Posts Tagged ‘Compostos’

Karina lança compostos para diferentes aplicações durante a Interplast 2018

13/07/2018

A Interplast será palco de lançamento de produtos da Karina para atender a diferentes aplicações. A empresa lançará o Karinprene®TR, um elastômero termoplástico produzido com base de copolímeros em blocos de SBS, destinado ao segmento de calçados. Além disso, o Karinprene®TPE, elastômero termoplástico de materiais de engenharia para peças injetadas e extrusadas, também será lançado durante a feira. Por último, será apresentado o Karintox®Eco, um composto de polietileno “ECO” (Fonte Renovável), fabricado com polietilenos de origem renovável, derivado da cana de açúcar.

A Karina é especialista na produção de compostos termoplásticos e atua no segmento há mais de 38 anos. Segundo a empresa, seus produtos e infraestrutura estão em conformidade com normas e legislações nacionais e internacionais que regem a produção de Compostos de PVC, Especialidades Poliolefínicas, Borracha Termoplástica e Masterbatch.

A linha de produtos abrange Compostos de PVC, Especialidades Poliolefínicas, Masterbatch, Karintox® (LSZH), Karinpex® (HEPR), Karinpex® (XLPE), Roto – K® (Rotomoldagem), Karinprene® TR e Karinprene®TPE.

Fonte: Messe Brasil

Curta nossa página no

Anúncios

Evonik planeja linha adicional para a fabricação de compostos de PMMA nos EUA

16/01/2018

  • A expansão praticamente dobrará a capacidade de produzir compostos especiais para moldagem em Osceola, Arkansas (EUA)
  • A construção da nova linha para compostos começará no início de 2018, com conclusão e início das atividades previstos para o primeiro trimestre de 2019
  • A expansão da capacidade para compostos fortalece as redes de produção totalmente integradas de MMA/PMMA.

Neste começo de 2018, a Evonik dá início à construção de uma linha adicional para a produção de compostos de sua marca de PMMA Acrylite® no site de Osceola, Arkansas (EUA). A expansão deverá praticamente dobrar a capacidade de produção dos compostos especiais para moldagem da linha de negócios Methacrylates produzidos no local. A nova linha de compostos deverá ser concluída e inaugurada no primeiro trimestre de 2019.

“Essa expansão da capacidade para compósitos em Osceola é a próxima etapa lógica da Evonik no processo de implementar a sua estratégia global”, explica Siamak Djafarian, responsável pela linha de produtos Molding Compounds no segmento Performance Materials da Evonik. “Nós somos o único fabricante de PMMA do mundo a possuir redes de produção de MMA/PMMA totalmente integradas, com produção downstream dos compostos nas regiões das Américas, Europa e Ásia”, acrescenta Djafarian. A Evonik agora pretende ampliar esse ponto forte para poder oferecer compostos especiais para moldagem produzidos localmente em cada uma das três regiões.

“A expansão é uma resposta à crescente demanda pelo Acrylite®”, acrescenta Jack Chenault, responsável pelo segmento Performance Materials na região Americas da Evonik. “A demanda está em alta nos EUA e nos mercados em crescimento do México e da América do Sul, sobretudo para aplicação nos setores da construção, iluminação e automotivo, que requerem um sofisticado nível de qualidade”.

Segundo a Evonik, os seus compostos para moldagem Acrylite® apresentam desempenho convincente em todas as aplicações cujos requisitos primordiais são resistência à intempérie, solidez de cor, alto brilho e transparência, bem como dureza e resistência à abrasão. Em cooperação com especialistas da indústria do plástico e seus fornecedores, a linha de produtos Molding Compounds da Evonik desenvolve novos produtos Acrylite® para aplicações inovadoras.

A Evonik é fabricante mundial de produtos de PMMA comercializados sob a marca Plexiglas® e Pleximid® na Europa, na Ásia, na África e na Austrália, e sob a marca Acrylite® e Acrimyd nas Américas.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Evonik

Curta nossa página no

Ube inaugura unidade de produção de compostos de poliamida na Espanha

25/10/2017

A multinacional Ube (www.ube.ind.br), com sede no Japão, inaugurou uma unidade de produção de compostos de poliamidas em Castellón, Espanha, que garantirá um aumento de 40 mil toneladas/ano em sua produção atual, totalizando uma capacidade de 70 mil toneladas. “Esta é uma reação natural ao crescimento da demanda de nylon em diversas aplicações. Ela também garantirá uma maior aproximação da UBE com clientes da Europa e área do Atlântico”, explica Javier Miguel, Presidente da UBE América Latina.

Os compostos produzidos na nova unidade destinam-se a diversas aplicações, dentre elas peças automotivas, filmes para alimentos, garrafas e embalagens sopradas. A nova planta Olive K, como é chamada, usará uma tecnologia própria e exclusiva para produzir diversos copolímeros e nylons de alta e baixa viscosidade. Estes materiais são usados em aplicações técnicas, nos setores automotivo e de embalagens para alimentos, e na produção de monofilamentos, redes de pesca, componentes técnicos, materiais específicos para aplicações em veículos elétricos e soluções para tanques de hidrogênio e propelentes de gás natural condensado.

“Outro diferencial é que o centro de Pesquisa & Desenvolvimento, localizado ao lado da nova unidade, oferece um time de profissionais qualificado e dedicado à assistência técnica dos clientes, bem como serviços de inovação que contribuem para o desenvolvimento de novas oportunidades de negócios para os clientes”, completa Javier.

A cerimônia de inauguração da planta Olive K aconteceu no dia 05 de Outubro, na Prefeitura de Castellón, e contou com a presença de autoridades, agentes, fornecedores e colaboradores locais, além do Presidente da UBE Corporation Europe, Bruno De Bievre.

Sobre a Ube: Fundada na cidade de Ube, província de Yamaguchi, no Japão, em 1897, a UBE mantém 11 mil colaboradores em todo o mundo e registrou um faturamento de US$ 5,2 bilhões no ano fiscal de 2016, encerrado em Março de 2017. O portfólio global de produtos da empresa divide-se em: químicos 42%; cimento e materiais de construção 37%; máquinas 11%; meio ambiente e energia 9%; e farmacêuticos 1%.

Ao todo são três plantas de nylon – Japão, Tailândia e Espanha – que abastecem o mercado global. Cada planta possui o seu próprio centro de Pesquisa & Desenvolvimento. No Brasil a operação da UBE existe desde 2010 e as vendas de Plásticos de Engenharia representam 25% da produção de Castellón – Espanha. O escritório brasileiro atende a toda América Latina, com ênfase a Brasil, Argentina, Chile, Peru, Colômbia e Equador.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Ube

Curta nossa página no

Akro-Plastic inaugura fábrica de compostos de poliamida em São Paulo.

05/10/2015

Akroplastic

A multinacional alemã Akro-Plastic (www.akro-plastic.com),  pertencente ao grupo Feddersen,  oficializou no último dia 16 de Setembro o início das operações em sua unidade de produção de compostos plásticos de engenharia, situada em Itupeva – SP. Com investimentos de 2 milhões de euros, a nova planta terá capacidade produtiva de 5 mil toneladas por ano nesta primeira fase, sendo que a empresa está preparada para expandi-la para 20 mil toneladas anuais.

A cerimônia de inauguração contou com a presença do presidente do Conselho de Administração da Fundação K.D. Feddersen, dr. Matthias Von Rönn, do diretor geral da Holding K.D. Feddersen, Volker Schell, de Fernando Nocolosi, diretor geral da Akro-Plastic do Brasil, e do Prefeito de Itupeva, Ricardo Bocalon.

A nova fábrica reforça o compromisso global da Akro-Plastic com seus clientes e, através da tecnologia ICX® (identical compounding & extrusion), garante que processos e meios de produção e controle são exatamente iguais em suas fábricas da Alemanha, China e Brasil. A máquina utilizada para a produção de compostos é fabricada por uma subsidiária do grupo Feddersen, a Feddem.

O portfólio da Akro-Plastic conta com a vasta especialização em compostos de poliamida, que são produzidos com padrões globais necessários para garantir as mais rigorosas tolerâncias, afirma a empresa. Entre as linhas de produto, destacam-se as soluções em poliamida Akromid® (PA 6.6 ) (PA6) (PA66/6) com reforços de 50, 60 e até 70% de fibra de vidro, usada para substituição de metal. Em aplicações onde a exigência é ainda mais alta,  a Akro-Plastic disponibiliza grades de Akroloy PA® (poliamida semi-aromática) e Akromid T® (PPA),  especialidades que proporcionam rigidez superior e temperaturas de aplicação aliadas à alta performance, segundo a fabricante de compostos.

Outros materiais fornecidos pela Akro-Plastic incluem compostos de Poliamida com fibra de carbono Akromid® ICF  – muito resistentes e leves – e materiais de fonte renovável Akromid® D  (PA 6.10), além de compostos de Poliamida com densidade reduzida Akromid® LITE & Xtralite – produtos que reforçam o compromisso da Akro-Plastic em inovar com sustentabilidade.

