13 toneladas de alimentos e 2 respiradores.

Essenciais para o setor médico e hospitalar, materiais que garantem descartabilidade e higiene são necessários em ambientes de risco durante situações de pandemia como a atual. Por isso, foram doadas 5 toneladas de poliestireno (PS) para, em conjunto com a indústria transformadora ligada à Abiplast (Associação Brasileira da Indústria do Plástico), fornecer 2 milhões de copos descartáveis para hospitais da rede pública. Adicionalmente, a Unigel doou 2 toneladas de Poliestireno para produção, em conjunto com a Copobras, de 200 mil embalagens alimentícias em isopor (EPS) para atendimento da população vulnerável em Salvador/BA.

Em resposta às necessidades dos profissionais de saúde por equipamentos de proteção para combater a COVID-19, a Unigel realizou a doação de 30 toneladas de metil-metacrilato (MMA) para que, em parceria com os transformadores de chapas acrílicas (Cristal e Cor, Castcrill, Central do Acrílico, Dacril, Acrimax e Itacril), fossem fornecidas a hospitais 6 mil cúpulas de intubação para evitar contaminação dos médicos com COVID-19. A companhia ainda realizou a compra de dois respiradores importados para doação a hospitais públicos de Salvador/BA, em ação coordenada com a FIEB (Federação das Indústrias do Estado da Bahia).

Ainda dentro do portfólio de produtos químicos e petroquímicos que podem, neste momento, ajudar no combate à pandemia, a Unigel uniu-se a outro grande grupo industrial químico no projeto de fabricação de 500 mil litros de álcool em gel para distribuição à rede pública de saúde, doando, para isso, 10 toneladas de ácido metacrílico.

Os itens descartáveis têm se mostrado fundamentais no combate ao vírus e, neste sentido, eles são a base da iniciativa da Unigel que não se restringe, porém, a este segmento para apoiar o combate à COVID-19. Para auxiliar emergencialmente as famílias vulneráveis que podem estar temporariamente com a renda prejudicada em razão do isolamento social, a Unigel doou 13 toneladas de alimentos, sendo 750 cestas básicas, aos alunos da Escola Gisella Tygel e 550 cestas básicas aos alunos da Escola XIV de Agosto, ambas instituições de ensino mantidas pela companhia em Candeias/BA.

Foto: Bahianoticia.com.br

Curta nossa página no

Greif e Campo Limpo se unem à Dow para viabilizar envasamento de álcool em gel para doação em São Paulo

27/04/2020

Dow irá doar mais de 25 toneladas de álcool em gel a cinco cidades paulistas

Com o objetivo de auxiliar a população no combate à proliferação da Covid-19, a Dow readequou as linhas de produção de sua unidade em Hortolândia (SP) para a fabricação de álcool em gel, que será doado a hospitais públicos e unidades de saúde do estado de São Paulo. Para esta iniciativa, a empresa trabalhou em conjunto com parceiros engajados na luta contra o novo coronavírus.

Para a conservação do produto, ou seja, para as embalagens, a Dow contou com dois parceiros estratégicos: a Greif, fornecedora de embalagens industriais, e a Campo Limpo, fornecedora de tampas fabricadas com material reciclado.

A Greif, cliente e fornecedora global da Dow, teve um papel importante nesse projeto ao doar para o envasamento do álcool em gel 3,4 mil embalagens que inicialmente teriam uma destinação diferente, mas que foram aprovadas pelos órgãos reguladores,

O trabalho de aprovação das embalagens foi intenso, pois elas normalmente são utilizadas para outras finalidades, como a armazenagem ou transporte de produtos químicos e lubrificantes, por exemplo. Mas, devido à sua versatilidade e resistência, as embalagens conseguiram ser aprovadas em tempo recorde, para o uso emergencial. O produto será disponibilizado em bombonas plásticas, produzidas com polietileno de alta densidade (PEAD), seguindo as exigências e recomendações do INMETRO.

“Mais do que nunca, numa crise, foi possível ver que as grandes colaborações mostram os valores que unem parceiros. A Dow só consegue atingir suas ambições graças a esses parceiros, clientes, fornecedores e órgãos reguladores, que caminham juntos por um bem maior. Isso nos mostra que, quando há união, os resultados são ainda melhores”, afirma Sabine Rossi, Gerente de Desenvolvimento de Mercado da Dow no Brasil.

Já a Campo Limpo, localizada em Taubaté (SP), irá fornecer todas as tampas das embalagens seguindo as especificações de desempenho necessárias. As tampas produzidas pela companhia são feitas com RPC (resina pós-consumo) 100% reciclado e garante a segurança contra vazamentos no manuseio e no transporte.