A Akro-Plastic possui sede na Alemanha e está presente no mercado há 25 anos, com presença em três continentes. O principal negócio da Akro-Plastic é o desenvolvimento,   produção e comercialização de compostos termoplásticos de alto desempenho, principalmente poliamidas.

Curta nossa página no

Solvay e RTP ampliam a disponibilidade global de resinas PPSU para aplicações em aeronaves

04/09/2015

Novo acordo de licenciamento permite que a RTP Company produza e venda resinas PPSU, oferecendo prazos de entrega mais curtos e maior flexibilidade para atender aos pedidos dos clientes

A Solvay Specialty Polymers, um dos líderes globais na fabricação e fornecimento de termoplásticos de alto desempenho, anunciou um novo acordo de licenciamento que permite à RTP Company, produtora global de compostos termoplásticos avançados, produzir e vender a linha de resinas de polifenilsulfona (PPSU) Radel® R-7000 da Solvay para a indústria aeronáutica mundial. O acordo expandirá significativamente os canais de fornecimento em uma escala global para esta família de polímeros de alto desempenho amplamente reconhecida pela indústria, ajudando a encurtar os prazos de entrega e a ampliar as opções de resinas PPSU Radel® R-7000 em cores customizadas, em pequenos ou grandes volumes.

As resinas da família de produtos Radel® R-7000 PPSU são especialmente formuladas para aplicações no interior de cabines de aeronaves, como assentos, unidades de serviços aos passageiros, compartimentos para bagagens e grades de ventilação. Além de fornecer uma excelente estética, resistência ao impacto e resistência química superiores, segundo a Solvay, estas resinas também atendem aos rigorosos regulamentos da Federal Aviation Administration (FAA), dos Estados Unidos, que estabelecem padrões para inflamabilidade, liberação de calor, geração de fumaça e emissões de gases tóxicos.

“A família de polímeros Radel® R-7000 PPSU da Solvay tem desempenho comprovado em aplicações em interiores de aeronaves, onde vem sendo utilizado há mais de 25 anos, em uma ampla gama de aeronaves comerciais, incluindo o A320 da Airbus e os modelos 737, 747, 757, 767, 777 e 787 da Boeing”, disse Michael Finelli, vice-presidente sênior da unidade de negócios de Sulfonas da Solvay Specialty Polymers. “O alto desempenho e o amplo portfólio dessa linha de produtos os estabeleceu como os materiais preferidos  de OEMs (fabricantes de equipamentos originais) e de empresas de MRO (serviços de manutenção, reparo e revisão) globais do setor aeronáutico. Este acordo entre a RTP Company e a Solvay ocorre de forma natural, dadas as capacidades globais de produção e distribuição de compostos da RTP Company, largamente reconhecidas , e nosso relacionamento de longa data para a venda de uma ampla gama de polímeros em vários mercados, incluindo o aeronáutico”.

A Solvay continuará a fabricar, vender e distribuir seus polímeros da série Radel® R-7000 PPSU. Esse novo acordo de licenciamento dá à RTP Company acesso às formulações e tecnologia de produção de polímeros Radel® R-7000 PPSU da Solvay e permite que a RTP Company fabrique e venda produtos utilizando códigos e a reconhecida marca Radel® da Solvay. Além disso, o acordo  oferecerá maior flexibilidade para clientes que queiram encomendar lotes menores de cores customizadas em conformidade com as paletas de cores de fabricantes de aeronaves ou de determinadas companhias aéreas.

“Este acordo de licenciamento com a Solvay agora nos permite oferecer aos clientes uma gama ainda mais ampla de polímeros de alto desempenho que atendem os rígidos regulamentos da indústria aeronáutica”, disse Ben Wiltsie, gerente geral de produtos retardantes de chamas da RTP Company. “Este acordo cria uma cadeia de fornecimento global mais ágil, que faz uso otimizado de dois reconhecidos fornecedores de materiais para o mercado aeroespacial”.

Sobre a RTP Company:  Com sede em Winona, Minnesota, EUA, a RTP Company é uma produtora global de compostos termoplásticos customizados. A empresa tem 18 fábricas na América do Norte, Europa e Ásia, e representantes de vendas localizados em todo o mundo. Os engenheiros da RTP Company desenvolvem compostos termoplásticos customizados em mais de 60 diferentes sistemas de resinas para aplicações que requerem cores e propriedades específicas como condutividade elétrica, alta elasticidade, retardamento de chama, alta resistência térmica, elevada rigidez  e alta resistência ao desgaste.

Sobre a Solvay Specialty Polymers: A Solvay Specialty Polymers fabrica mais de 1500 produtos agrupados em 35 marcas de polímeros de alto desempenho – fluoropolímeros, fluoroelastômeros, fluidos fluorados, poliamidas semi-aromáticas, sulfonas, polímeros aromáticos de ultra-alto desempenho, polímeros de alta barreira e compostos reticulados de alto desempenho –  para uso nas indústrias Aeronáutica, de Energias Alternativas, Automotiva, de Saúde, de Membranas, de Petróleo e Gás, de Embalagens, de Construção Civil, de Semicondutores, de Fios e Cabos e outras.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Solvay

Curta nossa página no

SABIC apresenta novos materiais para indústria de telecomunicações

17/08/2015

Sabic_AntenasO crescimento explosivo de dispositivos inteligentes, módulos conectados entre celulares e as quantidades crescentes de tráfego de voz e dados gerados pela sua utilização são os principais fatores que impulsionam a necessidade de expansão da rede global e a sua capacidade de transmissão

A SABIC desenvolveu novas soluções para ajudar os fabricantes de antenas de estação base (em especial, os componentes internos, como defasadores) a atender a essa demanda com um novo portfólio de compostos THERMOCOMP™, que foram projetados para atender aos requisitos específicos de desempenho, superiores aos dois materiais mais comuns, cerâmica e PCBs, afirma a empresa. Esse conjunto de novos materiais foi otimizado para as condições de transmissão de 900 MHz a 3GHz e vai além, oferecendo diferentes combinações de desempenho de Dk (constante dielétrica) e Df (fator de dissipação dielétrica).

De acordo com Alan Tsai, Diretor de Tecnologia e Inovação de Produtos Eletro-eletrônicos, da Innovative Plastics, “Os novos componentes são materiais termoplásticos, oferecendo uma maior flexibilidade de design e maior rendimento de produção em comparação com os materiais tradicionais, como cerâmica ou placas de circuito impresso (PCBs), além de atender objetivos específicos de força ou faixa de sinal”. Dentro de cada estação base existem múltiplas antenas contendo defasadores que, com base no tráfego, oferecem uma maior resistência, o que significa um menor número de quedas nas transmissões; um
maior alcance, no sentido de uma maior área de cobertura; ou ambos. As principais medidas de desempenho são a constante dielétrica (Dk), que quantifica o alcance do sinal, e o fator de dissipação dielétrico (Df), que indica perda de sinal.

Os requisitos de desempenho dielétrico são ligeiramente diferentes em várias frequências de 900 MHz a 3 GHz, e em diferentes faixas de temperatura. “Descobrimos que a indústria não tinha materiais com desempenhos específicos”, observou Tsai, “e é por isso que assumimos o desafio de proporcionar novas opções”. Em geral, afirma a SABIC, quando comparados com a cerâmica e as PCBs, os seus materiais podem proporcionar um melhor equilíbrio das propriedades dielétricas, com Df muito baixa, menos de 0,001, e uma vasta gama de Dk, de 3 a 13,9, de acordo com os requisitos de frequência. A título de comparação, as PCBs de uso geral são capazes de alcançar Df até 0,005.  Além disso, os materiais termoplásticos têm propriedades mecânicas que proporcionam uma série de vantagens para as OEMs do componente da estação base, como estabilidade dimensional e baixa fricção (importante porque os defasadores estão em constante movimento), resistência a chama e Dk estável dentro de condições climáticas variando de -40 C a 55 C com 55% de umidade. E, como os materiais são termoplásticos, eles são capazes de geometrias complexas e miniaturização, diferentemente dos materiais cerâmicos ou PCBs. Os termoplásticos podem também proporcionar maiores taxas de rendimento de produção do que a cerâmica, contribuindo para potencialmente reduzir os custos do sistema.

A SABIC tem conseguido alcançar esses resultados pela sua capacidade  de produzir compostos – ou seja, aproveitando uma sólida compreensão da estrutura molecular das resinas de base e os materiais de preenchimento para alcançar o desempenho desejado. A carteira de dielétricos da SABIC consiste de  compostos que utilizam uma grande variedade de resinas de base, incluindo a resina LEXAN™, um material de policarbonato; a resina NORYL™, uma resina de óxido de polifenileno ou a resina de polietileno de alta densidade (HDPE), que expande a capacidade dos fabricantes de componentes ou integradores de sistemas.

A tabela abaixo apresenta uma comparação das diversas soluções da SABIC visando os componentes de defasadores de antena da estação de base:

Sabic_

Fonte: SABIC

Curta nossa página no

Cromex marca seus 40 anos na Plastech 2015 com lançamentos em compostos e cores para plásticos

14/07/2015

Aditivo redutor de odores para compostos e resinas olefínicas, masterbatch preto “superblack”, plásticos de engenharia e compostos e aditivos customizados para o processo de Rotomoldagem serão destaques no evento

A Cromex, empresa brasileira fornecedora de masterbatches de cores e aditivos para plásticos, estará presente na Plastech 2015, durante os dias 25 a 28 de agosto de 2015, em Caxias do Sul – RS, para comemorar com os clientes e parceiros os 40 anos da companhia no mercado.

Os visitantes da feira vão poder conhecer toda a gama de produtos e serviços oferecidos pela Cromex para a indústria de transformação de plásticos. São produtos que atendem, desde as aplicações de critérios técnicos mais básicos, até os mais complexos.

Em destaque, estarão os últimos lançamentos da empresa, tais como o aditivo redutor de odor para compostos e resinas olefínicas, que é indicado para produtos injetados e extrudados que utilizam resina reciclada e recuperada; o masterbatch preto “superblack”, com maior poder de cobertura; a linha de masterbatches líquidos Dispermix® e uma linha completa com soluções voltadas para plástico de engenharia, desenvolvida para a indústria automobilística, de aviação, alimentícia e bebidas, indústria química, agrícola, mineradora, linha branca, eletroeletrônicos, etc.

A Cromex também vai dar destaque à Linha Microcolor®, de compostos coloridos e aditivos customizados para o processo de Rotomoldagem. A empresa tem atuado neste segmento com compostos para diversas aplicações, como caixa d’água, grandes tanques, cisternas, peças para o setor agrícola e automotivo, brinquedos e manequins, entre outras.

A Cromex conta com uma linha de soluções voltadas para termoplásticos de engenharia, desenvolvida para a indústria automobilística, de aviação, etc. Todo o portfólio de produtos e serviços da Cromex serão apresentados na edição 2015 da Plastech e podem ser conferidos no novo site da companhia, desenvolvido para estreitar o relacionamento e atender as demandas de seus clientes. Uma inovação do site é o simulador de cores, ferramenta com exclusividade no segmento, que tem o objetivo de agilizar a escolha do cliente no processo de desenvolvimento de cores.

40 anos de atividades – Hoje, a empresa possui duas unidades fabris, onde são produzidos cores e aditivos para a indústria de transformação. Em São Paulo, a unidade conta com uma área de 7.800 m2. Em Simões Filho, Bahia, a unidade conta com 64 mil m2, dos quais 14 mil m2 são de área construída. As duas fábricas contam com modernos laboratórios para o desenvolvimento e testes de produtos, além de parcerias com Institutos de pesquisas.

A Cromex conta também com laboratórios de pesquisa para o desenvolvimento de novos produtos, em parceria com a indústria nacional e internacional. A empresa é certificada pela ISO 9001, 14001 e OHSAS 18001. Seus produtos obedecem a normativas internacionais como REACH, FDA entre outras.

A empresa atende a mais de 18 diferentes setores da economia  (agricultura, construção civil, embalagens, automotivo, esportivo, cosmético, higiene e limpeza, etc). As suas linhas de produtos abrangem aplicações que atendem dos mais básicos aos mais complexos critérios técnicos, como as linhas de masterbatches brancos, pretos e coloridos; as especialidades, soluções para o plástico de engenharia, BOPP; a linha sustentável para biopolímeros a partir de fontes renováveis (PE Verde) e biodegradáveis.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Cromex

Curta nossa página no

LANXESS abre fábrica de compostos de Poliamidas e PBT em Porto Feliz

14/04/2014
  • Capacidade anual de 20 mil toneladas
  • Investimento de cerca de R$ 62 milhões
  • Criação de até 50 empregos

Lanxess_Porto_FelilzA LANXESS, multinacional alemã  do segmento de especialidades químicas, inaugurou sua nova fábrica de plásticos de alta tecnologia em Porto Feliz, interior de São Paulo. Com modernos padrões de produção, a planta terá inicialmente uma capacidade produtiva de 20 mil toneladas por ano. A LANXESS investiu cerca de € 20 milhões (R$ 62 milhões) e vai gerar até 50 postos de trabalho altamente qualificados.

O investimento apoia a tendência crescente pela “Mobilidade Verde” no Brasil e América Latina. Por exemplo, desde o início de 2013, o programa “Inovar-Auto” está exigindo que os carros no Brasil sejam mais eficientes energeticamente até 2017. Com a nova planta, a LANXESS pode atender melhor e mais rapidamente a demanda por plásticos de alta tecnologia, usados ​​no setor automotivo para fazer carros mais leves.

“Este grande investimento em uma linha de composição de ponta enfatiza o nosso forte compromisso com nossos clientes no Brasil e na América Latina, que agora podem contar com produção local, engenharia e serviços técnicos locais, bem como com a excelente qualidade do produto e atendimento ao cliente”, disse Werner Breuers, membro do Conselho de Administração da LANXESS.

Na nova fábrica de compostos, polímeros básicos são misturados e refinados com aditivos especiais e fibras de vidro, de acordo com os requisitos do cliente, para fazer as linhas de produtos  Durethan (compostos de poliamidas)  e Pocan (PBT – polibutilenotereftalato).

Segundo a Lanxess,  estes materiais são utilizados para a fabricação de peças mais leves, que podem substituir componentes metálicos em veículos,  ajudando assim a reduzir o consumo de combustível e as emissões. Além disso,  acrescenta a empresa,  esses materiais permitem que os fabricantes de automóveis e fornecedores tenham mais liberdade no design e promovam uma economia considerável na produção.

Devido às suas  propriedades, ambos os plásticos têm uma ampla variedade de aplicações, como puxadores de portas, para-choques, front-ends, conectores de cabos, tubos de refrigeração, entre outros.

Desde 2012, a LANXESS está ampliando a sua rede de produção global de plásticos de alta tecnologia. Na Antuérpia, na Bélgica, a empresa está construindo uma nova fábrica de plásticos de poliamida. A instalação em escala mundial é projetada para uma capacidade anual de 90 mil toneladas e está programada para entrar em operação no terceiro trimestre de 2014.

A unidade de negócios High Performance Materials (HPM) faz parte do segmento Performance Polymers, que gerou € 4,5 bilhões em vendas no ano fiscal de 2013. A unidade de negócios tem cerca de 1.700 funcionários no mundo todo. A HPM é altamente integrada para trás na cadeia de valor. Ela fabrica os precursores para os seus plásticos de alta tecnologia, como as fibras de vidro para os compostos de poliamidas e PBT, o monômero caprolactama para síntese de poliamidas 6  e suas matérias-primas, em todas as suas próprias instalações. A unidade de negócios é dirigida por Michael Zobel.

LANXESS no Brasil

Porto Feliz é uma planta de grande porte para a LANXESS, com 310 funcionários. A unidade de negócios Rhein Chemie da LANXESS produz aditivos de borracha neste local há dez anos. Desde 2013, ela também faz bladders de alta performance nesta planta. Em 2014, uma nova unidade para a fabricação de aditivos de borracha pré-dispersos ligados a um polímero será adicionada. A unidade de negócios Inorganic Pigments também conta com uma unidade de produção no local.

“Nosso objetivo é transformar o site de Porto Feliz em um hub importante de produtos químicos de especialidade, com as mais recentes tecnologias para nossos clientes no Brasil e na América Latina”, afirma Marcelo Lacerda, presidente da LANXESS no Brasil.

A LANXESS tornou-se uma das maiores empresas químicas no Brasil após a aquisição da Petroflex em 2008 e emprega cerca de 1.100 trabalhadores em sete unidades produtivas. O Brasil, que era responsável por menos de um por cento das vendas globais da LANXESS em 2005, hoje responde por aproximadamente 9% das vendas globais.

A LANXESS teve um volume de vendas de 8,3 bilhões de Euros em 2013.  Atualmente conta com cerca de 17.300 funcionários distribuídos em 31 países. A companhia possui 52 unidades de produção ao redor do mundo. O core business da LANXESS é o desenvolvimento, produção e venda de especialidades químicas, plásticos, borracha e intermediários.   No Brasil, a LANXESS está representada por meio de suas 14 unidades de negócio, possui aproximadamente 1.100 funcionários, 7 unidades produtivas, laboratórios e escritórios, distribuídos pelas cidades de São Paulo e Porto Feliz (SP), São Leopoldo e Triunfo (RS), Duque de Caxias (RJ), Cabo de Santo Agostinho e Recife (PE).

Fonte: Lanxess

Curta nossa página no

Rhodia lança inovações em plásticos de engenharia e polímeros especiais na Feiplastic 2013

20/05/2013

feiplastic

  • Novidades atendem aos diversos mercados de plásticos de engenharia e polímeros especiais de alto desempenho
  • Participação conjunta das áreas de negócios de Plásticos de Engenharia e Specialty Polymers amplia o portfolio de soluções à disposição do mercado
  • Empresa conclui investimento e amplia em 15% a produção de plásticos de engenharia no Brasil
  • Technyl® completa 60 anos de inovação

A Rhodia, empresa do grupo Solvay, com o objetivo de reforçar sua liderança no mercado de compostos de poliamidas 6 e 6.6 e de polímeros especiais, está fazendo o lançamento de inovações para atender necessidades de diversos segmentos de aplicações desses produtos.