União em prol de um único objetivo

Como o álcool em gel não faz parte do portfólio da Dow, foi necessário ainda que a companhia readaptasse sua fábrica de Hortolândia (SP), a qual originalmente fabrica silicones, e contasse com o esforço conjunto de diversas unidades de negócio da companhia, além da colaboração de clientes e fornecedores, para viabilizar a produção na unidade.

O objetivo da Dow é distribuir 25 toneladas de álcool em gel (30 mil litros na conversão do produto), para as cidades paulistas de Campinas, Guarujá, Hortolândia, Jacareí e Jundiaí. O material será destinado para nove hospitais públicos, 18 unidades de Pronto Atendimento (UPAs), 185 Unidades de Saúde (UBS) e quatro Centros de Atenção Psicossociais (CAPS), o que vai abastecê-los por três meses. A doação será feita por meio do Governo do Estado de São Paulo.

A companhia conta ainda com a colaboração de outras empresas. O Grupo Cesari fornecerá o transporte do etanol para a fábrica de Hortolândia e fará a limpeza do tanque que realizará o transporte. A Intertank, especializada em tanques de pequeno e médio portes, emprestará os contêineres metálicos para fracionar o etanol que ficará armazenado na fábrica de Hortolândia. O transporte para os locais indicados pelas secretarias de Saúde das cidades contará com apoio do Grupo Toniato.

A empresa de logística EBMAC, com sede em Cambé, no Paraná, se encarregará do transporte das embalagens para a fábrica de Hortolândia; e a Transbueno, do Grupo Bueno, localizada em Jacareí, São Paulo, fará a retirada e entrega das tampas da embalagem em Hortolândia, local da fabricação do álcool em gel. A distribuição será viabilizada via secretarias de Saúde de cada localidade.

A Greif conta com mais de 140 anos de existência e produz embalagens industriais de aço, plástico, fibra, flexíveis, corrugadas, recondicionadas, IBCs e acessórios para embalagens

A Campo Limpo é pioneira na produção de embalagens que usam plástico reciclado oriundo de logística reversa das embalagens vazias de defensivos agrícolas (Sistema Campo Limpo) e produz também um sistema de vedação de alta desempenho.

Curta nossa página no

Na França, Sidel fornece garrafas para álcool em gel a estabelecimentos de saúde locais

27/04/2020

Na luta contra a Covid-19, a Sidel transformou seu centro para desenvolvimento de embalagens PET e soluções de sopro na França em um centro de produção para a fabricação excepcional de garrafas para gel hidroalcoólico. Um primeiro lote de 5.000 garrafas plásticas de PET para o produto antisséptico já foi fornecido ao Hospital de Dijon, e um segundo foi distribuído para farmácias e hospitais da cidade de Le Havre, Normandia.

Na França, assim como em qualquer outro lugar no momento, há grande demanda por gel hidroalcoólico para desinfecção. Assim, o governo francês fez um apelo geral pedindo auxílio quanto à produção desse artigo atualmente em escassez. Várias indústrias bem como hospitais têm atendido ao apelo e estão produzindo o gel. Mas os estabelecimentos de saúde têm enfrentado dificuldades para distribuí-lo aos funcionários, visto que ele tem sido produzido em frascos grandes.

“Com habilidades colaborativas e trabalho ágil e criativo, nossos funcionários engajados conseguiram transformar nosso centro de excelência em um pequeno centro de produção em apenas dois dias”, revela Vincent Le Guen, Vice President Packaging da Sidel. Um primeiro pedido foi recebido do Hospital de Dijon em meados de março, solicitando frascos de tamanho menor para acondicionamento do gel hidroalcoólico. A empresa respondeu rapidamente e encontrou as matérias-primas e parceiras certas para produzir as garrafas, que são fabricadas usando um molde de 500 ml que a Sidel já tinha, preformas fornecidas por uma importante empresa de bebidas e tampas esportivas fornecidas por uma fabricante de tampas. A tampa esportiva permite controlar o fluxo do gel e mantê-lo seguro. Em uma semana, as primeiras 5.000 garrafas PET já foram enviadas ao Hospital de Dijon.

Enquanto isso, outras iniciativas similares foram instauradas. “Entramos em contato com um deputado na Normandia e conversamos sobre como a Sidel poderia dar apoio às instituições de cuidado à saúde locais nessa época desafiadora. O deputado nos informou que farmácias também estão tendo dificuldades na distribuição do gel. Assim, além da garrafa de 500 ml para os hospitais, projetamos rapidamente um formato menor, de 200 ml, que é mais prático para o uso individual e distribuição nas farmácias locais. Ao todo, mais de 1.000 garrafas foram entregues às farmácias locais em 1º. de abril, todas 100% recicláveis e potencialmente recarregáveis após esterilização”, prossegue Vincent.