Essas novidades criadas pelas áreas globais de negócios Plásticos de Engenharia e Specialty Polymers, que serão apresentadas na Feiplastic 2013 – Feira Internacional do Plástico (de 20 a 24 de maio, em São Paulo, Brasil), ampliam a oferta de produtos e tecnologias do grupo Solvay com foco em sustentabilidade à disposição da indústria do setor.

Lançamento de novidades – Na área de plásticos de engenharia, a principal novidade da empresa é o Technyl® ECO, uma aplicação criada no Brasil para o plástico de engenharia a partir de poliamida 6.6 reciclada, que é obtida por meio de um processo exclusivo de reciclagem química produzido pela Rhodia com o aproveitamento de resíduos de fios têxteis e industriais de poliamida.

Esse processo garante excelentes propriedades mecânicas e manutenção das propriedades térmicas ao Technyl® ECO, fazendo com que ele possa ser utilizados em peças com alta exigência em performance, além de permitir uma redução significativa de CO2 equivalente. De acordo com análises de produto em aplicação industrial, o uso dessa poliamida reciclada permite a redução de 70% da emissão de CO2 equivalente e de 76% do consumo de energia, quando comparado ao composto virgem. Outro aspecto importante dos compostos Technyl® ECO é a qualidade assegurada Rhodia.

Rhodia_Entrada_de_arDestinadas inicialmente ao segmento automotivo, as poliamidas Technyl® ECO podem ser aplicadas na produção de diversas autopeças. A primeira autopeça a partir dessa poliamida reciclada, um coletor de admissão de ar para motor de automóvel, foi desenvolvida pela Rhodia e a Magneti Marelli, líder no desenvolvimento e produção de sistemas e componentes de alta tecnologia para veículos.

O coletor de admissão de ar é responsável por levar ar ao motor do veículo, além de dar suporte à galeria e ao corpo de borboleta. Trata-se de uma peça com alta exigência técnica de performance para a qual o Technyl® ECO já está homologado.

Investimentos em inovações sustentáveis – “Nosso planejamento estratégico, para reforçar nossa posição de liderança em plásticos de engenharia a partir de poliamida 6 e 6.6, contempla o desenvolvimento permanente de inovações que valorizam a sustentabilidade em todos seus aspectos e estão em linha com as grande tendências da sociedade atual”, afirma Marcos Curti, diretor para as Américas da área global de negócios Plásticos de Engenharia do grupo Solvay.

A empresa concluiu recentemente a instalação de uma extrusora mega compounder, um investimento que aumentou em 15% a capacidade da unidade industrial em São Bernardo do Campo, para atender os mercados da América Latina. Os plásticos de engenharia a partir de poliamidas 6 e 6.6 da Rhodia são empregados principalmente na produção de peças para a indústria automotiva, de eletroeletrônicos e bens industriais e de consumo.

“Abastecemos as necessidades dos clientes e trabalhamos em conjunto com eles para a criação de novas aplicações, que atendem tanto ao mercado interno quanto aos mercados internacionais”, acrescenta Curti, lembrando, como exemplo, os produtos anti-chama livres de halogênio, produzidos a partir de plásticos de engenharia da Rhodia.

Technyl, 60 anos de inovação – Durante a Feiplastic 2013, sob o slogan “60 anos de inovação”, a Rhodia inicia a comemoração da existência da marca Technyl, que se tornou reconhecida internacionalmente como uma das mais importantes linhas de produtos e tecnologia em plásticos de engenharia ou plásticos técnicos, cujas aplicações têm contribuído para o crescimento de diversos mercados industriais.

Polímeros Especiais – Um dos destaques do grupo Solvay no evento serão os Specialty Polymers, área global de negócios em que a empresa dispõe de um vasto portfólio de produtos e aplicações destinados a diversos mercados de atuação. “Estamos prontos para acompanhar todo o crescimento tecnológico que se dará no Brasil nos próximos anos, tanto pelos produtos que oferecemos quanto pela qualificação de nossos profissionais”, diz Alexandre Guimarães, gerente de Vendas e Marketing da área global de negócios Specialty Polymers para a América do Sul.

Essa área de negócios do grupo Solvay apresenta durante o evento uma série de novidades. Por exemplo, no segmento de produtos para a área de Saúde, no qual é cada vez maior o uso de polímeros especiais da empresa, em substituição ao metal, vidro e outros materiais, uma das inovações é o triângulo Bender, um dispositivo de apoio e posicionamento para cirurgia ortopédica totalmente ajustável, desenvolvido pela empresa norte-americana Tri-Medics, LLC, um dos principais fabricantes de dispositivos médicos e de instrumentação.

Rhodia_TrianguloPesando apenas quatro quilos, o triângulo é feito de Polifenilsulfona (PPSU) e oferece aos cirurgiões uma solução simples e fácil de usar, pois é ajustável, autoclavável e radiotransparente na utilização de raios-x. É uma alternativa altamente eficaz para substituir o suporte feito de espuma de borracha e metal, que é mais caro e mais complicado para manipulação.

No segmento industrial, a novidade da Solvay é um novo grade da linha Halar®, polímero de alta performance voltado para o revestimentos de superfícies, visando a prevenção contra agentes corrosivos. Qualquer indústria que maneje de alguma forma produtos químicos encontra nesses polímeros de revestimento uma solução tão ou mais eficaz, com melhor custo/benefício do que as soluções oferecidas por metais, como aço inox e outras ligas especiais.

O novo grade é destinado a aplicações em pintura eletrostática, muito comum para tubulações e peças de pequena geometria, mas que possui certa limitação de espessura de camada. Os polímeros da Solvay para revestimento anticorrosivo também possuem  aplicações no setor de Oil&Gas.

Para o segmento automotivo, a empresa oferece polímeros utilizados na produção de peças automotivas para ambientes agressivos, inclusive as que são imersas em biodiesel. Os polímeros especiais da Solvay são utilizados na produção de autopeças, tais como bombas de água e peças do sistema de arrefecimento, arruelas de encosto e mancais para transmissão e conectores elétricos para solda utilizando tecnologia “Reflow”.

A empresa apresenta peças com polímeros especiais para torneiras, conexões e válvulas de água quente, feitas para substituir o latão. Há também o primeiro material cromável/metalizável com função estrutural, trata-se de um dos materiais com a maior resistência mecânica do mercado, atendendo a requisitos estéticos.

Diversos novos grades atendem a aplicações de desgaste por abrasão e temperaturas ainda mais elevadas na automotiva. Grades de novos de materiais como a Poliftalamida (PPA) Amodel® atendem a validações de sistemas de turbocompressores automotivos em 220ºC por milhares de horas. O PPA Amodel ® hoje pode atender à substituição de metais em hidrômetros ou relógios de água.

Para o segmento de construção, peças podem ser produzidas com compostos de polietileno reticulado (XL Compounds) para aplicações em fios e cabos, tubos, válvulas e conexões. Um dos destaques nesse segmento são os polímeros especiais para a produção de compostos isentos de halogênios para a produção de cabos elétricos. Esse tipo de cabo está ganhando cada vez mais espaço em ambientes de alta densidade de ocupação, bem como difíceis condições de fuga. O consumo de cabos livre de halogênios ainda é pequeno, mas as novas construções principalmente do estádios de futebol para a Copa do Mundo de 2014 estão alimentando esse mercado e estima-se um crescimento de 50% em cinco anos.

Sobre a Unidade Global de Negócios de Plásticos de Engenharia: A unidade global de negócios Plásticos de Engenharia, especialista em plásticos de engenharia a partir de poliamida 6 e 6.6, desenvolve, fabrica e comercializa nos últimos 60 anos, sob a marca Technyl®, uma linha completa de plásticos de alto desempenho para os mercados automotivo, de construção, elétrica e bens de consumo. Com uma estratégia de crescimento sustentada por seis unidades de produção em todo o mundo, a GBU Plásticos de Engenharia emprega sua expertise e capacidade de inovação, a fim de atender mais de perto às necessidades dos seus clientes, através de uma rede global de centros técnicos e de Pesquisa e Desenvolvimento.

Sobre a Unidade Global de Negócios de Specialty Polymers:  Com mais de 2.700 pessoas em todo o mundo, a empresa atende clientes a partir de seus 15 centros de fabricação e 11 centros de Pesquisa, Desenvolvimento e Tecnologia. Com sede em Bollate, na Itália, a GBU fornece mais de 1.500 produtos em 35 marcas de polímeros de alto desempenho – fluoropolímeros, fluorelastômeros, fluídos fluorados, poliamidas semiaromáticas, polímeros de sulfona ultrapolímeros aromáticos, polímeros de alta barreira e compostos reticuláveis de alto desempenho – para uso em mercados de alto crescimento, como transporte avançado, saúde, água, energia, e dispositivos inteligentes.

Fonte: Rhodia

Curta nossa página no

Kraton Polymers participa da Feiplastic 2013 e apresenta novidades

07/05/2013

feiplastic

A Kraton Polymers, líder mundial na produção de  elastômeros termoplásticos sintéticos, participará da Feiplastic – Feira Internacional do Plástico – que acontece de 20 a 24 de maio no Anhembi em São Paulo (SP). A empresa, que participará como expositora, pretende mostrar suas principais soluções e também promoverá novas aplicações para soluções já consolidadas no mercado brasileiro.

A empresa tem um amplo portfólio de polímeros de alto valor utilizados em uma grande variedade de aplicações, incluindo itens de consumo e higiene pessoal, adesivos e revestimentos, eletrônicos, suprimentos médicos, componentes automotivos e materiais de pavimentação e coberturas.

Os produtos Kraton podem ser processados em uma variedade de aplicações industriais, incluindo a moldagem por injeção, moldagem por sopro, moldagem por compressão, extrusão, fusão a quente e revestimentos para soluções aplicadas. A Kraton oferece seus produtos para mais de 800 clientes em mais de 60 países ao redor do mundo.

Lançamentos:

Tecidos Revestidos – Os polímeros de alto desempenho da Kraton possibilitam alternativas inovadoras e ecológicas em relação aos tecidos revestidos de PVC e Poliuretano usados em aplicações para estofamentos, com variadas opções de cores, decoração e revestimentos.

Segundo a empresa, os tecidos de estofamento produzidos com os polímeros Kraton têm os mesmos benefícios de tecidos revestidos com PVC, porém são mais leves, recicláveis e apresentam maior durabilidade.

Não contêm ftalatos nem quaisquer outros plastificantes que possam migrar e degradar espumas de poliuretano. Tecidos produzidos com polímeros Kraton são ideais para aplicações em estofamentos de assentos e móveis usados em áreas de grande movimento, como também ambientes que requeiram materiais não porosos, incluindo esportes marinhos e radicais, transportes públicos, aplicações médicas e de e escritórios.

Área Automotiva: A Kraton Polymers, em resposta às demandas da indústria automotiva por uma solução de maior performance e sustentabilidade, desenvolveu  uma nova alternativa baseada em SBC para slush molding em interiores de automóveis.

Slush Molding é um processo que possibilita grande liberdade no design, além de ser usado na produção de uma grande variedade de componentes para interiores automotivos, como painéis de instrumento, acabamento de portas, consoles, capas para airbags, etc.

De acordo com a empresa, o SBC baseado nos polímeros KratonTM para slush molding apresenta diversos benefícios com relação ao PVC, como  melhores propriedades contra o envelhecimento, aprimoramento estético, melhor desempenho em baixas temperaturas, menores custos, menor peso específico, reduzindo o peso dos componentes em até 40%, reciclável e mais suave ao toque. Afirma a Kraton que o PVC possui limitações, incluindo a fragilidade e perda de sua funcionalidade devido à tendência do plastificante migrar ao longo do tempo.

Outras Aplicações de Materiais Avançados:

Soluções em compostos – A empresa destaca os benefícios dos compostos feitos com polímeros Kraton: grande resistência e elasticidade, durabilidade, transparência e suavidade ao toque, aderência em superfícies secas e molhadas, ampla resistência às variações térmicas, boas propriedades elétricas, esterilização por vapor, óxido de etileno, radiações Beta e Gama, resistência ao oxigênio, ozônio e degradação UV (Polímeros KratonTM G). Esses compostos são utilizados em produtos finais, como ferramentas, componentes da área automotiva, produtos de consumo, utensílios domésticos, produtos para cuidados pessoais, produtos esportivos, brinquedos, fios e cabos.

Cuidados pessoais – Com a utilização do Kraton G (SEBS), do KratonTM D (SIS) e do  CariflexTM IR, a Kraton está presente em diversas frentes ligadas à higiene, saúde e ao bem-estar. Seus polímeros apresentam as mais diversas inovações e aplicabilidades, como na produção de borrachas macias e confortáveis para o manuseio de escovas de dente e aparelhos de barbear, no desenvolvimento de materiais resistentes, porém confortáveis e que facilitam a respiração da pele na produção de fraldas infantis, geriátricas e absorventes femininos e na produção de preservativos, por proporcionar maior elasticidade, durabilidade, menor odor e maior transparência.

Área Médica (alternativa ao PVC) – O Kraton G1645 é um polímero que cria novas oportunidades para a substituição de PVC na área médica, incluindo filmes para bolsas de soro e tubos cirúrgicos, draping cirúrgico, dispositivos de compressão, equipamentos de diagnóstico (flexíveis e rígidos), luvas, filmes médicos e outras aplicações. Esses polímeros são livres de ftalato, oferecem alto desempenho, são atóxicos e, por isso, uma excelente e comprovada alternativa ao PVC.

Cariflex™ IR (alternativa da borracha natural em aplicações avançadas) – Cariflex IR é uma borracha de poliisopreno sintético que pode ser formulada para substituir a borracha natural (NR) em muitas aplicações, como luvas cirúrgicas, preservativos, componentes médicos, adesivos de vedação a frio e em aplicações na indústria eletrônica. É a substituta ideal para o látex de NR, particularmente em aplicações médicas que exigem elevada pureza. Estes produtos oferecem excelente elasticidade e propriedades mecânicas, além de trazerem conforto no contato com pele, uma vez que são hipoalérgicos.

Fios e Cabos (alternativa ao PVC) – De acordo com a Kraton, seus polímeros oferecem uma variedade de benefícios importantes em aplicações de fios e cabos. Propriedades elétricas superiores os tornam excelentes candidatos para aplicações de isolamento e são versáteis o bastante para serem usados em encamisamento e peças moldadas. A Kraton disponibiliza uma gama de polímeros que se encaixam ao tipo de desempenho desejado.

Filmes de Proteção – A Kraton oferece tecnologia de co-extrusão avançada em polímeros para a produção de filmes de proteção de superfície. Esta tecnologia oferece características únicas que podem ser formuladas em um composto adesivo que cobre uma ampla extensão de processamento e propriedades adesivas. As propriedades do composto podem ser fornecidas ao cliente sob medida para atingir requisitos personalizados de desempenho para aplicações específicas.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Feiplastic

Curta nossa página no

Aumento das vendas de veículos nos Estados Unidos leva Mitsui a aumentar capacidade de produção de compostos de PP

22/01/2013

mitsuiO grupo japonês Mitsui Chemicals, Inc. anunciou um aumento de 14 mil toneladas/ano de produção de compostos de polipropileno nos Estados Unidos para atender às demandas crescentes do setor de materiais automotivos. O aumento de capacidade ocorrerá nas instalações da sua empresa afiliada Advanced Composites, em Sidney, estado de Ohio. Este aumento de capacidade previsto para o quarto trimestre de 2013 segue outra expansão de produção de 28 mil toneladas já prevista para o terceiro trimestre deste ano, de modo que a capacidade global de produção para as duas fábricas da Advanced Composites nos estados de Ohio e Tennessee atingirão 268 mil toneladas/ano em 2013.

Embora a indústria automotiva norte-americana tenha sido negativamente impactada pela crise financeira global, atualmente o mercado voltou à normalidade com previsões de crescimento significativo no futuro.

O aumento previsto é esperado não só para fortalecer a posição do grupo na expansão do mercado norte-americano, mas igualmente para reforçar a de fornecimento global do Grupo.

A Mitsui Chemicals Group conta com instalações fabris de Polipropileno para o mercado automotivo em oito mercados globais relevantes (Japão, Estados Unidos, México, Brasil, Europa, Índia, Tailândia e China).

Fonte: Mitsui

Curta nossa página no

LANXESS inaugura primeira planta para produção de compostos de poliamidas e PBT nos EUA

04/10/2012
  • Unidade situa-se no centro do pólo automotivo do sul dos EUA
  • Tendência mundial de veículos mais leves
  • EUA são o maior mercado para plásticos de alta tecnologia

O grupo de especialidades químicas  LANXESS abriu a sua primeira unidade de produção de plásticos de alta tecnologia nos Estados Unidos. Com a nova unidade em Gastonia, no estado da Carolina do Norte, EUA, a empresa vai ajudar a atender à crescente demanda por plásticos leves premium.

A LANXESS investiu 20 milhões de dólares (15 milhões de euros) na sua nova fábrica em Gastonia e está criando 45 novos empregos. A nova fábrica vai operar inicialmente com uma capacidade de 20.000 toneladas métricas por ano.

Na nova fábrica de compostos, polímeros básicos tais como poliamidas e tereftalato de polibutileno são misturados e refinados com aditivos especiais e fibra de vidro, de acordo com as necessidades do cliente, para obtenção de produtos das marcas Durethan e Pocan. Devido às suas excelentes propriedades, ambos os plásticos possuem uma grande variedade de aplicações, incluindo componentes da carroceria de veículos, reservatórios de óleo, tubos de arrefecimento, caixas de baterias, barras de direção, pedais e suportes de pedal.

Estes materiais inovadores são úteis para a fabricação de peças de plástico muito mais leves que podem substituir componentes metálicos em veículos automotores, ajudando a reduzir o consumo de combustível e emissões. Além disso, esses materiais permitem que os fabricantes de automóveis e fornecedores tenham mais liberdade no design e economia considerável na produção.

“Com a nossa nova fábrica em Gastonia, estamos agora muito perto de nossos clientes norte-americanos do setor automotivo e podemos apoiá-los ainda mais que antes no desenvolvimento de veículos leves e econômicos”, disse o CEO da LANXESS, Axel C. Heitmann, na cerimônia de abertura da planta.