A Sidel tem priorizado suas atividades e tomado posição no sentido de usar os recursos disponíveis para apoiar a comunidade. Normalmente, o laboratório em Octeville-sur-Mer é um centro de desenvolvimento de embalagens dedicado a auxiliar os clientes da Sidel com suas consultas em relação a opções e viabilidade de design de embalagens PET. A unidade geralmente não é reservada para produção industrial.

“Essa iniciativa é um gesto de solidariedade aos nossos profissionais da saúde. Vai nos ajudar a fazer a diferença em vencer a escassez de suprimentos que surgiu devido à situação atual”, acrescenta Vincent. “A flexibilidade sempre foi destaque em nossas soluções e serviços. Ao trabalhar nesse modo, nossa capacidade de produção semanal é de até 20.000 garrafas, e podemos atender a mais solicitações desse tipo. A Sidel faz um apelo à generosidade de qualquer parceiro comercial em fornecer mais preformas e tampas para manter a continuidade da atividade. Além disso, também estamos preparados para apoiar outras empresas que precisariam de moldes para produzir garrafas em suas linhas de envase, desejando assumir responsabilidade adicional na luta que todos temos contra o vírus”, conclui.

Os funcionários da Sidel estão prontos para produzir várias dezenas de milhares de garrafas para álcool em gel a fim de atender às necessidades locais nas próximas semanas tanto quanto for preciso.

Curta nossa página no

Eastman doa materiais para auxiliar no combate à proliferação de COVID-19 no Brasil

26/04/2020

A empresa fornece materiais plásticos para ajudar a produzir mais de 20.000 protetores faciais para proteger os profissionais de saúde em todo o país

O mundo está enfrentando uma batalha significativa contra a pandemia de COVID-19. A Eastman está comprometida em participar desta luta e, no Brasil, está doando seus copoliésteres para duas empresas que as usam para a produção de equipamentos de proteção: a 3D Lab, fabricante de filamentos de impressão 3D, e a MMS Plásticos, distribuidora brasileira de plásticos.

A 3D Lab está usando o copoliéster Eastar para contribuir com a produção de protetores faciais para a proteção dos profissionais de saúde no país. As peças tem distribuição gratuita, principalmente para hospitais públicos.

“Sabíamos que precisávamos nos solidarizar com as pessoas durante esse período desafiador, principalmente, porque temos o material perfeito para esse tipo de equipamento. O Eastar possui a resistência química necessária para que toda a superfície seja limpa com vários desinfetantes médicos e as peças resistem ao uso constante ”, diz Rogério Dias, gerente de Plásticos Especiais da Eastman na América Latina.

Dias conta que, quando a necessidade de um material de proteção facial foi identificada, a Eastman rapidamente se adiantou e ofereceu o Eastar, que tem um longo histórico de uso em uma ampla gama de produtos que inclui dispositivos médicos e protetores faciais.

“Temos que fazer a nossa parte. É muito importante preservar a comunidade de saúde a evitar novas contaminações. Como a produção e a montagem dos protetores faciais levam apenas algumas horas, muito pode ser criado em um curto período de tempo, o que pode ajudar a salvar vidas ”, completa Dias.

Rápida mobilização

Em uma outra iniciativa, a MMS Plásticos usa o copoliéster Eastman Cadence para ajudar a produzir a cobertura do protetor facial. Essas máscaras protetoras também ajudarão a preservar a saúde dos profissionais médicos no Brasil.

Os esforços do Simperj (Sindicato das Indústrias de Plásticos do Rio de Janeiro) têm sido o catalisador de iniciativas como a empreendida pela MMS Plásticos.

“Com a determinação da quarentena, começamos a mobilizar na Firjan (Federação das Indústrias do Rio de Janeiro) uma grande rede dentro da indústria para doar produtos e equipamentos para combater o coronavírus. A MMS Plásticos e a Eastman responderam prontamente a nossos pedidos e, juntos, estamos devolvendo à sociedade da melhor maneira possível, protegendo vidas”, explica Rafael Sette, diretor de sustentabilidade do Simperj.

Ambas as doações ajudarão a produzir mais de 20.000 mil protetores. Além desses esforços, a Eastman está fazendo sua parte para impedir a proliferação de COVID-19 em outras regiões onde atua.

Fundada em 1920, a Eastman é uma empresa global de materiais especiais que produz uma ampla gama de produtos para mercados finais tais como transporte, construção civil e produtos de consumo. A Eastman emprega, aproximadamente, 14.500 pessoas ao redor do mundo e atende clientes em mais de 100 países. A companhia está sediada em Kingsport, Tennessee, EUA.