O novo site da LANXESS em Gastonia está nas proximidades do chamado “cinturão automotivo” do sul dos EUA. Numerosos fabricantes de carros e fornecedores automotivos se instalaram nos estados das Carolinas do Norte e do Sul. E cerca de um quarto de fornecedores automotivos norte-americanos – incluindo muitos clientes da LANXESS – operam plantas fabris na Carolina do Norte.

A demanda por plásticos de alta tecnologia está sendo impulsionada, sobretudo, pela tendência em direção a automóveis mais leves e pela crescente produção de automóveis. Espera-se que a demanda global por plásticos de alta tecnologia aumente em cerca de sete por cento ao ano até 2020. Além disso, o conteúdo de plástico de qualquer carro pode chegar a 20 por cento – um número que está mostrando uma tendência ascendente.

Os EUA são o maior mercado de plásticos de alta tecnologia, com a indústria automobilística em posição de destaque. É aqui que os padrões de eficiência de combustível CAFE estão impulsionando a demanda por esses materiais avançados. As regulamentações da CAFE (Corporate Average Fuel Economy) visam melhorar a média de economia de combustível de carros e caminhões leves vendidos nos Estados Unidos.

Fonte: Lanxess

Curta nossa página no

Novo processo de injeção da Mecaplast pode reduzir em até 50 % o peso de peças plásticas automotivas

22/06/2012

Estrutura de uma peça com espuma

A Mecaplast, empresa fornecedora de componentes automotivos plásticos com sede em Mônaco e com fábricas na França e outros países europeus, Turquia, Brasil, México, China e Índia, acredita que pode reduzir o peso de peças automotivas interiores e exteriores entre 30 a 50%, usando uma tecnologia de moldagem por injeção recém-patenteada, em combinação com novos compostos de polipropileno.

A Mecaplast está prestes a embarcar em um projeto patrocinado pelo governo francês, batizado de Plume, para industrializar o processo, o qual é baseado em uma combinação de núcleos (machos) móveis no molde, um agente químico de expansão e cargas leves para reforço. O projeto começa em setembro, terá a duração de dois anos e um orçamento total de € 2,4 milhões.

O projeto também vai envolver a participação de várias outras empresas francesas: o produtor de compostos Sumika Polymer Compounds (uma empresa do grupo Sumitomo); o fabricante de moldes Cero; o laboratório de pesquisa de ciência de polímeros IMP da Universidade de Saint-Etienne, e o Cemef, laboratório de pesquisa associado ao CNRS, com experiência em simulação de processos.

“A Incorporação de peças feitas pelo processo Plume poderia levar a uma redução total do peso de veículos entre 5 a 7 kg”, diz Elsa Germain, Engenheira de Pesquisa e Inovação da Mecaplast. “Isso vai ter um importante efeito na redução do consumo de combustível, resultando em uma queda de emissões de dióxido de carbono em torno de 0.5-0.7g/km”

O processo é similar ao já usado no Japão para a produção de peças utilizadas por empresas automotivas tais como Honda e Toyota. No entanto, esse processo tem algumas limitações, especialmente em termos de acabamento de superfície, uma vez que as peças são feitas de polipropileno com carga de talco. O processo  Plume vai usar compostos recém-desenvolvidos contendo pouca ou nenhuma quantidade de talco.

Em vez disso, eles incorporam novas cargas para reforço, que não só resultam em uma melhor qualidade superficial, mas também ajudam a reduzir o peso da peça em até 7%, sem perda de propriedades mecânicas. Compostos com várias cargas serão testados durante o projeto Plume.

Os novos compostos, que são baseados em copolímero de impacto de Polipropileno e serão desenvolvidos exclusivamente para a Mecaplast, também têm propriedades de escoamento muito boas. O Índice de fluidez é superior a 50 g/10 min. Isto é uma fator crítico para o sucesso do processo Plume.

No processo Plume, o material é injetado em um molde cujas paredes móveis estão inicialmente em uma posição projetada para a frente. Depois que todo o material é injetado e a camada superficial da peça se solidifica, as paredes do molde se retraem. Isto reduz a pressão na cavidade do molde e o agente de expansão químico, até então dissolvido na massa fundida, sai da solução nas áreas da peça que ainda estão fluidas para criar uma estrutura celular que preenche o novo espaço criado. O processo de formação de espuma por si só (independentemente da formulação do composto) permite uma redução de peso na peça de pelo menos 30%, em comparação com uma peça convencional sólida.

O Cemef vai estudar a reologia do material fundido e os seus efeitos sobre o processo e irá também realizar a análise das microestruturas criadas pela formação de espuma. O IMP-UJM vai avaliar o comportamento mecânico de peças feitas sob várias condições.

A Mecaplast planeja experimentar o processo em dois componentes automotivos: uma guarnição interna do porta-malas  e moldagens exteriores do beltline. As moldagens do beltline serão produzidas em duas versões: uma com uma superfície granulada, que não necessita de pintura, e outra que poderá ser pintada.

Fonte: Mecaplast

Curta nossa página no

Subsidiária da Mitsui Chemicals adquire participação majoritária na Produmaster

17/05/2012

A Prime Polymer Co. Ltd, subsidiária da Mitsui Chemicals and Idemitsu Kosan do Japão, anunciou no dia 14 de maio a aquisição de uma participação de 70% na empresa brasileira Produmaster Indústria e Comércio Ltda, fabricante de compostos termoplásticos, e o estabelecimento de uma nova empresa com base na Produmaster, a qual foi renomeada como  Produmaster Advanced Composites Indústria e Comércio de Compostos Plásticos Ltda.

Em seu Plano de Negócios de meados de 2011, a Prime Polymers elegeu o negócio de polipropileno de uso automotivo como um “negócio em crescimento”, no qual procuraria se tornar um líder mundial, tendo desde então se esforçado para alcançar uma expansão inicial de negócios em várias regiões. Em particular, a Prime Polymers considera o fortalecimento de seus negócios no mercado sul-americano – o qual deverá registrar um elevado crescimento – como um de seus principais desafios estratégicos.

Por sua vez, a Produmaster é a terceira maior empresa brasileira em fabricação e vendas de compostos, tendo construído uma trajetória no negócio de Polipropileno para uso automotivo por mais de uma década. A Produmaster fornece produtos para importantes fabricantes de automóveis através de duas unidades (55.000 toneladas de capacidade anual de produção): a sua sede e a sua unidade de produção localizadas em Mauá, São Paulo, onde muitas montadoras estão localizadas, e a sua subsidiária Produmaster do Nordeste Ltda., localizada em Camaçari no estado da Bahia, na qual a Produmaster possui 50 % do capital.

A criação da nova empresa irá produzir um efeito de sinergia entre o conhecimento da Produmaster sobre o seu negócio em ambas as regiões e as tecnologias proprietárias da Prime Polymers. Desta forma, a Prime Polymers vai procurar aumentar a sua presença no mercado sul-americano e  expandir e fortalecer ainda mais o seu negócio de Polipropileno para uso automotivo.

Fonte: Mitsui Chemicals.

Curta nossa página no

Interplast 2012: Macroplast leva para a feira produtos focalizados na Copa 2014.

10/05/2012

Com a proximidade da Copa de 2014 no Brasil, a Macroplast, empresa especializada em masterbaches e tingimentos para a indústria plástica, lança na Interplast 2012 novas linha de produtos com destaque para aqueles focalizados no maior evento mundial de futebol. Chama a atenção o composto de polímeros em várias cores para atender às demandas de bancos de estádios de futebol. “O produto foi desenvolvido de acordo com a norma pré-estabelecida para o segmento e está em fase de testes de aplicabilidade nos clientes”, comenta Juciê Bandeira Silva, analista de assistência técnica da Macroplast.

A Marcoplast também aproveita a feira para apresentar novas linhas de produtos em masterbaches, compostos e resinas pigmentadas. “A feira nos permite evidenciar nossos diferenciais, especialidades técnicas de alta performance, versatilidade de atendimento e o completo portfolio de produtos e serviços, por meio de soluções tecnológicas integradas em forma de cores, aditivos, compostos e blendas, e assistência técnica que agregam valor e competitividade aos clientes”, acrescenta.

Sobre a Macroplast

A Macroplast é uma empresa brasileira com fábricas nos estados de São Paulo e Santa Catarina e representantes nos principais centros do país. A empresa mantém investimentos em pesquisa e desenvolvimento focalizados nas melhores soluções em pigmentação de termoplásticos, masterbaches, aditivos, compostos e novos produtos de alta tecnologia. Exemplos são os grades Macroplast destinados a marcação a laser e a linha desenvolvida especificamente para gramados sintéticos.

Fonte: Messe Brasil

Curta nossa página no

Interplast 2012: Karina expõe novidades em compostos e masterbatches

08/05/2012

A líder nacional no mercado de compostos de PVC, Karina, expõe na Interplast 2012 as novidades em compostos, masterbaches e outras soluções disponíveis para o mercado. “Trabalhamos com novidades diariamente, pois uma mudança em uma formulação para um cliente já representa um novo produto”, diz Edson Penido, diretor comercial da Karina. A empresa participa da feira com a equipe comercial e técnica para atender os clientes e prospects do mercado interno e externo, interessados nas soluções desenvolvidas.

Entre as novidades para o mercado nacional destaca-se o XLPE e Karintox para o segmento de fios e cabos. Além desse mercado, os produtos Karina destinam-se aos segmentos de calçados, embalagens flexíveis e rígidas, vedantes, tubos e conexões, mangueiras, perfis para construção civil, automobilístico, sacolas, materiais descartáveis, entre outros.

Fonte: MesseBrasil

Curta nossa página no

Líder no mercado de PVC expõe na Plastech.

12/08/2011

A Karina Indústria e Comércio de Plásticos atua no segmento de termoplásticos há mais de 30 anos, sendo hoje líder no mercado brasileiro de compostos de PVC. Localizada em Guarulhos – SP, sua infraestrutura é referência nesse segmento e sua capacidade produtiva a torna uma das maiores empresas do setor no mundo.

A linha de produtos é formada por Compostos de PVC, Especialidades Poliolefínicas e uma infinidade de cores de Masterbatches que são produzidos de acordo com as mais rigorosas normas e legislações nacionais e internacionais. Os seus produtos podem ser aplicados nos mais diversos segmentos como fios e cabos elétricos, embalagens flexíveis e rígidas, calçados, vedantes, tubos e conexões, mangueiras, perfis para construção civil, automobilístico, sacolas e materiais descartáveis.

Com um laboratório de tecnologia de ponta desenvolve e testa os mais diferentes compostos para atender às demandas de clientes em todo o Brasil, América Latina, EUA, China, África do Sul e União Européia.

Fonte: Assessoria de Imprensa – PlastechBrasil 2011

Termocolor investe em novas extrusoras

20/06/2011

A Termocolor acaba de adquirir duas extrusoras dupla rosca co-rotantes da fabricante alemã Coperion. Uma das máquinas tem capacidade produtiva de 1.500 quilos por hora e será destinada para a produção de grandes lotes de composto e masterbatch. Já a outra tem capacidade produtiva de 100 quilos por hora e vai produzir pequenos lotes de masterbatches.

De acordo com Lourival Fantinati, diretor, atualmente, a Termocolor produz 50 mil ton/ ano e deve ampliar a sua capacidade produtiva em 10%. “Investimos US$ 2 milhões na compra das duas máquinas extrusoras. Nosso objetivo é atender a demanda atual e propiciar a produção de novos produtos, alguns já em fase final de desenvolvimento”, explica Lourival.

A Termocolor é uma das maiores fabricantes de masterbatches, compostos, aditivos, e resinas tingidas, além de prestar serviços de beneficiamento de compostos e tingimento.

Localizada em Diadema (SP), com capacidade instalada de 50 mil ton/ano a empresa conta com 130 colaboradores diretos, sendo 30 especialistas técnicos, e tem investido fortemente na aquisição de equipamentos que forneçam mais qualidade e produtividade, que possam potencializar sua produção e modernizar, ainda mais, seus laboratórios de testes.

Fonte: Abiplast / Di Fatto

Termocolor marca presença na Brasilplast 2011

06/04/2011

A Termocolor, uma das maiores especialistas em masterbatches do país, participa da 13ª edição da Brasilplast – Feira Internacional da Indústria do Plástico, que acontece de 9 a 13 de maio no Pavilhão de Exposições do Anhembi, em São Paulo. Ao lado de cerca de 1.300 expositores de 30 países, a Termocolor apresentará na feira além de sua tradicional linha de masterbatches, aditivos, compostos, resinas tingidas e de beneficiamento de compostos e tingimento, uma nova linha de produtos aditivados com ação antimicrobiana e os novos masterbatches perolizados de alta performance.

O aditivo antimicrobiano tem função bacteriostática, que evita o desenvolvimento de microorganismos. Desenvolvidos a partir da nanotecnologia da prata, o aditivo têm excelente estabilidade de temperatura, está disponível para diversas aplicações como, por exemplo, em utilidades domesticas em geral, cutelaria, produtos de higiene pessoal, embalagens para laticínios, embalagens de cosméticos, assessórios para banheiros, etc.

Já a linha de masterbatches perolizados traz para a indústria do plástico uma opção de alto desempenho com excelente acabamento. A Termocolor investiu no desenvolvimento e testes consistentes para alcançar uma linha de alta performance, que resiste a temperaturas de até 250º.C sem perder a qualidade de dispersão e garantindo um excelente resultado final, em uma aplicação sem manchas ou oscilação de cores.

Sobre a Termocolor
Empresa nacional, com mais de 27 anos de mercado, a Termocolor é uma das líderes em seu mercado e prima pela excelência de seus produtos e serviços. Certificada na NBR ISO 9001:2008 desde 2002, pela Fundação Vanzolini, seus produtos obedecem aos critérios mais rigorosos de fabricação, utilizando matérias-primas livres de substâncias nocivas ou que agridam ao meio ambiente, alinhadas à normativa européia RoHS, certificada desde 2008, que garante materiais e processos isentos de metais pesados de forma a evitar riscos de contaminação ambiental.

Localizada em Diadema (SP), com capacidade instalada de 50 mil ton/ano a empresa conta com 130 colaboradores diretos, sendo 30 especialistas técnicos, e tem investido fortemente na aquisição de equipamentos que forneçam mais qualidade e produtividade, que possam potencializar sua produção e modernizar, ainda mais, seus laboratórios de testes.

Fonte: Brasilplast

Audi seleciona composto de polipropileno da LyondellBasell para painel da porta do seu novo Modelo A1.

24/02/2011

O fabricante de automóveis Audi optou por uma novo composto de polipropileno Softell (PP) da LyondellBasell para fabricar o painel da porta traseira do seu novo modelo A1. A utilização do novo grade permitiu à montadora  produzir uma peça interna com  uma estética superficial excepcional, além de apresentar um toque suave, sem a necessidade da pintura que é tipicamente necessária.

Aplicações internas em modelos de classe “Premium” tem sido dominada por soluções de outros polímeros, tais como blendas de PC / ABS (policarbonato / acrilonitrila-butadieno-estireno), com pintura para se conseguir um toque suave. “Ao atingir uma qualidade de superfície superior à dos materiais tradicionais, sem usar pintura, o  composto de  PP Softell utilizado no painel interno  da porta do Audi A1  estabeleceu uma nova estética e uma referência na eficiência de uso de recursos para modelos de classe Premium”, afirma Erik Licht, gerente de marketing global da LyondellBasell para o grupo Volkswagen. Peças acabadas fabricadas com resinas Softell oferecem um melhor potencial de reciclagem devido à eliminação da etapa de revestimento.

Aparência fosca singular,  com boa resistência ao risco.

O nível de brilho de um composto de PP convencional é entre 2 e 3 GUs (medido a um ângulo de 60 °). Testes realizados com um medidor de brilho mostram que as resinas Softell tem um nível de brilho abaixo de 1,5, o que é necessário para conseguir uma  superfície fosca de boa qualidade. Para atingir este nível de brilho, normalmente tem sido requerido  o uso de superfícies pintadas.  “O baixo nível de brilho obtido com a utilização de resinas Softell permite à Audi produzir um painel de porta com a baixa reflexão de luz desejada.  A Audi atingiu os seus requisitos de qualidade e desempenho sem a necessidade de processos caros de pintura”, disse Licht.

Melhor fluidez
Em comparação com os polímeros tradicionais, o grade de PP também oferece à montadora uma fluidez melhorada nas condições de alto cisalhamento utilizadas no processo de moldagem por injeção. Acrescenta Licht: “A fluidez melhorada foi essencial para a produção da grelha do do alto-falante altamente sofisticado que está integrado no painel da porta. A Audi tinha especificações muito exigentes, especialmente em relação à estrutura da grelha do alto-falante,  e a reprodução de tal estrutura de superfície fina foi possível devido à fluidez melhorada do grade do composto de PP. Temos sido capazes de alcançar estes características de desempenho através de atividades de Pesquisa e Desenvolvimento focalizadas no desenvolvimento contínuo de inovações que atendam às necessidades crescentes de clientes em relação à estética, à produção de baixo custo e a um reduzido impacto ambiental. “

Fonte: LyondelBasell

Braskem lança novo composto de polietileno para aplicações em fios e cabos.

01/02/2011
Resina é indicada para produtos expostos a condições climáticas adversas

A resina TC9008, composto à base de polietileno de baixa densidade (PEBD) pigmentado com negro de fumo, é o mais recente lançamento da Braskem para o segmento de Fios & Cabos. Seu principal uso é como revestimento ou capa de fios e cabos para Telecomunicações e Energia.

A combinação de propriedades mecânicas e facilidade de processamento, fornecidas pelo PEBD, e a proteção contra radiação UV, obtida com o uso de pigmento negro de fumo, confere ao composto TC9008 alta produtividade durante a extrusão, acabamento, alta flexibilidade e elevada resistência à baixa temperatura, além de proteção contra a ação das intempéries.