A 3D Lab é uma empresa atuante no segmento de impressão 3D no Brasil, que está no mercado há 6 anos. Oferecendo soluções na fabricação de filamentos, impressão 3D e oferta de cursos, serviços de manutenção e prototipagem.

A MMS Plásticos é uma empresa brasileira que atua no mercado de transformação e distribuição de plásticos há 24 anos, fabricando e distribuindo chapas, bobinas e resinas termoplásticas para os mais diversos mercados. Com uma unidade industrial instalada em Guarulhos, a MMS Plásticos possui uma capacidade de produção de 600 toneladas por mês e 120 funcionários.

Curta nossa página no

Braskem doa 7 mil metros de tubos de PVC para Prefeitura de Maceió

18/09/2015

Material para obras na orla prepara a capital alagoana para o verão dos 200 anos de sua fundação

Imagen aérea - planta da Braskem em Maceió

Imagen aérea – planta da Braskem em Maceió

A Braskem vai doar mais de 7 mil metros de tubos PVC, para a Prefeitura de Maceió. O material será usado em obras de drenagem e melhoria da balneabilidade da orla da cidade, que se prepara para o verão de comemorações dos 200 anos de sua fundação.

A obra consiste na coleta e no afastamento, por meio da tubulação de PVC, da água de rebaixamento de lençol freático entre as praias de Pajuçara e Jatiúca para o canal Gulandi, que capta as chuvas na região. A rede de coleta será instalada na faixa de areia, com 11 estações elevatórias ao longo da orla marítima, interrompendo o fluxo de água atualmente lançado no mar. O projeto será entregue em seis meses. “Vamos iniciar uma obra muito solicitada pela rede hoteleira e todo o setor turístico. Contamos com a mobilização de vários parceiros e das secretarias municipais, e a cidade vai ganhar muito com isso. Maceió precisa dessas parcerias público-privadas”, afirmou o prefeito Rui Palmeira.

“Com essa parceria público-privada, a cidade terá uma praia limpa, refletindo em mais saúde, lazer e novos empreendimentos hoteleiros, o que atrai mais turistas e gera emprego e renda. Além disso, atende à questão ambiental”, disse o gerente de Marketing e Relações Institucionais, Milton Pradines.

O executivo também destacou o fato de os tubos terem como matéria-prima o PVC, um produto por excelência de Alagoas, já que a unidade da Braskem no Polo Industrial Aprígio Vilela, em Marechal Deodoro, é a maior fabricante da resina do Hemisfério Sul, com uma produção de 470 mil toneladas por ano. Pradines ressaltou ainda que os tubos são fabricados pela Corr Plastik, cliente da Braskem instalado em Maceió. “Dessa forma, fortalecemos a cadeia local da química e do plástico.”

“Alagoas é a cara do PVC no Brasil. Geramos 400 empregos diretos e quase 1.000 indiretos, então, é uma força de trabalho importante para o estado. Mesmo diante da crise econômica que o país enfrenta, estamos conseguindo crescer, exportando e buscando novos mercados. Interessa-nos muito firmar novas parcerias para fazer outros produtos à base de PVC que atraiam empresas e, assim, possamos ainda mais enrijecer a cadeia alagoana da química e do plástico”, falou Marco Aurélio Campelo, gerente da unidade PVC da Braskem.

Esta é a segunda parceria público-privada firmada entre a Braskem e a Prefeitura de Maceió nos últimos 20 dias. No final de agosto, foi inaugurado, na Avenida Assis Chateaubriand, o Complexo Lourenço Vasconcelos, uma área multiuso construída inteiramente com a tecnologia Concreto PVC. O espaço oferta aos moradores do bairro Trapiche da Barra e região serviços de atendimentos de saúde, lazer e esporte, com a presença de quadra poliesportiva, Posto de Saúde e base do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU).

Parcerias e doação

O termo de doação dos 7.103 metros de tubos de PVC rígido para sistemas de adução e distribuição de água foi assinado pelo prefeito de Maceió, Rui Palmeira, o diretor presidente da Agência Reguladora de Serviços de Saneamento Básico de Maceió (ARSMAC), Leonardo Novaes, o assessor da diretoria da Braskem, Jorge Augusto Bastos, e o gerente de produção de PVC, Marco Aurélio Campelo.

As obras de drenagem serão conduzidas pela Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminfra), utilizando R$ 2,9 milhões de recursos próprios do município. A parceria envolveu também o Governo de Alagoas, por meio da Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz), na desoneração tributária da doação, e as entidades Associação das Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi) e Associação Brasileira da Indústria de Hotéis – Seccional Alagoas (ABIH-AL), que financiaram a elaboração do projeto técnico da obra.

Fonte: Braskem

Curta nossa página no