Com o investimento em infraestrutura no Brasil, há previsão de crescimento anual de 10% do segmento de Fios & Cabos nos próximos anos e os lançamentos da Braskem chegam para suprir a demanda do setor. A produção inicial de TC9008 será de 200 t/m e, em até quatro anos, estima-se atingir um volume de produção de aproximadamente 600 t/m.

O TC9008 complementa a família de resinas produzidas pela Braskem para este segmento, ampliando o portfólio atualmente formado pelas resinas GD5150K (cabos multiplexados, isolamento de fios e cabos de cobre), GM5340PRK (capa de fios e cabos ópticos e metálicos, isolamento de fios e cabos de cobre), LL4400SFC e LH218 (isolamento de fios e cabos XLPE de média tensão) e IA59UE e BC818 (cabos coaxiais expandidos a gás).

Fonte: Braskem

Braskem amplia portfólio de resinas nos setores de construção e automotivo

18/11/2010
Novos produtos já estão disponíveis no mercado

Sempre buscando inovar em seus produtos, a Braskem acaba de lançar novas resinas para suprir as necessidades de seus clientes. Os produtos S 501XP e CP 286 atenderão os setores de construção e automotivo, respectivamente, oferecendo mais facilidade, segurança e economia ao consumidor.

O setor automobilístico é responsável por cerca de 9% das vendas totais de polipropileno (PP) da Braskem. A nova resina CP 286 chega ao mercado com volume de vendas projetadas em 2,8 mil toneladas somente neste ano. Já para a S 501XP estima-se um volume de vendas de 30 toneladas por mês no primeiro ano, com potencial de aumento puxado pelo vigoroso crescimento do setor de construção civil no Brasil.

CP 286
Desenvolvida para atender os diversos requisitos dos processos produtivos da indústria automotiva brasileira, a nova resina atende a todos atributos exigidos em acabamento e segurança.

As aplicações para este composto no exterior do veículo são principalmente em peças grandes como parachoques e saias laterais, que requerem altos índices de fluidez, além do aumento nos requisitos mecânicos por conta da segurança. Já para aplicações no interior do veículo, os compostos de polipropileno, além de proporcionar excelente estética e aparência, atendem ainda às restrições crescentes de emissões de voláteis (também chamados de baixo VOC – volatile organic compounds).

S 501XP
Elaborada para ser usada em toldos e coberturas translúcidas obtidas com chapas alveolares, chega ao mercado a resina S 501XP. Desenvolvida pela Braskem para atender a demanda por materiais mais competitivos no setor de construção civil, a nova resina tem como vantagem a redução no consumo de energia por meio da iluminação natural para o consumidor final.

Recomendada para ambientes residenciais, toldos, fachadas, coberturas e passarelas, as chapas translúcidas de polipropileno podem se adequar a qualquer estrutura de materiais já instalada, bem como em casos de reforma ou na instalação de novas estruturas. O mecanismo de instalação é o mesmo utilizado em uma estrutura preparada para chapas similares.

Além de ser um material de fácil manipulação e acabamento, oferece também excelente relação custo-benefício, baixa densidade, alta durabilidade e chega ao consumidor final já tratado pelo transformador com agente anti-UV sem risco à exposição externa.

A resina S 501XP é um PP homopolímero modificado de baixo índice de fluidez, desenvolvido especialmente para extrusão de chapas de alta rigidez e excelente resistência ao impacto quando exposto a baixas temperaturas.

SABIC IP expande produção de especialidades de Polipropileno para atender à crescente demanda do setor automotivo por tecnologias de materiais de ponta.

14/10/2010

A SABIC Innovative Plastics anunciou hoje (13/10) que está adicionando operações de compostagem de especialidades avançadas de polipropileno (PP) à sua planta de Bay St. Louis, Mississipi (EUA) no primeiro trimestre de 2011. A planta usará a infra-estrutura existente e adotará novos processos para produzir os compostos SABIC® PP e os compósitos de PP reforçados com fibras de vidro longas SABIC STAMAX® . A adição de especialidades de PP à sua capacidade de compostagem habilita a empresa a fornecer uma gama mais abrangente de materiais de alto desempenho para seus clientes na América do Norte e a ajudar a atender à demanda por compostos de especialidades – que é um mercado que está se recuperando rapidamente da recente crise. O investimento neste processo altamente automatizado e tecnologicamente sofisticado reforça o compromisso da SABIC Innovative Plastics  em atender tanto as necessidades da indústria automotiva por materiais leves e de alto desempenho que possam reduzir significativamente o consumo de combustível e emissões, em comparação com produtos concorrentes, como as necessidades do setor não-automotivo, em segmentos chave tais como o de manipulação de fluidos e de equipamentos.

“Os plásticos estão se tornando mais familiares para os projetistas de automóveis e a percentagem de compostos de PP usados hoje nos carros está aumentando”, afirma Gregory A. Adams, vice presidente para o setor automotivo da SABIC Innovative Plastics. “As instalações de Bay St. Louis tem uma localização ideal para atender rapidamente aos nossos clientes nos países do NAFTA. A nossa capacidade de compostagem expandida irá fortalecer a nossa possibilidade de fornecer algumas das soluções em materiais mais abrangentes e inovativas, a fim de atender às novas necessidades dos projetistas de carros nos dias atuais.”

“O sucesso dos nossos clientes é a chave do nosso sucesso”, afirma Leon Jacobs, diretor global de negócios de PP da SABIC Innovative Plastics. “Nós temos relações muito fortes com os fornecedores da indústria automotiva, as quais se fundamentam na confiança, trabalho de equipe e desenvolvimento conjunto de conhecimento. Um componente importante dessas relações é a nossa capacidade, como um player global líder, de assegurar um suprimento flexível e confiável de matéria-prima, de modo que a expansão da capacidade de produção de nossos materiais automotivos em Bay St. Louis irá nos ajudar a responder rapidamente à dinâmica e necessidades de mudanças da indústria.”

Produtos de Alto desempenho para diversas aplicações automotivas.

Os compostos SABIC PP são os materiais escolhidos por um número crescente de fornecedores automotivos para a produção de pára-choques, painéis de instrumentos, painéis das portas, peças internas e outras aplicações automotivas importantes. A demanda do mercado pelos compósitos SABIC STAMAX está crescendo por causa da sua notável combinação de excelente resistência, estabilidade dimensional e alto fluxo para partes estruturais de paredes finas. Os materiais SABIC STAMAX permitem o projeto de aplicações que podem combinar leveza com integração funcional para componentes como módulos frontais,  suportes do painel de instrumentos, portas traseiras e sistemas de assentos.

Fonte: SABIC IP

Cristal Master expõe pigmentos e aditivos para termoplásticos na Interplast

12/08/2010

Fundada em 2004, em Joinville/SC, A Cristal Master é fornecedora de matéria-prima para toda a cadeia do plástico do Brasil e América Latina. Tradicional expositora da Interplast, a Cristal Master leva para essa edição da feira pigmentos e aditivos para termoplásticos. A linha de produtos abrange masterbatch, aditivos, cristal micro perolizado, cristal micro peletizado, cristal finish, cristal color blend, tingimentos técnicos e salt and pepper. A matéria-prima é utilizada pelos segmentos de brinquedos, chapas, cosméticos, calçados, filme, linha branca, multifilamento, ráfia, utilidades domésticas, construção civil, expansão em EVA, higiene e limpeza, móveis, TNT, entre outros.

A Cristal Master utiliza matéria-prima de qualidade, fornecida por empresas certificadas, para assegurar qualidade em todo o processo de pigmentação termoplástica. A empresa faz uma análise do produto e utiliza o sistema de pigmentação mais adequado, com o objetivo de reduzir consideravelmente os custos e melhorar a qualidade do produto final, levando também em consideração a proteção contra intemperismos, raios ultravioleta, além de outros agentes naturais.

Fonte: Messe Brasil

Karina busca fortalecer produtos no mercado de especialidades poliolefínicas

06/08/2010

A Karina, líder no mercado brasileiro de compostos de PVC, participa da Interplast 2010 com o principal objetivo de fortalecer a nova linha de produtos de especialidades poliolefínicas no mercado brasileiro. Expõe também as demais matérias-primas em compostos de PVC e marterbaches, fornecidos para os segmentos de calçados, embalagens flexíveis e rígidas, fios e cabos elétricos, vedantes, tubos e conexões, mangueiras, perfis para construção civil, automobilístico, sacolas, materiais descartáveis entre outros.

Sobre a Karina
A Karina Indústria e Comércio de Plásticos atua no mercado de termoplásticos há 30 anos, onde é líder no mercado brasileiro de compostos de PVC. A linha de produtos abrange compostos de PVC, especialidades poliolefínicas e masterbaches, produzidos de acordo com as mais rigorosas normas e legislações nacionais e internacionais. Localizada em Guarulhos/SP, a empresa conta com infraestrutura de referência no segmento e a capacidade produtiva a mantém entre as maiores empresas do segmento no mundo. Conta com laboratório de tecnologia de ponta e parceria com institutos privados de pesquisa e desenvolvimento do Brasil. Atende clientes em todo o território brasileiro, além de América Latina, EUA, China, África do Sul e União Européia.

Fonte: Messe Brasil